Page 1


Sumário

Máquinas VIII

Saindo do lugar comum A primeira edição do ano faz um convite ao leitor para sair da zona de conforto, e fazer a diferença em 2014. Com tantos eventos grandiosos acontecendo, será que é nisso mesmo que devemos focar? O que de fato vai trazer mudança para a sua vida, ou para a sua empresa? Pesquisamos durante dois meses o número de equipamentos instalados no Brasil, e a intenção de compra para este ano. O resultado você lê a partir da página 26! Não deixe também de conferir a tradicional tabela de equipamentos.

26

06

12

42

EDITORIAIS E EXPEDIENTE

ARTIGO TÉCNICO

Artigo Técnico

08

Marcelo Copetti - O fluxo de trabalho dentro da impressão digital

Dicas de adesivação

SUAS IMPRESSÕES

14

10 ESPAÇO DE NEGÓCIOS Durst Brasil lança modelos Kappa 180 V2 e Kappa 320

10 CLASSIFICADOS GF Nova seção traz anúncios gratuitos de produtos e serviços

ARTIGO GESTÃO DO TEMPO Christian Barbosa - Pare de correr e apaixone-se!

16 GF NEWS Cobertura do curso Sucesso em Vendas com Edsel Lonza

18 GF NEWS Top Colors recebe consultoria empresarial

20 CANTINHO DA PRODUÇÃO As dúvidas respondidas por quem está “com a mão na massa”

45 COLUNA DO LEITOR Nova editoria da GF, mais um espaço para troca de experiências

48 ANUNCIANTES GF Onde encontrar soluções para o mercado de comunicação visual

50 ZECA VINIL


EDiToriAL

EXPEDiENTE

LUCiANA ANdrAdE Editora editora@grandesformatos.com

Fevereiro 2014 | Ano 8 – nº 88 EDITORA/DIRETORA Luciana Cristina Andrade JOrNALiSTA

Queridos leitores

Andressa Fonseca mTb 9186/Pr

06 de janeiro de 2014 me vi entrando em nosso escritório tomando cuidado para assegurar que entraria com o pé direito! E somos assim, seja com pé de coelho, alho no sal grosso atrás da porta de entrada, pimenta vermelha, espada de São Jorge, enfim, nós brasileiros acabamos fazendo até coisas que não acreditamos com o propósito de ter sorte! Este é o povo que faz a comunicação visual mudar. Em nenhum país do mundo nascem empresas de CV tão rapidamente. Nossa velocidade é surreal! Muitas vezes as empresas passam por problemas financeiros, mas enfim, se reinventam baseadas num pressuposto de sobrevivência! Com um governo como o nosso, tantos absurdos com o NOSSO dinheiro e ainda assim nosso setor sobrevive (e cresce!), como? difícil responder aos porquês! Acho que precisamos de uma auditoria de alto nível em todo mercado para descobrir este COMO! Enfim, a verdade acaba sendo percebida, de várias formas, em ver as empresas querendo investir (o que muitas vezes não têm!) vislumbrando um novo amanhã. Esta motivação contagia todo o setor, e não é diferente conosco! Amamos o que fazemos! Feliz 2014 de todo coração!

faleconosco@grandesformatos.com ATENdiMENTO AO ASSiNANTE +55 (41) 3023-4979 ASSiNATUrAS Patrícia Kowalski assinaturas@grandesformatos.com ANÚNCiOS Liana Andrade atendimento@grandesformatos.com AdMiNiSTrATiVO/FiNANCEirO Luka financeiro@grandesformatos.com CRIAÇÃO Cameron biscaia criacao@grandesformatos.com PrOJETO E dESENVOLViMENTO GráFiCO

ANdrESSA FONSECA jornalista

Paolo malorgio Studio paolo.malorgio@gmail.com

faleconosco@grandesformatos.com A revista GF é publicada 11 vezes ao ano pela GF Editoração Ltda

da redação Nada como voltar à ativa depois de merecidas férias. Vontade de inovar, de crescer, e claro, de escrever, e muito! Mas logo ao começar meu trabalho, algumas coisas já me deram certa “preguiça”, como ler sempre as mesmas coisas sobre os mesmos assuntos. de repente tenho uma súbita vontade de gritar: “Ei, muda o repertório!”. Copa do mundo, eleições, eventos esportivos no Brasil, o ano da virada para o mercado de comunicação visual, e por aí vai. Tem alguém aqui que não sabe disso? Por que eu teria que falar “mais do mesmo”? Ainda bem que aqui na GF seguimos a mesma linha de pensamento, que é fazer algo inteligente, criativo e pensado no leitor. Sendo assim, fomos além do feijão com arroz. Este ano vai acontecer tudo isso mesmo, e daí? É isto que te motiva? E se tudo não sair como o previsto? Te convido a pensar fora da caixinha nesta edição. Te convido a fazer um 2014 diferente de verdade! Vá além dos eventos, supere seus limites, surpreenda seu cliente. Trabalhe em seu favor! Ah, e conte conosco! Boa leitura,

FEVEREIRO DE 2014 GF EDITORAÇÃO LTDA

TO d OS OS dirEiTOS rES ErVA dOS . Todos os direitos reservados. A reprodução total ou parcial deste material é permitida mediante autorização prévia expressa pela GF Editoração Ltda e desde que tenha citada a fonte. O conteúdo dos artigos é de responsabilidade dos autores, não expressando necessariamente a opinião da revista. Os informes técnicos são de caráter informativo, não são comercializados e a revista é imparcial, não prevalecendo nenhum fabricante em detrimento de outro. Os anúncios são de total responsabilidade dos anunciantes.

ViSiTE NOSSO POrTAL www.grandesformatos.com

6

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • r E V i S TA G F


SuAS imPrESSÕES

Comentários

da ediÇÃo de deZemBro

A revista Grandes Formatos como sempre com ideias inovadoras e excelentes táticas de interação entre os membros do mercado de Comunicação Visual no Brasil! Achei muito boa a iniciativa do espaço “Cantinho da Produção”, noto que neste campo abordamos assuntos diversos onde podemos ficar atualizados do que acontece tanto no mercado quanto no cotidiano através de processos e soluções práticas para mecanismos do dia a dia, sem que percamos nosso foco e nossa intensidade na qualidade das informações prestadas, direcionadas para um público cada vez mais bem informado e preocupado com as novas tendências e possibilidades que o mercado de comunicação visual pode fornecer para complementar cada vez mais na qualidade de nossos produtos e serviços. desejo a todos nós bons negócios, grande produtividade e ainda mais crescimento profissional onde possamos nos destacar cada vez mais neste mercado fantástico e cada vez mais versátil! Um forte abraço a todos e meus sinceros parabéns rEViSTA GrANdES FOrMATOS! Shirley Cabral - Supervisora Comercial Suprimentos | TS2 Soluções Gráficas Acompanho a revista Grandes Formatos desde sua primeira edição. Fantástica – simples, moderna, direta, limpa, útil, bem conceituada. Uma ferramenta que vai além da questão do processo de produção; fala, também, de uma nova maneira de enxergar nosso negócio e de igualdade de oportunidades. Enfim… Adoro a Grandes Formatos. Carlos Paixão | Home Design - Teixeira de Freitas - Bahia Trabalho na área de comunicação visual há pouco tempo, e tenho encontrado muitas dicas valiosas, tanto no site quanto na revista GF. A edição de dezembro trouxe um artigo técnico de adesivação em veículos com curvas irregulares, que não chamou só a minha atenção, mas também de todo o setor de produção aqui da empresa. Um artigo muito bem descrito e com informações determinantes para a qualidade do serviço. O ‘Cantinho da Produção’ é um dos meus favoritos, pois também compartilho de algumas dúvidas expostas, e aplico algumas soluções descritas. Eu poderia fazer um comentário sobre cada artigo da GF, como ficaria muito extenso, posso resumir em um grande ‘parabéns’ por mais uma edição fantástica. Toda a equipe Crivo SignGroup parabeniza a GF pelo excelente trabalho. Marcos Mello | Sign Group - SC

o que você gostaria de encontrar nas próximas edições da sua revista? mande sua sugestão!

Envie suas sugestões, comentários e críticas: www.facebook.com/revistagf Twitter: twitter.com/revistaGF Siga a GF no Twitter!

8

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • r E V i S TA G F

E-mail: faleconosco@grandesformatos.com Cartas: GF Editoração Ltda - Revista GF Av. Presidente Affonso Camargo, nº 2491 | loja 2 Cristo rei, Curitiba/Pr - CEP 80050-370 Telefone: (41) 3023-4979

* Em razão do espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados


ESPAÇo DE NEGÓCioS DurST

Durst Brasil lança modelos Kappa 180 V2 e Kappa 320 EQUiPAMENTOS VOLTAdOS À iMPrESSãO iNdUSTriAL EM TECIDO CHEGAM AO PAÍS NESTE ANO E SErãO O FOCO dA EMPrESA NA FEBRATEX 2014 A Durst Brasil está lançando no mercado nacional dois novo modelos para sua série de impressoras industriais inkjet UV para o segmento têxtil: a Kappa 180 V2 e a Kappa 320.

A Kappa 180 V2 é a versão atualizada da Kappa 180 (lançada em 2011). Trata-se de uma impressora robusta com qualidade de imagem de 1000 dpi, sistema de impressão oito cores, nova unidade secadora de alto desempenho, que permite secagem sem contato com a mídia em três fases a uma temperatura máxima de 130ºC. Além disso, suas tintas receberam certificação GOTS (Global Organic Textile Standard), que assegura que o processo é totalmente ecológico e não agressivo tanto às fibras dos tecidos, como ao meio ambiente ou operadores. Possui velocidade variável entre 580 m2/hora (modo de passagem única) ou 297 m2/hora (dupla passada).

Novidades também no exterior, onde já contam com cases de sucesso, as impressoras agora estarão disponíveis aos empresários brasileiros no setor têxtil e serão um dos focos da durst na Febratex 2014, feira que acontece de 12 a 1 5 de agosto, no Parque Vila Germânica em Blumenau (SC).

Já o modelo Kappa 320 suporta larguras máxima de 330 metros, possui secador horizontal com três passagens, resolução de 1000 dpi, oito canais de impressão, pode trabalhar com diferentes tipos de tecidos, incluindo corino, e agrega uma série de funcionalidades paralelas, como o sistema

riP Caldera especialmente desenvolvido para trabalhos em grandes formatos, e o sistema CostView, que automaticamente calcula os custos de produção e a emissão de CO2. Sua velocidade varia entre 650 e 340 m2/hora. “O mercado mundial de impressão têxtil produziu cerca de 27 mil m2 de impressos e, destes, apenas 1% foi realizado via processo digital. Nesse contexto, há estimativa de crescimento de 3% ao ano para as aplicações digitais”, afirma Flávio Hirata, CEO da Durst Brasil. “Assim, nossas expectativas com os novos modelos Kappa é enorme, e queremos repetir o sucesso nas instalações que já obtivemos em um passado recente com a Kappa 180.” Fonte: Assessoria de imprensa

claSSiFicadoS gF Agora você tem um espaço para anunciar grATUITAMeNTe na gF. Tem máquina para vender? Precisa contratar algum funcionário? Terceiriza algum serviço? Utilize este espaço. envie email para faleconosco@grandesformatos.com,

e coloque no título CLAssIFICAdOs gF

10

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • r E V i S TA G F

burEAu DE imPrESSÃo Somos um Bureau de impressão e terceirizamos impressões UV em adesivos, lonas e chapas. Obrigado pela oportunidade. contato@jsbureau.com.br (54) 3584-1398 www.jsbureau.com.br VENDE-SE EmPrESA DE ComuNiCAÇÃo ViSuAL Em FLoriANÓPoLiS EMPrESA dE MÉdiO POrTE Há 15 ANOS NO MErCAdO CATAriNENSE. PArQUE FABriL COMPLETO: iMPrESSãO LáTEX, rECOrTE, LASEr, rOUTEr, SErrALHEriA, MArCENAriA E PiNTUrA. PArA MAiS iNFOrMAçõES ENTrE EM CONTATO: CONTATO@ASSESSOriA. COM.BR (48)3025-7055

VENDo ÓTimA EmPrESA DE ComuNiCAÇÃo ViSuAL, PrESTADorA DE SErViÇoS PArA EmPrESAS DE PrimEirA LiNHA Em bArCArENA-PA E rEGiÃo. O FOrTE dA EMPrESA É iMPrESSãO diGiTAL, COM MáQUiNAS MOdErNAS E TECNOLOGiA dE PONTA, dESTACA-SE PELA QUALidAdE dE ENTrEGA dE PEdidOS.

Em condições sólidas, com rica carteira de clientes, marca consolidada no mercado e com excelentes prognósticos. Jairo Castro Ger. De Marketing e de Negócios 55 + (91)3754-2266 (91)92135099(VIVO) jairo.castro@midiavitrine.COM.BR FALE DIRETAMENTE COMIGO NO 55 + (91)8182-0585(TIM)


Artigo técnico

FLUXO DE tRABALHO Sempre costumamos dizer que quem manda na GF é o leitor. E obedecendo a mais uma de suas solicitações, 2014 traremos muitos artigos técnicos, com dicas de quem sabe do que está falando. Um dos nossos colunistas será Marcelo Copetti, que já se programou para durante o ano todo falar sobre Fluxo de Trabalho. Conteúdo sobre este tema tem de sobra, e conhecimento mais ainda. Então aproveite bastante a leitura!

O fluxo de trabalho dentro da impressão digital Nesta coluna iremos falar sobre fluxo de trabalho. É muito comum usarmos uma palavra e, em inglês, workflow, para definirmos uma sequência de trabalho. É comum portanto que façamos a confusão entre um fluxo de trabalho estabelecido dentro da empresa e um software que organize as tarefas a serem realizadas pelo operador da máquina. O fluxo de trabalho deve ser pensado desde a chegada do trabalho à empresa, até a sua saída. Em uma área tão jovem quanto a impressão digital e com um crescimento exponencial a cada ano, é comum percebermos que alguns vícios de empresas novas são cometidos. Justamente por este crescimento ocorrer tão rapidamente e em tão pouco tempo, é necessário pensar imediatamente sobre como organizar o nosso fluxo de trabalho para que o crescimento não se torne uma série de problemas a serem administrados, e geralmente com custos altos para suas soluções.

12

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

O primeiro destes vícios é a compra de equipamentos de impressão para suprir a demanda de serviços, sem antes avaliar como aumentar a produtividade e redução de desperdício do sistema atual. O investimento em capacitação da equipe leva a aumentos significativos de produtividade e redução dos desperdícios. O segundo destes vícios é a compra de equipamentos sem olhar o conjunto de produção da sua empresa. Em como este novo conjunto se adequará ao seu processo e como será integrado. Tornando a sua empresa uma colcha de retalhos difícil de integrar.

Quais os objetivos do fluxo de trabalho? Vamos falar sobre ferramentas para otimizar e também para aumentar a produtividade com o objetivo de tonar todo processo mais simples, mais direto e com mais controle.

Para isso vamos utilizar ferramentas disponíveis em diversas áreas e assim poderemos trazer soluções que venham a melhorar o resultado das empresas. Essas ferramentas podem ser tanto aplicativos, para que se possa realizar uma determinada tarefa ou um conjunto de tarefas, equipamentos, que possam de alguma forma de organizar o fluxo, ou ainda mesmo conceitos importantes de administração para a produção.

Como combateremos os vícios? As empresas estão focadas hoje apenas em comprar novas máquinas e não em um otimizar o processo de produção. Isto leva a uma situação indesejável, pois os investimentos são feitos de maneira desordenada levando a custos mais altos sem a devida luta contra o desperdício. É necessário para isto mudar a cultura da empresa. Trazer para a pauta da conversa com os funcionários a importância de errar menos, realizar os trabalhos de maneira mais assertiva, seguindo um procedimento. Combater a ideia da tentativa e erro.


Assim o investimento que aumenta a sua produção ser pensado com uma lógica diferente. Quanto custa otimizar a minha produção e qual o resultado? Compare o investimento em aumento da sua produtividade com o investimento total de um equipamento novo e verá que o primeiro sempre é uma ótima opção antes do segundo. Outra mudança que devemos fazer é no processo de aquisição de novas soluções para a empresa. Hoje se pensa diretamente em comprar um novo equipamento para atender a uma necessidade do mercado, para gerar mais negócios. Este processo de aquisição deve ser pensado além das questões básicas que normalmente perguntamos, como: resolução, quantos metros de impressão por hora, largura ou tamanho da mídia de impressão, etc. Temos que começar a perguntar também qual o software que gerencia este equipamento, pois ele definirá uma série de vantagens ou limitações na sua produção. Outra pergunta, como ele vai se integrar ao seu processo, tenho outra opção de software que se adeque ao meu processo de produção? Qual o tempo necessário para que o meu funcionário aprenda

como utilizar este processo, não apenas aprender como usar o software, mas como utilizar o software por completo. Nas próximas edições falaremos sobre cada um dos temas com mais profundidade e responderemos a dúvidas dos leitores enviadas através de e-mails. Até a próxima!

Marcelo Copetti

é Especialista em Gerenciamento de Cores, processos gráficos e digitais. Atualmente, é distribuidor de soluções de workflow e economia de tinta para o Brasil. Ministra treinamentos e palestras no Brasil inteiro sobre Gerenciamento de Cores, Colorimetria, Calibração Fotográfica, Calibração Profissional de Monitores, economia de tinta, otimização de fluxos de trabalho, dentre outros. Participou de cursos sobre cores, equipamentos e workflows no Brasil e no exterior.


ARTIGO GESTÃO DO TEMPO

Pare de correr Por Christian Barbosa Pergunte a qualquer pessoa do seu trabalho ou amigos se eles estão tranqüilos ou se estão cheios de coisas para fazer. É raro achar alguém que responda que está tranqüilo, sem muita coisa. Nossa sociedade está viciada em ficar ocupada. Estamos sempre ocupados todo momento, cheio de coisas pendentes, correndo de um lado para o outro, abarrotados de e-mails para ler, etc. Estamos sobrevivendo tão freneticamente que não percebemos que estamos deixando de lado as coisas que realmente precisam ser vividas. Os anos passam, mas não conseguimos sair desse circulo vicioso da pressa, do urgente, do “prá ontem”. O problema é que nesse turbilhão de coisas, a maioria das pessoas não consegue alcançar aquilo que querem de verdade. O problema raiz, é que elas não alcançam o que querem, porque elas não sabem de verdade o que querem alcançar. A falta de clareza gera uma série de opções e de decisões erradas. Roda-se em círculos, fica-se paralisado e nunca consegue usar todo seu potencial na busca daquilo que você realmente deseja. E nessa época de final de ano isso só piora. É duro pensar nisso, mas é uma realidade.

14

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

Lembro-me de um ano na minha vida, após o falecimento de um querido sócio, que vive exatamente o roteiro acima. Um ano perdido, sem sair do lugar, sem realizações, cheio de oportunidades que não deram em nada, muita esperança e pouca efetividade, muito trabalho e pouco resultado. No final daquele ano, uma amiga fez uma pergunta que ajudou. Ela simplesmente me disse: “você perdeu seu fogo, sua paixão. Você precisa reencontrá-la e quando achar fazer cada dia ser um pedaço dessa realidade. O que você é apaixonado por fazer?” Eu não sabia a resposta na hora, mas pouco tempo depois encontrei. Você já parou pensar as coisas que você realmente gosta, que realmente é apaixonado? Experimente fazer uma lista de 10 coisas que você é apaixonado, que gostaria de estar vivendo (mesmo que não tenha, mas pense em algo que gostaria de ter). Pode ser, por exemplo: passar tempo com sua família (filhos, pais, etc), viver uma vida de forma abundante e próspera financeiramente, ser reconhecido pela sua competência e talentos na sua profissão, viajar e se divertir com seus amigos, etc. Da sua lista de 10 coisas que ama fazer ou que gostaria de estar vivendo, faça o ranking das 3 mais desejadas. Se for viável, pense em alguma atividade que possa

entrar na sua agenda nas próximas duas semanas e agende-se para fazer algo por essas prioridades.

Sua lista de paixões dá um sinal e ajuda a complementar a pergunta essencial do que você deve fazer a si próprio, constantemente para ter mais tempo: O que é realmente importante na minha vida e como posso viver por isso nos próximos dias? Se você só ficar correndo, nunca vai conseguir parar e entender as coisas que realmente você gosta. E vai sempre reclamar que o tempo passa rápido demais. Nesse caso, lembre-se que o tempo físico não mudou quase nada nos últimos séculos, mas que talvez você seja um “atleta do tempo” e nem percebeu. Pare, ande e pense como viver pelas suas verdadeiras paixões. A vida passa rápido demais para quem vive correndo.


Christian Barbosa, maior especialista no Brasil em administração de tempo e produtividade, é CEO da Triad PS, empresa multinacional especializada em programas e consultoria na área de produtividade, colaboração e administração do tempo. Ministra treinamentos e palestras para as maiores empresas do país e da Fortune 100. Autor dos livros A Tríade do Tempo; Você, dona do Seu Tempo; e Estou em Reunião; e co-autor do Mais Tempo, Mais dinheiro. Sua mais nova obra: Equilíbrio e resultado – Por que as pessoas não fazem o que deveriam fazer? www.triadps.com.br e www.maistempo.com.br

r e apaixone-se!


GF NEWS CENTro DE CAPACiTAÇÃo

Vender é igual pescar Por Andressa Fonseca Para mim, a melhor forma para escrever uma matéria, é quando posso mergulhar de cabeça no tema proposto. Quando posso entrevistar todas as fontes possíveis, e quando realmente compreendo o assunto sobre o qual vou falar. A minha pauta era “cobrir o curso do Edsel”. Não encontrei forma melhor de fazer isso, do que me sentar lá no fundo da sala, para tirar umas fotos estratégicas, e claro, para tomar nota de tudo. Confesso que fui nesta missão jornalística de consegui anotar tudo, até o décimo minuto de aula, mais ou menos. Analisei os trejeitos do professor, as fisionomias dos alunos, os slides, a apostila, enfim, todo o aparato preparado, e dá-lhe anotações. Mas de repente me vi mergulhada em um universo para mim desconhecido, e incrível. “Eureka”.

Edsel lonza, profissional com 25 anos de experiência em vendas, ministrou o primeiro curso de 2014 no GF Profissional

Pensei. Este curso não é só para vendedor. Fiquei com vontade de sair chamando todo mundo para entrar lá e escutar o que o Edsel dizia. Um conteúdo que pode ser aplicável em qualquer área da vida. Aquele desejo insaciável de servir. Este é o grande segredo. Quem tem isso, tem tudo. Mas deixando o lado subjetivo, e a opinião desta sonhadora jornalista de lado, vamos aos fatos. O título da matéria, “Vender é igual pescar”, foi uma das várias perfeitas analogias feitas pelo professor, que também é Gerente de Vendas da América Latina da Xaar.

“Quando você pesca, você coloca a isca e joga, e fica ali esperando, mas fica percebendo, se o peixe chega perto, se ele fisga, e se isso acontece, tem que ter o jeito para puxá-lo, ou poderá espantá-lo de vez”, compara Edsel.

16

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • r E V i S TA G F

O Curso Sucesso em Vendas tem como objetivo aperfeiçoar o desempenho dos vendedores através de práticas e posturas vencedoras. “Este curso é montado de vendedor para vendedor. Ele não é comprado de nenhum lugar, não é extraído de nenhum lugar, é um curso extraído da minha experiência de mais 25 anos de vendas. Com atitudes práticas, que já foram testadas, e que eu uso até hoje. é um curso formulado por quem já saiu muito de pastinha na mão, não é algo fruto de livros ou teorias empíricas. Existem cursos-show, que possuem efeito efervescente, onde as pessoas saem de lá muito animadas, motivadas, mas depois de três dias voltam à estaca zero. Aqui, sempre que eu faço esse ou outro curso, entrego em forma de apostila, um manual prático, onde a pessoa pode voltar ao conteúdo que foi ensinado e consiga aplicálo no dia a dia. E em aplicando, não tem como não dar certo”, conclui Edsel Lonza.


DEZ ALuNoS rEALiZArAm o CurSo Em CuriTibA E SAírAm SATiSFEiToS Com o QuE APrENDErAm.

“Adquiri novas fontes de vendas, táticas e principalmente um amplo conhecimento” mAiCoN CEoLiN PErEirA, da Via Signs, Curitiba – Pr.

“Tem coisas que a gente sabe, mas acaba não aplicando, acaba esquecendo-se de usar. Então o curso ajudou muito neste sentido” mAGALi bErNAL, da ibiza, Curitiba-Pr

“Aprendi mais sobre a área comercial, aprendi muito. Adorei.” ANGELA mAriA SoArES, da Via Signs, Curitiba – Pr.

“Me matriculei pois o curso é muito bem comentado, e acho importante a equipe de vendas sempre se aprimorar. Aprendi muitas coisas e pretendo indicar para todos da equipe” ANDrÉ roCHA, da Formas Comunicação Visual, Joinville – SC

Portanto encerro esta matéria de forma subjetiva novamente. O Curso “Sucesso em Vendas” não é só para vendedor. É para quem deseja vencer na vida. É para quem tem o desejo intrínseco de ajudar ao próximo. Você tem este perfil? Se sim, te vejo no próximo, até lá! Acesse: www.grandesformatos.com e consulte as datas de todos os cursos oferecidos pelo GF Profissional.


GF NEWS CONSULTORIA

Organizar para crescer com saúde Este é um dos lemas da consultoria realizada por Wilson Giglio nas empresas de comunicação visual Todas as empresas vencedoras do Prêmio Bureau Criativo 2013 ganharam 100 horas de consultoria empresarial, com o consultor especializado em Comunicação Visual, Wilson Giglio. A primeira a receber a consultoria foi a vencedora da categoria Projetos Sustentáveis, Top Colors, de Birigui, São Paulo. Conversamos com o proprietário Tiago Ferraresi, para saber suas primeiras impressões sobre o trabalho que será realizado em sua empresa nos próximos meses.

GF Quais são suas expectativas com relação à consultoria? Tiago Ficamos bem apreensivos eu confesso, mas bem otimistas e motivados para as mudanças que forem necessárias. GF O que achou dos primeiros passos da consultoria? Tiago Foi uma iniciação bem dinâmica e envolvente, sentimos desde a chegada do Wilson o “desconforto” afinal tem um estranho me fazendo inúmeras perguntas (risos) GF Acha que a implantação será fácil? Tiago Fácil não, mas com certeza é um desafio ao qual temos que nos entregar para então ver os resultados. GF Na sua opinião, quais serão as principais dificuldades? Tiago A mudança de hábitos e métodos até então praticados em nosso cotidiano.


“Todos da empresa gostaram muito e estavam super ansiosos para o início da consultoria. A empresa tem uma equipe homogênea, todos com vontade de fazer, criar e organizar. Depois da palestra inicial, pude constatar a boa vontade de toda a equipe. Elaboramos o OrGANOGrAMA de forma a comportar, agora, a GESTãO COLABOrATiVA (ou PArTiCiPATiVA) com a inclusão de duas Gerências nas decisões estratégicas da empresa. Além disso, implantamos as Normas Internas e o Manual do Colaborador. implantamos também, o Gerenciamento de Fluxo de Caixa para que possamos ter, em dois meses, subsídios para a elaboração dos custos e formação do preço de venda cujo cálculo já iniciamos com a relação do ativo fixo e levantamento da mão de obra com os encargos. Eles gostaram tanto do início deste “presente” que ganharam que acabaram me contratando para fazer a Consultoria Completa, com mais 200 horas já contratadas. A próxima visita, já está agendada para o final de Fevereiro quando daremos continuidade com mais 4 dias de trabalhos consecutivos”, conta Wilson Giglio.

Nós da GF, que já passamos por este processo com o Wilson, sabemos que a consultoria pode assustar um pouco no começo, mas é fundamental para que a empresa cresça saudável e com muito mais organização. Desejamos sucesso à Top Colors e a todas as empresas que passarão pelo processo. E como diz o Wilson, CAMPeà “vamo que vamo”. PrÊMIO

BUreAU CrIATIVO 2013


CANTiNHo DA ProDuÇÃo

Cantinho da produção

David Mendes, Gerente de Produção da identidade Visual, direto da produção, vai responder as suas dúvidas, e falar um pouco sobre o dia a dia dos bureaus de impressão, os problemas e as possíveis soluções!

Bem-vindos ao primeiro Cantinho da Produção do ano. As dúvidas novamente vêm do Grupo mais movimentado do facebook. “Comunicação Visual Brasil”, criado por nosso amigo Felipe Andrade, da Adois Comunicação Visual. E quem responde, direto da Produção da identidade Visual do Rio de Janeiro, é David Mendes, nosso amigo e leitor assíduo. Participe! Envie suas dúvidas e sugestões.

20

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • r E V i S TA G F


lUCAS PETROViSCK

CáSSiO SiGNS

Como Vocês exportam os arquivos para impressão? Qual a melhor forma, quantos DPi usar? 10% do tamanho ou 100% tamanho original?

boa Tarde Pessoal, Gostaria de saber como vocês fazem a aplicação de verniz para proteção em adesivos e lonas, já tentamos usar aqueles “rodinhos” mas fica horrivel, é preferível deixar sem.

Lucas, essa pergunta depende bastante do software que você usa, mas aqui na Identidade Visual exportamos com 100% do tamanho original para não haver possíveis problemas com erro de tamanho, quando é um trabalho de grandes formatos para não perder resolução e demorar no processamento. Aí sim exportamos com 10% do tamanho original e redimensionamos no software da impressora. Só acho importante analisar com cuidado o processo que irá adotar para não haver indesejáveis retrabalhos.

Cássio, eu sugiro a aplicação com pistola. inicialmente você terá que fazer um pequeno investimento, irá precisar de uma pistola modelo HVLP (gravidade) de baixa pressão e um pequeno compressor, esses de 1,5 HP atende. Após a instalação irá aplicar o verniz como se estivesse pintando um painel. Obs. Leia atentamente a composição química do verniz, pois não é qualquer verniz que pode ser aplicado em lona e adesivo. MARCElO NUNEZ MARKA Pessoal bom dia! Estou com adesivo transparente impresso para adesivar uma porta de vidro, queria saber se depois que adesivar o outro lado da porta com adesivo branco, ele ficará com efeito jateado?

Marcelo, o adesivo branco serve para realçar a imagem impressa e compor a cor em impressões de máquinas que não imprimem branco. Caso queira o efeito jateado no vidro seria ideal imprimir no próprio adesivo jateado. Mas se já imprimiu no transparente e não quer perder o trabalho, aplique o jateado no verso e avalie o resultado final, não fica 100% mas é uma alternativa. VAlDAiR PANOSSO o ACm é um produto bom para Comunicação Visual, porém, o que fazer com as sobras e descartes? Não há coletas para este material, o que os colegas fazem?

Caro Valdair, com certeza você não é o único com esse problema, porém existem algumas formas de resolver. Primeiro: A forma que acho mais bacana é procurar na sua região uma ONG ou cooperativa que faça trabalhos artesanais, geralmente eles usam uma infinidade de matéria prima. resolve seu problema, contribui com o meio ambiente e ajuda na renda de pessoas menos favorecidas. A segunda alternativa é a contratação de uma coleta de lixo extraordinário, caso tenha que fazer essa opção, que terá um custo, aproveite para descartar os restos de tinta e outros materiais que não são recicláveis na sua empresa. É importante lembrar de exigir nota fiscal para este tipo de coleta, assim você terá certeza que este material irá para o destino certo.

22

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • r E V i S TA G F


capa

Mรกquinas VIII

Saindo do lu

26

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 โ€ข R E V I S TA G F


ugar comum Por Andressa Fonseca Abrir esta matéria falando sobre Copa do Mundo, Eleições e sobre tudo o que isso pode afetar o nosso mercado, me pareceu bastante redundante. Afinal, tem alguém no Brasil que não sabe disso? O subtítulo “Saindo do lugar comum”, também serve para nós da GF neste momento. Zona de conforto é aquela área onde tudo é mais fácil. Pensar e agir dentro desta área são coisas que não demandam esforço nenhum. Não gostamos disso. Nem um pouco. Portanto amigos leitores se esperavam ver nesta matéria mais uma série de opiniões (quase iguais) sobre os eventos que vão movimentar nosso mercado este ano, me desculpem. Não é exatamente este foco que vamos dar. Já tem bastante gente falando sobre isso e algo que não gostamos de fazer é subestimar sua inteligência.

Vamos além. Pensar fora da caixinha, abrir novos horizontes, sair do lugar comum, como sugerimos desde o início deste texto. O que queremos mostrar é que o brasileiro, principalmente em nosso mercado, é capaz de se reinventar a cada dia. É aquele queem 2007, teve que encontrar meios de sobreviver à Lei da Cidade Limpa, é também aquele que em 2008 e 2009superou a maior crise econômica da história desde 1929. Crise que se originou nos EUA e que apesar do nosso governo afirmar que no Brasil não passaria de uma marola, causou grandes transtornos ao nosso mercado. Devido à nova política fiscal do país, as importações foram comprometidas, e a falta de suprimentos para a linha de comunicação visual deixou muita empresa no prejuízo. Faltavam tintas, faltavam lonas, um verdadeiro caos. É este brasileiro que queremos exaltar. O mesmo que passou por tudo isso, e que hoje continua lutando com unhas e dentes para buscar um mercado melhor, aquele que não quer mais ficar brigando pelo metro quadrado, que quer encontrar novas soluções.

Ou seja, aquele que independente de Copa do Mundo, Eleições e qualquer outro evento, vai continuar fazendo o seu melhor, para conquistar algo consistente. Pois se tudo der errado, se tudo acontecer diferente do previsto, ele não será atingido, pois já terá construído sua base sólida, simplesmente pelo fato de ter escolhido não ficar na zona de conforto. Este especial de Máquinas é para você, que escolheu sair do lugar comum, e buscar novas soluções. Entrevistamos centenas de Bureaus do Brasil inteiro, durante 2 meses para traçar um perfil do mercado, onde pudemos constatar tudo o que falamos até aqui. Acompanhe o resultado nas próximas páginas e antes de investir, não deixe de consultar a tabela com os principais equipamentos disponíveis no mercado hoje. Boa leitura!

R E V I S TA G F • Fe v e r e i r o 2 0 1 4

27


“Acredito que se os clientes se preocuparem em adquirir equipamentos confiáveis, com assistência técnica qualificada e conhecer bem as empresas nas quais eles nominam como fornecedores, esse ano será muito melhor aproveitado, pois dessa maneira as preocupações poderão estar em vender e entregar um produto de qualidade. Tenho notado em minhas manutenções e visitas que a procura tem sido, em sua maioria, para equipamentos de alta produção e com alta qualidade. Por isso, em minha opinião os equipamentos que atenderem a essa expectativa serão os mais procurados para os próximos 3 anos.”

SUL Na Região Sul, a média é de

2,5 equipamentos solvente instalados por empresa.

43% dos entrevistados desejam adquirir equipamentos UV e corte, ou sublimação em 2014. Até impressoras 3D foram citadas.

28

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

Hélio T. Zaninelli Júnior, 3 Joy Soluções para Impressão

20

Somente % querem outro equipamento solvente.


“Estamos bem otimistas para 2014, apostando principalmente em equipamentos UV, sublimáticos, ecossolvente e corte e gravação a laser. Entendemos que este crescimento tem sido decorrente do desenvolvimento técnico dos produtos e também da considerável queda de preço.” Sandra Monteiro, AKAD “Acreditamos que em 2014, a tecnologia UV terá participação significativa, a estamparia digital poderá utilizar equipamentos de maior produtividade com valores mais acessíveis, equipamentos solvente de maior produtividade se destacarão, linhas de crédito com taxa e condição de pagamento diferenciada (FINAME) farão diferença.”

“Imaginamos que haja sim uma influência positiva em nosso mercado relacionados à Copa do Mundo e Olimpíadas, mas não apostamos nesses eventos como um divisor de águas da situação econômica brasileira. Entendemos que a maturidade do mercado e o profissionalismo crescente das empresas que se voltam para equipamentos cada vez mais qualificados serão as grandes razões para resultados positivos nos próximos anos.” Cristiano Guerra, BG Soluções Tecnológicas

Marco Antonio Camargo, Ampla Digital

“Observo uma movimentação permanente na estratégia e foco de mercado das empresas de comunicação visual, onde algumas deixam de realizar certos tipos de peças, e outras fazem delas seu principal produto. A entrada de impressoras UV de altíssima qualidade com baixo custo de aquisição e impressão, irão gerar a mudança mais significativa em nosso mercado em 2014. A impressão digital UV poderá agora ser executada por pequenas empresas, que tem maior facilidade em personalizar as peças produzidas, e poderá ser esta a melhor escolha na hora de evoluir seus equipamentos.” João Carlos, Big Suprimentos

R E V I S TA G F • Fe v e r e i r o 2 0 1 4

29


SUDESTE Na Região Sudeste, a média é de

3 equipamentos solvente instalados por empresa.

52% dos entrevistados desejam adquirir equipamentos UV e corte em 2014.

32% querem outro equipamento solvente.

30

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F


“O mercado de equipamentos é muito sensível a questões exógenas como crédito e nível de confiança do empresariado. O crédito não deve melhorar muito, pelo menos no primeiro semestre de 2014, uma vez que as taxas estão mais altas e a inadimplência segue elevada. Os Bancos Públicos foram o grande motor do credito no primeiro semestre de 2013 e no segundo semestre de 2013 não foram tão generosos, levando a uma queda forte nas vendas de equipamentos. Acho que a partir do segundo semestre de 2014 os bancos privados devem começar a emprestar novamente para as micro e pequenas empresas.”

“O segredo é inovação. Os clientes e os fabricantes terão que voltar seus olhos para soluções que dêem flexibilidade no trabalho com novas mídias, flexíveis ou rígidas, sem que haja perda de qualidade e produtividade. Áreas como impressão digital em tecido ou em mídias rígidas e diferenciadas, ganharão muito e são mercados essenciais para quem atua no ramo de impressão. 2014 é um ano que abre oportunidades. Ganhar com isso depende da estratégia de cada empresa. Certamente, 2014 será um ano especial para o mercado de comunicação visual com eventos de vulto, como a Copa do Mundo e ExpoPrintLatinAmerica. Mas repito: lucrarão fabricantes que ofereçam soluções diferenciadas que vão ao encontro da necessidade dos clientes e, por outro lado, clientes que sejam flexíveis e preparados o suficiente para oferecer tecnologia de impressão com alta qualidade e prazo. Particularmente em nosso caso, temos provas das boas perspectivas, uma vez que estamos expandindo nossa base de instalações nas áreas de impressão digital cerâmica e têxtil, e, também, assistimos à retomada de nossos negócios no segmento gráfico.”

Jonathan Graicar, Day Brasil

Flávio Hirata, Durst

“Nossa aposta é tanto para a Sublimação Digital, como para aImpressão Digital em Tecidos. Pois com a chegada de novos equipamentos e novas tecnologias, o mercado será bastante competitivo e técnico.Em 2014 prevalecerá a tendência: Preço+Qualidade+Atendimento+Assistência Técnica = Resultado Positivo!” Carlos Vargas da Silva Junior, BM do Brasil “Em 2014 a utilização de Diodos (LED) no lugar das Lâmpadas de arco convencionais é certamente a maior novidade. A partir do LED o principal entrave, o alto custo, caiu por terra. Acreditamos, está deverá em pouco tempo ser a tecnologia padrão de mercado não só em rígidos, mas também em flexíveis.” Marcos Brambatti, BR GROUP

R E V I S TA G F • Fe v e r e i r o 2 0 1 4

31


“A tecnologia LED deverá ser tendência nesse ano. O valor agregado dos novos materiais e tecnologias devem impulsionar os negócios de nossos parceiros em 2014.” Marcelo Maeda, EFI

“O mercado de Comunicação já atingiu uma certa maturidade. Portanto, esperamos sazonalidades quando comparamos anos eleitorais com anos não eleitorais. Os fabricantes que se destacam e conseguem aumentar seu marketshare são aqueles que estão inovando e aumentando seu portfólio de produtos. O mercado de Sublimação está em ascensão, pois ainda estamos vivendo o início da migração dos processos analógicos para o digital. Os bureaus que desejam se destacar devem começar a pensar em investir em novas tecnologias como a sublimação, que ainda tem muito espaço para crescer.” EvelinWanke, Epson “Os fornecedores de impressão precisam desenvolver novos produtos de impressão e trabalhar de maneira ativa junto aos seus clientes na busca por soluções inovadoras. Eles devem ser os consultores de seus clientes para lhes apresentar o produto que melhor resolverá a necessidade do cliente. Dentro desse conceito, tecnologias de 32

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F


CENTRO OESTE Na Região Centro Oeste, a média é de

2 equipamentos solvente instalados por empresa.

40% dos entrevistados desejam adquirir equipamentos UV e corte em 2014.

25% querem outro equipamento solvente.

impressão versáteis como Látex e UV tem grandes vantagens em relação às demais tecnologias. Entender a necessidade do cliente é fundamental para lhe propor a melhor solução e possuir equipamentos que possam ampliar o portfólio de serviços oferecidos é necessário para lhe prover a melhor solução. E a grande vantagem é que produtos diferenciados e exclusivos oferecem melhores margens que os convencionais. Thiago Fabbrini, HP “A expectativa sempre tem que ser positiva, acho que o mercado está mais exigente na qualidade de impressão e no material a ser impresso, percebo uma movimentação de grandes empresas migrando a impressão para tecidos, saindo da impressão em lona, acho que será uma tendência para os próximos anos. Tenho uma expectativa favorável pois em 2014 temos a Copa do Mundo, em seguida Eleições, e após em 2016 as Olimpíadas, até lá acredito em um aquecimento nas vendas” Ronaldo P. Barroso, Infoparaná

“Acredito que a queda nas vendas é resultado de fatores múltiplos, crise global, frágil economia nacional, diversidade de novos fornecedores de produtos de baixo custo sem preocupação com estruturação do pós-vendas, entre outros fatores, acabaram por pulverizar as vendas de equipamentos. Somos otimistas quanto a expectativa para os próximos anos, principalmente pelos eventos que se aproximam, que exigem dos profissionais do setor um preparo e melhoria na qualidade e velocidade de produção, além da possibilidade de renovação no cenário político nacional. Nossa aposta para esse ano são as tecnologias micro piezo ecossolvente e também as impressoras sublimáticas.” Felipe Bettoni Zimermann, Laser CNC “É difícil dizer que 2014 é o ano da virada. Pode-se considerar que a virada está se iniciando e para que isso ocorra, é fundamental o compromisso do “bureau” de impressão na mudança de estratégia na venda e prestação de serviços. Como não existe uma

legislação vigente no Brasil, é difícil acreditar que o solvente não continue sendo o carro-chefe das empresas, porém a forma de se vender o produto deveria ser diferenciada, não apenas a partir do preço do m², mas sim do valor agregado, do serviço prestado, da qualidade de impressão e atendimento, dos prazos de entrega, fretes e outros custos operacionais envolvidos. Isso trará saúde às empresas e permitira o investimento das demais tecnologias. Acredito que o “bureau” preparado para apresentar projetos, mixando UV, Sublimação, Corte e Solvente, estará um passo a frente dos demais no fornecimento de soluções de comunicação visual. Pode-se dizer que existe uma tendência à busca pela tecnologia UV, para PDV e displays, aparentemente sendo essa a linha de investimento dos “bureaus” para os próximos anos.” Danilo Ribeiro, Mimaki

R E V I S TA G F • Fe v e r e i r o 2 0 1 4

33


NORTE E NORDESTE Nas regiões Norte e Nordeste, a média é de

2 equipamentos solventes instalados por empresa.

20% dos entrevistados querem comprar equipamentos UV em 2014, e 20% desejam adquirir máquinas de corte.

40% desejam comprar outro equipamento solvente.

“2014 é um ano promissor sim. As eleições sempre impulsionaram nosso setor bem como o fato da Copa do Mundo este ano demandar muito investimento em marketing. A aposta para esse ano é que a tecnologia solvente ganhe novo impulso, mas em termos de crescimento, a sublimação terá destaque, apesar de ainda o mercado solvente ser consideravelmente maior.” Pedro Victor Martins, TS2

34

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F


“O mercado deve apresentar melhoras significativas nos próximos 3 anos, porém teremos que nos adaptar as diversas mudanças mercadológicas. Novos conceitos e tendências podem direcionar a comunicação visual por caminhos diferentes de onde estamos hoje. Uma coisa é certa, os clientes estão exigindo cada vez mais criatividade, e isso obriga que as empresas invistam em equipamentos modernos, de alta-qualidade e versatilidade. Os clientes hoje buscam outras coisas, como: confiança, segurança e comodidade, não apenas preço! Ter um parceiro que faça “o algo mais” e que permita ao cliente de outros assuntos importantes da sua empresa, enquanto todo o trabalho de impressão é realizado, embalado, entregue e até mesmo instalado, ter uma equipe que faça tudo isso, é um grande diferencial. Sendo assim,a gestão eficiente de pessoas será, sem dúvida, a chave do sucesso para os próximos anos.” Ricardo Pi Vieira, Océ “Foi um ano de mudanças, o público mudou seu perfil, suas necessidades e com isto seu processo de compra. Tornando-se mais exigente e mais consciente. O mercado está mais maduro e acreditamos que esta nova tendência irá trazer grandes melhorias para o mercado. 2014 em específico é um ano muito especial para nós. Com relação à tecnologia continuamos acreditando que a sublimação manterá seu forte crescimento, mas enxergamos boas possibilidades em uma nova tecnologia que estamos em fase de desenvolvimento.”

“Pensando no futuro a expectativa é positiva, pois os eventos que acontecerão nos próximos meses e anos certamente irão aquecer o mercado de comunicação visual em geral, tanto em suprimentos como na venda de equipamentos. A cada dia que passa sentimos que o cliente tem criado a necessidade de investir em tecnologia novas. Isso requer investimentos em máquinas, produtos de qualidade e também investimentos em RH, com a qualificação das equipes de trabalho, buscando o máximo de qualidade na apresentação do produto final. Este conjunto de ações que os convertedores estão buscando colocar em prática resultam no crescimento conjunto da parceria Distribuidor e Convertedor fortalecendo as expectativas positivas para ambas as partes nos próximos anos e além de investir em equipamentos é essencial investir em na qualificação humana da sua equipe, que atualmente é um dos problemas encontrados nesse segmento. Acreditamos que a tecnologia UV para impressão digital é a que vai se destacar nos próximos anos e que vai ter maior procura para investimento, por se tratar de uma tecnologia versátil com equipamentos híbridos, para impressão em rígido e flexível, opção de impressão com tinta branca e verniz e ainda opção de impressão em substratos até 10cm de altura, além de que atualmente esta mais acessível financeiramente para empresas de pequeno e médio porte, tornando-se um custo x beneficio atraente para as empresas de comunicação visual e impressão digital, visto que as tintas UV já estão com custo baixo se comparado aos anos passados, sendo assim pode-se dizer que são muitos os fatores que favorecem a entrada desta tecnologia de impressão no mercado Brasileiro.“ Juliano Cardoso dos Santos, Suprinil Suprimentos

MarkusRunk, SignSupply

R E V I S TA G F • Fe v e r e i r o 2 0 1 4

35


Case de Sucesso A prova de que sair do lugar comum é fácil, e lucrativo! Enquanto realizávamos esta matéria, começamos a pensar em cada trabalho daqueles que recebemos para participar do Prêmio Bureau Criativo. Uma vontade imensa de falar com cada proprietário de bureau, afim de que contassem como é desenvolver novos trabalhos, sair da briga do metro quadrado, tudo para te motivar a fazer o mesmo.

PROJETO: PIANO DE CRISTAL EMPRESA: D E D COMUNICAÇÃO VISUAL – BENTO GONÇALVES – RS TAMANHO: 1,30m X 1,40m SUBSTRATOS UTILIZADOS: Acrílico, Inox, Metal Fundido FUNCIONÁRIOS ENVOLVIDOS NO

Mas precisaríamos de mais uma revista, pois são muitos.

PROJETO: 4

Escolhemos então o elogiado trabalho, da D&D, que além de ser um case de sucesso, é uma história de superação e de demonstração de força de vontade.

QUANTIDADE DE HORAS

É assim que queremos ser em 2014. Buscar a cada dia novas formas de trabalho.

HORAS

É com este tom que queremos encerrar este especial. Que em 2014 o lema seja “reinventar para crescer”. Que consigamos enxergar além dos eventos que ocorrerão em nosso país.

CRIAÇÃO: Cliente Rodrigo Soltton

Que venha a Copa, e que o campeão seja você! Que venham as eleições e que a sua empresa seja eleita a melhor!

36

Ficha Técnica

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

UTILIZADAS NO PROJETO: 1050


“A execução do piano só foi feita pela vontade de fazer trabalho diferenciado e pela persistência do cliente em querer esse projeto funcionando mesmo. O objetivo dele, era fazer um piano que imitasse o piano de calda, e o mesmo pudesse ser dividido em 3 partes para que ele pudesse ir aos shows sozinho, sem depender de outros para poder montar e desmontar o piano.”

R E V I S TA G F • Fe v e r e i r o 2 0 1 4

37


Vamos lá! Tudo começou há anos atrás quando desenvolvi para o mesmo cliente, um porta-cd de acrílico. Passado anos, ele me chamou até o local de trabalho dele, e me mostrou o piano que ele tinha de alumínio, e tinha ideiade fazer um em acrílico transparente. Como não havia projetos e nem fornecedores para certas execuções, precisava encontrar, antes de dar o OK para o cliente. Depois de ter encontrado essas soluções, começamos a desenvolver o projeto, com um apoio muito forte do meu sócio Cristiano Buffon, onde, desdeo começo deu suporte a esta ideia, e força para que não desistíssemos devido às dificuldade queteríamos. Desde os cortes iniciais, até o piano finalizado 100% em acrílico, levou quase 9 meses, pois a cada peça fazíamos ajustes necessários. Os ajustes, eram desenhados no corelmesmo, e depois cortados novamente para fechar. A ideia inicial, que era fazer esse piano somente colado, não funcionou, por isso, o cliente teve que encontrar um terceiro para fazer a estrutura cromada. Assim sendo, unindo a vontade do cliente e as máquinas que tínhamos, mais um trabalho foi realizado.

38

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

“Este é o nosso diferencial, que não se caracteriza somente pelos nossos maquinários, e sim pela nossa imensa vontade de superar as expectativas do cliente, e ser uma solução completa em comunicação visual” Dimer Dolfini e Cristiano Buffon, Sócios da D & D Comunicação Visual


CAMPeà PrÊMIO BUreAU CrIATIVO 2013

DÊ A SUA OPiNiÃO Envie suas impressões sobre esta matéria para faleconosco@grandesformatos.com, com seu nome, empresa, Cidade e Estado, ou ligue para: (41) 3023-4979 Twitter.com/revistaGF e Facebook: revistagf

R E V I S TA G F • Fe v e r e i r o 2 0 1 4

39


gF Tendências

CompactSolven EXTREME 1440 DPi - Alta Resolução e Produtividade em Grandes Formatos impressoras Extreme são acessíveis, robustas e estáveis, garantindo qualidade de impressão, precisão e o melhor desempenho da categoria. As cabeças konica Minolta de 14pL são consideradas a melhor tecnologia de impressão e possuem o menor preço de reposição do mercado. Permite imprimir em modo wave e Featherre produzindo imagens com qualidade fotográfica para uso interno e externo. A resolução de até 1440dpi garante maior versatilidade abrangendo demandas de pequeno, médio e grande formato. A série Extreme está preparada para upgrade o que possibilidade dobrar sua produção a qualquer momento.

40

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • r E V i S TA G F

CArACTEríSTiCAS TÉCNiCAS • Largura útil 3.2m (opcional 1.8m) • Aquecimento inteligente 3 estágios • Sistema de limpeza automatizado • interface fibra ótica 4x • Cabeça com altura ajustável • Comunicação USB alta velocidade. • Custo tinta homologada r$ 1,16/m2 • Preparada para upgrade até 8 cabeças • PhotoPriNT dX 10 incluso. • Treinamento no cliente.

PrEÇoS E moDELoS DiSPoNíVEiS • EXk3204 | 04 cabeças | r$ 65.000,00 • EXk3208 | 08 cabeças | r$ 83.000,00 • Financiamento bancário até 60X. • Equipamentos com Entrega imediata. oNDE ENCoNTrAr • Megagraphic (41) 3033-6061 contato@megagraphic.com.br www.megagraphic.com.br Seja um representante autorizado dos equipamentos CompactSolven. Entre em contato agora mesmo!


Tintas Solvente EpsonUltraChrome® GS2

Para impressoras Epson SureColorSérie-S – S30670 e S50670 • Tinta Ecoamigável – certificada por órgãos como a NordicSwan • Menor custo de impressão por metro quadrado devido à alta durabilidade das cabeças de impressão • Menor custo de manutenção do equipamento • Cores vibrantes e intensas • Secagem rápida • Preço: r$ 398 – cartucho de 700 ml

• Custo médio de impressão por m²= r$ 6,78 (somente tinta) • *Cobertura de 80% oNDE ENCoNTrAr • AlphaPrint • Comercial de Papel Boa Vista • Companhia do Silk • distrifilm • Emporium do Silk • F1 Suprimentos • Fattu

• Global Química e Moda • Guajajaras • J-Teck / Brasil digital • M4 ltda • Mercoplast • Office Plotter • Povareskim • Solução e imagem • T&C • Vinilsul


ArTiGo TÉCNiCo

dicaS de adeSiVaÇÃo TOdOS OS MESES NOSSO AMiGO E iNSTrUTOr DO GF CENTRO dE CAPACiTAçãO PrOFiSSiONAL, diOMÉdES SOUzA, VAi TrAzEr diCAS PrECiOSAS dE AdESiVAçãO. NAS PrÓXiMAS 3 EdiçõES, VAMOS FALAr SOBrE A ESCOLHA COrrETA dO PrOdUTO PArA CAdA SUPErFÍCiE A SEr COBERTA. Segundo diomédes, devemos estar atentos principalmente a três aspectos do ponto a ser adesivado. - Umidade - Temperatura - Atrito com o ar Nesta edição vamos falar sobre o aspecto UMidAdE.

42

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • r E V i S TA G F

Por Diomédes Souza Partindo do princípio que ainda não temos um adesivo para aplicação “universal”, aquele que se pode aplicar em qualquer superfície ou circunstância, devemos levar em consideração alguns tópicos para escolha correta do produto para cada superfície a ser coberta.

umidade Os adesivos deverão se adaptar a lei que obriga os fabricantes a utilizar colas à base d’água, substituindo às colas a base de solvente que ainda utiliza-se em algumas marcas, as marcas brasileiras como a Aplike, imprimax e Alko saíram na frente neste ponto e já utilizam a cola a base d’água em toda sua linha de adesivos.

Figura 1

A umidade pode dificultar muito e em algumas situações até mesmo inviabilizar a aplicação do adesivo, na figura 01, percebemos muita umidade na parede. Neste caso, a umidade estaria incidindo na parte da cola do produto a ser aplicado, isso inviabilizaria a aplicação, pois a massa corrida ou a tinta a base d’água transformam-se em uma pasta que não permite a aderência do mesmo, para essas situações não haveria outra solução a não ser resolver o problema de umidade na parede e após isso fazer uma aplicação com segurança.


Figura 2

Outro caso de alta incidência de umidade seria a de adesivos utilizados em barcos, lanchas e afins, para esses casos recomendamos a aplicação de adesivos de alta qualidade, citando com exemplo as linhas 6300 da 3M e GoldMax da imprimax, porém é importante para a proteção dos adesivos a utilização de vernizes resistentes à incidência de água doce ou salgada sendo vernizes diferentes para cada situação. Podemos indicar o site www. yachtpaint.com para uma pesquisa mais detalhada a respeito da utilização correta para vernizes nesta situação. O site também demonstra a necessidade de utilização de diferentes produtos para cada ponto do barco ou base como madeira, metal ou fibras como podemos observar na figura 02.

Porém não é só em locais que estejam em contato com a água que a umidade pode incomodar, devemos estar atentos quanto à umidade relativa do ar que em alguns casos pode condensar (fenômeno que transforma o ar em gotículas de água), este fato preocupa principalmente aplicações em locais do sul do brasil, por exemplo, onde as baixas temperaturas combinado com a alta umidade do ar pode em alguns casos até mesmo impedir a aplicação, nestes casos aconselhamos para uma situação onde não se pode esperar para realizar a aplicação dos adesivos, a utilização de sopradores térmicos, desumidificadores de ar, aquecedores e ar-condicionado, estes equipamentos podem auxiliar, mas não garantem mesmo assim a boa aplicação dos mesmos.

Diomédes Souza, 15 anos

de experiência no mercado, instrutor do Curso de Aplicação de Adesivos, no GF Centro de Capacitação Profissional

Na próxima edição, vamos falar sobre outro ponto a ser observado e que devemos ter cuidado no momento da aplicação: a temperatura. Até a próxima.

R E V I S TA G F • Fe v e r e i r o 2 0 1 4

43


COLUNA DO LEITOR

Coluna do leitor Estreamos nesta edição, o espaço chamado oluna do Leitor. Este é o seu espaço. Um local que poderá ser usado para debater assuntos, sugerir ideias e ações, ou simplesmente um espaço para desabafar. Lançamos o apelo no facebook, e recebemos um grande retorno. Para esta edição vamos contar com a participação de três leitores. E com vocês, VOCÊS!

“Minha opinião! Vemos cada vez mais a crescente enxurrada de máquinas em nosso já saturado mercado de comunicação visual. Os fabricantes precisam vender para continuarem seus negócios, a revenda precisa vender pois senão perde a concessão, comissão etc... Os vendedores vêm e iludem a todos com as super propostas de custos x preço de venda, até dizendo que se produzir 50m já ta paga a prestação da máquina, mas esquecem de pedir pro cliente por qual valor ele pretende, ou o mercado deixa ele vender o metro quadrado. Vivemos uma superlotação no segmento, preços defasados e prazos de entrega não condizentes com a qualidade exigida. Falta treinamento aos iniciantes, aos vendedores de máquinas e principalmente conscientizações do nosso segmento quanto aos valores praticados. Já vi aqui no sul preços de 13,00 o metro, imaginem quando chegar as eleições, vão praticar 10,00? Isso sim é preocupante”. André Didomenico, JS Bureau de Impressões – Passo Fundo - RS

R E V I S TA G F • Fe v e r e i r o 2 0 1 4

45


Aqui o espaço é seu! Vamos fazer desta seção, mais um meio para aprendizado com os colegas de profissão! Envie sua opinião para faleconosco@ grandesformatos. com, com seu nome, empresa, Cidade e Estado, e com o título COLUNA DO LEITOR. Twitter.com/ RevistaGF Facebook.com/ revistagf

46

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

“Compartilhar é preciso. Após 8 anos de trabalho no ramo de Comunicação visual e Impressão, do qual concorrentes e até mesmo parceiros não adquirem nem um tipo de parceria, e entram na infame guerra de preços esquecendo-se do principal foco de qualquer empresa que é atender bem o cliente sem esquecer também de obter o merecido lucro, começo a ver a parceria e amizade engatinhar e dar seus primeiros passos, frente em comunidades do Facebook do ramo. Isso muda muito e enriquece o setor, contrariamente do que alguns pensam, reter informações não pode ser considerado um trunfo, pois antes de acertamos em cheio, às vezes erramos, e erramos feio, Essas pequenas ajudas e dicas, vem beneficiando vários amigos do setor, que por sua vez, compartilham suas experiências ajudando outros e assim enriquecendo o mercado. Com isso conseguimos um trabalho final muito nobre e superior para nossos clientes, trazendo diferenciais e diversas experiências vividas em locais e situações diferentes, isso é algo que todos deveriam tentar e participar, construir um vínculo de parceria e amizade com diferentes empresas e colegas de locais e costumes diferentes, procurar soluções corretas antes do famoso “JEITINHO BRASILEIRO” ser implantado, buscar qualidade no produto final e atendimento antes de se alistar na guerra dos preços. Sem duvidas há muito a aprender e a ensinar. Paginas do facebook indicadas: Impressão Digital e Comunicação Visual Brasil. Allan Keoma, Gerente de Impressão – A2 Sinalização – Atibaia –SP

Atuo na área de comunicação visual há 17 anos na parte produtiva, especificamente envelopamento de veículos, decoração de lojas, estandes, feiras etc. Trabalhei nas maiores empresas da área e em algumas pequenas também. É uma área na qual gosto muito de atuar porém nos últimos anos, depois que entrou em vigor a lei “cidade limpa” teve uma grande queda de vendas e implicou em quebra de algumas grandes empresas. Notei também que a procura de aplicadores com salários menores aumentou, porém caiu muito a qualidade da nossa área. O que dificulta bastante também é o enorme numero de freelancers ,que cobram muito barato,obrigando pequenas empresas terceirizarem o serviço de adesivação, na minha opinião aplicação que deixa a desejar na maioria dos casos, ao meu ver, devido a grande quantidade de trabalho que os freelancers são obrigados a pegar fazendo os trabalhos com muita pressa. Não sou contra os freelancers, pelo contrário, eu também faço, mas cobro um preço que valorize minha profissão. O que eu queria deixar de lição aos empresários grandes ou pequenos,que para que possamos ver nossa área de atuação forte novamente, principalmente esse ano de Copa, é que foquemos em qualidade não só em valores. Minha humilde opinião, desde já agradeço a oportunidade de me expressar. William Martins de Souza, trabalha há 17 anos na área, em empresas como Out Graphics, SignMaker, Neo Band,Camera Press, Kromia total, Preto Fosco, etc.


anunciantes GF

3 Joy

Epson

Durst

Rua João de Oliveira Franco, 68 Fanny Curitiba Paraná 81.030-380 www.3joy.com.br (41) 3501-5333 atendimento@3joy.com.br ** Impressoras, substratos e tintas

4003-0376 / 0800-8800 0094 www.epson.com.br / www.epson.com.br/rewards ** Solução em Impressoras

www.durst.com.br Rua CEL. LISBOA, 596 VL. MARIANA SÃO PAULO São Paulo 04.020-041 (11) 3059-5900 Contato@durst.com.br ** Impressoras Digitais Industriais UV

Infoparaná Plotter Rua Marechal Floriano Peixoto, 576 Novo Bandeirantes Cambé Paraná 86.187-120 www.infoparana.com.br (43) 32546744 comercial@infoparana.com.br ** Impressoras e Plotters

48

Fe v e r e i r o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

Aplike www.aplike.com.br Av. Alda, 1893 - Diadema São Paulo - SP - Brasil - CEP 09910-170 (011) 4056-3977 / 0800-7040400 aplike@aplike.com.br ** Películas e papéis autoadesivos

J-Teck www.j-teck3.com.br (47) 3267-8400 vendas@j-teck3.com.br Rua PANAMÁ, 333 NAÇÕES BALN. CAMBORIU Santa Catarina 88.338-185 ** Solução em impressoras, substratos e tintas

Esko www.esko.com info.br@esko.com (11) 5078-1311 **Solução emMesas de Corte

Roland www.rolanddg.com.br Rua SÃO JOSÉ 780 PQ. IND. SÃO JOSÉ COTIA São Paulo 06.715-862 (11) 3500-2600 sac@rolanddg.com.br ** Solução em Impressoras, recortadoras, tintas


EFI

Agfa

HP

Rua Cincinato Braga, 340 14 andar - São Paulo SP (11) 2199.0100 info@metrics.com.br www.metrics.com.br / www.efi.com **Solução emImpressoras Digitais Industriais UV

www.agfa.com (11) 5188.6400 Marketinggs.br@agfa.com ** Impressoras Digitais Industriais UV

www.mundodaimpressaolatex. com.br (11) 4133-0505 / (11) 3613-7744 ** Solução em impressoras látex

Megagraphic Rua LEONOR CARON ALVES, 84 PAROLIN CURITIBA Paraná 80.220-120 www.megagraphic.com.br (41) 3033-6061 contato@megagraphic.com.br ** Impressoras, Plotters, tintas

Mimaki www.mimakibrasil.com.br vendas@mimakibrasil.com.br Av. General Valdomiro de Lima, 275 – CEP 04344-070 – Jabaquara - SP (11) 3207-0022 ** Solução em impressoras

APS Feiras (11) 4013 7979 sandra@apsfeiras.com.br ** Feiras www.apsfeiras.com.br

Wilson Giglio Wilson@ parceirodosempresarios.com.br www.parceirodosempresarios. com.br ** Consultorias

Big Suprimentos www.bigsuprimentos.com.br (49) 3304-0280 vendas@bigsuprimentos.com.br ** Impressoras, Plotters, substratos e tintas

SignSupply Rua CAETÉS, 619 PERDIZES SÃO PAULO São Paulo 05.016-081 (11) 3757-1133 www.signsupply.com.br ** Impressoras, Plotters, substratos e tintas

Way Color Rua Newton Prado, 428. Bom Retiro – São Paulo (11) 3337-6120 www.waycolor.com.br ** Impressoras, Plotters, Tintas e displays

R E V I S TA G F • Fe v e r e i r o 2 0 1 4

49


50

N ovveerm Fe e ibr roo 22001143 •• RREEVVI ISSTA TA GGFF


Revista GF - Ed 88 - Fevereiro 2014