__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Número 130 | Ano 12 | R$ 35,00 www.grandesformatos.com

MÁQUINAS

XIII A REVOLUÇÃO DA IMPRESSÃO

GF 13 ANOS!

UMA HISTÓRIA ESCRITA POR MUITAS MÃOS!

CONNECT 2019

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O NOVO EFI CEO - BILL MUIR


DEPOSITPHOTOS

SUMARIO

24 MÁQUINAS

XIII A REVOLUÇÃO DA IMPRESSÃO

06 08 12

Editorial GF 13 ANOS Uma história escrita por muitas mãos! Artigo | Lazaro Ramos Equipamentos do Rascunho à Obra Prima

14

Evento 20 anos de Connect comemorados com muitas novidades!

20

Artigo | Edsel Lonza Indústria 4.0, IOT (Internet das Coisas), Convergência e as relações com os negócios da Impressão!

34

Artigo | Iara Luz A psicologia positiva no treinamento e gestão de pessoas

4 - Revista GF |

Edição 130

36

Artigo | Maicol Souza Troco conselho por alguns minutos do seu tempo!

40

Artigo | Marcelo Chagas Nascimento A hora do show: as transformações no formato das feiras traz benefícios ao público!

44

Artigo | Diomar Sartor Inovação na indústria: como se destacar em setores competitivos?

46

Artigo | Wilson Giglio Como melhorar os resultados da sua empresa

48

Artigo | Eliel Gomes Schemiko Amaral O avanço da tecnologia digital!


EDITORIAL

DIVULGAÇÃO

LUCIANA ANDRADE Editora editora@grandesformatos.com EXPEDIENTE

Queridos leitores Tudo começou quando eu, apaixonada pelo meu trabalho em um bureau de impressão, tive que parar minhas atividades por conta de estratégias de mercado. Pensei em muitas coisas, mas meus olhos brilhavam em oportunidades deste segmento. Na época que eu “vendia impressão (respirava na verdade!) ”, tinha muita dificuldade em encontrar literaturas especificas que pudessem ajudar eu trabalho. Então, recorria frequentemente aos fornecedores fazendo verdadeiras sabatinas para entender mais e proporcionar os melhores resultados para as ações de cada cliente. Neste período muitas pessoas foram imprescindíveis: Milton Machado, Reiner, Emerson Camargo e Tatiana Portela foram fundamentais, gratidão a eles e tantos outros que me permitiram aprender. Eis que uma noite, na hora do jantar, meu ex marido – Milton Machado Jr, teve uma ideia fantástica, me perguntou se eu já tinha conhecimento de uma revista nova no mercado, somente voltada a impressão, chamada Grandes Formatos, quando eu, com os olhos brilhando disse que queria muito conhecer, ele me respondeu: ela é sua! Naquele momento tudo fez sentido, meu mundo passou a girar em torno de tirar a ideia do papel. Mesmo sem muitos recursos, ele me ajudou e um ano depois (março/2006) estava sendo impressa a primeira edição do que se tornaria um marco em minha vida. Hoje, com lagrimas nos olhos, confesso que sou uma pessoa muito feliz. A GF segue em frente, e por mais que alguns lastimem o fim da revista impressa, eu tenho convicção, que não irá acabar. Temos um trabalho na internet de alto nível para nosso público, mas os “sentidos ativados” no momento de ler uma revista impressa não serão atingidos por nenhuma estratégia digital. Ainda temos um público que faz questão de tê-las em mãos, e então seguiremos nos dois sentidos! E, se Deus permitir, com muitas novidades que ainda virão! Esta história foi escrita por centenas de mãos. Muito empenho e dedicação de pessoas de todos os níveis de relação. Graças a estas pessoas e a cada leitor que podemos nos dedicar ainda mais em trazer coisas novas, pois este mercado cresce a cada dia! Meu sincero MUITO OBRIGADA a cada um dos nossos amigos: leitores, alunos, professores, colaboradores, fornecedores, anunciantes, apoiadores: todos amigos! Um beijo no coração 6 - Revista GF |

Edição 130

N. 130 / Ano 13 EDITORA/DIRETORA Luciana Cristina Andrade editora@grandesformatos.com ATENDIMENTO AO LEITOR atendimento@grandesformatos.com CURSOS GF capacitacao@grandesformatos.com ANÚNCIOS atendimento@grandesformatos.com faleconosco@grandesformatos.com DESIGN GRÁFICO Purim Comunicação Visual (Rogério Callamari Macadura) rogerio@purimvisual.com.br GESTÃO WEB E MÍDIAS SOCIAIS Digital Sign Midia (Antonio Escobar) marketing@digitalsignmidia.com.br IMPRESSÃO Hellograf - Gráfica e Editora GF Ltda TODOS OS DIREITOS RESERVADOS A reprodução total ou parcial deste material é permitida mediante autorização prévia expressa pela GF Desenvolvimento Ltda, desde que seja citada a fonte. O conteúdo dos artigos é de responsabilidade dos autores, não expressando necessariamente a opinião da Revista GF. Os informes técnicos são de caráter informativo, não prevalecendo nenhuma marca em detrimento de outra. Os anúncios são de total responsabilidade das empresas anunciantes. Visite nosso portal www.grandesformatos.com Baixe o app: Revista GF Facebook.com/revistagf Instagram: #revistagf


GF 13 ANOS

Uma história escrita por muitas mãos! Centenas de palavras dispostas em páginas, sem a certeza de quem as lerá, Frases soltas, embrionárias de um desejo, muitas vezes desejo visionário de transformação, de querer, sem saber quem vai ler, mas com a convicção de promover a mudança, Com vontade infinita de gritar alto, de fazer ser ouvido, de plantar sementes, 13 anos plantando sementes...

8 - Revista GF |

Edição 130

Sementes que tomaram forma e que seu mais doce fruto vem através do reconhecimento; De uma matéria que ajudou no dia a dia de uma empresa; De um abraço apertado após uma intensa emoção de ganhar um troféu em um prêmio; Como um efeito mágico quando se encerra um curso, o que era para ser um treinamento apenas se transforma em colheita, em emoção de sentir que as sementes eram boas;

Centenas de edições repletas de AMIGOS; 13 anos fazendo amigos.. Amigos em todos os lugares do Brasil e do mundo, amigos que além de leitores, além de anunciantes, além de patrocinadores, professores, alunos, colaboradores, enfim, somos amigos; Que em nossos tropeços nos levantaram, Que em nossas vitórias vibraram conosco, Que em todos os momentos estiveram ao nosso lado, Desejo hoje que possamos renovar estas mesmas amizades, Que cada um tenha o sucesso merecido, Que conte conosco em cada necessidade, Que vibre conosco em cada vitória, Que Deus abençoe a cada um dos nossos amigos,


FOTOS: DIVULGAÇÃO

13 ANOS FAZENDO AMIGOS.. AMIGOS EM TODOS OS LUGARES DO BRASIL E DO MUNDO, AMIGOS QUE ALÉM DE LEITORES, ALÉM DE ANUNCIANTES, ALÉM DE PATROCINADORES, PROFESSORES, ALUNOS, COLABORADORES, ENFIM, SOMOS AMIGOS

Primeira edição da Grandes Formatos

Edição 130 | Revista GF - 9


GF 13 ANOS

Que fizeram acontecer centenas de edições, Que transformaram os sonhos em realidade, Sonhos de informação; Sonhos de capacitação; Sonhos de transformação; Que a magia transformadora de desejar o sucesso do outro seja sempre a vertente de todas as atitudes! Que o brilho nos olhos da vitória seja tão grande para si quanto para o outro; Que nossa missão possa estar alinhada com a sua, Assim desejamos que venha nosso futuro: que cada passo seja guiado para ajudar no sucesso dos nossos amigos! Nascemos com o objetivo de ter o que o dinheiro não compra, e

10 - Revista GF |

Edição 130

após 13 anos, após 130 edições da GF, 9 premiações nacionais, mais de 1.000 alunos em nosso Centro de Treinamento, só nos resta agradecer a vocês. Pois cada dia chegamos mais perto do que sonhamos, que é caminhar com vocês! É para isto que a GF nasceu, e que assim continue a nossa história... Gratidão. Luciana Andrade

ASSIM DESEJAMOS QUE VENHA NOSSO FUTURO: QUE CADA PASSO SEJA GUIADO PARA AJUDAR NO SUCESSO DOS NOSSOS AMIGOS!


DE PO SIT PH OT OS

ARTIGO

Equipamentos do Rascunho à Obra Prima A escolha de um equipamento de produção muitas vezes é pautada por avaliações parciais. Algumas vezes puramente financeiras outras com foco no concorrente. Nas “novidades” ou “oportunidades”. Investir em tecnologia demanda sempre um pensar inovador. Uma prensa de uvas ou uma impressora tipográfica? Uma pipa gigante ou avião? Carroça com motor ou um carro? Se observarmos as invenções na versão de lançamento e nos equipamentos de alta produtividade que resultaram com sua evolução vemos “coisas” distintas. Em impressão digital a história se repete. Quem não acompanhou a evolução das IMPRESSORAS DIGITAIS nas últimas décadas, jamais seria capaz

12 - Revista GF |

Edição 130

de dizer que, aquela plotter dos anos 90 e as impressoras digitais atuais compartilham o mesmo substantivo. Não parecem e não são a mesma coisa. E a diferença vai muito além das estruturas. Após o lançamento o processo e o mercado ao redor dele é que promovem a evolução natural. Numa análise superficial parece que as evoluções facilitam a operação e permitem que qualquer um possa executar a tarefa. Isso pode ser verdade para eletrodomésticos, mas num processo produtivo o foco da evolução não é a facilidade de uso por quem desconhece e sim a produtividade. Na realidade quanto mais tecnologia, maior a necessidade de conheci-

mento na aquisição e na operação de qualquer equipamento para se obter sucesso. Esse é o ponto que merece nossa atenção! Na busca da EFICÁCIA na hora de escolher um equipamento, o “todo” precisa estar integrado. Isso nem sempre acontece e as consequências são: equipamentos sub-utilizados e margens de lucro pequenas. Retornando à analogia com os carros... é possível se locomover num “Benz” 1885 com rodas de madeira, que ignorava todos os conceitos de design, MAS totalmente impossível disputar corridas de formula 1. A concorrência atual é F1 , não é para amadores. E vale sempre


mar que, em qualquer circunstância, solvente é ruim ou UV é tudo de bom, por exemplo. Nem muito menos que um equipamento é “caro” sem avaliar o projeto e suas possibilidades. Suas decisões equivocadas podem provocar o sucateamento do mercado no médio prazo. Entender as reais necessidades na sua empresa, com processo eficiente, os insumos com benefício desejado, o equilíbrio de custo / preço de venda, margens que justificam continuar INVESTINDO. Esse é o estado da arte a se buscar para o sucesso! O “salto conceitual”, que provocam os up grades vão além dos equipamentos. Evoluir, de apostador aventureiro para executor comprometido com o crescimento. Mudando o nosso “mindset”. Pois, estamos vivendo o momento em que os equipamentos de Impressão Digital estão chegando ao ápice de desempenho. Quanto melhor o conjunto MAIOR A SAÚDE do macro ambiente A cada novo ciclo tecnológico, os participantes tem a opção de ter mais ou menos PROSPERIDADE. Saindo totalmente da TEORIA (que é indispensável) e indo para a prática, que é o objetivo aqui. Para investir em um equipamento: Conheça as tecnologias disponíveis; Verifique o que o seu mercado precisa; Mão de obra precisa ser qualificada e alinhada com o processo; Custos totalmente dominados; Metas claras. Fazendo tudo certo pode ser que o resultado seja bom.

Sem estratégia, o fracasso é garantido. Atualmente padrão mínimo não é só “qualidade” Como os equipamentos evoluíram imensamente, é o momento de sermos PROFISSIONAIS de EXCELÊNCIA e iniciarmos um novo ciclo econômico virtuoso.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

lembrar que F1 não se restringe ao carro. Assim como sabemos que também não depende só do piloto. Para ser competitivo, é necessário um CONJUNTO que vai do “combustível ao pneu”, passando por planejamento execução primorosos e uma excelente equipe. Assim é nosso mercado, para investir e disputar, não basta escolher o mais caro, ou um “piorzinho” e compensar com o operador, ou insumo mais barato, ou tecnologia mais nova, isoladamente, nada tem valor. Bons operadores, são decisivos, junto com bons consultores de vendas, com base no que a cliente necessita, não o que ele quer. Revistas e materiais técnicos são imprescindíveis. E isso não basta, é preciso compreender cada tecnologia dos vários fabricantes e o volume de produção necessários. Que fluxo implantar, quais insumos e mídias, como gerenciar as cores, acabamento e logística. Parece complexa e cara essa análise de dados, porém investir sem levar em consideração esses princípios é verdadeiramente DISPENDIOSO. - Ah, mas meu vizinho não fez nada disso e ficou Rico? - E o meu ganhou na loteria e também ficou... A questão é: conseguem repetir esse feito? As escolhas de equipamentos são uma aprendizagem continuada. A habilidade de investir precisa evoluir no mesmo ritmo que os equipamentos. Senão a empresa se desconecta e o “ciclo de vida” fica curto. Então, nunca será possível afir-

LAZARO RAMOS Iniciando a carreira em 1987 como tipógrafo no interior de MG, foi buscar a formação técnica na Theobaldo de Nigres em 1993 especializando Produção Visual e serigrafia. Estudou engenharia de produção e filosofia. Atuou como Orçamentista, gerente de produção, produtor gráfica, instrutor, consultor em empresas muito especiais como Ibérica, Hoje Comunicação, Senai, DelRey, TCS, Heidelberg, Alphaprint entre outras equipes de valor. Atualmente como consultor negócios na AGFA, onde todo o time respira essa máxima de que conjunto de posturas é mais importante que qualquer parte isoladamente.

Edição 130 | Revista GF - 13


EVENTO

20 anos de Connect comemorados com muitas novidades! Por Luciana Andrade

Nos dias 22 a 25 de janeiro, os mais de 1.500 profissionais da impressão mundial puderam comemorar os 20 anos de Connect em grande estilo. O evento aconteceu como nos anos anteriores no incrível resort Wynn em Las Vegas, mas ficou marcado por trazer grandes novidades. Em 2018 Guy Gecht (o visionário CEO da EFI) anunciou sua saída do cargo. Poucos meses depois anunciou Bill Muir como seu sucessor. O mundo da impressão aguardava pelo evento para entender quais seriam as novas diretrizes de Bill para a EFI. Sempre presente! A GF esteve lá e pode conferir tudo que aconteceu neste momento tão importante! Gratidão mais uma vez a todo o time da EFI que nos proporcionou este gentil convite! Abrindo o evento, Bill Muir, de

14 - Revista GF |

Edição 130

forma descontraída, porém impecável em propriedade nas explicações, comentou sobre o futuro da impressão, a necessidade que cada vez mais se dá nas impressões diferenciadas e que através destas vertentes se dará um novo momento para as empresas. Segundo ele, a “internet das coisas” viabiliza os negócios, inclusive para a indústria da impressão. Por este motivo cabe aos empresários repensar suas estratégias e lançar inovações tecnológicas, estes sairão na frente. Joe Popolo, da Freeman Company (cliente EFI), participou de um painel com Bill. Joe, especialista em criar experiências de marcas, ressaltou a importância de engajar os clientes com a marca. Isto, segundo ele, aplicado a eventos (como o Connect) permite resultados surpreendentes.


DEPOSITPHOTOS

Entusiasmo! A expressão dos visitantes deixava clara a assertividade nas surpresas preparadas pela EFI para o melhor evento do mundo da impressão digital

Edição 130 | Revista GF - 15


FOTOS: DIVULGAÇÃO

EVENTO

EFI-CEO Bill Muir abre o Connect

Um dos momentos mais incríveis foi a presença de Olivier Gariépy e Michel Savoie, do Cirque du Soleil, que enfatizaram a importância da tecnologia de impressão em tecidos para os seus figuros. Atulamente o Cirque du Soleil trabalha com aproximadamente 4.500 figurinos para 1.300 artistas. A impressão por sublimação foi uma escolha assertiva para este trabalho tão dinâmico. Espero em 2020 que muitos brasileiros possam aproveitar a “magia” da inovação no Connect! Com a ajuda de pessoas queridas, conseguimos entrevistar Bill Muir para trazer aos nossos leitores! Grandes Formatos - A EFI é uma empresa líder em tecnologia para impressão digital. Os equipamentos e o software no portfólio são o sonho de consumo de muitos brasileiros. Neste contexto, que inovações vocês pretendem ofe16 - Revista GF |

Edição 130

recer aos clientes? E que melhorias levarão aos colaboradores? Bill Muir - Nossos clientes verão uma ênfase em inovação e execução. A empresa tem um mecanismo de inovações incrível, e meu trabalho é mantê-lo em dia, garantindo que nossos clientes tenham uma experiência positiva e altamente eficiente com nossas tecnologias. Nossos colaboradores verão mudanças que os ajudarão a melhorar seu trabalho e a lançar produtos no mercado mais rapidamente. Nossos colaboradores também terão apoio para desenvolver soluções mais eficientes que resolvam alguns dos principais desafios que os clientes enfrentam nos mercados de gráficos para exibição, impressão comercial, têxtil, embalagens e materiais de construção. GF - Guy Gecht disse que você elevará o padrão da EFI. O que podemos esperar?

BM - Quero aproveitar a base da EFI como líder em inovação e fornecedora confiável, o que significa tomar medidas para fornecer serviços e suporte excepcionais e assim melhorar a experiência dos nossos clientes. O que vocês também verão, à medida que a EFI evolui, é um foco maior na entrega de soluções completas para o mercado. Afinal, nem sempre o cliente precisa somente de uma impressora, um DFE ou um software. Ele quer uma solução específica para seu mercado, e desenvolvemos o tipo de portfólio apropriado para resolver problemas urgentes dos clientes em sinalização, têxteis, embalagens, workflow e muito mais, porque temos uma infinidade de soluções integradas. Os problemas que queremos resolver para os clientes não se resumem a imprimir um produto melhor, mais rápido e/ou mais barato, embora tenhamos produtos para fazer isso. Nossa abordagem


envolve aplicar uma solução completa de hardware, software e serviços para ajudar o cliente a administrar melhor seu negócio, crescer mais rapidamente, reduzir ineficiências e criar novas oportunidades. GF - Na sua opinião, quais foram as principais inovações do Connect 2019? BM - No Connect deste ano lançamos nossa mais nova plataforma Fiery, o Fiery FS350 Pro. É um produto que permitirá aos nossos clientes obter o máximo de seus investimentos em impressoras digitais de próxima geração. E há muita empolgação no mercado sobre o que essas novas impressoras e nosso novo DFE poderão fazer. Também demos uma prévia de algumas novas e importantes ferramentas de gerenciamento de

Lucio Ferraz - GF e Bill Muir - EFI-CEO

Mais de 1500 visitantes em 2019

cores para o Fiery, que tornam nossa tecnologia especialmente útil para os clientes, pois adotam ambientes de cores CMYK-plus, com opções de tinta branca e metálica em novos dispositivos de saída. Nossa solução de workflow, que já está consolidado e lidera o setor, expandiu-se ainda mais com o lançamento da versão 7 para nossos Productivity Suites. Temos mais integração e inovação do que nunca em fluxos de trabalho automatizados que cuidam de tudo, como impressão de publicação, impressão comercial e embalagens, com um conjunto de ferramentas de ponta que não são disponibilizadas por outros fornecedores. Também apresentamos, pela primeira vez, a nova impressora LED de alto volume VUTEk h5, a nova geração da nossa plataforma de produção híbrida plana/rolo de 3,2 metros. Essa impressora oferece uma excelente combinação de ve-

ESPERO EM 2020 QUE MUITOS BRASILEIROS POSSAM APROVEITAR A “MAGIA” DA INOVAÇÃO NO CONNECT! locidade e imagem de alta qualidade para disponibilizar aos usuários uma vantagem competitiva muito maior em trabalhos de sinalização. A h5 também está disponível como uma atualização em campo para a impressora VUTEk h3. Muitos usuários da h3 esperam seguir esse caminho de atualização à medida que expandem seus negócios. GF - Na quarta revolução industrial, a tendência da “internet das Edição 130 | Revista GF - 17


coisas” parece ser uma ameaça ao setor de impressão. Qual é a sua opinião sobre isso? BM - De modo geral, o digital ainda é um fator crescente nos mercados tradicionais de artes gráficas, por isso, mesmo se os volumes globais de impressão diminuírem, a parte de impressão digital continuará se expandindo. Alguns segmentos de impressão digital estão se aproximando da maturidade, mas a EFI está bem posicionada em áreas relacionadas à expansão da impressão em aplicações de produção industrial. Daqui a dez anos, muitos dos nossos clientes estarão imprimindo mais tipos de aplicações, em uma ampla variedade de mídias. Em relação à Internet das Coisas, tenho experiência nessa tendência do tempo em que trabalhei na Jabil, quando fabricamos alguns dos dispositivos tecnológicos mais avan-

Lucio Ferraz - GF e Ernande Ramos Diretor EFI América Latina

18 - Revista GF |

Edição 130

FOTOS: DIVULGAÇÃO

EVENTO

Imprensa no Connect

DAQUI A DEZ ANOS, MUITOS DOS NOSSOS CLIENTES ESTARÃO IMPRIMINDO MAIS TIPOS DE APLICAÇÕES, EM UMA AMPLA VARIEDADE DE MÍDIAS çados do mundo. Essa tendência continua forte e, na verdade, está associada a um nível de tecnologia que também permitirá que a EFI desenvolva produtos melhores e que nossos clientes sejam ainda mais eficientes, com níveis mais altos de integração e automação em suas tecnologias de impressão. O setor tecnológico continuará criando tecnologias novas e mais eficientes, e todos nós devemos começar a nos acostumar a uma era em

que teremos ambientes automatizados altamente funcionais com dispositivos conectados. Mas o futuro e a nossa capacidade de criar impressões impactantes e de alta qualidade não são mutuamente exclusivos, pois haverá novas oportunidades para criar e expandir a impressão de maneiras que antes não eram possíveis. GF - Na sua opinião, qual será a tecnologia de impressão digital predominante até 2020? BM - A impressão jato de tinta continuará liderando e tomará uma fatia de mercado da eletrofotografia nas áreas em que o jato de tinta ainda não é a tecnologia dominante. O tipo de jato de tinta predominante dependerá do segmento de mercado. A tecnologia LED UV continuará sendo importante em sinalização. No setor de têxteis, nossa nova tecnologia de pigmentação Reggiani TERRA para impressão direta no tecido elimina o vapor e a lavagem e começará a ganhar força devido às grandes eficiências que ela proporciona. Cer-


tamente, a maior mudança será o crescimento da tecnologia jato de tinta de passagem única. Já vimos a tecnologia de passagem única se tornar um grande fator na digitalização do papelão ondulado com a nossa impressora EFI Nozomi C18000, e sabemos que nossos clientes do setor têxtil continuarão desenvolvendo a tecnologia de passagem única com a nova Reg-

Público entusiasmado com Connect 20 anos

giani BOLT. Até 2020, essas tecnologias ajudarão a impulsionar uma maior transição do analógico para o digital nos mercados industriais. GF - Gostaria de deixar uma mensagem para os nossos leitores? BM - Este momento é muito empolgante para a EFI e para os nossos clientes. Ver as enormes oportunidades disponíveis na EFI e a indús-

Impressão em tecidos

tria de impressão em geral é o que me fez querer ingressar na empresa. Meu foco será de fato tomar decisões inteligentes para cuidar de nossos clientes e proporcionar uma experiência ainda melhor a eles, além de aprimorar nossa cultura corporativa. Queremos dar prioridade total para as experiências de nossos clientes e garantir que somos realmente os melhores em inovação e execução no mercado.

Edição 130 | Revista GF - 19


ARTIGO

Indústria 4.0, IOT (Internet das Coisas), Convergência e as relações com os negócios da Impressão! O desafio de tratar de um tema tão complexo e longo em apenas um artigo é bastante grande, portanto buscarei elucidar de maneira direta e resumida conceitos chave relativos a essa nova revolução industrial e sua relação e impactos em nossa indústria de impressão e nos relacionamentos 20 - Revista GF |

Edição 130

implícitos nas suas atividades comerciais e mercadológicas. Primeiro uma breve explicação sobre do que se trata a Indústria 4.0 e suas vertentes para quem ainda não se familiarizou com essa revolução industrial. O conceito de Indústria 4.0 surgiu em 2012 na Alemanha, mas

toma corpo apenas em 2014 na própria Alemanha onde buscava-se a reunião, acesso e integração de grandes massas de dados e informações gerados dentro da própria indústria e que eram perdidas (e ainda ocorre muito hoje em dia), além da busca de inteligência, sistemas e processos que


DEPOSITPHOTOS

permitissem maior eficácia e competitividade através das atividades executadas no ambiente de produção ou nos próprios produtos produzidos e tendo como base de comunicação a internet, os sistemas de inteligência artificial e os processamentos a partir do CLP (ou PLC em inglês). A primeira revolução industrial ocorre em 1700 com o vapor e o tear. A segunda vem com a energia elétrica e a linha de produção em série. A terceira com a invenção do CLP (Controlador Lógico Programável) que permite processos de automação industrial e residencial e inicia com a criação do MODICON

64 em 1969 (a primeira plataforma de automação comercializável). A quarta revolução industrial vem com os novos equipamentos de chão de fábrica e sistemas de dados e informação, objetivando o aumento de eficácia, redução de custos, sustentabilidade (utilização correta dos recursos naturais e da energia) e melhorias na produtividade. Como é a quarta e acontece diretamente no chão de fábrica, chamou-se de Indústria 4.0. Ela se sustenta sobre 5 pilares tecnológicos baseados no “Compartilhamento da Informação”: - Computação em Nuvem (Cloud) - Big Data - Mobilidade - Segurança - IOT (Internet of Things ou Internet das Coisas)   IOT - Internet das Coisas permite que diferentes objetos compartilhem dados e informações para concluir determinadas tarefas. É a comunicação Máquina a Máquina (M2M) via internet. A IOT incluirá 26 bilhões de unidades instaladas até 2020 e fornecedores de produtos e serviços de IOT devem gerar uma receita adicional superior a US$300 Bi até o mesmo ano. Lembre-se, impressos acompanharão esses produtos! Como vimos acima, as iniciativas da Indústria 4.0 são revolucionárias, disruptivas, transformadoras e principalmente inegáveis, mas amplamente relacionadas de modo direto às tecnologias e processos industriais. O receio apresentado radicalmente por alguns no mercado de impressão de que a impressão “acabará” em função dessa revolução industrial não se

sustenta dessa maneira apocalíptica e procuro explanar o porquê de maneira sucinta a seguir. Sendo o objetivo central, principal e final da Indústria 4.0 a “Integração Horizontal”, ou seja, as indústrias usarem a tecnologia a seu favor para aumentar sua eficiência e competitividade, temos aí a busca de sempre, por melhores sistemas, processos e práticas, regidas por softwares que integram equipamentos, bens móveis e imóveis e utensílios em geral utilizando-se em muitos casos de IA (Inteligência Artificial). Mas isso tudo ainda precisa ser demonstrado, promovido, vendido e principalmente identificado e embalado, o que seguirá sendo feito com o uso de impressos

A IOT INCLUIRÁ 26 BILHÕES DE UNIDADES INSTALADAS ATÉ 2020 E FORNECEDORES DE PRODUTOS E SERVIÇOS DE IOT DEVEM GERAR UMA RECEITA ADICIONAL SUPERIOR A US$300 BI ATÉ O MESMO ANO. LEMBRE-SE, IMPRESSOS ACOMPANHARÃO ESSES PRODUTOS! Edição 130 | Revista GF - 21


ARTIGO

como: etiquetas (inteligentes ou não), cartões e tags (inteligentes ou não) embalagens as mais diversas, comunicação visual e sinalização orientativa em larga escala e a própria indústria gráfica utilizará sim as ferramentas da Indústria 4.0 em suas variadas formas de produção. Seja nas grandes ou nas médias e pequenas viabilizadas pelos sistemas “CLOUD” (na nuvem) que se tornam economicamente mais acessíveis. Mão de obra larga tem de ser preparada e treinada em eventos grandes, médios e pequenos que promovem e ensinam sobre essa nova revolução e nesses treinamentos e eventos, existem possibilidades infinitas de impressos, mas demandam análise e criatividade. Ou seja, andam juntos e se complementam, porém, agem em áreas e momentos diretos diferentes. Um smart phone é uma ferramenta exemplo fundamental nessa revolução. Até 2020, 70% de todos os humanos terão smart phones 22 - Revista GF |

Edição 130

que já custam os mais simples US$ 10,00 na África e Ásia. E esses smart phones vem em embalagens impressas, com películas impressas, com etiquetas impressas e são promovidos em pontos de venda decorados com peças impressas. Novidades complementares e/ ou disruptivas são sempre esperadas em revoluções tecnológicas e podemos citar aqui como grande exemplo a Impressão 3D que vem revolucionando todo um setor e apresentando uma alternativa de custo benefício muito eficaz para nichos. A Impressora 3D mais barata caiu de US$18.000,00 para US$400,00 em 10 anos e ficou 10x mais rápida. A estação espacial possui uma para imprimir peças de reposição sob demanda eliminando a necessidade de estoque de peças. Em 2017, 10% de tudo o que for produzido será em 3D. E etiquetado, embalado, etc...entendeu? Quanto à influência das tecnologias da Indústria 4.0 nas relações e interações comerciais, a mesma teoria se aplica, facilitam, melhoram e aceleram os contatos e as comunicações, bem como a análise, cruzamento e inteligência de dados que determinam decisões estratégicas, mas como mencionado em meu artigo anterior e, em especial em ambientes de cultura latina, “negócios são feitos por pessoas, entre pessoas, para pessoas, buscando um bem comum de ganho mútuo através de relacionamentos e negociações...” Como dito no início, o tema em questão daria um livro, ou vários, por si só, mas espero ter trazido boa

luz sobre o assunto e deixo como mensagem final a todos os leitores que se informem, acompanhem a evolução, invistam em tecnologias e treinamento do seu pessoal e o principal, use as tecnologias e novidades para gerar eficiência, produtividade, mais e novos negócios que o destaquem em seu segmento por ser um inovador e agregador de valor. A demanda é por atenção, análises eficazes e criatividade para oferecer impressos diferenciados e com valor agregado. Resistir ao avanço, não vale a pena, beneficiar-se dele e com ele, sempre!  

DIVULGAÇÃO

SEJA NAS GRANDES OU NAS MÉDIAS E PEQUENAS VIABILIZADAS PELOS SISTEMAS “CLOUD” (NA NUVEM) QUE SE TORNAM ECONOMICAMENTE MAIS ACESSÍVEIS

EDSEL LONZA Pós Graduado em Marketing, Planejamento Estratégico e Negócios. Consultor de Empresas. Empresário. Gestor e Diretor de Marketing e Vendas em empresas nacionais e multinacionais do ramo gráfico. Especialista em marketing, vendas e tecnologia digital de mkt e impressão. Palestrante. Escritor e Colunista da Revista GF. Mais de 28 anos de carreira nacional e internacional.


CAPA

MÁQUINAS

XIII A DESCOBERTA DE UM MUNDO NOVO DA IMPRESSÃO

Por Luciana Andrade Após 13 anos escrevendo a edição MAQUINAS pudemos ver muitos avanços na tecnologia. Quando começamos, a maior evolução tecnológica era resolução que aumentava de 360dpi real para 1.440dpi, na tecnologia solvente! Um ganho e tanto que permitia que as empresas pudessem começar a vender materiais para PDV (ponto de venda) que tivessem qualidade para ficar “a vista dos olhos”. 24 - Revista GF |

Edição 130

Hoje temos uma avalanche de novidades, impressoras que imprimem em tudo, “off roads”, que permitem ao usuário tantas novas vertentes de trabalho que muitos empresários ficam até confusos em relação ao que seria melhor para as suas empresas. Analisando o fato que estamos começando a sair da maior crise que o Brasil já viveu, e neste período ficamos com as empresas um tan-

to estagnadas em investimentos, em função de um mercado instável, percebemos que agora alguns planos estão saindo das gavetas. Empresários dispostos a mudar os rumos e para isto torna-se necessário um “up” nos parques gráficos! Levando em conta o crescimento do comércio no Brasil como um todo, analisamos uma pesquisa realizada pela Câmara Americana de Comércio no Brasil (Amchan Brasil),


Em relação ao uso de novas tecnologias no negócio, 42% do empresariado respondeu que os investimentos serão para melhoria de processos, com foco em aumento de eficiência e da produtividade. Também serão feitos investimentos em ferramentas para melhorar a experiência do cliente (34%) e detecção de produtos e novos modelos de negócios, com foco em análise de dados e incorporação de serviços digitais ao produto (17%). A partir destes dados animadores e ouvindo nossos leitores deste mercado especifico podemos prever realmente um salto de crescimento no mercado dos grandes formatos em 2019. Conversando sempre com nossos leitores, levando em conta as perspectivas otimistas de crescimento, identificamos que muitos gostariam de saber o que realmente existe de REVOLUCIONARIO na impressão, tendo em vista os novos preceitos da Industria 4.0 e a “modificação de foco da impressão” (veja, de forma alguma ela vai acabar, porém a mudança de rumos é um fato), no momento de escolha de uma nova tecnologia as opções são muitas e bastante variáveis. Neste contexto, pensamos diferente para esta edição, vasculhamos os fornecedores e nossa equipe fez uma “curadoria” do que realmente é inovador, dos diferenciais que uma empresa precisa para alavancar seu sucesso atingindo os novos mercados e assim fazer um investimento assertivo.

DEPOSITPHOTOS

publicada em 12 de fevereiro de 2019, onde 550 presidentes e diretores de empresas foram entrevistados. A maioria das empresas (51%) vai contratar mais pessoas ao longo de 2019, abrindo novas posições ou ampliando equipes. Sendo que 36% vão trazer colaboradores pelo regime de CLT, e 15% por meio de novas maneiras de contratação possibilitadas pela nova lei trabalhista. “O clima é de otimismo. Detectamos que os empresários brasileiros estão confiantes na capacidade do governo de conduzir as reformas estruturais que o Brasil precisa”, comenta Deborah Vieitas, CEO da Amcham Brasil.  A Câmara Americana de Comércio reúne no Brasil 5 mil empresas, em 15 cidades, sendo 85% delas de origem brasileira. Na sequência, os empresários entrevistados pela Amcham, citam dois fatores cruciais a retomada das contratações: o aumento do consumo (33%) e maiores investimentos em infraestrutura (22%). As empresas também estão planejando ações de expansão em 2019. Para a maioria dos pesquisados pela Amcham, o crescimento vai ser com produtividade em processos, produção e equipe. É o que respondeu 43%, quando perguntados sobre a prioridade do negócio. Destaque para o foco em inovação e digitalização do portfólio de produtos e serviços  (21%), ampliação geográfica de mercado (12%) e aquisição ou investimentos em novos negócios (11%).

Edição 130 | Revista GF - 25


CAPA

Anexo a revista está a 13. Versão da famosa tabela de Máquinas disponíveis no Brasil, com dados mais técnicos para que possam avaliar. Como sempre dizemos aos inúmeros leitores que nos procuram na “hora da verdade”, o momento de escolha deste investimento tão importante, é que não existe equipamentos ruins, hoje a tecnologia está muito avançada neste sentido, o que existe são equipamentos mal vendidos. Que muitas vezes por impulso são comprados fora do contexto de atuação das empresas. Por este motivo sugerimos que

antes de analisar as tabelas de diferenciais realmente revolucionários defina os seguintes pontos: quem são seus clientes, o que realmente precisa para crescer (produtividade, qualidade, impressão em rolo, impressão em superfícies planas, impressão em tecidos, etc). E aí sim, possa ver com “olhos de águia” o que encaixa nos planos de crescimento da sua empresa. Nós da GF estamos felizes com esta retomada! Desejamos que as mudanças invadam as suas empresas e que a partir de agora venham muitas histórias de sucesso!

EM RELAÇÃO AO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO NEGÓCIO, 42% DO EMPRESARIADO RESPONDEU QUE OS INVESTIMENTOS SERÃO PARA MELHORIA DE PROCESSOS, COM FOCO EM AUMENTO DE EFICIÊNCIA E DA PRODUTIVIDADE

REVOLUÇÃO UV SWISS PRINT

AGFA

EFI

Inovações tecnológicas?

Equipamento modular, com mais de 40 opções de configurações; Sistema Flat-bed abastecimento Automático por Robô; Sistema para produção contínua; Sistema para produção de chapas maiores que a mesa

Produtividade com alta qualidade; Até 3,30m de largura de impressão com até 453m2/h

Novas cabeças de impressão; Hardwares e softwares

Lançamentos 2019?

Efeito 3d em chapas acrílicas DROPTIX

Diferentes tipos e níveis de automação

5 novos modelos de máquinas integradas

O que o usuário ganha?

Modularidade; velocidade; menor custo

Encontrar tudo o que precisa em um único fornecedor de tecnologia

Aumento de produtividade com qualidade;

País de origem?

Suiça

Bélgica / Canadá

EUA, Israel, Italia

Cliente utilizando

Boer & Van Wijk Holanda

Grupo Geka - RJ

Colmeia Print-SP

26 - Revista GF |

Edição 130


REVOLUÇÃO UV DURST

CANON

FUJIFILM

Novo conceito, cabeças de impressão MEMS, de altíssima frequência com alta produtividade e alta qualidade

Tinta gel para cura LED. Na cabeça a tinta é aquecida, saindo do estado gel para líquido. A temperatura da mídia fica em torno de 28°C. Quando a gota de tinta toca o material, retorna ao estado gel

Alta tecnologia para maior velocidade e qualidade, cabeças Dimatix

Durst P5 250 HS

Gaveta de alimentação, que acomoda dois rolos de material de até 50 kg, com troca automática das mídias

Linha Onset X - X1 , X2 e X3 e Spyder X

O que o usuário ganha?

Impressão em até 600m²/h com até 800x600 dpi

Redução de consumo de tinta em até 40%; economia de 30% de mão de obra

Máquinas industriais que permitem alta produtividade e qualidade com baixo custo de impressão

País de origem?

Austria

Holanda

Inglaterra

Cliente utilizando

Cromajet - SP

NI

Direct Edge Media

Inovações tecnológicas?

Lançamentos 2019?

Edição 130 | Revista GF - 27


CAPA

REVOLUÇÃO UV AMERICA UV

AKAD

MEGAGRAPHIC

IMAGINE Sistema que detecta a espessura da mídia de até 50mm e controla automaticamente a altura das cabeças; Função de salto que identifica e evade áreas em branco. Cabeças Kyocera KJ4A

Cliente determina velocidades (sistema modular led); Resfriamento por Watter Cooling; Dupla pressão negativa

Cabeça Ricoh Gh2220 de 3,5 pl; acessório para impressão em garrafas

Opção de Cabeças de Impressão Ricoh e Konica

Tinta digital Nature para rigidos e flexiveis; Equipamentos com sistemas modulares de expansão de cabeças

UVTFB1610 -GE, UVTFB2513-GE; T1804-GE, UV TFB6090

UV LED GrandFlat Mesa Plana

Híbrida HandTop HT3200UV

Estabilidade nos impressos; mesma competitividade das tintas solvente

Qualidade e rápido retorno do investimento

Investimento acessivel, qualidade e produtividade

Controle. Com sistema inteligente que automatiza relatórios com Informações do número de trabalhos realizados e o cálculo de custo de tinta.

China (eletronica japonesa)

China

China

China

Futura Express - BH

NI

NI

Ical - SC

28 - Revista GF |

Edição 130


REVOLUÇÃO SOLVENTE ROLAND

EPSON

AKAD

MEGAGRAPHIC

Novo conceito em baixos custos em manutenção e tintas

Grande espectro de cores: laranja, vermelho e branco.

Cabeças KONICA 1024i e 512i

Cabeça de impressão konica com 6 pL

Lançamentos 2019?

Sim

S80600, equipamento com o objetivo de atender ao segmento de prova de embalagens.

T8Q 1024i e T8Q 512i

Liyu GrandSpeed

O que o usuário ganha?

Impressão com recorte integrado, com baixo custo de produção. Atualizações gratuitas do software rip

O diferencial de ter uma prova de impressão aplicada ao seu produto final atendendo aos padrões e normas colorimétricas internacionais

Velocidade de até 400 m/h de impressão solvente com boa resolução

País de origem?

Japão

Japão

China

China

Cliente utilizando

NI

NI

NI

Grandtex Rep. Dominicana

Inovações tecnológicas?

REVOLUÇÃO LATEX

Equipamento industrial com custo acessível

CORTE E LASER

HP

AKAD

MACH

RICKTRON

Inovações tecnológicas?

Impressão latex com recorte integrado; plataforma PrintOS - monitoram a impressora

Corte a Laser com dois laser simultâneamente e corte a laser de fibra óptica para corte em metais

Software Mach cnc CAM 2019, com opção de biblioteca de modelos de displays, caixas e embalagens

Mais economia de energia, menos agressivas ao meio ambiente e mais automação

Lançamentos 2019?

Não

BL1610; Flatbed 1530 Fiber laser

Mesa de corte Mach CNC

Vários modelos

O que o usuário ganha?

Os adesivos produzidos não tem cheiro e tem a resistência à arranhões e a cortadora faz o meio corte e o corte completo

Velocidade e versatilidade de cortes

Menos da metade do preço das similares

Mais desempenho com menos ruidos no ambiente

País de origem?

Malasia e Belgica

China

Brasil

Brasil e China

Cliente utilizando

Select Color

NI

Lançamento 2019

Sol Sports - SC

Edição 130 | Revista GF - 29


CAPA

TEXTIL EPSON

Inovações tecnológicas?

Evo Ter-O equipamento pode trabalhar com 4 tipos de tinta: ácidas, reativas, dispersas, pigmentadas. Possibilita trabalhar com qualquer tipo de tecido

MIMAKI

Software RIP de alta performance e novas cabeças de impressão

AKAD

MEGAGRAPHIC

Cabeças KONICA 1024i e 512i

ColorFixer para fixação e ativação da tinta no material

T8Q Sublimática e T5 Sublimática

Textil GrandTEX

Velocidade de impressão

Impressão direta de 3,20m sem emendas

Lançamentos 2019?

Ago/18

Impressora sublimática TS55-1800

O que o usuário ganha?

Garantia máxima e assistência durante o ciclo completo de produção: cabeças de impressão, tintas, produtos para pré-tratamento e pós-tratamento e assistência técnica

Alta produtividade de até 140m²/h; Operação contínua e cores especiais

País de origem?

Itália

Japão

China

China

Cliente utilizando

NI

NI

NI

Grandtex Rep. Dominicana

30 - Revista GF |

Edição 130


CAPA

Biografia Nada mais justo que apresentar a Biografia de alguém que acompanhou todas as inovações da tecnologia de impressão digital no Brasil. Ricardo Nani é um dos precursores do mercado, fundador de uma das maiores empresas do Brasil no segmento, a FUSÃO em SP. Ricardo gentilmente contou sua história para a GF! Grandes Formatos - Poderia nos contar como foi sua trajetória profissional? Ricardo Nani - Iniciei minha vida profissional no segmento da fotografia no ano de 1965, com 12 anos de idade, como auxiliar de revelação P&B. Entre os anos de 1967 a 1978 trabalhei em escritórios de contabilidade e empresas variadas, sempre na área administrativa e financeira. Em 1977 fui administrar um estúdio fotográfico para dois fotógrafos de renome na época, posteriormente fui administrar um Laboratório Fotográfico Profissional, no qual fiquei por cerca de 12 anos, época em que criei processos para execução de diversos trabalhos até então nunca executados. E pude perceber que foram as ações de marketing que deram um impulso para o crescimento da empresa. No final de 1989 sai do Laboratório Fotográfico e por falta de um emprego a necessidade forçou-me a empreender com mais três sócios (hoje são dois) 32 - Revista GF |

Edição 130

Então montamos a Fusão, durante este período cursei economia e contabilidade. GF - Após tantos anos, qual o desafio que a Fusão apresenta? RN - O grande desafio agora é, refazer todos os processos, treinar os colaboradores para alcançar um grau de eficiência que permita o aumento de margens. E investir em novas tecnologias e negócios ligado ao nosso segmento. GF - A que você relaciona o sucesso? RN - O sucesso da Fusão nesses 30 anos de existência além de muito trabalho, veio no posicionamento de mercado buscando sempre oferecer aos clientes uma grande quantidade de soluções complementares à suas necessidades além da impressão. Manter um parque de equipamentos sempre atualizados, um baixo endividamento e um fluxo de caixa suficiente para suportar as oscilações de mercado. Também contou muito sermos a primeira empresa a trazer para o

Brasil alguns equipamentos: Uma Vutek 2360 de 2 metros, a Lambda (impressora para papel fotográfico), a Durst 1560 (Primeira impressora UV da América do Sul) e outros equipamentos antes do início da era digital. GF - Como você viu o avanço da tecnologia? RN - Percebemos em 1994, que o modelo de ampliação fotográfico (analógico) estava caminhando para um modelo digital. Conhecemos uma empresa canadense que a partir de uma imagem escaneada imprimia um cromo 4X5” (slide) e a partir desse cromo conseguíamos oferecer aos clientes serviços de impressões até então somente executados por empresas do setor gráfico. A partir deste momento começamos a acompanhar as alterações tecnológicas do setor. Nossos investimentos são feitos a partir de analise mercadológica, para entendermos onde iremos atuar com o equipamento, claro


GF - Qual a melhor tecnologia? RN - A melhor tecnologia de impressão neste período de 30 anos, mudou constantemente. Todas as tecnologias tiveram seus momentos, mas o melhor equipamento com a melhor qualidade é aquele que atende o seu mercado. O que estou querendo dizer é que de nada adianta você procurar a melhor qualidade de impressão quando na verdade o foco do seu mercado é volume, volto a dizer: o melhor equipamento é aquele que vá de encontro com o foco do seu negócio! GF - Quem são seus clientes? RN - O mercado que nós atuamos é preferencialmente empresas do varejo em geral, ou seja, de construção, montadoras, cosméticos, lojas de departamentos, setor alimentício, etc. GF - Na sua opinião, porque no Brasil ainda se utiliza impressão solvente? RN - Creio que a tecnologia de impressão solvente vá continuar até o momento em que os clientes tenham como objetivo somente o preço e a manutenção destes equipamentos comece a ser impraticável. GF - O que deve melhorar na CV? RN - Chegamos em um momento em que boa parte das

empresas deixaram de ser simplesmente empresas de comunicação visual e passaram ao patamar industrial, com escalas similares ao setor gráfico. Creio ser o momento em que o setor necessita de uma normatização em toda a sua cadeia produtiva, onde poderemos ter nomenclaturas, especificações, dados estatísticos, normas técnicas e tudo o mais que for necessário para o conhecimento do setor. GF - Como é a relação da CV com a Industria 4.0? RN - Com a tecnologia a cada momento apresentando várias soluções mercadológicas diferentes fica difícil o posicionamento, mas acredito que sobreviverá a empresa que rapidamente entender o novo mercado e adaptar-se mercadologicamente. Ainda não vejo movimentações que venham afetar nosso mercado, mas devemos ficar atentos.

HOJE NÃO BASTA SOMENTE VONTADE E DISPOSIÇÃO PARA EMPREENDER, NECESSITA DE UM BOM PLANEJAMENTO DE VIABILIDADE, DEFINIR CLARAMENTE QUAL O SEU OBJETIVO E QUAL O MERCADO QUE PRETENDE ATENDER

GF - Qual mensagem você daria a quem está começando? RN - Hoje não basta somente vontade e disposição para empreender, necessita de um bom planejamento de viabilidade, definir claramente qual o seu objetivo e qual o mercado que pretende atender. Ter muita certeza do equipamento que irá comprar, para não cometer nenhuma falha, a qual poderá causar o fim de um negócio promissor. Sempre estar atento as mudanças tecnológicas, para não comprar um equipamento na mudança de tecnologia.

DIVULGAÇÃO

que outros fatores são levados em conta: como volume e qualidade de impressão, tecnologia aplicada, custo de impressão, valor do equipamento, retorno do investimento e outros mais.

Edição 130 | Revista GF - 33


DEPOSITPHOTOS

ARTIGO

A psicologia positiva no treinamento e gestão de pessoas A maneira como as empresas enxergam seus colaboradores está mudando, ainda bem! Antigamente, não se falava em “Gestão de Pessoas”, pois havia apenas o “RH” ou o antigo “DP”, o famoso Departamento Pessoal. Nos dias de hoje, todo colaborador já é compreendido como peça-chave para que as empresas alcancem os resultados que tanto almejam, o que influencia diretamente na visão contemporânea da organização e nas perspectivas para o futuro. E unir o Coaching e a Psicologia Positiva podem ser importantes ferramentas nesse processo, principalmente para fortalecer a liderança estraté34 - Revista GF |

Edição 130

gica e treinamento de equipe. A Psicologia Positiva pode ser usada de várias formas para aumentar a motivação e a satisfação de uma equipe. É preciso considerar que todos nós passamos grande parte de nossas vidas trabalhando, por isso, é fundamental que muitas organizações compreendam como é fundamental a satisfação no ambiente de trabalho. Ela é a peça-chave para maior satisfação com a vida e produtividade. Quanto mais pessoas você gerenciar, maior a possibilidade de promover a práticas de positividade na empresa. Com elas existe a melhora da motivação e aumento

do engajamento, gerando níveis cada vez mais ascendentes de florescimento e aprendizado. Tudo isso gera resultados extraordinários a custos muito baixos. Veja as vantagens de aplicar a Psicologia Positiva e Coaching no treinamento de pessoas: Autoconhecimento As ferramentas de Coaching proporcionam acesso ao autoconhecimento. Isso gera clareza para saber quem somos, onde estamos, para onde queremos ir e o que é preciso fazer de diferente, que não estamos fazendo agora, para conseguir chegar aonde queremos. Fi-


Conhecer melhor o outro Conhecer melhor a si tem como consequência conhecer melhor o outro. Porque ao se conhecer, você melhora o seu relacionamento com as pessoas. Seja na vida pessoal ou no ambiente de trabalho. Aprecie, elogie e reconheça os esforços da sua equipe. É importante que os seus colaboradores entendam que todo esforço é valorizado. Lembre-se de se certificar que você está oferecendo a recompensa que o time deseja. Trabalhe com propósito Sem dúvidas o trabalho feito com significado certamente vai trazer resultados melhores, seja de satisfação e, também, resultados financeiros e de reconhecimento. O importante é fazer aquilo que gosta e que tem a ver com seus pontos fortes, porque tudo isso faz com que você faça melhor e seja reconhecido por isso. Defina metas atingíveis, inteligentes e desafiadoras Todo trabalho tem um impacto positivo para as pessoas, comunidades e principalmente para o mundo. Leve o colaborador a entender quais são as contribuições positivas do seu trabalho, isso con-

O INVESTIMENTO DE ENERGIA, TEMPO E DINHEIRO SÃO MUITO ALTOS E A RELAÇÃO ENTRE CUSTO-BENEFÍCIO É PÉSSIMA. POR OUTRO LADO, NOS TORNAR EXCELENTES NAQUILO QUE JÁ SOMOS BONS NOS TRAZ PRAZER, ENTUSIASMO E OS RESULTADOS PODEM SER SENTIDOS DE MANEIRA INSTANTÂNEA! fere significado mesmo às tarefas mais difíceis ou enfadonhas. É importante desafiar as pessoas no nível de suas habilidades. E mais importante ainda que elas percebam que podem realizar as coisas. Isso dá ânimo ao time. Ao atingi-las, comemore com os integrantes. Recentes estudos sugerem que 70% dos profissionais que usam ativamente seus pontos fortes no dia a dia sentem-se mais comprometidos e energizados pelo seu trabalho. Acredito que quando as lideranças investem na potencialização de talentos, é possível fazer com que as equipes alcancem resultados extraordinários. É mais interessante investir tempo e energia para maximizar os pontos fortes que o colaborador já tem, do que tentar desenvolver novas habilidades. Conhecendo as competên-

cias dos liderados, o gestor pode realocá-los para cargos, setores, funções e atividades onde eles naturalmente se sairão melhor. Pode-se dizer que aplicar a psicologia positiva é desafio para as empresas, que tradicionalmente desencorajam seus colaboradores a serem mais felizes ao enfatizar apenas as falhas. Ao mesmo tempo, esta ciência vem para mostrar que é possível olhar os problemas do dia a dia empresarial por outros ângulos, dando a gestores e equipes a chance de buscar novas formas soluções assertivas e resultados mais rápidos, o que certamente só traz benefícios para todos os envolvidos.

DIVULGAÇÃO

car bom no que somos muitos ruins é muito difícil e além disso, custa caro! O investimento de energia, tempo e dinheiro são muito altos e a relação entre custo-benefício é péssima. Por outro lado, nos tornar excelentes naquilo que já somos bons nos traz prazer, entusiasmo e os resultados podem ser sentidos de maneira instantânea!

IARA LUZ Master Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching e fundadora da Direction Coaching, empresa preparada para guiar transformações positivas em empresas e organizações. Atua há mais de 20 anos na área de liderança de equipes e trabalha como Coach de Vendas aplicando técnicas de Coaching e PNL. www.iaraluz.com

Edição 130 | Revista GF - 35


DEPOSITPHOTOS

ARTIGO

Troco conselho por alguns minutos do seu tempo! Como diz o ditado, se conselho fosse bom não se dava de graça, mas nesta edição que fala de impressoras não posso deixar de expressar minha opinião um pouco mais técnica sobre esse feito, tão importante nas nossas vidas. Acompanhei, já como empresário, o surgimento das impressoras digitais em nosso mercado. Lembro bem quando descobri que existia um novo processo que imprimia imagens em adesivo ou lona, que poderia ficar exposto ao 36 - Revista GF |

Edição 130

sol e a chuva, certamente meus olhos brilharam com tamanha evolução. Equipamentos inicialmente muito caros, o que resultava em poucas empresas, e altos preços na venda do m² devido a lei da oferta e da procura. Com o passar do tempo, tanto o valor da impressão como o valor dos equipamentos foram sofrendo redução frequentes, até chegar nos dias de hoje com uma grande oferta de equipamentos e de empresas oferecendo esse serviço por valores

relativamente baixos, então fica a pergunta: Ainda vale a pena adquirir equipamentos? E qual adquirir? Primeiramente, temos que compreender que a impressora é o coração de uma empresa de comunicação visual, embora exista a possibilidade de terceirizar, nada vai substituir a facilidade de ter o equipamento próprio para poder imprimir como, quando e quantas vezes quiser seus materiais sem depender de prazos externos. Mas, para avaliar se este investimento é

>>


ARTIGO

38 - Revista GF |

Edição 130

VAMOS SUPOR QUE VOCÊ COMPRE UM CARRO POR R$ 70 MIL E DEPOIS DE USAR ELE POR 10 ANOS VOCÊ REVENDE POR R$ 30 MIL, OU TAMBÉM TEM A OPÇÃO DE COMPRAR UM CARRO SEMELHANTE POR R$ 45 MIL E DEPOIS DE 5 ANOS TEM QUE DEIXÁ-LO NA GARAGEM POR FALTA DE PEÇAS E ASSISTÊNCIA são ou do limite de produção do equipamento escolhido, falo da sua capacidade de venda por mês. Supondo que seu custo fixo seja R$ 5 mil mês e você esteja vendendo em média 500 metros de impressão também por mês, deve ser feita essa conversão, onde você divide o custo fixo total (R$ 5 mil) pela sua produtividade média (500 metros), nesse exemplo você parte de R$ 10,00 dos custos acima citados, e deve adicionar ainda seus custos variáveis como material, tinta, comissões e impostos, valores que você só gasta quando produz. A verdade é que com o mercado cada vez mais concorrido não dá mais para ser um proprietário de impressora, é preciso compreender um pouco mais a fundo, analisar

dados de custo e produtividade, que vão gerar dados corretos para tomada de decisão, assim você passa a compreender seu custo real e saber até onde pode chegar em uma concorrência para vender com prejuízo. Esse mesmo critério deve ser aplicado em outros setores da empresa inclusive para avaliar mão de obra. Normalmente, as empresas depois de fazerem todo esse cálculo, chegam a conclusão que a impressão ainda é rentável, em contrapartida comprovamos a cada dia que o grande vilão deste setor ainda é a mão de obra. A cultura de venda baseada em “m²” acaba não gerando critérios para avaliar esse que normalmente é o maior custo nos trabalhos prestados. Mas esse é assunto para uma próxima oportunidade. Boa escolha e sucesso a todos.

DIVULGAÇÃO

viável ou não vou destacar alguns pontos que considero importantes para fazer esse cálculo. Ao adquirir um equipamento, acredito que devesse agir como na compra de um carro, avaliar seu desempenho, sua estabilidade, custo de manutenção e sua assistência, itens que refletem no seu valor de revenda. Embora essa não seja uma prática comum sugiro que ela seja avaliada. Vamos supor que você compre um carro por R$ 70 mil e depois de usar ele por 10 anos você revende por R$ 30 mil, ou também tem a opção de comprar um carro semelhante por R$ 45 mil e depois de 5 anos tem que deixá-lo na garagem por falta de peças e assistência. (OLHO) Nesse segundo exemplo o valor total do equipamento (R$ 45 mil) é dividido por 60 meses (5 anos) nos dá um custo mensal de R$ 750,00 de depreciação. Trago esse exemplo porque hoje vejo várias empresas no mercado com equipamentos parados, primeiramente por falta de produtividade, mas uma grande quantidade por falta de peças e assistência especializada. Precisamos compreender que ao adquirir uma impressora além das já citadas depreciação e manutenção temos o custo do espaço físico e de mão de obra com todos os seus encargos, esses valores formam o custo fixo do seu “setor impressão”, valores que devem ser pagos no final do mês independente da sua empresa produzir ou não. Ao acumular todos esses valores é preciso analisar o ponto chave dessa decisão que seria a sua capacidade produtiva, não estou falando da velocidade de impres-

MAICOL SOUZA Autor da coluna é Maicol de Souza, empresário no ramo de Comunicação Visual por 18 anos, hoje é consultor e diretor comercial da Vivasign sistemas.


DEPOSITPHOTOS

ARTIGO

A hora do show: as transformações no formato das feiras traz benefícios ao público! Pouco tempo atrás alguns profissionais do setor de impressão/ sinalização de grandes formatos previram o fim das feiras e exposições no formato em que as conhecemos. E aparentemente estavam felizes em constatar que o modelo atual estaria fadado a fazer parte do passado para dar lugar à modernidade em um modelo focado em ações baseadas na Internet. Ainda bem que essas pessoas estavam erradas. Pelo menos por 40 - Revista GF |

Edição 130

enquanto, em relação ao fim das feiras e exposições. Talvez elas estivessem certas quanto à evolução do formato tradicional desses eventos, pois isso realmente aconteceu, e de uma forma positiva. Não vemos mais simplesmente um grupo de fabricantes de impressoras e fornecedores de software/ consumíveis organizados em estantes para exibir seus produtos. Vemos agora, na maioria dos eventos, exibições do setor de impressão/

sinalização de grandes formatos com apresentações extravagantes, totalmente focadas na parte visual. A FESPA e a SGIA, por exemplo, combinam apresentações instigantes dos principais palestrantes com debates interativos, workshops educacionais e áreas de aplicações, sem contar as exibições “centrais” das mais modernas tecnologias de impressão e sinalização. As feiras de exposição são fornecedores do setor de impressão/


A POSSIBILIDADE DE FAZER PERGUNTAS AOS ESPECIALISTAS NOS PRODUTOS E AOS PROFISSIONAIS DE VENDAS, ASSISTIR A DEMONSTRAÇÕES AO VIVO E COMPARAR OFERTAS CONCORRENTES EM UMA DISTÂNCIA DE ALGUNS METROS UMAS DA OUTRAS, TUDO ISSO CONTRIBUI PARA FACILITAR MUITO MAIS O PROCESSO DE TOMADA DE DECISÕES PARA QUEM ESTÁ PENSANDO EM FAZER UMA COMPRA ou impressão, sabe que não é fácil para você ou para seus funcionários reservarem um tempo para viajar para outro país e ficarem afastados do escritório ou da gráfica para comparecer a um evento desse tipo, mesmo porque os custos são altos e nem sempre se justificam. Entretanto, a maioria dos empresários do ramo de impressão e sinalização reconhecem a importância de manter-se informados sobre os avanços da tecnologia e de fazer o netwoking com os pares de seu setor. Muitos expositores, incluindo a SAi, usam as feiras como plataforma de lançamento para novos produtos e serviços, para que os visitantes possam ser os primeiros a conhecer

as novas oportunidades que vão proporcionar receita e aumento na eficiência de suas operações. Em uma era na qual o custo de uma viagem aérea é baixo, muitos de nós consideraria reservar um fim de semana em um hotel barato para relaxar com a família. Pois o custo de visitar uma feira e exposições importantes do setor de impressão/sinalização fica no mesmo nível de um fim de semana como esse (talvez custe até mesmo, se o voo for doméstico), com o bônus de estar entrando no universo das últimas novidades do mercado em produtos e tecnologias que podem servir como elementos impulsionadores para levar o seu negócio e as suas ofertas de serviços para outro nível. De fato, por que não unir o útil ao agradável e levar a família nessa viagem?

DIVULGAÇÃO

sinalização de grandes formatos e são vitais para a SAi, independentemente de nossas atividades de marketing serem bem mais amplas. Da mesma forma, para os visitantes, em especial se têm em mente investir no crescimento de seus negócios em sinalização e impressão ou aperfeiçoar seu desempenho, essa interação presencial direta é a melhor forma de conhecer melhor os seus futuros prováveis fornecedores. A possibilidade de fazer perguntas aos especialistas nos produtos e aos profissionais de vendas, assistir a demonstrações ao vivo e comparar ofertas concorrentes em uma distância de alguns metros umas da outras, tudo isso contribui para facilitar muito mais o processo de tomada de decisões para quem está pensando em fazer uma compra. Para atingir um público relevante de visitantes de forma satisfatória, os organizadores do evento do setor de impressão/sinalização em grandes formatos intensificaram seu engajamento usando todos os recursos comerciais mais importantes, em uma combinação de materiais impressos e on-line para criar ações e movimentação em torno do evento por vários meses antes do evento. Dessa forma, os visitantes se informam sobre detalhes essenciais (inclusive opções de pacotes de viagem, restaurantes e hotéis econômicos) e também sobre a variedade de atividades que acontecerão no evento, para garantir as presenças e, assim, o sucesso da feira. Se você está à frente de uma empresa do setor de sinalização

MARCELO CHAGAS NASCIMENTO Diretor de Vendas e Tecnologia para América Latina, SAi. Contato: marceloc@thinksai.com

Edição 130 | Revista GF - 41


DEPOSITPHOTOS

ARTIGO

Inovação na indústria: como se destacar em setores competitivos? Em um mercado cada vez mais dinâmico e com avanços tecnológicos tão rápidos e impactantes, a inovação na indústria é um fator de sobrevivência obrigatório. Além de garantir a saúde do negócio e criar diferenciais nos produtos e serviços, ela tem sido uma das receitas para que muitas empresas consigam se manter vivas em cenários de crise. Existem muitas maneiras de inovar e elas repercutem diretamente nos resultados do negócio. A atualização nos modelos de gestão e a modernização da cultura de trabalho são exemplos que, embora não tenham relação direta com o produto final, são capazes de influenciar toda a cadeia produtiva. Para falar um pouco mais a respeito de como se destacar em se44 - Revista GF |

Edição 130

tores onde a competição é permanente, aqui vão algumas ideias que podem trazer resultados de impacto. Confira! Como implementar a inovação na indústria? O primeiro passo para iniciar uma estratégia de inovação é garantir que a empresa já esteja operando sob dois pilares fundamentais: baixo custo de produção e alta qualidade. Somente após esses desafios terem sido devidamente ultrapassados, será possível inovar. É preciso compreender que a inovação nem sempre representará a criação de um novo processo. Ela também pode estar configurada sob melhoria de algo que já existe.

Para criar ou modernizar algo, é preciso estar alerta para os resultados do negócio e para o comportamento do mercado e do consumidor. Assim, você poderá identificar claramente as oportunidades de melhoria ou de imaginar algo novo, que se diferencie da concorrência e ganhe destaque entre os clientes. Algumas áreas possuem maior potencial para mudanças e aperfeiçoamentos. Vejamos quais são elas: Produto O ponto inicial a ser avaliado, quando se fala em produto, é ter uma visão muito nítida de quem é o público. Novidades ou renovações que aconteçam sem o objetivo claro de atender a demanda representarão perda de tempo e dinheiro.


Cultura organizacional Apenas para contextualizar, cultura organizacional se refere ao conjunto de valores e condutas disseminados dentro de uma empresa: Criatividade Aposte em um ambiente profissional criativo. Isso significa se comunicar abertamente com as pessoas e estimular a participação de comentários e novas ideias. Uma cultura que privilegia a criatividade não pune erros de avaliação ou apostas que não deram certo. Ela procura entender, em conjunto, onde houve a falha e se mobiliza rapidamente para solucionar problemas. Mudança de hábitos Qualquer transformação de comportamento exige grandes decisões. A primeira é a mudança de hábitos, que deve ter início entre as lideranças para que sirva de inspiração. Outra possibilidade é a adequação do time, inclusive com a reavaliação do perfil da equipe. Capacitação do time Uma ação que traz repercussões poderosas é a capacitação permanente dos funcionários. Aperfeiçoar habilidades e expandir conheci-

APOSTE EM UM AMBIENTE PROFISSIONAL CRIATIVO. ISSO SIGNIFICA SE COMUNICAR ABERTAMENTE COM AS PESSOAS E ESTIMULAR A PARTICIPAÇÃO DE COMENTÁRIOS E NOVAS IDEIAS. UMA CULTURA QUE PRIVILEGIA A CRIATIVIDADE NÃO PUNE ERROS DE AVALIAÇÃO OU APOSTAS QUE NÃO DERAM CERTO

conhecer profundamente as demandas do público e buscar atendê-las com algum diferencial. Uma das maneiras de estar em contato com novas ideias e tendências, além de trocar experiências com outros empreendedores do setor, é participar das feiras especializadas. Nelas, acontecem palestras e encontros com fabricantes de equipamentos e suprimentos. É um ambiente natural de inovação e conhecimento!

DIVULGAÇÃO

Processo Um mecanismo importante são as métricas de resultado. Mensurar tudo o que é feito serve de base para o mapeamento e a análise de desempenho. Para conseguir acompanhar o mercado, novas métricas podem ser criadas, de acordo com os objetivos estabelecidos para o momento. Defina as principais e as acompanhe diariamente.

mento são mecanismos para gerar motivação e engajamento. Consequentemente, haverá mais pessoas ao seu lado pensando sobre o avanço do trabalho. Tecnologia O tema tecnologia é extremamente amplo e pode influenciar qualquer setor de uma empresa. O progresso da tecnologia é cada vez mais abrangente e tem grandes oportunidades de modernização a custos mais baixos, inclusive. Computação em nuvem A proposta é ter à disposição, em ambiente online, aplicativos corporativos para quaisquer operações que a empresa necessite. Os reflexos podem ser sentidos na produtividade e na comunicação interna, além da redução de custos com manutenções de TI. Como acabamos de ver, inovar significa reinventar processos e lucrar mais gastando menos. É

DIOMAR SARTOR Formado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda, possui MBA em Marketing Estratégico e Marketing Digital pela ESPM. Possui sólidos conhecimentos e experiência na criação e gestão de campanhas de publicidade, planejamento e gestão de estratégias de marketing, ecommerce e estratégias digitais. É fundador da Prodv Comunicação, agência de publicidade com mais de 10 anos de atuação que apresenta cases comprovados de sucesso para clientes de B2B e B2C. Com mais de 20 anos de atuação, é Diretor da Prodv Comunicação e Design e Diretor de Marketing da FCEM Febratex Group.

Edição 130 | Revista GF - 45


DEPOSITPHOTOS

ARTIGO

Como melhorar os resultados da sua empresa O primeiro passo é você reconhecer que não tem preparo profissional ou capacitação adequada para deixar a sua empresa e a sua equipe como deveria: totalmente organizada. Isso porque tem mais talento na área comercial ou na área de produção ou na área de criação. É normal isso, não se preocupe, a maioria das empresas de comunicação visual nasceram (e nascem) de profissionais de diversas áreas, exceto de administração, contábil, fiscal, 46 - Revista GF |

Edição 130

financeira e recursos humanos, principais pilares para o sucesso de qualquer empresa. Por isso é que a maioria não tem sucesso. Uma vez que você não tem a aptidão e conhecimentos necessários nestas áreas é que acaba fazendo contratações erradas, pensando que está acertando, mas errando feio, na maioria das vezes, nas admissões de colaboradores inaptos e incapacitados a exercerem a função que deseja.

Temos diversos primeiros passos para te ajudar a melhorar os resultados da sua empresa, mas, o principal, é você aceitar mudanças, alterações de atitudes, aceitar conselhos e sugestões (e implantá-las), ter vontade de aprender (muita, leia-se: CAPACITAR-SE), além de ter que investir em algumas coisas, está disposto a isso? Afinal “O progresso é impossível sem mudança; e aqueles que não conseguem mudar as suas mentes não conseguem mu-


TEMOS DIVERSOS PRIMEIROS PASSOS PARA TE AJUDAR A MELHORAR OS RESULTADOS DA SUA EMPRESA, MAS, O PRINCIPAL, É VOCÊ ACEITAR MUDANÇAS, ALTERAÇÕES DE ATITUDES, ACEITAR CONSELHOS E SUGESTÕES (E IMPLANTÁ-LAS), TER VONTADE DE APRENDER (MUITA, LEIA-SE: CAPACITAR-SE), ALÉM DE TER QUE INVESTIR EM ALGUMAS COISAS, ESTÁ DISPOSTO A ISSO? problemas e, além disso, eliminar todos? Sim, fique tranquilo. O primeiro passo, como disse antes, é você querer investir em tempo para aprender e se capacitar para isso. Eu te darei todas as instruções necessárias que precisa para resolver tudo isso e mais: melhorar todos os resultados da sua empresa. Se você se dedicar muito a sua empresa será outra em apenas 6 (seis) meses, sendo que começará a ver resultados positivos já no primeiro mês. O que é que você tem que fazer para isso? Basta me adicionar no SKYPE, o meu é wilson.giglio1, me falar de você e da sua empresa. Com isso o primeiro passo será ler, atentamente, o ebook COMO MELHORAR OS RESULTADOS DA SUA EMPRESA, gratuitamente,

com 82 páginas, que tem todas as instruções básicas iniciais necessárias para ajuda-lo nesta empreitada e que você pode fazer o download no site: https://organizesuaempresacv.com.br ou peça pelo skype. Vou ministrar 2 palestras na FESPA BRASIL 2019, dias 20 e 21/03, às 16.30 hrs, além disso ficarei no stand da APS FEIRAS (organizadora do evento) nos 4 dias / horários da Feira, à sua disposição para responder e te ajudar em tudo o que for necessário para a sua empresa e sua equipe. Tenho certeza que nós vamos conseguir resolver tudo, ok? Conte comigo. Novo ano, novas perspectivas, novas oportunidades e muitas vitórias, desejo um SUPER HIPER MEGA FELIZ ano novo com tudo de bom para você, sua empresa e sua família.

DIVULGAÇÃO

dar nada” (George Bernard Shaw). Tenho certeza que os problemas da sua empresa estão nesta lista: 1) Perda de vendas por demora ao elaborar orçamentos e algumas vendas pelo seu preço estar fora do mercado; 2) Perda de vendas por não cumprir prazos de entrega; 3) A falta de preparo dos seus consultores de vendas é outro fator importante que, muitas vezes, impossibilita melhores vendas; 4) Retrabalho, desperdícios e produtos mal feitos ajudam a ter prejuízos constantes; 5) Colaboradores ineficientes e desmotivados, gerando muita rotatividade; 6) Falta de controle de capital de giro e descontrole financeiro; 7) Não tem controle de estoque, não sabe seu lucro mensal ou por produto; 8) Não sabe o seu ponto de equilíbrio e estabelecer metas nos departamentos; 9) Tem problemas em implantar controles e ler / analisar quando os tem. Tudo isso aliado a mais um monte de problemas faz com que a sua empresa esteja sempre no vermelho, ou patinando (ou dá dois passos para a frente e um para trás), não consegue aumentar os clientes e perde sempre os que tem, não consegue fidelizar clientes e, até mesmo, seus colaboradores, etc. Estes são os principais problemas que encontrei nas 30 (trinta) empresas, em que já fiz consultoria, deste ramo de atividade. Tudo isso tem solução? Conseguiremos resolver todos estes

WILSON GIGLIO Consultor em Gestão Empresarial Organizador de Empresas e Equipes Skype: wilson.giglio1

Edição 130 | Revista GF - 47


DEPOSITPHOTOS

ARTIGO

O avanço da tecnologia digital! Historicamente, começamos nossa análise a partir da tecnologia de corte, precursora do processo da comunicação visual. Com o aumento de fabricantes, e produtos para Comunicação Visual nos últimos anos, certamente as empresas de software melhoraram e muito a gestão de processos e automatização, afim de ofertar precisão no corte. O corte eletrônico inteligente e industrial tornou-se necessário para quem está trabalhando jobs profissionais e em formatos flexíveis e para materiais rígidos; O avanço da tecnologia base d’gua para as grandes velocidades da linha solvente com cabeças com 80 picolitros, traziam 48 - Revista GF |

Edição 130

uma imagem cheia de granulações e péssima resolução, porém para gigantografia funcionava muito bem, pois de longe “enganava aos olhos”. Mas, incrivelmente nos últimos anos o sistema piezo elétrico avançou tão fortemente que os equipamentos industriais e semi industriais, encostaram em resolução com as inovações das cabeças de impressão, e alcançaram fontes pequenas, aonde em anos passados somente o frame Eco-Solvente com sistema micro-piezo alcançava, e este avanço também se propaga por duas frentes muito importantes: A) Alimentação contínua de tintas (industrialização mais próxima

do cliente, e com menores recursos em alta qualidade de impressão); B) Avanço na tecnologia de software, gerenciamento de cores, interpolação, e melhoria nos perfis de cores, aonde os clientes descobriram que nem precisavam ligar seus equipamentos, realizar um alto setup e ainda perder no comprimento das lonas (aonde faziam uma “panelização” para realizar jobs com larguras maiores do que seus equipamentos); mas a economia nas tintas e aumento das resoluções e velocidades estão os principais destaques; O avanço tecnológico se confirma através de pesquisas inter-

>>


VISITE A PRINCIPAL FEIRA DE IMPRESSÃO DIGITAL DO BRASIL

20 A 23

MARÇO 2019 EXPO CENTER NORTE PAVILHÃO AZUL RUA JOSÉ BERNARDO PINTO, 333 VILA GUILHERME, SÃO PAULO - SP CEP: 02055-000

INSCREVA-SE NA FESPA BRASIL / DIGITAL PRINTING E CONCORRA A UM IPHONE:

fespabrasil.com.br | digitalprinting.com.br


ARTIGO

nacionais dentro de fabricantes de tintas digitais, empresas de impressão, softwares e mídias. O Brasil está liderando as compras de mídias, tecnologias de corte, impressão digital, mas, principalmente em tintas, o que confere que temos uma grande demanda. O grande problema é a precificação no Brasil, a qual está errônea, injusta e equivocada, e este ponto acusa um dos principais problemas. As margens caíram muito, e muitas empresas que possuem criatividade, diferenciam em busca de imprimir em materiais diferentes, pois as lonas e adesivos já fazem parte do passado. Temos que ser profissionais no sentido de reconhecer os erros, e realinhar o custo de compra, de execução e venda. Muitas empresas acreditam que apenas a quantidade de PVC deve diferenciar os valores. Lonas são lonas, e dependendo do que pretende o comprador, pode ser impresso em qualquer mídia, e o valor irá imperar.  O vinil possui suas especificações, mas no caso do grande volume na película no modelo  promocional, de novo dependerá do tempo exposto, interesse e valor. De novo, as grandes agências e contas, irão valorizar seu tempo de entrega e confiança, mas não a tecnologia que está sendo impressa.  Por isso, as pesquisas internacionais nos indicam o avanço nas mídias mais técnicas, e também tecnologias ecologicamente corretas e menos agressivas. Os mercados estão buscando inserir milhões de cores em seus produtos, e agregar valor. Mas a grande mudança está na secagem instantânea, ancoragem e fixação na parte 50 - Revista GF |

Edição 130

O GRANDE PROBLEMA É A PRECIFICAÇÃO NO BRASIL, A QUAL ESTÁ ERRÔNEA, INJUSTA E EQUIVOCADA, E ESTE PONTO ACUSA UM DOS PRINCIPAIS PROBLEMAS química, o que está avançando muito, e até podemos inserir um vidro em forno com até 180 graus, vacum form, e outros. Não consideramos que será daqui anos, mas já estamos visualizando as fábricas alterarem seu plano de negócio, e neste momento a eletrônica japonesa e frame Chinês predominam em praticamente todos os continentes, pois estas opções tecnológicas encostaram nas grandes marcas, e possuem valores muito atrativos. A tecnologia química avançou também, e agora possuem características de personalização industrial, conseguindo resolver as questões de craquelamento, cobertura de cores, alta fixação e ancoragem da parte química. Os principais fabricantes trabalham com robustez, inovações tecnológicas, como dupla pressão negativa, alimentação contínua, aumento na altura máxima de impressão, silenciadores, mesa construída em material inovador, motores apropriados para grandes volumes e sistema elétrico preciso. A tecnologia já está sendo divulgada e alterada, mas não para brigar com as margens de lonas e adesivos, e sim proporcionar a in-

dústrias a opção de personalizar seus produtos, ou bureaus de impressão imprimirem em qualquer tecido em alta resolução e sem tratamento, metais, plásticos, madeira, isopor, borracha, PVC, nylon, BOPP para o mundo das embalagens, e muitos outros materiais que permitem maiores margens e cores diferenciadas, pois jamais vimos um vendedor comparar uma impressão da linha solvente com a cobertura da linha UV. O empresário deve escolher a tecnologia, de acordo com o produto a ser personalizado, tempo de resistência á intempéries, largura máxima a ser impressa, assim como altura. Mas um detalhe importante é a parte química. Será que podemos alinhar a empresa a um produto ecologicamente correto? O suporte técnico e assessoria técnica aos operadores e administradores, é um fator muito importante, pois muitos empresários buscam somente o menor valor e não comparam o plano de negócio da empresa, formação dos técnicos, estudo das cores que necessitam no sistema digital. A logística das tintas e resposta técnica, e muitas vezes pensam somente no tempo de entrega, e podem cair no erro. 

ELIEL GOMES SCHEMIKO AMARAL  Comercial Director - CMO Chef Marketing Office America UV - Digital Technology Systems  www.americauv.com  Tempo de mercado : 29 anos -  Specialist Ink Jet - Specialist UV Curable Technology


Profile for Revista Grandes Formatos

Edição nº 130| Maquinas XIII  

Edição nº 130| Maquinas XIII  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded