Issuu on Google+


34

Sumário

“TEMOS V AGREGAALOR DO!” “1

440 DP I REAL ” “M² LONA 440G” “CO BRI M AO FER OS “ENTREGAMOS TA!” AINDA HOJE!”

a duRa (incRÍVel) Vida de um VendedoR Você sabia que muitos vendedores sentem na pele, o preconceito por terem escolhido esta profissão? Há pessoas que de fato, tratam os vendedores com desprezo, e acreditam que esta é uma escolha de quem não estudou, ou não teve outra oportunidade na vida. Nossos entrevistados provam que isso é um grande erro. Os vendedores são em sua grande parte, pessoas extremamente qualificadas, e que exercem sua profissão, com muita paixão.

06

14

20

08

Displays de Re-board® da Artwork produzidos ano passado continuam em PDv’s

quem já pensou em fechar a empresa?

EDIToRIAIS E EXpEDIENTE SUAS ImpRESSÕES

09

GF NEwS Congraf oferece inovação ao mercado com aquisição de novo equipamento com tecnologia Suiça

VoCê SABIA?

10

CoBERTURA EVENTo CEO da EFI recebe clientes e a imprensa em São Paulo

11

VoCê SABIA?

GF NEwS

ESpAÇo DE NEGÓCIoS Akad: Impressoras novajet compatíveis com cabeças de impressão Epson Dx7

15

ESpAÇo DE NEGÓCIoS

GFACEBook

23

ESpAÇo DE NEGÓCIoS Canon Océ leva equipamentos com tecnologia de ponta à Print 2013 DIGI PRInt, nova revenda Roland especializada na área têxtil

Povareskim anuncia solução de Grandes Formatos para atender ao segmento gráfico

24

16

Parceria é a alma do negócio

Acompanhe mais uma etapa da consultoria na GF

pRêmIo BUREAU CRIATIVo

GF NEwS

17

GF NEwS

26

Durst anuncia Rho P10 160 com tecnologia variodrop

GF NEwS

46

GF NEwS

Durst anuncia Rho P10 160 com tecnologia variodrop

ARTIGo GESTão DE pESSoAS Alessandra Assad: qual é o seu limite?

Ampla participa da SGIA Expo nos Estados unidos

18

50

13

CENTRo DE CApACITAÇão GF Escola completa 2 anos de existência

zECA VINIl


HP Látex. Uma injusta vantagem. Obtenha uma vantagem competitiva com a tecnologia de impressão HP Látex. Com versatilidade incomparável, excelente qualidade, fácil utilização e elevados padrões ambientais, você fornecerá trabalhos que seus clientes irão adorar. Mas a concorrência não! Visite hp.com/br/go/HPLatex

© 2013 Hewlett-Packard Development Company, L.P.


EDIToRIAl

EXpEDIENTE Setembro 2013 | Ano 7 – nº 84 EDItORA/ DIREtORA luciana Cristina Andrade editora@grandesformatos.com

LuCIAnA AnDRADE Editora

JORnALIStA Andressa Fonseca mTB 9186/pR

editora@grandesformatos.com

faleconosco@grandesformatos.com AtEnDImEntO AO ASSInAntE +55 (41) 3023-4979

Prezados leitores

ASSInAtuRAS patrícia kowalski

É com grande alegria que hoje podemos comemorar números superados! 14mil visualizações da Revista GF Digital; mais de 200 trabalhos inscritos no Prêmio GF Bureau Criativo 2013; mais de 300 alunos já passaram pelo nosso Centro de Capacitação Profissional em Curitiba; e em enquetes feitas pela nossa equipe, a aceitação da GF como principal veículo de comunicação nas empresas atinge 87% dos entrevistados! tudo isto nos faz ir além, você é responsável por estas conquistas e por isto estamos preparando mais e mais novidades, lançamentos, mais surpresas! Esperamos você na cerimônia de entrega da premiação no dia 14 de novembro, um momento mágico, que transforma a realidade das empresas e das pessoas. vamos brindar juntos? Espero cada um de vocês!

assinaturas@grandesformatos.com AnÚnCIOS liana Andrade atendimento@grandesformatos.com CuRSOS Antonio Escobar capacitacao@grandesformatos.com ADmInIStRAtIvO/FInAnCEIRO

Forte abraço,

luka financeiro@grandesformatos.com PROJEtO E DESEnvOLvImEntO GRÁFICO paolo malorgio Studio

AnDRESSA FOnSECA Jornalista

paolo.malorgio@gmail.com

faleconosco@grandesformatos.com

A Revista GF é publicada 11 vezes ao ano pela GF Editoração ltda SEtEmBRO DE 2013 GF EDItORAÇãO LtDA

Da redação A vida de vendedor é fácil ou não é? Precisa ter dom, ou não? Fui atrás destas respostas e fiquei encantada com os vendedores incríveis que tive a oportunidade de conhecer. Suas histórias engraçadas, a obstinação, a resiliência. Aprendi muito com cada um, e tentei reproduzir com muita fidelidade, as emoções que carregam quando o assunto é vendas. Esta edição está repleta de informações sobre nosso mercado, além de um artigo incrível da nossa amiga Alessandra Assad. Não deixe de conferir também os finalistas da terceira etapa do Prêmio Bureau Criativo. Está chegando o grande dia!

tO D OS OS DIREItOS RES ERvA DOS . A reprodução total ou parcial deste material é permitida mediante autorização prévia expressa pela GF Editoração Ltda e desde que tenha citada a fonte. O conteúdo dos artigos é de responsabilidade dos autores, não expressando necessariamente a opinião da revista. Os informes técnicos são de caráter informativo, não são comercializados e a revista é imparcial, não prevalecendo nenhum fabricante em detrimento de outro. Os anúncios são de total responsabilidade dos anunciantes.

Espero que apreciem a leitura, vISItE nOSSO PORtAL

Até Outubro , 6

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

www.grandesformatos.com


7

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F


SUAS ImpRESSÕES

Comentár ios

DA EDIÇÃO DE AGOSTO

Boa tarde, primeiramente gostaria de parabenizar pelo conteúdo da revista. Realmente muito bom. Gostaria somente de um esclarecimento. Estou procurando em diversas mídias mas não encontro a informação dimensional de quando um trabalho pode ser considerado “grande formato”. há esta informação? A partir de qual medida já pode ser considerado “grande formato”? Desde já deixo o meu agradecimento. Atenciosamente,

Agradecemos imensamente o seu elogio, é por este motivo que vale cada esforço de nosso trabalho. Com relação a sua pergunta: Grandes Formatos hoje é um nome “fantasia” pois refere-se a antiga “gigantografia” que são impressões de 360dpi em painéis e lonas grandes, como hoje as impressões tem em média 720, 1440, 2880 dpi e não se referem mais ao tamanho, não existe uma medida mínima de tamanho de grandes formatos. REVISTA GF

DIEGo pAIVA DE SoUzA São Paulo

o que você gostaria de encontrar nas próximas edições da sua Revista? mande sua sugestão!

Ótima a edição de sua última revista. MARCELO SILVA, BAHIA

Envie suas sugestões, comentários e críticas: E-mail: faleconosco@grandesformatos.com Cartas: GF Editoração Ltda - Revista GF Av. Presidente Affonso Camargo, nº 2491 loja 2 Cristo Rei, Curitiba/PR CEP 80050-370 Telefone: (41) 3023-4979

8

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

www.facebook.com/revistagf

Twitter: twitter.com/RevistaGF Siga a gF no Twitter!

* Em razão do espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados


ESPaço dE NEGÓCIoS CoNGRaF

CoNGRAF oFERECE INoVAÇão Ao mERCADo Com AQUISIÇão DE NoVo EQUIpAmENTo Com TECNoloGIA SUIÇA EmPRESA COntA COm umA nOvA SOLuÇãO PARA EnOBRECImEntO DAS EmBALAGEnS. Com o objetivo de inovar no mercado e oferecer soluções diferenciadas aos seus clientes, a Congraf investiu na aquisição de um novo equipamento para enobrecimento de embalagens. trata-se da Steinemann hibis 104, uma máquina Suiça para aplicação de vernizes. “Adquirimos este equipamento para oferecer aos nossos clientes uma forma de produzir embalagens com acabamentos especiais, valorizando a criação e design, o que possibilita um maior destaque do produto no ponto de venda”, explica o diretor-presidente da Congraf, Sidney Anversa victor.

VoCÊ SaBIa?

mInIRREFORmA ELEItORAL, COmO ELA PODE AFEtAR O mERCADO DE COmunICAÇãO vISuAL?

O equipamento aplica verniz tanto em flexografia quanto em serigrafia e permite a produção de efeitos diferenciados nas embalagens. Além de aplicar vernizes dos mais diferentes e requintados possíveis: opacos, texturizados, brilhantes, high gloss, prata, ouro. A máquina também possui o diferencial de imprimir em alta velocidade, a 12.000 folhas por hora. Assim, a Congraf produzirá impressos de qualidade, com maior apelo visual e em larga escala. Contudo, a Congraf passa a oferecer ainda mais inovação e possibilidades aos seus clientes. “A ideia é agregar alta tecnologia e acabamento especial no desenvolvimento

A minirreforma eleitoral, anunciada em vários veículos de comunicação neste mês, chamaram a nossa atenção. O projeto tem por objetivo acelerar mudanças nas campanhas para que tenham validade já na eleição do próximo ano. E o que chamou nossa atenção no projeto foi o seguinte trecho: “A versão aprovada proíbe cavaletes com propagandas em vias públicas, pintura de muros de imóveis e o chamado “envelopamento” de carros particulares”.

QUAl é A SUA opINIão? Envie seus comentários para faleconosco@grandesformatos.com e participe deste debate! S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

De acordo com a Congraf, o novo equipamento iniciou operação neste mês de setembro e já está disponível para atuar em desenvolvimentos de embalagens finas para os segmentos cosmético, alimentício, farmacêutico, entre outros.

você Sabia?

Com a aprovação em dois turnos, o plenário do Senado concluiu a votação do projeto da minirreforma eleitoral. O texto será agora encaminhado para votação na Câmara.

9

de produtos que se diferenciem num mercado tão competitivo. Potencializamos nossa capacidade de criar embalagens que surpreendam através da decoração. Existe um portfólio de modelos e estilos de vernizes a disposição dos nossos clientes para que conheçam as opções de aplicação”, explica Sidney Anversa victor.


GF News

CEO da EFI recebe clientes e a imprensa em São Paulo Durante animado coquetel, executivo fala sobre suas experiências e o futuro da impressão Em sua visita ao Brasil, Guy Gecht, CEO da EFI, reuniu sua equipe para receber empresários, parceiros e a imprensa brasileira em um evento, no dia 31 de Julho, em São Paulo. A Revista GF esteve presente prestigiando o evento. O Gerente Geral EFI da Área de Software de Produtividade da América Latina, Osmar Barbosa, introduziu a palestra de Gecht e fez uma breve apresentação na qual falou sobre o rápido e constante avanço no setor tecnológico. Seguido por Osmar, o CEO dividiu com uma plateia lotada suas experiências no segmento gráfico e as principais tendências do setor, além de compartilhar algumas premissas que tem adotado, na condução da multinacional.

10 10

- Saegt oe smt b o r2o 021031 -3 R• ERVEI V S TA G FG F I S TA

Entre os assuntos tratados, o executivo falou sobre previsões para os próximos dez anos, como a tendência das publicações digitais que aumentarão mais de 90%, quando comparado ao impresso. E também falou sobre os estudos com relação ao crescimento do uso das tintas UV. “É preciso ficar atento às janelas de oportunidade, pois elas estão se transformando rapidamente. A indústria gráfica, em particular, está vivendo um destes momentos de transformação”, ressalta Guy ao falar do mercado tecnológico e suas constantes mudanças e sobre o papel da EFI para ajudar seus clientes. “Nosso papel, como líder na criação de tecnologias é ajudar os nossos clientes a permanecer e crescer no mercado”. Depois da apresentação, o executivo aproveitou o clima descontraído para estreitar relacionamento com os clientes de três linhas da multinacional americana; a de softwares para o gerenciamento de impressão, a linha de servidores Fiery e a linha Inkjet, de equipamentos e insumos para impressão em grandes e super grandes formatos.

“Nosso papel, como líder na criação de tecnologias é ajudar os nossos clientes a permanecer e crescer no mercado”. Bacharel em Ciências com habilitação em matemática e ciência da computação pela Universidade de Israel Ben Gurion, Guy Gecht, faz parte do time da EFI há 18 anos e tem contribuído para a expansão da empresa que hoje é líder e oferece um portfólio completo no mercado de impressão digital.


VoCÊ SaBIa?

você Sabia? quE ExIStEm FORnECEDORES quE OFERECEm SuAS tIntAS Em LItROS, E OutROS Em KILOS?

quem nos ajudou com esta questão, foi markus Runk, Coordenador de marketing, da Sign Supply.

11

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

O nosso senso comum (o que aprendemos em química no colégio) é que um litro = um kilo. mas esta comparação é apenas para h2O, ou seja água. Para tinta existe uma diferença que pode chegar a 10%. Assim, um cliente desavisado, pode comprar um produto, achando que está pagando mais barato, mas também estará recebendo menos conteúdo. “É importante comparar preço e conteúdo na mesma medida, senão poderá sair enganado da negociação”, informa markus.

Vide abaiXo a comPaRaÇÃo de cada tinta: 1l DE yEllow EQUIVAlE A 1,088kG. 1l DE BlACk EQUIVAlE A 1,103kG. 1l DE mAGENTA EQUIVAlE A 1,089kG. 1l DE CyAN EQUIVAlE A 1,083kG.


12

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F


GF NEWS aMPLa

Ampla participa da SgIA Expo nos Estados Unidos FEIRA ABRIRÁ PORtAS PARA O mERCADO munDIAL DE ImPRESSãO Em GRAnDES FORmAtOS Para fechar o calendário de feiras em 2013, a Ampla, maior fabricante latino americana de impressoras de grandes formatos, exibirá seus equipamentos na SGIA Expo de 23 a 25 de Outubro, que acontece em Orlando, na Flórida. O evento reúne as últimas tendências do mercado mundial de impressão digital, grandes formatos, aplicações e acabamento. A empresa levará para seu estande em Orlando quatro equipamentos de seu portfólio, cobrindo todas as tecnologias: solvente, sublimação e uv. Durante o evento, o mercado internacional terá

13

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

a oportunidade de conhecer ao vivo as impressoras Samba xt, a targa xt, a targa XT Aquatex e a Targa UV flatbed, que estarão em pleno funcionamento durante os dias da feira. Além de participar como empresa expositora, a Ampla recentemente se afiliou à Speciality Graphic Imaging Association (SGIA), associação internacional que promove a discussão e o desenvolvimento da indústria de comunicação visual e tecnologias relacionadas, através de seminários e relacionamento entre fabricantes e usuários, compartilhando valiosas experiências de negócios.

“Esta é uma ótima oportunidade para a Ampla expandir sua atuação para além das fronteiras, principalmente no mercado latino americano de grandes formatos. Depois de desenvolver e fabricar máquinas para o empresário brasileiro, agora queremos atender também as necessidades do mercado externo oferecendo alternativas com produtividade acima da média, altíssima qualidade de impressão e todas as características industriais que já são conhecidas nos equipamentos da nossa marca”, afirma Lie Tji Thjun, diretor geral da Ampla.


GF NEwS ARTwoRk

Displays de Re-board® produzidos ano passado continuam em PDV’s O RE-BOARD® É um mAtERIAL 100% RECICLADO E 100% RECICLÁvEL. PROPORCIOnA ImPRESSãO Em DIvERSAS FORmAS, DIFEREntES tAmAnhOS E ESPESSuRAS. PERmItE DOBRAS E CORtES ESPECIAIS. É LEvE, RESIStEntE, DE FÁCIL mOntAGEm E ARmAzEnAGEm Em Junho de 2012, a Artwork criou para a Ingleza, empresa nacional do segmento de higiene e limpeza, 40 displays de Reboard® 16mm. na época, as peças foram instaladas em hiper e supermercados no

ESPaço dE NEGoCIoS aKad

Impressoras Novajet compatíveis com cabeças de impressão Epson DX7 COnFEREm RAPIDEz AInDA mAIOR COm A mESmA FACILIDADE DE uSO E RESuLtADOS DE ALtO nÍvEL

14

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

As impressoras novajet de grande formato, lançadas no Brasil pela AKAD há duas décadas, conquistaram um lugar seguro no mercado devido à alta qualidade de impressão aliada a um custo acessível. na série Dx, esse pacote acaba de ficar ainda mais atraente com novos modelos compatíveis com as novas cabeças de impressão Epson Dx7. O resultado é mais rapidez. Estes equipamentos são capazes de atingir a velocidade de impressão de 31m²/h quando instalados com uma cabeça Epson Dx7, no modo 360x1080 dpi (com 3 passes). Instalados com duas cabeças Epson Dx7, no mesmo modo e com o mesmo número de passes, a velocidade salta para 62m²/h. Um aumento significativo: nessa última configuração, por exemplo, são 20m²/h a mais de impressão, quando se compara aos modelos compatíveis com a cabeça Epson DX5. Isso poderá se refletir em ganho de produtividade e, o que é fundamental, com os mesmos níveis de qualidade fotográfica. Disponíveis com largura máxima de impressão de 1,5m, 2,2m e 3,20m, para uso com tinta eco-solvente ou de sublimação (conforme o modelo da impresssora), a série Dx da novajet possui diversos modelos para atender diferentes necessidades e tipos de negócios. As características que trouxeram o atual sucesso dessa linha de impressoras

Rio Grande do Sul, em São Paulo e Belo horizonte, e, depois de um ano, continuam sendo usadas nos mesmos pontos de venda, divulgando a linha uAu Perfumes. “Precisávamos de um material que imitasse perfeitamente o shape do frasco de nosso produto e também a qualidade das cores, ao mesmo tempo fosse resistente e suportasse o peso dos itens”, explica a analista de marketing da Ingleza, vanessa maraísa. Como o Re-board® é um substrato que tem essas qualidades, a equipe da Ingleza conheceu o trabalho da Artwork por intermédio de um fornecedor e contatou a empresa para executar os displays. todo o serviço foi impresso em tecnologia uv, na InCA S20, e recebeu corte digital. “Alcançamos excelentes resultados com o UAU Perfumes. Foi uma experiência bacana, pois atendeu perfeitamente a nossa proposta, e a qualidade é indiscutível”, reconhece maraísa. Para quem reside em Belo horizonte, um mostruário do uAu Perfumes, o mesmo instalado há um ano, encontra-se no hiperminas, bairro Castelo

permanecem as mesmas. A facilidade de operação se destaca, em itens de série como a limpeza automática das cabeças – literalmente ao toque de um botão. Esses trabalhos destinam-se a uma variedade infindável de aplicações, como impressões para painéis em “backlight film”, displays, adesivos, decoração, pôsteres, imagens de grande formato para uso em lojas, etc. Devido à alta qualidade de impressão da linha novajet, essas impressoras também são recomendadas para trabalhos em tamanhos pequenos. Consultores especializados da AKAD podem fornecer detalhes sobre os produtos e ajudar na escolha da melhor opção para cada tipo de negócio.


Produzir é para lucrar. Concorda?

E com as soluções em gestão da Ajors Sistemas, só o ganho em eficiência da sua empresa já aumenta a lucratividade. Faça orçamentos melhores, tenha mais efetividade na produção e libere tempo de sua equipe para trazer mais resultado!

$ $ $ Veja como ampliar seus lucros em Sua empresa integrada.

ajors.com.br

Grandes Formatos - Meia-Pagina anuncio - Set2013.indd 1

ESPaço dE NEGoCIoS PoVaRESKIM

17/09/2013 11:47:10

poVARESkIm ANUNCIA SolUÇão DE GRANDES FoRmAToS pARA ATENDER Ao SEGmENTo GRáFICo

Em nova estratégia, empresa posiciona seu novo produto para o mercado brasileiro, a Chromedot microJet viper SP3204 (Industrial Printer), como uma alternativa para que gráficas tradicionais e digitais expandam seus negócios para o segmento de comunicação visual e atendam áreas que perderam aos longos dos anos

construção da máquina, o que assegura a qualidade confirmada pelo nome e marca que construímos em mais de uma década de atuação no mercado gráfico brasileiro”, afirma.

Lançada neste semestre no Brasil pela Povareskim Color Consulting, a impressora industrial de grandes formatos Chromedot microJet viper SP 3204 tornou-se uma nova opção para que gráficas convencionais e digitais possam ampliar seus negócios para um segmento não-explorado: o de comunicação visual.

De acordo com Oliver, uma necessidade do segmento gráfico mundial é se reinventar. “trata-se de um mercado que muda muito rápido e, por isso, deve obrigatoriamente buscar a diversificação. Muitos nichos de mercado dentro o ramo gráfico entraram em crise, enquanto que o segmento de comunicação visual cresce exponencialmente. Por isso, acredito na solução Chromedot microJet viper como alternativa rentável para que gráficas entrem no segmento de comunicação visual com qualidade e a confiança na marca Povareskim o cliente pode pegar trabalhos de cartazes que ultimamente vinham perdendo para o segmento de Sign, podendo fazer até outdoor com retícula convencional”, prossegue.

Segundo Oliver Povareskim, diretor da empresa, o equipamento traz como trunfos custo acessível, baixo consumo e alta produção e robustez tecnológica. “A Povareskim está envolvida diretamente na

A impressora de grande formato Chromedot microJet viper SP 3204 está disponível no Brasil em dois modelos: configuração para impressão com pontos de até 35 picolitros e de até 15 picolitros. Pode operar em padrão de

15

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

quatro CmYK , tem resolução máxima de até 1200 dpi e velocidade estimada em 120 m2/ hora (2 passadas) em alta produtividade ou 60 m2/hora em (4 Passadas). temos também um modelo de 240 m2/hora com 8 cabeças. Está otimizada para trabalhar com tintas solvente microInk SP6, permitindo impressão em mídias como vinil, lona ou papel, atendendo a diversas demandas do segmento de sinalização e gráfico, além oferece um tempo de secagem menos, e de ampliar o gamut tonal obtido através do conjunto tinta, tecnologia de impressão e sistema de gerenciamento de cores e softwater Chromedot Sign Wide Gama.


GF News

A consultoria empresarial na Revista gf continua Todos os meses, os leitores da Revista GF, podem acompanhar como está o desenvolvimento da consultoria empresarial realizada pelo consultor Wilson Giglio Até o momento já foram realizadas quatro etapas. Na primeira fase, a equipe passou por uma reestruturação, o sistema 5S´s foi implantado, e as normas internas e manual do colaborador também. 16

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

Todos os colaboradores da empresa agora têm metas individuais, além da meta geral do grupo, todas estão alinhadas com as novas definições de visão, missão e valores da empresa. Estas definições estão fixadas na parede do escritório, para que todos possam se lembrar de segui-las. Após quatro meses de consultoria, Luciana Andrade, Diretora da Revista GF, afirma que já se acostumou com as mudanças feitas, e fala sobre a escolha acertada de ter contratado uma consultoria “Como já disse anteriormente, eu não achava que precisaria mudar tanta coisa. No começo foram decisões difíceis e dolorosas, mas agora sinto que foram mesmo necessárias. Vejo um longo horizonte pela frente, nossa revista está crescendo rápido, estamos com novos projetos, mas o mais importante é que eles estão sendo planejados com muito mais organização e disciplina, ou seja, estamos

construindo uma base sólida para o futuro da GF. Nosso leitor pode esperar por muitas novidades boas”, comenta Luciana. Wilson Giglio fala sobre sua experiência com a equipe GF. “No começo eu senti todos receosos, e até por que não dizer medrosos, mas agora vejo que trabalham mais confiantes, e estão todos vestindo a camisa da empresa, cumprindo o planejado, para que o cliente final, neste caso, os leitores, sejam beneficiados, e sintam ao ler a revista, a quão comprometida ela está, em fazer um bom trabalho”, declara Wilson. A consultoria na Revista GF está chegando ao fim, na próxima edição você acompanhará as fases finais, e saberá em primeira mão sobre as novidades previstas. Não perca!


ESPaço de NEGOCIOS DURST

Durst anuncia Rho P10 160 com tecnologia Variodrop A Durst anunciou o lançamento mundial da impressora inkjet digital UV Rho P10 160 com tecnologia de impressão Variodrop, uma inovação da Durst mundial que alia produtividade, qualidade sem comprometimento de performance. O equipamento possui largura de impressão para mídias de até 1,60 metro, e pode trabalhar com dots (pontos) variáveis de 10 a 12 picolitros, assegurando a reprodução, em alta qualidade, de imagens com alto nível de detalhes, assim como a impressão de cores com grande fidelidade. Anuncio21x14[aprov].ai

1

9/11/13

5:23 PM

No que tange à tecnologia Variodrop, tratase de uma solução patenteada pela Durst que otimiza a velocidade de impressão em até 25%. Em termos práticos, a grande inovação fica por conta da existência de um pulso “pré-ejeção” da tinta, que limpa os bicos ejetores permitindo que o carro de impressão trabalhe em alta velocidade e com total qualidade. Qualquer variação as condições de trabalho dos cabeçotes são detectados e, por conseguinte, conseguinte, o problema é solucionado sem que haja parada na operação do equipamento. Por fim, a Rho 160 pode trabalhar tanto com entrada de saída de mídia em rolo, como em mesa plana. Conta com resolução de 1000 dpi, possui cabeçote de impressão Quadro Array, velocidade de 68,5 m2/hora e padrão de cores CMYK mais cyan / magenta lights e branco.

“A Rho 160 é mais um exemplo da tecnologia de última geração da Durst para impressos com alta qualidade. Ela alia a robustez consagrada da Durst, a novas tecnologias, como a Variodrop, que permite atender às demandas por qualidade e produção típicas desse segmento”, disse Flávio Hirata, CEO da Durst Brasil.

Conheça um mundo de oportunidades com as Impressoras HP Látex! C

M

Se você quer mais oportunidades, mais versatilidade e muito mais lucros, assista ao EVENTO AO VIVO de Impressoras HP Látex e descubra tudo o que as impressoras HP Látex L260 e L280 podem fazer pela sua empresa.

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Dia 17/10 - 15h00 às 16h30

São inúmeras aplicações e possibilidades com impressões em tecido para bolsas, sofás, luminárias, além de adesivação de capacetes, veículos e muito mais. Com a tecnologia das impressoras HP Látex, superfícies antes impensáveis agora podem ser adesivadas.

Evento com transmissão on-line

Participe, você concorre a prêmios e garante seu lugar no futuro da comunicação visual!

HP: Thiago Fabbrini – Pré-vendas HP Officer: Márcio Nascimento – Especialista de Produtos HP

O treinamento on-line é uma realização Officer em parceria com a HP.

17

Acesse www.officerwebexperience.com.br e cadastre-se já! Procure sua revenda parceira Officer.

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F


CENTRo DE CApACITAÇão

GF PRoFissional COMPLETA

2 anos de

ALunOS AvALIARAm O CEntRO DE CAPACItAÇãO COm nOtA mÁxImA

18

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F


Ao perceber que o mercado de comunicação visual estava carente de informações, e principalmente de profissionalização, a Revista GF, que sempre teve esta preocupação com a educação do mercado, criou o GF Profissional. hoje já passaram por ele, mais de 300 alunos, de diversas regiões do Brasil. “Os profissionais que realizaram os cursos em nosso centro de capacitação, conseguiram aplicar no seu dia-a-dia o conteúdo aprendido, e por isso avaliaram tão bem nossos cursos e instrutores”, comemora Luciana Andrade, Diretora da Revista GF. “Nossos instrutores lapidam os alunos como um diamante, colocando-os no mercado de trabalho com maior conhecimento. Foram grandes desafios

superados para conseguirmos colocar os cursos em prática, e ainda temos muitos desafios pela frente. O Centro de Capacitação busca o melhor em todos os quesitos de ensino. Nosso crescimento em dois anos foi surpreendente, hoje contamos com 6 cursos presenciais e 1 curso EAD e mais de 300 alunos capacitados no mercado”, comenta Antonio Escobar, Coordenador de Cursos.

NoVIDADES “Como novidade para este ano, vamos colocar o curso de Acabamento e Finalização e também o curso específico para Sublimação. Peço a todos que esperem mais um pouco e terão grandes novidades, pois o GF Profissional veio pra garantir a qualidade no conhecimento”, declara Antonio.

DIFERENCIAl “nosso grande diferencial é a experiência dos nossos profissionais, além de sermos o Primeiro centro de Capacitação do Brasil focado em impressão digital. Outro grande diferencial são as turmas reduzidas, sendo assim, cada aluno tem uma atenção especial do instrutor, além de todo suporte pós-curso, para alunos que tenham dúvidas e possam recorrer diretamente ao instrutor sempre que necessário”, afirma Escobar.

Patrocinador:

Apoiadores: “Logo após o curso minha impressora quebrou e a empresa que me vendeu pediu duas semanas para poder me atender. Com o conhecimento do curso, e agora sabendo os cuidados que tinha que ter com as partes principais da impressora, tive coragem e sem dúvidas do que estava fazendo, desmontei a parte danificada, (lembrando que o defeito era mecânico) levei a um torneiro que arrumou a peça e montei novamente e fiz os ajustes de altura de cabeça e posição, regulei tudo com a apostila passo a passo, e tive a surpresa de ter regulado melhor do que antes. Só a segurança do conhecimento passado a mim, foi fundamental para eu não parar por duas semanas” ABNILSON PEREIRA SANTOS, Proprietário da midia motors Comunicação visual, de Curitiba, PR (aluno do Curso Operacional em Impressoras Digitais)

Conhecimento é algo para toda a vida e traz benefício tanto profissional quanto pessoal. Lembrese que o conhecimento é o que te dará credibilidade no mercado, e sair à frente da concorrência. Termino esta entrevista com uma frase de Sócrates:“Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância. antonio escobar,

coordenador de cursos do GF Profissional

19

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

“O curso me proporcionou melhor qualidade no desempenho do meu trabalho, me dando uma visão mais ampla dos processos de impressão e assim somando o curso de Capacitação feito na GF, com a experiência adquirida na PrintPress, consegui almejar um novo cargo” ÀLAN ACOSTA, Gerente Geral da PrintPress Impressão Digital, de Cuiabá, mt (aluno do Curso Operacional em Impressoras Digitais) “O curso mudou muito meu conhecimento sobre gerenciamento de cores, hoje posso chegar para meu cliente e dar a solução necessária para seu equipamento com relação aos perfis de cores, dando a possibilidade a ele, de obter a maior qualidade de seu equipamento com cores reais, com qualidade e maior custo benefício. melhor impressão, com custo reduzido, isso só pode se obter com equipamento calibrado corretamente.” ANgELO BECKERT, Gerente técnico em Equipamentos da Suprinil Suprimentos Para Comunicação visual, Guarapuava, PR (aluno do Curso Gerenciamento de Perfil de Cores)

em setembRo, PRoGRame-se! tÉCnICO PRÁtICO Em ImPRESSORAS DIGItAIS, com vinícius timi

APLICAÇãO DE ADESIvOS, com Diomédes Souza

CuStO E FORmAÇãO DO PREÇO DE vEnDA, com Wilson Giglio

Além dos cursos presenciais, o GF Profissional, oferece o curso a distancia “Vendas de Alta performance”, com Nilson Caldeira. Disponível em nosso site: www. grandesformatos.com


GFACEBook

A editoria gFacebook “pegou”. Quem acompanha o grupo Comunicação Visual Brasil, da Adois Digital, no Facebook, freqüentemente participa de discussões interessantíssimas sobre o nosso segmento. E percebendo que nosso mercado precisa mesmo debater alguns temas, trouxemos os assuntos mais polêmicos para a revista, para que nossos leitores também possam ter acesso ao que foi debatido no facebook. Nesta edição, quem iniciou a discussão no grupo foi Anderson Ruas da Cruz, com a questão:

“alGuém JÁ Pensou em VendeR a emPResa?” E olha só um resumo do que rolou:

20

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

marcellus montes PEnSO nISSO quASE tODO DIA!!!! KKKKKKKKK Anderson Ruas da Cruz Pois estou pensando seriamente! todo dia um dragão para matar! Ilberto paixão vender não, mas comprar eu compro .... he he he Everton oltman matar um leão por dia ta fácil, o difícil está sendo tirar leite de leoa... Anderson Ruas da Cruz Ilberto Paixão, quer comprar a minha? rsrsrs wilson Giglio Antes de vender, ou tomar qualquer outra decisão, precisa saber REALmEntE se vale a pena ou não. tenho visto muitos empresários da área que em determinados produtos tem muito lucro (ou razoável) e em outros um tremendo prejuízo. tudo isso só é possível saber (conhecer) se tiver um controle total do Fluxo de Caixa, Centros de Custos, matéria Prima, mão de obra total (salários + encargos), forma de tributação e muitos outros detalhes. Podem existir n “torneiras” na sua empresa que podem contribuir para que o seu resultado não seja tão bom quanto espera. Até tempo de execução em uma tarefa influencia no custo, bem como formas de recebimento, compras a vista e a prazo, desperdício na matéria prima (lona, tintas, etc...), retrabalhos (isso mata e é um dos fatores principais para correção), e vários outros motivos. Comece por elencar (e detalhar) todos os problemas na sua empresa, coloque em ordem de prioridade e vá arrumando. Caso precise de orientações entre em contato comigo que te ajudo.


Júnior Baptista Todo fim de mês penso nisso Everton oltman As vezes tenho impressão que tenho funcionários de mais, porém quando penso em reduzir o quadro, vejo que não dou conta do trabalho. Com capital de giro muito pequeno, não consigo investir forte na venda e trazer mais retornos. Fico no dilema funcionário/fluxo de trabalho... marcellus montes pois eh Wilson Giglio foi depois disso mesmo que fiz todo o controle de fluxo entrada e saída que estou percebendo isso, alguns serviços ganhamos muiiiiiitooo $$$ em outros tem até prejuízo ou seja... digital compensa e não compensa.... mas se não tiver, não pega os outros serviços!!! E aí parar de fazer o que tem lucro baixo e trabalhar só com o que ganha muito? Mas se não fizer o que tem lucro baixo, não pega os grandes... e aí se alguém tiver uma solução ou me mostrar alguém que ficou RICO apenas de comunicação visual me avise.... apenas trabalho de comunicação visual wilson Giglio Pessoal, não se desesperem. tenho certeza de que o fato de abrir a empresa foi por algum motivo (conhecimento do assunto, experiência, gosto pelo negócio, ser empreendedor, etc...) mas, o mais importante, é porque esse foi o seu SOnhO, que transformou-se em realidade. Lógico que sempre vai existir concorrentes desleais (as vezes até por falta de conhecimento dos seus custos reais) e colaboradores que dizem uma coisa e são outra. neste ramo de negócio é fácil encontrar empresários que não estão preparados para ter uma empresa, não se capacitaram para isso (em termos de organização e administração) e só pensam em vender... sem observar outros (e muitos importantes) detalhes da empresa. Se você pensar bem (com bom senso) verá que todos esses problemas são causados (principalmente) por você mesmo, pela falta de experiência em muItOS assuntos importantes dentro da sua empresa, que vão desde a falta de experiência para contratar bons profissionais como para calcular o seu preço de venda ou conhece o seu custo real, como gerenciar (e planejar) o seu fluxo de caixa e muitas outras coisas pertinentes. Pense bastante e veja se realmente os problemas não tem solução, a começar por investir em você mesmo, com mais conhecimento sobre a empresa e sobre toda a sua equipe. uma coisa eu posso dizer a vocês: Já fiz consultoria em uma empresa pequena (de 6 colaboradores) que em 4 anos comprou imóvel próprio, + 2 máquinas grandes + 1 uv e, além de ter dinheiro em caixa, está investindo pesado na organização da empresa e no conhecimento do próprio empresário. Por outro lado fiz consultoria em empresas grandes que se perderam no meio de tantos controles e sistemas que, ao invés de lucro, estavam amargando um grande prejuízo com alguns produtos. Fato revertido após uma boa análise e uma nova tabela de preços. Seja qual for o seu problema te afirmo: TEM SOLUÇÃO, basta voce dar o primeiro passo. Anderson Ruas da Cruz tantos argumentos e tantas soluções... parece até fácil! O segmento está em declínio ou não? Será que vai acontecer o que aconteceu com o mercado de Off set? As pequenas e médias irão desaparecer? Só restarão as grandes? Essa semana recebi dois clientes que trabalhavam com Cv e hoje estão em outra área! Pois se eu achar alguém vendo a minha! 03 impressoras, 01 cnc, 15 funcionários, 02 sedes... carro e tudo mais... o preço... uma pechincha! 550k! que está a venda está... o difícil é encontrar um maluco com coragem para comprar!

Denis Espindola há além de eu concordar com o sua colocação Anderson Ruas da Cruz para não precisar repetir qual seria minha opinião sobre, é que vejo muitos empresários do setor que não querem ganhar dinheiro e assim estragam o mercado, esse é o resumo do setor, e não importa o tamanho da empresa ou da região!!! Boa noite Anderson Ruas da Cruz Penso que não é só a Cv que vai crescer no Brasil e no mundo. vivemos numa era midiática, onde todos se fazem comunicar de uma forma ou de outra. O fato do segmento crescer, não quer dizer que seja rentável, lucrativo. Copa das confederações respingou em alguém do grupo? Para a nossa empresa nem orçamento. Os grandes clientes estão comprando suas próprias impressoras. tenho um grande cliente que compra seu próprio PVC para ficar mais barato. E a mão de obra? Esse é um problema seríssimo! há 15 dias ofereci um treinamento para nossa equipe. Sabe o que me ocorreu hoje? nosso gerente pediu demissão para montar um jornalzinho.... Só estou falando isso para ilustrar. Com certeza a maioria das empresas que vão sobreviver serão aquelas que tenham um padrinho público aqui ou acolá! Impacto Comunicação Visual Quando chega o final do mês tem 10 tampas pra fechar 500 garrafas... Aí bate o stress! mas é olhar pra frente e vislumbrar novos serviços, novas possibilidades, novo nichos! E aquela velha simpatia pra ganhar dinheiro: levantar cedo, e ralar muito! Anderson Ruas da Cruz O mais interessante desse post foi que os empresários se manifestaram menos que outras pessoas do grupo que estão fazendo um comercial para vender esse ou aquele produto ou serviço. Agradeço as dicas, mas também gostaria de ler o que os empresários têm a dizer. marden Roberto Alves Excelente discussão. Cada caso é um caso, precisa ser analisado. Eu afirmo que nunca quis vender minha empresa de comunicação visual e fiz patrimônio com ela. Porém grande parte só sabe é sangrar a empresa, a saúde financeira é o mais importante para a empresa e aceitar que leva uns 5 a 8 anos para organizar isso é muito difícil! mas é muito lucrativo. É muito difícil também gastar menos que ganha. Ando rodando bem o Brasil. Existem empresas muito informais sem preparo nenhum, existem com preparo e sem estrutura, existem com estrutura e com preparo, tem de tudo. Repito cada caso é um caso... Gustavo Andrade As margens ainda são excelentes se comparadas a outras atividades, mesmo com a concorrência e a queda dos preços! O problema é que poucas empresas de Cv sabem fazer análise de crédito corretamente, geralmente é o próprio dono quem decide e sem nenhum tipo de pesquisa cadastral, então o índice de inadimplência é muito alto. um lucro líquido de 20 a 30% é considerado excelente em qualquer segmento, mas não dá para vender 100, receber apenas 70 e ainda com atraso e sem juros! Outra coisa, quem compra com 30/60 não pode dar 30/60 para o cliente, exceto se tiver caixa para bancar! nesse caso começa a existir o custo financeiro de multas, juros e empréstimos bancários! marden Roberto Alves O problema é esse são muitas variáveis!! não é simples Anderson Ruas da Cruz Pessoal, show de bola...muito bom tudo que li aqui! Acho que dava até para montar um manual de processos para uma empresa de Cv. Alguém topa? Se tiver interessados estou dentro!

R E V I S TA G F • S e t e m b r o 2 0 1 3

21


Adhara pin Anderson Ruas da Cruz, Wilson Giglio .... Sou Auditora da ISO 9001 e já executei todo o processo dentro de uma empresa de Cv, poderia ajudar com todos os documentos já elaborados que possuo e conhecimento de 12 anos na área....conte comigo ! wilson Giglio Olá Adhara Pin que excelente notícia. você é a primeira pessoa que conheço a realizar este trabalho em empresas de Cv. Confesso que já tinha procurado e não tinha encontrado ninguém, em todo o Brasil, que fizesse este mesmo trabalho. Será um prazer (e uma honra) poder contar com a sua colaboração, caso os empresários desejem se utilizar do nosso conhecimento para ajudá-los nisso. Abs Everton oltman eu me disponho a ajudar no que for solicitado. Adhara pin Wilson Giglio ... será uma honra apresentar meus conhecimentos na área e no processo além de claro aprender e criar novos procedimentos . maicol Souza to aqui pra somar. Ajudo no que for preciso wilson Giglio Pessoal maicol Souza, Adhara Pin, Everton Oltman,marcellus montes e demais que tenham algum material que possa ser utilizado em um mAnuAL exclusivo para as empresas de Cv. O que é que vocês acham de já iniciarmos esse trabalho ? Se concordarem me enviem (por email: wilson@ parceirodosempresarios.com.br) o material que já possuem para que eu junte com o meu e possamos, desta forma, centralizar todas as informações possíveis. quem tiver manuais de máquinas também podem enviar, bem como de processos e tudo o que possa ser utilizado por todos. me comprometo a organizar o mesmo e, tão logo esteja finalizado, mencionar a participação de cada um dos que colaborarem (créditos) e a disponibilizar gratuitamente, para download, em qualquer um dos meus sites, caso estejam de acordo. Fiquem a vontade para participarem, colaborarem e compartilharem essa informação. tenho certeza de que, juntos, podemos realizar um trabalho de interesse geral. Abs

22

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

E Bingo! Está aí mais uma grande ideia que surge do Grupo Comunicação Visual Brasil, mostrando que o clichê “A união faz a força”, é de fato verdade. Até o fechamento desta edição, tivemos a informação de que o Consultor Wilson giglio, e a Auditora Adhara Pin, já tinham recebido informações e várias contribuições do mercado, e estariam se reunindo para formular um manual exclusivo para as empresas de Comunicação Visual. A Revista grandes Formatos se dispôs a fazer a publicação do manual, assim que o mesmo estiver pronto. “A preocupação da nossa Revista sempre foi educar o mercado, e uma iniciativa como esta, vem a casar com os nossos objetivos. Aguardem novidades”, afirma LUCIANA ANDRADE, diretora da Revista Grandes Formatos.


ESpAÇo DE NEGÓCIoS CANoN oCé

Canon Océ leva equipamentos com tecnologia de ponta à Print 2013

A Canon Océ da América Latina estará presente na Print 2013, de 8 a 12 de setembro, no mcCormick Place South, em Chicago/EuA, com um stand repleto de novidades e equipamentos com tecnologia de ponta. Esse evento, que reúne os melhores e mais qualificados segmentos da Indústria de comunicação gráfica, também pode ser considerado com a América Drupa. Devido a sua localização e estrutura, a Print 2013 espera um forte público para realizar grandes transações comerciais.

ESPaço dE NEGoCIoS dIGIPRINT

de 8 a 12 de setembRo de 2013 HORÁRIOS 08/09 - 12h ás 17h 09/09, 10/09 e 11/09 - 10h às 17h 12/09 - 10 às 15h LOCAL McCormick Place South, Chicago, IL< EUA Mais informações www.print2013.com

DIGI PRINT, nova revenda Roland especializada na área têxtil

Recém-inaugurada, a Digi Print Comércio de Impressoras Ltda, traz para o mercado têxtil, soluções em equipamentos digitais de grandes formatos, suprimentos e consultoria para empresas do mercado, que pretendem inovar e melhorar seus processos, buscando novas tecnologias que as tornem ainda mais competitivas. Para isso, a revenda conta com um time de especialistas, entre eles, o diretor Comercial Marcos Pinhata, profissional experiente na área de impressão digital têxtil, cultivador de um ótimo relacionamento com clientes de todos polos têxteis do Brasil. A mais nova empresa foi criada para atender uma crescente demanda do mercado têxtil,que hoje busca produtos cada vez mais personalizados e diversificados em imagens, estampas e cores vibrantes. Recentemente, a empresa aceitou o convite para fazer parte do quadro de revendas da fabricante Roland DG Brasil, empresa japonesa líder mundial em soluções industriais para sinalização, artes gráficas, artes plásticas, envelopamento de veículos, impressão UV, fotografia, uniformes, estamparias, gravação e modelagem 3D. A Roland DG é a número um no mundo em fornecimento de impressoras de grande formato a jato de tinta para o mercado gráfico, fotográfico, têxtil, entre outros. A empresa iniciou suas atividades como autorizada Roland no dia 01 de Julho de 2013, esteve presente e atuante no stand da fabricante, durante a edição da feira Serigrafia Sign Future Textil 2013, maior evento da

América Latina, voltado a equipamentos, produtos e serviços para os mercados: Serigrafia, Têxtil, Comunicação visual e Impressão Digital. “Para a Digi Print, não existiria melhor forma de apresentar-se ao mercado, trabalhar com a Roland é uma honra, almejamos somar com toda a sua equipe e conquistar ainda mais os clientes”, afirma marcos Pinhata, diretor Comercial da nova revenda. “Atuaremos no mercado de uniformes, decoração, moda, dublagem e calçadista, atendendo todo território brasileiro e prometemos excelência em atendimento aos clientes. Como base, contamos com profissionais da área e um amplo conhecimento de mercado”, finaliza o executivo. Inicialmente, a Digi Print comercializa os equipamentos Roland voltados para o mercado têxtil, tais como: RE-640S, versa Studio, xF-640S entre outros. Além de equipamentos digitais, a empresa tem em seu portfólio todos os suprimentos da marca Roland, atua também como revenda da Papéis havir e possui sua própria marca de tinta para sublimação Digi Print, tecnologia Suíça para impressoras: Roland, mimaki, Epson e mutoh. Em Breve: site e show room.


GF NEwS

pARCERIA é A AlmA Do NEGÓCIo quando o assunto é aquisição de novos equipamentos, o que a princípio parecia apenas um ditado popular no dia a dia dos profissionais de Impressão Digital, o conhecido “a parceria é a alma do negócio”, deveria ser regra. na hora de escolher o melhor equipamento para o seu negócio, a transparência e o bom relacionamento entre o profissional de mercado e a fabricante de equipamentos e de suprimentos são fundamentais na tomada de decisões. Para a Epson do Brasil, líder mundial em impressão, projeção e imagem digital, a simples análise entre as características do equipamento e o seu custo, mais os gastos com tintas e com mídias, não é suficiente para a escolha do equipamento mais adequado ao negócio. Para ir além dessa premissa e apresentar aos clientes todas as variáveis e possibilidades de solução, a Epson disponibiliza uma equipe de representantes comerciais que auxiliam na análise do projeto como um todo, com os reais custos de impressão de cada opção considerada. “A decisão de compra de um equipamento digital é um passo muito importante para uma empresa que trabalha com Comunicação Visual ou com Sublimação. Por isso, uma escolha inadequada pode trazer sérias consequências futuras”, destaca Evelin Wanke, especialista de produtos Epson para a linha de Grandes Formatos. Pensando em como melhor assessorar o cliente a desenvolver um negócio robusto no que diz respeito aos investimentos com equipamento, suprimentos e manutenção, a Epson disponibiliza algumas dicas para quem atua nas áreas de Comunicação visual e Sublimação.

24

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

ComUNICAÇão VISUAl A primeira pergunta a ser feita é: qual o público e perfil de clientes se deseja atingir, a fim de definir a categoria de equipamentos a ser escolhida, considerando as características de produtividade e de qualidade de impressão. O preço do equipamento e de seus consumíveis é importante, porém tome o cuidado de analisar o custo total de impressão e não somente o do litro da tinta ou o custo do metro quadrado da mídia a ser impressa. quando se fala em análise de custo de impressão é possível citar vários itens a serem avaliados: Qual é o real consumo de tinta por metro quadrado? O mais indicado é fazer uma visita ao showroom do distribuidor do equipamento e medir o consumo de tinta no software de impressão. Existem tecnologias de cabeças de impressão muito avançadas, como a microPiezo tFP da Epson, que otimiza o tamanho da gota, o seu formato e define o local certo no qual ela se posicionará para atingir a melhor qualidade de imagem com o menor consumo de tinta. As diferenças de consumo em cada tecnologia podem ser visivelmente notadas. Qual é a durabilidade das cabeças de impressão e quantas cabeças o equipamento possui? A troca das cabeças de impressão é necessária de tempos em tempos; a durabilidade delas depende de sua tecnologia e do tipo de tinta usada. Este item deve ser considerado um consumível e o seu custo deve ser incluso no metro quadrado impresso. A conta é simples: pergunte ao distribuidor o preço de uma cabeça nova e quantos metros ela é capaz de imprimir. Divida um pelo outro e multiplique pelo número de cabeças de seu equipamento. Desta forma, você saberá o valor a ser acrescido ao custo de impressão. Os equipamentos mais avançados possuem poucas cabeças de impressão, justamente para otimizar o custo do m² impresso.


Qual o consumo de energia do seu equipamento? É fundamental fazer essa pesquisa. veja quanto o equipamento consome em operação e em stand by. Existem equipamentos que consomem 650W em operação, enquanto outros, 4.800W (7 vezes mais). Procure produtos com o selo Energy Star, o que fará enorme diferença nos custos variáveis da sua empresa. Analise também como funciona a manutenção de seu equipamento. Ele precisa ficar ligado nos momentos de descanso (à noite, finais de semana, feriados, férias coletivas, etc.)? Lembre-se de que neste modo a impressora continua consumindo energia. Quanto tempo o seu operador perde com a manutenção diária do equipamento? tempo é dinheiro e equipamento parado pode trazer prejuízos. A média de tempo gasto com manutenção diária de cabeças é de 30 a 60 minutos. Por isso, a Epson desenvolveu uma cabeça de impressão livre de manutenção diária, que permite desligar os equipamentos durante os intervalos de impressão e continuar imprimindo normalmente após o seu retorno. Quais itens você precisa adquirir junto com a impressora? não se deixe enganar com o preço da impressora colocado em uma proposta. questione se estão inclusos itens importantes, a exemplo de instalação do equipamento, do nobreak e do rebobinador, entre outros. muitas empresas costumam apresentar orçamentos básicos para chamar a atenção dos clientes, que depois descobrem que precisam adicionar uma série de produtos para ter uma impressora completa.

SISTEmA DE TINTAS Qual é o sistema de tintas do seu equipamento? Se considerar as tintas ecológicas, livres de metais pesados, é possível eliminar o investimento em sistemas de exaustão. Porém tome cuidado com o termo ECO, que pode significar ECONÔMICO em vez de Ecológico. Como as tintas ecológicas não possuem metais pesados, os operadores podem trabalhar sem máscaras e em locais sem sistema de exaustão. As tintas Epson são certificadas pela Nordic Swan, empresa que atesta sua salubridade.

SUpoRTE TéCNICo Verifique a existência de suporte técnico qualificado no Brasil para o equipamento a ser avaliado. É importante pesquisar quantos centros técnicos a empresa possui e se há algum próximo da sua empresa. Compre produtos com garantia on site, que fornece peças e serviços obrigatórios por lei. muitas empresas já tiveram experiências negativas com equipamentos importados, porque não analisaram o posterior fornecimento de peças. uma dica importante: procure uma empresa usuária do equipamento em análise e pesquise sobre o pósvenda do fabricante. Para os equipamentos de Comunicação visual, a Epson comprova que o seu custo total de impressão chega a ser até 50% menor do que o dos produtos similares de cada categoria. muitas vezes vale a pena gastar um pouco mais no equipamento com mais tecnologia, pois o investimento pode ser recuperado em curto espaço de tempo. Além disso, a economia do processo como um todo pode ajudar a aumentar a rentabilidade e possibilitar investimento em novos equipamentos em pouco tempo.

SUBlImAÇão

As empresas que adquiriram equipamentos de Sublimação sabem o trabalho que se tem com as soluções adaptadas do mercado. um equipamento adaptado não foi desenvolvido para trabalhar com tinta de sublimação. Os sistemas de carregamento de tintas, de bombeamento, de materiais dos quais são feitos os canais de carregamento e, principalmente, a cabeça de impressão provavelmente não funcionarão em perfeitas condições. Portanto, atenção para mais dois pontos básicos: meça a quantidade de tinta perdida com as limpezas em seu equipamento adaptado. Caso seja sua primeira compra, pesquise o quesito com empresas que utilizam este tipo de equipamento há pelo menos seis meses. nas soluções adaptadas, está comprovado que até 30% do volume de tinta é perdido por causa de entupimentos. Este volume significa 300 ml a cada litro de tinta utilizado e representa muito dinheiro jogado fora. um dos recentes casos de sucesso com um Beta Site Epson foi o teste de um equipamento da Série-F, desenvolvido original e exclusivamente para a aplicação em Sublimação. O cliente Epson testou o equipamento por um mês e sua primeira surpresa foi comprovar a redução de 40% de perdas em comparação à antiga solução adaptada. quando fazia uso de equipamento adaptado, eram gastos mais de 300 ml de tinta por dia com a limpeza de cabeças, assim como havia perdas devido a riscos na impressão. quando o impressor se distraía e algum injetor entupia, começavam a aparecer riscos na impressão, e que muitas vezes só foram notados após alguns minutos. Conclusão: todo o trabalho foi perdido. hoje, o cliente está trocando todo o parque de adaptados pelos novos equipamentos com solução original Epson.

ESColhA o mElhoR pApEl DE TRANSFERêNCIA Existem papéis tratados e papéis sem tratamento, os chamados offset. O offset costuma custar em torno da metade do preço dos outros, porém o consumo de tinta para impressão é bem maior. Por absorverem quantidade muito grande de tinta em imagens carregadas, eles costumam consumir mais de 5 ml a mais do que os papéis tratados. Isso porque grande parte da tinta impressa não é transferida para o tecido e, sim, absorvida pelo papel. Se você utiliza uma tinta que custa R$ 300,00 por litro, a cada ml perdido são desperdiçados 30 centavos. No final das contas, a economia do papel offset pode ser uma enganação. Por exemplo, se você paga R$ 0,60 no m² do papel offset e ele consome 5 ml a mais de tinta, no final o custo do papel foi para R$ 0,60 + R$ 1,50 com a tinta desperdiçada. Foram investidos R$ 2,10 por metro quadrado, quase o dobro do custo do papel tratado. Outra atenção importante: largura do papel. Compre papéis de acordo com a largura da imagem a ser impressa para evitar desperdícios com as sobras laterais. Se for imprimir camisetas tamanhos G e GG, utilize papéis de 1,10m de largura. Caso imprima camisetas tamanhos PP, P e m, escolha o papel de 0,90m. Dessa forma, haverá 20% de economia no preço do metro linear. A Epson oferece uma linha de equipamentos SureColor Série-F – uma solução completa com garantia on site de 1 ano. Pela primeira vez, uma tecnologia de cabeça de impressão Epson foi desenvolvida para sublimação. E, além disso, a empresa pensou na solução como um todo, desenvolvendo um sistema de tintas adequado, papel com baixo consumo de tinta, suporte local, além de um programa de benefícios no qual o cliente final acumula pontos e troca por garantias estendidas ou descontos em novos equipamentos após um ano. Com isso tudo, agora é possível ficar tranquilo com a questão manutenção. Os clientes Epson podem ter suporte on site gratuito de até três anos se participarem do programa.

Além dessas dicas – todas válidas para os equipamentos de Sublimação –, não deixe de avaliar dois fatores essenciais no segmento: perdas com limpeza de cabeças de impressão e escolha assertiva do papel de transferência. R E V I S TA G F • S e t e m b r o 2 0 1 3

25


2013 PRÊMIO BUREAU CRIATIVO CHEGA À RETA FINAL A disputa pela vaga na nal de novembro foi acirrada na terceira etapa do Prêmio. O grande dia está chegando! E percebendo que a nal está cada vez mais próxima, os bureaus que ainda não tinham inscrito seus trabalhos, não perderam tempo e enviaram fotos para concorrer ao prêmio. Foram trabalhos de encher os olhos dos nossos jurados! A nal, que será dia 14 de Novembro em Curitiba, promete! Levar o título de Bureau mais criativo do Brasil, e ainda ganhar 20 mil reais em consultoria empresarial, é um motivo e tanto para os empresários do setor se inscreverem!

Ainda dá tempo de participar das próximas etapas! Envie seus melhores trabalhos para atendimento@grandesformatos.com, e concorra!

O título de Bureau mais criativo do Brasil pode ser seu! PLATINUM

PATROCINADORES

DIAMANTE

OURO


L

PATROCINADORES CONHEÇA A COMISSÃO JULGADORA DO PRÊMIO GF BUREAU CRIATIVO 2013 “O talento, a pluralidade, a qualidade e principalmente o grande número de trabalhos inscritos na edição desse ano do prêmio bureau criativo nos traz grande satisfação nessa parceria certeira e orgulho da qualidade gráfica do nosso mercado. Parabenizamos sinceramente a todos os inscritos pela dedicação, empenho e qualidade inovadora dos trabalhos e seus autores e envolvidos, que são a razão principal e o que abrilhanta cada vez mais essa grande iniciativa! ” Edsel Lonza – Gerente de Vendas da Xaar, América Latina

EVELIN WANKE

EDSEL LONZA

ISMAEL GUARNELLI

EDUARDO VAZ

RODRIGO BARDINI

MARCELO MAEDA

ANDERSON CLAYTON

ROBERTO D'AMORE

WAGNER SANTORO

AVALIADOR TÉCNICO

PRATA


CATEGORIA

PDV

GRUPO FANTINI

Porto Alegre - RS

Título do projeto Natal Lojas Renner 2012 Tamanho Arvore 1,80m x 1,87m - Letras 2m 0,60m. Instalação Lojas Renner em Todo Território Nacional. Substratos utilizados MDF, Pintura. Tecnologias utilizadas IPintura Fórmica Liquida, Marcenaria. Quantidade de funcionários envolvidos no projeto 25 Criação Grupo Fantini Quantidade de horas utilizadas no projeto 208 horas.

Esse é um projeto muito criativo. Através dos materiais recortados, a Fantini conseguiu dar um toque de sosticação à decoração de Natal destas lojas. Evelin Wanke [Epson]

PLATINUM

PATROCINADORES

DIAMANTE

OURO


CATEGORIA

PROJETOS DIFERENCIADOS PIMENTA PRINT Cotia - SP

Título do projeto RedBull Drive-Thru Instalação Prédio comercial em SP Substratos utilizados Chapa de mdf adesivada com adesivo do tipo aço escovado. Chapa de PS adesivada + pé americano para sustentar o suporte que envolvia a geladeira (geladeira cedida pelo cliente) Quantidade de funcionários envolvidos no projeto 5 Criação Agência Baruch Quantidade de horas utilizadas no projeto 48 horas

A ideia foi bastante criativa e surpreendeu o público. Foi uma excelente forma de divulgar a marca. Evelin Wanke [Epson]

PRATA


CATEGORIA

ADESIVAÇÃO N2 ADESIVOS

Rio de Janeiro - RJ Título do projeto Limousine Empreguetes - Novela Cheias de Charme Instalação Projac - Rede Globo. Substratos utilizados Adesivos para impressão. Tecnologias utilizadas Impressão Digital. Quantidade de funcionários envolvidos no projeto 8 Criação Cliente Quantidade de horas utilizadas no projeto 8 horas

Design ousado mostra o impacto que a Comunicação Visual pode causar nos telespectadores. Evelin Wanke [Epson]

PLATINUM

PATROCINADORES

DIAMANTE

OURO


CATEGORIA

DECORAÇÃO DE AMBIENTES PROJETO SIGN

Campinas - SP

Título do projeto I.Home Tamanho 41m² perfurated, 32m² adesivo branco, 30m² vinil recorte, 1,00 x 0,60m placas. Substratos utilizados Vinil perfurado, vinil branco, vinil recorte, placas de acrílico. Tecnologias utilizadas Cortes a laser, impressão e recorte em equipamento de ultima geração. Quantidade de funcionários envolvidos no projeto 8 Criação Base 3 Quantidade de horas utilizadas no projeto 360 horas aprox.

Esta aplicação é complexa devido ao nível de detalhes e tamanho das imagens utilizadas. O resultado cou excelente! Evelin Wanke [Epson]

PRATA


CATEGORIA

PROJETOS EXTERNOS SINAL Z COMUNICAÇÃO VISUAL

Irati - SC

Título do projeto Totem Tinta Coral Tamanho 40m² + Torre 6m. Substratos utilizados Metal e Lona. Tecnologias utilizadas Impressão digital de alta denição. Quantidade de funcionários envolvidos no projeto 3 Criação Sinal Z Comunicação Visual Quantidade de horas utilizadas no projeto 10 horas aprox.

Esta é uma instalação complexa que chama bastante atenção do público devido ao resultado nal Evelin Wanke [Epson]

PLATINUM

PATROCINADORES

DIAMANTE

OURO


CATEGORIA

PROJETOS SUSTENTÁVEIS OLHO DIGITAL PROG. VISUAL São Paulo - SP

Título do projeto Stand Olho Digital Tamanho 20m² Instalação Feira Substratos utilizados Foam board reciclado, polionda, PVC reciclado, papel reciclado, tecido, MDF, adesivo a base dagua com laminação de piso. Tecnologias utilizadas Router, laser, uv, impressão digital, sublimação. Quantidade de funcionários envolvidos no projeto 10 Criação Olho Digital Quantidade de horas utilizadas no projeto 50 horas

Diversos materiais ecológicos foram utilizados para criar um ambiente colorido e divertido! Evelin Wanke [Epson]

PRATA


CaPa

A DURA (INCRÍVEL!) VIDA DE UM VENDEDOR Por Andressa Fonseca

POR quE AS PESSOAS AChAm quE OS PROFISSIOnAIS DA ÁREA DE vEnDAS GERALmEntE SãO PESSOAS SEm InStRuÇãO, E quE POR FALtA DE OPORtunIDADE nA vIDA, “vIRARAm” vEnDEDORES?”

34

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

“TEMOS VALOR AGREGA DO!” “1

440 DP I REAL ” “M² LONA 440G” “CO BRI M AO FER OS “ENTREGAMOS TA!” AINDA HOJE!”


Esta foi a pergunta que norteou nossa matéria de capa. E ela surgiu em uma conversa informal, de quem já sentiu isso na pele. Nós conhecemos diversos perfis de vendedores, inclusive grandes empresários com formação, pósgraduação, e cursos no exterior, e que até hoje trabalham com vendas. Fomos atrás dos vendedores do nosso mercado a fim de saber sobre as suas reais motivações, e o que os levou a seguir esta profissão.

Não! Quem gosta de levar um não? Se você respondeu: “Ninguém”, é porque você não conheceu nossos obstinados entrevistados. Os vendedores que conversamos, encontram nas negativas uma força quase visível para alcançar os seus objetivos. Separamos algumas histórias que com certeza você se identificará. Ou do lado de quem vende, ou do lado de quem compra! E quem começa a contar suas histórias “trágicas se não fossem cômicas”, na área de vendas, é a Diretora da Revista GF, Luciana Andrade.

Who likes to take a no? If you answered “No”, because you do not met our obstinate interviewed. The sellers we spoke, are negative in an almost visible to achieving your goals. Parted some stories that you’re sure to identify. Or the side of those who sell, or the side of those who purchase! And who gets to tell their stories “tragic if not comical,” in sales, is the Director of GF Magazine, Luciana Andrade.

A conta amarga do restaurante “Quando a GF não tinha completado um ano marquei com uma grande empresa em São Paulo, que me sugeriu um almoço. Foram seis executivos mais a Gerente de Marketing. Após a minha apresentação, ela disse: Sou paga pela (empresa X) para utilizar o dinheiro dela de forma inteligente,

The hard (amazing!) life of a salesperson Why do people think that sales professionals are usually uneducated people, and for lack of opportunity in life, they “became” sellers? “ By Andressa Fonseca This was the question that guided our cover story. And she appeared in an informal conversation, who already felt it in the skin. We know many profiles of salespeople, including big entrepreneurs with training, postgraduate courses and abroad, and are still working with sales. We followed the sellers in our market with the intention to know about their real motivations, and what led them to follow this profession.

Luciana... chamou o garçom e disse: Ela paga! (o restaurante era chiquérrimo!) Nem levou as revistas embora.Bem, não preciso dizer que saí chorando de lá e praguejando contra as parentes mulheres da família dela! (risos) Depois de 6 meses esta gerente saiu, graças a Deus, e através da agência conseguimos fechar contrato de um ano de anúncios na GF! (mais risos)

The bill bitter restaurant “When the GF had not completed a year, I scheduled a meeting with a great company in Sao Paulo, they suggested me a lunch. Were six executives and marketing manager. After my introduction, she said, I am paid by (company X) to use her money intelligently Luciana ... called the waiter and said, she pays! (the restaurant was chiquérrimo!) Neither took the magazines. WellI went out of there crying and cursing the female relatives of her family! (laughs) After six months this manager came out, thank God, and through the agency we managed to close one-year contract for ads on GF! (more laughs)

Porta na cara Confirmei uma visita em uma região longe da capital de São Paulo. Quando cheguei fui recebida pelo porteiro dizendo que ninguém poderia me atender (fui até lá somente para isto!), voltei muito triste. Após alguns contatos em feiras consegui trazê-lo para a GF.

Door closed Confirmed a visit in a region far from the capital of São Paulo. When I arrived I was greeted by the doorman saying that no one could answer me (I went there just for that!), Came back very sad. After some contacts at fairs I managed to bring it to the GF.

Sem GPS No início da GF, só tinha “budget” para imprimir 10 bonecos da revista e fazer algumas visitas em SP em um curto período. Marquei com a Roland (Cotia) e a 3M (Sumaré), entre outras empresas no mesmo dia! E fui de ônibus! O primeiro cliente que visitei ficava em Campinas e quando contei meu roteiro ficou em pânico! Para me ajudar ligou para sua esposa que me acompanhou nas visitas! Deu tudo certo, nunca vou me esquecer, obrigada Alvaro e Regina! Ah, o melhor, fechei com a Roland contrato de um ano!

No GPS At the beginning of GF, only had “budget” to print 10 “dolls” of the magazine and do some visits to SP in a short period. I scheduled with Roland (Cotia) and 3M (Sumaré), among other companies in the same day! And I went by bus! The first client that I visited was in Campinas and when I told him My Itinerary panicked! To help me called his wife who accompanied me on visits! It all worked out, I’ll never forget, thank Alvaro and Regina! Ah, the best, Roland closed with one year contract!

R E V I S TA G F • S e t e m b r o 2 0 1 3

35


Quando é melhor desistir Isto ocorreu em 2012: Fui até uma cidade também longe de SP capital visitar um cliente (proprietário)com hora marcada e etc. Tudo confirmado. Quando sentei na frente dele no início da conversa, começou a digitar sem parar no notebook e a rir com quem conversava... Perguntei se queria que eu esperasse lá fora. Ele disse que não. Quando tirei meu material da pasta ele respondeu: Luciana nem tire, pois não vou comprar nada de você! Perplexa, mudei o rumo da conversa e retruquei: não vim te vender nada mesmo, ia te mostrar umas novidades de mercado e fazer uma entrevista, mas já que não quer... Após 5 minutos, no meio da conversa ligou para um funcionário e disse: venha até a minha sala e acompanhe esta moça até a porta. Enfim (risos), este é o caso que desisto!

When is it better to give up This happened in 2012: I went to a town too far from SP Capital visit a client (owner) I had already booked time, and so on. All confirmed. As I sat in front of him at the beginning of the conversation, began typing on the notebook without stopping and laughing with whom he conversed ... I asked if he wanted me to wait outside. He said no. When I took my material folder he replied: Luciana not take, because I will not buy anything from you! Perplexed, I changed the direction of the conversation and I said I did not come to sell you nothing at all, would show you a new market and do an interview, but as you dont want ... After 5 minutes into the conversation called to an employee and said: come to my room and follow this girl to the door. Anyway (laughs), this is the case that I give up! 36

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

Seriam muitas situações, mas resumindo acho que o importante é ter RESILIÊNCIA. NUNCA levar nada para o lado pessoal, continuar sempre almejando melhorar as relações profissionais e mostrar que temos muito a oferecer! O cliente que reclama é o que quer continuar ao teu lado, isto é fato. Quando temos criticas e reclamações é a melhor situação para revertermos a nosso favor!” “Were many situations, but in short I think the important thing is to have RESILIENCE. NEVER take anything personally, always aiming to continue improving relations professionals and show that we have much to offer! The customer who complains is what you want to keep your side, this is fact. When we have criticisms and complaints is the best situation to revert to our advantage!” Luciana Andrade, editora da revista GF


seJa como moisés Para explicar este subtítulo, caberia sugerir ao nosso leitor o capítulo de êxodo na Bíblia, e conhecer a história de moisés, e seguir o seu exemplo de lealdade, fé e determinação. mas neste momento, em nossa matéria de capa, que fala sobre a vida dos vendedores, cabe apresentar outro moisés, o moisés vendedor. O Moisés da Gráfica Capital. O “nosso” moisés. que como o moisés da Bíblia, é leal, e determinado. “Nunca conheci um vendedor tão bom, quanto o moisés”, frase comum de se ouvir nos corredores da GF. não poderíamos deixar de entrevistá-lo para esta matéria. Moisés é vendedor da Gráfica Capital, que imprime nossas revistas. “Costumo dizer que imprimimos a Revista com ele, não com a gráfica. Para conseguir uma reunião comigo tentou muitas estratégias, porém, como tínhamos uma boa parceria confesso que não interessava ouvir outra empresa. Ele tentou meses a fio. não tendo êxito descobriu que fazíamos uma agenda anual para os leitores, como não sabia a tiragem, me passou um email oferecendo seus serviços da agenda com custo muito menor que pagávamos (detalhe: ninguém pediu orçamento). Então decidi recebê-lo. vendo o brilho em seus olhos e a vontade de nos ajudar, fechei com ele. Após pouco tempo começou a imprimir a Revista. Desde 2009 ele nos atende. todos os meses ele vem no escritório, leva provas na agência, leva na minha casa (seja de noite ou em finais de semana) acompanha a impressão na gráfica, nos atenta dos possíveis erros que possam ter, enfim, nos atende impecavelmente. Só não o convido para trabalhar conosco com medo de perder este atendimento de gráfica! Certa vez precisava de um cartão em inglês, pois iria ao exterior no dia seguinte, sabia que seria difícil e não insisti. Ele deu um jeito, fez sozinho, laminou um a um e levou na minha casa às 01h30 da manhã. moisés é hoje o melhor vendedor que conheço sem dúvidas! meu conselho é tentar ser um Moisés, que fica feliz em satisfazer seu cliente”, declara Luciana Andrade.

BE lIkE moSES to explain this subtitle, it would suggest to our reader chapter of Exodus in the Bible, and know the story of moses, and follow his example of loyalty, faith and determination. But this time, in our cover story, which talks about the life of the sellers, it is present another moses, moses seller. the moses of Graphic Capital. “Our” moses. that as the moses of the Bible, is loyal, and determined. “never met a seller as good as moses” common phrase to hear in the corridors of the GF. We could not interview him for this story. moses is the seller Capital Graphics, which prints our magazines. “I often say that the printed magazine with him, not with the graphics. to get a meeting with me he tried many strategies, however, as we had a good partnership confess I was not interested in listening to another company. he tried for months. not having successfully discovered we did an annual agenda for readers, as did not know the drawing, gave me an email offering their services agenda with much lower cost we paid (detail: nobody asked budget). So I decided to greet him. Seeing the sparkle in her eyes and willingness to help us, I closed with him. After recently began printing the magazine. Since 2009 he serves us. Every month he has been in office, the agency

takes evidence leads in my house (either at night or on weekends) accompanies the print on the graphic, the attentive of the possible errors that may have, at last, in answer perfectly. Just do not invite us to work for fear of losing this care graphic! I once needed a card in English, it would abroad the next day, I knew it would be difficult and did not insist. He managed, made alone, laminated one by one and took at my house at 1:30 a.m. in the morning ... a gift. moses is now the best seller I know without a doubt! my advice is to try to be a moses, who are happy to satisfy your customer, “says Luciana Andrade.

R E V I S TA G F • S e t e m b r o 2 0 1 3

37


Entrevista com Moisés Moisés Ferens, vendedor da Gráfica Capital

GF Como reage quando recebe a negativa de um cliente? Moisés | Somos preparados desde o início da carreira a vivenciar com o não, faz parte para questionarmos porque não deu certo e se precisamos tomar outra estratégia, saber aceitar quando nosso concorrente oferece uma vantagem que não temos. GF Já pensou em desistir de ser vendedor? Moisés | Três vezes durante o primeiro ano de carreira. O início é difícil para todos e de várias negativas durante o dia, mas sempre tem um sim que motiva. GF Quais seriam os pontos negativos de trabalhar como vendedor? Moisés | Menciono pontos negativos quando algum processo da venda até a entrega falha, é ali que somos cobrados e avaliados pelo cliente. GF E os positivos? Moisés | Os pontos positivos são inúmeros de acordo com o sucesso de cada vendedor, a renda depende de nós mesmos, aprendemos muito com cada cliente e nossa rotina é diferente todos os dias. GF Quais são os principais desafios na vida de um vendedor de sucesso? Moisés | O maior desafio é conseguir uma conta nova para atender e dar conta da necessidade. O sucesso é conseqüência das sementes plantadas e devemos regar para que o cliente esteja satisfeito.

“TEMOS V AGREGAALOR DO!” “1

440 DP I REAL ” “M² LONA 440G” “CO BRI M AO FER OS “ENTREGAMOS TA!” AINDA HOJE!”

38

GF Por que acha que os clientes tratam com certo desprezo, os vendedores? Moisés | Na verdade é uma cadeia sincronizada de clientes satisfeitos e insatisfeitos, quando tentamos prospectar na hora que o cliente está muito satisfeito, gera esta sensação de desprezo. GF Que conselhos você daria para quem tem o desejo de se tornar um vendedor? Moisés | Primeiro precisa querer, mas querer como algo que você acredite sempre onde pode chegar. Ser justo com o cliente/empresa para ser bom para ambas as partes, ser comprometido para que o trabalho seja entregue no prazo e o mais importante, gostar de SER vendedor.

GF How do you react when you receive a negative from a client? Moisés | We are prepared from the beginning of the career to live with, not a part to question why it did not work and we need to take another strategy, namely to accept when our competitor offers an advantage that we have. GF Ever thought of giving up being a salesman? Moisés | Three times during the first year of his career, the beginning is difficult for everyone and several negative during the day, but always have a sim that motivates. GF What are the downsides of working as a salesman? Moisés | I mention some negative points when the sale process to delivery failure, it is there that we collected and evaluated by the customer. GF And the positives? Moisés | The positives are numerous according to the success of each seller, the income depends on ourselves, we learn a lot from each client and our routine is different every day. GF What are the main challenges in the life of a successful salesperson? Moisés | The biggest challenge is to get a new account to attend and report on the need. The success is a result of seeds planted and watering must for the customer is satisfied. GF Why do you think that customers deal with scorn, the sellers? Moisés | Actually is a synchronized chain of satisfied customers and dissatisfied when we try to prospect at the time that the customer is very satisfied, creates this feeling of contempt. GF What advice would you give to anyone who has the desire to become a seller? Moisés | First you want, but wanting to believe something you always where you can reach. Be fair to the customer / company to be good for both parties to be committed to that work is delivered on time and most importantly, like BE seller.


Flavio Hirata , CEO da Durst Brasil

Preconceito? Eu também tinha preconceito com a profissão. Tenho cursos superiores em Física e Engenharia Eletrônica, além de extensões. Fiz também um MBA. Quando estudante, e estagiário, achava que ser vendedor era uma profissão, por assim dizer, de segunda categoria. Mas, a vida às vezes nos conduz, e, por circunstâncias, aliás, bem práticas – queria casar e precisava de trabalho – comecei em Vendas Técnicas. Fui contratado como Engenheiro de Vendas. E, por escolha, sorte, não sei bem, a empresa era maravilhosa. Super séria, equipamentos avançados, postura ética na prática, não apenas no discurso. E, tive colegas que me conduziram. Vou contar aos leitores algo que nunca comentei; um colega, também engenheiro, mais Sênior que eu, um dia me disse a seguinte frase: Quer saber qual é a melhor “esperteza” do mundo? É ser honesto! Este colega, é uma pessoa excepcional, me ensinou a acreditar em mim, em minha capacidade e competência. Mas, sempre sabendo conduzir as situações, com sinceridade e coração. Gosto de dizer que a melhor venda é aquela onde o cliente tem sucesso no uso do produto ou equipamento vendido por mim. Mas, há duas situações das quais me orgulho. Na ocasião, trabalhava representando fabricantes europeus e americanos de máquinas para a indústria eletrônica. Vendi U$999.000,00, num único pedido, isto em 1991.Outro, U$ 1.250,000,00, em 1990, também num único pedido. Ambos equipamentos vendidos para empresas brasileiras, e, garanto, foram grandes investimentos para o porte das empresas naquele momento. Isto é confiança, é compromisso, é reciprocidade. Eu particularmente gosto de aprender, de me relacionar com pessoas que me tragam novas visões e ideias. Isto é muito prazeroso. Gosto da liberdade de poder fazer meu roteiro, definir minhas prioridades. Ao longo de minha carreira, conheci – sempre correndo é verdade – muitas cidades e países. Culturalmente, é uma experiência muito rica.

Prejudice? Flavio Hirata, CEO of Durst says his experience with sales I also had prejudice against occupation. I have degree courses in Physics and Electronic Engineering, and extension courses. I also did an MBA. When I was a student and intern, I thought being a salesman was a profession, so to speak, the second category. But sometimes life takes us, and, by circumstances, by the way, very practical - I wanted to marry and needed work - so I started in Technical Sales. I was hired as a Sales Engineer. And, by choice, luck, do not know well, the company was wonderful. Super serious, advanced equipment, ethical practice, not only in speech. And, I had colleagues who taught me. I will tell the readers something they never commented, a colleague, also an engineer, more senior than me, one day I said the following sentence: You want to know what is the best “smartness” of the world? It’s be honest! This colleague is an exceptional person, taught me to believe in myself, in my ability and competence. But always knowing conduct situations, with sincerity and heart. I like to say that the best sale is one where the client is successful in using the product or equipment sold by me. But there are two situations in which I am proud. On occasion, worked representing European and American manufacturers of machines for the electronics industry. I sold U $ 999,000.00 in a single request, ie in 1991. Again, 1.250,000,00 U.S. $ in 1990, also in a single request. Both equipment sold to Brazilian companies, and guarantee were great investments for the size of the companies at the time. This is trust is compromise, is reciprocity. I particularly like to learn to relate to people who bring me new insights and ideas. This is very pleasurable. I like the freedom to make my script, set my priorities. Throughout my career, I met - always running true - many cities and countries. Culturally, it is a very rich experience. This colleague is an exceptional person, taught me to believe in myself, in my ability and competence. But always knowing conduct situations, with sincerity and heart.

Acho que acreditar no que vende, na empresa e em si mesmo são fatores que antecedem a resiliência, isto é, a resiliência, a persistência, resultam destas características. É preciso acreditar no cliente, e saber que cada novo dia, é uma página em branco, uma nova oportunidade que Deus, ou o Universo, nos dá. Cabe a nós escrevê-la.” “I guess I have to believe what sells, and the company itself are factors leading to resilience, that is, resilience, persistence, these characteristics result. One must believe in the client, and know that each new day is a blank page, a new opportunity that God, or the Universe, gives us. It falls to us write it.”

R E V I S TA G F • S e t e m b r o 2 0 1 3

39


RoNI moNTINI, vendedor experiente do mercado de comunicação visual também compartilha sua experiência

Não pRECISA SABER o QUE é NozzlE Existe um ditado que diz “O não nós já temos”, portanto não fico muito triste com um NÃO, porém fico triste com a falta de uma resposta, que hoje em dia é mais freqüente. O que vem acontecendo é que alguns empresários tem medo de dizer que já compraram com outro vendedor e ou não tem o recurso necessário para a aquisição, e assim sendo simplesmente deixam de nos atender. Já pensei em desistir de ser vendedor, da mesma forma que o Pelé já pensou em parar de jogar futebol quando ainda estava no Santos. Isso é muito comum com algumas decepções, mas passa rápido. A primeira venda que eu fiz foi uma bicicleta quando eu tinha uns 11 anos de idade. vendi para comprar um autorama, que depois vendi e comprei uma outra bicicleta melhor. Com 14 anos eu era vendedor de calçados em uma loja. Já a melhor venda é aquela que ainda não fiz, pois sempre procuro melhorar e dessa forma tenho certeza que a melhor é aquela venda que ainda acontecerá.

No NEED To kNow whAT IS NozzlE Roni montini, experienced seller in the market for visual communication also shares his experience there is a saying “the not we already have,” so I’m not too sad with a nO, but I am saddened by the lack of an answer, which today is more frequent. What is happening is that some business owners are afraid to say that I bought with another seller and or do not have the necessary resource to acquire ... and therefore simply no longer attend us. I’ve thought about giving up being a salesman, just like Pelé ever think to stop playing football when he was in Santos. this is very common with some disappointments, but goes fast. The first sale I made was a bike when I was about 11 years old. I sold it to buy a Autorama, which then sold it and bought another bike better. With 14 years I was a salesman in a shoe store. Already the best selling is that I have not done because I always try to improve and that way I’m sure the best is that sale still happen. 40

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

O ponto mais positivo de ser vendedor é fazer com que as pessoas que desprezam vendedores ganhem dinheiro com o que vendemos ou vendendo aquilo que tais pessoas produzem. Afinal de contas, sem vendedores as invenções dos maiores engenheiros não seriam comercializadas. Eu acredito que o principal fator para se dar bem em vendas é conhecer os processos dos seus clientes. Conheça o que o seu cliente faz e como faz. O maior desafio de um vendedor é não ter vergonha de dizer que é vendedor. hoje em dia é muito comum ver vendedores com vergonha de dizerem, sou vendedor, e acabam criando os tais gerentes de contas, bussinesblablabla, etc.

the most positive point of being a salesman is to make people who despise sellers earn money by selling what they sell or what these people produce. After all, without the inventions of the biggest sellers engineers would not be marketed. I believe that the main factor to do well in sales is to understand the processes of its customers. Know what your client does and how it does. the biggest challenge of a seller is not ashamed to say that it is seller. nowadays it is very common to see sellers ashamed to say, I’m seller, and end up creating such account managers, “bussines blábláblá”, etc.

CoNSElhoS QUE DARIA pARA QUEm TEm o DESEJo DE SE ToRNAR Um VENDEDoR: 1. Primeiramente fale sempre a verdade, 2. Se prometer algo o cumpra, 3. não acredite que o dinheiro é seu patrão, venda por prazer 4. Dê e exija respeito, 5. Seja feliz, pois se você está vendedor por falta de oportunidades, com certeza você não será feliz e denegrirá essa profissão que nasceu com os Fenícios há milhares de anos. ADVICE woUlD GIVE To ANyoNE who hAS ThE DESIRE To BEComE A SAlESmAN: 1. First always speak the truth, 2. If you promise something to fulfill, 3. Do not believe that money is his boss, selling for pleasure 4. Give and demand respect, 5. Be happy, because if you are seller due to lack of opportunities, for sure you will not be happy and denigrate the profession that began with the Phoenicians thousands of years ago.


Tenho um caso engraçado para contar. Uma certa noite em Curitiba, fui jantar com duas pessoas que amo muito e ao chegarmos no restaurante, estavam lá uns 10 concorrentes e acabamos ficando em uma só mesa. Eu ainda era desconhecido e uma pessoa que já brilhava no mundo das comunicações visuais, falou em voz alta... “Não sei como o Roni vende tanto, afinal ele nem sabe o que é um NOZZLE!!!” E eu de pronto respondi... “Claro que eu sei, NOZZLE é NARIZZLE em INGLEZZLE” Aí todos caíram na gargalhada e a conversa parou... Mas na verdade eu não sabia mesmo o que era NOZZLE, mas sabia bem fazer contas para mostrar como o cliente iria ganhar dinheiro com os equipamentos que eu estava vendendo.” “I have a funny to tell. One night in Curitiba, I had dinner with two people I love very much and when we arrived at the restaurant, there were about 10 competitors and we sat at the same table where they were. I was still unknown and a person who has glowed in the world of visual communications, spoke aloud ... “I do not know how much Roni sells, after all he does not even know what a NOZZLE!” And I promptly replied ... “Of course I know, NOZZLE is NARIZZLE in INGLEZZLE” Then everyone burst into laughter and the talk stopped ... But actually I did not even know what was NOZZLE, but knew well make accounts to show how the client would earn money with the equipment I was selling.”

R E V I S TA G F • S e t e m b r o 2 0 1 3

41


Negativos

Direto do Facebook

Nildo Júnior, Gerente de Vendas, de Serrinha, Bahia,foi o primeiro a comentar sobre nossa sugestão de pauta no facebook. E ele nos fala quais são os pontos positivos e negativos da profissão.

Direct from Facebook Nildo Junior Sales Manager, Serrinha, Bahia, was the first to comment about our story pitch on facebook. And he tells us what are the positives and negatives of profession.

lucas de paula ferreira cardoso, é designer gráfico e vendedor e também participou falando sobre sua profissão

Vou citar os pontos na área que exerço hoje que é o de Sign e Silk, e Comunicação Visual em geral. Infelizmente nessa nossa área o cliente não está muito preocupado se você é bom vendedor, se é prestativo ou se desdobra para agradálo ou entregar o material dele no prazo e tudo certo. Mas só quer saber se você faz 10 centavos mais barato em tal lona, pois se você não fizer, ele irá comprar de outra pessoa. Isso para nós vendedores é um ponto muito negativo, pois isso faz com que os vendedores não se preparem para atender bem, mas sim ter os 10 centavos de diferença do que o cliente pediu. E tenho certeza que isso não é o verdadeiro espírito de vendas.

Negative I quote the points in the area that I practice today which is Sign and Silk, and Visual Communication in general. Unfortunately this area our client is not too concerned if you are good seller, if it is helpful or unfolds to please him or deliver the material within it and everything right. But just want to know if you make 10 cents cheaper in that canvas, because if you do, it will buy from someone else. This for us sellers is a very negative, because it makes the sellers are not prepared to attend as well, but have the 10 cents difference from what the client asked. And I’m sure this is not the true spirit sales.

Quer carona? “Quando trabalhava no Grupo Vitoria da União, um colega de trabalho me contou, que um cliente ligou para ele muito interessado em ir ao empreendimento (levamos o cliente, gratuitamente) lá em Furnas, na represa. E o cliente levou a família toda para conhecer, chegou lá o cliente pediu pra deixar ele lá que ele iria ir pra casa de um parente. Moral da historia: Ele só quis carona pra levar ele e a família dele, não tinha interesse nenhum em comprar o lote”. Lucas acredita que a população pensa que a maioria dos vendedores, são vendedores porque não quiseram estudar, mas que nem sempre isso é verdade. Pra ser vendedor precisa de muito conhecimento. “Uma dica pessoal da minha empresa, a Observe Design & Tecnologia, é que nunca tente ganhar muito com poucos clientes, e sim ganhar pouco com vários clientes... Assim você, expande sua clientela e crescerá como nunca”, declara Lucas.

42

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

Positivos Muito me orgulho em ser vendedor quando tenho vários clientes que gostam do meu atendimento e da minha capacidade, e quando muitas vezes sou procurado por eles não somente pela venda do meu material, mas também querendo saber sobre produtos de outra área pedindo conselhos comercias e etc. Na verdade você se torna um consultor em potencial.

Positive I am very proud to be a seller when I have several customers who love my service and my ability, and when I am often approached by them not only to sell my stuff, but also wondering about other products and commercial area for advice etc. . Actually you become a consultant potential.

Want to ride? Lucas de Paula Ferreira Cardoso, is a graphic designer and seller and also participated talking about their profession “When I worked in Vitoria Union Group, a coworker told me that a customer called him very interested in going to the project (take the customer for free) there Furnas, on the dam. And the customer took the whole family to know, got there the customer asked to leave him there he would go to a relative’s house. Moral of the story: He just wanted to ride to take him and his family, had no interest in buying the lot. “ Lucas believes that the population thinks that most sellers are sellers because they wanted to study, but this is not always true. Seller needs to be a lot of knowledge. “A tip of my personal company, Note Design & Technology, which is never try to win big with a few customers, but gain little with various clients ... So you, expands its customer base and grow like never before, “says Lucas.


A rotina de um vendedor de sucesso Quando definimos a matéria de capa, decidimos que acompanhar a rotina de um vendedor de sucesso, seria muito interessante para os nossos leitores. Seguindo este pensamento, ligamos para o Edinho, da Central Produções, de Curitiba. “Ele é muito bom vendedor, você precisa acompanhar o dia dele, vai ver só como é bom”, falou Luciana. No mesmo dia, marcamos a data que o acompanharíamos. A ideia era acompanhar a sua rotina. The routine of a successful salesperson

When we define the cover story, we decided to follow the routine of a successful salesperson, would be very interesting for our readers. Following this thought, we called Edinho, Central Productions, Curitiba. “He is very good seller, you need to track his day, will see only how good,” said Luciana. On the same day, mark the date that the acompanharíamos. The idea was to follow your routine.

Rotina? Chegando à Central, fui recebida pelo próprio Edinho, que falava ao telefone. (com a mão tapando o telefone) – Oi querida, por favor aguarde aqui que já falo com você. Um prato cheio para uma jornalista super observadora e curiosa. Meu olhar percorreu o imenso barracão enquanto aguardava na sala de espera, cercada de materiais impressos por lá, uma verdadeira demonstração do que é feito pela empresa. Tudo muito organizado. O café também uma delícia. Do lado de fora da salinha, funcionários movimentandose rapidamente. “Devem estar cheios de trabalho, pensei”

E eu comprei tudo. Não precisava mais passar o dia todo ali. (Se eu passasse, era capaz de sair de lá carregada de banners, mesmo sem precisar) Já estava convencida de que estava falando com um excelente profissional de vendas.

Arriving at Central, I was greeted by the Edinho, who spoke on the phone. (with hand covering his phone) - Hi dear, please wait here who speak to you. A full plate for a journalist super observant and curious. My gaze swept over the huge bunkhouse while waiting in the waiting room, surrounded by printed materials there, a true demonstration of what is done by the company. All very organized. Coffee also a delight. Outside the small room, officials moving quickly. “They must be full of work, I thought” Edinho back and leads me to know the company. Pause to answer phone, paused to talk with employees, paused to talk to the partner Duarte, pause to check a job break to go to the room to answer an email. All very polite, Edinho got rid of everything to attend me. And met all. His anxiety was latent in a few minutes reach more equipment to be installed. Realized in minutes what I thought needed to take one day. Seller has no life routine. Seller sells all the time. Not only sells the product. Sells the image of the company, sells experiences, sells his image. And I bought everything. No longer needed to spend all day there. (If I pass, was able to get out of there full of banners, even without needing) I was convinced that I was talking to an excellent sales professional.

Edinho e Duarte, sócios na empresa Central Produções

GF Conta um pouco da sua história como vendedor Edinho | Trabalho com vendas desde 1986, trabalhava com informática, venda de sistemas de computadores, depois eu trabalhei como representante comercial de roupas de praia, lingeries, indústria têxtil, já trabalhei também com pedras, mármores, granitos, sempre com venda. Sempre gostei de trabalhar com venda, mas trabalhei também na área de Rh.

GF Tell us a little bit of his history as a seller Edinho | Work with sales since 1986, working with computer, sell computer systems, then I worked as a sales representative for beachwear, lingerie, textile industry, has also worked with stones, marbles, granites, always selling. I always enjoyed working with sales, but also worked in the area of Rh.

O que se seguiu foi uma entrevista descontraída que você lê agora: What followed was a relaxed interview you now reads:

Volta Edinho, e me conduz pelo barracão para conhecer melhor a empresa. Pausa para atender telefone, pausa para falar com funcionários, pausa para falar com o sócio Duarte, pausa para conferir um trabalho, pausa para ir à sala responder um email. Tudo de forma muito polida, Edinho se desvencilhou de tudo para me atender. E atendeu a todos. Sua ansiedade era latente, em alguns minutos chegaria mais um equipamento para ser instalado. Percebi em minutos o que achei que precisaria levar um dia. Vida de vendedor não tem rotina. Vendedor vende o tempo todo. Não vende só o produto. Vende a imagem da empresa, vende experiências, vende a sua imagem. 43


need for a little more knowledge. So I went to do a course in publicity and advertising to see where I was stepping, with whom I was working, and what were the prospects and to define where I wanted to go. You could not be alone in canvas printing. GF Dá uma dica para lidar com o “Não” do cliente.

O “Não” tem que ser um incentivo, quem gosta de vender, quem quer mostrar o produto e precisa trabalhar, tem que ter o não como incentivo. Para mim, o “Não” não é motivo para desistir, não existe “não”. Se eu tenho um produto para aquele segmento para aquele cliente, eu vou insistir até ele me receber, em 1998 eu fiquei seis meses ligando para um cliente, tentando agendar, falava com um cara muito solícito, muito educado, sempre me atendia, mas sempre pedia pra eu ligar na semana seguinte, no começo do mês seguinte, e assim foi até o dia que eu consegui sentar frente a frente com ele. Hoje somos grandes amigos, e quase todos os seus trabalhos sou eu que faço.

Edinho |

GF Como que entrou para o mercado de comunicação visual? Edinho | Então, isso foi bem estranho, eu estava na área de Rh há alguns anos, até que a empresaque eu trabalhava fechou, e um amigo meu que mexia com outdoor, tinha acabado de abrir uma empresa de comunicação visual, isso em 1998, depois comecei a trabalhar com ele na área comercial, essa empresa ficou 4 anos. Daí foi vendida para um grupo de SãoPaulo, eu saí, fui para outra empresa, fiquei mais 2 anos, e aí vim para cá em definitivo, com um projeto de participação na sociedade e estamos aqui há 10 anos praticamente.

GF As you entered the for the visual communication market? Edinho | So that was really weird, I was in the area of Rh for some years, until the company I worked for closed, and a friend of mine who moved to outdoor, had just opened a business of visual communication, that in 1998 then I started working with him in the commercial area, this company was four years. Then it was sold to a group of SãoPaulo, I left, went to another company, was another 2 years, and then came here in short, with a design of participation in society and we are here almost 10 years ago. GF Quais foram as principais dificuldades? Edinho | A maior dificuldade foi no início, porque eu não tinha contato nenhum com comunicação visual, com agencias principalmente, que é o grande volume de material que produzimos hoje, aí o primeiro mês eu fiquei interno não sabia nada de equipamento, e depois fui pra rua, onde eu senti a necessidade de um pouco mais de conhecimento. Então eu fui fazer um curso de publicidade e propaganda, para eu ver onde estava pisando, com quem eu estava trabalhando, e quais eram os possíveis clientes e para definir pra onde eu queria ir. Não dava para ficar só na impressão de lona. GF What were the main difficulties? Edinho | The greatest difficulty was in the beginning, because I had no contact with any visual communication, especially with agencies, which is the large volume of material we produce today, there was the first month I knew nothing of domestic equipment, and then went to the street where I felt the 44

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

GF Gives a hint for dealing with the “No” of the customer. Edinho | The “No” has to be an incentive, those who like to sell, who wants to show the product and need to work, not have to have an incentive. For me, the “No” is not a reason to give up, there is “no.” If I have a product for that segment for that client, I will insist until he receive me, in 1998 I was six months calling a customer, trying to schedule, talked to a guy very helpful, very polite, I always answered, but always asked me to call the following week at the beginning of mêsseguinte, and so was ... until the day that I got to sit face to face with him. Today we are great friends, and almost all their work am I doing. GF Você acompanha todas as etapas? Vendas, produção, entrega? Edinho | Quando possível sim, principalmente em job grande. Para as grandes contas não temos mais vendedor. Não temos atendimento. Já passamos por muitos problemas, de colocar o vendedor no local, apresentar, informamos ao cliente que não temos tempo, e que ele vai atender corretamente, etc...daí passava um tempo, o vendedor saía, ia para outra empresa, e levava o cliente, alguns né? Não os de casa, porque logo que saía eu já fazia terrorismo com o cliente(risos) “Se vc receber esse cara, acaba aqui a amizade”. Isto é complicado. GF Do you follow all the steps? Sales, production, delivery? Edinho | When possible yes, especially in big job. For big accounts we have no more seller. We’ve been through many problems, the seller put in place, present, inform the customer that we have no time, and he will answer correctly, etc. ... then spent time, the seller went out, he went to another company and took the customer, some right? Not the house, because as soon as I went terrorism was already with the client (laughs) “If you get this guy, friendship ends here.” This is tricky. GF Já pensou em desistir? Edinho | Não tenho mais como nem que eu quisesse! Investi 10, nesse caso, mais ou menos, 15 anos. Tem que continuar! E é o que gosto de fazer, agora temos uma parceria em São Paulo também, vamos poder atender uma quantia maior de clientes. Agora minha rotina é um pouco mais agitada, passo 3 a 4 dias por semana em São Paulo, para poder visitar clientes. Lá tem muita empresa, e eles não estão tão acostumados, com este “pronto atendimento” que fazemos aqui, este “me chama que eu vou”. Mesmo daqui de Curitiba, meus clientes de São Paulo me ligam e sabem que se me chamar eu vou, independente do horário. GF Have you thought about giving up? Edinho | I no longer like or what I wanted! I’ve invested 15 years of work, I have to go! And that’s what I like to do, we now have a


partnership in São Paulo too, will be able to serve a greater amount of customers. Now my routine is a bit more hectic, I get 3-4 days a week in Sao Paulo, to be able to visit clients. There is a lot of company, and they are not so accustomed, with this “emergency care” what we do here, this “call me I will.” Even here in Curitiba, São Paulo my clients call me and know that if they call me I will, independent of time. GF Que dica daria para quem quer entrar na área? Edinho | Trabalhe. Lugar de vendedor é na rua. Quem quer vender tem que estar na rua. O “não” faz parte da vida de qualquer um, independente da área, não pode se abater com isso, você leva um não aqui, e dois sim ali, esse não que você levou ontem, daqui a uma semana pode ser um sim. Hoje são necessárias muitas visitas. Um controle muito forte, eficaz. Não adianta visitar uma empresa hoje, e nunca mais se lembrar dela. Você pode ter um grande cliente, se você não for lá, ele vai te esquecer. Não mandar email, não falar “tô vivo”, se você não fizer isso, o concorrente vai fazer. Empresas de comunicação visual, fecham 3, abrem 30. Tem que ter empenho, tem que gostar e ir pra cima. Não existe uma fórmula do vendedor. Cada um teu seu estilo, uma mais descontraido, outro menos, mas na ponta da linha, é o trabalho final, somente trabalho. Vendedor que fica sentado no escritório esperando chegar email de cotação, não ganha dinheiro, não faz cliente. Não sei se é certo ou errado, não trabalho com técnicas de vendas, trabalho só com a experiência que tenho no dia a dia, não atendeu, bato na porta, não recebeu, deixo o meu cartão para ele. GF What would tips for anyone wanting to get into this area? Edinho | Works. Place the seller is on the street. Who wants to sell has to be on the street. The “no” part of anyone’s life, regardless of the area, can not be sad about it, you take a no here, and two yes there, and this “not” you took yesterday, in a week can be a “yes”. Today many visits are required. Very strong control, effective. There’s no point visiting a company today, and never remember it. You can have a large customer, if you are not there, he’ll forget. Do not send email, do not say “I’m alive”, if you do not, your competitor will do. Companies visual communication, close 3, open 30. Have to have commitment, have to like and go up. There is a formula of the seller. Each of your your style, more relaxed, others less, but at the end of the line, is the final work, only work. Seller who sits in the office waiting to get email quote, does not make money, it makes customer. I do not know if it’s right or wrong, do not work with sales techniques, working only with the experience I have from day to day, did not answer, slam the door, not received, I leave my card for him.

Dom ou técnica? Existem vários profissionais que afirmam, (ou “vendem” a ideia) de que para ser um bom vendedor, é preciso ter dom. Outros garantem que todos podem ser bons vendedores, desde que dominem a técnica, ou a arte de vender. Seja mera técnica, ou dom divino, a equipe GF parabeniza e admira todos os vendedores do nosso segmento que matam um ou mais leões por dia, e que contribuem de forma prazerosa para o crescimento do nosso mercado.

Divine gift or technique? There are many professionals who claim (or “sell” the idea) that to be a good salesperson, you must have a divine gift. Others guarantee that everyone can be good sellers since mastered the technique, or the art of selling. Be mere technical or divine gift, GF congratulated the team and admires all sellers in our industry who kill lions for one or more days, and contribute in a pleasurable way to the growth of our market.

Dê a sua opinião Envie suas impressões sobre esta matéria para faleconosco@grandesformatos.com, com seu nome, empresa, Cidade e Estado, ou ligue para: (41) 3023-4979 Twitter.com/RevistaGF Facebook: Revistagf

R E V I S TA G F • S e t e m b r o 2 0 1 3

45


ARTIGO GESTÃO DE PESSOAS

Qual é o seu limite? Por Alessandra Assad Se alguém perguntar onde fica guardado o segredo para o sucesso, talvez nenhum de nós acerte a resposta. Por um motivo especial: porque ele está guardado em um lugar onde só você e eu, separadamente, podemos manipular conforme a nossa vontade. Estranho? Não para Brian Tracy, um vendedor com 22 anos de carreira com sucesso, e autor de vários best-sellers, que afirma só ter percebido que a sua virada mais importante em vendas foi descobrir que o segredo do sucesso estava no pensamento... Você certamente já ouviu falar do Princípio 80/20, também conhecido como Princípio de Pareto. Ele estabelece que os 20% melhores colaboradores fazem 80% do dinheiro; e os 80% piores só fazem 20% do dinheiro. Em síntese: podemos dizer que quatro ou cinco pessoas em cada cem finalizam tantas vendas e ganham tanto dinheiro quanto todos os demais juntos. Se os 20% melhores vendedores ganham 80% do dinheiro, os 5% a 10% desses 20% melhores ganham muito mais. Você deve ter bons motivos para querer fazer parte dessa fatia do mercado, principalmente porque esses 20% melhores ganham 16 vezes o rendimento médio dos 80% restantes. E os 4% melhores ganham, em média, 16 vezes o rendimento médio dos demais integrantes do grupo dos 20% melhores. Por causa do Princípio 80/20, algumas coisas que você faz valem muito mais do que outras, ainda que demorem o mesmo tempo para serem feitas. O seu objetivo é se concentrar nas atividades que contribuem com um valor maior para a sua vida e o seu trabalho e, naturalmente, pertencer a essa amostragem inicialmente de 20% dos melhores. Logo em seguida, 10% dos melhores; 5%; 4% e assim por diante. Mas quais são os fatores que distinguem esses indivíduos e empresas e faz deles vitoriosos, com tamanha diferença? A conclusão é a de que pequenas diferenças em habilidades podem causar enormes diferenças em resultados. Traduzindo: a diferença entre os melhores em desempenho e os de desempenho mediano ou medíocre não é uma enorme diferença em talento ou habilidade. 46

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F

Veja que interessante: um estudo recente descobriu que 48% de todas as tentativas de vendas terminam sem que o vendedor tente fazer o fechamento ao menos uma vez. Descobriu-se que há uma relação direta e inversa entre o medo de rejeição e o medo de falhar e grande auto-estima. Ou seja, quanto mais você gosta de si menos sente rejeição e menos teme falhar. Imagine duas escadas rolantes, em direções opostas. A que sobe representa a auto-estima e a que desce, o medo de falhar e o medo da rejeição. Quanto mais você pensa em falha ou rejeição mais desce na direção dos temores. Quanto mais você gosta de si mais depressa sobe a escada rolante para a coragem e a confiança. Quando você repete uma afirmação, como um comando ao subconsciente, com confiança e entusiasmo, ativa seus poderes mentais, aumenta seus níveis de energia, sente-se mais positivo e entusiasmado. E sabe o que acontece? Você assume total controle sobre a sua mente e suas emoções. Não há nada mais poderoso para programar seu subconsciente do que criar um nítido quadro mental da pessoa que você deseja ser e das metas que quer atingir. Especialistas afirmam que a visualização é o poder mais incrível que os seres humanos possuem. Brian Tracy contou que, muitas vezes, pergunta para suas platéias: “Qual porcentagem das decisões de uma pessoa está baseada em emoções e qual está baseada em lógica?”. Quase todos dizem que as pessoas são 90% emotivas e apenas 10% lógicas. Contudo, a resposta certa é que as pessoas são 100% emotivas. Pensar requer tempo e esforço, mas as emoções são instantâneas. Por isso é que as pessoas compram emocionalmente e depois justificam logicamente. Se um cliente se sente bem quanto a você e sua empresa, se gosta de você e o respeita e se você tiver um bom relacionamento, o poder de “gostar” freqüentemente levará à venda. Você decide que o que os outros conseguiram você também pode conseguir. Não há limites para o seu pensamento, muito menos para você. Duvida? Por que você não paga para ver?


Alessandra Assad é diretora da AssimAssad Desenvolvimento Humano. Formada em Jornalismo, pósgraduada em Comunicação Audiovisual e MBA em Direção Estratégica, é professora na FGV Managenent, palestrante e colunista de vários meios de comunicação. É autora do livro Atreva-se a Mudar! – Como praticar a melhor gestão de pessoas e processos. E-mail: alessandra@ alessandraassad.com.br Site: www.alessandraassad.com.br

47

S e t e m b r o 2 0 1 3 • R E V I S TA G F



Revista GF - Ed 84 - Setembro 2013