Page 1

Eu estive l á…

França 1918

António dos Santos (soldado, natural de Ançã, que combateu em França, durante a 1ª Guerra Mundial)

Histórias das BEMM


Ficha técnica Título: Eu estive lá… França 1918 Autor: António dos Santos Arranjo gráfico: Graça Silva e José Plácido Edição: Bibliotecas Escolares Marquês de Marialva Coleção: Histórias das BEMM, novembro de 2018 (número especial) Edição comemorativa do centenário do armistício da 1ª Guerra Mundial

Eu estive lá… França 1918 de António dos Santos está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-Não Comercial-Sem Derivações 4.0 Internacional.

2


Eu estive l á…

França 1918

António dos Santos

3


Fotografia de Antรณnio dos Santos em uniforme

4


“Salvamos tudo com a beleza” Afonso Cruz

Em agosto de 1918, António Santos, soldado português e autor dos desenhos deste livro, encontrava-se em Cherbourg, no norte de França, a servir o seu país. Como milhares de jovens portugueses, foi chamado a combater na Primeira Guerra Mundial, um confronto longo e doloroso, que marcou de forma sangrenta o início do século XX. Hoje, à distância de cem anos, graças ao que lemos, ouvimos e vemos, podemos recriar alguns factos daquela época e imaginar como tudo seria. No entanto, com toda a certeza, só quem viveu ou vive o horror de uma guerra, no seu país, na sua casa, na sua família, ou na sua própria pele, será capaz de sentir e avaliar, na exata medida, o sofrimento real causado por este flagelo que tão fundas cicatrizes deixa no corpo e na alma. Longos e muito duros terão sido os dias vividos por António Santos e pelos seus companheiros no cenário de guerra. Imaginamos as privações, os muitos perigos, os medos, as adversidades do clima, a morte sempre à espreita, o desânimo, a exaustão, o desespero, a revolta, as saudades… E no meio de todo este caos, o que poderá ter levado este jovem a desenhar, com visível paciência, gosto e minúcia, detalhes do mundo da

guerra que o rodeava: granadas, espingardas, trincheiras, explosões, veículos? Talvez o ato de desenhar, reclamando concentração e ocupando agradavelmente o seu espírito, tenha sido a forma encontrada para readquirir a paz e o equilíbrio, em momentos tão críticos e pesados, ajudando-o a resistir. Ou então, porventura terá desejado António Santos perpetuar as suas muitas memórias e experiências do tempo passado na guerra, num caderninho de capas castanhas. No ano em que se assinalam os cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial e a conquista da paz, o livro “Eu estive lá…França 1918” apresenta oportunamente os dese-

nhos legendados de António Santos, que constituem um documento de época único, de inegável valor para o conhecimento deste penoso momento da nossa história. Por outro lado, a simplicidade e o encanto destas ilustrações, criadas em tempos tão adversos, provam que é sempre possível construir algo de bom e de belo, mesmo no meio das maiores dificuldades. Ana Mineiro

5


Legenda: França—Cherburgo 2 de agosto de 1918 Este livro pertence ao António dos Santos 6


7


8


Legenda Interior das trincheiras 9


10


Legenda Exterior das trincheiras 11


Legenda Soldado EscocĂŞs 12


13


14


Legenda Metralhadora pesada 15


16


Legenda Metralhadora ligeira | Arma terrĂ­vel 17


Legenda Aparelho de morteiros pesados inglĂŞs 18


19


Legenda Morteiro pesado 20


21


Legenda Aeroplano de combate inglĂŞs 22


23


24


Legenda Granadas que se atiram com arma 25


26


Legenda Soldado portuguĂŞs que faz fogo ao boche 27


28


Legenda Morteiro ligeiro | Granada ‌ tambÊm de arma 29


30


Legenda Os trĂŞs foguetĂľes que sempre se encontram na primeira e segunda linhas com que se pede o SOS (socorro) Ă artilharia em caso de ataque 31


32


Granada de mรฃo | Granada de gรกs 33


Legenda O aparelho de morteiros mĂŠdios fazendo fogo Ă s trincheiras inimigas 34


35


36


Legenda Morteiro mĂŠdio 37


Legenda Nas trincheiras o aparelho de morteiros mĂŠdios 38


39


40


Legenda ... | Tampa da cantina | ... do café | Púcaro Cantina que transporta o café nas trincheiras 41


42


Legenda DirigĂ­vel 43


44


Legenda Tanque de... 45


46


Legenda O Zepelim 47


48


49


50


Legenda Canhão Antiaéreo 51


52


Legenda Aeroplano inglĂŞs 53


54


Legenda Automรณvel de transporte de feridos 55


56


Legenda Um soldado deitando very-light Ă meia noite 57


58


Legenda Morteiro inimigo | Morteiro de ventoinha inimigo 59


60


Legenda Morteiro inimigo que em dia de ano bom transportou alguns folhetins para as nossas trincheiras 61


Legenda Tampa | Cilindro de gรกs asfixiante 62


63


Legenda Buzina para dar alarme de gรกs 64


65


66


Legenda Mรกscara respiratรณria | Capuz respiratรณrio 67


68


Legenda Sineta que se encontra nas trincheiras para dar sinal de gรกs 69


Legenda Um aeroplano inimigo que lanรงa um torpedo numa casa 70


71


72


Legenda CanhĂŁo de 15c inglĂŞs 73


74


Legenda A pรณlvora que a transporta Granada de 3 impulsos que o inimigo emprega para bombardear Paris ... 75


Legenda Granada de 38 inglesa | Granada de 28 inglesa 76


77


Este cons 78


Legenda Um dos maiores monoplanos Ghotas alemĂŁo

seguiu bombardear BĂŠthune. Foi aterrado pela artilharia no setor portuguĂŞs em 16 de fevereiro de 1918 79


Legenda O aeroplano inimigo fugindo Projetor inglĂŞs que procura o aeroplano inimigo em noites escuras 80


81


82


Legenda Balão cativo em observação 83


Barraca onde pernoit

84


Legenda tam 12 soldados, próximo do porto mar. Pertenço a esta barraca desde 16 de junho 1918 em Cherburgo Estaca e maço pertencentes à barraca 85


Legenda Rolo de arame | Quadro de revestimento | Grade de revestimento | Travessa | Estrado passarela | O saco da terra | Estaca | Passarela 86


87


88


Legenda Aeroplano inglĂŞs 89


90


Legenda Um soldado ao periscรณpio nas trincheiras 91


92


Legenda As ordens cumprem-se | E nĂŁo se discute?! 93


94


95


96


Legenda Canhão pesado em posição de fogo | Caminho de ferro 97


98


Legenda Espingarda inglesa 99


100


Legenda Uma casa prรณxima das trincheiras que foi escangalhada com o fogo inimigo. Nesta encontra-se o observador 101


102


Legenda Very-light | Very-light | Pistola grande | Pistola pequena Empregam-se estas nas trincheiras para pedir socorro Ă artilharia em caso de ataque 103


Legenda Este tronco de ferro estรก nas trincheiras no setor de fronteira. Foi colocado de noite no lugar de um tronco de รกrvore seca. Este serve de observador 104


105


106


Legenda Um granadeiro com a 1ª posição 107


108


109


110


111


112

Profile for Graça Madeira da Silva

Eu estive lá... França 1918  

Caderno de desenhos de António dos Santos (natural de Ançã), soldado que combateu em França durante a primeira Guerra Mundial.

Eu estive lá... França 1918  

Caderno de desenhos de António dos Santos (natural de Ançã), soldado que combateu em França durante a primeira Guerra Mundial.

Advertisement