Issuu on Google+

Saúde

>> 124

SOBre a eStiMulaçãO Magnetica tranScraniana rePetitiva (eMtr)

eStiMulaçãO MagnÉtica

quanto custa: o tratamento com dez sessões custa, em média, R$ 1,8  mil

Celso Junior

O neurologista Nasser Allam realiza o tratamento em seu consultório

o tratamento: são realizadas sessões com duração, em média, de 20 minutos cada, cinco vezes por semana. São recomendadas de dez a vinte sessões, de acordo com cada situação. em cada sessão, são disparados, em média, 1,2 mil estímulos

ainda pouco usada no Brasil, a estimulação Magnética transcraniana repetitiva (eMtr) tem ajudado os depressivos. É a aplicação de ondas eletromagnéticas no cérebro. de acordo com nasser allam, é feita a estimulação com baixa frequência no lado do cérebro que está super excitado, para equilibrar as duas regiões. após uma avaliação do psiquiatra para saber o nível de depressão, as sessões são iniciadas. após pelo menos dez sessões de aplicações, os estímulos são capazes de gerar mudanças nos neurônios, ativando-os ou inibindo-os. O tratamento no Brasil foi liberado em outubro de 2011 pela agência nacional de vigilância Sanitária (anvisa). Mas o método já era usado mundo afora desde meados da década de 90. Segundo nasser allam, no início, o medicamento é mantido. Mas, dependendo do caso, se não estiver tendo resultado, o paciente fica apenas com a estimulação. “cada caso é um caso. na medicina não há uma receita de bolo. Mas o acompanhamento com psicólogo ou psiquiatra é fundamental. É um trabalho em conjunto”, diz. alguns medicamentos usados no tratamento da depressão causam efeitos colaterais, como ganho ou perda de peso, queda da libido e dificuldades de concentração. E, na maioria dos

casos, demora meses para fazer efeito. “na estimulação, com dez sessões já se observa bons resultados”, diz nasser. há casos de depressão também em pacientes com Mal de Parkison ou doença de alzheimer. “esses pacientes têm quadros depressivos associados, por consequência da doença”, explica o neurologista. nasser allam explica que a estimulação Magnética nada tem a ver com o eletrochoque, um procedimento agressivo, invasivo e com grandes riscos à saúde do paciente, indicado para casos extremos de depressão. “São procedimentos absolutamente distintos. a estimulação magnética é indolor e não tem nenhum efeito colateral”, garante o médico. a depressão atinge mais as mulheres do que os homens, por conta dos fatores genéticos e hormonais envolvidos. e também os idosos, especialmente após a aposentadoria e a saída dos filhos de casa. Serviço Na Neurociências Consultoria & assessoria Endereço: SEPS 709/909 Centro Médico Julio Adnet Bloco a Sala 226 Telefone: (61) 3242-3060 / 3244-5452 E-mail: na.neurociencia@gmail.com

onde é aplicado: é feito um mapeamento cerebral do local para saber a melhor região a ser aplicada a estimulação efeito colateral: não tem nenhum. O paciente não sente dor nem choque restrição: não é realizado em crianças, gestantes e portadores de marcapasso ou qualquer outro artefato de metal outras patologias: estudos atuais sugerem novas possibilidades de uso, podendo ser indicado também na melhora da função motora em pacientes vítimas de acidente vascular cerebral (avc); transtorno Obsessivo compulsivo (tOc); zumbidos crônicos e intratáveis; fibromialgia; enxaqueca; além de outros casos de dor crônica Fonte: Neurologista Nasser allam


Revista GPS Brasília