Page 56

ESPORTE

>> 54

TÊNIS

NA PRAIA A nova onda esportiva para esta temporada é o beach tennis. Apresentado aos atletas pelos italianos na década de 80, a prática conta com o Brasil na segunda colocação no ranking mundial. E Brasília não está de fora

Por Andressa Furtado Fotos Fernanda Ferreira

V

erão de 2008. Rio de Janeiro, Praia de Ipanema. Uma nova modalidade surgia nas areias cariocas, o beach tennis. O chamado tênis de praia. Uma mistura do tênis tradicional, vôlei de praia e badminton. Conquistou os brasileiros e hoje é praticado em todo o País. Até mesmo na Capital Federal, longe do litoral brasileiro. Mais que um jogo, uma diversão. O uniforme é simples: short, blusa e boné. Para jogar, é preciso raquete e bola padronizadas. As raquetes não possuem cordas como as de tênis. São confeccionadas com materiais como kevlar, grafite e carbono, além de terem medidas menores, no máximo 30cm de largura e 55cm de comprimento. A bolinha, que diferentemente do tênis não pode quicar no chão, tem 50% da

pressão que uma de tênis tradicional, justamente para diminuir a velocidade do jogo. Ela é pintada em duas cores: laranja e amarelo ou verde e amarelo. O beach tennis deve ser praticado em quadras de areia, com dimensões de 16m x 8m e uma rede com 1,70m de altura. Do tênis e do frescobol, os atletas podem levar algumas manobras, como o lobby – a jogada em que a bolinha passa por cima do adversário e pinga na quadra – e o smash – a cortada forte e na direção do chão –, além do próprio saque. Entre as habilidades exigidas estão coordenação, reflexos e força muscular. A pontuação funciona como no tênis. As categorias e o número de games jogados variam, dependendo da organização do torneio. As princi-

pais categorias são: simples feminina, simples masculina, dupla feminina, dupla masculina e dupla mista. No Brasil, os torneios geralmente se dividem em profissional, A, B, máster +45, iniciante e infantil. Apesar de ser um esporte praiano e tendência para o verão 2014, conquistou a Capital Federal e os brasilienses. Alexandre Grangeiro, 44 anos, um dos adeptos do esporte, conta que a paixão pelo tênis de praia foi à primeira vista. “Por conta do trabalho e da correria do dia a dia, eu havia abandonado a atividade física, apesar de vir de uma família de jogadores de tênis. Não sou muito fã de academia e ainda não tinha achado um esporte para praticar. Há oito meses conheci o beach tennis e me apaixonei. Faço ativida-

de física e ainda mantenho meu lado competitivo”, conta o atleta, que já conquistou o primeiro lugar em campeonatos realizados pelo Brasil.

Torneios Praticado na Itália em meados da década de 1980, o beach tennis está hoje por todo o mundo. O Brasil é o segundo maior país em número de praticantes e de atletas no ranking mundial da International Tennis Federation (ITF). A paixão dos brasileiros pelo esporte é tão grande que, em 2011, o País sediou oito etapas de torneios da ITF. Ano passado, foram realizados campeonatos em Salvador, Fortaleza, Santos, Guarujá, Rio de Janeiro e São Paulo. Em dezembro, a Costa do Sauípe, que sedia torneios de tênis, recebeu uma das maio-

Revista GPS BRASILIA ed 6  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you