Issuu on Google+

A que você atribui o sucesso do Hugo Gloss? Acho que porque as pessoas gostam de sinceridade. Eu costumo muito ouvir que eu escrevo o que as pessoas pensam. Acredito que existe uma identificação positiva, do tipo “não tive coragem, mas ele teve, e falou”. Você tem circulado por locais de acesso super restrito e posado ao lado de artistas quase diariamente. Como tudo isso aconteceu?  Acho que é fruto do meu trabalho. Do fato de tentar sempre ser transparente e sincero sem ser ofensivo, sem xingar ou tratar mal. Ser ácido é diferente de ser leviano, mentiroso. Costumo sempre pensar: “Eu me ofenderia com isso?”. Acho que por conta disso, consigo ser aceito. Eu não sou do mal. Para mim, uma amizade vale mais do que qualquer pauta. Não vou destruir ou prejudicar alguém por cliques. Minha moral e minha criação não permitem. Como entrou no mundo das celebridades? Acho que comecei a falar deles e eles ficaram curiosos pra saber quem era. A primeira que conheci foi a Claudia Leitte. Tinha acabado de voltar pro Brasil e ela estava em Brasília num show privado. Vi no Twitter e falei que também estava. Ela falou pra eu ir ao show e eu fui, morrendo de vergonha. Só ela sabia quem eu era, nem o Huck me conhecia. Dos artistas que encontrou, qual seu maior ídolo?  Eu tremi na base quando conheci a Lady Gaga, que foi simpaticíssima. O que eu era mais fã foi o Jimmy Fallon, meu ídolo no entretenimento. Mas surpreendentemente as celebridades internacionais foram sempre muito gentis, todos têm muito carinho pelo Brasil. Quem você tem vontade de conhecer?  BEYONCÉ! A Rainha magnânima dos quadris. Meu sonho dar um abraço nela, sentir aquela peruca, pegar um pouco dessa magia que ela tem. Acho que eu não conseguiria nem me mexer. Também queria conhecer a Britney. Ela tem um jeito parecido com o meu, de ficar em casa comendo salgadinho e falando do povo. O que já conseguiu sendo o Hugo Gloss?  Tanta coisa, nem sei enumerar. O Hugo Gloss hoje é uma figura respeitada pelo público e pela classe artística. Consigo entrar e sair de qualquer lugar, falar com qualquer pessoa. O respeito é o maior bem que qualquer pessoa pode ter. É mais valioso que o dinheiro ou qualquer bem.

GPSBrasília « 65

revista_GPS_brasilia_edicao_12.indd 65

17/11/15 00:51


Revista gps brasilia edicao 12