Page 63

O SUCESSO As expressões que adotou repercutem nas ruas. “Tô xo” [estou chocado], “boy magya” [homem bonito] e “Aloka” [a louca]. E por que Gloss é tão amado? “Acho que pela sinceridade. Eu falo tudo o que penso”, reflete, revelando que a maioria de seus seguidores é de mulheres. “Acho que elas me veem como um amigo que conta as notícias”.  Bruno é da noite, acordar cedo é uma luta. Ansioso, quase não dorme. Fica desligado por quatro ou cinco horas. No máximo. Nas redes sociais atua sozinho, mas tem uma equipe de cinco pessoas que o ajuda no site. Tem ainda o perfil do Bruno. “Eu me dedico ao Gloss. Ele que é o engraçado. Separo muito a pessoa física do personagem. Por incrível que pareça, somos bem diferentes”, afirma. Bruno é noveleiro assumido. “Fazia isso com minha avó”. Seu sonho? Quem sabe, escrever uma novela. Talento ele tem. Seus resumos divertidos de  Verdades Secretas  renderam elogio do próprio autor, Walcyr Carrasco, que o chamou de “gênio do humor”. “O Walcyr foi muito generoso em suas palavras sobre mim. E eu amei. Fiz um resumo para cada capítulo. Fui quase um colaborador”. O  “resumo gloss” foi tão bem-sucedido que Rodrigo Lombardi, apelidado por ele de RajGrey - por conta do personagem de Caminho das Índias e por Christian Grey, de Cinquenta Tons de Cinza -, passou a ser chamado assim nos bastidores. “A minha forma de comentar sempre foi bem humorada e até ácida. Tive receio de que alguns enxergassem como ofensa, mas a repercussão foi 100% positiva”, comemora.

BRASILIENSE Desde que foi contratado pela Globo, Bruno mora no Rio. Vive sozinho em um apartamento na Barra da Tijuca. Pelas paredes, muitos quadros, comprados em vários lugares do mundo. “A Suely, que trabalha lá em casa, fica louca, pois cada vez que eu viajo chego com um cacareco”, revela. “Sou obcecado”. Mas a verdade é que Bruno é nascido e criado na Capital Federal. Morou a vida toda na Asa Norte, estudou no Colégio Sagrado Coração de Maria. É da época auge do Pier 21. “Vivi momentos incríveis em Brasília”. Daqui, leva um pouco do jeito brasiliense. “Falo muito ‘oxi’, fico esperando os carros pararem na faixa de pedestre e chamo as mães dos amigos de tia”, diverte-se, às gargalhadas. Pelo menos uma vez por mês vem à cidade visitar a mãe, a irmã e a sobrinha, que acabou de nascer, além de tios e amigos. “Vou para Brasília para me desconectar, para voltar para as raízes. É um lugar que conheço bem, em que sei que não vou me perder, em nenhum sentido. É um porto seguro, onde recarrego minhas energias. Volto daí cheio de amor de família e muita positividade”, conta. GPSBrasília « 63

revista_GPS_brasilia_edicao_12.indd 63

17/11/15 00:51

Revista gps brasilia edicao 12  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you