Page 89

ELA TRANSITA PELA TEVÊ, TEATRO E CINEMA. ÍNTIMA DA CENA ARTÍSTICA, ISABEL WILKER CRESCEU VESTINDO FANTASIAS DE FIGURINISTAS DA GLOBO E NAS COXIAS DE GRANDES PALCOS. MADURA, ELA ESTÁ PRONTA PARA TRILHAR SEU PRÓPRIO CAMINHO APÓS A MORTE DO PAI, JOSÉ WILKER POR ANDRESSA FURTADO | FOTOS BRUNO

PIMENTEL

Q

ue caminho seguir? A decisão não foi simples, mas assertiva. Filha única do casamento dos atores Mônica Torres e José Wilker, a atriz, apresentadora e modelo Isabel Wilker não tinha certeza se queria se enveredar para a área artística. E, apesar de crescer e ter pais respeitados no meio, não foi fácil iniciar a carreira. Bel já foi recusada em testes para novelas, como Belíssima e Insensato Coração. “Eu tinha dificuldade de me expor, de fazer testes com diretores que me conheciam desde pequena. Era medo de decepcionar as pessoas. Foi um grande processo até me sentir segura”, analisa a atriz de 30 anos. Fisicamente, Bel é bem parecida com a mãe, mas seus olhos marcantes e cheios de personalidade lembram o saudoso pai. Independentemente da semelhança física com a mãe e o sobrenome do pai, ela se preocupa em traçar o seu próprio caminho. “Isabel tem luz, inteligência e sensibilidade. Doce e forte, ela sabe o que quer e procura seu rumo sem privilégios. Meu amor, orgulho e admiração só crescem”, elogia Mônica Torres. E é sem privilégios que Isabel segue a carreira de atriz. “A pressão sempre existiu. Acho que é normal para quem nasce em uma família de artistas. Cresci nos bastidores das novelas, de espetáculos. Me lembro de brincar no cenário de Fera Ferida. Achava tudo aquilo incrível. As roupas dos personagens, as locações. Os

diretores me viram crescer”, conta Bel, que teve uma infância preenchida com muita arte e usava fantasias feitas pelas figurinistas do Projac. Isabel é talentosa e muito estudiosa. Formou-se em Letras pela PUC do Rio de Janeiro e morou em Londres enquanto trabalhou como modelo. Sua estreia como atriz foi em 2008, com participação em Ciranda de Pedra, na TV Globo. Bel também atuou na novela  Geração Brasil, ano passado. Na trama, interpretou Evangeline Rose, uma modelo ítalo-brasileira que se envolvia com Brian Benson, papel de Lázaro Ramos. A primeira experiência como apresentadora foi em 2010, no programa Bastidores, do Multishow, uma revista cultural, com proposta jovem, em que Bel viajava para entrevistar artistas e conhecer países. “Fui para Jordânia, São Francisco. Entrevistei Gilberto Gil, Skank. Fiz cobertura de vários shows, como o de Jason Mraz e Los Hermanos. Não tínhamos uma grande equipe, era um esquema meio roots, sem maquiador. Foi uma ótima experiência”, relembra. Na GNT, apresentou o programa Perfumes da Vida, em 2012. No cinema, fez quatro curtas-metragens. Apesar da imensa vontade de fazer novos trabalhos para as telonas, atualmente está mergulhada no teatro. Antes de interpretar Maude, na peça Hora Amarela, que fez turnê pelo Brasil, estava em cartaz com  Brincar de Pensar, espetáculo baseado em oito contos de Clarice Lispector. GPSBrasília « 89

revista_GPS_brasilia_edicao_11.indd 89

07/08/15 00:39

Revista GPS Brasilia 11  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you