Page 90

RETRANCA

O arquiteto Lelé pensou em tetos no formato de ondas para permitir a entrada de luz e ventilação natural

O LEGADO

ARTE E NATUREZA

Ele, um excelente médico, um extraordinário gestor. Ela, uma jovem envolvida com a arte, que começava a desenvolver trabalhos na área de neurociência, uma especialidade pouco conhecida na época. Campos da Paz encontrou na estudante recém-chegada da Universidade de Brasília (UnB), Lúcia Braga, a parceria necessária para expandir a Rede Sarah e levar sua expertise para o resto do mundo. Ele já havia vislumbrado que os estudos da neurociência abririam um campo de oportunidades por desvendar os mistérios do cérebro. Por isso, convidou Lúcia para integrar a equipe. Quem trabalha na Rede Sarah assume um comportamento humanista. Lúcia está há 38 anos no Sarah. Em 2007, substituiu Campos da Paz na gestão da rede. Dificilmente, alguém irá encontrar um funcionário recém-contratado. Eles estão ali há anos, em dedicação exclusiva. Campos da Paz é o maior exemplo de que não há outro lugar que médicos e profissionais da saúde queiram estar senão no Sarah. Com a saúde fragilizada, ele sempre se tratou no hospital que ajudou a criar. Faleceu no dia 25 de janeiro deste ano, na unidade centro, em Brasília, devido a uma insuficiência respiratória.

Um paciente com lesão medular, por exemplo, precisa manter o braço fortalecido para conseguir sair da cadeira e fazer tarefas cotidianas, como ir ao banheiro e deitar-se na cama. Inevitavelmente, os exercícios de fisioterapia vão ficando chatos e cansativos. Por que não deixar o paciente remar no Lago Paranoá? Para aqueles que têm dificuldade de equilíbrio, por que não levá-los para um veleiro e trabalhar os movimentos de uma forma natural e agradável? O engenheiro argentino Luís Lancelli foi acometido de poliomielite aos seis anos de idade. Ele trata há 34 anos na Rede Sarah e chegou a ser atendido pelo próprio Campos da Paz. As sequelas da doença o afetaram nas duas pernas e no braço. Com o trabalho desenvolvido no hospital, Lancelli conseguiu reverter algumas limitações. Ele não sente mais as dores de cãibras que sentia no passado, graças a um trabalho multidisciplinar que envolve uma equipe de seis profissionais. O trabalho de Lancelli não se limita às sessões em que tonifica seus músculos. O engenheiro também passou a criar histórias em quadrinhos. “Sempre tive uma inclinação pela arte. Foi frequentando o Sarah que criei

90 « GPSBrasília

revista_GPS_brasilia_edicao_10.indd 90

07/04/15 00:10

Revista GPS Brasília 10  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you