Issuu on Google+

FUNCIONALIDADE A principal função dos cobogós é controlar a entrada da luz natural e a ventilação. E apesar dessa sensação de liberdade, também dão privacidade. “O interessante é que eles nos dão uma boa visão de dentro para fora do edifício. Já quem vê de fora para dentro tem dificuldade de identificar, pelo menos de dia, o que acontece internamente. Há uma privacidade”, explica o arquiteto Paulo Marcos. Além disso, são uma opção mais em conta para as construtoras, pois saem mais barato que usar esquadrias. E muitas fábricas passaram a produzi-los. Em Brasília, não se pensou nos meses mais frios. “Como a maioria dos arquitetos que projetaram os primeiros prédios vieram do calor do Rio de Janeiro e ainda não se conhecia o clima do Cerrado, eram elementos comuns nos projetos”, lembra o arquiteto. Para os dias quentes, sempre foi útil, já que naquela época não se usava muito ar-condicionado. Mas o que não sabiam era que há dias

Escola Classe da 308 Sul

frios no Cerrado. “Aqui, é preciso ter cuidado com o uso. Em salas e quartos, por exemplo, não são recomendados, pois temos madrugadas frias”, diz Paulo Marcos. A arquitetura moderna é inspiração para muitos arquitetos da cidade e, como os cobogós são a cara de Brasília, não é difícil encontrá-los em projetos diversos, como lojas, restaurantes e residências. “Hoje, há uma infinidade de tipos e cores, e o próprio arquiteto pode desenhá-lo. Ele nunca vai sair de moda”, diz o arquiteto Ney Lima. “Recentemente usei na fachada de uma casa no Lago Norte, serviu como

GPSBrasília « 77

revista_GPS_brasilia_edicao_10.indd 77

07/04/15 00:09


Revista GPS Brasília 10