Issuu on Google+

DESIGN

0XLWDVSHVVRDVGL]HPTXHYRF¬WHPXPERP instinto, é uma farejadora de preciosidades. Sim, é sempre assim, e não sei de onde vem. Provavelmente dizem isso porque eu tenho o olho decidido. Mas não é suficiente para se manter nesse negócio. Como você atua nesse mercado de maneira tão certeira e agressiva? Não quero parecer rude, mas é preciso dinheiro para investir na hora certa. O sucesso tem o seu preço. E, além do olhar e do investimento, eu exponho as peças dos meus designers nas feiras internacionais. Você representa cerca de 25 designers. É um árduo WUDEDOKR" Terrível, acredite…, porque você precisa lidar com seres humanos. Me sinto em um teste do curso de Psicologia na universidade. São muitos os problemas, porque boa parte deles tem o ego elevado. Fotos: Danielle Venturelli

2TXHID]GDVXDJDOHULDUHIHU¬QFLDPXQGLDO" Acho que minha especialidade em misturar as peças, e não mostrá-las em um universo branco. Eu tento montar ambientações, mas não faço decoração. Dou bons conselhos, pois a maioria dos clientes torna-se amigo. Eu adoro fazer isso. Mesmo com a sua expertise, é uma loteria investir em peças que podem não render tanto quanto imaginava? É absolutamente desse jeito, mas meu propósito real é que as pessoas possam sonhar através dos ambientes. Tenho clientes que me acompanham há 30 anos. Muitos deles são bastante entendidos, rápidos e espertos. É muito mais fácil lidar com essas pessoas. Você nunca adentra o mundo da arte? Às vezes, faço colaborações. Você conhece designersEUDVLOHLURV" Eu conheço Joaquim Tenreiro, Sergio Rodrigues e Jorge Zalszupin. Eu gosto muito, mas não lido com mobília brasileira.

58 « GPSBrasília

revista_GPS_brasilia_edicao_10.indd 58

07/04/15 00:08


Revista GPS Brasília 10