Issuu on Google+

Saúde

>> 94

Santo

Usada em mais de cem tipos de tratamentos, a toxina botulínica é a nova salvadora de casos de dores crônicas

Botox Por Raquel Jones

A

toxina botulínica, mais conhecida como botox, já foi considerada vilã. Depois, passou a ser o segredo de beleza de inúmeras mulheres. Atualmente, já consagrada sua eficácia na estética, passou a ser usada em tratamentos de doenças crônicas e até mesmo para amenizar dores. A ação e a segurança do produto o tornam cada vez mais reconhecido em tratamentos médicos. A toxina já é usada em pacientes com paralisia cerebral, lesão medular e outras

doenças neurológicas para tratar a espasticidade, quando os músculos permanecem contraídos. A técnica é utilizada também em pacientes com distonias devido a contrações musculares involuntárias. De acordo com o neurologista e coordenador do Consultório de Toxina Botulínica no Hospital de Base de Brasília, Nasser Allam, centenas de trabalhos no mundo começaram a mostrar a ação da toxina em tratamentos de doenças que causam dores insuportáveis, que já levaram

muitas pessoas ao suicídio. “Em 2005, publicamos um trabalho na revista Journal of Pain, que é uma das maiores revistas do segmento para dor, mostrando o uso da toxina botulínica no tratamento de nevralgia do trigêmeo. A toxina é mais uma ferramenta para se tratar dor crônica”, afirma Allam. Recentemente, foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o uso do botox para o tratamento de outra doença, a enxaqueca crônica. A toxina possui


Revista GPS Brasilia 4