Page 64

Em busca da profissionalização e para solidificar o status de artista, iniciou, nos anos 2000, o curso de Artes Plásticas na Faculdade de Artes Dulcina de Moraes. “Eu queria ser reconhecido como o artista Sanagê e não como ‘aquele artista negão’ e outros preconceitos. Por isso, fui em busca desse respeito”, desabafa. Logo na primeira mostra de trabalhos da faculdade, o professor-avaliador lhe proferiu diversos elogios eloquentes ao ver suas obras. “’Sanagê, você não faz ideia do potencial da sua arte. Já existe literatura a respeito, precursores, todo um movimento artístico onde o seu trabalho se encaixa’, me disse o professor”, relembra, orgulhoso. Foi assim que, teoricamente, o Neoconcretismo – de Ferreira Gullar, Lygia Clark, Lygia Pape e companhia – efetivou-se na vida do artista. O Neoconcretismo é um movimento de contracultura nascido no Rio de Janeiro por volta de 1950. Pretendia agregar sentimento às expressões artísticas, em contraposição ao Concretismo Puro, predominante na época, que enxergava a arte como mero objeto. Partindo do pressuposto de inserir sensibilidade às esculturas, hoje, Sanagê Cardoso é o precursor da Neoclipe. Em livre interpretação, o neologismo é classificado como o resultado das proporções do clipe ou prendedor, com significados e desdobramentos de soluções.

ALÉM DOS CLIPES Entretanto, não apenas da Neoclipe vive a arte de Sanagê. O Lado Quadrado de Brasília foi a exposição que solidificou o trabalho do artista. O feito foi transportar para o aço carbono monumentos e símbolos estratégicos da cidade como as asas Sul e Norte, a Catedral, os Cogobós, o Santuário Dom Bosco. Brasília também foi inspiração para outra mostra de Sanagê. A exuberância do trabalho de Athos Bulcão espalhada pela cidade inspirou o escultor a produzir as obras do azulejista em terceira dimensão. Athos Vive foi a exposição mais viajada de Sanagê até o momento. Além de Brasília, passou por Rio de Janeiro, Sergipe, Goiânia, dentre outras capitais.

64 « GPSBrasília

A PRODUÇÃO No Lago Sul, uma bela placa laranja em formato de clipes com quase dois metros de altura por um de comprimento anuncia: Ateliê Sanagê. O lugar ocupa uma generosa área de oito mil metros quarados numa rua sem saída. Atua mais como um espaço de exposição a céu aberto do que estúdio de produção. Esculturas de todas as fases artísticas podem ser vistas ali. Também no local, o artista recebe grupos de estudantes de faculdades de todo o País, amigos, curiosos e admiradores. Inclusive, ficar ali con conversando sobre arte é uma das ativida atividades que Sanagê mais gosta. As obras, de fato, são produzidas em uma metalurgia em Águas Claras, mesma região onde o artista mora. São 38 km até o Lago Sul. percur“Faço, feliz, esse percur so todo dia.”, revela. Aos 62 anos de idade, sorriso no rosto e um bom papo, Sanagê é casado há 14 anos. Tem um filho de 22 anos que preferiu construir o próprio caminho ao entrar na faculdade de Educação Física. “Acho até bom meu mifilho ter sua vida. Essa história é mi nha, não dele”, opina. prenunPara o próprio futuro, Sanagê prenun cia com exclusividade para a GPS|Brasília: uma linha de móveis. Alguns já são realidade e podem ser admirados no ateliê. É o caso do sofá em aço carbono com os pés em formato de clipes; o divã que possui o encosto lembrando o objeto; ou a cadeira de três pés. “A evolução será aperfeiçoar a proposta existente e criar novas formas na arte do design de interiores”, revela. Serviço sana e com br

Revista GPS Brasília 15  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you