Issuu on Google+

DESDE OS CINCO ANOS ELE SUBIA AO PALCO COM O PAI PARA SE APRESENTAR NO CLUBE DO CHORO. AOS 40, HAMILTON DE HOLANDA É CONSIDERADO O MAIOR INSTRUMENTISTA DO PAÍS. COM SEU BANDOLIM, ELE GIRA CONTINENTES EM TURNÊS, ENQUANTO COMPÕE ININTERRUPTAMENTE. “EU SOU UM LIFEAHOLIC” POR MARIANA ROSA « FOTOS ADRIANO MACHADO

geração brasileira. Desenvolver canções com o bandolim e instrumentos de cordas é o que mais inspira o bon vivant. O músico é um workaholic assumido. Destina a maior parte do tempo pensando, compondo, cuidando da família e dos três filhos. Entretanto, faz questão de enfatizar: “Sou também um lifeaholic. Existe essa expressão? Se não existe acabei de inventar! Eu tento fazer a vida ser agradável e ter bem-estar diante de tudo isso, porque não está fácil com esse mundo cheio de mazelas e injustiças...” De fato, o termo lifeaholic existe. A expressão representa o oposto de workaholic. Trabalhar muito e, ao mesmo tempo, aproveitar a vida, parecem opostos, mas a dicotomia convive em paz no dia a dia do carioca. É o que ajuda a fazer de Hamilton uma figura ímpar

no cenário mundial da música instrumental, ao conseguir trabalhar com precisão os elementos essenciais da arte – melodia, ritmo e harmonia – ao mesmo tempo que convive com as adversidades da vida moderna. Em passagem por Brasília para o lançamento do novo CD Alegria, o chorão – como é conhecido quem toca choro – inaugurou o trabalho para o público infantil, em parceria com a Orquestra do Estado do Mato Grosso. Durante o show beneficente no Shopping Conjunto Nacional, o cachê dos artistas foi doado para a instituição Abrace. E, de fato, foi bonito ver a interação do músico com os pequenos na plateia, cantando juntos clássicos como o Sítio do Pica-Pau Amarelo, A Pantera Cor-de-Rosa, Super Mario Bros e composições próprias. GPSBrasília « 47


Revista GPS Brasília 15