Issuu on Google+

Em cena, nas peças Tudo Sobre a Nossa Vida Sexual e Procura-se: Homem Fiel; e no Instituto de Artes da UnB

a cena. Já na televisão, tem a edição, entre outros elementos. É outra dinâmica”, compara. Há cinco anos, vira e mexe, Bernardo é visto na telinha da Globo. A participação em A Lei do Amor foi mais uma para o currículo, que inclui mais de 15 trabalhos, como Amor eterno amor, Amor à Vida, Cheias de Charme, Avenida Brasil, Lado a Lado, Em Família, Império, A Grande Família, Tapas e Beijos. Foi durante uma temporada no Rio de Janeiro, em 2011, que vieram os primeiros testes. “Antes de fazer minha primeira participação em Zorra Total, em 2012, já tinha feito uns seis testes”, lembra. O primeiro papel foi na novela Joia Rara, em 2013, quando viveu o garçom Juca. Morou oito meses na Cidade Maravilhosa. “Trabalhar com um contrato é diferente porque você faz parte daquele produto. Fica mais à vontade”. Em 2014, viveu seu segundo papel, o detetive Moura, em Malhação, e ficou mais cinco meses na cidade. Contracenar com grandes nomes do segmento agregou ainda mais na bagagem do ator. “Em Tapas e Beijos, gravei duas participações com Vladimir Brichta. Ele foi extremamente generoso”, lembra. Em Avenida Brasil, dividiu cenas com o conterrâneo Juliano Cazarré. “Ele também estudou na UnB. Quando eu entrei na universidade, ele estava quase se formando. Chegamos a nos cruzar em uma disciplina. Naquela época, eu já prestava muita atenção nele”, conta. Ao aparecer na TV, a repercussão profissional é maior. “Quando acabei de gravar as novelas e retornei para Brasília, em 2013, tive um feedback que demoraria anos no teatro para conquistar. Queria estar nessa mídia grande. Foi quando vi que precisava de um meio de massa e surgiu a ideia do canal de humor no YouTube”, recorda, sobre a criação do Canal Só 1 Minuto, junto com Flávio Nardelli, Diego Brandão, Guilherme Melo e Tony Rangel. Tem 17 milhões de visualizações e 170 mil inscritos.

Na era da informação, ter um canal próprio se tornou algo acessível. Em contraponto, destacar-se no meio da multidão não é fácil. “Não adianta você ter um bom vídeo e não ter uma boa divulgação. Como o Nardelli é assessor de imprensa, divulga nossos vídeos em blogs de humor”, diz. Cerca de 90% do conteúdo produzido é sobre relacionamentos. O brasiliense confessa que se inspira em vivências pessoais e de amigos. “Meus amigos sabem que, se eles me contarem alguma história boa, há chance de virar uma adaptação para o canal”, conta. No cinema, fez participações em filmes como Neófito, de Jetro Osytek, e Faroeste Caboclo, de René Sampaio. “É um universo que me interessa muito. Brasília, inclusive, está se destacando nesse cenário, com nomes como Iberê Carvalho, José Eduardo Belmonte e René Sampaio. Além de termos o Festival de Cinema de Brasília, que é fortíssimo”, pontua. Em breve, ele retornará aos palcos da Capital. No primeiro semestre de 2017, ele volta com a peça Tudo Sobre Nossa Vida Sexual, que agitou a cena cultural da cidade em setembro. “Certamente é o papel que atuei até hoje com que mais me identifiquei”, afirma. Bernardo deseja ainda escrever novas peças e continuar ministrando cursos, e também morar novamente no Rio ou São Paulo.

44 « GPSBrasília

[GPS_brasilia_edicao_15 2.indd 44

04/12/16 17:38


Revista GPS Brasília 15