Issuu on Google+

OLIMPÍADAS

O TIME BRASIL LIDERADO POR UM EX-MEDALHISTA DO TIME DE VÔLEI, O COMITÊ OLÍMPICO BRASILEIRO OFERTARÁ ESTRUTURA DE ALTA PERFORMANCE PARA ACOMODAR A DELEGAÇÃO BRASILEIRA, COM O INTUITO DE CHEGAR ENTRE OS DEZ PAÍSES MEDALHISTAS DOS JOGOS DE 2016 POR ANDRHEA DEPIERI

R

io de Janeiro – Durante 17 dias, 306 provas serão disputadas. São 42 modalidades de esportes. Entre eles, o golfe retorna à competição após mais de um século afastado; e o rúgbi, após 92 anos. São 32 locais de competição, espalhados em quatro regiões: Deodoro, Maracanã, Barra da Tijuca e Copacabana. A parte emocionante: 10,5 mil atletas de 206 países distintos concentrados na cidade maravilhosa. Difícil não se emocionar. Desde 2014, 39 eventos-teste foram realizados para que tudo ocorra conforme planejado. No comando temos o RIO 2016, órgão que assina organização e execução dos jogos. Estão à venda 7,5 milhões de ingressos. O objetivo: tornar o Brasil uma potência olímpica.

Apesar das dificuldades enfrentadas, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) prepara uma gigantesca estrutura para os atletas locais, incluindo a manutenção da auto-estima desde já. De pronto, lançou o grupo Time Brasil, que reúne 18 personagens amantes de esporte, cuja missão é incentivar a delegação brasileira. Afroreggae, Ivete Sangalo, Preta Gil, Rodrigo Faro, Otaviano Costa, Toni Garrido, Luciano Huck, Claude Troisgros, Carol Sampaio, Ana Carolina, Bruno Chateaubriand, Fábio Porchat, GabyAmarantos, Grazi Massafera, Luan Santana, Roberta Sudbrack, Rodrigo Lombardi e Thiaguinhoforam os eleitos espontaneamente. Também foi criada uma logomarca. E a música de Jairzinho e Simoninha deu o nome de Ginga para o mascote, uma onça pintada. Os atletas terão vários pontos de encontro: o Centro de Treinamento de Alta Performance, na Urca, com estrutura de hospedagem, alimentação, além de área médica e ciência de esporte; na Barra da Tijuca, dois núcleos semelhantes serão instalados; ainda por lá, a Casa do Time Brasil será o ponto de encontro para celebração das conquistas de medalha. Fala-se que a delegação brasileira jamais foi tão bem recebida em outro solo. E um dos maiores responsáveis por todo este trabalho é o diretor executivo do COB, Marcus

88 « GPSBrasília

[GPS_brasilia_edicao_13.indd 88

13/04/16 22:22


Revista GPS Brasília 13