Issuu on Google+

Diesel subsidiado, estação de piscicultura e Velas ao Vento incentivam pesca A psicultura receu em 2015 atenção especial do Governo do Estado. Projetos antigos foram consolidados e novas ações objetivam ampliar pro-

dução pesqueira gerando mais emprego e renda para a população. Conheça os principais programas para a área desenvolvidos nos últimos 12 meses:

> Combustível O Governo do Estado deu continuidade ao Programa de Equalização do Preço do Óleo Diesel para Embarcações Pesqueiras, que visa dotar de mais competitividade a pesca bra-

sileira frente às rotas internacionais que atuam no Atlântico Sul. A medida beneficiou diretamente 38 embarcações, totalizando uma renúncia fiscal de R$ 2.491.654,66 milhões.

> Estação de Piscicultura A parceria com o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) também rendeu bons frutos. Juntos, os dois órgãos reativaram o laboratório da Estação de Piscicultura Estevão de Oliveira, em Caicó, que estava paralisado devido a problemas no abastecimento de água por pelo menos seis meses. Com a retomada das atividades do laboratório, foi possível voltar a produzir alevinos para povoa-

mento de todos os açudes públicos do Rio Grande do Norte. A expectativa é que, mesmo com a seca severa, a produção do laboratório chegue a três milhões de alevinos por mês (tilápia, carpa, piau, tambaqui e curimatã). A medida beneficia diretamente todos os açudes existentes no estado e em torno de 12 mil famílias pertencentes às 40 colônias de pescadores de águas interiores catalogadas pela secretaria.

> Velas ao Vento O programa Velas ao Vento visa oferecer capacitação tecnológica e estrutura física a quase 900 pescadores artesanais potiguares, qualificando-os para o uso da vela e de equipamentos de georreferenciamento (GPS), que foram distribuídos por meio do programa. Os pescadores de pequenas embarcações são os principais beneficiados e receberam equipamentos de GPS e cursos de adequação e substituição das velas das embarcações e manutenção preventiva de motores pequenos, em um investimento total de quase R$

600 mil. A expectativa é atingir 870 pessoas na primeira etapa do projeto, em 29 colônias de pescadores. A ideia é qualificar os trabalhadores para o uso do GPS e orientá-los para o uso da vela, considerada o meio de propulsão mais seguro para quem navega. Treinamentos de manutenção de motores pequenos também serão ministrados. Cento e quarenta e cinco equipamentos GPS foram distribuídos para as colônias e 870 velas entregues aos pescadores durante solenidade que aconteceu na 53ª Festa do Boi, em outubro. 79


RN no Caminho do Desenvolvimento