Issuu on Google+

Estado monitora qualidade e uso racional das águas de reservatórios Durante 2015 o Instituto de Gestão de Águas do Estado do Rio Grande do Norte, gerido por Josivan Cardoso Moreno, atuou constantemente no enfrentamento da seca a qual o potiguar já vem enfrentando a alguns anos como também na fiscalização e regulamentação de obras pelo estado. Ao todo foram 474 pontos com coletas de amostras e a obtenção dos resultados de análises laboratoriais de qualidade da água e sedimento de fundo em todo o ano e no território potiguar através do programa Água Azul. Além de 30 análises laboratoriais de qualidade da água. Em 2015 foram realizadas 1.047 outorgas e dispensas além de 681 dispensas e licenças de obras hidráulicas. Para evitar cometer irregularidades é importante realizar o pedido de outorga e licenças no Instituto, para realizar obras maneira legal e segura. Devido ao atual estado de seca no estado, o pedido de outorgas para a perfuração de poços algumas regiões do estado foi eliminada durante este ano, a fim de auxiliar o potiguar que irá buscar o recurso hídrico sob o solo. Os nossos reservatórios quem

têm capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos também tiveram o monitoramento quali-quantitativos, sendo ao todo 47 reservatórios monitorados. De posse das informações colhidas foi possível realizar ações como, por exemplo, o enfrentamento à seca. Usando dados alcançados como subsídios para estudos e políticas que cooperem na gestão destes recursos hídricos juntamente com a ANA, como foram os novos regimentos para o uso de água da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves e o canal Pataxó e o rio Pataxó. Novas resoluções para produtores de diversos setores que atuam na área ampliaram a perspectiva para que se chegasse ao volume morto que antes era para outubro de 2016 e agora esta previsão expandiu-se até fevereiro de 2017. O programa Água Nossa que trabalha a educação no uso racional dos recursos hídricos em escolas realizou 230 ações entre seminários com a comunidade, alunos, professores e secretarias para trabalhar as práticas e a educação dos usuários tendo como horizonte um futuro melhor e garantido para as gerações que virão.

77


RN no Caminho do Desenvolvimento