Page 1

Impresso Especial

Jornal da FETAG-RS

3833/2006-DR/RS

FETAG-RS CORREIOS Filiada à

Integrante do Sistema CONTAG de Comunicação Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil

Órgão da Federação e dos Sindicatos dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul - Ano XI - Nº 148 - Dezembro/2010

Eleições na Fetag têm chapa de consenso

Weber, juntamente com Elisete, Bonfanti, Josiane, Miotto e Miranda, colegas de diretoria, entrega a nominata da chapa para Aldemir, presidente da Comissão Eleitoral, que é integrada ainda por Inês, Lécio, Cláudio e Rejane

N

o dia 17 de dezembro se encerrou o prazo para inscrições de chapas para o Congresso Eleitoral da Fetag, que ocorrerá no dia 11 de janeiro. Uma chapa de consenso, encabeçada pelo atual presidente Elton Weber, foi registrada pela Comissão Eleitoral. Confira na página 5 a nominata e os cargos dos 27 integrantes da diretoria e do Conselho Fiscal para os próximos quatro anos.

Fetag ultrapassa fronteira e faz mobilização no Uruguai

... e próspero 2011 desejam diretores, assessores e funcionários da FETAG-RS! Bonfanti liderou a manifestação inédita que surtiu efeito na COP-4


2 EDITORIAL

Novo ano, novos desafios! Estamos chegando ao final de 2010, ano em que a Fetag completou o seu 47° aniversário, com uma longa história de lutas e de conquistas. No decorrer deste período, procuramos cumprir com a missão da Fetag, que é coordenar e mobilizar a categoria a partir dos problemas sentidos e vividos. E muitos foram os problemas em 2010. Ele se iniciou com excesso de chuvas, praticamente em todo o Estado, onde tivemos, inclusive, morte de agricultores. Ao mesmo tempo, se colheram boas safras, porém os preços da maioria dos produtos ficaram aquém do esperado e do necessário. Produtos como fumo, milho, trigo e o leite, entre outros que tiveram valores abaixo da expectativa e até mesmo do custo de produção. Ao longo do ano, nos debatemos com um tema que já era problema em 2009, isto é, o atraso no pagamento de integrados da Doux-Frangosul. Pior do que ficar sem dinheiro é a falta de ração para os animais. Esse assunto ainda deverá ser discutido em 2011. A Fetag, ainda em 2010, teve uma presença significativa no Grito da Terra Brasil, em que mais uma vez foi elaborada uma grande pauta de reivindicações, com alguns avanços significativos para nossa categoria. Também um ano de eleições, em que as lideranças do movimento sindical se envolveram no processo eleitoral, em especial a reeleição do deputado estadual Heitor Schuch, que representa uma conquista para a classe trabalhadora. As Semanas Sindicais realizadas em todas as regionais se constituíram em importante atividade, que envolveu 17.908 famílias. Além disso, a Fetag promoveu o 1° Encontro dos Rurais filiados à CTB-RS, oportunidade em que se debateu a organização, como ampliar e fortalecer o espaço dentro da central. Diversas atividades, como o Encontro de Mulheres Dirigentes Sindicais, o Festival Nacional da Juventude e inúmeros encontros de aposentados igualmente aconteceram. Já na área de Formação, da mesma forma foi um ano importante e teve a realização de um seminário estadual em que foram definidas algumas diretrizes, não só para 2010, bem como para os próximos anos. O curso de formação de lideranças, com a presença de 39 pessoas, além da participação da Fetag na Escola Nacional de Formação da Contag, igualmente se constituiu em momento importante. Outra conquista foi o projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa, que trata do protetor solar e que será distribuído de forma gratuita para os agricultores familiares. Ao final do ano, houve todo um trabalho de articulação para a formação de chapa que concorre às eleições do dia 11 de janeiro da Fetag. A direção eleita irá dirigir a Federação nos próximos quatro anos. O ano de 2011 certamente nos trará muitos desafios para continuarmos representando da melhor maneira possível toda a nossa categoria, os agricultores familiares, os assalariados e os pecuaristas familiares. Nós teremos o Congresso Estadual da Fetag, que deverá ocorrer no mês de outubro, ocasião em que serão definidas as linhas de ação para os próximos quatro anos. Além disso, o ano se inicia com uma nova diretoria sendo eleita e, posteriormente, sendo empossada, que irá dar continuidade a todas as ações do movimento sindical. Um grande desafio será, igualmente, o debate que deverá ocorrer em relação à mudança do Código Florestal. Este assunto, tratado em 2010, mas que em 2011 vai motivar muito debate e a Fetag vai acompanhar tudo isso acreditando que conseguiremos construir uma nova legislação que trate de forma diferente os agricultores familiares do que vem sendo tratado pela atual legislação ambiental.

Jornal da FETAG-RS REGISTROS

Fetag reúne imprensa Roteiro discute previdência e faz balanço do ano

Roteiro atraiu grande número de pessoas Diretoria respondeu as perguntas por cerca de uma hora

O Departamento de Comunicação da Fetag promoveu no dia 17 de dezembro o tradicional almoço de fim de ano com a imprensa, ocasião em que mais de 35 profissionais da Capital prestigiaram o encontro. O presidente da Fetag, Elton Weber, juntamente com os demais membros da diretoria, respondeu questões referentes a Frangosul, leite, eleições na Fetag, conjuntura, entre outros questionamentos.

Cadastramento dos segurados especiais, aspectos legislativos e problemas nos encaminhamentos de benefícios previdenciários estiveram entre os temas do roteiro de capacitação em Previdência Social que a Fetag desenvolveu no dia 9 de dezembro em Alegrete. A secretária-geral da Fetag, Elisete Hintz, diretora responsável pelas políticas sociais, lembra que o roteiro teve início no dia 30 de novembro, em Pelotas, e seguiu para Santa Maria no dia 1º.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

Estágios na Alemanha A Agência de Fomento a Estágios de Brasileiros no Exterior (Afebrae) prossegue com inscrições abertas para estágios na Alemanha, em atividades do setor primário (agricultura, fruticultura, pecuária, floricultura, enologia, entre outras) ao longo de 2011/2012. As inscrições se encerram no dia 7 de janeiro e como pré-requisitos os jovens devem ter idades entre 18 a 25 anos, ser solteiro, falar a língua alemã e possuir alguma experiência no meio rural. Em fevereiro de 2011 serão realizadas as provas de seleção, que incluem manejo de máquinas e trato com animais. Já a parte teórica contempla conhecimentos gerais e língua alemã. Os candidatos aprovados são chamados para assinar um contrato de estágio e providenciar a documentação necessária para a obtenção de visto. O embarque está previsto para agosto de 2011. Mais informações com Vânia pelo fone (54) 3281-1465 ou através do e-mail afebrae@brturbo.com.br - www.afebrae.com.br

Jornal da FETAG-RS

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DAS COOPERATIVA DAS AGROINDÚSTRIAS E ARTESANATOS DOS TRABALHADORES (AS) DO RIO GRANDE DO SUL – COOPERAGROART/RS CNPJ 10.454.647/0001-47

O Presidente, no exercício de suas funções, convoca a todos os associados para participarem de Assembleia Geral Ordinária da COOPERATIVA DAS AGROINDÚSTRIAS E ARTESANATOS DOS TRABALHADORES (AS) DO RIO GRANDE DO SUL – COOPERAGROART/RS, a ser realizada no dia quinze de dezembro de dois mil e dez na sede da FETAG-RS, localizada na Rua Santo Antônio, n° 121, na Cidade de Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul, às 09h00min em primeira convocação com a presença de dois terços dos associados em condições de votar, em segunda convocação às 10h00min com a presença de metade mais um dos associados, e, em terceira convocação às 11h00min com a presença mínima de dez associados, para deliberarem sobre as seguintes ordens do dia: 1. Prestação de contas da Administração, acompanhada do parecer do Conselho Fiscal, compreendendo apresentação de relatório da gestão, balanço geral e demonstrativo de resultado econômico referente aos exercícios de 2008 e 2009; 2. Admissão e demissão de cooperados; 3. Eleição e posse dos membros do Conselho de Administração e Conselho Fiscal; e 4. Assuntos Gerais da Cooperativa. Porto Alegre, 01 de dezembro de 2010. Jorge Luis Mariani Presidente

Órgão da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul Ano XI -Dezembro/2010 - Nº 148 - mensal

FETAG/RS Rua Santo Antônio, 121 - CEP: 90220-011-Porto Alegre-RS Telefone (51) 3393-4866 - Fax (51) 3393-4871 - www.fetagrs.org.br Diretoria Efetiva Presidente 1º Vice-Presidente 2º Vice-Presidente Secretária-Geral 1ª Secretária 2º Secretário Tesoureiro-Geral 1º Tesoureiro 2ª Tesoureira Coordenadora de Mulheres

Elton Roberto Weber Sérgio de Miranda Nelson Wild Elisete Kronbauer Hintz Josiane Cristina Einloft Adílson Carlos Metz Amauri Miotto Nestor Bonfanti Elaine Kern Cavalli Lérida Pivoto Pavanelo

Jornalistas responsáveis: Luiz Fernando Boaz (MTb/RS 5416) Izabel Rachelle (MTb/RS 6208) Diagramação: Alexandre Gourques Impressão: Gazeta do Sul Tiragem: 15 mil exemplares fetagrs@fetagrs.org.br www.fetagrs.com.br Os artigos são de responsabilidade de seus autores e não expressam, necessariamente, a opinião da Fetag.

Apoio:


3

Jornal da FETAG-RS ENTREVISTA

Melhorar a renda é o nosso maior desafio O deputado estadual Ivar Pavan foi escolhido pelo governador eleito Tarso Genro para ser o secretário do Desenvolvimento Rural e Cooperativismo, uma nova secretaria de Estado, cuja criação legal deverá ocorrer ainda na primeira quinzena de dezembro. Tarso disse que escolheu Pavan por ser profundamente ligado à agricultura familiar. A intenção do governo é trazer para o RS o modelo aplicado em âmbito federal com os ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário. Pavan acredita que isso vai facilitar a administração, uma vez que cada secretário cuidará de um público alvo. No dia 2 de dezembro, a direção da Fetag convidou o futuro secretário para um café da manhã, oportunidade em que Pavan enfatizou questões como melhoria de renda, qualificação do agricultor e seus grandes desafios.

Pavan: a democracia é o caminho que produz o melhor resultado

Jornal da Fetag - O orçamento da Secretaria da Agricultura para 2011 é de R$ 313 milhões. Ele corresponde a 0,89% do total do orçamento do RS. Com a criação da Secretaria do Desenvolvimento Rural e Cooperativismo para 2011, os recursos serão divididos? Ivar Pavan - O orçamento já está votado e aprovado. Portanto, agora a agricultura tem o valor de R$ 313 milhões. Deste total, em torno de R$ 180 milhões serão destinados à Secretaria do Desenvolvimento Rural e Cooperativismo. Obviamente que neste primeiro ano não poderemos contar muito com recursos orçamentários. Para os nossos programas, teremos que buscar recursos no sistema financeiro e federais para dar início à implementação de um conjunto de políticas necessárias e importantes para viabilizar e superar os problemas da agricultura familiar. Jornal da Fetag - Quais as prioridades de sua secretaria? Pavan - Temos um conjunto de temas de curto, médio e longo prazos. De longo, por exemplo, a renda da agricultura familiar, que

se constitui na principal reivindicação. O endividamento, em alguns casos, se torna impagável e com isso o crédito está virando um problema em determinados segmentos da agricultura familiar. Também o meio ambiente, com a adequação da propriedade à legislação ambiental, só será resolvido se houver política pública conjunta dos governos federal e estadual para enfrentar e superar o problema. Da mesma forma os assentamentos da reforma agrária apresentam problemas graves. Tem a questão tributária das cooperativas, da concorrência desleal com incentivos fiscais a certas empresas. Ao mesmo tempo, as cooperativas, normalmente, ficam de fora deste benefício. Tem, ainda, a questão da atualização tecnológica do agricultor, ou seja, da qualificação profissional. Então, temos um conjunto de problemas graves, que necessitam de elaboração de políticas e busca de recursos para enfrentá-los e superá-los. A economia gaúcha, em que 27% provêm da agricultura familiar, é bastante diversificada e, portanto, com dificuldades diversas.

Jornal da Fetag - Qual será o grande desafio da pasta que o senhor assume neste novo governo? Pavan - Seguramente o tema da renda da agricultura familiar. Se conseguirmos em médio prazo resolver o problema teremos superado aquele que é considerado o principal problema dos agricultores. Evidentemente que ele depende de outros. Sem uma qualificação profissional e garantir a questão ambiental dificilmente vamos resolver o problema da renda. Jornal da Fetag - A agricultura familiar gaúcha é representada por diferentes entidades (Fetag, Fetraf, MPA e Via Campesina). Como conviver com as diferenças e tratar com igualdade todos os movimentos sociais do campo? Pavan - Nós sabemos que a democracia é um caminho difícil para construir uma proposta, ouvindo a todos. Ao mesmo tempo, é o caminho que produz o melhor resultado. Portanto, eu sou um defensor da democracia e acredito que ela seja estratégica para a sociedade que queremos construir. Dentro deste regime vamos ouvir e construir com todos. Cada um oferecerá sua contribuição e eu sei que cada entidade quer oferecer o que ela tem de melhor para produzir uma alternativa para resolver o problema de seu público. E resolvendo o de um, acabamos com o dos demais. Jornal da Fetag - A assistência técnica se apresenta como uma das prioridades para as pequenas propriedades rurais

gaúchas. É possível universalizá-la, a partir da reestruturação da Emater? Pavan - Nós teremos que utilizar, da melhor forma possível, a questão da assistência técnica. É real o avanço na pesquisa tecnológica e esse conhecimento produzido dentro da universidade, na Embrapa e na Fepagro ainda não chegou à casa do agricultor. Precisamos que ocorra de forma rápida e a Emater é um grande instrumento para isso. As nossas cooperativas também são e as universidades podem ajudar. Assim, quem sabe pensamos de forma conjunta a construção de um programa massivo que faça com que a extensão da pesquisa alcance rapidamente a propriedade do agricultor. Jornal da Fetag - Qual a mensagem que o senhor gostaria de deixar aos agricultores familiares ligados à Fetag? Pavan - Estou convicto de que a agricultura familiar vive um momento de grande crise. Ao mesmo tempo, tenho a convicção de que é na hora das dificuldades que se produzem as melhores alternativas. Com todas as pessoas que tenho conversado, encontro muita disposição de ajudar a produzir tais alternativas. Então, acho que estamos diante de um grande momento para a agricultura familiar no sentido de buscar alternativas que tornem a vida do agricultor melhor nos próximos anos. Esse é o nosso desafio e desejo. Acredito que vamos terminar 2010 com otimismo e iniciar 2011 sonhando que será um ano melhor do que os anteriores.


4

Jornal da FETAG-RS GERAL

Retrospectiva 2010 Ao fazer um balanço sobre o desempenho do setor agropecuário gaúcho em 2010, podemos dizer que o segmento teve um ano bom em relação ao volume de produção. Diferentemente da safra anterior, quando ocorreram problemas de ordem climática, que se refletiram no volume físico de produção e na renda. O setor da agropecuária brasileira retomou os níveis atingidos antes da forte crise financeira global de 2008, puxado em grande parte pela elevação das cotações internacionais da maioria dos produtos agrícolas. O resultado econômico aos produtores não foi melhor em função de que os preços no primeiro semestre ficaram abaixo dos praticados no mesmo período de 2009. O Rio Grande do Sul, na temporada 2009/2010, obteve uma safra recorde de 24,9 milhões de toneladas de grãos, segundo a CONAB. Já o tamanho da safra brasileira de grãos foi de 148 milhões de toneladas. A participação do Estado é de 16,5% em relação à produção nacional. As estimativas para 2010/2011 indicam uma queda da ordem de 5%, chegando a um volume próximo a 23 milhões de toneladas. A incerteza climática poderá afetar a safra gaúcha de grãos. Todas as projeções prevêem redução na produção de cereais e oleaginosas no RS. Mas a influência de La Niña deve se reduzir à safra de grãos. Em nível de Brasil, tudo indica que não teremos grandes variações em relação ao que foi colhido na temporada anterior, de 148 milhões de toneladas. Já em relação ao leite, a guerra pela captação continuou no decorrer deste ano. O mercado operou às avessas, deixando agricultores e consumidores confusos. Os preços baixaram no inverno e subiram no verão. No final do ano, as cotações voltaram a reagir em pleno início de safra. O volume de produção em 2010 deverá crescer em apenas 2%. Após muitos altos e baixos, o cenário de mercado para o leite começa a dar sinais de estabilidade no final do ano. O setor de carnes também pode ser considerado positivo neste ano que se encerra. Segundo o Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados no Estado, os abates no RS cresceram em 24%. O cenário é considerado positivo para o próximo ano. A suinocultura também teve um bom desempenho com crescimento de 19%, registrando recuperação apesar das dificuldades nas exportações. O mercado interno foi importante para o crescimento. Outro segmento que ajudou o desempenho do setor de carnes foi o frango. No somatório – a maior safra de grãos obtida de 24,9 milhões de toneladas, com recuperação do setor de carnes, leite e grãos, com exceção do trigo e o arroz – fez com que o PIB do agronegócio estadual tivesse um crescimento na faixa de 7%, contra um crescimento geral da economia gaúcha prevista de 10% e de 7,5% para o Brasil em 2010. As projeções para o próximo ano são boas, tanto para o setor da pecuária como para os grãos. O cenário sinaliza preços firmes para as commodities e demais setores. Alertamos ser fundamental que os agricultores busquem o máximo de informações a respeito do mercado e aproveitem os melhores momentos para vender a safra, visando maior rentabilidade. Neste ano, o governo teve que entrar forte com mecanismo de apoio a comercialização, no caso do arroz e trigo, em que os preços no mercado ficaram abaixo do mínimo e dos custos da lavoura e baixa liquidez no mercado. Outro fator positivo, neste ano, foi queda nos custos de produção em relação ao milho e a soja. Cabe ressaltar que apesar da queda do custo de produção e a melhora das cotações agrícolas, o que poderá eliminar possíveis ganhos pelos agricultores são as perdas causada pelo fenômeno La Niña, com redução de produtividade. Mas a expectativa é de que tenhamos um baixo impacto de perdas pelo fator clima e que os preços continuem aquecidos no decorrer do próximo ano. Outro fator que poderá prejudicar o agronegócio é a guerra cambial, que tira a competitividade do setor agropecuário frente ao mercado global. Apesar do cenário bom, não podemos esquecer que o Brasil tem desafios enormes pela frente. Podemos citar a necessidade de maiores investimentos por parte do poder público. Hoje, os investimentos não passam de 18% do PIB. O ideal é que seja investido no mínimo 25% do PIB para que o Brasil tenha um crescimento sustentável na economia da ordem de 5% ao ano. É preciso avançar na melhoria da infraestrutura, na defesa sanitária, no seguro agrícola, numa maior efetividade nos mecanismos de regulação e intervenção na política de sustentação de preços, entre outros. Fazendo os ajustes necessários, o Brasil poderá caminhar para se consolidar como “celeiro do mundo”. Hoje somos líderes mundiais na produção de alimentos, bem como nas exportações. Podemos avançar, ainda mais, ampliando a participação no mercado global de alimentos. Que todos no final do ano tenham um Feliz Natal e um próspero Ano Novo e que o setor agropecuário em 2011 seja repleto de fatores positivos para que agricultores e consumidores possam no futuro ter abastecimento garantido, com produtos da melhor qualidade e que a vida no campo seja cada vez melhor.

Tarcisio Minetto, economista tjminetto@gmail.com

Fumo: pedido às indústrias reajuste de 10,87% Segundo a comissão dos representantes dos produtores, a aplicação do índice elevaria o preço do produto a um valor que permitiria um ganho real aos fumicultores. O assessor de Política Agrícola da Fetag, Airton Hochscheid, avaliou como tranquila a primeira rodada de negociações. Além de apresentar a proposta de reajuste, continua o assessor, internamente as entidades ainda tiveram a oportunidade de avaliar o andamento da safra. Hochscheid destaca que as lideranças foram unânimes de que será Lideranças dos fumicultores estiveram reunidos na Afubra em Santa Cruz uma excelente safra, tanto em proNos dias 6 e 7 de dezembro, as entidades dutividade como em qualidade. No seu ponrepresentativas dos fumicultores negociaram to de vista, a maior preocupação do setor é a com a indústria o preço do tabaco para a safra questão cambial, já que o dólar está cotado 2010/2011. A proposta apresentada é de um abaixo de R$ 1,70. A comissão dos fumicultoreajuste de 10,87% sobre a tabela que cada res solicitou um retorno à proposta apresentaempresa praticou na safra passada. O percen- da até o dia 20 de dezembro. Um documento tual corresponde a variação do Índice Geral do com este pedido foi entregue às empresas e Preço de Mercado (IGP-M), apurado pela Fun- também será encaminhado às demais indúsdação Getúlio Vargas (FGV) no ano de 2010. trias.

Encontro Nacional do Alho traz novas tecnologias A Associação Nacional dos Produtores de Alho (Anapa) realizou no dia 5 de novembro o XXIII Encontro Nacional dos Produtores de Alho, em São Marcos. O presidente da Anapa e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Flores da Cunha, Olir Schiavenin, avaliou o evento como um sucesso, superando as expectativas. Participaram em torno de 400 produtores oriundos de diversos municípios da região e, inclusive, de outros Produtores de alho se reuniram em São Marcos Ao final do encontro, os produtores estados, como Santa Catarina, São Paulo, também avaliaram como muito positivo. Minas Gerais, Goiás e Brasília. Conforme Schiavenin, as palestras Para eles, foi mais uma oportunidade para tiveram um conteúdo bastante rico e enfo- troca de experiências e para busca de mais caram questões de mercado, produção, informações e conhecimentos sobre a pronovas tecnologias, classificação, padroni- dução do alho. Eles decidiram continuar zação de embalagens, meio ambiente. Um contribuindo para o fortalecimento da dos destaques foi o trabalho do pesquisa- Anapa. O XXIV Encontro Nacional dos dor do INTA da Argentina, José Portela, Produtores de Alho será realizado em que falou sobre o mercado e a produção de 2011, na cidade de Frei Rogério, em Santa Catarina. alho no mundo.

Conseleite projeta R$ 0,6127 para dezembro O Conseleite esteve reunido no dia 20 de dezembro para avaliar os dados finais relativos a novembro, além de projetar os valores do leite para dezembro. O preço médio pago ao produtor em novembro pelo litro do leite padrão ficou em R$ 0,5919, 4,28% superior ao de outubro. A expectativa era que houvesse alta de 1,1%, mas o reajuste refletiu a queda de 15% a 20% na captação entre setembro e no-

vembro. Apesar da indústria esperar recuperação dos níveis de coleta em dezembro, o Conseleite projeta nova alta de 3,52% no preço de referência médio (R$ 0,6127).


5

Jornal da FETAG-RS CONGRESSO ELEITORAL

Weber registra chapa para eleições na Fetag DIRETORIA EFETIVA PRESIDENTE: 1º VICE-PRESIDENTE:

Elton Roberto Weber Carlos Joel da Silva

2º VICE-PRESIDENTE: SECRETÁRIA-GERAL: 1ª SECRETÁRIA:

Nelson Wild Elisete Kronbauer Hintz Josiane Cristina Einloft

2º SECRETÁRIO: TESOUREIRO-GERAL: 1º TESOUREIRO: 2º TESOUREIRO: COORD. DE MULHERES

Agnaldo Barcelos da Silva Sérgio de Miranda Nestor Bonfanti Lérida Pivoto Pavanelo Inque Schneider

DIRETORIA SUPLENTES 1º SUPLENTE 2º SUPLENTE

Adilson Carlos Metz Avelino Pergher

3º SUPLENTE 4º SUPLENTE

Juliana Dullius Wingert Orquiz Moro de Fraga

5º SUPLENTE 6º SUPLENTE 7º SUPLENTE 8º SUPLENTE 9º SUPLENTE

José Solon da Silva Edmundo Peter Noeli Maria Langer José Ribeiro Prestes Heitor José Schuch

10º SUPLENTE

Maria Lovane Ely

Regional Serra Regional Vale do Rio Pardo e Baixo Jacuí Regional Fronteira Regional Ijuí Regional Centro Serra e Vale do Rio Pardo Regional Missões II Regional Passo Fundo Regional Três Passos Regional Santa Maria Regional Alto Jacuí

Regional Vale do Taquari Regional Serra do Alto Taquari Regional Vale do Caí Regional Vale do Rio Sinos/Serra Regional Quarta Colônia Regional Camaquã Regional Missões I Regional Santa Rosa Regional Vale do Rio Pardo e Baixo Jacuí Regional Vale do Taquari

Weber entrega nominata da chapa para Aldemir, presidente da Comissão Eleitoral

O presidente da Fetag, Elton Weber, registrou no dia 2 de dezembro, a chapa encabeçada por ele para as eleições da Federação, que acontecem no dia 11 de janeiro. Cada uma das 23 regionais tem, pelo menos, um cargo dentre os 26 integrantes da chapa. O prazo para registro de chapas

se encerrou no dia 17 de dezembro. A Comissão Eleitoral e a direção da Fetag estão trabalhando juntas para que o Congresso Eleitoral transcorra da mesma forma que em anos anteriores, a fim de dar continuidade ao trabalho implementado ao longo de 47 anos.

CONSELHO FISCAL EFETIVOS EFETIVO EFETIVO EFETIVO

Amauri Miotto Maria Terezinha Schiavon Lindomar do Carmo Moraes

Regional Médio e Alto Uruguai Regional Sul Regional Vacaria

CONSELHO FISCAL SUPLENTES SUPLENTE SUPLENTE SUPLENTE

Juarez Bombardi Elaine Kern Cavalli Adilson Machado da Silva

Regional Litoral Regional Santa Rosa Regional Alto Uruguai

HABITAÇÃO RURAL

Cooperativa faz avaliação das equipes técnicas Coohaf segue contratando pelo PNHR

Juarez e Miranda com a equipe técnica da Coohaf

A Cooperativa Habitacional da Agricultura Familiar (Coohaf), da Fetag, realizou no dia 9 de dezembro a primeira reunião de avaliação das equipes técnicas. Elas foram criadas nas regionais sindicais - com maior abrangência dos projetos habitacionais - para acompanhar junto à Caixa Econômica Federal os projetos em andamento dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais. O presidente da Coohaf, Juarez Cândido, conta que as equipes técnicas são, na verdade, o elo de ligação entre a cooperativa e os sindicatos. Ele destaca, na pauta do encontro, o levantamento dos problemas regionais e dos STR’s, juntamente com a CEF. Além disso, foi trabalhada a estratégia de um mutirão para contratar o máximo possível dos projetos que estão na CEF, entre outras questões.

Cândido informou que os Grupos 2 e 3 do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), com enquadramentos de renda maior, estão autorizados para contratações a partir de janeiro de 2011. Segundo o dirigente, a demanda nos G2 e G3 é menor do que no G1, uma vez que neste fazem parte as famílias de baixa renda. Por outro lado, é o G2 que vai ter uma demanda significativa, já que oferece R$ 7 mil de subsídio por família, com renda de até R$ 22 mil na Declaração de Aptidão (DAP). “Uma boa faixa de agricultores, em várias regiões do Estado, apresenta renda melhor e por questão da modalidade do grupo podem fazer melhoria, reforma, ampliação ou acabamento”, observa. Já o Grupo 3, com renda superior ao 2 - entre R$ 22 mil a R$ 55,8 – são ainda mais consolidados e, portanto, a maioria tem moradia, mas deseja realizar manutenção ou ampliação. “As maiores demandas são nos Grupo 1 e 2, depois o 3”, completa. Os integrantes da equipe técnica deliberaram com a direção da Coohaf, que a cada 30 dias haverá uma reunião para atualização de informações, bem como de avaliação do trabalho juntamente com a CEF. Cândido destaca o que a Superintendência da CEF disse: - Após a criação das equipes técnicas da Coohaf nas regionais, os projetos tiveram maior agilidade, vieram mais completos e, com isso, fluíram com rapidez, atendendo todos os objetivos.

Clodoaldo Miotto, Tapejara

A Fetag, através de sua Cooperativa Habitacional de Agricultura Familiar (Coohaf), desde o início de 2010 vem trabalhando no Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR) - Minha Casa, Minha Vida, junto à CEF e os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais. Já foram contratadas mais de 400 unidades habitacionais na modalidade G1, até R$ 10 mil na Declaração de Aptidão (DAP). Ainda estão sendo analisadas pelas regionais da CEF 2.500 unidades, que estarão contratando em breve. Os primeiros contratos foram assinados em 23 de junho em Tapejara e as obras já estão concluídas. O vicepresidente da Fetag e da Coohaf, Sérgio de Miranda, lembra que longo do ano foram construídas 392 unidades habitacionais, através do Programa PSH, com subsídios dos governos federal e estadual.


6

11

Jornal da FETAG-RS

FORMAÇÃO SINDICAL

Fetag segue trabalho de Formar para Transformar

Pela manhã, Weber abriu aos trabalhos acompanhado de Minetto, Belato e Broch

39 lideranças receberam o certificado de conclusão do Curso de Formação de Lideranças do IFSIM de 2010

cipantes, em quatro etapas, no IFSIM, e disse que a conclusão foi um momento importante, com a presença de todos os coordenadores regionais. Contou, ainda, que foi realizado o curso nacional de formação, com participação de seis lideranças e assessores do RS. Miranda relata que todas as Semanas Sindicais, que estavam programadas, aconteceram, por isso houve só uma turma de formação, a fim de que tivesse mais tempo para as semanas. O dirigente falou sobre diversas outras atividades formativas, em nível estadual, nas Grupo de formandos faz o juramento oficial antes da entrega dos certificados regionais e nos municípios. Ele acredita que Ao longo de 2010, o trabalho de Formação 2010 foi bastante positivo para a formação. Em Sindical da Fetag, do conjunto da formação sindi- 2011, continua, o trabalho terá continuidade – cal, foi significativo, na avaliação do vice- nos municípios, nas regionais e na Fetag; tampresidente da Fetag e diretor de Formação, Sér- bém a Regional Sul, através da Enfoc, realizará o gio de Miranda. seu curso de formação, com a participação do RS Ele avaliou o curso de formação com 39 parti- mais uma vez.

Bonfanti e Miranda conduzem a turma para dar início à cerimônia

Os formandos de 2010: 1 - Adroaldo Brandão 2 - Adroaldo Trindade da Silva 3 - Anderson Schmitt Ligabue 4 - Andiara Caetano de Souza 5 - Angélica Silva Abreu 6 - Brunilda Erna Renner 7 - Carlos Sordi 8 - Cláudio Affeldt Bierhals 9 - Cláudio Santin 10 - Deiviti André Cunha da Silveira 11 - Diane S. Boggio 12 - Dilsoni Barros de Souza 13 - Eloir Becker 14 - Evandro Carlos Kuwer 15 - Francieli Salvi 16 - Guilherme André Tessmer 17 - Ivoni Bastian Blum 18 - Izabel Dias Marcos 19 - Janete Bertó Ruviaro

20 - Leonardo Ferla 21 - Luciane Fernandes Simão 22 - Luciane Lacerda Vignol 23 - Luiz Carlos Weber 24 - Marcos Antonio Hinrichsen 25 - Maristela Gobbi 26 - Nicolau Ribeiro de Lima 27 - Osmar Borges Nunes 28 - Paula Cristina Horst 29 - Raquel Andréia Lemes de Lima 30 - Ricardo da Silva Pohlmann 31 - Robeson Oss-Emer 32 - Rosi Maria Pereira Studzinski 33 - Sergio Luiz Reis 34 - Teresinha Libera Weissheimer 35 - Vanderly S. J. Bolzan de Almeida 36 - Vanei José Michel 37 - Zoni Edilia Porto Rehbein 38 - Juraci Dominga Klein Luviseto 39 - Walnei Thiel


7

Jornal da FETAG-RS RESTROSPECTIVA 2010

Ano repleto de ações do movimento sindical Janeiro

Lideranças da CTB-RS presentes no Fórum Social Mundial

ENCHENTES – Mal o ano iniciou e fortes chuvas, enxurradas e vendavais transformaram o cenário gaúcho numa imensa quantidade de água que, além de provocar danos materiais, causou mortes e destruição. Na segunda semana do ano, dia 8 de janeiro, a Fetag já reunia representantes das regiões mais atingidas pelas enchentes e definiu duas pautas, uma estadual e outra nacional, para tentar minimizar os prejuízos. A primeira garantiu um Troca-troca emergencial, enquanto o governo federal liberou R$ 170 milhões para as prefeituras dos municípios mais atingidos pelas chuvas.

O mês de janeiro teve uma série de reuniões, audiências e encontros, em Brasília, Porto Alegre e no interior do Estado, numa ação da Fetag e junto aos órgãos governamentais para tratar dos assuntos relativos às chuvas. As demandas que não foram atendidas integraram, mais adiante, às pautas do Grito da Terra nacional e estadual. FÓRUM SOCIAL MUNDIAL – No dia 25 de janeiro, a Fetag foi ponto de encontro de cerca de 600 pessoas ligadas à CTB, que participariam da Marcha de Abertura do Fórum Social Mundial. No dia seguinte, 26, a Fetag sediou debate sobre O Meio Ambiente e a Produção de Alimentos.

Lavouras inteiras foram arrasadas pela força das águas

Fevereiro

Reunião de representantes dos produtores com fumageiras sem avanços

FUMO – Em reunião com indústrias fumageiras no dia 24, não houve avanço no reajuste da tabela para a safra 20092010. Enquanto a representação dos fumicultores, através da Fetag e da Afubra, pedia aumento de 14,4%, a contrapartida da indústria variou de 6,10% a 7,5%. INTEGRADOS – A Fetag negocia há mais de um ano com a Doux-Frangosul para que sejam realizados os pagamentos dos mais de 2,7 mil integrados de aves

e de suínos. No dia 22, a empresa pediu um prazo superior a 120 dias para quitar os débitos. A Fetag e os STR’s enviaram uma contraproposta de redução do prazo. FORMAÇÃO – Nos dias 18 e 19, a Fetag promoveu Seminário Estadual de Formação Sindical. Na ocasião, houve eleição para a presidência do IFSIM – Instituto de Formação Sindical Irmão Miguel quando, numa chapa de consenso, Nestor Bonfanti sucedeu o até então presidente, Sérgio Poletto.

Weber agradece Poletto pelo trabalho à frente do IFSIM


8

9

Jornal da FETAG-RS

RESTROSPECTIVA 2010

Março

Comissão de Integrados traça estratégias para cobrar Doux-Frangosul

Mulheres comemoram o 8 de Março por todo o RS

Fetag entrega pauta do Grito da Terra à governadora Yeda

ROTEIRO – A Fetag deu início a roteiro de 15 reuniões interregionais para o Planejamento de 2010. FEIRAS – Mais uma vez, a Fetag participou da Fenavinho Brasil 2010, de 18 de fevereiro a 7 de março. De 3 a 5 de março a Expoagro Afubra, em Rio Pardo, e de 15 a 19, 50 estandes da Expodireto Cotrijal abrigaram expositores ligados à Fetag. SAÚDE – O projeto do deputado estadual Heitor Schuch, que prevê a distribuição gratuita de protetor solar aos agricultores familiares, recebeu parecer favorável da Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania da Assembleia Legislativa, no dia 2. INTEGRADOS – Regional Sul da Contag realiza Seminário Regional de Integrados, nos dias 18 e 19, no IFSIM. MULHERES – O centenário da instituição do 8 de Março motivou uma série de encontros e festividades em todo o interior do Estado. Foram mais de 50 eventos que reuniram, no total, cerca de 100 mil pessoas. LEITE – O tesoureiro-geral da Fetag, Amauri Miotto, integrou comitiva que foi à Espanha, entre os dias 18 e 23, para conhecer a cadeia produtiva do leite e derivados, numa combinação de sanidade, qualidade e genética. GRITO DA TERRA BRASIL – A direção da Fetag esteve em Brasília quando o presidente da Contag, Alberto Broch, entregou a pauta do GTB nacional para o presidente Lula, no dia 24, requerendo, em 223 itens, questões como aumento de renda para o produtor e melhoria de políticas públicas.

Junho

Semana Sindical teve participação intensa do MSTTR

Cerca de 500 pessoas participarão do "encontrão" em Vera Cruz

Delegação gaúcha presente no GTB em Brasília

Gaúchos agitaram festival em Brasília

Fetag promoveu I Encontro de Rurais da CTB no RS

Julho

Schiavenin: jornada objetivou troca de experiências

DIA DO COLONO – Data estadual do agricultor foi comemorada em inúmeros eventos por todo o Estado. A Fetag destacou que as conquistas do movimento sindical foram sempre obtidas com muita luta e organização. CÓDIGO FLORESTAL – A aprovação do texto-base do deputado Aldo Rebelo, que reformula o Código Florestal e contempla muitas reivindicações da agricultura familiar, foi comemorado por Fetag e Contag. A redação atual inviabiliza cerca de 90% das pequenas proprie-

dades no Rio Grande do Sul. PREVIDÊNCIA SOCIAL – O cadastro dos segurados especiais foi discutido em reunião da Comissão de Previdência. FESTIVAL DA JUVENTUDE – A presença de 120 jovens em Brasília, no 2º Festival Nacional da Juventude Rural da Contag, garantiu inúmeras medalhas conquistadas em diferentes modalidades esportivas. A coordenadora de Jovens da Fetag, Josiane Einloft, coordenou a oficina sobre Sucessão Rural.

Mística movimentou mulheres dirigentes sindicais

Agosto Crianças receberam mudas nas escolas

Maio SEMANA SINDICAL – Teve início o roteiro que percorreria, durante todo o ano, as 23 regionais sindicais da Fetag. Intitulado de Semanas Sindicais, os encontros visam aumentar o quadro social, mobilizar, contatar a base, aprofundar a parceria do STR, além de favorecer a aproximação com outras instituições. Os eventos ocorreram em Esperança do Sul, entre Ijuís e XV de Novembro. FORMAÇÃO SINDICAL – No dia 11, o IFSIM deu início a mais uma turma de lideranças sindicais, em curso que ocorre anualmente. GRITO DA TERRA – Brasília sediou, no dia 12, a 16ª edição do Grito da Terra Brasil. A delegação gaúcha levou 300 lideranças, que se somaram a mais de sete mil pessoas de todo o Brasil. A garantia de renda foi a grande conquista da negociação deste ano. MULHERES – Lançamento da Revista das Mulheres.

maneira geral, foram avaliadas positivamente pelo presidente da Fetag, Elton Weber. PROTETOR SOLAR – No dia 1º, o projeto de lei 81/2007, do deputado Heitor Schuch, foi aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa. VINHO – Em Nova Pádua. no dia 17, ocorreu a 11ª Jornada Vitícola. O encontro objetivou a troca de experiências e informações entre os produtores. MEIO AMBIENTE – Na Semana do Meio Ambiente, houve distribuição de mais de 150 mil mudas de árvores nativas no Estado – durante todo o mês, cerca de 350 mil mudas foram distribuídas, numa parceria entre Fetag e Secretaria do Meio Ambiente.

Jovens participam de festival no Ceará

Abril GTB ESTADUAL – Comitiva da Fetag entregou a pauta do Grito da Terra Brasil à governadora Yeda Crusius, no dia 24 de abril. O documento de 30 itens continha pleitos para nove secretarias de Estado, com eixos fortes nas áreas de Agricultura e Meio Ambiente. APOSENTADOS – O secretário da Terceira Idade da Contag, Natalino Cassaro participou, em Vera Cruz, nos dias 7 e 8, de um “encontrão” de aposentados. A Comissão de Aposentados da Fetag também esteve presente. SAÚDE - O projeto do deputado estadual Heitor Schuch, que prevê a distribuição gratuita de protetor solar aos agricultores familiares, recebeu parecer favorável da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, no dia 28.

JUVENTUDE – Delegação gaúcha de 31 jovens esteve em Fortaleza, no Ceará, durante o I Festival das Juventudes, de 3 a 6 de junho. Já nos dias 18 e 19 aconteceu o II Festival Estadual da Juventude Rural em Vera Cruz, onde mais de 250 pessoas discutiram a necessidade de políticas públicas para manter o jovem no campo. SEMANA SINDICAL – Eventos em Quarta Colônia, Vacaria, Vale do Rio Pardo e Baixo Jacuí e Santa Rosa. GRITO DA TERRA BRASIL ESTADUAL – O auditório Ari Griebler, da Fetag, ficou pequeno para acolher as mais de 600 lideranças que vieram à Capital, no dia 22, para ouvir do governo do RS as respostas da pauta que, de uma

Inúmeros eventos marcaram Dia do Colono no Estado

Agricultoras receberam homenagens no Dia do Colono

CTB – Debater a participação dos trabalhadores rurais na Central Sindical foi o foco do I Encontro Estadual dos Rurais da CTB. O presidente em exercício, Sérgio de Miranda, avaliou o encontro como importante para a luta do campo. MULHERES DIRIGENTES SINDICAIS – Cerca de 400 mulheres reuniram-se, nos dias 24 e 25 de agosto, para discutir os desafios das lideranças femininas. A ocasião também foi de apresentação do sarau de poesias, com 13 concorrentes. A vencedora foi Liane Brackman, presidente do STR de Teutônia, com a poesia A Trabalhadora Rural e sua História de Lutas. EXPOINTER – A Fetag participou pela 12ª vez da Expointer, sempre como copromotora. Desde o ano passado, a Federação está de casa nova. Em 2010, a agenda de eventos da Fetag teve a presença dos ministros Guilherme Cassel, do Desenvolvimento Agrário, e Carlos Eduardo Gabas, da Previdência Social. Já no pavilhão da Agricultura Familiar, a Fetag levou ma-

is de 150 agroindústrias e artesanatos em 100 estandes. EXPERIÊNCIAS EXITOSAS – No espaço da Agricultura Familiar, em Esteio, a presença das Experiências Exitosas em Educação no Campo destacou, mais uma vez, a necessidade de uma educação diferenciada para o meio rural. INCRA – Ainda durante a Expointer, na Casa da Fetag, no Parque Assis Brasil, aconteceu a formatura de mais uma turma do Curso do INCRA (UMCs). Conforme Sirlei Back, assessora de Política Agrária, a Fetag capacitou mais 56 funcionários de Sindicatos dos Trabalhadores Rurais para trabalhar como Unidade Municipal de Cadastro. JUVENTUDE – Um convênio entre Fetag e MDA liberou R$ 260mil para o fortalecimento do Programa Nacional de Crédito Fundiário – PNCF. O trabalho acompanha 2.600 famílias beneficiadas pelo PNCF durante um ano, através de visitas de dez técnicos

Foto "tradicional" com toda a Fetag na Expointer

Fetag recebeu ministros Cassel e Gabas, além de Broch

Fetag capacitou funcionários de STR's em UMC


10

Jornal da FETAG-RS

RESTROSPECTIVA 2010

Setembro

D. Adelina: exemplo de trabalhadora em P. Fundo

PECUÁRIA FAMILIAR – Foi aprovado na Assembleia Legislativa o projeto da Fetag que prevê a criação do Programa Estadual de Desenvolvimento da Pecuária de Corte Familiar, reconhece e oficializa os mais de 50 mil pecuaristas familiares. A lei foi sancionada no dia 13 de setembro. DIA DO LEITE – O RS comemorou em 15 de setembro o Dia Estadual do Leite com a realização do Fórum Tecnológico do Leite, em Teutônia. A Fetag, através de seu presidente, Elton Weber, apresentou um balanço negativo de R$ 82 milhões na relação exportação/importação. EDUCAÇÃO INFANTIL - O auditório da Fetag recebeu, nos dias 23 e 24 de setembro, cerca de 100 profissionais da área de educação no Seminário de Educação Infantil no Campo da Região Sul. O encontro debateu a necessidade de projeto específico para crianças em idade pré-escolar voltado para o meio rural.

Programa reconhece atividade de pecuarista familiar

Outubro

Weber conduziu asssembleia que aprovou previsão orçamentária

Lideranças recebem certificado de conclusão do curso

ANIVERSÁRIO – A Fetag comemorou 47 anos no dia 6, representando 1,3 milhão de trabalhadores rurais. Filiada à CTB, a Federação conta com 350 STR’s filiados e 109 extensões de base, organizados em 23 regionais sindicais. Direção, assessores e funcionários festejaram a data com bolo e Parabéns a Você. APOSENTADO - O Dia do Aposentado Rural, 5 de outubro, foi comemorado em eventos nas 23 regionais sindicais da Fetag. O Dia-a-dia e A Importância da Terceira Idade para o MSSTR foram temas presentes em quase todos os encontros. CAMPANHA DA FAO - A Fetag engajou-se na campanha da FAO contra a fome mundial, que objetivava arrecadar 1 milhão de assinaturas no mundo todo. O representante da FAO no Brasil, Helder Muteia, esteve na sede da Federação, oportunidade em que recebeu cerca de 8 mil assinaturas das mãos do presidente Elton Weber. ASSEMBLEIA GERAL – A apresentação e discussão da previsão orçamentária para o exercício de 2010, bem como a eleição da Comissão Eleitoral, que vai coordenar todo o processo legal para escolha da diretoria e do Conselho Fiscal da Fetag, estiveram na pauta do dia 19 na Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária da entidade. CRÉDITO FUNDIÁRIO – Neste mês aconteceu a primeira capacitação sobre Análise e Interpretação de Matrículas, apresentando dados sobre módulo rural e fiscal, documentos necessários para legalização de imóvel rural, gleba legal, extinção de condomínio e interpretação de escrituras. Chama-se atenção para a importância do evento para o crédito fundiário, habitação, cobrança CNA, enquadramento do Segurado Especial, entre outros.

Encontro debateu necessidade de projeto específico

Direção, assessores e funcionários festejaram 47 anos da Fetag

Novembro 1º Curso de capacitação de Análise e Interpretação de Matrículas

Atividades pelo Interior são metas do convênio

FORMATURA DE LIDERANÇAS - Após quatro etapas de curso, mais uma turma de lideranças sindicais concluiu a sua formação. Durante o ano, o grupo ainda realizou tarefas intermódulos. Na cerimônia de formatura, o vicepresidente da Fetag e diretor de Formação, Sérgio de Miranda, falou da importância da preparação para os novos dirigentes. FEIRAS – A Fetag apoiou mais de 40 agroindústrias durante a 25ª Feisma – Multifeira de Santa Maria. Ainda em novembro, na Expovale, a Fetag esteve ao lado de mais de 120 agroindústrias familiares. CRÉDITO FUNDIÁRIO – O Departamento de Política Agrícola da Fetag deu início a implementação de dez eventos municipais, oito regionais e um estadual para discutir e articular demandas do Programa Nacional de Crédito Fundiário – PNCF. As atividades são metas de convênio entre Federações junto à Contag/MDA.

Weber entrega assinaturas a Muteia

Weber e colegas de diretoria registram chapa junto à Comissão


12

Jornal da FETAG-RS CRÉDITO FUNDIÁRIO

E 2010 chega ao fim! Ao fazer um retrospecto do ano que está se encerrando, não podemos deixar de lembrar que iniciamos 2010 enfrentando quebra de quebra de safra e enchentes em diversas regiões do Estado, com perdas materiais e vidas humanas. Além das dificuldades no setor primário em decorrência do câmbio que facilita a importação de commodities e manufaturados e da insuficiência de renda e liquidez. É preciso registrar como contraponto a redução dos preços dos insumos agrícolas e progressos na legislação ambiental. Entre os aspectos positivos, com certeza, está a reeleição a nossa reeleição para o terceiro mandato consecutivo, ficando o sétimo mais votado da Assembleia Legislativa e o primeiro do PSB. A votação expressiva – foram 66.592 votos – reforça ainda mais o compromisso de continuar trabalhando pelo desenvolvimento do Estado. Agora vamos traçar as estratégias para os próximos quatro anos, juntamente com quem sempre esteve conosco, construindo um mandato coletivo no parlamento. E não nos faltam desafios. Nossas indústrias, comerciantes, trabalhadores e agricultores precisam de programas de apoio para que continuem trabalhando e dando sustentação à economia gaúcha. De modo geral, seguindo as premissas elencadas pelos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais ligados à Fetag, nosso trabalho como deputado será focado nos seguintes objetivos: Desenvolvimento rural - A garantia de renda na atividade agropecuária é hoje o maior desafio do setor, e passa por políticas públicas de garantia de preço e fortalecimento de atividades alternativas, que podem agregar renda às propriedades, como a implantação de agroindústrias (Suasa) e a produção de matéria-prima para a geração de energia renovável. Meio Ambiente - Devem prosseguir com mais intensidade as discussões sobre mudanças no Código Florestal, de modo a flexibilizar as regras para que a atividade agropecuária, especialmente as de pequeno porte, não seja inviabilizada. A aprovação do relatório do deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB) na comissão especial sobre o tema foi um importante avanço, mas agora é preciso que o mesmo passe pelas demais instâncias. Protetor Solar - A regulamentação do Programa de Proteção à Saúde do Trabalhador Rural será prioridade absoluta neste terceiro mandato. De minha autoria, a lei que prevê a distribuição de protetor solar para os agricultores familiares, como forma de prevenção ao câncer de pele, foi aprovada no início do ano. Mas depende agora da regulamentação pelo governo do Estado para entrar em prática. Energia Elétrica – Implementar programa para reforço de redes e aumentos de carga de energia elétrica no meio rural a fim de viabilizar projetos de desenvolvimento rural. Enfim, demandas importantes, além de todas as que surgem no exercício do mandato, que nos estimulam a arregaçar as mangas e redobrar as energias para o ano que chega. O mais importante é saber que não estamos sozinhos nessa caminhada. Com o conjunto do Movimento Sindical dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Rurais vamos continuar construindo uma sociedade melhor para todos os gaúchos. Deputado Estadual Heitor Schuch, diretor suplente da Fetag heitor.schuch@al.rs.gov.br

Encontro marcado pela qualidade das palestras

Cristian, consultor de Política Agrícola da Contag

CAF já existe há mais de dez anos no município com a contemplação de quase uma centena de pequenos agricultores contabilizando um montante de R$ 4 milhões. O objetivo é inviabilizar pequenos produtores do município para que assim a sucessão rural aconteça com mais frequência. As reuniões, que aconteceram em diversas regiões, visam: · Difundir o PNCF, capacitando sobre as condições e critérios de acesso ao programa e de implantação das unidades produtivas. · Discutir sobre o papel do MSTTR na mobilização, gestão e controle social do PNCF; · Promover intercâmbio de experiência entre os beneficiários e potenciais beneficiários, estimulando e fortalecendo os processos de organização social, visando à ampliação do acesso qualificado ao PNCF; · Conjuntura política agrário-sindical; Êxodo rural; Políticas públicas; atuação do movimento sindical na conquista destas políticas.

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Colorado realizou nos dias 4 e 5 de novembro o Encontro do Polo Sindical Alto Jacuí e das Unidades Produtivas Beneficiárias do Crédito Fundiário. Direcionado aos 15 STR’s e integrantes da Regional Alto Jacuí, em que participaram assessores do Crédito Fundiário da Fetag, além de autoridades municipais. Os eventos marcaram pela qualidade das palestras e explicações dadas pela assessoria da Federação sobre o Programa Nacional de Crédito. O presidente do STR de Colorado, Edair Pedro Nicolao, destacou a forte presença dos beneficiários do CAF e do Banco da Terra. “Ressaltamos a parceria existente entre o Conselho Municipal da Agricultura, Emater, Cotrijal, Secretaria da Agricultura e Poder Público. Portanto, afirmamos que a parceria deu certo, pois lutamos para melhorar a situação da agricultura familiar em Colorado”, justifica. Nicolao disse que o trabalho realizado pelo Banco da Terra e Giovani, assessor de Política Agrícola da Fetag

REGIONAL TRÊS PASSOS

Sindicato realiza encontros e mobiliza associado o Sindicato ra Municipal e dos Trabalhadores Regional, Lilira Rurais de Três Senhem, transmiPassos realizou tiu assuntos discudois encontros no tidos na Comissão mês de dezembro. Estadual. As muO primeiro deles lheres trabalhafoi o 7° Encontro ram em diversas Municipal dos Apooutras atividades, sentados e Pensiocomo: pintura em nistas Rurais, no panos de prato, dia 3, com almoço elaboração de prode confraternizadutos de higiene e ção. Houve a partilimpeza, trabalho cipação de mais de Hepp enfatizou a importância das comissões municipais com produtos fito200 aposentados e pensionistas rurais, além terápicos (pomadas, xaropes, repelentes), de várias autoridades municipais, regionais e confecções de artesanato com fuxico e retalhos estaduais, entre elas o prefeito Cleri Camil- de tecido, troca de receita de bolos e pizzas, lotti e o diretor da Fetag, Nestor Bonfanti. etc. O segundo encontro ocorreu no dia 16, O presidente do STR de Três Passos, oportunidade em que esteve reunida a Comis- Erhardt Hepp, disse que é fundamental para são Municipal das Mulheres Trabalhadoras a entidade poder trabalhar com estas comisRurais. A Comissão se reuniu nove vezes du- sões, uma vez que atendem as necessidades e rante o ano, oportunidade em que coordenado- os anseios dos associados.


13

Jornal da FETAG-RS MULHERES

REGIONAL VALE DO RIO SINOS SERRA

Contag lança Marcha das Margaridas

Lideranças do RS presentes no lançamento da Marcha

Na última reunião do ano da Comissão Estadual de Mulheres, nos dias 29 e 30 de novembro, foi feita avaliação do 7º Encontro de Mulheres Diretoras, que aconteceu em agosto. Conforme a coordenadora de mulheres da Fetag, Lérida Pivoto Pavanelo, a avaliação do grupo foi positiva, apontando superação das expectativas. No encontro, houve ainda o lançamento da Marcha das Margaridas 2011 pela Comissão – em Brasília, na semana anterior, ocorreu o

lançamento nacional. Lérida falou da importância da mobilização das mulheres para participar da Marcha, em 16 e 17 de agosto. Ela conta que foram realizadas oficinas para produção dos temas/textos da Revista das Mulheres 2011, assuntos estes que serão norteadores da Marcha das Margaridas. Cinco temas foram pré-elaborados e os outros quatro restantes ficaram a cargo das coordenadoras. A Marcha das Margaridas será realizada nos dias 16 e 17 de agosto de 2011, na Esplanada dos Ministérios, sob o lema 2011 razões para marchar por desenvolvimento sustentável com justiça, autonomia, igualdade e liberdade. A expectativa da Contag é de reunir 100 mil mulheres trabalhadoras rurais das diferentes regiões brasileiras em Brasília.

Macramé e fibras O convênio que o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Igrejinha tem com o Senar-RS está possibilitando realizar vários cursos para os associados. Entre os dias 21 a 24 de julho, na sede do STR, foi realizado o curso de Macramé. Já nos dias 12 a 16 de julho, na localidade de Três Irmãos, aconteceu o curso de Fibra de Bananeira, inclusive com a participação da Emater. A vice-presidente do STR, Mariane Simone da Silveira, disse que as agricultoras gostaram muito dos cursos.

Gaúchas participam de formação na Contag

Expovale atrai 200 mil pessoas bém atraíram os visitantes. A Comissão das Trabalhadoras Rurais organizou palestra motivacional e de autoestima. Houve, ainda, serviços terapêuticos para a terceira idade, além de atividades recreativas para o mesmo grupo e a infância.

REGIONAL ALTO URUGUAI

O STR de Maximiliano de Almeida realizou assembleia geral extraordinária em 7 de dezembro de 20l0, quando escolheu os quatro delegados que participam das eleições da diretoria da Fetag. No mesmo dia, houve palestra sobre Segurado Especial. O presidente do sindicato, João Pedro Rodrigues da Silva, destacou a participação dos associados.

REGIONAL SUL

Santana da Boa Vista multiplica sócios

Comemorar os 37 anos de fundação e fazer uma confraternização de final de ano foram os objetivos do encontro no STR de Santana da Boa Vista no dia 15 de dezembro. O presidente do sindicato, Derli Oli-

Marisete e Sônia com Alberto Broch

O 10° Congresso da Contag instituiu o curso nacional de formação política para mulheres, a fim de qualificar as trabalhadoras rurais como mulheres, cidadãs e dirigentes sindicais. Nos meses de abril, junho e novembro, a primeira edição do curso reuniu cerca de 80 mulheres das federações ligadas

à Contag. Marisete Vianini, coordenadora regional de Jovens da Regional do Médio e Alto Uruguai, e Sônia Bertuzzo, presidente do STR de São Valentim do Sul, representaram a Fetag-RS. Sônia e Marisete contam que o curso é de suma importância para as mulheres, para que ocupem seus espaços dentro do MSTTR. Elas acreditam que as mulheres podem ocupar ainda mais espaços na política tanto em nível municipal, estadual e federal, representando a categoria dos trabalhadores e trabalhadoras rurais. Além disso, continuam, repassar o conhecimento da história das mulheres para a sociedade em geral e, dessa forma, mudar a realidade, com ações verdadeiras e efetivas.

REGIONAL PASSO FUNDO

Participação dos associados

Diretoria festeja aniversário e final de ano

“Elas puderam fazer trabalhos lindos”, disse.

REGIONAL MÉDIO E ALTO URUGUAI

REGIONAL VALE DO TAQUARI

Cerca de 200 mil pessoas estiveram em Lajeado, entre os dias 12 e 21 de novembro, durante a realização da Expovale. A maior movimentação de público foi no Pavilhão das Agroindústrias, mas os maquinários, os móveis e o comércio do Vale do Taquari tam-

Curos de Fibra de Bananeira atraiu mulheres

veira de Melo, comparou a qualidade de vida da categoria antes e depois da criação do movimento sindical, quando a profissão não era reconhecida e não havia acesso a políticas publicas, como política de saúde, previdência, política social, financiamento subsidiado, assistência técnica, habitação rural e outras. Ele destacou que, em 2001, quando ingressou na diretoria efetiva, havia 300 sócios e que houve um salto, até final de 2009, para 1.700 associados.

Homenagem a aposentados e pensionistas O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Casca promoveu no dia 8 de dezembro um encontro em homenagem aos aposentados e pensionistas rurais associados. Mais de 600 pessoas participaram do evento, que foi realizado no salão do Bairro Aparecida em Casca. Além do encontro foi realizada uma assembleia geral, que tratou de vários assuntos, entre os quais a Previsão Orçamentária para 2011 e a eleição dos delegados que participarão do Congresso Eleitoral da Fetag, no dia 11 de janeiro. O presidente do STR de Casca, Nauro Nizzola, avaliou como muito importante as atividades, em especial a expressiva presença dos associados. Lideranças sindicais, autoridades municipais e regionais também

Expressiva presença de aposentados em Casca

prestigiaram a programação desenvolvida pelo sindicato. Após o pronunciamento das mesmas, foi realizada uma celebração de Ação de Graças presidida pelo padre Adelar Dalsoto. Ao meio-dia foi servido almoço de confraternização e, à tarde, a animação foi por conta do Grupo Os Mensageiros.

REGIONAL CAMAQUÃ

Koch assume quarto mandato A cerimônia de posse da nova diretoria do STR de Sertão Santana, que deu continuidade ao quarto mandato consecutivo de Flávio Avelino Koch, teve as presenças do vice-governador eleito, Beto Grill, e do presidente da Fetag, Elton Weber. O evento aconteceu no dia 27 de novembro.


14

Jornal da FETAG-RS

ASSALARIADOS RURAIS

Regionais lutam pela inclusão social liar e Assistência Técnica · Reforma Agrária · Qualificação e Capacitação de Mão-de-Obra Rural · Políticas Sociais no Âmbito do Mercosul · Retomada da Pauta do GTB 2010 – endividamento agrícola, Regionais querem assistência técnica verdadeira e presente através da Emater habitação, As Regionais Sindicais Frontei- PGPAF e política agrícola. ra e Sul, da Fetag, se reuniram, reConforme o 2° vice-presidente centemente, para encaminhar uma da Fetag, Nelson Wild, avaliando as proposta visando a inclusão social propostas, elas têm uma conotação de agricultores e pecuaristas famili- forte, não só da permanência, mas ares, bem como de assalariados rura- do acesso à terra. Neste sentido, a is. Após a realização de uma análise inauguração de uma proposta do econômica da Metade Sul, seguida campo agrário, através de um prode debate, foram elaboradas algu- cesso de distribuição de terra para mas propostas fundamentais para todos aqueles que perderam o emque estas pessoas tenham condições prego em decorrência do avanço e perspectivas para permanecer no assustador da silvicultura na recampo. gião, é apontado como a grande saí· Valorização da Agricultura Fami- da, não só o crédito fundiário como

alternativa, mas também o acesso à terra através de um projeto de reforma agrária discutida e trabalhada entre Fetag e Incra. A outra questão importante é uma assistência verdadeira e presente através da Emater e que esteja presente, tanto na agricultura como na pecuária. Outro ponto importante, continua Wild, é a questão da valorização de uma ação forte centrada, não só da Regional Sindical da Fetag, mas também da Emater e de todos aqueles que comungam com a ideia da valorização da pecuária familiar. “Nós precisamos trabalhar com políticas públicas para os pecuaristas familiares a partir do Programa Estadual de Pecuária Familiar recentemente aprovado pelo governo do Estado”, observa. Um outro ponto é a qualificação da mão-de-obra rural. “Nós entendemos que com o avanço da silvicultura, que desemprega muito mais do que emprega, precisamos buscar a colocação desses trabalhadores em outras frentes. Qualificar e re-

STR de Boa Vista do Cadeado faz assembleia poder de negociação durante a realização do acordo coletivo de trabalho e deliberação sobre a inclusão da contribuição confederativa na celebração de acordo coletivo. O STR fará, ainda, as negociações com a empresa, com poder para aceitar ou não propostas, constituir Empregados aprovaram que STR fará negociação procuradores ou Em assembleia geral extraordiná- firmar acordos coletivos. As principais ria com empregados da Du Pont do Bra- reivindicações dos trabalhadores estão sil S.A – Divisão Pioner Sementes, no relacionadas a salário, alimentação e dia 6 de dezembro, o STR de Boa Vista transporte. do Cadeado reuniu 39 trabalhadores No dia 8 de dezembro, os represenrurais, representantes da empresa que tantes dos sindicatos, da Fetag e a direterceiriza o trabalho, além do 2º vice- ção da Du Pont reuniram-se para dispresidente e diretor responsável pelo cussão e apresentação das demandas Departamento de Assalariados da Fe- das assembleias de Cruz Alta, Ibirubá, tag, Nelson Wild, e do assessor Eloy Santo Augusto, Coronel Bicaco, IndeLeon dos Santos. O encontro aconteceu pendência e Boa Vista do Cadeado. na lavoura da empresa na Fazenda Cerca de mil trabalhadores são contraTaboão. tados, no auge da safra, para atividaFicou definido que o sindicato terá des nas lavouras.

qualificar a mão-de-obra é uma condição que se impõe e hoje cada vez mais e neste sentido a Fetag tem tido a preocupação de que se buscasse recursos, inicialmente alicerçados em uma visão nova do Senar de requalificar a mão-de-obra”, justifica. Já o coordenador da regional Fronteira e secretário-geral do STR de Bagé, Milton Brasil, acredita na necessidade de se buscar o entendimento para articular políticas no sentido de mostrar para o resto do Estado que a Metade Sul não é empobrecida, mas pelo contrário, detém um forte potencial e se faz necessário unir forças. Na assistência técnica, por exemplo, continua Brasil, existe deficiência no acompanhamento do produtor por falta de técnicos da Emater. Em relação à qualificação de mão-de-obra, ele explica que a Regional Fronteira, em termos de assalariados, é uma das maiores. “Precisamos, urgentemente, de qualificação e, para tanto, de recursos oficiais”, completa.

Extrato Analítico do FGTS é fundamental O recolhimento irregular do Fundo de Garantia sobre Tempo de Serviço (FGTS) por parte dos empregadores é um dos grandes problemas enfrentados pelos trabalhadores, principalmente na área rural. No momento da rescisão do contrato de trabalho, a Caixa Econômica Federal fornece o extrato para fins rescisórios. O problema é que neste extrato consta apenas o montante existente naquele momento, não podendo assim verificar se os depósitos foram ou não efetuados corretamente. A constatação de que os depósitos foram efetuados corretamente só é possível através do Extrato Analítico. Neste documento constam todos os depósitos realizados durante o contrato de trabalho, sendo possível, se o empregador não efetuou os depósitos durante um determinado período, identificar esta ausência. Porém, somente o trabalhador/a pode solicitar o referido extrato. Por isso, é importante os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais orientarem os empregados e empregadas rurais para que antes da data da rescisão de contrato de trabalho solicitem junto à CEF o Extrato Analítico. A CEF tem três dias para fornecer o extrato ao trabalhador. De posse dele, o representante do STR que assistir o trabalhador no momento da rescisão de contrato de trabalho terá condições de conferir se os depósitos do FGTS estão corretos. Se estiver faltando algum depósito deve exigir do empregador a regularização. Eloy dos Santos Leon, assessor do Departamento de Assalariados Rurais


15

Jornal da FETAG-RS HUMOR

O bêbado, o padre e a artrite

2 3

4

5 6

7

8

Cruzada Sindical Horizontais 10 3. Convenção realizada no Uruguai sobre fumo. 6. Nome do programa que subsidia sementes. 7. Mês em que será realizada as eleições da Fetag. 8. Sérgio de ........, vice-presidente da Fetag. 10. Número de Regionais Sindicais da Fetag. 11. Além do agricultor e assalariado rural, a Fetag defende também o ..... Verticais 1. Dia do Aposentado Rural. 2. Entidade a qual a Fetag é filiada. 4. A maior conquista do MSTTR, que mudou a vida no meio rural. 5. Sigla da Cooperativa das Agroindústrias e Artesanatos dos Trabalhadores no Estado. 9. Nome do Programa de Rádio da Fetag.

11

9

Respostas: 3. COPQUATRO 6. TROCA-TROCA 7. JANEIRO 8. MIRANDA 10. VINTEETRES 11. PECUARISTAFAMILIAR 1. CINCODEOUTUBRO 2. CONTAG 4. APOSENTADORIA 5. COOPERAGROARTRS 9. AVOZDAFETAG

Num ônibus, um padre sentou-se ao lado de um bêbado que, com dificuldade, lia o jornal. De repente, com a voz empastada, o bêbado perguntou ao padre: - O senhor sabe o que é artrite? O pároco logo pensou em aproveitar a oportunidade para passar um sermão no bêbado e respondeu: - É uma doença provocada pela vida pecaminosa e sem regras: excesso de consumo de álcool, certamente mulheres perdidas, promiscuidade, sexo, farras e outras coisas que nem ouso dizer. O bêbado arregalou os olhos, calou-se e continuou lendo o jornal. Pouco depois, o padre achando que tinha sido muito duro com o bêbado, tentou amenizar: - Há quanto tempo o senhor está com artrite? - Eu?... Eu não tenho artrite!...Diz o jornal que quem tem é o Papa!

1


16

Jornal da FETAG-RS

FUMO

Manifestação da Fetag é destaque no Uruguai

Delegação brasileira foi composta por cerca de 150 pessoas, entre os quais lideranças e fumicultores

A Fetag, juntamente com Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de regiões produtoras de fumo, organizou caravanas de agricultores para realizar uma manifestação no dia 17 de novembro, em Punta del Este, no Uruguai, onde aconteceu, durante os dias 14 a 20, a 4ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (COP-4). Mais de 140 gaúchos, em três ônibus, se juntaram à delegação brasileira e promoveram um ato em frente à entrada principal do Hotel Conrad, local da conferência. O secretário-geral da International Toobac Associated Grupe (ITGA), Antonio Abronhosa, disse que a representação brasileira organizada pela Fetag simbolizou a preocupação mundial das famílias que dependem desta atividade para sobreviver e foi fundamental para que os produtores fossem ouvidos na Conferência, mesmo do lado externo do hotel. A ofensiva brasileira também acabou

sendo decisiva para que uma comissão de produtores fosse recebida pelo presidente do Secretariado da COP-4, Haik Nikogosian, momento em que foi entregue ao presidente da ITGA, Roger Quarles, um abaixo-assinado com mais de 238 mil assinaturas de produtores de todo mundo. Muitos deles brasileiros, que solicitam o direito de continuar produzindo tabaco, já que é a principal fonte de renda para a sobrevivência de suas famílias. O 1° tesoureiro da Fetag, Nestor Bonfanti, explica que a mobilização dos produtores brasileiros, mesmo sendo pacífica e ordeira, chamou a atenção das delegações estrangeiras presentes na COP-4 e foi imprescindível para que a opinião dos agricultores pudesse ser manifestada. Já o assessor de Política Agrícola da Fetag, Airton Hochscheid, que acompanhou a Conferência desde sua abertura oficial, lembrou que todas as discussões têm sido na ótica da Saúde

Joel (ao telefone), Heitor, Airton e demais lideranças traçando as estratégias para as manifestações

Pública e que os produtores, até então, não haviam tido a oportunidade de se manifestar. Ele considera a mobilização organizada pela Fetag como um marco nas discussões sobre tabagismo, uma vez que demonstra que o direito à saúde não existe sem que se tenha o direito ao trabalho e a uma vida digna. Perseguição Juntamente com a Fetag, o deputado Heitor Schuch esteve presente na mobilização e foi um dos organizadores da caravana, contrária às restrições impostas pela Convenção-Quadro. Para o parlamentar, a decisão da conferência, que recomendou a proibição do uso dos aromatizantes, mas manteve a possibilidade da adição de açúcar, necessária para a recomposição do Burley, garantiu um certo fôlego ao setor, mas de forma alguma resolveu a situação. “A perseguição à fumicultura tem aumentado de forma significativa nos últimos tempos. A atividade é uma das principais culturas em geração de renda para os agricultores do Vale do Rio Pardo, grande fonte de emprego e base da economia de toda a região”, justifica. Ele critica o combate ao cultivo de tabaco sem a apresentação de alternativas viáveis econômica e socialmente para os fumicultores e as regiões produtoras. Já o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cerro Grande do Sul, Cloaldo Danelon, considerou o ato bem recebido pelas autoridades locais, que compreenderam que a intenção da representação dos produtores era de solicitar o direito de continuar produzindo tabaco Burley. Ele avalia positivamente a manifestação, pois um dos principais objetivos foi alcançado, isto é, a sensibilização das autoridades quanto ao número de famílias que seriam prejudicadas com as restrições

impostas à cultura do tabaco. Burley garantido O uso do tabaco tipo Burley nos cigarros, pelo menos por enquanto, está garantido. Além disso, a COP-4 recomendou a proibição do uso dos aromatizantes, mas manteve a possibilidade da adição de açúcar, necessária para a recomposição do Burley. A proibição dos aromatizantes está contida nos artigos 9 e 10 da Convenção, cujo teor preocupava a Contag, as Federações e Afubra, já que poderia significar o fim da utilização do fumo Burley nos cigarros. Para Heitor Petry, vicepresidente da Afubra, a posição da conferência torna-se um meio-termo por causa das divergências de interesse do conjunto de países representados. Petry acredita que a possibilidade de manter a recomposição garante a utilização do Burley na fabricação de cigarros, o que ameniza uma das maiores preocupações dos fumicultores. “As entidades ligadas aos produtores têm ciência de que o combate ao tabagismo é um movimento mundial irreversível. Acompanhamos a evolução desse processo para podermos preparar os fumicultores, buscando alternativas de complementação para reduzir o grau de dependência econômica que hoje é, em média, de 68% da renda dos fumicultores sulbrasileiros”, ressalta. A decisão final da COP-4, de certa forma, também ficou alinhada com a posição do governo brasileiro. O País defendeu a implementação e sugeriu que cada nação definisse por lei nacional, a seu tempo e modo, os aspectos relacionados aos artigos. A comitiva de representantes dos fumicultores brasileiros foi integrada pela Contag, Fetag-RS, Fetaesc, Afubra e Farsul, além de deputados federais, estaduais, prefeitos, vereadores e sindicalistas.

Borin (com boné), do STR de Barros Cassal, entrega abaixo-assinado a Nikogosian

Fetag  

Fetag dsfasdfadfadfasdfasdf

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you