Issuu on Google+

Noção Básica de Contabilidade

Trabalho realizado por: Rui e Gonçalo

Contabilidade A Contabilidade tem como objeto de estudo o património das entidades, seus fenómenos e variações, tanto no aspecto


quantitativo quanto no qualitativo, registando os fatos e atos de natureza económico-financeira que o afetam e estudando suas consequências na dinâmica financeira. USUÁRIOS DA CONTABILIDADE: Sócios, acionistas, proprietários; Diretores, administradores, executivos; Instituições financeiras; Empregados Sindicatos e associações;  Institutos de pesquisas  Fornecedores Clientes Órgãos governamentais Fisco PRINCIPIOS FUNDAMENTAIS: O Conselho Federal de Contabilidade, através da Resolução Federal no 750/93, determinou os seguintes princípios fundamentais de contabilidade. Entidade Continuidade Oportunidade Registro pelo Valor Original Atualização Monetária Prudência Competência FINALIDADES DA CONTABILIDADE: Assegurar o controle do patrimônio administrado e fornecer informações sobre a composição e as variações patrimoniais, bem como o resultado das atividades econômicas desenvolvidas pela entidade para alcançar seus fins, que podem ser lucrativos ou meramente ideais. De acordo com o parágrafo acima, observamos duas funções básicas na contabilidade. Uma é a administrativa, e a outra é a econômica. Assim:  Função administrativa: controlar o patrimônio  Função econômica: apurar o resultado. DESVANTAGENS:


A flexibilidade do método baseado em princípios cria seu próprio conjunto de problemas. Uma vez que cada empresa pode preparar as suas demonstrações de sua própria maneira, elas podem variar em termos de estilo, tornando mais difícil compará-las, principalmente em diferentes setores. Outro problema é que esse método acarreta mais responsabilidade para a empresa. Sem um rigoroso conjunto de regras contáveis, a empresa tem mais probabilidades de cometer um erro de informação que pode levar a problemas.

Património O Património é um conjunto de bens. Esse conjunto de bens pode pertencer a uma pessoa física ou jurídica. Enquanto pessoas físicas possuem um conjunto de bens e consumo (caneta, televisão, relógio, etc.) as entidades, pessoas jurídicas de fins lucrativos (empresas) ou de fins ideais (instituições), possuem outros tipos de bens (mercadorias, máquinas, instalações, etc.). Considerando o Património de uma empresa, ele pode se apresentar de três formas diferentes: Os bens da empresa, que estão em seu poder (computador, prédio, casa, carro, dinheiro em sua mão, maquinas e etc..). Os bens da empresa, em poder de terceiros, ou seja os seus DIREITOS (uma venda feita a prazo (é direito seu receber esse dinheiro, como esse dinheiro ainda não esta contigo, ele não é um bem, e sim um direito, direito de recebê-lo), o dinheiro no banco (ele não esta com você) entre outros). Podemos entender que o que diferencia BENS de DIREITO é a posse. Pois na verdade tudo que esta nos dois exemplos acima podem ser avaliados em dinheiro. - Os bens de terceiros, em poder da empresa, - as suas OBRIGAÇÕES (é o inverso de DIREITOS, ou seja, é algo avaliável em dinheiro que não lhe pertence mais está contigo). Exemplo: COMPRA À PRAZO – seu fornecedor lhe vendeu mercadorias a prazo, é um direito dele receber e uma OBRIGAÇÃO sua de pagar; UM EMPRÉSTIMO – é um direito do banco ou financeira e uma OBRIGAÇÃO sua pagar.


Assim, definimos o Património como “o conjunto de bens, direitos e obrigações, avaliável em moeda e pertencente a uma pessoa física ou jurídica”. O Balanço Patrimonial é uma demonstração que evidencia todo o património de uma entidade em um determinado momento, ou seja ela vai mostrar todos os BENS, DIREITOS E OBRIGAÇÕES numa certa data. Primeiro ela regista esses dados, depois processa os relatórios e demonstrações. Uma das principais demonstrações é chamada de Balanço Patrimonial. Mais para ficar mais apresentável, ao invés de misturar tudo, ela preocupou-se em deixar isso de uma maneira mais fácil de se entender. O Património está divido em duas partes: um positivo chamado ATIVO outro negativo chamado PASSIVO. No ATIVO estão o conjunto de BENS e DIREITOS e no PASSIVO suas OBRIGAÇÕES ou DEVERES. A diferença entre o Ativo (+) e o Passivo (-), denomina-se PATRIMÔNIO LIQUIDO que aparece vinculado ao Passivo, para que haja uma igualdade entre este e o Ativo, que chamamos de Equação ou Equilíbrio Patrimonial.  Resumo ATIVO (+)

PASSIVO (-)

BENS DIREITOS

OBRIGAÇÕES PATRIMÔNIO LIQUÍDO

Assim sendo, dizemos que o Património Liquido representa a diferença entre o Ativo e o Passivo.

 Exemplo: ATIVO (+)

PASSIVO (-)

2.500,00

500,00 P.L. 2.000,00 2.500,00

Equilíbrio Patrimonial

2.500,00


Podemos apresentar o Património de três formas diferentes, ou seja: 1º) O Ativo maior que o Passivo ATIVO (+) PASSIVO (-) 3.000,00

1.000,00

O Património Líquido é a 3.000,00 3.000,00 diferença entre o Ativo (3.000,00) e O Património Líquido é a diferença entre o Ativo (3.000,00) e o Passivo o Passivo (1.000,00) (1.000,00) P.L. 2.000,00

2º) O Ativo igual ao Passivo ATIVO (+) 3.000,00

PASSIVO (-) 3.000,00

Resultado numa Situação Líquida Nula ou Compensada. 3º) O Ativo menor que o Passivo ATIVO (+) PASSIVO (-) 3.000,00

PASSIVO DESCOBERTO 500,00

3.500,00

O Passivo Descoberto representa a diferença entre o Passivo e o Ativo

Apenas a 1ª primeira situação é real (o Ativo maior que o Passivo), pois apresenta uma situação de equilíbrio patrimonial na empresa uma vez que o conjunto de bens e direitos é suficiente superior para saldar os compromissos da empresa com terceiros, representados pelas obrigações. Na 2ª segunda situação, uma posição muito difícil de acontecer, pois sendo o Ativo igual ao Passivo, representa que toda a parte do proprietário já foi consumida pelas obrigações que representam o mesmo valor do conjunto de bens e direitos. Considerando, ainda que uma parte do Ativo é constituída de bens que são destinados ao uso da empresa (Móveis e utensílios, Instalações, Maquinas e Equipamentos etc..) não podendo se desfazer deles, são necessários ao funcionamento da empresa, o Ativo deverá ser maior que o Passivo, no mínimo pela soma desses valores, senão é bem provável que a empresa tenha que alienar esses bens, para saldar seus compromissos, não sobrando nada para que possa continuar funcionando.


A 3ª é mais critica ainda, (o Ativo é menor que o Passivo), apresenta o Património numa situação muito difícil de ser encontrada, sendo as obrigações superiores ao conjunto de bens e direitos. Mesmo transformando seus bens e direitos em numerários, não é suficiente para cobrir as obrigações. Daí, o nome PASSIVO A DESCOBERTO, pois a soma do Ativo não da para cobrir a soma do Passivo. ALTERAÇÕES PATRIMONIAIS: No desenvolver das operações de uma empresa, quando efetua uma transação (compra, vendas) ou qualquer outra operação, os elementos que compõem o Património se modificam. Chamamos de Exercício Financeiro, operações que acontecem, fazendo com que a estrutura do Património se modifique a cada operação realizada. A essa continuidade de operações do “dia a dia” da empresa, modifica a estrutura patrimonial. No último dia de cada Exercício Financeiro levantamos um Balanço que nos mostra a representação do que existe de Bens, Direitos e Obrigações e qual resultado do exercício que está sendo encerrado, que ser de dois tipos: 1º) Quando a Receita (+) for maior que a Despesa (-), o resultado final do exercício será um Lucro; 2º) Quando a Despesa (-) for maior que a Receita (+), o resultado final do exercício será um Prejuízo; O termo balanço na Contabilidade se equipara a igualdade, assim pressupõem se que o Ativo é igual a soma do Passivo mais o Património Liquido (A = P + PL). Na contabilidade nos trabalhamos com as chamadas partidas dobradas, registamos o mesmo valor duas vezes mais em contas diferentes.  Exemplo: 1) Abertura da empresa com capital de R$ 80.000,00, depositada na conta da empresa. Ativo Deposito no Banco

80.000,00

Passivo


Património Líquido Capital Social 80.000,00 - Esse primeiro dinheiro que o sócio coloca na empresa é chamado de CAPITAL SOCIAL. - Essa operação acima em termos técnicos é chamada de interligação de capital.


Contabilidade