Page 1

Veja Oportunidades na Casa Verde pags. 13, 14 e 15

www.globalnews.com.br Totalmente online! CORTESIA

São Paulo, 30 de Julho a 20 de Agosto de 2012 | Anos XXIII - Nº155 | Diretor Responsável: Lino Almeida

Pílula para prevenir Aids é Em Londres, Dilma lança campanha aprovada nos Estados Unidos de promoção do Brasil no exterior A caba de aprovar a indicação do remédio antirretroviral Truvavada como forma de prevenir a infecção pelo HIV

Presidência da Republica / Roberto Stuckert Filho

....................................................... pág 11

Cacau tenta renascer como forma de proteção da Mata Atlântica com urgência

M

anter ao menos uma parcela da floresta em pé, os cacaueiros ajudarão a proteger o bioma. ....................................................... pág 10

Milho dispara e exportação brasileira deve bater recorde

o

Brasil, que colhe a maior safra de sua história neste ano, graças à ‘‘safrinha’’ de inverno. ....................................................... pág 6 Em visita a Londres, Dilma Rousseff tem uma agenda intensa de atividades. A presidente começa a lançar a campanha de promoção turística do país no exterior, destacando a diversidade e hospitalidade brasileiras, para atrair a atenção de estrangeiros. Como isso, Dilma quer esti-

mular a curiosidade e o interesse pelo país tendo como foco a Copa do Mundo de 2014 e os jogos Olímpicos de 2016. Segundo o ministro do Turismo, Gastão Vieira, a intenção é colocar o Brasil entre as três maiores potências turísticas do mundo até 2022. Diz o primeiro ministro

britânico James Cameron, que a discussão foi a respeito dos impactos da crise econômica internacional sobre a Europa. O êxito desta viagem com certeza sentiremos num curto prazo, pois nosso país tem muitas belezas a serem visitadas.

Santana 230 anos Bonde puxado a burro e Dom Pedro II com a sua carruagem. .............................................. pág 3, 4 e 5


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

O País das obrigações acessórias

EDITORIAL

Como se não bastasse a elevada carga tributária, Brasil amarga o título de campeão em tempo gasto para o cumprimento de exigências fiscais

Porque se fala tanto em ética na política no Brasil

N

ão só no Brasil se fala muito em ética, hoje. Mas temos motivos de sobra para nos preocuparmos com a ética no Brasil. O fato é que, em nosso País, assistimos a uma degradação moral acelerada, principalmente na política. Ou será que essa baixeza moral sempre existiu? Será que hoje ela está apenas vindo a público? Uma ou outra razão, ou ambas combinadas, são motivos suficientes para provocar uma reação ética dos cidadãos conscientes de sua cidadania. Afinal, a hipocrisia será de todos se não reagirem eticamente para fazer valer plenamente os direitos civis, políticos e sociais proclamados por nossa Constituição. Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: construir uma sociedade livre, justa e solidária; garantir o desenvolvimento nacional; erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação (Art. 3° da Constituição da República Federativa do Brasil, 1988). A falta e a quebra da ética ameaçam todos os setores e aspectos da vida e da cultura de um país. Mas não há como negar que, na vida política, a falta ou quebra da ética tem o efeito mais destruidor. Isto se dá porque o político deve ser um exemplo para a sociedade. A política é o ponto de equilíbrio de uma nação. Quando a política não realiza sua função, de ser a instância que faz valer a vontade e o interesse coletivo, rompe-se a confiabilidade e o tecido político e social do país. O mesmo acontece quando a classe política apóia-se no poder público para fazer valer seus interesses privados. A multiplicação de escândalos políticos no Brasil só não é mais grave que uma de suas pró-

2

O

prias consequências: a de converter-se em coisa banal, coisa natural e corriqueira, diante da qual os cidadãos sejam levados a concluir: “sempre foi assim, nada pode fazer isso mudar”, ou coisa ainda pior: “ele rouba, mas faz”. Do outro lado, uma vida política saudável, transparente, representativa, responsável, verdadeiramente democrática, ou seja, ética, tem o poder de alavancar a autocofiança de um povo e reerguer um país alquebrado e ameaçado pela desagregação. Um agente público é um cidadão que assumiu a responsabilidade de realizar o interesse público. Não há responsabilidade histórica maior que essa: de fazer valer e realizar a vontade e o interesse coletivo. A ideia de “vida pública”, “serviço público”, “interesse público”, tem sido uma idéia desgastada por nosso passado colonial, populista, autoritáriomilitar e pelo nosso presente neoliberal privatizante. O “público” em nossa história tem se realizado frequentemente como sinônimo de ineficiência, descaso, desleixo, baixa qualidade, trampolim para a realização de interesses privados, etc. A “coisa pública” tem sido considerada aquilo que, por ser “de todos”, é “de ninguém”, e por isso pode ser apropriada, usada e abusada. A atual generalização da corrupção política tem levado essa crise do “público” ao limite. Nessas circunstâncias, torna-se muito maior a responsabilidade do agente público de agir eticamente. E torna-se mais urgente e trabalhosa a necessidade de se resgatar e restaurar a dignidade ética da vida pública. Lino Almeira

compromisso da União de racionalização do sistema tributário, desde o início da implantação do Sistema Público de Escrituração Digital, vem caindo por terra com a criação de novas exigências fiscais. De acordo com estudo feito com 183 países pelo Banco Mundial e a PricewaterhouseCoopers, o Brasil conquistou o último lugar em tempo gasto no cumprimento delas: 2,6 mil horas anuais. Este panorama é reflexo da tendência do governo em criar novas obrigações acessórias. A última veio com Instruções Normativas 1.277/12 e 1.281/12, que criou e implantou nova declaração para os prestadores de serviços que negociam com estrangeiros: o Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços - Siscoserv, que veio para se juntar ao grande emaranhado de exigências como DIPJ, DIRF, DACON, DCTF, DIMOB, DMED, GFIP/SEFIP, DITR, PER/DCOMP, EFDContribuições, EFD, ECD, F C O N T, D I M O F, D N F, MANAD, só para citar as de âmbito Federal. ‘‘Como se já não bastasse o insuportável peso da obrigação principal: o pagamento dos tributos, o contribuinte ainda precisa arcar com o ônus das obrigações acessórias, que demandam cada vez mais tempo e gasto’’, explica o presidente do SESCON-SP, José Maria Chapina Alcazar. A inversão do papel fiscalizador, que é do Estado, mas vem sendo transferido para o contribuinte, segundo o líder setorial, só traz prejuízos. ‘‘Além de se desviar de sua atividade, o empreendedor preprecisa decifrar a complexa legislação brasileira, gastar tempo e dinheiro com o preenchimento de declarações e, caso tenha cometido algum erro, ainda fica sujeito ao pagamento

de altíssimas multas, que podem até levar o negócio à falência’’, destaca. ‘‘Tudo isso para municiar o Fisco de informações, a ajudá-lo na fiscalização’’, acrescenta.

‘‘Como se não bastasse o insuportável peso da obrigação principal: o pagamento dos tributos, o contribuinte ainda precisa arcar com o ônus das obrigações acessórias, que demandam cada vez mais tempo e gastos’’, explica o presidente do SESCON-SP, José Maria Chapina Alcazar.

Para o empresário contábil, este comportamento do governo deve condenar, em pouco tempo, o crescimento do País, tendo em vista suas consequências como a desindustrialização, a inibição de empregos, a falta de competitividade das empresas nacionais no contexto mundial, além do aumento do Custo Brasil. O SESCON-SP tem cobrado insistentemente da Receita Federal do Brasil e de outros órgãos a simplificação do sistema tributário, com medidas como a descentralização dos prazos de entregas de declarações e a extinção de obrigações redundantes. Chapina Alcazar cita como exemplo o recém-criado Siscoserv, que solicitará informações semelhantes às constantes na DIPJ e na DIMOF. No intuito de contribuir, o Sindicato fez um mapeamento de obrigações acessórias nas três esferas governamentais e entregou à RFB. ‘‘O empreendedorismo está no seu limite, imerso em tantas obrigações e elevada carga tributária. Agora é o momento de o rigor e estrutura tecnológica destinados à fiscalização e ao controle serem empregados também em benefício dos contribuintes’’, argumenta Chapina Alcazar, frisando que disto dependente o desenvol- vimento de um País forte, estruturado e sustentável.

Diretor responsável

Global News Editora Ltda. Rua Banco das Palmas, 349, CJ 03 - Santana - São Paulo - SP - CEP 02016-020 Telefone (11) 2978-8500 - Fax: (11) 2959-1784 Novo site: www.globalnews.com.br - email: globalnews@globalnews.com.br Diretor Responsável: Cantulino Almeida (MTB 40.571) Diagramação: Priscilla Carvalho Lima - e-mail: priscilla.lima7@gmail.com / priss@bienemann.me Jornalismo: Regina Elias (MTB 40.991) Publicidade: Marina Crisostemo Circulação: Daniela Crisostemo Almeida. Produção e Acabamento: Global News Editora Faça um bom investimento, anuncie; ligue: (11) 2978-8500 Assessoria Jurídica: Dra Cassiana Crisostemo de Almeida e Dr. Rômulo Barreto de Souza. As matérias assinadas refletem o ponto de vista de seus autores, isentando a direção deste jornal de quaisquer responsabilidades provenientes das mesmas. A empresa esclarece que não mantém nenhum vínculo empregaticio com qualquer pessoa que conste neste expediente. São apenas colaboradores do jornal. É vetada a reprodução parcial ou integral do conteúdo deste jornal sem autorização expressa do Diretor Responsável.


Santana 230 anos O portal da Zona Norte Santana teve sua importância na independência do Brasil No antigo Solar dos Andradas, atual CPOR, José Bonifácio de Andrada e Silva redigiu a carta do ‘‘FICO’’, que culminou grito de independência em 1822 reprodução

S

antana teve sua importância na independência do Brasil, no antigo Solar dos Andradas, atual CPOR, José Bonifácio redigiu a carta do ‘‘FICO’’ para Dom Pedro I, que culminou no grito de independência em 1822. O nascimento de Santa Ana, mãe de Maria e avó de Jesus, considerada Protetora dos Viajantes e dos Marinheiros. A data foi escolhida devido a descoberta do decreto assinado pelo Papa Urbano VIII, no dia 28 de maio de 1.782, que declara Santa Ana como padroeira da cidade e diocese de São Paulo. Esse desejo cumpria uma promessa do Papa Inocêncio VIII, por se encontrar muito doente, havia pedido sua cura, confirmados pelos Papas Gregório XIV e Gregório XVIII. Este é, portanto, o 230º aniversário do Bairro de Santana. Santana é o mais antigo núcleo de povoamento do Zona Norte, o principal bairro da margem direita do Rio Tietê. Em outros tempos foi caminho dos bandeirantes para Minas Gerais. Chegou ao fim do século XIX com característica de zona urbana, com suas chácaras, sem melhoramentos básicos. A conquista da várzea do Tietê foi lenta, pois em alguns trechos, as inundações invadiam dois quilômetros de planície. O rio era um obstáculo entre a cidade e o bairro, para uni-los, existia a Ponte Grande, que era de madeira e começou a ser planejada em 1700, mas apresentou mais de duas décadas de problemas, até ser substituída pela atual Ponte das Ban-

deiras (inaugurada em 1942), o que modernizou e permitiu mais desenvolvimento ao bairro e à toda Zona Norte.

Transporte última linha de bondes puxado a burro do bairro de Santana

A

Inauguração do Semáforo na Rua Voluntários da Pátria, em 1982

No dia 25 de junho de 1889, a Câmara de São Paulo discutiu o parecer da Comissão encarregada de dar nomes às ruas da capital, indicando que a ‘‘A Rua da Nova Freguesia de Sant’ Anna, a partir da Ponte Grande até a subida do morro seja denominada Rua Voluntários da Pátria’’.

linha Ponte Grande – Santana, puxada a burros, funcionou ainda por algum tempo. Os bondes movidos a eletricidade chegavam até a Ponte Grande. Daí até Santana os passageiros iam nos calhambeques da Empresa de Bondes de Santana. Os bondezinhos de burros, apesar dos pesares, prestaram bons serviços no seu tempo, embora, de vez em quando, “os distintos cavalheiros de cartola e colarinho duro” tivessem de descer para rebocá-los sobre os trilhos... E isso rolou durante mais de 20 anos, portanto, até os começos do século. Foi quando os paulistanos, diante do surto

sempre vertiginoso da cidade de São Paulo, que crescia e progredia a olhos vistos, passaram a reclamar transportes melhores. Dali a pouco, a Light & Power encampava os serviços. A última linha de burros foi a de Santana, que era uma empresa à parte. Não tinha qualquer ligação com a Companhia Viação Paulista. Seus carros, “descuidados, quebrados, conduzidos por feios, sujos e magros animais” foram vítimas, por mais de uma vez, da ira popular. Nos dias de chuva, então, era um horror. Descarrilavam. Um inferno!

´

Temos orgulho de estar em Santana, que tem 230 anos de história e progresso. Parabéns Santana e todos os Santanenses. Estamos aqui com nossos empreendimentos porque acreditamos!

www.papagaiovintem.com.br

www.villavontem.com.br

www.quepankeka.com.br

www.chipsburger.com.br

www.donacarmela.com.br

www.frozenberry.com.br


Santana, um dos mais antigos núcleos de povoamento de São Paulo A Fazenda Santana De fazenda a importante núcleo urbano

A

história da Fazenda Santana começa muito antes , em 1673, quando os herdeiros da senhora Inês Monteiro Alvarenga, denominada a ‘‘Matrona’’, doaram-na aos padres jesuítas. Sua sede estava onde hoje está o quartel do CPOR, na Rua Alfredo Pujol, e foi ao seu redor que se desenvolveu o núcleo original do bairro. Dona Inês Monteiro possuía terras onde hoje estão os bairros de Tremembé, Vila Maria e Guarulhos. Os jesuítas organizaram a fazenda e a ampliaram. Levaram mais de meio século para organizá-la como importante fonte de abastecimento da capital. No século XVIII já era a mais importante do Colégio de São Paulo, com suas trezentas cabeças de gado

e 140 servos que cuidavam da lavoura. Fornecia à cidade leite, legumes, mandioca e frutas. Havia na propriedade, naturalmente, uma capela; era a capela de Santa Ana, quem em 1727 precisou ser restaurada porque estava em ruínas. Em 1759, o Marquês de Pombal expulsou os jesuítas, confiscando os seus bens, assim a Fazenda Santana passou para Coroa e suas terras foram sendo divididas e subdivididas. Mais tarde, a antiga sede passou à propriedade de uma rica e importante família paulista do início do Século XIX. Reformada, a sede da fazenda ficou conhecida como Mansão dos Andrade. No final do século XIX, o casarão obrigou um seminário de educandos, depois um hospital e cemitério de portadores de varíola e mais adiante uma colônia de imigrantes. No final do século suas terras foram loteadas e o antigo casarão que fora o seminário acabou transformado em quartel. A partir de 1893, contingentes tem diversas armas, estacionados ou em trânsito pela capital, alojavam-se ali. Mas em 1916, o casarão (grossas paredes de taipas em ruínas) foi derrubado. Com ele vieram abaixo a senzala e a capela. No mesmo lugar foi construído o quartel que hoje abriga o CPOR.

A evolução do transporte Da Ponte Grande para Ponte das Bandeiras, do Em 27 de Maio de 1907, Santana ganhou o bonde elétrico. Até então o Bonde ao Metrô transporte dava-se através do Trenzinho da Cantareira e dos Bondes puxados por burros. Em Janeiro de 1907, cansados desse tipo de transporte os moradores da região desatrelaram os burros e atearam fogo nos bondes, em sinal de protesto. De Janeiro a Maio a população fez o percurso a pé. A companhia que detinha a concessão e estava exausta daquela situação e entrou em contato com a Ligth. No dia 27 de Maio, Santana ganhou o bonde elétrico. O bairro continuava sua trajetória, muito mais tarde aconteceu a inauguração da Ponte das Bandeiras.

O bairro de Santana tem como marco o Rio Tietê, com a sua Ponte das Bandeiras como porta de entrada. O mais importante rio de São Paulo, cuja nascente se dá em Salesópolis, atravessa todo o Estado de São Paulo, numa extensão de 1.650 Km, desaguando no Rio Paraná. Devemos destacar a importância do Rio Tietê, como um dos mais importantes rios do Brasil. Pois as Bandeiras Paulistas partiam das proximidades de onde se localizava a Ponte da Bandeiras, promovendo a integração nacional, marcando os limites do oeste até o Amazonas do nosso território. Até o início do século passado, ele dificultava a ligação do bairro com o centro da cidade, que dependia da travessia do rio. Havia apenas uma ponte que possibilitava essa ligação, a Ponte Grande. Primitiva e feita de madeira permitia o trânsito de um veículo por vez. Na época dos bondes elétricos, era necessário que o motorneiro se locomovesse até um poste. Onde usando uma chaveta, acendia a luz verde do outro lado, a fim de comunicar o impedimento da entrada do outro bonde em sen-

Empreendedores parabenizam Santana pelos 230 anos de evolução e progresso para a Zona Norte Medicina e engenharia do trabalho Nr7 - PCMSO - Exame Médico NR9 - PPRA Exames Complementares Audiometria ISNN - LTCA Todas as Normas do Ministério do Trabalho

Parabenizamos Santana pelos seus 230 anos de progresso! SAMTRA Serviços de Assessoria em Medicina do Trabalho S/C

Tel.: 2950-5480 2976-4619

R. Voluntários da Pátria, 1929 - conj. 11 - Metrô Santana

A passeio ou a negócio seu lugar é aqui! O Maison Florense Hotel parabeniza o bairro de Santana pelos seus 230 anos! Próximo ao Expo Center Norte e Shopping Center Norte. O Maison Florense Hotel tem a estrutura ideal para quem deseja relaxar, curtir a vida ou para quem viaja a negócios ou passeio. São 51 apartamentos que oferecem total privacidade e conforto. Al. Gal. Ataliba Leonel, 1478/84 Reservas: (11) 2979-9362 / 2978 7664 / 3375-9368 maison@maisonflorense.com.br

SEU IDEAL É A NOSSA META www.maxtalimoveis.com.br

A Maxtal oferecendo soluções rápidas e inovadoras contribuindo para melhorar a qualidade de vida e a valorização do patrimônio de nossos clientes.

Parabéns Santana pelos 230 anos! Rua Doutor Cesar, 422 / 429 - Santana Adm. de Condominios: (11) 2167-2000 Locação e Vendas: (11)2167-2043

Rua Pedro Doll, 19 - Santana São Paulo - SP - CEP 02404-000 Telefone: (11) 3132-2000


tido contrário. Essa era a única via de acesso ao bairro e essa precária ligação isolava Santana, prejudicando seu desenvolvimento. Em 1969 quando era prefeito o engenheiro Paulo Maluf, foi formada uma comissão de personalidades. Entre elas Leonardo Placucci, Nildo PInheiro, Jamil Chama, Enzo Bertolini e Jaime Janeiro Rodrigues, para a criação do Metrô, foi o evento da Pedra Fundamental da criação do mesmo.

ponte é uma homenagem aos bandeirantes, que partiam daquele local “as entradas e bandeiras” até Porto Feliz, desbravando os sertões e chegando a divisa com a Bolívia. A construção das pontes Cruzeiro do Sul, Vila Guilherme e a abertura das Avenidas Santos Dumont e Brás Leme auxiliou o progresso da região.

Pontes Jr., que formou a “Companhia São Paulo Construtora”. A situação da companhia era tão precária que, em 1902, o concessionário pediu dispensa das contribuições dos impostos a que estava obrigado. A empresa operava com “dois carros em mau estado de conservação, dois condutores, dois cocheiros e 18 animais.”

até o alto de Santana, dando-se por esta forma desenvolvimento ao povoamento do bairro e servindo-se da linha maior número de habitantes”.

A linha de bondes de Santana teve seu contrato efetuado em 7 de agosto de 1890, e era de propriedade do Sr. Antônio José

Em 1904 a situação ainda era precária, e o prefeito já cogitava a idéia de eletrificar a companhia, mediante acordo com a Light, “levando-se a linha elétrica

Em 27 de maio de 1907 Santana ganhou o bonde elétrico. Viagem inaugural da linha de bonde para Santana, na altura da Ponte Grande (1908).

Melhor transporte de 1907

A inauguração da Ponte das Bandeiras A visão empreendedora do então prefeito Prestes Maia ao construir a Ponte da Bandeiras, gerou novas perspectivas de progresso para a região. Inaugurada em 1942 pelo presidente Getúlio Vargas, permaneceu como a única porta de entrada do centro para Santana até 1964. O nome da

Certidões


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

6

ECONOMIA E AGRONEGÓCIO Milho dispara e exportação brasileira deve bater recorde. Quebra de safra nos EUA valoriza a atual produção no Brasil que colhe a maior safra

A

constatação de que a estiagem que castiga o MeioOeste dos EUA pode derrubar a produção mundial de milho na safra 2012/13 teve reflexos imediatos sobre a comercialização do grão no Brasil, com a retomada das exportações - que em 2011 renderam US$2,7 bilhões ao país e a escalada dos preços. Mais o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) cortou em mais de 46 milhões de toneladas sua projeção para a colheita americana, os preços da commodity registram alta superior a 12 % no mercado inteiro, até então indiferente às pressões altistas vindas de fora.

Só em julho, as cotações acumulam alta de 19,4%, conforme o indicador Cepea/ Esalq. A perspectiva de escassez e a escalada dos preços nos EUA fizeram com que as tradings redirecionassem suas aquisições para o Brasil, que colhe a maior safra de sua história neste ano, graças à ‘‘ safrinha’’ de inverno. Segundo Daniel D’Ávila, analista da corretora Newedge USA, estima-se que as multinacionais tenham acertado o embarque de 21 carregamentos (o equivalente a 1,26 milhão de toneladas) de milho brasileiro nas últimas duas semanas. Em todo o primeiro semestre, o país

Divulgação

embarcou pouco mais de 1,8 milhão de toneladas, de acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex). A mudança de cenário nos EUA pode levar a uma revisão das estimativas de exportação da safra 2011/12. Em seu último relatório, o USDA elevou de 12 milhões para 14 milhões de toneladas sua projeção para os embarques brasileiros no período - um recorde. A Conab ainda prevê um embarque de 12 milhões de toneladas, ante 9,3 milhões na temporada 2010/11, mas a tendência para cima em agosto. Condomínio de Produtores de

Campo Novo do Parecis (MT), conta que empresas estão comprando lotes de 10mil a 12 mil toneladas de milho para exportação, enquanto o tamanho das compras habituais para esta época do ano é de apenas 1 mil ou 2 mil toneladas. Só em julho, as cotações acumulam alta de 19,4%, conforme o indicador Cepea/ Esalq.

‘‘Geralmente as tradings compram nosso milho para atender principalmente ao mercado brasileiro. Agora estão com foco no exterior precisam encher navios com 60 mil toneladas de grão’’. ‘‘Particularmente após a divul-

gação do relatório do USDA, as empresas decidiram que era hora de voltar a comprar o grão brasileiro’’, afirma Cleber Noronha, analista di Imea. De acordo com analistas, a diferença de custo justifica a opção pelo milho brasileiro. D’Ávila observa que o prêmio pago pelo milho no Golfo do México, por onde os americanos escoam sua safra chegou a US$ 0,70 por bushel (US$ 1,65 por saca de 60 quilos) sobre o preço praticado no mercado futuro de Chicago. Já em Pa ranaguá (PR), o produto é vendido com um desconto de US$ 0,35 por bushel (ou US$ 0,83 por saca) sobre o preço em Chicago.

Divulgação

Afrouxamento pode estar perto do fim sinaliza Banco Central Divulgação

A tendência de queda da inflação em 12 prestações permite que o Copom siga reduzindo a taxa de juros

O

ciclo de afrouxamento monetário iniciado em agosto de 2011 ainda não acabou, mas pode estar perto do fim. A sinalização de que haverá novo corte da taxa básica de juros foi dada pelo Banco Central ao divulgar a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) na qual a Selic foi reduzida para 8% ao ano. A repetição do discurso de parcimônia associada a uma visão mais otimista da atividade econômica doméstica neste semestre permitem supor que a taxa não cairá muito além do atual patamar. ‘‘O cenário central completa ritmo de atividade mais intensa neste semestre’’, diz o texto, em um dos poucos trechos que o diferencia da ata da reunião anterior feita em maio. O Copom reafirma

que, apesar da recente moderação da demanda doméstica, ‘‘são favoráveis as perspectivas para a atividade de economia neste e nos próximos semestres’’, ainda que com alguma assimetria entre os setores. Também chama atenção uma mudança na parte que se refere à influência do setor público na demanda agregada da economia. Até a ata anterior, o BC via um cenário de contenção de despesas públicas, o que contribuía pa ra moderar a demanda agregada. No documento atual, embora mantenha a crença no cumprimento das metas fiscais, a autoridade monetária afirma que ‘‘iniciativas recentes apontam cenário de neutralidade do balanço do setor público’’, ou seja, o efeito na demanda seria neutro

e não mais no sentido de contêla. Esse é outro ponto que sugere proximidade do fim do período de relaxamento da política monetária, uma vez que gastos públicos pressionam a inflação. Considerando que depois de abril, a Selic já caiu duas vezes, a repetição do trecho na ata da reunião da semana passada reforça as suposições. Pelo menos mais uma queda é esperada pela grande maioria dos analistas de mercado. Segundo a ultima pesquisa de expectativas feita pelo BC com bancos e empresas, já depois da reunião do Copom, a mediana das projeções indica que a Selic cairia a 7,5% ao ano e nesse patamar ficaria durante um bom tempo.

O cenário externo, de baixo crescimento mundial e, portanto ‘‘desinflacionário’’, é um dos fatores que favorece nova redução da taxa básica de juros. A ata afirma que ‘‘desenvolvimentos recentes indicam postergação de solução definitiva para a crise financeira européia’’. Os governos das chamadas economias maduras têm espaço limitado para enfrentar a crise via utilização da política monetária, pois ‘‘prevalece o cenário de restrição fiscal neste e nos próximos anos’’. A tendência de queda da inflação acumula em 12 meses também permite que o Copom siga reduzindo a taxa de juros. O BC afirma na ata que, no cenário de referência, a projeção de aumento do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2012.


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

7

EDUCAÇÃO XIX Feira de Ciências A melhor forma de aprender é fazendo. Partindo desse princípio, realizamos nossos “projetos científicos” com alunos desde a Educação Infantil até o Ensino Médio. Integrando os conteúdos escolares com exposições, experiências, performances e atividades interativas, visamos a ampliação e consolidação do conhecimento do aluno e da comunidade visitante. Com tudo isso em mente e muita ação, realizamos, dia 16 de junho, nas dependências do Colégio Imperatriz Leopoldina, a nossa XIX Feira de Ciências. Os trabalhos foram os mais variados possíveis: a Educação Infantil e 1º Ano do Ensino Fundamental I abordou os quatro elementos da natureza, o 2º Ano interagiu com o público pre- sente através de um “Túnel dos Sentidos”, o 3º Ano esteve envolvido com a alimentação saudável, o 4º com o aquecimento global e o 5º reconstruiu o passado da Terra, com rochas e vulcões. No Ensino Fundamental II, tivemos belíssimas instalações. O 6º Ano apresentou um imenso Rio Tietê em diferentes momentos de sua trajetória e a equipe de alemão instalou um “Mar” de peixes e garrafas PET, em uma rede gigante no teto do ginásio esportivo. As garrafas traziam mensagens ecológicas elaboradas pelos alunos do 9º Ano. Os alunos do 7º se ocuparam da questão da produção do lixo e sua reciclagem,

oferecendo, inclusive, uma oficina lúdica. Nos 8ºs, o tema tratado foi o corpo humano, e os 9ºs, além da conscientização ecológica que propuseram, realizaram experiências com circuitos elétricos, magnetismo, tipos de reações, entre outras. O Ensino Médio ocupou os laboratórios e todo um andar do colégio com montagem de lâminas, histologia vegetal e animal, máquinas térmicas, projetos de uso de energia, diagnóstico pré-natal, etc, além de filmes sobre cientistas alemães e um “modelo Einstein” que nos permitia uma bela foto. Em espanhol, os alunos criaram uma revista científica e, em inglês, houve apresentações teatrais. O número de visitantes foi gigantesco, e os mesmos puderam apreciar as explicações de nossos alunos sobre os temas pesquisados em português, mas também em alemão, espanhol e inglês. Os trabalhos foram avaliados pelo domínio do conteúdo, pelo seu desenvolvimento, pela postura e organização dos expositores e por sua capacidade criativa. Como o Colégio Imperatriz Leopoldina tem uma preocupação constante com a Ação Social, uma vez que a mesma expressa um desejo de participação na construção de uma sociedade melhor, aproveitamos o evento para ressaltar a sua im-

portância e realizamos mais uma campanha em prol do Lar Maria Albertina, o qual auxiliamos há mais de 20 anos. Em nossa Feira de Ciências, todos puderam contribuir, trazendo 1 Kg de alimento não perecível. Tudo será doado e, com certeza, auxiliará muito ao Lar, que realiza um trabalho educativo com crianças carentes. Entre os doadores, como forma de agradecimento, o colégio realizou sorteio de brindes. A arrecadação foi recorde e agradecemos imensamente a todos por isso. Evidentemente, uma realização deste porte só é possível com o envolvimento de uma equipe muito unida e preparada para o tamanho da empreitada. Só temos elogios a tecer aos envolvidos, dos alunos aos educadores, dos pais à direção e coordenação. Um muito obrigada especial à nossa querida Norma Burger, colaboradora imprescindível de todos os eventos, e um especial carinho à equipe de limpeza e de manutenção, sempre “ponta firme” para tudo.

Thema: Das Meer Tema: O mar Baseados no momento de reflexão e mudanças que vivemos em relação ao nosso meio ambiente, a tomada de consciência de nos- so comportamento em relação a tudo que nos cerca, escolhemos nosso tema para a XIX Feira de Ciências: “ O Mar ”. O trabalho desenvolvido pelos alunos do 6º e 9º Ano busca

chamar a atenção para o cuidado que devemos ter com o meio ambiente, com tudo que nos cerca, enfocando, especialmente, o que está ocorrendo nos oceanos. Os seres humanos estão poluindo o mar com lixo descartado, sem nenhum critério, fato que acaba por poluir nossos mares e matar os animais, muitos já ameaçados de extinção. A beleza e a diversidade dos animais marinhos estão sendo ameaçadas pelo lixo produzido por nós, e nós fazemos a diferença. Se cada um de nós mudar seu comportamento, consumindo menos, preservando, cuidando do que está ao nosso alcance, muito ainda pode ser salvo da destruição. Os alunos do 9º Ano fazem suas sugestões para a preservação dos mares: elas estão nos rótulos das garrafas plásticas. E os do 6º Ano criaram cada peixe, único em sua beleza, para nadar em meio aos materiais poluentes. Eles representam a vida que merece continuar existindo. A beleza dos peixes contrasta com o material que polui os oceanos. As espécies marinhas pedem nossa ajuda. O trabalho conjunto representa o poder e a força que adquirimos, se nos unirmos na defesa da preservação das espécies marinhas e de seu habitat. Partindo do pensamento de que cada problema, quando bem observado, carrega em si a solução, chamamos a atenção para as mensagens e sugestões nos rótulos das garrafas. Sua colaboração também será bemvinda.

Temos, na mesa de apoio, recipientes para recepcionar suas sugestões de como ajudar a preservar nosso meio ambiente. Agradecemos o trabalho, apoio e colaboração de todos os membros da família CIL que unidos fizeram com que a mensagem de alerta dos oceanos chegasse a todos os visitantes da nossa Feira de Ciências. Marlene Desidério Coordenação de Alemão Colégio Imperatriz Leopoldina


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

8

Brasil, mais carinhoso com a educação infantil A

partir da promulgação da Constituição Brasileira de 1988 e do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) de 1990, as crianças brasileiras passaram a ser respeitadas como cidadãs de direitos. Começaram a ser vistas como sujeitos históricos e produtores de cultura, porém com certas especificidades, uma vez que se encontram em pleno desenvolvimento. Tal propositura impulsionou algumas mudanças nas leis posteriores e na organização das políticas públicas para a infância no Brasil. A própria Lei de Diretrizes e Bases da Educação, cuja versão mais recente foi promulgada em 1996, indica um avanço na mentalidade estabecida ao considerar que todas as instituições de Educação Infantil devem ter suas propostas pedagógicas tecidas sob as intenções do cuidar e do educar. Outra medida que levou a uma melhoria considerável no atendimento escolar para as crianças com idade entre zero e cinco anos foi a criação do FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da

Educação), que atende a toda a educação básica desde janeiro de 2007. E foi a partir de então que os municípios puderam investir as verbas do fundo na Educação Infantil, antes só possível de ser feito no Ensino Fundamental. Já as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, homologadas no final de 2009, também reafirmam o conceito de criança cidadã e definem um currículo voltado para as necessidades de cada faixa etária. Essa norma tem por objetivo estabelecer as Diretrizes a serem observadas na organização de propostas pedagógicas na educação infantil, que vem a ser a primeira etapa da educação básica, oferecida para crianças de até cinco anos de idade em creches e pré-escolas. O currículo sugerido inclui um conjunto de práticas – interações e brincadeiras – que busquem articular as experiências e os saberes das crianças com conhecimentos variados para promover o desenvolvimento integral. Recentemente, o governo fe-

deral lançou o programa Brasil Carinhoso, que visa tirar da miséria crianças de até seis anos, cuja renda familiar per capita seja inferior a R$ 70. O programa terá três eixos: reforço da renda familiar – por meio do programa Bolsa Família –, acesso a creches e ampliação da cobertura de saúde. De acordo com a presidenta Dilma Rousseff, o Brasil Carinhoso' será a mais importante ação brasileira de combate à pobreza absoluta na primeira infância. Um programa como esse não pode ser encarado pelo governo como mais um custo, mas como um investimento. Isso porque já é sabido por pesquisas nacionais e internacionais que a educação e o cuidado na primeira infância são o que realmente faz diferença do ponto de vista de qualificar a educação no país. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Censo Escolar mostram que o acesso das crianças brasileiras a creches cresceu consideravelmente na última década. Em 2000, essas unida-

des atendiam 916.864 crianças com até três anos de idade. Em 2011, esse número chegou a 2.298.707. Apesar de esses números revelarem um aumento de mais de 150%, ainda há muito que melhorar. Penso que o Brasil demorou muito para investir na infância, haja vista que os ensinos Superior, Médio e Fundamental apareceram primeiro nas metas das políticas públicas. Mas nunca é tarde; as crianças de hoje saberão usufruir dessa diferença. A proposta é, sem dúvida, muito interessante. Contudo, juntamente com tais ações, é preciso intensificar a busca pela qualidade nas creches e pré-escolas, já que renomados pesquisadores da Psicologia da Aprendizagem afirmam que é nos primeiros três anos de vida que se tem os períodos sensitivos à aprendizagem, as chamadas “janelas da aprendizagem”. Quando alimentada de informação e motivada por novas experiências nessa fase, a criança fixa o que foi absorvido como instrumentos do pensamento.

Essas janelas fecham-se à medida que os anos vão passando, por isso a necessidade de se aprender nesse período. É o tempo do Kairós (antiga palavra grega que significa “o momento certo” ou “oportuno”) da aprendizagem, época em que a criança está apta a 'aprender a aprender', o que favorece o desenvolvimento de habilidades e competências que lhe valerão por toda a vida. Francisca Romana Giacometti Paris é pedagoga, mestra em Educação, Divulgação

Cresce o potencial para novas fontes renováveis Apresenta a fatia para energia solar eólica e de biomassa no Brasil

A

eletricidade gerada de fontes eólicas, solar e de biomassa tem potêncial para oculpar em breve uma maior fatia na matriz energética brasileira. As condições são favoráveis: o país domina a tecnologia, a industria está se consolidando, a demanda existe, os investimentos estão sendo feitos e os preços são competitivos. A produção oriunda dessas fontes pode ser um complemento à das hidrelétricas, que respondem por mais de três quartos da energia no Brasil. Das três fontes de energia, a eólica e a de biomassa já são consideradas maduras. Com início da operação de novos parques e a entrega da energia contratada, as projeções são de que ao final de 2016 o Brasil terá 8 mil Megawatts (MW) de potência instalada de energia originada do vento. Confirmado esse cenário, a parti-

pação da energia eólica na matriz energética nacional saltará dos atuais 1,2% para 5,5%. A espanhola Gestamp Wind Steel instalou no Recife uma fábrica de torres eólicas que abastece empresas como GE, Alstom e Vestas. A maioria dos projetos se concentra entre os Estados da Bahia e do Ceará, diz Paulo Coimbra, diretor da empresa, Resultado de um aporte de R$ 100 milhões, a planta está ativa desde 2010. No ano passado produziu 230 torres e a expectativa é encerrar 2012 com 450 unidades. A empresa, que fatura R$ 450 milhões, estuda abrir uma nova unidade fabril na região Sul. A argentina Impsa Wind tem uma fábrica de aerogeradores em Suape (PE) e pretende construir outra unidade perto de Porto Alegre, que deve estar em

operação em 2013. Os investimentos na primeira etapa somam R$ 100 milhões e a capacidade de produção é de 140 turbinas por ano. Responsável por parques eólicos no Ceará e em Santa Catarina, com potência instalada de 100 e 222 MW, a Impsa Wind quer ter participação expressiva no mercado brasileiro, diz Luiz Menghini, vice-presidente da empresa. Na biomassa, a oferta de energia cresceu 7,7% entre 2010 e 2011, passando de 34.940 para 37.411 Gigawatts/horas (Gwh). Uma novidade no mercado é a tecnologia de Pré-Hidrólise (PH), desenvolvida pela Senergen Energia Renovável, que aproveita a biomassa de fontes ricas em celulose, como eucalipto, sabugo de milho, casca de coco verde, bagaço de cana. Sua aplicação substitui a quei-

RECARGAS DE CARTUCHOS E TONERS SOLUÇÕES PARA INFORMÁTICA

RETIRAMOS E ENTREGAMOS SEUS CARTUCHOS E TONERS SEM CUSTO

CARTUCHO E TONER (NOVOS) PAPELARIA E SUPR. P/ INFORMÁTICA MATERIAL DE ESCRITÓRIO XEROX - IMPRESSÃO mcr.vendas@globo.com 11 2288-1220 11 7585-6844

Rua Adradina, 10 - (Travessa da Alfredo Pujol)

SANTANA - PRÓXIMO AO QUARTEL CPOR

ma do bagaço da cana para a geração de energia elétrica, explica Roberto Paschoali, presidente da empresa. ‘‘A vantagem é o baixo custo de produção’’, diz. A Senergen tem uma fábrica em Lorena (SP) onde, através da tecnologia de Conversão de Baixa Temperatura, (CBT), transforma por dia 20 toneladas de resíduos em matéria-prima para geração de energia limpa. O Brasil é favorecido por altos índices de insolação em grande parte do território, o que faz da energia solar uma opção bastante atraente não apenas em áreas afastadas que não têm acesso a rede elétrica convencional, mas também em centros urbanos. ‘‘Os prédios públicos e escritórios que ficam com o arcondicionado ligado o inteiro

são um fator de carga muito elevada’’. Divulgação


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

9

Distrital Norte da ACSP e entidades da região fazem reivindicações a vereadores e candidatos O diretor-superintendente da Distrital Norte da Associação Comercial de São Paulo ( ACSP), Jõao Bico de Souza, entregou ontem a cinco candidatos a vereador nas eleições 2012 uma lista de reivindicações relacionadas por enditades da região de abrangência da Distrital. As principais reivindicações apuradas no sentido de melhora para acessibilidade, segurança e qualidade de vida dos munícipes e empreendedores da região Norte de São Paulo, que compreende a área de atuação desta distrital da Associação Comercial de São Paulo: Criação de novo acesso de Santana sobre ou sob o Rio Tiete, que pode ser realizado através de túnel sob o rio, com saídas para a Av. Do Estado e Av. Tiradentes

(próximo a Estação Tiradentes do Metro). Melhora da acessibilidade de interligação com municípios vizinhos como Guarulhos, Furnas e Mairiporã. Revitalização de centros comerciais nos bairros como Jaçanã, Tucuruvi, Casa Verde Cachoeirinha e Imirim nos moldes como ocorreu no bairro de Santana, com adequação da iluminação pública, calçamentos e operação delegada. Que a cidade de São Paulo tenha de fato o exame de Densitometria Óssea para prevenir uma doença que mata 30% das mulheres que fraturam o fêmur. O SUS tem como atender a demanda pelo tratamento, mas no posto (Maria Zélia – na Zona

Norte, por exemplo) eles só fornecem medicação mediante o exame de Densitometria que demora cerca de 1 ano em qualquer parte da cidade. Proibir DE VEZ a realização dos grandes eventos na Praça Campos de Bagatelli, como: Marcha para Jesus, 1º de maio e outros. Estes eventos não trazem qualquer beneficio para a Zona Norte além de comprometer as avenidas 23 de Maio, Tiradentes, Santos Dumont, Voluntálrios da Pátria, Cruzeiro do Sul, Braz Leme e toda a região de Santana, Jardim São Paulo, Vila Guilherme, com acúmulo de sujeira, barulho, além do sagrado direito de ir e vir. Extensão da Av. Braz Leme

até a Av. Gal. Ataliba Leonel; Av. Dr. Antonio Maria de Laet até Rua Manoel Gaia. Ligação da Av. Cruzeiro do Sul até a Av. Engº Caetano Álvares e Rua Luiz Carlos Gentile de Laet, Projeto já licitado e paralisado na secretaria de obras. Porque? Ligação da Av. Engº. Caetano Álvares até a Av. Nova Cantareira, Ligação das Av. Luiz Dumont Villares com Maria Antonio de Laet(túnel), Ligação da Av. Cruzeiro do Sul com a Av. Santa Inês. Duplicação Ampliação na largura da Av. Tucuruvi. Redefinir o trajeto do Trecho Norte do Rodoanel que passará por dentro da cidade, sobretudo nas regiões de Tremembé, Horto

Florestal, Vila Rosa e adjacências, mudando seu traçado para além das áreas urbanas, como exemplo e sugestão a Rodovia Dom Pedro I. Alguns dos temas mais mencionados por todos, foram Segurança Publica, sensação de total falta de segurança em todas as regiões, falta de iluminação publica adequada, maior atuação das Subs. Prefeituras nas podas de arvores e zeladoria nos terrenos baldios e dificuldades no trato com o CET. Extensão da operação delegada contemplando a Av. Voluntários da Pátria entre as Avenidas General Ataliba Leonel e Via Marginal do Tiete. foto Lino Almeida / GN

O Dia D do meio ambiente urbano E

xpira em 2 de agosto próximo o prazo legal para que cada uma das 5.565 cidades brasileiras conclua e apresente o seu Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. É o que prevê a Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, sancionada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), cujos princípios mais importantes estabelecem o fim dos lixões em todo o País e sua substituição por aterros sanitários, a adoção da chamada logística reversa (uma corresponsabilidade de fabricantes/importadores, dis-

tribuidores e varejistas), a coleta seletiva, correta destinação, reaproveitamento e reciclagem do lixo. Considerada a relevância dessa lei e o avanço que significará para o Brasil, é preocupante constatar o silêncio da grande maioria das cidades quanto à elaboração dos planos locais para a gestão dos resíduos sólidos, uma competência inalienável do poder público municipal. Será que todas já fizeram a decisiva lição de casa e estão aguardando a data certa para fazer o grande anúncio? Ou estariam apostando na velha prá-

tica brasileira de adiamento de decisões e providências, mesmo algumas de alto significado para toda a sociedade? Caso prevaleça a segunda hipótese, a omissão pode ser um tiro no pé, pois o Ministério do Meio Ambiente já afirmou que o prazo não será prorrogado. E nem deveria, pois já não era sem tempo que o Brasil precisava adotar uma política avançada e eficaz para responder aos desafios relativos ao lixo urbano, um dos mais graves da civilização contemporânea. Tadayuki Yoshimura engenheiro e presidente da ABLP

divulgação


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

Manutenção das urnas eletrônicas custará R$ 129 milhões Consórcio vencedor treinará mais de 14 mil profissionais e prestará serviço durante 12 meses

O

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concluiu a licitação para contratação de serviços de manutenção das urnas eletrônicas. O valor do contrato é de R$ 129,8 milhões e tem validade de 12 meses. O vencedor do pregão foi o Consórcio ESF, composto pelas empresas Engetec Tecnologia S.A. (empresa com sede em Nova Lima - MG), Smartmatic Brasil Ltda (com sede em São Paulo), Smartmatic Internacional Corporation (com sede em Barbados) e Fixti Soluções emTecnologia da Informação Ltda (com sede em São Paulo).

‘‘Eleições - 2012 primeiro turno 7 de outubro e segundo turno 28 de outubro’’ O consórcio vencedor será responsável pelo recrutamento,

contratação e treinamento de aproximadamente 14 mil profissionais que darão suporte técnico-operacional nas eleições de outubro em 437 mil seções eleitorais nos 5+568 municípios brasileiros. Caberá a esses profissionais o trabalho de preparo e de manutenção das urnas, assegurando que todas estejam em perfeito estado de funcionamento no dia das eleições. O primeiro turno acontecerá no dia 7 de outubro. Para cidades onde ocorra segundo turno, a nova votação será no dia 28 do mesmo mês. O contrato anterior para a realização do serviço expirou em julho de 2011, sem possibilidade de prorrogação. Em 29 de fevereiro de 2012 foi dado início ao processo de licitação para contratação de nova empresa, mas ele foi interrompido em abril porque nenhum dos concorrentes atendia aos requisitos do edital. A licitação nº42/2012 foi aberta em 30 de maio e concluída na terça-feita, após a apreciação de dois recursos apresentados.

O primeiro, do Consórcio Exato, que apresentou proposta com valores mais baixos que o consórcio vencedor (R$ 127,7 milhões), mais foi desclassificado da concorrência por não atender a requisitos do editorial. Já a empresa CTIS Tecnologia S/A - cuja proposta para a realização do trabalho tinha valores mais elevados que a proposta do consórcio ESF questionou a documentação apresentada pelos vencedores da licitação, sem sucesso. Entre as Tarefas previstas no contrato está a realização dos serviços de carga das baterias internas e de reserva das urnas; realização de testes dos componentes eletrônicos; limpeza, retirada de lacres, testes funcionais, triagem para manutenção corretiva e preparo para armazenamento das urnas eletrônicas; inserção de dados; procedimento de atualização de software e certificação digital nas urnas; preparação, instalação, carga de software de eleição.

10

A partir de Janeiro carros novos terão rastreador

A

pós cinco anos de discussões, o Conselho Nacional de Trâncito (Contran) definiu as regras para tornar obrigatória a presença de kits antifurto nos veículos vendidos no País. A partir de janeiro, 20% de todos os automóveis e caminhões novos terão de ter instalados sistemas de bloqueio e rastreamento. Em agosto, serão 100% dos veículos novos. Para as motos, o prazo de adequação para o total da frota vence em janeiro de 2014.

Os sistemas deverão estar instalados nos carros. Mas será opção de cada proprietário decidir se vai ou não pagar para manter o serviço de rastreamento, que deverá ser contratado em uma empresa privada do ramo............. O projeto já havia sito adiado por cinco vezes. Entre os motivos, estava a falta de definição da tecnologia usada para manter a comunicação entre o carro e a central de rastreamento. A Deliberação 128 do Contram, que determinou o novo cronograma foi publicada há duas semanas.

Porto Alegre suspende vendas de celular

A

s operadoras Vivo, Claro, TIM e Oi suspenderão a habilitação de novos celulares e planos de internet móvel em Porto Alegre por determinação do Procon da capital gaúcha. A decisão de emitir uma medida cautelar administrativa foi tomada pela diretora executiva Flávia do Canto Pereira e atende pedido feito em uma representação da Seccional Rio Grande do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RS), encaminhada ao orgão na Quinta-feira.

Na representação, a OAB relacionou 500 reclamações de consumidores sobre zonas sem sinal, interrupção dos serviços e cobranças indevidas para pedir a suspensão de vendas. O Procon, que recebe dezenas de queixas contra as operadoras por dia, concordou. ............................ Além de suspender a comercialização, a decisão exige que as empresas deem descontos proporcionais às falhas de prestação do serviço nas contas mensais que emitirem de agora em diante. .................................

O Cacau tenta renascer para proteger a Mata Atlântica, o projeto garante sucesso ‘‘Não jogue as amêndoas fora. Três valem uma galinha, mil compram um boi’’, alerta o chocolateiro Diego Badaró ao pequeno grupo que se delicia chupando a delicada e doce polpa de cacau que ele acabara de retirar do pé. Em tom de brincadeira, ele remete a uma época em que as sementes do cacau valiam ouro no sul da Bahia, e os fazendeiros - os ‘‘coronéis’’-. Mesmo sem o glamour de antigamente e com o setor abatido pelo ataque de uma praga no final dos anos 1980 e pela concorrência com a África (líderes mundiais), elas ainda são preciosas afinal é delas

que se faz o chocolate. O jeito então é continuar a ca- minhada pela estradinha de terra que corta a plantação nos arredores de Itacaré segurando a cumbuca de cacau repleta de amêndoas. Ao manter ao menos uma parcela da floresta em pé, os cacaueiros ajudaram a proteger o bioma. O sudeste da Bahia é considerado a região mais preservada do Nordeste, em parte por conta desse manejo. Tanto que algumas áreas de cabruca estão identificadas no Atlas da Mata Atlântica, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e da SOS Mata Atlântica, como remanescentes florestais.

Otimismo das famílias aumenta em junho, como mostra estudo do Ipea

D

esaceleração da economia nacional, descrença em uma melhora no cenário externo rebaixamento da previsão dos analistas de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) para 1,90%, alto nível de endividamento e sinais de que o País não está reagindo aos pacotes de estimulo apresentado pelo governo. Nenhuma das notícias recentes parece ter afetado ainda da o grau de otimismo das famílias brasileiras, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)...

O Índice de Expectativa das Famílias (IEF), calculado mensalmente pelo Ipea por meio de pesquisa em 3.810 domicílios de 214 municípios espalhados por todos os estado mostra que, em junho, o otimismo nacional com a situação socioeconômica do Brasil subiu 1,5 ponto na comparação com maio e chegou a 68,5 pontos. O resultado é o segundo maior dos últimos 12 meses, perdendo apenas em 0,5 ponto para o mês de janeiro deste ano, quando o índice marcou 69 pontos...............


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

11

SAÚDE EM FOCO Pílula para prevenir a Aids é aprovada nos Estados Unidos Apesar da recomendação americana do uso do Truvada, o Ministério da Saúde Brasileiro confessou que não vai mudar a política brasileira em combinação com práticas de sexo seguro para prevenir as infecções do HIV adquiridas por via sexual em adultos de alto risco. O Truvada é o primeiro remédio aprovado com essa indicação’’, afirmou a FDA em nota. OTIMISMO: A pesquisadora Valdilea Veloso, diretora do Instituto de Pesquisas Clínicas Evandro Chagas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocrus), diz que o Truvada é uma potencial arma de prevenção da doença, especialmente entre homens que fazem sexo com homens - grupo de alto risco de contaminação. Valdileia diz ver com otimismo a indicação do uso do Truvada como mais uma forma de uso de combate à doença de maneira complementar ao que já existe - como um substitutivo. Para ela, os estudos clínicos demonstram que não há risco de acontecer a ‘‘desinibição sexual’’ , que é a pessoa parar de se proteger com preservativos por acreditar que a medicação sozinha já é garantida a prevenção. O uso do Truvada como prevenção, Ronaldo Hallal, coorde-

nador de cuidado e qualidade do programa de DST/Aids do Ministério da Saúde afirmou que, por enquanto, nada muda no país. De acordo com ele, o grupo técnico do ministério se reuniu recentemente para atualizar as diretrizes, discutiu ese assunto, mas decidiu manter tudo como está, com foco no incentivo ao sexo protegido, no diagnóstco e tratamento e na oferta da profilaxia pós-exposiçõ (para pessoas que fizerem sexo desprotegido com parceiros de risco). ‘‘Os estudos demonstram que, se a pessoa doente for tratada corretamente, há uma redução de até 95% na transmissão do vírus. Esse é um resultado bem mais eficaz que os 75% alcançados com a profilaxia préexposição’’, afirmou Hallal. Para Hallal, o Truvada como prevenção ainda tem várias lacunas, como o aparecimento de possíveis efeitos colaterais a longo prazo, o risco de baixa adesão e o risco de resistência a droga.

Divulgação

FDA - agência americana que regulamenta remédios e alimentos - acaba de aprovar a indicação do antirretroviral Truvada como forma de prevenir a infecção pelo HIV. Apesar disso, o Departamento de DST/Aids do Ministério da Saúde afirmou que não vai mudar a estratégia de prevenção à doença no Brasil. A indicação da droga como forma de profilaxia antes da exposição ao vírus vem exatamente um ano depois de dois grandes estudos americanos demonstrarem que o consumo diário de uma dose oral do Truvada pode reduzir em até 78% a transmissão do vírus para pessoas saudáveis que mantêm relações com parceiros de alto risco, entre elas casais sorodiscordantes (em que apenas um deles tem o vírus) e homens que fazem sexo com homens. O Truvada é a combinação de dois antirretrovirais: tenofovir com emtricitabina. A droga é produzida pelo laboratório Gilead e conseguiu o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em maio deste ano. ‘‘O Truvada é para ser utilizado na profilaxia prévia à exposição

Divulgação

A

Droga para o coração vira vacina contra tumores Arritmia cardíaca eleva sobrevida, faltam porém mais estudos para que o medicamento seja indicado na clínica U

ma classe barata de drogas, usada há décadas para arritmía cardíaca, pode ter uma nova aplicação: potêncializar o efeito da quimioterapia e aumentar a sobrevida de pacientes com câncer. Segundo pesquisadores de diversas instituições da França, entre eles Laurie Menger, do Inserm, os chamados glícosídeos cardíacos, quando combinados com a químio, agem de modo similar a uma vacina e estimulam o sistema imunológico a matar as células do tumor. Ou seja, a droga para o coração transforma os restos das células

cancerosas já mortas pela químio em sinais para que o sistema imune seja ativado contra o câncer. O efeito foi descrito em estudo piblicado na revista ‘‘Science Translational Medicine’’. Na etapa in vitro, os autores qualificaram, por meio de um tipo de microscopia que deixa as moléculas fluorecentes, três alterações das células tumorais quando são usados certos quimioterápicos que estimulam uma resposta imunológica capaz de causar a morte do tumor. Os pesquisadores então usa-

ram uma biblioteca com medicamentos apovados pela FDA (Agência reguladora de medicamentos nos EUA) e encontraram quatro drogas da classe dos glicosídeos cardíacos, entre elas a digoxin, de uso mai amplo, com esse efeito imunológico. E testaram essa ação em linhagens celulares de diferentes tumores, com sucesso. O segundo passo foi validar esses achados em camundongos. Em um dos experimentos, o câncer dos bichos foi tratado com quimioterapia e digoxina, e não foi observado crescimento do

tumor posteriormente. Por último, os pesquisadores usaram dados obtidos com pacientes que receberam tratamento para diferentes tumores e observaram que aqueles que usaram quimioterápicos diferentes dos que já têm como efeito estimular o sistema imunológico. Segundo Andrade, ainda é necessário saber qual é a dose necessária de digoxina para que ela tenha esse benefício extra algo importante, já que em excesso a droga pode causar a arritmia, em vez de tratá-la - e seus

efeitos em pacientes que não tem problemas cardíacos. Mas segundo o patologista, há boas chances de o remédio ser implantado mais rapidamente para esse fim porque a substância é antiga, e seus efeitos, conhecidos. ‘‘É um conhecimento novo com algum nível de evidência, mas, para isso atingir a população, falta um estudo randomizado e desenhado para essa finalidade’’, afirma.


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

GAUDÊNCIO TORQUATO Jornalista, é professor titular da USP e consultor político e de comunicação. @gaudtoquarto

QUANDO A BORBOLETA SAI DO CASULO

Ferrovias devem ter atração no pacote de novas concessões Governo federal e de São Paulo decidem que Ferroanel terá 3 trechos de aproximadamente 200km

tempo de praticar a decalagem? Sim, pelos cálculos É do PSB, que está sob a espingarda do caçador Eduardo Campos, governador de Pernambuco. A expressão aqui usada para designar o neto do mitológico Miguel Arraes refere-se à capacidade do atirador de prever a distância entre a posição em que se encontra e o alvo móvel que distingue na paisagem, digamos, uma ave em voo sobre a floresta ou um prato jogado para o alto. O caçador mira não propriamente o alvo, mas o ponto onde ele estará no momento do tiro. A esse exercício, o planejamento de viabilidade política chama de decalagem, ou seja, a capacidade de prever e antecipar eventos do futuro. Impõe-se a indagação diante da manifestação de membros da cúpula do PSB pregando a "alforria" antes de 2018. Enxergam eles a chegada ao centro do poder, porque sacramentaram a "lei do ventre livre" (gozação com o ventre do PT) desde 2010, ao eleger seis governadores. Em termos objetivos, o PSB anuncia publicamente que prepara projeto de poder para 2014 e 2018, e diz mais: está adulto e quer ter vida própria. A moldura sobre o ensaio da borboleta saindo do casulo pode ser vista nas praças de Belo Horizonte, Recife e Fortaleza, onde o histórico acordo entre PSB e PT se desfaz para desagrado da cúpula petista. Eduardo Campos mira aos alvos presidenciais de 2014 e 2018 sob o foco de polêmicas hipóteses. A primeira é a de que seu PSB ingressou na fase adulta. Será? Não há dúvida de que a transformação do partido obedeceu ao ciclo de vida dos seres vivos, como na metamorfose das borboletas. As dúvidas emergem nesse ponto: o partido junta energias necessárias para sair do

12

abrigo e ganhar mobilidade? A resposta comporta verificar onde estão os abrigos dos socialistas do PSB. Apenas um se localiza na floresta eleitoral mais densa do país, que reúne os Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro: a Prefeitura de Belo Horizonte. Mesmo assim, essa cota é dividida com o império tucano de Aécio Neves. Quatro de seus seis governadores localizam-se no Nordeste (Ceará, Paraíba, Pernambuco e Piauí), um no Norte (Amapá) e apenas um no Sudeste (Espírito Santo). Portanto, ao ente partidário faltam forças para semear em terrenos eleitorais férteis a principal condição da borboleta na fase adulta, que é a de se reproduzir. Neste caso, a capacidade de multiplicar votos. Sob esse ângulo de tiro ao alvo, o caçador Campos tem muito a aprender na prática da decalagem. A segunda hipótese que subsidia a estratégia do governador pernambucano é a de saturação da polarização entre PT e PSDB. Há sentido, sim, em defender tal ponto de vista. Mas a hipótese de que a polarização entre petistas e tucanos entra em fase de declínio e começa a cansar não serve apenas aos propópósitos do PSB. É inimaginável a hipótese de que o socialismo pessebista terá cacife para bancar os jogos de 2014 ou 2018 caso continue dando cartas em estreitos colégios eleitorais. Não há como escapar da impressão de que o governador Eduardo Campos é uma borboleta de olhos azuis que põe as asas fora do casulo apenas para sentir a direção do vento.

D

epois de anos de pendengas, os governos federal e estadual decidiram que o Ferroanel de São Paulo será composto por três trechos de aproximadamente 200 quilômetros (km) de extensão. Só o custo da construção deve superar R$ 2 bilhões - valor sem as compensações ambientais e sociais impostas ao empreendimento, que vai resolver um antigo conflito entre trens de passageiros e de carga dentro da cidade de São Paulo. O primeiro tramo do Ferroanel a ser construído será o Norte, o preferido do governo federal. A estrada de ferro entre Jundiaí (ou Perus) e Manoel Feio, em Ita- quaquecetuba, será construída ao lado do trecho Norte do Ro- doanel, sendo alguns trechos em túnel. Isso tende a diminuir custos e impacto ambiental. Segundo o especialista em regulação e assessor da superintendência de serviços de transportes de cargas da Agência Nacional de Transportes

Terrestres (ANTT), Fran- cisco Gildemir Ferreira, esse é o trecho com maior potencial de transporte. As ferrovias estão no centro do pacote de novas concessões que a presidente Dilma Rousseff deverá anunciar em agosto. O Palácio do Planalto faz segredo sobre a lista dos projetos que serão oferecidos à iniciativa privada, mas pelo menos dois estão praticamente garantidos. Um deles é o Ferroanel de São Paulo, contorno ferroviário que começará pela construção do trecho norte, com pouco mais de 60 quilômetros de extensão. Esse ramal prevê a ligação entre Campo Limpo Paulista (por onde passam os trens vindo de Campinas) e Engenheiro Manoel Feio (a caminho do porto de Santos), tentando resolver a situação caótica do transporte de cargas e de passageiros, que dividem a mesma malha de trilhos dentro da cidade de São Paulo.

APROVADO NOVO REMÉDIO CONTRA A OBESIDADE Obeso comenta aprovação do FDA para medicação a base de fentermina e topiramato

O

FDA (Food and Drug Administration) – órgão americano controlador de alimentos, medicamentos, entre outros produtos – aprovou a comercialização de novo medicamento para o controle de peso e tratamento da obesidade, o Qsymia. O medicamento baseia-se na combinação das substâncias fentermina e topiramato. O Qsymia (anteriormente conhecido como Qnexa) é indicado para pessoas com sobrepeso e

obesidade, isto é, com índices de massa corporal superiores a 27 e 30, respectivamente, e que apresentem alguma doença correlacionada ao elevado peso – como hipertensão, diabetes tipo 2 e altas taxas de colesterol. Segundo a presidente da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica), a endocrinologista Dra. Rosana Radominski, o Qsymia deve permitir que cerca 70% dos pacientes percam, em média, 5% de seu

Outro projeto é a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), com investimento estimado em mais de R$ 6 bilhões, que cruzará a fronteira agrícola do país. O empreendimento tem 1,6 mil km de extensão, em dois trechos: de Campinorte, em Goías , a Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, e entre Lucas do Rio Verde e o município de Vilhena, em Rondônia. Inicialmente, a Fico estava nos planos da estatal Valec, mas a decisão de tocar o projeto pela iniciativa privada ilustra a estratégia do governo de não sobrecarregá-la com mais obras de grande porte. Empreendimentos como o prolongamento da Norte-Sul e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que cruzará todo o Estado da Bahia até chegar a Ilhéius, serão mantidos com a Valec, porque já estão com obras em andamento ou com licitações prontas para comprar materiais.

peso corporal. Contudo há possibilidades de se desenvolver efeitos colaterais como alteração da frequência cardíaca, xerostomia (boca seca) e mudanças no paladar, entre outros. “De 10% a 20% dos pacientes deve apresentar algum tipo de efeito colateral”. O medicamento é contraindicado para gestantes devido ao alto risco de o feto desenvolver fenda palatina e/ou lábio leporino. O FDA aponta que a nova droga seja utilizada em associação a uma dieta hipocalórica e à pratica regular de atividades físicas. O Qsymia não está disponível no Brasil e, de acordo com Dra. Rosana, ainda não há uma previsão para que o medicamento seja submetido à avaliação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

14


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

15


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

16

Iluminação com lâmpadas verdes pode gerar economia de até 80%

A

s lâmpadas incandecentes estão com os dias contados. Até 2016, todas estarão proibidas nas prateleiras e a mais comuns, de 100 Watts (W), já não podem mais ser fabricadas. A vez agora é da ‘‘luz verde’’, que inclui as fluorescentes compactas, as halógenas e as lâmpadas LED. No geral, elas chegam a economizar até 80% de energia. Um exemplo está na estátua do Cristo Redentor, no Rio. A conta caiu 80% com a substância de sua iluminação. Lâmpadas de sódio colocadas na avenida Paulista, em São Paulo, significam economia de R$ 100 mil por ano. A troca de lâmpadas tem motivos energéticos e econômicos. A

iluminação artificial representa 19% do consumo de energia no mundo. Nos custos de energia de uma empresa, a iluminação significa 2%. ‘‘Se toda a iluminação do mundo fosse trocada por lâmpadas LED, a economia seria de 130 bilhões de euros’’, estima Marina Steagall diretora de marketing da Philips. LED é a abreviatura em inglês para diodo emissor de luz. O projeto de iluminação da avenida Paulista foi desenvolvido pela Philips. ‘‘Trocamos as lâmpadas tradicionais pelas de sódio que são entre duas a quatro vezes mais eficientes que as incandecentes’’, explica Ma-

rina. Segundo ela, a demanda por LED está em uma curva crescente. Levantamento feito pela área ambiental das Nações Unidas demonstra que não é necessário um grande empenho político para obter reduções significativas no consumo de energia. ‘‘A iluminação eficiente das cidades seria capaz de gerar uma economia de US$ 110 bilhões por ano bolso públicos e reduzir em 5% o consumo energético mundial. Basta trocar as lâmpapadas’’, diz relatório. No Brasil, a economia com energia chegaria a US$ 3 bilhões, segundo estudo do Programa das Nações Unidas para o Meio

Ambiente (Pnuma) em parceria com a Agência Internacional de Energia (AIE). Na Índia, a diminuição no consumo de energia ultrapassaria os 35%, com uma economia de US$ 2 bilhões. Para Achim Steiner, diretor-executivo do Pnuma, uma das formas de contribuir para a redução global de emissões de carbono é substituir as tecnologias ineficientes. ‘‘Muitas empresas, no momento de construir uma nova instalação, já buscam soluções mais eficientes, nem que isso tenha um custo de implantação de até 10% mais elevado, pois haverá uma redução do custo operacional lá na frente’’, acres-

centa Bruno Abreu, consultor de engenharia para o Setor Industrial da Siemens no Brasil, que esteve à frente da iluminação do Cristo.


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

17

14º ENCONTRO DE IBOTIRAMENSES E REGIÃO FOI REALIZADO NO CMTC –CLUBE

O

Encontro aconteceu no dia 08 de julho, em São Paulo no CMTC-Clube, com animação de Mano Novo da Rádio Imprensa FM e Nativa FM. Contou com vários cantores como Ismael Oliveira, Zezinho do Acordeon e outros. O público estimado foi de mil e quinhentas pessoas de Ibotirama e região. Este encontro é o pioneiro em São Paulo, e vem sendo organizado por Tonhão e Dian, que fazem questão de cada vez mais trazer novidades para a festa. “A ideia de mudarmos a festa este ano de local, que há 13 anos era na

Av, Rio Branco, no centro, para o CMTC – Clube foi uma forma de abrangermos mais pessoas num local mais amplo, diferente e com mais conforto. O 15º Encontro, onde se marcará os 15 anos faremos uma bela e grande festa para todos os baianos da região”,enfatizou Tonhão. Parabéns ao Tonhão e Dian que fazem esse belíssimo encontro. Parabéns conterrâneos, que por meio da festividade, proporciona o reencontro de amigos para relembrarem as festas de sua terra natal e também para encontrar amigos.

Anuncie no

(11) 2978-8500 www.globalnews.com.br globalnews@globalnews.com.br


GLOBAL NEWS

Julho de 2012

Inauguração do Bar e Lanchonete Três Rosas O bar e lanchonete Três Rosas, está na rua Júlio Conceição com a rua Anhaia, no coração do Bom Retiro. Um novo espaço da gastronomia, servimos pratos do dia: à la carte, variados, porções de frango à passarinho, picanha e outros. Temos mesa na calçada

para o seu Happy Hour, rua bem tranquila para reunir com amigos e saborear deliciosas porções com uma cerveja bem gelada. Venha conhecer, você verá que é tudo de bom. Rua Julio conceição, 730 Delivery tel: 3222-5405

19


Global News Julho  

Saúde, Notícia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you