Page 1

Operação de Estoque e Armazenagem


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 01 Operações de Estoque e Armazenagem no contexto da Logística

Contexto


Operações de Estoque e Armazenagem – Sessão 01

Ponto de Armazenagem

Ponto de Armazenagem

Modalidades de Transporte Ponto de Armazenagem

Ponto de Armazenagem

Logística compreende o caminho que o produto percorre do produtor ao consumidor. A cadeia de suprimentos é longa e, em cada etapa, inclui as atividades de armazenamento e gestão de estoques, inclusive no ambiente do consumidor final


Operações de Estoque e Armazenagem

Planeja produção para atendimento da demanda

Sessão 01

Gera pedidos para atendimento da demanda

Expressa desejos e necessidades Produz conforme demanda

Recebe, armazena, separa pedidos e providencia Estoque ao Cliente

Armazena e prepara para Estoque aos centros de distribuição


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 01

Fábrica Fábrica Subsistema Subsistema Estoque Estoque

Adm Adm // Controle Controle

Subsistema Subsistema Armazenagem Armazenagem Cadastramento Cadastramento Recebimento Recebimento Movimentação Movimentação Armazenagem Armazenagem Separação Separação Expedição Equipamentos Expedição Equipamentos

Subsistema Subsistema Estoque Estoque Cliente Cliente


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 02 “Quebrando as Atividades” – entendendo e definindo cada etapa do processo -

CENTRO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL

Contexto


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 02

Uma breve visão de Processos A vida existe como conseqüência de uma sucessão de eventos, alguns decorrentes dos fenômenos da natureza e outros causados pela ação dos homens e animais que habitam a terra. Cada um destes eventos pode ser visto como uma transformação, executada devido a um potencial ou uma força motivadora. A estas transformações damos o nome de processos, estabelecendo a seguinte relação fundamental:

CENTRO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 02

Controles Regras

Entradas Insumos

PROCESSO

Saídas - Produtos

Mecanismos (Ferramentas / Recursos)

Processos são a transformação de entradas, orientada por controles, em saídas, utilizando recursos (Financeiros, Humanos e Materiais)


Operações de Estoque e Armazenagem

CICLO DE RECONHECIMENTO DE PROCESSOS

– Sessão 02


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 02

ALTERAR PROCESSOS SIGNIFICA TER HABILIDADE PARA GERIR MUDANÇAS


Operações de Estoque e Armazenagem

Subgrupo 01  Pedido e recebimento de mercadorias

– Sessão 02


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 02

Subgrupo 02  Identificação de Produtos e Armazenagem


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 02

Subgrupo 03  Separação e preparação de carga para expedição


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 02

Subgrupo 04  Acompanhamento de entregas e identificação de ocorrências


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 03 Visualizando as atividades – entendendo indicadores e sua utilização -


Operações de Estoque e Armazenagem

Contexto

Indicadores Indicadores são são medidores medidores de de uma uma atividade. atividade. Expressam Expressam um um número número que que indica indica que que as as coisas coisas podem podem ser ser medidas medidas e, e, se se podem podem ser ser medidas, medidas, podem podem ser ser comparadas comparadas ee administradas. administradas. O O uso uso de de indicadores indicadores auxilia auxilia no no estabelecimento estabelecimento da da quantificação quantificação de de um um processo processo ee estabelece padrões para analisar o desempenho. Os indicadores que representam estabelece padrões para analisar o desempenho. Os indicadores que representam determinado determinado processo processo sinalizam sinalizam como como ele ele se se encontra encontra ee mostram mostram para para aa gerência gerência como as tarefas estão sendo desenvolvidas. como as tarefas estão sendo desenvolvidas. Fundamentalmente, Fundamentalmente, os os indicadores indicadores oferecem oferecem àà gerência gerência números números que que indicam indicam oo estado ou o estágio das várias etapas de um dado processo. estado ou o estágio das várias etapas de um dado processo. Os Os indicadores indicadores são são essenciais essenciais ao ao planejamento planejamento ee controle controle dos dos processos processos organizacionais, pois constituem a base do planejamento. Estabelecem organizacionais, pois constituem a base do planejamento. Estabelecem medidas medidas verificadoras verificadoras do do cumprimento cumprimento de de metas metas ee objetivos objetivos ee sinalizam sinalizam oo rumo rumo que que aa organização organização está está seguindo. seguindo. Assim, Assim, facilita facilita aa ação ação da da gerência, gerência, proporcionando proporcionando maior maior respaldo respaldo na na tomada tomada de de decisão. decisão.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 03

Indicadores Medidas que permitem acompanhamento e visualização das atividades desenvolvidas e foco em melhorias

Características • Independência: cada indicador deve medir determinado aspecto da atividade econômica • Conexão com outros Indicadores: devem adicionar informações ao quadro geral, de forma a complementar a visão do todo • Adequação: devem ser representativos do fenômeno que se propõe a medir • Objetividade: indicadores não julgam, mas definem quantitativamente a extensão e direção dos fenômenos medidos • Regularidade: devem ter condições de serem aplicados a períodos regulares e nas mesmas condições sempre, independente das distâncias entre os períodos medidos • Coerência: sua definição não pode variar. Quando este ajuste é realizado, a série é interrompida e inicia-se outra série não comparáveis • Simplicidade: os melhores indicadores permitem que as medidas sejam compreendidas com facilidade • Cumulatividade: devem permitir agregações sucessivas de dados


Operações de Estoque e Armazenagem

Giro do Estoque Prazo Médio de Estoque Lote Econômico LE Cobertura Nível de Serviços ao Cliente Índice de Ruptura Acurácia do Estoque Tempo médio de atendimento de pedidos Índices de Avarias Reclamações de Clientes Índice de ocupação dos espaços Tempo médio de reposição.

– Sessão 03

Alguns Alguns Indicadores Indicadores


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 03

Significado dos Indicadores (1) Giro do Estoque - é um indicador financeiro que mede a velocidade com que alguns elementos (material/estoque) se renovam na empresa Prazo Médio de Estoque - indica, na média, quantos dias um elemento (material/estoque) permanece em estoque ao longo do ano LEC - representa a quantidade ideal de compra, aquela que proporciona o menor custo de manutenção e o menor custo de aquisição do estoque Cobertura indica quanto tempo se tem de estoque, considerando demanda esperada Nível de Serviços ao Cliente – Reflete como o Cliente está sendo atendido e indica nível de satisfação Índice de Ruptura – indica % de pedidos não atendidos por falta de estoques Acurácia do Estoque – indica em termos relativos a existência física de produtos em relação aos registros em sistemas.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 03

Significado dos Indicadores (2) Tempo médio de atendimento de pedidos: indica, em média, quanto tempo é decorrido entre o recebimento do pedido e a entrega do produto ao Cliente Índices de Avarias: indica as quantidades de produto avariadas em relação ao volume total. Normalmente expressa em percentuais extraídos da relação entre valor das mercadorias avariadas x valor total das mercadorias em estoque Reclamações de Clientes: indica, em relação a quantidade de reclamações recebidas de Clientes. Pode ser expressa em valores absolutos e comparada a objetivos determinados pelas Empresas Índice de ocupação dos espaços: mede, em relação aos espaços disponíveis, qual quantidade de área ocupada em média num determinado período Tempo médio de reposição: tempo decorrido entre o pedido de mercadorias ao Fornecedor e a reposição efetiva dos estoques


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 03

BSC – Balanced Score Card Avançando e especializando as medidas de desempenho em nível estratégico PERSPECTIVA FINANCEIRA “Para sermos bem-sucedidos financeiramente, como deveríamos ser vistos pelos nossos acionistas?” PERSPECIVA DOS CLIENTES “Para alcançarmos nossa visão, como deveríamos ser vistos pelos nossos clientes?” PERSPECTIVA DOS PROCESSOS INTERNOS “Para satisfazermos nossos acionistas e clientes, em que processo de negócios devemos alcançar a excelência?” PERSPECTIVA DO APRENDIZADO E CRESCIMENTO “Para alcançarmos nossa visão, como sustentar só nossa capacidade de mudar e melhorar?” Kaplan e Norton


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 04 Formalização da atividades – principais documentos e sua utilidade -


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 04

Formalização das Atividades A A formalização formalização das das atividades atividades éé de de grande grande importância importância para para forma de possibilitar o acompanhamento e avaliação forma de possibilitar o acompanhamento e avaliação do do trabalho, trabalho, possibilitando possibilitando estudos estudos ee ações ações de de melhoria. melhoria.

as as organizações. organizações. ÉÉ aa desenvolvimento desenvolvimento do do

Controles Operacionais São São documentos documentos onde onde são são registradas registradas as as atividades atividades operacionais. operacionais. São São anotados anotados dados dados relativos relativos aa volumes, volumes, pessoal pessoal utilizado, utilizado, equipamentos, equipamentos, recursos recursos financeiros financeiros aplicados, aplicados, tempos tempos das das operações, operações, ocorrências ocorrências verificadas verificadas ao ao longo longo dos dos processos. processos.

Forma de Registro Podem Podem ser ser utilizados utilizados controles controles manuais, manuais, informatizados informatizados e, e, normalmente, normalmente, manuais manuais ee informatizados. informatizados.

Documentação Legal São São todos todos os os documentos documentos exigidos exigidos por por lei lei para para configuração configuração das das atividades. atividades. Normalmente Notas Fiscais, guias de recolhimentos de impostos, registros Normalmente Notas Fiscais, guias de recolhimentos de impostos, registros de de controle controle de de pessoal pessoal ee cumprimento cumprimento da da legislação legislação trabalhista trabalhista ee de de segurança segurança ee higiene higiene do do trabalho, trabalho, registros registros de de normas normas ee legislação legislação que que regem regem as as atividades, atividades, documentação documentação de legalização das unidades de armazenagem / veículos / relacionamento de legalização das unidades de armazenagem / veículos / relacionamento com com Clientes Clientes ee Fornecedores. Fornecedores.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 04

Metodologia para construção de documentos e formalização das atividades Relatórios Relatórios Gerenciais Gerenciaisee Indicadores Indicadoresde de Gestão Gestão

Desenho Desenho dos dos Processos Processos

Análise Análisedas das necessidades necessidades de deregistro registrode de operações operações

Novos Novos Processos Processos

Marcos MarcosLegais Legais

Desenho Desenhodos dos formulários formulários necessários necessários

Definições Definiçõesde de metodologia metodologiade de utilização utilizaçãoee arquivamento arquivamento

Apresentação Apresentação de desugestões sugestões de demelhoria melhoria

Avaliação Avaliaçãoda da efetividade efetividadedos dos Controles Controles

Desenho Desenho dos dos Processos Processos

Alterações Alteraçõesna na Legislação Legislação

Implementação Implementação


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 04

Documentos importantes e seu significado e aplicação Pedido de Reposição de Mercadorias Pedido de Compras: documento emitido com base em necessidades de composição de estoques. Tem por base parâmetro de reposição, como “ponto de reposição”, “pedido mínimo”, “lote econômico”, “previsão de demanda”, “prazos de entrega” Pedido de Venda: fundamental para organização da saída de mercadorias e atendimento ao Cliente. Deve ser fidedigno com as necessidades expressas pelo Cliente. Um pedido mal preenchido pode levar a prejuízos grandes para a Empresa, desde a imagem à redução de resultados por prejuízos financeiros e operacionais. Nota Fiscal: Documento base e fundamental para legalização e organização da armazenagem. Fora as implicações legais, formaliza a saída de mercadorias e dá base para registro de faturamento, baixa de pedidos de venda e cálculo de impostos. Romaneio ou Manifesto: documento muito importante para consolidação de cargas. Normalmente relaciona Notas Fiscais grupadas por Cliente, inserindo informações de cada NF, como quantidade de volumes, peso, valor das mercadorias, valor de impostos, valor do frete e responsabilidade de seu pagamento (CIF ou FOB). É emitido para cada veículo carregado. O termo manifesto normalmente é utilizado para romaneios que prevêem Estoque interestadual. “Picking List”: documento que relaciona todas as mercadorias carregadas em um veículo, organizada por ítem. Normalmente trás descrição, código, quantidades e valor do produto. Formulário de Registro de Ocorrências: documento muito importante para que sejam relatados fatos não rotineiros ocorridos em cada etapa do processo. Formulário de Não Conformidade: documento que permite o registro de eventos decorrentes de falhas em relação ao não seguimento de procedimentos previamente determinados, como, por exemplo, falta de cuidado com manuseio materiais (avarias), armazenamento inadequado, Estoque interno inadequado, falhas de codificação e endereçamento de produtos, falhas de condições de armazenagem, falta de cuidado na operação de equipamentos.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 04

Documentos Envolvidos  Pedido e recebimento de mercadorias Consulta Consultaestoques estoquesee verifica verificanecessidade necessidadede de reposição reposição

Emite Emitepedido pedidode de reposição reposição

Acompanha Acompanhaatendimento atendimento do dopedido pedido

Recebe Recebemercadorias, mercadorias,confere confere com compedido pedidoassim assimcomo como integridade integridadedos dosprodutos, produtos, efetuando baixa efetuando baixado dopedido pedido

Disponibiliza Disponibilizaproduto produto para paraarmazenagem, armazenagem, identificando identificandocom comcódigo código interno interno

• • •

Mapa de Controle de Estoques Planilha de registro de faltas Relação de indicadores de nível de estoques para pedido de reposição

• •

Relação de Fornecedores por Produto ou conjunto de produtos Padrões para pedidos: característica do produto, Lote Econômico, prazo de recebimento Formulário de Pedido de Compras (ou Requisição)

• • •

Formulário de Pedidos de Compras (ou Requisição) Planilha de registro de pedidos emitidos Mapa de acompanhamento de pedidos

• •

Formulário de Pedidos de Compras (ou Requisição) Notas Fiscais Especificação de recebimento por tipo de mercadoria: Ficha de recebimento Romaneio da carga ou “Picking List” Lista “cega”de mercadorias (Relação de itens sem quantidades)

• •

Mapa de endereços de armazenagem Mapa de disponibilidades de espaço


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 04

Documentos Envolvidos  Identificação de Produtos e Armazenagem

Verifica Verificacondições condiçõesdo do Produto Produtoeelocal localde de armazenagem armazenagem (endereçamento) (endereçamento)

Seleciona Selecionaequipamento equipamento de deEstoque Estoqueinterno, interno, carrega carregaeeleva levaooProduto Produto ao aolocal localde dearmazenagem armazenagem

Armazena Armazenaprodutos produtosde de acordo acordocom com especificações especificaçõestécnicas técnicas

Alimenta Alimentaoosistema sistemade de controle controleeeatualiza atualiza estoques estoques

• • • • •

Formulário de Pedido de Compras (ou Requisição) Notas Fiscais Especificação de recebimento por tipo de mercadoria: Ficha de recebimento Romaneio da carga ou “Picking List” Lista “cega”de mercadorias (Relação de itens sem quantidades)

• • • • •

Formulário de Pedido de Compras (ou Requisição) Notas Fiscais Especificação de recebimento por tipo de mercadoria: Ficha de recebimento Romaneio da carga ou “Picking List” Lista “cega”de mercadorias (Relação de itens sem quantidades)

• • • • •

Formulário de Pedido de Compras (ou Requisição) Notas Fiscais Especificação de recebimento por tipo de mercadoria: Ficha de recebimento Romaneio da carga ou “Picking List” Lista “cega”de mercadorias (Relação de itens sem quantidades)

Formulário de Pedido de Compras (ou Requisição) Notas Fiscais Especificação de recebimento por tipo de mercadoria: Ficha de recebimento Romaneio da carga ou “Picking List” Lista “cega”de mercadorias (Relação de itens sem quantidades)

• • • •


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 04

Documentos Envolvidos  Separação e preparação de carga para expedição

Recebe Recebepedidos pedidos

• •

Pedido de Venda Notas Fiscais

Consulta Consultaestoques, estoques,emite emite Notas Fiscais Notas Fiscaiseeprepara prepara roteiros roteiros

• • • •

Disponibilidades de estoques Notas Fiscais Disponibilidades de Frota para Distribuição Romaneio

Separa Separapedidos pedidoseeprepara prepara listagem listagemde decarregamento carregamento (“Picking (“PickingList”) List”)

• • • • •

Pedido de Venda Notas Fiscais Romaneio “Picking List” Relação de pedidos não atendidos

Prepara Preparadocumentação documentaçãode de expedição expedição

Romaneio + NF´s

Carrega Carregapedidos pedidoseelibera libera para paraentregas entregas

• • •

Relatórios de não conformidade Relação de pedidos não atendidos Relação de entregas


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 04

Documentos Envolvidos  Acompanhamento de entregas e identificação de ocorrência

Organiza Organizaromaneios romaneiosee identifica identificaprioridades prioridades

• •

Romaneios Planilha de acompanhamento de entregas

Dá Dábaixa baixanas nasentregas entregas realizadas realizadas

Planilha de acompanhamento de entregas

Registra Registraocorrências ocorrênciasee emite emiterelatórios relatóriosde denão não conformidade conformidade

• •

Formulário de registro de ocorrências Formulário de registro de não conformidades

Alimenta Alimentasistema sistemacom com entregas entregasrealizadas realizadas

Planilha de acompanhamento de entregas

Acompanha Acompanhanecessidades necessidades não nãoatendidas atendidaseeemite emite relatórios relatórioscom com justificativas justificativas

• •

Planilha de Registro de ocorrências e não conformidades Planilha de registro de entregas não realizadas


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 05 Consolidando informações - construindo relatórios operacionais e gerenciais -


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 05

Relatórios de Gestão Para Para oo gerenciamento gerenciamento de de um um negócio negócio éé necessário necessário que que haja haja elaboração elaboração de de informações. São elas que dão respaldo à tomada de decisão. informações. São elas que dão respaldo à tomada de decisão. Portanto, Portanto, estabelecer estabelecer parâmetros parâmetros para para aa produção produção de de informações informações ee facilitar facilitar oo fluxo fluxo destas destas para para os os diversos diversos públicos públicos interessados interessados passam passam aa ser ser elementos elementos importante s para a sobrevivência empresarial, pois, afinal, constituir uma importante s para a sobrevivência empresarial, pois, afinal, constituir uma base base de deinformações informaçõesééconstruir construiruma umabase basepara paraaatomada tomadade dedecisão. decisão.

AA informação informação éé aa matéria-prima matéria-prima essencial essencial ao ao processo processo de de tomada tomada de de decisão. decisão. O O Relatórios Gerenciais modo como estão se desenvolvendo as atividades, os resultados, sejam modo como estão se desenvolvendo as atividades, os resultados, sejam parciais parciais ou ou totais, totais, desvios desvios relevantes relevantes na na condução condução dos dos trabalhos, trabalhos, fatores fatores externos externos que que possam impactar o processo operacional, ou parte dele, entre outros possam impactar o processo operacional, ou parte dele, entre outros aspectos, aspectos, são sãoinformações informaçõespreciosas preciosasno noprocesso processode detomada tomadade dedecisão, decisão, Relatórios Relatórios de de gestão gestão são são aa consolidação consolidação das das informações informações de forma estruturada e organizada de forma de forma estruturada e organizada de forma aa possibilitar possibilitar alimentação do processo de tomada de decisão. alimentação do processo de tomada de decisão.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 05

Utilidade e Aplicação dos Relatórios Operacionais e Gerenciais As atividades são realizadas

Os dados são registrados

São gerados relatórios operacionais

São gerados Relatórios Gerenciais

Carregamentos Realizados Evolução dia a dia Março / 2007

80 70 60 50 40 30 20 10 -

Implementação das sugestões

Sugestões de Correção

Avaliação de Desempenho


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 05


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 05


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 05


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 06 Entendendo e construindo cadastro de Fornecedores


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 06

Cadastramento de Fornecedores Etapa Etapa fundamental fundamental para para aa logística, logística, este este processo processo éé aa base base para para obtenção obtenção de de resultados desejados. resultados desejados. Esta Estaatividade atividadedeve deveconsiderar consideraraspectos aspectoscomplexos complexoscomo: como: Especificações EspecificaçõeseePadrões Padrões Normas Normasaplicáveis aplicáveis Critérios Critériosde deinspeção inspeçãoeeaceitação aceitação Capacidade Capacidadede defornecimento fornecimento Sistemas Sistemasde decomunicação comunicação Capacitação Capacitaçãotécnica técnicaeegerencial gerencial Localização Localização Procedimentos Procedimentos éticos, éticos, facilidades facilidades de de troca troca de de informações, informações, interesse interesse mútuo mútuo na na resolução de problemas, cultura voltada a melhoria de processos internos resolução de problemas, cultura voltada a melhoria de processos internos ee externos, externos, assim assim como como oo permanente permanente esforço esforço ee disponibilidade disponibilidade para para avaliação avaliação da da relação e atendimento das necessidades. relação e atendimento das necessidades.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 06

Construção do Cadastro de Fornecedores O Ocadastro cadastrode deFornecedores Fornecedoresdeve deveser seraltamente altamenteconfiável confiáveleeconter: conter: Dados DadosBásicos Básicos  Razão RazãoSocial, Social,endereço endereçocompleto completode detodas todasunidades unidades(se (se for multiplanta), estrutura organizacional com nomes de ocupantes for multiplanta), estrutura organizacional com nomes de ocupantes dos dos cargos cargosrelevantes relevantespara paraoorelacionamento relacionamentocomercial, comercial,Certificações, Certificações,... ... Relação Relação de de todos todos os os produtos produtos disponíveis disponíveis com com características características ee especificações especificações de de transporte transporte ee armazenagem armazenagem (como (como padrões padrões de de unitização, condições climáticas de armazenagem, condições unitização, condições climáticas de armazenagem, condições especiais especiais de defornecimento fornecimento(volumes (volumesmínimos mínimoseemáximos); máximos); Procedimentos Procedimentos de de solicitações solicitações de de fornecimento fornecimento contendo contendo prazos, prazos, documentação e especificações, forma de envio (meio eletrônico, documentação e especificações, forma de envio (meio eletrônico, fax, fax, entrega entregade depedido pedidoaavendedores, vendedores,...); ...); Procedimentos Procedimentos de de inspeção inspeção de de mercadorias mercadorias na na expedição expedição (Fornecedor) (Fornecedor) ee no norecebimento recebimento(no (noArmazém); Armazém); Procedimentos Procedimentos em em casos casos de de identificação identificação de de não não conformidades conformidades no no recebimento ou na armazenagem; recebimento ou na armazenagem; Procedimentos Procedimentos de de troca troca de de mercadorias mercadorias por por vencimento vencimento de de prazos prazos de de validade ou sobras de estação; validade ou sobras de estação; Condições Condições comerciais: comerciais: prazos, prazos, descontos descontos para para grandes grandes volumes, volumes, descontos para ações especiais. descontos para ações especiais.


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 07 Entendendo e construindo Classificação de Materiais e Produtos


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 07

Sistemas de Classificação e Codificação de Produtos ou Materiais AA classificação classificação de demateriais materiaise, e,posteriormente posteriormentesua suacodificação, codificação,aacada cadadia diatorna-se torna-se mais importante. A quantidade de itens diferentes cresce de maneira exponencial, mais importante. A quantidade de itens diferentes cresce de maneira exponencial, as as características características ee especificações especificações são são cada cada vez vez mais mais discriminadas discriminadas ee as as exigências legais aumentam de maneira vertiginosa. exigências legais aumentam de maneira vertiginosa. Objetivo: Objetivo: estabelecer estabelecer PROCESSO PROCESSO de de identificação, identificação, codificação, codificação, cadastramento cadastramento ee catalogação catalogaçãode demateriais. materiais. Fase Fase11 Identificação Identificação

Fase Fase22 Codificação Codificação

Fase Fase33 Cadastramento Cadastramento

Atribuir Atribuirnomenclatura nomenclatura padronizada padronizadapara paratodos todosos os materiais. Deve incluir: materiais. Deve incluir:

Atribuir Atribuirserie seriede denúmeros números e/ou letras e/ou letrasque que representem, por representem, pormeio meiode de um único símbolo, o um único símbolo, oproduto produto eesuas suascaracterísticas. características.Há Há três sistema utilizados com três sistema utilizados com maior maiorfreqüência: freqüência:

Registro Registrodo doitem itemcom comtodas todas suas características suas característicasem emum um sistema de banco de dados. sistema de banco de dados.OO cadastro cadastroinclui incluitrês trêsatividades atividades básicas: Inclusões, básicas: Inclusões,alterações alteraçõesee exclusões. exclusões.

•Nome •Nomebásico básicodo doMaterial Material •Nome modificador •Nome modificadorou ou denominação complementar denominação complementar •Aplicação •Aplicação •Embalagem •Embalagem

•Referências •Referênciascomerciais comerciais (código (códigode dereferência referênciado do fabricante) fabricante)

•Sistema •SistemaAlfabético Alfabético •Sistema •SistemaAlfanumérico Alfanumérico •Sistema •SistemaNumérico Numérico

Utilidade: Utilidade: ••Permite Permiteconsultas consultasdas das características dos materiais características dos materiais •Facilita •Facilitaprocessos processosde delicitações licitações •Evita duplicidade de •Evita duplicidade deinclusão inclusão de deitens itens •Permite •Permiteconsistir consistirdados dadosde de pedidos com entrega pedidos com entrega


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 07

Exemplo de Sistema de Classificação de Materiais

Federal Stock Number - FSN GRUPO

NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO

XXXX XXXX––XXX-XXX XXX-XXX––XX SUBGRUPO

DÍGITO DE CONTROLE

utilizado pelo governo federal norte americano


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 08


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 08 Entendendo e construindo Codificação de Materiais e Produtos


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 08

Código de Barras Após Após classificados classificados ee codificados, codificados, os os produtos produtos são são identificados identificados em em suas suas embalagens unitárias (de venda) e embalagens unitizadas (de transporte embalagens unitárias (de venda) e embalagens unitizadas (de transporte ee armazenagem), armazenagem), através através da da gravação gravação de de código código de de barras, barras, sistema sistema que que permite permite aa leitora ótica de todas característica e propriedades dos materiais ou produtos. leitora ótica de todas característica e propriedades dos materiais ou produtos. No NoBrasil, Brasil,aaaplicação aplicaçãoeegerenciamento gerenciamentodo douso usodo docódigo códigode debarras barrastem tem supervisão da EAN do Brasil – Associação Brasileira de Automação Comercial, supervisão da EAN do Brasil – Associação Brasileira de Automação Comercial, criada criadapelo pelodecreto decreto90.095/84 90.095/84eePortaria Portaria143 143do doMinistério Ministérioda daIndústria Indústriaee Comércio. Comércio. Aplicações Aplicações

OO sistema sistema de de código código de de barras barras revolucionou revolucionou as as operações operações de de controle controle de de materiais, materiais, trazendo grandes vantagens como : facilidade de utilização, grande capacidade trazendo grandes vantagens como : facilidade de utilização, grande capacidade de de captura capturade dedados dadosem emtempo temporeduzido, reduzido,baixo baixocusto custooperacional, operacional,implantação implantaçãosimples simpleseede de baixo baixo custo, custo, tecnologia tecnologia de de fácil fácil acesso acesso ee grande grande desenvolvimento desenvolvimento aa alta alta confiabilidade confiabilidade nas nasoperações, operações,reduzindo reduzindoos osriscos riscosde defalha falhahumana. humana.

As Asaplicações aplicaçõesocorrem ocorremnas nasmais maisdiversas diversasáreas: áreas: •• •• •• ••

Identificação Identificaçãoeeseparação separaçãode demateriais materiais Movimentação Movimentaçãode deestoques estoques Emissão Emissãode dedocumentação documentaçãolegal legal Conferência e despacho Conferência e despacho

•• Registro Registrode devendas vendas


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 08

A codificação por barras, tendo por base o sistema EAN, pode ser aplicado pelas empresas na solução das mais variadas necessidades em automação dos negócios: Identificação, Rastreabilidade, Comércio Eletrônico, Automação Comercial e Integração Logística. Essas aplicações dependem de estruturas de numeração padronizadas, por meio das quais podem ser identificados todos os itens envolvidos e informações sobre eles. Todas as informações que descrevem um produto ou serviço, devem estar associadas, através do código, a um bancos de dados. Em geral são comunicadas do fornecedor ao usuário uma vez, antes da primeira transação, seja por meio de mensagens padronizadas ou pela consulta de catálogos eletrônicos. Os números são representados em códigos de barras, que permitem a captura automática dos dados em cada ponto automatizado, por meio de leitura ótica, onde um item for movimentado. Desta forma, a troca de informações entre Fornecedor e Cliente, é facilitada, pois permite o fluxo de informações por meio eletrônico, normalmente utilizando-se um provedor de EDI (Intercâmbio Eletrônico de Dados). A utilização desta tecnologia permite a adoção de melhores práticas em itens comerciais, unidades logísticas, localização de produtos, controle de ativos; relações de serviços e aplicações especiais (cupons, controles financeiros, aplicações internas como controle de pessoal; identificação serial de eletrônicos; boletos de cobrança; artigos específicos de consumo)


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 08

Tipos de Códigos EAN EAN -8 - aplicação em unidades de consumo muito pequenas. Trata-se de uma exceção de aplicação, pois o uso geral pede numerações de 13 dígitos. EAN -13 - uso geral para todos os itens, que recebem preço e podem ser comercializados pela cadeia de suprimentos. Itens unitários; embalagens multipacks, e algumas caixas - quando constam no catálogo de vendas de um fornecedor, são referência para pedido de compra e ficam a disposição para compra pelo consumidor final. É a identificação básica de todo item. EAN -14 - aplicação freqüente em unidades logísticas, caixas; fardos; containers; contendo grupo de itens homogêneos. Os 14 dígitos podem constar no catálogo de vendas de um fornecedor, e podem ser referência para pedido de compra. Todavia, não podem ser processados na frente de loja do varejo (check-out), mas são aproveitados em toda a movimentação da carga, até o recebimento e estoque do varejo. A numeração identifica grupo de itens contidos numa unidade logística, possibilita o cadastro da descrição dos itens contidos (que são idênticos) e a quantidade deles embalado na caixa ou fardo. EAN -128 - Código de barras linear alfanumérico, representa em cada "bloco de barras" até 48 caracteres desde que não ultrapasse 165mm de largura. Sua estrutura de dados representa o conteúdo do dado e seu formato. Esta simbologia pode ser interpretado por toda cadeia de suprimentos com exceção, da frente de loja do varejo. Uma de suas principais funções é representar dados referentes a rastreabilidade de itens comerciais.


Exemplos de Código de Barras e Utilização

Operações de Estoque e Armazenagem

Etiqueta Básica: Ex .: Unidade Logística que contém grade (numeração variada de um mesmo modelo de Calçado)

Etiquetas com informações do produto e de seu acondicionamento Palete de produto de peso variável: Ex. : Palete de peças de peso variável de queijo fresco

Palete de produto de medida fixa: Ex .: Palete de 30 Caixas contendo embalagens de 200g de extrato de tomate.

Fonte: www.eanbrasil.com.br

– Sessão 08 Etiquetas específicas para embalagens de componentes de um artigo Ex.: Móvel cujas partes são embaladas em diferentes unidades logísticas

Etiqueta para unidades logísticas que contêm produtos variados palete formado para atender pedido específico do cliente


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 08

(EPC) Electronic Product Code

Sistema que identifica universalmente objetos físicos (por exemplo: itens comerciais, ativos e localizações) por etiquetas RFID (radiofrequencia) e outros meios. O dado padronizado EPC consiste em um EPC (ou Identificador EPC) que identifica unicamente um objeto, assim como um Valor de Filtro opcional utilizado quando necessário para habilitar a leitura efetiva e eficiente de etiquetas EPC. Você pode ter visto um produto ou embalagem que contem uma ou ambas as etiquetas:

O que significa esta identificação? Este tipo de identificação é para alertá-lo de que uma etiqueta EPC está presente no ou dentro da embalagem do(s) produto(s). O selo EPC é concedido pela EPCglobal Inc™, uma organização de padronização independente e sem fins lucrativos. A EPCglobal Inc promove a utilização responsável das tecnologias RFID e EPC trabalhando com empresas assinantes, tais como o varejista ou a loja que vende o produto e o fabricante que fez o produto.

O que é uma etiqueta EPC? Uma etiqueta EPC contem a identificação do objeto, globalmente única, chamada de Código Eletrônico do Produto ou EPC, que requer a leitura por meio de um dispositivo eletrônico. Esta identificação exclusiva do objeto é a única informação armazenada numa etiqueta EPC.

O que a tecnologia RFID? A Identificação por Rádio Freqüência (RFID) é uma tecnologia que existe por décadas e é atualmente utilizada como passes de pedágio ( Sem-Parar ) e em sistemas de controle de acesso de edifícios. RFID é uma tecnologia que envolve etiquetas que emitem sinais de radio e dispositivos chamados leitores que recebem estes sinais.

Porquê os varejistas estão utilizando a tecnologia RFID e etiquetas EPC? Os varejistas estão utilizando a tecnologia RFID e etiquetas EPC para lhe assegurar a melhoria na disponibilidade de produtos. As etiquetas EPC também ajudarão a assegurar que os medicamentos e produtos que você compra não são imitações.


Operações de Estoque e Armazenagem Separação e unitização

Produtos são separados e unitizados eletrônicamente

Carregamento

O carregamento é realizado sem conferência manual

Distribuição

No recebimento a conferência é realizada eletrônicamente

– Sessão 08 Entrega

Na entrega o produto recebimento, conferência e alimentação do estoque é realizado eletrônicamente

Identificação de Produtos

EPC – Eletronic Product Code RFID – Radio Frequency Identification

O produto é controlado nas prateleiras ou gôndolas

Permite controle de saída e redução de perdas por furto Produto recebe a etiqueta de identificação no momento de fabricação. Controles de produção saõ alimentados automáticamente.

Venda

Controle de saída


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 09 Sistemas de Armazenagem

Contexto


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 09

Áreas de armazenamento devem ser dimensionadas para atender às necessidades das Empresas quanto à guarda provisória , de materiais e produtos. Prevendo arranjos físicos que sejam adequados à maximização da produtividade, permitindo rápido fluxo de materiais nos processos de recebimento, guarda e expedição.

Três fatores influenciam, consideravelmente, na redução de custos e aumento da produtividade: Eficácia na utilização de equipamentos de movimentação e transporte; Utilização de pessoal qualificado para a realização das atividades e maximização do uso do espaço disponível (linear e cúbico). Para que estes fatores apresentem bom desempenho, é necessário que outros fatores, com influência direta, sejam otimizados:: Sistema de localização física de materiais e produtos; Embalagens de acondicionamento de materiais e produtos; Processo de recebimento e expedição.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 09

Processos fundamentais da Armazenagem Recebimento de materiais e ou produtos; Movimentação física de materiais manuseio do recebimento à área de estocagem e retirada de itens selecionados para separação, preparação de pedidos e expedição; Estocagem; Consolidação de carga para estocagem e para expedição; Expedição dos itens por meio da separação, atendendo especificações dos pedidos de Clientes, carregamento dos veículos destinados à distribuição; Administração de pessoal, instalações e equipamentos de armazenagem e movimentação de cargas, manutenção predial e manutenção geral; Operação de sistemas de informação para gestão de processos de armazenagem e gestão de estoques.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 09

Formas de Armazenagem A armazenagem se apoia, atualmente, no conceito de garantia plena de mobilidade, tanto para equipamentos quanto para materiais e produtos estocados. Os sistemas adotados dependem de características dos produtos e da disponibilidade financeira para investir em equipamentos. Estudos de relação custo x benefício são fundamentais para a decisão sobre o sistema a adotar. As formas mais comuns de armazenagem são: Estrutura Drive Dinâmico, normalmente metálica, permitindo estocagem de materiais em alturas diversas, em sistema de alimentação de um lado e retirada no lado oposto, sendo o palete “rola” por gravidade até a posição de retirada. Permite, de maneira otimizada, o sistema “FiFo – First In, First Out” Estrutura Porta Paletes propriamente dita, normalmente metálica, permitindo estocagem de materiais em alturas diversas, considerando alimentação frontal e de um palete por posição. Permite sistema “FiFo – First In, First Out” Estrutura “Drive In”, estocagem de materiais em alturas diversas, considerando alimentação frontal e de diversos paletes por posição. A empilhadeira “entra” num corredor e armazena diversos paletes em “fila”. Para grandes volumes de entrada e saída de produtos, pois o sistema de movimentação é “FiLo – First In, Last Out”


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 09

Formas de Armazenagem (cont.) Power Back, Estantes móveis motorizadas. A estrutura de armazenagem é apoiada sobre bases móveis que se movimentam sobre trilhos. Permite ao operador da empilhadeira abrir o corredor que necessita, através de um comando.

Rack Convencional, estruturas de metal que possuem dispositivo para empilhamento. Normalmente assentadas em espaços demarcados no piso do armazem. Permite o empilhamento de tantos racks quanto o pé direito permite assim como a capacidade estrutural do piso e do próprio equipamento.

Sobre o piso, normalmente para movimentações rápidas. São demarcadas áreas no piso do armazém dentro de lógica de organização que permite a circulação de equipamentos e rápida localização dos paletes.

Os equipamentos para armazenamento tem uma variedade muito grande. Tecnologicamente, a evolução acontece de maneira muito rápida. Por outro lado, as exigências aumentam na mesma proporção. Aqui mostramos os principais sistema, sendo que há desde armazenamento sobre paletes e sobre o piso até armazéns totalmente automatizados, onde sequer há a aplicação de mão de obra para armazenagem, separação de pedidos e unitização para expedição., como por exemplo armazéns de produtos farmacêuticos.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 09

Formas de Armazenagem As decisões para escolha de sistemáticas de armazenagem passam pela análise de alguns fatores importantes a considerar, segundo características: da DEMANDA

dos PRODUTOS

da OPERAÇÃO


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 10 Gestão de Armazenagem – Arranjos Físicos

Contexto


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 10

Arranjo Físico O arranjo físico de áreas de armazenagem deve obedecer alguns requisitos, conforme segue: Ter uma lógica de armazenamento, através da criação de sistema de endereçamento que permita a localização rápida de materiais ou produtos; Obedecer o fluxo das atividades de forma a priorizar produtividade; Adequação aos equipamentos de armazenagem (porta paletes, “drive in”, racks, ...) e movimentação de materiais e produtos (empilhadeiras, esteiras transportadoras, paleteiras, ...; Obedecer distâncias mínimas para manobras de equipamentos de movimentação de materiais e manuseio de produtos ou lote de produtos; Ter flexibilidade suficiente à adaptação em relação a variações de demanda e características de produto; Obedecer à características de produtos (como condições de temperatura, empilhamento de embalagens, proteção de produtos, fragilidade); Prever áreas de manuseio de produtos e materiais para separação de pedidos (picking) e unitização de cargas para expedição, de acordo com a quantidade estimada de número médio de itens por pedido e quantidade média de pedidos / dia; Prever áreas de movimentação e manobras de veículos de distribuição; Prever áreas de atividades especiais (Ex.: montagem de Kit’s a pedido de Clientes, quebra de unitização original, ...); Prever todos os equipamentos e cumprimentos de requisitos de segurança no trabalho e proteção do meio ambiente, de acordo com as características de produtos, equipamentos utilizados e definição de processos.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 10


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 10

Sistema de Armazenagem “Drive In” Aproveitamento da área de armazenagem é otimizado, porém o acesso ao estoque é limitado. Não permite “FiFo”. Próprio para grandes volumes de recebimento e expedição. No exemplo abaixo, se considerarmos o arranjo físico apresentado, teríamos 2.700 Posições de paletes ( 30 posições lineares * 5 posições de alto * 6 posições por linha * 3 linhas)

Sistema de Armazenagem “Porta Paletes Convencional” Aproveitamento da área de armazenagem é limitado, porém o acesso ao estoque é facilitado. Permite “FiFo”. Próprio para volumes variáveis de recebimento e expedição. No exemplo acima, se considerarmos o arranjo físico apresentado, teríamos 1.800 Posições de paletes ( 30 posições lineares * 5 posições de alto * 2 posições por linha * 6 linhas)


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 11 Custos em Armazenagem


Operações de Estoque e Armazenagem

Conceito Conceito Todos os desembolsos relacionados constituem-se em custos.

à

execução

dos

serviços

Por exemplo: quando um pneu é colocado em um caminhão, inicia a apropriação de custos, pelo início de sua utilização. Como seu desgaste é função da rodagem, a cada km que roda, uma parcela de custos deve ser adicionada ao serviço.

– Sessão 11


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 11

Classificação Classificação quanto quanto àà Aplicação Aplicação Diretos  São os custos que podem se relacionados diretamente com o serviço executado. Ex.: como pneus sofrem desgaste a cada km, e nesse percurso algum serviço está sendo realizado, esse custo se constitui em custo diretamente relacionado ao mesmo

Indiretos  São custos que tem características gerais, não podendo ser relacionados diretamente a serviços específicos. Ex.: As atividades de supervisão envolvem diversos serviços diferentes ao mesmo tempo. Fica difícil determinar quanto tempo se dedica a cada serviço específico. Desta forma, constitui-se em custo indireto em Transportes.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 11

Classificação Classificação quanto quanto àà Variação Variação Fixos  são aqueles que apresentam valor determinado, não sofrendo alterações em função de volumes ou variações de quantidade. Em nosso exemplo, o valor da supervisão é o mesmo para qualquer volume de produtos transportados. Variáveis  são aqueles que apresentam valor variável, conforme volumes ou quantidades de serviço realizado. No nosso exemplo, quanto maior a quantidade de viagens, maior o desgaste de pneus, portanto se gasta mais para rodar mais e vice-versa. De forma análoga, os desembolsos com combustíveis variam conforme a quilometragem.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 11

Tipos Tipos de de Determinação Determinação de de Custos Custos Valor Histórico  Utilizados com base em dados contábeis, que refletem a realidade da empresa. Normalmente são utilizados de forma controlada, pois podem trazer distorções em casos de séries muito longas. Por exemplo, na apuração de custos de transportes, um dos componentes é a depreciação de veículo. Esta depreciação ocorre em parcelas que são função da vida útil do veículo e determinação legal. Em geral, um veículo é depreciado em 10 anos. Ocorre que nesse período, evoluções acontecem que alteram o preço dos veículos mais novos, desde tecnologia aplicada até fatores econômicos, como por exemplo, a inflação. Se forem utilizados dados históricos, sem as devidas correções, pode-se estar incorrendo em erro de sub-avaliação do custo.

Valor Orçado  calculado partindo-se de valores unitários e índices, que permitem a composição do custo final. Por exemplo, no cálculo de consumo de pneus, poder-se-ia adotar dados médios de desgaste de pneus, de quilometragem rodada, quantidade de recapagens, e outros. Todos estes dados são reais, mas partem de estudos e estimativas realizadas. Valor Padrão  utilizados nos casos onde fica mais difícil utilizar os anteriores. Sua necessidade normalmente ocorre quando não há dados suficientes para realizar cálculos reais de custos, como, por exemplo, em atividades novas.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 11

Método Método de de Custeio Custeio ABC ABC O acompanhamento de custos é crucial para as empresa, em geral. Pode ser a diferença entre o crescimento ou a eliminação do mercado. Dessa forma, desenvolveu-se o método de custeio ABC, que permite a visualização dos custos por ordem de importância e influência nos resultados. Este método, do inglês “Activity Based Costing”, ou método de Custeio Baseado em Atividades, é função da apropriação de custos às atividades da empresa, e, consequentemente, aos serviços ofertados aos Clientes.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 11

Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna, Maurício Pimenta Lima. Artigo publicado no site www.centrodelogistica.com, Coppead – UFRJ (CEL – Centro de Estudos em Logística)


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 11

Fonte: Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna, Maurício Pimenta Lima. Artigo publicado no site www.centrodelogistica.com, Coppead – UFRJ (CEL – Centro de Estudos em Logística)


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 12 Tecnologia da Informação e Operações de Armazenagem e Controle de Estoques


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 12


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 12

Aplicações da TI em Operações de Armazenagem e Controle de Estoques

Dimensionamento de operações de carga e descarga: determinação do número de docas, número e tipo de empilhadeiras, área de preparação de carga, quadro de pessoal necessário, tempo alocado etc. Estudos de movimentação de materiais: avaliação da relação custo/benefício da implantação de novos equipamentos e novas tecnologias como esteiras, transelevadores, sistemas automáticos de picking etc. Dimensionamento de Recursos: definição de quadro de pessoal, equipamentos armazenamento e equipamentos de movimentação interna de produtos ou materiais

de

Dimensionamento de estoque: determinação de estoque de segurança e estoque base em sistemas multi-elos (centros de distribuição centrais e regionais), considerando incertezas nos suprimentos de matérias-primas e na demanda pelos produtos e sua conseqüência sobre o nível de serviço prestado: Onde os estoques devem estar localizados? Centralizados ou distribuídos nas pontas. Qual o custo (de estoque) para atender nossos clientes com 95% de disponibilidade de produto? E 98%? Armazéns Inteligentes: sistemas automatizados, onde os pedidos entram via sistema, são processados e através da utilização de equipamentos mecânicos, comandados por computador, se realizam as operações de separação de produtos e unitização de cargas por pedido, sem intervenção humana (nestas operações)


Operações de Estoque e Armazenagem

Exemplo de Sistema de Armazenagem e Controle de Estoques

– Sessão 12


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 12

Tecnologia Disponível

WMS - (Warehouse Management System) Sistema de Gerenciamento de Armazéns •

Mais importante ferramenta tecnológica aplicada a gestão de armazenagem e controle de estoques. Integra todas as funções, desde a entrada de produtos, cadastramento, movimentações de estoque e saída dos produtos para entrega. Objetivos de um WMS Aumentar a precisão das informações de estoque - erros, para mais ou para menos, causam faltas e excessos em estoque, além de provocarem sérios problemas de atendimento ao cliente. Aumentar a velocidade e qualidade das operações do centro de distribuição - com o uso de equipamentos de movimentação automatizados, controlados pelo próprio sistema computadorizado (WMS), de coletores de dados através de códigos de barras e da comunicação on-line por radiofreqüência. Aumentar a produtividade do pessoal e dos equipamentos do depósito - os sistemas WMS, através do seu princípio de convocação ativa e da sua habilidade em trabalhar com equipamentos de movimentação automatizados, propiciam grande redução de custos com pessoal, além de reduzir a necessidade de equipamentos para a mesma quantidade de movimentações, se estas fossem feitas através de sistemas tradicionais.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 12

Algumas funcionalidades de WMS Rastreabilidade das operações - todas as atividades cadastradas nas regras de negócio do sistema são registradas, inclusive quanto à identificação do operador ou equipamento que realizou a tarefa.

Inventários físicos rotativos e gerais - através de regras parametrizadas pelo usuário, o sistema

convoca operadores para a realização de inventários rotativos ou gerais, sejam inventários orientados por item ou orientados por endereço.

Planejamento e controle de capacidades - através do cadastramento de docas de recebimento e de expedição, operadores, empilhadeiras, etc., e também do cadastramento do consumo de recursos de cada uma das tarefas, pode-se fazer um planejamento de atividades.

Definição de características de uso de cada local de armazenagem - através do mapeamento dos locais de armazenagem pode-se identificar para o sistema, todos os endereços e as características dos itens que possam ser armazenados em cada um dos locais.

Controle de lotes, datas de liberação de quarentenas e situações de controle de qualidade - o sistema deve manter registro em cada uma das unidades de armazenagem das

informações dos lotes de fabricação dos produtos, ou seja, se foram enviados para clientes, internos ou externos, também em termos de aprovação, rejeição, quarentena, inspeção ou outras situações de bloqueio exigidas pelas características do item ou do processo.

Interface com clientes e fornecedores - o sistema permite comunicação, normalmente via web, com fornecedores possibilitando a troca e intercâmbio de informações necessárias à operação de recebimento de notas fiscais e envio de pedidos.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 12

Algumas funcionalidades de WMS (Cont.) Sistema de classificação dos itens – permite o cadastramento de parâmetro de movimentação e armazenamento dos itens, de forma a permitir a montagem automática de cargas.

Separação de pedidos (picking) - o sistema deve permitir que se faça a separação das mercadorias

da área de armazenamento para a expedição ou de uma área de armazenamento consolidada para uma área de separação secundária, que devem ser parametrizadas por métodos como FIFO (First In First Out) ou mesmo métodos especiais para situações de excesso de carga ou falta de equipamentos de movimentação em altas estantes.

Interface com clientes e fornecedores - o sistema permite comunicação, normalmente via web, com fornecedores possibilitando a troca e intercâmbio de informações necessárias à operação de recebimento de notas fiscais e envio de pedidos.

Cálculo de embalagens de despacho e listas de conteúdo - um WMS deve ter algoritmos para

calcular as embalagens necessárias para acondicionar as diversas mercadorias a serem enviadas para um cliente, possibilitando também a emissão de listagem do conteúdo, pesos bruto e líquido de cada embalagem.

Controle de rotas e carregamento de veículos - o sistema deve permitir o cadastramento de rotas e controlar os volumes carregados em cada veículo, possibilita integração com fornecedores e clientes.


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 12

RFID – Radio Frequency Identification Identificação via Radio Freqüência é, relativamente, uma das mais novas tecnologias de coleta automática de dados. Inicialmente surgiu como solução para sistemas de rastreamento e controle de acesso na década de 80. Uma das maiores vantagens dos sistemas baseados em RFID é o fato de permitir a codificação em ambientes não favoráveis e em produtos onde o uso de código de barras, por exemplo, não é eficiente. Este sistema funciona com uma antena, um transmissor e um decodificador. Esses componentes interagem através de ondas eletromagnéticas transformando-as em informações capazes de ser processadas por um computador Separação e unitização

O produto é controlado nos locais de armazenagem

Produtos são separados e unitizados eletronicamente

No recebimento a conferência Produto recebe a etiqueta de é realizada eletronicamente, identificação no momento de PERMITE ENTRADA fabricação. Controles de produção AUTOMÁTICA NO ESTOQUE são alimentados automaticamente.

O carregamento é realizado sem conferência manual

Permite controle de saída e redução de perdas por furto E BAIXA AUTOMÁTICA DO ESTOQUE


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 08

Código de Barras Aplicações Aplicações OO sistema sistema de de código código de de barras barras revolucionou revolucionou as as operações operações de de controle controle de de materiais, materiais, trazendo grandes vantagens como : facilidade de utilização, grande capacidade trazendo grandes vantagens como : facilidade de utilização, grande capacidade de de captura de dados em tempo reduzido, baixo custo operacional, implantação simples e de captura de dados em tempo reduzido, baixo custo operacional, implantação simples e de baixo baixo custo, custo, tecnologia tecnologia de de fácil fácil acesso acesso ee grande grande desenvolvimento desenvolvimento aa alta alta confiabilidade confiabilidade nas operações, reduzindo os riscos de falha humana. nas operações, reduzindo os riscos de falha humana. As Asaplicações aplicaçõesocorrem ocorremnas nasmais maisdiversas diversasáreas: áreas: •• •• •• ••

Identificação Identificaçãoeeseparação separaçãode demateriais materiais Movimentação Movimentaçãode deestoques estoques Emissão Emissãode dedocumentação documentaçãolegal legal Conferência e despacho Conferência e despacho

•• Registro Registrode devendas vendas


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 13 Controle de Estoques


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13

FINALIDADES DO CONTROLE DE ESTOQUE Para entender bem a importância do controle de estoques, é importante que saibamos as diversas finalidades de sua utilização, como segue:

Melhorar o nível de serviço oferecido Incentivar economias na produção Permitir economias de escala nas compras e no transporte Proteção contra aumento de preços Proteção contra contingências Proteção contra oscilações na demanda ou no tempo de ressuprimento


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13

CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES O controle de estoques, para ser efetivo, tem que se basear em um fluxo de informações que as seguintes características:


Operações de Estoque e Armazenagem

RAZÕES DO SURGIMENTO DO ESTOQUE

Fonte: Planejamento, Programação e Controle da Produção MRPII/ERP, 4a Edição © Editora Atlas, São Paulo

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

DOCUMENTOS UTILIZADOS

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

Denominação do Documento

Pedido de Compras

Orige m Estoque

– Sessão 13

Destino

Função

Compras

Documento base para iniciar o processo de suprimento. A partir de parâmetros pré-definidos ou falta de item(ns) no estoque se emite uma solicitação para que este(s) item(ns) seja(m) adquirido(s), recompondo os níveis de estoque desejado. Importante que nesse momento seja visualizado o tempo de reposição, normalmente informado pelo Fornecedor.

Documento em que são registradas todas as movimentações de entrada e saída de produtos/mercadorias no estoque. É base para cálculos de volumes movimentados, demanda média, volumes de compras, reposição, cálculo de custos de estoque )custo médio, custo de última entrada, ...). Devem ser registrados nessa ficha dados que servem como parâmetro para: Reposição: ponto de reposição ou outra sistemática de reposição; Inspeção de entrada: dados técnicos do produto, como prazo de validade, características físicas de transporte (Ex.: temperatura), características de unitização de embalagens,... Para direcionamento de estocagem física: exigências como ambientes climatizados, refrigerados, segregados – produtos perigosos, segregados – produtos de alto valor agregado; Características do produto: peso unitário, dimensões, quantidades em embalagens unitizadas, necessidades especiais de armazenamento,...

Ficha de Controle de Movimentação de Produtos / Mercadorias

Estoque

-

Pedido de Fabricação

Estoque

Produção

Mesmo acima, sendo que a comunicação é interna e dirigida à área de Produção, em caso de industrias.

Estoque

Além de ser enviado ao Fornecedor, uma cópia do pedido é enviada ao Controle de estoques, para efeitos de programação de recebimento. Neste pedido, normalmente constam dados importantes para verificação e inspeção de recebimento, como: especificações, preços, impostos, instruções de unitização de embalagens e prazos de entrega.

Pedido de Compra

Compra s


Operações de Estoque e Armazenagem

Romaneio de Carga

Nota Fiscal

Pedido de Reposição (Interno)

Solicitação de Inspeção

Relatório de não conformidad e Solicitação de Manutenção

– Sessão 13

Fornecedor

Recebiment o

Documento que relaciona toda carga a ser recepcionada em um determinado veículo, constando quantidade de notas fiscais, nº. das NF’s, quantidade de produtos (unitário e em volume ou peso). Utilizado como ponto de checagem e de confirmação de recebimento.

Fornecedor

Recebiment o Estoque

Principal documento no processo. É base para realizar as movimentações de entrada de produtos, além de legalizar a entrada de mercadorias na empresa. Em geral só deve ser realizada a entrada de mercadorias no sistema a partir dos dados constantes nas Notas Fiscais. É incorreto realizar esta atividade com qualquer outro documento.

Estoque

Documento que define as necessidades de produtos ou materiais pelas unidades organizacionais que compõem a empresa e comunica ao estoque a solicitação de reposição. É base para realizar as movimentações de saída de produtos ou materiais do estoque. Em geral devem conter, além da descrição dos produtos e quantidades desejadas, área de origem da solicitação, data, nome e assinatura do solicitante, nome e assinatura do responsável pela área ou setor.

Área Especializad a (Internas)

Solicitação às áreas técnicas que podem realizar inspeções e ensaios de materiais para verificação de especificações técnicas em produtos ou materiais. Em geral, esta função é exercida por áreas denominadas de Controle de Qualidade. Em Armazéns mais estruturados, na sua própria estrutura existem estas áreas para, por exemplo, realizar recebimento de produtos perecíveis, que exigem verificação apurada de qualidade, não apenas visual. Em algumas empresas esse processo é terceirizado totalmente ou em parte, muitas vezes pelos elevados investimentos necessários para determinados testes ou ensaios de materiais.

Estoque

Gerência

Documento que registra inadequações em produtos, materiais ou processos. Base de sistemas que possuem certificação de qualidade. Em geral apresentam definição ou evidência de uma inadequação, origem, responsabilidades e apontam uma solução, também definindo responsabilidades para tomada de ação.

Estoque

Área de Manutenção

Outras Áreas da Empresa

Estoque

Formaliza necessidades de revisão em máquinas, equipamentos ou mesmo em edificações. Deve conter dados de identificação do problema, solicitante e responsável pela área. Muitas vezes origina ou é originado de um relatório de não


Operações de Estoque e Armazenagem

Exemplos de Relatórios de Controle de Estoques

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

Disponibilidade

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13

Curva de Pareto ou curva ABC ou curva 80-20

Devem merecer atenção gerencial diferente

100

% acum. de valor de uso

Itens têm importância relativa diferente

90 80 70 60 50 40 30 20 10 0

Itens “A”

25

Itens “B”

50

Itens 75 “C”

100

Quant. de itens (%)

Poucos Itens importantes

Importância média

Muitos itens menos importantes

Adaptado de: Planejamento, Programação e Controle da Produção MRPII/ERP, 4a Edição © Editora Atlas, São Paulo


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13

Giro de Estoque

Giro =

valor consumido no período valor do estoque médio no período

Mede quantas vezes o estoque se renovou ou girou em um determinado período


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 13

Cobertura de Estoques

Cobertura =

Nº. de dias do período Giro de Estoques

Indica o nº. de unidade de tempo (dias, meses, etc ) no qual o estoque médio será suficiente para cobrir a demanda média


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 14 Avaliação de Performance em Operações de Armazenagem e Controle de Estoques


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 14

Utilidade e Aplicação dos Relatórios Operacionais e Gerenciais As atividades são realizadas

Os dados são registrados

São gerados relatórios operacionais

São gerados Relatórios Gerenciais

Carregamentos Realizados Evolução dia a dia Março / 2007

80 70 60 50 40 30 20 10 -

Implementação das sugestões

Sugestões de Correção

Avaliação de Desempenho


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 14

Medidas que permitem acompanhamento e visualização do desempenho

Características • Independência: cada indicador deve medir determinado aspecto da atividade econômica • Conexão com outros Indicadores: devem adicionar informações ao quadro geral, de forma a complementar a visão do todo • Adequação: devem ser representativos do fenômeno que se propõe a medir • Objetividade: indicadores não julgam, mas definem quantitativamente a extensão e direção dos fenômenos medidos • Regularidade: devem ter condições de serem aplicados a períodos regulares e nas mesmas condições sempre, independente das distâncias entre os períodos medidos • Coerência: sua definição não pode variar. Quando este ajuste é realizado, a série é interrompida e inicia-se outra série não comparáveis • Simplicidade: os melhores compreendidas com facilidade

indicadores

permitem

que

as

• Cumulatividade: devem permitir agregações sucessivas de dados

medidas

sejam


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 03

BSC – Balanced Score Card Avançando e especializando as medidas de desempenho em nível estratégico PERSPECTIVA FINANCEIRA “Para sermos bem-sucedidos financeiramente, como deveríamos ser vistos pelos nossos acionistas?” PERSPECIVA DOS CLIENTES “Para alcançarmos nossa visão, como deveríamos ser vistos pelos nossos clientes?” PERSPECTIVA DOS PROCESSOS INTERNOS “Para satisfazermos nossos acionistas e clientes, em que processo de negócios devemos alcançar a excelência?” PERSPECTIVA DO APRENDIZADO E CRESCIMENTO “Para alcançarmos nossa visão, como sustentar só nossa capacidade de mudar e melhorar?”

Kaplan e Norton


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 14


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 14


Operações de Estoque e Armazenagem

Sessão 15 Interfaces e Pontos de Alinhamento


Operações de Estoque e Armazenagem

Pedido e recebimento de mercadorias

– Sessão 15


Operações de Estoque e Armazenagem

Identificação de Produtos e Armazenagem

– Sessão 15


Operações de Estoque e Armazenagem

Separação e preparação de carga para expedição

– Sessão 15


Operações de Estoque e Armazenagem

– Sessão 15

Acompanhamento de entregas e identificação de ocorrências

Operações de estoque e armazenagem ok  
Operações de estoque e armazenagem ok  
Advertisement