Page 1


Índice de Contatos Adriana Ramiro - drikramiro@hotmail.com.................................................. Pág 42 Adriana Vargas - adrianavargas.ocadv@gmail.com........... Pág 33, 34, 35, 36 e 53 Amandio Sales - amandio.sales32@gmail.com.............................................. Pág 10 Amauri Chicarelli - chicarelli1@gmail.com.................................................... Pág 05 Ana Paula Leandro Chicarelli - david.paulinha.anapaula@gmail.com..... Pág 08 Carminha Morais - carminh@hotmail.com...................................... Pág 25, 38 e 51 Cristina Aguiar - tinacrisla@hotmail.com.............................................. Pág 07 e 15 Deyse R. Nicoli - deyse_nicoli@hotmail.com................................................. Pág 40 Dill Ferreira - dillferreira@gmail.com..................................................... Pág 11 e 18 Fabiana Cardoso - fabianacardosoescritora@gmail.com.............................. Pág 09 Fábio Carlos Uriel - fabio_carlos.fcn@hotmail.com.............................. Pág 13 e 17 Francilangela Clarindo - francilangela.clarindo@gmail.com......... Pág 48, 49 e 50 Gholopes - glohlopes@gmail.com................................................................... Pág 14 Gislene Vieira de Lima - gislenev@hotmail.com....................................... Pág 06 e 39 Igor Alcantara - igor@igoralcantara................................................................ Pág 46 Jamila Mafra - millamafra2011@hotmail.com........................... Pág 16, 20, 27 e 47 Janethe Fontes - janethefontes@gmail.com...................................... Pág 21, 45 e 52 L. L. Alves - saga.llalves@gmail.com.............................................................. Pág 28 Luciane Vieira Z - lucianevieirazescritora@gmail.com................................ Pág 24 Maud Epascolato - maudepascolato@gmail.com.......................................... Pág 29 Maurício Ramos - mauricioramos908@globo.com ....................................... Pág 04 Maximiliano Souza - maximilianoinvertido@hotmail.com......................... Pág 12 Mia Antiery - antiery@yahoo.com.br...................................................... Pág 23 e 30 Neiva Meriele - neivameriele@gmail.com...................................................... Pág 05 Raquel Pagno - raquelpagno@hotmail.com............................... Pág 26, 37, 43 e 44 Raul Zambello - rzambello@unipira.com.br.......................................... Pág 22 e 41 Roxane Norris - roxanenorris@gmail.com..................................................... Pág 55 Sérgio de Paula - sergioufmt@gmail.com............................................... Pág 04 e 32 Verônica Lopes - veronicajesus@uol.com.br.................................................. Pág 19 Wilson Santos - wssantos_wl@yahoo.com.br................................................ Pág 31 Vagner Penna - vagnerspsp@bol.com.br........................................................ Pág 54

A ANEB é uma associação sem fins lucrativos cujo maior objetivo é oportunizar aos escritores nacionais visibilidade, suporte e apoio em suas publicações e através de suas ações colaborar para a valorização e fortalecimento do mercado literário nacional. Contato: aneb@hotmail.com.br


PRIMEIRA PÁGINA Era uma época em que os grandes magos lançavam seus feitiços sobre os seres mortais e onde as bruxas assolavam os habitantes da Terra, lançando encantamentos e aterrorizando as vidas de homens, mulheres e crianças. Um mundo dominado por dragões, onde a realidade misturava-se com a imaginação e a imaginação virava realidade. O medo da magia negra era a razão pela qual as pessoas não ousavam enfrentar feiticeiros e bruxas, pois temiam ter suas vidas tiradas e suas crianças amaldiçoadas. Os dragões dominavam cidades e pessoas eram levadas prisioneiras e encerradas em calabouços. Não havia muitos que desejavam lutar contra essas terríveis e temíveis feras, pois eles eram oprimidos e massacrados pela sua fúria. O céu era carregado desses seres sombrios e o medo invadia o coração das pessoas, fazendo-as esconderem-se diante dessas temíveis criaturas. Os dragões eram criaturas aterrorizantes e ninguém ousava combatê-los. Havia uma cidade chamada Oberdon, um lugar situado ao pé de uma montanha, cujo topo quase nunca podia ser visto por seus habitantes, pois era muito alta e seu topo estava sempre coberto por uma neblina densa e escura. Os habitantes da cidade temiam muito, pois naquela montanha existia um castelo negro e sombrio, onde habitava um poderoso feiticeiro, que dominava aquelas terras, amaldiçoando todos os que não obedeciam suas leis injustas e severas. Antes, aquela montanha era um lugar bonito e claro, mas agora, por causa da grande maldição e pela magia negra, a montanha e o castelo inteiro ficaram obscuros. As paredes do castelo, antes brancas e

PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

GIOSTRI, A ERA DOS DRAGÕES NOS LEVA PARA UMA TERRA DOMINADA POR UM P O D E R O S O FEITICEIRO

E

TERRÍVEIS DRAGÕES ALADOS.

APENAS O

PODER DO ÔNIX NEGRO SERÁ CAPAZ DE SALVAR O REINO DA OPRESSÃO E DO CAOS. CONSEGUIRÁ JAFÉ, UM JOVEM E INEXPERIENTE GUERREIRO, SE TORNAR O HERÓI L I B E R TA D O R PRECONIZADO HÁ E R A S

P E L A S

PROFECIAS?

3 Gênero Infanto-Juvenil


PUBLICADO EM 2012 PELA EDITORA NOVO SÉCULO, A GRANDE R A I N H A

É

O

PRIMEIRO LIVRO DE U M A

S É R I E

RECHEADA

DE

ELFOS, MAGOS, ANJOS, DRAGÕES E C R I A T U R A S F A N TÁ S T I C A S . A SAGA DE MITRAX SE INICIA

COM

O

S U RG I M EN TO DA RAINHA DE COPAS. CONTANDO COM A AJUDA DE UM MAGO E UM GNOMO, ELA TERÁ DE ENFRENTAR D ES A F I O S T EN D O COMO ÚNICA ARMA S UA

P R Ó P R I A

HUMANIDADE.

PRIMEIRA PÁGINA Às vezes, os mortais repetem erros, mas quando isso acontece com deuses é algo digno de se pensar... Há muito tempo contado do que é agora, chegava-se à era da renovação. Os Espíritos que se elevaram já não podiam ser contidos no mundo. Assim, o Grande Senhor da Luz decidiu partir com os Espíritos. Era a era do perdão também. Com isso, decidiuse deixar, na administração do mundo, Mitrax, o Caído. Dessa maneira, libertou-o e disse: “Não mais se apiede dos homens, se não quiser reincidir na ruína”. E, naquele dia, partiu do mundo em naus luminosas, seguido por trinta mil milhões de emanações elevadas. Mas antes disso, o Senhor repartiu a Luz em forma de cristais, entregando cada um aos jovens espíritos que agora chegavam em menor número. Aos gnomos, foi entregue o cristal laranja, aos elfos, o verde, e às ondinas e salamandras, o azul e vermelho, respectivamente. Aos magos, os únicos espíritos elevados que ainda permaneceram, deixou o cristal amarelo, destinado aos homens, mas que a eles não deveria ser entregue. E, finalmente, a Mitrax, o Príncipe dos Homens, o cristal negro, para que ele e seu séquito fossem os regentes do mundo dos mortos. Muitas eras se passaram depois disso, enquanto os homens primitivos se rastejavam na lama em seu ressurgimento no mundo. Foi então que Mitrax cometeu o mesmo erro pela segunda vez: apiedou-se dos homens, pois eles morriam aos montes, acometidos por doenças e atacados pelas feras terríveis que agora habitavam as planícies, os mares e as montanhas. Então, o Príncipe dos Homens os ensinou novamente. A humanidade progrediu rápido na ciência das ervas medicinais, mas também na arte da guerra, pois aos homens foi ensinado a construir máquinas para que se defendessem das feras. E assim Mitrax novamente se esqueceu das palavras do Senhor da Luz e desejou não mais apenas ser o condutor dos mortos, mas

4 Gênero Ficção/Fantasia


PRIMEIRA PÁGINA Rafaela atravessou o pátio gramado da universidade a passos largos, com o rosto avermelhado pela corrida de sua sala até o portão de saída. Sua irmã já devia estar à sua espera há mais ou menos meia hora, e do jeito que Fabi era inquieta, devia estar praguejando pelo seu atraso. Não reparou nos últimos degraus da pequena escadinha que dava acesso ao estacionamento, e pensando estar dando o último passo se desequilibrou quando ainda faltavam dois degraus. Seus cadernos e livros caíram de suas mãos espalhando-se por todos os lados. Um grupo de meninas que assistiu a cena toda, não se controlou e caiu na gargalhada. Rafa teve vontade de fazer um gesto obsceno mostrando o dedo médio, mas se conteve, afinal, ninguém tinha culpa se sua vida era um saco e se havia um motorista ridículo esperando por ela e sua irmã todos os dias no estacionamento da universidade. Entrou na parte traseira do veículo preto e bateu a porta com um estrondo. - Ei, ei, ei... Quem devia estar bravinha era eu e não você. Por que demorou tanto? - Fabi perguntou, soltando os cabelos que já estavam longos e precisando de um corte urgente. - Atrasei-me tentando convencer um professor idiota a... Ah deixa para lá... Fabi começou a rir sem parar, aliás, ela estivera segurando o riso há bastante tempo, considerando a forma como era impulsiva e debochada. - Eu vi quando você quase se estatelou no chão. Estava com o pensamento em que lugar? - Pare de rir, não tem a menor graça... Mas, você já vai saber onde estava meu pensamento.

PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

MODO,

A HORA DA

V E R D A D E A P R E S E N TA

AO

L E I T O R

A S

AV E N T U R E I R A S IRMÃS DONNELLY. P RO CURAND O D E S V E N D A R SEGREDOS QUE SEU PA I G UA R DAVA A SETE

C H AV ES

ACABAM PARANDO NA PEQUENA BELLA C I U D A D ,

N A

FRONTEIRA COM O URUGUAI ONDE O ENCONTRO COM OS BELOS IRMÃOS DA FAMÍLIA MARTINS IRÃO ABALAR SUAS CONVICÇÕES.

5 Gênero Romance YA


PUBLICADO EM 2012 PELA EDITORA APED, A

MENINA

VIOLI NO

E

O

É UMA

HISTÓRIA QUE SE PASSA NA DÉCADA DE 30 E COM UMA N A R R A T I V A D E L I C A D A

E

O T I M I S TA , N O S CONTA A HISTÓRIA DA PEQUENA DIRCE Q UE EM MEIO À DESVENTURA NOS ENSINA COMO O AMOR À FAMILIA E À MÚSICA PODEM MUDAR A VIDA DE UMA PESSOA. VENHA SE EMOCIONAR COM O MUNDO SENSÍVEL DE A MENINA E O VIOLINO!

PRIMEIRA PÁGINA Fazia frio naquela manhã de outono, quando pouco a pouco o despertar acontecia embalado por suave melodia. Ainda com seus olhinhos preguiçosos a pequena menina frágil e delicada ia se desvencilhando das cobertas que a protegiam do frio da manhã. Era sábado, e seus aguçados ouvidos captavam, a doce melodia que vinha da extremidade do quarto em que dormira. Sentado em uma cadeira, empunhando de forma majestosa seu velho violino , ela podia observar a sombra esguia de seu pai, tocando aquele instrumento como se sua própria alma se esvaísse pelas finas cordas, emanando uma mistura de alegria e angústia, através de sua música, algumas vezes entrecortada pelo som incômodo de uma tosse insistente e perturbadora que lhe acometia já a algum tempo. Como era bom escutar seu pai tocar, pensava ela, ainda relutante em levantar-se para evitar que ele parasse seu pequeno concerto, afinal, ele acontecia apenas aos fins de semana, quando seu pai não estava no trabalho e dispunha de maior tempo para realizar uma das poucas coisas que realmente tinha prazer em fazer, além de ficar com sua família, tocar seu violino. Com o instrumento apoiado em seu ombro, bem próximo ao seu queixo, ele deixava o arco deslizar de forma suave, produzindo belas melodias, não que ele houvesse se preparado com aulas de música ou coisa parecida, mas a habilidade de aprender apenas ouvindo era um dom que ele sabia muito bem usufruir, “tocar de ouvido”, era assim que ele em sua simplicidade, justificava a qualidade musical que possuía...

6 Gênero Romance


PRIMEIRA PÁGINA O porão da Casa Sacerdotal do Município estava cheia de carteiras escolares formando uma meia lua em frente a grande mesa de escritório onde Valmir mexia em alguns papéis enquanto coçava o queixo e passava os dedos sobre a barba quase branca que dava um formato pontudo ao seu rosto magro e esperto. Assobiava muito baixo alguma coisa e continuava o que estava fazendo. Se prestava atenção aos papéis era impossível saber. Parecia inquieto. Seus lábios se moviam escondidos sob o a mata de pelos brancos e pretos. Movimento visível apenas, pelo leve vai e vem do bigode que cobria a boca. Na certa fazia algum cálculo complicado. Anotava alguma coisa no papel e em seguida, com a mão direita, segurava os dedos da esquerda um a um da maneira que as crianças fazem contas. Olhou as pontas enrugadas das mãos e as unhas muito grandes. Assobiou um, pouco mais, deu um suspiro de terras, daqueles que colocam no chão depois de um grande esforço mental. Olhou para frente surpreso e sorriu aquele sorriso de Papai Noel sabido ao notar que Hugo estava parado perto da porta aparentemente interessado em sua figura. Hugo conheceu Valmir logo que mudou para aquele bairro. Suas conversas não eram muito frequentes, mas o outro sempre o convidava pra assistir às reuniões de uma organização de apoio e tratamento de viciados e alcoólatras como era seu caso. Hugo sempre prometia que ia na próxima semana, mas é claro que era só por educação e mais claro ainda que Valmir tinha certeza disso por experiência própria, quando dava um sorriso de quem conhecia tudo do assunto. Mas continuava insistindo na necessidade do outro comparecer às reuniões e fazer parte do grupo. Ele próprio era um exemplo da força de vontade e do controle sobre si mesmo.

PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

PROTEXTO, A OUTRA BA N DA D O R O C K REUNE CONTOS PARA AQUELES QUE AMAM A MÚSICA, O ROCK E A V I DA . CO M U M A ESCRITA SINCERA E IRÔNICA, O AUTOR VAI REVELANDO,

A

CADA HISTÓRIA, AS CONTRADIÇÕES HUMANAS QUE SE FAZEM PRESENTES E M

N O S S O

C O T I D I A N O , INFLUENCIANDO NOSSA VI DA DE FORMA V

E

M U I TA S Z

E

S

IMPERCEPTÍVEL.

7 Gênero Contos/Música


PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

MODO, A PRINCESA COM OLHOS DE GATO NOS LEVA PARA RÚBIA, O ULT IMO REI N O LI G A D O À MAGIA

ANTIGA

EN Q UA N TO P O R TODA A EUROPA A I G REJA I M P ERAVA L A N ÇA N D O

O

MUNDO MEDIEVAL NA ERA DAS TREVAS. PARA DESESPERO DO REI , S UA Ú N I CA H E R D E I R A ,

A

PRINCESA LOIANE, SE ENCONTRA VÍTIMA DE UMA MALDIÇÃO QUE AFASTA TODOS OS PRETENDENTES À COROA!

PRIMEIRA PÁGINA Abner chegou à cidade de Algabar numa bela tarde de março. Ultrapassou os muros de pedra e parou bem próximo aos primeiros casebres, em um local elevado, permitindo que a paisagem urbana lhe inundasse os olhos. Ao mergulhar no mar, o sol tingia o céu com um tom escarlate, fornecendo a moldura perfeita para o dia que morria. O cheiro salgado do oceano ia aos poucos se mesclando aos odorores típicos da urbe. Os esgotos a céu aberto convivendo, lado a lado, com as delícias do mercado. Mesmo com essa miscelânea de aromas não sendo muito agradável, era nela que o jovem encontrava uma prova irrefutável da grandeza da cidade de Algabar. Por este motivo, sentiu-se feliz ao constatar que, após enfrentar por tanto tempo os improvisos que sua jornada exigira, estava novamente junto à civilização. Podia sentir o suor de seu corpo confundindo-se com o do animal que montava. Refletiu por alguns instantes e concluiu que seria prudente se refazer da longa viagem antes de levar adiante seu intento. Guiou o cavalo pela rua principal, indo em direção à praça central onde acontecia o mercado. Chegando lá, misturou-se à multidão agitada com o término do dia. Observou os passantes: um cavaleiro e seu escudeiro magricela, uma viúva trajando o véu de luto, um frade franciscano montado em uma mula, dois comerciantes italianos (possivelmente pai e filho, tendo em vista sua semelhança física) e inúmeros camponeses, funileiros, mendigos, crianças e cães. Mais afastado, um leproso carregava em um dos braços deformados, um cajado e uma cesta, anunciando sua chegada com um chocalho. O rapaz se afastou da turba e esperou que o primeiro

8 Gênero Fantasia Medieval


PRIMEIRA PÁGINA Quando ela nasceu, Hulda a segurou nos braços. Uma menina de pulmões fortes, ela pensou. Um gemido que vinha do leito, a fez voltar à atenção para a rainha que agonizava após o difícil parto. - Hulda... - ela sussurrou com dificuldade. - Deixe-me ver o meu filho... Hulda abaixou a criança até os braços sem forças da mãe. - É uma menina, senhora - ela disse. - Uma futura rainha. Cirene, a rainha de Salema, cidade principal da terra de Hedhen, beijou a filha e pôs a mão sobre a cabecinha, ainda desprovida de cabelos. - Ela será uma rainha, sim... Uma rainha mais justa do que fui. A criança começou a chorar e Hulda passou-a para os braços da parteira que a levou para um quarto adjacente. Cirene pegou a mão de Hulda. - Preciso lhe falar antes que a vida me deixe... Hulda sentou-se. - Estou pronta para ouvir e a obedecer, minha rainha. - Não deixe que minha filha seja criada por Atalia. Minha irmã cultua uma deusa cruel e quer reviver antigas conquistas de tempos que não devem voltar mais. Deborah deve ser uma esperança de novos tempos. Há muitos anos, não nasce uma rainha de linhagem pura. - Não sei como fazer isso aqui no palácio, senhora. Atalia não suporta a minha presença e ela será a regente até que sua filha se torne adulta. - Então, você deve tirar Deborah daqui.

PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

MODO, A PROFECIA DE HEDHEN É UMA S A G A

Q U E

ACO M PA N H A

A

HISTÓRIA DE TRÊS PERSONAGENS LI G A D O S EM S E U DESTINO POR UMA ANTIGA PROFECIA. SERÁ QUE ESSAS TRÊS P E S S O A S , PORTADORAS DOS PODEROSOS SINAIS, TERIAM FORÇAS PARA LUTAR CONTRA O MAL E TRAZER DE VOLTA A SABEDORIA, JUSTIÇA E PAZ DOS DIAS ANTIGOS? ACOMPANHE ESSA TRAMA E DESCUBRA!

9 Gênero Fantasia


´

PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

PROTEXTO, ABAIXO DO CÉU NARRA A HISTÓRIA DE VAVÁ, U M

H O M E M

ENTEDIADO COM A R O T I N A

N O

CASAMENTO. ATEU, ENFRENTA MUITAS DIFICULDADES PARA LIDAR

COM

A

ESPOSA RELIGIOSA. AS

COISAS

SE

TORNAM AI NDA MAIS COMPLICADAS QUANDO O FILHO ANUNCIA

QUE

DESEJA SE TORNAR U M S AC ERD O T E ! UMA

HISTÓRIA

SOBRE ESCOLHAS E CONSEQUÊNCIAS.

PRIMEIRA PÁGINA Eram dez horas da manhã de um domingo nublado e o corpo de cristo já era distribuído aos fiéis através da hóstia sagrada. Aquela era a missa mais bonita do ano, pois era tempo de páscoa e a igreja estava enfeitada com presépio, flores e a pouco tempo atrás uma pequena reforma foi feita no altar. O padre falava de ressurreição e falava que todo aquele que crê em Deus terá a vida eterna. O verdadeiro cristão é aquele que pratica os ensinamentos do Pai Celestial. Deus estava acima das coisas desse mundo, para nos aproximarmos dele espiritualmente deveríamos nos arrepender de todos os nossos pecados. Amarmos ao próximo assim como Jesus nos amou. Laura escutava cada palavra com enorme prazer, pois era católica fervorosa e nunca deixava de ir a igreja. Ela e o marido Vavá estavam casados há quase três décadas e tinham um filho jovem que era seminarista e ajudava o padre na celebração das missas e com pequenos afazeres. O nome dele era Jaime e desde pequeno sempre se interessou por religião. Jaime era filho único e sempre foi um exemplo de bondade. Rapaz estudioso, obediente, educado e com tantas outras qualidades era considerado o tipo de filho que toda mãe queria ter. Ou pelo menos quase toda já que a vida em família estava com os dias contados, pois muito em breve ele seria um sacerdote. Naquela missa ele estava ao lado do seu grande mestre e amigo de longa data o Padre Carlos. A missa estava caminhando para o fim e ele orientava com o sermão do dia. E saber que seu único filho tinha uma vocação religiosa verdadeira era para Laura o maior orgulho de sua vida. O pai por outro lado desejava que o filho tivesse seguido outro

10 Gênero Romance/Religião


PRIMEIRA PÁGINA Cíntia passeava pela calçada, observando o comércio local de Florianópolis. Com apenas vinte anos, a garota chamava atenção por onde passava, com seus cabelos ruivos encaracolados e compridos, olhos amendoados, estatura mediana, um corpo bem definido e bronzeado, realçado por um vestido estampado justo. Naquele dia acordou bem cedo e foi para a academia, onde fez sua aula de luta corporal. Esse tipo de atividade a deixava disposta e ajudava a manter sua boa forma física. Andava despreocupada e feliz, pois já havia cumprido a sua obrigação mensal, que era depositar dinheiro na conta de uma pessoa que cuidava de sua irmã menor, Jéssica, de apenas catorze anos. Ela não morava em Florianópolis e a última vez que a vira, tinha nove anos. Depois de fazer algumas compras com o cartão de crédito que seu “namorado” lhe dera, resolveu voltar para o apartamento. Desde que conheceu Walter sua vida mudou radicalmente. Sabia que ele era casado e que seus negócios eram ilegais, mas ele lhe deu um bom apartamento para morar e joias. Graças a ele, não precisava mais trabalhar, nem se preocupar com dinheiro. Foi muito fácil se acostumar com essa vida confortável. Chegou ao prédio e ao descer do elevador, ouviu uma discussão. Ao andar no corredor, viu que dois homens falavam alto, pareciam discutir. Chegando mais perto, reconheceu a voz de seu namorado Walter e de seu melhor amigo, Carlos. Pegou as chaves e ia abrir a porta para tentar acalmá-los, quando ouviu um grito de dor. Entrou no apartamento, assustada demais com a terrível cena que era testemunha. Deixou todos os pacotes caírem no chão,

PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

MODO, ADQS É UMA OBRA CRIADA PARA LEITORES

QUE

G O S TA M

D E

ADRENALINA. AÇÃO E

AV E N T U R A

ACOMPANHAM CÍNTIA QUE APÓS F UGIR

DE

UM

P E R I G O S O RELACIONAMENTO ACABA SE VENDO OBRIGADA A FAZER PA R T E

DE

UMA

ORGANIZAÇÃO SECRETA E A VIVER UM

ROMANCE

PROIBIDO. ARME-SE DE CORAGEM E MERGULHE NAS PÁGINAS DE ADQS!

11 Gênero Ação/Aventura


PRIMEIRA PÁGINA

Deixa a Chuva Cair PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

MODO, ALMA NUA R E T R ATA

O S

C A M I N H O S PERCORRIDOS ENTRE O AMOR PELA AMADA E A LUTA PELA SOBREVIVENCIA

DA

ALMA

AT R AV É S

DOS

VERSOS DE UM POETA SONHADOR QUE NOS BRINDA COM PALAVRAS DE SINGELA BELEZA, C H E I A S

D E

SENTIMENTOS E E S P E R A N Ç A . ACOMPANHE UMA VISÃO SENSÍVEL DE

Deixa a chuva cair Vamos rodopiar; rir; beijar... Deixa-a cair sobre nós Molhando-nos... A água vinda do céu Somos crianças brincando... Vamos namorar debaixo d’água Deixa a chuva cair... Lentamente... Vamos nos amar recebendo essa água Vinda do firmamento Brinquedo das nuvens... Amando; corpos molhados... Água do céu não adoece Cura... Abençoa... Eterniza...

M U N D O AT RAV ÉS D ES S A D ELI CA DA POESIA.

12 Gênero Poesia


PRIMEIRA PÁGINA Victoria andava apressada rumo à banca de jornais. Era comum haver anúncios de trabalho nessas mídias e poderia estar ali, sua chance de encontrar uma ocupação. Para sua surpresa, havia um único exemplar e rapidamente ela foi pegá-lo. Quando sua mão tocou o papel, seguidamente uma mão masculina também o fez. - Me desculpe, mas preciso deste. – Falou ela olhando a pessoa que também segurava o jornal. – O homem a observou de cima a baixo, deixando-a constrangida. - Quanto quer por ele? – Perguntou sério. – Preciso de um artigo que está aqui. - Sinto muito, mas eu o peguei primeiro. - Eu preciso deste jornal. – Respondeu ele calmo. - O que o faz pensar que você precise mais do que eu? – Também procuro algo. – Ela não tinha a menor intenção de dizer a um completo estranho que procurava uma vaga de emprego. - Moça! Acredito que sua necessidade seja menor que a minha e poderá encontrar outro mais a frente. – Falou ele olhando-a novamente como fizera antes. -Pode ser para o senhor, mas não é para mim, e como peguei primeiro, ele será meu e ponto final. – Victoria não deixaria por menos a falta de respeito com que fora tratada. Ele não sabia nada sobre ela, como poderia pensar que era mais merecedor? - Se esta e sua resposta final, não há o que eu possa fazer. – O homem cumprimentou rapidamente o vendedor e saiu, deixando Victoria ainda furiosa. - Me desculpe o ocorrido. – Falou ela quando fez o pagamento e seguiu pelo caminho aposto. Levando as mãos à boca para tentar abafar um grito.

LIVRO

PUBLICADO EM 2013 PELA EDITORA APED, AMOR, INDECISO AMOR

CO N TA A

H I S TÓ RI A VICTORIA,

D E UMA

MULHER QUE APÓS CONSEGUIR UMA OPORTUNIDADE DE OURO E ESTREAR COMO MODELO EM UM ANÚNCIO, ACABA CONHECENDO E SE APAIXONANDO PELO D I S TA N T E

E

INDIFERENTE E M P R E S Á R I O R I C A R D O . CONSEGUIRIA VICTORIA QUEBRAR A PAREDE DE GELO QUE SE COLOCAVA ENTRE ELES?

13 Gênero Romance Contemporâneo


LIVRO

PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

MODO,

AMOR

INVERTIDO É UMA OBRA QUE CONTA A HISTÓRIA DE DIEGO, U M

J O V E M

U N I V E R S I TÁ R I O RECÉM CHEGADO À C I DA D E D E S ÃO PAULO QUE, DE UMA F

O

R

M

A

INEXPLICÁVEL PARA ALGUÉM QUE ATÉ ENTÃO SÓ HAVIA SE RELACIONADO COM MULHERES, COMEÇA A

S E

S E N T I R

AT RAÍ D O

POR

VINÍCIUS

QUE

PA R E C E

E S TA R

NAMORAND O SUA IRMÃ!

PRIMEIRA PÁGINA O porteiro conferiu o RG, procurou por meu nome em uma lista e estendeu a chave. Agradeci e puxei a minha mala até o hall de entrada. O elevador se abriu e uma senhora desceu com um garotinho gordo me jogando um cumprimento polido. Entrei e apertei o décimo andar. Já no corredor de piso branco girei a chave e invadi o apartamento. Deixei a mala no meio da sala de estar e peguei o bilhete que tinha sobre a mesinha: “Desculpa Didi, acabaram me escalando. Pode ir se alojando que eu devo voltar na segunda. Beijos.” Ainda me lembrava da ligação que havia recebido de Juliete. Não deu para entender muito mais do que: “a chave vai ficar com o porteiro”; pois a ligação estava péssima. Desabei cansado no sofá estirando as pernas sobre o encosto. Tirei os tênis com os pés. O apartamento era confortável, porém com um ar meio abandonado. Imagino que uma vez que Juliete era uma aeromoça não devia ficar muito tempo entre aquelas paredes e talvez, por isso, elas ainda não tivessem adquirido muito da personalidade da dona. Um miado baixo chamou minha atenção. Uma gata cinza de pelo curto se aproximou de minha mão que estava caída ao lado do sofá. Fiz-lhe um afago na cabeça. - Como vai Tia? Cheguei. Veio dar as boas vindas? Ela deu um miado baixo, mas logo se desinteressou e se afastou. Sentindo sede me levantei e fui até a cozinha. Abri a geladeira e constatei meio decepcionado que tirando um pacote de molho de tomate, uma caixa de leite e uma bebida láctea, ela estava completamente vazia. Não era algo muito espantoso de fato. Juliete sempre

14 Gênero Romance Homoerótico


PRIMEIRA PÁGINA Raziel estava pensando consigo mesmo o que estava fazendo ali. Não se lembrava de nada. Tudo o que podia ver era uma praça, com crianças brincando na caixa de areia e nos vastos brinquedos que circundavam e povoavam a mesma. Elas pareciam se divertir muito. Raziel sentia saudades de quando podia se divertir dessa forma, sem preocupações. Via também amigos e casais sentados nos bancos conversando amigavelmente. Ouvia o canto dos pássaros a preencher o lugar de melodia e o som dos poucos carros a passarem pela avenida principal. A noite acabara de chegar, na verdade o crepúsculo ainda banhava os céus e o baixo movimento não era comum para um dia de semana naquele lugar. Raziel olhou para si mesmo e pôde ver que estava com o seu velho All Star nos pés, sua mochila nos ombros, e ouvia músicas através do seu MP4, estava ouvindo Ramones. Era como se estivesse indo a algum lugar ou desistindo de algo, a cabeça vazia e confusa ao mesmo tempo. Estava perdido. Por se sentir meio tonto, resolveu se sentar. Deu alguns passos e se sentou em um banco desocupado próximo ao ponto de ônibus. Estava com sua velha calça jeans surrada e desbotada e uma camisa negra de malha fina que gostava muito; vestia ainda uma camisa social de malha, aberta, da cor cinza e seu inseparável boné negro ocultando os cabelos curtos e desgrenhados. Pele morena, de médio porte. Tinha como uma de suas características marcantes a perspicácia, e tentou fazer uso dela para entender o que estava acontecendo. Não se lembrava de nada anterior ao momento em que se viu adentrando a praça. “Parece um surto, que estranho”, pensou consigo

PUBLICADO EM 2011 PELA

EDITORA

BARAÚNA,

ARCANO

D E S P E R TA R N O S APRESENTA RAZIEL, UM JOVEM QUE DESCOBRE

AOS

POUCOS TER UMA HABILIDADE MUITO E S P E C I A L :

A

C A PA C I D A D E D E VIAJAR PELO MUNDO D OS

SONHOS.

GRAÇAS A ISSO ELE SE TORNA CAPAZ DE REENCONTRAR ENTES QUERIDOS E TA M B É M

D E

PROTEGER

SUA

A M A D A .

N O

ENTANTO, ELE NÃO E S TAVA S O Z I N H O N E S T E

N O V O

MUNDO....

15 Gênero Aventura/Fantasia


PRIMEIRA PÁGINA

Leite de pedra

PUBLICADO EM 2011 PELA

EDITORA

Poesia É assim uma espécie de escultura Retirar da pedra à força bruta A vida que na pedra se mistura

BOOKESS, ARTE CRUA INTEGRA TÉCNICA E SENTIMENTO. POR V E Z E S

M A I S

SENTIMENTO DO QUE

(Na poesia entretanto Fabricar a pedra É coisa que cabe ao próprio poeta)

TÉCNICA,

ATRIBUINDO PELE E SANGUE À MODERNA TECNOGRAFIA FRIA. COM O INTUITO DE INCENTIVAR O LADO P O S I T I VO

DA

R E V O L U Ç Ã O DIGITAL, O LIVRO NAMORA CORES E FORMAS

TOCANDO

A ALMA DO LEITOR INSUFLANDO ESPERANÇA DE MUNDO

A UM

AUTO-

SUSTENTÁVEL.

16 Gênero Poesia


´ PRIMEIRA PÁGINA A Ilha dos Profetas era um lugar calmo e tranqüilo, quase paradisíaco. A cidadela crescera em volta do Monastério, local onde os profetas faziam seus estudos, já que se compunha de um enorme acervo de escritos antigos. Todos aqueles que desenvolviam dons de visão eram enviados para lá, desde a época dos Primeiros Tronos. Por um tempo, quando a Terra de Hedhen ainda era assolada por Atalia e pela força maligna de Babilos, aquela Ilha tornou-se abandonada e em ruínas. Mas, com a restauração dos Tronos, ela voltou a renascer. Hulda e Miriam, duas profetisas que participaram diretamente da batalha, tomaram para si a tarefa de administrar uma escola de profetas a partir dali. Hulda sentia-se realizada com a nova função, mas contava sempre os dias para a Festa da Celebração, que substituíra a antiga Festa do Solstício. Era uma festa em que todos se reuniam na Cidade Dourada, antigamente conhecida como Salema, para relembrar com alegria a vitória dos Luminares, e o início de uma era de luz e justiça. Significava também a sua oportunidade de rever Deborah e Jael, suas filhas de coração e adoção. Vê-las fortes, belas, com os filhos e os maridos, era uma realização que superava qualquer outra já almejada por Hulda, principalmente depois de toda a luta que foi feita para que aqueles dias fossem reais. O dia tão esperado aproximavase. Ela e Miriam faziam os preparativos para deixar tudo em ordem na Ilha. Pessoas responsáveis se encarregariam da administração na ausência delas. No momento, entretanto, elas aproveitavam a vista do mar, caminhando pelo cais e sentindo a brisa quente nos cabelos. Falavam sobre suas expectativas para a Décima Celebração e sorriam

LIVRO

APOS O SUCESSO DE A PROFECIA

DE

H ED H EN ,

A S

ÁRVORES SAGRADAS D E

N O D

D Ã O

C O N T I N UA Ç Ã O À S A G A .

C O M

LANÇAMENTO PREVISTO PARA 2013 PELA

EDITORA

MODO, AQUI TEMOS O SURGIMENTO DE UMA NOVA PROFECIA QUE PÕE EM RICO A T ERRA D E PA R A

N O D.

L E VA R

A

SALVAÇÃO ATRAVÉS D O

M A R ,

O S

P O R TA D O R E D O S SINAIS DAS ÁRVORES DEVEM SE PREPARAR P A R A S U A N O VA MISSAO.

17 Gênero Fantasia


´ PRIMEIRA PÁGINA

As Lágrimas dos Anjos PUBLICADO EM 2010 PELA

EDITORA

WORLDARTFRIENDS,

Eu estava no quintal da minha casa E percebi que algo estranho acontecia; O céu estava limpo, Sem nuvens mas chovia.

AS LÁGRIMAS DOS ANJOS E OS VERSOS D O

A M O R

MERGULHA

NO

MUNDO SENSÍVEL DA A U T O R A

Q U E

As gotas caíam de leve, Suaves tocavam o chão, Me ajoelhei num instante breve E naquela água encostei a minha mão.

CO M PA RT I LH A PAIXÃO, AMOR, ÓDIO, D O R , D E C EP ÇÃO, CORRUPÇAO, MORTE E

SOLIDÃO

V E R S O S

EM

Eram gotas tão cristalinas Que deixaram minhas mãos muito limpas, Eu quase chorei naquele dia.

Q U E

U LT R A P A S S A M A SOLIDÃO HUMANA E NOS LEVAM PARA UMA DESCRIÇÃO DO MUNDO SOB A ÓTICA

Sem explicação para esse fenômeno Que já aconteceu há muitos anos, Descobri que não era chuva E sim as lágrimas dos anjos.

DE UMA POETA QUE TRANSFORMA SUA SOLIDÃO EM VERSOS. PRECIOSOS.

18 Gênero Poesia


PRIMEIRA PÁGINA Nas margens daquele riacho, pousava ali tão linda árvore, cuja campina inteira a rodeava de sutileza e suas silvestres flores campais pareciam que corriam para vê-la. Simples, mas, muito atraente, onde seus imãs atraiam até os meteiros animais e o caminheiro, então, debruçava sua preguiça toda chegava a sonhar em sua sombra! - Que delícia!!! Mal sabiam os que a rodeavam, que o seu pensamento estava pra outros lugares. Como a rainha dos botânicos ou que a mais atraia, ser bela em praça pública de um lindo jardim numa grande cidade. Mas, a chuva daquele dia a tarde, tão forte era a tempestade que suas entranhas raízes foram arrancadas do solo e jogada toda rio abaixo. Triste destino, todos ali nunca mais viram falar dela. Em seu lugar ficaram somente plantas daninhas. Porém, antes da tempestade, aquele pássaro que pousara ali, em um de seus ramais, levou consigo a semente para a outra margem do riacho, que, num descuido deixoua cair e também não mais a viu. Passado tempos, a semente cresceu. Aí toda história, e, com que força ela nos depara... A seguir...

- LEIA DEVAGAR E COM ATENÇÃO; - LÊ CO O CORAÇÃO; SE ENTRAR DENTRO DA HISTÓRIA!!! - NUNCA MAIS SAIRÁ!!! SAUDAÇÕES À TODOS, QUE LÊEM ESTE ROMANCE

PUBLICADO EM 2010 PELA AAM EDITORA, AUSÊNCIA DE DNA C O N TA

A

EMOCIONANTE H I S TÓ RI A D E U M G A R O T O

Q U E

CRESCEU EM UMA CASA DE CARIDADES CUJO MAIOR SONHO É ENCONTRAR SEUS PAIS VERDADEIROS. FÃ DE FUTEBOL E C H E I O

D E

ESPERANÇAS PARA O FUTURO ELE PARTE EM BUSCA DE UMA MISSÃO

QUASE

I M P O S S Í V E L : RECONSTRUIR UMA F A M Í L I A

E

REENCONT RAR A FELICIDADE.

19 Gênero Romance


PUBLICADO EM 2011 PELA

EDITORA

BARAÚNA,

BRUMAS

ESCUSAS NOS TRÁS A H I S TÓ RI A

D E

ALESSANDRO QUE APÓS

TER

SEU

MUNDO PERFEITO VIRADO DE CABEÇA P A R A

B A I X O

ESCOLHE COMO L O C A L

D E

RECOMEÇO UMA CASA

ISOLADA. LÁ,

ACONTECIMENTOS I N I M AG I NÁV EI S E OBSCUROS REVELAM O D ES P ERTAR D E ALGO MALIGNO E NÃO HÁ O U T RA ESPERANÇA PARA OS ENVOLVIDOS ALÉM DO CONFRONTO.

PRIMEIRA PÁGINA Alessandro e sua família estavam de viagem marcada, finalmente seu novo livro estava finalizado e ele estava indo até a editora mostrar pessoalmente o que julgava ser sua obra de arte, o melhor trabalho que já havia criado. Um livro épico. Uma estória medieval digna de contos antigos. Para esse trabalho, Alessandro havia encomendado até mesmo mapas cartográficos com os estudantes de uma universidade local para definir escalas de viagens mais realistas, concebeu personagens únicos e criou não só uma história, mas a base de um universo, um mundo e sua cultura. Com a companhia da sua esposa e sua filha, ele sabia que tinha atingido o seu auge e sua plenitude. Estava muito ansioso para ter a reunião com o seu editor, definir o planejamento do lançamento da obra e como seria feita a sua divulgação. Para ele, era algo até mesmo tangente sonhar com uma adaptação para o cinema, caso o livro caísse nas mãos certas. Alessandro possuía a pele parda, corpo mediano, por volta dos oitenta quilos com o porte semiatlético, cabelos curtos e encaracolados, quase um metro e oitenta de altura, seus olhos eram quase negros e penetrantes, o que era uma das suas principais marcas juntamente com a sua capacidade de desafiar o seu destino, algo que ele havia feito reescrevendo a sua própria história. Estava com trinta e quatro anos. Lorena, sua esposa, era linda, pele alva, bem clara, cabelos longos e lisos chegando até a metade das costas, loira, porte físico perfeito, um corpo bem desenhado e torneado, olhos claros, ora azuis, ora dourados. Lorena estava com vinte e sete anos, havia sido mãe com vinte e dois. Alessandro se apaixonou por ela pouco tempo depois

20 Gênero Suspense/Terror


^ PRIMEIRA PÁGINA - Não posso aceitar esse tipo de ajuda! - Falava Amanda para si mesma. Como ela iria explicar ao seu filho e sua família, que iria se casar com Antônio somente para destruir as esperanças de Breno, de voltarem a viver juntos. Seu filho, embora acostumado com a ausência do pai, jamais entenderia uma situação dessas com seus cinco anos de idade. - O que devo fazer? - Perguntou-se. Preciso apagar qualquer possibilidade de voltar a viver com ele. Não voltaria jamais a viver com um homem em quem não poderia confiar novamente, não resistira nem mesmo por seu pequeno filho. Não depois do que Amanda viu. Pensamentos dolorosos, porém já superados, vieram à cabeça de Amanda. Naquele dia ela e o filho, forma à casa dos sogros visitá-los. Quando chegaram os sogros não estavam em casa, mas Amanda viu o carro do marido na garagem dos fundos e foi procurá-lo pela casa. Procuraram por ele na parte inferior da casa, mas não o encontraram. Curiosa pelo sumiço do marido, Amanda foi procurar na parte superior onde ficavam os quartos. Estava tudo em silêncio, mas ele teria de estar lá, Breno não deixaria de ir com seu carro nem na esquina. Amanda então foi procurá-lo no quarto onde ele dormia quando solteiro. Ao abrir a porta ela viu seu marido na cama, transando com outra mulher. A surpresa foi tanta que ela ficou paralisada por alguns segundos absorvendo aquela notícia. Ela não queria acreditar no que via, era doloroso ver que o homem ao qual tanto dedicara e amava a traia descaradamente na casa dos pais. Ao vê-la ele ficou parado sem expressar nenhuma reação eo que

LIVRO

PUBLICADO EM 2012 PELA EDITORA LPBOOKS, CASAMENTO P O R A PA R Ê N C I A S CONTA A HISTÓRIA DE AMANDA QUE, AMEAÇADA PELO EXM A R I D O

E

P RO CURAND O PROTEGER

SEU

FILHO DE APENAS C I N CO

A N O S,

DECIDE ENTRAR EM UM CASAMENTO DE APARÊNCIAS COM ANTÔNIO. O PLANO PA R E C I A E S TA R DANDO CERTO ATÉ Q U E

A M A N DA

PERCEBEU QUE SEU CORAÇÃO

NÃO

ESTAVA TÃO MORTO QUANTO PENSAVA...

21 Gênero Romance Contemporâneo


PUBLICADO EM 2010 PELA

EDITORA

REFLEXÃO,

CHAMA

IMORTAL TRATA DE U M

A S S U N T O

FASCINANTE: PODE O AMOR ENTRE DUAS P E S S OA S E

T

E

R

N

S E R O

ACO M PA N H E

? A

ESTÓRIA DO CASAL NIVAR E LOHANNA E D ES C U B RA N ES TA B E L A AV E N T U R A , C H E I A

D E

ROMANTISMO, ENCANTO E MAGIA QUE O VERDADEIRO A M O R

P O D E

U LT R A PA S S A R O S LIMITES DO TEMPO E D O E S PAÇO E S E TORNAR IMORTAL.

PRIMEIRA PÁGINA Nossa estória começa no ano 2.223 a.C. Uma grandiosa época em que os grandes guerreiros lutavam por suas próprias vidas e pelas vidas dos habitantes de suas terras, travando grandes batalhas e deixando para trás muitos de seus compatriotas, que caiam a cada golpe de espada. Uma era manchada de sangue e lágrimas, pois muitos perderam seus filhos e suas belas filhas para a fria e silenciosa sepultura, pois suas vidas eram ceifadas em campos de batalha. Suas cidades eram invadidas e queimadas e suas filhas eram arrastadas para longe do seio de suas famílias e nunca mais eram vistas. As estrelas do firmamento eram testemunhas silenciosas das grandes batalhas travadas nos desertos e nos campos. A lua escondia sua face diante de violentas guerras e o sol era manchado pelas gotas de sangue daqueles que eram derrubados ao solo e cujas vidas eram arrancadas desse mundo, sendo enviados para aquela esfera eterna. Era uma época em que os homens se curvavam diante dos deuses e se inclinavam perante seus templos e lugares sagrados. Uma época em que os homens sacrificavam vidas humanas para agradar seus poderosos deuses, pois temiam que a ira deles caísse sobre suas cidades e os aniquilasse para sempre. Era uma época repleta de superstições, lendas e crenças, pois acreditavam que suas vidas eram controladas segundo a vontade de seus deuses. Acreditavam que a vontade deles deveria ser satisfeita ou suas maldições cairiam sobre suas aldeias e clãs e suas vidas seriam massacradas por catástrofes, doenças ou seriam aniquilados pelas mãos de seus inimigos. Uma era dolorosa, onde as batalhas mais sangrentas foram travadas à céu aberto e muitas vidas foram

22 Gênero Romance


PRIMEIRA PÁGINA Peggy Saint-Mont havia sido adotada há dois anos e, desde então, nunca mais tinha sentido falta de alguém para chamar de irmão. Sua nova família era numerosa. Seus novos pais Doris e Henry Melbourne tinham sete filhos: Teo e Ted eram os gêmeos mais velhos, com dezesseis anos; depois, vinha outro par de gêmeos, Tim e Tom, com quinze anos. Pam era a seguinte com quatorze, Lis tinha treze, e depois havia uma pausa de cinco anos (nos dias de tédio, os filhos se divertiam especulando o que teria acontecido naqueles anos para os pais não terem procriado o filho anual) e vinha o caçula, Bobby, de oito anos. Peggy tinha quatorze anos como Pam, e havia se entrosado perfeitamente com eles desde o primeiro dia. Eram uma turma unida e no geral bem humorada. Todos estavam acostumados a trabalhar em equipe no Cisne, um belíssimo veleiro solar a que chamavam orgulhosamente de nossa casa. O nível de turbulência a bordo variava conforme o estado de ânimos da jovem tripulação, e no momento estava alto. Muito alto! Todos os irmãos, exceto Bobby, haviam feito exames de ingresso para uma escola muito especial, a Escola Avançada de Champ-Bleux, que formava os melhores cientistas da Terra. No próximo porto receberiam as respostas de Champ-Bleux e, há alguns dias, parecia não haver um minuto de sossego disponível no Cisne. A cada instante aparecia um surto de implicâncias em algum lugar. Peggy estava dando uma geral no biolab e chegou a se encolher quando lá fora começou algo que Tim, na certa, ia chamar de cantar. Mostrava que ele tinha excelente pulmão, ótima goela, e uma capacidade fantástica de desafinar onde

PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

DRACAENA,

CISNE

A P R E S E N TA

AO

LEITOR A FAMÍLIA MELBOURNE. OS PAIS, DORIS E HENRY SÃO C I E N T I S T A S FORMADOS POR CHAMP-BLEUX. A PA R EN T EM EN T E , SÃO

BIOLOGOS

M A R I N H O S . A PA R EN T EM EN T E , SUAS

VIDAS

SE

CENTRAM NO CISNE, BARCO DE PESQUISAS ONDE MORAM COM OS T A

FILHOS. M

B

É

M

E ,

A PA R EN T EM EN T E , SÃO TERRÁQUEOS...

23 Gênero Fantasia Juvenil


~

PUBLICADO EM 2011 PELA

EDITORA

IXTLAN, CONFUSÕES EM PARIS RELATA AS AV E N T U R A S

DE

PAT R Í C I A . Q U E M NUNCA SONHOU EM PARTIR PARA UMA VIAGEM NA EUROPA? ESPECIALMENTE UMA VIAGEM LONGE DOS PAIS JUNTO DOS AMIGOS? E PATRÍCIA TINHA MUITOS! O ÚNICO PROBLEMA É QUE COM NOVE AMIGOS SE UNINDO PA RA

J U N TA R

PATRÍCIA E RICARDO NA ROMÂNTICA PA RI S, Q UA LQ U ER C O I S A

P O D E

ACONTECER!

PRIMEIRA PÁGINA Como foi que isso tudo aconteceu mesmo? Eu nem ao menos entendi como meus pais concordaram em me dar dois dias de folga da escola. Eu sei que já tenho idade suficiente para perder aulas... Ter dezessete anos hoje em dia não é nada fácil, mas perder aula? Que graça tem ficar em casa se não posso nem entrar na internet? Alguém me explique como eu fui me meter nessa encrenca toda? Por que eu fiz isso? - Não nos olhe com essa cara Paty. Você concordou! – disse Gabriela me olhando entediada. Gabriela é uma grande amiga minha, uma linda mulata, magra, cabelo encaracolado, porém é uma das minhas sequestradoras. Como não vou olhar para ela assim? Tudo deve ser culpa da Gabi. Ela que é amiga dos garotos! Essa carinha de anjo dela não me engana! - Por que não para de pensar em como aceitou e tenta se divertir um pouco? – me perguntou o César mais entediado que a própria Gabi. César é um dos meus melhores amigos também, e como eu só tenho amigos lindos... César tem uma pele bem clara, acho que é mais clara que a minha. Olhos mel, e cabelos lisos. Como vou me divertir estando a caminho dos piores quatro dias da minha vida? Em quatro dias vão acontecer às piores coisas da minha vida. Acho que vou me matar! - Se pensar em se matar ruiva, sugiro que faça isso antes de chegarmos. – me disse o Jonas com aquele sorriso maroto

24 Gênero Comédia Romântica Juvenil


~ PRIMEIRA PÁGINA A cidade era maravilhosa, mas o sol quente logo cedo estava longe de ser maravilhoso. A não ser que fosse um belo sábado, para curtir uma praia. A semana estava se iniciando. Era segunda-feira e o despertador, que tocava a música “Irreplaceable”, da Beyoncé, anunciava que o dia estava começando. Eram seis e meia da manhã e Beatrice não tinha tempo para curtir nenhuma preguiçinha na cama. Com seu marido viajando a trabalho, a semana seria ainda mais puxada. A primeira parada era o quarto de Mirela, que, como de costume, precisava de um tempo para despertar. Beijou a filha e foi para cozinha preparar o café da menina. Fez um misto e um copo de leite e, quando se virou, a filha já estava na mesa do café, preparada para a natação. “Milagres acontecem”, pensou. Ligou a televisão para assistir o jornal matinal e foi para seu quarto, se preparar. Banho tomado e a mesma indecisão de todas as manhãs na frente do closet. O marido já havia lhe falado: “se não tivesse tantas opções, ficaria mais fácil escolher”. Ele era um ótimo comediante.

PUBLICADO EM 2013 PELA EDITORA NOVO SÉCULO,

DECISÕES

ACOMPANHA A VIDA DE QUATRO AMIGAS: A

A N I M A D A

BEATRICE, SEMPRE SOFISTICADA

E

ELEGANTE; A FORTE MARIA, ENVOLVIDA CO M U M H O M EM CASADO; A PERFEITA B E AT R I C E , Q U E M A N T É M

U M

CASAMENTO DE A PA R Ê N C I A S E A OCUPADA MARCELA QUE

ALÉM

DA

AGENDA CHEIA TEM DE LIDAR COM UM COMPORTAMENTO S U S P EI TO

D O

MARIDO.

25 Gênero Romance


PRIMEIRA PÁGINA

O Perfume dos teus Sorrisos PUBLICADO EM 2011 PELA

EDITORA

WORLDARTFRIENDS, D O O U T RO LAD O DOS SONHOS O PERFUME DOS TEUS SORRISOS

NOS

B R I N D A

C O M

POESIAS QUE FALAM DE AMOR E SOLIDÃO E FAZEM

O LEITOR

V I A J A R

N A S

F A N TA S I A S M A I S I N T E N S A S INCRÍVEIS

E

QUE

ALGUÉM JÁ PODE IMAGI NAR .

UM

MUNDO DAS MAIS S A G R A D A S DESCOBERTAS

TE

AGUARDA EM CADA SÍLABA

Eu te peço perdão Por te amar de repente, Embora o meu amor Seja uma velha canção nos teus ouvidos Das horas que passei A sonhar com teus gestos Bebendo em tua boca O perfume dos teus sorrisos, Das noites em que vivi acalentada Pela graça indivisível dos teus abraços!

D E S TA

Eternamente trago a doçura Dos que aceitam a melancolia carente, É, posso dizer que o exaspero que te deixou Não traz o exaspero das lágrimas, Nem a fascinação das promessas! As misteriosas palavras do véu da alma É um sossego, uma unção, Um transbordamento de carícias

PRECIOSA OBRA.

26 Gênero Poesia


PRIMEIRA PÁGINA Graziela abriu o portão daquela imensa casa abandonada. Disseram que era mal-assombrada, que a alma da jovem que fora assassinada ali ainda permanecia vagando pela casa. Mas Graziela conhecera muito bem àquela jovem e todos os integrantes daquela casa, e sabia que nenhum deles faria mal a ninguém, nenhum deles assustaria ninguém. Também não acreditava em fantasmas, espíritos ou quaisquer destas coisas. Isso tudo não passava de tolas crendices populares, pensava ela. E ainda que na mais remota hipótese admitisse a existência de fantasmas, tinha certeza que não faziam mal a ninguém. O ser vivo, sim, é capaz de tudo. Em passos lentos percorreu o quintal onde outrora existia um maravilhoso jardim. Já fazia mais de oito anos que estivera ali, no entanto, as lembranças de tudo o que ali vivera, sobretudo de sua infância, ainda eram muito fortes. E por um momento teve a impressão de ver a si mesma com aproximadamente sete anos de idade, brincando de correcotia com o irmãozinho Caio, apenas dois anos mais novo, e mais alguns amiguinhos da vizinhança... Todos estavam sentados no chão, em forma de círculo, e, enquanto Caio andava do lado de fora do círculo com um lenço vermelho na mão, ela e as outras crianças cantavam: - Corre-cotia na casa da tia. Corre cipó na casa da avó. Lencinho na mão, caiu no chão. Moça bonita do meu coração. - Pode jogar? - perguntou o menino, quando a música terminou. - Pode, sim - responderam todos juntos. - Ninguém vai olhar? − Não!

PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

GIOSTRI,

DOCE

PERSEGUIÇÃO A C O M P A N H A GRAZIELA EM SUA B U S C A

P O R

VINGANÇA,

APÓS

T E R

A

I R M Ã

V I O L E N TA M E N T E ASSASSINADA. ARMADA DO FIRME PROPÓSITO

DE

FAZER JUSTIÇA, ELA, P O R É M ,

N Ã O

C O N TAVA C O M A TRAIÇÃO

DOS

P R Ó P R I O S SENTIMENTOS, QUE A

FIZERAM

SE

A PA I XO N A R P EL O PRINCIPAL SUSPEITO DO CRIME!

27 Gênero Romance


LANÇADO PELA EDITORA MODO EM 2013,

E LI X I R D E

V Ê N U S

N O S

A P R E S E N TA U M A REALIDADE ONDE UM DOS MAIORES D E S E J O S

D A

SINOPSE

HUMANIDADE, C O N T R O L A R PLENAMENTE A L I B I D O

D A S

MULHERES,

É

DESCOBERTO.

NO

ENTANTO,

CRIMES

MIST ERIOSOS EN VO LV EN D O JOVENS MULHERES C O M E Ç A M

A

O C O R R E R R EV EL A N D O U M A V E R D A D E SURPREENDENTE!

PRIMEIRA PÁGINA A tênue claridade substituía ainda tímida, a pesada escuridão de mais uma noite insone, fazendo as primeiras luzes do alvorecer cintilarem nas gotas de lágrima que rolavam do belo rosto. Na penumbra do quarto, Carla desistiu de tentar afastar os pensamentos funestos que insistiam em impedi-la de dormir, e saindo debaixo dos lençóis dirigiu-se para a varanda. Abriu as portas e permitiu que o ar frio bailasse pelas bem torneadas curvas de seu corpo nu. Olhando para a enorme cidade de São Paulo que, alheia às suas angústias, se preparava para mais um amanhecer, repassou as intermináveis horas de mais esta noite insone, com as mesmas imagens voltando a reverberar em sua mente. A expressão de incredulidade estampada no rosto de seu namorado, depois da tão esperada primeira noite juntos. A desolação dele após as inúmeras tentativas de levá-la ao orgasmo. A fisionomia impassivelmente profissional do ginecologista ao explicar-lhe que ela não tinha nenhuma patologia capaz de explicar sua frigidez. Ela, saindo do consultório, ainda não acreditando que aquilo fosse verdade. As imagens seguintes lembravam um filme acelerado e sem nitidez. O inevitável fim do namoro, afinal, o problema poderia ser com ele e não com ela, dizia para si mesma. As tentativas com homens mais experientes, mais exóticos, mais violentos ou mais carinhosos foram todas igualmente frustrantes. A seguir, vieram os anos de luta contra a progressiva depressão em que mergulhava a cada nova decepção. Suas

28 Gênero Romance Policial


PRIMEIRA PÁGINA O problema não é o lugar, sou eu. Sempre vou me sentir deslocada, um peixe fora d'água, onde quer eu estiver. Costumo andar para me aliviar dessa sensação de aprisionamento. Começo a dar alguns passos e vejo algo que me faz parar. Onde deveria ter uma praça repleta de casais se beijando e crianças brincando, duas coisas que me incomodam, encontra-se uma mansão imponente, que mais parece um castelo. Provavelmente estou sonhando e isso me impele a seguir em frente, a entrar no lugar desconhecido; o sonho é meu faço o que me interessar. Como ela é estranha! Possui um jardim cheio de flores que, independente da linhagem, eram todas vermelhas. A única coisa que parecia ter vida naquele lugar eram as flores; a casa parecia abandonada em seu estilo medieval, mas, por mais que parecesse abandonada, não perdia o seu encanto. Sinto como se não estivesse sozinha, mas não presto muita atenção, sempre me sinto assim. A sensação se intensifica a cada passo que dou rumo à casa, quando chego à porta, ela se abre. Isso não me impressiona, afinal não estou sonhando? Alguém me espera ao pé da escada, não é só alguém, é ele, aquele que povoa meus sonhos e ilusões. Neste momento tive certeza que estava sonhando. Ele me olhava com os olhos mais negros que já vi. Eu estava hipnotizada e não via mais a casa, apenas seu rosto sério a me encarar. Ele enxergava o que eu não queria mostrar: meus sentimentos,

P U B LI CA D O P EL A ED I T O R A G A RC I A EDIZIONI EM 2012, ENCONTRO

NA

N O I T E R EL ATA A H I S TÓ RI A D E U M CASAL INUSITADO. ROSE, UMA JOVEM

SINOPSE

ATORMENTADA POR SUAS INSEGURANÇAS E ALESSANDER, UM VAMPIRO QUE POR ALGUM MOTIVO TEM COM

A

JOVEM

M O R TA L U M EL O QUE O FAZ CAPAZ DE C O M PA R T I L H A R SEUS SENTIMENTOS. T E N TA N D O LIVRAR

SE

DESTE

T O R M E N T O , ALESSANDER

A

MORDE, PORÉM...

29 Gênero Romance/Vampiro


PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICADO EM PELA EDITORA NOVO S É C U L O EM 2 0 1 2 , E N T R E

D O I S

MUNDOS TEMOS ALÍCIA MARTELLI, UMA MULHER QUE TEM

SUA

VIDA

T R A N Q U I L A P RO F U N DA M EN T E T RANSFORMADA APÓS UM TERRÍVEL ACI DENT E Q UE A LEVOU PARA A BEIRA DA MORTE E QUE AGORA AMEAÇA LEVÁ-LA À LOUCURA J U N T O

C O M

LEMBRANÇAS DE UM MUNDO PARALELO E VISITAS DE NOAH, UM MISTERIOSO ANJO DA MORTE.

Acordei em uma cama de hospital. Consegui ouvir os aparelhos que faziam um som agudo. Abri os olhos, no entanto, não conseguia enxergar direito. Os meus olhos estavam embaraçados como se eu tivesse ficado com eles fechados por dias, sem ver a luz do sol. Então as lembranças voltam como flashes em minha cabeça. Eu não entendia muito. Lembrava-me de que estava dentro do carro e, de repente, vi os faróis de outro carro bem na minha frente; depois, não consegui lembrar-me de mais nada, somente da terrível colisão. Comecei chorar em desespero na cama, e os aparelhos começaram a apitar freneticamente. Duas enfermeiras entraram, e eu não podia ver os rostos, somente vultos. Ouvi quando uma delas falou: ―Por favor, se acalme! Nós vamos ajudá-la. ― Onde estou e por quê? ―Você está em um hospital, acabou de acordar de um coma. ― Coma? ― Sim! Agora acalme-se. ― Onde estão os meus pais? ― Já ligamos para eles. Devem chegar em alguns minutos. ― Por quanto tempo fiquei em coma? ― Quarenta e um dias. ― Meu Deus, tudo isso? ― Sim. Agora que acordou, acredito que você não tenha ficado com nenhuma sequela, o que é um grande milagre. Nesse momento meus pais entraram chorando e me abraçaram. Em toda minha vida, eu nunca desejei tanto um abraço deles. Minha mãe agradecia a Deus por eu ter voltado á vida, e meu pai, apenas acariciava os meus

30 Gênero Romance Sobrenatural


~ PRIMEIRA PÁGINA

O avião aterrissou depois de algumas horas de voo. Não consegui relaxar nem um minuto. Para falar a verdade, estava morrendo de medo de desembarcar. Fechei os olhos e pedi para que Deus me protegesse. O que mais poderia fazer? Não havia ninguém a minha espera, pois eu não avisara. Todos achavam que eu só voltaria com Raul daqui a duas semanas. Mas, para minha surpresa, Maísa me aguardava o desembarque. Ela deu um lindo sorriso e abriu os braços para mim. Aninhei-me naquele abraço forte, sentindo-me um pouco melhor. Maísa era muito parecida com Raul, tinha os mesmo olhos verdes e o sorriso até parecia igual. ― Como foi o voo? perguntou-me. ―Tudo bem. Que bom encontra-la aqui! eu estava realmente feliz em vê-la. ― Raul ligou e pediu que viesse buscá-la. ― Ele sempre pensa em tudo! ―Não, Raul só pensa em você! corrigiu-me, apertandome contra o corpo. ― Não é verdade, ele a ama muito. ― Eu sei disso, mas de forma diferente. ― Ele é um doce. ― Porque não foi com Raul para a Europa? Maísa me perguntou, de forma direta. ―Meus pais não ficaram muito felizes quando souberam que eu faltaria na faculdade quase um mês, então não quis arrumar problemas. expliquei. ― Está verta. Ele sabe se cuidar sozinho.

PUBLICADO EM PELA EDITORA MODO EM 2013,

ENTRE DOIS

M

N

U

D

O

S

:

R E V E L A Ç Õ E S C O N T I N U A ACOMPANHANDO AS E S T R A N H A S EXP ERI ÊNCIAS DE ALÍCIA QUE E S TÁ

AINDA

S E N D O

ATORMENTADA POR NOAH, UM ANJO DA MORTE. DESTA VEZ, SUA TÃO DESEJADA E TRANQUILA VIDA AO LADO DE RAUL É INTERROMPIDA POR UMA JORNADA QUE É OBRIGADA A FAZER AO LADO DAQUELA FIGURA TENEBROSA.

31

Gênero Romance Sobrenatural

Ligia miraglia


ENTRE QUATRO PAREDES PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICADO EM PELA E

D

I

T

O

R

A

MULTIFOCO EM 2012, E N T R E Q UAT R O PA R E D E S LE VA O LEITOR AO MUNDO S EN S Í V EL

DA

AUTORA QUE

NA

ÉPOCA DA AUTORIA DESTA OBRA ESTAVA P RESA ENT RE AS QUATRO PAREDES DE S E U

Q UA RTO,

IMPOSSIBILITADA DE ANDAR DEVIDO A UM

Um dia, há muito tempo atrás, eu estava em meu quarto, entre as quatro paredes do meu quarto, pensando na possibilidade de sair e não podia. Estava presa por uma lesão medular. Naquele momento pensei nas diversas prisões que impomos a nós mesmos. Prisões mentais que não existem realmente, mas que são criadas em nossa mente e só nos atrapalham a viver de forma feliz. Foi aí que nasceu a ideia deste livro. Sozinha entre as paredes do meu quarto, pensando, sem poder me mover, cheguei à seguinte conclusão: Por que, Senhor, quando andamos temos tantos problemas se temos a capacidade de sairmos do lugar? Parece tão simples. Se alguém que não gostamos aparece, podemos sair. Se uma cadeira não está confortável, levantamos e procuramos outra. Enfim, se tem algo que nos desagrada, podemos ir ao encontro do agradável. Mas não é assim que funciona. Será meu Deus, que temos que passar sempre por problemas para aprender? O bom seria se pelo menos aprendêssemos.

ACIDENTE QUE LHE T I R O U

O S

MOVIMENTOS DAS PERNAS. VISITE ESTA OBRA E DESCUBRA QUE A VIDA VALE MUITO A PENA.

32 Gênero Romance


PRIMEIRA PÁGINA

A vida se mostrava muito dura para Satati, há muito tempo que não conseguia trabalho devido ao seu precário estado de saúde, já não possuía nem migalhas em sua dispensa de comida. Morava em um casebre escondido em meio a escassa vegetação, só o pessoal da região tinha conhecimento de que ela preparava elixir para o amor, fazia rezas e xaropes para cura. O pouco que conseguia, para seu sustento e o da filha, era ofertado pelas pessoas que a procuravam agradecidas pelos bons resultados alcançados. Satati se encontrava deitada em seu leito, muito fragilizada e maltratada pela doença, aparentando muito mais idade do que realmente tinha. - Mãe, eu cheguei disse Naia, abrindo a porta e já avistando a mãe de tão pequeno que era o casebre. Apesar de todas as dificuldades, Naia apresentava grande vivacidade. - Conseguiu alguma coisa? - Pouco, foi difícil. Tinha pouco dinheiro... Apareceu alguém? - Não, ninguém. Se pelo menos tivéssemos alguns debem* para amanhã, mas todos sumiram. - As pessoas sumiram, porque isso tudo é besteira. Do que adiantam rezas, elixir, remédios e sacrifícios? Enquanto os abastados fazem sacrifícios aos deuses, os pobres passam fome! - Para que tanta descrença Naia, tanta revolta? Acreditar faz a diferença. Se não tivermos fé que as coisas podem mudar, como vai ser o nosso futuro? Não falo mais por minha causa, pois meu tempo está acabando. * Moeda utilizada no Antigo Egito

PUBLICADO EM PELA EDITORA MODO EM 2013,

FA S C Í N I O

EGÍPCIO ATRAVESSA AS AREIAS DO TEMPO E M ER G U LH A N A C U LT U R A

N O

ANTIGO EGITO PARA NOS TRAZER

A

HISTÓRIA DE NAIA, UMA JOVEM CUJA REALIDADE POBRE E S I M P LES T O R N O U CÉTICA A RESPEITO DA MAGIA ANTIGA E CUJO

DESTINO

RESERVOU MUITAS P R O VAÇ Õ E S SURPRESAS

E AO

COLOCÁ-LA FRENTE A FRENTE COM ZEQ, O FUTURO FARAÓ DO EGITO!

33 Gênero Romance Adulto


´ ´

PUBLICADO EM PELA E

D

I

T

O

R

A

MULTIFOCO EM 2011, FELICIDADE

SE

CONSTRÓI EM DOSES HOMEOPÁTICAS NOS DÁ PISTAS DE COMO ALCANÇAR A TÃO D E S E J A D A FELICI DADE.

EM

MEIO A TRAIÇÕES, DOENÇAS, VÍCIOS E Q U E S T Õ E S

PRIMEIRA PÁGINA Noite escura. O vento sussurra em meus ouvidos, e ao longe uma luz brilhante vem vindo em minha direção, estou com medo! Não sei o que fazer... Sinto muito medo, socorro! Em vão, ninguém me escuta. Não há uma viva alma nesse lugar! Meu suor está frio, medo do que pode ser, ah! Ah! Por fim a luz chegou perdo te mim, quase cega os meus olhos e não consigo distinguir o que é ou quem era, só sei que senti a minha mãe me sacudindo e gritando: acorda! Ah! Graças a Deus era só um pesadelo, voltei à realidade. - Carlinhos, acorda! Por que você grita tanto? Chega de dormir, já está na hora de ir para o trablaho! Vai chegar tarde ao emprego e você não pode ficar desempregado! Trabalho o dia todo para te ajudar a pagar as contas do mês e se você ficar desempregado como vai ser? - Nossa, quanto lamento! Não se preocupe, não vou perder o emprego, o Jaime é meu chapa e ele sabe que esse serviço é só um bico. Logo estarei trabalhando naquilo que me propus durante toda a minha vida.

A M B I E N TA I S ACOMPANHE A VIDA DA AMBICIOSA JÚLIA NUM CONTURBADO T R I Â N G U L O AMOROSO ONDE AS ARMADI LHAS D O D E S T I N O

S E

TRANSFORMAM EM UMA

PRECIOSA

LIÇÃO DE VIDA!

34 Gênero Romance/Auto Ajuda


´ PRIMEIRA PÁGINA

Ela tinha Londres inteira só para ela. Quem mais consegue dizer isso? Algumas pessoas podem imaginar que sua vida era desafortunada, mas Sophie não se via assim. Ela gostava de viver daquela maneira, havia se acostumado a isso. Ela não conhecia outra vida, então não havia muito com o que sonhar. Sophie considerava-se a pessoa mais rápida que existia, já que ela conseguia dar a volta ao mundo em apenas poucos segundos. Pelo menos em seu pequeno mundo. Não havia muito que fazer em seu minúsculo ambiente de convívio, mas ela tentava se ocupar com diferentes coisas para que a rotina não a deixasse entediada. Não se sabe como isso aconteceu ou mesmo os motivos. Pode não haver muita lógica nisso, mas o fato é que Sophie morava em um pequeno globo de neve, daqueles que as pessoas compram nas lojas de souvenires como recordação de alguma cidade por onde passaram. Não é dos maiores lugares para se morar, mas ela se divertia em seu pequeno mundinho. Como é possível imaginar pelo pouco que já foi dito, seu globo foi uma lembrança que sua "dona" comprou em uma viagem feita a Londres. Ele continha o prédio do parlamento com a torre do sino Big Ben, a Abadia de Westminster e a Trafalgar Square, com a ponte Tower Bridge separando esses locais. Havia ainda uma reprodução da London Eye, a imensa roda gigante que, na Londres real, fica ao lado do rio Tâmisa. O globo de Sophie estava localizado sobre uma pequena mesa de centro na sala de um pequeno, mas luxuoso apartamento. Tecnicamente pode-se dizer que

PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

AGBOOK,

EM

HENDECÁGONO T E M O S

U M A

SURPREENDENTE C O L E TÂ N E A D E CONTOS. CADA HISTÓRIA RETRATA U M

A S P E C T O

DIFERENTE

DA

S O L I D Ã O , FORMANDO

AO

FINAL UMA IMAGEM C O M P L E X A

A

RESPEITO DESTE S E N T I M E N T O CLASSIFICADO POR M U I T O S CO M O O “MAL DO SÉCULO”. DECIFRE UM POUCO MAIS DA NATUREZA H U M A N A N E S TA FASCINANTE OBRA!

35 Gênero Contos


´ PRIMEIRA PÁGINA

LIVRO

PUBLICADO EM PELA EDI TORA CH IAD O EM 2013,

HERDEIRO

DA NÉVOA NARRA A E S T R A N H A AV EN T U R A

DE

INÁCIO QUE APÓS C H E G A R À PA R I S PARA REALIZAR SEU SONHO DE SER UM ADVOGADO SE VÊ ENVOLVIDO EM UMA TRAMA ONDE TEM S UA I D E N T I DA D E TROCADA PELO DE OU TRA PESSOA: O FAMOSO HERDEIRO DA MI LIONÁRIA FAMILIA ROUX! ATÉ Q UA N D O

E L E

Por quem você venderia a sua alma? Tal indagação me soaria estranha até há pouco tempo. Eu certamente julgaria a resposta óbvia demais: filhos, amores, pais... uma leva de entes queridos por quem o faríamos facilmente. Jamais pensei que a escolha pudesse ser feita para salvar a vida de um inimigo... Muitos anos se passaram. Estou sentado na cadeira dura do meu escritório, num luxuoso hotel no centro de Paris, diante da minha velha máquina de escrever. ‘François Roux - Advogado’ é o dizer entalhado na antiga placa de madeira, por mim pendurada cuidadosamente diante da porta da suíte. Ainda sinto orgulho deste nome e deste título, embora há muito tempo não receba nenhum cliente nem tenha mais energia ou vontade de atender algum. Observo as gotas de chuva que escorrem pela vidraça em minha frente, lentas, juntando-se umas às outras. Penso que as palavras sairão de minha mente como essas gotas de chuva, com tamanha profundidade e ao mesmo tempo com uma transparência suficientemente cristalina, tal que se possa ver através delas. Aperto os olhos, tentando vencer as sombras da tempestade que se derrama sobre a cidade. Lá embaixo, um vulto se move, correndo pela rua alagada em direção ao meu prédio. Levanto-me rápido, precisamente a tempo de definir a silhueta da mulher sob o guarda-chuva; o mesmo belo demônio que me enfeitiçou.

C O N S E G U I R Á MANTER

ESSA

MENTIRA?

36 Gênero Suspense


´

~

PRIMEIRA PÁGINA Brianna, moça séria, calada e desagrupada, muito simples, não tinha amigos na escola. Com osseus poucos dezessete anos ela sentia dentro de si uma angústia e solidão inexplicáveis. Era um vazio sem sentido, ou talvez esse sentido fosse apenas existencial. E por esse sentimento que a razão é incapaz de explicar, Brianna era uma garota incompreendida pelas pessoas ao seu redor. Nos primeiros anos de sua adolescência chegaram a lhe sugerir, os amigos de seus pais, um psiquiatra. Ela era filha única, o que aumentava ainda mais sua condição solitária. E ela pensava consigo mesmo: “Ninguém mais nesse mundo pode ser diferente que já é chamado de louco!”. Mas bem no fundo de sua consciência a opinião dos outros não lhe servia pra nada. A vida não poderia ter sido mais irônica e cruel com essa moça. Algo que mudaria a vida dela para sempre estava prestes a acontecer. Sábado à tarde Brianna estava sozinha em casa, apenas na companhia de sua empregada, seus queridos pais haviam feito uma rápida viagem de fim de semana à casa de sua tia Susan, no estado vizinho. Bom, ela não iria nessa viagem com os pais porque, como já fora dito, não era dada ao convívio com as pessoas, nem mesmo seus familiares. De repente o telefone tocou. Cristina, a empregada, atendeu, e a notícia não poderia ser pior.

PUBLICADO EM 2012 PELA EDITORA ALL PRINT,

HISTÓRIAS

DO AMANHÃ

- AS

CIDADES SUBMERSAS A P R E S E N TA S E I S CONTOS QUE FALAM SOBRE O FUTURO. A VI DA NA T ERRA N U N C A F O I TÃ O DESAFIADORA QUANTO AGORA. O FUTURO CHEGOU E É P RECISO

Q UE

DECIDAMOS O QUE FA R EM O S CO M O MUNDO DAQUI EM DIANTE. EMBARQUE N E S TA R EF LE XÃO SOBRE A EXISTÊNCIA E ENTENDA PORQUE O FUTURO DA VIDA H UMANA É ALGO IMPREVISÍVEL!

37 Gênero Ficção Científica /Contos


´


PRIMEIRA PÁGINA

600 A.C Eu nasci, saí daquela quentura para a frieza da escuridão... A escuridão que seria meu lar por uma vida inteira... Uma vida que era eterna. Eu e minha irmã... Não era maior do que ela, apenas eu vi primeiro os borrões, tão complicados e anuviados para meus olhos. Tão estranho quanto sentir a presença dela do meu lado por tanto tempo, e agora o vazio. Era injusto, mas nada, nada acontece por acaso. Eu ia aprender isso quando aqueles borrões se tornassem mais nítidos e conhecesse minha verdadeira natureza... Uma imortal. Nada de banhos de sol e roupinhas fresquinhas, mas a companhia de mamãe e papai era uma constante, acho que disso eu não posso reclamar. Nisso, os imortais são muito parecidos com os humanos; ao menos meus pais eram assim. E havia ainda um rapaz de intensos olhos amarelados e cabelos ruivos que me pegava no colo, mas do qual eu sempre arrumava um jeito de sair com um choro agudo... É, aquilo dava certo. Afinal, gêmeas nunca são calmas, principalmente numa família como a nossa... Onde nós duas nascemos rompendo tabus. Tabus... Sempre há vários quando você está na camada de cima da pirâmide. E nós estávamos lá, ao lado dos Ernöyi... Na sombra deles, talvez seja mais correto. Minha mãe era uma Ernöyi, mas imortais, como nós, tendem a se unir entre irmãos para manter a hegemonia do sangue e poder. Minha mãe não foi uma exceção à regra, acho que tenho muito dela em mim, além do sangue dos Ernöyi, é claro. Sangue Real. O sangue dos reis que ela honrou, como

PUBLICADO EM SUA 2 ª ED I ÇÃO P ELA EDITORA MODO EM 2014,

IMMORTALES

N O S A P R E S E N TA ELISE, A PRIMEIRA FILHA DA CASA DOS FEJÉRYS,

UMA

PRINCESA VAMPIRA Q UE APÓS VIVER SÉCULOS AO LADO DE SEU AMADO TAMBÉM IMORTAL SE VÊ MERGULHADA EM U M

M U N D O

CORROMPIDO ONDE A P E N A S

A

CO N F I A N ÇA S ERÁ CA PA Z D E FA Z ER C O M

Q U E

U M

ACORDO MILENAR COM OS HUMANOS EVITE O CAOS.

39 Gênero Romance Sobrenatural


LIVRO

PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

BIBLIOTECA

24

HORAS, INSTITUIÇÃO PA R A

J OV EN S

PRODÍGIOS CONTA A HISTÓRIA DE LARA, UMA ADOLESCENTE Q U E

S A I

D O

SUBÚRBIO CARIOCA PARA ESTUDAR EM U M A REN O M A DA INSTITUIÇÃO QUE F I C A

N A

I NGLAT ERRA! PORQUE SERÁ QUE AS PESSOAS PARECEM AGIR COMO SE A CONHECESSEM? E S TA R I A

LARA

PRIMEIRA PÁGINA O relógio gritava enlouquecidamente enquanto Lara tentava, às cegas, desligá-lo. Eram apenas seis horas da manhã de uma sexta-feira. Mas era a sexta-feira. Ao se lembrar disso enquanto o silêncio reinava novamente no quarto, a garota estremeceu. Nada mais fazia sentido e isso a irritava muito. Espreguiçou-se na cama sentindo um desconforto no estômago e virou a cabeça em direção à colega de quarto que ainda dormia e, infelizmente, roncava. Lara, então, saiu debaixo das grossas cobertas cor-derosa silenciosamente, para não acordar Irene, e calçou a pantufa. Caminhou lentamente até a janela do quarto e olhou para a paisagem do lado de fora. O tempo estava diferente. O sol aparecia timidamente por detrás das lindas colinas verdes e logo cobriria todo o jardim com luz. As colinas pareciam cada dia mais verdes e vivas. Não havia nuvens no céu. Uma brisa gelada entrou pela janela entreaberta e Lara esfregou os braços tentando segurar outro estremecimento. Um ronco tirou-a de seus pensamentos, fazendo-a virar e encarar a amiga. Logo as coisas se explicariam e ela poderia contar tudo para Irene. Não haveria mais segredos nem mentiras. Antes disso, entretanto, Lara precisava tomar uma decisão. Uma decisão mudaria tudo dali para a frente.

F I CA N D O LO U CA ? POMBOS NÃO FALAM. FALAM?

40 Gênero Fantasia/Aventura Juvenil


Linhagens PRIMEIRA PÁGINA

Peggy tamborilava com os dedos na amurada da proa, encarando o mar e o horizonte. Lá adiante estava o arquipélago rochoso onde o Cisne deveria atualizar dados sobre a colônia de focas, recolher informações do equipamento instalado e analisar as condições ambientais. Era pura rotina, que no ano anterior havia sido cumprida em menos de quatro horas. Este ano, podiam se esquecer das quatro horas. Os sentidos mentais de Peggy, num zumbido indefinido e inquietante, avisavam de problemas à frente. Problemas... e morte! – Ei, se está no faz nada, me ajuda aqui, Peggy! – chamou Lis, com diversos kits de laboratório nas mãos. – Fico por aqui. Lis parou imediatamente. – Tudo ok com você? – Por quê? – Você está esquisita. – É, pode ser – concordou Peggy, os olhos ainda presos na linha onde mar e céu se encontravam. Lis largou os kits de laboratório dentro do balde mais próximo e se instalou ao lado de Peggy, também encarando o mar. – Mar interessante – observou Lis. – Cheio de água, ondas, golfinhos e tudo o mais. – Balde não é lugar de kit de laboratório. – Proa não é lugar de irmã com cara esquisita, ainda mais se a tal irmã já pulou bem daqui uma vez. Não sei como a sua cara estava antes daquela vez. – Eu não vou pular.

P U B LI CA D O P EL A EDITORA LETRA IMPRESSA EM 2013, EM

LINHAGENS

T E M O S

A

CONTINUAÇÃO DE CISNE, ONDE A FAMÍLIA MELBORNE, MAIS UMA VEZ, TEM D E P ROVA R

S UA

C A PA C I D A D E D E R E S O L V E R PROBLEMAS. LAÇOS SE

E S T R E I TA M ,

C O N F L I T O S I R R O M P E M , SEGREDOS

SE

REVELAM.CADA DECISÃO TOMADA P O D E

G E R A R

CONSEQUÊNCIAS QUE AFETARÃO O UNIVERSO INTEIRO!

41 Gênero Fantasia Juvenil


P U B LI CA D O P EL A EDITORA MODO EM 2013,

MEDO DO

ESCURO NOS LEVA PARA UM MUNDO DE S U S P E N S E

E

MISTÉRIO ONDE O S O B R E N AT U R A L R I VA LI Z A C O M A I NCRED ULI DADE H

U M A N A ,

MOST RAND O Q UE NEM TUDO O QUE DESACREDITAMOS É OBRA DE NOSSA IMAGINAÇÃO. P R E N D A

A

RESPIRAÇÃOE A PAVO R E - S E P O I S E S C A P A R

D A

ES C U RI DÃO P O D E SER IMPOSSÍVEL...

PRIMEIRA PÁGINA Não tenho certeza do que escrevo. Na verdade, demorei a acreditar em tudo que meus olhos pensaram ter visto, se é que acreditei. Nem sempre o que vemos pode ser tomado como real. Minha falecida esposa (que Deus a tenha!) me chamava de sonhador. Em momentos de ócio, minha mente flutuava, criando histórias que, provavelmente, eu não viveria. Naquela idade, aposentado, não havia muita coisa para fazer. Minha principal diversão era imaginar situações de perigo que eu poderia ter vivido, mas nunca tive coragem. Era uma calma manhã de 16 de janeiro de 1985, quando minha sobrinha Adriana, então com oito anos de idade, acordou com os olhos ardendo e inchados de tanto chorar. Seus pais haviam viajado, de modo que fiquei tomando conta dela durante alguns poucos dias. Minha sobrinha aproximou-se de mim, cozinha adentro, e segurou minha mão. Passava os braços finos e curtos pelo rosto. Fitava-me com aqueles mesmos olhinhos que outrora foram tão vivos e alegres. Naquele momento estavam tristes e assustados. Tanto que fiquei preocupado ao vê-la. Senti que havia algo errado. Era de meu costume não levar crianças a sério. Não que eu desacreditasse o que diziam, mas era hábito infantil contar mentiras. Eu mesmo, quando criança, gostava de inventar histórias, a fim de assustar meus pais e irmãos. Coisa de criança que quer chamar a atenção. Nada mais. Pensei ser esse o caso de Adriana. Perguntei o que havia acontecido. Ela, com a voz tímida, murmurou algumas coisas estranhas que, de início, não consegui entender.

42 Gênero Suspense/Terror/Sobrenatural


PRIMEIRA PÁGINA

O período mais difícil da minha vida aconteceu quando meu marido foi diagnosticado com um câncer extremamente agressivo. As dificuldades foram inúmeras e sobre aquela via sacra eu poderia escrever um livro. Mas aqui quero falar de um específico dilema que me afligiu logo no início de tudo: quando ele foi diagnosticado, já tínhamos dois filhos e eu estava grávida de seis meses. Depois de realizados os exames necessários, pudemos saber que o tipo de tumor e o estágio em que se encontrava não permitia prognóstico dos melhores. Apesar de toda juventude, vitalidade e saúde que ele sempre esbanjou, eu sabia, desde o início, que suas chances eram muito pequenas. E eu, até então carregando no ventre a mais linda expectativa de vida, tive de me deparar com a perspectiva da morte. Cuidar de uma vida que vinha e de outra que, talvez, se despedia. Exames de pré-natal aqui, oncológicos ali. Ponte aérea Manaus - São Paulo, barrigão e um filho de cada lado. Nenhum remédio para enfrentar esse período de extremo sofrimento. Enfim, a primeira vida foi salva. Apesar da apreensão de todos com o impacto do estresse emocional sobre a gestação, minha filha nasceu a termo e muito saudável. Numa das batalhas havíamos saído vitoriosos! Mas faltava a outra. Mais uns meses de tratamento sem o resultado esperado, o tumor não cedia. E numa manhã de abril, partiu meu marido. Nessa, perdemos de lavada! E aí, em meu encontro com vida e morte, poderia pensar

P U B LI CA D O P EL A EDITORA NOVO S É C U L O EM 2 0 1 3 , MEL E FEL FALA COM P ROP RI EDADE E MAESTRIA SOBRE O DOCE E O AMARGO D A

V I D A .

O

SOFRIMENTO EM SI NÃO É GARANTIA DE M AT U RI DA D E , PORQUE VIVER AS DORES QUE A VIDA NOS

TRAZ NÃO É

OPCIONAL. APRENDA COM ESTA DELICADA OBRA QUE O QUE NOS MANTÉM VIVOS É A C A PA C I D A D E D E SONHAR, DE BUSCAR POR ALGO AINDA QUE NADA NOS PAREÇA FAVORÁVEL.

43

Gênero Auto-Ajuda

´ Salvia haddad


~

PUBLICADO EM PELA ED I T O R A G A RC I A EDIZIONE EM 2013, N Ã O

P O S S O

ESCONDER CONTA A H I S TÓ RI A

D E

R O B E R TA , U M A MULHER QUE A DESPEITO DE SEUS RELACIONAMENTOS SUPERFICIAIS, MANTINHA

EM

SEGREDO UM FORTE DESEJO POR UM AT O R D E FA M A INTERNACIONAL.

O

SONHO DISTANT E S O F R E

U M A

R EV I R AVO LTA D O DESTINO

POIS

C H R I S T I A N E S TÁ V I N D O PA RA S ÃO PAULO...

PRIMEIRA PÁGINA - Você pode deixar de lado esses livros e me ouvir um pouco. Estou cansada de te observar lendo-os e assistindo filmes sobre vampiros. Eles não existem e se você se visse frente a frente com os atores que os interpretam, com certeza se decepcionaria. Era difícil me concentrar na leitura tendo Aline gritando suas opiniões. Ela sabe que eu tenho consciência de que seres sobrenaturais como vampiros, sereias e duendes não existem. O que ela não entende e minha obsessão por eles, o fato de eu gostar de ler sobre eles e vê-los na TV. - Preciso dizer que sei tanto quanto você que vampiros não existem, mas gosto de saber sobre eles, assim como você gosta de ficar o tempo que for possível na internet. - Eu sei... E que ás vezes você parece se esquecer de que são apenas personagens e que alguns atores ganham rios de dinheiro através de seus hobbies. Eu aqui querendo bater um papo com você sobre coisas reais como politica, aquecimento global, etc, e você ai com a cara enfiada em livros de estórias de vampiros. Novamente ela começava com o discurso sobre vida real. Falar de desastres ambientais e políticos não era o que eu gostava de fazer, e nem ela. Só dizia isso para me tirar do meu passatempo favorito, os vampiros. O que ela queria mesmo era falar sobre sua última conquista e de como achava necessário que eu conseguisse um namorado. Fechei o livro desistindo da leitura quando ela sentou no sofá e cruzou os braços numa atitude obstinada. Minhas dores... Naquele momento eu poderia fechar meus olhos que ainda veria seu corpo perfeito. Ele era aquele que

44 Gênero Romance


PRIMEIRA PÁGINA

Este livro é uma obra sem nenhuma denominação religiosa. Traz, de forma simples, a importância do Amor de Deus em nossas vidas, nosso papel como cristãos e as transformações que vão acontecendo durante esse processo. Por que devemos buscar nos conhecer melhor, descobrir os sentimentos que nos movem, nos motivam ou desanimam; como nossos sentimentos são importantes na busca pela comunhão com Deus e os benefícios que esse descobrir-se traz para nossa vida como um todo. Na constante dualidade da vida, existe o bem e o mal, expressado nos filmes, novelas, desenhos, seriados e em muitas outras formas audiovisuais. Fica fácil perceber que, para fazer parte do mal, não é preciso escolher; somos escolhidos pelas coisas cotidianas da vida, situações envolventes, que distorcem e corrompem nossos valores morais e cristãos. Para se viver o bem, entretanto, é necessário fazer escolhas; é necessário ter posicionamento, nem sempre, ou quase nunca, fáceis. É olhar para os Golias da nossa vida e saber que Deus é maior e mais poderoso, e que Seu amor é imensurável. Não estamos falando do amor possessivo, nem do amor egoísta, nem de tantas outras formas que se costuma atribuir ao amor; falamos aqui de um sentimento puro e verdadeiro. Precisamos estar atentos para não sermos corrompidos pelo mundo em que vivemos. Hoje, os valores estão se perdendo. Muita coisa que não provém de Deus se tornou comum e passou a fazer parte do dia a dia. Não basta ter conhecimento do que é certo, é preciso agir corretamente. É preciso praticar o amor que está em nós!

PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

I NCENT IVAR ,

O

AMOR DE DEUS A P R E S E N T A CONCEITOS

E

R E F L E X Õ E S EXTREMAMENTE IMPORTANTES PARA SE VIVER UMA VIDA V I T O R I O S A , M E D I A N T E

O

COMPROMISSO COM DEUS. NAS

MERGULHE PA L AV R A S

ILUMINADAS DESSE AUTOR CUJO ÚNICO O B J E T I V O PROPICIAR L E I T O R

É AO A

COMPREENSÃO DE UM SENT IMENTO QUE NÃO ACABA: O AMOR.

45 Gênero Religião / Motivacional


PUBLICADO EM PELA EDITORA CLUBE DE AUTORES EM 2013, O GRANDE PALCO DA VIDA

C O N TA

A

HISTÓRIA DE RÉGIS, UM GAROTO DE SETE ANOS QUE SONHAVA EM SE

TORNAR UM

GRANDE ASTRO DA M Ú S I CA P O P U LA R SERTANEJA. O QUE ELE NÃO PODIA P REVER É Q UE O SUCESSO CHEGASSE TÃO CEDO! COMO R É G I S

I R Á

CONSEGUIR LIDAR COM A FAMA SENDO TÃ O

J O V E M ?

ACOMPANHE ESTA INUSITADA HISTÓRIA E DESCUBRA!

PRIMEIRA PÁGINA Durante pequena pausa em seu show, intitulado “A festa de agradecimento pela vida”, o menino Regis, doze anos de idade, recém completado, fez um gesto com as mãos, para que os músicos parassem e como sempre fazia conosco, nos pegou de surpresa, em seu comentário pausadamente: Quando estive em cárcere privado... Acho que a pior tortura a qual fui submetido, foi ficar por quase dez dias, sem escovar os dentes... Lavava a boca, quando conseguia... Quando me deixavam ir ao banheiro, embora vigiado... Meus dentes estavam grossos de gordura e restos de comida estragada... Minha boca fedia carniça... Por quase dez dias, também fiquei sem tomar banho... Meu cabelo duro e espetado fazia com que minha cabeça, coçasse como se tivesse infestada por milhões de piolhos... Meu corpo coçava e grudava... Minhas regiões genitais... Não sei se é preciso citar os nomes... Tinham até feridas, de tanta alergia, à falta de higiene. Eu não conseguia dormir. Experimentem tentar dormir, após tantos dias sem banho! O máximo que eu conseguia, era desmaiar de cansaço, pavor e revolta... Sentia-me pior do que um bicho do mato, em um mundo sem água. Ele se emocionava constantemente. Nós da equipe, que nem sabíamos direito daquilo, também nos emocionávamos. O público presente, também. Pedi para Tony e ele entrou no palco, levando-lhe um jaleco, o qual, Regis apanhou-o e vestiu-o dizendo, num pequeno sorriso:

Meu irmãozinho, Tony! Abraçou Tony, depois o deixou sair e continuou:

46 Gênero Romance/Drama


´


PUBLICADO EM 2013 EM VERSÃO DIGITAL P ELA AMAZON, O LIVRO VERDE DOS ELFOS É O PRIMEIRO DE

UMA

SAGA.

RECHEADO

DE

PERSONAGENS É L F I C O S , A C O M PA N H E O S TRISTES RELATOS DO FINAL DA ERA DOS E L F O S ,

D A

D ES T RU I ÇÃO DA GRANDE FLORESTA DE ATHLANDA, DE UMA BATALHA COM DRAGÕES E DO RO M A N C E EN T R E ZEILIG, O SENHOR DO GELO E DE AARA, A PRECIOSA RAINHA DE COPAS .

PRIMEIRA PÁGINA Conta-se que, em meados do ano de 799 da Era dos Grandes Reis e Rainhas, um grupo de três magos foi enviado para a cidade de Mozerate, ao sul do Baixo Mégion. Sua tarefa era erradicar uma peste que assolava a cidade. Contudo, eles tinham uma outra missão, mas esta era secreta. Porém, antes de seguirem viagem, dois deles, o Mestre Rigel e o seu discípulo, Aldebaran, apresentaram-se diante da Grande Rainha de Brenor. Atravessaram a passos suaves, mas firmes, o piso brilhante do salão de audiência do palácio real de Marmórea, carregando os seus cajados, e pararam diante do trono. A rainha Anahar sentava-se sobre o trono de madeira, folheado parcialmente com ouro, com ambas as mãos apoiadas nas laterais, e com olhar fixo e perturbador. Ao seu lado, em pé, estava o velho e sábio Castor que, de todos os magos encarnados de Lumerae, era o mais idoso. Os viajantes inclinaram-se e saudaram a rainha: -Majestade... disse Rigel. Castor tratou de apresentá-los: -Este, majestade, é o bem afamado Rigel, o professor. O jovem é o seu discípulo, Aldebaran. A rainha nada disse a princípio, limitando-se a um quase imperceptível movimento com o rosto. Aldebaran notou que sua fisionomia, própria de uma mulher madura, mas ainda atraente, exalava força e determinação. Então, como era costume dos magos, ele passou a observar o entorno, discretamente. -Bethelguelse continuou Rigel vos deseja felicidades num pleno tempo de vida.

48

´

Gênero Contos / Fantasia


PRIMEIRA PÁGINA Era o deserto do nada! Tranquilamente eu respirava, na vértebra do Criador, que aguardava em silêncio absoluto - o momento de pôr-me no mundo. Sentia-me a sua criação intrínseca, presa por entre as suas vértebras, sendo preparada para cumprir a minha missão, enquanto me revestia da contemplação imaginária de um mundo desconhecido. Contorcia-me em uma cavidade estreita. Era insuportável o breu do silêncio profundo que vinha do lado externo e de algo que eu desconhecia. As vibrações dos sons eram irregulares. Por vezes, ouvia apenas uma canção ou um ruído contínuo e cadenciado em língua vernácula: um mantra diferenciado, quase cantado. Quando me percebia menos aflita, dentro de minha alcova, tentava entender o que a linguagem dizia, contudo conseguia apenas sentir e isso era bom! O Pai era cuidadoso. Queria me agradar, enquanto criava algo do lado externo. Havia alguns entretenimentos na espera. Eu roçava a ponta dos dedos em suas costelas e o fazia cócegas e em minutos, Ele espirrava, achando graça de minha brincadeira. Esta era a nossa comunicação. Quando seu canto era triste, eu tentava nadar em seu plasma, até alcançar uma distância razoável de seu coração. Ficava olhando. Seu ritmo era descompassado e parecia falar. Então, era a minha vez de cantar: imitava as palavras modificadas que ouvia, deixando que meu olhar penetrasse como os fluídos em camadas em torno da voz secreta que expandia até a sua intuição. Queria apenas que Ele soubesse: eu estava ali e que por menor que fosse

PUBLICADO EM PELA EDITORA MODO EM 2012,

O O I TAV O

P E C A D O

N O S

APRESENTA HENAPH QUE SE ENVOLVE EM U M FA S C I N A N T E T R I Â N G U L O AMOROSO TENDO DE UM LADO O REI MINOS DE CRETA, P R O T E T O R

E

CUIDADOSO E DO OUTRO LADO O DEUS GREGO HERMES, SÁBIO E INTRIGANTE. C O N S E G U I R Á HENAPH SE TORNAR DONA

SE

SEU

PRÓPRIO DESTINO DIANTE DE FORÇAS TÃO AVASSALADORAS?

49 Gênero Romance / Mitologia


PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

MODO, O SEGREDO D E

E VA

N O S

APRESENTA EVA, UMA M U LH ER CO M U M , R O D E A DA

D E

AMIGOS COM QUEM GOSTARIA DE PASSAR O RESTO DE SEUS DIAS. NO ENTANTO, EM SUA HISTÓRIA EXISTE UM SEGREDO QUE NÃO PODE J A M A I S

S E R

REVELADO, MESMO QUE ISSO IMPLIQUE EM MUDAR QUE UM DESTINO SOMBRIO SE ABATA SOBRE SEUS E N T E S

M A I S

QUERIDOS. E VOCÊ? SABE

GUARDAR

PRIMEIRA PÁGINA Parecíamos três bebadas de emoções no meio da rua. Tabata sempre fora mais extrovertida, portanto as idiotices mais explícitas viriam dela. Era bissexual, mas não se importava com essa qualificação, ela queria apenas ser feliz enquanto Samantha, a romântica irrecuperável, que vivia sofrendo por desafetos, era nossa mascote - éramos responsáveis por sua felicidade. Não me pareço nem com uma nem com outra, embora ambas fossem minhas únicas amigas, tínhamos muitas diferenças umas com as outras, mas nenhuma capaz de nos distanciar. Estaria sendo injusta se não me lembrasse de Christofer. Ele era quase uma terceira amiga, se não fizesse questão que sua identidade sexual não o confundisse com uma mulher. Ele jamais se transvestiria de outra pessoa. Autêntico e leal como um cão, estava sempre por perto para nos amparar naqueles momentos mais críticos, quando nenhuma bobeira fosse banal. Quando um amigo olha para o outro amigo com olhos de cuidado, tudo na vida do outro se torna importante, e assim era os quatro amigos. Naquele dia, porém, estávamos sem Christofer, ele havia saído com o namorado para decidirem se assumiriam a relação. Tabata tem estatura mediana, cabelos encaracolados e castanhos que batem nas costas. Um pouco encorpada, não liga para crendices vindas de dietas que lhe causam a sensação de estar mais bonita com quilos a menos. A beleza de Tabata vem dos olhos expressivos e grandes. Samantha tem o esteriótipo cobiçado pelos homens pele muito clara e cabelos naturalmente loiros. É falsa magra, com seios volumosos e um bumbum arrebitado, que lhe tira a impressão de magrela sem graça.

SECREDOS?

50 Gênero Romance Contemporâneo


O sopro do apocalipse i ~ A conspiracao iluminati ‘

PRIMEIRA PÁGINA O Agente Jean Nollet estava suando frio sentado e amarrado no único objeto existente do pequeno local em que estava: uma cadeira de ferro. Seu rosto sangrava enquanto seu torturador preparava um novo golpe a ser desferido com enorme violência. Aquele quarto desprovido de janelas, possuía apenas uma porta e seu interior era totalmente de cor branca. Uma intensa luz ofuscava sua visão e seus olhos ardiam com o líquido que escorria de sua testa, se era suor ou sangue, naquelas horas, impossível definir. Outra sequência de socos começou enquanto a tarde avançava para o inicio do anoitecer. Jean estava naquela situação desde manhã quando saiu de seu apartamento para ir à padaria comprar pão. Antes que chegasse a esquina de sua rua, quatro homens bem vestidos pararam o carro ao seu lado, apontaram suas pistolas e o obrigaram a entrar no veículo. E lá estava agora o Agente Especial francês aguardando o inevitável. Ele sabia o motivo de sua captura, sabia o poder de seus sequestradores e infelizmente, sabia que não tinha saída. “Ainda bem que deixei os malditos documentos a salvos.” Pensou. Sua visão estava turva, seu corpo inteiro doía, alguns dentes estavam quebrados dentro da boca, assim como o maxilar. Um balde de água fria foi despejado sobre sua cabeça molhando todo seu corpo. O frio era horrível! Um homem muito bem vestido de terno preto entrou de repente. Ele olhava o prisioneiro com perversidade. Fez sinal para o torturador sair e este obedeceu sem nada falar. O homem se posicionou em frente ao prisioneiro buscando seus olhos. Ambos em silêncio. Jean Nollet abriu os olhos

PUBLICADO EM PELA E

D

I

T

O

R

A

MULTIFOCO EM 2013, O

S O P R O

D O

APOCALIPSE I

NOS

A P R E S E N TA

A

P O D E R O S A S O C I E D A D E SECRETA ILUMINATI, P R O M O T O R A DA S MAIORES GUERRAS VIVENCIADAS PELA HUMANIDADE, QUE AGORA DÁ INÍCIO À TERCEIRA GUERRA MUNDIAL. APENAS AS AÇÕES

DE

UM

C O R A J O S O REP O RT ER S ERÃO CAPAZES DE EVITAR Q U E O CAO S S E INSTALE NA TERRA!

51 Gênero Romance Suspense/Mistério


CONHEÇA BIGUI O mascote da


´ PRIMEIRA PÁGINA Senti o carro passando por cima de meu corpo. Não houve tempo de sentir dor. Estava distraída demais com meus sentimentos. Eu quis este momento, e não tinha volta, havia me cansado da solidão e de mim mesma. Logo após uma sensação de alívio, sentindo o corpo tão leve quanto uma pena, saí de minha vestimenta corporal, e me vi flutuando acima de todos que passavam pelas ruas. Eu olhava de cima e tudo era mágico e envolvente. Contemplava o azul do céu e agora sabia o que significava a expressão - o voo da estirpe. Significa sentir o que as borboletas sentem quando voam. Sei que ainda estava viva, pois sentia minha respiração, embora não quisesse mais participar do mundo onde todos tinham um nome, uma identidade e uma regra a seguir. Vi quando meu corpo foi levado para o hospital, e o cordão de tecido etéreo e brilhante que me ligava a ele, fez com que eu seguisse a ambulância, embora quisesse me libertar e voar além do que eu poderia imaginar. Eu estava morrendo e, quando cheguei ao ponto de maior aflição física, comecei a ouvir um ruído desagradável, um zumbido alto ou toque de campainhas, e ao mesmo tempo, senti o que restava de mim, movendo-se muito rapidamente através de um longo e escuro túnel. Assisti às tentativas de ressurreição deste ponto de vista inusitado em um estado de perturbação emocional. Depois de algum tempo, acalmeime e fui me acostumando à minha estranha condição. No entanto, descobri que precisava voltar - o momento da minha morte ainda não havia chegado. Eu decidi continuar como se nada tivesse acontecido, e fiz o que meus

PUBLICADO EM PELA EDITORA MODO EM 2013,

O TÚNEL DO

TEMPO

TRÁS DE

V O LTA

A

P ER S O N AG EM CLARICE QUE PARA ENCONTRAR SEU GRANDE AMOR, KLAUS, DEVERIA ANTES APAIXONARSE POR ENZO,

UM

FRANCÊS INCOMUM, CA PA Z

DE

LER

PENSAMENTOS E C O N V ER S A R C O M C R I A T U R A S I N V I S Í V E I S . ACOMPANHE ESSE ROMANCE SEDUTOR E VIAJE PELO TEMPO EM BUSCA DE UMA ALMA GÊMEA.

53 Gênero Romance Sobrenatural


PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

MODO,

O VÔO DA

E S T I R P E

N O S

A P R E S E N T A CLARICE, UMA J OV EM EM CO M A QUE MERGULHADA EM SI MESMA BUSCA COMPREENDER UM MUNDO ONDE O T

E

M

P

O

SIMPLESMENTE NÃO E X I S T E . A Ú N I CA COISA QUE É CERTA EM SEU CORAÇÃO É A LEMBRANÇA DE KLAUS. MAS SERÁ Q U E

E L E

REALMENTE EXISTE OU SERÁ QUE É APENAS FRUTO DE SUA IMAGINAÇÃO?

PRIMEIRA PÁGINA O quarto estava sombrio, assim como toda Paris. A escuridão chegava a fazer sons em meu ouvido. Em poucos segundos, fui tragada completamente para algum lugar desconhecido. Demorei a identificar o que estava acontecendo. Com dificuldade em respirar, algo me impedia de mexer o rosto e causava mal estar. Percebi-me sendo sufocada pelo travesseiro. Alguém havia entrado em meu quarto e tentava me matar. Retorci o tórax e, com as mãos livres, debatia-me na cama quase desfalecendo, engolindo o próprio sangue que descia pela garganta. Por um ato de misericórdia, meu assassino soltou o travesseiro. Tive medo de encarar o tirano e ser surpreendida por novas tentativas de tortura. Em um ímpedo de sobrevivència, levantei da cama e passei a correr, saindo pelas calçadas escuras. Escutava seus passos atrás de mim. A distância entre nós era curta, estava quase me alcançando. Tropecei algumas vezes, levantandome pela vontade de conseguir escapar. Sem perceber o rumo tomado, fui parar em frente ao penhasco paradisíaco da cidade. Logo atrás de mim, alguém misterioso querendo me matar. De longe um clarão, alguém escutara meu grito e viera ao meu socorro. Ao se aproximar, por mais que tentasse me ajudar, algo o impedia como se estivesse tentando subir em uma escada rolante que corria para a descida. Olhei-o pela última vez. Era um moço alto que usava um paletó marrom. Seus olhos trasnpareciam impotência. Ele gritava algo que eu não conseguia ouvir. O assassino se preparava para a minha morte. Encurralada e com apenas duas alternativas, finalmente escolhi: saltei do penhasco com o coração cheio de vida e medo.

54 Gênero Romance Sobrenatural


^ PRIMEIRA PÁGINA Natália acordou encharcada de suor. Mais uma vez o mesmo sonho, ou o mesmo pesadelo, ela não sabia muito bem o que a perturbava durante todas as noites. Sentou-se na cama por alguns minutos, enquanto as imagens, ainda vívidas em sua mente, iam se dissipando como nuvens sopradas pelo vento. Olhou para o rádio-relógio ao lado da cabeceira, que marcava cinco horas da manhã em letras vermelhas e luminosas. Virou-se para a janela, tentando ver alguma claridade entre as cortinas fechadas. Ainda estava escuro. Ela não gostava do inverno, especialmente dos primeiros dias de frio, que castigavam o seu corpo, desde o início do mês de abril. Sabia que não conseguiria mais pegar no sono, uma vez que o sonho fora real demais e não sairia dos seus pensamentos tão cedo, como era de costume. Deitou-se novamente e cobriu-se. O suor abundante acabara por causar-lhe frio. Virou-se para o lado, encolhendo as pernas em posição fetal, tentando espantar o sonho. Concentrou-se em traçar metas para o dia que acabara de começar: descansaria até às sete horas, depois tomaria banho, faria o café e sairia correndo para pegar o ônibus que passava a duas quadras de sua casa. Viajaria quarenta minutos e quem sabe encontraria aquela amiga que conhecera no ponto de ônibus. As duas conversariam no trajeto até o centro e depois ela desembarcaria às pressas e correria até o escritório, onde o dia, ela sabia seria agitado, e finalmente não teria mais tempo de lembrar o maldito sonho! Fechou os olhos mais uma vez e a imagem tornou a aparecer em sua mente. Parecia um antigo filme em preto e branco, ao qual ela não se lembrava ter assistido. Ela era

LIVRO

COM LANÇAMENTO P R E V I S T O PA R A NOVEMBRO DE 2013 PELA

EDITORA

ÔMEGA, O VOO DA F ÊN I X

CO N TA A

H I S TÓ RI A

D E

NATÁ LI A , S EM P RE P ER S E G U I DA P O R SONHOS

ONDE

SEMPRE SE DEPARA C O M

U M

M I S T E R I O S O HOMEM. UM DIA, AO DESCOBRIR-SE COM UM ANEURISMA CEREBRAL, DECIDESE DESVENDAR ESSE PEQUENO ENIGMA SEM SABER QUE AO FAZER ISSO MUDARIA S UA V I DA PA R A SEMPRE.

55 Gênero Romance/Drama


^

LIVRO

LANÇADO PELA EDITORA DESFECHO EM 2012, ONDE ANDA VOCÊ?

USA COMO

PA N O D E F U N D O UMA UNANIMIDADE NAC I O NA L :

A

NOVELA. EMBARQUE N E S TA H I S T Ó R I A ONDE A AUTORA NOS MOSTRA QUE O MAIS I NT ERESSANT E É DESCOBRIR

O

Q UA N T O A V I DA P O D E

S E R

PRIMEIRA PÁGINA Caminhando à beira da praia com os pés descalços, sobre a areia fina, dentro de um vestido branco transparente, deixava visível o contorno de seu corpo escultural. Os cabelos lisos e negros bailavam ao sabor do vento. Com seu olhar perdido no horizonte, as lembranças embaralhavam os seus pensamentos, e a saudade batia forte em seu peito, até que um esbarrão lhe trouxe à realidade. - Desculpe, estava distraída! - disse ela. -Tudo bem! - respondeu-lhe a jovem que havia lhe tirado da viagem a um passado distante. - Ei? Estou lhe reconhecendo! Você não é a Aninha da novela “Onde anda você”? - Sim, sou eu mesma. - Aninha, sou sua fã! Na minha casa nós gostamos muito de você, inclusive o meu pai. Quando vai começar a novela temos que ficar em silêncio, porque ele não quer um pio dentro de casa! - Imagina! - Um homem fissurado em novela igual a ele eu nunca vi, é a primeira vez que vejo o meu pai tão empolgado por seguir uma novela. E mais estranho é que, depois que termina, ele fica acabrunhado, só faltando chorar.

SURPREENDENTE AO NOS MOSTRAR QUE HÁ MUITO MAIS DO F I CÇÃO N AQ U I L O QUE ASSISTIMOS TODOS OS DIAS

NA

TELEVISÃO.

56 Gênero Romance/Auto Ajuda


PRIMEIRA PÁGINA Observando através da janela o mundo que passava pelo meu “eu” inerte no banco do ônibus, avistei numa das curvas os sinais de minha parada. Tendo se passado um mês desde minha chegada à cidade ainda tateava pelas ruas qual cego tentanto reconhecer em cada pedra de cinzento cimento uma indicação do caminho daquilo que começava a chamar de “casa”. Desci do veículo. Olhei em redor um pouco perdido apesar de ter a certeza de que aquela era a Rua das Oliveiras e que meu pequenino quarto e cozinha se encontrava três quadras adiante. Pobre e faminto preferia gastar as solas dos sapatos ao invés de meus poucos tostões na busca diária por um emprego. Por isso desci naquela rua evitando assim tomar mais um transporte desnecessariamente. Obter as garantias de sustento não estava sendo fácil. Primeiro, porque eu não tinha nenhum tipo de experiência profissional. Segundo, porque estava estudando de manhã, fato este que tornava minhas opções empregatícias mais restritas. Com o passar dos dias meus parcos recursos estavam reduzindo minhas refeições caseiras à tríade divina dos estudantes pobres: macarrão, salsicha e banana. Os professores da universidade ajudavam em minha dieta miserável pedindo mais e mais livros de modo que eu acabava alimentando por demais o cérebro e por “de menos” o estômago. No desespero dos desempregados desvalidos ali estava eu na minha perambulação diária.

LIVRO

PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

MODO, PADARIA É U M

L I V R O

RECHEADO

DE

M I S T ÉR I O S O N D E C R I A T U R A S NASCIDAS

NO

I M A G I N Á R I O POPULAR CIRCULAM LIVREMENTE PELAS RUAS DE SÃO PAULO GRAÇAS A PRESENTA DE UMA ESTRANHA PADARIA. CRUZ AR S UA S

P O R TA S

SIGNIFICA ENTRAR EM UM MUNDO JÁ ESQUECIDO PARA A MAIORIA

DOS

BRASILEIROS.

VOCÊ

TEM CORAGEM?

57 Gênero Sobrenatural/Folclore


´

LANÇADO PELA EDITORA NOVO S É C U L O EM 2 0 1 2 , PARAÍSO APRESENTA DÉBORA,

UMA

MULHER QUE DEIXA SUA FAMÍLIA E PARTE EM BUSCA DE UMA N O VA

VIDA

NA

PEQUENA CIDADE VILA PARAÍSO. SERIA UM

RECOMEÇO

P E R F E I T O

S E

MARCOS, UM DOS DONOS DA FAZENDA , N ÃO F I Z ES S E D E TUDO PARA AFASTAR D ÉB O R A D E S UA V I DA , T R A N S F O R M A N D O

S U A

T RANQ UI LI DADE NUMA SUCESSÃO DE ACONTECIMENTOS SURPREENDENTES.

PRIMEIRA PÁGINA Dizem que o Paraíso é um lugar incrível, belo e perfeito, onde não existe dor, sofrimento, tristeza ou morte. Alguns acreditam que esse lugar é o céu, o destino daqueles que foram bons em sua vida terrena. Outros acham que a terra é o próprio Paraíso. E esperam o dia em que Deus eliminará o mal e fará da Terra esse lugar. Eu não sei muito bem em que acredito. Mas sempre imagino que deva existir algo além dessa vida. Algo muito melhor. E acho que, a maioria das pessoas pensa como eu. Mas, enquanto esperamos que essa promessa se cumpra, buscamos nosso próprio Paraíso aqui na Terra. A felicidade plena e absoluta. É uma pena que, a maioria das pessoas nunca chegue a esse lugar. Eu, pelo menos, nem cheguei perto. No entanto, posso dizer que estive do outro lado. Onde ninguém quer estar. No lugar antagônico ao Paraíso. Você deve imaginar do que eu estou falando. Mas não pode saber como foi estar lá. Este castigo é reservado a alguns que, como eu, andaram pela estrada mais larga. É o preço do livre arbítrio. Hoje, anos depois de ter escapado, eu continuo minha busca. E, por ironia ou sei lá o quê, estou aqui, quilômetros longe da minha casa, num lugar chamado Vila Paraíso. Quando parei, antes de chegar à cidade, imaginei que o nome combinava com o lugar. O vento uivava pelo vale, castigando as paredes de pedra que o cercavam. Gemidos longos e tristes serpenteando entre as montanhas iluminadas pelo sol se pondo naquele fim de tarde. O vale, longo e profundo era quase surreal. Misterioso e espetacular. Um desses lugares onde a natureza deslumbrase em tons e nuances impossíveis de serem copiados. Uma

58

.

Gênero Romance


PRIMEIRA PÁGINA Gosto de dizer que os três melhores cheiros são o de um excelente perfume francês, perfeito para a ocasião, que combine com a nossa pele, nossa roupa, e que traduza nossa personalidade; cheiro de carro zero, que tenho certeza, poderia me deixar rica se conseguisse engarrafar, e como diria meu cunhado, teria escrito em seu rótulo “Se fui pobre, não me lembro”; e cheiro de quarto de hotel, isso mesmo, este cheiro que remete a prazer, a novas experiências, a sonhos realizados. Quando era criança uma pergunta sempre me vinha à mente: será que o céu que estou olhando agora é o mesmo visto de outros lugares? Conforme fui crescendo, percebi que, na verdade, o céu se transforma com nossas emoções. O azul se torna mais azul, o rosa fica ainda mais radiante ao pôr do sol, o cinza ao cair da noite se torna ainda mais denso, e tudo nos parece sempre à primeira vez quando há encantamento. Estamos no comecinho de 2013, e ano novo para mim vem sempre acompanhado da famosa listinha de desejos; mais do que isso, de metas. Aprendi isso com minha mãe e gosto demais de ao término do ano olhar no papel o que foi planejado e o que se conseguiu. Sempre faço minhas listas com “itens”, vamos chamar assim, que classifico em objetivos, desafios e desejos, e sobre estes não sou razoável, fujo do palpável e me jogo completamente no meu absurdo particular. Durante o ano gosto de registrar em notinhas curtas o que vai acontecendo, e quem nunca experimentou deveria querer provar do poder que tem essa listinha e do quanto ela é capaz de nos surpreender.

PUBLICADO EM 2014 PELA

EDITORA

CHIADO, PERF UME DE HOTEL TRAZ EM S U A S N O TA S A S IMPRESSÕES ÚNICAS E O AROMA DE CADA LUGAR NA VISÃO DA AU TORA,

QUE

T R A D U Z

D E

M

A

N

E I

R A

D ELI C I O S A , LEV E , BEM HUMORADA E RICA EM DETALHES, OS PRAZERES E DESCOBERTAS DESSA MAGIA QUE É VIAJAR. U M L I V R O PA R A Q U E M G O S TA D E D E S F R U TA R D O S P E Q U E N O S PRAZERES DA VIDA.

“Limitações são fronteiras criadas apenas pela nossa mente”

59 Gênero Crônicas/Viagem

^


PUBLICADO EM 2010 PELA

EDITORA

REFLEXÕES, PLANO DE VOO FALA SOBRE O CAMINHO A SER PERCORRIDO PARA SE OBTER O SUCESSO. PARA TANTO, TRAÇAR METAS É ESSENCIAL P A R A

A

CONCRETIZAÇÃO DE SEUS OBJETIVOS, POIS SEM

ELAS

NOS

ASSEMELHAMOS A BARCOS À DERIVA, L E VA D O S

PELO

VENTO E PELA MARÉ. ONDE VOCÊ QUER CHEGAR? O QUE FAZER PARA CHEGAR L Á ? T E N H A S UA S RESPOSTAS LENDO ESTA ÓTIMA OBRA.

PRIMEIRA PÁGINA É incrível pensar como as pessoas seguem o padrão dos outros e nunca tentam inovar! Pense na imensidão de oportunidades e opções que possuímos, mas quando nos damos conta, estamos seguindo o que todo mundo está fazendo. Por que será que agimos dessa forma? Será que temos medo de ser diferentes? Será que temos medo de inovar porque não sabemos qual serão as consequências de nossas escolhas? Nas minhas idas e vindas tenho notado a atitude das pessoas e tenho me surpreendido muito. As vezes minha surpresa é positiva, contudo, na maioria das vezes tenho me decepcionado com muitas coisas. Ora, nada melhor para ilustrar meus pensamentos com o seguinte exemplo. Semana passada estive por quatro dias na Bienal de São Paulo divulgando um dos meus livros. Todos os dias vinha de metrô da zona oeste até o terminal rodoviário Tietê para pegar o ônibus que saía de lá para o pavilhão de exposições do Anhembi. Eu sabia que o sábado seria muito cheio, mas não tinha ideia na quantidade de pessoas que iriam ao evento, afinal de contas eu nunca havia participado de algo dessa dimensão. Já quando saí da estação Tietê, vi uma imensidão de pessoas se espremendo feito sardinhas enlatadas. Uma loucura total! Quando dei a volta para pegar a saída onde eu pegaria o ônibus vi que já tinha uma fila interminável de pessoas. Pensei que essa fila poderia ser para entrar no metrô, no entanto vi que ela continuava até a escada rolante que dava para a saída. A fila era tamanha que chegava a ser tumultuada. Eu não entrei na fila, fui por fora

60 Gênero Auto-Ajuda


PRIMEIRA PÁGINA Marcelo Camargo de Medeiros, Diretor de Segurança Corporativa, estava suando dentro de seu terno italiano, apesar do ar condicionado manter a temperatura da sala em agradáveis vinte e um graus Celsius quando a secretária pediu que subisse para a sala da presidência. Imediatamente ele soube, pelo seu tom de voz, que alguma coisa muito séria havia acontecido. Ao entrar na sala do quase inalcançável e certamente onipotente John Adamson Thorfinnson, Presidente para a América Latina da empresa, este interpelou-o: - Qual o significado de Segurança Corporativa para você, Marcelo? Sem nem mesmo precisar refletir numa resposta, Marcelo despejou as palavras de uma só vez, tal qual um aluno faria diante do professor: - Segurança Corporativa é o conjunto de práticas e medidas voltadas para a salvaguarda de conhecimentos e de dados de uma organização, protegendo-os contra uso inadequado, adulteração ou destruição. Seus principais objetivos são prevenir, obstruir, detectar e neutralizar a inteligência adversa. - Não me refiro a essa definição acadêmica - falou Thorfinnson, com um sorriso indulgente - Eu quero que você diga o que o meu Diretor de Segurança Corporativa entende como segurança corporativa em nossa empresa. Thorfinnson mantinha as pontas dos dedos unidas em frete aos lábios e os cotovelos apoiados na mesa, enquanto aguardava a resposta. - Eu diria que cuidamos da proteção de nossos recursos humanos e materiais.

PUBLICADO EM 2009 P E L A

K 2 M K T

EDITORA, PROJETO AFRODITE

TEM

T O D O S

O S

INGREDIENTES PARA AGRADAR Q UEM APRECIA

UMA

T R A M A

B E M

ELABORADA. NELA, T E M O S

O

INVESTIGADOR NELSON QUE SE ENVOLVE COM UMA LINDA

MÉDICA

ENQUANTO TENTA DESVENDAR

AS

M I S T ERI O S A S MORTES CAUSADAS P O R U M A N O VA DROGA. MERGULHE COM PRAZER NESTA NOVA AVENTURA!

61 Gênero Romance Policial


~

PUBLICADO EM 2012 PELA EDITORA ASES DA LITERATURA NA C O L E T Â N E A E N T I T U L A D A A

M

O

R

IMPOSSÍVEIS

E

S

´

PRIMEIRA PÁGINA Quando o amor se vai, as lembranças se tornam seu alimento diário para aplacar a dor da ausência. No entanto, o maior dos massacres será, sem dúvida alguma, a sensação de que poderia ter sido diferente, se eu tivesse lutado para que hoje as lembranças não me assombrassem e a saudade não fosse minha companhia por todos os cantos do mundo. Impossível me esquecer do primeiro dia em que o vi. Não tinha pretensão nenhuma de me apaixonar, ainda mais daquela forma. Tão imediata e insuportavelmente inevitável. Debruçada sobre o balcão da biblioteca do colégio, eu esperava a boa vontade da atendente para baixar a devolução do livro “A marca de uma lágrima”, de Pedro Bandeira. Foi quando senti que alguém se plantou ao meu lado e, descaradamente, debruçou-se sobre o livro que eu segurava. Sua respiração fez os pelos do meu braço esquálido se arrepiarem. Seu perfume invadiu o raio de ação do meu olfato e nunca em minha vida desejei sentir outra fragrância masculino que não fosse a dele. - Você deveria ler “A Droga do Amor”, desse mesmo autor. - ele recomendou, ainda olhando para o livro e, atrevido, passava os dedos pela capa do mesmo, ainda em minhas mãos.

62 Gênero Contos


~ PRIMEIRA PÁGINA Há dias em que nos sentimos vazios, há dias em que nos sentimos inúteis. Há dias em que nos sentimos perdidos, há dias em que sentimos que não vamos adiante. Há dias em que nos sentimos derrotados há dias em que nos sentimos indefesos. Há dias em que nos sentimos frustrados há dias em que nos sentimos vulneráveis. Há dias em que nos sentimos “encurralados” há dias em que nos sentimos incapazes. Porém é preciso lembrar de que somos muito mais do que imaginamos ser. Somos mais do que um mero acaso da natureza, somos mais do que um ser que come e respira, somos mais do que uma máquina de trabalho somos mais do que um simples alguém. Somos capazes de fazer somos capazes de influenciar, somos capazes de transformar, somos capazes de aprender, somos capazes de trabalhar, somos capazes de sermos felizes, somos capazes de vencer, somos capazes de lutar, somos capazes de caminhar a segunda milha, Somos capazes de viver.... Não há caminho que não se possa trilhar, não há horizonte que não se possa ver. Não há trabalho que não se possa executar, não há lição que não se possa aprender,

PUBLICADO EM 2009 PELA

EDITORA

P R O T E X T O , REFLEXÕES DE UMA VI DA REVELA A F A S C I N A N T E PERCEPÇÃO

DE

MUNDO DA AUTORA, FALANDO SOBRE O AMOR AO PRÓXIMO. UM TIPO DE AMOR QUE É CAPAZ DE MUDAR T UD O E TODOS

E

QUE

ULTRAPASSA OS A I NDIVI D UALI DADE PRESENTE

NAS

R E L A Ç Õ E S HUMANAS. MAIS QUE U M A

O B R A ,

REFLEXÕES É UMA LIÇÃO PARA TODA A VIDA.

63 Gênero Crônicas/Poesias


PUBLICADO EM 2012 PELA EDITORA ASES DA LITERATURA NA C O L E T Â N E A E N T I T U L A D A A

M

O

R

IMPOSSÍVEIS

E

S

PRIMEIRA PÁGINA Quando o amor se vai, as lembranças se tornam seu alimento diário para aplacar a dor da ausência. No entanto, o maior dos massacres será, sem dúvida alguma, a sensação de que poderia ter sido diferente, se eu tivesse lutado para que hoje as lembranças não me assombrassem e a saudade não fosse minha companhia por todos os cantos do mundo. Impossível me esquecer do primeiro dia em que o vi. Não tinha pretensão nenhuma de me apaixonar, ainda mais daquela forma. Tão imediata e insuportavelmente inevitável. Debruçada sobre o balcão da biblioteca do colégio, eu esperava a boa vontade da atendente para baixar a devolução do livro “A marca de uma lágrima”, de Pedro Bandeira. Foi quando senti que alguém se plantou ao meu lado e, descaradamente, debruçou-se sobre o livro que eu segurava. Sua respiração fez os pelos do meu braço esquálido se arrepiarem. Seu perfume invadiu o raio de ação do meu olfato e nunca em minha vida desejei sentir outra fragrância masculino que não fosse a dele. - Você deveria ler “A Droga do Amor”, desse mesmo autor. - ele recomendou, ainda olhando para o livro e, atrevido, passava os dedos pela capa do mesmo, ainda em minhas mãos.

64 Gênero Contos


PRIMEIRA PÁGINA - Em tempos de guerra tudo fica escuro, sombrio. O pavor esconde as almas, tranca-as para sempre em baús apertados. E os sorrisos somem dos rostos aflitos que anseiam por notícias de quem partiu para a batalha. E nós, as mulheres, apenas choramos e tentamos levar a vida de um jeito qualquer. - Mas vovó - eu perguntava aflita - a guerra virá para me buscar? - Não, querida, a guerra não virá - respondia-me sempre, com aquela ternura estampada no rosto tomado pelas rugas, que já naquela época, evidenciavam o sofrimento que vivera e a vida dura que levava, enquanto emaranhava seus dedos nos cachos dos meus cabelos. Eu não me lembrava da história toda, tinha pouco mais de oito anos de idade e seria difícil lembrar, então fazia sempre as mesmas perguntas. E ouvia sempre as mesmas respostas. Apesar de eu não entender muito bem o que ela queria dizer com todas aquelas explicações chorosas, guardei no coração a sensação de que algo ruim acontecera em um passado remoto, muito antes de eu nascer. O que eu sabia era que estava relacionado ao velho casarão que eu sempre parava para olhar, desde que começara a frequentar a escola. Aquele lugar me fascinava, atraía-me de uma forma que eu não podia me negar a encará-lo, com suas janelas tortas que me olhavam convidando-me a entrar, a conhecer o que um dia já fora imponência e que agora não passavam de ruínas. Eu imaginava-me vivendo naquele lugar e esses pensamentos eram como lembranças e me traziam saudades de coisas que eu jamais havia vivido. A sensação de intimidade com aquela casa aumentava

LIVRO

PUBLICADO EM 2011 PELA

EDITORA

ÔMEGA, RUBI DE SANGUE CONTA A H I S TÓ RI A CARMEM,

D E

UMA

JOVEM CUJA FAMÍLIA G U A R D A P A

S

S

U M

A

D

O

MISTERIOSO QUE A TORNAVA A ÚNICA HERDEIRA DO RUBI DE SANGUE E DO PODEROSO SANGUE DAS BRUXAS. ESTARIA CARMEM DISPOSTA A CUMPRIR COM SEU DESTINO

E

SE

ENTREGAR

A

MIGUEL PARA OBTER UMA IMORTALIDADE MALDITA?

65 Gênero Terror/Vampiro


LIVRO

PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

CORPOS, SEABLUE C O N TA

U M A

DESLUMBRANTE E R O M Â N T I C A HISTÓRIA QUE SE D E S E N R O L A DENTRO DE UM L U

X

U

O

S

O

TRANSATLANTICO. LÁ UM INESPERADO AC O N T E C I M E N T O UNE AS VIDAS DO A PA I X O N A D O EDUARDO, DE SUA NOIVA DANIELE, DA SIMPLES JOANA E SEU E X P E R I E N T E N A M O R A D O . ENCONTROS

E

DESENCONTROS TE AGUARDAM!

PRIMEIRA PÁGINA Eduardo acordara encharcado de suor. Tivera um pesadelo terrível, em que ele e Daniele comemoravam seu casamento a bordo de um navio. Em certo momento, Daniele enlouquecia e se atirava no mar. Logo em seguida, ele percebia que os demais passageiros da embarcação eram zumbis, e que estavam prontos para atacá-lo. Ele demorou a abrir os olhos, espreguiçou-se, olhou no relógio na cabeceira da cama e viu que passavam alguns minutos das seis horas de sexta-feira. Não quis se levantar embora soubesse que não conseguiria voltar a dormir. Ficou pensando em coisas agradáveis, tentando esquecer-se do sonho ruim que ficou persistindo em sua memória. Pensou em Daniele, que em poucos dias a teria em seus braços para sempre. Ligou o rádio e tornou a fechar os olhos. Eduardo era apaixonado por música e logo descobriu sua aptidão. A música lhe causava uma espécie de transe, tirando-o da realidade e transportando para um mundo mágico, onde ele se sentia como um super-homem, capaz de realizar todos os seus sonhos, seus desejos. Queria gravar um disco com suas composições, mas este sonho acabou ficando na gaveta. Ele não queria fazer fama como cantor, mas adorava ensinar às crianças. Foi Eduardo quem criou a primeira escola de música para crianças carentes da cidade de São Paulo. Correu durante anos em busca de patrocínios, materiais, projetos e doação de instrumentos e finalmente conseguiu realizar este sonho. Ele via a sua vida como uma série de surpresas agradáveis. Assim também ocorreu quando ele encontrou Daniele. Foi no final de uma tarde de verão, enquanto fazia a

66 Gênero Romance


PRIMEIRA PÁGINA Adriana ainda tinha o rosto riscado pelas lágrimas quando retornou aos seus aposentos e começou a vestir-se, a se arrumar. Mas ao entrar no quarto da filha, de apenas 5 anos de idade, um pouco de sua amargura se dissolveu. Sua pequena Letícia dormia profunda e tranquilamente, de lado, a face direita no travesseiro e o dedinho polegar na boca. Adriana se ajoelhou ao lado da cama e passou a mão por seus cabelos: - Bom dia, minha querida. - Bom dia, mamãe. - Como dormiu esta noite? - Dormi bem- respondeu Letícia, depois de bocejar sonora e longamente. - Excelente - disse Adriana, beijando-a no rosto. - Agora vamos deixar essa preguiça de lado e levantar. Antes de finalmente criar coragem para pôr-se em pé, Letícia bocejou pela segunda vez. - Vou deixar o uniforme da escola em cima da sua cama e em seguida vou descer para preparar o café, enquanto você toma banho - continuou Adriana, quando terminou de despir a garota. - Depois, subo novamente para ajudá-la a se arrumar. Combinado? Totalmente acordada agora, Letícia não pôde deixar de observar uma mancha escura na lateral esquerda do rosto de Adriana, apesar de todo o cuidado que ela tivera para encobrir a equimose com maquiagem. Mas a menina nada comentou. Afinal, além de aquela não ser a primeira vez que percebera equimoses espalhadas pelo rosto ou pelo corpo da mãe, Letícia era esperta o suficiente para intuir que aquele assunto não lhe era

PUBLICADO EM 2011 PELA

EDITORA

D R A C A E N A , SENTIMENTO FATAL A P R E S E N T A ADRIANA,

UMA

MULHER DIVIDIDA E N T R E A PA I XÃO AVA S S A L O R A D O E N T I A MARIDO

E

D O

E UM

GRANDE AMOR DE INFÂNCIA, QUE ELA T O R N A

A

ENCONT RAR DEZ ANOS

DEPOIS.

C O N S E G U I R Á A D R I A N A L U TA R PELA

PRÓPRIA

I NT EGRI DADE E PELA FILHA EM BUSCA

DE

SUA

FELICIDADE?

67 Gênero Romance


PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

MULTIFOCO,

SOB O

MANTO DA

MORTE

APRESENTA VIVIAN, UMA ADOLESCENTE DE 17 ANOS QUE V I V I A U M A FA S E MUITO FELIZ EM SUA V I D A Q UA N D O É AT ROPELADA POR UM CARRO EM ALTA V ELO C I DA D E AO TENTAR ATRAVESSAR UMA RUA. QUANDO D E S P E R TA

NO

HOSPITAL DESCOBRE Q U E

S E

TRANSFORMOU

EM

UM ESPÍRITO E QUE A MORTE, NA FORMA DE UM CEI FEI RO, E S TÁ

EM

S E U

ENCALÇO!

68

´

PRIMEIRA PÁGINA Era uma terça-feira chuvosa, o meu segundo dia de aula na universidade. Eu estava muito feliz por ter conseguido entrar para o curso de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (uma das melhores do estado). Não tinha como uma chuva torrencial estragar o meu dia, ou melhor, a minha semana. A aula que tive pela manhã passou bem rápido. Os professores ainda estavam tendo os primeiros contatos com os calouros e preferiram liberar-nos mais cedo. Mas a chuva continuava muito forte. Alguns de meus novos colegas foram em carros para casa enquanto outros foram até a parada de ônibus, do outro lado da Avenida da Universidade, encarando o dilúvio de frente. Eu gostaria de acompanhá-los, mas a minha parada de ônibus ficava um pouco mais adiante, do lado do Centro de Humanidades III. Mesmo estando de guarda-chuva, achei melhor esperar a chuva diminuir um pouco antes de sair do prédio. Mas logo desisti dessa ideia, pois a chuva não cedia nem por um instante. Já estava chegando perto das onze da manhã e o número de pessoas nas ruas estava diminuindo. Para minha segurança, era melhor ir embora logo, antes de ficar completamente sozinha. Abri meu guarda-chuva preto e corri pela Avenida da Universidade até chegar ao outro lado. Agora vinha o mais difícil: passar pela Rua 13 de Maio completamente alagada. Eu parei em frente ao sinal de trânsito da esquina da Avenida da Universidade com a 13 de Maio. Meus pés estavam mergulhados dentro da lama empoçada da cidade (não quero nem pensar a que tipos de doenças eu estava sendo exposta ao permitir que aquela água imunda tocasse

Gênero Sobrenatural


PRIMEIRA PÁGINA Está escuro ao ponto de não poder enxergar nada. Absolutamente nada. Achou que estava dormindo, pois não se recorda de ter ali chegado e nem sabia o que fazia neste lugar. Aliás, que local é esse? Onde estava? Tenta forçar a memória, mas é difícil recordar-se de qualquer coisa que tenha acontecido nas últimas horas. Do alto do imenso prédio ele podia ver toda a cidade sob seus pés. Era um belo entardecer, mas não fazia ideia do motivo de estar ali parado no terraço. Do topo do edifício de mais de quarenta andares ele apreciava cada árvore, rua, carro e pessoa que avistava à distância. O trânsito nas densas avenidas da metrópole era intenso. Um enxame desordenado de insetos ambiciosos e inconscientes. Vendo a uma distância tão grande, nem parecia que cada ponto daquele representava um ser vivente e pensante. Cada veículo tinha ao menos uma pessoa, com todo seu universo interior. O que será que cada um daqueles humanos pensava? Quantos não iriam ver a luz do dia seguinte? Por quais problemas passavam? Teria algum deles um segredo inconfessável? Estão felizes? Angustiados? Desesperados? Ansiosos? Iludidos? Porque tantos carros tinham tão pouca gente neles? Quando o mundo tornou-se tão egoísta? Ou será que sempre fomos assim? Havia igualmente as árvores. Algumas nativas, mas a maioria jamais viveria naquela região se não fosse a intervenção humana. Cada planta daquela tinha ao seu redor um pequeno sistema biológico dependendo de sua saúde. Insetos, aves, pequenos roedores, todos vivendo naquele micromundo.

PUBLICADO EM 2011 PELA

EDITORA

AGBOOK, SONHOS E DELÍRIOS ABORDA A EVOLUÇÃO DO SER H U M A N O

À

CONDIÇÃO DE UMA QUASE DIVINDADE. APÓS

TER

UM

TERRÍVEL PESADELO, O PRIMEIRO DE SUA V I DA , CA RLO S S E ENVOLVE EM UMA LONGA E PERIGOSA JORNADA ÉP ICA R E P L E TA

D E

REFERÊNCIAS M U S I C A I S , MITOLÓGICAS E L I T E R Á R I A S , PA S S A N D O

POR

SERIAL KILLERS, MONGES E LOUCOS!

69 Gênero Romance/Fantasia


^

PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

AGBOOK,

TRINTA E

TRÊS PARTE DE UMA I N T R I G A N T E PREMISSA: E SE JESUS TIVESSE NASCIDO NO SÉCULO XX E FOSSE B R A S I L E I R O ? ACO M PA N H E H ISTÓRIA

A

D O

HUMILDE MANUEL QUE VIVENDO EM P E R Í O D O S H I S T Ó R I C O S CO N T U RBA D O S ENTRE A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL E A DITADURA MILITAR - NOS I NST IGA A PENSAR SOBRE AS DUAS

FORÇAS

I D E O LÓ G I CA S EM EMBATE NA ÉPOCA?

PRIMEIRA PÁGINA O ano de 1940 já chegava ao seu final. A Europa sofria com a Segunda Guerra Mundial e a Alemanha comandada por Hitler parecia imbatível, já tendo conquistado boa parte do continente e iniciando as ofensivas aéreas contra a Inglaterra. O Brasil do presidente GetúlioVargas, apesar de mostrar simpatia pelos governos facistas, mantém-se neutro. As atenções todas se voltavam para o conflito global e acontecimentos de grande importância passaram despercebidos. Meses antes, enquanto a Finlândia sucumbia perante as tropas soviéticas, Maria sentia-se mal e seu pai a levava para a cidade em uma carroça puxada por uma jumenta já velha. Ela foi examinada pelo Dr. Gabriel, um dos raros médicos daquele lugar distante. Ele rapidamente diagnosticou a causa dos enjoos: ela estava grávida. Maria era uma jovem mulher de personalidade doce. Todos que a conheciam elogiavam sua bondade. Ela era, nas palavras de quem a conhecia, virgem de coração, pois sentimento negativo algum jamais passou por sua cabeça. Ela pouco tempo depois se casou com José Carvalho, membro de uma tradicional família da cidade de Serra Talhada, sertão de Pernambuco. Orgulhosos de sua condição, os Carvalho almejavam que seus filhos fizessem bons casamentos capazes de manter o patrimônio da estirpe. José, no entanto, não gostava da ideia de que seu casamento fosse um negócio decidido por seu pai. Ele era um homem romântico que desejava que o amor fosse o único critério que fizesse ele mesmo escolher sua esposa. Foi no ano de 1938, no mesmo dia em que Lampião e seu

70 Gênero Romance Histórico


PRIMEIRA PÁGINA Era impossível não perceber a expressão de constrangimento e vergonha explícitos naquele momento na face tão humilhada do jovem Diego Generatto. Ana Maria, com toda sua candura, tentou encerrar o assunto com as palavras mais suaves que encontrou. - Não se preocupe. Eu não me importo nem um pouco com o que eles disseram. Além do mais, eles estavam bêbados e mal conseguiam pronunciar as palavras confortou-o. Eram exatamente dez horas da noite quando Diego deixou Ana Maria em frente ao edifício Perlla di Gran Prezzo. Logo que desceu da moto ela pediu que ele entrasse ao seu lado no apartamento e conhecesse seu pai. A princípio ele hesitou, pois sabia se colocar em seu lugar. Tinha quase certeza de que o senhor Giulio Spezzato jamais aprovaria a amizade de sua filha com um sujeito pobretão tal qual ele era. Mesmo assim, decidiu enfrentar a fera. Ao lado de Ana Maria ele até se sentia mais seguro. Ressalto que Diego realmente espantou-se com aquele ingênuo convite e a intenção de Ana em apresentá-lo ao seu pai. Ela argumentou: Meu pai até hoje está curioso para conhecer o jovem herói que me resgatou das garras do inimigo naquela noite! Diego nunca esteve tão receoso na sua vida quanto naquele momento em que estaria frente à frente com quem provavelmente seria seu futuro maior rival. Sim, ele entendia muito bem dessas coisas de preconceito que os ricos tinham com indivíduos de...

PUBLICADO EM 2013 P ELA D RACA ENA EDITORA, UM AMOR E

U M

A M I G O

A P R E S E N TA A N A M A R I A ,

U M A

ADOLESCENTE QUE D E C I D E ES T U DA R FILOSOFIA

EM

ROMA. MAL SABIA AS SURPRESAS QUE O DESTINO

LHE

R E S E R VAVA

NA

C I DA D E E T E R N A . DEIXE-SE ENVOLVER POR ESTA HISTÓRIA O N D E

A M O R ,

F I L O S O F I A , A M I Z A D E , PRECONCEITO, RELIGIÃO, PERDÃO, O R G U L H O

T E

AGUARDAM.

71 Gênero Romance


,

´ PRIMEIRA PÁGINA

O Segredo PUBLICADO EM 2012 PELA

EDITORA

MULTIFOCO,

UMA

LEVE, APAIXONANTE E T U M U LT U A D A HISTÓRIA DE AMOR NOS APRESENTA UMA MISCIGENAÇÃO DE SENTIMENTOS QUE ENVOLVE O LEITOR TRAZENDO À TONA S E G R E D O S G UA RDA D O S NA A L M A

T E

INSULFLANDO A VONTADE DE OUSAR M ER G U LH A R N A S P A L A V R A S

,

REVESTINDO-SE DAS LETRAS

COMO

Tenho algo a dizer-te já há muito tempo. É especial, não posso falar aqui, assim, de sopetão. Vem aqui, pertinho de mim, encostar o ouvido. Não demora não. É rapidinho. Já, já te vais embora. Há muito tempo tento falar-te isto, mas não consigo. Pode ser que você não aceite, ou não, mas eu vivo por aceitar. Eu sei que é difícil entender. Mas eu posso te explicar um milhão de vezes. Paciência é o que não vai faltar. É simples e verdadeiro. É pouco e diz tudo. É rápido e vale por uma eternidade: “Eu te amo!!!”

NOVAS FORMAS DE I N T E R P R E TA R A VIDA.

72 Gênero Poesia


´ PRIMEIRA PÁGINA

Comigo Não Como você espera que eu deva me comportar? Se hoje seria nosso dia e você aqui não está. Onde está, onde andará se aqui comigo não está?

PUBLICADO EM 2013 PELA

E D I Z I O N I , VA R I E D A D E S POÉTICAS É UM LIVRO DE POEMAS SOBRE

Onde está onde andará se aqui comigo não está?

GARCIA

A

VIDA.

ACOMPANHE NESTA C O L E TÂ N E A

A

M AT ER I A LI Z AÇÃO D O F A N TÁ S T I C O MUNDO IMAGINÁRIO

Tenho seguido pela vida contente até te encontrar Foi aí que passei a sentir que sem você não dá. Passei a viver contigo e mesmo assim sentir que comigo não estás.

DA AU TO RA P O R MEIO DAS PALAVRAS. ACOMPANHE TODA A SENSIBILIDADE QUE SE DESPEJA A CADA PA L AV R A , F R A S E , ORAÇÃO, PERÍODO, TEXTO ONDE O LEITOR SENTE OS MOMENTOS

Onde está, onde andará

DE

ACONCHEGO.

73 Gênero Poesia


PRIMEIRA PÁGINA

Evidência PUBLICADO EM 2012 P E L A

A P E D ,

VICISSITUDES É UM

Não havia o que pudesse ser feito Já não estava mais ali Helena jazia Em um cemitério qualquer.

LIVRO QUE TRATA DO COTIDIANO, DOS PENSAMENTOS, DA AÇÃO E REAÇÃO. SÃO PA L AV R A S

QUE

IMPREGNAM L E I T O R

E

O S E

INTEGRAM EM SUAS ATITUDES EM UMA INFLUÊNCIA SUTIL E SENSÍVEL.

PARA OS

AMANTES DA POESIA U M A

Quisera ter podido evitar Quisera algo fazer E vou tentar Custe o que custar. Vou descobrir O que acontecera Não vai ser assim Que minha amada sumira

O B R A

NECESSÁRIA

E

ENVOLVENTE QUE CALA FUNDO EM SUA P ERC EP ÇÃO D O S F R AG M E N T O S DA

Do mundo, Da vida, Das pessoas, De si.

ALMA HUMANA.

74 Gênero Poesia


‘ PRIMEIRA PÁGINA Eu estava caminhando apressada, ia em direção ao ponto de ônibus, quando alguém me interpelou: - Olá, como tem passado? Voltei-me e me deparei com uma mulher que aparentava uns cinquenta anos. Seus traços me lembravam alguém, mas não parei para pensar quem era, pois estava com pressa, afinal o ser humano vive apressado, está sempre ocupado, nunca tem tempo para dividir um pouquinho com alguém. Imaginem se pararmos todas as vezes que encontramos alguém e pensamos conhecer? Não faremos mais nada na vida. Por diversas vezes, nos deparamos com pessoas que nos lembram um amigo ou alguma pessoa que já fez parte de nossas relações no passado. Eu, pessoalmente, às vezes penso que todos nós temos uma “xerox” por esse mundo de Deus. Dentro de mim, alguma coisa impulsionava para que eu parasse, desse atenção a essa senhora, mas, ao mesmo tempo, eu não queria, pois estava muito cansada diante do peso das bolsas de compras que carregava. Porém, mesmo assim, respondi: - Estou bem, graças a Deus! Mas, quem é a senhora? Eu a conheço de algum lugar? - Não, minha filha, não nos conhecemos! É que eu vivo tão sozinha neste mundo, não tenho parentes, nem filhos, que sinto a necessidade de falar com alguém, por isso me dirigi a você, somente para ouvir a voz de alguém conversando comigo.

LIVRO

PUBLICADO EM ... PELA

EDITORA

DESFECHO,

VIDAS

ENTRELAÇADAS PELAS LINHAS DO TEMPO TEM COMO PONTO DE PARTIDA O ENCONTRO ENTRE D

U

A

S

D E S C O N H E C I DA S , CADA UMA COM SUA HISTÓRIA DE VIDA. MUITAS SURPRESAS ACO N T E C EM N O DECORRER DESSA TRAMA QUE LEVARÁ O

L E I T O R

A

DESCOBRIR QUE N O S S A P R ES EN ÇA AQUI NA TERRA É P

A

R

A

PARTILHARMOS OS NOSSOS DONS COM O PRÓXIMO.

75 Gênero Romance/Auto Ajuda


PUBLICADO EM 2008, V Í T I M A S

D O

SI LÊNCIO JÁ SE ENCONTRA EM SUA 3ª EDIÇÃO, AGORA D I S P O N Í V E L TA M B É M

E M

FORMATO DIGITAL PELA AMAZON.

EM

SINOPSE UMA HISTÓRIA QUE

COMBINA ROMANCE, A V E N T U R A , SUSPENSE, SEDUÇÃO E MISTÉRIO, TEMOS MARGARIDA, VÍTIMA DE

VIOLÊNCIA

S E X UA L ,

Q U E

RESCONSTRUIA A PRÓPRIA

VIDA

QUANDO UM NOVO ACONTECIMENTO A FAZ ENTENDER QUE É IMPOSSÍVEL FUGIR DO PASSADO...

PRIMEIRA PÁGINA O motorista estacionou na tranquila rodoviária de Caxias do Sul e aguardou, pacientemente, que os passageiros descessem. Uma passageira não desceu e ele foi ver o que estava acontecendo. - Você está se sentindo bem, mocinha? Não houve resposta. O motorista tocou no ombro da jovem. - Moça... Moça... Margarida Esteves foi arrancada subitamente de seus pensamentos. - O que houve? - Chegamos - avisou o motorista. - Está tudo bem? Embora estivesse com os olhos vermelhos de tanto chorar, ela balançou a cabeça em sinal positivo, antes de pegar duas pequenas malas no bagageiro e descer. Em seguida, dirigiu-se aos guichês. Faltava pouco mais de uma hora para o próximo ônibus com destino a Gramado sair, dissera-lhe a entediada atendente. Por isso, ela comprou uma revista e se acomodou em um banco, na vã esperança de que a leitura pudesse lhe trazer um pouco de serenidade. E, mais uma vez, as lembranças do momento em que se despedira da família afloraram em sua mente, e seus olhos se encheram d'água outra vez. - Promete que vai voltar logo? - solicitou a irmã, abraçando-a em seguida. Ela sentiu um forte aperto no peito. - Gostaria de lhe prometer isso... Mas só posso dizer que a amo e que escreverei sempre que puder. Embora tivesse consciência de que sua irmã fosse jovem demais para compreender, Margarida preferiu ser sincera, pois sabia que não poderia prometer que voltaria logo. Afinal, a única certeza que seu coração tinha, naquele momento, era a de que precisava partir e encontrar um

76 Gênero Romance


~ ‘

PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

MODO, VOLKODLÁK N O S LEVA AT É A IRLANDA DO SÉCULO XIV, ONDE A CAÇA AS BRUXAS SEGUE SEU R

U

M

O

IMPIEDOSAMENTE,

SINOPSE FAZENDO SURGIR EM MEIO AOS BOATOS A PRIMEIRA VÍTIMA DA

I N Q U I S I Ç Ã O : P ET RONELLA DE M

E

A

T

H

,

S U P O S TA M E N T E BRUXA E AJUDANTE DE LADY ALICE LE KYTELER.

DENTRO

DESTE CONTEXTO, O E S P Í R I T O

D E

VOLKODLÁK INVOCADO...

É

PRIMEIRA PÁGINA Minha senhora... A moça de intensos olhos azuis prestou uma única reverência à mulher na sua frente, sentada em uma cadeira recoberta de peles diante da lareira. Não vai se deitar? A febre cessou? indagou, sem lhe dirigir o olhar. Não, senhora. Abaixou a cabeça, fitando o vestido de lã amassado entre seus dedos. Os cabelos ruivos presos á uma pequena rede, por onde fugiam alguns cachos sobre as orelhas. A pele de sardas sombreada pela luz bruxuleante das chamas. Não terei sono, então determinou ao se erguer fracamente da lareira, com a túnica longa de algodão cintada por um fio delicado de ouro ocultando-lhe os passos. Os cabelos pretos e ondulados, desgrenhados sobre os ombros, demonstrando as noites passadas em claro. Os lábios sem cor, na pele clara, ainda mais pálida sobre a luz amarelada do calor das chamas que crepitavam, quebrando eventualmente o silêncio daquela sala. Lady Kyteler flutuava pelo chão de pedra, sem sons, sem respiração. Já fizemos todo o possível, milady a criada sentenciou num murmúrio. As marcas começaram a surgir por seu corpo. É a peste. E o que sugere que eu faça? Os olhos verdes viraram em sua direção, cintilantes. Quer que eu o abandone? Os passos rápidos dela agora estalavam no chão enquanto se aproximava da ruiva. Danem-se os boatos! Ele veio a mim! Os olhos verdes vidraram nos azuis. As mãos claras fecharam-se nas dela.

78 Gênero Romance Sobrenatural


^ PRIMEIRA PÁGINA Um vento bom tocou seu rosto a ponto de fazê-la esquecer dos pedaços de vida que a atormentava. Sentia-se devorada internamente por um animal feroz insaciável. Havia perdido a noção de quanto tempo estava presa naquele lugar, talvez a cerca de trinta dias, seis meses ou um ano... O tempo não importava mais. Ela sabia o que precisava ser feito, apenas esperava pelo momento certo. Respirou profundamente a vida como algo necessário que trouxesse esperança, mesmo sabendo que o sonho é uma longa estrada sem garantias de se chegar a alguma lugar. “Sonhar é o maior lenitivo a alma sedenta de sentimentos e sensações” pensou, enquanto segurava ávida, a caixa velha de papelão cheia de envelopes endereçados a Vidal de Lucca. Assim eram seus dias escrevia cartas e cartas, na esperança de um dia reencontrálo. Em cada envelope, havia sempre a mesma frase: “Estou lhe esperando!” Esta era a forma que encontrou para anestesiar sua dor. Tirou de dentro da caixa, uma estrela de seis pontas feita de metal e a segurou firmemente rente ao peito, lembrando da noite em que foi entregue a ela, por mãos que sonhava em voltar a tocar. As juras de amor tragadas por uma ânsia impetuosa, não resistiram aos vendavais constantes. Hoje são apenas lembranças que perduraram; longos abraços na Praça de Cibele pensou entre as dunas de um olhar morto, perdido. Sentia-se viva apenas quando lia e relia as cartas antigas que não entregou ao seu destinatário. Ele estava por perto, ela podia ouvir sua respiração quando o vento, trazido do lado de fora da janela, batia em

LIVRO

PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

MODO, VOZES DO SILÊNCIO NOS LEVA DE VOLTA À DÉCADA DE 60. EM MEIO AO RO C K I N RO LL E REVOLUÇÕES, ANALY SE APAIXONA POR

SINOPSEU M

V I D A L ,

MILITANTE REBELDE ENVOLVIDO COM A CRISE POLÍTICA NA ESPANHA DURANTE A

D I TA D U R A

D I E G U I S TA . P A

S

S

A

UM D

O

TENEBROSO, NO E N TA N T O , S O B A FORMA

DE

UM

SEGREDO MALIGNO OCULTADO A TODO C U S T O P O R S UA FAMÍLIA, PODERIA

79 Gênero Romance Sobrenatural


PUBLICADO EM 2012 PELA APED, WEIGON STRANDER

NOS

APRESENTA A SAGA DE HEROIS EM BUSCA DE UM OBJETO QUE PODE SER A ÚLTIMA ESPERANÇA

DE

LIBERDADE PARA OS REINOS LIVRES: A E S PA DA

NEGRA

CUJOS PODERES I N I G UA L ÁV EI S PERMANECEM D E S C O N H E C I D O S. ACO M PA N H E SOCIEDADE

A DA

ESPADA NEGRA EM SUA

JORNADA

DESESPERADA ONDE A ÚNICA COISA QUE PODE IMPEDIR SEU OBJETIVO MORTE!

É

A

PRIMEIRA PÁGINA As batalhas mais sangrentas entre o bem e o mal no planeta Atrion deram início no ano místico de duzentos e trinta com o surgimento dos óbis, monstros gigantescos de pele acinzentada e com uma força descomunal. Eles devastavam os exércitos de vários reinos juntamente com os alabaks e manaias, duas outras espécies de demônios das trevas nascidos para o mal. Esses monstros não demonstravam muita inteligência, eles eram controlados totalmente por Seikan, rei do Reino Ocidental que se alto proclamava rei da escuridão, outrora um grande mago conhecedor da magia negra e ocultismos de Atrion. E, assim, os reinos foram caindo um a um, milhares de seres, de incontáveis espécies, foram mortos por Seikan. Os reinos mais fortes, os dos humanos, lutaram bravamente, mas era uma luta desigual e injusta tamanha a força e o poder de Seikan. A carnificina, reino após reino, aumentava o poder e os domínios do Rei da Escuridão. Separados, esses reinos eram fracos, não tinham chance contra o imenso poder das hordas sanguinárias de óbis, manaias e alabaks. Um único rei, talvez o último dos bravos guerreiros, formou uma aliança jamais realizada antes em toda Atrion, seu nome era Elleinade Bassai. Elleinade juntou em um único exército homens, gárgulas e ainans, três povos que nunca haviam lutado juntos e nem se gostavam, mas que para a sobrevivência de suas espécies tiveram de colocar suas diferenças de lado formando assim a Tríade. Muitos outros povos também se uniram a Tríade como os elfos, ninfas e outros seres. Juntos a Tríade eles selecionaram seus dez melhores guerreiros para uma missão que poderia ser a última esperança dos bons. Enquanto os soldados da Tríade preparavam-se para travar uma batalha épica jamais travada antes, os dez guerreiros liderados por Amaru, general da décima terceira legião do Reino Leste invadia o castelo de Seikan que era fortemente vigiado. A missão deles era assassinar as fêmeas dos manaias responsáveis

80 Gênero Ficção/Literatura Fantástica


PRIMEIRA PÁGINA - Onii-sama! Ela corria entre as cerejeiras secas pelo frio intenso. Os olhos molhados de lágrimas que não conseguia mais conter. - Onegai, onii-sama! - berrou uma vez mais, cansada... Chamando-o, caindo de joelhos na neve. As pequenas mãos tentando conter as gotas salgadas que rolavam, em vão. - Nii-sama, doutshite? O corpo tombou para frente, deixando a pele da menina se abrigar no manto branco. Os flocos de neve caíam insistentes, sem que nada além do vazio que a rodeava, os acolhessem. O corpo tremendo entre suas mãos. “Hanya não vá para longe... Irá nevar hoje. Não quero ter que procurá-la num tempo como este”- ele havia alertado-a, em meio ao sorriso quando aqueles lábios sujos deixaram sua pele. Lábios que sempre a machucava, desde que sua mãe se fora. Lábios que deveriam protegê-la, mesmo que não fossem os paternos. Era para isso que ele desposara sua mãe, afinal... O corpo da menina reagiu à falta de calor quando foi abandonado pelo peso do dele, encolhendo-se conforme puxava para si, a yukata em trapos, cobrindo-se, e ganhando a porta a passos rápidos. Ela não queria dá-lo ouvidos. Não depois do que ele fizera. Então, correu... Correu para os braços do anjo. Seu anjo caído. Os cabelos pretos, longos, jogados contra seu rosto ferozmente pelo vento. Os passos deixados na neve até chegar ao corpo frágil da menina. O olhar preocupado ao afastar os cabelos de um tom peculiar para o oriente caramelos; e os azuis, que a fitavam intensamente em sua capa branca. Branca como a neve.

PUBLICADO EM 2013 PELA

EDITORA

LITERATA,

YOUKAI

NOS APRESENTA O JOVEM ANJO DA GUARDA, HEILEL, EM UM GRANDE DILEMA: NO DIA EM QUE ASCENDE AO CARGO

SINOPSE

DE CONFIANÇA MAIS ALTO NO MUND O ES P I RI T UA L - O P L A N O

D O

JULGAMENTO

-

ACABA TENDO DE DECIDIR SE MANTÉM SUA LEALDADE A DEUS OU SE SALVA S UA P R O T E G I DA , UMA ALMA SUICIDA POR QUEM TEM UM P R O F U N D O SENTIMENTO.

81 Gênero Romance Sobrenatural


Índice por Gênero Ação/Aventura

! ADQS - Desvendando a Organização Secreta (pág. 9) Juvenil/Adulto

Auto Ajuda/Motivacional/Religião

! Felicidade se Constrói com Doses Homeopáticas (pág. 25) Adulto ! O Amor de Deus (pág. 31) Adulto ! Onde Anda Você? (pág. 38) Adulto ! Vidas Entrelaçadas pelas Linhas do Tempo (pág. 51) Adulto

Contos

! A Outra Banda do Rock (pág. 5) Adulto ! Histórias do Amanhã (pág. 27) Juvenil/Adulto ! O Livro Verde dos Elfos (pág. 32) Juvenil ! Amores Impossíveis (pág. 42) Juvenil

Drama

! O Voo da Fênix (pág. 37) Adulto

Fantasia/Ficção

! A Grande Rainha (pág. 4) Juvenil/Adulto ! A Profecia de Hedhen (pág. 7) Juvenil/Adulto ! A Princesa com Olhos de Gato (pág. 6) Juvenil/Adulto ! Arcano, o Despertar (pág. 13) Juvenil/Adulto ! As Árvores Sagradas de Nod (pág. 15) Juvenil/Adulto ! Instituição para Jovens Prodígios - Seleção (pág. 28) Juvenil ! Weigon Estranger e a Sociedade da Espada Negra (pág. 54) Juvenil/Adulto

GLS

! Amor Invertido (pág. 12) Adulto

Mitologia/Histórico

! O Oitavo Pecado (pág. 33) Adulto ! Trinta e tres (pág. 46) Adulto

Poesia

! A Lágrima dos Anjos (pág. 16) Adulto ! Alma Nua (pág. 10) Juvenil/Adulto ! Arte Crua (pág. 14) Adulto ! As Lágrimas dos Anjos e os Versos do Amor (pág. 16) Adulto ! Do Outro Lado dos Sonhos o Perfume dos Teus Sorrisos (pág. 20) Adulto


! Uma leve, Apaixonante e Tumultuada História de Amor (pág. 48) ! Adulto ! Variedades Poéticas (pág. 49) Adulto ! Vicissitudes (pág. 50) Adulto ! ! Policial ! ! Elixir de Vênus (pág. 22) Adulto ! ! Projeto Afrodite (pág. 41) Adulto

Romance

! ! A hora da verdade (pág.5) Juvenil/Adulto ! ! A Menina e o Violino (pág. 4) Juvenil/Adulto ! ! Abaixo do Céu (pág. 8) Adulto ! ! Amor, Indeciso Amor (pág. 11) Adulto ! Casamento por Aparências (pág. 18) Adulto ! Decisões (pág. 19) Adulto ! ! Doce Perseguição (pág. 21) Adulto ! Fascínio Egípcio (pág. 24) Adulto ! Não Posso Esconder (pág. 30) Juvenil ! ! O Segredo de Eva (pág. 34) Adulto ! ! Paraíso (pág. 40) Adulto ! ! Seablue (pág. 44) Adulto ! ! Sentimento Fatal (pág. 45) Adulto ! ! Um Amor e um Amigo (pág. 47) Adulto ! ! Vítimas do Silêncio (pág. 52) Adulto !

Sobrenatural

! O Túnel do Tempo (pág. 35) Adulto ! O Voo da Estirpe (pág. 36) Adulto ! ! Padaria (pág. 39) Juvenil/Adulto ! Vozes do Silêncio (pág. 53) Adulto ! Youkai (pág. 55) Juvenil/Adulto ! ! Suspense/Terror ! Brumas Escusas (pág. 17) Adulto ! Herdeiro da Névoa (pág. 26) Adulto ! ! Medo do Escuro e Outras Histórias (pág. 29) Juvenil/Adulto ! ! Vampiro ! ! Encontro na Noite (pág. 23) Juvenil/Adulto ! ! Rubi de Sangue (pág. 43) Adulto


Catalogo 2014 primeiro semestre  

Conheça mais sobre a nova literatura brasileira

Catalogo 2014 primeiro semestre  

Conheça mais sobre a nova literatura brasileira

Advertisement