Page 162

—Aye, desejo, mais que tudo, mas se vive agora, viverá o suficiente para que eu vá a ele. Devo voltar para Rossmoor. Cedric, dê minhas desculpas ao Lorde Dunsworth. Diga-lhe que lhe desejo o melhor e que espero vê-lo logo. Voltou-se e se afastou dele, mas Cedric a deteve lhe rodeando o braço com a mão. Isabel se voltou e se deteve em seco. Os olhos de Cedric trocaram de quentes e amistosos a escuros e perigosos. Lentamente, ele sacudiu a cabeça. —Minhas instruções foram claras. Não voltar sem Lady Isabel. Não decepcionarei o milord. Ela retirou o braço, mas ele a agarrou de novo. —Arlys compreenderá minha lealdade ao Rossmoor. Certamente, poderá lhe fazer entender. —Nay. Há mais que isso. Requer seu tesouro. Milord levanta um exército. Muitos vêm do norte para lutar por nossa causa. Quando triunfar, suas terras serão restauradas, assim como as de todos os saxões. —Isso é uma loucura agora mesmo! William tomou Londres por assalto. Seus cavalheiros rondam pela campina inglesa armados até os dentes. Há rumores que tem milhares de mercenários mais a caminho. Não é o momento adequado! —Aye, é! O Witan é forte. Os nobres estão se reunindo. Agora é o momento! Interporia-lhes no caminho de Edgar, o legítimo rei? Isabel sacudiu a cabeça. —Nay. Apóio ao Edgar e farei minha parte para lhe ver reclamar seu direito ao trono, mas não sou tão ingênua para acreditar que William pode ser dominado agora. Sua campanha é impiedosa. Deixará a ilha inteira limpa de ingleses. Cedric sacudiu a cabeça. Isabel persistiu. Agarrou-lhe as mãos e lhe suplicou. —Estas últimas noites os Les morts, seu esquadrão da morte de élite, residem no Rossmoor. Ouvi-os falar. Não só William tem apoio no Westminster, mas sim seu exército segue sendo forte. Tem arcas para apoiar sua reclamação. Prevalecerá se for desafiado agora. —Há mais em jogo. Isabel o olhou —Que mais? —É digna de um forte resgate. Isabel riu, o som amargo. —Quem pagaria boa prata por mim? Fui reduzida a uma escrava. —Do Monfort mostrou interesse. Isabel ofegou e se deu conta de algo. —É uma armadilha! Arlys não te enviou por mim! Cedric, como pudestes me enganar? À medida que se apartava, ele se movia para ela. —Pela causa, milady. Do Monfort tem dinheiro, e está disposto a desprender-se de uma boa soma para te ter. Isabel sacudiu a cabeça. —Nay! Não irei com ele. Terá que me matar primeiro!

Profile for Giselle Troitskyevna

O legado da espada de sangue 01 - o senhor da rendição - Karin tabke  

O legado da espada de sangue 01 - o senhor da rendição - Karin tabke  

Advertisement