Page 157

—Deixastes na Normandía o amor de uma mulher? Quando ele franziu o cenho em resposta, Isabel seguiu lhe perguntando. —Reconheceu-lhe seu pai? O cenho franzido se aprofundou. —Suspenda seu falatório. Isabel devolveu a seu semblante carrancudo um exagerado de proveito próprio. —Será difícil. É o que fazem as mulheres. —É por isso que as evito. Isabel pôs-se a rir. —Não diga isso a Lyn e Sarah. Wulfson olhou por cima do ombro, como se algo lhe interessasse mais que a conversa. Isabel observava de perto ao preocupado cavalheiro. A primeira impressão sobre ele tinha sido acertada. O anjo atormentado era uma descrição apropriada. Como Stefan, era escuro e inquietante. —Liberaram-lhe da prisão com Rohan e Manhku? Wulfson sibilou uma exclamação, e a mão se fechou ao redor do punho do sabre. Os olhos verdes brilharam. Isabel instantaneamente lamentou sua curiosidade, mas tinha uma fome ardente de informação relativa ao Rohan. E sabendo que estes homens tinham ido ao inferno e retornado juntos, esperava que através deles pudesse entender melhor ao homem que a tinha trocado o mundo inteiro. Isabel apoiou a mão sobre a de Wulfson. —Às vezes, minha curiosidade me leva a falar fora do turno. Minhas desculpas. O cavalheiro finalmente a olhou. A dor e a fúria lhe nublavam os olhos. Quando falou, a voz era grave e gutural. —Sua pergunta me recordou coisas que são melhor esquecer. Lhe oferecendo um sorriso vacilante, Isabel assentiu. —Venha, vamos ver o resto dos aldeãos. Ele assentiu com a cabeça, e partiram. Isabel estava encantada de ver tantas caras conhecidas. Embora ao princípio muitos dos camponeses duvidassem em lhe oferecer seus respeitos devido ao gigantesco cavalheiro que a acompanhava, quando se deram conta de que não lhe demonstrava nenhum medo, estiveram mais inclinados a aproximar-se. Suas histórias da fuga dos invasores, e também de Monfort, puseram Isabel a beira dos nervos. As histórias das ações de Monfort estavam obtendo uma talha épica. Isabel temia que se o homem não se detinha, ele por si só destruiria Norfolk. Ela sentiu a reação de Wulfson mais do que ele expressou. Enquanto Wulfson dava escolta a Isabel de volta ao salão para o almoço, ela se surpreendeu ao ver a indesejada prima de Aryls a caminho para o estábulo. —Isso não lhes parece incomum? —perguntou Isabel ao Wulfson. Ele seguiu seu olhar e franziu o cenho. Nesse momento, Deidre levantou a vista para encontrá-los olhando-a. O passo vacilou e, recuperando-se rapidamente, dirigiu-se para eles.

Profile for Giselle Troitskyevna

O legado da espada de sangue 01 - o senhor da rendição - Karin tabke  

O legado da espada de sangue 01 - o senhor da rendição - Karin tabke  

Advertisement