Page 1

03


04


05


06


07


08


09


Triênio 2011/2013

A

presença honrosa do Sr. Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, na abertura oficial da 9ª edição da MEGALEITE, e a realização da Audiência Pública da SUBLEITE – 2012, da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, da Câmara dos Deputados, mais que o apreço e o reconhecimento político ao Agronegócio do Leite, balizaram a importância e a relevância do evento, tema central desta edição especial da revista “O Girolando”. Neste ano de 2012, a raça Girolando e as raças Gir Leiteiro, Holandês, Pardo-Suíço, Simental, Sindi, Guzerá e Indubrasil Leiteiros puderam, através das Pistas de Julgamento e Torneios Leiteiros, mostrar toda a evolução do melhoramento genético que, com muito trabalho e profissionalismo, os seus criadores e expositores apresentaram no Parque Fernando Costa, em Uberaba. Da mesma forma, o desenvolvimento tecnológico e os avanços das pesquisas puderam ser testemunhados através do apoio e presenças de parceiros, sempre, e das entidades representativas dos diversos elos da cadeia produtiva do leite. É certo que um evento desta envergadura é bastante complexo, envolvendo trabalho intenso e interativo de muitos. Os méritos alcançados devem ser compartilhados com todos que os tornaram possíveis, a quem somos muito gratos. A Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, através da atual Diretoria Executiva, tem plena consciência de sua responsabilidade nos rumos da MEGALEITE, para a raça que representa. Assim, mesmo saudando os números, resultados e valores alcançados nos torneios leiteiros, pistas, leilões e shoppings, sabe que a grande riqueza do Girolando está na sua versatilidade e pluralidade, que permitem atender com eficiência e efetividade, da pecuária familiar à empresarial e é fundamental defendermos e preservamos estas conquistas. Concluída a MEGALEITE 2012, ao lado do fechamento das contas já iniciamos uma ampla análise criteriosa, ouvindo expositores, criadores e parceiros, para não perdemos o foco dos principais valores e sustentabilidade da raça, reforçando os pontos positivos e acertos, corrigindo as falhas e promovendo os ajustes e correções necessárias. A credibilidade e os avanços conseguidos são determinantes em nossa disposição de nos prepararmos para, em 2013, de 30 de junho a 07 de julho, realizarmos a melhor MEGALEITE, comemorando sua histórica 10ª Edição e retribuindo a confiança de todos que nos concederam o privilégio de representá-los neste Triênio 2011/2013. Um abraço fraterno. Uberaba, agosto de 2012.

04


05


Editorial

O

Brasil tem a oportunidade de construir democraticamente novos caminhos neste ano, com mais uma eleição municipal. Olhando o histórico da política brasileira, não será uma tarefa fácil. Somos um país relativamente jovem no que diz respeito à democracia e estamos aprendendo a exercê-la, mas precisamos acelerar nosso ritmo de aprendizado. Conhecer mais a fundo os candidatos é fundamental para definir quem melhor representará nossos anseios e necessidades. No caso da pecuária leiteira, são muitas as reivindicações. Não se pode mais aceitar um preço tão baixo pelo litro do leite, enquanto os custos de produção sobem descontroladamente. A excessiva entrada de leite subsidiado no mercado nacional, concorrendo de forma desleal com nossos produtores, também não deve mais ser tolerada. Mas, se elegemos candidatos cujas propostas de campanha não contemplam o agronegócio, como poderemos cobrar depois? Precisamos votar conscientes de que somos o setor que mais gera empregos no país e de maior impacto na balança comercial. Portanto, precisamos nos fazer ouvir. Aproveite que a campanha vai começar, para conhecer melhor os candidatos e depois decidir quem realmente representa o povo brasileiro. Dada a dica, queremos ressaltar a qualidade genética do rebanho leiteiro nacional. As raças presentes na MEGALEITE 2012, ocorrida em julho, deram um show à parte e mostraram que o pecuarista brasileiro é referência mundial em melhoramento genético. Nesta edição da revista O Girolando, você vai acompanhar todos os resultados da feira. Esta edição traz ainda informações importantes sobre sanidade, mostrando qual o impacto das doenças reprodutivas na produção de bovinos e os cuidados com o fígado das vacas para não ocorrer queda na produtividade. Na parte de reprodução, você vai entender porque a observação do cio está diretamente ligada ao sucesso da Inseminação Artificial. Outro assunto importante, principalmente em tempos de crise econômica mundial, é o uso de ferramentas de gestão na pecuária leiteira. Para quem acompanha as exposições pelo Brasil, trazemos os resultados de diversos eventos que tiveram a raça Girolando disputando nas pistas. Não esqueçam que todas as reportagens e artigos técnicos publicados nesta edição, ou em edições anteriores, também podem ser lidos pelo site da Girolando (www.girolando.com.br) e comentados ou curtidos na página da revista no facebook. Larissa Vieira Editora imprensa@girolando.com.br

06

EXPEDIENTE: Revista O Girolando - Órgão Oficial da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando - Editora: Larissa Vieira - lamoc1@gmail.com - Depto. Comercial: Mundo Rural (34) 3336-8888, Míriam Borges (34) 9972-0808 e Walkiria Souza (35) 9133-0808 - ogirolando@mundorural.org - Design gráfico e arte: Jamilton Souza (34) 9187-0365, Yuri Silveira - Fotos: Jadir Bison - Revisão: Maria Rita Trindade Hoyler - Conselho editorial: Leandro Paiva, Fernando Brasileiro, Milton Magalhães, Jônadan Ma, José Donato Dias Filho, Maria Inez Cruvinel, Mauricio Silveira Coelho, Miriam Borges - Impressão CTP: Gráfica 3 Pinti (34) 3326-8000 - Distribuição gratuita e dirigida aos associados da Girolando, ABCGIL e órgãos de interesse ligados à cadeia produtiva de leite. - Redação: Rua Orlando Vieira do Nascimento, 74 - CEP: 38040-280 - Uberaba/MG - Telefax: (34) 3331-6000 - Assinaturas: ogirolando@mundorural.org - Telefax (34) 3336-8888 - Walkiria Souza

Curta nossa página: www.facebook.com/revistaogirolando

Siga-nos: www.twitter.com/ogirolando

Visite nosso site: www.girolando.com.br


07


imprensa@girolando.com.br

Gostaria de receber informações sobre distribuição gratuita de sêmens para gado leiteiro. Gostaria de iniciar um rebanho selecionado. Se existir alguma forma de me ajudarem, agradeço. Vera Lúcia Caetano Lobo Vera Lúcia, Para receber gratuitamente o sêmen do Teste de Progênie da Girolando, você precisa entrar no site da Girolando (www.girolando.com.br) e acessar o regulamento e a ficha de inscrição. Preencha a ficha de inscrição como rebanho colaborador, envie para a Girolando e aguarde o contato do técnico. Ele irá agendar uma visita à sua propriedade para avaliação de seu rebanho, entrega do sêmen e orientações sobre a utilização do mesmo. Para outros esclarecimentos, entre em contato pelo e-mail mcembranelli@girolando.com.br ou através do telefone 34-3331-6000. Marcello Cembranelli Coordenador operacional do PMGG O cruzamento de uma vaca Gir PO com touro Holandês PO resultará em um Girolando 1/2 sangue. Cruzando uma vaca 1/2 sangue com touro Holandês PO, terei Girolando 3/4. E o resultado de produção leiteira desse cruzamento? É o melhor que existe? Se não, qual o melhor cruzamento para o mesmo? Marcos Flávio Prezado Marcos, Realmente seu raciocínio quanto aos cruzamentos estão corretos: você vai obter um produto 3/4 Hol + 1/4 Gir. Quanto à produção leiteira não podemos afirmar que seria o melhor. Apesar de os produtos desse grau de sangue serem bastante produtivos, visto que os mesmos possuem 75% da raça Holandês, existem outros fatores que afetam a produção leiteira, como: sistema de manejo, disponibilidade de alimento, clima, etc. Portanto, não há como afirmar que este seria o melhor grau de sangue. Seria necessário realizar uma avaliação desses fatores em sua propriedade para determinar qual seria o melhor grau de sangue a ser trabalhado. Lembrando que esta é a principal vantagem da raça Girolando: poder se adaptar às diferentes situações de manejo e biomas, com seus variados graus de sangue. Marcello Cembranelli Coordenador operacional do PMGG Sou criador de Girolando e apaixonado pela raça, mas noto o brilho do 5/8 um pouco ofuscado pelos seus derivados o que ao meu ver não poderia acontecer, mesmo consciente da importância deles para a consolidação da

08

raça. Será que não é hora da associação tomar alguma medida para reverter esse quadro? Quem sabe diminuir os derivados? Será que ainda é necessário controlar o 7/8 holandês, 1/8 Gir? Jorge Mameri Júnior Prezado Jorge Mameri Júnior, Antes, quero parabeniza-lo pelas palavras sobre o gado Girolando, o qual, independentemente de ser Superintendente Técnico desta entidade, também sou apaixonado e mais do que tudo defensor de que este é o gado ideal para produção de leite nos trópicos. O Puro Sintético (PS), que é proveniente do acasalamento entre animais 5/8, é a raça propriamente dita. Os demais graus de sangue são cruzamentos utilizados para se chegar no PS, os quais se fazem ainda necessários e são importantes não somente para a formação da raça como também para o crescimento e manutenção do Serviço de Registro Genealógico, que dá sustentabilidade para os trabalhos desenvolvidos pela associação e pelas entidades de pesquisas parceiras, como a Embrapa Gado de Leite. Se observar os números atuais vai observar que os animais 5/8 e os PS são a maior representação do Girolando em exposições oficiais e em número de animais registros com genealogia conhecida anualmente, ou seja, livro fechado. O crescimento destes animais também pode ser visto no controle leiteiro e no teste de progênie, onde os touros estão superando em quantidade e em qualidade os animais 3/4. A venda de sêmen de touros 5/8 e PS também é bem superior aos demais graus de sangue. Quando você cita as matrizes 7/8, vale ressaltar que são importantes na formação da raça ainda, podendo ser avós de animais 5/8 e bisavós de animais PS, além de que a maioria destes animais são inseminados atualmente com sêmen de touros 5/8 ou PS, para obtenção de matrizes 3/4, que se tornam, na maioria dos casos, mães de 5/8. Ressalto ainda que a associação tem buscado cada vez mais valorizar o 5/8 e o PS, criando benefícios e incentivos técnicos para a ampliação da população do grau de sangue 5/8, visto que apesar da população destes animais estar crescendo muito, ainda é muito pequena para que possamos pensar em restrição dos demais graus de sangue. Temos que consolidar o 5/8 e o PS cada vez mais, para que possamos aumentar a população e a variabilidade genética das famílias e linhagens disponíveis de 5/8 e PS. O crescimento do 5/8 e do PS, com o tempo, a longo prazo, vai forçar a redução dos demais graus de sangue, mas que mesmo assim poderão ainda ser necessários para que sempre tenhamos novas linhagens e novas famílias, visto que o Girolando é uma raça sintética formada por outras duas raças que também estão em plena expansão.

Leandro Paiva

Superintendente do SRGRG


09


MEGALEITE 2012 evidencia qualidade da genética leiteira - 18

Ranking MEGALEITE 2012 - 30

Cio - Começo de tudo - 61

Fígado bovino e a produtividade da vaca leiteira - 66

Mensagem da diretoria Editorial Cartas Novos associados Entrevista Girolando premia os melhores do Ranking 2011/2012 Torneio de Recordes Nacionais Teste de Progênie - Sumário de Touros Raças zebuínas têm grandes disputas Holandês em alto nível na Interestadual Pardo-Suíço realiza Exposição Nacional Simental realiza 2ª Etapa do Ranking Nacional Flashes da MEGALEITE 2012 Aumento do número de animais portadores de CGN e RGN comprovam crescimento e expansão do Girolando O melhor cruzamento em F1 Exposições Agenda de eventos Ranking geral 2011/2012 Colostro Transparência Giro Lácteo Controle Leiteiro Contatos

10

04 06 08 12 14 26 34 38 42 44 46 48 50 54 58 74 85 86 88 90 92 96 118


11


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE GIROLANDO TRIÊNIO 2011/2013 ESTES SÃO OS NOVOS CRIADORES, E ENTIDADES DE CLASSE QUE PASSARAM A INTEGRAR O QUADRO SOCIAL DA GIROLANDO NOS MESES DE ABRIL, MAIO, JUNHO E JULHO DE 2012. PROP. Nº 6980 7015 6940 7038 7045 7050 7019 7060 7008 7017 7041 7040 7022 6996 7029 7035 7054 6997 7010 7032 7071 7037 7044 7000 7027 7062 7058 7011 7014 7043 7048 7012 7009 7055 7020 6993 6998 7039 7006 7001 7005 7018 7051 7030 7061 7026 6986 6995 7013 7059 7057 7042 7053 7049 7034 7028 7004 7024 6999 7023 7002 7003 7016 7021 7031 7052 7056 7068 7046 7025 6994 7033 7036 7063 7047

12

CRIADOR Ana Helena Spessoto Pimenta Freitas Alexandre Barbosa Meirelles Alexandre Lúcio Bizinoto Aristides Alves Vieira Afonso Celso da Conceição Rodrigues Adelson Ribeiro Fernandes Adriano Okano Ana Lúcia Nogueira Borges Adriano Vaz de Lima Claudinei Ribeiro Chaves Carolina Jamel Edim Laender Cláudio Antônio Florentino Redondo Dagoberto Ari Daros Delvito Alves da Silva Filho Evaldo Gonçalves de Faria Emilio Afonso Franca Fontoura Eduardo Vieira Marcelo Funchal Ltda Fernando José Alves Fábio Luigi Pires Motroni Fábio dos Santos Barcellos Francisco Rony Reis de Araújo Francisco Rafael Gonçalves Ginevalda Aparecida Bento Gastão Carvalho Filho Giovani Nunes de Miranda Humberto Siqueira Póvoa Ivan Batista de Andrade Ivan Batista Pessato Jorge Santos Martins Jorge Ferreira Franco Filho João Antônio Gabriel João Antônio Macedo Santana Júlio dos Santos Filho Joaquim Tarcísio Gonçalves José Naves de Ávila Neto José Carlos Reis José Humberto Ramos Scalon José Roberto Roland de Oliveira José Lúcio Barbosa José Mário Sousa Pires José Eduardo Pires do Rio Branco José Santana de Vasconcellos Moreira Jorge Eurípedes de Oliveira Luiz Carlos Costa Rêgo Messias Carlos Portes Júnior Maquis Ranzani Júnior Maurício Mauro Martins Maurício Rafael Cosendei Bauer Maria Inez Cruvinel e Outros – Condomínio Marcus Weiss de Paula Marcus Vinícius Borges de Carvalho Marcos Pereira Camargos Marcos Antônio Cardoso de Mattos Marcos Antônio do Nascimento Marco Antônio Garambone Olair José da Silva Otacílio Amarante Pereira de Almeida Plinio José da Rocha Paulo Celso Ribeiro Garcia Bernardes Rosberg de Siqueira Pinheiro Rafael Guimarães Barbosa Regilvan Martins Sobrinho Ricardo Teixeira Paletta Roberto Cipriano Goldoni Mattiy Ronaldo Antônio Zica da Costa Roseno Gomes Peçanha Roberto Hashioka Soler Sérgio Naves Rodrigues da Cunha Tarcísio Inácio Meireles Viviam Silvia dos Anjos de Souza Volgano Pastore Spadetti Valdir Daroit Zileide Pereira Carrijo Wellington Vargas Ziliotto

MUNCÍPIO Franca – SP Itaperuna – RJ Uberaba – MG Muriaé – MG Resende – RJ Bicas – MG Ituverava – SP Uberaba – MG Casa Branca – SP Bambuí – MG Teófilo Otoni – MG Uberaba – MG Maringá – PR Belo Horizonte – MG Uberlândia – MG Uberaba – MG Ubá – MG Belo Horizonte – MG Patrocínio – MG Nova Friburgo – RJ Frei Inocêncio – MG Campos dos Coytacazes – RJ Pouso Alegre – MG Paranaiba – MS Belém – PA Peixoto de Azevedo – MT Campos dos Coytacazes – RJ Uberaba – MG Uberaba – MG Cabo Frio – RJ Jacobina – BA Taquarituba – SP Aracaju – SE São Paulo – SP Patrocínio – MG Uberlândia – MG Valença – RJ Sacramento – MG Mogi Mirim – SP Uberaba – MG São João Del Rei – MG Brasília – DF Belo Horizonte – MG Uberlândia – MG Jacutinga – MG Santa Helena de Minas – MG Vargem Grande do Sul – SP Belo Horizonte – MG Ouro Preto do Oeste – RO Uberaba – MG Juiz de Fora – MG Juiz de Fora – MG Paracatu – MG São João Nepomuceno – MG São João Del Rei – MG Bicas – MG Matutina – MG Santana de Pirapama –MG Rio de Janeiro – RJ Cuiabá – MT Uberlândia – MG Piracanjuba – GO Terra Nova do Norte – MT Jacutinga – MG Nova Friburgo – RJ Dores do Indaiá – MG Santo Antônio de Pádua – RJ Nova Andradina – MS Uberlândia – MG Miradouro – MG Santo André – SP Muniz Freire – ES Varzea Grande – MT Uberlândia – MG Umuarama – PR

Presidente: José Donato Dias Filho 1º Vice-presidente: Fernando Antonio Brasileiro Miranda 2º Vice-presidente: Maurício Silveira Coelho 3º Vice-presidente: Jônadan Hsuan Mim Ma 4º Vice-presidente: Ivan Adhemar de Carvalho Filho 1º Diretor-administrativo: Milton de Almeida Magalhães Júnior 2º Diretor-administrativo: Adolfo José Leite Nunes 1º Diretor-financeiro: Maria Inez Cruvinel Rezende 2º Diretor-financeiro: Eugênio Deliberato Filho Relações Institucionais e Comerciais: João Domingos Gomes dos Santos

Conselho Fiscal Jeronimo Gomes Ferreira Silvio de Castro Cunha Júnior Marcelo Machado Borges Suplentes Conselho Fiscal Eduardo Jorge Milagre José Alberto Paiffer Menk Luiz Carlos Rodrigues Conselho Consultivo Antônio José Junqueira Villela Joaquim Luiz Lima Filho Nelson Ariza Roberto Antônio Pinto de Melo Carvalho Rodrigo Sant’anna Alvim Suplentes Conselho Consultivo Geraldo Antônio de Oliveira Marques Guilherme Marquez de Rezende Leonardo Moura Vilela Rubens Stacciarini Tomaz Sérgio Andrade de Oliveira Júnior

Membros Conselho Deliberativo Técnico 2011/2013 Membros Natos Alisson Luis Lima Leandro de Carvalho Paiva

Representante do MAPA Superintendente Técnico

Membros Efetivos

Membros Suplentes

Limírio Cezar Bizinotto Marcello A. R. Cembranelli Milton de Almeida Magalhães Neto Valério Machado Guimarães

Juscelino Alves Ferreira Walter Roriz de Queiroz Tiago Moraes Ferreira Daniella Martins da Silva

CONSELHO DE REPRESENTANTES ESTADUAIS: AL – Paulo Emílio Rodrigues do Amaral AM – Raimundo Garcias de Souza BA – José Geraldo Vaz de Almeida BA – Luiz Tarquinio Duarte Pontes BA – Jorge Luiz Mendonça Sampaio CE – Cristiano Walter Moraes Rola DF – Dilson Cordeiro de Menezes DF – Erotides Alves de Castro DF – Ismael Ferreira da Silva ES – Rodrigo José Gonçalves Monteiro GO – Elmirio Monteiro Marques Júnior GO – José Mário Miranda Abdo GO – Léo Machado Ferreira GO – Itamir Antônio Fernandes Vale MG – Anna Maria Borges Cunha Campos MG – Carlos Eduardo Fajardo de Freitas MG – Horácio Moreira Dias MG – José Ricardo Fiuza Horta MG – Júlio Cesar Brescia Murta MG – Paulo Henrique Machado Porto MG – Salvador Markowicz Neto MS – Aurora Trefzger Cinato Real MS – Ronan Rinaldi de Souza Salgueiro

MS – Rubens Belchior da Cunha PA – Zacarias Pereira de Almeida Neto PB – Antônio Dimas Cabral PB – Yvon Luiz Barreto Rabelo PE – Cristiano Nobrega Malta PE – Eriberto de Queiroz Marques PR – Antônio Francisco Chaves Neto PR – Bernardo Garcia de Araújo Jorge PR – João Sala RJ – Filipe Alves Gomes RJ – Herbert Siqueira da Silva RJ – Jaime Carvalho de Oliveira RJ – Luciano Ferreira Guimarães RO – José Vidal Hilgert SE – Lafayette Franco Sobral SE – Ricardo Andrade Dantas SP – Adriano Ribeiro de Oliveira SP – Braulio Conti Júnior SP – Decio de Almeida Boteon SP – Eduardo Falcão de Carvalho SP – Pedro Luiz Dias SP – Roberto Almeida Oliveira SP – Virgilio Pitton TO – Eli José Araújo


13


Entrevista Por Larissa Vieira

Brasil pode estar próximo de ter uma política nacional para o leite

Domingos Sávio Deputado federal (PSDB-MG)

14

O Girolando - A Subcomissão Permanente do Leite tem viajado pelo Brasil para ouvir as reivindicações dos produtores rurais e entidades que atuam no setor. De que forma as propostas apresentadas nas audiências públicas poderão contribuir para o avanço do setor? Domingos Sávio - Realizaremos audiências públicas em vários Estados brasileiros, até setembro, para ouvir os produtores rurais sobre o mercado do leite, mais especificamente sobre: fixação de preço justo do leite para os produtores; o combate aos cartéis na produção dos insumos lácteos; o estabelecimento de mecanismos de proteção do mercado interno de importação de produtos subsidiados; e a redefinição da carga tributária sobre leite in natura. Assim que encerrarmos as conferências estaduais, teremos uma conferência nacional, no mês de novembro, para traçarmos o Plano de Política Nacional do Leite, com base nas solicitações apresentadas nas audiências públicas. O Brasil nunca teve um planejamento para o setor que envolvesse vários pontos, como: assistência técnica, extensão rural, preço, sanidade. Com o Plano Nacional do Leite, governo e produtores poderão definir melhor as ações para o crescimento do setor.

Divulgação

Sem política específica para o setor, a pecuária leiteira quer construir um planejamento nacional capaz de espantar antigos problemas, como: falta de preço justo, excesso de burocracia na liberação de crédito rural, cartel, etc. À frente da Subcomissão Permanente do Leite (Subleite) da Câmara dos Deputados, o deputado federal (PSDB-MG) Domingos Sávio está percorrendo o Brasil junto com os demais membros da subcomissão a fim de ouvir os produtores rurais e buscar sugestões para criação do Plano de Política Nacional do Leite. Sávio foi quem propôs a criação da Subleite, no ano passado. Mineiro de São Tiago e filho de lavrador, ele já viveu a realidade do setor quando atuava como médico veterinário e presidente do sindicato rural e de cooperativas de Divinópolis. Criador de Girolando, ele confessa que a vida de produtor tem cedido cada vez mais espaço para a rotina no Legislativo. Em entrevista à revista O Girolando, Sávio fala sobre os principais desafios da pecuária leiteira.


Gustavo Lima

O Girolando – Dentro desse plano, está a questão sanitária, um dos pontos que vêm dificultando a aplicação total da Instrução Normativa 62 no país?

cá, alegando se tratar de leite chileno. Não podemos nos calar até conseguirmos uma ação mais efetiva do governo brasileiro contra essa triangulação.

Domingos Sávio – A política sanitária precisa ser revista pelo governo, pois tem impedido o crescimento do setor em alguns casos. O queijo minas, por exemplo, não pode ser comercializado fora de Minas Gerais, prejudicando os pequenos produtores e a indústria mineira. O governo exige a mesma tecnologia para pequenos e grandes produtores, o que só facilita o cartel. A indústria tem exigido um grande volume de produção, que só pode ser atendido pelos grandes produtores. Com isso, o pequeno produtor fica de fora e tem sua produção inviabilizada. Esses pequenos produtores não conseguem aumentar a produção, pois não têm recursos suficientes para isso. O leite para essas propriedades tem uma função social muito importante, que não pode ser ignorada pelo governo.

O Girolando – De que forma a instalação do Conseleite em todos os Estados poderia contribuir para o setor?

O Girolando – Outra solicitação do setor é a proteção do mercado interno, que o governo brasileiro tem feito timidamente. O senhor concorda? Domingos Sávio – O governo federal é o único que pode resolver o problema da importação excessiva de leite de lácteos, em especial o leite em pó, mas tem sido omisso ou lento em suas ações. O leite que entra no Brasil vem de uma triangulação com países que não integram o Mercosul, para se aproveitarem da isenção de tarifa dada aos países membros do bloco econômico. Veja o caso do Chile, que não produz nem o suficiente para abastecer seu mercado interno, mas tem exportado grandes quantidades para o Brasil. As grandes indústrias com unidades no Chile importam leite de países de produção totalmente subsidiada, mas que estão fora do Mercosul, e enviam esse produto para

Domingos Sávio – O Conseleite viabiliza o diálogo entre todos os elos da cadeia produtiva e os governos estadual e federal. Nos Estados do sul do Brasil, onde o Conseleite já atua, tem funcionado muito bem. O Conselho é formado por representantes dos produtores, da indústria, das cooperativas e do governo estadual. Na visita que fiz à França para conhecer a cadeia leiteira europeia, conheci o funcionamento desse tipo de conselho. Os contratos feitos entre os produtores franceses e a indústria são intermediados pelo Conselho e chegam a ter vigência de cinco anos, dando mais garantias aos produtores. Aqui no Brasil só agora começou a vigorar a exigência da indústria para divulgar com antecedência o preço que será pago ao produtor no próximo mês. O Girolando – O governo federal ampliou o volume de recursos tanto do Plano Agrícola quanto do Plano Safra para a Agricultura Familiar. Para a pecuária leiteira, os planos foram dentro do esperado pelo setor? Domingos Sávio – Eles melhoraram o volume de recursos, porém o excesso de burocracia continua. As cooperativas têm muita dificuldade em conseguir crédito por causa das exigências feitas. No caso de uma pessoa física, ela pode dar uma propriedade como garantia. Já a cooperativa não tem como fazer isso e precisa ter um tratamento diferenciado, pois ela é que capta o leite dos pequenos produtores.

15 15


16


17


Foto: Jadir Bison

MEGALEITE 2012 evidencia qualidade da genética leiteira

18

que a edição do ano passado, a MEGALEITE registrou um crescimento de 40,2%. Também foram comercializados bovinos em dois shoppings de animais, gerando R$ 1.272.312,00. Pitty

A

cidade mineira de Uberaba transformouse na capital nacional do leite com a realização da 9ª Exposição Brasileira do Agronegócio do Leite (MEGALEITE) entre os dias 1º e 8 de julho. Com a participação das raças Girolando, Gir Leiteiro, Holandês, Pardo-Suíço, Simental, Guzerá, Sindi e Indubrasil concorrendo na pista de julgamento do Parque Fernando Costa ou nos torneios leiteiros, a feira atraiu cerca de 40 mil pessoas. Mais uma vez, a MEGALEITE evidenciou o alto nível genético alcançado pelos selecionadores das principais raças bovinas leiteiras do país, refletindo positivamente nos negócios. Segundo a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, o volume de negócios da feira (incluindo as vendas realizadas pelas empresas com estande no evento, leilões e shoppings) foi de R$55 milhões. Os 12 leilões realizados atingiram um faturamento de R$ 10.134.780,00 com a comercialização de bovinos das raças Girolando, Gir Leiteiro e Holandês. Mesmo com um leilão a menos

Leilões da MEGALEITE movimentaram mais de R$9 milhões


Confira o faturamento de todos os leilões e shoppings:

3º Leilão Fazendas Reunidas HD e Convidados: Leilão Calciolândia 50 Anos: 5º Leilão Boa Fé, Ma Shou Tao e Amigos: Leilão Liquidação de Plantel Gir Leiteiro Taquaril: Leilão Celeiro da Raça: 3º Leilão Girolando Nova Geração e Prenhezes: 9º Leilão Gir Leiteiro Matrizes do Futuro: Leilão Girolando Minas de Ouro: Girolando Úbere Cheio: 5º MUT-VR: IV Leilão Tropical FIV E Convidados: Leilão Divas do Girolando: Shopping Minas de Ouro: Shopping Monte Verde: Pitty

Secretário de Agricultura de Minas Gerais Elmiro Nascimento e ministro Mendes Filho conhecem o projeto do CCG com o presidente da Girolando José Donato

SUBLEITE ouve reivindicações do setor Além de mostrar o avanço genético do rebanho leiteiro do Brasil, a MEGALEITE 2012 foi palco de importantes debates para o setor. O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, participou da abertura oficial do evento e destacou a expansão no volume de crédito e a regionalização do Plano Agrícola e Pecuário 2012/13. De acordo com o ministro, o setor da pecuária de leite terá as linhas de financiamentos para aquisição de matrizes e reprodutores renovadas e a taxa de juros reduzida dos atuais 6,75% para 5,5%. O limite de crédito para o setor também foi elevado de R$ 650 mil para R$ 650 mil por produtor, assim como o limite de comercialização às agroindústrias e processadoras de leite passou de R$ 40 milhões para R$ 50 milhões, com a ampliação do prazo para 240 dias. Mendes Ribeiro Filho enfatizou o aumento histó-

R$61.200,00 R$ 2.914,500,00 R$ 1.018.800,00 R$ 434.700,00 R$ 346.320,00 R$ 370.080,00 R$ 618.000,00 R$ 859.200,00 R$ 531.120,00 R$ 838.800,00 R$ 1.209.840,00 R$ 710.940,00 R$ 811.112,00 R$ 461.200,00

rico dos recursos voltados ao setor para R$ 115,25 bilhões no Plano Agrícola e Pecuário 2012/13, que representa 22% a mais do que o plano anterior, ressaltando ainda uma política agrícola diferenciada que beneficia ações regionais. “O plano foi concebido com base na regionalização das políticas de apoio ao produtor, voltadas às realidades locais. Os investimentos também focam áreas estratégicas como armazenagem, irrigação, correção e conservação de solos, equipamentos agrícolas e no Programa Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC)”, afirmou. O ministro participou da abertura da audiência pública externa da Subcomissão do Leite da Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados e se comprometeu a receber uma comitiva de criadores para debater as sugestões apresentadas na MEGALEITE. “Além de apresentar o alto nível genético das raças leiteiras, a feira foi importante em vários sentidos. Conseguimos fazer com que nossas reivindicações so-

19


Pitty

pesquisas com genética têm garantido o avanço da produção. O deputado federal Domingos Sávio informou que será elaborada uma política nacional do leite ainda neste ano, para nortear o setor. O deputado federal Carlos Magno destacou que é preciso fortalecer ou implantar o Conseleite (Conselho do Leite) em todos os Estados brasileiros a fim de garantir melhor política de preço para o setor.

Ocitocina: vale a pena usar? Outro tema discutido na MEGALEITE foi o uso do hormônio ocitocina na Deputados e representantes da cadeia leiteira durante audiência pública da SUBLEITE pecuária leiteira. O debate aconteceu durante o 2º Fórum do Zebu Leiteiro, promobre o mercado de lácteos fossem ouvidas pelo ministro vido pela ABCZ. Técnicos, pesquisadores, criadores, da Agricultura, Mendes Ribeiro, e pela Subcomissão produtores de leite, representantes de empresas privado Leite. Do ponto de vista econômico, a feira mostrou das e de entidades do setor debateram as vantagens que o setor de genética segue firme, apesar de o setor ou prejuízos do uso contínuo do hormônio ocitocina leiteiro sofrer com o alto custo de produção e com o em vacas leiteiras. baixo preço do leite”, disse o presidente da Girolando, Os integrantes da mesa foram os pesquisadoJosé Donato Dias Filho, que apresentou ao ministro e res João Alberto Negrão (FZEA/USP) e Ronaldo Braga ao secretário de Agricultura, Pecuária e AbastecimenReis (UFMG), o vice-presidente da Girolando, Maurício to de Minas Gerais, Elmiro Nascimento, o projeto de Silveira Coelho, e o diretor de pecuária da Fazenda construção do Centro de Capacitação Girolando (CCG). Calciolândia, Ronaldo Santiago. O debate foi mediaTambém participaram da abertura da feira os do pela gerente do PMGZ Leite, a zootecnista Mariana deputados federais Marcos Montes e Paulo Piau. Alencar. Maurício Coelho relatou que na Fazenda SanA audiência pública da Subcomissão do Leite, ta Luzia, no município de Passos (MG), onde são propresidida pelo deputado federal Domingos Sávio, posduzidos, em pico de safra 18 mil litros/dia, a substância sibilitou aos produtores rurais apresentar suas reivindié uma ferramenta importante porque reduz o tempo cações para melhoria do setor. Participaram do evento de permanência dos animais na linha de ordenha e tem lideranças rurais, presidentes de cooperativas de leite, relação direta com a redução do intervalo entre partos. prefeitos da região do Triângulo Mineiro e produtores Ronaldo Santiago trouxe para a discussão conrurais. As importações de leite em pó do Uruguai e da siderações para a ocitocina como um fator negativo Argentina e a redução do preço pago ao produtor, pelo na seleção do gado puro. “Nós buscamos no rebanho litro de leite, foram alguns dos temas debatidos. O reaqueles animais capazes de produzir no sistema de orpresentante da Organização das Cooperativas Brasileidenha mecânica sem a necessidade da presença do ras, Vicente Nogueira, questionou o fato de os dados bezerro. Se aplicamos a ocitocina indiscriminadamendos importadores de leite não poderem ser divulgate, estimulamos de forma artificial a descida do leite e dos, levantando dúvidas sobre quem são os reais imigualamos as vacas dentro desta condição de seleção portadores e quais os objetivos da compra. e, por isso, não vamos conseguir identificar essa caracO presidente da Comissão do Leite da CNA, Roterística relacionada ao temperamento das matrizes”, drigo Alvim, criticou o fato de o governo brasileiro não disse Santiago. coibir a entrada de leite em pó do Uruguai e impor limiJoão Alberto Negrão, pesquisador da FZEA/ tes apenas à Argentina. O deputado federal José Silva USP, concorda que o hormônio pode representar um falou da necessidade de se instalar uma CPI do Leite risco para projetos seletivos por alterar informações de para avaliar a atuação do varejo. Já o chefe-geral da características, mas ele destaca o medicamento como Embrapa Gado de Leite, Duarte Vilela, destacou que as ferramenta tanto para indução do parto quanto para

20


21


Comitiva de criadores do Espírito Santo

melhorar a eficiência dos projetos comerciais, e condena o uso indiscriminado em 100% do rebanho. “Usar ocitocina em todas as vacas que entram na ordenha é uma atitude anti-econômica, pois eleva os custos em uma atividade que já trabalha com margens muito reduzidas. O hormônio é importante para as vacas que re-

Pitty

Pitty

almente apresentam problemas ou dificuldades na injeção do leite. Saber em qual vaca usar a ocitocina vai depender muito do conhecimento e da atenção do ordenhador. Com relação a interferir na qualidade do produto, isso não é considerado um problema, já que a ocitocina é um dos componentes naturais do leite e, mesmo em nível mais elevado pela aplicação, ela acaba diluída no suco gástrico”, assegurou Negrão. O professor Ronaldo Braga Reis conduziu um estudo em 80 animais. Ele afirmou que o uso do hormônio não gerou diferença significativa na produção, mas aumentou a curva de produção das lactações e reduziu o intervalo entre partos. “Nós usamos, durante a pesquisa, uma quantidade cinco vezes menor da substância, do que é permitido. Os resultados que obtivemos contraria a literatura existente que relaciona o tratamento a problemas de infertilidade nas fêmeas. Diluímos 10 unidades internacionais/ml da ocitocina para fazer doses com apenas 2 un/ml. A diferença entre remédio e veneno é mínima”, concluiu o pesquisador.

Mérito Girolando Pelo segundo ano consecutivo, a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando prestou homenagem a criadores e a profissionais que vêm contribuindo para o desenvolvimento do agronegócio. Na categoria “Produtor de leite”, o homenageado foi o criador José Coelho Vitor, da cidade de Passos (MG). Titular da Fazenda Santa Luzia, ele é um dos mais tradicionais selecionadores da raça Girolando e um dos maiores produtores de leite do país, com o rebanho Girolando. Na categoria “Criador”, o Mérito foi para Ellos José Nolli, que é selecionador de gado Holandês na Fazenda Cachoeira, em Caeté (MG). O criador acaba de ter uma fêmea entre as maiores produtoras do país, superando a expressiva marca de 100 mil litros de leite produzidos. Na categoria “Mulher”, quem recebeu a homenagem foi a criadora Nazareth Dias Pereira. Em Carmo de Minas (MG), ela comanda

22

Homenageados, familiares e diretoria da associação na entrega do Mérito Girolando

o Grupo Sertão, que além da criação de Girolando, conta com mais de 100 anos de tradição na produção e comercialização de cafés de alta qualidade. Na categoria “Personalidade do Ano”, o agraciado foi o deputado federal Paulo Piau, que recebeu a homenagem das mãos do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, durante a solenidade de abertura oficial da MEGALEITE, realizada no dia 2 de julho. Os demais homenageados receberam a comenda no dia 4 de julho.


Pitty

Jornada Técnica na MEGALEITE A 1ª Jornada Técnica da Raça Girolando abriu a programação da MEGALEITE 2012. Ocorrido nos dias 29 e 30 de junho, no Parque Fernando Costa, o curso foi dividido em aulas teóricas e práticas. Quase cem pessoas, entre profissionais do setor pecuário, estudantes e produtores rurais, participaram da Jornada Técnica, que teve como objetivo difundir a raça Girolando e os procedimentos necessários para desenvolver um trabalho de seleção animal de qualidade. Os temas abordados foram: história e evolução da raça Girolando; estratégias de cruzamento; melhoramento genético; seleção animal; características econômicas de vacas leiteiras; morfologia de animais leiteiros; escrituração zootécnica; utilização do sistema Web Girolando; controle leiteiro e diferenciação dos graus de sangue.

23


24


25


Jadir Bison

Girolando premia os melhores do

Ranking 2011/2012

E

m sua 23ª edição, a Exposição Nacional de Girolando contou com quase 700 animais em pista e no torneio leiteiro. Os jurados Jesus Lopes Júnior, André Nogueira Junqueira, Euclides Prata dos Santos Neto, Lilian Jacinto, Fernando Boaventura e Fábio Fogaça definiram os grandes campeões da feira. A MEGALEITE encerrou o Ranking Nacional da raça. Os primeiros colocados do Ranking 2011/2012 foram premiados no final da feira. Confira, a seguir, os campeões.

26


Campeões Girolando 3/4 sangue Melhor Fêmea Jovem: Carmem Pagem da Santa Lucrécia Proprietário: José Orlando Bordin Res. Fêmea Jovem: JPZ Perla Garimpo Linda FIV Proprietário: Alexandre Saraiva de Moraes 3 Melhor Fêmea Jovem: TEL Alemanha da S.L.G TE Proprietário: Celso Ceravolo Paoliello Melhor Úbere Jovem: Fafá JM Monte Alverne Proprietário: Luiz Paulo Levate Res. Melhor Úbere Jovem: JEL R. Grande Armstead Garrafa TE Proprietário: Celso Ceravolo Paoliello 3 Melhor Úbere Jovem: Tracia Spirte Santa Luzia Proprietário: Maurício Silveira Coelho Melhor Vaca Jovem: JEL R. Grande Armstead Garrafa TE Proprietário: Celso Ceravolo Paoliello Res. Melhor Vaca Jovem: Fafá JM Monte Alverne Proprietário: Luiz Paulo Levate 3 Melhor Vaca Jovem: Tracia Spirte Santa Luzia Proprietário: Maurício Silveira Coelho Melhor Úbere Adulto: Baroneza Jurist Santa Luzia Proprietário: Alexandre Saraiva de Moraes Res. Melhor Úbere Adulto: Marcela Lemmer Santa Luzia Proprietário: Eriberto de Queiroz Marques 3ª Melhor Úbere Adulto: Josimar M

Proprietário: Reginaldo Cafalloni da Rosa

Grande Campeã: Baroneza Jurist Santa Luzia Proprietário: Alexandre Saraiva de Moraes Res. Grande Campeã: Marcela Lemmer Santa Luzia Proprietário: Eriberto de Queiroz Marques 3ª Melhor Vaca: JEL R. Grande Armstead Garrafa TE Proprietário: Celso Veravolo Paoliello Melhor Macho Jovem: Presidente LT do Curtume Proprietário: Luciano Teixeira de Melo Reservado Melhor Macho Jovem: Erdeiro Charmoso Tannus Proprietário: Délcio Vieira Tannus Grande Campeão: Rotan FIV Touchdown VR do Pantanal Proprietário: Valentino Rizziolli

27


Reservado Grande Campeão: JPZ Basileu Argeu Linda FIV Proprietário: Alexandre Saraiva de Moraes Campeões Girolando 5/8 sangue Melhor Fêmea Jovem: Esparta Wildman Sertão Proprietário: Paulo M.S.Gonçalves/Daniella M. da Silva Res. Fêmea Jovem: Estilista FIV Falcon Cafalloni Proprietário: Reginaldo Cafalloni da Rosa 3 Melhor Fêmea Jovem: Roxeda Caetano Proprietário: Rodrigo José Gonçalves Monteiro Melhor Úbere Jovem: RBC Doceira Proprietário: Roberto Antônio Pinto de Melo Carvalho Res. Melhor Úbere Jovem: Maga Brutus das Arábias Proprietário: Maria Beatriz Costa Gomes 3 Melhor Úbere Jovem: Dedicada FIV Bradley SI Proprietário: Tomaz Sergio Andrade de Oliveira JR. Melhor Vaca Jovem: Vitrine FR Recreio Proprietário: Mila de Carvalho Laurindo e Campos Res. Melhor Vaca Jovem: Maga Brutus das Arábias Proprietário: Maria Beatriz Costa Gomes 3 Melhor Vaca Jovem: Vênus FR Recreio Proprietário: Pedro Vasconcelos Cunha Melhor Úbere Adulto: Luna FIV Bolton Morada Corinthiana Proprietário: Jerônimo Gomes Ferreira Res. Melhor Úbere Adulto: Lama Preta Kamuela Lheros Proprietário: Paulo M.S.Gonçalves/Daniella M. da Silva 3 Melhor Úbere Adulto: Elétrica Rubytrae Sertão Proprietário: Tomaz Sérgio Andrade de Oliveira Jr.

Grande Campeã: Lama Preta Kamuela Lheros Proprietário: Paulo M.S.Gonçalves/Daniella M. da Silva Res. Grande Campeã: Elétrica Rubytrae Sertão Proprietário: Tomaz Sérgio Andrade de Oliveira Jr. 3 Melhor Vaca: Vitrine FR Recreio Proprietário: Mila de Carvalho Laurindo e Campos Melhor Macho Jovem: Fergus Falcon FIV TS da Muquém

28

Proprietário: Tomaz Sérgio Andrade de Oliveira Jr. Res. Melhor Macho Jovem: Urano FR Recreio Proprietário: Mila de Carvalho Laurindo e Campos Grande Campeão: Danilo Babitonga Proprietário: Otto de Souza Marques Júnior Res. Grande Campeão: King Frank Dom Nato Proprietário: José Donato Dias Filho Campeões Girolando 1/2 sangue Melhor Fêmea Jovem: Leide Irislene Ocidente da Origem Proprietário: Marco Antônio Procópio Oliveira Res. Fêmea Jovem: Lafe 339 Aquarela Sanchez FIV Proprietário: Jose Naves de Ávila Neto 3 Melhor Fêmea Jovem: Bella Teatro da Rachapau FIV Proprietário: Filipe Alves Gomes Melhor Úbere Jovem: Tieta I Bethânia Proprietário: Paulo Ricardo Maximiano Res. Melhor Úbere Jovem: Natureza VI Teatro da Origem Proprietário: Enéas Rodrigues Brum 3 Melhor Úbere Jovem: ICH Heny Teatro Proprietário: José Renato Chiari Melhor Vaca Jovem: Natureza VI Teatro da Origem Proprietário: Enéas Rodrigues Brum Res. Melhor Vaca Jovem: Tieta I Bethânia Proprietário: Paulo Ricardo Maximiano 3 Melhor Vaca Jovem: ICH Heny Teatro Proprietário: José Renato Chiari Melhor Úbere Adulto: Folia JM Monte Alverne Proprietário: Filipe Alves Gomes Res. Melhor Úbere Adulto: Caprichosa Marverlous Renascer Proprietário: João Dario Ribeiro 3 Melhor Úbere Adulto: Engenho da Rainha Betta Proprietário: Rafael Tadeu Simões

Grande Campeã: Engenho da Rainha Betta Proprietário: Rafael Tadeu Simões Res. Grande Campeã: Folia JM Monte Alverne Proprietário: Filipe Alves Gomes 3 Melhor Vaca: Natureza VI Teatro da Origem Proprietário: Enéas Rodrigues Brum


29


Ranking Megaleite 2012 Melhor Criador Girolando 3/4 1. José Coelho Victor 471,24 2. Marcio Moraes Sampaio 368,38 3. Condomínio JPZ - Jorge Papazoglu e Outros 218,59 4. Délcio Vieira Tannus 209,97 5. José Carlos dos Reis 175,30 6. Filipe Alves Gomes 143,72 7. Valentino Rizziolli 141,68 8. Márcio Luís Mendonça Alvim 131,56 9. José Antônio da Silveira 101,12 10. Rafael Tadeu Simões 99,27 Girolando 5/8 1. Mila de Carvalho Laurindo e Campos 2. Nazareth Dias Pereira 3. José Donato Dias Filho 4. Tomaz Sérgio Andrade de Oliveira Jr. 5. Arpoador Agropecuária e Promoções Ltda. 6. Otto de Souza Marques Júnior 7. Maria Beatriz Costa Gomes 8. Reginaldo Cafalloni da Rosa 9. José Antônio da Silveira 10. Roberto Antônio Pinto de Melo Carvalho

610,99 566,82 497,04 231,43 199,41 185,64 163,81 162,69 157,59 145,87

Girolando 1/2 1. Marco Antônio Procópio de Oliveira 2. Miriam Fátima Leite Farias 3. Márcio Luís Mendonça Alvim 4. João Miareli 5. Procria Produtos Agropecuários Ltda. 6. Leandro de Aguiar 7. Márcio Moraes Sampaio 8. Filipe Alves Gomes 9. Clemente de Faria 10. Nazareth Dias Pereira

592,06 313,33 292,79 174,20 160,80 147,40 146,06 145,31 128,63 125,96

Melhor Expositor Girolando 3/4 1. Alexandre Saraiva de Moraes 2. Luiz Paulo Levate 3. Márcio Moraes Sampaio 4. Celso Ceravolo Paoliello

394,67 292,44 277,30 214,72

30

5. Délcio Vieira Tannus 6. Reginaldo Cafalloni da Rosa 7. Valentino Rizziolli 8. Eriberto de Queiroz Marques 9. Rafael Tadeu Simões 10. José Orlando Bordin

201,88 143,62 141,68 141,68 121,53 98,56

Girolando 5/8 1. Tomaz Sergio Andrade de Oliveira Jr. 2. Mila de Carvalho Laurindo e Campos 3. José Donato Dias Filho 4. Paulo M. S. Gonçalves/Daniella M. da Silva 5. Nazareth Dias Pereira 6. Maria Beatriz Costa Gomes 7. Otto de Souza Marques Júnior 8. Reginaldo Cafalloni da Rosa 9. Pedro Vasconcelos Cunha 10. Roberto Antônio Pinto de Melo Carvalho

564.35 528.88 437.88 328.44 246.64 190.33 185,64 162,69 156,37 145,87

Girolando 1/2 1. Filipe Alves Gomes 2. Enéas Rodrigues Brum 3. Heloísa Helena Junqueira dos Santos 4. Rafael Tadeu Simões 5. Marco Antônio Procópio de Oliveira 6. Paulo Ricardo Maximiano 7. Antônio Carlos Canto Porto Filho 8. José Naves de Ávila Neto 9. Clemente de Faria 10. José Renato Chiari

654,87 375,88 349,74 322,26 233,16 192,96 166,16 147,40 128,63 107,20

Melhor Criador/Expositor 1. Mila de Carvalho Laurindo e Campos 2. José Donato Dias Filho 3. Márcio Moraes Sampaio 4. Délcio Vieira Tannus 5. Nazareth Dias Pereira 6. Reginaldo Cafalloni da Rosa 7. Tomaz Sérgio Andrade de Oliveira Jr. 8. Marco Antônio Procópio Oliveira 9. José Antônio da Silveira 10. Otto de Souza Marques Júnior

528.88 437.88 277.30 261.04 246.64 237.49 231.43 225.12 193.81 185.64


31


32


33


Pitty

Torneio de recordes nacionais

O

23º Torneio Nacional de Girolando da MEGALEITE 2012 terminou com a quebra de três recordes de produção em competições oficiais desse gênero. A vaca Botique JM Monter Alverne sagrou-se nova recordista nacional após atingir a média de 86,850 quilos de leite e produção total de 260,550 quilos de leite, recorde batido menos de um mês depois (Leia abaixo “Girolando tem nova recordista nacional”). Demasia JM Monte Alverne, segunda colocada na competição, com média de 81,853 quilos de leite, também superou o recorde nacional anterior, que era de 80,247 quilos de leite e pertencia à Bárbara Teatro Pedra. Botique e Demasia são de propriedade do criador Jorge Luís Pereira de Souza, da cidade de

34

Miracema (RJ), que pela primeira vez teve animais inscritos no Torneio Leiteiro da MEGALEITE. Profissional do setor financeiro em Fortaleza, Jorge Luís está há quase quatro anos na pecuária leiteira. Em parceria com a Fazenda Monte Alverne, vem selecionando animais Girolando com o objetivo de formar um rebanho de vários graus de sangue, porém com a maior parte 1/2 sangue. Hoje, Jorge Luís conta com 500 fêmeas jovens e produz entre 2.800 e 3.000 litros de leite/dia, mas a expectativa é de ampliar para 5.000 litros. Já a Monte Alverne tem 50 anos de seleção, iniciada por José Márcio Belline Alvim na cidade mineira de Guarani. Depois de 25 anos selecionando Holandês, ele decidiu investir no Girolando. Com a ajuda do filho Márcio Luís Alvim, ele conduz a seleção de Girolando em sistema


semi-intensivo. O rebanho é formado de animais 1/2 sangue, 3/4 sangue e 5/8 sangue, que é o objetivo maior da seleção da Monte Alverne. Outro recorde registrado na MEGALEITE foi entre as vacas 3/4 Girolando. Josimar M obteve média de 78,273 quilos de leite, superando em quase seis quilos o recorde anterior. A vaca pertence a Reginaldo Cafalloni da Rosa, de Taubaté (SP). Nas vacas 1/4 Girolando, o primeiro lugar ficou com Pitanga Sansão OG, da Tropical Genética, Uberlândia (MG), com média de 44,587 kg/leite e produção total de 133,760 quilos de leite. Entre as 5/8 Girolando, venceu Ótica da Santa Inês, de Eduardo Luiz de Oliveira, Itaúna (MG), com média de 70,973 kg/leite e produção total de 212,920 quilos

de leite. Na categoria novilha, a grande campeã foi BB Milk Emerson Nugget Jaguar FIV. A fêmea meio sangue Girolando atingiu média de 59,733 kg/leite e produção total de 179,200 quilos de leite. Com essa média, ela superou o recorde anterior que era de 57,710 quilos de leite. A segunda colocada entre as novilhas foi Dengosa FIV Bethania, fêmea 3/4 Girolando, de propriedade de João Miarelli, de Ibiraci (MG). Ela obteve média de 57,063 kg/leite e produção total de 171,190 quilos de leite. Entre as novilhas 5/8 Girolando, a vencedora foi Amélia da Atribel, da Tropical Genética, com média de 55,693 kg/leite e produção total de 167,080 quilos de leite.

Girolando tem nova

Menos de um mês depois de ser quebrado o recorde nacional de produção de leite em torneio leiteiro oficial de Girolando, a raça já tem nova recordista. Com média diária de 104,696 kg/leite, a fêmea Sol Girolando do Rancho venceu o Torneio Leiteiro da Expo Paracatu, sagrando-se recordista nacional. Sol, uma fêmea 3/4 sangue Girolando, que pertence aos criadores David Rezende Cortez, Geraldo Carvalho Vilela e Beto Vilela, produziu no total 314,090 kg/ leite em nove ordenhas. O recorde anterior pertencia à vaca 1/2 sangue Girolando, Botique JM Monte Alverne, que produziu média de 86,850 kg/leite durante a Megaleite 2012. Segundo o Guinness Book, o recorde mundial de produção é da vaca cubana Ubre Blanca, que também era uma Girolando. Ela produziu 109,5 litros em 1982. O Torneio Leiteiro da Expo Paracatu aconteceu de 29 de julho a 1º de agosto, na cidade mineira Paracatu. Participaram 17 fêmeas Girolando.

Luciene Franklin

recordista nacional

35


36


37


Marcello A R Cembranelli Coordenador Operacional PMGG

Teste de Progênie

Sumário de touros 2012

O

Teste de Progênie é responsável pela avaliação dos reprodutores, através da primeira lactação de suas filhas, realizada em rebanhos colaboradores. Através dessa avaliação é possível identificar os indivíduos superiores e promover sua multiplicação genética, de forma orientada, visando promover a sustentabilidade da atividade leiteira e o melhoramento genético dos rebanhos. Na presente avaliação genética foram utilizados 99.475 registros zootécnicos, com informações de controle leiteiro e genealogia dos rebanhos supervisionados pelo Serviço de Controle Leiteiro (SCL). O desempenho produtivo ao primeiro parto, das 12.739 lactações em 348 rebanhos colaboradores, no período de 2000 a 2011, propiciou média de produção de leite em 305 dias, de 3.962 kg, com médias de produção total de 4.447 kg e duração da lactação de 304 dias. A idade média ao primeiro parto é de 35,1 meses, demonstrando evolução em relação aos índices do ano anterior. Desde 1997, já foram testados 48 reprodutores integrantes dos sete primeiros grupos. Outros 82 touros se encontram em fase de teste com sêmen distribuído entre 2007 e 2012. Neste ano tivemos a oportunidade de ajustar o tempo de realização do teste, criando alguns requi-

38

sitos para que as provas pudessem ser antecipadas, pois se levarmos em consideração o tempo de distribuição do sêmen que tem duração média de seis meses, somado ao de utilização do sêmen nos rebanhos colaboradores, que também é de seis meses, mais o tempo de gestação (9 meses), e ainda considerando a idade média ao primeiro parto (36 meses), com período médio de lactação das filhas dos touros em torno de dez meses, e o período de avaliações e processamento dos dados mais quatro meses, temos um tempo médio para divulgação dos primeiros resultados em torno de 71 meses (5 anos e 11 meses) após o início da distribuição do sêmen. No sumário deste ano constam 24 touros positivos para produção de leite e 22 negativos, sendo que dos 24 positivos, 18 touros são 5/8 Hol + 3/8 Gir e Puro Sintético e seis touros são 3/4 Hol + 1/4 Gir. Uma novidade neste ano foi a divulgação, pela primeira vez, das PTAs para idade ao primeiro parto (IPP), demonstrando correlação genética negativa entre produção de leite em 305 dias, na primeira lactação, e idade ao primeiro parto, indicando que as filhas de touros com alto valor para produção de leite tendem a apresentar crescimento mais acelerado ou maturidade fisiológica em uma idade mais precoce.


Outra novidade no sumário 2012 foi a divulgação de novas características do Sistema de Avaliação Linear Girolando (SALG). Os valores genéticos para

outras quatro características de conformação foram inseridos, além das cinco já divulgadas no ano anterior, que servirão para melhorar o direcionamento

39


dos acasalamentos. A cada ano novas características serão incluídas, num total de 25 características mensuradas, sendo 22 de conformação e três auxiliares: facilidade de parto, temperamento e facilidade de ordenha. Recentemente ocorreu a seleção dos reprodutores que irão integrar o 14º grupo do Teste de Progênie. Foram inscritos 125 touros, sendo 40 touros 3/4 HOL+ 1/4 GIR e 85 touros 5/8 Hol + 3/8 Gir e Puro Sintético. Para 2012 foram disponibilizadas 30 vagas, sendo 25 para 5/8 ou PS e cinco vagas para os reprodutores 3/4. Vale ressaltar que essas vagas

touro. As vagas desse grupo foram preenchidas por 10 touros Puro Sintético, 15 touros 5/8 e cinco touros 3/4. Os proprietários dos reprodutores selecionados deverão proceder à coleta das 500 doses codificadas em central de inseminação artificial devidamente credenciada no Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) e entregue à Girolando até a data limite de 31 de dezembro de 2012. O sumário de Touros Girolando 2012, com todos os dados da publicação na íntegra, encontra-se disponível nos sites www.girolando.com.br e www. cnpgl.embrapa.br. Os exemplares dessa publicação

são determinadas pelo número de matrizes disponibilizadas pelos rebanhos colaboradores, sendo necessárias, no mínimo, 220 matrizes para se testar um

também podem ser obtidos através da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando ou da Embrapa Gado de Leite.

40


41


Raças zebuínas têm grandes disputas

42

Jadir Bison

A

concurso leiteiro. s competições da MEGALEITE contaram Entre os machos o grande campeão foi Uriel com a participação das raças zebuínas Gir Ibituruna, de propriedade de Paulo R. Menicucci e Leiteiro, Guzerá, Indubrasil e Sindi. A feira Out. Cond. O reservado grande campeão foi Dom sediou a 14ª Exposição Nacional do Gir Leiteiro, Juan FIV, que pertence à Sociedade Educacional com cerca de 600 animais inscritos. Os julgamenUberabense. tos foram conduzidos pelo trio Alan Marcolini CamCampeãs leiteiras- As raças zebuínas tampidelli, André Rabelo Fernandes e Luciana Malossi bém concorreram nos concursos leiteiros. Na raça Queiroz. A grande campeã foi Filipina TE F. Mutum, Guzerá, a vaca Esbelta foi a grande campeã, com de propriedade de Leo Machado Ferreira. Escreta média de 29,92kg/leite e produção total de 89,75kg/ FIV DSIL foi a reservada grande campeã. A fêmea leite. A reservada grande campeã foi Docera B. Lempertence a Daniel Antonio Silvano. Entre os machos, brança, pertencente a Marcelo Garcia Lack/Outros a vitória ficou com Galio TE F. Mutum, também de Condomínios, com média de 28,03 kg/leite e produpropriedade de Leo Machado Ferreira. O reservado ção total de 84,09 kg/leite. Doze vacas concorreram campeão foi C.A. Gigante TE, que pertence a Joano concurso leiteiro de Guzerá. quim J.C. Noronha e Outro Cond. Na raça Indubrasil, três vacas disputaram. Outra raça zebuína na pista da MEGALEITE foi O primeiro lugar entre as vacas jovens ficou com a Guzerá, que inaugurou um novo sistema de julgaBela do Cassu, que obteve média de 16,22 kg/leite e mento. A Associação dos Criadores de Guzerá do produção total de 48,65 kg/leite. A vaca pertence ao Brasil (ACGB) implantou o “Regulamento Geral para Julgamento da Função Leiteira da Raça Guzerá”. O jurado Roberto Winkler comandou os trabalhos na pista do Parque Fernando Costa. A grande campeã foi Réplica, da expositora Ana Vera Marques Palmério Cunha. A reservada grande campeã foi Esbelta, de Marco Aurélio Grillo de Brito. Um dia antes de ser premiada na pista, Esbelta já havia conquistado Raça Gir Leiteiro participou de julgamento válido pela 14ª Exposição Nacional o grande campeonato do


Jadir Bison

criador Renato Miranda Caetano Borges. proteína. O resultado está disponível no site www. A vaca Alinhada do Guaporé venceu o concurpmgz.org.br. Além de coordenar as competições so leiteiro da raça Sindi. De propriedade de Adaldio dessas três raças, a equipe do PMGZ Leite contou José de Castilho Filho, a fêmea produziu média de com um ponto de atendimento no palanque oficial 18,14 kg/leite e um total de 54,42 kg/leite. A reservado Parque Fernando Costa. da grande campeã foi Jade da Estiva, pertencente a Adaldio José Delsin de Castilho, com média de 10,33 kg/leite e produção total de 30,99 kg/leite. Cinco vacas concorreram. Na raça Gir Leiteiro, a grande campeã foi a fêmea jovem Mitra FIV Vila Rica. Ela produziu 144,290 kg/leite, com média de 48,097 kg/leite. O título de reservada grande campeã ficou com a vaca adulta Imperatriz Vila Rica, cuja produção final foi de 142,170 kg/ leite e a média de 47,390 kg/leite. As duas fêmeas pertencem ao criador Dilson Cordeiro Menezes. Em todas as raças foram avaliados os índices de gordura, CCS e Raça Guzerá teve novo formato de julgamento

43


Holandês

em alto nível na Interestadual

Gado Jovem Campeonato Bezerro - Suzamara Bruno Fever Expositor: Felipe Eduardo Nézio Reis Campeonato Júnior - Poitara Aaron Alexander-TE Expositor: Gilberto Carvalho Esteves Campeonato Bezerra Menor - Barrosinho Alexander Lanai 14-FIV Expositor: Felipe Eduardo Nézio Reis Campeonato Bezerra Júnior - J.E.N. Gleiciane Dundee-FIV Expositores: Guilherme e Leonardo Corsini Salles Campeonato Bezerra Intermediária - J.E.N. Golden Star Atwood-FIV Expositor: Gilberto Carvalho Esteves Campeonato Bezerra Sênior - RCH Joya 1111 Goldwyn Roy-TE Expositor: Felipe Eduardo Nézio Reis Campeonato Novilha Menor - Diamantina Turista Gol-

44

Pitty

A

3ª Exposição Interestadual da Raça Holandesa, realizada durante a MEGALEITE, evidenciou a alta qualidade genética dos animais oriundos de criatórios dos Estados de Minas Gerais, São Paulo e Goiás. Os julgamentos da raça foram comandados pelo jurado e médico veterinário Cláudio Aragon, nos dias 6 e 7 de julho. Concorreram 122 animais em pista. “Para o gado Holandês, participar da MEGALEITE é sempre uma honra e oportunidade de mostrar ao público presente o avanço genético da nossa raça, a qual atualmente é a principal base genética para a formação do Girolando. Contribuir para o aperfeiçoamento de uma raça brasileira, democratizando uma genética superior da raça Holandesa, selecionada com extrema técnica e dedicação pelos criadores de gado Holandês, é uma grande honra para a Associação Mineira do Gado Holandês”, assegurou Leonardo Moreira C. de Souza, presidente da Associação dos Criadores de Gado Holandês de Minas Gerais. A categoria Vaca Adulta contou com nove animais, sendo que seis deles já haviam sido Campeãs Nacionais de Categoria nos últimos anos. “A MEGALEITE 2012 foi especialmente importante para a Raça Holandesa. Mesmo sem ter grande número de animais, foi uma das maiores exposições da raça, a que já assisti, graças à qualidade dos animais que foram levados à pista de Uberaba”, afirmou o superintendente técnico da entidade, Cleocy Fam de Mendonça Júnior. Confira o resultado do Holandês na MEGALEITE:

dwyn Adria-TE Expositor: Felipe Eduardo Nézio Reis Campeonato Novilha Júnior - Diamantina Pantera Goldwyn Vitoria-TE Expositor: Felipe Eduardo Nézio Reis Campeonato Novilha Intermediária - J.E.N. Fratella Spirte Expositor: Gilberto Carvalho Esteves Campeonato Novilha Sênior - C.R.A. Sanchez Nely 489-TE Expositor: Felipe Eduardo Nézio Reis Gado Adulto Campeonato 2 anos Júnior - J.E.N. Fenomenal SanchezFIV Expositor: Ellos José Nolli Campeonato 2 anos Sênior - Meara Teka Dundee Amilta Expositor: Mauro Antônio Costa de Araújo Campeonato 3 anos Júnior - J.E.N. Explosion MR SAM-TE Expositor: Ellos José Nolli Campeonato 3 anos Sênior- J.E.N. Duquesa Durham-TE Expositor: Ellos José Nolli Campeonato 4 anos - J.E.N. Dorotty Final Expositor: Ellos José Nolli Campeonato 5 anos - R.C.A. Durham Sady-TE Expositor: Mauro Antônio Costa de Araújo Campeonato Vaca Adulta - Geraldo Isa Desire 845 Expositor: Felipe Eduardo Nézio Reis Campeonato Vaca Vitalícia - Tang Kelly Broker Windstar Morty Expositor: Mauro Antônio Costa de Araújo


45


P

realiza Exposição Nacional

ela primeira vez, a raça Pardo-Suíça realizou uma mostra nacional na MEGALEITE. Com a participação de quase 100 animais de criatórios do Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Goiás, a XVIII Exposição Nacional da Raça Pardo-Suíça teve grandes disputas na pista do Parque Fernando Costa. O juiz norte-americano David Sprengeler garantiu que sua tarefa de julgar na MEGALEITE foi difícil devido à grande qualidade dos animais expostos. “A qualidade dos animais foi o destaque da exposição, tanto é que todos os criadores tiveram seus animais premiados”, explica o superintendente técnico da Associação Brasileira dos Criadores de Gado Pardo-Suíço, Fernando Kaiser. Além dos animais puros que disputaram na pista, foram expostos bovinos cruzados e o primeiro animal registrado como Composto Leiteiro. A fêmea registrada é produto do cruzamento de pai Holandês com mãe 1/2 sangue Pardo-Suíço com Guzerá. “A finalidade é buscarmos heteroze e, com duas raças europeias, ordenharmos os animais sem a presença do bezerro”, informa Kaiser. A XVIII Exposição Nacional foi acompanhada por criadores dos estados Rio Grande do Norte, Ceará, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Pernambuco e Paraná. Durante a MEGALEITE, a associação ainda realizou a Conferência Nacional da Raça Pardo-Suíça, que aconteceu no auditório da Central Alta Genetics

46

Pitty

Pardo-Suíço

do Brasil. Os participantes assistiram palestras sobre o Pardo-Suíço no Brasil, na Suíça, na Itália e nos Estados Unidos. No final do evento foram homenageados os ex-presidentes da entidade, os criadores que se destacaram na criação da raça, os animais nascidos no Brasil com as Maiores Classificações e aqueles com as maiores produções vitalícias. Confira os principais resultados do julgamento Grande Campeão da Raça: Bronkhorst Everaldo TE Expositor: Korstiaan Bronkhorst Grande Campeã Bezerra: SJ Jolly Wonderment FIV TE Expositor: Márcio Campos de São José Grande Campeã Novilha: Blu Denmark Daphne Expositor: Arthur Patrus de Campos Bello Grande Campeã Júnior: Blu Denmark Daphne Expositor: Arthur Patrus de Campos Bello Grande Campeã Vaca Jovem e Melhor Úbere: Monte Alvão Gaga Legacy Expositor: Luiz Sávio de Souza Cruz Grande Campeã da Raça: Monte Alvão Gaga Legacy Expositor: Luiz Sávio de Souza Cruz


47


Simental realiza 2ª Etapa do Ranking Nacional

A

2ª Etapa do Ranking Nacional do Torneio Leiteiro Simental, realizada na MEGALEITE 2012, expôs 60 animais. Vinte fêmeas concorreram no torneio de oito ordenhas. Madame da Santa Andréa sagrou-se Grande Campeã, com produção de 85,485Kg e média de 42,742Kg. A segunda melhor produção foi de Grega da Santa Andréa (84,720Kg e média de 42,360Kg), seguida por Ilha da Sesmaria (82,935Kg e média de 41,467Kg), ambas da Santa Andréa Agropecuária (Itararé/SP). José Henrique Aleixo (Batatais/SP) permanece em primeiro lugar nas categorias Melhor Criador (294,845 pontos) e Melhor Expositor (335,245 pontos). Na segunda posição em ambas as categorias está a Santa Andréa Agropecuária, com 170,205 pontos e 253,140 pontos, respectivamente. Aleixo também conquistou as duas primeiras posições na categoria Vaca Mestiça, com Maravilha e Louca – vacas Simental/Holandesa –, além do 6º lugar com Meca (vaca Simental/ Gir). As ordenhas foram realizadas entre os dias 5 e 8 de julho, sempre às 6 horas, 14 horas e 22 horas. A última ordenha aconteceu no dia 8, às 14 horas. A 3ª Etapa do Ranking aconteceu no Parque de Exposições Dario Macedo (Castro-PR) entre os dias 6 a 10 de agosto, na Agroleite 2012. Informações sobre como participar do Ranking Nacional do Torneio Leiteiro Simental podem ser obtidas pelo telefone (11) 3862-5292.

48

ABCRS completa 49 anos Fundada em 28 de junho de 1963, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim (ES), primeiramente como Associação Brasileira de Criadores da Raça Simental – ABCRS, a entidade teve como primeiro presidente o zootecnista Agostinho Caiado Fraga, o Fraguinha. Com o passar dos anos, Fraguinha pensou em produzir um animal com a fixação do tipo 5/8 de sangue Simental e 3/8 de Zebu, que deu origem a um produto sintético que ele próprio batizou de Simbrasil. Em 20 de janeiro de 1984 foi fundada a Associação Brasileira de Gado Simbrasil – ABCGS. Em 27 de novembro de 2004 foi concluída a fusão das duas associações, resultando na atual denominação: Associação Brasileira de Criadores das Raças Simental e Simbrasil – ABCRSS (www.simentalsimbrasil.org.br). A entidade tem como princípios básicos promover o desenvolvimento e o melhoramento dos rebanhos das raças Simental e Simbrasil; manter o serviço de Registro Genealógico das Raças e de seus cruzamentos; estudar a adaptabilidade dos bovinos em diferentes regiões do Brasil; colaborar com os Poderes Públicos em todas as questões atinentes à pecuária nacional; e assegurar e manter ambas as raças dentro de um padrão condizente com o ambiente, aperfeiçoando-as no tocante às produções de leite e carne, à fertilidade e à longevidade.


49


50


51


52


53


Leandro de Carvalho Paiva Superintendente do SRGRG

Aumento do número de animais portadores de CGN e RGN comprovam crescimento e expansão do Girolando

O

gado Girolando está em plena expansão e melhoramento, fato comprovado não somente pelos constantes recordes de produção e de comercialização quebrados nos últimos anos e pela evolução dos índices zootécnicos dos rebanhos e do teste de progênie de touros, mas também pelo grande aumento dos serviços prestados pela Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, o que atesta o bom momento vivido pela raça e pela entidade. Além dos recordes e dos resultados obtidos pelo Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando (PMGG), outra forma de avaliar esta expansão é através do número de animais que recebem anualmente o Controle de Genealogia de Nascimento ou Registro Genealógico de Nascimento, conhecidos como CGN e RGN, respectivamente. Para que os animais possam receber o registro nesta modalidade é necessário que sejam submetidos a um processo de oficialização de genealogia, que começa pela comunicação da cobrição, passando pela comunicação de nascimento e terminando na inspeção zootécnica, para posterior emissão dos certificados. Tudo de acordo com as normas do regulamento do Serviço de Registro Genealógico da Raça Girolando e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Os controles de nascimento, além de garanti-

54

rem a genealogia dos animais e outras informações complementares, agregam valor e dão mais credibilidade ao trabalho do criador, auxiliando ainda na avaliação genética do rebanho, realizada pela Embrapa Gado de Leite, o que fortalece cada vez mais o banco de dados da raça. No ano de 2011 a Girolando efetuou 20.987 controles de nascimento, contra 11.121 efetuados em 2007, apresentando um crescimento de 88,7% nos últimos cinco anos. A meta para 2012 é certificar 24.000 novos animais com genealogia conhecida, um aumento de aproximadamente 20% em relação ao ano anterior. Desde o início do Programa Girolando, em 1989, já foram certificados 1.157.560 animais. Deste total, 193.257 receberam o controle ou registro de nascimento, 16,6% do total de animais certificados até 2011. No gráfico a seguir, (página ao lado) pode-se observar a evolução das certificações de nascimento, efetuadas nos últimos cinco anos. Em 2012, já foram efetuados, até o mês de junho, aproximadamente, 14.000 CGNs e RGNs contra 11.179 no mesmo período de 2011, significando um aumento de 25,2%. Outra meta a ser atingida nos próximos anos é aumentar a proporção de animais certificados anualmente, com genealogia conhecida, em relação aos animais com genealogia desconhecida, passando de 20% para mais de 50%


55


de novos animais inscritos no Programa Girolando, com genealogia conhecida, ou seja, portadores de controle ou registro genealógico de nascimento. Para que os animais possam ser inspecionados é necessário que sejam anteriormente submetidos a um processo de conferência de documentos, para posterior liberação ao técnico. Esta liberação também está em pleno crescimento, como pode ser observado no gráfico a seguir. O aumento do número de animais liberados provoca, consequentemente, o aumento do número de animais portadores de controle ou registro de nascimento. Entretanto, existe ainda um grande volume de animais liberados que não resultam em animais certificados, devido a diversos fatores, sendo os mais comuns

56

o não comparecimento do animal no curral no dia da visita do técnico ou por opção do próprio criador em adiar a inspeção do animal. Estas práticas não trazem benefícios ao criador, pois ele acaba tendo que arcar com os custos de outra visita técnica, muitas vezes em uma época não muito favorável para a inspeção dos animais, devido a outras atividades que são desenvolvidas na fazenda. Já uma pequena parte dos animais liberados, cerca de 3%, não recebem o CGN ou RGN devido a problemas morfológicos ou não enquadramento no padrão racial do Girolando, sendo desclassificados. Como podemos observar no gráfico “Animais liberados para CGN/RGN”, até o mês de junho de 2012 já foram liberados para inspeção de controle e registro de nascimento mais de 24.000 animais, um crescimento de 37,1% em relação ao mesmo período de 2011, quando foram liberados 18.126 animais. A previsão é de que sejam liberados mais de 45.000 animais em 2012 para inspeção de CGN e RGN. Os benefícios do gado Girolando e suas principais características, como: a produção, a rusticidade, a longevidade e a alta capacidade de adaptação a diferentes climas e diferentes manejos, chamam a atenção de criadores de outros países de clima tropical, que já há alguns anos visitam o Brasil com o intuito de conhecer melhor o Girolando, as técnicas de manejo e reprodução aplicadas e aproveitam para adquirir animais vivos ou levar material genético de alta qualidade, através de sêmen e embriões de animais consagrados. Consequentemente, animais com informações fenotípicas como, por exemplo, o controle leiteiro na modalidade oficial, e animais com genealogia conhecida (livro fechado) passaram a ser mais procurados pelos criadores estrangeiros, que estão cada vez mais exigentes e criteriosos. Esta tendência mundial e a busca constante de animais cada vez mais funcionais motivam e impulsionam os criadores a aperfeiçoar os rebanhos e aprimorar as técnicas utilizadas para a produção e seleção dos animais, agregando informações ao registro genealógico e às provas zootécnicas, além de utilizar nos seus rebanhos o que há de melhor em genética disponível atualmente no mercado.


57


Zzn Peres

O melhor

Érico Maisano Ribeiro Técnico da Girolando no ETR RIO/ES

cruzamento F1

N

o trabalho diário como técnico de Registro Genealógico da raça Girolando é comum encontrar criadores com dúvida sobre cruzamento. “Qual é o melhor cruzamento F1: vaca Holandês com reprodutor Gir ou o inverso?”. Não existe diferença ao iniciar o sintético a partir de fêmeas da raça europeia ou da zebuína, desde que tenham pureza racial e qualidade genética. Porém, acho necessário explicar o termo F1. Os animais F1 são oriundos do cruzamento entre duas raças, resultando em um produto com 50% de composição genética de origem paterna e 50% de composição genética de origem materna. Quando se utilizam duas raças originadas de subespécies diferentes (bos taurus x bos indicus) obtem-se um produto (F1) com máxima heterose. Esse tipo de cruzamento já é bastante difundido e base para formação do Girolando. Conforme defende o professor Fernando Enrique Madalena, o produto do cruzamento de bovinos de raças especializadas com zebuínos tem sido o caminho utilizado para produção econômica de leite em ambiente tropical. Indagações sobre o melhor cruzamento F1 estão mais frequentes pelo crescente interesse de criadores de Holandês, que atualmente enxergaram o crescente mercado para o Girolando e sua influência na ampliação e intensificação de rebanhos puros da raça taurina. Anteriormente, a genética da raça Holandesa mais utilizada era oriunda de criatórios de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Agora, com o crescimento do

58

Girolando, começa a ser utilizada a genética de tradicionais rebanhos, como da região de Castro (PR) e do Rio Grande do Sul. Até alguns anos atrás, esses Estados resistiam à prática de cruzamentos genéticos, preferindo valorizar a oferta de produtos de Holandês puros. Alguns dados técnicos extraídos do banco de dados da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando podem esclarecer dúvidas sobre F1, tais como: recordes de lactações, resultados de pista de julgamento e lactações encerradas de vacas 1/2 com genealogia conhecida (Livro Fechado). Esses dados, como veremos abaixo, servem como comparativos entre as duas possibilidades de iniciar o F1: Recorde atual de produção em Torneios Leiteiros Oficiais: VACA 1/2 BOTIQUE JM MONTE ALVERNE (Nobre Cal. X 1790 Fiança M.A.) PAI GIR X MÃE HOL PRODUÇÃO 86,850 kg MEGALEITE 2012 NOVILHA 1/2 BB MILK EMERSON NUGGET JAGUAR FIV (Jaguar TE Gavião X Lagos Emerson Nugget 568) PAI HOL X MÃE GIR PRODUÇÃO 59,733 kg MEGALEITE 2012


Maiores lactações encerradas: VACA JOVEM ENGENHO DA RAINHA BETHANIA (Castelo TE Kubera X Eng. da Rainha Desdemona 477) PAI GIR X MÃE HOL 15.148 kg ROMANA BARBANTE RPM SANTO ANTONIO (Barbante TE Kubera X Carlota 160) PAI GIR X MÃE HOL 14.988 kg OHANA FANCY PAUL FUNDÃO (Utag Valiant Fancy Paul X Gota do Fundão) PAI HOL X MÃE GIR 14.418 kg IASMIN BANDOLI (Modelo de Brasília X Carol Bandoli) PAI GIR X MÃE HOL 12.899 kg VACA ADULTA QUARTINHA TERRA VERMELHA (Red-Fever Oakland-et X CA Quartinha LA-3) PAI HOL X MÃE GIR 22.785 kg

(Dalton TE Pati Cal. X Alfy Cayuaba Inspiation Juma) PAI GIR X MÃE HOL 60.860 kg Resultados de pista de julgamento MEGALEITE 2012 MELHOR FÊMEA JOVEM 1/2 LEIDE IRISLENE OCIDENTE DA ORIGEM (Ocidente Benfeitor Cal X Vam Irislene Maxwele) PAI GIR X MÃE HOL MELHOR VACA JOVEM 1/2 NATUREZA VI TEATRO DA ORIGEM (Teatro da Silv. X Vera Cruz Natureza Mandel) PAI GIR X MÃE HOL GRANDE CAMPEÃ 1/2 ENGENHO DA RAINHA BETTA (Teatro da Silv. X Eng. da Rainha Glaring 813) PAI GIR X MÃE HOL Resultados de pista de julgamento MEGALEITE 2011 MELHOR FÊMEA JOVEM 1/2 HIERAQUIA FIV BRADLEY VOLTA FRIA (Rockali Bradley X Fidelidade SV) PAI HOL X MÃE GIR

LABAREDA HPJ (Ocidente Bem Feitor Cal. X Hpj Marisa Glen-Toctin) PAI GIR X MÃE HOL 20.455 kg PATATIVA MARKOWICZ (Pinhalzinho Araras X Flavia Markowicz) PAI HOL X MÃE GIR 19.293 kg Maiores Produções Vitalícia LEGITIMA RAVENA TRES PASSAGENS (Briarpatch-R Ravena Lite- X Andorinha Três Passag.) PAI HOL X MÃE GIR 62.003 Kg ELOA FUNDÃO (Utag Valiant Fancy-Paul-ET X Beduina) PAI HOL X MÃE GIR 61.136 kg ALFY CAYUABA DALTON ALMA TE

59


GRANDE CAMPEÃ 1/2 ERMELINDA MERGULHÃO (Londondale Mirage X Belinda Mergulhão) PAI HOL X MÃE GIR Resultados de pista de julgamento MEGALEITE 2010 MELHOR FÊMEA JOVEM 1/2 OCARINA I TEATRO DA ORIGEM (Teatro da Silv. X Campolot Igniter Ocarina TE) PAI GIR X MÃE HOL GRANDE CAMPEÃ 1/2 LABAREDA HPJ (Ocidente Benfeitor Cal. X HPJ Marisa Glen) PAI GIR X MÃE HOL

FOLIA JM MONTE ALVERNE (GIR X HOL)

Resultados de pista de julgamento FEILEITE 2011 MELHOR FÊMEA JOVEM 1/2 HENNA FIV EDUARD VOLTA FRIA (Eng. da Rainha Diamante 538 Emerson TE X Ondina) PAI HOL X MÃE GIR GRANDE CAMPEÃ 1/2 FOLIA JM MONTE ALVERNE (Vale Ouro da Silv. X 3340 JM Monte Alverne) PAI GIR X MÃE HOL

ERMELINDA MERGULHÃO (HOL X GIR)

Resultados de pista de julgamento FEILEITE 2010 MELHOR FÊMEA JOVEM 1/2 OCARINA I TEATRO DA ORIGEM (Teatro da Silv. X Campolot Igniter Ocarina TE) PAI GIR X MÃE HOL GRANDE CAMPEÃ 1/2 NATUREZA IV SANSÃO DA ORIGEM (CA Sansão X Vera Cruz Natureza Mandel) PAI GIR X MÃE HOL

HIERAQUIA FIV BRADLEY VOLTA FRIA (HOL X GIR)

Fonte: www.girolando.com.br

Conclusão A alternância de resultados entre os pais Gir X Holandês é notória e flagrante, exultando a máxima “A ORDEM DOS FATORES NÃO ALTERA O PRODUTO”. Acrescento, porém, que o que faz a diferença é “A QUALIDADE DOS FATORES”, isto é, a pureza e a qualidade dos reprodutores é que vão acrescentar maior vigor híbrido, principalmente na qualidade do produto resultante. OCARINA I TEATRO DA ORIGEM (GIR X HOL)

60


Cio,

Guilherme Marquez

Engenheiro agrônomo com pós-graduação em pecuária leiteira e gerente de produto de Leite Nacional da Alta Genetics

o começo de tudo!

A

sário estar atento às atitudes simples, que devem ser realizadas nas propriedades e que muitas vezes passam despercebidas pelos criadores. A partir deste artigo será possível visualizar as vantagens de ações simples que trazem resultado. O cio ou sua correta observação é o começo de tudo. Mas, para que possa ser detectado, é preciso conhecer os itens abaixo: Vários são os sinais de cio: diminuição da produção e alimentação; vulva edemaciada e avermelhada; maior mugido; inquietação; aparecimento de muco (que deve ser cristalino) e cabeçada e monta nas companheiras. O sinal mais evidente e que deve ser observado com atenção é quando ela se deixa montar pelas companheiras ou rufião, sem procurar sair de baixo. Este é o sintoma real do cio e serve para mostrar a hora da inseminação. • Uma vaca manifesta cio apenas quando apresenta equilíbrio nutricional, de saúde, manejo e

Foto: Jadir Bison

prenhez é de suma importância para a atividade leiteira; sem ela não há incremento nos ganhos. É necessário prestar atenção em ações básicas dentro das propriedades, onde um dos fatores mais importante é a observação do cio – o que está diretamente ligado ao sucesso da Inseminação Artificial (IA). As vacas de leite apresentam extrema sensibilidade em situações que estejam fora de sua rotina. Isso pode ser observado na realização de um manejo diferente (vacinação, aplicação de medicamento, alteração de dieta, e/ou qualquer outra medida que interfira no cotidiano). Estas ações interferem no desempenho do animal, podendo haver pequena ou grande queda na produção de leite. Qualquer motivo que gere estresse acarretará, também, situação negativa na reprodução. É válido lembrar que a vaca só produz leite depois de parir. Para conseguir boa produção de leite é neces-

61


62


63


instalações corretas; • No período do cio, a vaca permite a monta por outro animal por aproximadamente dez vezes, lembrando que o cio da vaca se repete em média a cada 21 dias; • Cada monta tem duração de cerca de dois a três segundos; • 75% das montas acontecem nos períodos mais frescos do dia, ou seja, durante a noite e no começo do dia; • 25% dos cios acontecem durante o dia, resultando em torno de sete segundos para a observação. Estes dados são importantes para visualizar o tamanho do desafio. Não adianta ter o melhor inseminador se não houver uma correta observação do cio. Abaixo, alguns conceitos que podem ser incluídos nas propriedades: Taxa de concepção de cio – é o percentual de vacas aptas (aquelas que já passaram do período voluntário de espera, mas há interesse na prenhez) para serem inseminadas durante o período de 21 dias, independentemente se a detecção do cio foi realizada visualmente ou com Inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF). Procedimento padrão operacional – organização da equipe para total clareza de procedimentos quanto à descoberta do cio. Exemplo: um quadro de avisos com informações essenciais, como: responsáveis pela confirmação do cio; local onde a detecção deverá ser realizada; tempo de frequência; ferramentas auxiliares que serão utilizadas – como aplicá-las e interpretá-las; e ações a serem realizadas após a constatação do cio. Utilização de anotações (informações de observação), como: data do último parto, cio ou IA. Anotar todos os cios de uma vaca facilita nas tomadas de decisões futuras ao manejo reprodutivo deste animal. A partir destas informações é possível criar grupos de vacas “potenciais” (que apresentaram cio entre 18 e 24 dias atrás), que serão observadas com mais atenção e cuidado. Tempo de observação – deve ser realizado em momentos e locais com maior probabilidade de expressão do cio. Pode variar do sistema extensivo

64

(como dito anteriormente, maior parte da atividade de cio acontece durante a noite e no início da manhã) ou intensivo (qualquer hora do dia). Atualmente, as vacas expressam cios mais curtos e menos intensos. O tempo ideal é composto por: observação o máximo de vezes possíveis; intervalos de seis a oito horas (três a quatro vezes por dia) e utilização de ferramentas auxiliares como bastão de cera e rufião, dentre outros. É importante ressaltar que ordenha, alimentação, altas temperaturas e umidade tornam a manifestação do cio mais limitada; porém, durante a movimentação das vacas para ordenha ou troca de lotes o cio torna-se mais intenso. É de extrema importância que o inseminador tenha conhecimento da responsabilidade na propriedade; seja organizado; tenha higiene pessoal; máximo de cuidado com os materiais de IA e, principalmente, gosto pela profissão. É necessário que as propriedades realizem a atualização (“reciclagem”) de seus inseminadores de tempos em tempos, para que não ocorram vícios que possam causar prejuízos nas taxas de fertilidade do rebanho. Piso adequado – consiste em uma superfície de piso confortável e não escorregadio, pois permite que as vacas se sintam seguras e facilita na observação e monta. É importante lembrar que a terra é melhor que o cimento, pois admite firmeza e segurança quando os animais são bem manejados. Evite super lotações – as vacas precisam de espaço, pois são animais sensíveis e em qualquer


situação de anormalidade o estresse aparece (lotação, competição por alimentos, manejo incorreto de cochos de água, área de descanso, dentre outras). O estresse acarreta diretamente na atividade do cio. Cascos – qualquer problema de casco gera insegurança para a vaca se apoiar. Se ocorrer, ela não salta nem permite ser montada. É indicado incluir uma rotina para identificação e monitoramento dos cascos e de escores de locomoção. Não é indicada a permanência das vacas por muito tempo no concreto (antes da ordenha, tempo e número de ordenhas e grau de conforto das camas ou áreas de descanso). Ferramentas auxiliares para a detecção de cio – o mercado oferece vários instrumentos; porém, o mais comum e com o melhor custo/beneficio é o giz de marcação, sendo aplicado diretamente nas vacas aptas. O local correto é na espinha dorsal, próximo à base da cauda. As leituras devem ser feitas diariamente; caso contrário, não haverá bons resultados. Utilização do DEL (dias médios em lactação) – estabeleça uma meta em DEL para o início do manejo reprodutivo. É comum encontrar fazendas com

vacas sendo inseminadas acima de DEL 100. Com a meta estabelecida é possível potencializar a IA através da Inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF). Isto permite o aumento da taxa de submissão da IA. Diagnóstico precoce de gestação e confirmação – atualmente pode-se confirmar a gestação através do toque retal entre 45 a 50 dias, já com o ultrassom a partir dos 30 dias. O diagnóstico é essencial para as apartações do rebanho, quando as vacas não confirmadas retornam para o lote de vacas vazias e as confirmadas são movimentadas para outros lotes. Utilização de sêmen de boa qualidade – para potencializar a IA é indicado o uso de sêmen de qualidade e com altas de taxas de concepção de touros provados de alto valor genético. Existem touros que são segmentados pela sua performance superior em concepção (Concept Plus) e são encontrados com exclusividade na Alta Genetics. A melhor estratégia para aumentar a probabilidade de uma vaca estar apta a ser inseminada é resultado do manejo de confirmação do cio, detecção da prenhez, IATF e sêmen de boa qualidade.

65


Mario Renck Real

Médico Veterinário Homeopata Diretor Técnico Real H

Fígado bovino e produtividade da vaca leiteira

A

produção de leite é uma especialização do produtor rural. Produzir leite de qualidade e em quantidade, ser viável economicamente e conservar as vacas saudáveis são tarefas árduas e diárias, sendo compulsório que o produtor se redobre em cuidados para ter êxito na exploração. Neste artigo, abordaremos em detalhes aspectos do fígado, órgão que geralmente fica relegado a um plano secundário da produção, seja ao se calcularem as dietas, ao se avaliarem as condições e escore corporal das vacas ou ao buscar a qualidade do leite, no enfrentamento dos problemas reprodutivos ou, ainda, nos problemas de cascos etc. Generalidades - O fígado é a maior glândula dos bovinos (representa cerca de 2% do PV) e é o principal responsável pela saúde em geral e pela produção animal. O fluxo sanguíneo, via sistema porta, transporta todos os nutrientes frutos da fermentação ruminal e dos processos digestivos que ocorrem no abomaso e intestinos para o fígado. A complexidade e importância das funções hepáticas são muito significativas. Por

66

exemplo, sabe-se que pelo fígado de vacas leiteiras de alta produção passam, por hora, aproximadamente 2.000 litros de sangue, que são filtrados. O filtro (fígado) retém compostos nocivos (toxinas), sequestrando, processando e eliminando-os e, concomitantemente, o fígado elabora novos produtos e fatores, liberando-os para seguirem com o sangue para os locais de sua utilização. Principais funções Bem resumidamente podemos apresentar as seguintes funções: I. Metabolismo, conjugação e excreção de substâncias – sejam orgânicas endógenas (geradas ou próprias) ou exógenas (introduzidas no organismo); II. Síntese proteica de albumina e globulinas, proteínas transportadoras hormonais, os fatores de coagulação, o fibrinogênio, fatores de crescimento e lipoproteínas. Também sintetiza aminoácidos (não essenciais); III. Metabolismo de nutrientes – sejam os energéticos (carboidratos) como os AGV (ácidos graxos voláteis), a glicose e corpos cetônicos; sejam os proteicos oriundos dos vegetais e/ou de origem microbianas (aminoácidos, amônia e ureia); sejam as gorduras (lipídeos). Em todos esses nutrientes o fígado capta, metaboliza (transforma), disponibiliza e/ou excreta os excedentes; IV. Armazenamento/metabolização de substâncias – armazena as vitaminas A, D, E, K, diversos minerais, bem como ativa hormônios (vitamina D, Tiroxina, síntese IGF etc.); V. Defesa imunológica – contém a maior quantidade de macrófagos fixos (células de defesa) do organismo. Tais células têm a missão de captar as bactérias, as endotoxinas, parasitas e restos orgânicos. São fundamentais para a grande função de filtro-rede do organismo; VI. Produção e excreção da bile


para o intestino delgado, que auxiliam na absorção adequada de diversos nutrientes (gorduras) nos intestinos e, ao mesmo tempo, atuam na eliminação de tóxicos e substâncias indesejáveis. Consequências práticas As consequências do funcionamento de um fígado normal e saudável para a economia animal são, em boa parte, responsáveis pelo sucesso da exploração leiteira, apesar da pouca importância que é dada ao assunto. Abaixo, apresentamos alguns exemplos do dia a dia das vacas e seu fígado, com suas interfaces com a sanidade dos rebanhos: • os medicamentos e drogas (orais, injetáveis, “pour-on” ou pulverizados), após a absorção e ação específica, alcançam, pelo sangue, o fígado, e lá são captados, metabolizados, sofrendo alterações (conjugações) e/ou excretados; • as vacinações têm seu resultado final (produção de anticorpos) relacionado com a função hepática (produção de globulinas alfa e especialmente beta); • os principais hormônios do ciclo reprodutivo são fígado-dependentes, seja devido ao fígado ser fonte de seus precursores, ou seja decorrente de sua capacidade de inativação final (ciclo a ciclo); • a ação dos fatores de coagulação é fundamental na defesa inespecífica frente a infestações de ectoparasitas (carrapatos e moscas hematófagas) e dos vermes gástricos hematófagos; • a contínua captação de toxinas externas (micotoxinas) e toxinas internas, bem como a de substâncias químicas exógenas e dos resíduos celulares (frequentes na Tristeza Parasitária) são realizadas pelos macrófagos hepáticos que os inativam e excretam; • a capacidade ideal do fígado, ao receber os

nutrientes e os metabolizar, se reflete no equilíbrio ácido-base, cujo desequilíbrio pode repercutir negativamente no próprio órgão (degeneração e inflamação) ou repercutir a distância, como em suas articulações e casco, gerando grande dor, claudicações e queda de produção; • as adequações das dietas das vacas, através do controle dos alimentos fermentáveis no rúmen, das proteínas by-pass e das gorduras vegetais, têm como primeiro alvo otimizar as atividades ruminal e intestinal; porém, a consequência ou destino final é o fígado. Os nutricionistas, para compor as dietas, baseiam-se, entre outros fatores, no custo, na disponibilidade dos ingredientes em tabelas de necessidades diárias, conforme a produção de leite desejada ou possível, de acordo com a genética do animal. Essas tabelas são estanques, ou seja, são pré-determinadas com dados que foram obtidos de testes com animais saudáveis ou animais (supostamente) com fígados funcionais. A questão que se impõe é: os fígados das novilhas, das primíparas, das multíparas estão saudáveis? Principais problemas Responder a essa questão não é simples. Para tal, podemos dividir os rebanhos em produção, em duas categorias: • Vacas de alta produção, alimentadas com dietas maximizadas; • Vacas de média e baixa produção, com dietas menos desafiadoras. O grupo das vacas de média e baixa produção não apresenta grandes complicações para o fígado,

67


Divulgação

pois o ritmo de exigência é facilmente atendido pelo órgão. Já as vacas alimentadas com dietas maximizadas apresentam alta performance de fermentação ruminal, mantendo o valor do pH mais baixo, como que num estado crônico de acidez. A condição de acidez é suportada por um determinado período, tanto pela mucosa do rúmen quanto pelo fígado, que passa a receber um aporte muito grande e constante de AGV, proteínas, gorduras etc. Paralelamente a essas condições de trabalho ruminal e hepático, sobrepõem-se as práticas sanitárias usuais, como os banhos/tratamentos carrapaticidas, uso de mosquicidas, vermifugações e vacinações estratégicas que aumentam a exigência de trabalho hepático. Como os dias em lactação (DEL) de vacas de alta produção quase sempre são superlativos, com intervalos de parto (IEP) dilatados - sinalizando problemas de desordem hormonal - a constância de um ambiente ruminal agressivo, com acidez, acaba produzindo lesões da mucosa, que evoluem para úlceras. Essas ulcerações favorecem o ingresso de bactérias na corrente circulatória, atingindo o fígado via sistema venoso. Ao atingir o fígado, as bactérias são sequestradas pelas células do sistema de defesa inespecífico. Os sequestros bacterianos vão se avolumando e, com a repetibilidade, geram inflamações ou hepatites que, via de regra, evoluem para abscessos hepáticos. Os abscessos hepáticos são as mais frequentes causas de condenação de fígados no abate de vacas leiteiras de alta produção, quando descartadas. Paralelamente aos danos inflamatórios do tecido hepático, que passam despercebidos, a dieta nutricional maximizada se mantém constante, sobrecarregando o tecido hepático ainda saudável, e passa a comprometer suas funções de detoxicação. Essa condição induz a outro problema, que é a degeneração ou

68

hepatose, com imperfeito funcionamento das células do fígado. Fígados com degenerações teciduais permitem que permaneçam circulando catabólitos, toxinas e resíduos diversos por maior tempo, em face da lentidão que se instalou no órgão. Assim, fecha-se um círculo vicioso negativo, num processo que vai se complicando a cada mês da lactação. A situação crítica é parcialmente aliviada quando as vacas sofrem a secagem e ficam aguardando o próximo parto, que muitas vezes, pela curta duração (erros no manejo), é insuficiente para uma completa recuperação, e logo se inicia a nova lactação. O problema recomeça e se agrava. Cabe salientar que no período de transição (últimos 30 dias pré-parto e primeiros 60 dias pós parto) é fundamental otimizar a atividade hepática, especialmente no que diz respeito a glicogenólise e gliconeogênese. Vacas portadoras de fígados saudáveis contêm maior teor de glicogênio hepático (estoque hepático), estoque este que ajuda a suprir o organismo com energia logo após o parto (glicogenólise), reduzindo, em parte, o problema do BEN (balanço energético negativo). Entretanto, na maior parte das vezes o déficit energético é intenso no pós-parto, sendo acompanhado de queda na ingestão de MS, levando o organismo a lançar mão das reservas de gordura e revertê-las em glicose (gliconeogênese) para atender a demanda. Conforme a intensidade dessa reversão, há o risco de ocorrer cetose bovina com grave redução da produção de leite, além de outras complicações e sintomatologias. Nesta fase é mais uma vez o fígado que exerce papel central, por isso sua higidez é fundamental, sendo a base para que o processo da gliconeogênese seja eficaz. Ainda podem sobrevir outras patologias, que


são problemas clássicos das vacas leiteiras de alta produção, como a pododermatite, a sub-fertilidade (vacas repetidoras) o aumento da CCS no leite, entre outros que também têm interface com o fígado. Os problemas de cascos, decorrentes, entre outros, de aspectos físicos, como piso inadequado e ambiente mal drenado (barro, fezes etc.), surgem quase sempre em vacas mais sensíveis, com dietas dimensionadas para um máximo de fermentação ruminal. Essas vacas ou “entram” já desequilibradas (fígado já lesionado) ou sofrem episódicos erros por excessos alimentares ou erros de formulação, que favorecem ainda mais o desequilíbrio da glândula. A ocorrência de vacas repetidoras ou “repet breeders”, comuns nos rebanhos de alta produção, em parte deve-se à incompleta destruição dos hormônios (estrógeno/progesterona) pelo fígado, e enzimas específicas produzidas nos hepatócitos (células hepáticas). Tal condição decorre da lentidão ou hipofunção (sobrecarga hepática crônica), entre outras causas e patologias reprodutivas. O aumento da CCS no leite é uma condição adversa comum, que poucas vezes é relacionada ao funcionamento hepático. Normalmente, as altas contagens de células somáticas são relacionadas à ocorrência de infecções bacterianas no úbere (mastites clínicas

e/ou sub-clínicas), a falhas na higiene e a defeitos de ordenha. Cabe salientar a relevância da função detoxicadora do fígado, quando saudável. Esta função fica prejudicada em lotes de alta produção em situações de estresse. Com o desequilíbrio hepático (hepatites e hepatoses) a capacidade de reter e eliminar os catabólitos, endotoxinas e exotoxinas alimentares, como as micotoxinas e resíduos de moléculas, em geral fica reduzida e essas substâncias nocivas permanecem circulando. O fato de estar em lactação proporciona ao organismo uma condição alternativa para a eliminação, visto que no úbere há grande afluxo de sangue “sobrecarregado” com catabólitos. A excreção de catabólitos (não sequestrados pelo fígado) através do leite é causa do aumento da CCS e independe de haver ou não infecção do úbere. Estratégias preventivas A relevância da saúde hepática se traduz, na prática, pela constatação de que cada vez mais nos rebanhos de alta produção o descarte das vacas vem ocorrendo mais cedo, entre a segunda e a terceira lactação. As causas mais frequentes decorrem da estratégia nutricional que “força” o organismo, priorizando a

69


70


71


produção e acabando por desestabilizá-lo muito antes do tempo normal, levando ao descarte das vacas. Os problemas se manifestam de modo amplo, envolvendo órgãos vitais como o úbere (mastites pósparto), útero (retenções, endo-metrites), cascos (lesões contaminadas) etc., sendo estes os sinais visíveis do problema. O sinal oculto é o comprometimento do fígado. Assim, as estratégias nutricionais que contribuam para a “proteção do fígado” são importantes pelo seu alcance econômico, ao viabilizarem maior longevidade para as vacas de alta produção. As poucas medidas de prevenção da saúde hepática, hoje disponíveis, baseiam-se no uso de moléculas específicas aliadas ao manejo nutricional, a saber: • Dietas pré e pós-parto concentradas em energia, visando reduzir a fase de BEN e a ocorrência de cetose; • Fornecimento de vitaminas do Complexo B e alguns aminoácidos (protegidos), como niacina, colina, biotina e metionina, para suprir as necessidades dos hepatócitos; • Propilenoglicol, um insumo glicogênico fornecido por via oral para elevar a oferta de glicose para a vaca, especialmente na fase de transição. Entre as estratégias de proteção do fígado disponíveis, uma se difere na abordagem: trata-se do fortalecimento da célula hepática, via complexos homeopáticos. A homeopatia é uma terapêutica diferenciada, reconhecida oficialmente como especialidade médica veterinária, e pouco conhecida e testada nos meios acadêmicos, mas razoavelmente reconhecida entre os produtores. A título de exemplo, em um estudo de campo realizado no Rio Grande do Sul (2011), com 57 vacas HPB de alta produção e alta CCS (média de 2.350.000 células), que estavam separadas devido a má qualidade do leite, impedindo seu uso industrial (queijos), os tratamentos convencionais (antibióticos com anti-inflamatórios) haviam sido realizados com resultados infrutíferos no quesito CCS. Assim, optou-se por fornecer para as vacas do grupo problema um complexo homeopático para estimular a atividade hepática em uma dose intermediária (100g/dia), durante 15 dias seguidos. No 16º dia fo-

ram coletadas amostras de leite, e das 57 vacas, trinta (53%) retornaram para o plantel sadio, pois abaixaram a contagem para 1.062.000 células, demonstrando que apenas uma melhora da capacidade de “filtragem” do fígado, resultante do estímulo homeopático, é capaz de melhorar a CCS, independente dos aspectos microbiológicos do úbere. Outro exemplo, desta vez com gado de corte, com alto potencial genético (cruzamento angus) realizado e concluído no final de 2011 (dados ainda não publicados), conduzido pelo Prof. Michael Neumann, em Guarapuava/PR. Nele, os animais foram randomizados por peso e aleatoriamente confinados em celas individuais, no Campus da Universidade Estadual. Os tratamentos basearam-se no fornecimento de dietas de alta energia (grão de milho inteiro). A diferença foi que o Lote Tratado recebeu 40g/cab/dia do mesmo complexo homeopático testado em vacas leiteiras. Foram pesados a cada 21 dias, e o ganho de peso calculado. Ao final (84 dias) foram abatidos, realizou-se a biometria e foram coletadas biópsias de fígado. Os ganhos diários foram excelentes. Os animais confinados do Lote Controle, no período de 84 dias ganharam 1.435 g/dia, com uma CA (conversão alimentar) de 6,48kg MS/kg ganho PV, e os animais do Lote Tratado apresentaram, na média, ganho de 1.577g/dia com CA média 6,07 kgMS/kg ganho PV. As diferenças foram de 9,8% a mais de ganho de peso/dia e de -6,3% na CA, tendo esses resultados diferido estatisticamente pelo Teste F, a 5%. Nesse caso, o fornecimento do complexo homeopático por um período superior (84 dias) revelou ser possível um ganho extra de peso. Esse desempenho não se manifestava, provavelmente devido ao comprometimento hepático, comum nas dietas de alta energia e muito semelhantes às dietas de vacas leiteiras, em especial durante o período de transição. Os mecanismos de ação dos medicamentos, nesse caso, são bastante conhecidos, mas sua apresentação foge ao tema. A opção de tratamento hepático preventivo merece atenção e mais estudos, especialmente em rebanhos leiteiros de alta produção, em face da relevância do desafio pelo tempo de lactação.

Referências Bibliográficas - Consulta site: http://nftalliance.com.br às 16h do dia 07.07.2012. - Fisiologia Hepática. NUNES, Pedro P. Faculdade Medicina do Porto. Serviço de Fisiologia. - Homeóphatie et Phisiologie. HODIAMONT, George. Editions Baillièrie, 1949. - Influência de Fatores Raciais na Função Hepática de bovinos Holandeses e Jersey. BRAZILIAN. J. VET. ANIM.SCI. volume 41 no 5. São Paulo, set-out 2004. - L. Homeópathie Veterinarie. QUINQUANDON, Henri. Editions Point Veterinaire. 1999. - Suplementação com Propilenoglicol para vacas no período pré-parto. FONSECA, L.F.L. et al. Acta Scentiarum. Animal Sciences. Maringá no 1, pags. 177-183. 2003.

72


73


Monte Alegre de Minas De 17 a 22 de abril, ocorreu a XXXIV Exposição Agropecuária de Monte Alegre de Minas e XIV Regional do Girolando.

Melhor Criador/Expositor Geral: José Antônio da Silveira Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Linda Morty da Cupeva Expositor: Pedro Vasconcelos Cunha Melhor Vaca Jovem: Adele Mischief FIV da Xapetuba Expositor: José Antônio da Silveira Grande campeã: Atriz Dixie-Lee Aaron Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Assima Biloca Wildman Expositora: Cristina Ruscitti Martins Melhor Vaca Jovem: Namorada Morrie Cinco Estrelas Expositor: Ildo Ferreira Grande Campeã: Namorada Morrie Cinco Estrelas Expositor: Ildo Ferreira Grande campeão: Jucah Esnobe Dom Nato Expositor: Ildo Ferreira Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: ICH Japira Homestead Expositor: Cristina Ruscitti Martins Melhor Vaca Jovem: Cacheada Touchdonw da M. Milagrosa Expositor: Rodolfo Engel Cauhy

12ª Intercalu De 4 a 9 de maio, a 12º Intercalu aconteceu na cidade de Uberlândia (MG). O julgamento de Girolando foi de 7 a 9 de maio. Melhor Criador/Expositor Geral: Delcio Vieira Tannus Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Charmosa Charmoso Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Filho Melhor Vaca Jovem: Adele Mischief FIV da Xapetuba Expositor: José Antônio da Silveira Grande campeã: Atriz Dixie-Lee Aaron Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Melhor Macho Jovem: Erdeiro Charmoso Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Grande campeão: Damasco Wildman Maria Santíssima Expositor: Márcio Ricardo Teixeira Guimaraes

74 74

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Bernadethe Vilão FIV da Xapetuba Expositor: José Antônio da Silveira Melhor Vaca Jovem e Grande Campeã: Vênus FR Recreio Expositor: Pedro Vasconcelos Cunha Grande campeão: Jucah Esnobe Dom Nato Expositor: Ildo Ferreira Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Candy Aftershock FIV da Xapetuba Expositor: José Antônio da Silveira Melhor Vaca Jovem: Ashley Bradley FIV da Xapetuba Expositor: José Antônio da Silveira Grande campeã: Mulata Market Santa Lucia Expositor: Wanderle Fagundes


75


ExpoGuará A 1ª Exposição de Gado Jovem da Raça Girolando ocorreu na cidade de Guaratinguetá (SP), entre os dias 23 e 27 de maio. O evento fez parte da programação da ExpoGuará. Melhor Criador/Expositor Geral: José Carlos da Mata Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Dara II Aftershock da Santa Lucrécia Expositor: Luis Henrique Barbosa Rezende Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Estilista FIV Falcon Cafalloni Expositor: Reginaldo Cafalloni da Rosa Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Dita FIV Alambari Expositor: Herica Cristina Ferreira Diniz Gonçalves

Expoleite MT 2012 Realizada de 5 a 15 de julho em Cuiabá (MT), a Expoleite MT 2012 sediou a 1ª Exposição Homologada da Raça Girolando na cidade. O julgamento foi conduzido pelo jurado Jesus Lopes Júnior. Confira o resultado dos grandes campeonatos: Melhor Criador/Expositor Geral: Roberto Martins Villela Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Revista FDF Expositor: Flávio Donizete De Freitas Grande campeã: 0068 Athina Leduc Santa Luccia Expositor: Alexandre Waldvogel

76 76

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Atenas Lagoa do Servo Expositora: Luciano Lacerda Nunes Melhor Vaca Jovem: Abelha Monte Azul Expositor: Ildo Ferreira Grande Campeã: Fantasia Maia Corrêa Expositor: Francisco Rangel De Queiroz Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Fanih Sentry Monte Azul Expositor: Roberto Martins Villela Melhor Vaca Jovem: Acetinada Paramount FIV da Xapetuba Expositor: Evandro Loureiro Borba


COOPRATA De 16 a 19 de maio, aconteceu a COOPRATA / 6ª Semana de Agronegócio. O julgamento da raça Girolando foi realizado nos dias 17 e 18 de maio. Melhor Criador/Expositor Geral: José Antônio da Silveira Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Charmosa Charmoso Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Melhor Vaca Jovem: Adele Mischief FIV da Xapetuba Expositor: José Antônio da Silveira Grande campeã: Atriz Dixie-Lee Aaron Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Bernadethe Vilão FIV da Xapetuba

Expositor: José Antônio da Silveira Melhor Vaca Jovem e Grande Campeã: Vênus FR Recreio Expositor: Pedro Vasconcelos Cunha Grande campeão: Jucah Esnobe Dom Nato Expositor: Ildo Ferreira Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Candy Aftershock FIV da Xapetuba Expositor: José Antônio da Silveira Melhor Vaca Jovem: Ashley Bradley FIV da Xapetuba Expositor: José Antônio da Silveira Grande campeã: Mulata Market Santa Lucia Expositor: Wanderle Fagundes

Fernandópolis Nos dias 18 e 19 de maio, aconteceu a 1ª Exposição de Gado Girolando de Fernandópolis, no interior de São Paulo.

Melhor Criador/Expositor Geral: Nelson Ariza Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Pérola ROY RPM da Santo Antônio Expositor: Roberto Almeida Oliveira e Outros Melhor Vaca Jovem Grande Campeã: Irajá Minister FIV Alegre Expositor: Nelson Ariza

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Juarana FIV Minister Alegre Expositor: Nelson Ariza Melhor Vaca Jovem: Iadilina do Basa Expositor: Mateus Ribeiro Abdal Grande campeã: Caçapa Bolton Boa Fé Expositor: Guilherme Modesto de Medeiros Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Macadâmia Teatro FIV RPM da Santo Antônio Expositor: Roberto Almeida Oliveira e Outros Melhor Vaca Jovem: Rayka Blitz FIV LE Expositor: Nelson Ariza Grande campeã: Guaíra AAO Expositor: Paulo Massanori Yamamoto

77


78


79


Patos de Minas A 1ª FENALEITE aconteceu em Patos de Minas (MG) de 27 a 29 de maio.

Melhor Criador/Expositor Geral: José Antônio da Silveira Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Etapa Jayz Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Filho Melhor Vaca Jovem: Espelhada Finest FIV Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Filho Grande campeã: Atriz Dixie-Lee Aaron Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Bernadethe Vilão FIV da Xapetuba Expositor: José Antônio da Silveira Melhor Vaca Jovem: Beyonce Shottle FIV da Xapetuba Expositor: Thiago Bianchi Silveira Grande campeã: Mercedes Jaguar Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Fécula FIV GF Sanchez Expositor: Germano Novais Franco Melhor Vaca Jovem e Grande Campeã: Ashley Bradley FIV da Xapetuba Expositor: José Antônio da Silveira

Expoagro de Franca De 18 de maio a 3 de junho, foi realizada a 43ª Expoagro - Exposição Agropecuária de Franca (SP). O evento sediou a 7ª Exposição Interestadual do Gado Girolando de Franca e o 3º Torneio Leiteiro. Melhor Criador/Expositor Geral: Delcio Vieira Tannus Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Brasileira Wildman FIV da Xapetuba Expositor: Paulo M.S.Goncalves/Daniella M. da Silva Melhor Vaca Jovem: Espelhada Finest FIV Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Filho Grande campeã: Baroneza Jurist Santa Luzia Expositor: Alexandre Saraiva de Moraes Grande campeão: Brazão Bixia Toystory Nova Terra Expositor: Luiz Carlos Rodrigues

80 80

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Salina Achiever Maria Santíssima Expositor: Delcio Vieira Tannus Filho Melhor Vaca Jovem e Grande Campeã: Vênus FR Recreio Expositor: Pedro Vasconcelos Cunha Grande campeão: Deflector Rendeira Vilão FIV Boa Fé Expositor: Enos Toledo Yan Hsin Ma Girolando 1/2 Melhor Vaca Jovem e Grande Campeã: Tieta I Bethânia Expositor: Paulo Ricardo Maximiano Melhor Fêmea Jovem: Universitária TE Sansão Alegre Expositor: Luiz Carlos Rodrigues


Divinaexpo Pela primeira vez, a Exposição Agropecuária de Divinópolis (DIVINAEXPO) contou com um julgamento ranqueado da raça Girolando. Entre os dias 25 e 26 de maio, o jurado André Junqueira conduziu os trabalhos na pista da 42ª DIVINAEXPO. Melhor Criador/Expositor Geral: Olavo de Resende Barros Júnior Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: 945 Amita LR da Cachoeirinha Expositor: Luciano Martins Andrade Melhor Vaca Jovem: 801 LR da Cachoeirinha Expositor: Luciano Martins Andrade Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Áustria FR Recreio Expositor: Jose Afonso Mota Ronzani Melhor Vaca Jovem: Áustria Gordon ACSG Expositor: Adilson Candido da Silva Grande campeã: Ametista Dejota do Segredo Velho Expositor: Olavo de Resende Barros Júnior Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: 942 Ametista LR da Cachoeirinha Expositor: Luciano Martins Andrade Grande campeã: Poesia Renascer Expositor: João Dario Ribeiro

81


Carmo de Minas A IX Exposição Interestadual Girolando de Carmo de Minas teve julgamento nos dias 8 e 9 de junho no Parque de Exposições da cidade mineira. Melhor Criador/Expositor Geral: Nazareth Dias Pereira

Melhor Vaca Jovem: Granada Wildman Sertão Expositor: Nazareth Dias Pereira Grande campeã: Marli Windstar Sertão Expositor: Nazareth Dias Pereira Grande campeão: Nielssen Índio Sertão Expositor: Nazareth Dias Pereira

Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Poeta M Expositor: Márcio Moraes Sampaio Melhor Vaca Jovem: Pamela RS do Rancho Alegre Expositor: Rafael Tadeu Simões Grande campeã: Joice M Expositor: Rafael Tadeu Simões

Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Devassa Ocidente HPJ Expositor: Hamilton Pereira Junqueira Melhor Vaca Jovem: Dang II FIV Teatro Vargem Expositor: Marco Antônio Procópio Oliveira Grande campeã: Natureza IV Sansão TE da Origem Expositor: Marco Antônio Procópio Oliveira

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Hillary FIV Monument Delib Expositor: Eugênio Deliberato Filho

São João da Boa Vista A 39ª EAPIC (Exposição Agropecuária de São João da Boa Vista) aconteceu em julho e contou com julgamento de Girolando nos dias 13 e 14. A feira aconteceu no parque de exposições da cidade paulista. Melhor Criador/Expositor Geral: Fábio José Biazon Dias Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Bela Morty FB Rio Bonito Expositor: Fábio José Biazon Dias Melhor Vaca Jovem: Branca Finest FIV Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Grande campeã: Atriz Dixie-Lee Aaron Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Botânica FIV FR Recreio Expositora: Pedro Vasconcelos Cunha

82 82

Melhor Vaca Jovem: Vênus FR Recreio Expositor: Pedro Vasconcelos Cunha Grande Campeã: Cantiga Barra da Cachoeira Expositor: Plácido B.Campos/Gelsomar R. de Almeida Melhor Macho Jovem: RBC Escultor Corisco Expositor: Roberto Antônio Pinto de Melo Carvalho Grande campeão: Arpoador Lâmina Aftershok FIV E.N.T Expositor: Luiz Carlos Rodrigues Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Secretária Teatro MJG Expositor: Luiz Carlos Rodrigues Melhor Vaca Jovem: Beleza Bradley FIV do Conde Expositor: Antônio Carlos Canto Porto Filho Grande Campeã: Mariola Canoas Expositor: Paulo Ricardo Maximiano


De 11 a 17 de junho, a cidade de Jataí (GO) sediou a 40ª EXPAJA.

Luciene Franklin

40ª EXPAJA - JATAÍ

Melhor Criador/Expositor Geral: Delcio Vieira Tannus Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Brasileira Wildman FIV da Xapetuba Expositor: Paulo M.S.Gonçalves/Daniella M. da Silva Melhor Vaca Jovem: Relíquia Baxter Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Grande campeã: Munique December Indiana Expositor: João Domingos Gomes dos Santos Melhor Macho Jovem: Erdeiro Charmoso Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Bianka Final Cut FIV da Xapetuba Expositor: João Domingos Gomes dos Santos Melhor Vaca Jovem: Azaléia FIV Wildman Santa Luzia Expositor: José Naves de Ávila Neto Grande campeã: Mercedes Jaguar Tannus Expositor: Delcio Vieira Tannus Melhor Macho Jovem: Cantor Wildman IA da Xapetuba Expositor: João Domingos Gomes dos Santos Grande campeão: Jucah Esnobe Dom Nato Expositor: Ildo Ferreira Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Lafe 339 Aquarela Sanchez FIV Expositor: José Naves de Ávila Neto Melhor Vaca Jovem: ICH Heny Teatro Expositor: José Renato Chiari Grande campeã: ICH Heny Teatro Expositor: José Renato Chiari

83


Superagro

Melhor Criador/Expositor Geral: Francisco Rangel de Queiroz Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Atual Finest Colonial TE Expositor: Francisco Rangel de Queiroz Melhor Vaca Jovem e Grande Campeã: Atual Finest Barbie TE Expositor: Francisco Rangel de Queiroz

Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Africana Roylane FIV PF Expositor: Rangel Gontijo De Queiroz Melhor Vaca Jovem: Atual Teatro Bibelot-TE Expositor: Rangel Gontijo de Queiroz Grande campeã: Albos Ibere FIV Expositor: Alberto Oswaldo Continentino de Araújo

Divulgação

De 31 de maio a 11 de junho, a 52ª Exposição Agropecuária de Belo Horizonte (SUPERAGRO) contou com julgamento da raça Girolando nos dias 3 e 4 de junho.

Quissamã De 12 a 17 de junho, aconteceu a 1ª Exposição Ranqueada da Raça Girolando em Quissamã (RJ).

Melhor Criador/Expositor Geral: Filipe Alves Gomes Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Dellia FIV Babitonga Expositor: Otto de Souza Marques Júnior Grande campeã: Pérola Babitonga Expositor: Otto de Souza Marques Júnior

84 84

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Berlinda Leduc São Cristóvão TC Expositor: Cristovão José Rabelo Girolando 1/2 Melhor Vaca Jovem: Fanny Morrie 5 Estrelas Expositor: Sônia Schueler de Aquino Melhor Fêmea Jovem: Iroma FIV Jayz Volta Fria Expositor: Filipe Alves Gomes Grande campeã: Jataí da Centrogen TE Expositor: Otto de Souza Marques Júnior

Fotos: Raízes Rurais

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Aquarela Juneau da Sianinha Expositor: Jose Eustáquio Mendonça de Castro Melhor Vaca Jovem: Alemanha Lheros da Sianinha Expositor: Jose Eustáquio Mendonça de Castro Grande campeã: Madame das Três Passagens Expositor: Ricardo Catão Ribeiro


Exposições

Data

3ª EXPOAGRO - Salvador/BA

De 04 a 12 de agosto

3ª Exposição Ranqueada de Girolando - Porciúncula/RJ

De 17 a 18 de agosto

Expoagro Luziânia/GO 2012

De 10 a 19 de agosto

60ª Expofeira Agropecuária de Juiz de Fora/MG

De 22 a 26 de agosto

49º CAMARU 2012 - Uberlândia/MG

De 01 a 09 de setembro

57ª Exposição de Muriaé/MG

De 05 a 07 de setembro

Exposição Rio Pomba/MG

De 08 a 09 de setembro

21ª EXPOPER - Perdizes/MG

De 05 a 09 de setembro

EXPOCAÇÚ 2012 - Caçu/GO

De 15 a 21 de setembro

15ª EXPOSSOL - Mirassol D’Oeste/MT

De 05 a 09 de setembro

5ª Exposição Interestadual Top Girolando - Resende/RJ

De 26 a 29 de setembro

51ª EXPO RIO PRETO - São José do Rio Preto/SP

De 04 a 14 de outubro

XXVIII EXPOSIÇÃO DE ANIMAIS - Arcoverde/PE

De 17 a 21 de outubro

FEILEITE 2012 - XIX Exposição Interestadual de Girolando - São Paulo/SP

De 19 a 24 de novembro

85


Ranking Geral 2011/2012 Melhor Criador 3/4 1. Délcio Vieira Tannus 1.627,21 2. Márcio Moraes Sampaio 1.183,26 3. José Coelho Victor 1.102,65 4. José Antônio da Silveira 966,09 5. Condomínio JPZ - Jorge Papazoglu e Outros 834,80 6. Filipe Alves Gomes 811,12 7. Rafael Tadeu Simões 499,12 8. Francisco Rangel de Queiroz 447,96 9. José Carlos dos Reis 412,45 10. Pedro Ananias de Aguiar 365,05 Melhor Criador 5/8 1. José Donato Dias Filho 2.603,95 2. Mila de Carvalho Laurindo e Campos 2.203,22 3. Nazareth Dias Pereira 1.878,14 4. Itamir Faria Valle 1.565,54 5. Délcio Vieira Tannus 937,69 6. Germano Novais Franco 857,14 7. José Antônio da Silveira 742,43 8. Roberto Antônio Pinto de Melo Carvalho 689,84 9. Eugênio Deliberato Filho 624,68 10. Anna Maria Borges Cunha Campos 623,58 Melhor Criador 1/2 1. Filipe Alves Gomes 1.165,25 2. Marco Antônio Procópio de Oliveira 995,51 3. Márcio Luís Mendonça Alvim 807,19 4. Condomínio João Magalhães e Filhos 690,64 5. Leandro de Aguiar 677,75 6. Gerci Luiz Maduro 610,44 7. Ronan Afonso Borges 548,13 8. José Antônio da Silveira 537,57 9. Salvador Markowicz Neto 519,25 10. Miriam Fátima Leite Farias 512,18 Melhor Expositor 3/4 1. Alexandre Saraiva de Moraes 1.586,76 2. Luiz Paulo Levate 1.162,87 3. Márcio Moraes Sampaio 993,78 4. Délcio Vieira Tannus 970,15 5. Délcio Vieira Tannus Filho 768,34

86

6. Enéas Rodrigues Brum 692,73 7. José Antônio da Silveira 690,59 8. Rafael Tadeu Simões 487,37 9. Paulo M. S. Gonçalves/Daniella M. da Silva 445,92 10. Eriberto de Queiroz Marques 391,31 Melhor Expositor 5/8 1. José Donato Dias Filho 2.224,60 2. Mila de Carvalho Laurindo e Campos 1.892,60 3. Tomaz Sérgio Andrade de Oliveira Jr. 1.405,65 4. Nazareth Dias Pereira 1.365,96 5. Itamir Faria Valle 1.164,07 6. Ildo Ferreira 987,61 7. João Domingos Gomes dos Santos 962,07 8. Paulo M. S. Gonçalves/Daniella M. da Silva 717,10 9. Eugênio Deliberato Filho 659,85 10. Roberto Antônio Pinto de Melo Carvalho 633,11 Melhor Expositor 1/2 1. Filipe Alves Gomes 2.372,71 2. Heloisa Helena Junqueira dos Santos 1.383,79 3. Condomínio João Magalhães e Filhos 1.016,32 4. Enéas Rodrigues Brum 833,14 5. Marco Antônio Procópio de Oliveira 720,41 6. Gerci Luiz Maduro 601,14 7. Luiz Carlos Rodrigues 550,66 8. João Domingos Gomes dos Santos 524,82 9. Leandro de Aguiar 511,75 10. Paulo Ricardo Maximiano 489,77 Criador/Expositor 1. José Donato Dias Filho 2.224,60 2. Mila de Carvalho Laurindo e Campos 1.892,60 3. José Antônio da Silveira 1.411,58 4. Nazareth Dias Pereira 1.365,96 5. Délcio Vieira Tannus 1.293,51 6. Itamir Faria Valle 1.201,83 7. Márcio Moraes Sampaio 1.111,59 8. Filipe Alves Gomes 970,29 9. José Alberto Paiffer Menk 820,97 10. Roberto Antônio Pinto de Melo Carvalho 788,77


87


Leandro de Carvalho Paiva Superintendente do SRGRG

uma carta com as justificativas, juntamente com cópias das anotações de campo (cobrição e nascimento do animal). Após análise dos documentos, o animal poderá ser liberado para controle ou registro de nascimento, podendo ser solicitada, pela Girolando, a verificação de parentesco. O prazo normal de gestação de Girolando é de 265 a 295 dias, sendo que para animais oriundos de FIV e TE vai de 265 a 305 dias de gestação.

COLOSTRO Informações importantes! Jurado Auxiliar Para melhor esclarecer aos interessados, informamos que somente pode atuar como jurado auxiliar, em exposições oficiais da raça Girolando, profissional de Ciências Agrárias ou acadêmico matriculado no último ano de ensino superior de um dos cursos de Ciências Agrárias e que tenha participado de um dos cursos intensivos de julgamento promovidos pela Girolando. O interessado em participar de exposições oficiais, na qualidade de jurado auxiliar, deverá entrar em contato com o Colégio de Jurados da Raça Girolando (CJRG) pelo telefone (34) 3331-6000 ou e-mail cjrg@girolando.com.br, desde que devidamente cadastrado na modalidade. As normas para atuação do jurado estão disponíveis no Regimento Interno do CJRG, homologado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). APG (Além do Prazo de Gestação) e FTG (Falta Tempo de Gestação) As pendências de APG e FTG, em sua grande maioria são geradas devido a inconsistências nas informações enviadas à Girolando, por parte do criador, principalmente por erros de datas. Nesses casos, os animais não são liberados para controle ou registro de nascimento. Para resolver as pendências, o criador deverá enviar à Superintendência do SRGRG

88

AAV (Aguardando Aprovação do Médico Veterinário) Quando as comunicações de FIV ou TE são realizadas pelo criador, através do Portal Web Girolando (on-line), é necessário que o médico veterinário que efetuou os procedimentos confirme as informações fornecidas. A confirmação on-line é realizada através do login do médico veterinário. Para isso, basta o veterinário entrar no sistema e dar baixa nas comunicações pendentes. A pendência de AAV impede que o material dos animais seja liberado para inspeção do técnico de registro. O criador, ao realizar as comunicações on-line de FIV ou TE, deverá solicitar ao responsável pelos procedimentos que providencie a confirmação dos dados, para que as comunicações sejam validadas. Para obter acesso ao sistema, o médico veterinário deverá enviar a cópia de sua carteira profissional do CRMV à Girolando, para o e-mail comunicacoesonline@girolando. com.br e solicitar seu cadastro. DNA (Verificação de Parentesco de Produtos de FIV ou TE) Para que seja inspecionado por um técnico do SRGRG todo produto de FIV ou TE deve, obrigatoriamente, ter se submetido ao exame de DNA para verificação de parentesco, qualificando pai e mãe. A coleta, a identificação e o envio desse material (amostras), bem como dos resultados à Girolando, são de inteira responsabiliade do criador. Os animais com pendência de DNA não serão liberados para a inspeção do técnico de registro. Sendo assim, recomenda-se que o material seja coletado e enviado ao laboratório o quanto antes, para que os animais sejam liberados em tempo hábil. VAR (Vaca Aguardando Registro) e TAR (Touro Aguardando Registro) Nenhum produto poderá receber o controle ou registro de nascimento se seus pais não forem portadores de controle ou registro definitivo. Poderão ser


geradas duas pendências: VAR, para a pendência da matriz; e TAR, para a pendência do touro. Essas pendências poderão ser resolvidas pelo técnico, no ato da visita, após efetuar o controle ou registro definitivo do respectivo animal que se encontra pendente. SRG (Vaca sem Registro) e SRD (Sem Raça Definida) A pendência SRG refere-se a matrizes que ainda não possuem o controle de genealogia na Girolando e que tiveram, no mínimo, uma comunicação de cobrição informada. Tais matrizes poderão ser inspecionadas pelo técnico da Girolando, durante a visita, sendo inscritas no SRGRG, com genealogia desconhecida, para posterior controle ou registro de nascimento de seus produtos. As cobrições informadas à Girolando, de matrizes que ainda não possuem o controle de genealogia definitivo e não tiveram sua composição racial informada pelo criador, por ocasião do preenchimento da comunicação de cobrição (CDC), poderão ser cadastradas no SRGRG, sendo gerada a pendência SRD (Sem Raça Definida). Os produtos dessas matrizes somente poderão receber o controle ou registro de nascimento após a regularização. FCR (Falta Cópia do Registro) Quando o criador realiza a comunicação de cobrição de alguma matriz ou utiliza algum touro em monta natural, das raças Gir ou Holandesa, que ainda não estejam cadastrados no banco de dados da Girolando. é gerada a pendência FCR. Para resolvê-la, basta o criador enviar à Girolando uma cópia do registro do animal, efetuado pela respectiva associação da raça. Em alguns casos, quando é feito o pré-cadastro da matriz, através do Portal Web Girolando, e esta não possui registro em sua associação da raça, será também gerada a pendência FCR, porém sendo resolvida com a inscrição do animal no SRGRG após a inspeção de um técnico da Girolando. VPA (Verificação de Parentesco) Com o fim da obrigatoriedade da nota fiscal de sêmen, novas regras para verificação de parentesco de animais aptos ao controle ou registro de nascimento foram adotadas. Dessa forma, a pendência VPA identifica os animais que foram escolhidos aleatoriamente pela Girolando, para análise de parentesco. Qualquer animal inscrito no SRGRG poderá ser submetido ao exame. O material utilizado para a realização dessa análise deve ser coletado exclusivamente pelo técnico de registro, no ato da inspeção, ficando retido o certificado de controle ou

registro do animal até a liberação do resultado pelo laboratório, qualificando pai e mãe. FIS (Falta Identificação do Sêmen) A pendência FIS poderá ser gerada em caso de inconsistência na informação dos dados de determinados touros, por ocasião do preenchimento da Comunicação de Cobrição por inseminação artificial (CDC-IA). Para resolver essa pendência, o criador deverá enviar à Girolando a cópia da nota fiscal de aquisição do sêmen. Mesmo não sendo mais obrigatória, a nota fiscal poderá ser solicitada em algumas situações, visando identificar corretamente os touros que estão sendo utilizados pelos criadores, o que geralmente acontece com touros jovens, com sêmen importado de outros países. ATV (Aguardando Transferência da Vaca) e ATT (Aguardando Transferência do Touro) Quando um criador utilizar uma matriz que não se encontra devidamente transferida para seu nome será gerada a pendência ATV. O mesmo pode acontecer quando um touro é utilizado em monta natural e o mesmo não se encontra em nome do criador, gerando a pendência ATT. Essas pendências somente são resolvidas mediante apresentação da ADT do animal (Autorização de Transferência) ou autorização de uso (empréstimo), ambas fornecidas pelo proprietário. DIC (Divergência entre Comunicações) Caso exista alguma divergência de informações entre CDC e CDN, será ativada a pendência DIC. Esta pendência poderá ser resolvida somente após apresentação de carta de esclarecimento do criador e cópia das anotações de campo à Girolando, sendo os animais submetidos à Verificação de Parentesco. Após a análise dos documentos e autorização da Superintendência do SRGRG, os animais poderão ser submetidos à inspeção para controle ou registro de nascimento. NCC (Não Comunicação de Cobrição) Se o criador realizar a comunicação de nascimento do animal e a comunicação de cobrição ainda não tenha sido efetuada, será gerada a pendência NCC. Para baixar essa pendência, o criador deverá fazer a comunicação de cobrição retroativa e enviar cópia das anotações de campo à Girolando, juntamente com uma carta de esclarecimentos. Após avaliação da documentação e autorização da Superintendência do SRGRG, o animal poderá receber o controle ou registro de nascimento, podendo ser submetido à verificação de parentesco.

89


Gestão 2011 – 2013

Dados dos Associados Associados ativos em 01/01/2011 Novos associados no período Associados que retornaram ao quadro Desligamento de associados Associados ativos em 30/06/2012 Registros (janeiro/junho – 2012) RGD RGN RF Total

2.138 656 49 298 2.545

35.783 14.190 1.428 51.401

Balanço Financeiro (janeiro/junho – 2012) Receitas – R$ 3.174.795,31 Despesas – R$ 2.327.965,14 Resultado – R$ 846.830,17 Este balanço não considera ainda, as contas da MEGALEITE 2012. Assim, os próximos certamente apresentaram resultados inferiores.

Mudanças nos Torneios Leiteiros A evolução genética do gado Girolando está cada vez mais intensa e pode ser comprovada principalmente pelos resultados obtidos em diversas exposições e no programa de melhoramento genético da raça. Exemplo disso são os resultados obtidos durante o torneio leiteiro da Megaleite 2012, onde foram batidos três recordes nacionais de produção, sendo um destes com produção média acima de 86,00 kg por dia. A expectativa é de que os números continuem subindo. A Girolando, além da evolução, trabalha intensamente para que a confiabilidade e credibilidade sejam mantidas. Assim, os regulamentos dos Torneiros Leiteiros Oficiais devem ser aperfeiçoados, buscando não só transparência e lisura nas pesagens e comportamentos, mas também, condições que preservem os animais nos termos de práticas adequadas e regulamentadas. Dessa forma, serão promovidas algumas mudanças, principalmente quanto às regras e regulamentos dos

90

certames, tanto na parte de fiscalização quanto na parte de organização, criando normas de fiscalização mais rigorosas através da utilização de recursos eletrônicos e da coleta de amostras de leite para análise da composição, bem como aprimorando a organização através da melhoria dos meios de divulgação dos resultados e da estrutura necessária para a realização dos eventos. Outra mudança importante será quanto às penalidades em casos de infração, não só penalizando o animal, como também o tratador e o expositor. Estas mudanças já estão previstas para serem implantadas já no torneio leiteiro da Feileite 2012, que acontecerá no final do mês de novembro.

Cancelamento de Genealogia e de Registro de Animais A Girolando vem realizando com frequência auditorias em rebanhos e animais, visando averiguar as informações enviadas à associação e apurar denúncias encaminhadas ao Conselho Deliberativo Técnico (CDT), bem como atender às orientações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA. Durante algumas auditorias foram observadas irregularidades quanto às informações de genealogia e dados de registros de animais, que culminaram no cancelamento do Controle de Genealogia de Nascimento (CGN) e consequentemente a mudança de modalidade de registro de livro fechado para aberto. Para minimizar estas irregularidades e possíveis equívocos, algumas medidas estão sendo tomadas, como a implantação de novas regras no sistema de conferência e liberação de animais, a escolha aleatória de animais a serem submetidos à coleta técnica de material para análise de DNA, visando à verificação de parentesco bilateral e a programação anual de auditorias técnicas em no mínimo 5% dos rebanhos ativos, conforme já previsto no regulamento de registro e aprovado pelo MAPA em 2012. A previsão é de que a partir do mês de agosto a programação das auditorias técnicas já esteja definida e comece a ser realizada pelos técnicos designados para esta finalidade.


91


Homeopatia A Real H comemora a participação em mais uma edição da MEGALEITE. Muitos produtores visitaram o estande, e a procura pela Homeopatia Populacional aumentou, principalmente pelos excelentes resultados em testes. Segundo a empresa, novas parcerias foram estruturadas. Resultados de testes científicos com parceiros como a Ma Shou Tao e Fazenda Santa Bárbara também foram divulgados. Reuniões com as equipes comerciais e distribuidores alinharam o trabalho para os próximos meses, e a assinatura do contrato entre a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando e Girolando MS foi realizada no estande da empresa. 100.000 doses em 3 anos Torpedo é o maior exemplo de sucesso da bateria de touros jovens leite zebu da ABS Pecplan. Ele atingiu a impressionante marca de 100.000 doses de sêmen comercializadas com menos de três anos de produção de sêmen. É o mais jovem touro a atingir esta marca e segue os passos do pai Bolton, que foi o mais jovem touro da raça Holandês a produzir 1.000.000 de doses. Vacinas A Pfizer Saúde Animal traz ao Brasil CattleMaster GOLD FP 5/L5, primeira vacina a conseguir aprovação do USDA (United States Department of Agriculture) para proteção fetal contra a BVD (tipos 1 e 2) e o aborto por rinotraqueíte infecciosa bovina (IBR) – além de proteger os bovinos contra outras doenças que provocam falhas reprodutivas e problemas respiratórios. Trata-se de uma nova geração dessa linha de vacinas no Brasil. CattleMaster GOLD possui uma formulação exclusiva preparada a partir de cepas termossensíveis dos vírus de rinotraqueíte infecciosa bovina (IBR – herpesvírus bovino tipo 1) e parainfluenza tipo 3 (PI3), vírus respiratório sincicial bovino (BRSV) vivo modificado, vírus da diarreia viral bovina (BVD – tipos 1 e 2) inativado e culturas inativadas dos cinco sorotipos de Leptospira (canicola, grippotyphosa, hardjo, icterohaemorrhagiae e pomona). Os antígenos são combinados com uma mistura única de adjuvantes, o Prezent-A. Exphomig “Minas Gerais, o Estado do leite”: este será o tema da maior exposição de gado Holandês Exphomig. Barbacena será a cidade mineira sede do Holandês, no período de

92

9 a 15 de setembro, no Parque de Exposição Bias Fortes. Na noite do dia 13 será realizado o III Leilão Parada da Perfeição - “Goldwyn Tribute” e os julgamentos acontecerão nos dias 14 e 15 de setembro. O canadense David Crack Jr., jurado oficial da Holstein Canadá, será o responsável pelo julgamento do gado jovem e adulto. A 21ª Exphomig é uma realização da Associação dos Criadores de Gado Holandês de Minas Gerais - ACGHMG, em parceria com a Prefeitura de Barbacena, com o apoio do Sindicato dos Produtores Rurais de Barbacena e do Núcleo dos Criadores de Gado Holandês de Barbacena – Nughobar. Mais informações através do site www.exphomig.com.br ou do telefone 32- 4009 4300

Reconhecimento Depois de passar por uma rigorosa auditoria da empresa DQS do Brasil, a CRV Lagoa manteve duas importantes certificações: a ISO 9001 (gestão da qualidade dos produtos e serviços) e ISO 14001 (gestão ambiental). A DQS é uma certificadora internacional de origem alemã, presente em mais de 40 países e parceira da IQNET (International Certification Network). A Central mantém a certificação ISO 9001 desde 1997, enquanto a ISO 14001 foi obtida pela primeira vez em 2008. A CRV Lagoa realiza uma série de ações que visam a preservação do meio ambiente, entre elas: utilização de inseticida biológico que não agride o planeta; a outorga de um poço onde a água é tratada e tem sua qualidade controlada para consumo através de exames mensais; realização de coleta seletiva e reciclagem de lixo; e o plantio regular de árvores na sede da empresa.


93


94


95


96


97


98


99


100


101


102


103


104


105


106


107


108


109


110


111


112


113


114


115


116


Relatório Mensal de Produção Individual ganha versão eletrônica A partir de 1º de setembro de 2012, o Relatório Mensal de Produção Individual (RMPI) passará a ser disponibilizado via e-mail para os criadores. Esta medida visa cessar com extravios de correspondência e dar mais agilidade na entrega das informações. O e-mail para recebimento do RMPI deve ser informado pelo criador no formulário que a Girolando enviará em breve a todos os participantes do Controle Leiteiro. Depois de preenchido, o formulário deverá ser enviado à sede da Girolando, aos cuidados do Serviço de Controle Leiteiro (SCL). Esta é uma das mudanças que o SCL está implantando para aprimorar o atendimento prestado aos participantes da prova zootécnica e para assegurar a credibilidade dos dados obtidos. “Nos últimos anos, algumas mudanças foram de grande importância como, a realização integral de pesagens oficiais acompanhadas por técnicos credenciados, criação e divulgação do Anuário de Lactações Encerradas do Serviço de Controle Leiteiro, entre outras medidas internas que refletem positivamente para o aprimoramento e evolução do trabalho que vem sendo realizado”, explica Jean Carlos Oliveira, coordenador de Processamento de Dados da Girolando. Para mais informações, entre em contato com Jean Carlos pelo número (34) 3331-6000 ou pelo e-mail joliveira@girolando.com.br.

117


Depto. Técnico Depto. Financeiro / ADM / MKT

Cargo e/ou Setor

Email

Telefone

Leandro Paiva

Zootecnista - Superintendente Técnico do SRGRG

lpaiva@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Euclides Prata

Zootecnista - Sup. Técnico Substituto e Técnico do SRGRG

eneto@girolando.com.br

(34) 9972-3965

Fernando Boaventura

Zootecnista - Técnico do SRGRG

fboaventura@girolando.com.br

(34) 9248-0302

Jesus Lopes Júnior

Zootecnista - Técnico do SRGRG

jlopes@girolando.com.br

(34) 9134-8666

José Renes

Zootecnista - Técnico do SRGRG

jsilva@girolando.com.br

(34) 9972-7882

Juscelino Ferreira

Zootecnista - Técnico do SRGRG

jferreira@girolando.com.br

(34) 9978-2237

Limírio Bizinotto

Zootecnista - Técnico do SRGRG

lbizinotto@girolando.com.br

(34) 9972-2820

Marcello Cembranelli

Méd. Veterinário - Coord. Operacional do PMGG e DPZ

mcembranelli@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Edivaldo Júnior

Técnico Agrícola - Técnico do PMGG e DPZ

ejunior@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Wewerton Rodrigues

Zootecnista - Técnico do PMGG e DPZ (Juiz de Fora/MG)

wrodrigues@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Sérgio Esteves

Eng. Agrônomo - Departamento de Exposições e Ranking

salmeida@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Hilton Nunes

Superintendente Geral

hnunes@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Nilton Santana

Superintendente Administrativo/Financeiro

nsantana@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Edlaine Boaventura

Faturamento

eboaventura@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Noeli Calixto

Cobrança

ncalixto@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Renata Cristina

Contas a Pagar

rcarvalho@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Eva Custódio

Grife Girolando

ecustodio@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Nabor Paim

Contabilidade

npaim@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Carolina Castro

Secretária da Presidência e Diretoria

cteles@girolando.com.br / diretoria@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Tassiana Giselle

Secretária da Superintendência Técnica e Colégio de Jurados

tsilva@girolando.com.br / djrg@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Jean Carlos

Serviço de Controle Leiteiro

joliveira@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Nivaldo Faria

Expedição de Certificados

nfaria@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Luiz Fernando

Tecnologia da Informação

lmoura@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Larissa Vieira

Assessora de Imprensa

imprensa@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Consuelo Mansur

Comunicação e Marketing

cpereira@girolando.com.br

(34) 3331-6000

Jesus Lopes Júnior

Coordenador Técnico

jlopes@girolando.com.br

(34) 9134-8666

André Junqueira

Zootecnista - Técnico do SRGRG

ajunqueira@girolando.com.br

(37) 9964-8872

Nilo do Valle

Zootecnista - Técnico do SRGRG

nvale@girolando.com.br

(31) 9954-7789

Katislene Oliveira

Secretária

etrbh@girolando.com.br

(31) 3334-5480

Fernando Boaventura

Coordenador Técnico

fboaventura@girolando.com.br

(34) 9248-0302

Érico Ribeiro

Zootecnista - Técnico do SRGRG

eribeiro@girolando.com.br

(28) 9939-1501

Lucas Facury

Zootecnista - Técnico do SRGRG

lfacury@girolando.com.br

(22) 9862-8480

Ariane Fernandes

Secretária

etrrj@girolando.com.br

(22) 3822-3255

Euclides Prata

Coordenador Técnico

eneto@girolando.com.br

(34) 9972-3965

Samuel Bastos

Zootecnista - Técnico do SRGRG

sbastos@girolando.com.br

(12) 8120-0879

Márcia Keli

Secretária

etr_jacarei@girolando.com.br

(12) 3959-7292

Limírio Bizinotto

Coordenador Técnico

lbizinotto@girolando.com.br

(34) 9972-2820

Bruno Viana

Zootecnista - Técnico do SRGRG

bviana@girolando.com.br

(62) 8212-2984

Wanessa Silva

Secretária

etr_goiania@girolando.com.br

(62) 3203-5813

Pétros Medeiros

Méd. Veterinário - Técnico do SRGRG

pmedeiros@girolando.com.br

(81) 9938-0070

Janaina Santos

Secretária

etr_recife@girolando.com.br

(81) 3032-3981

ETR-BH (Belo Horizonte)

ETR-RJ/ES (Itaperuna)

Escritórios Técnicos Regionais (ETRs)

Associação Brasileira dos Criadores de Girolando

Nome

ETR-SP (Jacareí)

ETR-GO/DF (Goiânia)

ETR-NE (Recife)

Telefone: (34) 3331-6000 Site: www.girolando.com.br E-mail: girolando@girolando.com.br

118


119


120

Profile for Associação Girolando

O Girolando 85  

Revista O Girolando

O Girolando 85  

Revista O Girolando

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded