Page 1

GIOVANNA PANNAIN, GABRIEL VIEIRA KEINA FERREIRA & MARCO ANTÔNIO

INTERVENÇÃO URBANA NO LARGO DA TAQUARA ATELIÊ DE URBANISMO1 2019.2


ÍNDICE 04 Caracterização da Zona de Intervenção 10 Histórico e Evolução Urbana 13 Planos e Mudanças 16 Clima, Bioma e Aspéctos Naturais 19 Estratégia de Adaptação às Mudanças Climáticas dA AP4 22 Estudo do Clima do Município do Rio de Janeiro 24 Legislação 28 Escolha da área de intervenção 30 Análise urbana - Morfologia Urbana 37 Análise urbana - Mobilidade Urbana 45 Diagnóstico da Área de Intervenção 49 Intervenção


04

10

13

16

19

22

28

45

24

30

37

49


CARACTERIZAÇÃO DA ZONA DE INTERVENÇÃO


Caracterização da zona de intervenção Nossa intervenção será o largo do bairro da Taquara, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, localizado na área de Planejamento 4. O Bairro faz fronteira com a Curicica, Cidade de Deus, Pechincha, Tanque e Freguesia e tem acesso direto a esses bairros por meio das visas: Rua André Rocha, Avenida Nelson Cardoso, Estrada dos Bandeirantes, Estrada do Tindiba, Estrada do Rio Grande e Estrada Rodrigues Caldas. A área fica mais ou menos a 47 minutos do Centro da Cidade e a 35 minutos da praia da Barra da Tijuca. É bastante acessível com diversos ramais de onibus e com BRTs. Cercada por morros: Maciço da Pedra Branca e Maciço da Tijuca, essa área é um dos principais centros comerciais do Estado do Rio de Janeiro, sendo bastante movimentado durante os dias da semana.

ÁREA TERRITORIAL DA TAQUARA 1%

ÁREA TERRITORIAL DO RJ 99%

Com uma área aproximada de 13 Km², o bairro criado em 23/07/1981, não corresponde mais do que 1% da área territorial do Rio de Janeiro (1.255Km²). É o mais importante centro comercial da região e um dos mais importantes da cidade, com alto índice de tráfego de pessoas e veículos, por sua posição geográfica fazendo fronteira com outros importantes bairros, tornando-se estratégico para a política organizacional do Rio de Janeiro, comparando-se ao Centro da Cidade e Madureira. A população da Taquara, com aproximadamente 102126 habitantes, representa 1.5% da população do Rio de Janeiro. Desses 100%, 96.62% possuem água encanada nos domicílios, 99.97 possuem energia elétrica e 99.17 possuem coleta de lixo (dados atualizados em 2010).

POPULAÇÃO DA TAQUARA 1.5%

POPULAÇÃO DO RJ 98.5%

fonte: DATA.RIO E IBGE

05


Caracterização da zona de intervenção O nosso bairro conta com uma predominante área comercial com um total de 2.209 estabelecimentos abertos no ano de 2017.

COLETIVOS 1%

Embora seja uma área predominantemente comercial, possui um total de 34.209 domicílios, sendo 33.850 particulares e 359 coletivos, representando 1% do total (dados atualizados em 2010). Além disso, conta também com um total de 23 equipamentos municipais de educação, esse numero se divide entre CIEPs, Escolas Municipais, Espaços de Desenvolvimento Infantil, entre outros.

PARTICULARES 99%

ATACADO 9.3%

SERVIÇOS 51.8%

VAREJO 38.4%

20

15

10

5

ED I

M U N IC IP A L

ES C O LA

M U N IC IP A L

C R EC H E

C IE P

0

fonte: DATA.RIO E IBGE

06


Caracterização da zona de intervenção

Alta circulação de pedestres Pontos de encontro Áreas para evento Zonas degradadas

07


Caracterização da zona de intervenção

Árvores frondosas Vegetação de pequeno porte Vegetação de médio porte Nós Cruzamentos 08


HISTÓRICO E EVOLUÇÃO URBANA


HISTÓRICO E EVOLUÇÃO URBANA Em 09 de setembro de 1594, Salvador Correia de Sá doou como sesmarias as terras existentes entre a restinga da Tijuca e Guaratiba – o que corresponde hoje à toda a baixada de Jacarepaguá - aos seus dois filhos. Taquara é uma espécie de bambu, utilizado em cercas e no fabrico de cestos, abundante na região, o que viria a designar a localidade.

O Largo da Taquara tornou-se um importante entroncamento de estradas irradiadas para diversas direções. A partir da década de 1970, surgiram diversos loteamentos ao longo das estradas. Atualmente, novos empreendimentos surgem no bairro, entre condomínios residenciais e conjuntos habitacionais. A Taquara é o maior pólo econômico de Jacarepaguá, com expressivo centro comercial no entorno do Largo da Taquara e apresenta áreas verdes nas encostas da serra e morros. Seu principal bem histórico, tombado pelo Patrimônio da União, é a Casa da Fazenda da Taquara, situada na estrada Rodrigues Caldas. A transformação das grandes chácaras e engenhos da região em grandes loteamentos residenciais aconteceu na década de 1970 e se intensifica nas décadas de 1990 e os anos 2000.

Muitos bairros são oriundos do processo de desmembramento de grandes aglomerações, o que é o caso de Jacarepaguá, hoje a Taquara é uma área autônoma, identificada como bairro próprio. Possui um trânsito caótico há décadas, que mesmo com uma série de ações estruturais de reordenação de fluxos como RioCidade em 2000. O RioCidade foi um importante programa para o bairro da Taquara e atendeu demandas antigas da população local e principalmente buscou uma reordenação do trânsito. Para Jacarepaguá, talvez a primeira menção de uma ação politica tenha acontecido durante o Plano Agache. Este importante plano urbano buscou perceber a cidade como um todo e dando ênfase no transporte. Fruto disso, a especulação imobiliária toma conta do bairro a partir da segunda metade da década de 1990 e se acentua nos ultimos cinco anos pela estabilidade econômica, grande abertura de financiamentos imobiliários e obras como a TransCarioca.

11


HISTÓRICO E EVOLUÇÃO URBANA

12


PLANOS E MUDANÇAS Plano Agache: Concluído em 1930, foi a primeira proposta de intervenção urbanística na cidade do Rio de Janeiro contando com uma visão bastante moderna para a época. Introduziu algumas questões típicas da cidade industrial, como: trasporte de massa, abastecimento de água, habitação opréria e o crescimento das favelas. Contava também com discussões sobre a necessidade de um zoneamento para a cidade até a delimitação de áreas verdes.

Projeto Rio Cidade Consistiu em diversas intervenções urbanas nas vias mais importantes dos principais bairros cariocas. Foram realizadas obras no sistema de escoamento das águas pluviais, de construção de galerias subterrâneas para a passagem de fios e cabos de telefone e energia elétrica, além da reforma de calçadas, retirada e substituição de postes, modernização da sinalização horizontal e vertical, plantio e replantio de árvores, renovação do piso asfáltico e de iluminação, remodelamento do mobiliário urbano de praças e calçadões.Uma das consequências desse projeto foi a Av. Nelson Cardoso e seu entorno que, originalmente de mão única, no sentido Taquara Madureira teve seu tráfego alterado para uma via em dois sentidos.

fonte: PlanoUrbano.Rio e Wikipedia

13


PLANOS E MUDANÇAS BRT Transcarica: A TransCarioca tem 39 km de extensão e 45 estações entre o Terminal Alvorada e o Aeroporto do Galeão passa por vias como a Avenida Ayrton Senna na Barra da Tijuca, Nelson Cardoso e Cândido Benício em Jacarepaguá. A expectativa era de que as obras começassem até março de 2010, sendo concluídas em duas fases: a primeira etapa (Barra-Madureira), até março de 2012; e a última (Madureira-Aeroporto Tom Jobim), no primeiro trimestre de 2013. Porém, a obra só começou em março de 2011. De acordo com a Prefeitura do Rio, 3630 imóveis tiveram que ser desapropriados integralmente ou parcialmente para viabilizar o corredor de transporte.A TransCarioca deve receber pelo menos 300 mil pessoas por dia, segundo estimativas do governo.

fonte: caubr.gov.br e Wikipedia

14


CLIMA, BIOMA E ASPÉCTOS NATURAIS


CLIMA, BIOMA E ASPÉCTOS NATURAIS A cidade, como também todo o estado do Rio de Janeiro, estão completamente inseridos no bioma Mata Atlântica. Segundo informações do Instituto Brasileiro de Florestas, a Mata Atlântica corresponde a 13,04% do território nacional ao longo do litoral, se estendendo do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul. No Rio de Janeiro, estimativas apontam que, por volta do século XVI, a cidade possuía cobertura florestal em 97% do território. Os maiores exemplos da Mata Atlântica na cidade são as unidades de conservação do Parque Nacional da Tijuca e o Parque Estadual da Pedra Branca. Enquanto o parque tijucano tem o título de maior floresta plantada pelo homem, já que sua história passou por muito desmatamento e reflorestamento entre os séculos XVII e XIX, o segundo é considerado a maior floresta urbana do mundo, com 12.500 hectares de extensão..

fonte: rio.rj.gov.br e pcrj.maps.arcgis.com

17


CLIMA, BIOMA E ASPÉCTOS NATURAIS

Parque Estadual da Pedra Branca

Parque Nacional da Tijuca

Cobertura arbórea e arbustiva Favela Área edificada Área não edificada

fonte: rio.rj.gov.br e pcrj.maps.arcgis.com

18


Estratégia de Adaptação às Mudanças Climáticas dA AP4 DESLIZAMENTOS

ÁREA DE PLANEJAMENTO 4 Regiões Administrativas: 16 - Jacarepaguá 24 - Barra da Tijuca 33 - Cidade de Deus

ILHAS DE CALOR

QUEIMADAS

ENCHENTES

AVANÇO DOS OCEANOS

Perigo Presente Perigo Agravado no Futuro

Aumento da temperatura e aumento do nível do oceano.

Urbanização e Habitação Presente: A região é altamente populosa e apresenta grande parte do território propenso a inundações, escorregamentos de massas e exposto a altas temperaturas, com exceção da RA Barra da Tijuca.O território, caracterizado por planícies aluviais entre montanhas, é sensível a ocupação urbana.Apresenta forte crescimento de favelas/comunidades e loteamentos clandestinos.Enfatiza-se que a RA Jacarepaguá apresenta condições preocupantes, pois é a mais populosa da CRJ, altamente vulnerável e tem alta propensão a inundações, altas temperaturas e escorregamentos de massas.Há nessa AP alto número de empreendimentos habitacionais sociais do programa Minha Casa Minha Vida. Futuro: Os vetores da AP4 estão ameaçando as áreas naturalmente sensíveis, como o maciço da Pedra Branca e o Complexo Lagunar de Jacarepaguá, podendo expor pessoas, patrimônios e ecossistemas a impactos.A perda de florestas pode agravar inundações e altas temperaturas.A elevação transiente do nível médio do mar pode ameacar as regiões urbanizadas oceânicas da RA Barra da Tijuca, além de possibilitar alagamento no entorno de todo o complexo.

fonte: rio.rj.gov.br e pcrj.maps.arcgis.com

19


Estratégia de Adaptação às Mudanças Climáticas dA AP4 Mobilidade Urbana Presente: A região apresenta baixo numero de pessoas vivendo perto de estações de média e alta capacidade.Elevado tempo médio de viagem.Alta geração de viagens.Baixa densidade de vias.Baixa oferta de transportes públicos.Há o predomínio do modal rodoviário, de baixa densidade demográfica, de baixa cobertura de transportes públicos e de vias estruturantes, arteriais e coletoras em potencial exposição aos perigos climáticos externos, o que torna a mobilidade vulnerável, especialmente na RA de Jacarepaguá. Futuro: O aumento do nível médio do mar poderá ameaçar a integridade das ciclovias e calçadas, prejudicando o deslocamento por transportes ativos.O deslocamento por carros e ônibus poderão ser fragilizados, especialmente na RA de Jacarepaguá e Cidade de Deus, devido as inundações e escorregamentos de massas em importantes vias estruturantes e arteriais.Essa região apresenta alta vulnerabilidade sem muitas alternativas

Saúde Presente: A AP4 é atamente populosa e suscetível a inundações, escorregamento de massas e altas temperaturas.A RA Jacarepaguá apresenta a maior vulnerabilidade às doenças, principalmente leptospirose e leishmaniose visceral. Futuro: Em decorrência de eventos, poderão ser agravados os promblemas em relação a saúde nessa Área de Planejamento.

fonte: rio.rj.gov.br e pcrj.maps.arcgis.com

20


Estratégia de Adaptação às Mudanças Climáticas dA AP4 Infraestrutura estratégica Presente: Possui algumas unidades com potencial exposição a perigos climáticos. Contudo, tanto para altas temperaturas quanto para escorregamentos de massa o número de unidades é relativamente baixo, com destaque para inundação e elevação transiente do nível do mar.Observam-se unidades das três categorias em potencial exposição, sendo elas: Operacional, principalmente as de tratamento de afluentes, e Educacional, como pontos de atenção. Futuro: Aumenta o número de unidades potencialmente expostas aos perigos já identificados na situação presente.Destaca-se o crescimento nos níveis de exposição a altas temperaturas e escorregamentos de massa, com alguns setores urbanos apresentando todas as unidades potencialmente expostas, como as escolares, com expressiva exposição a altas temperaturas

ÁREA DE PLANEJAMENTO 4

fonte: rio.rj.gov.br e pcrj.maps.arcgis.com

21


ESTUDOS DO CLIMA DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

fonte: ProjetEEE

22


LEGISLAÇÃO


Legislação IAT da Taquara = 4,0 Para a AP-4, foram adotados os IATs (Índices de Aproveitamentodo Terreno), por Unidade Espacial de Planejamento GABARITOS E AFASTAMENTOS

Número máximo de pavimentos no Bairro da Taquara: 12 pavimentos, de qualquer natureza; – Edificações não afastadas das divisas: 4 pavimentos, de qualquer natureza; Taxa de Permeabilidade: 20%; Afastamento frontal mínimo: 3m; Pavimento dispensado do afastamento das divisas nas edificações afastadas das divisas: É permitido dispensar do afastamento das divisas até o segundo pavimento nas edificações mistas e não residenciais, nas vias relacionadas a seguir: - Av. Nelson Cardoso; - Estrada do Tindiba; - Largo da Taquara; - Praça da Taquara; - Estrada dos Bandeirantes.

CARACTERIZAÇÃO DO ZONEAMENTO

A Taquara é caracterizada como Zona Residencial Multifamiliar e abrande dois tipos desse zoneamento: Zona Residencial Multifamiliar 2 (ZRM 2): Permite algumas atividades de comércio e serviços de apoio e complementariedade ao uso residencial. Zona Residencial Multifamiliar 3 (ZRM 3):a convivência com usos não residenciais diversificados.

fonte: rio.rj.gov.br e pcrj.maps.arcgis.com

25


Legislação PLANO DE ESTRUTURAÇÃO URBANA SEÇÃO II - DAS DIRETRIZES Art. 3º

Ficam definidas nos incisos deste artigo as diretrizes básicas que poderão nortear o estabelecimento de políticas e a implementação de ações para o desenvolvimento físico-urbanístico dos bairros de Freguesia, Pechincha, Taquara e Tanque. I - revitalização do centro da Taquara/Tanque, privilegiando seu uso por pedestres, a variedade de atividades a se implantar, espaços de estar e de lazer, eliminando os principais conflitos de uso e de circulação; II - elaboração de Plano de Circulação e Transportes, com o seguinte conteúdo mínimo de obras e intervenções para a área do PEU:

a) propostas de Medidas de Engenharia de

Tráfego, tais como sinalização, semaforização, racionalização e alteração dos percursos de ônibus, mudança no sentido de direção de algumas ruas, a partir da entrada em operação da Linha Amarela; b) propostas de Melhorias na Rede Viária

existente, considerando a implantação de alguns PA em vias de maior fluxo e alargamento de vias, devendo ser previstas obras que contemplem a implantação de sistema de transporte coletivo de média capacidade em vias selecionadas; c) proposta de Implantação de um Sistema

de Transporte Coletivo de Média Capacidade, aliado a pelo menos um terminal de integração entre esse sistema e linhas de ônibus para as demais áreas do PEU, estas, reorganizadas para atender a nova função de linhas alimentadoras;

SEÇÃO I - DA ÁREA DE ESPECIAL INTERESSE

Art. 56º

URBANÍSTICO

O projeto de revitalização da AEIU poderá conter, entre outras, propostas para: I - equacionamento da circulação de pedestres, automóveis, transportes coletivos e estacionamento através de alterações no sistema viário e nos espaços públicos, incluindo a revisão dos PAA de todas as vias das áreas centrais; II - tratamento dos espaços públicos, arborização, ajardinamento, mobiliário urbano, anúncios e sinalização.

Art. 55º

A Área de Especial Interesse Urbanístico Taquara/Tanque (AEIU Taquara/Tanque) será objeto de projeto de revitalização, com o objetivo de: I - criar melhores condições de acesso e uso aos equipamentos comerciais e de serviços; II - viabilizar a melhoria do sistema viário e do sistema de transportes coletivos; III - promover a melhoria do padrão urbanístico e viabilizar o adensamento.

fonte: Lei Complementar 70/04 | Lei Complementar nº 70 de 06 de julho de 2004

26


ESCOLHA DA ÁREA DE INTERVENÇÃO


Escolha da área de intervenção A partir dessa caracterização, concluímos que a escolha da nossa área para a intervenção urbana se deu a partir da observação da falta de vários setores como: A falta de possibilidade para transportes ativos;

O centro de bairro da Taquara é delimitado pela abrangência das seguintes vias: Rua Apiacás, Estrada do Tindiba, Estrada dos Bandeirantes e Rua André Rocha e o principal eixo articulador, a Avenida Nelson Cardoso que concentra o maior número de unidades comerciais.

A divergência de circulação entre os turnos, ou seja, nos dias da semana, principalmente na parte da manha e tarde, essa área possui uma enorme circulação de pedestres e automóveis porém, após o horário comercial, essa área fica deserta e com pouca segurança.

A partir deste cenário, o deslocamento de pedestre e de veículos se articula para as vias internas do bairro alcançando seus limites e ligando bairros vizinhos, sendo palco do maior número de mudanças de trânsito ao longo dos anos.

Assim, percebemos que o comércio, principalmente do ramo varejista, comanda os fluxos no largo da Taquara.Apesar de ser uma área já consolidada a muito tempo, foi escolhida por ter um potencial subaproveitado para os frequentadores da área, além de ser a centralidade de um bairro recentemente decretado e conhecido em todo o estado como um dos principais centros comerciais, servindo de apoio a vários outros bairros vizinhos.

ES TR AD HA OC

EST.DOS BANDEIRAN

ÉR

BA

C

O

DR

DI

N

ON

OS

AN

TIN

EST. RODRIGUES CALDAS

E

DA NI

S EL

D AR

A

O AV

AA

AS

RU

AD RU

C PIA

TES

29


ANÁLISE URBANA


Análise urbana - Morfologia Urbana

CONSTRUÇÕES

QUADRAS

RUAS

PLANTA

31


Análise urbana - Morfologia Urbana

Cheios

Vazios

É uma área densa, mas apesar de muitas construções, encontramos vazios entre elas preenchidos por árvores, estacionamentos e calçadas que, ao separarmos neste mapa, percebemos que não são as edificações que adensam a região e, sim, a junção de todos os equipamentos urbanos ali presentes.

32


Análise urbana - Morfologia Urbana

Comercial Residencial Misto

A nossa área de intervenção é um dos polos comerciais mais importantes do Rio de Janeiro, por isso, o uso do solo prevalece o comercial, mas ainda sim encontramos áreas residencias, templos religiosos e ambientes educacionais.

Ensino Religioso

Área sem uso

33


Análise urbana - Morfologia Urbana

0 a 5 metros 5 a 10 metros

Nessa área, encontramos um gabarito bem regular, a maioria das construções são de 2 a 3 pavimentos, com apenas algumas se destacando e fugindo do padrão encontrado.

+ de 15 metros

34


Análise urbana - MOBILIÁRIO URBANO

Postes de Iluminação Bancas de jornal Estações do BRT Pontos de ônibus Semáforos

35


MOBILIDADE URBANA


Anรกlise urbana - MOBILIDADE Urbana ES TR AD AD O TIN DI HA OC ร‰R

EST.DOS BANDEIRA

DR

A

SO

AN

ID

LS

C ON

O RD

A

A

EST.RODRIGUES CALDAS

N VE

E AN

AS

RU

BA R

A UA

C PIA

NTES

Via Arterial Via Coletora Via Local

38


Análise urbana - MOBILIDADE Urbana ES TR AD AD O TIN DI HA OC ÉR

EST.DOS BANDEIRA

DR

A

SO

AN

ID

LS

C ON

O RD

A

A

EST.RODRIGUES CALDAS

N VE

E AN

AS

RU

BA RU

AA

C PIA

NTES

2 pistas em dois sentidos 2 pistas em um único sentido

39


Análise urbana - MOBILIDADE Urbana - CORTES ESQUEMÁTICOS

AVENIDA NELSON CARDOSO E ESTRADA DOS BANDEIRANTES

ESTRADA DO TINDIBA

ESTRADA RODRIGUES CALDAS

RUA ANDRÉ ROCHA

40


Análise urbana - MOBILIDADE Urbana NÃO MOTORIZADA

RUA APIACAS EST. RODRIGUES CALDAS

AV NELSON CARDOSO

02 01

04

06

03 05

EST.DOS BANDEIRANTES

RUA ANDRÉ ROCHA

ESTRADA DO TINDIBA

41


Análise urbana - MOBILIDADE Urbana NÃO MOTORIZADA 01

NELSON CARDOSO

CALÇADA SENTIDO TANQUE

02

RUA APIACAS

CALÇADA DA DIREITA

03

CALÇADA SENTIDO BARRA

CALÇADA DA ESQUERDA

EST. DO TINDIBA

CALÇADA DA DIREITA

CALÇADA DA ESQUERDA

42


Análise urbana - MOBILIDADE Urbana NÃO MOTORIZADA 04

EST. RODRIGUES CALDAS

CALÇADA DIREITA - UNICA CICLOFAIXA DA ÁREA

05

EST. DOS BANDEIRANTES

CALÇADA SENTIDO NELSON CARDOSO

06

CALÇADA ESQUERDA

CALÇADA SENTIDO BARRA

RUA ANDRÉ ROCHA

CALÇADA DA DIREITA

FOTO GERAL DA RUA

43


Análise urbana - MOBILIDADE Urbana - TRANSPORTE PÚBLICO

Pontos de ônibus BRT Transcarioca

CALÇADAS CALÇADA ESQUERDA DA ESQUERDA

44


DIAGNÓSTICO


DIAGNÓSTICO

46


DIAGNÓSTICO

Transito intenso devido ao afunilamento da rua Ausência de mobiliário adequado Vegetação crescente recém plantadas

Calçadas em bom estado de conservação Área de grande poluição visual e alto índice de ambulantes

Área de grande congestionamento e acúmulo de veículos e pessoas


Transito intenso nos dias da semana

Calçadas em péssimas condições

Ausência de mobiliário adequado Zonas de subaproveitamento

48


INTERVENÇÃO


Intervenção

WILLIAMSBURG BROOKLYN ASPHALT PLAZA MURAL PARA A CIDADE DE NOVA IORQUE

MOBILIÁRIO URBANO

PROJETO PARADA VERDE NO RIO GRANDE DO SUL *MAIS INFOS NA EXPLICAÇÃO DAS INTERVENÇÕES

PRAÇA COM FOODTRUCK

TIMES SQUARE

AVENIDA PAULISTA FECHADA AOS DOMINGOS

50


INTERVENÇÃO Praça para abrigar o comércio local, lazer e contemplação Continuação da ciclofaixa da Est. Rodrigues Caldas até a Av. Nelson Cardoso Fechamento da Rua Bacairis com a fim da junção dos dois terrenos para a criação da grande praça

Prolongamento da Rua Marechal Belivaqua a fim de substituir a Rua Bacairis, que gera muito trânsito devido ao afunilamento


Pista da Av. Nelson Cardoso será fechada nos dias de Domingo Restauro das Calçadas Rota Alternativa nos dias em que a pista da esquerda da Av. Nelson Cardoso será fechada

Trânsito seguindo normalmente nos dias em que a pista da esquerda da Av. Nelson Cardoso será fechada

52


INTERVENÇÃo Nossas intervenções tem o intuito de revitalizar e atrair a população para o centro da Taquara. Um espaço subaproveitado, mas com um enorme potencial. Para isso, faremos as seguintes alterações: 1. Padronizaremos todas as fachadas de modo a evitar a poluição visual. 2. Revitalizaremos os mobiliários e os pontos de ônibus pensando na maior segurança e conforto com um mobiliário sustentável e energeticamente autossuficiente inspirado no Projeto Parada Verde*. *O p r o j e t o Parada Verde: Ide a l i z a d o pelo escr i t ó r i o de arquite tura sustentável ec c o ! arch i s t u dio, em parceria com a empresa d e tran s p o r t e coletivo Visate. Bati z a d o de Parada Verde, o projeto uso u a estr u t u r a original do ponto de ônibus, on d e fez p e q u e nos ajustes para que ela pudes s e rece b e r u m teto verde, que traz benefíc i o s para o m e io ambiente e os usuários do tran s p o r t e coletivo. O pr o j e t o instalou placas fotovoltaicas n o l oca l , p a r a que a pa rada seja ener g e t i c amente autossuficiente. As pla c a s ofer e c e m pontos de recarga de celular e gara n t e m a iluminação da região com l âmp a d a s LED. Na c o m p osição dos  bancos e do próprio tel ha d o , f o ram utiliz ados resíduos de m a d e i r as plásticas. Além disso, asse n t o s anti g o s d e ônibus foram reformados e apro v e i t a dos no local, que ganhou uma cama d a d e vidro laminado, para proteg ê - l o cont r a a s intempéries.*

5. Também iremos bloquear a via da Av. Nelson Cardoso sentido Est. dos Bandeirantes nos dias de domingo, com o intuito de trazer a população local para o centro do Bairro que é abandonado fora do horário comercial, transformando em um grande passeio, inspirado nos projetos de Jan Gehl e na Av. Paulista. Com a interdição de uma das Pistas da Avenida, o transito correrá normalmente por todas as outras pistas, inclusive na pista da própria Av. Nelson Cardoso sentido Tanque.

Com isso, a tendência é que, futuramente, comércios sejam abertos a fim de dar suporte para os frequentadores do local. Todas as intervenções tem como objetivo fomentar o aproveitamento das áreas subaproveitadas, dar aos moradores do bairro a sensação de pertencimento e de dar sentido à uma área com um grande potencial que hoje é esquecida em termos de lazer, contemplação e aproveitamento.

3. Criaremos a extensão da ciclofaixa da Est. Rodrigues Caldas por toda extensão da Av. Nelson Cardoso até o Bairro Tanque. 4. Além disso, iremos revitalizar todas as calçadas com o objetivo de aplicar acessibilidade nas travessias entre as ruas.

53


INTERVENÇÃo CORTE ESQUEMÁTICO DA RUA MARECHAL BELIVAQUA

Essa rua será prolongada para suportar o transito a partido do momento que a Rua Bacairis será fechada para dar lugar a nossa grande praça.

CORTE ESQUEMÁTICO DA AV. NELSON CARDOSO

Mostrando as ruas arborizadas de acordo com as árvores recentemente plantadas no local, a ciclofaixa que estendemos desde a Est. Rodrigues Calcas, onde já havia um pequeno trecho para ciclistar.

TRECHO DA AV NELSON CARDOSO AOS DOMINGOS

54


INTERVENÇÃo

55


INTERVENÇÃo

56


Profile for Giovanna Pannain

Intervenção Urbana na Taquara  

Intervenção Urbana na Taquara  

Advertisement