Page 1

Revista

Ed. 17 | Março de 2012

A NOVA VARANDA CUIABANA

LAGO DO MANSO | SQUASH | PÁSSAROS EM CASA | TECIDOS NA DECORAÇÃO


SUMÁRIO

06 Sala de Estar

Humor com respeito e responsabilidade social

12 Prancheta

A nova varanda cuiabana

16 Prancheta Vestindo a casa 18 PRANCHETA Arquitetos convidados

Pág. 12

28 ROTA GINCO

Um paraíso pertinho de Cuiabá

32 BEM VIVER Filhos em primeiro lugar 35 ROTEIRO

Pág. 28

Mães no cinema

36 BATENDO PERNA Charme na varanda e no jardim

38 1, 2, 3

Movimente o corpo todo com squash

40 ÁGUA NA BOCA

Pág. 38

Sabor no almoço com a família

44 eco

Preservação é constante em projetos da Ginco Pág. 48

46 ZOOM

Ano novo, casa nova

47 ZOOM Eu leio!

48 CONVIVENDO

O canto dos pássaros pertinho de casa

Pág. 32

50 Convivendo

Às vésperas da realização de um sonho

52 Convivendo

Oportunidade de investir bem

54 Convivendo

Belvedere comemora aniversário

55 Convivendo

Mais facilidade para o cliente

56 Convivendo

2012: o ano do planejamento

59 Convivendo

Projeto incentiva a prática da corrida

60 Convivendo Notas Ginco

61 GINCOPÉIA 62 Serviço

Revista Ginco | 4

Expediente A Revista Ginco é produzida pela Dialog Assessoria e Comunicação sob responsabilidade da Ginco Empreendimentos. Jornalista Responsável: Camila Bini (DRT 786/21/04 – MT) Edição: Aline Chagas Reportagem: Aline Chagas, Bárbara Rosa e Mikhail Favalessa Diagramação e Layout: Dialog Assessoria e Comunicação.

Fotografias: Rafael Manzutti, Fablício Rodrigues Conselho Editorial: Adriana Ruas e Julio Cesar de Almeida Braz Contato: revista@ginco.com.br 65 3612-0200 Capa: Varanda em casa no Florais Cuiabá


EDITORIAL

Começando o ano em alto astral O ano começa cheio de boas expectativas. Para nós, da Ginco, será um período de consolidação de um planejamento que iniciamos em 2010, marcado por metas e objetivos que vão em direção à garantia de mais e mais qualidade para nossos clientes.

Completamos em fevereiro quatro anos de publicação da nossa revista. E para brindar essa conquista com você, trazemos uma edição bem alto astral e leve. Começamos com um giro pelo Lago de Manso, e vemos como andam as obras no Florais do Valle. Pesquisamos sobre varandas e descobrimos até mesmo um restaurante onde os clientes são os pássaros. Na Sala de Estar, recebemos os atores Lioniê Vitório e Justino Astrevo, que fazem o Nico e o Lau, em um bate-papo muito interessante sobre a carreira.

E, como não poderia faltar, fazemos uma homenagem às mães com uma reportagem especial que mostra como a busca pelo bem estar dos filhos é levada em conta na hora de decidir onde morar. Uma boa leitura e até junho!

Julio Cesar de Almeida Braz Sócio-diretor da GInco Empreendimentos

5 | Revista Ginco


Sala de Estar

Humor com respeito e responsabilidade social Lioniê Vitório e Justino Astrevo, o Nico e o Lau, contam fatos marcantes dos 17 anos da dupla Por ALINE CHAGAS

É difícil encontrar alguém que mora em Mato Grosso e não saiba quem é Nico e Lau. Conhecidos nacionalmente, o pantaneiro Nico e o esperto Lau conquistaram pessoas de todas as idades em 17 anos de uma trajetória de muito sucesso, sempre colocando o público e a responsabilidade social em primeiro lugar. Lioniê Vitório, 42 anos, casado e com dois filhos, é quem vive o Nico. Justino Astrevo, 46, separado, pais de três filhos (com o quarto chegando) é o Lau. Em plena temporada do novo show, “Abafa o Caso”, a dupla recebeu a equipe da Revista Ginco para contar um pouco de como tem sido sua carreira e como foi conseguir se consolidar no mercado.

Revista Ginco | 6


Sala de Estar

A HISTÓRIA DE SUCESSO DE NICO E LAU COMEÇOU EM 1995. COMO FOI O NASCIMENTO DOS DOIS PERSONAGENS? Lioniê - Eu e o J. (Justino) temos uma história de teatro em Cuiabá que é anterior à 1995. O J. participava de um grupo que se chamava Companhia Folhas de Teatro e eu, do Grupo Ânima de Teatro. Em 1989 ele ia fazer um espetáculo chamado “Último Baile de Verão” e precisava de um ator. Foi assistir a uma peça em que eu participava e me viu atuando lá. Depois, me convidou para participar do espetáculo dele. A parceria deu certo e passamos a atuar juntos. Na época, fazíamos pouco humor. Nesse período, fizemos dois espetáculos que tinham

Nico e Lau apresentam para casa cheia no Centro de Eventos Pantanal

essa via. Em um deles, “A Balada para Diagnosticar Demente”, tinha um personagem chamado Zanzibar que já era um protótipo do Nico, mas ainda não pensávamos em criá-lo. Somente no dia 8 de abril de 1995 que fomos convidados para fazer uma participação na TV Gazeta (hoje TV Record) em uma homenagem à Cuiabá, no programa “Revista da Manhã”. Pensamos então em contar “causos” que trabalhassem o linguajar cuiabano. Eles gostaram tanto que voltamos no outro bloco. Passou uma semana e nos convidaram para voltar novamente. Na época nem existia o nome Nico e Lau, nos chamávamos de “cumpadre”. Para criar um nome, decidimos seguir a linha de um filme lançado na época, o “Débi e Lóide”, e dividimos o nome Nicolau em dois.

Dupla está com show “Abafa o Caso” em Cuiabá

Como meu apelido de infância era Nico, fiquei

7 | Revista Ginco


Sala de Estar

com esta parte e o J. com o Lau.

HOUVE ALGUMA MUDANÇA NO DECORRER

OS ESPETÁCULOS TEATRAIS COMEÇARAM

DOS ANOS?

LOGO APÓS A TV?

Lioniê – Algumas coisas foram se adequando,

Lioniê – Depois da participação em outras

pois os personagens Nico e Lau, no início, não

edições do “Revista da Manhã”, passamos a

foram sonhados ou planejados. Eles foram

ter um espaço nosso, o “Porteira Aberta”. De-

surgindo. Começamos com espetáculos para

pois surgiu outro, o “Ser... tão Mato-grossen-

adultos da classe C e D. Depois a gente foi

se”, que era apresentado pelo radialista Car-

vendo que as crianças também começaram a

los Roberto “Mortadella”, onde contávamos

gostar. Como os personagens tinham alguns

causos e encenávamos histórias. A partir daí,

comportamentos que não eram adequados

começamos a fazer os espe-

para esse público, nós tivemos que mudar.

táculos. A dupla Nico e Lau foi

Com o passar do tempo alcançamos as clas-

se desenvolvendo na medida

ses B e A. Passamos a buscar entender nosso

em que fomos sendo solici-

público e dialogar com ele. O que não vai mu-

tados. Ia surgindo e amadure-

dar e que não deve mudar é o perfil dos per-

cendo de acordo com o que

sonagens. O sentimento e a identidade deles.

as pessoas nos ajudavam na

Mesmo com o passar do tempo, eles mantém

Um dos pontos marcantes da carreira da dupla foi carregar a tocha do PanAmericano de 2007

Revista Ginco | 8

televisão. O público foi nos dando o caminho.

as mesmas características, de um ser mais

COMO VOCÊS DEFINEM O NICO E O LAU?

esperto que o outro.

Lioniê – O Nico é um cidadão arrojado, ou-

Justino - Nós passamos por transições. As

sado. É o que detém menos informação, um

falas eram muito mais com a marca do lingua-

pouco mais brincalhão, um pouco mais con-

jar cuiabano, tanto na sonoridade quanto nas

servador.

expressões. Com o tempo, tiramos algumas

Justino - O Lau é o oposto de tudo no Nico. É

coisas, transformamos em arte. Para isso, nos

mais ladino, no sentido de esperto, no sentido

baseamos na nossa origem, mas nos projeta-

de que é mais “experimentado” nas coisas,

mos para os próximos 15 anos. Foram essas

mais intelectual. Por ele ter mais informações,

transformações que nos fizeram chegar aqui.

ler mais, ser mais conectado, é o contrário do

Há algum tempo fizemos um curso de moda

Nico, que é mais aberto, entra mais de cabeça

para compreender os tecidos e as roupas que

nas coisas. O Lau pensa para o Nico realizar.

o cuiabano usa, para então fazer uma simbio-

Acho que o Lau pensa tanto que não faz nada.

se com o que está na moda. Assim, não per-

Mas acredito que é justamente essa dualida-

demos a origem e nem perdemos a conexão

de que faz a dupla dar certo.

com o contemporâneo.


Sala de Estar

A CARREIRA DE VOCÊS COMO NICO E LAU

dos. Ainda é estranho sair daqui e ao ir a Mato

JÁ TEM QUASE 17 ANOS. QUAIS FORAM AS

Grosso do Sul achando que somos meros des-

PRINCIPAIS CONQUISTAS E OS MOMENTOS DE

conhecidos, parar em um posto de gasolina e

MAIOR DIFICULDADE DA DUPLA?

alguém nos reconhecer.

Justino – Nós procuramos agir de forma pla-

QUEM ASSISTE AOS SHOWS E VÍDEOS DE

nejada. A cada ano estabelecemos metas.

VOCÊS PERCEBE UMA FORTE INFLUÊNCIA DA

Quando se tem uma certa longevidade dos

CULTURA CUIABANA. COMO VOCÊS CONSE-

personagens, uma coisa que precisamos fa-

GUEM MANTER A LINHA ENTRE A HOMENA-

zer é incrementar. Nesses anos de carreira

GEM E O HUMOR?

como Nico e Lau temos como uma conquista

Justino – Nós somos cuiabanos e sabemos

o Festival Nacional de Humor e um show que

os limites. Dentro do humor tem que existir

fizemos em 2008, acho que inédito, com o

um limite. Na plateia a gente também percebe

Marcelo D2: o Dream Fashion Tour. Era um des-

esse limite. Fazemos uma avaliação do show,

file que ia a todas as capitais brasileiras e nós

conversamos com o público e procuramos en-

participamos da abertura em Cuiabá. Acho

tender o que as pessoas querem ouvir.

que ficou muito legal, pois foi um público dife-

VOCÊS CONVERSAM COM OS CUIABANOS?

rente, de moda e de música. Outro marco na

Justino – Sim! São eles que nos informam

nossa carreira foi ter carregado a tocha olím-

constantemente. Na beira de rio, na cidade.

pica dos jogos Pan-Americanos do Rio de Ja-

Temos ainda uma preocupação em sempre

neiro em 2007, quando ela passou por Cuiabá.

buscar um conteúdo universal. Utilizamos o

Uma frustração é que ainda não conseguimos

linguajar cuiabano, mas queremos dialogar

fazer nosso filme, que é algo que estamos pla-

com todas as plateias. Um exemplo são as

nejando, mas ainda não aconteceu.

expressões que adotamos: “Fique esperto”

A RECEPTIVIDADE DESSE PÚBLICO SURPREEN-

e “Tô ligado”. As duas expressões não são

DEU VOCÊS?

cuiabanas. É uma linguagem universal, porém,

Lioniê – Surpreendeu desde o início. A TV é

faladas do modo cuiabano.

algo incrível. Fizemos teatro por todo o Mato

COMO É FAZER HUMOR HOJE EM DIA?

Grosso durante dez anos e não chegamos per-

Lioniê – O humor tem que fazer as pessoas

to de ter a resposta que tivemos em um mês

rirem, não importa se é “stand up” ou peça.

ou dois de TV. A primeira vez que fomos a um

Tem que fazer rir. O cara pode criar um estilo

bairro em Cuiabá, no Osmar Cabral, o pessoal

mais inovador, mas se não conseguir fazer

nos chamava e pedia autógrafo, nos surpre-

as pessoas rirem, não dá. Acho que o bom

endendo. E é assim também em outros esta-

humor tem que ser verdadeiro, não pode ser

9 | Revista Ginco


um humor que coloca só as palavras para fora.

braço, fomos para outros estados para fazer

Tem quem acreditar, tem que fazer com que as

parcerias e consolidar o nosso nome. Monta-

pessoas vivam aquilo. Tem espaço para todo

mos então a nossa empresa para fazer a par-

mundo e o mercado sabe selecionar.

te burocrática.

NICO E LAU TAMBÉM FAZEM HUMOR EM EM-

O QUE O NICO E O LAU PENSAM DE CUIABÁ?

PRESAS, PARA AJUDAR NA QUALIDADE DE

Lioniê – O Nico é apaixonado por Cuiabá, por

VIDA DOS TRABALHADORES. E ONDE SURGIU

Mato Grosso. É um pantaneiro, apaixonado

ESSA IDEIA?

pela natureza, pela arquitetura, pelas pesso-

Justino – Nós sempre trabalhamos como ou-

as, pelo calor, pelo jeito das pessoas falarem.

tros artistas, com um empresário que fazia

O Nico não trocaria essa cidade.

tudo para nós. Mas chegou um momento em

Justino – O Lau representa o orgulho de ser

que nós tivemos que tomar conta da nossa

cuiabano. Tem um traço da personalidade mui-

carreira. Percebe-

to namorador, se autodefine como “ficador”.

mos que o empre-

Ele gosta muito de festas e Cuiabá gosta mui-

sário não projeta

to de festas. O Lau gosta do contato, de ficar

o artista. Ele vive

no bar, ficar até tarde maquinando coisas.

com que o artista

Cuiabá oferece para o Lau o que ele gosta. Ele

produz.

Quando

também tem essa característica de ser muito

você está no mer-

alegre. Algo que você não vê em Cuiabá é a

cado, ele quer co-

tristeza. As pessoas estão sempre alegres.

mercializar o seu

Minha mãe também tinha muito isso. Como

show. Ele não prospecta. Quando você está

característica dos cuiabanos é uma das prin-

com sua carreira em suas mãos, você está

cipais, das mais importantes. Mesmo quando

tomando as rédeas de como vai conduzir,

as pessoas se queixam de alguma coisa na

vai escolher em quais os nichos de mercado

cidade, acabam ficando. Acho que ficam por

você vai atuar. No caso das palestras, nós já

causa das pessoas que moram aqui. O Lau é

tínhamos propostas há algum tempo, mas não

completamente adequado à cidade.

fazíamos. Até que a gente percebeu que por

QUEM É JUSTINO ASTREVO?

trás disso tinha o Sebrae e começamos a en-

Justino - Justino tem 46 anos, é separado, pai

tender que era um novo nicho para atuar. Fize-

de três filhos, esperando o quarto. Não sei se

mos cursos e conseguimos abrir vários novos

sempre quis ser artista. Acho que é a profis-

nichos. Nós passamos a ser empresários de

são que escolhe a gente mesmo. Comecei a

nós mesmos, colocamos o projeto debaixo do

ter contato com teatro na escola, mas gos-

“O humor tem que fazer as pessoas rirem. Podem criar um estilo mais inovador, mas se não conseguir fazer as pessoas rirem, não dá.”

Revista Ginco | 10


tava muito era de jogar bola. Depois que tive contato com teatro, parei de jogar bola, mas no começo não sei se vislumbrava futuro dentro disso. Tem gente que aos 15 anos já sabe o que vai ser e eu confesso que eu não sabia. Sou formado em letras, pois sempre gostei muito de escrever. Fui para a universidade para aprimorar minha escrita. Talvez estivesse pensando em ser escritor, tradutor, ou algo assim. Sou funcionário público municipal e acho que só defini que queria ser ator na minha maturidade. Isso aconteceu quando fiz um concurso para o Governo do Estado e passei em 3º lugar. Tinha a possibilidade de escolher a escola que queria, mas percebi que se lecionasse nos dois períodos não sobraria tempo para me dedicar ao teatro. E O LIONIÊ? Lioniê - Santo-antoniense, de 42 anos. Considero-me um pantaneiro, casado com uma pantaneira. Tenho dois filhos, comecei a fazer teatro em 86 no Grupo Ânima. Já nasci artista, mas sem saber o que era arte. Gostava muito de pintar. Na verdade, primeiro fui desenhista, depois artista plástico e depois ator. Foi com 16 anos que resolvi ser ator. Quando comecei, todo mundo falava: “larga disso, essa é a profissão que não dá futuro”. Se a gente parar para pensar, nos anos 80 era praticamente loucura ser ator. O que dominava naquela época eram as artes plásticas. Éramos pioneiros dentro dessa área. Hoje me sinto muito

Lioniê e Justino passaram a ser empresários deles mesmos, investindo em novos nichos

bem com o que faço.

11 | Revista Ginco


PRANCHETA

A nova varanda cuiabana

Realocada para o interior das casas, varandas ganham anexos luxuosos e decoração aconchegante Por BÁRBARA ROSA

A procuradora federal Liliane Ohara e os pequenos Gustavo e Lucas na varanda de sua casa, no Florais Cuiabá

Revista Ginco | 12


PRANCHETA

Espaço para receb er, descansar e conviver com a família e amigos, a varanda é ambiente imprescindível para os tipicamente cuiabanos. Passando da frente da casa, como tradicionalmente era planejada nos idos anos 70, para o interior das residências, a varanda agora toma nova for ma amparada p ela área social. Piscina, espaço gour met, salão de jogos, sala de T V e spas es tão a trelados a ela sem deixar de lado a ideia de convívio e conforto que as

Palmeiras e yucca são espécies bastante utilizadas na decoração

caracteriza. Mas como decorar a sua varanda e deixá-la aconchegante como sua casa merece? O primeiro passo é avaliar o tamanho do ambiente e deter minar para qual finalidade deseja usá-lo. Nos casos em que o espaço da varanda foi incluído no projeto original da casa, es ta etapa p o derá ser mais facilmente definida, a não ser que sur jam novas idéias e intenções. Fa to é que o local, a p osição em relação ao sol, o tamanho e o desejo do proprietário vão definir o es tilo e a função da varanda. Varandas térreas es tão cada vez mais receb endo to ques requintados com ofurôs, mini spas e chaises confortáveis. Ou tra tendência encontrada em nossa cidade é a varanda clima tizada, envolta p or p ortas de vidro, que cumpre a função de relaxar e refrescar nos dias cuiabanos mais quen-

Varandas térreas recebem toques requintados com ofurôs, mini spas e chaises confortáveis

tes. Flores e plantas escolhidas com a ten-

13 | Revista Ginco


PRANCHETA

Varandas ganham espaços climatizados de lazer e relaxamento

A paisagista Valderez Scedrzyk

Dicas valiosas Se para você há res trição em relação ao espaço a ser decorado a melhor al ter na tiva é u tilizar móveis sob medida. Tome cuidado para que o excesso de objetos não diminuia

ção darão to ques temáticos à decoração

a área de circulação.

e p o derão oferecer sombra e frescor quando b em cuidadas. Palmeiras, pa tas de ele-

As paredes p o dem ficar mais b onitas com vasinhos p en-

fante e dracenas ar bóreas são suges tões

durados. Uma suges tão: bico de princesa, que cresce em

de plantas que funcionam b em em nosso

casca ta. Ou tra al ter na tiva é plantar pimenta, hortelã ou

clima e decoram de for ma prática. Ou tra

a té mesmo salsinha, criando a sua horta dentro de casa.

suges tão é a y ucca, que demanda fácil cuidado e combina com um mobiliário mo der-

Se a varanda es tiver dentro da casa, próxima a salas e quar-

no, de linhas retas, já que p ossui folhagem

tos, mantenha os mesmos tons de cor nas paredes para

geométrica. Pimentas e temp eros p osi-

criar unidade entre os ambientes e des tacar a decoração.

cionados próximo à cozinha ou churrasqueira ajudam a colorir e aguçar o ap etite.

As plantas devem es tar em conta to com o sol para receb e-

Algumas dú vidas são mais p ertinentes,

rem os nu trientes de que precisam. Também é imp ortante

como o que fa zer com sacadas ou espa-

que as plantas al tas sejam colocadas junto à parede para

ços p equenos. Para a paisagis ta Valderez

que cresçam melhor.

Scedr z yk, proprietária do viveiro Verde Que Te Quero Verde e ganhadora do Prêmio

Revista Ginco | 14


PRANCHETA Sus tentabilidade durante a Casa Cor Ma to

lanter nas e banquinhos de sua preferência

Grosso 2010, uma sacada, p or menor que

e pronto: garantia de uma varanda delicio-

seja, sempre p o de ficar char mosa, acon-

sa dentro de casa.

chegante e confortável. “Plantas fru tífe-

Há três anos moradora do Florais Cuiabá,

ras e florais p o dem promover o b em es tar

a procuradora federal Liliane Taise Campa-

p elas cores e aromas”, afir ma.

nelli Ohara ainda trabalha na decoração do

Muitos de seus clientes também u tilizam

seu jardim inter no, localizado no coração

vasos de plantas altas como uma for ma

da casa. Com um deck de madeira reves-

de barreira visual do exterior para o inte-

tindo o espaço de convivência, o jardim foi

rior, garantindo maior privacidade e um

transfor mado em uma p equena varanda e

ambiente único e verde mesmo tão dentro

Liliane encontrou a solução para que seus

de casa. Pedras seixos e deck de madeira

filhos p ossam brincar sem sujar os p és

são reves timentos comuns para varandas

que a princípio es tariam sobre a grama e a

p equenas. Ou tra b oa suges tão é cobrir o

terra do jardim. “Agora temos um espaço

piso com uma es teira, que além de confor-

ex tremamente lúdico, em que a p osição

tável p o de ser aproveitada para alonga-

do deck leva as crianças a se sentirem em

mentos e exercícios em casa. Junte isso a

um palco de tea tro”, brinca.

.Jardim no Florais Cuiabá foi transformado em uma pequena varanda

15 | Revista Ginco


PRANCHETA

Vestindo a casa Abuse dos tecidos para dar mais personalidade à decoração

Persianas rolô protegem a sala de estar da luz do sol

A seda bordada é a queridinha do momento

Revista Ginco | 16

Por BÁRBARA ROSA

Em cada cômo do da casa, os tecidos es tão

Utilizar

tecidos

presentes. Cortinas, almofadas, sofás,

paredes

pu fes e a té paredes receb em es tampas e

quem não encontrou o pap el de parede

cores definidas p or eles e escolhidas de

desejado. Com uma expressiva variedade

acordo com o uso do espaço e da ocasião.

de opções, os tecidos cumprem b em

Pensando na imp ortância des te ma terial

o pap el de reves timento desde que

para a criação da p ersonalidade da casa,

p ossuam aderência e não tenha alto

a Revis ta Ginco foi buscar as tendências e

relevo em sua for mação. Ou seja, quanto

os usos corretos dos diferentes ma teriais

mais liso e com tramas grossas e fir mes,

disp oníveis no mercado em Cuiabá.

melhor será o resul tado final. A aplicação

De acordo com a subgerente da Wes t

não diferencia em muito da aplicação de

Cor, Mirtes Lop es, o linho continua sendo

pap el de parede, mas é preciso tomar

o grande escolhido quando a decoração

cuidado com o tamanho do tecido e a

p ede elegância e discrição. Utilizado em

es tampa, que deve p ossuir continuidade

cortinas e sofás, ele es tá cada vez mais

para que o resul tado fique como desejado.

acessível e vem ganhando tons diversos

O ideal é buscar ajuda de um profissional

e funciona muito b em quando combinado

habilitado.

com ou tros tip os de tecido à base de

O brilho e o rús tico es tão com tudo

algo dão.

para os es tofados, sejam sofás, pu fes

O grande des taque das tendências das

ou p ol tronas. Márcia Maria de Paula,

últimas coleções é o veludo, presente

proprietária da Márcia Cortinas, afir ma

em sofás e também em cortinas quando o

que a próxima tendência são os tecidos

ambiente é refrigerado – caso contrário

es tonados, com lavagem diferenciada

o tecido, ex tremamente p esado para

e mais frescos. Ta fetás e jacquard são os

o nosso clima, p o de reforçar o calor

tecidos que cumprem melhor essa função.

proveniente de janelas e p ortas de vidro.

Para áreas ex ter nas, que receb em luz solar

Acompanhada do voil (pronuncia-se voal),

direta ou água, os tecidos mais indicados

a cortina de veludo dá ares de lu xo e

são o aquablock, a lona e a lona acrílica,

requinte a qualquer ambiente. Já nos sofás,

disp oníveis em diversas es tampas e cores.

a cor cinza chumb o é a mais procurada p or

Moradora do Belvedere há três meses

ser mais durável e disfarçar sujeiras.

e cliente da Márcia Cortinas há 10 anos,

é

uma

no

reves timento

saída

cria tiva

de para


Áreas externas recebem tecidos resistentes como o aquablock

Mirtes Lopes, subgerente da Westcor

Márcia de Paula, proprietária da Márcia Cortinas

A moradora do Belvedere Claudicéia Santos

Claudicéia Santos es tá muito contente com o resul tado final da decoração de sua nova casa. A grande janela de vidro que acompanha a escada na sala de es tar ganhou práticas p ersianas rolô que, além de protegerem da luz solar, são motorizadas, facilitando o uso no dia a dia. Na mesma sala, o des taque ficou p or conta do pu fe a zul em seda b ordada. O quarto do casal foi concebido em tons marrons, passando a sensação de

aconchego.

Uma

cortina

marfim

Quarto do casal ganhou tons marrons na colcha e nas almofadas de tafetá

de voil suíço separa o quarto do mini SPA. Almofadas de tafetá completam a decoração. Já o spa ganhou uma p ersiana romana em linho, combinação p erfeita

Spa ganhou poltrona em seda bordada e persiana em linho, além da cortina de voil que o separar do quarto de casal

para a p ol trona de seda b ordada onde a moradora descansa e lê diáriamente. Já na área ex ter na da casa, a grande mesa de madeira receb eu almofadas em aquablock com es tampas de flores que remetem aos tecidos de chita, tipicamente tropicais e brasileiros, “dando colorido esp ecial ao ambiente de recepção e reunião dos familiares e convidados”, segundo Márcia de Paula.

17 | Revista Ginco


Um

gu ia

de

ar qu ite tu ra

em

Cu iab รก

A C R O Q NV UI T ID ET A O D S O S

PRANCHETA

Revista Ginco | 18


PRANCHETA

A partir d e s t a edição, Revis ta des taca arquitetos

a Ginco vários

reconhecidos

em Ma to Grosso p elos b ons resul tados obtidos nos úl timos anos. ano,

Durante

vários

o

decorrer

profissionais

des te

terão

um

p erfil publicado nas edições da revis ta. A intenção é ajudar nosso cliente a identificar profissionais para o seu sonho de cons truir a casa ideal. Aproveite e b oa leitura! Por ALINE CHAGAS

19 | Revista Ginco


PRANCHETA

Muita conversa antes do projeto Arquitetos da Aquatro Projetos e Planejamentos procuram sempre atender o desejo do cliente

. “Preferimos falar a linguagem do cliente, deixar ele bem à vontade”, revela o arquiteto Lucas Coelho de Almeida

Revista Ginco | 20

Excelência no a tendimento, preocupação

Para que esse sonho se ma terialize da

com detalhes e qualidade nos projetos.

melhor for ma p ossível, os arquitetos da

Essas

que

Aqua tro trabalham com várias dicas e dão

norteiam o caminho da Aqua tro Projetos e

to da assessoria p ossível para chegar

Planejamentos, escritório de arquitetura

aos melhores resul tados. Um projeto

comandado p elo trio de arquitetos Higor

nunca fica pronto antes que o cliente

de Oliveira, Flávia Nascimento e Lucas

seja entrevis tado duas ou três vezes p ela

Co elho de Almeida, to dos for mados p ela

equip e, para que a comunicação seja feita

Universidade Federal de Ma to Grosso.

de for ma plena.

Na Aqua tro, cada arquiteto p ossui uma

“Se o cliente viu algo do que gos tou e

função b em definida dentro da empresa,

não sab e explicar como é, orientamos

o que facilita a comunicação com os

a tirar uma foto. Preferimos falar a

clientes. Lucas é o diretor da Área

linguagem dele, deixar ele b em à vontade.

Comercial, Higor é o diretor de Pro dução,

Acompanhamos o cliente em to dos os

Elab oração e Visitação às Obras, e Flávia é

momentos, a té mesmo na hora de comprar

a diretora do Financeiro e também da área

o terreno, dando infor mações sobre o que

de Decoração de Interiores. “Levamos

é p ossível fa zer no espaço escolhido”,

nosso trabalho muito a sério. Pensamos

revela Lucas.

como uma empresa. Nosso cliente nunca

Um exemplo dado p or Lucas são duas

fica sem conta to com os sócios”, explica

casas do condomínio Florais Cuiabá, que

Lucas.

tiveram seus projetos feitos p ela Aqua tro

Ele

são

conta

as

que

três

da

em terrenos vizinhos. Os proprietários,

Aqua tro, no mercado desde 20 03, é que a

pai e filho, desejavam dividir a área de

empresa não ap os ta em ap enas um es tilo.

la zer. E assim foi feito. A parte inter na

“Procuramos sempre a tender o desejo

dos imóveis foi feita de acordo com a

do cliente. Não imp omos uma referência,

vontade de cada um. Para o filho, uma

um

o

casa mais ab erta. Para o pai, um es tilo

sonho dele, para que fique totalmente

mais fechado. Em comum, os momentos

sa tisfeito”, diz.

de descontração e la zer.

conceito.

ou tro

premissas

diferencial

Procuramos

realizar


PRANCHETA

Ou tra marca da Aqua tro é sempre inserir p ontos sus tentáveis no projeto, como o aquecedor solar de água. Lucas explica que mesmo que o cliente não tenha condições

de

ins talar

o

aquecedor

logo que ter minar a cons trução, to da a es tru tura já fica pronta para ele ins talar p os terior mente. “Sempre conversamos com o cliente antes e mos tramos as vantagens e as desvantagens de se usar o aquecedor solar de água”, p ontua. A Aqua tro, no entanto, não execu ta a obra. Caso o cliente sinta necessidade, a empresa indica parceiros. Segundo Lucas, a idéia é que ap ós a entrega do projeto, a equip e da Aqua tro ajude o cliente a orientar quem es tá execu tando a obra. “Dessa for ma, o cliente ganha um fiscal que p o de ajudar da melhor maneira p ossível”, a fir ma.

Serviço

A

Aqua tro

Projetos

e

Planejamentos es tá localizada na Rua Cu r s in o

do A marante, 98 8, no bairro

Duque

de

Plantas baixas de projeto familiar que une as áreas de lazer de duas casas no Florais Cuiabá

Caxias, em Cuiabá. Mais infor mações p elo

telefone:

(65) 3322-3669.

21 | Revista Ginco


PRANCHETA

Ideias inovadoras e sustentáveis Com projetos onde predomina o conceito contemporâneo, a d’Ornellas Arquitetura busca a satisfação total do cliente

Perspectiva de projeto em fase final no Florais dos Lagos

Revista Ginco | 22

Com projetos que apresentam um conceito

to das as p ossibilidades que o projeto dele

contemp orâneo, explorando linhas retas,

p o de ter, como p or exemplo, au tomação

uso de transparência e de ma teriais novos,

residencial. Há casos em que a p essoa

o arquiteto e ur banis ta João Pedro Figueiró

não conhece to das as opções que o imóvel

d’Or nellas é conhecido p or apresentar

p o de ter. Por isso, precisamos apresentar

ideias inovadoras e sus tentáveis aos

tudo e deixar que o cliente escolha o que

clientes. Desde 20 09 no comando da

acha melhor”, explica João Pedro.

d’Or nellas Arquitetura junto com Hívena

O arquiteto conta que a equip e da

Del Pintor, que é resp onsável p ela parte

d’Or nellas Arquitetura trabalha para que

de interiores, João Pedro sempre deixa

o sonho do cliente se realize, e para isso,

claro que trabalha para a tender o cliente

u tiliza to das as ferramentas. Um exemplo

da melhor for ma p ossível.

é um projeto que es tá em fase final da

“Temos a obrigação de mos trar ao cliente

obra, no Florais dos Lagos. João Pedro


Serviço

A

d ’ O r n e l l a s Arquitetura

es tá

localizada na Avenida São Sebas tião,

nº.

3236

B,

bairro

Quilomb o, em Cuiabá. Mais infor mações p elo telefone (65) 3321-0277 ou p elo site w w w.dor nellasarquitetura.com.br. Hívena Del Pintor e João Pedro Figueiró d’Ornellas

conta que o cliente e a família gos tam de

Um dos diferenciais da d’Or nellas, conta

receb er amigos em casa.

o arquiteto, é p ossibilitar que o cliente

Ele entã o aprov eitou os qua tro metros de

tenha regis trado em fotos e em vídeos

desnív el que ha via no ter reno e fez duas

to das as etapas da obra. Ele explica que

op ções de entrada no imóv el, s eparando o

s emana a s emana foto gra fa como es tá a

cor p o da garagem do cor p o da casa.

cons truçã o do imóv el. Para visualizar as

Quem chegar à residência p o derá s eguir

fotos, os clientes precisam fa zer “lo g-in”

diretamente para a área s ocial p or uma

em uma área res tr ita do site da empresa.

escada que fica do lado de fora do imóv el.

Na entrega do imóv el, o cliente receb e um

A ou tra entrada, do cor p o da casa, dá para

vídeo do “making-of f” e um CD com to das

um “Home Of fice” e dep ois para ou tros

as fotos. “Com essas foto gra fias o dono

ambientes. Nes te projeto, a d’Or nellas

do imóv el tem como sab er como tudo

ficou resp onsáv el p or to das as etapas,

foi feito. Assim, s e precisar mexer com a

des de a cr ia çã o, execuçã o das obras, a té

parte hidráulica ou elétr ica no f u turo, ele

a parte de inter iores.

sab erá onde tudo foi feito or iginalmente”,

O arquiteto des ta ca que em pr imeiro lugar

explica.

es tá o s onho o cliente. Tanto que, cas o

Cuiabano for mado na Univ er sidade de

sur ja uma al tera çã o no meio da execuçã o

Alfenas (Unifenas), de Minas Gerais, o

da obra, p or exemplo, s e o cliente des eja

arquiteto nã o trabalha ap enas na parte

mudar uma p orta de lugar, ele fará tudo

residencial,

para que o f u turo morador fique sa tisfeito.

projetos, como comerciais, a área da

“Eu s empre es tou preparado cas o o

Saúde, entre ou tros. Seu projeto de

projeto mude durante a obra. Sempre há

“Home Of fice” foi um dos v encedores da

a p ossibilidade do cliente querer mudar

úl tima “Casa Cor” realizada em Cuiabá,

um projeto e ness e contex to, trabalho

em 2010. Mes tre em Meio A mbiente, Joã o

da melhor maneira p ossív el para deixá-lo

Pedro d’Or nellas tem vár ios projetos na

sa tisfeito e para s er um profissional b em

área de parques ur banos, exp er iência que

lembrado”, p ondera Joã o Pedro.

enr iquece s eus projetos de paisagismo.

mas

também

com

Projetos da d’Ornellas apresentam conceito contemporâneo

ou tros

23 | Revista Ginco


PRANCHETA

Estilo expressa a personalidade do cliente Lúcia Galvão e Jennifer Figueiredo contam que todos os estilos são valorizados por elas

Conhecidas

As arquitetas Lúcia Galvão e Jennifer Figueiredo

Revista Ginco | 24

p or

de

dimensões). A fachada mos tra uma das

projetos que têm como marca o equilíbrio

marcas das arquitetas, empregando uma

entre o sonho do cliente e a funcionalidade,

linguagem

as arquitetas Lúcia Galvão e Jennifer

p or meio de elementos arquitetônicos

Figueiredo,

Arquitetura

alongados e menos segregados uma

e Cons truções, são referência em Ma to

unidade har mônica, leveza nos volumes,

Grosso. For madas p ela Universidade de

caixilhos envidraçados com ab erturas

Cuiabá e sócias há nove anos, as arquitetas

generosas, hall de entrada com p é direito

deixam claro que ap esar de gos tarem de

duplo, grandes projeções de b eirais e

traços mais contemp orâneos, o es tilo que

aplicação de ma teriais como madeiras e

elas seguem é sempre de acordo com a

p edras.

escolha do cliente.

Um parâmetro que norteou o partido

“A qualidade de vida do cliente é nossa

arquitetônico des te projeto foi o sonho do

principal meta. Trabalhamos em to das as

cliente em ter um espaço gour met com o p é

etapas p ensando nos clientes, para fa zer

direito al to e inteiramente integrado com

com que seus sonhos se tor nem realidade

a área de la zer. “Foi projetado o p é direito

dentro das p ossibilidades que p ossuem”,

de qua tro metros no espaço gour met e em

explica Lúcia.

to da varanda, disp os to em linhas retas e

As arquitetas lembram que não imp orta

p erp endiculares, com grandes b eirais que

se o desejo é um projeto mais mo der no,

prop orcionam a espacialidade desejada

clássico ou rús tico. To dos os es tilos são

e protegem os ambientes exter nos das

valorizados p or elas e o que sempre

chu vas com vento”, explica Jennifer.

prevalece é a identidade de cada cliente.

Ou tro

“Somos um ins trumento para a realização

trabalhar técnicas que deixam o ambiente

des tes sonhos”, diz Lúcia.

o mais confortável p ossível para o clima

Um exemplo dado p ela dupla é um projeto

de Cuiabá, observando a top ografia do

recente de 730 m² feito nos Florais Cuiabá

terreno, p ontos imp ortantes como a

(veja a planta baixa e a imagem em três

p osição do sol e o vento predominante e

da

serem

criadoras

Explendore

contemp orânea,

p onto

de

des taque

buscando

citado

é


Serviço

A

Explendore

Arquitetura

es tá

localizada na rua Zenóbio da Cos ta, nº. 132, sala 01, Edifício Mãe Branca, no bairro Duque de Caxias, em Cuiabá. Mais infor mações p elo telefone (65) 3052-6121.

traçando sempre grandes b eirais.

p essoas que ali vivem e uma expressão da

Jennifer conta que to dos os detalhes

p ersonalidade dos seus moradores.

de um projeto e de sua execução são

As arquitetas também trabalham com

acompanhados de p erto p or elas, desde

projetos comerciais, execução de obras,

a primeira conversa a té o momento da

interiores e consul toria para captação

entrega do imóvel. Essa proximidade

de

durante as fases de projeto, execução da

completo”, diz Lúcia.

inves timento.

“Nosso

trabalho

é

obra e comp osição dos interiores é ou tra marca da dupla, que des taca que um dos p ontos fundamentais no trabalho delas é não deixar o cliente p erdido. To do o processo começa mediante a elab oração do programa de necessidades com a família, quando as arquitetas buscam ex trair e compreender ao máximo o sonho do cliente. Dep ois, é feita uma análise de viabilidade econômica da obra para sab er se o que o cliente sonha é compa tível com o inves timento desejado. Um dos p ontos imp ortantes a ser realizado

Perspectiva de casa no Florais Cuiabá

antes da execução da obra, segundo explicam

as

arquitetas,

é

uma

ação

preventiva mediante a compa tibilização de to dos os projetos complementares (es tru tural, elétrico e hidrossanitário) com o arquitetônico, para evitar surpresas indesejadas no decorrer da execução da obra, gerenciada p or elas. No decorrer da obra e p ós-obra é realizado também to do trabalho de interiores, resultando em uma ambientação agradável, confortável e elegante, buscando um reflexo das

Cliente queria ter um espaço gourmet com pé direito alto e integrado com a área e lazer


PRANCHETA

Buscando transformar sonhos em realidade César Mendes acredita que não se deve impor um estilo, mas sim fazer projetos em que o cliente se sinta à vontade

Conhecido

p or

fa zer

projetos

que

expressam a p ersonalidade dos clientes, o arquiteto César Mendes sempre procura a tender a to das as exp ecta tivas e colocar no pap el to dos os detalhes sonhados p or eles. Referência no mercado ma togrossense, César dá suges tões de es tilo para o imóvel, mas procura deixar o cliente à vontade para escolher como quer que seja a casa onde vai morar. O arquiteto César Mendes acompanha obra no Florais dos Lagos

“Eu tenho um es tilo mais contemp orâneo, minimalis ta.

Porém,

acredito

que

o

arquiteto é um ins trumento para realizar o sonho do cliente, p or isso, não acho que se deva imp or um es tilo. A casa tem Perspectiva de projeto no Florais Cuiabá

que ser planejada de for ma que o dono se sinta à vontade morando lá”, fala. Para conseguir fa zer o projeto com to das as caracterís ticas sonhadas p elo cliente o arquiteto fa z uma reunião com ele. Caso seja casado e com filhos, a conversa é com to da a família. A ideia, explica César, é entender o que os clientes gos tam e qual a necessidade de to dos, para então p o der p ensar os detalhes de for ma que fiquem sa tisfeitos. “Faço cada projeto diferenciado, com

Revista Ginco | 26


Serviço – A César Mendes Arquitetura fica na rua Brigadeiro Eduardo Gomes, nº. 50, no bairro Goiab eiras. Mais infor mações no telefone (65) 3054-4066 ou p elo site w w w.cesar mendesarquitetura.com.br.

a cara do cliente mesmo. Eu acho

o proprietário p ediu o quarto isolado

que de nada adianta fa zer um projeto

da casa. Para acessar a suíte mas ter, é

maravilhoso, com design mo der no, se o

preciso passar p or uma passarela que

cliente não se sentir à vontade dentro de

corta to da a sala.

casa. Sempre procuro fa zer o máximo para

César explica que fa z os projetos, mas não

realizar aquele sonho”, conta.

execu ta as obras. Para es te trabalho, ele

Um exemplo de como o arquiteto procura

procura indicar uma equip e com quem tem

a tender a to das as exp ecta tivas de seus

parceria. Durante as obras, o arquiteto fa z

clientes são dois projetos em condomínios

o acompanhamento dos trabalhos para

da Ginco. Em um, no Florais dos Lagos,

observar se tudo es tá correndo do jeito

o cliente explicou que não se sentiria à

como foi projetado. César também explica

vontade em um projeto mais mo der no.

que a parte de interiores, quando se tra ta

Ele queria uma casa com cara de casa. O

dos detalhes de decoração, não é feita

projeto trou xe então caracterís ticas das

p or ele. “Eu faço os desenhos dos móveis

casas tradicionais, inclusive priorizando

e p enso neles nos ambientes do projeto”,

uma varanda ampla para receb er os

diz.

amigos.

Para avaliar o impacto da edificação e seu

Totalmente

diferente

projeto,

entor no, César vai ao terreno e tira fotos

es tá o de um fu turo morador do Florais

do local, para então, fa zer um es tudo

Cuiabá.

cliente

que mos tre como vai ficar o imóvel.

queria ter uma casa privada. Como no

Um dos p ontos interessantes de seu

condomínio não há muros na frente dos

trabalho, explica ele, é que os projetos

imóveis, o arquiteto elab orou um projeto

são apresentados em 3D para que o

contemp orâneo minimalis ta, que tem sua

proprietário p ossa visualizar melhor o

frente fechada para os passantes, mas

projeto.

que abre para os fundos, integrando os

For mado na Universidade de Cuiabá, César

espaços inter nos com a área de la zer, já

Mendes fez cursos de design de interiores

que é um dos ambientes muito u tilizados

em hotel e banheiros da Politecnico di

p elo proprietário.

Milano, em Milão (Itália), onde trabalhou

Na sala, foi feito o p é direito duplo com um

no Studio Vuda fieri Saverino Partners,

pano de vidro separando a casa da área de

empresa esp ecializada em “retail design”

la zer, mas ao mesmo temp o, integrando

(design de lojas). Em Ma to Grosso o

os espaços. Ou tro detalhe interessante

arquiteto também tem como p onto forte

no projeto, explica o arquiteto, é que

projetos hospitalares e comerciais.

César

explica

des te

que

o

Perspectiva de casa com características tradicionais no Florais dos Lagos

“Sempre busco fazer o máximo para realizar um sonho”, conta César

27 | Revista Ginco


rota ginco

Um paraíso pertinho de Cuiabá

Por Mikhail Favalessa

Lago do Manso tem praias semelhantes às do mar e várias outras atrações turísticas Paisagem de encher os olhos é pano de fundo para atividades turísticas

Revista Ginco | 28

O Lago do Manso, área alagada p ela

na turais do lago, quanto para quem

barreira

vem

precisa de uma reeducação alimentar

desp ontando nos úl timos anos como uma

para p erder alguns quilos. A es tru tura

grande a tração turís tica, e ganha cada vez

do local chama a tenção: são 13 quartos,

mais es tru turas para receb er visitantes

dentre eles um preparado para a tender

vindos de ou tros es tados brasileiros,

Portadores de Necessidades Esp eciais

e a té mesmo de ou tros países. Águas

(PNEs), piscina, bar e res taurante, espaço

limpas e mor nas, aliadas a uma paisagem

fitness e uma jacuzzi à b eira do lago.

deslumbrante, mos tram que o lago tem

Os serviços para quem optar p elo SPA

grande p otencial turís tico.

incluem acompanhamento nu tricional e

Localizado no Km 58 da MT 351, que

psicológico, pales tras, aulas de culinária,

liga Cuiabá ao Manso, o SPA & Resort

programação esp ortiva, entre ou tros.

Águas do Manso es tá ab erto desde 2011

Ou tras a tividades encontradas no resort

e é uma opção tanto para quem quer

são p escaria e passeios de lancha p elas

simplesmente

b elezas na turais do lago. Cerca de 60 0

da

Usina

de

desfru tar

Manso,

das

b elezas


rota ginco

Natureza preservada favorece o potencial turístico

Esportes náuticos e de aventura atraem visitantes constantes

Estrutura para lazer à beira do lago é atrativo no Spa Águas do Manso

p essoas se hosp edam mensalmente no Águas do Manso, vindas, além da baixada cuiabana, de es tados como São Paulo e Dis trito Federal. As diárias variam: o quarto single cus ta R$ 380, o duplo R$ 580, o triplo R$ 720 e o quádruplo R$ 8 80. Exis te também a opção de desfru tar do resort em um “day use”, que cus ta R$ 140 p or p essoa. Próximo ao Águas do Manso es tá o res taurante Trapiche Xaraés, que serve comida regional, p eixes e ou tros pra tos com uma b ela vis ta do lago e suas margens. O empreendimento fica dentro

Belas paisagens do lago incentivam reeducação alimentar e rotina de exercícios físicos no Spa

do Portal Xaraés e funciona há oito anos, chegando a receb er cerca de 450 p essoas semanalmente,

entre

quarta-feira

e

domingo. Em sua área de praia, o Trapiche oferece um bar à b eira do lago com refeições entre R$ 17 e R$ 65, e é preciso pagar uma taxa de R$ 30 p or carro na entrada do Portal. Para dar mais segurança aos clientes, a equip e do Trapiche Xaraés reserva uma área de banho sinalizada para os visitantes, em esp ecial as crianças, aproveitarem a água sem se preocupar com o tráfego aquaviário. Para

conhecer

os

p ontos

mais

29 | Revista Ginco


Praias parecidas com as do mar atraem turistas de todo o país

Lago do manso tem estrutura para receber turistas

Trapiche tem área reservada para banho no lago

Revista Ginco | 30

Passeios de chalana, barco e lancha estão entre as opções

interessantes do lago, como o Morro do

Paisagem deslumbrante

Chap éu e o encontro das águas (entre os

O

rios Manso, Casca e Quilomb o), o melhor

paisagens

meio de transp orte é o barco. Para isso,

Centro-O es te. As for mações rochosas

uma suges tão é a Aquahouse, que disp õe

da região são de encher os olhos e ainda

de passeios de barco, lancha e chalana

p ossibilitam a prática de esp ortes radicais,

que visitam es tes p ontos turís ticos e têm

como o rap el. Na água, esp ortes náu ticos

paradas para banho no lago. Os preços

também são uma ótima opção para os

ficam em R$ 250 p or hora para o barco (05

que gos tam de um la zer mais agitado. Jet

p essoas), R$ 350 p or hora para a chalana

Ski, Paraceio (pára-quedas pu xado p or

(a té 40 p essoas) e R$ 350 p or hora para

lancha), wakeb oard e ski aquático também

a lancha (a té 08 p essoas). A chalana

têm presença cons tante no lago.

também p o de ser alugada para fes tas com

Turismo sustentável

a té 40 p essoas p or R$ 4 mil, com comida e

José Carlos da Silva, proprietário do

b ebida inclusas.

Trapiche, diz que o crescimento no número

Lago

do

Manso mais

p ossui

uma

das

deslumbrantes

do


rota ginco de turis tas é visível nos últimos anos e

proprietários de es tab elecimentos têm se

es tá ligado à a tenção que os profissionais

preocupado com o descarte de resíduos.

do setor têm começado a dar ao lago. “O

José Carlos conta que no Trapiche ele

Manso es tá sendo descob erto agora. As

recicla pra ticamente tudo que sobra.

agências de turismo do Araguaia, do norte

“Nós temos um espaço reservado para a

do Es tado e de Cuiabá es tão incluindo o

comp os tagem do lixo orgânico. Temos uma

lago em seus pacotes e is to aumenta o

parceria com uma empresa que compra

movimento”, diz. E afir ma: “nós temos

o óleo para fa zer bio diesel, vendemos

a terceira água mais limpa do Brasil. Ela

o lixo plás tico reciclável, enfim, quase

é mor na e exis te uma preocupação com

tudo é reciclado”, diz. Se a preservação

a conservação, então tem tudo para se

continuar, e os novos projetos de a trações

desenvolver”.

no lago vingarem, o Manso tende a se

Uma inicia tiva e parceria da Ginco Empreendimentos com a Tauro Motor s. Conheça o Ma to Gross o em s eu melhor es tilo com um Mitsubishi Motor s.

fir mar como um forte p ólo turís tico em

Nesta edição:

Para

que

o

sus tentavelmente

turismo na

região,

cresça os

Ma to Grosso.

Águas do Manso - SPA & Resort K m 58 da MT 351 (65) 9268-1770 ou (65) 3025-650 0 res ervas@aguasdomans o.com.br

Trapiche Xaráes Pajero Dakar é um legítimo 4x4, pronto para enfrentar as estradas de chão e trilhas a caminho do Lago do Manso

K m 58 da MT 351, dentro do Portal Xara és (65) 9983-2442

Aquahouse Manso – passeios aquáticos (65) 3685-1330 ou (65) 8118-1789

31 | Revista Ginco


bem viver

Filhos em primeiro lugar

Por Aline Chagas

A qualidade de vida das crianças é fator determinante para a mãe na hora de escolher onde morar Dizem os sábios que quando nasce uma

Priscila Germosgeschi e a filha Estela de 3 anos

criança, também nasce uma mãe. E no meio de um emaranhado de sensações novas, o na tural é crescer também o ins tinto de proteção. É es te ins tinto que tra z aquela vontade imensa de prop orcionar ao recém-chegado membro da família qualidade de vida. É também es te ins tinto que fa z com que alguns parâmetros que as mulheres tinham antes de terem um filho se mo difiquem, em esp ecial quando o assunto é onde morar. A psicóloga Fer nanda Cris tina Borges Araújo conta que esses “sentidos” são na turais da mãe, que aprende a amar quando es tá esp erando o b ebê. Es te amor tra z a vontade de proteger, de oferecer o melhor para a criança crescer da maneira mais segura p ossível. Nes te p onto, es tá incluído o local onde a família vai morar. Com o passar dos anos, explica a psicóloga, os pais passaram a querer morar em locais onde a criança p ossa ter segurança, conforto e mais conta to com a na tureza, com o real, para que p ossa aprender no dia-a-dia moralidade, princípios e valores únicos. A mãe de Danilo (8 meses), Daniela

As amigas Helena Tyska e Ana Tereza de Arruda.

Revista Ginco | 32

Fer nandes de Lima Oliveira, 27 - enfer meira


Daniela, aqui com o filho Danilo e o marido Augusto, não vê a hora de mudar para o Florais do Valle

e fu tura moradora do Florais do Valle - fa z

vida, p o dendo brincar na rua e andar de

parte do grup o de mães que escolheu criar

bicicleta com segurança”, fala.

seus filhos em casas de condomínios. Mas

Daniela explica que vê o quanto as crianças

ela explica que quando p ensou, junto com

se sentem felizes e seguras p elo fa to de

o marido, Augus to, em morar em uma casa

morar em um condomínio, p ois criam laços

dentro de um residencial, fez ques tão de

de amizade, brincam na área de la zer, têm

escolher um empreendimento da Ginco,

mais espaço para se divertir, sem contar

p ela localização e p ela qualidade de vida

a sensação de lib erdade. “Não vejo a

que eles oferecem.

hora de p o der mudar para a minha casa”,

“Quando nós viemos de São Paulo para cá

ressal ta.

sentimos um p ouco p or causa do clima da

Esses

cidade. A área em que es tá localizado o

professora Priscila Ger mosgeschi, mãe

Florais do Valle é mais fresca e ar b orizada

da Es tela (3 anos) e na esp era da chegada

e isso é muito b om. Mas não foi só isso

da Helena, a escolher um empreendimento

que nos fez tomar a decisão. Eu sempre

Ginco para morar. Ela conta que quando

morei em casa em São Paulo, e quero

morava em apartamento p ercebia que

que meu filho cresça com qualidade de

exis tiam muitas coisas que a filha queria

valores

também

motivaram

a

33 | Revista Ginco


Para Priscila, mudar para o Belvedere trouxe mudanças boas na rotina da filha Estela

Revista Ginco | 34

A psicóloga Fernanda Cristina Borges Araújo

fa zer e não dava, p ois o espaço era muito

Rob erson Sidnei Calegaro, 33. Ela também

res trito. Sem opção de la zer no prédio, a

conta que é muito interessante p erceb er

menina quase não descia para brincar.

a interação maior que a filha passou a ter

“A ques tão da lib erdade foi o nosso

com a na tureza. Segundo a professora, a

maior objetivo quando começamos a

tranquilidade de es tar em um lugar seguro,

cons truir. Em novembro nosso sonho se

agradável, e de p erceb er que as p essoas

realizou e agora p o demos oferecer para

que os ro deiam resp eitam o próximo, é

ela qualidade de vida. Também p o demos

única.

receb er os amigos, deixar as p ortas

Para a psicóloga Fer nanda, a exp eriência

ab ertas”, diz a professora.

de morar em um condomínio com as

Ela revela que desde que se mudou, já

caracterís ticas dos empreendimentos da

p erceb eu mudanças no comp ortamento

Ginco p ossibilita aprendizados imp ortantes

da filha. “A Es tela es tá mais animada com

e é saudável psicologicamente para as

a rotina, fala em passear, em brincar. To dos

crianças. “Es tar p erto da na tureza, p or

os dias esp era o pai chegar para caminhar

exemplo, tra z o conhecimento de que uma

com a gente”, conta.

planta é um ser vivo e que p or isso, não se

Para Priscila, essas diferenças na a titude

deve machucá-la. Essa criança leva para

da filha mos tram que realizar es te sonho

a vida dela a mensagem ‘não machuque

valeu a p ena. “Muitas p essoas acham

ninguém’”, explica.

que é só imp ortante pagar escola. A

Fer nanda também p ondera que ao ter

maior preocupação da minha vida são

mais momentos com os pais e ao ter

minhas filhas. Elas têm que ter tudo do

mais conta to com amigos, as crianças

melhor. Penso muito nisso, prezo muito a

se sentem valorizadas, facilitando o

convivência dela aqui, p ois além de tudo,

desenvolvimento no meio social. “Sem

o condomínio oferece uma b oa es tru tura

contar que morar em um ambiente assim

para as crianças”, diz.

ajuda a resga tar o conceito de família”,

Priscila é casada com o diretor de escola

diz.


roteiro

Mães no cinema Uma seleção de histórias emocionantes e divertidas em homenagem às grandes mães Por bárbara rosa

Um sonho possível

Sexta-feira muito louca

John Lee Hancock (2009)

Mark S. Waters (2003)

Baseado numa história real, o filme narra a

Nesta refilmagem de “Se eu fosse

história do jogador de futebol americano

a minha mãe”, de 1976 com Jodie

Michael Oher, que ganhou uma família

Foster, Tess (Jamie Lee Curtis) e Anna

após ser acolhido por Leigh Anne (Sandra

(Lindsay Lohan) são mãe e filha que

Bullock). Para conseguir sobreviver, Oher

vivem brigando. Em uma dessas brigas,

terá que superar diversos desafios a sua

após comerem biscoitinhos chineses e

frente, mudando a vida de todos a sua

proferirem algumas palavras, as duas

volta. A atuação de Sandra Bullock como

acabam por trocar de corpo uma com a

a mãe adotiva Leigh Anne lhe rendeu um Globo de Ouro e um

outra e terão de enfrentar uma sexta-feira muito louca.

Oscar de melhor atriz em 2010.

Uma mãe em apuros

Tudo Sobre Minha Mãe

Katherine Dieckmann (2009)

Pedro Almodóvar (1999)

O filme apresenta um único dia na vida

Quando Esteban convence sua mãe de

Eliza Welch (Uma Thurman). Escritora,

que merece conhecer seu pai, sofre um

blogueira, e mãe de dois filhos, Eliza

grave acidente e morre. Ela resolve, então,

se mete em várias confusões para dar

correr atrás do pai e contar a ele sobre o

conta de todas as tarefas que precisa

filho. Para isso, terá que correr o circuito

executar enquanto lida com uma festa

underground de Madri enquanto consegue

de aniversário, uma encrenca com sua

emprego com Huma Rojo, atriz preferida de

melhor amiga e um concurso organizado

seu filho. O irreverente filme levou o Oscar

por uma revista sobre o que a maternidade representa para ela.

de Melhor Filme Estrangeiro em 2000.

Lado a Lado

Mamma Mia!

Chris Columbus (1998)

Phyllida Lloyd (2008) Neste musical, Donna (Meryl Streep) é

Susan Sarandon vive uma mãe divorciada

uma mãezona legal e protetora que nunca

que descobre estar com câncer e tem que

contou para Sophie (Amanda Seyfried)

vencer o orgulho para conviver e ensinar

quem é seu pai. Na véspera de seu

à nova namorada do ex-marido (Julia

casamento, Sophie convida três homens

Roberts) a cuidar das crianças, uma garota

para seu casamento, na tentativa de

de doze anos e um garoto de sete, depois

que sua mãe conte qual deles é o seu

que ela se for.

verdadeiro pai, enquanto hits da banda ABBA embalam essa confusão.

35 | Revista Ginco


BATENDO PERNA

Charme na varanda e no jardim

POR MIKHAIL FAVALESSA

Varanda, área externa e jardim são espaços na casa reservados para momentos de descontração e tranqüilidade, seja sozinho ou com os amigos. Trazemos nesta edição alguns móveis e itens de decoração para dar conforto e deixar sua varanda pra lá de charmosa.

1. O conjunto de sofá e mesa de centro Auckland é especialmente indicado para varandas com cobertura, pois suas almofadas não devem receber água, diferente de todo o resto do conjunto. (R$5.259,00 o sofá e R$1.789,00 a mesa na Decorliz) 2. Você ainda pode incluir esta

1

poltrona para completar o jogo. (R$2.700,00 na Decorliz). 3. Contudo, se você quer uma poltrona diferente para a varanda, este modelo é

1

uma boa escolha. A poltrona Dubai tem acabamento em fibra sintética com desenhos mais arredondados. (R$3.089,00 na Decorliz). 4. Com vários modelos e cores, os vasos vietnamitas são feitos de cerâmica esmaltada e comportam plantas maiores. (De R$555,00 a R$935,00 na Verde que te Quero Verde).

2

Revista Ginco | 36

3


BATENDO PERNA

5. Outros vasos também podem dar um toque especial no jardim e na varanda. Este vaso para parede é feito de cerâmica esmaltada e é perfeito para plantas de pequeno porte. 5

4

(R$ 55,75 na Verde que te Quero Verde). 6. Este vaso de cerâmica tem o tamanho certo para plantar arruda. (R$40,00 na Verde que te Quero Verde). 7. Ainda no jardim, outro produto asiático promete criar um clima bucólico: luminárias de vidro produzidas

7

na Tailândia que podem ser encon6

tradas em várias cores de modelos. Elas são preparadas para receber velas. (R$99,50 na Verde que te Quero Verde). 8. Com o jardim mais iluminado dá até para sentar em meio às plantas no final do dia e recarregar as energias. Para não sentar na grama ou na terra, este Seat Garden preto pode ser uma boa solução.

8 9

(R$480,00 na Verde que te Quero Verde). 9. A casinha para pássaros é feita de cabaça e é produzida artesanalmente. Com ela, os canários que visitam o jardim podem fazer ninhos e ter presença mais constante. (R$85,00 o médio e R$45,00 o pequeno, na Verde que te Quero Verde).

37 | Revista Ginco


1, 2, 3!

Movimente o corpo todo com squash

Por Mikhail Favalessa

Além da boa queima de calorias, o esporte tem como ponto alto a interação entre participantes

Quadra de squash no condomínio Belvedere

Revista Ginco | 38

Raquete e bolinha à mão, vai começar o jogo!

para a nova casa, em maio de 2010, já tinha

Não, não estamos falando do tênis, mas sim

começado a usar a estrutura do Belvedere.

do squash. Praticado por duas pessoas em

“Comecei a jogar squash no condomínio

uma sala fechada, esse esporte completo em

logo que iniciei a construção da minha casa”,

termos de biomecânica tem se popularizado

lembra Luiz. Durante os últimos três anos o

em Mato Grosso nos últimos anos. São

esporte se tornou parte da rotina do morador.

cerca de 300 praticantes em todo o Estado,

“Segunda-feira é sagrado, sempre jogamos

número que já foi de cerca de 20 na década

aqui”, conta.

passada. O motivo do crescimento pode ser

Luiz já coleciona alguns prêmios de disputas

descrito por Luiz Henrique Petterle, morador

realizadas dentro do condomínio: ele venceu

do condomínio Belvedere e praticante do

os dois torneios de squash realizados no

squash: “é viciante!”.

Belvedere. Contudo, ressalta que isto está

Outro fator que contribui para que o esporte

longe de ser o mais importante. “O mais

ganhe cada vez mais adeptos é a queima de

legal é a interação entre os condôminos e as

calorias. Paulo Henrique Cortez, professor

famílias, não é? E também o incentivo à pratica

de squash na academia Tennis Company,

de esportes”, enfatiza.

conta que com 30 minutos de prática são

Preparação física

queimadas entre 800 e 1.500 calorias. Para

Para começar a praticar o squash não é

gastar a mesma quantidade de calorias com

necessário ser atleta. O professor Paulo

uma corrida na esteira, por exemplo, seria

explica que a velocidade da aula varia de

necessário mais de uma hora de exercício.

acordo com a condição física de cada aluno.

“E o squash ainda tem a vantagem de ser um

“Na medida em que o aluno vai ganhando

esporte que mexe com o corpo todo”, diz

mais resistência a gente vai aumentando a

Paulo.

velocidade do treinamento”, diz. Contudo,

No Belvedere, Luiz Henrique se reúne com

alguns

outros amigos ao menos duas vezes na

roupa e tênis, apropriados para a prática de

semana para jogar nas quadras do condomínio.

esportes, raquete e bola de squash. Alguns

Ele conta que mesmo antes de mudar-se

atletas utilizam óculos como equipamento de

equipamentos

são

necessários:


Em 30 minutos de prática é possível queimar entre 800 e 1.500 calorias

1, 2, 3!

Jogar squash se tornou parte da rotina de Luiz Henrique Petterle, morador do Belvedere

Professor de squash, Paulo Henrique Cortez

Conheça as regras do squash Tamanho da quadra oficial: 9,75m de comprimento e 6,40m de largura (deve ser fechada). Linhas da parede frontal: a primeira linha inferior (48 cm do chão) marca a altura mínima da bola. A segunda, a 1,78m, é denominada de proteção, mas Paulo explica que é opcional.

serviço e marca a altura mínima da bola no saque. A terceira, a 4,57m,

O tempo para aprender as técnicas do esporte

marca o limite superior do jogo.

é um dos atrativos para quem pensa em

Jogo: No serviço, um dos pés deve estar dentro do quadrado

começar a praticá-lo. “Com mais ou menos

marcado no chão e a bola deve retornar ao campo do adversário.

dois meses de aula o aluno já consegue jogar

Depois disso, ela pode tocar nas demais paredes, mas somente

bem”, diz o professor. O tênis, por exemplo,

uma vez no chão antes de ser rebatida.

esporte do qual o squash deriva, exige cerca

Existem dois tipos de marcação:

de seis meses de aula para que o aluno domine

Standard: até 9 pontos (um por jogada). Se chegar em 8 a 8, quem

suas técnicas, segundo o professor.

recebe pode escolher entre Set One (acabar aos 9) ou Set Two

A idade para conseguir praticar o squash

(acabar aos 10)

também ajuda. “Com dez anos a criança já

Pars: até 11 pontos (um por jogada). Se chegar em 10 a 10, quem

tem coordenação suficiente para praticar,

abrir vantagem de 02 pontos vence.

e depois disso só tem restrição se faltar condição física. Eu já dei aula para aluno de até 63 anos”, conta Paulo.

39 | Revista Ginco


áGUA NA BOCA

Sabor no almoço com a família

Por ALINE CHAGAS

Para o Dia das Mães e a Páscoa, três receitas que são rápidas e saborosas No segundo domingo de abril, dia 08, será comemorada a Páscoa, data em que muitas famílias se reúnem para almoçar e trocar chocolates. No segundo domingo do mês seguinte, dia 13 de maio, será o Dia das Mães. Como nas duas datas as famílias normalmente se reúnem no almoço para celebrar, esta edição da Revista Ginco traz três receitas práticas e saborosas como dicas para compor o cardápio do encontro familiar.

A empresária Car men Rogéria Moragno Regino, casada há 21 anos, mãe de João Pedro (19) e Carolina (17), é uma apaixonada p ela família. Car men, que mora no Florais Cuiabá, conta que gos ta muito de cozinhar e sempre procura inventar novos pra tos. “Cozinhar é um pra zer”, fala. Como suges tão de prato quente para um almoço esp ecial, Car men indica um Risoto de Camarão, que segundo ela, é muito prático e só precisa ser acompanhado p or uma salada. Aproveitando a op ortunidade, a empresária ainda nos apresentou sua receita de Pirão de Camarão.

RISOTO DE CAMARÃO

2 colheres rasas (café) de sal 1 pimenta dedo de moça s/ se-

Revista Ginco | 40

Ingredientes

mente b em picadinha

2 xícaras de arroz ar bóreo

1 xícara de a zeite

1 quilo de camarão (médio) limp o

1 xícara de champignon fa tiado

1 ceb ola média triturada ou (ralada)

1 cub o de caldo de camarão

3 dentes de alho triturados

1 la ta de creme de leite fresco

2 toma tes sem p ele picados

3 xícaras de água quente (colocar

½ la ta de Pomarola

aos p oucos a té cozinhar o arroz)

1 pacote de queijo relado par mesão

½ pimentão amarelo e ½ pimen-

Suco de 03 limões

tão ver melho, a zeitona preta e

1 colher (ca fé) de louro em p ó

uma rama de salsa (para decorar)


áGUA NA BOCA

Modo de preparo Lave o camarão e colo que de molho no suco de limão p or 20 minu tos, dep ois escorra b em para sair o suco de limão. Frite a ceb ola e o alho no a zeite, junte o camarão, toma te, champignon, Pomarola, cub o de caldo de camarão pimenta, sal e o louro em p ó e refogue p or 10 minu tos. Perto de servir, acrescente arroz e a água, cozinhe. Desligue com arroz ainda molhadinho. Na hora de servir volte a panela no fogo p or 3 minu tos e acrescente o creme de leite fresco e o queijo ralado mis turando b em. Desligue e em seguida colo que em um

Carmen e o marido Dulcídio com os filhos João Pedro e Carolina

refra tário de vidro e decore. Po de ser servido só ou com um pirão também de camarão e uma salada verde.

PIRÃO DE CAMARÃO

Ingredientes: 20 0 gramas de camarão p equenos 1 limão ½ pimentão ver melho e ½ pimentão amarelo picadinho (reserve um p edaço de cada para decorar) 1 toma te sem p ele b em picadinho ou triturado ½ ceb ola triturada 2 dentes de alho triturados 1 pimenta dedo de moça sem semente picadinha 1/3 xícara de a zeite

Mo do de preparo

½ la ta de Pomarola

Lave o camarão e esprema um limão em cima dele. Deixe p or dez mi-

1 caldo de camarão

nu tos. Dep ois frite a ceb ola e o alho, junte os ingredientes, menos a

1 colher rasa (café) de sal

água e a farinha. Refogue p or 15 minu tos no fogo médio. Exp erimente

3 xícaras de água fervendo

como es tá de sal e pimenta. Perto do horário de servir acrescente a

1 colher (chá) de a zeite de dendê (op cional)

água fervendo e vá colocando aos p oucos a farinha de mandioca a té

4 colheres de farinha de mandioca para en-

engrossar. Colo que em um refra tário e decore com p edaços de pimen-

grossar

tão amarelo e ver melho. Também salpique com salsa triturada.

41 | Revista Ginco


áGUA NA BOCA

A es tudante de Medicina Isab el Assumpção, 24 anos, também moradora do Florais Cuiabá, é quem nos ensina a fa zer uma sobremesa que promete fa zer sucesso p ela pra ticidade e sab or. Isab el conta que sempre gos tou de fa zer o brigadeiro nor mal, a té que aprendeu a fa zer o chantili. A partir daí, sempre que receb e as amigas procura oferecer o brigadeiro, p ois é uma receita fácil e o resultado sempre agrada.

BRIGADEIRO DE COLHER NA TAÇA

Ingredientes 2 la tas de leite condensado 4 colheres de Nescau (ou similar) 1 colher de margarina 3 caixinhas de creme de leite Açúcar Granulados e confeitos para decorar

Mo do de preparo Colocar o leite condensado, a margarina e o Nescau numa panela, levar para o fogo e dar p onto de brigadeiro. Em seguida, colocar 1 caixinha de creme de leite, mis turar b em e deixar esfriar. Reservar. Na ba tedeira, colocar 2 caixinhas de creme de leite fresco com 3 colheres de açúcar e ba ter aproximadamente 5 minu tos (para virar chantili). Numa taça, colo que o brigadeiro “frio”, seguido do chantili, e enfeite (granulado, bis de copinho, ou ou tro confeito). Agora, é só servir e se deliciar!

Revista Ginco | 42


HI. S I UB S T I M

DO N U M O TR4 FLEX. BEM VINDO A O R E J A HI P S I B SU MIT

Respeite a sinalização de trânsito

R - 140 cv Motor Flex 2.0 16V HC s Abs com EBD* Airbag Duplo e freio Keyless alarme com sistema 17” Rodas Liga Leve Aro

,00 0 9 9 . 5 6 $ R S A partir de DO DIA-A-DIA AOS O. LHO DESAFIOS

ISTADOR

ENCARE OUSM VERDADEIRO CONQU DE

Av. Fernando Corrêa, 4777 esquina com a Av. Pau Brasil Jd. das Palmeiras Cuiabá-MT - Fone: (65) 3051-2500

www.tauromotors.com.br

43 | Revista Ginco

Preço valido até 31/3/12 ou enquanto durar o estoque (7 unidades). Valor à vista de tabela do veículo Pajero TR-4 4x2 M/T ano/modelo 12/12 : R$ 65.990,00 (frete incluso). Imagens ilustrativas.


ECO

Preservação é constante em projetos da Ginco

Por Mikhail Favalessa

Incorporadora busca preservar flora e fauna com Áreas de Preservação Permanente nos condomínios e outras iniciativas

Belvedere é exemplo de empreendimento com amplas áreas verdes

A

busca

por

qualidade

nos

O Florais dos Lagos é o empreendimento

por

com a maior soma de áreas verdes e de

um aspecto de extrema importância: a

Preservação Permanente. São 150.841,29 m²

preservação

quatro

de área verde e outros 139.443,57 m² de área

principais empreendimentos (Florais Cuiabá,

de preservação permanente, somando mais

Belvedere, Florais dos Lagos e Florais do

de 32% da área total do condomínio. A segunda

Valle) a média do total de áreas verdes e de

maior área preservada é do Belvedere, com

Preservação Permanente ultrapassa 27% da

91.083,83 m² de área verde e 94.545,45 m²

área total dos condomínios. E a preocupação

de APP, correspondentes a 23,72% da área

também aparece em projetos fora dos

total. Estes percentuais são superiores

empreendimentos, em ações de parceria com

aos exigidos pela legislação ambiental. A

a comunidade.

encarregada de marketing da Ginco, Adriana

empreendimentos

Revista Ginco | 44

do

Ginco

ambiente.

de

vida

passa

Nos


ECO

BACIA HIDROGRÁFICA Desafios da gestão de recursos hídricos e do saneamento básico no município de Cuiabá - MT

Ruas, ressalta que a preservação é, de fato,

atuou nos anos de 2010 e 2011 realizando

um objetivo sempre presente. “Em todos os

estudos e análises das condições da região

projetos, a Ginco se atenta aos conceitos de

do Córrego do Ribeirão do Lipa, que abrange

respeito ao meio ambiente e preservação da

23 bairros. Os resultados do estudo estão

natureza”, diz.

sendo publicados em dois livros: o primeiro foi

Projeto Preservar

publicado em fevereiro deste ano e o segundo

Além da constante preservação de áreas

tem previsão de publicação ainda para o

verdes em seus condomínios, a Ginco

primeiro semestre. As informações geradas

também promove ações ecológicas com

pelo Preservar também foram apresentadas

a comunidade. Este é o caso do projeto

à comunidade científica, no 26° Congresso

“Preservar”, realizado com parceria da

Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental,

Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT),

em outubro de 2011, pelo do professor Elias

por meio da Fundação Uniselva. O projeto

Lira Júnior.

P

R

O

J

E

T

O

ELIAS DOS SANTOS JUNIOR ORGANIZADOR Cuiabá / 2011

Vista aérea mostra Áreas de Preservação Permanente dos condomínios Florais Cuiabá e Florais dos Lagos

45 | Revista Ginco


ZOOM

Ano novo, casa nova

Por ALINE CHAGAS

Conheça as famílias que aproveitaram a virada de ano e se mudaram para nossos condomínios!

Alan Fernandes Pimenta, a esposa

Gilberto Gomes Junior e Ana Martins

Juliano e Vanessa Fernandes no

Miliane e os filhos Juan e Miguel no

Melhorança no Florais Cuiabá

Belvedere

Belvedere

Lucas Galvão dos Santos e

Michelle Cury Haddad Mansur e

Roberson Calegaro e Priscila

Carita Pereira Alves no Florais dos

Maurício José Mansur com o filho

Germosgeschi com a filha Estela no

Lagos

Matheus no Florais Cuiabá

Belvedere

Ricardo Augusto e Luciana Couto

Marco Aurélio e Janessa Ribeiro no

Tiago de Souza Afonso da Silva e

Monteiro Bastos com Gabrielle e Maria

Belvedere

Larissa Jardim Freire da Silva com João

Clara no Belvedere

Revista Ginco | 46

Paulo e Gabriel no Florais Cuiabá


ZOOM

Eu leio!

Por Mikhail Favalessa

Mônica Martelli, atriz, jornalista e dramaturga fluminense, esteve em Cuiabá entre os dias 03 e 05 de fevereiro apresentando sua peça “Os homens são de Marte... E é pra lá que eu vou”. Nesta comédia, em apresentação desde 2005, ela vive Fernanda, uma jornalista solteira de 35 anos que trabalha com eventos e vive em busca do amor, se envolvendo intensamente com os homens com quem se relaciona a ponto de ficar parecida com cada um deles. Mônica é conhecida principalmente por papéis na televisão, nas novelas Ti Ti Ti (2010 – TV Globo), Mandrake (2007 – HBO), Pé na Jaca (2006 – TV Globo), O Clone (2001 – TV Globo), no programa Chico Total (1995 – TV Globo), entre outros.

47 | Revista Ginco


CONVIVENDO

O canto dos pássaros pertinho de casa

Por Mikhail Favalessa

Áreas verdes e abundância de alimento podem atrair pássaros silvestres para o quintal

Cerca de 220 espécies de pássaros já foram registradas na área urbana de Cuiabá

O empresário Augustinho Moro e sua esposa Luiza

Revista Ginco | 48

Acordar ou vindo o canto dos pássaros

colocar quirela e painço na recém comprada

com certeza é uma das coisas que p o dem

casinha de pássaros para jardim. “Comprei

tor nar o dia mais agradável para qualquer

a casinha na loja de móveis e colo quei no

um. No Florais Cuiabá o empresário

quintal, com duas tigelas de comidinha.

Augus tinho Moro e sua esp osa Luiza

Logo,

mantêm uma rotina que a trai uma grande

passarinhos e então tive que improvisar

variedade de esp écies para seu quintal,

mais p oleiros no ‘res taurante’”, conta.

tais como canários, chupins, pássaros

A quantidade e a variedade de esp écies

pretos, rolinhas, p eriquitos e p ombas

também surpreenderam o empresário.

silves tres. To dos os dias, o casal coloca

“Não tinha noção do tanto que tem aqui,

comida para os visitantes assíduos em uma

às vezes juntam mais de 15 canários ao

p equena casinha com p oleiros ap elidada

mesmo temp o na casinha”.

de “Res taurante de Passarinhos”.

As refeições no p equeno “res taurante”

Augus tinho conta que é apaixonado p or

são servidas três vezes ao dia: no começo

pássaros desde sua infância. Quando, em

da manhã, ao meio-dia e no final da tarde.

abril de 2011, mudou-se com esp osa e filho

“Aqui tem ca fé da manhã, almoço e

para o Florais Cuiabá, logo começou a

jantar”, brinca Augus tinho.

logo

começaram

a

vir

muitos


CONVIVENDO

A casinha de passarinho artesanal, feita de cabaça, é uma ótima opção

O biólogo Dalci de Oliveira

Ele calcula que gas te cerca de cinco quilos

Mãe Bonifácia, Horto Flores tal e o Parque

de quirela e ou tros cinco quilos de painço

Zé Bolo Flor”, explica Dalci.

p or mês. O cuidado fa z com que muitos dos

Para a trair pássaros para o quintal ou

pássaros tenham presença garantida na

jardim de casa, o biólogo explica que o

casa dos Moro. “Es te amarelinho é freguês

ideal é não colocar comida ou seus res tos.

antigo”, conta o empresário ap ontando

“Fa zendo a plantação de árvores fru tíferas

para um canário amarelo.

como mangueiras, cajueiros, mamo eiros,

Além das esp écies que visitam sua casa

pitomb eiras, figueiras, amoreiras, piú vas,

diariamente, Augus tinho conta que na

tamarineiros,

área do condomínio também já avis tou

jenipap o,

várias ou tras aves e seus ninhos. “Sempre

a trairemos muitas aves”, diz. Além da

saio para fa zer caminhadas p or aqui e já

alimentação adequada, o biólogo explica

vi tucanos, pica-paus e a té encontrei um

que es tas árvores prop orcionam locais

ninho de sabiá em frente à minha casa”,

ideais para que as aves façam seus ninhos.

diz. “Fui mexer em um ar bus to em frente

Esp écies

à garagem e levei um sus to quando ele

domés ticos, também p o dem ser evitadas

vo ou. Achei que fosse uma cobra ou ou tro

com a plantação de árvores na tivas. “O

animal”, conta lembrando-se do episódio.

que a trai p omb os são comidas como

Corredores ecológicos dão vida à cidade

milho, arroz e também ração de animais

As áreas verdes e ab ertas na cidade,

domés ticos”, diz Dalci.

também

A arquitetura de casas e edifícios é ou tro

chamadas

ecológicos’,

a traem

de

‘corredores

muitas

ingá,

pitanga,

palmiteiros,

jabu ticab eiras,

indesejáveis,

como

nós

p omb os

esp écies

fa tor imp ortante para evitar es tas aves.

de animais. Segundo o biólogo Dalci de

“O edifício, com fres tas e saliências,

Oliveira, professor do Departamento de

repro duz o habita t na tural dos p omb os

Biologia e Zo ologia da UFMT, cerca de 220

em p enhascos e desfiladeiros”, explica

esp écies de pássaros já foram regis tradas

o biólogo. Quanto maior o cuidado para

na área ur bana de Cuiabá. “Os locais com

evitar

mais diversidade de esp écies são as

prevenção de inúmeras do enças tra zidas

unidades de conservação, como o Parque

p or eles.

p omb os

domés ticos,

maior

“Restaurante de Passarinhos” atrai grande variedade de espécies

a

49 | Revista Ginco


CONVIVENDO

Às vésperas da realização de um sonho Contando os dias para se mudar para o Florais dos Lagos, Carlos Dorileo já planeja novo estilo de vida

POR Mikhail Favalessa

Prioridades do projeto deste sobrado foram espaço e conforto

O empresário Carlos Dorileo, diretor comercial

do

Comunicação,

Grup o prepara-se

Ga zeta

de

para

se

mudar para sua nova casa, cons truída no condomínio Florais dos Lagos. As exp ecta tivas são as mais diversas, mas a principal delas é, com certeza, a mudança de es tilo de vida. Atualmente morando em um apartamento em Cuiabá com sua esp osa e sua filha, Dorileo conta que busca “um jeito mais humano de morar”. No projeto do arquiteto Luiz Henrique Romero, duas coisas tiveram prioridade número um: espaço e conforto. Dorileo explica que buscou fa zer dor mitórios amplos e espaços sempre arejados p or to da a casa. “Procuramos cons truir a casa com ventilação e iluminação na turais”, diz. Tanta preocupação vem dos anos vivendo em apartamento. “Mudamos para o apartamento logo que nos casamos. É um espaço muito ap ertado”, completa. O espaço de la zer da casa também receb eu bas tante a tenção, inclusive com

Revista Ginco | 50


Casa possui dormitórios amplos e espaços sempre arejados

a ins talação de um home thea ter com caixas embu tidas, para receb er os amigos com conforto. Na hora de optar p or um condomínio fechado

também

p esou

o

fa to

da

A construção da casa já está em fase final

O empresário Carlos Dorileo

temp era tura não só da casa, como da região, ser mais amena. “No condomínio você tem mais verde e dá pra ver p elo ter mômetro

que

a

temp era tura

es tá

sempre mais baixa que no res to da cidade”, conta Dorileo. A segurança do

“No condomínio você tem mais verde e dá pra ver pelo termômetro que a temperatura está sempre mais baixa que no resto da cidade”

condomínio fechado e a vizinhança, tanto inter na quanto exter na ao condomínio, também p esaram na escolha de Dorileo

A busca pela casa ideal

p elo Florais dos Lagos.

Carlos Dorileo comprou um terreno de 440 m² no Florais

Com p ouco mais de um ano de obras, a

dos Lagos em 20 09, mas na ép oca, ainda não p ensava em

cons trução da casa já es tá em fase final.

cons truir, mas sim, em fa zer um inves timento. O temp o foi

Acabamento, colocação de bancadas e

passando e na medida em que não encontravam uma casa

ar mários embu tidos são as prioridades

ideal, com caracterís ticas que sanassem os problemas do

no momento. Dorileo conta que pretende

apartamento, a resp os ta foi, aos p oucos, ficando obvia.

mudar-se ainda no primeiro semes tre de

“Procuramos projetos prontos, a té mesmo em ou tros

2012, e que a decoração vai ser feita aos

condomínios fechados, mas não teve jeito”, conta. Ele

p oucos, com sua família já ins talada.

acab ou comprando um terreno maior, de 780 m², e começou a cons truir em janeiro de 2011.

51 | Revista Ginco


CONVIVENDO

Oportunidade de investir bem Obras do condomínio continuam a todo vapor e 60% da terraplanagem já está pronta

O gerente de Engenharia da Ginco, Luiz Carlos Borges Fonseca

O engenheiro civil Leandro Girão, responsável pelas obras do Florais do Valle

As obras do quarto condomínio da Ginco

deverá

Empreendimentos, o Florais do Valle,

p ontua Leandro.

es tão em ritmo acelerado. Até o final de

E a avenida é jus tamente um dos p ontos

fevereiro, a equip e que trabalha no local já

que transfor ma o Florais do Valle em

tinha conseguido limpar 90% do terreno e

uma ótima escolha para inves tir, explica

conseguido fa zer 60% da rede de águas

o gerente de Engenharia da Ginco, Luiz

plu viais. O muro ex ter no, que começou

Carlos Borges Fonseca. Ele ressalta que

a ser levantado no final de 2011, tem 5%

a interligação entre a Avenida Florais com

do total pronto. O Florais do Valle es tá

a es trada para Chapada dos Guimarães

previs to para ser entregue em abril de

facilitará o acesso ao centro de Cuiabá,

2014.

em esp ecial dep ois da duplicação da

Leandro Girão, engenheiro civil resp onsável

Emanuel Pinheiro e da es trada da Guia. E

p elas obras do Florais do Valle, conta que

es te é ap enas um dos p ontos que fa z do

tudo es tá dentro do planejado e o ritmo

condomínio uma excelente op ortunidade

do trabalho es tá b om. Tanto que, a té o

de inves timento.

fechamento des ta edição, em fevereiro,

Luiz lembra que o Florais do Valle é

60% da terraplanagem já es tava pronta

um empreendimento que mantém as

e a avenida “A”, que dará acesso ao

mesmas

condomínio, ou seja, que vai da Avenida

empreendimentos

Florais a té a p ortaria do empreendimento,

Cuiabá, Belvedere e Florais dos Lagos),

já es tava concluída.

prop orcionando uma b oa es tru tura de

“Es ta p ois

avenida dep ois

é será

muito

imp ortante,

es tendida

a té

ter

sido

POR Aline Chagas

ter minada

caracterís ticas

também”,

dos

Ginco

demais (Florais

la zer e segurança. “Temos feito p esquisas

a

e em cima delas p erceb emos que es tes

ro dovia Emanuel Pinheiro, dando mais

são alguns dos p ontos mais imp ortantes

uma p ossibilidade de acesso aos três

para quem es tá comprando um terreno

condomínios. Ela é parcelada em qua tro

para

avenidas e a que dá acesso ao Florais do

gerente.

Valle já es tá pronta. Até o final da obra,

O gerente des taca a área de la zer do

to da a extensão a té a Emanuel Pinheiro

mais

cons truir

recente

sua

casa”,

ap onta

empreendimento

o

Ginco,


onde haverá espaço goumert, esp elhos d’água,

playgrounds,

ves tiários

com

churrasqueira, pis ta de co op er, quadra p oliesp ortiva,

camp o

de

fu teb ol

societ y, es tações do corp o, quadras de

Perspectiva do Fitness e Quadra de Squash (Imagem ilustrativa, pode sofrer alterações)

Perspectiva do espelho d’água (Imagem ilustrativa, pode sofrer alterações)

tênis, fitness e, seguindo os passos do Belvedere, duas quadras de squash. “Essa

es tru tura

é

muito

imp ortante

e um dos p ontos altos dos nossos empreendimentos, p ois prop orciona o melhor do la zer ao morador sem que ele precise se deslocar para um p onto um p ouco mais dis tante, como um parque”, p ondera Luiz. Ele avalia que para a área onde os Florais es tão, incluindo o Florais do Valle, há uma tendência de valorização, p ois o esp erado é o crescimento da cidade e com isso, novos serviços, como escolas e hospitais, devem surgir nas proximidades, fa zendo do condomínio uma b oa op ortunidade de inves timento. “Isso sem contar no compromisso Ginco com a qualidade dos empreendimentos”, conclui Luiz. Nos próximos meses, a exp ecta tiva é a melhor p ossível. O objetivo é fechar o ano com 10 0% da limp eza dos terrenos, da terraplanagem, da galeria de águas plu viais e rede de água e esgoto prontos. Também em dezembro já deverá ter 50% do muro ex ter no cons truído, 50% da pavimentação inter na pronta e 70% das

Avenida “A” facilitará acesso ao centro de Cuiabá

edificações concluídas.

53 | Revista Ginco


CONVIVENDO

Belvedere comemora aniversário Após assembléia que elegeu nova diretoria, condôminos se reúnem em tradicional feijoada com muita música e diversão Por Bárbara Rosa

A animação contou com bateria de escola de samba

Ércio Lins foi reeleito síndico em Assembleia

Esta foi a 4ª edição da Feijoada em comemoração ao aniversário do condomínio

Revista Ginco | 54

No dia 10 de dezembro de 2011, cerca

o Grup o Sossego, Grup o Samba de Raiz,

de

Ba teria Show e Ba teria de Car naval.

150

condôminos

participaram

da

Assembleia que elegeu a nova diretoria

“Es tamos

do Condomínio Belvedere para o biênio

fes tas e tor neios esp ortivos organizados

2012/2013. Ércio de Arruda Lins foi

p elo condomínio sejam au tossu ficientes

reeleito síndico em chapa única. Segundo

como a Feijoada es tá sendo es te ano”,

Ércio, que ocupa desde 20 08 o cargo, a

a fir mou Ércio.

mudança sugerida p ela chapa na diretoria

A Feijoada contou com o pa trocínio da

do condomínio é uma preparação para

Primacon, Integral Segurança, Favorita

as próximas eleições, em que Ércio não

Mo dulados, Saga Ford e Ginco. O evento

p o derá ser reeleito.

também promoveu a doação de fraldas

A assembleia geral do Belvedere coincidiu

geriátricas para a Associação da Espinha

com o evento de comemoração ao

Bífida de Ma to Grosso, que dá assis tência

aniversário do condomínio, a Feijoada

e orientação aos p ortadores da espinha

Belvedere, organizada desde 20 08. Com

bífida. A ação foi promovida p elo grup o

mais de 450 condôminos presentes, a

do Cenáculo, for mado p or condôminos do

feijoada teve cinco horas de shows com

Belvedere.

sa tisfeitos,

queremos

que


CONVIVENDO

Mais facilidade para o cliente

Por MIKHAIL FAVALESSA

Débito Direto Automático agiliza e deixa processo de pagamento mais seguro Nada de dep ender do serviço dos Correios,

cobrança com regis tro. “Por ser uma cobrança

gas tar pap el, nem mais a trasar contas.

regis trada, feita p elo CPF e ou CNPJ, é mais fácil

Desde 20 09 os clientes Ginco p o dem optar

controlar, e evita fraudes, como cobranças

p elo DDA, Débito Direto Au tomático, evitando

indevidas no nome da p essoa,”, diz Fer nando.

fraudes e facilitando na hora de organizar

“A tendência é que o DDA seja cada vez mais

as contas. O bancário Fer nando Fer nandes

adotado nos próximos anos, acabando com

des taca que o sis tema é um méto do seguro

as cobranças não regis tradas”, completa.

para efetuar pagamentos. “Ele [o DDA] é

Contudo, para que a mudança para o débito

uma inovação no sis tema bancário e muito

direto seja realizada, ainda é preciso que os

seguro”, a fir ma Fer nando. A Ginco p or

clientes se acos tumem com o sis tema. “Ainda

buscar as melhores práticas do mercado,

exis te resis tência de algumas p essoas p ois

passou a u tilizar o sis tema para efetuar os

é um méto do de pagamento feito a través

seus pagamentos, o que gera uma eficiência

da inter net, e muitas p essoas não gos tam

melhor no seu departamento de contas a

de fa zer transações p ela rede”, conta o

pagar.

gerente. “Porém, na medida em que mais

Fa zer pagamentos a través do DDA ajuda na

jovens entrarem no mercado de trabalho e

hora de organizar as contas p essoais. O

p ossuírem contas em bancos, o DDA será mais

gerente explica que, quando o cliente acessa

u tilizado”, diz Fer nando. Segundo ele, mais

o sis tema no site do seu banco, ele p o de ver

acos tumados com a tecnologia, os jovens

o agendamento de to dos os pagamentos

encontrarão menos problemas ao lidar com

fu turos de to dos os bancos. “Como ele vê

as transações online.

antes, ele p o de se organizar para liquidá-los”,

O débito direto também facilita a vida das

explica Fer nando. Des ta maneira, as finanças

empresas. Os cus tos de cobrança caem

p essoais ficam mais organizadas e evita-se

bas tante com a u tilização do DDA, p ois não

pagamento de juros e multas.

exis te necessidade de u tilizar os Correios

O Débito Direto Au tomático exis te desde

nem o serviço de gráficas para impressão de

ou tubro de 20 09. O que o diferencia do débito

b oletos. Devido à au toma tização do processo

au tomático comum, u tilizado para contas de

de pagamento, a inadimplência também tende

água e luz, p or exemplo, é o fa to de ser uma

a cair.

O bancário Fernando Fernandes

DDA ajuda na hora de organizar as contas pessoais

55 | Revista Ginco


CONVIVENDO

2012: o ano do planejamento

POR ALINE CHAGAS

Colaboradores da Ginco se reuniram em workshops, treinamentos e palestras

O final de janeiro e mês de fevereiro foi de

cria tividade e valorizar cada membro da

planejamento na Ginco Empreendimentos.

equip e. To das tiveram b oa participação em

Foram feitos work shops, treinamentos

2011 e alguns a té mesmo surpreenderam

e pales tras com as equip es de to dos

com mudanças no p erfil dos ganhadores.

os setores para preparar as ações do

Um b om exemplo é o projeto “Sugerir”,

decorrer de 2012 e próximos anos na

que tem o intuito de valorizar ideias

incorp oradora. Esse trabalho começou já

dos colab oradores para melhorias na

em 2011, com mudanças no organograma

empresa e assim que p ossível, colocá-las

e a criação de novas funções dentro da

em prática. Para isso, os funcionários têm

empresa, sempre com o objetivo de a tingir

duas opções: criar uma ação totalmente

o nível máximo no programa de qualidade.

nova ou melhorar uma que já es tá em

As

colab oradores

prática. Em 2011, o foco do projeto ficou

começaram no dia 28 de janeiro e foram

mais vol tado para a redução de cus tos na

encerradas no dia 29 de fevereiro. A

empresa, e o resul tado foi surpreendente,

co ordenadora de Ges tão de Pessoas,

com

A na Regina Rib eiro, conta que no ano

cotidianas. Para A na Regina, a renovação

passado a Ginco intensificou as ações

do público e dos premiados é muito

de planejamento, como deve ocorrer

p ositiva, p ois cria motivação para que

nes te ano. “O ano de 2012 será o ano

to dos particip em sempre.

do planejamento. Passamos um mês

Ou tro

nos

colab oradores

teve avanços em 2011 foi o “Presente

conversando sobre como fa zer, como

A migo”, que consis te na premiação dos

melhorar e como es tru turar melhor a

colab oradores no mês do aniversário com

nossa empresa”

um curso de qualificação (work shops,

Paralelo a esse trabalho, a Ginco também

pales tras, treinamentos, entre ou tros) ou

intensificou as ações de valorização e

a compra de livros. Nos anos anteriores,

qualificação

com

a preferência era p elos cursos, p orém, no

projetos inter nos que visam incentivar a

ano passado esse p erfil mudou e os livros

reuniões

com

reunindo

os

com

dos

os

colab oradores,

ideias

vol tadas

projeto

de

para

melhorias

valorização

que


CONVIVENDO

Encontros ocorreram durante os meses de janeiro e fevereiro

passaram a ser mais solicitados.

semelhante para to dos os colab oradores;

A co ordenadora de Ges tão de Pessoas

e ou tra com conteúdo de conhecimento

acredita que um dos fa tores para es ta

esp ecífico de cada departamento. Desde

mudança foi a ins talação da biblioteca na

a implantação des te projeto, em 20 09,

sede da Ginco Empreendimentos. “Também

nove colab oradores foram premiados,

há o fa to que nossos colab oradores já

três p or ano. Des tes, três já usu fruem

a tingiram um nível em que es tão b em

do prêmio e dois começarão em 2012,

qualificados”, p ondera.

que é uma b olsa de es tudos no valor

O “Funcionário Des taque” também teve

de 50% da mensalidade de faculdade,

al terações p ositivas. Nes te projeto, os

esp ecialização, MBA, entre ou tros. Os

colab oradores votam para escolher qual

ganhadores têm dois anos para p o der

colega de trabalho eles acreditam que

u tilizar o prêmio.

mais evoluiu e a tendeu aos indicadores

Jaciara Valadares Barroso, 30, é uma

da

das colab oradoras da Ginco que ganhou

empresa.

Conta

também

para

a

consolidação do resultado uma prova

o

que avalia o conhecimento de cada um.

Ela conta que o prêmio a incentivou a

Foi nes ta parte em que hou ve mudanças

es tudar. Atualmente ela, que a tua como

que mos tram o avanço no trabalho de

Encarregada do Pa trimônio, fa z um curso

qualificação da equip e Ginco.

de graduação e revela que ficou tão

Segundo A na Regina, nos anos anteriores

animada que já es tá p ensando na p ós-

to dos fa ziam um prova única. Es te ano,

graduação. “Essas ações com certeza

no entanto, as provas tiveram duas

fa zem o colab orador se sentir mais do

partes:

que valorizado”, diz.

uma

com

o

conteúdo

geral,

prêmio

“Funcionário

Des taque”.

A coordenadora de Gestão de Pessoas, Ana Regina Ribeiro

57 | Revista Ginco


CONVIVENDO Conheça os ganhadores do projeto “Sugerir”:

1° lugar: Valdirene da Silva

1° lugar: Maria Jacob Monteiro (empatado)

2º lugar: Adriana Vieira Alves Ruas

Conheça os ganhadores do “Funcionário Destaque”: Setor Administrativo:

2º lugar: Rita Akiko Murata 1º lugar: Elisane Moreira de Matos

3º lugar: Thaís Cristina de Souza Lopes

Setor Engenharia:

1º lugar: Leandro José da Gama Girão

2º lugar: Janine Guimarães de Freitas

3º lugar: Rodrigo Ferreira Senra

Comercial:

1º: Caroline Servilha Cardoso (65) 9221-4226

Revista Ginco | 58

2º: Adriano Peterson da Silva (65) 9289-5293

3º: Mera Regina Barbosa Vilalba (65) 9221-4271


CONVIVENDO

Projeto incentiva a prática da corrida

POR mikhail favalessa

Colaboradores da Ginco e seus familiares participaram da 28° Corrida de Reis, em janeiro

Equipe Ginco animada para a largada!

Dezenove pessoas, entre colaboradores

para incentivar a participação de seus co-

da Ginco e seus familiares, se reuniram para

laboradores, arca com parte das despesas.

participar da 28º Corrida de Reis, ocorrida

“A empresa paga 50% do custo com o per-

no dia 08 de janeiro de 2012. A participação

sonal trainer e os colaboradores pagam a

na corrida foi a realização da primeira meta

outra parte”, conta Ana Regina.

do grupo de corrida da Ginco, que começou

Ana revela que o grupo continua treinando

a se preparar em outubro de 2011, como

para participar de outras corridas. “Nós

conta Ana Regina Ribeiro, coordenadora de

pretendemos participar de pelo menos cin-

Gestão de Pessoas da empresa. O grupo é

co corridas do calendário de corridas de rua

uma das iniciativas do Projeto Viva Bem Gin-

de Cuiabá”, diz.

co, que visa melhorar a qualidade de vida

O Projeto Viva Bem Ginco também conta

dos colaboradores Ginco.

com outras parcerias, com uma empresa

O grupo de corrida é treinado pelos prepa-

de alimentação saudável e uma academia

radores Emerson Pael, Reinaldo e Fabiano

de Taekwondo, com o objetivo de incenti-

Góes. Os treinos são realizados no Parque

var uma vida saudável para seus colabora-

Mãe Bonifácia, no 44° Batalhão de Infanta-

dores. “Ainda neste ano nós pretendemos

ria Motorizado e na Universidade Federal de

fazer um estudo de avaliação física para ver

Mato Grosso (UFMT) três vezes por semana

como está a saúde dos funcionários”, com-

nos períodos da manhã e da noite. A Ginco,

pleta Ana Regina.

Lávila Nascimento, Rita Akiko, Márcia Crepaldi, Ana Regina Ribeiro, Michelle Morelo, Elizane Bankow, Marcos Mesquita e Luiz Carlos em aquecimento

Márcia Crepaldi, Luiz Carlos, Carla Fernandes, Lávila Nascimento, Rita Akiko, Ana Regina Ribeiro e o personal trainer Reinaldo em dia de treino

59 | Revista Ginco


CONVIVENDO

Notas Ginco

POR MIKHAIL FAVALESSA

Biblioteca ajuda no desenvolvimento do trabalho

Confraternização anima colaboradores

Em funcionamento desde agosto de 2010, a Biblioteca da Ginco já

boradores da sede da empresa para realizar a confraternização de

possui cerca de 850 números, entre livros, revistas e DVDs. A esta-

final de ano. Entre um pedaço de pizza e outro, a festa teve muita ani-

giária Michelle Morelo conta que, em média, quatro livros são em-

mação com o chamado “Amigo da Onça”, uma espécie diferente de

prestados por mês e a função da biblioteca vai além do incentivo à

amigo oculto, com troca de presentes e muitas brincadeiras. Cada

leitura. “Alguns dos livros que estão aqui ajudam os colaboradores

colaborador também recebeu uma cesta de natal e todos pararam

no desenvolvimento do seu trabalho. Além disso, o espaço também

alguns instantes para um momento de agradecimento pelo ano que

tem sido muito utilizado como sala de estudos”, diz Michelle. Litera-

se encerrava e de preces por 2012.

No dia 16 de dezembro de 2011, a Ginco reuniu seus cerca de 40 cola-

tura, arquitetura, psicologia, administração, direito, trabalho e negócios são algumas das áreas que possuem livros na biblioteca.

O pedreiro Oziel da Silva Novaes

CIPA garante segurança na Ginco Cuidados com a segurança no trabalho são

Oziel e outros cinco trabalhadores que também

de extrema necessidade, especialmente para

integram a comissão para discutir as ações da

empresas que trabalham no ramo da constru-

CIPA. Estas ações incluem, além dos cuidados

ção, como a Ginco. A CIPA, Comissão Interna

diários, treinamentos aplicados aos funcio-

de Prevenção a Acidentes, atua no dia-a-dia

nários pelos técnicos da obra. Atualmente, a

das obras do Florais do Valle através do mo-

Comissão acompanha cerca de 50 trabalha-

nitoramento constante dos trabalhos por seu

dores nas obras do Florais do Valle, sendo 32

presidente, o pedreiro Oziel da Silva Novaes.

empregados diretos da Ginco e cerca de outros

Cuidados com luvas, botas, capacetes e ma-

20 terceirizados. O trabalho de prevenção de

nuseamento dos equipamentos da obra estão

acidentes para os 53 colaboradores da sede

inclusos na rotina diária dos trabalhadores.

da Ginco é realizado por outra CIPA, sob res-

Além disso, uma reunião mensal é feita por

ponsabilidade da colaboradora Adriana Ruas.


gincopéia

Vamos ajudar a Gincopeia a achar o caminho certo para o coelhinho da Páscoa?

Caça-palavras do bem Cruzadinha de páscoa! COELHINHOS; OVOS; FAMÍLIA; UNIÃO

CHOCOLATE Resposta na página 63.

Q W G Y U G H O P B U I D E A C A F

E K R A O P R A L A S R C O V G O I

S U P E R A C A O R O N E A R I E O

G R A F I R E C O A L E G R I A D P

H A R E S S U R R E I c A O A D G R

M A O O L I A M O P D G A T E R C A

P R G E N T I L E Z A I O M N A L R

O F U I R E A G W E R M A M R Z X G

W A R A G R O Q A M I Z A D E A A R

R T T R C P E R D A O E P B U M P O

RESSURREIÇÃO SOLIDÁRIO PERDÃO GENTILEZA ALEGRIA AMIZADE SUPERAÇÃO FÉ

Encontre os sete erros:

Resposta na61 página 63. | Revista

Ginco


SERVIÇO

Águas do Manso - SPA & Resort Km 58 da MT 351

Drª. Fernanda Cristina Borges Araújo – Psicóloga

Chapada dos Guimarães - MT

Av. Miguel Sutil, 8.000, Ed. Santa Rosa Tower

Telefone: (65) 9268-1770 ou (65) 3025-6500

Sala 1.606, 16º andar

E-mail: reservas@aguasdomanso.com.br

Cuiabá - MT Telefone: (65) 3626-5626

Aquahouse Manso – passeios aquáticos Chapada dos Guimarães - MT

d’Ornellas Arquitetura

Telefone: (65) 3685-1330 ou (65) 8118-1789

Av. São Sebastião, nº. 3236 B Quilombo

Aquatro Projetos e Planejamentos

Cuiabá - MT

Rua Cursino do Amarante, nº. 988,

Telefone: (65) 3321-0277

Duque de Caxias

E-mail: joaopedro@dornellasarquitetura.com.br

Cuiabá - MT

Site: www.dornellasarquitetura.com.br

Telefone: (65) 3322-3669 E-mail: aquatro@aquatroprojetos.com

Espaço Decorliz Av. Fernando Correa, nº 535

César Mendes Arquitetura

Cuiabá - MT

Rua Brigadeiro Eduardo Gomes, nº. 50

(65) 3925-0300

Goiabeiras Cuiabá - MT Telefone: (65) 3054-4066 E-mail: mendes_cesar@hotmail.com Site: www.cesarmendesarquitetura.com.br

Revista Ginco | 62


SERVIÇO

Explendore Arquitetura e Construções

Nico e Lau Produções Artísticas

Rua Zenóbio da Costa, nº. 132, Ed. Mãe Branca

(65) 3627-1244

Duque de Caxias

nicoelau@nicoelau.com.br

Cuiabá - MT

www.nicoelau.com.br

Telefone: (65) 3052-6121 E-mail: contato@explendorearquitetura.com.br

Trapiche Xaráes - Restaurante

Site: www.explendorearquitetura.com.br

Km 58 da MT 351, dentro do Portal Xaraés Chapada dos Guimarães - MT

Ginco Empreendimentos

Telefone: (65) 9983-2442

Avenida Miguel Sutil, nº 8.061 Duque de Caxias

Verde que te Quero Verde

(65) 3612-0200

Av. Miguel Sutil, 10700

www.ginco.com.br

Vila Militar Cuiabá - MT

Ginco Empreendimentos

(65) 3322-6038

Pantanal Shopping (65) 3023-2929

West Cor Tecidos para Decoração Rua 24 Outubro, 9

Márcia Cortinas

Centro Norte

Av. Isaac Póvoas, 1301

Cuiabá – MT

Cuiabá – MT

Telefone: (65) 3025-3111

Telefone: (65) 3624-3274 www.marciacortinas.com.br

RESPOSTA GINCOPÉIA Cruzadinha de Páscoa:

E

UNIÃO

F A M

L

CHOCOLATE

C O

Jogo dos sete erros:

I N H V O S I

A

O

S

COR DA BORBOLETA CABELINHOS DO COELHO BOLO DE ANIVERSÁRIO FOLHINHA VERDE QUANTIDADE DE OVOS QUANTIDADE DE BORBOLETAS PINCEL

63 | Revista Ginco


UMA LEMBRANÇA SEGURA, TRANQUILA E MUITO CONFORTÁVEL.

QUEM CONHECE A GINCO, SÓ PODE TER UMA OPINIÃO ASSIM. BELVEDERE

A Ginco é pela terceira vez consecutiva a empresa mais lembrada no Top Of Mind, categoria Condomínios Horizontais. Empreendimentos de sucesso, como o Florais Cuiabá, Belvedere, Florais dos Lagos e Florais do Valle não saem da lembrança

de

quem

prioridade

morar

qualidade de vida.

tem

bem

e

CRECI 1008-J

como com

VENDAS: (65) 3023-2929 www.ginco.com.br

Revista Ginco 17ª Edição  

Edição nº 17

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you