Page 1

Escola Básica Integrada Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Ano XV - N.º 53 - Dezembro de 2011

Jornal Patrocinado pela Fundação Jack Petchey Nomeados Jack Petchey

Vanessa Reis

Andreia Filipe

Gonçalo Cevadinha

Pág.3 Poesia e Wordles

Pág.31 A Matemática é divertida

Pág.36 Cânticos de Natal

Pág.44 Plataforma RIATIC


Amigos Leitores A edição de Natal do Notícias da Malta está prontinha a sair. Trazendo momentos de leitura agradáveis no quentinho do lar. Pois esta época convida à leitura e reflexão, à conversa com amigos e familiares. E o Notícias da Malta é um bom amigo que te informa, divulga os teus trabalhos e os dos teus amigos, ensina-te coisas novas, propõe-te desafios e proporciona-te bons momentos de lazer. Não deixem de o ler!

Poesia e Wordles ………..…..…………………....….

pág. 3

Comemorações -São Martinho ……...

pág. 6

Os nossos textos .....………………….…………………..

pág. 11

E.V.T. - 5.º ano ………………...…………………………...

pág. 17

Notícias da BE ……………………………………………...

pág. 21

Sugestão de Leitura ………………………………….

pág. 26

Desporto - BTT …………………………………………….

pág. 27

Tesouros de Portugal ………………………………..

pág. 29

Personalidades ……………………………………………..

pág. 30

A Matemática é Divertida ………………….

pág. 31

Nomeações Jack Petchey …………………...

pág. 35

Cânticos de Natal …………………………………...

pág. 36

Natal …………………………………………………..……………..

pág. 39

Receitas Natalícias ………………………………..

pág. 40

Para colorir …………………………………………………….

pág. 42

Divulgação …………………………………………………..

pág. 43

Boas Leituras! O Notícias da Malta Consultem o nosso blog

http://notciasdamalta.blogspot.com/ Envia os teus trabalhos para :

Equipa do Jornal Escolar

malta.noticias@gmail.com

Coordenadora: Prof.ª Virgínia Fernandes Colaboradores: Professores e Alunos do 1.º, 2.º e 3.º ciclos do Agrupamento

2

Dezembro de2011


Poesia e Wordles

Escola é… não se trata só de prédios, salas, quadros, programas, horários, conceitos... Escola é, sobretudo, gente, gente que trabalha, que estuda, que se alegra, se conhece, se estima. O diretor é gente, O coordenador é gente, o professor é gente, o aluno é gente, cada funcionário é gente. E a escola será cada vez melhor o lugar onde se faz amigos na medida em que cada um se comporte como colega, amigo, irmão. Nada de ‘ilha cercada de gente por todos os lados’. Nada de conviver com as pessoas e depois descobrir que não tem amizade a ninguém nada de ser como o tijolo que forma a parede, indiferente, frio, só. Importante na escola não é só estudar, não é só trabalhar é também criar laços de amizade, é criar ambiente de camaradagem, é conviver, é se ‘amarrar nela’! Ora, é lógico... numa escola assim vai ser fácil estudar, trabalhar, crescer, fazer amigos, educar-se, ser feliz." de Paulo Freire

3

Dezembro de2011


Poesia e Wordles

O Wordle é uma ferramenta que serve para criar "nuvens de palavras" a partir do texto que nós fornecemos. As nuvens dão mais destaque às palavras que aparecem com mais frequência no texto de origem. Podemos modificar as nuvens com diferentes fontes, layouts e esquemas de cores e depois imprimi-las ou guardá-las para compartilhar com os amigos.

4

Dezembro de2011


Poesia e Wordles

Cria o teu Wordle em:

http://www.wordle.net/ 5

Dezembro de2011

Professora LuĂ­sa Crispim


Comemorações - O São Martinho Pelo São Martinho O céu tem quatro portas. A porta branca onde mora um velho chamado inverno, a porta verde onde mora uma menina chamada primavera, a porta amarela onde mora um rapaz chamado verão e a porta dourada onde mora um homem chamado outono. No dia 22 de Setembro, já com as uvas maduras na videira, o verão vai andando tranquilo para a sua porta amarela, não sem antes cumprimentar o outono que sai nesse dia e é um senhor cheio de sensibilidade (dizem que é pintor) e o verão sente por ele muita amizade e respeito. O outono preocupa-se primeiro com as vindimas, mas antes dá ainda umas pinceladas douradas nas uvas brancas, púrpura nas pretas, para que o vinho que delas nasça seja delicioso como um néctar. Depois, começa a ocupar-se do arvoredo onde exerce os seus dotes de artista. Baixa a temperatura, aos poucos, para que os meninos que já estão em aulas se não constipem. E depois o outono, que além de pintor é um grande maestro, cria uma sinfonia de verdes escuros, castanhos, roxos, vermelhos e dourados na folhagem das árvores. O outono preocupa-se com o futuro e não quer a beleza do mundo só para si. E porque também gosta do conforto, manda acender as lareiras, diz às árvores para atapetarem os caminhos com as suas folhas caídas e lembra às aves migratórias que podem partir. Então elas despedem-se com muitos pios arrepiados e, a caminho do sul, fazem longas filas que enfeitam o horizonte como uma fita bordada. O outono gosta de conviver. Por isso ele vem na época das longas conversas e também dos longos silêncios, de qualquer modo um tempo em que as pessoas comunicam não só pelas palavras mas também pelo coração. Então, pelo S. Martinho, o outono convida os colegas para passarem o dia com ele. O inverno raramente aceita o convite porque tem frio e não lhe apetece sair de casa. Mas a primavera e o verão nunca faltam. É tempo de festa, de comer castanhas e provar o vinho novo e então, só porque eles saíram da porta verde e da porta amarela, o dia acorda primaveril, com uma suave brisa matinal e ao meio dia está quente como se fosse Agosto. (texto com supressões) Faria, Rosa Lobato de As Quatro Portas do Céu, Edições ASA 6

Dezembro de2011


Comemorações - O São Martinho

-Dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho. -As geadas de S. Martinho levam a carne e o vinho. - Dia de S. Martinho, castanhas e vinho. - Pelo S. Martinho, bebe o bom vinho e deixa a água para o moinho. - Dia de S. Martinho vai à adega e prova o vinho. - Pelo S. Martinho, mata o porquinho e semeia o teu cebolinho. -Pelo S. Martinho, prova o teu vinho, ao cabo de um ano já não te faz dano. Daniela Pereira 5º.A -No dia de S. Martinho, come-se castanhas e bebe-se vinho. -Pelo S. Martinho castanhas assadas, pão e vinho. -Verão de S. Martinho são três dias e mais um bocadinho. -No dia de S. Martinho, mata o porquinho, abre o pipinho, põe-te mal com o teu vizinho. -Em dia de S. Martinho atesta e abatoca o teu vinho. -Martinho bebe o vinho, deixa a água para o moinho. - Mais vale um castanheiro do que um saco com dinheiro. -Dia de S. Martinho fura o teu pipinho. -Do dia de S. Martinho ao Natal, o médico e o boticário enchem o teu bornal. -Dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho. -Pelo S. Martinho semeia favas e vinho. -Água-pé, castanhas e vinho faz-se uma boa festa pelo S. Martinho. - Vindima em Outubro que o S. Martinho to dirá. -No dia de S. Martinho, mata o teu porco, chega-te ao lume, assa castanhas e prova o teu vinho. -Se queres pasmar o teu vizinho, lavra, sacha e esterca pelo S. Martinho. Frederico Café nº 6, 5º C - Quem bebe no S. Martinho, faz de velho e de menino. Jéssica Rodrigues n.º9, 5ºC

7

Dezembro de2011


Comemorações - O São Martinho Quadras de S. Martinho Castanhas quentinhas Ao lume a estalar. Nós vamos assá-las Até nos fartar.

Palavra puxa palavra São Martinho São Martinho, pão e vinho Vinho fresco Fresco está o tempo Tempo de castanhas Castanhas quentinhas Quentinhas e muito saborosas, Saborosas com o gosto a Outono Outono estação de mil cores Cores douradas e avermelhadas, Avermelhadas como as roupas Roupas de Pai Natal, Natal que se aproxima Aproxima-se a festa Festa de Jesus.

Castanhas, castanhas Que boas que elas são. Quentinhas, assadinhas, Fazem bem ao coração. Come-se papas de milho. Romãs e castanha assada. E às tantas não se dá por nada. No dia de S. Martinho toda a gente sai para beber um copinho e lembrar o rico São Martinho.

Daniela Pereira 5º A

Daniela Pereira 5º A

A Lenda do São Martinho

O dia de S. Martinho comemora-se no dia 11 de Novembro. Diz a lenda que quando um cavaleiro romano andava a fazer a ronda, viu um velho mendigo cheio de fome e frio, porque estava quase nu. O dia estava chuvoso e frio, e o velhinho estava encharcado. O cavaleiro, chamado Martinho, era bondoso e gostava de ajudar as pessoas mais pobres. Então, ao ver aquele mendigo, ficou cheio de pena e cortou a sua grossa capa ao meio, com a espada. Depois deu a metade da capa ao mendigo e partiu. Passado algum tempo a chuva parou e apareceu no céu um lindo Sol. Bárbara Duarte, 7.ºA 8

Dezembro de2011


Comemorações - O São Martinho

Bolo de S. Martinho Ingredientes: 1 frasco de compota de castanhas (370 gr) 200 gr de chocolate em pó 100 gr de nozes moídas 200 gr de manteiga sem sal 100 gr de natas 1 pitada de baunilha Preparação: Deitar a compota de castanhas num tacho e levar ao lume brando para amolecer. Adicionar o chocolate, mexendo sempre para misturar muito bem e acrescentar as nozes e a manteiga pouco a pouco. Juntar uma pitada da baunilha, retirar do lume e bater tudo muito bem. Deixar arrefecer um pouco, adicionando de seguida as natas previamente batidas, envolvendo tudo cuidadosamente. Deitar a mistura numa forma forrada com papel de alumínio e levar ao frigorífico de um dia para o outro. Desenformar e enfeitar a seu gosto. Bárbara Duarte, 7.ºA Ingredientes para a receita Tronco Nevado: 100g de castanhas; 80g de tofu; 80g de amêndoas moídas; 200g de avelãs moídas; 150g de açúcar mascavo; 4 fatias de pão integral; 100g de farinha de alfarroba; 150g de natas de soja. Preparação: Faça um pequeno corte nas castanhas e coza-as. Depois retire-lhes a casca, triture-as misture-as com o tofu, as amêndoas, ¾ das avelãs, 100g de açúcar e o pão até obter uma massa firme e pastosa. Divida em duas partes. Com uma delas, molde um cilindro que será a parte interior do tronco. Junte ao resto da massa a alfarroba e estenda a misture sobre papel vegetal, formando um rectângulo tão comprido como o cilindro anterior e com largura suficiente para o cobrir por completo (será a “casca do troco”). Coloque sobre a segunda massa o cilindro e enrole sem retirar o papel vegetal, deixando os extremos do tronco destapados. Coloque o tronco numa forma maior e deixe no frigorífico durante 4 a 5h. Bata as natas com as restantes avelãs moídas e o açúcar e prepare um creme. Para servir, tire o tronco da forma e retire o papel. Coloque o tronco numa travessa e cubra com creme. 9

Dezembro de2011


Comemorações - O São Martinho Ingredientes para a receita Fudge de Chocolate: 3 chávenas de chocolate de culinária vegano em barra; 1 lata de leite de soja condensado; 1 chávena de avelãs partidas grosseiramente; 1 colher de sobremesa de aroma de baunilha. Preparação: Em lume brando derreta o chocolate aos pedaços com o leite condensado. Desligue o lume e junte as avelãs e a baunilha, envolvendo bem. Forre uma forma rectangular ou quadrada com papel de alumínio e verta o preparado para lá uniformemente. Leve ao frigorífico até solidificar. Depois, desenforme, retire o papel de alumínio e corte aos quadrados. Está pronto a servir.

Ingredientes para a receita Salada de Tofu com Cogumelos: 300g de tofu; 350g de cogumelos frescos, cortados em lâminas; 1 dente de alho esmagado; 50g de nozes; 4 cebolas pequenas e cortadas ao comprido; 4 colheres de sopa de limão; 2 colheres de sopa de azeite; Sal; Pimenta. Preparação: Corte o tofu em quadrados pequenos e tempere com o sumo de limão. Reserve. Corte os cogumelos em lâminas finas e salteie-os rapidamente no azeite, juntamente com o alho esmagado. Retire do lume. Torre os miolos de nozes durante 2 a 3 minutos sob uma grelha quente. Corte-os em bocados pequenos. Numa travessa larga e pouco funda, misture os cogumelos com o tofu (e o sumo de limão) e junte as nozes torradas. Corte as cebolas em tiras muito finas e misture ao preparado anterior. Sugestão: Acompanhe, por exemplo, com um prato "Cuscuz com vegetais". Daniela Mendes, 7.º A Fonte: http://www.receitasvegetarianas.com

10

Dezembro de2011


Os nossos textos

Os alunos do 5.º D deram continuidade à lengalenga de Luísa Ducla Soares que se segue:

Eu fui a Lagos a cavalo nuns cigarros. Eu fui a Olhão a cavalo num colchão. Eu fui a Loulé a cavalo num pé. Eu fui a Portimão a cavalo num cão. Eu fui ao Japão a cavalo num pão. Eu fui a França a cavalo numa trança. Eu fui a Viseu a cavalo num burro meu. Eu fui a Sevilha a cavalo numa bilha. Eu fui ao Porto a cavalo num porco. Eu fui a Madeira a cavalo numa cadeira. Eu fui ao Alentejo a cavalo num poejo.

Eu fui Viana A cavalo numa cana. Eu fui ao Porto A cavalo num burro morto. Eu fui a Braga A cavalo numa cabra. Eu fui ao Douro A cavalo num touro. Eu fui à Maritenda A cavalo numa tenda. Eu fui a Faro A cavalo num carro. Eu fui a Quarteira A cavalo numa carteira. Eu fui à Patã A cavalo numa rã. Eu fui à Guia A cavalo numa enguia. Eu fui a Portimão A cavalo num limão. Eu fui a Lisboa A cavalo numa leoa. Eu fui a Vilamoura A cavalo numa tesoura. Eu fui a Loulé A cavalo no pé. Eu fui aos Olhos d´Água A cavalo numa tábua.

Gonçalo n.º 8

Isaac Rosa, n.º11, 5.º D

11

Dezembro de2011


Os nossos textos

Eu fui à China, a cavalo numa piscina. Eu fui a Portugal, a cavalo num jornal. Eu fui a França, a cavalo numa trança. Eu fui a Sevilha, a cavalo numa pilha. Eu fui a Olhão, a cavalo num leitão. Eu fui ao Reino Unido, a cavalo num bandido. Eu fui à escola, a cavalo numa mola. Eu fui à Europa, a cavalo numa mota. Eu fui ao Japão, a cavalo num campeão. Eu fui a Espanha, a cavalo numa aranha. Eu fui ao Brasil, a cavalo num barril. Eu fui à Madeira, a cavalo numa banheira. André Canhoto, n.º3, 5.ºD Diogo Ramos, n.º5, 5.ºD

Eu fui a Loulé A cavalo num chimpanzé. Eu fui a Tavira A cavalo numa vampira. Eu fui a Albufeira A cavalo numa cadeira. Eu fui a Olhão A cavalo num furacão. Eu fui a Maritenda A cavalo numa prenda. Eu fui à Patã A cavalo numa rã. Eu fui a Boliqueime Cheguei lá e queimei-me!

Eu fui a Olhão A cavalo num cão. Eu fui a São José A cavalo num pé. Eu fui a Sevilha A cavalo numa bacia. Eu fui ao Brasil A cavalo num tamboril. Eu fui ao Rio de Janeiro A cavalo num cordeiro. Eu fui à Madeira. A cavalo numa cadeira. Eu fui a Portimão A cavalo num jarrão. Eu fui a Lisboa A cavalo numa canoa. Eu fui ao Japão A cavalo num camião. Eu fui a Barcelos A cavalo num martelo. Jéssica Ladeira, n.º13, 5.ºD

Eu fui à China A cavalo numa terrina. Eu fui a Olhão A cavalo num falcão. Eu fui ao Japão Num camião. Eu fui à Madeira A cavalo numa cadeira. Eu ao Brasil A cavalo num barril. Eu fui a Sines A cavalo de dois tigres.

Isabel Duarte, n.º12, 5.ºD Roxana Pop, n.º 16, 5.ºD

Hugo Moreira, n.º9, 5.ºD 12

Dezembro de2011


Os nossos textos

Eu fui a São Tomé A cavalo num chimpanzé. Eu fui a França A cavalo numa balança. Eu fui a Paris A cavalo numa perdiz. Eu fui a Espanha A cavalo numa aranha. Eu fui à Régua A cavalo numa égua. Eu fui à Palestina A cavalo numa galinha. Eu fui ao Egipto A cavalo num cabrito. Eu fui a França A cavalo numa gansa. Eu fui a Almancil A cavalo num funil.

Eu fui a Olhão A cavalo num cão. Eu fui a São Tomé A cavalo num jacaré. Eu fui ao Japão A cavalo num leão. Eu fui a Loulé A cavalo num chimpanzé. Eu fui a França a cavalo numa lança. Eu fui a Lisboa A cavalo numa canoa. Eu fui ao Brasil A cavalo num canil. Eu fui à Alemanha A cavalo numa piranha. Eu fui a Portugal A cavalo num pardal. Eu fui à Figueira da Foz A cavalo numa casca de noz. Eu fui a Quarteira A cavalo numa cadeira. Eu fui ao Barreiro A cavalo num carneiro. Eu fui a Saragoça A cavalo numa carroça. Eu fui a Palmela A cavalo numa panela. Eu fui ao Seixal A cavalo num dedal. Eu fui à Galé A cavalo num pacote de café. Eu fui a Armação A cavalo num fogão. Eu fui a Portimão A cavalo num avião. Eu fui à Caparica A cavalo numa carica.

Ana Carolina Guerreiro, n.º2, 5.ºD Era uma velha Que andava a varrer Com uma lata no rabo a bater Quanto mais a velha varria Mais a lata no rabo batia. A aranha arranha a rã. A rã arranha a aranha. Nem a aranha arranha a rã. Nem a rã arranha a aranha. Érica, 5.º D

Inês Sousa, n.º10, 5.ºD 13

Dezembro de2011


Os nossos textos

D. Isabel era tão atenta aos outros que ainda em vida lhe atribuíram muitos milagres. Mais tarde, o Papa veio a canonizá-la, ou seja, a reconhecê-la como santa. Numa manhã fria, a rainha saiu do palácio levando pão e o rei viu-a e perguntoulhe o que levava ali e ela disse que eram rosas. O rei quis ver e o pão transformou-se em rosas. Recolha de Adriana Santiago, 6.ºC

A Ópera das Baleias Há muitos, muitos anos atrás as baleias falavam e no mar eram conhecidas como “As grandes famosas”. Grandes porque realmente as baleias são enormes, e famosas porque elas eram muito boas a cantar, especialmente – “Ópera”. Um dia de chuva, os mares estavam bravos, as baleias estavam em suas casas, sempre cantando, não sabendo que andava por lá o tubarão branco. Ele era bruxo e não gostava nada de música, o que ele gostava era de silêncio. Este estava a passar por a casa de uma baleia que cantava extremamente alto, sem pensar duas vezes mandou um feitiço a todas as baleias para que elas não pudessem falar, e desde aí só conseguem comunicar através de um tipo de grito muito grave. A partir desse dia nunca mais ninguém ouviu a linda música feita pelas baleias e o mar tornou-se triste e silencioso.

Lenda inventada por Alice Santos, 6.ºC

A Lenda das Amendoeiras Quando o Algarve pertencia aos mouros, havia um rei mouro que raptou uma princesa chamada Felícia, a quem tratavam como a Bela do Norte. Certo dia o rei pediu-a em casamento, só que ela disse: - Não, não quero! Ela andava muito triste porque tinha saudades da sua terra, onde havia neve. Então o rei chamou o seu sábio para lhe dar ideias e o sábio sugeriu: - Podíamos plantar amendoeiras! - Boa ideia! – exclamou o rei mouro - No inverno elas dão flor branca e podia chamá-la à torre mais alta do castelo e ela ficava contente e casava comigo. Então, quando chegou o inverno, o rei levou a princesa à torre mais alta e quando chegaram lá ela bateu palmas de alegria e abraçou o rei dizendo: - Eu caso contigo meu rei mouro. E todos os invernos ela subia à torre mais alta e via as amendoeiras em flor. Por isso é que crescem flores brancas nas amendoeiras no inverno. Reconto de Ioan Leordean, 6.ºC 14

Dezembro de2011


Os nossos textos

Certo dia na Cidade de Barcelos, um galego mal-encarado que por lá passava, foi preso pelas autoridades por ser suspeito de um crime que lá tinha acontecido. Interrogaram-no mas ninguém acreditou que ele ia apenas fazer uma promessa a São Tiago de Compostela. E mandaram-no enforcar. Quando estava para ser enforcado ele voltou a afirmar a sua inocência mas ninguém acreditou. Então ele disse: -Quando me estiverem para enforcar aquele galo assado vai levantar-se e cantará! E todos começaram a rir. Contudo, quando o iam enforcar o galo levantou-se e começou a cantar, e assim todos acreditaram na sua inocência. Uns anos depois, ele voltou à cidade de Barcelos e mandou construir um monumento em honra da Virgem e de São Tiago. Reconto de Miguel Rilhó, 6.ºC

Lenda das Zebras Há muito tempo atrás, existia uma raça de cavalos que passava a vida a comer erva e não fazia mais nada. Um dia todos os animais foram chamados à gruta dos presentes. Todos foram menos os cavalos, que só queriam comer. Quando voltaram da gruta os outros animais chateavam os cavalos com as suas prendas novas (chifres e mais outras coisas…). Então os cavalos, que eram muito branquinhos foram lá ver o que havia de tão especial. Quando lá chegaram só havia fatos pretos muito elegantes e que eles acharam perfeitos para se esconderem entre as sombras. Como os fatos eram apertadinhos e eles estavam muito gordos, quando os vestiram os fatos rasgaram-se às tirinhas. Eles saíram da gruta com os seus fatos novos e nunca mais foram incomodados pelos outros animais. E foi assim que apareceram as primeiras zebras. Lenda inventada por Sabrina Forte, 6.ºC

A Lenda de Boliqueime No tempo em que os mouros ainda viviam no Algarve, havia uma pasteleira que fazia belos pães. Um dia, os mouros foram assaltar a pasteleira e ela deu-lhes um pão que estava a escaldar e quando o mouro comeu o pão exclamou: - O bolo queima!! E desta frase formou-se o nome Boliqueime. Boli vem de bolo e queime vem da palavra queima. E estas duas palavras formaram o nome Boliqueime. 15 Resumo de Rute Coelho, 6.ºA Dezembro de2011


Os nossos textos

A lenda do Pirilampo Era uma vez um pirilampo que vivia na floresta juntamente com outros insectos. O pirilampo tinha inveja das borboletas, das suas asas de várias cores. Numa calma noite de Verão, o pirilampo estava ali no seu lamento e pensando: - Se eu ao menos brilhasse como aquelas estrelas… seria mais feliz. A estrela mais brilhante do céu estava a ouvir o lamento do pirilampo. Então desceu à terra e com um toque mágico pôs o pirilampo a brilhar. A partir dessa noite todos os pirilampos brilham. Lenda inventada por Daniel Grade

Os peixes falantes Era uma vez uma bruxa que vivia numa floresta numa pequena casinha cheia de buracos no tecto ao pé de um rio. No rio havia muitos peixes de vários tamanhos e várias cores. Estes peixes falavam uns com os outros durante todas as horas do dia e todas as horas da noite. Uma noite, às 22h e 30min a bruxa já estava deitada na cama, mas não conseguia dormir porque tudo o que se ouvia eram as conversas dos peixes. A bruxa, já farta, levantou-se da cama, acendeu a luz e tirou um livro muito grande e velho, coberto de pó, da prateleira que havia no seu quarto. Procurou no índice até encontrar a página que queria, abriu na página 64 e começou a dizer umas palavras muito estranhas. De repente, havia silêncio, ela foi lá fora ao rio e viu os peixes todos a abrir e a fechar a boca, mas não saía som nenhum. Entrou na cama e foi dormir. E é por isso, que ainda hoje em dia, os peixes andam para a frente e para trás a abrir e a fechar a boca sem fazer som. Lenda inventada por Jasmin Elphick-Ross, 6.ºB

Crista de Galinha Há muito tempo atrás havia um rei que tinha muitas galinhas e gostava muito delas. Certo dia decidiu fazer uma festa para comemorar os seus anos e convidou todos do seu reino e mandou-os virem vestidos de galinha. Como não sabiam como se haviam de vestir de galinha, perguntaram ao rei: - Sua Majestade, como é que nós podemos vestir-nos de galinhas? - As galinhas têm penas e crista. – disse o rei – Inventa um plano! No dia dos seus anos vieram todos do reino com o cabelo no ar para fazer de crista e vieram vestidos de branco para fazer de penas. E ainda hoje usam cristas para se lembrarem do rei que gostava muito de galinhas. Lenda inventada por Megan Lindemann, 6.ºB 16

Dezembro de2011


EVT - 5.º Ano

Olá alunos! Começámos o ano novo em grande... Vejam as vossas criações relativas ao desenho de diagnóstico com um tema bem original: " A avestruz trapalhona" – desenho diagnóstico do 5.ºANO A história que lhes vou contar, é uma história verdadeira, até porque eu só conto histórias verdadeiras! Embora não seja muito vulgar as avestruzes porem os ovos no elevador do prédio, elas lá estavam. O autocarro parado na paragem, as pessoas a entrarem com ordem, sem passar à frente da fila, que era grande, quase em último lugar lá estava ela: Era a avestruz! Seguia o senhor de chapéu e guarda-chuva. Fiquei espantado. Pudera! Não é sempre que numa manhã de Primavera, as árvores da calçada todas floridas, o céu a brilhar, uma nuvem aqui outra ali, a gente assiste a uma coisas destas: Gostava que vissem a cara das pessoas. O polícia esbracejava, o trânsito todo entupido, tudo a tocar a buzina, a menina das tranças ruivas abria e fechava a boca parecia o peixe vermelho do meu irmão. Coitado do padeiro! Voltou-se para trás e pum! Bicicleta para um lado, pão para o outro e ele sem saber se havia de fugir ou não. FIM

17

Dezembro de2011


EVT - 5.潞 Ano

S贸nia Fernandes em http://artexpressoes.blogspot.com/ 18

Dezembro de2011


EVT - 5.º Ano Capas 2011/2012: Conteúdos: COMUNICAÇÃO/ESPAÇO/LUZ/COR/FORMA Foram abordados os seguintes temas: lettering; composição visual e contrastes visuais.

Professora Sónia Fernandes

19

Dezembro de2011


EVT - 5.º Ano

NATAL: ILUMIN’ARTE (árvore tridimensional com a reutilização de garrafas de plástico) 5º B e 5º C - professores Paulo Carvalheiro e Sónia Fernandes Decorações de Natal (estrelas, presépio, árvores de natal, bolas de natal gigantes, flocos de neve, grinalda com colagens) 5ºD - professoras Sónia Fernandes e Filomena Pedro Renas (renas tridimensionais realizadas através da utilização de materiais reutilizáveis: garrafas, rolos de papel e jornais) 5º A- professoras Annette Cebola e Sónia Fernandes E-ECO Postal de Natal (postais partindo do Concurso lançado pela CML, reutilizando diversos materiais) Vota no teu favorito. Informa-te na Plataforma RIATIC.

20

Dezembro de2011

Professora Sónia Fernandes


Notícias da BE

No âmbito das atividades do mês internacional da Biblioteca Escolar os alunos do 3º. e 4º. L da EB1/JI de Vale Judeu presentearam a sua BE com um conjunto de acrósticos, tendo como ponto de partida as letras que compõem as palavras Biblioteca Escolar. O resultado foi muito bom, pois espelhou a criatividade, fantasia e a habilidade linguística dos seus autores. Parabéns!

Reconto da História " A Bruxa Mimi e a Varinha Mágica" As professoras e a educadora da EB1/JI de Vale Silves exploraram com os seus alunos, o livro: "A Bruxa Mimi e a Varinha Mágica". Podes ver o livro digitalizado no blog da BE em http:/beboliqueime.blogspot.com/2011_10_01_archive.html

No dia 12 de Outubro a turma do 3º e 4º K da EB1 de Vale Judeu deslocou-se à escola sede do agrupamento. Visitaram a biblioteca de Boliqueime e ficaram deliciados com a história contada pela professora Ana Maria Palma. No final da história a professora lançou um grande desafio: a produção de um livro de histórias baseado numa aventura desenvolvida na biblioteca. Gostaram muito da visita e ficaram muito entusiasmados com tudo o que viram. No dia seguinte, extremamente motivados começaram a produzir os seus textos dando início à construção do livro. Podes ver o livro digitalizado no blog da BE em http:/beboliqueime.blogspot.com/2011_10_01_archive.html

Professor Pedro José 21

Dezembro de2011


Notícias da BE

Faixa comemorativa do Mês Internacional das Bibliotecas realizado com frases e ilustrações dos alunos. Os alunos do 6.º B e C prepararam dramatizações inspiradas na obra “Contos Tradicionais Portugueses” de António Mota e um teatro de fantoches inspirado também no conto tradicional português Frei João Sem Cuidados, obras que se encontram disponíveis na nossa BE. Estas atividades foram apresentadas na BE no dia 26 de Outubro durante a visita de um grupo de amigos do Lar da Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime.

22

Dezembro de2011


Notícias da BE Vê também o vídeo comemorativo do mês internacional das Bibliotecas que integra imagens das várias atividades desenvolvidas no blog da BE em http://beboliqueime.blogspot.com/2011_11_01_archive.html

Esteve patente na Biblioteca Escolar da EBI Prof. Doutor Aníbal Cavaco Silva, a partir do dia 2 de Novembro, uma exposição de fotografia, intitulada "A Praia das Amendoeiras...Boliqueime , 256 anos depois...". Data comemorativa dos 256 anos do Terramoto de 1 de Novembro de 1755 que devastou uma parte da povoação e de pessoas de Boliqueime. Fotografias da autoria dos alunos do curso EFA da nossa escola, com a orientação da professora Ivone Rosa.

Os alunos do 5º A e C e do 7º A, B e C pesquisaram em torno das tradições associadas à comemoração do Dia de São Martinho. Desde a Lenda de São Martinho até às quadras, provérbios e receitas culinárias, muito se pôde ler na exposição que esteve patente na BE . Algumas destas turmas também participaram, com sabedoria e criatividade, no desafio de escrita que lhes foi lançado: " Palavra puxa palavra..." e "Inventa Adivinhas".

23

Dezembro de2011


Notícias da BE No âmbito do dia do não fumador, os Amigos da BE do 4.º ano das turmas D e E, da EBI de Boliqueime, ouviram a história "Os dois lados", da obra "O Senhor Valéry", do escritor Gonçalo M. Tavares. A partir dela puderam refletir em torno dos dois lados da vida, o certo e o errado e como podemos e devemos fazer as nossas escolhas, para o nosso bem e para o bem daqueles que nos cercam. No final, todos quiseram fazer o seu compromisso de honra, no sentido de não querem vir a ser consumidores de tabaco ou de outras drogas prejudiciais para a sua saúde. Foi muito interessante.

O GeoClube da BE já mexe. Dinamizado pela professora Silvana Meira integra os nossos Amigos das turmas D e E, do 1º Ciclo da EBI de Boliqueime. Ficam aqui algumas imagens das atividades já desenvolvidas, nomeadamente no âmbito desta quadra natalícia, no decorrer da qual foi decorada uma árvore de Natal com Pais Natais, cujas caras têm as bandeiras dos países que compõem a União Europeia.

24

Dezembro de2011


Notícias da BE A BE, no âmbito da sua articulação com o Projeto Eco-Escolas, construiu um presépio ecológico com a colaboração dos alunos do 2.º ciclo e das suas professoras de EVT, no qual foram reutilizados diferentes materiais, até alguns dos troncos das árvores do espaço exterior da escola, podados pelo jardineiro. Está muito bonito! Podem visitá-lo até ao Dia de Reis.

Os alunos do 5º ano, das turmas A, B, C e D aderiram ao Natal Ecológico na BE, uma atividade desenvolvida no âmbito do Projeto Eco-Escolas e presentearam a BE com esta bonita e original árvore de Natal. Muito obrigada!

O simpático grupo de alunos e professores da Educação

Especial

da

EBI de Boliqueime presentearam a nossa BE com um lindo postal de Boas Festas e uma florida árvore de Natal Muito obrigada!

Visitem o blog da BE

http://beboliqueime.blogspot.com/ 25

Dezembro de2011


Sugestão de Leitura

Na nossa biblioteca escolar Lídia Jorge podemos encontrar vários livros da coleção Gerónimo Stilton. Encontram-se disponíveis os números: 4; 6; 8; 9; 10; 11; 12; 13; 18 e 25. A coleção torna-se interessante para as crianças porque no seu contexto são usadas várias imagens e onomatopeias que tornam a apresentação bastante atrativa motivando para ler+.

Gerónimo Stilton não é um ratinho comum. Habitante ilustre da ilha conhecida como Ratázia (Portugal), o camundongo é formado em Ratologia da Literatura Rática e em Filosofia Arqueorrática Comparada. Há vinte anos dirige o jornal mais famoso na Ilha Dos Ratos: O Diário dos Roedores, onde seus esforços lhe renderam o “Prémio Ratitzer” pelo furo jornalístico "O Mistério do Tesouro Desaparecido". Geronimo recebeu igualmente o Prémio Andersen em 2001 como personagem do ano. Um dos seus livros conquistou o prémio e Book Award 2002 como melhor livro electrónico infanto-juvenil. Nos tempos livres, Stilton coleciona cascas antigas de Parmesão do século XVIII, joga golfe e, acima de tudo, adora contar histórias ao seu sobrinho preferido, Benjamim. Lê as suas histórias. Vais divertir-te a valer! Anna Lakeychuk e Rita Antunes, 6.ºA Nós já lemos!!  26

Dezembro de2011


Desporto - BTT

No passado dia 30 de Setembro o departamento de Expressões, do Agrupamento de Escolas de Boliqueime, levou mais uma vez a cabo o Passeio de Bicicleta à Praia dos Tomates. Apesar deste não ser um evento que tem uma periodicidade regular, foi a 10ª edição e a participação por parte dos alunos voltou a ser um sucesso.

163 foi o número de alunos a pedalar, juntamente com vários professores e encarregados de educação. De facto, o pelotão desta edição foi bem longo, ocupando mais de 200m dos caminhos e estradas por onde passava. Com um número tão grande de alunos as travessias de estradas tornam-se muito perigosas (por ex.: E.N. 125). A travessia destas em segurança, só foi possível graças ao empenho dos agentes da GNR, que acompanharam a caravana desde do início até ao fim.

Este evento contou ainda com outros apoios indispensáveis para o seu sucesso. Neste âmbito, deve-se destacar a Junta de Freguesia de Boliqueime que disponibilizou uma carrinha e respectivo condutor como carro de apoio. Uma ajuda importante, pois assim foi possível levar as mochilas dos alunos para a praia. Por outro lado, também é legítimo destacar o Sr. Nelson Canhoto, encarregado de educação, que se ofereceu para acompanhar a caravana de ciclistas com um jipe. Esta ajuda foi importantíssima para alguns alunos que tiveram problemas mecânicos. A um nível mais oficial, tanto a Câmara Municipal de Loulé, como a Capitania de Albufeira tiveram o seu contributo ao autorizarem este passeio.

Dezembro de2011

27


Desporto - BTT O percurso deste ano foi muito similar ao anterior, excepto algumas pequenas partes. Como de costume, depois da chamada dos participantes e de um breve briefing, deu-se início a esta pequena viagem. Depois da saída da escola, entrou-se num estradão que nos levou até às Benfarras. Aí tivemos a 1ª dificuldade do dia, a travessia da E.N. 125. Mas, tudo correu de forma impecável e pouco depois estávamos a pedalar pelos caminhos arenosos da mata do Morgado. Com a entrada do pelotão no Parque Ambiental de Vilamoura, já se adivinhava o próximo desafio, a travessia da ribeira de Quarteira. Este foi um momento bem emocionante. Uns tentaram a passagem a pedalar, outros optaram pelas pedras. Mas, o mais impressionante foi assistir aos alunos mais velhos a ajudar os mais novinhos. Houve pessoal que chegou a transportar mais de 8 bicicletas, simplesmente espectacular. Graças a essa ajuda pudemos seguir a nossa jornada em direcção à praia. A chegada ao parque de estacionamento da praia dos Tomates foi e será sempre um momento muito especial. É o final da 1ª parte e a chegada à praia. Na praia voltámos a ter mais um pequeno "briefing", em que apresentámos algumas regras para que tudo corresse de forma harmoniosa e positiva. Depois foi dada a ordem que podiam ir à água. Mais pareceu uma avalanche de miúdos... Imaginem 163 crianças a correr para o mar. Apesar de serem muitos, o que nos obrigou a estar sempre muito alerta, tudo correu muito bem. Além das brincadeiras na água, houve também jogos na areia, conversas, etc.... Como o relógio não pára, assim chegou a hora de voltar às bicicletas e preparar o regresso à escola. Esta parte do percurso foi bem mais curta, mas mesmo assim os mais jovens ressentiram-se fisicamente, e o andamento foi mais lento. Por outro lado, esta parte também não teve "aqueles" momentos especiais da primeira. O trajecto foi quase todo por estradinhas municipais, sem trânsito. A chegada à escola foi um momento lindo. De regresso estavam os 163 alunos, um pelotão enorme, que encheu rapidamente o pátio da escola. À espera já estavam os respectivos encarregados de educação. Todos tinham um lindo sorriso na cara e muitas histórias para contar...

Visitem o nosso blog:

http://www.atribodasveredas.blogspot.com/ 28

Dezembro de2011

Professor Paulo Carvalheiro


Tesouros de Portugal

Os 7 Tesouros Gastronómicos Portugueses Entradas: -Alheira

de Mirandela – Mirandela

-Queijo da Serra da Estrela – Serra da Estrela

Sopa: -Caldo

Verde – Entre Douro e Minho

Marisco: -Arroz de Marisco – Marinha Grande

Peixe: -Sardinha

Assada – Setúbal

Carne: -Leitão

da Bairrada – Bairrada

Doce: -Pastel

de Belém – Lisboa

29

Dezembro de2011

Tomás Gonçalves 7.ºA


Personalidades

Paula Figueroa Rego nasceu a 26 de janeiro de 1935, em Lisboa. Formou-se na Slade School of Art. Nos inícios dos anos 60 do século XX, foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. A sua primeira aparição perante o público lisboeta deu-se em 1961, na II Exposição da Gulbenkian, tendo o seu trabalho sido bem acolhido pela crítica. O surrealismo e o expressionismo influenciaram estes primeiros desenhos e colagens. Passou pelo movimento da pop art inglesa, conservando, contudo, uma temática muito pessoal. A leitura dos romances de Henry Miller marcou igualmente o seu percurso, ao abordar temas do imaginário erótico feminino. Em 1965 produziu vários trabalhos relacionados com acontecimentos chocantes da vida política ibérica - Cães de Barcelona, Gorgon, Retrato de Grimau, Manifesto por uma causa perdida, temática já anunciada em 1961 com Salazar a vomitar a Pátria. Paula Rego é uma pintora famosa pelos seus quadros, que valem muito dinheiro. Os portugueses gostam muito dos seus quadros.

As Bailarinas

A Prova (The Fitting) Bárbara Duarte, 7.º A 30

Dezembro de2011


A Matemática é divertida

Na sequência do trabalho sobre textos da tradição oral realizado pelos alunos do sexto ano nas aulas de Língua Portuguesa, com base na obra de António Mota “Contos Tradicionais Portugueses”, surgiu a ideia de serem construídas situações problemáticas inspiradas nos contos estudados, desta vez, nas aulas de Estudo Acompanhado. A proposta foi acolhida com entusiasmo pelos alunos, que puseram mãos à obra e rapidamente surgiram inúmeras sugestões que foram sendo trabalhadas e aperfeiçoadas até se transformarem em desafios matemáticos. Decidimos publicá-los no jornal para que todos possam desfrutá -los exercitando as capacidades matemáticas. Nesta primeira edição, apresentamos as situações problemáticas do 6.º A. Divirtam-se!!

Desafio 1

Conto tradicional: O nabo gigante Na horta havia uma laranjeira que dava laranjas muito doces, um limoeiro que dava limões muito grandes, uma cerejeira que dava cerejas brancas e três videiras que davam enormes cachos de uvas saborosas. O velho, muito velhinho, magro e baixinho todos os dias bebia sumo de duas das frutas da sua horta. Quantos sumos diferentes consegue ele fazer?

Desafio 2

Conto tradicional: O Pedro Malasartes Era uma vez uma mulher que vivia num casebre. Essa pobre mulher tinha um filho, um filho único, que passava o dia a fazer asneiras e a dizer tolices. Por o rapaz ser assim tão asneirento e trapalhão as pessoas chamavam-lhe o Pedro Malasartes. O Pedro deu vários prejuízo à mãe. Observa a lista dos estragos:  Pano: 10,5€  Porco: 100€  Jarra : 15,5€  6 Kg Tripas : 5 € o Kg  Médico 50€  Medicamentos: 20€ 1.1-Qual é o prejuízo que o Pedro Malasartes deu à mãe? 31

Dezembro de2011


A Matemática é divertida Desafio 3

Conto tradicional: O sapateiro e os anões

Era uma vez um sapateiro pobre que trabalhava muito e era muito honesto. Chegou o dia em que só tinha couro suficiente para fazer um par de sapatos. Então ele cortou o couro e deixou tudo pronto para fazer os sapatos no dia seguinte. Na manhã seguinte, quando ia para trabalhar, encontrou, em cima da bancada, um par de sapatos já feito. Muito espantado chamou pela mulher que ficou encantada com aquele maravilhoso par de sapatos. No mesmo dia, entrou um cliente, que adorou os sapatos, e pagou-os com uma moeda de ouro. Certo dia, o sapateiro e a mulher decidiram esconder-se na oficina para descobrirem quem vinha fazer os sapatos durante a noite. Ao bater das doze badaladas apareceram dois anões que se movimentavam tão rápido como um relâmpago e num instante fizeram os sapatos. Na primeira noite os anões fabricaram 1 par de sapatos daí em diante foram fabricando o dobro da noite anterior. Quantos sapatos fizeram os anões durante 15 dias?

Desafio 4

Conto tradicional: O sapateiro e os anões Era uma vez um sapateiro que trabalhava muito e era muito honesto. Chegou o dia em que só tinha couro suficiente para fazer um par de sapatos. Então ele cortou o couro e deixou tudo pronto para fazer os sapatos no dia seguinte. O sapateiro tem 50 euros e ele quer 10 pedaços de couro, mas ele não quer usar todo o dinheiro, qual é a opção mais barata?

1 Pedaço de couro = 30 cêntimos 2 Pedaços de couro = 50 cêntimos 3 Pedaços de couro = 70 cêntimos 4 Pedaços de couro = 1 euro 5 Pedaços de couro = 1 euro e 10 cêntimos

32

Dezembro de2011


A Matemática é divertida Desafio 5

Conto tradicional: A gaita maravilhosa O rapaz ganhou uma gaita muito especial, quando ele tocava nela tudo havia de dançar. Feliz o rapaz andava tocando na sua gaitinha. A meio do caminho, o rapaz não reparou num burro que ia ao seu lado e também não sabia que o dono era um comerciante que ia a caminho da feira. Quando o rapaz chegou perto do burro aconteceu uma coisa muito estranha o burro e o seu dono começaram a dançar. Foram tantos os saltos e tantas as voltas, que os pratos ficaram em fanicos, as malgas em pedaços, os púcaros bocadinhos e os vasos em mil pedaços. Qual foi a despesa do comerciante?

Desafio 6

Conto tradicional: O nabo gigante Era uma vez um velho muito velhinho, magrinho e baixinho e a sua mulher grande, velha e gordinha. Um dia o velho muito velhinho decidiu semear sementes de nabo. No dia seguinte já estava um rebento. O nabo cresceu... o velho muito velhinho ficou espantado porque o nabo estava muito grande e forte. Então o velho muito velhinho quis tirar o nabo gigante da terra, mas não conseguiu, então chamou a sua mulher. Eles puxaram, puxaram e puxaram mas o nabo não se mexeu, então a sua mulher decidiu chamar a sua vizinha que era uma menina muito doce. Então puxaram e puxaram e o nabo não se mexeu. A menina foi chamar o seu irmão e todos tentaram ajudar a tirar o nabo, mas como não conseguiram o menino foi chamar o seu cão que era grande e forte. O cão sentiu o dever de ladrar a um gato que ali andava para ajudar, todos puxaram e puxaram mas o gato miou a um rato e de repente poof o nabo saltou da terra … e caíram todos em cima do rato! Consulta a tabela e calcula o peso que caiu em cima do rato. A velha tem o quíntuplo do peso do cão

O menino pesa 60Kg

O velho pesa o quadruplo do peso do cão

O cão pesa 15Kg

A menina pesa dois terços do peso da velha

0 gato pesa um terço do peso do cão

33

Dezembro de2011


A Matemática é divertida Desafio 7

Conto tradicional: A galinha medrosa A Galinha tinha ido apanhar minhocas e estava muito calor então encostou-se a uma parede e caiu um pedaço de cal na sua cabeça e ela começou a correr. À medida que corria ia encontrando outros animais, que lhe perguntavam qual a razão daquela correria, ao que ela respondia que o céu estava a cair e já tinha caído um bocado na sua cabeça, então assolados pelo medo acompanhavam a galinha na correria. O último animal que os viu foi o cão que disse para se esconderem debaixo da cama da sua dona… e a correria terminou! Na manhã seguinte acordaram e saíram e o céu estava inteiro. Animais

Distancia percorrida por cada animal:

Galinha Galo Porco Gato Pato Raposa

110 metros 101 metros 92 metros 83 metros 74 metros 65 metros

Cabra Ovelha

56 metros 47 metros

Cão

38 metros

a) Quantos Km percorreu a galinha? b) Qual a regularidade que encontras nas distâncias percorridas pelos animais?

Professoras Responsáveis: Alícia Carvalheiro Ana Alexandre Ângela Farinha Virgínia Fernandes

34

Dezembro de2011


Nomeações Jack Petchey

Aluna nomeada no mês de Outubro de 2011

Aluna nomeada no mês de Novembro de 2011

Vanessa Reis 14 anos de idade É uma aluna ativa, participativa e boa desportista. O valor do prémio vai para a compra de material audiovisual para a disciplina de Cinema.

Andreia Filipe 14 anos de idade É uma aluna responsável, empenhada em ultrapassar as suas dificuldades, ajuda os colegas e é boa desportista. O valor do prémio vai para a compra de material audiovisual para a disciplina de Cinema.

Gonçalo Cevadinha 14 anos de idade É um aluno que está mais esforçado e empenhado, este ano letivo, em obter bons resultados. O valor do prémio vai para a aquisição de um LCD para o Jardim de Infância das Benfarras. 35

Dezembro de2011

Pr

of ess or ar e Síl spon via sá Sa vel nto s

Aluno nomeado no mês de Dezembro de 2011


Natal

No dia 14 de Dezembro os alunos do sétimo ano brindaram a comunidade escolar com algumas canções de Natal cantadas em várias línguas (francês, espanhol e inglês), tendo feito uma tournée por vários pontos da nossa escola, acompanhados pelas professoras Luísa Carreira, Vanda Santos e Paula Espírito Santos, coordenadoras desta atividade. Aqui ficam as letras das canções e algumas fotos do evento.

Feliz Navidad Feliz Navidad Feliz Navidad

Vive le vent!

Feliz Navidad Próspero año y felicidad

Sur le long chemin tout blanc de neige blanche un vieux monsieur s'avance sa canne dans la main et tout là hait le vent qui siffle dans les branches lui souffle la romance qu'il chantait petit enfant

Yo te deseo felicidades Yo te deseo felicidades Yo te deseo felicidades Desde el fondo de mi corazón Estribillo ( 2 X)

Vive le vent, vive le vent vive le vent d'hiver qui s'en va sifflant, soufflant dans les grands sapins verts vive le temps, vive le temps vive le temps d'hiver boules de neige et jour de l'an et bonne année grand-mère.

Yo te deseo felicidades Yo te deseo felicidades Yo te deseo felicidades Desde el fondo de mi corazón Estribillo ( 2 X) Yo te deseo felicidades Yo te deseo felicidades Yo te deseo felicidades Desde el fondo de mi corazón Estribillo (2 X) 36

Dezembro de2011


Natal

Vive le vent, vive le vent vive le vent d'hiver qui s'en va sifflant, soufflant dans les grands sapins verts

Feliz Navidad Feliz Navidad Feliz Navidad Pr贸spero a帽o y felicidad

We wish you a Merry Christmas and a Happy New Year Jingle bells, jingle bells Jingle all the way Oh, what fun it is to ride In a one horse open sleigh 37

Dezembro de2011


Natal

We wish you a Merry Christmas We wish you a Merry Christmas We wish you a Merry Christmas We wish you a Merry Christmas and a Happy New Year Good tidings we bring to you and your kin; Good tidings for Christmas and a Happy New Year.

Jingle Bells Dashing through the snow In a one horse open sleigh O'er the fields we go Laughing all the way Bells on bob tails ring Making spirits bright What fun it is to laugh and sing A sleighing song tonight

Oh, bring us a figgy pudding; Oh, bring us a figgy pudding; Oh, bring us a figgy pudding and a cup of good cheer. We won’t go until we get some; We won’t go until we get some; We won’t go until we get some, so bring some out here.

Jingle bells, jingle bells Jingle all the way Oh, what fun it is to ride In a one horse open sleigh Jingle bells, jingle bells Jingle all the way Oh, what fun it is to ride In a one horse open sleigh!

We wish you a Merry Christmas We wish you a Merry Christmas We wish you a Merry Christmas and a Happy New Year

A day or two ago I thought I'd take a ride And soon Miss Fanny Bright Was seated by my side The horse was lean and lank Misfortune seemed his lot We got into a drifted bank And then we got upshot 38

Dezembro de2011


Natal

Lenda do Pirilampo

Na noite de Natal, encontrava-se no presépio de Belém um pobre bichinho que, ao ver Nossa Senhora e São José em tamanha pobreza e desconforto, se comoveu. Não podendo fazer mais nada por eles, veio cá fora buscar um raio de luar que levou às costas, indo, pequenino e humilde, colocar-se aos pés da Virgem Maria. E quando o Menino Jesus nasceu, o pobre bichinho todo se regozijou por poder iluminar Aquele que acendeu as estrelas no céu e que, ao vir ao mundo, nem sequer teve a candeia dos pobres a clarear as trevas daquela noite cerrada. O Menino vendo ali aquela luzinha a brilhar, sorriu para o bichinho e perguntou-lhe o que queria como recompensa da sua bondade e do seu amor. -Queres que te dê as cores brilhantes do escaravelho? E o pobre bichinho negro de nascença, respondeu-lhe: -Não, meu Senhor! -Queres que te dê, como às abelhas o poder de fabricar o mel dourado e doce? E o pobre bichinho também não ambicionou os beijos das flores, nem aceitou habitar o palácio duma colmeia. -Mas então, o que é que tu desejas, pede-me o que quiseres. E o pobre bichinho disse o seu desejo, o seu sonho, o seu grande ideal: -Senhor, só uma coisa desejo e te peço: deixa-me conservar sobre mim este raio de luz para que eu possa iluminar os viajantes nas trevas da noite e alegrar os que caminham sozinhos… O Menino olhando-o com ternura disse-lhe: -Pois seja como desejas! E desde esse momento, o negro bichinho, até aí sem beleza nem brilho, passou a chamar-se PIRILAMPO e ficou sendo como uma estrela a saltitar pelos caminhos escuros e tristes da terra. E a noite é menos escura quando luzem nas trevas aqueles pontinhos brilhantes, a solidão é menos triste quando os homens pousam os olhos cansados nestas estrelinhas dos caminhos.

39

Dezembro de2011


Receitas Natalícias Bolo Rei Ingredientes:  1,250 kg de farinha de trigo  50 g de fermento de padeiro ou 25 g de fermento orgânico  3 dl de leite  250 g açúcar  12 ovos  300 g de manteiga  1 g de sal  150 g de passas  100 g de cidrão doce  100 g de ameixas  100 g de amêndoas  150 g de nozes  150 g de pinhões frutas cristalizadas Preparação: Amassam-se 250 g de farinha de trigo da melhor com 50 g de fermento de padeiro ou com 25 g de fermento orgânico em pasta, desfeito qualquer deles em 1 dl de leite morno. Tapa-se bem e deixa-se a massa a levedar em sítio quente, por 5 a 6 horas. À parte deita-se num alguidar 1 kg de farinha, amassando-o com 250 g de açúcar em pó, 6 ovos inteiros, 6 gemas, 300 g de manteiga derretida, 1 g de sal fino e 2 dl de leite, devendo ficar uma massa consistente, podendo‑se deitar mais leite se for necessário por a farinha ser muito seca. Misturam-se os 250 g de farinha que se amassaram com o fermento, amassando tudo bem e, estando a mistura bem homogénea, juntam-se 150 g de passas, 100 g de cidrão doce cortado miúdo, 100 g de ameixas cortadas aos quartos, sem caroço, 100 g de amêndoas peladas, 150 g de nozes cortadas em quartos e 150 g de pinhões. Amassa-se novamente para incorporar bem na massa todos os elementos que se juntam, cobrindo-se com um pano deixando levedar até aumentar o volume em metade, o que precisará de pelo menos 6 a 10 horas, conforme a temperatura do ar e o estado atmosférico. É preferível preparar a massa à noite para cozer no dia seguinte. Estando a massa bem levedada, fazem-se bolos em coroa, pondo-se no vazio do centro uma tigela ou um copo para não fechar; por cima da massa põem-se algumas ameixas cortadas ao meio e peras ou outras frutas secas cristalizadas e algumas amêndoas, deixando repousar por duas horas, polvilhando com açúcar pilé e pondo-os a cozer no forno com calor forte. Antes de pôr no forno, pode-se pintar a massa por cima com gema de ovo. Feita a massa fazem-se os bolos e põem-se em tabuleiro indo ao forno em lume brando. http://receitasnatal.blogs.sapo.pt/ 40

Dezembro de2011


Receitas Natalícias Bacalhau Tostadinho Ingredientes:  3 postas de bacalhau  1 broa de milho  2 cebolas médias  azeite q.b. salsa e azeitonas q.b. (facultativo) Preparação: Comece por expor as postas de bacalhau à água corrente bem quente. Retire o excesso de sal do bacalhau, passando-o por diversas águas. Desfaça-o, abrindo-o, retirando a pele e as espinhas. Num tabuleiro de ir ao forno e à mesa, ponha as cebolas cortadas em rodelas. Regue com azeite e leve ao forno para a cebola amolecer. Introduza o bacalhau e envolva-o com a cebola. Vá adicionando um pouco de azeite e mantenha o cozinhado no forno durante 20 minutos. À parte, pode ir preparando a cobertura. Descasque a broa de milho e triture o miolo. Abra o forno e espalhe os pedacinhos sobre o bacalhau. A broa espalhada deverá atingir os 2 cm (2 dedos) de altura. Deixe tostar, e cuidado para não tostar demais. Sirva este cozinhado bem quente. Pode enfeitar com um pezinho de salsa e azeitonas.

Pudim de NATAL Quantidades para 6 pessoas Ingredientes  100 g açúcar mascavado  100 g banha  6 colheres de sopa Brandy  1/2 colher de chá canela em pó  100 g farinha  raspas de laranja q.b.  raspas de limão q.b.  75 g miolo de amêndoa  1/2 colher de chá noz-moscada  2 ovos  75 g pão ralado  175 g passas  100 g pêssego  175 g sultanas sumo de limão q.b. http://receitasnatal.blogs.sapo.pt/

Preparação: Numa tigela misture os pêssegos com as passas, as sultanas, o miolo de amêndoa, a raspa da laranja, a raspa e o sumo de limão. Para uma outra tigela peneire a farinha e junte a canela, a noz-moscada, o miolo de pão, a banha e o açúcar mascavado. Deite os ovos e misture bem. Adicione a este preparado os frutos secos, mexa, tape e deixe em repouso até ao dia seguinte. Unte com manteiga uma forma de pudim. Junte à massa o brandy e deite na forma. Leve o pudim a lume brando, em banhomaria, e deixe que ele coza durante umas 2 horas. Uma vez cozido, deixe que o pudim arrefeça completamente e desenforme-o. No momento de levar para a mesa flameje-o. Para tal, leve um pouco de brandy ao lume dentro de uma concha de sopa. Deite fogo ao brandy e deite-o cuidadosamente sobre o pudim. 41

Dezembro de2011


Para Colorir

42

Dezembro de2011


Divulgação

Olá! Somos as crianças do Jardim de Infância das Benfarras e a nossa sala chama-se: “ Os Golfinhos” e como estamos a festejar o Natal resolvemos partilhar convosco a nossa história de Natal e um eco-postal que fizemos para desejar a todas as pessoas um Feliz Natal .

43

Dezembro de2011


Divulgação

Inscreve-te na Plataforma RIATIC e participa nas atividades que te propõem os vários grupos existentes. A Plataforma Riatic é uma rede social exclusiva para alunos e professores da nossa escola. Cria a tua página e interage com os teus amigos, colegas e professores. Grupos criados até ao momento: English Team

Español Te Quiero

BE Lídia Jorge

Nos Trilhos da Ciência

Português +

Geografar

O Lado Negro do Hexágono

Reciclar é Dar e Receber

Tout en Français

Laboratorix

O Lado Negro do Pentágono

Turma do 5.ºA

O Notícias da Malta deseja a toda a Comunidade Escolar um Feliz Natal e um Novo Ano cheio de alegrias, paz e amor. Visita o blog Leituras e Aventuras em http://leiturasaventuras.blogspot.com/ 44

Dezembro de2011

Jornal Escolar  

Jornal de Notícias do Agrupamento de Escolas de Boliqueime

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you