Issuu on Google+

M I N H A VERDADES Cinco

Gil Marcos Cordeiro Veiga


Este livro ĂŠ assim, uma porta, um portĂŁo, um acesso, para a poesia, para minha histĂłria. O Autor.

2 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Se o vento tocar teu corpo, lembre-se que são minhas mãos, se a chuva lhe encharcar, sinta cada gota como beijo meu, desejo mais do que tudo, ser somente um carinho, para a mulher que percebo, ser a que me compreende, quero ser apenas um homem, que na insuficiência da razão, sucumba totalmente ao prazer, em se doar e entregar, deitar sobre os sonhos, neles descobrir a mulher amada, quero muito sonhar junto, quero ter teus olhos em mim, teus olhos que tocam minha alma, como verdadeira paixão resgatada, não uma paixão louca e desvairada, mas uma paixão alimentada, saciada a cada dia na estrada, nos caminhos do entendimento, cujas bocas não se fecham, nem aos beijos, nem ao diálogo, desejo te colocar no colo, abraçar teu ser e proteger, como mulher amada, como minha alma alada...

3 Minhas Verdades Cinco


Não perco a esperança em ser, por direito e intenso desejo, o que devo de fato compreender, não as razões do que vejo, quero ser a alegria no teu dia, te preencher de felicidade, como a quem na revelia, ama com muita intensidade, quero ser a exata expressão, de tudo que não te aconteceu, carregar tua vida de emoção, repleta de carinho que se perdeu, resgatar a tua sincera paixão, para entregar a mim de pronto, sem pensar em compensação, pois a paixão nos deixa tonto, quero que seja minha morada, no amor que te entrego agora, abrindo a porta há muito fechada, para os caminhos lá fora, quero te colocar dentro de mim, como semente a crescer, sem medo de qualquer fim, não te escondo minha vontade, em te beijar alucinadamente, perdendo toda a comodidade, deixando ser tudo o que sente, transformar minha vida inteira, na complexidade da relação, doando pedindo que me queira, não camuflando minha ação, concreta e verdadeira, pois te desejo e amo mulher, te desejando minha companheira, para o que a vida nos der, ser teu homem para sempre, mesmo que sempre seja terminal, me entrego de alma, corpo e mente, desconhecendo existir um final...

4 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Ao te encontrar, descubro, que em todo o meu mundo, tua presença já existia, como se fosse meu ar, por onde caminha meu desejos, te acondicionando em mim, sussurrando em teus ouvidos, tocando em teu ser, descobrindo em minhas mãos, teu corpo em cortejo, convidando-me para um beijo, despindo-se para o ensejo, aferindo minha pele na sua, toques sutis e suaves, minha boca na sua, encontro de línguas, teus seios acariciados, as coxas pedindo a dança, abraços, amassos, sim, tua presença me faz, homem em tua curvatura, uma semente de prazer, que darão muitos frutos, seja apenas o que és, a mulher que me completa...

5 Minhas Verdades Cinco


Quando lhe conhecer, vou poder te dizer, tudo que pode acontecer, sem medo de parecer, um idiota ao te ver, mas ser aquele cara, que mesmo na falha, tem a idéia clara, de não criar uma tara, quero apenas crer, que mesmo sem querer, terei o que responder, para não te perder, quero poder te tocar, como quem deseja amar, com a alma a olhar, teu ser vestido de luar, te admiro como mulher, independente no que quer, na alegria que requer, todos os dias que vier, mora um mim se desejar, faço carinhos ao te beijar, carícias a te moldar, me entrego ao teu olhar, quero te conhecer, para poder um dia aprender, o significado de viver, ao lado da mulher a merecer, sou apenas alguém, desejoso do que não tem, a mulher que não vem, do amor e desejo sou refém...

6 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Teus olhos atrevidos, invadem minha serenidade, atormentam minha coragem, displicente descontente, teus olhos doces e viris, feito desejos de aprendiz, aquecendo a alma feliz, carrega-me no colo, leva-me despretensiosamente, para a tua cumplicidade, para teus beijos de felicidade, coloca-me despido, para cobrir-me de ti, aquece meu corpo vil, toques intensos e doces, me recebe como homem, me entrego por inteiro, desejos preenchidos, te preenchendo no prazer, razão torpe em te querer, pois me acolhe dentro de ti, como encaixe libidinoso, ser teu homem, ser tua mulher, ser teu prazer, ser tua razão, em viver por me querer, dentro de ti meu prazer, em mim tua sedução, tua eterna e viva emoção, sou apenas um instrumento, da realidade nua e crua, em ser parte da mulher, que te representa e cultua, ser parte da mulher nua, que em mim perpetua, os prazeres imortais...

7 Minhas Verdades Cinco


Poético seria, em cada amanhecer, te dar bom dia, com um sorriso no rosto, um beijo na boca, um carinho em tua face, seria poético te ajudar no banho, lavar teus cabelos, tuas costas, seria poético, poder fazer isso todos os dias, porque assim, você seria minha linda poesia, quero poder sussurrar em teu ouvido, dizer que te amo, que és a mulher de minha vida, acariciar teus cabelos, suavemente, com meus lábios indo à direção aos teus, quero poder a cada dia, a cada momento, te deitar em nossa cama, te fazer carinhos e carícias, brincar com muitas malícias, quero ser teu homem, verdadeiro e leal, pois espero que seja minha mulher, deliciosamente no real, um beijo que não seja apenas um beijo, mas um beijo dado com carinho, um beijo que me derrube do chão, um beijo que me eleve às nuvens, um beijo que seja doce, um beijo que seja dado com amor, um beijo que invada minha alma, um beijo que me deixe somente teu, se um dia, ao te encontrar em mim, como mulher doce e deliciosa, que me invade de desejos, recriando meus caminhos, beijando e alimentando meus prazeres, quero ter o dom, em te fazer mulher, ser não somente o falo, mas ser o teu complemento, ser o que é por ti devorado, engolido, mas que envolvido se revela, quero ser teu homem, tenro e doce, porque sei que será minha mulher, deliciosamente mulher...

8 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Acordo de suas carícias, desenhadas em meu corpo, como a quem esculpi o prazer, és a mulher que se entrega, ao mesmo tempo em que recria, toma o homem em suas mãos, não o deformando sem razão, apenas o complementando, trazendo de sua plenitude, renascendo suas capacidades, forjando o que há de maior, a cumplicidade em amar, despojando sua inutilidades, moldando sua integridade, realizando sua complexidade, na fraqueza de sua maturidade, reeducando para a vitalidade, onde somente se deslumbra, pois ao homem somente resta, interagir com seu sentimentos, não racionalmente como faz, mas descobrindo-se amado, para poder amar a mulher amada...

9 Minhas Verdades Cinco


Às vezes não sei bem, há quantas devo ser, as agruras do porvir, distante tanto quanto, as instigantes vezes, que retoricamente sente, desejos que se esvaem, diluem que nem água, transbordam oceanos, preenchem as culpas, satisfazem as angustias, aliviam as desculpas, revelam as mentiras, falo sobre o amor, em seu ato puro de amar, entregando-se ao outro, ser parte de um contexto, que não lemos ou escrevemos, mas que sabemos existir, pois o amor não se revela, como a um filme qualquer, tem de ser sentido pleno, por todos os sentidos, humanos não corrompidos, amar é um ato de coragem...

10 Gil Marcos Cordeiro Veiga


A cada dia que vivo, sinto a diferença, cresço mais dentro de mim, como pessoa e como ser humano, como amigo, como homem, meu maior desejo, dentre tantos, é poder compartilhar este crescimento com você, se possível, crescer junto a você também, como pessoa, como amigo e como homem, não disperse no tempo, não afaste o que é sincero...

11 Minhas Verdades Cinco


Vejo a sensibilidade das pessoas, que sabem que a vida pode retribuir o carinho e a amizade, mas para n贸s, voc锚 e eu, tenho uma proposta, plantaremos uma semente, regaremos e a veremos crescer, para ela daremos o nome de amizade...

12 Gil Marcos Cordeiro Veiga


A cada dia que passo sozinho, pergunto por que estou assim, será que sou tão difícil, será que sou tão desprezível, mas que merda, me sinto tão só, sinto uma dor no peito, uma vontade em sumir, uma carência louca, quero o direito de ser feliz, de amar e ser amado, de transar com quem amo, de ser homem para a mulher, quero poder ser alegre, quero ter um pouco de sorriso, quero redescobrir a alegria de viver, como posso estar assim, com esta dor no peito, esta imensidão que é a solidão, estou insuportavelmente só, quero alguém urgente, preciso desafogar de mim, quero romper as represas, tenho tanto amor a dar, quero alguém que o receba, quero uma mulher que me aceite, me deixe ser verdadeiramente homem, amando e respeitando com carinho, sendo cúmplice e devotado, desejando e cultivando, um mulher que saiba amar, que não queira um passeio sexual, mas uma relação concreta, quero uma mulher verdadeira, que não tenha medo em ser amada, que saiba receber carinhos, que saiba ter um homem real, não esses babacas machistas, mas um homem a colhe, todo dia como uma flor, nunca deixando-a murchar, pergunto, será que existe tal mulher?

13 Minhas Verdades Cinco


Que essa dor em meu peito, corroendo minha vontade de viver, uma dor que entorpece, judia e corrompe minha alma, estou lançado ao chão, coberto de minhas desilusões, sedento de um alívio humano, nada encontro neste mundo, acredito que nasci para sofrer, morrer de esperança em vida, como um idiota a procurar felicidade, que ignorância a minha, quem disse que existe felicidade, existe somente dor e sofrimento, estou ancorado em minha dor, não vejo porto a vista, não vejo terra a vista, não vejo amor à vista, ser só é o que me resta, tenho de aprender a sofrer calado, tenho de aprender a viver trancado, devo esquecer de meu amor, trancafiá-lo para sempre, recluso de meu sofrimento, quero deixar de ser romântico, aprender a ser homem machista...

14 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Andar pra trás, porque para frente, tua indiferença não permite, tenho mágoas ardentes, porque de meu amor, reduzido à pó, restam apenas, lembranças...

15 Minhas Verdades Cinco


Releio as poesias, que antes lhe enviei, eram minha alma, depositada a cada letra, hoje, na tua ausĂŞncia, concreta e cruel, tenho de ser fĂŞnix, para ressurgir de mim...

16 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Brilhante a vida que olha, nas alturas deste chão, que sinto distante de mim, como se estivesse a levitar, são dos sentimentos para ti, que me elevam tão docemente, mulher a me reencontrar homem, em tua completa casualidade, renascendo em mim sentimentos, que dantes não existia, és a fera que me domina, mulher coberta de desejos, mulher que me transforma, verdadeiramente em homem...

17 Minhas Verdades Cinco


Amor é uma palavra forte, como são fortes os desejos, que alcançam minhas asas, por ser teu pássaro, esperando-a como anjo, minha pequena semente, que fecunda terra árida, mas que na entrega, é regada delicadamente...

18 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Riso, alegre e divertido, como vindo de dentro, quente e sincero, este sorriso velado, cobrindo a tristeza, amanhecido da mĂĄgoa, doce e saboroso, pois nĂŁo hĂĄ dor, que o mate...

19 Minhas Verdades Cinco


Removo as manchas, de um passado triste, para juntos crescer, em composição de vida, repondo sentimentos, nas brechas abertas, cobrindo buraquinhos, que desilusþes deixaram...

20 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Distância é apenas, uma necessidade, pequena e certa, em ser vencida, mas como lidar, com a ausência, que a saudade, implanta no coração...

21 Minhas Verdades Cinco


Nada que façamos, será tanto o quanto, para que realizemos, o pouco que queremos, no muito que faremos, porque somos apenas, grãos de areia, no universo, da paixão...

22 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Antes era apenas um, como se fosse nenhum, que descobriu sentido, meio um tanto perdido, que nĂŁo hĂĄ sentido, quando estĂĄ posto, sentimentos puros, resta apenas viver, um dia de cada vez...

23 Minhas Verdades Cinco


Amar é algo especial, é uma construção a dois, onde se define desejos, prioridades de vida, mas porque o tememos, o calor gerado no prazer, tememos tudo isso perder, mas temos medo maior, de uma dor terrível, que nem pode acontecer...

24 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Ao teu pai agradeço, pelo apreço e amor, que te fez começo, de nossa história, que será tão bela, quanta aquela, que já percorreu, para em eu chegar, com sorriso doce, disposta a amar...

25 Minhas Verdades Cinco


Recorda sempre, mesmo que distante, que meu carinho, serรก eternamente, o teu caminho, e de mim permanente, entrego-me inteiro, sem qualquer receio, pois nรฃo temo o sofrer, na luta รกrdua do querer, a felicidade real...

26 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Nesta vida, trago sementes, que lhe dou, para plantar, flores lindas, em teu jardim, para vĂŞ-la sorrir, ao abrir tua janela, a cada dia novo, pois de passado, vive o museu, e de carinhos, sou todo teu...

27 Minhas Verdades Cinco


Ao acordar lembra, que mesmo sem sol, ele está lá no céu, que mesmo com chuva, por trás existe o sol, que mesmo a noite, o sol está do outro lado, por isso, ao acordar, não se esqueça de mim que sempre estarei, te pronto para ser, tua alegria eterna...

28 Gil Marcos Cordeiro Veiga


N達o diga nada n達o, n達o precisa dizer, eu entendo teu ser, eu entendo teu querer, apenas fica velada, ao meu lado sentada, com as m達os dadas, sentindo amada...

29 Minhas Verdades Cinco


Belisca amor, vai, me belisca, vai, pode beliscar, porque ta difĂ­cil, de acreditar, que ao te conhecer, fez por me preencher, de alegria a tristeza, de vida a solidĂŁo, de carinho a dor, vai, me belisca amor...

30 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Rega as plantas, de tua varanda, não muito nem pouco, apenas o certo, como te regarei, na quantia exata, mulher em mim, sendo teu muito a fim, laços de abraços, querendo apenas me perder, em doces beijos te ser...

31 Minhas Verdades Cinco


Estou te escrevendo, entregando a ti, um pouco de mim, talvez não muito, talvez não tanto quanto mereça, mas jamais esqueça, que mesmo pouco, foi de pronto e verdadeiro, honesto e sincero, todo o carinho dado, como os desejos de continuar, para sempre te namorar...

32 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Aqui termina este livro, que construí todo seu, pelas iniciais de teu nome, tecendo minha paixão por ti, em cada letra, sílaba, frase, dando de mim o que posso, meu carinho, meu colo, um doce abraço, um beijo, todo meu desejo, a cada dia, de sempre te perguntar, não por necessidade nem reafirmar, mas para sempre lembrar, quer namorar comigo...

33 Minhas Verdades Cinco


Quer casar comigo, te ofereço amor, um teto para te beijar, meu eterno te carinhar, meus braços a te abraçar, uma mão sempre atenta, para pegar na tua, sempre que desejar, meus olhos a te fitar, mesmo que dormindo, para nunca te deixar, sozinha e com medo, meu colo a te dar, todas as vezes que vier, para que sinta, sem receios perdidos, meu amor a te semear, tens meu coração, pobre e infeliz, a te esperar, para poder, transbordar, em tua presença, sempre que te amar, então, quer casar, com este tolo, que não quer ficar, que não quer curtir, que quer se entregar, por inteiro, por certo, por verdadeiro, quero partilhar, ser teu cúmplice, quero te amar, eternamente...

34 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Jamais te esquecerei, porque tu és minha, uma mulher de alma, que me acolhe e ama, és a doçura certa, que minha amargura precisa, és o beijo carinhoso, que meus lábios procuram, és a beleza incerta, que minha vida recebe, como posso te esquecer, seria como me perder, deixar de querer viver, quero tê-la em mim, constante e pra sempre, como pessoa e mulher, como a precisão da incerteza, quero o dia a dia nosso, composto e recomposto, como um bolero de Ravel, infindável em si, reconstruindo, reconstruindo...

35 Minhas Verdades Cinco


Como posso dizer, que não quero, viver a te perder, em minha vida, quero sentir, todas as emoções, que teus olhos, sorridentes mostrem, que teus lábios, surpreendam os meus, que teu abraço doce, eternize ao meu, que teu corpo forte, amorteça em mim, que tua alma linda, abrace a minha, não te esqueci, nem te esquecerei, porque és parte minha, há muito colhida, nas páginas do livro, de minha vida...

36 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Nem que se faça a dor, invadindo meu coração, irei deixar de ter amor, regado a vinho e emoção, não é de dores sentidas, que partilharei minhas idas, nem será de partidas, que refarei as chegadas, serei pleno nas regadas, de tuas plantas sedentas, como o tesão contundente, que nos mostra claramente, que tuas coxas roçam, nas minhas intensamente, como os beijos afoitos, repletos de desejos, carinhando todo o corpo, como te desejo mulher, sem medo de se entregar, neste gozo a despertar, invadindo meu corpo, me deixando entrar, para contigo gozar, eternamente...

37 Minhas Verdades Cinco


Seja minha água, minha fonte de vida, para que no futuro, possa te abrigar, na minha aragem, como planta fecunda, nestes teus remansos, não posso te querer, por ser livre, nem posso me dar, por amar a liberdade, mas posso dedicar, o infindável tempo, em nossa amizade, para que não tema, uma vida sem sentido, um rito inexato, sou meio bruxo, sou meio santo, para poder ser, um grande ser, a te entender, a te respeitar, a te devotar, sabedorias muitas, que colho em ti, mulher densa e livre, continua assim, pois nada deve ser, maior que teu ser, menor que tua liberdade...

38 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Levita e sai andando, porque pensas que tens asas, mas cabe aos tolos, pássaros pensar que voam, são apenas aves plumadas, claro que nós voamos, somos retóricos e concretos, dialéticos na sanidade, cabemos como poucos, em cápsulas de loucuras, somos os únicos verdadeiros, Picasso de nossa arte, mas te digo minha linda, nada mais cruel que isso, a porra da distância, que nos deixa alienados, sem atos e sem falhos, então, por que ser, apenas um pássaro, se podemos ser Pégasus...

39 Minhas Verdades Cinco


Ouço uma voz ao longe, que ecoa no meu tato, que degusta o som, dizem que sou louco, não me importo, pois a loucura vive, e neste despertar, sou eternamente louco, porque os ditos sãos, matam por prazer, batem na mulher, machucam crianças, seres sociais, para mim nada, apenas animais, se isto é sanidade, fico com minha loucura, porque não bato em mulher, amo as crianças, as respeito, não mato por prazer, assim, sou louco, com muito gosto...

40 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Sou um pouco de ti, sempre presente, mesmo que ausente, não te ressente, pois sou conseqüente, mesmo imprudente, claro inconseqüente, como ser prudente, vivendo de repente, teus olhos videntes, fitando este carente, em total deferente, ao pouco existente, que tinha a semente, ao ser plantada rente, neste ser vivente, que sonha e sente, teus carinhos quentes, assim peço, não mente, para este ente, solidariamente, reconfortante...

41 Minhas Verdades Cinco


Sem qualquer razão, compreendo agora, todos os motivos, racionais e irracionais, concretos e falsos, que um dia te dei, um sopro de vida, um botão de tempo, que desabrocha, que recria, que se torna vida, porque tu és a mulher, que a qualquer homem, em sã consciência, a guardaria em si, não como objeto, mas como semente, como companheira, como cúmplice, de sua própria existência, porém, os homens, cegos e absurdos, não enxergam à frente, muito menos a ti, então, resta apenas, compreender a tua essência, para melhor ser, alguém especial, em tua vida, excepcional...

42 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Visto de cores, mulheres de tendências, de altas sensibilidades, perspicazes, muitas vezes vorazes, mulheres sagitarianas, deusas sobrenaturais, se saíssem da costela, de um homem qualquer, levariam junto a alma, pois se apaixonam demais, são sábias sacerdotizas, como poucas se entregam, ao prazeres do amor, mais raramente ainda, perdoam a quem as traiu, morenas mulheres, morenas doçuras...

43 Minhas Verdades Cinco


Quero te receber, na minha morada, pois sei que tens, dentro de ti amor, borbulhando, querendo explodir, sair pelo mundo, serei apenas teu, um ser cúmplice, dentro de limites, que extrapolam, minha coerência, então te desejo, rente a mim, para ser teu, só me falta, teu consentimento...

44 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Falam aos ouvidos, que dizem sussurrar, algo em especial, nesta tua beleza, vive esta presença, constante e vital, em poder acreditar, que existe esperança, na humanidade, sorri com teus olhos, para a vida perto, reconheça a doçura, de que amar é bom, que a verdade existe, mesmo que outros mintam, porque para ti, mulher de alma linda, o viver está doce, como doce é teu ser...

45 Minhas Verdades Cinco


Ao te ver partir, de dentro de mim, descobri a saudade, esta dura realidade, que invade e queima, feito uma nevasca, partiu de minha vida, com lembranças, preenchidas na ausência, recordações singelas, como tua presença, que ainda sinto, na minha pele, partiu de dentro de mim, sem dizer as razões, deixando tuas emoções, levarem para longe, distante de meus carinhos, que te procuram, neste vazio deixado, mas te vejo ainda, solução desta tristeza, mulher que semeia, o desejo em mim, para ser teu enfim, cúmplice no existir...

46 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Vejo teus lábios, sedentos em mim, como um beijo molhado, que procura encontrar, vejo a pureza viva, da mulher vivida, que me inunda de prazer, vejo a mulher sentida, que abre a ferida, desejando a cura, vejo a mulher voraz, que persegue ideais, desejando a paz, vejo a mulher amada, que tanto é desejada, perdendo noção, que em mim seria, reconstruída, não modificada, para juntos preencher, os espaços da estrada, que diante de nós, se abrirem a seguir, deixa que pegue tua mão, com doce e tenra emoção, e a leve comigo, pelos caminhos da vida, transformando-nos, em um único amar, repleto de paixão...

47 Minhas Verdades Cinco


Acordei em teu colo, aconchegado e quente, sedento de amor, pois te vejo mulher, que me preenche, com doce sabor, um gosto de tesão, composto a dois, como uma composição, a quatro mãos, que se debatem, nos corpos arrepiados, pelas idas e vindas, que os dedos traçam, à flor da pele, tecendo carícias, que nos despertam, para a cumplicidade, que se entregar, homem e mulher, sem preconceitos, assumindo um ao outro, com a intensidade, com a voracidade, que somente despertamos, quando descobrimos, que nos amamos, na flor deste momento, que regado desabrocha, mas que eternaliza, minha mulher amada, em mim cultivada...

48 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Amo teu jeito, teu ser sereno, teu sorriso contido, teu olhar aguerrido, tua força de vontade, tua alegria em viver, tua coragem em dizer, tua beleza em ser, a cada dia, a cada momento, a mulher que és, inteira e completa, repleta de emoções, que desperta, aos outros um tesão, por ser verdadeira, única e especial, mulher companheira, que acalenta paz, que reconforta no colo, o homem incapaz, de viver sem ti...

49 Minhas Verdades Cinco


Não cumpra pena, nem seja condenada, nem cause espanto, seja apenas o que é, mulher que sustenta, alimenta e retribui, uma alma perdida, que pensa desejar, razões que foram, perdidas na nuvem, sob a neblina, orvalhada, úmida pela garoa, abre teu ventre, recebe a semente, que te busca, fertilizar, sente a doçura, deste complemento, rente e intenso, um beijo carente, suprido e inocente, um toque diferente, que sustenta, a leveza em ser, mulher em minhas mãos...

50 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Teus olhos me invadem, alimentam minha alma, esquentam meu coração, sorriem com alegria, enriquecem a vida, partilham sentimentos, tens doçura nos olhos, a candura da loucura, insensatez da sanidade, sim tu és a mulher, que sem perda é achada, dentro de doce calma, revelando a intensidade, que somente invade, esta serena tranqüilidade, porque és a vulnerabilidade, que o homem teme, és a mulher inocente, capaz de renascer emoções, no limitado homem, és a mulher densa, que vive como fênix, ressurgindo das cinzas, repovoando a vida...

51 Minhas Verdades Cinco


O amor é algo especial, deve ser sempre cuidado, deve ser cultivado, mas nos dias atuais, onde os ditos racionais, tendem a complicar, o que é tão simples, amar é simplesmente amar, não tem nada mais, assim vejo nos teus olhos, a pureza da criança, que aprendeu a amar, sem medos ou receios, tens as estrelas no luar, como o céu a te olhar, por isso minha linda, amiga de peito aberto, sustenta teu amor, como a quem ama, por ser teu somente, como um presente...

52 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Tu és a construção, como também és, a reconstrução, no sentido exato, porque sabes aonde ir, tem garra no querer, um olhar fulminante, que esmaga intenções, destrói para renovar, como a fênix, das cinzas recria, és a sensibilidade, latente e itinerante, mulher de desejos, um desejo em forma, da mulher a ser amada...

53 Minhas Verdades Cinco


Aos desavisados e esquecidos, não entrem por este mundo, que mora esta mulher fatal, uma garota de sutilezas, que desconhece fraquezas, alimenta os sonhos mais loucos, é uma mulher de desejos, é um desejo de mulher, abre corações com o olhar, arranca do peito sentimento, explora caminhos românticos, esta mulher que se apresenta, uma menina doce e carinhosa, uma mulher fatal e perigosa, uma amiga que me deixa doido, faz destes olhos lindos, um paraíso no meu sonhar...

54 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Posso não ter um arco-íris, não ter as estrelas na mão, nem poder voar no céu, mas ficar sem ter, teu sorriso aberto, lindo e delicioso, é como deixar de respirar, tua doçura sustenta, a minha falta de vida, rega minha incoerência, em ser um cara lúcido, mas prefiro me dar louco, ao teu sentimento, porque és uma mulher, que arrebata aos homens, como a quem cultiva, sentimentos deliciosos, minha doce amiga, és a mulher de desejos, também és a mulher, do sorriso que desejo...

55 Minhas Verdades Cinco


Te olho com carinho, como a quem descobre, que a vida faz delícias, como a tua presença, como o fato de existir, te amo sem te conhecer, porque para mim, não existe um ser, mas sim um ente vivo, uma pessoa completa, repleta em dedicar, palavras a minha vida, insignificante e pouca, diante da tua, te amo de coração, como a quem ama a vida, porque traz em mim, sentimentos tão doces, que perco minha razão, és um convite em branco, pois jamais saberei, por que razões a amo, nem sei ao certo, o que te desperto, um conceito repleto, de incertezas, por certo, te amo sim, declaro aberto, porque para amar, devemos nos despir, de preconceitos, para ser ao outro, uma folha em branco, onde começa a história, escrita a quatro mãos... 56 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Nem todos possuem asas, nem os anjos negros, nem os cavalos alados, nem todos os Pégasus, nem todos os querubins, asas são para poucos, que ainda estão roucos, pelos silêncios omitidos, não te cria imagem nem semelhança, mas te revolta na esperança, no desespero da calmaria, porque o melhor a ser, na verdade é o aprender, que tudo existe porque tudo acaba, então, devemos ter em mente, que o destruir é reconstruir, por isso, destrua tudo, para ressurgir das cinzas...

57 Minhas Verdades Cinco


Tenho em mim uma mulher selvagem, que me devora a alma constantemente, faz de mim consciência feminina, mas me conduz a ser um homem melhor, revela-me as anuances e detalhes, no fato difícil de ser calmaria, na tempestade das relações humanas, a mulher que me habita explicita, que para ser homem tenho de sê-la, aos machos de plantão aviso-os, ao ignorar parte sua viva, ignora somente a capacidade, ao se dar ou doar a uma mulher, em ser inteiro e íntegro, pois mulher alguma admite, a traição e a deslealdade, principalmente ao homem, que se faz tão doce e amável, mas é hipócrita e desprezível...

58 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Admirado fico, perplexo, convexo, no anexo, teu sexo, no plexo, amor doido, desconexo, indexo, levo teu, extenso verbo, meu verso, vem então, provar nada, amor é dado, cuidado, sou levado, aos teus cuidados, lábios amados, calor desejado, estou apaixonado...

59 Minhas Verdades Cinco


Não amo como tu amas, porque tu amas diferente, tão diferente que me sinto gente, tão quente que me faço teu, por isso a deixo me amar assim, me entrego por inteiro sem medo, porque sei que não me magoarás, pelo contrário, me eternizarás, serei parte de tua alma, com a tua devida calma, por tanto me entrego a ti, docemente aceito teus carinhos, teus toques em meu corpo, tuas carícias reticentes, teus beijos emergentes, não tenho como amar igual a ti, porque meu amor te complementa, não compete nem discrimina, te encontra e te abriga, meu amor te ama completo, sem exigir nem repudiar, meu amor aprende com o teu, para que juntos cresçamos, e depois me chamam de romântico, não sei a razão...

60 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Hoje recebo em mim, a mulher a tanto desejada, pego em suas mãos, acaricio sua doce face, aproximo de seu corpo, ouso tocar seus lábios, sinto o calor de sua boca, valorizo este momento, tecendo carinho nos cabelos, sentindo na mão seu rosto, a respiração fica ofegante, ambos se permitem carícias, as mãos desvendam sentidos, devaneiam pelos corpos, os lábios percorrem o pescoço, num desejo que arrepia, sinto o que há muito inexistia, dôo-me sem pudor ou receio, entrego-me solto e compreendido, dispo de minhas vestes morais, para entrar e mesclar corpos, mas tudo que me contempla, começa a dissipar no ar, então percebo cruelmente, que estava a sonhar...

61 Minhas Verdades Cinco


As mulheres baixinhas, seram sempre melhores, basta vermos de perto, a historia recente, onde grandes caíram, Word Trade Center, nunca mais, ninguém quer, por isso, baixinhas sim, com o gosto delicioso, as baixinhas são demais, encaixam perfeitamente, são soberanas ao levar, ah, acima de tudo, são mais doces e amáveis, menos egoístas, mais confiáveis, por isso sou pelas baixinhas, hoje, como ontem e amanhã, pena que não consigo, uma só pra mim...

62 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Abro de mim, asas aladas, ungidas na dor, cristalizada, de tantas viagens, mordazes angústias, percursos vivos, em ti sobreviver, antes de morrer, pela idéia precisa, voraz imprecisa, que açoita alma, meu corpo despedaça, cântico de vento, cinzas, onde estão, recompor em mim, preciso sair, descasular, borboletar, acordar, amar...

63 Minhas Verdades Cinco


Na ânsia em viver, descobri razões, as vezes incertas, outras pequenas, muito além do querer, para pescar tempo, içando velas, de meus sonhos, planando solitário, como a quem nasce, pelos dias desnudos, vestindo paixões, eloqüentes, magia de mim, ser este plano, de cota máxima, sem dolo ou intenção, mas apenas ser, uma pluma vil, alçando alturas, na leveza da dor, redescobrindo, momentos perdidos, vivenciando, beijos queridos, doando, sangue de prazer, entregar, sempre sem medo, devotar, com respeito, encarar, de frente, olhos nos olhos, ser cúmplice, mesmo que distante, ser amante, 64 Gil Marcos Cordeiro Veiga


repouso adiante, nem temer, por ser, um desejo, brando, intenso, confesso, mas diluir, na sutileza das horas, com sapatilhas, de elefantes, na delicadeza, do voar leve, de beija-flores, amores, renovar, a quem vier, seja doce, amargo, sob a luz, do pecado, infinito, pragmรกtico, reluzente, dispo, preconceitos, para ser, devaneios, bem aceitos, pela mulher, tanto amada...

65 Minhas Verdades Cinco


Toda mulher é um criança, é a exata concepção em ser, as que não são estão mortas, pois a preservação em si, é a única forma de viver, quem deixa de ser não existe, ser criança não apenas etapa, é mais que tudo no mundo, a mulher criança é mais ainda, transforma tudo a sua volta, enriqueça a nossa existência, perpetua a vontade de viver, não mostra que a vida segue, a passos belos e pequenos, com a segurança reforçada, na mulher muito amada, pela criança preservada...

66 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Resumir poesia, concreta ou contemporânea, abstrata ou clássica, não interessa aos poetas, pois a criação é um prazer, que se iguala somente ao sexo, ao gozo com a mulher amada, ao beijo no canto da boca, ao tesão deliciosa do toque, abrindo devagarzinho as coxas, sentindo o calor molhado, brincando com o dedo safado, acariciar juntamente os seios, tecendo prazeres verdadeiros, sentindo o bico saliente, beijar a boca com volúpia, bailar com as línguas, ah, como é bom transar, sem esquecer do depois, fundamental a quem respeita, acolher a amada no colo, amparando-a com ternura, nada devendo falar ou tentar, apenas se fazer docemente presente, como o que lhe cabe, ser no mínimo um homem, vestido de vestes femininas, assumindo ser deveras amoroso, com a mulher que amas...

67 Minhas Verdades Cinco


Não quero correntes, abomino todas as prisões, detesto retaliações, quero longe hipócritas, mais longe insensíveis, não tente me amarrar, deixa de tentar prender, sou inafiançável, portanto inapreensível, nunca ouse me segurar, sou livre como o ar, caminho através de ventos, sussurrando alentos, nas areias sinuosas, das curvas pretensiosas, de estradas revoltosas, vidas demais de complicadas, mas não concebendo ater, muito menos tentar reter, deixo livre minha alma, liberto o meu corpo, escoro em minha solidão, a vitalidade em ser, em pelo menos tentar, alguém melhor para mim, alguém certo para outro, mesmo ao que tudo disse, nestas linhas tracejadas, te suplico firmemente, ignora tudo o que disse, jamais me deixe solto...

68 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Ouso ousar, te pintar, morenar, saborear, cultivar, paladar, voltar, reencontrar, atentar, revelar, carinhar, beijar, abraรงar, inovar, voar, levitar, caminhar, adular, vivenciar, falar, mordiscar, plenamente amar...

69 Minhas Verdades Cinco


Toco, sutilmente, eternamente, tua alma, para viver, intensamente, compulsivamente, dentro dela, retoricamente, caprichosamente, ao teu lado, sabiamente, realmente, neste vida, contundente, serenamente, te abraรงar, movendo pecados, inexistentes, para te deixar, mais consistente, na minha alma...

70 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Sou apenas um viajante nesta vida, um cara por vezes feliz ou não, talvez a vida seja provação, talvez ela seja mais provocação, talvez ela não seja nada, mas temos de reconhecer nela, algumas peculiaridades certas, amizades construídas, ouso te avistar assim, mulher que contempla, mulher que completa, mas como não ousar dizer, que acalenta carinhos, como a quem recebe-os, com alma transparente, mulher consciente...

71 Minhas Verdades Cinco


Amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo amo

amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar, amar,

72 Gil Marcos Cordeiro Veiga


amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, amo amar, porque aprendi, a te amar, me amando...

73 Minhas Verdades Cinco


Hoje resolvi não escrever, vou pintar um quadro, tirarei as tintas dos tubos, misturando-as uma a uma, e texturizando-as na tela, mas não quero um quadro comum, quero uma pintura completa, com cores, formas e vida, onde a expressão salte aos olhos, quero ver na tela amor, começo a minha pintura, lembrando do quanto amei, lembrando de quanto vou amar, lembro das pessoas, que por mim passaram, dos carinhos que recebi, da devoção sincera que dei, com pincel na mão vou pintando, as cores cobrem a brancura, da tela virginal, misturam-se cores e sentimentos, a tela toma forma, e nela começa a aparecer, uma imagem difusa, algo que não compreendo, continuo a pintar, as cores e emoções fluem, descontraio, sorvo uma taça de vinho, retomo a pintura, freneticamente, compulsivamente, e na minha frente, surge a tua imagem, a de mulher presente, da mulher infinitamente amada...

74 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Ao te acolher na alma, neste tenra amizade, abro as porta da casa, para que possas entrar, recebendo-a certeira, curvo na tua humildade, achego em teus carinhos, sou apenas um poetinha, que vive sem entender, por quantas a gente anda, sem rumo sem descuido, porque temos amigos, como tu que nos ampara, nos recolhe das dores, nos alivia dos medos, orgulho-me em ser teu amigo...

75 Minhas Verdades Cinco


Apenas um retrato, pintado sobre a vida, na tela do sentir, com cores da alma, unir ao crescimento, florir sentimentos, colher tenros momentos, esta pintura tênue, concretizada no carinho, juntos neste caminho, despojar de conceitos, retaliar preconceitos, acordo sereno no peito, afagado com respeito, como anjo criança fosse, nesta maternidade doce, que o ventre me impele, a contemplar na pele, a vontade em te parir, não longe de mim, mas para tê-la solta, na extrema cumplicidade, em que somente poucos, iluminados e sábios, aquecem na intensidade, reciprocidade do entender, virtudes que se alimentam, defeitos que nos tormentam, um ser lúdico e pleno, que na balada das horas, resolve ser o pêndulo, devaneando sobre o tempo, rico e precioso momento, que a cada qual nasce, seja rico ou pobre, seja de qualquer etnia, pois a claridade do saber, não é obtida sem o querer, conquistar um pouco de paz, na serenidade iluminada, cultiva esta fala parca, que de mim retrata, a cumplicidade, a entrega, a vida...

76 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Definir o beijo, hipocrisia pura, beijo se beija, beijo se sente, beijo se dá, beijo se entrega, beijo se revela, beijo se possui, beijo se conclui, beijo se despe, beijo se consome, beijo se veste, beijo se língua, beijo se toca, beijo se concede, beijo se pira, beijo se arrepia, beijo se comia, beijo se perdia, beijo se traria, beijo se vivia, beijo se despia, beijo se avalia, o quão bom, é beijar, melhor ainda, quando o beijo trocado, é certeiro no prazer, de que tudo pertencer, aos toques dos lábios, revelados nos arrepios, densos e desorientados, o beijo desejado, é momento único, alivia a alma, tira o chão dos pés, leva o ser às nuvens, nos deixa tolos, mas nos completa, sensíveis, irreversíveis... 77 Minhas Verdades Cinco


São acima da vontade, as remotas possibilidades, em te enrolar sempre, porque assim te parece, mas neste dia de festa, em que completa décadas, combinando por tantas épocas, as retóricas de o teu existir, e aos homens desavisados, tomem o máximo cuidado, esta mulher não brinca, nem admite que brinquem, com seu coraçãozinho, que foi muito machucado, por isso, as defesas postas, para se proteger dos homens, que não sabem que esta mulher, deseja ser amada profundamente, sem restrições ou dúvidas, mas que a entrega seja, no mínimo, recíproca, verdadeira e completa, é uma grande amiga, que amo muito...

78 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Prestem bem a atenção, esta mulher é linda, não somente no físico, mas em seu interior, tem alma gigante e bela, faz acontecer momentos, que sequer sentimentos, podem transcrever, tem na química a força, que remonta elementos, capaz de transcender, é mulher de cores e luzes, que cabe num retrato, a ser pintado pelo vento, pela delicadeza do ar, pois és a brisa doce, que justifica a vida, amenizando o calor, levando amor...

79 Minhas Verdades Cinco


Amo esta pessoa, clarividente de luz, que não teme ser, claramente o que é, mulher sincera, verdadeiramente, se mostra, interinamente, nesta vida nua, pois acontece, sempre que precisa, pela simpatia, riscado no quadro, branco do existir, tecendo amizades, compondo verdades, amar esta pessoa, é um ato lúcido, de entrega sincera, como ela é, uma presença, cada vez mais deliciosa, que descreve em si, a mulher que caminha, pela vida sozinha...

80 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Deliciosa morena, que me atenta, envaidece meu ser, repousa na minha alma, debruça em mim, devora-me sagaz, levanta-me viril, descobre que sou teu, homem incrustado, impregnado de ti, insaciado do teu doce, pois cada vez que desejo, aumenta minha vontade, em te querer mais, por isso minha morena, vem me resgatar, tirar de minha inÊrcia, vem povoar meu ser, perpetuar teu sabor, devorar meu corpo, como no teu me encontro...

81 Minhas Verdades Cinco


É chama que arde, neste intenso frio, na geleira das emoções, na fogueira das desilusões, plantei uma breve morada, que pensei inacabada, reproduzi mutilada, de forma conceituada, que não dizia mais nada, pois temia a voz que cala, ser expediente da fala, na imprudência rara, em ser humano na cara, que a lágrima retalha, feito faca em tom de navalha, rasgando o sorriso da malha, que fios densos ampara, acorda meu anjo e tapa, o buraco no céu de lata, junta os cacos da estrela, que ficou em destrata, olha meu anjo torto o flagra, do sol beijando a lua, pois a vida gira e gira, para de novo ser tua...

82 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Minha oração, perdida e acertada, Érika minha, que estais na terra, lânguida seja tua boca, devora-me em teu ser, tanto quanto meu querer, para nunca mais te perder, revela teus olhos, em conjunto com tua face, atinge meu peito, com a paixão intensa, deita comigo sempre, para que teu cheiro, fique impregnado em mim, como o doce de teu beijo, indescritível jasmim, Érika minha, de todos os dias, revela-se para mim, pois temo morrer, sem te conhecer...

83 Minhas Verdades Cinco


Me encanta esta felicidade, acima de qualquer coisa, porque nela repousa alegria, que a todos perto contagia, como esta linda simpatia, que veio neste eterno dia, regar nossas vidas queridas, falar desta mulher é fácil, não por ela ser simplificada, ela é mulher certa para a vida, incontrolável alegria, assim espero que um dia, na forma exata da amizade, possa ser contagiado de perto, pela mulher que ao longe, distante de meu afeto, já me assegura acolhida, então neste dia hiper especial, faço de mim teu presente, entrego em tuas mãos, a minha sincera amizade, para poder juntos, devotarmos a ela, com cumplicidade, com amor...

84 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Amo esta menina, amo de paixão, pois ela é amor, transmite vida, sorri com olhos, sorri com alma, é toda alegria, felicidade irradia, esta menina doce, que encanta, hoje completa vida, completa euforia, esta mulher querida, que em mim mora, dentro do coração, minha cúmplice, minha amiga, hoje dá mais um passo, para além de dias, quero poder ser, completamente teu, presente amigo, com eterno abraço, um beijo carinhoso, um colo acolhedor, para nunca deixar, a amizade terminar...

85 Minhas Verdades Cinco


Sou esta flecha lançada, aos sonhos dos loucos, que atormentam moradas, como que invadindo, nas noites caladas, as mulheres deitadas, como amantes desejadas, na concepção adocicada, poder desfrutar de beijos, acariciando doces seios, devotando a este altar maior, que a mulher representa, anseios de homens perdidos, em busca de uma religião, quero ser franqueado desta fé, sujeitar-me aos caprichos, poder acariciar as coxas, descobrindo tua volúpia, quero ser devoto da mulher, porque razão melhor não há, serei flecha de prazer, de tanto te querer, amar-te e viver, orar a mulher, perder-me...

86 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Cabe saber agora, como entendimento, que o teu querer, vive cerceado, pelo teu perder, numa construção de medo, que revela insegurança, numa referência à dança, onde os passos combinam, com o ritmo determinado, mas no existir isso inexiste, como dançar com a morte, ela não aceita regras, ela não permite diálogo, ela não te deixa passar, então somente resta, num momento de lucidez, voltar à minha insanidade, para poder compreender, que ao tentarmos viver, realizamos reconstruções, sem as quais relevamos, nossa finda concepção, de um existir pleno, devemos temer a vida, jamais a morte certa, porque morrem segundos, minutos, horas, dias, morrem amores e paixões, para num renascer, dar-nos prazer, enquanto vivermos...

87 Minhas Verdades Cinco


Minha doce amiga, neste teu dia, em que completas, não mais um ano, mas a todos nós, que ao teu lado, convivemos e vivemos, descobrimos alegrias, renovamos esperanças, confortamos tristezas, quero apenas me dar, de presente eterno, em infinita amizade, para poderes contar, sempre que desejar, com esta cara, que te ama sincero, como a quem ama, a liberdade tua, a tua individualidade, a tua vitalidade, sim, a amo na pureza, de sentimentos, que tua presença traz, ao me permitir, dentre tantos loucos, ser mais um insano, a te amar como ser, como pessoa humana, como amiga que és...

88 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Que esta mulher, de vestes olhar, abusa-me seduz, revela-se audaz, pela ternura, entrego-me capaz, não quero provar, quero ser provado, com a tua sede, a saciar totalmente, como homem revelado, que por ti foi acordado, de uma inércia, és mulher perfeita, que minhas mãos, trêmulas e receosas, acariciam com carinho, descobrindo aos poucos, a pureza revelada, poder em teus lábios, caprichosamente, pelos meus beijados, repousar prazer, em completa entrega, sem máscaras ou jogos, ser teu homem, como se fosse preciso, fazer-me mulher, para totalmente, entender-te...

89 Minhas Verdades Cinco


Cubra-me de ternura, aqueça-me com carinho, abraça-me com desejo, beija-me com afeto, dispa-me com calma, revele-me com prazer, acaricie-me com vontade, morda-me com sedução, quero ser teu inteiro, sem perder a emoção, para que no meu tesão, possa percorrer teu corpo, com beijos molhados, descobrindo teu ser, a cada beijo dado, dos pés à cabeça, como somente tu permites, compreender a essência, de te preencher, com paciência, de amor...

90 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Sou um completo incompetente, pois hoje, neste dia que é tão único, tão especial, não pode te dar presente, não pode te dar uma flor nem um cartão, sou um desastrado, porque hoje, somente posso lhe dar o que há de mais puro dentro de mim, meu sincero amor. um amor pautado na amizade e na cumplicidade, que onde quer que estejas, pois meu coração sempre te abrigará e te confortará. que as distâncias sejam reduzidas a pó, porque para quem tem a entrega sincera, ela inexiste. sou irresponsável por não te dar uma lembrancinha, mas sou mais irresponsável ainda por deixar aberto para ti um abraço sincero, um colo reconfortante, um beijo carinhoso, um sorriso estampado. por isso tudo, mesmo sendo incompetente, desastrado, irresponsável, quero dar a mim de presente em teu dia, um amigo para todas as horas..

91 Minhas Verdades Cinco


Não faço promessas, pois não posso cumpri-las, não prometo ser alegre, porque a tristeza me acolhe, não prometo ser feliz, porque sofro de amor, não prometo ser doce, porque a vida amarga, mas posso tentar ser, um pouco de tudo, posso tentar ser um amigo, posso tentar ser um amante, posso tentar ser um namorado, posso tentar ser tua felicidade, mas não posso ser, tua incapacidade em me amar, tua descrença na cumplicidade, tua revolta pelos que te machucaram, tua cala em nosso diálogo, por isso, preciso entender, para poder te compreender, as razões que te afastam de mim, se me entrego pleno e sincero, se me devoto ao conviver, se me desprendo de preconceitos, quero saber por que, não me acolhes em ti, não me beija com tesão, não me abraça com força, não se deita com amor...

92 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Fecunda a minha idolatria, por ti orei e pressentia, que neste altar de euforia, em mim tu caberias com maestria, vinde e adentra minha alma, que em ti repousa e acalma, nesta vida insana do trauma, que nem a sanidade se presenteia, mas cobre meu corpo em tua teia, sem me perder em teu corpo doce, quero poder viver a intensidade, que neste teu corpo de mulher, a minha voracidade se emana, quero poder em teu corpo de mulher, sentir-me o maior dos homens, sem que o conceito se preconceitue, quero poder em tua alma sedenta, confortar a tua sede em mim, nĂŁo desejo somente a mulher, mas quero poder tĂŞ-la inteira, mesmo sendo a tua maneira, mas que seja ao vivo, que possamos nesta tela, virginal e em branco, distribuir as cores, que somente loucos, perdidos no amor, sabem colorir, amantes...

93 Minhas Verdades Cinco


São teus olhos, neste ser lindo, que ao teu sorriso, fico a ti entregue, sou pássaro sem asas, porque não tenho rumo, meu caminho é fecundo, pela estrada que vou, nela te encontro, carregando minhas asas, para que possamos juntos, ir além da estrada, então me renova em ti, faz com que as asas se abram, na infinita capacidade, em te reviver a cada dia, como qualquer um desejaria, ter sempre tua alegria, nesta sala aberta, que o coração desperta, para te dar morada, guarida e proteção...

94 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Canta neste canto, que teu espanto, em poder cantar, virá ao peito, soltando a tua voz, que neste dado momento, em canto que canta, a todos encanta, porque é a voz, que ao teu canto, destranca o pranto, dos que ouvem o canto, não te soas ao cantar, as posições do amar, porque mesmo ao adorar, que teu canto encanta, teu amar maior levanta, recobre as alturas, que tua voz encanta, por cantares assim, reclina teu corpo, para que o meu, possa cantar harmonia, na eterna simpatia, de que amantes fazem, um cantar pelo canto, um amar pleno de amor, somente a isto conforta, a existência de nós, que tua boca não cale, que tua voz ecoe, que teus lábios desatem, um beijo doido em mim, quero reencontrar, todas as minhas vestes, que tu me deste, para despir minha alma, em meu corpo amar, perpetuando teu ser...

95 Minhas Verdades Cinco


Sou o mais claro idiota, um cara que abre mão, sem a menor condição, da felicidade ao alcance, da mulher amada distante, da vida insegura constante, só posso ser um grande idiota, que ainda acredita no amor, onde mora a verdadeira alegria, onde dois podem construir, o mais lindo sonho no real, mas sou um enorme idiota, porque ainda acredito, que as pessoas se entregam, com verdadeira sinceridade, com devoção inabalável, na completa cumplicidade, mas realmente sou um idiota, daqueles que acreditam, que o ser humano existe, na sua verdadeira humanidade, que ele quer um mundo melhor, onde possamos viver com intensidade, a verdadeira vontade de amar, sem que tenhamos mágoas ou medos, sem que precisemos pedir desculpas, porque não cometeremos mais erros, sem que precisemos nos calar, porque nossos olhos falaram, e nossas almas se comungaram...

96 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Vai de mim, esta dor insana, que alimenta, a fome do sofrer, sentado à mesa, sorvendo a mim, em pedacinhos, em pequenos goles, esta imensurável, dor que vivo, pelo deixar, de te viver, teus olhos, não sorriem mais, tua boca, não fala de amor, teus ouvidos, não escutam meus carinhos, teus braços, não me recebem mais, tuas mãos, não aceitam mais as minhas, esta dor é torturante, corta mais que diamante, estraçalha meu ser, não consigo respirar, porque sem ti, o ar se foi, quero voltar a amar, mesmo que seja pouco, feito um louco, para te encontrar, no novo renovar, pois ao que passou, resta apenas enterrar, não alimenta mais, esta dor voraz, vem comigo agora, sorrir com teus olhos, para poder de novo, em tua boca reviver... 97 Minhas Verdades Cinco


Se tenho as lágrimas, derramadas sobre a face, pela tristeza invadida, no espaço da alegria, não devo simplesmente, abrir meus lábios e sorrir, para poder um pouco, pertencer ao entardecer, de minha paixão fecunda, sob a lua que veleja, no céu que te observa, perco de mim a ausência, da esperança em poder ser, um bravo a lutar com forças, para percorrer a estrada, que sustenta minha morada, em direção ao teu paraíso, poder nele me deleitar, como em teu corpo amar, descobrindo a mulher, que revela ao homem, a exata condição, em ser mulher, cada vez mais, para poder amar...

98 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Acordo todas as manhãs, mesmo que sejam duas da tarde, com a certeza que o mundo, perdido e desencontrado, terá achado seu caminho, mas ao reparar no concreto, percebo que tudo é incerto, pois ninguém sabe ao certo, porque somos tão desafetos, ignoramos o que há de perto, como o carinho sempre presente, dos mais queridos e ausentes, mas sabemos que somos videntes, em nossa própria obscuridade, pois somente como clarividentes, poderemos compreender nossas vidas, que há muito se perdeu nas emoções, não vividas e pelos outros sentida, quero somente poder nesta vida, que seja me concedido o direito, em poder escrever meus versos, para semear um pouco de alegria, nos corações perdidos e incertos, que encontramos em nosso dia a dia...

99 Minhas Verdades Cinco


Hoje me debruço sobre o tempo, que insiste em querer voar, para adiante de meu passado, como se fosse este meu pecado, de existir em plenitude sagaz, que era mais jovem e voraz, sendo um amante muito capaz, hoje tenho pleno em mim, os prazeres que bem colhi, mesmo aqueles que perdi, pois não fui atento suficiente, para acontecer sem merecer, mesmo tendo sido despojado, excluindo todos os preconceitos, apenas sendo eu mesmo, para me doar com pureza, cobrindo de delicadeza, teu corpo com sutileza, vendo que o tempo desfaz, o que tento te dar melhor, que é minha eterna presença, no sexo que tenho a crença, em não ser apenas um a mais, mas ser mais que os demais, pois nada é comum em ser, quando está em meu querer, há de este tempo me esquecer, para sempre ser teu viver...

100 Gil Marcos Cordeiro Veiga


Minhas Verdades Cinco