Issuu on Google+

Saúde & Longevidade Saúde & Saúde &

1

Longevidade Terapias Alternativas e Qualidade de Vida

Ano I Noo 02

Setembro de 2009

EXCLUSIVO! EXCLUSIVO!

Medicina AYURVÉDICA Entrevista Entrevista com com o o Dr. Dr. Bokkulla Bokkulla Ramachandra Ramachandra Reddy Reddy

Como Como Desenvolver Desenvolver a a Intuição Intuição Novidades Novidades da da Ciência Ciência

Saúde Saúde para para T Todos: odos: VENCENDO VENCENDO O O CIGARRO CIGARRO

Cones Chineses

O O que que tem tem em em um r cigarr um cigar cigar ro? o? cigarr

Você, Gripe Suína e Saúde - A V erdade Verdade erdade Fitoterapia: Fitoterapia: BABOSA BABOSA Cultura: Cultura: GUIA GUIA DE DE COZINHA COZINHA JAPONESA JAPONESA

Cobertura Cober tura do I CONGRESSO INTERNACIONAL ARTES DE AR TES MARCIAIS E MEDICINA CHINESA

O Yoga Yoga e o Caminho do Auto-conhecimento


2

SaĂşde & Longevidade


Saúde & Longevidade

3

SHOU XI

Editorial

Bem-vindo ao Século XXI O que você tem em mãos é o resultado de quase 20 anos de dedicação minha ao mercado editorial, especificamente voltado para cultura oriental, e de mais de 1500 anos de evolução do sistema de impressão de publicações, dos blocos entalhados da China ao sistema digital com distribuição pela internet. Saúde & Longevidade tem uma longa trajetória. Começou em 2002, com um boletim impresso em papel com apenas 16 páginas. Fez um sucesso muito grande mas teve que ser interrompido bruscamente em 2003, quando o estouro no valor do Dólar fez o preço do papel disparar. Tornou-se inviável prosseguir com a publicação. Mas a idéia persistia: produzir um material de alto nível tanto para terapeutas quanto para pessoas leigas que se interessem por terapias alternativas, medicina oriental e qualidade de vida. Em 2007 editamos experimentalmente o primeiro número de Saúde & Longevidade, já digital, repetindo a matéria de capa com o Mestre Liu Chih Ming, que julgamos de grande valor. Contamos também com a presença de vários especialistas importantes em matérias inéditas e conseguimos um resultado muito bom. Mas ainda não era o que esperávamos. O mercado digital ainda engatinhava, o sistema de PDF (Portable Document File - Arquivo de Documento Portátil) ainda era pouco conhecido de grande parte dos internautas. Na verdade os brasileiros ainda não eram tão presentes na web. Mas tudo isso mudou em apenas dois anos. Hoje somos mais de 40 milhões de internautas que passam mais tempo no computador do que assistindo TV. Navegamos e trocamos e-mails por celular, levamos o Netbook para toda parte e muitos lugares públicos contam com redes sem fio para navegação livre. Passamos os dias navegando em blogs, Orkut, Facebook e Twitter. Este é o momento! Agora Saúde & Longevidade chegou para ficar. Uma publicação mensal trazendo até você os melhores especialistas falando sobre saúde, qualidade de vida, terapias alternativas, medicina oriental, ecologia e sustentabilidade, cultura oriental, filosofia e conhecimento. Muito conhecimento. E tudo isso para você, de graça, entregue em sua caixa postal eletrônica. Participe. Se você é terapeuta ou profissional de alguma área vinculada ao nosso trabalho, envie artigos e notícias para nós. Se tiver uma escola, clínica, ou algum produto, faça um anúncio. É barato e nos ajuda a manter a qualidade máxima. Se é apenas um leitor, divulgue e distribua a revista para seus amigos. Venha conosco caminhar firmemente no século XXI. Gilberto Antônio Silva Editor

Para nos representar e ao nosso ideal elegemos a figura de Shou Xi, o Imortal da Longevidade. Venerado pelos chineses, a figura do vetusto sábio é dado aos aniversariantes como um símbolo de uma vida longa, saudável e feliz. É o que desejamos a você.

Nesta Edição: 10 Cones Chineses 11 O Yoga e o Caminho do Autoconhecimento 18 Você, Gripe Suína e Saúde A Verdade 21 O que tem em um cigarro? 22 Cobertura do I CONGRESSO INTERNACIONAL DE ARTES MARCIAIS E MEDICINA CHINESA 26 Como Desenvolver a Intuição Seções 04 Fitoterapia: BABOSA 05 Entrevista: MEDICINA AYURVÉDICA 12 Ciência 14 Cultura: GUIA DE COZINHA JAPONESA 17 Saúde para Todos: VENCENDO O CIGARRO

Saúde &

Longevidade Revista digital de Saúde, Terapias Alternativas e Qualidade de Vida

Esta revista é uma publicação de Longevidade (www.longevidade.net) Apoio:

Editor: Gilberto A. Silva (Mtb 37.814) Produção e Diagramação: Studio 88 participe: Comente, opine, par ticipe: revista@longevidade.net


4

Saúde & Longevidade

Babosa Nome científico: Aloe vera, Aloe barbadensis. Nome popular: Aloés, erva babosa, caraguatá, erva azebra. Descrição: herbácea que atinge de 60 a 90 cm de altura, perene, com talo único, folhas alongadas grossas e suculentas com espinhos que circundam suas laterais, assemelhando-se a serrilhas e com final de pontas agudas. Algumas espécies apresentam flores vermelhas em cachos, mas de preferência, devem ser usadas para o uso medicinal as espécies de flores amarelas. Seu habitat: locais ensolarados e secos; solos arenosos. Partes utilizadas: folhas, polpa e seiva. Modo de extração das partes medicinais: Cortar as folhas frescas na base , lavar e enxugar a água rapidamente. Deixá-las em pé em um recipiente para escorrer o suco amarelo (seiva). Esta seiva deverá ser seca ao sol. Durante a secagem, sua cor amarela se altera para o vermelho e depois escurece quando totalmente seca. O bloco formado deverá ser armazenado em vidros escuros fechados . Após a retirada da seiva, remover a casca da folha e fatiar a polpa branca que deve ser colocada em uma vasilha de louça ou vidro. Guardar ao abrigo da luz solar, calor, pó e umidade, ou em geladeira. Usos e Propriedades: suas folhas e principalmente seu sumo fresco são muito eficazes quando aplicados diretamente sobre eczemas, inflamações, queimaduras e queda de cabelo, pois atua como emoliente (amaciante da pele), cicatrizante e anti- inflamatório. Princípios Ativos: glicosídeos antraquinônicos (em especial a aloína); mucilagens e taninos.

Regina Regina Setsuco Setsuco Akiyoshi Akiyoshi Contra-Indicações: o uso desta planta por via oral é contra- indicado para gestantes e deve ser feito com muito cuidado nos casos de afecções uterinas, cistites, prostatites, desinterias, hemorróidas e colites. No caso interno, não se deve utilizar mais do que 4 gramas de folhas secas em pó ou uma colherinha (chá) de suco em água. Dicas caseiras para utilização: - Contra o vício de roer unha ou chupar o dedo: passar o pó ( após a secagem) ou o suco amarelo da babosa na ponta dos dedos. - Fissura anal – uso externo: em ½ litro de água em fervura, coloque 1 colher de sopa da polpa branca da folha fresca. Desligue o fogo e coe. Faça banhos de assento ainda morno, durante à noite por vários dias. - Inflamações; queimaduras; cicatrizações em geral: retire a polpa branca de 1 folha inteira e amasse em um pilão até adquirir a consistência de um creme. Aplique três vezes ao dia sobre o local afetado e cubra com papel manteiga ou plástico transparente. Deixe agir por 1 hora e em seguida lave com água fria. - Problemas digestivos (estomacais, hepáticos, vesiculares, intestinais): coloque em 1 xícara (chá) de água fervente, uma fatia pequena da polpa branca da folha fresca. Abafe e coe. Tome pela manhã, em jejum por 5 dias. - Queda de cabelo, brilho.: retire a polpa branca de um pedaço da folha fresca e acrescente um copo de água fervente. Abafe por 15 minutos em coe. Lave a cabeça e, em seguida aplique o caldo no couro cabeludo, massageando ligeiramente. Deixe agir por mais ou menos 1 hora. Enxague com água morna. Regina Setsuco Akiyoshi é Bióloga com pós-graduação em Fitoterapia pelo IBEHE e em Patologia Clínica pela Universidade São Judas


Saúde & Longevidade

Entrevista

Medicina AYURVÉDICA Esta entrevista INÉDITA e EXCLUSIVA para Saúde & Longevidade foi feita com o maior especialista em Medicina Ayurvédica no Brasil, Dr. Bokkulla Ramachandra Reddy. Pessoa extremamente simpática, sábia e acessível, o Dr. Bokulla nos fala sobre vários princípios da Medicina Ayurvédica e esclarece mitos sobre alimentação e saúde na Índia.

O que significa “Ayurveda”? Essa é uma palavra do sânscrito que significa Ayur=Vida e Veda=sabedoria, conhecimento, ciência. Ayurveda significa então “Ciência da Vida” ou “Sabedoria da Vida”. Qual a coisa mais fundamenental na Medicina Ayurvédica? Ayurveda engloba a ciência natural, a ciência global e a ciência pessoal. Isso varia de pessoa para pessoa, não é igual para todos. Por exemplo, dor de cabeça. A medicina convencional dá Novalgina para todas as pessoas e não vai profundamente nas causas da dor. Para uma pessoa a dor de cabeça pode ser estresse, para outra pode ser indigestão, em outra pode ser insônia. Pela Ayurveda tentamos estudar o problema em cada caso. Essa personalização utiliza o biotipo? Sim, o biotipo. A natureza da pessoa, a constituição da pessoa, sua dieta, hábitos. Muitas coisas influenciam a pessoa: onde moram, o tipo de criação, os pais, os vizinhos e amigos, etc.. Principalmente o pai e a mãe. E são três os biotipos indianos? Geralmente são três biotipos com os cinco elementos, também. Principalmente Terra, Água, Fogo, Ar e Éter ou Espaço. Os cinco elementos são divididos em três humores ou três biotipos (Doshas). Usamos três dedos no pulso e sabemos o que ocorre nos cinco elementos. Cada dedo explica um tipo de humor: o indicador indica o Vatta, o ar, espaço ou éter. O médio explica o Pitta, o fogo, a água. Anelar indica Kapha, terra e água. Colocando três dedos abaixo do polegar podemos saber como estão os três humores e os cinco elementos. Onde estão bloqueados e se podem ser curados, se não podem e se precisa de manutenção. É similar à medicina chinesa? Parecido, mais ou menos, não exatamente similar. Na China tem os 5 elementos mas não tem ar e éter e tem madeira e metal. São diferentes. Pulsação é diferente também: te-

mos 25 tipos de pulsação. Não posso explicar muito sobre essas diferenças porque sei pouco sobre medicina chinesa. Minha formação é indiana, mesmo. O seu folheto menciona tratamentos para câncer e AIDS. Como funciona? A Ayurveda não vai por esses nomes. Tratamos os desequilíbrios nos três humores que causam doença. Se um deles está desequilibrado, é mais fácil curar. Se são dois, é mais difícil. Todos os três fica muito difícil. A Ayurveda não trata doenças com nomes, como aqui. Isso é algo que descobrimos recentemente, esses nomes. Tratamos os desequilíbrios energéticos, e não as “doenças”. Prepara-

5


6

Saúde & Longevidade mos a pessoa, seu corpo, para que faça a sua própria cura. Aconteceu uma vez quando dei uma palestra em Vitória (ES), que um médico chegou e disse que tinha câncer no fígado e disse que ninguém curava ele, nem eu. “Sou médico e testei em dez laboratórios e quero experimentar”. Tudo bem, a gente testa e se não curar não precisa pagar, eu disse. Depois de seis meses ele ficou curado. Não acreditou, fez muitos exames em laboratórios diferentes e não foi encontrada nenhuma lesão em seu fígado. Tem outro caso em Campinas, com vários sistos, e com cirurgia marcada. Mas estava com medo. Como não havia nenhuma urgência, remarcou a cirurgia para daí a três meses e ficou esse tempo se tratando comigo. Depois voltou ao médico e foi constatado que não havia mais sistos, nem necessidade de cirurgia nenhuma. Então depende do biotipo que está alterado. Mas cada pessoa não possui apenas um biotipo? Os biotipos aparecem sempre em combinações: com dois ocorre bastante, com três são raros. E só um é muito raro. Também existe tratamento para devolver a cor original aos cabelos... Sim, também temos esse tratamento. Na medicina ocidental dizemos que há uma deficiência de melanina no cabelo, por isso está com a cor alterada. Na Ayurveda temos Pitta (Fogo) que é responsável pelo brilho e a cor natural dos cabelos. Então, corrigindo o Pitta, retornamos a cor natural. Não precisa ficar branco com a idade. Quando está corrigido o que precisava, a volta ao natural ocorre. A Medicina Ayurveda utiliza bastante os óleos. É necessário sempre estarem aquecidos? Nem sempre. A temperatura do óleo vai depender do temperamento da pessoa. Às vezes é mais quente, às vezes é mais fria. As ervas utilizadas junto com os óleos também devem combinar com os biotipos. Sem esses cuidados, não funciona. A Massagem Ayurvédica que é ensinada hoje no Brasil faz parte da Medicina Ayurveda? Em nossa medicina temos 13 tipos de massagens. Essa, mais popular, não utiliza os biotipos, não usa 100% das características dos temperamentos. Não faz mal e pode prevenir muitos problemas, mas não consegue curar algo já existente. Para fazer uma medicina completa precisamos estudar o biotipo e saber o tipo de óleo, temperatura, tipo de ervas, horário e outros detalhes. Então a consulta é marcada de acordo com o horário de cada biotipo? Sim, marcamos a consulta segundo as características de cada um.

A Medicina Ayurveda é muito antiga, não? Muito antiga. Cerca de 10.000 anos de história. Ninguém acredita, porque não era muito divulgado. O conhecimento médico passava de pai para filho. Era bem guardado. Há cerca de 5.000 anos começaram a aparecer textos referentes à essas práticas e hoje temos escolas e livros. Essa medicina se baseou muito nos trabalhos do sábio Susruta? Não exatamente em Susruta. Temos três grandes patriarcas: Charaka, pai da medicina, que trata de clínica geral; Susruta, é o Pai da Cirurgia, fazendo inclusive operações de catarata e criando a sutura usando grandes formigas que mordiam o ferimento, fechando-o; e Wabata, que juntou clínica geral com cirurgia. Foi Susruta quem definiu o mapa com os 108 Marmans, pontos de cura? Sim, foi ele, porque era cirurgião. E descobriu onde podia ou não cortar ou apertar. Mas se ele é do século VI apenas, como se fazia essa medicina na antigüidade? Tudo era observado pela pulsologia. Depois eles espetavam pontos, mas não os identificavam. Foi o trabalho de Susruta que definiu os nomes e aplicações de cada ponto. Até ele, não se tinha certeza dos pontos corretos. Então ele codificou os pontos? Sim, ele organizou esse conhecimento, testando cada ponto em vários problemas, com sua pressão correta. Mesmo


Saúde & Longevidade no Ocidente, Susruta é tido como Pai da Cirurgia, inclusive a cirurgia plástica.

Quando sair da mesa sem muita fome e sem se sentir inchado.

O Yoga entra também na Medicina Ayurvédica? Entra, são ciências irmãs. Também estou lecionando técnicas de Yoga em São Paulo. É muito bom para equilibrar a pessoa. Eu ensino algumas posturas, que combinadas com respiração funcionam muito bem. Precisa tomar cuidado porque tem academias ensinando de qualquer jeito, mais dança que Yoga.

Também tem que misturar os seis sabores: doce, ácido, salgado, amargo, adstringente e picante. Isso dá uma dieta balanceada. Você combina os seis sabores e indiretamente você está balanceando proteínas, carboidratos, vitaminas. E fica sabororso.

A Medicina Ayurveda se baseia na filosofia védica? Se baseia completamente nos Vedas. Temos quatro Vedas: Rig, Sama, Yajur e Atharva. Nossa medicina vem desse último Veda. Os Vedas mostram várias técnicas e conhecimentos. Ele é o fundamento da Medicina Ayurveda. Como funciona a parte dietética? A dieta é muito importante. Sem alimentação não tem Ayurveda. Primeiro descobrimos o biotipo, e de acordo com o biotipo damos um regime alimentar com suas regras. Toda medicina tem que seguir uma alimentação correta. À princípio vamos às regras gerais, pois dieta não significa apenas emagrecimento, mas toda pessoa deve seguir uma dieta correta dependendo de suas características. Quando comer, como comer, o que comer, onde comer, são básicas. Por exemplo, quando comer: quando sentir fome. Muitas pessoas dizem que não sentem fome, mas tem que obedecer horários adequados, depois o próprio corpo acostuma, fica disciplinado. Se você fizer café da manhã todo dia às 7 horas e depois de alguns meses parar, às 7 horas você sentirá falta do café da manhã. Já estará disciplinado. Quanto comer, depende de cada pessoa, não tem uma regra fixa, apenas explicamos que deve manter 3/4 do estômago cheio, apenas. Como sabemos isso, como medimos?

O que comer? Posso comer qualquer coisa que aparecer? Não. Tem que seguir a natureza, a sua personalidade. Temos tudo tabelado, dependendo da pessoa, o que pode e o que não pode comer, de acordo com o biotipo. Por exemplo, uma pessoa Pitta. Pitta significa “fogo”, pessoas de fogo, então pimenta vermelha, pimenta do reino, qualquer coisa ardida, mesmo alho e cebola, aumenta mais o fogo. Então tem que cortar. Isso sobrecarrega a pessoa? É, quanto mais sobrecarga, mais fica bravo. Então tem que comer coisas mais suaves, mais leves. Essa é a base. Onde comer? Qualquer lugar serve? Não, a Ayurveda não recomenda comer na rua nem em um restaurante qualquer. Tem que ter ambiente tranquilo, sem correria. Não pode comer vendo televisão, lendo jornal, não pode. Tem que ter concentração na comida. Comida dá saúde para a gente, se não se concentra nela, atrapalha a metabolização do alimento. Essas são as regras gerais, que são depois mais direcionadas para cada pessoa. Entregamos uma tabela para cada um com o que pode ou não comer para dar saúde. Como grande parte da filosofia indiana prega o vegetarianismo, como fica para a Ayurvédica a questão da carne? Carne para a Medicina Ayurvédica não é problema. Proteína a pessoa precisa, mas o tipo de proteína deve ser esco-

7


8

Saúde & Longevidade lhido em função do biotipo. Por exemplo, Kapha não pode comer, porque são de terra/água, carne aumenta peso e os “terrenos” já são fortes, densos por natureza, lentos. Carne aumenta essas qualidades e pedimos então para reduzir ou evitar o seu consumo. Outro tipo de personalidade, como Vatta, é ar/éter, ficam magros, finos, então precisam. Nós mesmos indicamos que tem que comer três vezes ao dia. Sobre carne, não existe nada contra na Ayruvédica, então pode comer. Não importa o bicho? Carne de boi, frango, porco, peixe, é tudo a mesma coisa? (risos) Carne branca, vermelha, tudo a mesma coisa. A quantidade é que nós indicamos: uma vez por semana, duas ou três vezes por semana, algumas pessoas podem todo dia. A quantidade é o que indicamos, o tipo pode ser qualquer uma que ele goste, não tem diferença. Se a Ayurvédica tem essa visão, de onde vem essa idéia de que o indiano é sempre vegetariano? Isso vem da filosofia. A filosofia, a religiosidade, é que diz que não pode matar, a vaca é sagrada, isso vem do tipo de fé, por isso 80% dos hindus são vegetarianos. Alguns comem também frango e peixe, carnes brancas. Mas isso é só fé. Quando se estuda medicina, ciência, não tem explicação que justifique. Quando a gente estuda a gente não pode se basear na fé. Quando a consciência acorda, tem que entender. A Ayruveda não diz “não pode comer” porque a gente trabalha com o homem. Quem precisa, tem que comer; quem não precisa, procura proteína em outra fonte. Isso é muito importante porque a cultura indiana não é divulgada de modo amplo. Então se criam idéias erradas à respeito dela. A medicina ayurveda não tem essas idéias, é uma ciência voltada à vida. As pessoas falam das toxinas da carne. Isso não tem problema? Não tem problema! Toxinas todo alimento tem. Verduras tem, legumes tem. Em todo lugar tem toxinas. Temos é que poder aguentar, preparar o corpo para isso. São Paulo tem poluição, a gente tem que se preparar para isso. O corpo aguenta essas coisas. E açúcar, também é muito combatido. Dependendo do biotipo pode ser usado? Açúcar também. Açúcar mascavo, mel, açúcar branco, todo mundo que precisa, nós indicamos. Por exemplo Kapha, tipo mais terreno, engorda facilmente então não aconselhamos. Outros tipos deixamos à vontade ou sob certos limites.

Como fica a Medicina Ayurveda, com toda essa sabedoria, a nível popular na Índia? Essa medicina é bem conhecida e bem aceita na índia. Há 200 anos, com a colonizaão inglesa, eles tentaram introduzir outro sistema, vindo da cultura do Ocidente. Mas se une em total acordo com a medicina ocidental. Ayurveda é uma medicina sem efeitos colaterias, sem contra-indicação. Na medicina alopática, quando se dá um anti-inflamatório a pessoa fica com dor de estômago, depois dá outro remédio para isso. É algo sem fim. A Ayurveda não funciona assim, tira o problema e pronto. Por isso todo mundo utiliza essa medicina na Índia. A Ayurveda ainda é a base na saúde da Índia, hoje em dia? Sim, 100%. Lá é diferente daqui onde medicina chinesa e outras são terapias alternativas. Lá a base é a Medicina Ayurvédica e outros sistemas representam muito pouco. Inclusive a medicina ocidental? Sim, a medicina alopática é utilizada quando se necessita, em emergências. Mas em 90% dos casos se evita entrar em outro sistema.


Saúde & Longevidade No caso de nós, brasileiros, é necessário fazer alguma adaptação para usar a medicina ayurvédica? É, alguma coisa. Eu tive grande dificuldade quando cheguei aqui no Brasil, em Goiânia, tudo era o contrário, muito diferente. Foi preciso uma adaptação. Alimentação diferente, natureza diferente, mentalidade diferente. Depois descobrimos um jeito, porque 100% como na Índia, aqui não funciona. Tivemos que ter maneiras mais suaves. Por exemplo, se dizemos para não fumar, o paciente briga e não faz, então dizemos para reduzir, que vai melhorar a saúde. Eles reclamam que na Ayurveda isso não pode, aquilo não pode, não pode, não pode. Eles falam que se não beber, não sair a noite inteira, eles não tem vida. Isso você pode fazer no momento, mas depois, quando envelhecer, vai trazer problemas crônicos como diabete, pressão alta, tensão. Aqui quando você manda, ninguém obedece. Então tem que liberar alguma coisa para poder obedecer as linhas gerais. O senhor acha nossa dieta muito irregular? Sim, não tem proporção do que precisa, muitas coisas misturadas, não tem combinação correta. Isso dá muitos problemas. Aqui a maioria tem problemas de evacuação por causa destes hábitos de alimentação. Corrigindo, resolvem o problema. Não tem nenhuma regra específica, só criamos uma rotina diária. Tem que seguir as recomendações, pois tem que seguir a natureza, caso contrário fica doente, desequilibrado. Isso é o que corrigimos. Mas tem que ensinar um pouco por dia. Realmente. Mas a Índia levou milhares de anos para chegar aí, não? (risos) Verdade, Aqui ainda estão em 450, 500 anos. Pouca coisa. Ainda um nenê. Tem que crescer, amadurecer, ampliar a cabeça. Faz parte da cultura, não? Sim, aqui não se pensa no amanhã, só no hoje. Depois, amanhã vai ver... O senhor mencionou a acupuntura indiana. Isso é em relação a pontos ou utilizam agulhas, mesmo? Os antigos utilizavam só pontos para apertar, dinamizar, estimular. Agora se usam agulhas também, da mesma forma que na medicina chinesa, japonesa. Mesmo tipo, mas pontos um pouco diferentes, os Marmans. Se utiliza em com-

9 binação com ervas medicinais, também. Colocam-se agulhas dentro de ervas e depois utilizam nos pontos.

É muito difícil utilizar a fitoterapia indiana no Brasil? Difícil, muito difícil. Ainda não tem muita popularidade e o público não obedece regras. E quando não obedece regras o resultado não é tão bom, então dizem “ah, isso é bobagem. Vou tomar uma Novalgina e isso sara na hora”. Mas para a Ayurveda demora um pouco porque estamos lidando com a natureza. Eles não tem tanta paciência. Agora há poucos anos tem aumentado a receptividade, mas vai demorar um pouco ainda. O senhor tem que importar todas as ervas da Índia? Por enquanto, sim. O Brasil tem bastante flora, mas falta pesquisar bastante. Quando estava em Goiânica pesquisamos poucas plantas, umas 300 plantas. Muito pouco. Não se pode plantar algumas destas ervas aqui? O nosso clima é parecido com algumas regiões da Índia. Isso nós também pensamos quando estivemos em Goiânia. Trouxemos várias sementes e temos algumas plantas que se aclimatam, cresceram bem. Mas a quantidade ainda não é suficiente. Tem que ampliar muito. O senhor, pessoalmente, teve algum problema para se adaptar ao Brasil? Não. A Índia tem, em cada estado, uma língua e cada pessoa é diferente, então é fácil se adaptar às diferenças de um país estrangeiro.

PERFIL Dr. Bokkulla Ramachandra Reddy nasceu na India e é doutor em Medicina Ayurvédica pela Universidade de Osmania-Andra Pradesh - Índia. Vive no Brasil há 20 anos, com experiência médica de mais de 40 anos. Pós-graduado e doutorado em técnicas de purificação fisiológica, rejuvenescimento e longevidade (Panchakarmas). Possui larga experiência na India, Europa, Estados Unidos e América Latina. Por muitos anos, junto com Deepak Chopra, foi discipulo de Maharishi Mahesh Yogi, mestre espiritual indiano, responsavel por apresentar a meditação transcedental ao Ocidente. Site oficial: http://www.medicinaayurvedica.com.br/


10

Saúde & Longevidade

Cones Chineses Desobstrução das vias respiratórias Susi Kelly Benevides O que são os Cones Chineses? Esse método é milenar, conhecido com vários nomes Cones Hindu, Canudos de Hopi, Vela de Ouvido e alguns outros nomes. È encontrado no mercado fabricados em tecido fino (tipo morim, fralda, gaze) banhado em parafina e ou cera de abelha. Com os Cones Chineses parafinados, também podemos limpar a energia e desobstruir nossos canais energéticos, facilitando os acontecimentos desejados. Normalmente sua aplicação é feita no ouvido. Coloca-se fogo na parte superior do cone em seguida encaixa no ouvido, inicia-se ai a aplicação. Internamente desce uma fumaça morna, essa fumaça, juntamente com o suave vácuo promovido pelo cone é que terá o efeito de desobstruir a via respiratória, popularmente chamada de limpeza dos ouvidos. Durante a aplicação com os Cones, esse vácuo mobilizará todo o muco dessas passagens internas (sinus, face, frontal, etc), nos dias seguintes a pessoa poderá per-

ceber maior eliminação do muco, sendo colocado para fora através de espirros. Precisamos eliminar de alguma forma o muco existente nesses canais. O cone nada absorve ou elimina do corpo, costumo dizer que ele é apenas um instrumento facilitador da eliminação do muco existente em nosso aparelho respiratório, veja esse sistema nas figuras abaixo. Com a pesquisa intensa no processo de aplicação com os Cones Chineses, e com a revelação / descoberta que a cera depositada internamente após a queima NÃO É DO OUVIDO E SIM PRODUZIDO POR ELE MESMO DURANTE A QUEIMA. Com essa certeza de nada sair do ouvido, desenvolvemos o cone em vidro, no qual além de ser muito mais higiênico, menos arriscado (pois nada desce internamente), ele nos auxilia nas mesmas queixas que os parafinados / cera de abelha. Pode ajudar na melhora de dores de ouvido, alguns tipos de zumbido, água no ouvido, alergias respiratórias, dores de cabeça / enxaqueca e muito mais....

Susi Kelly D. Benevides é Terapeuta, pesquisadora e escritora sobre os Cones Chineses. Atendendo em SP, ministrando cursos por todo o Brasil. É autora de “Cones Chineses - A Antiga Técnica de Desobstrução e Limpeza”. Site oficial: http://www.susikelly.com


Saúde & Longevidade

O Yoga e o Caminho do Auto-Conhecimento Muitas são as pessoas que buscam a Yoga para suprir alguma necessidade pessoal, como dores nas costas, estresse, depressão, problemas de concentração, ansiedade, excesso de peso etc. Entretanto, observo que quando essas pessoas começam a praticar Yoga, elas entram totalmente em contato com aflições e dores internas e externas. No início, a mente julga, os pensamentos não param e a agitação do corpo é bem evidente. Porém, a medida que o indivíduo vai praticando e se entregando durante as práticas, sem expectativas e sem cobranças, algo vai surgindo de muito especial. Nota-se que os pensamentos se acalmam, o corpo relaxa e os olhos e todo rosto são tomados por um brilho especial. A partir de então, todo o processo será cada vez mais prazeroso e divertido. A prática da Yoga conscientiza-nos dos apegos e daquilo que não está harmonioso em nossa vida. As práticas não se restringem só nas aulas, pois a aula é apenas uma referência básica para você mesmo dar continuidade no seu dia-a-dia. A vida pode ser conduzida com amor, respeito e presença. E, portanto, durante as aulas enfatizamos totalmente estes princípios de amor, respeito e presença. É comum as pessoas sentirem as impressões do passado, as aflições do presente ou as ansiedades do futuro que são estados internos que limitam a fluidez na vida, co-

11

Elaine Lilli Fong

locando a pessoa na separatividade. Yoga é União. União dos sentidos e das percepções, do interno com o externo, do Eu com você. É desprendimento do meu, do eu, do “eu tenho que”. É abertura e renovação. Só é possível praticar Yoga através da disciplina, continuidade e dedicação. Muitas pessoas se auto-sabotam pela preguiça, pela dúvida, indiferenÁa, indisponibilidade, falta de vontade de crescimento pessoal, medo ou insegurança entre tantos outros. É comum começar algo e logo se deixar levar para a negatividade, portanto é de sua responsabilidade manter o foco e sustentar qualquer comprometimento consigo mesmo. A disposição para passar por esse processo é fundamental e os benefícios surgem gradualmente. Nos damos conta das nossas limitações apenas quando estamos prontos para realmente enfrentá-las. Enfrentar (estar em frente a) é apenas estar lá, presente, sem desviar. Depois de algum tempo é possível perceber que não existe limitações, e que elas eram apenas ilusões criadas pela nossa própria mente. Sempre há um novo caminho e esse caminho pode ser o AMOR. Depende apenas de você fazer esta escolha.

Elaine Lilli Fong é professora de Yoga no Instituto União http://www.institutouniao.com.br/yoga Fonte: www.artigos.com


12

Saúde & Longevidade

Ciência

Agência FAPESP

Molécula contra diabetes e obesidade Os pesquisadores observaram que esMais de 180 milhões de pessoas em sas células, chamadas de células todo o mundo têm diabetes tipo 2, a forenteroendócrinas TGR5, controlam a sema mais comum da doença. E o total concreção do hormônio GLP-1, que tem patinua crescendo em um nível alarmante, o pel crítico no controle da função pancreque tem levado centros de pesquisa em ática e na regulação dos níveis de açúcar diversos países a tentar encontrar alterno sangue. nativas de combate ao problema, que tem Kristina e Auwerx trabalharam em conentre seus principais fatores de risco a junto com Roberto Pellicciari, da Univerobesidade. Grupo internacional demonstra sidade de Perugia, na Itália, que desenUm grupo internacional de pesquisapotencial de uma proteína volveu um ativador para a TGR5, chamadores acaba de apresentar um potencial específica na redução de peso e do de INT-777, em colaboração com a candidato: a proteína TGR5. Os cientistas tratamento da obesidade. Estudo foi empresa Intercept Pharmaceuticals, dos descobriram que sua ativação é capaz de publicado pela Cell Metabolism Estados Unidos. reduzir o ganho de peso e de tratar o diO grupo demonstrou que – em testes condições abetes. O estudo foi publicado neste mês na revista Cell laboratoriais em camundongos – a TGR5 pode efetivamenMetabolism. te tratar o diabetes e reduzir a massa corporal. Os autores Um trabalho anterior do mesmo grupo demonstrou que também mostraram que esses efeitos estavam relacionaácidos biliares (produzidos no fígado e que quebram as dos ao aumento tanto da secreção da GLP-1 como do gasto gorduras), por meio da ativação da TGR5 em tecidos musenergético. culares e adiposos marrom, foram capazes de aumentar o Segundo os pesquisadores, os resultados apontam para gasto de energia e de prevenir, ou até mesmo de reverter, uma nova abordagem no tratamento do diabetes tipo 2 e obesidade induzida em camundongos. da obesidade. A alternativa proposta é baseada no aumenNo novo estudo, o grupo coordenado pelos professores to da secreção de GLP-1 por meio da administração do Kristina Schoonjans e Johan Auwerx, da Escola Politécnica ativador da TGR5. Federal de Lausanne, na Suíça, examinou o papel da TGR5 O artigo de Kristina Schoonjans e outros pode ser lido no intestino, onde essa proteína é expressada em células por assinantes da Cell Metabolism em especializadas na produção de hormônios. http://www.cell.com/cell-metabolism.

Produção de radiofármacos no Recife A Unidade de Produção de Radiofármacos (Upra) do Centro Regional de Ciências Nucleares do Nordeste (CRCN-NE) foi inaugurada no último dia 11 de setembro, na Universidade Federal de Pernambuco, no Recife. Trata-se da primeira unidade do Nordeste que produzirá o FDG, um radiofármaco utilizado em tomografias de emissão de pósitrons (PET), técnica para a identificação de tumores em estágio inicial e que também pode ser usada em outras áreas da medicina, como cardiologia e neurologia. No Brasil, até agora produziam o FDG apenas as unidades da Comissão Nacional de Energia Nuclear localizadas em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, além de uma instituição privada em Brasília. Em sua capacidade máxima, a Upra, que poderá fornecer o radiofármaco para mais de 20 tomógrafos no Nordeste, poderá beneficiar mais de 50 mil pacientes por ano. A previsão é que, com o início da produção, outros hospitais públicos e particulares da região também adquiram tomógrafos PET.

A Upra poderá atender ainda centros médicos de outros estados além de Pernambuco, entre os quais os hospitais de Campina Grande e Natal, que já demonstraram interesse, além de servir de base para estudos científicos em parceria com universidades, indústrias e institutos tecnológicos e de pesquisa do Nordeste. O Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Cetene), responsável pela gestão do CRCN-NE, iniciou suas atividades em 2005 com o objetivo de incrementar e introduzir inovações tecnológicas que tenham caráter estratégico para o desenvolvimento econômico e social do Nordeste. A infraestrutura do Cetene é composta por laboratórios multiusuários de biotecnologia, nanotecnologia e microeletrônica. Ainda que alguns radioisótopos sejam encontrados na natureza, sua concentração é muito pequena para as aplicações práticas. Por isso, todos os radioisótopos hoje empregados nas mais diversas atividades da medicina, agricultura e indústria devem ser sintetizados. Para isso a partir de elementos encontrados na natureza e, por meio de reações nucleares apropriadas, o radioisótopo é produzido em aceleradores de partículas. Mais informações: http://www.cetene.gov.br


Saúde & Longevidade

Ciência

13

Agência FAPESP

Alta diluição em foco Por Fábio de Castro O campo emergente e multidisciplinar da pesquisa sobre altas diluições acaba de ganhar, por iniciativa brasileira, seu primeiro espaço de divulgação científica. A revista eletrônica International Journal of High Dilution Research (IJHDR), foi lançada em Oostende, na Bélgica, no dia 20 de maio do ano passado. O editor-chefe do novo veículo, o físico Carlos Renato Zacharias, do Departamento de Física e Química da Faculdade de Engenharia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Guaratinguetá (SP), fez o lançamento durante o 22º Simpósio do Grupo Internacional de Pesquisa sobre o Infinitesimal (Giri, na sigla em francês), sociedade internacional e multidisciplinar dedicada à troca de experiências em diversas áreas relacionadas às altas diluções, incluindo a homeopatia. Dentro do tema de altas diluições, a publicação trimestral divulgará trabalhos nas áreas de física, química, biologia, medicina, veterinária e agronomia, de acordo com Silvia Waisse Priven, uma das integrantes do grupo multidisciplinar que concebeu o projeto da revista. “A pesquisa em altas diluições é um campo emergente que se estendeu, a partir do campo tradicional da homeopatia, para diferentes disciplinas e aplicações. A revista terá o papel de centralizar os trabalhos feitos sobre o tema em todas essas áreas, além de tratar de aspectos epistemológicos”, disse à Agência FAPESP a pesquisadora que acaba de defender doutorado em história da ciência tratando do tema, na Pontifícia Universidade Católica (PUCSP). Segundo Silvia, a homeopatia, formulada na Alemanha no século 18 e hoje reconhecida como especialidade médica, tem seu estatuto de ciência continuamente contestado por se utilizar de preparados com diluição acima do número de Avogadro, a constante física que torna possível calcular o número de moléculas em uma amostra com uma certa massa de uma substância. “Apesar disso, essas soluções ultradiluídas têm efeitos biológicos que ainda precisam ser explicados. Eles têm sido objeto de intensa pesquisa básica realizada, não por médicos, mas por físicos e químicos, que também têm constatado esses efeitos”, disse. As pesquisas sobre altas diluições, segundo Silvia, tem

aplicações em áreas como medicina, veterinária e agronomia. “Quem trabalha nesse campo é freqüentemente questionado sobre onde está a pesquisa que lhe dá base científica. A dificuldade em se mostrar esses resultados decorre do fato de se tratar de um campo multidisciplinar, portanto, seria preciso rastrear a produção científica em publicações de inúmeras áreas. A revista ajudará a centralizar esse material”, afirmou. Outro objetivo do veículo eletrônico, segundo ela, é uniformizar a nomenclatura utilizada na área. “Como se trata de uma área emergente, ainda há necessidade de uniformizar a nomenclatura. Por exemplo: os médicos falam em dinamizações e potências, os pesquisadores básicos falam em ultradiluições, outros ainda falam de soluções diluídas e agitadas”, apontou. A publicação, segundo Silvia, surgiu a partir da revista impressa Cultura Homeopática, cujo conteúdo será integralmente disponibilizado na revista eletrônica. A nova publicação deriva de uma parceria entre o Giri e a Unesp de Guaratinguetá, que dará o apoio eletrônico. O veículo adotará o processo de revisão por pares e terá acesso aberto. As descobertas na área de altas diluições, de acordo com a pesquisadora, concentram-se por enquanto em observações experimentais e estão sendo desenvolvidos métodos para interpretar os fenômenos e produzir novas pequisas. International Journal of High Dilution Research: http://www.feg.unesp.br/ijhdr.

Nossa seção sobre ciência é uma parceria de Saúde & Longevidade com a Agência FAPESP, órgão de divulgação científica. Visite o site e mantenha-se informado sobre o que acontece na ciência.

http://www.agencia.fapesp.br/

Ag


14

Saúde & Longevidade

GUIA DA COZINHA JAPONESA Hoje, especialmente em São Paulo, existe uma intensa proliferação de restaurantes dedicados à cozinha japonesa. Tida como uma das amais saudáveis, bonitas e saborosas, os seus pratos conquistam paladares novos a cada dia e forma frequentadores assíduos. Mas muitas vezes vemos uma grande quantidade de tipos de pratos chegando e não sabemos exatamente o que é. Ou pegamos um cardápio e não conseguimos ligar o

nome que vemos com aquele delicioso enroladinho de alga que experimentamos da outra vez. Seria um sushi, um makisushi ou um ura-maki? Para ajudar nessa dúvida cruel elaboramos um pequeno guia rápido de cozinha japonesa, para que você possa identificar o que está comendo. E conseguir fazer seu pedido com toda a convicção! Bom apetite.

Bentô – não é exatamente

Sashimi – fatias de peixe cru diversos tipos, embora os mais apreciados no Brasil sejam o salmão e o atum. Essas carnes possuem seu próprio sabor característico, que é bem apreciado sem o cozimento.

um prato da cozinha japonesa, nem é encontrado em restaurantes, mas é importante que se conheça. Trata-se de uma pequena refeição com itens variados, colocados juntos em uma caixa ou recipiente (no Brasil é comum encontrar bentôs em bandejas de isopor lacradas com filme plástico). Pode-se dizer que é o ancestral da “quentinha” de hoje em dia, embora seja comido frio. Existem bentôs que são verdadeiras obras de arte montadas com diferentes tipos de quitutes.

Sushi – é o prato mais famoso, mas sua denominação muitas vezes é utilizada para variações diferentes, como o maki-sushi (enrolado com alga). O Sushi propriamente dito é um bolinho de arroz com uma fatia de peixe cru em cima, podendo ser peixe branco, salmão, atum ou mesmo polvo, lula, enguia, camarão e outros ingredientes.

Makizushi – uma espécie de rocambole de arroz enrolado em alga marinha (Maki = enrolar) e com vários tipos de recheios, que derivam nomes diferentes, como veremos a seguir.

Oniguiri – um bolinho de arroz compactado, muitas vezes sem tempero nem outros ingredientes. É utilizado como acompanhamento em refeições diversas e nos bentôs.

Futomaki – arroz enrolado em alga marinha e com recheios variados.


Saúde & Longevidade

Kappamaki – arroz enrolado em alga marinha e com recheio de pepino

15

Hot Roll – espécie de cruzamento entre makizushi e harumaki, que pode ser frito ou empanado, com arroz e diversos recheios enrolados em alga marinha. Criação ocidental.

Harumaki – Tipo de pasTekkamaki - arroz enrolado em alga marinha e com recheio de peixe cru

tel comprido, frito, conhecido no Brasil como “Rolinho Primavera”

Giozá – mini-pastel dobra-

Uramaki – a palavra sig-

do, frito ou assado no vapor, geralmente com recheio de carne e legumes.

nifica “enrolado ao contrário” e é o mesmo sushi enrolado, mas com o arroz do lado de fora e a alga por dentro.

Tempurá – camarão e leTemaki - arroz enrolado na mão ( Te = mão) em alga marinha com formato cônico e com recheios de peixe cru ou variados

California Roll - arroz enrolado em alga marinha e que leva maionese e recheios de frutas frescas e verduras, criado nos EUA. O exemplo ao lado tem kani, ovo, alface, abacate, ovas de peixe e maionese, entre outros ingredientes.

gumes empanados em uma massa muito leve e fritos. Acredita-se que seja um alimento de origem portuguesa, inserido no século XVI, e utilizado para substituir a carne durante a quaresma, sendo o nome uma contração de “tempo de orar”.

Yakitori – espetinhos grelhados (yaki = grelhado) com molho especial, geralmente de frango mas que podem ser mais variados: miúdos, carne de boi, frutos do mar e até legumes.


16

Saúde & Longevidade

Teppanyaki – carne com verduras e legumes grelhado na chapa e servidos nessa mesma chapa.

Menrui – o popular macarrão, originalmente um prato chinês mas que não falta na mesa japonesa. Existem vários tipos, veja abaixo os principais. Sobá - macarrão de trigo sarraceno, longo, fino e escuro

Sukiyaki – é um cozido de carne, legumes e verduras feito em uma panela na própria mesa em que é servido, como uma refeição coletiva.

Yakissoba – macarrão grelhado na chapa, com legumes e pedaços de carne. É um prato originalmente chinês mas que tem grande popularidade no Brasil.

Lamen – o mais conhecido por causa de sua versão instantânea (o popular “miojo”). Um dos mais populares do Japão, é amarelado e fino.

Udon – macarrão branco e grosso que é utilizado com diversos caldos em uma grande variedade de pratos e sopas.


Saúde & Longevidade Saúde para Todos

Dr. Alessandro Loiola

VENCENDO O CIGARRO Há alguns anos, foi realizado um estudo para avaliar a capacidade “viciante” das drogas mais comuns. Ao analisar os questionários a partir de padrões internacionais de Saúde Mental, os pesquisadores descobriram que 15% dos usuários regulares de cocaína poderiam ser considerados “viciados” na droga. Utilizando os mesmos critérios, 90% dos adultos e 87% dos jovens que fumam pelo menos uma vez ao dia também preencheram a classificação de Vício. A conclusão da pesquisa? A nicotina vicia tanto quanto a cocaína. Ou até mais. Sim, não é fácil vencer o cigarro. Mas isso não significa que seja impossível. Metade dos adultos que tentam de verdade, consegue. E o segredo deste sucesso, que não é nada do outro mundo, pode ser resumido em 3 passos simples:

Por volta do décimo dia, as crises de abstinência se tornarão quase imperceptíveis. Para lidar com a Abstinência, você deve manter uma alimentação regular, consumir bastante suco natural de frutas e procurar atividades que lhe distrai- am, como jardinagem, ouvir uma música calma, arrumar seus CDs ou o guarda-roupa, sair para uma caminhada, tomar um chá de camomila, etc. Lembre-se sempre que, apensar de desconfortáveis, os sintomas da Abstinência são temporários, mas as lesões causadas pelo cigarro serão para sempre.

FAÇA SUA LISTA E PARE DE VEZ É por causa da sua saúde? Quer reassumir o controle sobre sua vida? Ser um exemplo para seus conhecidos? Faça uma lista dos seus motivos e cole-a na porta da geladeira, consultando-a várias vezes ao dia. No dia seguinte, pare de fumar. Mais de 90% de todos os ex-tabagistas pararam por conta própria, sem acupuntura, antidepressivos, adesivos ou chicletes de nicotina. Simplesmente decidiram. E pararam. Não se engane com a conversa de que você começou a reduzir o número de cigarros, está parando pouco a pouco e que isto demonstra seu controle sobre o vício. Na verdade, isto demonstra, sim, o total controle do Vício sobre você, e provavelmente logo estará fumando a mesma quantidade de antes. Pare de uma vez só.

MANTENHA A MEMÓRIA ACESA Aproximadamente 90 dias após parar de fumar, sua capacidade pulmonar terá aumentado 30%! Atletas trabalham a vida inteira para conseguir resultados que são uma mínima fração disso. Após 10 anos sem cigarro, o risco de você morrer por câncer nos pulmões é praticamente o mesmo da população em geral. Mas manter-se livre do cigarro é um compromisso de honra para toda a vida. A memória é traiçoeira e você pode terminar esquecendo o que lhe levou a parar de fumar. Não deixe que isto aconteça. Consulte diariamente sua lista de motivos. Escreva uma nova quando a antiga estiver desbotando. Evite consumir qualquer forma de bebida alcoólica, pelo menos durante os primeiros 3-6 meses: a bebida irá reduzir sua capacidade de auto-crítica, aumentando risco de um deslize. Muitas rotinas inocentes podem desencadear aquela vontade irresistível de fumar. Falar ao telefone, dirigir, tomar café, discutir, trocar um pneu furado.... os sintomas de abstinência podem se insinuar onde você menos espera. Resista sempre e concentre-se em avançar 60 minutos por hora, 24 horas por dia, um dia de cada vez. Bilhões de pessoas já passaram por isso e venceram. Você também consegue.

AGUENTE FIRME OS PRIMEIROS 10 DIAS Ao abandonar o cigarro, você poderá sentir irritabilidade, ansiedade, insônia, tremores, fadiga, dores de cabeça, tosse, sensação de garganta seca, constipação intestinal, azia, gastrite e coriza. Estas manifestações fazem parte dos sintomas de Abstinência causados pelo corte no fornecimento de nicotina. As primeiras 72h são as mais críticas: algumas pessoas chegam a experimentar uma crise de abstinência a cada 2-4 horas. Apesar de incômodas, as crises duram apenas de 3 a 5 minutos – mais ou menos o tempo que você levaria para fumar um cigarro. Cerca de 4 dias após o último cigarro, mais de 90% de toda a nicotina acumulada em seu corpo terá sido eliminada, e os sintomas da abstinência diminuirão bastante.

Dr. Alessandro Loiola é médico, escritor e palestrante, autor dos livros “Vida e Saúde da Criança” e “Crianças em forma: saúde na balança”. É colunista de Saúde & Longevidade e atualmente reside e clinica em Belo Horizonte (MG). Fonte: http://br.groups.yahoo.com/group/saudeparatodos/

17


18

Saúde & Longevidade

Você, Gripe Suína e Saúde – A Verdade

Gilberto Antônio Silva

Hoje somos constantemente bombardeados com notícias alarmantes sobre a chamada “gripe suína” (ou “Gripe A”, para preservar os pobres animais deste karma). Muitas vezes essas notícias nos chegam de modo bastante alarmista e sensacionalista, como se fosse a “peste do século”, capaz de dizimar a humanidade. Não é bem assim. Primeiramente a taxa de mortalidade está se mantendo abaixo da mortalidade da gripe comum – menos de 0,1% de óbitos para a gripe normal e 0,004% de mortalidade para a Gripe A. Para comparação, a Gripe Aviária, que apareceu na Ásia há algum tempo, possui mais de 60% de óbitos. O que impressiona os especialistas é que a Gripe A é um novo tipo de vírus, que contêm quatro elementos genéticos: duas partes de vírus suíno, uma parte de vírus aviário e uma parte de vírus humano. No momento ela é muito branda, mas se voltar futuramente pode estar bem mais forte, como ocorreu na Gripe Espanhola em 1918, que matou 50 milhões de pessoas em todo o mundo. O grande problema da Gripe A é sua capacidade de contágio muito alta, o que leva à grande propagação em pouco tempo. Certo, colocamos as coisas em seus lugares e vimos que é necessário algum cuidado mas sem pânico. Agora vamos tratar do que NÃO se diz nas notícias. Não se preocupe com a gripe, com a doença, mas com a SAÚDE. A Medicina Oriental procura manter a pessoa saudável e não curar doenças, simplesmente. A medicina ocidental foca quase totalmente na doença e a mídia gosta muito dessa parte. Se você se concentrar mentalmente em doença, é doença o que terá. Vamos ver o que podemos fazer para manter o nosso foco na saúde.

eleva a espiritualidade da pessoa, é feito de coração, e sua aura se torna mais forte e robusta.

“O senhor não daria banho a um leproso nem por um milhão de dólares? Eu também não. Só por amor se pode dar banho a um leproso” Madre Teresa de Calcutá A energia de defesa, ou Wei Qi segundo a Medicina Chinesa, se localiza logo abaixo da pele e serve como barreira entre o corpo físico e elementos externos, atuando como nosso sistema defensivo, além de aquecer os músculos e regular a temperatura corporal. Quem controla o Wei Qi dentro da Medicina Chinesa é o Baço/Pâncreas, responsável pela retirada do Qi dos alimentos e cuja emoção correspondente é o pensamento constante, a preocupação. Por isso a preocupação excessiva e uma alimentação desregulada enfraquecem o Wei Qi, parte importante de nosso sistema imunológico. Defesas Orgânicas Você já deve ter ouvido falar um monte de coisas sobre o sistema imunológico orgânico. O que mais atrapalha a nossa defesa contra vírus é sua grande capacidade de mutação. O sistema imunológico trabalha como chaves em fechaduras: quando se combinam as “chaves” de nosso corpo com as “fechaduras” dos agressores, estes são vencidos. No caso dos vírus, suas “fechaduras” mudam constantemente, forçando nosso organismo a fabricar vários tipos de “chaves” para poder vencê-los. Isso causa um desgaste do organismo, que pode enfraquecê-lo ao ponto de impe-

Defesas Energéticas Para um agente contagioso chegar até nosso corpo ele tem que atravessar dois sistemas energéticos: a aura e a energia de defesa, chamado de Wei Qi pelos chineses. A aura é um campo bioelétrico externo formado por diversas frequências e que atinge por volta de 1,20m de diâmetro em pessoas saudáveis. Quanto mais forte energeticamente a pessoa, maior o diâmetro de sua aura. Uma pessoa com uma aura forte pode resistir melhor a ambientes infecciosos. Cansaço, estresse, alimentação deficiente e transtornos emocionais reduzem o poder da aura. Muitas pessoas que se dedicam a tratar enfermos, de forma caritativa, passam anos em contato com pessoas infectadas por vários tipos de doenças e não adoecem. Madre Tereza de Calcutá é um exemplo. Isso ocorre porque este tipo de atendimento E o porco paga o pato...


Saúde & Longevidade dir sua vitória final ou facilitar o alastramento de outros inimigos, que se aproveitam desse enfraquecimento. O resultado pode ser fatal. Esse sistema de defesa orgânica está intimamente ligado ao nosso sistema energético, fazendo com que nossa capacidade de proteção esteja sujeita aos nossos estados emocionais. Tristeza, depressão, estresse, exaustão são estados que podem enfraquecer nosso sistema imunológico. Essa relação entre as células e energia foi demonstrado experimentalmente ainda na década de 1920 por Georges Lakhovsky, um engenheiro russo radicado na França. Veja, estamos falando em estudos instrumentais, científicos, e não em “misticismo” como se coloca muito por aí. O trabalho extraordinário de Lakhovsky demonstrou que uma estimulação energética, no caso dele dentro de frequências eletromagnéticas, NAS CÉLULAS SAUDÁVEIS resolvia problemas de saúde, particularmente o câncer. Observe que, ao invés de atacar as células inimigas ele fortalecia as células sadias. O que ele “descobriu” é o que médicos chineses e indianos afirmam há milênios: devemos fortalecer o corpo e nos concentrarmos na saúde ao invés de nos concentrarmos em combater a doença. Ao final dos experimentos de Lakhovsky com células vivas, pessoas e plantas, ele se aproximou da idéia de uma energia universal sutil ainda não detectada cientificamente mas de existência inquestionável. Conhecemos isso como Qi.

O vilão da história: imagem microscópica do vírus H1N1

Mantendo a Saúde Para se manter saudável a primeira providência é não se preocupar com doenças. Se você fizer sua parte não precisará pensar em perda de saúde. A preocupação com as doenças drenam seu sistema energético e abrem as portas do corpo para... doenças! No caso da Gripe A, não existem grandes métodos de prevenção, sendo que o que os médicos mais recomendam é lavar bem as mãos ao chegar da rua. Ora, isso é higiene pessoal básica, não é? Pois é. Então não precisa se preocupar com muitos cuidados extra. edite Procure firmar seu pensamento em saúde e acr acredite nisso. Faça todos os dias uma afirmação do tipo “Sou uma pessoa saudável e disposta. Minha energia é abundante e estou em sintonia com o Universo. Nada pode me afetar. Estou centrado(a) e emocionalmente equilibrado(a)”. Repita isso algumas vezes, em várias ocasiões durante o dia. Um tipo equivocado de mentalização seria “Sou forte e não vou ficar doente. Nenhuma doença pode me vencer”. Nessa afirmação você usou “doente” e “doença” e é nessas palavras que nosso subconsciente vai se prender. Sempre que for montar alguma afirmação, use fatores positivos e nunca negações de problemas. Negar um problema sinaliza que ele existe! Procure algum tipo de atividade que trabalhe corpo e energia, como Tai Chi Chuan, Qigong, Yoga. Isso amplia sua força orgânica em geral. Na verdade qualquer atividaosamente funciona muito bem. Tudo o de física feita prazer prazerosamente que se torna uma obrigação deprime nosso sistema energético e emocional. Faça algo de que goste, seja Karatê, dança de salão ou ping-pong. Muitos alimentos são excelentes para fortalecer o sistema imunológico e preservar nossa saúde. Fuja das neuroses alimentares modernas como a aversão a carne vermelha, gordura animal e a nefasta contagem de calorias. Procure se conhecer melhor e saber qual alimento faz bem e qual faz mal para você. Não é para o vizinho, o seu médico, o motorista do ônibus nem sua sogra. Para você. Além de saber o que é bom para você, alguns alimentos possuem características melhores ou piores no que se refere ao sistema imunológico. Evite todo tipo de aditivo alimentar como corantes e aromatizantes. Isso inclui a “saudável” margarina. Coma manteiga, que é natural e sem aditivos (não escute as bobagens que se falam sobre a nefasta “gordura animal”). Refrigerantes são pouco recomendáveis por serem em sua maioria artificiais e gasosos. Bebidas gasosas não devem ser consumidas durante as refeições. Pode utilizar sucos naturais, mesmo com açúcar, pois é mais saudável. Dentre os aditivos alimentares não recomendáveis se encontram as vitaminas sintéticas. Não se iluda com as ”bolachas vitaminadas” e prefira verduras, legumes e frutas variadas. Estes, sim, são fontes saudáveis de vitaminas e sais minerais.

19


20

Saúde & Longevidade A vitamina A é importante e pode ser encontrada na cenoura, abóbora, fígado, brócolis, manteiga e na gordura de diversos peixes como salmão e sardinha. A vitamina C é antioxidante e aumenta a resistência às infecções. Não se limite aos cítricos como laranja, limão e acerola, mas procure caju, repolho, pimentão. Oligoelementos também são importantes, como o zinco e o selênio. Duas das melhores fontes de oligoelementos, que eu particularmente recomentes e leites fer mentados do, são o fígado e a salsinha. Iogur Iogurtes fermentados (pro-bióticos) ajudam a flora intestinal. O alho é fundamental por ser agente bactericida. É o melhor amigo do sistema imunológico e deve ser consumido de preferência cru. Se não conseguir, passe ele rapidamente em uma frigideira ou chapa sem óleo, para grelhar um pouco. Ele enfraquece seu aroma e fica menos ardido, mantendo seus benefícios. e também é excelente pois fortalece o sistema O gengibr gengibre imunológico e é um tônico poderoso para o corpo todo, especialmente nas épocas mais frias como inverno e outono e que aumentam a nossa exposição aos vírus. Azeite de oliva é outro aliado de nosso organismo. Procure os azeites com acidez inferior a 1% e não se preocupe com as calorias. Pode consumir em saladas ou colocar um fiozinho dele sobre o prato feito. Ele melhora o sabor dos alimentos e é extremamente saudável.

nativas como acupuntura, cristais, As terapias alter alternativas massagens, auriculoterapia, costumam ser preventivas e devem ser procuradas regularmente, mesmo que você não esteja sentindo nada. Quando notar um estresse aumentado, um cansaço físico persistente, procure um terapeuta. Não espere os danos aparecerem... Tenha certeza de que, ao seguir a recomendações que demos neste artigo, você estará distante dos perigos da Gripe A e muitos outros problemas. Esqueça a doença e viva com saúde.

Gilberto Antônio Silva é parapsicólogo e terapeuta com 30 anos de estudos e práticas dentro da cultura oriental. É Taoísta e divulgador desta filsofia, tendo escrito várias obras como ”26 Dicas de Saúde da Medicina Oriental”. Site oficial: http://www.longevidade.net


Saúde & Longevidade

O QUE TEM EM UM CIGARRO??

21


22

Saúde & Longevidade

I CONGRESSO INTERNACIONAL DE ARTES MARCIAIS E MEDICINA CHINESA Completo sucesso! No primeiro final de semana de agosto próximo passado realizou-se em São Paulo o 1º Congresso Internacional de Artes Marciais e Medicina Chinesa. O evento foi promovido por Zhi e teve o apoio da Liga Nacional de Kung Fu, da escola EBRAMEC-CIEFATO e da International Huang Yu Wen Nam Pai Kung Fu Association, cuja sede no Brasil fica em São Paulo. Foram ministrados oito mini-cursos de 3 ou 6horas de duração e um dia inteiro de palestras expositivas, muitas com participação do público. Mais de 90 pessoas participaram deste congresso e tiveram a grande oportunidade de assistir a cursos e palestras de grandes autoridades da medicina chinesa e das artes marciais. Uma chance nunca vista no Brasil, que integra a medicina chinesa e artes marciais em vários aspectos. Essa união de fatores é sempre comentada e propalada mas quase nunca verificada no mundo real. Um fator que chama a atenção é que mais de 80% das inscrições foram feitas online, através do site do Zhi, com cartão de crédito. Muitas pessoas tem medo deste tipo de pagamento por causa das fraudes digitais, mas o serviço utilizado pelo Zhi é garantido pelo UOL, o maior provedor de serviços digitais da américa latina e mantido em servidores seguros, com criptografia de última geração. Um motivo a mais para confiar nos serviços e eventos de Zhi!

Recepção do evento, com Denise

Ji Beng Gong – A raiz do estilo Chen de TTai ai Chi Chuan: curso ministrado pelo Sifu Ernesto Gonzales, muito conhecido pelo seu enorme conhecimento da medicina chinesa, que teve a oportunidade de mostrar que também domina a área das artes marciais como poucos em nosso país. Responsável no Brasil pela da International Huang Yu Wen Nam Pai Kung Fu Association, Sifu Ernesto mostrou as bases do Tai Chi Chuan de forma didática e muito clara. Houve intensa participação dos alunos e podia-se sentir o vigor das técnicas, confrontando a idéia “light” que muitas pessoas tem desta arte marcial chinesa. Aplicação mar cial do TTai ai Chi Chuan e sua rrelação elação marcial com os 8 trigramas do I Ching: Este curso foi conduzido pelo Sifu Tony Rey Garcia, convidado especial do congresso. O Sifu Tony, como é conhecido, é natural de Cuba mas se especializou em artes marciais na China com o GrãoMestre Huang Yu Wen, uma das maiores autoridades mun-


Saúde & Longevidade diais em estilos do Sul da China. Em 2007 foi declarado como sucessor do Grão-Mestre na genealogia do estilo. Este curso foi particularmente especial, pois fez uma brilhante integração entre teoria, filosofia e prática da arte marcial chinesa. A demonstração das técnicas marciais associadas ao milenar “Livro das Mutações” foi algo que, por si só, valeria a pena a participação no congresso.

Flagrante da aula de aplicações marciais do Tai Chi Chuan, com Sifu Tony

Acupuntura aplicada às lesões or topédicas: Este ortopédicas: curso, um dos mais concorridos, estava programado para ser ministrado pelo Dr. Reginaldo de Carvalho Filho, presidente do CIEFATO-EBRAMEC e muito conhecido dos praticantes de Medicina Tradicional Chinesa (MTC). Por motivos de saúde ele não pode comparecer e foi representado pela Profª Márcia Cantero. Apesar deste contratempo os participantes em nada perderam pois a aula da Profª Márcia foi extremamente técnica e didática, satisfazendo a todos. Ela mostrou estar à altura de uma solicitação feita na última hora que poderia prejudicar o andamento do curso, coisa que não ocorreu. Parabenizamos a Profª Márcia

Cantero pelo profissionalismo e dedicação demonstrados e pelo conhecimento ministrado. Técnicas de controle e queda no Shuai Jiao: O Sifu Márcio Adalberto Gonçalves, Diretor de Shuai Jiao da Liga Nacional de Kung Fu, mostrou como a arte marcial chinesa trata as projeções e quedas, tão comum em várias artes marciais japonesas. Seu curso foi eminentemente prático, sendo necessário prover a sala com tatames sintéticos para a segurança dos alunos, o que se mostrou suficiente para a transmissão do conteúdo didático. Divulgação e marketing- faça a coisa cer ta: Miniscerta: trado na noite de sexta-feira pelo Prof. Gilberto Antônio Silva, jornalista com quase 20 anos de atuação dentro da área editorial de cultura oriental, causou grande sensação. Prevista para encerramento às 22:00h, teve que ser terminada pela organização do evento às 22:30h, sob protestos, para fechamento do prédio. Nem ministrante nem participantes queriam encerrar a aula, tamanho o interesse despertado e o entusiasmo de todos. Mostrando vários aspectos do marketing como o encontro da linguagem ideal com o cliente e a formatação correta de um impresso, a aula se extendeu até o marketing digital, com explicações sobre sites, e-mail, blogs, twitter e outras ferramentas e seu uso correto na divulgação dos serviços de cada um. O interesse demonstrado foi tão grande que o Porf. Gilberto, diretor da Zhi e editor desta publicação, está montando uma nova turma para um curso maior, com 10 horas de dura-

Os participantes do congresso prestavam grande atenção a todas as palestras ção, que trará uma profundidade maior sobre os temas desenvolvidos no congresso e um grande destaque para marketing digital. Aula de Diagnóstico pela Língua, com o Prof. Wilson Marino Marques

Uso marcial do cotovelo nos Estilos do Sul: No sábado o Sifu Tony retornou para mostrar os vários usos mar-

23


24

Saúde & Longevidade ciais do cotovelo, esta arma tão letal e tão pouco compreendida. Suas demonstrações foram impressionantes pela rapidez dos golpes e sua precisão, a ponto de tornar um suplício a vida de seu partner de demonstrações, que constantemente era acertado de raspão. Os participantes puderam fazer vários exercícios práticos e taolu (formas) de cotovelo, srevindo para revigorar o interesse neste tipo de técnica. Alongamento e flexibilidade pelo Método Bill Wallace: O Mestre José Roberto Lira, 6º Dan em Taekwondo e um dos mais antigos praticantes desta modalidade em nosso país, ministrou um de seus cursos mais especiais, aprendido diretamente do lendário lutador Bill Wallace. Este sistema permite ampliar em muito a flexibilidade e obter maior grau de controle nos chutes, fundamentais em quase todas as artes marciais. Os participantes ficaram muito satisfeitos com os resultados obtidos no mesmo instante, como ampliação de abertura lateral de 40º para 70º em pouco tempo de aula. Mesmo praticantes experientes ficaram doloridos no dia seguinte, mostra de que utilizaram vários músculos de modo diverso do usual. Dr. Ernesto Gonzales proferindo uma fantástica palestra sobre a Diagnóstico através da língua: ministrado pelo Prof. importância do Qi Going nas artes marciais e medicina chinesa Wilson Marino Marques, abordou um método diagnóstico No domingo aconteceram as palestras, que tomamuito importante dentro da MTC. Com grande uso de técnicas audiovisuais, o Prof. Wilson apresentou as principais ram todo o dia sem cansar os participantes, que se mantivepatologias e síndromes observáveis através do estudo da ram até o último minuto. Os temas abordados foram: língua do paciente, tirando todas as dúvidas apresentadas. te, melhora de rrenenesporte, Foi um curso bastante concorrido e muito importante para a • Medicina Chinesa aplicada ao espor dimento e tratamento prática clínica, que teve grande repercussão. tensão ar terial através do Qigong • Tratamento da hiper hipertensão arterial • Tratamento dos distúrbios ginecológicos através da acupuntura e da fitoterapia chinesa tância do Qi e da prática do Qigong na • A impor importância ar te mar cial e na medicina tradicional chinesa arte marcial tes mar ciais • Utilização dos 5 Elementos nas ar artes marciais • Estudo das 32 Palmas, dos 12 Punhos e dos 10 Cotovelos do TTai ai Chi Chuan e sua rrelação elação com os estilos marciais do Sul Destacamos a palestra sobre tratamento da hipertensão arterial através do Qigong, ministrada pelo Prof. Jaime Kuk e pelo Dr. Cassiano Mitsuo Takayassu. Ela teve esmerada apresentação teórica, profundamente embasada na medicina chinesa, e incluiu alguns exercícios práticos executados pelos participantes. Ao final, apesar de haver disposto de um tempo superior ao pré-determinado, ainda houve protesto dos presentes que queriam mais práticas. Um sucesso de público. Mestre José Roberto Lira orienta alguns dos alunos do curso de Alongamento e Flexibilidade pelo Método Bill Wallace

Este congresso, o primeiro a ser executado por Zhi, foi extremamente bem-sucedido tanto em sua acei-


Saúde & Longevidade tação pelos participantes quanto em sua função de mostrar as ligações entre a filosofia, medicina e artes marciais do oriente. Neste quesito foi um pioneiro que uniu filosofia, arte marcial, preparação física, marketing profissional e medicina chinesa em um mesmo conjunto, coeso e facilmente assimilável. Quem participou deste evento sentiu esta ligação entre os temas que se tornaram facilmente assimiláveis mesmo por quem não era dedicado a uma área específica. Todos os presentes ampliaram seus horizontes. Este é o segundo grande evento de Zhi. O primeiro foi um seminário gratuito oferecido na Aula de Aplicações Marciais do Cotovelo, com Sifu Tony Casa Beijing, no Memorial da América Latina em São Paulo, durante as Olimpíadas de 2008. Mais de 200 pessoas se inscreveram para palestras, workshops e atividades diversas. “Nossa idéia é ampliarmos o leque de eventos, sempre focando na interação entre medicina, arte marcial e cultura oriental”, afirmou o Prof. Gilberto Antônio Silva, um dos responsáveis pelo congresso. E pelo que se vê, muitos outros eventos de altíssima qualidade virão por aí.

Organizadora do evento

Ao lado, homenagem aos ministrantes. Da esquerda para a direita: Prof. Gilberto Antônio Silva, ministrante e um dos organizadores; Sifu Ernesto Gonzales, Sifu Márcio Adalberto Gonçalves, da Liga Nacional de Kung Fu; Dr. Cassiano Mitsuo Takayassu, palestrante e um dos organizadores; Sifu Tony Garcia

Estande da Bioaccus, parceira de Zhi, que fez bons negócios no congresso

25


26

Saúde & Longevidade

Como Desenvolver a Intuição Sandra Regina da Luz Inácio

Há vários tipos de dons do ser humano, o mais comum e que cada um de nós já pôde experimentar algum dia é a intuição. Intuição é uma palavra de origem latina “In tueri” que significa “olhar para dentro”. Quem nunca teve um pressentimento de fatos felizes ou tristes em sua vida e que algum tempo depois se concretizou? Quem nunca ouviu aquela voz interior elogiando ou criticando uma atitude tomada?. Você já apostou numa rifa com a certeza de que acertaria o número premiado?. Todo mundo nasce com essa vocação, o difícil é coloca-la em prática. Na correria do dia a dia, quase ninguém tem tempo, vontade e paciência para ouvir os sinais da intuição, e sem esses ingredientes , não é possível captar as mensagens enviadas por ela antes de tomar uma decisão. A intuição não é truque, ela faz parte da natureza humana e age no lado direito do cérebro, responsável pelas emoções. Quando uma mensagem intuitiva brota na mente, o lado direito do cérebro encaminha essa mensagem para o lado esquerdo, que é ligado ao intelecto e a razão. No momento em que essa informação é interpretada, o organismo libera substâncias químicas, que estimulam a atividade cerebral. Por isso a pessoa tem a impressão de que algo vai acontecer. Nesse instante, sente o coração bater mais rápido, pode suar e ficar com a pele avermelhada. Esse processo é defendido pela neurologia, a área da medicina que estuda o funcionamento do cérebro. Quantas vezes você já foi apresentado a uma pessoa e teve a impressão de que o rosto dela lhe é familiar? Pode ser obra de sua intuição, que o(a) desperta para uma outra época em que você e essa pessoa compartilharam momentos, sejam eles bons ou ruins. Por algum motivo, a sua memória é ativada para que juntos, possam “acertar as contas” na existência atual e prosseguir no desenvolvimento espiritual. Os sonhos também podem ser canais de expressão da sua intuição, muitas vezes, forças espirituais transmitem conselhos ou avisos durante o sono. Quem sonha com a morte de uma pessoa querida e esse fato se confirma, deve aceitar esse aviso como uma preparação emocional para aquele acontecimento. Mas os sonhos não são apenas mensageiros de eventos infelizes, muitos cientistas fizeram gran-

des descobertas por meio de mensagens recebidas enquanto dormiam. O pai do piloto do Fokker 100 da TAM que caiu, em São Paulo, matando mais de 100 pessoas, contou e repetiu, na televisão, que sonhara na véspera com o pavoroso desastre, ficando muito impressionado e comentando a visão com familiares e amigos. Também a mulher de um passageiro declarou que sua filha pequena despertara e lhe dissera que o pai não voltaria mais, pois. o avião em que viajava caíra. Daí a pouco, assistia à catástrofe na tevê. Você pode “ouvir” o que os seus sonhos dizem. Habitue-se a anotar num caderno as imagens trazidas pelo inconsciente assim que acordar. Dessa forma, ficará mais próximo(a) das suas emoções e, portanto sensível ao poder da sua intuição. A história está repleta de fatos curiosos que atestam a validade da intuição. Júlio Rasec tecladista dos Mamonas Assassinas, deixou gravado em vídeo o seu mal pressentimento em relação ao acidente que se confirmou em março de 1996, onde ele e os amigos perderam a vida em um acidente de avião. Outro exemplo é o caso do presidente Lincoln, que sonhou que acordava em plena noite e, dirigindo-se para o


Saúde & Longevidade salão principal da Casa Branca, notou que havia um velório. Perguntou aum soldado, que lhe respondeu que era do presidente, que fora assassinado. Naquele mesmo dia, comparecendo a um teatro, Lincoln foi morto. É preciso estar preparado para conviver com uma intuição forte, pois como podemos constatar nem sempre as mensagens são agradáveis. Ficamos deprimidos quando reconhecemos a nossa impotência diante de fatos que conseguimos prever, mas que não podemos evitar. Muitas vezes ficamos com a impressão de que fomos nós que provocamos aquele fato, o que não é verdade. Por essa razão é preciso praticar diariamente rituais e exercícios espirituais, como: orações, meditação e boas leituras, para que nosso espírito possa suportar a carga emocional que acompanha essas premonições. Freqüentemente nos perguntam se intuição é apenas um dom ou pode ser desenvolvida, e a resposta é: Intuição é um dom que precisa ser exercitado para desenvolver-se. Saiba que todo mundo tem um pouco de intuição, basta exercitá-la, acredite mais nos seus pressentimentos e saiba que nem tudo no Universo tem explicação científica. Para ativar o seu dom, fique algum tempo só, não seja tão racional e preste mais atenção à sua voz interior. Você descobrirá um Universo maravilhoso no seu interior !

Exercício que pode facilitar o desenvolvimento da sua intuição: Relaxamento • Em um ambiente tranqüilo, deite-se e respire profundamente. • Feche os olhos ao som de uma música instrumental. • Procure eliminar de sua mente qualquer pensamento negativo. • Se adormecer, preste atenção nos seus sonhos. • Escreva sobre o que sentir ou sonhar sem censura. • Fuja do estresse caminhando em bosques e jardins, de preferência com os pés descalços.

Sandra Regina da Luz Inácio é PhD em Psicologia Clínica pela Flórida Christian University (EUA), Psicanalista e Diretora de Assessoria Geral da Sociedade de Psicanálise Transcendental, Psicanalista voluntária na Casa de Apoio à Criança Carente com Câncer e na Universidade da Terceira Idade, responsável e membro do Conselho Editorial da Revista Empresa Familiar e possui vários artigos publicados na área de Administração, Tecnologia da Informação e Psicanálise. Site oficial: http://www.empresafamiliar.com.br Fonte: www.artigos.com

27


Painel

MODELO 6X6 cm

O Seu Melhor Negócio

Quer encontrar um bom terapeuta para sua clínica? Vai ministrar um curso interessante? Tem algum equipamento ou material para vender?

ANUNCIE AQUI! Exponha seu anúncio para dezenas de milhares de pessoas por apenas R$ 10,00 (preço promocional). Faça um depósito na Caixa Econômica Federal ou nas lotéricas, Ag. 1374, conta 13-101903-0 em nome de Gilberto Antonio Silva e envie seus dados ou anúncio pronto (6x6cm) para comercial@longevidade.net

Procura um livro raro? Tem um ótimo serviço para divulgar?

Fechamento da edição: todo dia 30 Lembre-se que nossa publicação é mensal e sai toda primeira quinzena de cada mês!


Saúde & Longevidade