Issuu on Google+

Biodiversidade

Trabalho Realizado por: Helena Moreno Nยบ15 Cristina Cruz nยบ12


O que é a Biodiversidade ? A Biodiversidade pode ser definida como a variedade e a variabilidade existente entre os organismos vivos e as complexidades ecológicas nas quais elas ocorrem. Ela pode ser entendida como uma associação de vários componentes hierárquicos: ecossistema, comunidade, espécies, populações e genes em uma área definida. A biodiversidade varia com as diferentes regiões ecológicas, sendo maior nas regiões tropicais do que nos climas temperados.


A perda de diversidade genética •

A diversidade genética é importante para a produtividade e o desenvolvimento agrícola. Durante séculos, a agricultura tem sido baseada em um número limitado de espécies vegetais e animais, mas especialmente no caso de plantas tem desenvolvido um número extraordinariamente elevado de variedades locais. Como habitats naturais têm sido deslocadas pelo outros usos da terra e a destruição de formas silvestres de plantas cultivadas que possam ser necessários para a selecção, e como sistemas modernos de agricultura intensiva têm se concentrado em um número muito poucas variedades comerciais, o mais urgente a necessidade de identificar e conservar os vegetais e os recursos genéticos animais. Ainda nesta área particular, você pode localizar e medir os aspectos da diversidade genética, não há nenhuma maneira prática de responder à questão geral do que a diversidade genética presente em uma determinada área, muito menos escala global, de modo que o pergunta não faz sentido a este nível.


Quais as principais ameaças à biodiversidade? Para as taxas alarmantes de degradação de habitats e de extinção de espécies, identificam-se as seguintes ameaças à biodiversidade: Mudanças na utilização dos solos, que fragmentam, degradam e destroem os habitats. Esta mudança de afectação deve-se, principalmente, ao crescimento demográfico e ao aumento do consumo por habitante, dois factores que irão intensificar-se no futuro e gerar maiores pressões. Alterações climáticas, que destroem certos habitats e organismos, perturbam os ciclos de reprodução, obrigam os organismos móveis a deslocar-se, etc. Outras pressões importantes são a sobre exploração dos recursos biológicos; a difusão de espécies alóctones invasivas; a poluição do ambiente natural e dos habitats; a mundialização, que aumenta a pressão devida ao comércio, e a má governação (incapacidade de reconhecer o valor económico do capital natural e dos serviços ecossistémicos). A conservação da biodiversidade constitui um objectivo fundamental da Estratégia da União Europeia em favor do desenvolvimento sustentável e do Sexto Programa Comunitário de Acção em matéria de Ambiente.


A biodiversidade esta ameaçada? Durante as últimas décadas, uma erosão da Biodiversidade foi observada. A maioria dos biólogos acredita que uma extinção em massa está a caminho. Apesar de divididos a respeito dos números, muitos cientistas acreditam que a taxa de perda de espécies é maior agora do que em qualquer outra época da história da Terra. Alguns estudos mostram que cerca de 12,5% das espécies de plantas conhecidas estão sob ameaça de extinção. Todo ano, entre 17.000 e 100.000 espécies são varridas de nosso planeta. Alguns dizem que cerca de 20% de todas as espécies viventes poderiam desaparecer em 30 anos. Quase todos dizem que as perdas são devido às actividades humanas, em particular a destruição dos habitats de plantas e animais. Alguns justificam a situação não tanto pelo sobre uso das espécies ou pela degradação do ecossistema quanto pela conversão deles em ecossistemas muito padronizados. (ex.: monocultura seguida de desnatamento). Antes de 1992, outros mostraram que nenhum direito de propriedade ou nenhuma regulamentação de acesso aos recursos necessariamente leva à sua diminuição (os custos de degradação têm que ser apoiados pela comunidade). Entre os dissidentes, alguns argumentam que não há dados suficientes para apoiar a visão de extinção em massa, e dizem que extrapolações abusivas são responsáveis pela destruição global de florestas tropicais, recifes de corais, mangues e outros habitats ricos. A domesticação de animais e plantas em larga escala é um factor histórico de degradação da biodiversidade, gerando a selecção artificial de espécies, onde alguns seres vivos são seleccionados e protegidos pelo homem em detrimento de outros .


Por que razão é necessário proteger a biodiversidade? A biodiversidade deve ser protegida devido: • Ao seu valor intrínseco: a natureza está na base de numerosas actividades recreativas, turísticas e culturais. • Aos serviços ecossistémicos que presta: a natureza fornece-nos os elementos necessários à nossa vida e ao nosso bem-estar (alimentos, medicamentos, água, ar, etc.). Existe um limite para a capacidade de substituição, pelo engenho humano e pela tecnologia, desses serviços naturais.


Como preservar a Biodiversidade? •

Esta diversidade mantém a vida na Terra. As plantas verdes no solo e as plantas microscópicas nos oceanos produzem o oxigénio que respiramos. A mudança climática do globo terrestre seria muito pior, se não fosse pelo papel das florestas e dos oceanos na absorção de grande parte do dióxido de carbono que colocamos na atmosfera. As florestas de mangues mantém o litoral tropical. Cada espécie individual depende de outras para a sua existência, e os vínculos entre as diferentes espécies mantém a vida. Se uma espécie for eliminada, as outras que dependem dela também morrerão ou serão seriamente afectadas.

Algumas espécies são particularmente importantes, porque, sem elas, o seu ecossistema inteiro desmoronar-se-ia. Por exemplo, as árvores das florestas e o plâncton do oceano, que controlam o nosso clima, são pouco valorizados pelas pessoas, mas o seu papel no controle do meio ambiente é o aspecto individual mais importante da biodiversidade.


A segunda razão para proteger-se a biodiversidade é porque os seres humanos dependem dela. Dependemos da biodiversidade para o nosso alimento, os nossos medicamentos, o nosso abrigo, para muitos produtos industrializados, tais como a madeira e a borracha, os cosméticos e muitos outros. À medida que perdemos espécies, estamos, também, perdendo novos possíveis medicamentos e alimentos, que podem ser necessários para dar continuidade à vida humana na Terra. Por exemplo, mais de metade dos nossos medicamentos provém originalmente de plantas, e outros ainda estão sendo descobertos. Um exemplo recente é o remédio anti-câncer/anticancro, taxol, proveniente do teixo, uma árvore do Pacífico.

A terceira razão para preservar-se a biodiversidade é ética. É correcto que as pessoas destruam tanto a criação de Deus? A história de Noé, na Bíblia, mostra o quanto Deus se importa com todas as criaturas vivas.

Em quarto lugar, devemos preservar a biodiversidade puramente pela beleza e pelo prazer. Este seria um mundo sem graça, se não houvesse flores e pássaros que cantam à nossa volta, baleias no mar ou os magníficos animais nas planícies da África.


Algumas imagens da Biodiversidade


FIM


Biodiversidade