Page 1

Escola c/ 3ยบ ciclo Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves

Fevereiro/Marรงo 2010

PESO PERFEITO Calcule Calcule Seu oo Seu IMC IMC

Praticar desporto ajuda?

Baixo Peso A Formula perfeita para baixar o seu peso!!

Bulimia Anorexia

1


índice Índice CALCULE O SEU IMC ............................................................................................................... 1 ANOREXIA.................................................................................................................................. 2 ANOREXIA.................................................................................................................................. 3 ANOREXIA MENTAL......................................................................................................................... 5 RETRATO DA ANOREXIA.................................................................................................................. 6

BENEFÍCIOS DA ACTIVIDADE FISICA................................................................................... 7 DOENÇAS CARDIACAS E ACIDENTES VASCULAR CELEBRAL (AVC)......................................................7

OBESIDADE............................................................................................................................... 9 BULIMIA................................................................................................................................. 12 CONSEQUÊNCIAS DA ANOREXIA E BULIMIA....................................................................13 ILUSÕES................................................................................................................................... 13 ENTREVISTA A UMA EX-ANORÉTICA................................................................................. 15

OPINIAO DO GRUPO.............................................................................................................. 19

2


Introdução Realizamos este trabalho com a intenção de demonstrar às pessoas como calcular o seu peso ideal utilizando formas saudáveis e fáceis. A obesidade é um problema de saúde pública que afecta grande parte da população nos dias actuais. Existe uma grande percentagem de crianças que já sofrem com este problema pois têm uma alimentação imprópria e não fazem exercício físico. A anorexia é um problema que atinge raparigas e rapazes que desejam atingir a beleza e para isso querem ser magros a todo o custo, em alguns casos acabam mesmo por morrer. Tentamos, com este trabalho, alertar os adolescentes para estes problemas e fazer com que tenham uma vida saudável.

3


Calcule o seu IMC Basta um simples passo para calcular o seu IMC, uma simples formula :

Depois de calcular o seu IMC , tem que verificar os resultados , para saber como estรก o seu corpo:

4


Anorexia Mental É uma doença mais do foro psíquico que afecta actualmente cada vez maior número de jovens, especialmente e quase na totalidade raparigas. Manifesta-se por uma rejeição aos alimentos. Alguns médicos consideram a anorexia como uma doença física consequência duma disfunção cerebral ao nível do hipotálamo, que comanda os estímulos da fome, sede e amadurecimento sexual. No entanto, estas alterações físicas na medicina psicossomática são antes consequências e não causas. Por vezes são tratadas a nível psiquiátrico, quando atinge a anorexia mental, devido a fortes perturbações mentais, como desritmias acentuadas. Normalmente são de estrutura média ou baixa, mas também há anoréxicas altas, como a imperatriz Sissi, que media 1,72 metros e mal ultrapassava os 40 Kg. São na generalidade extremamente mal amadas, mergulham na recusa do alimento e acabam por definhar e por vezes morrer com perturbações de anorexia mental. Atinge normalmente jovens entre os 10 e os 20 anos. Têm um desejo contínuo de obter uma silhueta "perfeita" numa tentativa de obter um "corpo de sonho". Para tal fazem regimes de emagrecimento por vezes desconhecendo as possíveis consequências. Nalguns casos, o problema é tão grave que a adolescente deixa de ter a percepção da sua própria silhueta. É uma tortura, porque extremamente magras, continuam a ver-se gordas. Em muitos casos acabam por perder a identidade. Há uma tendência para o suicídio, uma verdadeira desmotivação de vida. São levadas a uma desnutrição grave, a uma paragem cardíaca, devido a uma baixa de potássio no sangue. É muito importante saber que se uma adolescente sofre de anorexia não é conveniente insistir para que coma. Este procedimento pode ter efeito contrário, tornando mais difícil a resolução do problema. Tanto a anorexia nervosa, como a bulimia são doenças provocadas por distúrbios de comportamento alimentar. É muito difícil tornar uma anoréxica consciente do seu estado, embora seja imprescindível levá-la à convicção de quanto é feio e desagradável o seu aspecto esquelético, para que o tratamento resulte.

Nalguns casos, o problema é tão grave que a adolescente deixa de ter a percepção da sua própria silhueta.

5


Retrato da anorexia Jovens magras e doentes... Em geral trata-se de raparigas inteligentes, provenientes de famílias de classe média alta que gostam de agradar. A opinião dos outros, principalmente dos que estão mais próximos é de extrema importância. A adolescente anoréxica amadurece prematuramente, os cabelos caiem, a pele seca enruga-se, as unhas ficam quebradiças, o pulso é mais lento (por vezes menos de 60 pulsações), as extremidades estão geralmente frias, a tensão arterial baixa, os períodos menstruais tornam-se extremamente irregulares; nos rapazes anoréxicos (eles também rejeitam a vida) uma das características mais frequentes é a perda de capacidade de erecção; tanto nuns como nos outros, perda gradual do desejo sexual; ingestão quase exclusiva de frutas e saladas; consumo excessivo de laxantes e diuréticos que os conduzem ao mórbido emagrecimento desejado; tendência para maior agressividade e isolamento social; hiperactividade física; perturbações do sono que podem tomar proporções graves como insónias, e quando dormem é com dificuldade que se abandonam ao sono. Curar esta doença tão generalizada nos nossos dias são necessários pelo menos 2 anos, e somente os casos que é possível curar.

A anorexia não é só causada por problemas psicológicos mas também por falta de bens!

6


BEnEFícIOS da acTIvIdadE FíSIca Os benefícios da prática regular de actividade física vão além do controle de peso. Confira abaixo as doenças e problemas de saúde que podem ser evitados com a prática regular de exercícios físicos. Não se esquecendo que, aliada aos exercícios físicos, a alimentação equilibrada e saudável, evitando-se o consumo de sal, gorduras e frituras, vai fazer com que você alcance o equilíbrio para uma vida saudável. Pesquisas mostram que os exercícios ajudam a reduzir o risco de várias doenças, além de incrementar sensivelmente a qualidade de vida. A actividade física regular pode proteger você dos seguintes problemas de saúde.

dOEnçaS caRdíacaS E acIdEnTE vaSculaR cEREBRal (avc)

A prática regular de exercícios pode ajudar a prevenir doenças cardíacas e AVCs, fortalecendo o músculo cardíaco, reduzindo a pressão arterial, aumentando os níveis de HDL (o colesterol bom) e diminuindo os níveis de LDL (colesterol ruim) e melhorando a circulação. Esses factores também podem diminuir o risco de doença vascular periférica. Hipertensão arterial. A actividade física pode reduzir a pressão arterial de pessoas hipertensas. Além disso, reduz a gordura corporal, que também está relacionada com níveis elevados de pressão arterial. 7


Diabetes não-insulino dependente. Reduzindo a gordura corporal, os exercícios ajudam a prevenir e controlar essa forma da doença.

Osteoporose.

Os exercícios promovem a formação óssea e podem evitar a perda óssea associada ao envelhecimento. Melhora da auto-estima e combate do stress. Estudos sobre os efeitos psíquicos da actividade física demonstram que a prática regular de exercícios pode melhorar o humor e a auto-estima, através da produção de endorfinas. Pesquisas importantes mostram que a actividade física pode combater a depressão e a ansiedade.

Deficiências

8


Os exercícios aeróbicos evitam o aparecimento de deficiências em pessoas com idade mais avançada.

Dor lombar

Melhorando a força muscular, a flexibilidade e a postura, a actividade física ajuda a prevenir a dor lombar.

Obesidade.

A actividade física ajuda a reduzir a gordura corporal e aumentar a massa muscular, provocando o aumento do consumo de calorias pelo organismo. Em associação com uma alimentação adequada, ajuda a controlar o peso e combater a obesidade, um importante factor de risco para várias doenças. A obesidade, de acordo com a OMS, é uma doença crónica em que o excesso de gordura corporal acumulada pode atingir graus capazes de afectar a saúde. Esta doença tanto pode atingir mulheres como homens!

Uma dieta hiper-energética, com excesso de gorduras, de hidratos de carbono e de álcool, aliada a uma vida sedentária, leva à acumulação de excesso de massa gorda é uma das muitas causas da anorexia. 9


Mas há também vários factores de risco , tais como : • •

Vida sedentária - quanto mais horas de televisão, jogos electrónicos ou jogos de computador, maior a prevalência de obesidade; Zona de residência urbana - quanto mais urbanizada é a zona de residência maior é a prevalência de obesidade;

Grau de informação dos pais - quanto menor o grau de informação dos pais, maior a prevalência de obesidade;

Factores genéticos - a presença de genes envolvidos no aumento do peso aumentam a susceptibilidade ao risco para desenvolver obesidade, quando o indivíduo é exposto a condições ambientais favorecedoras, o que significa que a obesidade tem tendência familiar;

Gravidez e menopausa podem contribuir para o aumento do armazenamento da gordura na mulher com excesso de peso.

Há vários tipos de obesidade : •

Obesidade andróide, abdominal ou visceral - quando o tecido adiposo se É necessário a ajuda acumula na metade superior do corpo, de médicos , sobretudo no abdómen. É típica do homem familiares e amigos! obeso. A obesidade visceral está associada a complicações metabólicas, como a diabetes tipo 2 e a dislipidémia e, a doenças cardiovasculares, como a hipertensão arterial, a doença coronária e a doença vascular cerebral, bem como à síndroma do ovário poliquístico e à disfunção endotelial (ou seja deterioração do revestimento interior dos vasos sanguíneos). A associação da obesidade a estas doenças está dependente da gordura intra-abdominal e não da gordura total do corpo. • Obesidade do tipo ginóide - quando a gordura se distribui, principalmente, na metade inferior do corpo, particularmente na região glútea e coxas. É típica da mulher obesa. As consequências são graves , tais como: • • •

Aparelho cardiovascular - hipertensão arterial, arteriosclerose, insuficiência cardíaca congestiva e angina de peito; Complicações metabólicas - hiperlipidémia, alterações de Obesidade é uma tolerância à glicose, diabetes tipo 2, gota; doença que pode Sistema pulmonar - dispneia (dificuldade em respirar) e fadiga, derivar de falta de síndroma de insuficiência respiratória do obeso, apneia de sono cuidado ou mesmo (ressonar) e embolismo pulmonar; corporal. Aparelho gastrintestinal - esteatose hepática, litíase vesicular (formação de areias ou pequenos cálculos na vesícula) e carcinoma do cólon; 10


Aparelho genito-urinário e reprodutor - infertilidade e amenorreia (ausência anormal da menstruação), incontinência urinária de esforço, hiperplasia e carcinoma do endométrio, carcinoma da mama, carcinoma da próstata, hipogonadismo hipotalâmico e hirsutismo;

Outras alterações - osteartroses, insuficiência venosa crónica, risco anestésico, hérnias e propensão a quedas.

Não te tornes mais um obeso , Previne com uma Dieta alimentar equilibrada; Actividade física regular; Modo de vida saudável.

Mediante o teu IMC , procura sabes como é a tua obesidade:

11


Bulimia Todos nós comemos, não só porque necessitamos de o fazer, como também porque nos dá prazer. No entanto, o modo como nos alimentarmos varia grandemente de pessoa para pessoa. Algumas pessoas comem mais, outras menos, algumas engordam com mais facilidade, outras não. Mas algumas pessoas chegam ao extremo de se magoarem a si próprias, comendo em excesso ou restringindo a sua alimentação de uma forma abusiva. Nestes casos, vamos falar, de bulimia e anorexia nervosa. Embora seja aparentemente fácil distinguir estas duas perturbações alimentares, as pessoas que sofrem das mesmas têm sintomas comuns, muitas vezes a bulimia desenvolve-se após um período de meses ou até mesmo anos de sintomas anoréxicos. Estas perturbações ocorrem dez vezes mais nas mulheres do que nos homens. Muitas das vezes, estas perturbações alimentares têm início na adolescência, enquanto os jovens ainda estão em casa. E o apoio dos pais é essencial para o sucesso do tratamento.

Tens… … Tens Medodedeengordar engordar Medo Alimentaçãocompulsiva compulsiva(incapacidade (incapacidadededecontrolar controlartais tais Alimentação episódios) episódios) Pesonormal normal Peso Osperíodos períodosmenstruais menstruaistornam-se tornam-seirregulares irregulares Os Uso excessivo de laxantes e/ou indução do vómito Uso excessivo de laxantes e/ou indução do vómito Tomacuidado cuidado, ,estes estessão sãoosossintomas sintomasdede Toma bulimia! bulimia!

Normalmente, esta perturbação alimentar atinge uma faixa etária diferente, como tais as mulheres na casa dos 20 anos, que também tiveram um peso excessivo na sua infância. Tal como as anoréxicas, as bulímicas sofrem de um medo excessivo de ganhar peso, mas, ao contrário das anoréxicas, normalmente as bulímicas conseguem manter o seu peso normal. Isto porque, embora tentem perder peso, através da indução do vómito e do uso de laxantes, têm episódios de alimentação compulsiva que não conseguem controlar. Estes episódios são caracterizados pela ingestão de grandes quantidades de alimentos gordos em curtíssimos espaços de tempo, por exemplo, comer vários pacotes de bolachas, chocolates e bolos em apenas duas horas. Depois destes episódios, a bulímica irá induzir o vómito e sentir-se-á culpada e deprimida. Apesar de toda esta situação ser extremamente desconfortável, cria-se um ciclo vicioso que elas não conseguem ultrapassar e este padrão alimentar instala-se.


cOnSEQuÊncIaS da anOREXIa E BulIMIa

"PASSAR FOME"

"VOMITAR"

"USO DE LAXANTES"

Sono irregular

Destruição da protecção dos dentes Dores de barriga persistentes por parte do ácido gástrico

Obstipação*

Face inchada (devido ao inchaço das glândulas salivares)

Dedos inchados

Dificuldades de concentração

Arritmia cardíaca*

Lesões nos músculos intestinais (o que pode causar obstipação crónica)

Dificuldades de raciocínio

Músculos fracos

Depressão

Lesões no fígado

Frio

Ataques epilépticos

Fragilidade óssea Músculos atrofiados Cansaço Morte

cOMO PROcuRaR aJuda No caso da anorexia, habitualmente os familiares a aperceberem-se de que algo não está bem, ao repararem que a/o familiar não só está muito magra/o, como continua a perder peso. Apesar de para os outros esta perda excessiva de peso lhes parecer alarmante, a/o própria/o dificilmente admitirá esse facto e continuará, a achar que está demasiado gorda/o. De facto, durante algum tempo,mesmo os outros poderão não se aperceber da gravidade da situação, uma vez que a vêem a comer grandes quantidades de "alimentos saudáveis" (obviamente dietéticos). A pessoa com bulimia sentir-se-à frequentemente culpada e envergonhada dos seus comportamentos mas tentará escondê-los custe o que custar. Para além disso, ingerir grandes quantidades de comida e depois vomitar ou tomar laxantes poderá ser algo extremamente exaustivo e gasta muito tempo. Poderá afectar a sua vida escolar e profissional e, irá dificultarlhe muito a sua vida social, pelo que admitir que tem um problema poderá causar grande alívio. O primeiro passo para tratar estas perturbações alimentares é, obviamente o reconhecimento de que as mesmas se instalaram. Quanto mais depressa a própria ou os familiares admitirem que algo não está bem, melhor. Depois disto, é absolutamente indispensável recorrer a um psicólogo, numa consulta especializada, pois a anorexia pode levar à morte. O próprio médico de família poderá fazer esta ligação e conduzir o processo da melhor forma. Será essencial o


envolvimento de todas as pessoas importantes ligadas ao ou à doente e também estes devem ter apoio psiquiátrico.

IluSÕES NOME DO MEDICAMENTO - alli Cada cápsula dura contém 60 mg de orlistato. Indicações terapêuticas alli é indicado para perda de peso em adultos com excesso de peso (índice de massa corporal, IMC, ≥28 kg/m2) e deve ser tomado em associação a uma dieta moderadamente hipocalórica e de baixo teor em gorduras. Modo de administração Adultos A dose recomendada de alli é uma cápsula de 60 mg três vezes ao dia. A cápsula deve ser tomada com água imediatamente antes, durante ou até 1 hora após cada refeição principal. Se for omitida uma refeição ou se esta não contiver gordura, a dose de alli deve ser omitida. Não devem ser tomadas mais do que três cápsulas de 60 mg em 24 horas. O tratamento não deve exceder 6 meses. Caso os doentes não consigam perder peso após 12 semanas de tratamento com alli, devem consultar o seu médico ou um farmacêutico, pode ser necessário descontinuar o tratamento. A dieta e o exercício são partes importantes dum programa para perder peso. Recomenda-se que se inicie uma dieta e um programa de exercício antes de iniciar o tratamento com alli. Enquanto estiver a tomar alli, o doente deve fazer uma dieta equilibrada do ponto de vista nutricional, moderadamente hipocalórica e em que as gorduras contribuam aproximadamente em 30% para o valor calórico total (por exemplo, numa dieta de 2.000 kcal/dia, isto equivale a <67 g de gordura). A ingestão diária de gorduras, de hidratos de carbono e de proteínas deve ser distribuída pelas três refeições principais. A dieta e o programa de exercício devem continuar a ser seguidos após interrupção do tratamento com alli. Populações especiais Devido ao facto de não existirem dados suficientes de segurança e eficácia, alli não deve ser usado em crianças ou adolescentes com menos de 18 anos de idade. Os dados de utilização do principal componente de alli (orlistato) em idosos são limitados.


Não foram estudados os efeitos do orlistato em doentes com insuficiência hepática e/ou renal. Contudo, como o orlistato é absorvido em fracções mínimas, não é necessário ajustar a dose nos idosos e doentes com compromisso hepática e/ou renal. 4.3 Contra-indicações • • • • • • •

Hipersensibilidade à substância activa ou a qualquer um dos excipientes Tratamento concomitante com ciclosporina. Síndrome de malabsorção crónica Colestase Gravidez Amamentação Tratamento concomitante com varfarina ou outros anti-coagulantes orais

O QUE É alli E PARA QUE É UTILIZADO O alli é utilizado para perda de peso em adultos com 18 anos ou mais de idade que têm excesso de peso e têm com um índice de massa corporal (IMC) de 28 ou mais. alli deve ser usado em conjunto com uma dieta com reduzido teor em calorias e em gorduras. O IMC é uma forma de descobrir se tem um peso saudável ou se tem peso excessivo para a sua altura.

Ao tomar alli com alimentos e bebidas

alli deve ser utilizado em combinação com uma dieta reduzida em calorias e com baixo teor de gorduras. Tente começar esta dieta antes de iniciar o tratamento. Para mais informação sobre como estabelecer os seus objectivos de calorias e gordura, veja o folheto. Tome alli às refeições. Isto geralmente significa uma cápsula ao pequeno-almoço, almoço e jantar. Se falhar uma refeição, ou se a sua refeição não contiver gorduras, não tome a cápsula. alli não funciona a menos que exista gordura na refeição. Se fizer uma refeição com alto teor em gordura, não tome mais do que a dose recomendada. Tomar a cápsula com uma refeição contendo demasiada gordura pode aumentar a possibilidade de ter efeitos do tratamento associados à dieta . Faça todos os possíveis para evitar refeições com elevado teor em gorduras enquanto estiver a tomar alli.

Aprender a lidar com os efeitos do tratamento relacionados com a dieta

Os efeitos secundários mais frequentes são causados pela forma como as cápsulas actuam e resultam da saída de alguma gordura para fora do seu organismo. Tais efeitos ocorrem tipicamente nas primeiras semanas de utilização das cápsulas, antes de ter aprendido a limitar a quantidade de gordura na sua dieta. Estes efeitos do tratamento relacionados com a dieta, podem ser um sinal de que comeu mais gordura do que deveria.

Lembre-se: • • •

Mantenha realistas os limites de calorias e gorduras, pois esta é uma boa forma de manter os seus resultados a longo prazo. Registe o que come num diário alimentar, incluindo o teor de calorias e gorduras. Tente ser mais activo fisicamente antes de começar a tomar as cápsulas. A actividade física é uma parte importante do programa de perda de peso. Lembre-se de verificar primeiro com o seu médico caso não tenha praticado exercício antes.


Continue a ser activo enquanto está a tomar alli e depois de para de o tomar.

Cristina tem 25 anos, vive em Barcelona e está no sexto ano de medicina. Dos 17 aos 24 anos foi anoréxica, e conseguiu curar-se. Com a doença aprendeu a ser ela mesma, a deixar de se julgar severamente e a maltratar-se. Agora tem consciência que a anorexia é uma grave doença mental, causada pela obsessão em ter um corpo esbelto, perfeito, ideal … Livre desta doença Cristina diz “ Hoje, nego-me a comprar tudo o que seja alimentos light”.

Quando soube que era anoréxica? - Em vários momentos eu dava conta que estava mal, mas era incapaz de me corrigir. Quando é que tudo começou? - Com 17 anos, um dia propus-me a deixar de comer para diminuir o meu peso dos meus 62Kg para os 55kg. E porquê naquele momento? - Em Setembro começavam as aulas na universidade, e tinha medo de não gostar, por causa do meu corpo … Porquê 55kg? - Vi um anúncio na televisão em que uma rapariga ideal, depois de fazer exercício físico, se pesava, e na balança marcava 54,6Kg. Eu só ia emagrecer até aos 55kg. Então foi esse anúncio que te “empurrou” para a anorexia? - Estimulou-me. O comportamento daquela rapariga era o meu: a obsessão pelo corpo! A anorexia é isso: obsessão pelo corpo e pela comida. Nesse caso, todos nós estamos sempre rodeados de estímulos para a anorexia … - Entras numa loja de roupa feminina e tudo são tamanhos em que só cabem um certo tipo de corpos. Ou entras num supermercado e há mais produtos light do que normais. Procuramos ser leves, mais leves … Para serem mais felizes? - Para desaparecer. Porque nos rejeitamos. A anorexia é um distúrbio psicológico. Isso pode matar. - Antes morta do que comer e engordar 1 grama. Na verdade, já estás morto: desistes de milhares de coisas na vida.


Até que ponto deixas-te de comer? - Comecei por uma dieta muito severa, e baixei dos 60kg. Já estava bem assim, no entanto recusei-me a parar, queria chegar aos 55kg. Estava viciada. Viciada em quê? - No meu corpo, queria vê-lo a perder peso. Assim, ter fome dava-me prazer. Pesar-me e ver que tinha emagrecido um grama, apenas um grama, era uma vitória para mim. Era um vício. Comparável ao álcool? - A qualquer dependência de drogas. Vives dependente do que comes ou do que não comes, da tua imagem, a todas as horas. Que tácticas seguias? - Bebia quatro ou oito litros de água para eliminar toxinas, passava 5 horas ou mais no ginásio todos os dias … O que fazias o resto do tempo? - Estudava, dormia, saía com os amigos … Que fazias mais? - Tomava banho com água fria antes de sair de casa, porque a água quente parecia que me “dilatava”. Desenvolve-se uma série de paranóias. E com a comida? - Primeiro, não comia sobremesa, então deixava de fazer algumas refeições, nas que fazia as vezes escondia a comida e depois ia deita-la ao lixo, ou provocava o vómito … Os teus pais sabiam de tudo isto? - Estavam muito preocupados, mas não podiam fazer nada, só a própria pessoa pode actuar. Em casa a minha mãe sempre seguiu dietas. Ainda hoje és anoréxica? - Não, faz um ano que já estou curada. Como foi isso? - Um dia entrei num elevador, olhei-me ao espelho, e assustei-me. Nesse dia vi-me de verdade. Liguei para um centro especializado e fiz um tratamento durante 3 anos. Em que consistiu o tratamento?


- Trabalho em grupo guiado por terapeutas, eles dizem quando e o que comer, para assim reaprender a concentrar a mente noutras coisas sem ser em comida e no corpo. Por exemplo? - Um dia fazem-te sair para uma festa, sem penteados, sem maquilhagem, sem vestir de modo especial … Eu fiz isso, e correu-me muito bem. E assim vais aprendendo a ser menos dependente do teu aspecto, e gozar a vida. Vivemos dependentes do nosso aspecto? - Sim, e julgamos os outros pelo seu aspecto, forma de vestir, … Não temes ter uma recaída? - Quando vou comprar roupa, confesso que fico um pouco nervosa, procuro evitá-lo. Mas não, já não estou obcecada pelo corpo, sou uma pessoa diferente. Sou diferente, sinto-me diferente e relaciono-me de forma diferente. Em que sentido? - Antes sentia-me pequena, incapaz, insegura, frustrada, envergonhada… agora não, assumo as minhas fraquezas, e aceitá-las faz-me sentir forte. Adaptado de http://ociosoft.blogspot.com/2007/09/entrevista-una-anorxica.html


Opinião do grupo O grupo gostou de fazer este trabalho porque foi um trabalho diferente dos outros (sem ser em power point) e porque faz “abrir os olhos” a algumas pessoas que acham que só perdem peso não comendo ou com medicamentos. Todas nós aprendemos mais sobre os temas abordados e sentimo-nos mais alerta para não corrermos o risco de “sermos mais uma” para as grandes percentagens que já existem. Tentaremos também proteger todos os que nos rodeiam.


Trabalho Realizado por:

Rafaela Silva nยบ3 Sofia Madureira nยบ4 Catarina Oliveira nยบ8 Rita Soares nยบ24 Lisa Maria nยบ28

Revista Saúde  

Escola c/ 3º ciclo Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves Fevereiro/Março 2010 | 9º C Ana Rafaela Silva Ana Sofia Madureira Catarina Oliveira Rita...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you