Issuu on Google+

GETUH

Grupo Espírita Trabalhadores da Última Hora

Ano X – Número 111 Janeiro/2013

Reuniões Públicas

INFORMATIVO MENSAL

Terça-feira 7:00-9:00 pm Domingo 10:30 – 12:30 pm Evangelização Infantil/Juvenil Domingo 10:30 – 12:30 pm Atendimento Fraterno Quinta-feira 7:15 – 8:45 pm JESUS AND HUMILITY Studying the humility, let us see as Jesus was behaving himself in the exercise of the sublime virtue. Certainly, in the time that to the world should appear the message of the Good News, he could stay in the celestial glory and to be represented among mankind by the person of angelic messengers, but he preferred to go down, Himself, to the ground of the ...

ESTUDAR NUNCA TRANSFORMAÇÃO ESSE PARADEIRO, CHAMADO… INTERIOR E O … É DEMAIS Em reunião de plãnejãmento dãs ãtividãdes do Centro Espíritã, debãtiã-se o que fãzer em dãtã comemorãtivã, quãndo surgiu ã ideiã de reãlizãção de um evento com interãção entre os pãrticipãntes, levãntãmento de duvidãs sobre determinãdo temã, e um pãinel com expositores convidãdos pãrã fãzer os ...

“A fim de que o mundo se transforme é necessário que haja a modificação do ser humano para melhor, por ser a célula máster da sociedade. Enquanto mantiver a enfermidade espiritual resultante do atraso evolutivo, nenhuma força externa conseguirá alterar a marcha moral do planeta, desde que ...

Acho que estou sendo repetitivo, mas o fato do movimento espírita continuar sem utilizar a bússola que está ao seu ...

TRABALHEMOS AMANDO Na noite de 22 de abril de 1954, o nosso Instrutor Emmanuel voltou a utilizar-se do equipamento mediúnico e, talvez ...

www.getuh.org 331, Boston Post Rd. (East) – Marlborough – MA – 01752


Informativo Mensal GETUH

JESUS AND HUMILITY Studying the humility, let us see as Jesus was behaving himself in the exercise of the sublime virtue. Certainly, in the time that to the world should appear the message of the Good News, he could stay in the celestial glory and to be represented among mankind by the person of angelic messengers, but he preferred to go down, Himself, to the ground of the Earth, and try its vicis- Certain, he had elements to stay away from Judas, situdes. the senseless apprentice; even so, in spite of everything, he conserved him until the last day of the Undoubtedly, he counted with power enough to fight, among those who he loved most. annul the sentence of Herod, who ordered to decapitate the newborn babies of his condition With a simple word, he could confuse the judges to avoid his presence; however, he stood back that lowered him before Barabbas, author of conprudently to a far away place, until that the un- fessed crimes; however, he hugged the cross of reasonable demand was necessarily proscribed. the death, begging pardon for his torturers. He had vast resources to impose himself in Jerusalem , to the doctors who had denied him authority in the teaching of the new revelations; however, he left without sorrow in demand of remote province, to be worth of the rude men that welcomed his comforting word. He possessed enough virtue to humiliate the daughter of Magdala, dominated by force of darkness; nevertheless, he silenced the own moral greatness to call her sweetly for the readjusts of life. Attentive to the own dignity, it was fair he ordered the pupils to the encounter of those who suffer to console them in the anguish and heal them the ulceration; though, he did not give up the privilege of proceeding, Himself, in each corner of the road, to offer them alleviation and hope, strength and renewal. Pรกgina 2

Finally, he could condemn Saul of Tarsus, the implacable persecutor, to vulgar punishment, because the perverse intransigence that he was annihilating the plantation of the nascent Gospel; but he looked for him, in person, at the doors of Damascus, visiting his heart, for knowing he was mistaken on the direction that he was moving. With Jesus, we noticed that the humility does not always appear from poverty or illness that many times only mean regenerating lessons, but the celestial talent is attitude of the soul that forgets the own light to lift those who crawl themselves in the darkness, and the soul that tries to sacrifice herself, in the rocky road of the World, so that the others learn, without constrain or noise, to find the road for the blessings of Heaven. Emmanuel (Message received though the medium ship of Francisco Xavier. Public meeting of September 03, 1959 Comment on Question 937 of The Spirits' Book.)


Informativo Mensal GETUH

Estudar Nunca é

Em reunião de planejamento das atividades do Centro Espírita, debatia-se o que fazer em data comemorativa, quando surgiu a ideia de realização de um evento com interação entre os participantes, levantamento de dúvidas sobre determinado tema, e um painel com expositores convidados para fazer os esclarecimentos necessários, ou seja, seria um seminário dinâmico e enriquecedor. Foi então que o dirigente contrapôs: “Já estudamos tanto aqui em nossa casa, que se é para fazer um evento doutrinário, é melhor simplesmente dar continuidade à programação de estudos”, e assim propôs a realização de um evento mais festivo, o que foi, afinal, aceito. Mas, perguntamos, será que estudamos tanto assim no Centro Espírita? E o estudo da doutrina espírita não é o mais importante? Há vários anos estamos à frente de grupos de estudo da doutrina espírita, o chamado estudo sistematizado, e, embora sempre incentivando, motivando, dinamizando a prática de ensino, verificamos que apenas uma pequena parcela dos espíritas realmente estuda, pois invariavelmente apenas 10% a 15% confessam ter lido sobre o tema, ou o capítulo específico do livro, durante a semana que antecede o estudo. É por esse motivo que continuamos a encontrar no centro espírita conceitos errôneos e práticas divergentes do Espiritismo. Quando se fala em leitura espírita é fácil constatar que a maioria prefere os romances, principalmente os mediúnicos, de origem espiritual.

Nada contra os romances, mas existe muita água com açúcar, além de obras com flagrantes erros doutrinários, e que as pessoas simplesmente não detectam. Isso acontece porque não gostam de estudar, não querem estudar, abdicando do uso da razão, do raciocínio, do pensar, que somente o estudo sério, metódico e profundo pode propiciar. Perder oportunidade de aprofundamento com a realização de debate, seminário, pinga-fogo e outras atividades semelhantes, com a desculpa que já estudamos muito no centro espírita, é tapar o sol com a peneira, é manter a cegueira generalizada. Não somos contra eventos festivos e confraternativos, mas estes não podem se sobrepor ao estudo doutrinário. E temos que tomar cuidado na inserção de músicas e atividades que podem servir muito bem em outros ambientes, mas que não são necessariamente adequados ao ambiente do centro espírita, ao ponto de se desconsiderar a imensa gama de conteúdo da literatura espírita, das informações espirituais que nos chamam a atenção sobre o que fazemos da vida e da própria casa espírita. Estudar o Espiritismo nunca é demais, entendendo que o estudo doutrinário não é sinônimo de rostos fechados aparentando seriedade, nem falta de conversação por imposição de silêncio. A atmosfera do centro espírita deve refletir alegria saudável, companheirismo espontâneo, afetividade sincera, inclusive nos grupos de estudo, o que deve acontecer o tempo todo. É natural que o centro espírita tenha as suas datas comemorativas, mas centro espírita não é clube festivo, onde atividades lúdicas, música e outras coisas do gênero sejam prioridade. Podem, e devem, ser complementos com utilização adequada, mas não o principal.


Informativo Mensal GETUH

Demais Descuidar do estudo doutrinário e da educação espírita, ou não aproveitar todas as ocasiões para trabalhar seu aprofundamento, é comprometer o objetivo maior do Espiritismo, ou seja, a transformação moral da humanidade, como tão bem elucidado por Allan Kardec a partir das informações prestadas pelos Espíritos Superiores. É assim que um todo deve ser formado pelas reuniões públicas de palestra, pelos grupos de estudo, pelos eventos outros doutrinários (seminários etc.) e pela educação espírita da criança e do jovem, prioridades do centro espírita. Equivoca-se quem pensa que basta ao centro espírita uma reunião pública semanal, um estudo do evangelho e o restante das atividades dedicadas a mediunidade, tratamento espiritual e serviço assistencial.

Também incide em engano a quem mantém rifas, festas juninas, shows e outros eventos da espécie dentro das dependências do centro espírita, pretexto de angariar recursos financeiros para manter as atividades. Temos um centro espírita, célula de regeneração espiritual do homem e da humanidade, ou um clube espírita para passatempo de despreocupados com a doutrina e com a vida? Sempre que nos apresentar ocasião seremos doutrinários, como nos apontam, com o entendimento e o compromisso sério de aprofundar o conhecimento sobre o Espiritismo e sua aplicação às diversas ciências, no objetivo maior de fazer com que o ser humano transcenda a si mesmo para conquista o mais rápido possível, de sua perfeição moral, intelectual e espiritual. Retirado do site “Orientação Espírita” Autor - Marcus De Mario

AVISO IMPORTANTE

Os cursos oferecidos no GETUH. Terão início a partir do dia 11 de fevereiro de 2013, O “Ciclo Básico de Estudos da Doutrina Espírita;”. Para aqueles que desejam iniciar os estudos da doutrina Espírita. “Estudando André Luiz”, direcionado para os alunos. Que completaram o curso de Corrente Magnética.

Página 4


Informativo Mensal GETUH

Transformação Interior e o Mundo de Regeneração “A fim de que o mundo se trãnsforme e necessãrio que hãjã ã modificãção do ser humãno pãrã melhor, por ser ã celulã mãster dã sociedãde.

Cãdã um deve prepãrãr-se pãrã ãcompãnhãr ã mãrchã do progresso, integrãndo ã legião dos construtores do novo período dã Humãnidãde

Enquãnto mãntiver ã enfermidãde espirituãl resultãnte do ãtrãso evolutivo, nenhumã forçã externã conseguirã ãlterãr ã mãrchã morãl do plãnetã, desde que os seus hãbitãntes recusem -se ã trãnsformãção interior.

Anunciãdo por Jesus esse período de trãnsição, tãnto como referendãdo pelo Apocãlipse, nãrrãdo por João evãngelistã e os profetãs que se mãnifestãrãm ã esse respeito ão longo dã Historiã, chegã o momento de cumprir-se os divinos desígnios que reservãm pãrã ã TerOs momentos que vivemos são de esforço ãuto rã generosã o destino regenerãdor, sem ãs iluminãtivo, grãçãs ãs revelãçoes que descem ã mãrcãs do sofrimento nã suã feição pungitivã Terrã com mãior frequenciã e ãs informãçoes e desesperãdorã. segurãs em torno do processo de mudãnçã, oferecendo ã visão do futuro que ã todos nos As forçãs do mãl, porem, teimãm em mãnter o esperã. quãdro ãtuãl de desolãção, ão lãdo dos ãbusos de todã ordem, porque pretendem contiAs liçoes do Mestre de Nãzãre, desde hã dois nuãr explorãndo psiquicãmente os incãutos mil ãnos, convocãm-nos ão procedimento mo- que se lhes vinculãm ãtrãves dos hãbitos dorãl correto, ã convivenciã pãcíficã e ão cumpri- entios em que se comprãzem nã ilusão mãtemento dos deveres de solidãriedãde e ãpoio riãl. ãos que se encontrãm nã retãguãrdã dã ignorãnciã, ou sofrendo os necessãrios fenomenos A morte inevitãvel, porem, ã todos ãrrebãtã, e de recuperãção pelã dor, mediãnte os testemu- quãndo despertãm no ãlem-tumulo, estorcenhos, ãtrãves dãs experienciãs ãflitivãs... gãm nã reãlidãde, lãmentãndo os equívocos e necessitãndo de oportunidãde pãrã repãrãção. Esse não mãis se dãrã no plãnetã Terrã, que deixãrã de ser de provãs, mãs em outro de nãturezã inferior, onde se deverã expungir ã mãldãde e ã fãlenciã morãl em situãção muito mãis ãflitivã e mãis ãmãrgã.

Autor: Mãnoel Philomeno de Mirãndã Psicogrãfiã: de Divãldo Frãnco Livro: Amãnhecer de umã Novã Erã

Página 5


Por Jacob Melo

Informativo Mensal GETUH

ESSE PARADEIRO, CHAMADO MOVIMENTO, AINDA ME INCOMODA…

Acho que estou sendo repetitivo, mas o fato do movimento espírita continuar sem utilizar a bússola que está ao seu dispor mexe com meu mundo íntimo. Afinal, não bastasse a Boa Nova de Jesus, ainda temos toda a rica obra de Allan Kardec, incomparáveis zênites divinos a nos apontar o superior que devemos atingir… E quase sempre trocamos tudo isso por mensagens e mensageiros vários… Seriam estes ruins? Não é isso o que quero dizer, mas que Kardec permanece sendo melhor do que a maioria desses, disso não tenho a menor dúvida. Nessa questão, o que sinto de mais desconfortável é que são os que aparecem como defensores da Doutrina, ou ainda, da pureza doutrinária, os primeiros a debandarem das bases kardequianas. Usam de adaptações esquisitas, de formulações distorcidas e afirmam que o que veem e querem é que é o verdadeiro. Claro que quando assim escrevo, em princípio estou me referindo às questões atinentes ao Magnetismo e ao Espiritismo propriamente ditos,

mas, para quem tem olhos de ver, não temos como não perceber que na área mediúnica, na das interpretações do Evangelho e até nos desenvolvimentos dos processos de progresso e avanço dos seres e da humanidade, muitas são as colocações que fogem do que o Espiritismo propõe. Vejamos, bem sinteticamente, alguns exemplos. A mediunidade de efeitos físicos, dizem, não deve ser estimulada, “pois isso é coisa da história do Espiritismo e não dos dias atuais”, como se os fenômenos não tivessem mais o que nos ensinar ou tenham perdido sua validade, seu sentido; a mediunidade deve ser ‘educada’, como querem, ao contrário do que orienta Kardec, o qual nos sugere o seu ‘desenvolvimento’; o Evangelho nos mostra que devemos sofrer com resignação, lembram sempre disso, mas esquecem das muitas Página 6

mensagens que nos indicam o Reino de Deus como uma grande festa, ou seja, que estamos aqui em busca da felicidade e não do sofrimento para tão-somente demonstrar resignação; e quando dizem que o fim está próximo e que as transições já retém Espíritos maus nos locais dantescos que sequer conseguimos descrever, fica definitivamente enterrada a lógica da Justiça e do Amor Divinos, tão bem colocados em O Livro dos Espíritos. É de se lamentar que muitas cabeças dirigentes não saibam sequer deduzir o óbvio, deixando vazar sentidos e sentimentos que já deveriam estar bem superados. Ainda somos quase que induzidos a trocarmos o amor pelo temor, o progresso pelo castigo, o saber pela expulsão das hostes do Éden, a vida pela pena capital… E pensar que a proposta espírita arremete o ser humano ao progresso intelecto-moral e nunca ao ‘faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço’. Recordo-me de Jesus quando nos dizia e perguntava: Oh raça de incrédulos e depravados; até quando estarei convosco, até quando vos sofrerei??? (Mateus,17,17). E me pergunto: serei eu um representante de alguma dessas classes? Creio que não. Na verdade, os que pensam, os que estudam, os que entendem, os que querem mesmo servir - e servir com qualidade -, esqueçamos os que apenas arrazoam em juízo próprio, pois eles pouco se importam se o que se queima e o que se manda queimar seria útil ao bem que dizem defender; façamos todo o bem possível e sirvamos com alegria, na certeza de que tanto durante como após o labor o melhor virá e não a fúria dos ‘senhores’, nem a condenação ao ‘fogo eterno’ ou mesmo nos trevosos umbrais. E quem não quiser servir assim, como deve ser, perceberá que em vez de ‘movimento’ estamos mesmo é num grande paradeiro, o qual pode ser muito confortável para alguns, mas que estará bem distante do a que se destina. Fonte: Gentilmente cedido pelo site "O Magnetismo de Jacob Melo": http://jacobmelo.webs.com/


Informativo Mensal GETUH

TRABALHEMOS AMANDO

Na noite de 22 de abril de 1954, o nosso Instrutor Emmanuel voltou a utilizar-se do equipamento mediúnico e, talvez porque os componentes do Grupo houvessem palestrado, antes da reunião, sobre as diversas categorias das entidades espirituais que se comunicam conosco, o venerável orientador tomou o assunto por tema de sua mensagem que passamos a transcrever. Meus amigos, trabalhemos amando. A fim de que a glória do espírito se exprima, através do cérebro, na cintilação do pensamento, é preciso que a cabeça se ajuste aos variados departamentos do veículo carnal. Para isso, é indispensável que cada elemento do corpo seja respeitado em sua função específica. Os olhos são funcionários da visão. Os ouvidos são sentinelas do conhecimento. As narinas são guardiãs do olfato. A língua é a escultora da palavra. O coração é o ministro do equilíbrio. As mãos são artistas do trabalho. Os pés são escravos da sustentação. Temos, contudo, outros cooperadores em atividades mais humildes. A epiderme é um manto protetor. Os pulmões são câmaras de ar respiratório para a garantia da existência. O estômago é o alambique da digestão. O fígado é um condensador de energia vital. O baço é um gerador de sangue. O pâncreas é o excretor de enzimas.

Os intestinos são vasos de seleção técnica. Os rins são filtros seguros e diligentes. Os gases são recursos destinados à expulsão de venenos letais. Tudo na colmeia celular do campo físico é solidariedade perfeita, com especiais objetivos de Progresso e aprimoramento. Uma reunião de trabalhos mediúnicos é igualmente um corpo simbólico, exigindo que a direção considere, em seu devido valor, todas as peças de sua composição espiritual. Espíritos angélicos são mensageiros de amor. Espíritos instrutores são emissários de sabedoria. Espíritos amigos são frascos de remédio curativo ou de perfume amenizante. Espíritos familiares são bênçãos de reconforto. Espíritos sofredores são avisos à imprevidência. Espíritos ignorantes são desafios à boa-vontade. Espíritos em desequilíbrio são exercícios de paciência. Espíritos cristalizados no mal são apelos ao bem. Espíritos obsessores são oportunidades de concurso fraterno. Espíritos necrosados na delinquência ou no vício são convites à oração. Meus amigos, para a caridade tudo é grande! Na sementeira de luz, não há serviço insignificante. Na obra de redenção, não há tarefas desprezíveis. Para as Leis Eternas, a mão do legislador que lavra um decreto é tão venerável quanto a do enfermeiro que alivia uma chaga. Trabalhemos, pois, amando, e que o Senhor nos abençoe. Emmanuel DA OBRA: INSTRUÇÕES PSICOFÔNICAS CHICO XAVIER, POR ESPÍRITOS DIVERSOS Página 7


Informativo Mensal GETUH

PALESTRAS

Sergio Thiesen no GETUH Terça-feira – 22/01/2013 -Tema: Espiritismo e transformações-inclui clonagem humana, células troncos, transplantes, homossexualidade, embriões congelados etc.

Inspired by Allan Kardec’s works in the Revue Spirite (founded on January 1st, 1858), The Spiritist Magazine aims to bring to Spiritists and the lay public updated news about the Spiritist science, including it’s advancements on the understanding of our origin, nature and destiny as immortal Spirits. The Magazine also focuses on revisiting Allan Kardec’s foundational works. Subscription are available at:

Página 8


JORNAL GETUH JANEIRO 2013