Page 1

Ano XI – Número 127 Maio/ 2014

INFORMATIVO MENSAL

Reuniões Públicas Terça-feira 7:00-9:00 (pm) Domingo 10:30 am -12:30 pm Evangelização Infantil/Juvenil Domingo 10:30 am -12:30 pm Atendimento Fraterno Quinta-feira 7:15 – 8:45 (pm)

***

SUMÁRIO

Conversar A palavra é um fio de sons carregados por nossos sentimentos; em razão disso, aquilo que sentimos é o remoinho vibratório que nos conduzirá a palavra ao lugar certo que nos propomos atingir. Quando falamos, cada qual de nós apresenta o próprio retrato espiritual passado a limpo. Conversando, dialogamos; dialogando, aprendemos. Quem condena atira uma pedra que voltará sempre ao ponto de origem. As artes são canais de expressão derivados do verbo: a escultura é a palavra coagulada, a pintura é a palavra colorida, a dança é a palavra em movimento, a música é a palavra em harmonia; mas a palavra, em si, é a própria vida. Quando haja de reclamar isso ou aquilo, espere que as emoções se mostrem pacificadas; um grito de cólera, às vezes, tem a força de um punhal. Sempre que possa e quanto possa, abstenha-se de comentar o mal; a palavra cria a imagem e a imagem atrai a influência que lhe diz respeito. Você falou, começou a fazer. Não fale na treva para que a treva não comece a caminhar por sua conta. Abençoadas serão as suas palavras sempre que você fale situando-se na posição dos ausentes ou no lugar dos que lhe ouvem a voz. Respostas da Vida -André Luiz / Chico Xavier

www.getuh.org 331, Boston Post Rd. (East) – Marlborough – MA – 01752


Informativo Mensal GETUH Neste mês de maio, vamos reverenciar com muito carinho e gratidão a sublime mãe de Jesus e nossa mãe, Maria de Nazaré. Maria (ou Miriam) é nome de origem hebraica e significa Senhora da Luz. Mesmo com toda a discrição em torno da figura de Maria, no Novo Testamento, isso não diminui seu valor e sua importância. No Espiritismo, aprendemos a reconhecer Maria de Nazaré como uma entidade evoluidíssima que já havia conquistado as mais elevadas virtudes, há mais de dois mil anos, tornando-a apta a desempenhar tão elevada missão, de receber em seus braços o Emissário de Deus, que se fez menino para transformar em guia e modelo de perfeição moral que a humanidade pode aspirar sobre a Terra. Conforme a literatura espírita que chegou até nós, por via mediunica, Ela continua até hoje zelando com muito carinho por toda a humanidade terrestre, encarnada e desencarnada. Símbolo de inúmeras virtudes e espírito de grandes conquistas evolutivas, consciente de sua missão, curva-se humilde perante o anjo, que em nome do Pai anuncia que será mãe de Jesus, o salvador, dizendo: “Eis aqui a serva do Senhor, cumpra-se em mim segundo a tua palavra”. Maria profere um dos mais belos cânticos de louvor e agradecimento a Deus, após a visita do Anjo Gabriel. Cântico de Maria “A minha alma enaltece o Senhor, meu espírito exulta em

Deus, meu salvador, porque atentou na condição humilde da sua serva. Assim, a partir de agora, todas as gerações me proclamarão bem aventurada, porque o Todo-Poderoso fez por mim grandes coisas; seu Nome é santo. A sua misericórdia se estende de geração em geração, aos que o temem. Agiu com a força de seu braço, dispersou soberbos de coração. Derrubou do trono os poderosos e elevou os de condição humilde. Cumulou de bens os famintos e despediu os ricos de mãos vazias. Socorreu Israel, seu filho, para lembrar-se da misericórdia em favor de Abraão e de sua semente, para sempre, como disse aos nossos pais”. Evangelho segundo Lucas (Cap. 1, 46-55).

Compaixão e Serviço E Jesus, saindo, viu uma grande multidão e teve compaixão deles, porque eram como ovelhas que não têm pastor; e começou a ensinar-lhes muitas coisas. (Marcos 6:34) A expressão do Divino Mestre ante a multidão é motivo de graves meditações em torno da nossa conduta. Narra o evangelista Marcos que Jesus, contemplando a turbamulta que o seguia, se encheu de compaixão e serviu-a logo em seguida. No mundo há criaturas humanas com respeitáveis faculdades e possibilidades de serviço que se enveredam no exclusivismo e na superioridade. Não obstante alguns compreenderem os seus deveres para com a Humanidade, auxiliando-a sem exigências, estende aos milhares os que deixam a multidão aflita ao abandono. Nos vários departamentos de atividades humanas se encontram os detentores de recursos mais altos; criaturas com inteligência apurada, homens com valores amoedados, cientistas e políticos, pensadores da filosofia e orientadores da religião, todos com suficientes possibilidades de amparo às coletividades, mas poucos com disposição crística de servir.

Página 2

Espíritas, cristãos, que dizemos ser, jamais devemos esquecer a compaixão do Senhor pela grande multidão que ainda se encontra na desorientação e ignorância, entregue aos vícios de toda ordem, porquanto, diante do Mestre Divino, somos parte integrante dessa mesma multidão. Mas, aos que já receberam alimento novo, o pão do esclarecimento espiritual, que procurem reparti-lo e multiplicá-lo, sem se isolar no intelectualismo e condições personalistas, esquecidos dos princípios elementares do Evangelho, que são o amor e serviço à Humanidade. Para tanto, não dependemos de títulos e posições de destaque no mundo, nos basta boa vontade e cooperação na construção do edifício da fraternidade humana. Foi no influxo dessa lei, em que o mais aquinhoado auxilia o necessitado, que Allan Kardec, renunciando às suas comodidades, legou-nos a Codificação Espírita sob o amparo do Cristo, para que a grande multidão de homens e mulheres, crianças e idosos, pudesse sair dos séculos de ignorância espiritual. Refletindo sobre isso, percebemos o grande dever do espírita no mundo. Provido de conhecimentos superiores acerca da realidade maior, resta ao espiritista-cristão movimentá-los a benefício do povo e deixar-se embalar pela doce compaixão do Cristo Misericordioso. Jean Gabriel


Informativo Mensal GETUH está bem visto que também se interessa pelo mundo, pelo homem e pelas suas condições terrenas. É verdade que a Doutrina se preocupa, acima de tudo, com o lado espiritual da vida, mas nem por isso devemos desconhecer as omissões da sociedade, que é culpada de muitos dramas e conflitos por causa de sua indiferença diante das injustiças de toda ordem.

O Espiritismo não é uma Doutrina fatalista: se existem dificuldades insuperáveis, porque se prendem a vinculações bem dolorosas com o passado de outras etapas da vida, também existem problemas que correm por conta da falta de solidariedade ou frieza de muitos corações, que ainda não aprenderam a palpitar nas expansões do amor ao próximo. Tudo isso é ensino da Doutrina Espírita. E o próximo é o ser humano, não é apenas o nosso irmão consanguíneo, nosso amigo, o nosso correligionário de crença ou de partido político. Se a Doutrina é assim, se ela nos predispõe ao trabalho de ajuda moral e material, sem qualquer discriminação,

E a sociedade somos todos nós, logo, também nos cabe uma parte de responsabilidade. Se a Doutrina Espírita abrange os dois aspectos da vida – o material e o espiritual situando as necessidades e os valores nos planos que lhes são correspondentes, logicamente não pode adotar soluções unilaterais nem assumir posições dogmáticas. Conquanto admitamos como certa e necessária a precedência do espírito sobre a matéria, segundo a Doutrina Espírita, não podemos cair no exagero e na incoerência de querer instituir um tipo de vida inteiramente à parte, como se estivéssemos vivendo em dimensões estranhas. A Doutrina não nos induz a pender para qualquer tendência ortodoxia ou obstinada: nem o irrealismo dos ascetas, nem o egocentrismo dos que vivem somente para a realidade momentânea e utilitária. O Espiritismo é, para nós, uma filosofia de vida, não é simplesmente uma crença. Livro: O Espiritismo e os Problemas Humanos - Deolindo Amorin


Informativo Mensal GETUH A mediunidade é a faculdade natural pela qual se sente e transmite a influência dos Espíritos, ensejando o intercâmbio e a comunicação entre o mundo físico e o espiritual. A sintonia entre os encarnados e desencarnados, através da mediunidade, permite uma percepção de pensamentos, vontades e sentimentos. “Consciente das responsabilidades que lhe dizem respeito, o médium consciente de si mesmo e das lições edificantes do Espiritismo empenha-se com denodo para ser sempre melhor moralmente, esforçando-se por alcançar patamares mais elevados da evolução, sempre objetivando servir mais e melhor. "Mediunidade: Desafios e Bênçãos( Divaldo Franco- Manoel Philomeno de Miranda) O Espiritismo ensina que a mediunidade com Jesus oferece uma oportunidade de servir e de praticar a caridade. Graças ao exercício equilibrado da mediunidade, o homem tem a oportunidade de resgatar desajustes adquiridos em encarnações anteriores, ao mesmo tempo que auxilia os companheiros de jornada que já se encontram no mundo espiritual. Sendo inerente ao ser humano, a mediunidade pode ser encontrada em qualquer pessoa, independente da Doutrina Religiosa, idade, sexo, condição social ou moral. Vivemos constantemente em contato com o mundo espiritual. A influencia que os espíritos tem sobre os pensamentos e atos dos encarnados se faz sentir pelo grau de afinidade mantido com eles. Inúmeros Espíritos Benfeitores estão constantemente se comunicando com os encarnados, por via inspirativa ou intuitiva, basta que o encarnado se coloque receptivo à caridade, à fraternidade, ao amor, à paciência, ao bem querer. O tipo de influência espiritual que o homem encarnado tem, depende dos seus sentimentos, da sua realidade íntima, de sua vida mental. A mediunidade não foi concedida ao homem para um simples passatempo ou para satisfação dos caprichos pessoais.

Página 4

A mediunidade não torna o homem especial, e não deve ser observada como sinal de privilégio de poucos ou status. “Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, Médium. Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um privilégio exclusivo (...). Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos Médiuns". O Livro dos Médiuns, cap. XIV

Se todos somos médiuns, a escolha de desenvolver a mediunidade com Jesus, é uma decisão pessoal e de extrema importância. Se refletirmos que tudo o que plantarmos, colheremos, como nos alertou o ensinamento Bíblico, a escolha de como colocaremos em prática, quando e com que bases desenvolveremos a nossa mediunidade, é um passo que deve ser analisado com muito cuidado. A base de toda decisão deve estar nos ensinamentos Divinos que Jesus nos exemplificou, pois se as Leis de Deus são imperecíveis, devemos condicionar nossas escolhas com o hábito da prece como forma de inspiração e auxílio. A responsabilidade deve mover o individuo que queira bem desenvolver a mediunidade. Como toda iniciativa na vida, deve-se estudar com dedicação e operar com amor. A caridade nunca deve sair do foco, pois sem ela como base de trabalho, o médium pode, e com muita frequência acontece, cair nas muitas ciladas da vaidade e orgulho, que ainda pulsam no espírito de quase todos que habitam a Terra. O primeiro passo é o conhecimento e a compreenção do que esta acontecendo, a busca de informação aonde a seriedade e Jesus são a base, deve impulsionar o individuo ao despertar dos deveres que possivelmente foi ele próprio quem escolheu para si. A prática e as oportunidades acontecerão quando o médium se coloque na posição de operário que não teme começar em qualquer setor de trabalho. Aos humildes de coração, o trabalho e a caridade em si, já são foco de Luz em movimento.


Informativo Mensal GETUH 6. If everybody thought in that manner, it could be argued that

5. The clear and precise idea which can be formed of a future life provides an unshakable faith in what is to come. This faith places enormous consequences upon the moralization of Man because it completely changes the point of view as to how life on Earth is regarded. For those who place themselves by means of thought in the spiritual life, which is undefined, bodily life becomes a mere temporary stay in an ungrateful country. The vicissitudes and tribulations of this life become nothing more than incidents, which can be supported with patience as they are known to be of short duration and will be followed by a more amenable state. Death no longer has terror attached to it; it ceases to be a door opening on to nothingness and becornes a door that opens to liberation, through which the exile enters into a well-blessed mansion, and there finds peace. Knowing that the place where we find ourselves at the moment is only temporary and not definite, makes us pay less attention to the preoccupations of life, resulting in less bitterness and a more peaceful Spirit. Simply by doubting the existence of a future life, Man directs all his thoughts to earthly existence. Without any certainly of what is to come he gives everything to the present. With the mistaken idea that there is nothing more precious than earthly things, Man behaves as a child who can see only us lays and is prepared la go to any length to obtain the only possessions he judges to, be solid. The loss of even the least of these causes pungent hurt. A mistake, a deception, an unsatisfied ambition, an injustice to which the person has fallen victim, hurt pride or vanity, to name but a few, are just some of the torments which turn existence into an eternal agony, so in this manner causing self-inflicted torture at every step. From the point of view of earthly life, in whose center we place ourselves, everything around us begins to assume vast proportions. The harm that reaches us, as well as the good that touches others, takes on a great importance in our eyes. It is like the man, who, when in the middle of a great city sees everything on a large scale, but who, when looking down from a mountain top sees things in only minute form. This is what happens when we look at life from the point of view of a future existence Humanity, just as the stars in space, loses itself in the great immensity. We begin to see that great and small things are confounded, as ants on top of an ant hill, that proletarians and potentates are the same stature. We lament that so many short-lived creatures give themselves over to so much labor in order to conquer a place which will do so little to elevate them, and which they will occupy for so short a time. From this it follows that the value given to earthly things is completely in reverse to that which comes from a firm belief in a future life.

everything on Earth would be endangered because no one would bother about anything. But Man instinctively looks after his own well-being, so even if he knew it was but for a short while, be would still do his best. There is no one who, when finding a thorn in his hand, will not take it out so as not to suffer. Well then, the de sire for comfort forces Man to better all things, seeing that be is impelled by the instinct of progress and conservation which are part of The Laws of Nature. Therefore, be works not only through necessity but because he wants to, and because of a sense of duty, so obeying the designs of Providence which placed him an Earth for That purpose. Only a person who occupies themself more with the future can give relative importance to the present. This person is easily consoled in all his failings and misfortunes by thinking of the destiny that awaits him. Accordingly, God does not condemn all earthly pleasures and possessions, but only condemns the abuse of these things in detriment to the soul. All those who take these words of Jesus for themselves: My Kingdom is not of this world, are guarding against these abuses. Those who identify themselves with a future life are as a rich person who loses a small sum without emotion. Those whose thoughts are concentrated on earthly things are as the poor man who loses all be bas, and so becomes desperate.

7. Spiritism opens up and broadens out the thought process, so offering new horizons. In place of a short-sighted vision concentrated only on the present, which makes this fleeting moment passed on Earth the unique and fragile axis of the eternal future; Spiritism shows us that this life is nothing more than a link in the magnificent, harmonious assembly which is God's work. It also shows us the solidarity which joins together all the different existences of one being, of all beings of the same world, and all the beings of all the worlds. It offers the base and the reason for universal fraternity, whereas the doctrine of the creation of the soul at the birth of the body, makes each creature a stranger one to the other. This solidarity between parts of a whole explains what is inexplicable when only one of these parts is considered. This entirety would not have been possible to understand at the time of Christ, and for this reason He waited till later to make this knowledge known. THE GOSPEL ACCORDING TOSPIRITISM Cap: 2 /5 6 7

Pรกgina 5


Informativo Mensal GETUH PALÔ - A Inocência do Amor Verdadeiro - AUTOR: WILSON FRUNGILO JUNIOR Sinopse - Ele viu um mundo diferente. Viu a amizade, onde todos apontavam diferenças. Experimentou a paciência, onde todos agiam com intolerância. Tocou a face da esperança, quando muitos, ao seu redor, lhe mostravam suas limitações. Ele amou, mesmo quando a distância lhe dizia que seria impossível... Palô era seu nome, um lindo menino, sonhador, bondoso, querido e amável, nascido em uma família pobre e modesta . Envolto em necessidades, aprendeu cedo os valores do trabalho, da cooperação e da compreensão. Arlete, encantadora menina. Amiga, paciente, bela e corajosa, pertencia a uma família rica. Inteligente que era, logo começou a se destacar entre as melhores alunas de sua escola. Duas crianças vizinhas que cresceram juntas. E essa amizade, pura e ingênua, transformou-se num grande amor na adolescência. Ela, com seu futuro brilhante. Ele, limitado por um pequeno, mas comprometedor atraso mental, viu muitas portas se fecharem e, também, o amor de sua vida se distanciar.

“(...) a Humanidade terrena aproxima-se, dia a dia, da esfera de vibrações dos invisíveis de condição inferior, que a rodeia em todos os sentidos. Mas, segundo reconhecemos, esmagadora percentagem de habitantes da Terra não se preparou para os atuais acontecimentos evolutivos. E os mais angustiosos conflitos se verificam no sendal humano. A Ciência progride vertiginosamente no planeta, e, no entanto, à medida que se suprimem sofrimentos do corpo multiplicam-se aflições da alma. Os jornais do mundo estão cheios de notícias maravilhosas, quanto ao progresso material. Segredos sublimes da Natureza são surpreendidos nos domínios do mar, da terra e do ar; mas a estatística dos crimes humanos é espantosa. Os assassínios da guerra apresentam requintes de perversidade muito além dos que foram conhecidos em épocas anteriores. Os homicídios, os suicídios, as tragédias conjugais, os desastres do sentimento, as greves, os impulsos revolucionários da indisciplina, a sede de experimentação inferior, a inquietação sexual, as moléstias desconhecidas, a loucura, invadem os lares humanos”.

Página 6

Os Mensageiros – André Luiz / Chico Xavier – cap-5


Informativo Mensal GETUH

Olá Amiguinho(a), Você é capaz de identificar os 12 apóstolos de Jesus? Talvez você precise pesquisar um pouco o assunto. Apóstolo é uma palavra derivada do grego que significa enviado. Inicialmente Jesus escolheu doze apóstolos e os enviou para diversos lugares para pregarem a chegada da Boa Nova ou do Evangelho. A qual os apóstolos as frases a seguir se refere? (Enumere as frases com o número dos apóstolos.) ( ) E eu te digo: Tu és pedra e sobre esta pedra edificarei a minha igreja. ( ) Pescador em Cafarnaum, foi o primeiro a receber de Cristo o título de Pescador de Homens e, portanto, o primeiro a recrutar novos discípulos para o Mestre. ( ) O mais jovem dos apóstolos de Cristo e nascido em Betsaida, na Galiléia, autor do quarto evangelho e conhecido como o discípulo que Jesus amava. O único apóstolo que acompanhou Cristo até a morte na cruz, ao lado de Nossa Senhora. ( ) É o mais desconhecido dos apóstolos. Nas listas dos 12 apóstolos, seu nome aparece em décimo primeiro lugar e, a seu respeito, a Sagrada Escritura conserva somente o nome, derivado de Simeão e significa Ouvido de Deus. (

) Por causa de seu amor ao dinheiro, também foi enganado pelos sacerdotes que o

Ingredientes: Um pouco de ternura 1 xícara de amor 1 colher de alegria 1 pitada de felicidade Muita fé 1 gota de esperança

Modo de Fazer: Coloque os ingredientes em uma vasilha de raios de Sol, adicione boa vontade e energia. Leve até o coração e deixe-o bater. Acrescente doçura e ilumine sua vida com amor. Suficiente para uma família feliz!

induziram a mostrar onde estava Jesus a troco de 30 moedas de prata, que naquele tempo correspondia ao preço de um escravo, prometendo que só o prenderiam durante as festividades da Páscoa Judaica. ( ) Também pescador e filho de Zebedeu e de Salomé, estava com o irmão João nas margens do lago Genesaré, quando Jesus os chamou. ( ) Esteve presente na multiplicação dos pães e na última ceia. Após a morte de Jesus viajou ao Egito. ( ) O Cristo reapareceu aos discípulos, exigiu destes provas materiais da ressurreição do Mestre e, por isso, Jesus ressurgiu e pediu-lhe que tocasse suas chagas. ( ) Além dos evangelhos de João, Mateus, Marcos e Lucas, os Atos referem-se a ele como um dos Doze. Porém de suas atividades apostólicas não há notícias certas. ( ) Apóstolo de Cristo nascido em Nazaré, primo de Jesus e irmão de Judas Tadeu, também conhecido como o Desconhecido, que o evangelista Marcos chamou de o Menor. ( ) Seu nome original era Levi, filho de Alfeu, e foi chamado por Jesus junto ao mar da Galiléia, em Cafarnaum. Era fariseu e publicano, ou seja, cobrador de impostos. ( ) Era primo-irmão de Jesus e irmão de Tiago o Menor, que na última ceia, perguntou ao seu mestre: Senhor, por que te manifestarás a nós e não ao mundo?

Página 7

Respostas: 3/4/2/12/7/1/6/11/10/9/5/8


Informativo Mensal GETUH

Pรกgina Pรกgina 8 8

JORNAL GETUH MAIO 2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you