Issuu on Google+

EMEF JOÃO CROZARIOL PLANO DE SALA DE AULA 2008 2º ANO A Professor GERMANO SILVA DE RIVERA PLANO DA DISCIPLINA: HISTÓRIA I – MARCO OPERATIVO: Entendendo que a História não é resultado apenas da ação dos grandes homens e seus feitos, mas uma obra coletiva de todos os homens e que a noção geográfica é um instrumento essencial para a compreensão e intervenção na realidade social e a compreensão das singularidades do lugar em que vivemos e o que diferencia e aproxima de outros lugares o estudo destas disciplinas privilegiará a ação do homem comum, seu cotidiano, sua organização e seus diferentes momentos de construção da história valorizando como produtor de cultura, de um saber próprio definido em sua prática. Para isso é preciso que o aluno avance mais no processo de construção da cidadania através da observação, do conhecimento, da explicação, da comparação e representação das características históricas e geográficas do lugar em que vivem. Tal estudo deve servir para que o aluno se oriente no emaranhado de informações que caracterizam a sociedade contemporânea e se perceba como agente atuante de sua transformação, apto a tomar posições conscientes, independentes e críticas. II - DIAGNÓSTICO: Os alunos já conhecem noções de núcleo familiar e poucos dados relativos à sua história e origem familiar - Possuem uma visão limitada da sociedade em que vivem, desconhecendo as relações nela existente. Isso se deve a que pertencem a famílias de lavradores e trabalhares rurais com pouca ou nenhuma escolaridade. As fontes de informações são limitadas à TV que não retrata os conhecimento históricos e culturais locais e sim de outras regiões do país e do mundo. III – PROGRAMAÇÃO: 1 – OBJETIVOS: Ao longo do ano o aluno deverá desenvolver as seguintes habilidades: • Incentivar os alunos a observar a sociedade onde vivem, interpretando as relações nela existentes • Permitir que os alunos comparem seu tempo e espaço com outros tempos e espaços, identificando o que mudou e o que continua o mesmo • Construir conceitos de tempo histórico. 2 – ESTRATÉGIAS: • Desenvolver atividades que possibilitem aos alunos trabalhar com diferentes fontes de informação, levantando e organizando informações conseguidas por meio de documentos de época (fotos, cartas, livros, músicas, objetos, mapas, pinturas, relato de pessoas sobre suas memórias do passado.) • Utilizar reportagens, vídeos sobre eventos ou movimentos sociais, romances etc. • Pesquisas e entrevistas


• • • • • • •

Desenhos e dobraduras Trabalho em grupo ou individual Recorte e colagem Confecção de painéis e cartazes Música Filmes Textos informativos.

3 – NORMAS: • Fazer perguntas quando houver dúvidas. • Caprichar na confecção de cartazes • Colaborar e contribuir nas atividades em grupo • Respeitar os outros e suas opiniões • Ter bom comportamento • Respeitar o patrimônio público 4 – ATIVIDADES PERMANENTES: • Leituras e levantamento de informações por meio de documentos de época (fotos, cartas, músicas, mapas, pinturas e relatos.) 5 – CONTEÚDOS: - Identidade • Data de nascimento • Nome (origem/história) • Direitos e deveres. • • • • • •

Família Família que vive em casa Origem da família, costumes, religião, lazer Profissão dos membros da família Meios de comunicação, transporte Diferentes tipos de casa. Escola História da escola (origem, nome, pessoas que trabalham, professores)

- Bairro • Bairro da escola (história) • Comércio do bairro.

AVALIAÇÃO: Através da observação do desenvolvimento das habilidades, interesse, participação, cooperação, domínio de etapas, etc... e de provas objetivas.


EMEF JOÃO CROZARIOL PLANO DE SALA DE AULA 2008 2º ANO A Professor GERMANO SILVA DE RIVERA PLANO DA DISCIPLINA: GEOGRAFIA I – MARCO OPERATIVO: Entendendo que a História não é resultado apenas da ação dos grandes homens e seus feitos, mas uma obra coletiva de todos os homens e que a noção geográfica é um instrumento essencial para a compreensão e intervenção na realidade social e a compreensão das singularidades do lugar em que vivemos e o que diferencia e aproxima de outros lugares o estudo destas disciplinas privilegiará a ação do homem comum, seu cotidiano, sua organização e seus diferentes momentos de construção da história valorizando como produtor de cultura, de um saber próprio definido em sua prática. Para isso é preciso que o aluno avance mais no processo de construção da cidadania através da observação, do conhecimento, da explicação, da comparação e representação das características históricas e geográficas do lugar em que vivem. Tal estudo deve servir para que o aluno se oriente no emaranhado de informações que caracterizam a sociedade contemporânea e se perceba como agente atuante de sua transformação, apto a tomar posições conscientes, independentes e críticas. II - DIAGNÓSTICO: Os alunos possuem algumas noções do espaço físico onde moram, do percurso até a escola, dos elementos naturais e muita curiosidade sobre a organização do trabalho. Existe a necessidade de desenvolver a percepção dos diferentes aspectos do espaço onde as crianças vivem e de que as paisagens naturais sofrem transformações devido a ação humana. A falta de percepção destes aspectos se deve a um certo isolamento de suas comunidades do contato com outras comunidades que não as rurais. III – PROGRAMAÇÃO: 1 – OBJETIVOS: • Contribuir para que os alunos percebam melhor o espaço onde vivem e compreendam que as paisagens naturais não são acabadas e eternas, mas estão sendo constantemente transformadas pela ação dos homens • Desenvolver no aluno a capacidade de localização e representação, produzindo e interpretando mapas • Coletar, analisar e classificar dados geográficos, identificando as sucessivas transformações na divisão do trabalho ocorridas em um mesmo espaço no decorrer do tempo. 2 – ESTRATÉGIAS: • Desenvolver atividades que possibilitem aos alunos trabalhar com diferentes fontes de informação, levantando e organizando informações conseguidas por meio de documentos de época (fotos, cartas, livros, músicas, objetos, mapas, pinturas, relato de pessoas sobre suas memórias do passado.) • Utilizar reportagens, vídeos sobre eventos ou movimentos sociais, romances etc.


• • • • • • • •

Pesquisas e entrevistas Desenhos e dobraduras Trabalho em grupo ou individual Recorte e colagem Confecção de painéis e cartazes Música Filmes Textos informativos.

3 – NORMAS: • Fazer perguntas quando houver dúvidas. • Caprichar na confecção das atividades • Colaborar e contribuir nas atividades em grupo • Respeitar os outros e suas opiniões • Ter bom comportamento • Respeitar o patrimônio público 4 – ATIVIDADES PERMANENTES: • Leituras e levantamento de informações por meio de trabalho de campo, relatos de viagens, fotos, vídeos, músicas, narrativas literárias, ampliando a compreesão dos alunos sobre o espaço geográfico. 5 – CONTEÚDOS: - Espaço • O espaço físico onde vive (dependências) • Espaço físico da casa, planta da casa • Diferentes tipos de casa • Bairro onde mora • Espaço físico da escola (planta, dependências) • Percurso até a escola Bairro da escola – ruas, praças, construções, terrenos, etc. • • • •

- Trabalho e Sociedade Organização do trabalho (profissões) Identificação dos funcionários da escola Trânsito (regras de conduta) Meios de comunicação

- Natureza • Elementos naturais • Utilização dos recursos da natureza (reciclagem) AVALIAÇÃO: Através da observação do desenvolvimento das habilidades, interesse, participação, cooperação, domínio de etapas, etc... e de provas objetivas.


EMEF JOÃO CROZARIOL PLANO DE SALA DE AULA 2º ANO A Professor GERMANO SILVA DE RIVERA PLANO ANUAL DA DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA I – MARCO OPERATIVO: Sabemos que o homem é um ser social que depende da comunicação para acessar o mundo que o rodeia e expressar suas opiniões e idéias para interagir de forma crítica e interpretar os acontecimentos à sua volta. Para isso a aquisição da linguagem oral e escrita torna-se fundamental e é num ambiente escolar onde se dá o ensino sistematizado e significativo dessa disciplina com esclarecimento de suas implicações e da participação social, bem como a atividade discursiva e textualidade que proporcionaremos ao educando meios que garantam o uso eficaz da linguagem, condição para que o aluno possa progredir nas séries subseqüentes. O processo de alfabetização/letramento consiste em não apenas decodificação do sistema alfabético mas em compreender o que a escrita representa e de que forma ela representa graficamente a linguagem. Propomos um ensino para difundir e dar subsídios desde o início no desenvolvimento da linguagem oral e escrita, pois o discurso tem amplo significado, não ocorre ao acaso e deve ter responsabilidade de oferecer a todos os educandos acesso aos saberes lingüísticos necessários para uma consciência plena de sua função de cidadão transformador. Sua aplicação deve ser em um ambiente que favoreça a apropriação do sistema lingüístico em situações reais de leitura, escrita e análise sobre a língua. II – DIAGNÓSTICO: Alguns alunos já dominam o conhecimento da base alfabética e a relação entre a escrita e a fala, outros necessitam dominar a nomenclatura e a grafia das letras do alfabeto. Existe a necessidade de desenvolver a linguagem oral dos alunos nas diferentes situações cotidianas, de despertar o interesse pela leitura e escrita e de garantir a apropriação do sistema de escrita (base alfabética). O atual estágio do desenvolvimento da leitura e da escritos dos alunos os coloca numa turma heterogênea e se deve ao fato de que alguns freqüentaram a educação infantil e outros não, mas todos apresentam condições de progredirem e fazerem progressos satisfatórios. III – PROGRAMAÇÃO : 1 – OBJETIVOS: • Garantir a apropriação do sistema de escrita (base alfabética) da Língua Portuguesa apresentando hipótese de escrita alfabética ao final do ano. • Possibilitar ao aluno o conhecimento e a percepção da forma de diversos gêneros textuais como listas, legendas, etc... • Construir frases com autonomia. • Ampliar a capacidade de comunicação oral e escrita, escrevendo de letra cursiva. • Desenvolver o gosto pela leitura e sua compreensão, adquirindo a leitura de forma plena.


2– ESTRATÉGIAS: • Desenvolver atividades envolvendo anúncios, cartas, receitas, crônicas, poemas, notícias de jornal, histórias, em contextos que façam sentido para as crianças. • Subsidiar as atividades de gramática, leitura e escrita através de textos variados como: Literários: fábulas, lendas, crônicas, contos, romances, poemas, textos dramáticos, etc.. Não literários: placas, cartas, cheques, recibos, notícias, reportagens, manuais, etc.. Científicos: temas como meio ambiente, saúde, astronomia, arte, história, etc.. • Caça palavras e cruzadinhas • Ligar desenhos a palavras • Utilização de material didático • Músicas • Recorte e colagem 3 – NORMAS: • Fazer perguntas quando houver dúvidas. • Caprichar na confecção das atividades • Colaborar e contribuir nas atividades em grupo • Respeitar os outros e suas opiniões • Ter bom comportamento • Respeitar o patrimônio público 4 – ATIVIDADES PERMANENTES: • Leitura feita pelo professor de diferentes textos (narrativos, informativos, poemas, piadas, lendas, cordel, etc..) • Roda de conversa • Atividade de leitura – Roda de leitura • Atividade de escrita • Manuseio de diferentes portadores de textos (gibis, revistas, jornais, livros, etc..) 5 – CONTEÚDOS: LINGUAGEM ORAL: • Seqüência lógica das idéias • Articulação correta das palavras • Ampliação do vocabulário LEITURA: • Leitura de textos diversificados • Apreensão das idéias do texto PRODUÇÃO DE TEXTOS: • Escrita do próprio nome • Símbolos convencionais da escrita (alfabeto) • Nomes próprios • Rimas/poemas/cantigas de roda • Dicionário ilustrado


ANÁLISE LINGUÍSTICA: • Símbolos convencionais e direção da escrita • Espaçamento entre palavras • Apresentação: data/título/margem • Singular/plural • Pontuação • Acentuação: cedilha/til/agudo/circunflexo • Sílabas/número de sílabas • Ortografia: C/T/R/G/X/CH/M/S/C/U/L em final de sílaba AVALIAÇÃO: Através da observação do desenvolvimento das habilidades, interesse, participação, cooperação, domínio de etapas, etc... e de provas objetivas.


EMEF JOÃO CROZARIOL PLANO DE SALA DE AULA 2º ANO A Professor GERMANO SILVA DE RIVERA PLANO ANUAL DA DISCIPLINA DE : MATEMÁTICA 1 – MARCO OPERATIVO A disciplina em questão possui ampla importância no desenvolvimento o educando, no entanto, quando se fala em aprender matemática, surge algumas vezes, um certo temos como se tal disciplina fosse uma coisa de outro mundo e de difícil compreensão. As necessidades cotidianas fazem com que os alunos desenvolvam uma inteligência prática em reconhecer certas dificuldades, buscar e selecionar informações, tomar decisões e portanto desenvolver uma ampla capacidade para lidar com a atividade matemática, sem que n.o entanto, se perceba que estes conceitos são conceitos matemáticos decisivos na formação da cidadania. Faz-se necessário que o ensino desta disciplina proporcione ao aluno uma apropriação de um conhecimento que o auxilie na compreensão, transformação e construção de sua realidade, onde observe, relacione e aprenda tais representações com princípios e conceitos sistematizados e contextualizados que fujam de uma sucessão linear de conceitos prontos e permitam falar e escrever a matemática através de gráficos, desenhos, construções e organizações de dados que sejam úteis e práticos em seu cotidiano. Para esta proposta sugerimos uma aprendizagem que se dê através de jogos, livros, vídeos, calculadoras, computadores e outros materiais que se integrem a situações de exercício de matemática. II – DIAGNÓSTICO: Poucos alunos sabem contar além do número 10. Os alunos ainda não dominam conceitos básicos de adição e subtração. A aquisição de noções de forma, número e quantidade precisa ser adquirida. Existe a necessidade de despertar a compreensão de que a matemática está presente no cotidiano das pessoas e que precisamos dominar certos conceitos, operações, cálculos e raciocínios para a solução dos nossos problemas. III – PROGRAMAÇÃO: 1 – OBJETIVOS: • Estimular os alunos a criar estratégias próprias de resolução de problemas • Capacitar os alunos a raciocinar logicamente, ampliando seus conhecimentos e aplicando-os na solução de problema • Construir conceitos de : números naturais e sistemas de numeração decimal, operações com números naturais, espaço e forma, grandezas e medidas e tratamento de informação. 2 – ESTRATÉGIAS: • Desenvolver atividades que partam de situações problema desafiadoras e de situações que surjam em aula ou que sejam trazidas pelos alunos, envolvendo aspectos quantitativos e qualitativos da realidade cotidiana, que dizem respeito a: números, geometria, medidas e tratamento de informação. • Utilização de materiais como: Jogos, Fichas, Palitos, Desenhos, Representação de cédulas e moedas, Instrumentos de Medidas, Calendários, Material Dourado, Blocos lógicos, Recorte e colagem, etc..


3 - NORMAS • Fazer perguntas quando houver dúvidas. • Caprichar na confecção das atividades • Colaborar e contribuir nas atividades em grupo • Respeitar os outros e suas opiniões • Ter bom comportamento • Respeitar o patrimônio público 4 – ATIVIDADES PERMANENTES: • Reconhecimento do número no contexto diário; • Contagem e quantificação • Registro de leitura e escrita de números • Interpretação e resolução de problemas • Utilização de calendário 5 – CONTEÚDOS: NÚMEROS NATURAIS: • Conceitos matemáticos; • Reconhecimento do número no contexto diário • Leitura, escrita e ordenação de números familiares e freqüentes • Conceito de número (inclusão hierárquica) • Contagem em escala ascendente e descendente de 1 em 1, 2 em 2, 5 em 5, 10 em 10. • Unidade e dezena – sistema de numeração decimal • Dúzia e meia dúzia • Noções de par e ímpar • Composição e decomposição OPERAÇÕES: • Análise, interpretação e resolução de situações-problema, compreendendo alguns significados das operações, em especial da adição e da subtração • Utilização de sinais convencionais (+, - , =) • Decomposição de escrita numérica para realização de cálculo mental exato e aproximado (dezenas) • Cálculo de adição e subtração por meio de técnicas pessoais e convencionais ESPAÇO E FORMA: • Localização e movimentação de pessoas ou objetos no espaço • Classificação de figuras geométricas quanto ao número de lados • Ampliação e redução em quadriculados • Dimensionamento de espaço, percebendo relações de tamanho e forma GRANDEZAS E MEDIDAS: • Identificação de unidades de tempo: dia, semana, mês, bimestre, semestre, ano e uso do calendário • Relação entre as unidades de tempo citadas acima • Leitura de horas, comparando relógios digitais e de ponteiro


TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO: • Leitura e interpretação de informações contidas em imagens • Exploração do número como código (linhas de ônibus, número de telefone, placas de carro, roupa, calçado, etc..) • Elaboração de listas, tabelas simples, gráfico de barra para comunicar a informação obtida. AVALIAÇÃO: Através da observação do desenvolvimento das habilidades, interesse, participação, cooperação, domínio de etapas, etc... e de provas objetivas.


EMEF JOÃO CROZARIOL PLANO DE SALA 2º ANO A Professor GERMANO SILVA DE RIVERA PLANO ANUAL DA DISCIPLINA: CIÊNCIAS I – MARCO OPERATIVO Com o grande avanço da Tecnologia e a supervalorização do conhecimento científico, consideramos o ensino de Ciências Naturais um meio para a ampliação, compreensão e valorização do ser humano que ao utilizar-se dos conhecimentos adquiridos, passa a compreender a sua realidade e atuar sobre ela. Propomos que pela abrangência da natureza dos objetos de ciência, seu ensino seja mediador e dinâmico proporcionando aos alunos o conhecimento sobre fenômenos da natureza, tecnologias avançadas e elementos do Universo de forma a considerar o meio em que vive de maneira privilegiada e perceber-se como parte integrante e atuante sobre o mesmo. Optemos em orientar o caminhar do aluno, criando situações significativas, fornecendo informações que permitam a reelaboração e ampliação do conhecimento prévio; com observações, pesquisas e experimentos, incentivando às atitudes de curiosidade e a persistência na busca do conhecimento. II – DIAGNÓSTICO: Os alunos conhecem a importância de hábitos de higiene e cuidados com o corpo mas têm dificuldades de aplicá-los em sua rotina diária por desconhecerem os riscos de contaminação. Por se tratar de alunos iniciantes há um certo desconhecimento quanto ao corpo, suas parte e funções, aos órgãos dos sentidos, limpeza do espaço físico, reciclagem do lixo e conservação do meio ambiente e prevenção de acidentes. Existe a necessidade de desenvolver o interesse pela pesquisa e investigação. III – PROGRAMAÇÃO: 1 – OBJETIVOS: • Permitir que os alunos tenham contato com os objetivos e fenômenos estudados, diretamente ou através dos meios de comunicação • Compreender a importância da Ciência na solução de questões vitais como saúde, alimentação, urbanização, higiene e meio ambiente • Levar os alunos a fazerem perguntas, a formular problemas e a tenter encontrar respostas por meio de observação, da comparação, da experimentação, planejando e executando investigações, registrando e analisando, estabelecendo conclusões. 2 – ESTRATÉGIAS: • Pesquisas e filmes • Observação extra-classe • Exposições • Trabalho em grupo e individual • Recorte e colagem • Confecção de painéis e cartazes • Textos informativos.


NORMAS: • Fazer perguntas quando houver dúvidas. • Caprichar na confecção das atividades • Colaborar e contribuir nas atividades em grupo • Respeitar os outros e suas opiniões • Ter bom comportamento • Respeitar o patrimônio público 4 – ATIVIDADES PERMANENTES: • Leituras, pesquisas e levantamento de informações por meio de trabalho de campo, fotos, vídeos, etc.. 5 – CONTEÚDOS: - Ambiente • Hábitos de higiene • Limpeza do espaço físico • Água • Lixo • Semelhanças e diferenças dos animais - Ser humano e saúde • Corpo: funções e partes • Hábitos de higiene corporal • Órgãos dos sentidos e cuidados necessários • Cuidados que devemos ter com animais de estimação • Prevenção de acidentes causados por animais transmissores de doenças - Recurso tecnológico • Reciclagem do lixo • Higiene da água AVALIAÇÃO Através da observação do desenvolvimento das habilidades, interesse, participação, cooperação, domínio de etapas, etc... e de provas objetivas.


EMEF JOÃO CROZARIOL PLANO DE SALA DE AULA 2º ANO A Professor GERMANO SILVA DE RIVERA PLANO ANUAL DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO I – MARCO OPERATIVO Entendendo o Ensino Religioso como um espaço para ajudar o ser humano a entrar na vida adulta com a capacidade para interpretar os fatos mais importantes relacionados, quer cm seu destino pessoal, quer com seu destino coletivo, compreendemos o ensino da disciplina Ensino Religioso como área do conhecimento que valoriza o pluralismo e a diversidade cultural religiosa presente na sociedade brasileira e no conjunto da escola e da sala de aula. Com base na Lei nº 9.475, de 22 de julho de 1997, temos claro que o ERE não tem como objetivo levar os alunos a se tornarem adeptos de uma ou outra religião, mas sim, despertar o potencial existente em cada um e motivá-los para a reverência diante das múltiplas maneiras do ser humano relacionar-se com o Transcendente, respeitando as características físicas de cada pessoa, conhecendo e respeitando as individualidades dos membros da família e de diferentes famílias, bem como seu limites. Teremos como princípios para o desenvolvimento desta disciplina a aplicação de conceitos sobre Ethos, Ritos, Culturas e Tradições, Textos Sagrados e Teologias.

II – DIAGNÓSTICO Os alunos do ciclo em questão vivem na área rural e sem contato com a pluralidade cultural e religiosa, marca de nosso país. Existe o desconhecimento ou a incompreensão de como vivem, como vêem a vida e o mundo, outras comunidades e grupos distintos dos que fazem parte do convívio familiar e social destes alunos. Perceber diferenças, respeitar a natureza, pensar globalmente e agir localmente, respeitar e aceitar o outro são assuntos que podem e devem ser abordados em sala de aula, valorizando a vida vivida pelo aluno. III – PROGRAMAÇÃO 1 – OBJETIVOS • Desenvolver nos alunos a capacidade de respeitar as diferenças entre as pessoas • Permitir que conheçam várias histórias de diferentes partes do mundo mostrando que as diferenças não desunem as pessoas, e para que conheçam diversas formas de expressão religiosa. 2 – ESTRATÉGIAS • Desenvolver atividades de pesquisas e entrevistas • Desenhos e dobraduras • Trabalho em grupo e individual • Recorte e colagem • Confecção de painéis e cartazes • Música • Filmes


• Textos informativos 3 – NORMAS • Fazer perguntas quando houver dúvidas. • Caprichar na confecção das atividades • Colaborar e contribuir nas atividades em grupo • Respeitar os outros e suas opiniões • Ter bom comportamento • Respeitar o patrimônio público 4 – ATIVIDADES PERMANENTES • Leitura feita pelo professor de diferentes textos • Roda de conversa IV – CONTEÚDOS ETHOS: Respeito pelo outro (com suas diferenças sociais e religiosas), relação com o outro, consigo mesmo e com o planeta; RITOS: (símbolos) significado dos símbolos na vida das pessoas, símbolos nas tradições religiosas, os símbolos religiosos no cotidiano. V – AVALIAÇÃO A avaliação será feita através da observação do desenvolvimento das habilidades, interesse, participação, cooperação, espírito coletivo, evolução.


EMEF JOテグ CROZARIOL

PLANO DE SALA DE AULA

2ツコ ANO A Professor GERMANO SILVA DE RIVERA



Plano de Sala 2008