Issuu on Google+

Santuário Nossa Senhora de Fátima — Diocese de Tianguá—São Benedito-CE. Ano II, N° 4 / Março e Abril de 2012

Celebrando a Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor

N

A SEMANA SANTA a Igreja celebra os sagrados mistérios da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor. Jesus está vivo! Esta é a mais espetacular notícia para a humanidade. E no Ressuscitado, aquele que venceu a morte, está o penhor da salvação para todos os homens. A SEMANA SANTA é o grande retiro espiritual da Comunidade Cristã, convidando os cristãos à conversão e renovação de vida. Ela se inicia com o Domingo de Ramos e se estende até o Domingo da Páscoa. É a semana mais importante do ano litúrgico, quando se celebram de modo especial os mistérios da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. DOMINGO DE RAMOS - A celebração desse dia lembra a entrada de Jesus em Jerusalém, aonde vai para completar sua missão, que culminará com a morte na cruz. Os evangelhos relatam que muitas pessoas homenagearam Jesus, estendendo mantos pelo chão e aclamando-o com ramos de árvores. Por isso hoje os fiéis carregam ramos, recordando o acontecimento. Imitando o gesto do povo em Jerusalém, querem expressar que Jesus é o único mestre e Senhor. De 2ª a 4ª FEIRA – Nestes dias, a Liturgia apresenta textos bíblicos que enfocam a missão redentora de Cristo. Nesses dias não há nenhuma celebração litúr-

gica especial, mas, nas comunidades paroquiais, é costume realizarem procissões, vias-sacras, celebrações penitenciais e outras, procurando realçar o sentido da Semana. Veja na contracapa a programação da Semana Santa aqui no Santuário N. Senhora de Fátima e venha celebrar conosco! (continua na página 2).

1


Tríduo Pascal

O ponto alto da Semana Santa é o Tríduo Pascal que se inicia com a missa vespertina da Quinta-feira Santa e se conclui com a Vigília Pascal, no Sábado Santo. Os três dias formam uma só celebração, que resume todo o mistério pascal. Por isso, nas celebrações da quinta-feira à noite e da sexta-feira, não se dá a bênção final; ela só será dada, solenemente, no final da Vigília Pascal. QUINTA-FEIRA SANTA Neste dia celebra-se a instituição da Eucaristia e do Sacerdócio ministerial. A Eucaristia é o sacramento do Corpo e Sangue de Cristo, que se oferece como alimento espiritual. De manhã só há uma celebração, a Missa do Crisma que, na nossa diocese, é realizada na manhã de terçafeira. Na quinta-feira, à tardinha, a Missa é celebrada solenemente, em recordação à instituição da Eucaris-

tia e do Sacerdócio ministerial. Nessa missa, realiza-se a cerimônia do lava-pés, em que o celebrante recorda o gesto de Cristo que lavou os pés dos apóstolos. Esse gesto procura transmitir a mensagem de que o cristão deve ser humilde e servidor. Nessa celebração também se recorda o mandamento novo que Jesus deixou: “Eu vos dou um novo mandamento: que vos ameis uns aos outros assim como Eu vos amei.” Comungar o corpo e sangue de Cristo na Eucaristia implica a vivência do amor fraterno e do serviço. SEXTA-FEIRA SANTA - A Igreja contempla o mistério do grande amor de Deus pelos homens. Ela se recolhe no silêncio, na oração e na escuta da palavra divina, procurando entender o significado profundo da morte do Senhor. Neste dia não há missa. À tarde, acontece a Celebração da Paixão e Morte de Jesus, com a proclamação da Palavra, a oração universal, a adoração da cruz e a distribuição da Sagrada Comunhão. Na primeira parte, são proclamados: o texto do profeta Isaías sobre o Servo Sofredor, figura de Cristo; a Carta aos Hebreus que ressalta a fidelidade de Jesus ao projeto do Pai; e o relato da paixão e morte de Cristo, segundo o evangelista João. São três textos que se completam, ressaltando a missão salvadora de Jesus Cristo. O segundo momento é a Oração Universal, compreendendo diversas

2

2

preces pela Igreja e pela humanidade. Aos pés do Redentor imolado, a Igreja apresenta suas súplicas, confiante. Depois, segue-se o momento solene e profundo da apresentação da Cruz, convidando todos a adorarem o Salvador nela pregado: “Eis o lenho da Cruz, do qual pendeu a salvação do mundo. – Vinde adoremos”. E o quarto momento é a comunhão. Todos revivem a morte do Senhor e querem receber seu corpo e sangue; é a proclamação da fé no Cristo que morreu, mas ressuscitou. Nesse dia a Igreja pede o sacrifício do jejum e da abstinência de carne, como ato de homenagem e gratidão a Cristo, para ajudar-nos a viver mais intensamente esse mistério, e como gesto de solidariedade com tantos irmãos que não têm o necessário para viver. VIGÍLIA PASCAL - Sábado Santo é dia de “luto”, de silêncio e de oração. A Igreja permanece junto ao sepulcro, meditando no mistério da morte do Senhor e na expectativa de sua ressurreição. Durante o dia não há missa, batizado, casamento, nenhuma celebração. À noite, a Igreja celebra a solene Vigília Pascal, a “mãe de todas as vigílias”, revivendo a ressurreição de Cristo, a vitória sobre o pecado e a morte. A cerimônia é carregada de ricos simbolismos que nos lembram a ação de Deus, a luz que brota da ressurreição de Cristo.


FESTA DA DIVINA MISERICÓRDIA

O Diário de Santa Faustina revela que esta festa é um desejo de Jesus: Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. “Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia.” Jesus deu a essa Festa tamanha importância que chegou a dizer: “O Meu coração se alegra com essa Festa”. A Festa da Divina Misericórdia, celenão negarei nada a quem me pedir em nome da minha Paixão. (n. 59)

Cada dia da novena se inicia com uma intenção particular, proposta pelo próprio Senhor. Santa Faustina acata as intenções propostas e compõe uma série de pequenas orações. Jesus disse: “Desejo que, durante estes nove dias, conduzas as almas à fonte da Minha misericórdia, a fim de que recebam força, alívio e todas as graças de que necessitam (...).

"Todas as vezes que ouvires soar três horas da tarde, mergulhe toda fé na minha misericórdia, adorando-a e glorificando-a. Invoca a sua onipotência para o mundo inteiro, especialmente para os pobres pecadores, porque é nessa hora que estará largamente aberta para cada alma. A cada dia, conduzirás ao Meu Coração um Naquela hora obterás tudo para ti e para os outros. Nagrupo diferente de almas e as mergulharás nesse quela hora o mundo inteiro recebeu uma grande graça: A oceano da Minha misericórdia”. As intenções e in- misericórdia venceu a justiça”. vocações para a novena estão no Diário, nos núme"Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de mim, ainda que seus pecados sejam como ros 1210 a 1229. escarlate. A minha misericórdia é tão grande que A devoção a divina Misericórdia: "Às três da por toda a eternidade não a aprofundará nenhuma tarde, implora à minha misericórdia, especialmente pelos mente, nem humana, nem angélica. Tudo que existe pecadores e, ao menos por um breve tempo, reflete sobre a saiu das entranhas da minha misericórminha Paixão, sobretudo sobre o abandono em que me dia" (Diário, 699). encontrei no momento da minha agonia. Esta é uma hora de grande misericórdia para o mundo inteiro. Nesta hora Veja a programação completa da Festa da Divina Misericórdia na contracapa desta revista.

3

3


FORMAÇÃO

SACRAMENTO DA RECONCILIAÇÃO, PENITÊNCIA OU CONFISSÃO O Papa Bento XVI tem feito insistentes apelos para que nós, Igreja, redescubramos o valor e a importância do Sacramento da Reconciliação, tão esquecido em nosso tempo. Publicamos aqui a introdução que o Cardeal Mauro Piacenza escreveu em recente Documento da Congregação para o Clero. (Veja o texto completo em nosso portal). «É necessário voltar ao confessionário, como lugar no qual celebrar o sacramento da reconciliação, mas também como lugar onde “ habitar ” com mais frequência, para que o fiel possa encontrar misericórdia, conselho e conforto, sentir-se amado e compreendido por Deus e experimentar a presença da Misericórdia Divina, ao lado da Presença real na Eucaristia ». Com essas palavras o Santo Padre Bento XVI dirigiu-se aos confessores, durante o recente Ano Sacerdotal, indicando a importância e a consequente urgência apostólica de redescobrir o sacramento da reconciliação, como penitentes e como ministros. Juntamente com a Celebração diária da Eucaristia, a disponibilidade para o atendimento das confissões sacramentais, a acolhida dos penitentes e o acompanhamento espiritual, quando solicitado,são a real medida da caridade pastoral do sacerdote e, com ela, o testemunho da alegre e correta assunção da própria identidade, redefinida pelo sacramento da Ordem, reduzida à mera função. O Sacerdote é ministro, isto é, servo e também prudente administrador da divina misericórdia. A ele é confiada a gravíssima responsabilidade de « perdoar ou reter os pecados » (cfr. Jo. 20,23). Através dele, os fiéis podem viver – especialmente no momento atual da vida da Igreja, pela força do Espírito Santo, que é Senhor que dá a vida – a jubilo-

sa experiência do filho pródigo que mesmo tendo retornado à casa do pai por interesses vis e como escravo, foi acolhido e reconstituído na própria dignidade filial. Onde existe um confessor disponível, cedo ou tarde aparece um penitente. E onde persevera um confessor disponível, até mesmo de maneira obstinada, a ele virão muitos penitentes! A redescoberta do sacramento da reconciliação, como penitentes e como ministros, é a medida da autêntica fé no agir salvífico de Deus, que se manifesta muito mais eficazmente na potência da graça do que nas estratégias humanas de organização de iniciativas, também pastorais, que às vezes até descuidam do essencial. Acolhendo com motivação intensa o apelo do Santo Padre e seguindo a sua intenção mais profunda, com o presente subsídio, fruto ulterior do Ano Sacerdotal, deseja-se oferecer um instrumento útil à formação permanente do Clero e uma ajuda à redescoberta do valor imprescindível da celebração do sacramento da reconciliação e da direção espiritual. A nova evangelização e a renovação permanente da Igreja, semper reformanda, subtraem a sua dinâmica vital da real santificação de cada membro, que precede, postula e é condição de toda eficácia apostólica e da almejada reforma do clero. Na generosa celebração do sacramento da divina misericórdia, cada sacerdote é chamado a fazer a constante experiência da unicidade e do caráter indispensável do ministério a ele confiado. Encomendamos a difusão e os frutos do presente Subsídio à Bem-Aventurada Virgem Maria, Refúgio dos pecadores e Mãe da Divina Graça. Vaticano, 9 de março de 2011. MAURO Card. PIACENZA

4

4


Quando se pode fazer a confissão comunitária? Constatando «a crise do sacramento da Reconciliação» o Papa falou aos Bispos da Suíça, em visita “ad limina apostolorum” «a relançar uma pastoral penitencial que estimule a confissão individual». O Papa disse «Pedi a vossos sacerdotes que sejam confessores assíduos, oferecendo generosamente aos fiéis horários apropriados para a Confissão pessoal; estimulai-os para que eles mesmos se aproximem com frequência deste sacramento. Exortai os fiéis a aproximar-se regularmente do sacramento da Penitência, que permite descobrir o dom da misericórdia de Deus e que leva a ser misericordioso com os outros, como Ele.» A Confissão «ajuda a formar a consciência, a lutar contra as más inclinações, a deixar-se curar por Cristo, a progredir na vida do Espírito».

Tem contribuído muito para essa crise a falta de zelo com a pastoral da penitência, o uso indiscriminado e ilícito da confissão comunitária com confissão e absolvição coletivas e o comodismo de muitos ministros. A confissão individual e integral dos pecados graves, seguida da absolvição, continua a ser o único meio ordinário para a reconciliação com Deus e com a Igreja. Aqui no santuário, as confissões são realizadas individualmente (veja na p. 07 os dias e horários). Os fiéis, em geral, apreciam muito as celebrações penitenciais. E elas são mesmo muito ricas. Mas é preciso entender a diferença entre uma celebração

penitencial com confissão e absolvição individuais e a mesma celebração com confissão e absolvição gerais. O Papa convidou os sacerdotes «a observar rigorosamente as normas da Igreja sobre a absolvição coletiva», «que exigem situações verdadeiramente excepcionais para recorrer a esta forma extraordinária do sacramento da Penitência». Estas normas, recordou, são apresentadas pelo «Motu proprio» «Misericordia Dei», de João Paulo II (2002). Segundo este documento, a «absolvição geral» ou «coletiva» tem um caráter de excepcionalidade» e não pode enviar-se com caráter geral, a não ser que se dêem duas condições. O CATECISMO DA IGREJA explica quando se pode realizar a Confissão comunitária: §1483 – “Em casos de necessidade grave, pode-se recorrer à celebração comunitária da reconciliação com confissão e absolvição gerais. Esta necessidade grave pode apresentar-se quando há um perigo iminente de morte sem que o os sacerdotes tenham tempo suficiente para ouvir a confissão de cada penitente. Cabe ao Bispo diocesa-

no julgar se os requisitos para a absolvição geral existem (CDC, cân. 961). Um grande concurso de fiéis por ocasião das grandes festas ou de peregrinação não constitui caso de tal necessidade grave (CDC, c. 961,1)”. É importante notar que a Igreja obriga a pessoa que realizou uma Confissão comunitária, se confessar com o sacerdote tão logo seja possível (c. 962,1). Assim, a Confissão comunitária,

5

5

embora válida, não substituiu a Confissão auricular. No mínimo uma vez ao ano todo católico deve se confessar; é um dos mandamentos da Igreja (CDC, cân. 989). Mas aquele que tem consciência de ter cometido um pecado mortal não deve receber a Sagrada Comunhão, mesmo que esteja profundamente contrito, sem receber previamente a absolvição sacramental (Conc. Trento, DS 1647,1661), a menos que tenha um motivo grave para comungar e lhe seja impossível chegar a um confessor (CDC, cân. 916; CCEO, cân.711). As crianças devem confessar-se antes de receber a Primeira Eucaristia” (CDC, cân. 914). (§1457). O Catecismo da Igreja chama o Sacramento da Confissão de “Sacramento de cura”. Certa vez o Papa João Paulo II disse “que os consultórios de psiquiatras estão cheios porque os Confessionários estão vazios”. (Cf. Prof. Felipe Aquino www.cleofas.com.br).


TESTEMUNHOS consequência da doença sentia muitas dores no A FÉ MOVE MONTANHAS

ovário e no útero. Então parei de usar anticoncepcionais. A partir daí começou a minha luta, por nove anos, para engravidar e não conseguia. Uma graça muito especial: Em agosto de 2010, vim a uma missa aqui no santuário e no momento da entrada da imagem de nossa senhora o padre falou-me para pedir a Nossa Senhora a graça, e eu pedi com muita fé, e fiz a promessa que se eu engravidasse viria aqui no santuário dar meu testemunho, e se fosse mulher colocaria o nome da Mãe de Jesus. Como trabalhava em um hospital fazia frequentemente exames de rotina, e em um desses exames, mais especificamente em setembro de 2010, meu ginecologista decidiu fazer um ultra som e para surpresa de ambos, descobriu que eu estava com 15 dias de gravidez. E no dia 20 de junho de 2011, Maria Kimberlly Cristhyne Pontes Vieira Cesário nasceu graças a Nossa Senhora. Hoje vim aqui com Maria nos braços para agradecer e pagar minha promessa. Que meu testemunho ajude outras pessoas a confiarem em Jesus e Maria. Eu sou uma prova viva de que a fé move montanhas. (Testemunho de Neiva Cristi-

“Sou casada há 14 anos e após um ano de casamento tive um filho Antônio Klaydson. Após o seu nascimento comecei a usar anticoncepcional quando ele ainda era muito pequeno. Após quatro anos senti o desejo de ter mais um filho. Não conseguindo engravidar descobri através de exame médico que eu não poderia mais ter filhos por causa de uma doença no útero, a endometriose que é uma doença que, apesar de ter tratamento, não me permitiria mais ter filhos. Como

“Que a saúde se difunda sobre a terra” - Campanha da Fraternidade 2012. Participe da Coleta da Fraternidade! Domingo de Ramos, dia 01 de abril. Seja generoso! Faça parte desta obra! Nos ajude com sua oferta! Formas de contribuir:

APELOS do Imaculado Coração de Maria. Expediente: Direção responsável: Pe. Antonio Martins Irineu,

1. Doe seu cupom fiscal e nos ajude na construção do Santuário. 2. Faça o seu CADASTRO e venha para a “Família dos Devotos”! Sua oferta mensal patrocinará a obra de evangelização do Santuário. Você receberá nossa Revista em sua casa.

João Carlos, Edvar Moraes, George Ribeiro, Aldenira Venâncio.

3. Faça sua oferta através do nosso portal, em DOAÇÃO ONLINE, imprima seu boleto e pague em qualquer banco ou casa lotérica.

Endereço: Av. Santíssima Trindade, 13.

4. Depósito em uma das nossas contas: Banco do Brasil Agência: 2606-9 Conta: 11802-8

Bairro de Fátima, São Benedito - CE. Cep: 62370-000 Tel.: (088) 3626-1624.

Bradesco Agência: 744-7 Conta: 13300-0

E-mail: contato@santuariodefatima.org.br

6

6


BEM VINDO ROMEIROS Querido romeiro, o Santuário de Fátima da Serra Grande tem um compromisso com você. Nossa missão é evangelizar, portanto estamos aqui para recebê-lo e atendê-lo em suas necessidades. Desejo fazer-lhe um convite muito especial. O dia 13 de maio, neste ano, será um domingo. Organize uma caravana e venha participar desta grande romaria. Ao longo do dia, teremos 7 missas, confissões, bênçãos especiais e muitos rosários. Por favor, aceite nosso convite. Desejamos muito recebê-lo aqui, neste dia. Ao chegar ao Santuário registre sua caravana, para participar de

sorteios, que faremos para os romeiros. Estamos providenciando para que sejam inaugurados, nesse dia, nossos primeiros 7 confessionários. Queremos que você usufrua das prerrogativas de um Santuário: confessando-se, comungando e recebendo indulgências plenárias. Com sua valiosa ajuda, já conseguimos concluir três espaços litúrgicos maravilhosos: Capela da Misericórdia, Capela Mãe de Deus e Capela do Santíssimo. Estamos trabalhando agora para concluir o templo principal.

Por isso estendemos as mãos para agradecer e continuar pedindo. Ajudenos, faça uma doação especial no DIA DA FESTA DE NOSSA QUERIDA MÃE! Estamos pedindo que cada fiel contribua com R$10,00 (dez reais), assim alcançaremos o fechamento da Campanha dos vitrais e do presbitério. Desde já, muito obrigado e Deus lhe pague. Que Deus o abençoe e Maria o proteja. Com minha bênção e preces. Padre Antonio Irineu

Agenda do Santuário Nossa Senhora de Fátima — Março e Abril de 2012 contracapa). Cenáculos (mensal) - Devoção dos primeiros sábados: às 10h00. - Cenáculo dos padres: - 29/03 - às 10h00 no Santuário. - 19/04 - às 10h00 no Santuário. Santo Rosário: - Domingo: às 09h00; - Segunda: às 18h00; - Quarta: às 19h00 –Terço dos homens; Quinta: às 18h00; Sábado: às 10h00. Terço da misericórdia: - Diariamente: às 15h00 Confissões: - Domingos: 08 às 10hs. - Quinta: de 16h00 às 18h00. - Sábados: de 08 às 10hs. - Dia 13: de 08h00 às 14h00.

Aberto diariamente das 08h00 às 17h00 Horários das missas - Todo domingo: 10h00 e 16h00 - Toda Segunda: 19h00 - Toda Quinta: 19h00 - Todo Sábado: 10h00 - Todo DIA TREZE: 6h30, 08, 10, 12, 15, 17 e 19hs. Missa da Saúde - Março: - dias 12 e 26 às 19hs. - Abril: - dias 09 e 23 às 19hs. Eventos MARÇO: - dia 19 - Encontro de Apóstolos do Movimento Sacerdotal Mariano - de 8h00 às 13h00. ABRIL: - Semana Santa: de 01 a 08 (veja a programação na contracapa desta revista). - Festa da Divina Misericórdia: dia 15 (veja a programação na

Adoração - Toda quinta: das 08h00 às 19h00

7

7


Programação da Semana Santa e Oitava da Páscoa no Santuário DIA 1º DE ABRIL • DOMINGO DE RAMOS

DIA 07 DE ABRIL • SÁBADO SANTO • 19h00

 Missa: 10h e 16h.  9h30: Bênção dos Ramos e Procissão (No pátio in-

    

ferior e procissão em volta do Santuário)

DIA 02 DE ABRIL • 2ª FEIRA SANTA

15h00 - Novena da Divina Misericórdia. 19h00 - Celebração Solene da Vigília Pascal Bênção do fogo fora da igreja Para a liturgia da luz trazer velas Vigília da Juventude.

 Missa: 19h00 - Capela Padre Pio.  Confissões: 10h às 12h00 e 15h às 17h30  15h00: Terço da Misericórdia e Via Sacra da Cam-

DIA 08 DE ABRIL • DOMINGO DE PÁSCOA

DIA 03 DE ABRIL • 3ª FEIRA SANTA

 A Novena da Divina Misericórdia começa na sexta-

 Missa Solene do dia de Páscoa: 10h00 e 16h00.  15h00: Novena da Divina Misericórdia

panha da Fraternidade.

feira da Paixão ao meio dia. A partir de Sábado dia 07/04 até dia 14/04 celebraremos diariamente Novena da Divina Misericórdia sempre às 15h00 na Capela da Divina Misericórdia.

 Missa dos Santos Óleos: 9h00 (Catedral—Tianguá).  15h00: Terço da Misericórdia e Via Sacra da Cam

panha da Fraternidade. Missa: 19h00 - Capela Padre Pio.

DIA 04 DE ABRIL • 4ª FEIRA SANTA  Confissões: 10h às 12h30  Missa e Unção dos Enfermos: 15h00 - Santuário TRÍDUO PASCAL DIA 05 DE ABRIL • 5ª FEIRA SANTA  Confissões: 10h às 12h30  Cenáculo: 15h00  17h00: Missa Solene da Ceia do Senhor e Cerimônia do Lava-pés

 Transladação do Santíssimo Sacramento  Vigília até 21h     

DIA 06 DE ABRIL • 6ª FEIRA SANTA DA PAIXÃO DO SENHOR (jejum e abstinência)  10h00: Confissões  12h00: Novena da Divina Misericórdia com o

5h00 - Aurora da Misericórdia 7h30 - Café comunitário 8h30 - Cenáculo 10h00 - Missa da Divina Misericórdia 15h00 - Missa da Divina Misericórdia

Sermão das Sete Palavras.

 15h00: Celebração da Paixão do Senhor

SANTUÁRIO DE FÁTIMA NA INTERNET “O Amor está no ar” ACESSE: www.santuariodefatima.org.br Web TV “Maria Mãe de Deus”.

8

8

8


Revista Santuário de Fátima Março de 2012