Issuu on Google+

comissom de meio natural PRAGA/DOENÇA

TRATAMENTOS

Ácaros

Óleo de parafina Água Álcool Absinto (em espanhol “ajenjo”) Bicarbonato sódico Sabom de potassa Cerveja Cinza óleo de parafina óleo vegetal Absinto Álcool

enenxofre sabom de potassa Estrugas Pelitre

Fungos em sementeiros Formigas

Alho Azucre Absinto

Canela Tanaceto

Míldio

Bicarbonato sódico Caldo bordelés óleo de parafina Absinto sabom de potassa Enenxofre Bicarbonato sódico Bacillus thuringiensis óleo de parafina Absinto Alho sabom de potassa Cola de cabalo Bicarbonato sódico óleo de parafina Absinto armadilhas de cartom

sabom de potassa

Antracnoses Botritis Caracóis e lesmas Bichos bola (tatuzinhos)

Mosca Branca Negrilla Oídos Orugas Pulgões

Tiçom Trips Cadelas frade

Laranja Casca de ovo sabom de potassa Nicotina Orégao

Pelitre Trampas cromáticas sabom de potassa Nicotina Pelitre Tomate Trampas cromáticas Nicotina Armadilhas cromáticas

DESCRIÇOM DOS TRATAMENTOS ÓLEO DE PARAFINA: Insecticida acaricida, usa-se como óleo de Inverno, isto é, aplíca-se em Inverno para acabar coas fases resistentes (hibernantes) de pragas de pulgons, bichos bola, ácaros..., em plantas afectadas na temporada anterior ou propensa a elas. A sua eficiência deve-se a que forma unha capa sobre os insectos que nom lhes permite respirar. O melhor momento para a aplicaçom é no fim do Inverno, quando começam a agromar, mas antes que saiam as folhas. Aplica-se sobre a planta a razom de 5-7cm3 em 10L de água. Molha-se bem a planta até que comece a pingar, melhor com um atomizador (quanto mais fina a gota,

1


comissom de meio natural mais efectivo). Como qualquer óleo de Inverno nom cumpre ser usado em plantas perenifólias nem a temperaturas acima dos 25ºC. ÓLEO VEGETAL: Para combater os bichos bola, quando som poucos. Serve azeite (de azeitona), óleo de girassol ou qualquer outro vegetal. Consiste em asfixiar estes insectos na fase imóvel. Para isto, “pintam-se” com um pincelinho ou bastonzinho das orelhas molhado no óleo. De umha em umha. É efectivo, mas requer paciência. ÁGUA: Os ácaros detestam a humidade ambiental, e um remédio efectivo é levar a planta afectada a um local com sombra e pulverizá-la com água frequentemente (várias vezes por dia) com um pulverizador ou mesmo com mangueiras (com gotas finas) ou a torneira da banheira. Há que assegurar-se de molhar bem toda a planta, especialmente na parte interior das folhas. Em 4 ou 5 dias desaparecerám. Efectividade assegurada se formos constantes. ABSINTO: A Artemisia absinthium produz um insecticida natural de amplo espectro na contra de pulgom, ácaros, bicho bola, formigas... Maceram-se 300g de planta fresca ou 30g de planta seca em 1L de água durante umha semana. Logo filtra-se e pulveriza-se a planta afectada cada 15 dias. ALHO: Usa-se contra criptogámicas, bacterianas, ácaros e pulgom. Há que cozer 10g de alho fresco em 1L de água e coar. Outra variante é a infusom de alho e cebolas: esmagam-se 500g de alhos e cebolas e acrescentam-se 10L de água a ferver, deixa-se repousar 10 minutos e coase. Isto chama-se “cendrada”. Deve-se pulverizar com isto as plantas e/ou o solo, fazendo três tratamentos em 10 dias. Aviso: deixa um forte e desagradável cheiro. Outro sistema contra os pulgom consiste em pôr vários dentes de alhona terra que está à volta da planta. Por enquanto, nom há nengum dado que confirme a eficácia de nengum destes métodos.

2


comissom de meio natural

ÁLCOOL (ETíLICO): Para ataques de bicho bola pouco importantes, em plantas pequenas. Pode-se usar álcool etílico ou melhor metílico (de queimar). Impregnar um pano ou um cotonete das orelhas e limpar o bicho com ele. Outra forma efectiva é misturar 0,5L de água morna com umha colher de álcool e outra de sabom de potassa (ou de lava-copos se nom houver do outro). Efectividade comprovada se tivermos paciência. AÇÚCAR: As formigas som mui lambonas, lapeiras. Muitas aparecem como simbiontes de pulgom, bicho bola e mosca branca: protegem, limpam e deslocam estes insectos em troca do melaço doce que excretam. Outras vezes elas mesmas podem ser molestas nos lares ou causar danos nas sementeiras, pois roubam sementes. BICARBONATO SÓDICO: Fungicida contra antracnoses, tiçom, míldio, oidio. Misturar em 4L de água umha colher de bicarbonato e 2,5 colheres de óleo vegetal, bater e acrescentar meia colherinha de sabom natural ( de sosa ou potassa) Aplicar cada 5-7 dias até a desapariçom dos sintomas. CANELA: Fungicida preventivo para as sementes. Polvilhar ligeiramente sobre o substrato. CALDO BORDELÊS: Fungicida tradicional contra o míldio e botrite. Muito usado no cultivo da videira. Prepara-se com 100g de sulfato de cobre, 17g de cal vivo (óxido cálcico) ou hidratado e 10L de água em dous recipientes de plástico (nunca alumínio). Primeiro dissolve-se o sulfato em 1L de água. Como o sulfato diluído tende a ir-se para o fundo, costuma meter-se num saco de tea e pendura-se quase na superfície da água, depois apaga-se o cal vivo com 0.8L de água (muito cuidado que queima) e deixa-se até que refrigere. Depois somam-se 8L de água e filtra-se para nom entulhar o pulverizador ou sulfatadora. Por último, quando se for usar, misturamse ambos líquidos e usa-se imediatamente, já que nom se pode guardar. Podem-se guardar os dous líquidos sem misturar. Pulveriza-se, molhando bem toda a planta, cada 15 dias.

3


comissom de meio natural Efectividade contrastada. Usa-se muito em agricultura, tanto na ecológica como na nom ecológica. CASCA DE OVO: Para evitar danos às plantas por caracóis e lesmas. Deixar secar as cascas vazias. Triturar fazendo pedacinhos pequenos. Coloca-se por volta das plantas afectadas.Os caracóis, ao passarem, ficam com elas coladas, ficando imobilizados e morrendo depois. CINZA OU BORRALHA: Polvilhar polas plantas afectadas para impedir o passo dos caracóis. Em caso de riscos ou chuvas fortes há que repetir o tratamento. CERVEJA (ARMADILHAS DE): Contra os caracóis e lesmas podem-se fazer armadilhas. Corte-se umha garrafa de boca larga até a parte superior e encha-se de cerveja (é importante enchêla até acima). Os caracóis som atraídos polo cheiro e caem na cerveja, afogando. É bastante efectivo, polo menos para reduzir a populaçom.

SABOM DE POTASSA: Insecticida, acaricida, fungicida de contacto, efectivo contra o pulgom, bicho bola e outros insectos de cutícula branda, assim como aranha vermelha e fungos como oidio, míldio, botrite e alternaria. Degrada-se facilmente (nom deve ser aplicado quando houver sol) e é de baixa toxicidade. Pode-se preparar na casa de forma similar ao sabom comum ou de soda cáustica. Necessita-se: 5L de óleo (serve o usado na cozinha). 5L de água. 1Kg de potassa cáustica em escamas. (pode-se fazer menor quantidade sempre que se respeitarem as proporçons). É muito importante nom usar utensílios de alumínio. Aquece-se a água (umes 40ºC) e mistura-se cuidadosamente com a potassa num recipiente resistente aos cáusticos (cuidado com as salpicaduras, é corrosivo. Se acontece, neutralizar com vinagre). E aconselhável usar luvas e óculos. Umha vez

4


comissom de meio natural dissolvida, acrescenta-se o óleo e move-se nom menos de umha hora com um pau de madeira, sempre dando voltas no mesmo sentido. Deixa-se em repouso por volta de 15 dias até que calhe totalmente. Deve ficar com consistência manteigosa. No caso de que passado este tempo nom calhasse bem, pode-se pôr ao banho de Maria umha meia hora removendo. Para usá-lo, dissolvem-se 30g em 1L de água e pulveriza-se a planta evitando fazê-lo a pleno sol ou com muita luz. LARANJA (CASCAS DE): Atraem os caracóis e as lesmas. Podem-se colocar em armadilhas para capturá-los. Colocam-se, preferentemente ao anoitecer, um par de cascas de laranja junto às plantas afectadas, sobre o solo húmido e escuro para os caracóis. Pola manhá comprovam-se as armadilhas. ORÉGAO: Anti-bicho bolas. Fazer unha infusom com unha colher da sopa de orégao seco em 1L de água fervendo, deixar que refrigere e coar. Molhar bem toda a planta. PIRETRO: Insecticida natural extraído da planta Chrysantemum cinerariaefollium (piretro), também chamado piretrina natural. Funciona por contacto, produzindo parálise em pulgom, mosca branca e ácaros. Tem baixa toxicidade e é pouco persistente (máximo três dias). Macera-se 50g de flores secas e moídas durante 24 horas em 1L de água, transcorridas as 24 horas filtra-se e guarda-se num recipiente bem tapado e num local fresco e escuro. Pode-se melhorar a eficácia se se mistura com 30g de sabom de potassa. Efectivo, muito usado em agricultura ecológica. TANACETO: Repelente de formigas, piolhos e traça. Fazer unha infusom de 300g de Tanacetum vulgare em 10L de água, deixa-se repousar 10 minutos e filtra-se. TOMATE (Infusom):

5


comissom de meio natural Insecticida contra o pulgom. Fazer unha infusom com um punhado de gomos frescos em 2L de água fervendo, deixar repousar 12 horas e filtrar. Pulverizar bem sobre os pulgons. ARMADILHAS DE CARTOM: Para controlar as cadelas frade (forcipulas sp.) que causam danos às flores. Crava-se um pau fino entre as plantas afectadas, da mesma altura que elas. Na parte superior enrola-se unha tira de cartom e segura-se com um elástico. As cadelas frade refugiam-se nela e podem eliminar-se periodicamente. Bastante efectivo. Pode-se reduzir a populaçom instalando nas zonas de passo vasos cheios em parte com mel, leite condensado ou almíbar, onde caem e fical colados. É efectivo para reduzir a populaçom, mas nom a elimina. ENXOFRE: Anti-oídio e acaricida preventivo e curativo. Engade-se enenxofre micronizado solúvel na proporçom de 80g em 10L de água e fumiga-se bem a planta afectada. O enxofre normal (amarelo) pode estar também micronizado ou pulverizado e nom se dissolve na água, mas pode-se esporear sobre a planta. Só se deve usar a temperaturas entre 20 e 30ºC. Deve-se repetir o tratamento várias jornadas em quinze dias. Efectividade contrastada. Muito usado em agricultura ecológica. BACILLUS THURINGIENSIS: Esta bactéria produz umhas toxinas naturais (delta-toxinas), que atacam, após ingeridas, a parede intestinal de algumhas larvas de insectos, o que nom lhes permite absorver o alimento e detreiora a parede intestinal por onde a bactéria penetra ao interior da larva e produz-lhes a morte. Som inócuos para outros insectos e vertebrados. Muito usada em agricultura ecológica. Há algumhas variedades, cada umha das quais produz danos a um grupo de insectos em concreto: Kurstaki: ataca as larvas (larvas de lepidópteros, borboletas) como a processionária, lagarta peluda, rosquilha, trotix..., o mais empregado em jardinagem. Aizawai, também contra larvas. Irraelensis usa-se contra larvas de mosquitos (dípteros). Tenebrionis, contra coleópteros (escaravelhos).

6


comissom de meio natural Costuma vender-se em forma de pó que contém esporas e toxina juntas (as bactérias produzem a toxina ao esporular). Deve-se pulverizar com gota mui fina, molhando bem a planta e no momento adequado (primeiros estádios larvários da praga). É pouco persistente (7-10 dias) e a sua eficiência diminui com calor (mais de 30ºC) e a humidade alta.

Associaçom favorável de cultivos hortícolas e fruteiros (Cánovas et alt., 1993):

FAVORÁVEL DESFAVORÁVEL OBSERVAÇONS ACHICORIA

Morango.

Cichorium intybus

ALHO Allium sativum

ALCACHOFRA

Morango, alface, Chícharos, feijom. beterraba, tomate, roseira, fruteiras. Alface

Associado a aromáticas aumenta a produçom de essência.

Cynara scolymus

AIPO Apium graveolens

BERINGELA. Solamum melongena.

CABAÇA. Curcubita pepo. CEBOLA. Allium cepa.

COUVES. Brassica sp.

COLE-NABO. Brassica napus var. Napobrassica.

MORANGO. Fragaria sp.

Couves, feijom, Umbelíferas. cogombro, alhoporro, tomate. Feijom, caléndula.

Couves, morango, Pataca. milho, borragem, capuchina. Couves, morango, Chícharo, feijom. alface, cogombro, beterraba, tomate, cenoura, camomila. Aipo, cebolas, Morango, feijom de alface (leituga), enrame. pataca, cogombro, tomate, beterraba, hisopo, cánhamo, menta, camomila, romeiro, sarxa (ou sálvia), tominho. Cebola, chícharo, Feijom de enrame. rábano, beterraba.

Chicória, alho, Couves. espinafre, alface, trevo, folhas de pinheiro, borraja,

O feijom colocado à volta dela protege-a do escaravelho.

O milho planta-se nas margens. Cada quatro metros de cebolas por unha matas de camomila. A cenoura alonga a mosca da cebola. Aipo, tomate, cánhamo, e aromáticas afastam a borboleta das couves. A menta aumenta a produçom e a qualidade. A sálvia fai-nas mais tenras.

O alho protege das enfermidades criptogâmicas e de ácaros.

7


comissom de meio natural menta.

Milho, nabo, Alho, cebola, porro, pataca, cogombro, gladíolo, salsa (ou rábano, cenoura. peregil). FEIJONS. Aveia, espinafre, Vicia faba. milho, alface, pataca, romeu. Aipo, cabaça, Alho, cebola, rábano, FEIJOM DE MATA BAIXA. couve-flor, couves, gladíolo, funcho. Phaseolus espinafre, morango, vulgaris var. pataca, cogombro, porro, beterraba, nanus. cenoura. FEIJOM DE Aipo, cabaça, Alho, cebola, tomate. MATA ALTA. couve-flor, Phaseolus beringela, espargo, vulgaris var. morango, milho, vulgaris pataca, cogombro, porro, rábano, cenoura. Alho, alcachofra, Gira-sol. ALFACE. Lactuca sativa. cabaça, cebola, couves, couve-flor, espinafre, morango, coghombro, porro, rábano, cenoura. Cabaça, chícharo, Gira-sol. MILHO. Zea mays. feijom, melom, pataca, verça, cogombro, melancia. NABO. Couves, chícharos, Rábano, cevada. Brassica rapifera. alface, cogombro. PATACA. Beringela, couves, Cabaça, gira-sol, Solanum chícharo, feijom, morango, cogombro, tuberosum milho, rábano, tomate, framboesa, cenoura, cánhamo, cerdeira, macieira. linho, calêndula, salsa. Aipo, cebola, Pataca, tomate. PEPINO OU couves, nabo, giraCOGOMBRO sol, chícharo, Cucumis sativus. feijom, alface, milho, rábano, verça, borragem. SALSA Pataca, roseira, Outras umbelíferas. (PEREJIL) tomate. Petroselinum crispum pImento. Alfavaca. Capsicum annum porro. Aipo, cebola, Chícharo, rábano.

As cobertas com folhas de pinheiro melhoram o sabor.

CHICAROS. Pisum sativum.

Os espinafres protegem do pulgom negro.

Associa-se bem com outros cultivos polo seu rápido crescimento.

As cabaças beneficiam da sombra do milho.

Alternar com filas de feijons de mata baixa ou chícharos.

O aipo e a cebola

8


comissom de meio natural Lilium porrum.

feijom, alface, beterraba, tomate, cenoura.

Berro, chícharo, Feijom, nabo. alface, cogombro, cenoura, tomate, menta. beterraba. Alho, cebola, Feijom de enrame, Beta vulgaris Var. couves, nabo, lentelhas, grao conditiva. feijom anao, alface, (gravanços). porro. Tomate. Alho, alfafa, aipo, Col, couve-flor, feijom de Lycupersicum cebola, couves, enrame, pataca, esculentum. esparrago, porro, cogombro, funcho. cenoura, alfavaca, estruges (urtigas?), salsa. Cenoura. Cebola, chícharo, Outras umbelíferas. Daucus carota. feijom, alface, pataca, porro, rábano, tomate, verça, romeu, sarxa. rábano. Raphanus sativum

protegem-no da mosca do porro. Duas filas de aipo e duas de porro. Com alface os rábanos som muito tenros. As cebolas protegem-na das lesmas.

Cebola e porro repelem a mosca da cenoura.

Estas consideraçons de favoráveis, desfavoráveis e observaçons dam resposta a numerosas experiências práticas recolhidas por labregos; no entanto, convém fazer provas prévias, já que o resultado pode ser variável em funçom das características póprias de cada localidade.

9


pragas e doenças