Issuu on Google+

TERÇA-FEIRA - 30 de JULHO de 2013 - edição 815

Terça-Feira

30

1

Diretora: Elizabete Gois Ano XIII - Nº 815 - R$ 2,00

de Julho de 2013

Prefeito de Santana do Itararé consegue liberação deSerãomil casas para a região construídas no município 150 habitações. O restante será dividido entre os municípios da região Página 3

Valores com Doçura foi o tema de encontro pedagógico em Arapoti Com um salão todo enfeitado com doces – verdadeiros e cenográficos – os professores da rede municipal de ensino foram recepcionados para mais uma capacitação antes da volta às aulas. Com palestras focadas não só no profissional, mas também no pessoal, os profissionais tiveram dois dias diferentes. Na manhã da última quinta-feira (25), ouviram o palestrante Gilberto do Nascimento, do

Cerca de 70% do comércio siqueirense já se adequou a nova Lei sobre impostos

Sebrae, falar sobre gerenciamento estresse. Ele expôs sobre maneiras de não deixar que o estado de estafa afete o desempenho profissional e a vida pessoal. Durante a tarde os professores puderam se divertir com as mesmas músicas e dinâmicas que passam para seus alunos e falar sobre valores. Quem comandou a brincadeira foi Fátima Baltazar. Página 4

Jacarezinho tem novo Plano Diretor após vários anos

Ontem (29) o Correio Notícias realizou várias entrevistas no comércio de Siqueira Campos para saber quais os percentuais que estão de acordo com a nova Lei. A Lei 12.741, sancionada em dezembro do ano passado, que torna obrigatória a emissão de notas fiscais com o detalhamento do valor e da

quantidade dos impostos pagos em cada produto o serviço entrou em vigor no dia 10 de junho. De acordo com a enquete realizada no mercado siqueirense, aproximadamente 70% dos comerciantes já se adequaram a nova lei, contra 30% que ainda não estão dentro das normas. Página 5

Mulher de 29 anos é atingida três vezes na face por jovem de 16 anos em Cornélio Procópio

O Prefeito de Jacarezinho Sérgio Eduardo de Faria, o Dr. Sérgio, publicou nesta semana em diário oficial a Lei Complementar 51/2013 que institui o Plano Diretor Municipal (PDM) de Jacarezinho. Após vários anos o município conta com um documento eu é parte integrante do processo de planejamento muni-

cipal. “O Plano Diretor é um instrumento básico de um processo de planejamento municipal para implantação da política de desenvolvimento urbano, norteando a ação dos agentes públicos e privados”, comenta Dr. Sérgio. O Projeto de Lei foi aprovado por unanimidade pela Câmara Municipal no mês de julho. Página 6

Catarina Aparecida de Oliveira, de apenas 29 anos, foi atingida três vezes na face por um menor de apenas 16 anos. O fato ocorreu na Vila São Pedro, na cidade de Cornélio Procópio, sendo que a polícia foi acionada por volta das 17h00. Ao chegar ao local,

os policiais militares defrontaram-se com o corpo da vítima (Catarina) no chão, com ferimentos na face, ainda consciente, que conseguiu revelar o nome do autor dos disparos, um suspeito de 16 anos, que já tem passagens pela polícia. Página 7

Caixa Econômica doa equipamentos de informática ao CISNORPI A Agência de Jacarezinho da Caixa Econômica Federal fez uma doação de equipamentos de informática, entre eles 14 microcomputadores com monitores LCD e 6 impressoras Laser Jet ao Consórcio Público Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro (CISNORPI). Estes equipamentos, embora usados, encontram-se revisados e em boas condições de funcionamento. Serão úteis nos departamentos do Consórcio onde serão instalados: administração, consultórios médicos, entre outros setores e unidades, contribuindo para a agilização dos serviços prestados. Página 4


OPINIÃO TERÇA-FEIRA - 30 de JULHO de 2013 - edição 815

AB NOTÍCIAS PARANÁ NEGOCIAÇÕES EM ANDAMENTO O Fórum de Oportunidades Internacionais acontece amanhã, 31, em Londrina. O objetivo é debater sobre os negócios com foco na Ásia e África. O intuito é atender às necessidades de internacionalização das empresas de Londrina e região que desejam acessar esses mercados. O Fórum ainda contará com uma palestra sobre a necessidade de proteger as exportações e importações nas negociações. PORTO REGULAR A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina conseguiu junto ao Ibama a licença de operação para o cais Porto de Paranaguá. O Porto de Paranaguá se destaca e fica em quarto lugar no ranking nacional quanto ao volume de exportação em 2012. Com 20 atracadouros, passaram pelo terminal paranaense 44,5 milhões de toneladas em carga, que representaram US$ 18,5 bilhões. Desde 2002, o terminal operava irregularmente. 800 EMPREGOS O município de Ponta Grossa, nos Campos Gerais, vai receber a maior fábrica da Ambev do mundo. A área adquirida pela companhia tem 2,6 milhões de metros quadrados e receberá construção de 435 mil metros quadrados. A obra deve iniciar em setembro e o investimento inicial será de 580 milhões de reais. A unidade deve 800 empregos e movimentar a economia local. MAIS LEITURA O Núcleo Brasileiro de Estágios realizou uma pesquisa com mais de 12 mil votantes, com a seguinte questão: “Quais são seus hábitos de leitura?”. O tópico mais votado foi “Leio muito, pelo menos um livro por mês”, totalizando 44,74% (5.465). Isso pode indicar que a juventude está procurando mais os livros e a transformação cultural. Em segundo colocado no ranking, 28,07% dos participantes afirmam: “Leio até dois livros por ano”. COMPRA DIRETA Em Marechal Cândido Rondon, no Oeste, o programa “Compra Direta” vem se destacando e fortalecendo a agricultura familiar. Garante a compra de produtos e promove o desenvolvimento local com o escoamento da produção no próprio município. Além disso, complementa a alimentação em instituições sociais para famílias que vivem em situação de vulnerabilidade. O programa permite a aquisição de alimentos dos agricultores familiares para distribuição ou para formação de estoques públicos. CONSUMO DE BEBIDAS Os gastos com bebidas fermentadas, como vinho e cerveja, devem crescer dez por cento este ano no Sul do Brasil. Os dados são do Ibope Inteligência e leva em conta as compras do varejo. A região deve movimentar 6,109 bilhões de reais, um gasto per capta de aproximadamente 50 reais. A classe B é a que tem maior potencial de consumo, com 2,61 bilhões de reais, ou cerca de 40% do total. PROTEÇÃO EM IRATI Irati, no Centro-Sul do Estado, se destaca no desenvolvimento de técnicas para recuperação e proteção de nascentes. O processo é feito à base de solo cimento aplicado pela secretaria municipal de Meio Ambiente. A técnica tem alta durabilidade e é autossustentável, pois utiliza o que tem na propriedade. Desde 2007 as atividades vêm sendo realizadas e garantem a qualidade da água. MERCADO PET Os pet shops vem ganhando força e espaço no mercado. O comércio concentra 68% das vendas de produtos e serviços para animais de estimação no Brasil, seguido pelos supermercados. O faturamento do mercado pet, formado pelas indústrias de alimentação, cuidados, medicamentos e serviços, foi de 14,2 bilhões de reais em 2012, um crescimento recorde de 16,4% em relação ao ano anterior. Os dados são da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação.

ARTIGO Terrorismo econômico O modelo de crescimento sustentado pela expansão do consumo através da ampliação do mercado e endividamento das famílias dá claros sinais de esgotamento. O fraco crescimento do PIB no ano passado e as baixas projeções para este ano comprometem os resultados da gestão Dilma. A desaceleração do crescimento ocorre em um momento de retomada da inflação e de instabilidade no cenário internacional. Nesse contexto, é natural que cresçam as críticas à gestão da política macroeconômica do governo Dilma, especialmente sobre a política de controle da inflação. Críticas em relação a um possível não cumprimento da meta de inflação fazem todo o sentido. Ao mudar, na prática, a meta perseguida de inflação de 4,5% para 6,5%ao ano, o Banco Central ampliou as incertezas do mercado e elevou as expectativas de inflação. No entanto, alguns desses críticos estão exagerando na dose, afirmando que há risco real de descontrole do processo inflacionário e de um retorno ao cenário de hiperinflação dos anos 80. A comparação não faz o menor sentido. Em 1989, o IPCA superou a marca de 2.000% no ano. A inflação não tinha relação com pressões de demanda ou problemas no lado da oferta; sua natureza, como boa parte da literatura econômica reportou, era inercial, fruto de décadas de indexação. Hoje, a inflação é fruto de pressões de demanda e restrições na oferta agregada de bens e serviços; processo muito distinto da inflação de natureza inercial que assolou o país nos anos 80. A prova disso é que a expectativa de inflação do mercado para os próximos 12 meses, expressa pela relatório Focus de julho, era de 5,78% ao ano. Inúmeras são as razões para os “exageros” verificados no tratamento do tema. Décadas de inflação e a memória ainda pre-

sente de seus efeitos negativos certamente integram boa parte das preocupações – nesse caso bem-intencionadas, ainda que exageradas. Não se deve, no entanto, menosprezar a presença de leituras mal-intencionadas, que têm como objetivo a disputa por poder que se anuncia. Neste caso, trata-se de verdadeiro “terrorismo” econômico, pois se utiliza da incapacidade técnica de análise de boa parte da população para instaurar o “pânico” e com isso obter ganhos de natureza política e econômica. A capacidade de avaliação dos mercados financeiros é também muito limitada e tende a extrapolar as tendências de curto prazo. Mercados de câmbio e bolsas de valores tendem a superestimar as ondas de otimismo e pessimismo com efeitos sobre os preços dos ativos financeiros. Não se constituem, portanto, num bom guia para traçar tendências de longo prazo. Para tanto existem outros indicadores mais relevantes. O volume de investimentos diretos externos (IDEs), dada sua natureza de longo prazo, sinaliza de forma mais precisa a visão dos investidores estrangeiros sobre o futuro da economia. A previsão de receber US$ 60 bilhões em IDEs em 2013 foi mantida, apesar de toda a turbulência do mercado. O cenário econômico brasileiro para este ano não é certamente favorável. O governo sabe que para crescer não há mágica. É preciso ampliar a capacidade de oferta da economia, através de novos investimentos e incrementos na produtividade. Apesar desse cenário, os exageros em algumas análises são evidentes; parecem mais uma apologia ao caos que em nada contribui para enfrentar os reais problemas da economia brasileira. Marcelo Curado, doutor em Economia pela Unicamp, é professor da UFPR.

ARTIGO Miscelânea

Por Friedmann Wendpap

A alegria genuína do papa Francisco se espalhou pelo país nos últimos dias e a angústia sombria da violência que encerrava as manifestações em junho se dissipou. Mês passado, imagens registravam jovens lançando pedras, ateando fogo, arrojando-se contra o portão do Palácio Iguaçu; agora retratam rezas e cânticos. Quem sabe os vândalos tenham a epifania da conversão aos bons modos para as boas causas. Meios e fins se imbricam. Pano rápido, outro cenário e script! Neve, geada. As redes sociais com fotografias de pessoas extasiadas com o frio. As imagens de Guarapuava impressionam; nevou para valer. O Oil Man pedalou vestido; gelada e divertida a manhã curitibana. O bem-estar da civilização balouçou o mal-estar. Ondas do tempo que sentimos passar depressa nos domingos azuis e arrastado nas segundas cinzentas. Nas redações dos jornais, cheias de pessoas sumidas atrás das telas, as possibilidades de manchetes foram inúmeras. A caixa alta da capa diz ao leitor qual é o tema que mais chamou a atenção dos mensageiros. Porém, o que fazer quando há neve nos trópicos, papa preso em engarrafamento de trânsito no Rio de Janeiro, político indo a Cuba em avião público acompanhado pela família, e nasce o novo rei da Inglaterra? Qual é a mais importante para hoje? Qual será a manchete da concorrência? As notícias de sempre são enfadonhas: a inflação sobe, o dólar sobe, o PIB desce. Isso é noticiário desde 1950. Imagine o déjà vu da manchete “a inflação volta a subir”. O suor frio do chefe da redação é a expressão da decisão mais intuitiva que existe.

jornalística correio do norte s/c ltda - cnpj: 07.117.234/0001-62 Site: www.correionoticias.com.br - E-mail: editais@correionoticias.com.br escritório siqueira campos diagramacao@correionoticias.com.br Rua Dos Expedicionários,1525 - centro correiodonorte@correiodonortesc.com Siqueira Campos - Paraná REPRESENTAÇÃO (43) 3571-3646 | 9604-4882 MERCONET Representação de Veículos de Comuniescritório CORNÉLIO PROCÓPIO Rua Mato Grosso, 135 - centro Cornélio Procópio - Paraná (43) 3523-8250 | 9956-6679

Por Marcelo Curado

CHARGE DO DIA

2

cação LTDA Rua Dep. Atilio de A. Barbosa, 76 conj. 03 - Boa Vista - Curitiba PR Fone: 41-3079-4666 | Fax: 41-3079-3633

Direção / editora chefe

Elizabete Gois redação

Camila Consulin, Isa Machado, Regiane Romão, Isamara Machado DIAGRAMAÇÃO

Bruno, Marcos administrativo

Mireila Guilmo, Emilia Kuster, Claudenice Machado, COLUNISTA

Gênesis Machado

Siqueira Campos Cornélio Procópio Curitiba Ibaiti Japira Jaboti Salto do Itararé Carlópolis Joaquim Távora Guapirama Quatiguá Jacarezinho Conselheiro Mairinck Pinhalão

Para o cronista é fácil. Sem compromisso com a relevância sociopolíticoeconômica etc. e tal do que escreve, alinhava palavras como quem costura barra de calça sem saber se cobrirá o salto ou ficará no meio da canela. Sempre é possível pensar que a alienação do escrivinhador é arte. Camuflado por cadência melódica, pode dar ao leitor a sensação de que há interpretação oculta para as palavras costuradas ora em ponto cruz, ora em arraiolo. Obra magistral como aquelas pinturas cheias de riscos e texturas para todos os lados que causam suspiros a alguns, enquanto outros que só viram o óbvio – tinta e traços desconexos – ficam com vergonha de dizer que nada entenderam. A arte tem o enigma, a multiplicidade interpretativa como tempero. Sabor que cada paladar descreve de modo diferente. A crônica, o texto do tempo, fica mal localizada entre a mensagem informativa e obra de deleite. Por isso o cronista padece do mal crônico, às vezes agudo, de girar o caleidoscópio e olhar pontos que ninguém vê ou ver de modo peculiar o que todos veem. Ajoujando palavras em orações que comunicam o pensamento confuso de dias interessantes, a miscelânea de temas é tempestade de possibilidades. Vendaval passa e nada resta em pé, saltando aos sentidos. Não há pensamento firme, análise segura. Só a cabeça cheia, como nas gripes. De tudo se pensa, nada se compreende. Acho que não estou sozinho na dificuldade de entender os acontecimentos tão intensos e, creio, estou acompanhado no prazer de pisar o gelo da grama só para ouvir o estalo.

Tomazina Curiúva Figueira Ventania Sapopema São Sebastião da Amoreira Nova América da Colina Nova Santa Bárbara Santa Cecília do Pavão Santo Antônio do Paraíso Congoinhas Itambaracá Santa Mariana Leópolis

Sertaneja Abatiá Rancho Alegre Cambará Primeiro de Maio Ribeirão do Pinhal Florestópolis Nova Fátima São Gerônimo da Serra Barra do Jacaré Santo Antônio da Platina Santa Amélia Arapoti Sertanópolis Jaguariaíva Bela Vista do Paraíso Sengés Ribeirão Claro São José da Boa Vista Wenceslau Braz Santana do Itararé Circulação Jundiaí do Sul Andirá

FILIADO A Associação dos Jornais Diários do Interior do Paraná


POLÍTICA TERÇA-FEIRA - 30 de JULHO de 2013 - edição 815

Prefeito de Santana do Itararé consegue liberação de mil casas para a região Serão construídas no município 150 habitações. O restante será dividido entre os municípios da região

Emília Kuster

“Consegui a liberação de mil casas, mas aqui em Santana do Itararé só serão construídas 150, o restante será dividido entre os munic��pios vizinhos”

3

Envergonhem-se e perturbem-se todos os meus inimigos; tornem atrás e envergonhem-se num momento. (Salmos 6:10) Ordem é diminuir gastos A ordem agora é diminuir gastos na prefeitura de Siqueira Campos, o prefeito Fabiano Lopes Bueno, assumiu mais uma função na sua própria administração, a de "secretário de fazenda" e com a queda na arrecadação a ordem é cortar gastos para honrar os compromissos. umas das preocupações é guardar dinheiro para o 13º salário que vem com força no final do ano. Paralisação O prefeito de Siqueira Campos, Fabiano Lopes Bueno, o Bí PSB, disse que vai sugerir para Amunorpi uma paralisação nas prefeituras para protestar as fortes queda de arrecadação, ou seja do FPM. Segundo o prefeito a ideia é mostrar para a população que está acontecendo. Esperança Muitas prefeitos e tesoureiros estavam a espera de um dinheiro extra na cota do FPM (Fundo de Participação dos Municípios. No fundo não é extra, mas uma compensação pela forte queda que teve nos últimos meses. A previsão é de que entre hoje das contas da prefeitura, na ultima cota do mês do FPM. Anunciou candidatura Na semana passada o prefeito de Pinhalão, Claudinei Benetti, anunciou que o deputado federal Odilio Balbinotti PMDB, irá disputar a reeleição. Benetti ligou para vários prefeito anunciando a candidatura de Odillio, que ameaçava a não disputar por problemas de saúde. Benetti também é articulador da reeleição do deputado federal Zeca Dirceu (PT), dias atrás ele organizou um encontro de lideranças políticas e prefeitos na sua casa para articular o Zeca na região. Outro que é apoiado e articulado pelo prefeito de Pinhalão, é o deputado federal Nelson Padovani (PSC), ele também conta com o apoio e articulação de Benetti para tentar a reeleição.

Prefeito José Isac já construiu 70 casas no município

De Santana do Itararé Regiane Romão O prefeito de Santana do Itararé, José Jesus Isac, está em seu segundo mandato é já trouxe diversas benfeitorias para o município. Desde o início do mandato, em 2009, ele se preocupou em construir casas populares para as famílias mais necessitadas. Com esse propósito, o prefeito já entregou 70 casas

populares durante o primeiro mandato e agora, após a reeleição pretende construir ainda mais. Além dessas casas que já foram construídas, o município foi beneficiado pelo programa Minha Casa Minha Vida com mais 1000 casas. “Nós recebemos 1000 casas, mas o município não comporta todas essas construções, por essa razão, vamos distribuir entre os outros municípios”.

De acordo com José Isac, as casas liberadas para Santana do Itararé, é um número muito acima do que comporta o município. “Conseguimos essas casas através da Associação de Moradores e vamos construir no município cerca de 150, o restante, será distribuído para quem se interessar”. Os critérios para a liberação dessas casas é o mesmo utilizado no programa Minha Casa Minha Vida. “O interessado não

poderá ter imóveis no nome e nem ter renda acima de R$ 1.600. Para a zona rural também está sendo assinado o convênio e também construiremos casas lá”. Algumas famílias, infelizmente não se enquadram no programa, e mesmo sendo necessidade, não podemos distribuir. “Nós já temos lotes disponíveis para a construção dessas casas, só estamos esperando a liberação da verba”.

Em dois anos e meio, Richa já esteve em 265 municípios paranaenses De Curitiba Assessoria

O governador Beto Richa esteve nesta sexta-feira (26) em Cianorte, Tapejara, Tuneiras do Oeste, Araruna, Terra Boa e Jussara, no Noroeste do Paraná. Ele teve encontro com prefeitos e comunidades e tratou das ações do governo estadual em cada uma das cidades. Em dois anos e meio, o governador já esteve em 265 municípios, de todas as regiões do Estado. Muitos nunca haviam recebido um governador. Outros receberam a última visita há 15 ou 20 anos. São reservados pelo menos dois dias por semana para o interior. Beto Richa afirma que será o primeiro governador da história do Paraná a ir a todos os 399 municípios do Estado. “É nas cidades que as pessoas vivem. O contato direto é uma demonstração de respeito para com os paranaenses e me dá condições de conhecer de perto as demandas de cada município e traduzi-las em obras, programas e ações do governo”, diz Richa. “Sinto-me realizado, porque tenho constatado a forte atuação do governo estadual, com investimentos e programas nas mais diversas áreas, em todos os municípios.” O prefeito de Araruna, Fabiano Antoniassi, disse que o Governo do Estado deixou de focar apenas para os principais municípios e para a capital. “O governador Beto Richa olha também para os pequenos e médios municípios, e tem atendido a todos", afirmou ele. Para o prefeito de Terra Boa, Valter Peres, a presença do governador é importante, porque demonstra respeito para com a população. "Nosso município é pequeno e pre-

cisa dessa demonstração de consideração. Não é uma visita política, em ano eleitoral. Richa vem para verificar as realizações do governo e anunciar novas ações”, disse Peres. Terra Boa não recebia um governador há dez anos. Jussara, com 6.600 habitantes, não recebia um governador há mais de 20 anos. O prefeito Moacir Pereira Valentini (Tatinha) disse que sempre afirmou aos moradores que poderiam contar com o apoio do governo. “Hoje o governador vem e assina embaixo, visitando nossa cidade e trazendo investimentos”, afirmou Tatinha. “Prefeitura e governo juntos, quem ganha é a população”, afirmou. O governador afirma que a presença no interior se soma a inúmeras outras ações que demonstram o caráter municipalista do governo, em sintonia com os interesses da população. Desde 2011, o governo estadual de R$ 1,5 bilhão para os 399 municípios paranaenses em repasse a fundo perdido, convênios e financiamentos. A maior parte é para infraestrutura básica e social, estradas rurais, transporte escolar, aquisição de calcário destinado agricultores familiares e ações de apoio a pequenos produtores rurais. O Plano de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios (PAM) repassa R$ 150 milhões, a fundo perdido, para municípios com até 50 mil habitantes investirem em projetos escolhidos pela população. O recurso já foi liberado. O programa “Caminho das Pedras” destina R$ 132,2 milhões para pavimentação de estradas rurais. Em junho, o governador lançou um amplo pacote de ações para melhorar a infraestrutura dos muni-

cípios: implantação de calçadas, financiamento para obras municipais com juro reduzido, aquisição de máquinas e equipamentos e programa de combate à erosão urbana. TAPEJARA – O governador, junto com o prefeito Noé Caldeira Brant, entregou as obras de ampliação do Colégio Estadual Onze de Abril, que ganhou três salas de aula novas. A escola atende a cerca de 1.500 alunos. A ampliação custou R$ 252 mil ao Estado. Durante encontro, Richa anunciou a implantação do Espaço Cidadão, onde a população tem acesso à internet e a cursos a distância e presenciais. "O governador trouxe muitos investimentos para nosso município. As salas de aula, por exemplo, vão dar mais conforto aos estudantes”, disse o prefeito Noé Brant. O governo já repassou duas viaturas para a PM. Tapejara recebeu a fundo perdido, R$ 350 mil do Programa de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios (PAM). O recurso será aplicado na construção de uma pista de caminha e em pavimentação asfáltica no bairro Santa Terezinha. O governador autorizou a licitação de sistemas de abastecimento de água na comunidade Futrica e no bairro Aranha, no valor de R$ 123 mil cada. Foi feito repasse de tubos de concreto para obras de combate à erosão. O município recebeu o equivalente a R$ 76 mil em tubos de concreto. Na área da Agricultura, foram repassados R$ 88 mil para compra de calcário para pequenos agricultores. O governo também atende o município com obras na rede elétrica (R$ 60 mil) e a construção

de 78 casas populares, 20 delas rurais, numa parceria da Cohapar com a Caixa Econômica Federal. São R$ 2,3 milhões investidos nas moradias. Durante o encontro, Beto Richa fez a entrega de computador para a Secretaria Municipal da Saúde fazer notificação de doenças e acidentes do trabalho. TUNEIRAS DO OESTE – O investimento, de R$ 200 mil, em obras de recape asfáltico, e de R$ 163 mil em reparos para melhorar a rede elétrica na cidade, foram algumas ações ressaltadas no encontro do governador com o prefeito Luiz Antonio Krauss. O município recebeu R$ 330 mil do Plano de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios (PAM). O dinheiro é a fundo perdido e será aplicado em pavimentação asfáltica e construção de galerias. Tuneiras do Oeste é uma das cidades que integram o programa Caminhos do Desenvolvimento – Sucroalcooleiro. Desenvolvido em parceria com a Alcopar, o programa tem o objetivo de readequar estradas e pontes para o escoamento da safra de cana. Só na cidade serão mais de 20 quilômetros de estradas rurais e três pontes reconstruídas. O prefeito Luiz Antonio Krauss disse que para um município de pequeno porte esses recursos são fundamentais. Ele destacou as ações para a agricultura, como os R$ 88 mil para compra de calcário agrícola para pequenos produtores; a isenção do pagamento pelos serviços de assistência técnica da Emater e, ainda, recursos para aquisição de um trator, que será utilizado por produtores de bichoda-seda.

Escolas Mais de 49,3 mil escolas públicas em todo o país têm atividades em período integral. A expectativa é que até o ano que vem sejam 60 mil. No turno complementar, além de acompanhamento pedagógico obrigatório com aulas de reforço escolar em matemática, português, ciências e uma língua estrangeira, os alunos podem praticar esportes e participar de atividades culturais, que ajudam a melhorar a disciplina e a concentração. Novas cédulas Começou a circular no mercado a partir desta segunda-feira, 29, as notas de R$ 2 e R$ 5 da segunda família de cédulas do real, divulgou o Banco Central (BC). Há um ano, entraram em circulação as novas notas de R$ 10 e R$ 20 e, em dezembro de 2010, as de R$ 50 e R$ 100. Entre os principais dispositivos de segurança das cédulas estão a marca d"água, a marca tátil (impressão em alto-relevo), número escondido, itens fluorescentes, microimpressões e quebra-cabeça, que é uma novidade: impressão de partes complementares do valor das cédulas, em áreas coincidentes do anverso e do reverso, formando a figura completa quando a cédula é examinada contra a luz. “Como diz o papa..,” Durante décadas, os políticos argentinos se acostumaram a citar frases épicas de seus líderes, caudilhos e ex-presidentes para justificar ações e promessas em comícios. Agora, muitos deles começam o pronunciamento com “como diz o Papa Francisco...”. Ela é dita em palanques e em entrevistas no rádio e na TV por governistas e opositores, que estão buscando votos para as eleições primárias do dia 11 de agosto. Não estão perdoando nem o papa. Usar o “como diz o papa...” em palanque é a estratégia que os argentinos estão usando, vai que essa moda pega aqui no Brasil. Reinauguração O Hospital Municipal de Arapoti, reabriu nesta segunda-feira (29) a ala de raio-x. O serviço estava suspenso desde 2011, quando a Vigilância Sanitária interditou alas do setor de radiografias e do Centro Obstetrício. A expectativa é de que 100 exames sejam feitos por dia com a reinauguração do setor – todos através do Sistema Único de Saúde (SUS). A Prefeitura espera que todo o hospital esteja liberado para atendimentos no mês de setembro. Remédios manipulados É lei Começou a valer neste domingo a lei estadual que obriga todas as farmácias que vendem remédios de manipulação ou homeopáticos a fornecer bula personalizada para os consumidores. As informações variam de acordo com o medicamento e devem ter o nome do paciente, mas existem alguns modelos que precisam ser seguidos. Os estabelecimentos tiveram seis meses para se adaptar à nova regra. A bula deve auxiliar os usuários de medicamentos formulados a entender as orientações médicas de uso, além de explicar contraindicações e efeitos colaterais. O Paraná é o único estado brasileiro que exige a bula para manipulados, mas há um projeto de lei tramitando no Congresso Nacional que pode ampliar a obrigatoriedade para todo o país. Gastou o dobro Nos dois anos e meio do governo da presidente Dilma Rousseff já foram desembolsados R$ 67,1 milhões com "Segurança Institucional do Presidente da República e do Vice-Presidente da República, Respectivos Familiares, e Outras Autoridades". O valor representa o dobro do que foi gasto no segundo mandato do governo Lula, quando foram desembolsados R$ 32,6 milhões. E a segurança de modo geral? Segurança para o povo? Cadê? Bancada dos deputados A atual bancada paranaense na Câmara dos Deputados tem quase o dobro de suplentes em exercício que a média nacional. Dos 30 representantes do estado na Casa, cinco estão substituindo titulares licenciados (um a cada seis vagas). Na soma dos 513 parlamentares de todo país, 46 são “reservas” (um a cada 11 vagas). A proporção é similar em relação à bancada do estado no Senado. Das três cadeiras do Paraná, uma é ocupada por suplente. No conjunto de 81 senadores, 16 são suplentes (um a cada cinco). Os pedidos de licença dos titulares têm motivos semelhantes. Em quase todos os casos eles preferiram deixar de lado o mandato para o qual foram eleitos para ocupar um cargo no Poder Executivo.


4

REGIONAL TERÇA-FEIRA - 30 de JULHO de 2013 - edição 815

Valores com Doçura foi o tema de encontro pedagógico em Arapoti

Para a vice-prefeita, Rosi Rogenski, que também responde pela Secretaria de Educação, o objetivo foi atingido De Arapoti Assessoria Com um salão todo enfeitado com doces – verdadeiros e cenográficos – os professores da rede municipal de ensino foram recepcionados para mais uma capacitação antes da volta às aulas. Com palestras focadas não só no profissional, mas também no pessoal, os profissionais tiveram dois dias diferentes. Na manhã da última quinta-feira (25), ouviram o palestrante Gilberto do Nascimento, do Sebrae, falar sobre gerenciamento estresse. Ele expôs sobre maneiras de não deixar

que o estado de estafa afete o desempenho profissional e a vida pessoal. Durante a tarde os professores puderam se divertir com as mesmas músicas e dinâmicas que passam para seus alunos e falar sobre valores. Quem comandou a brincadeira foi Fátima Baltazar. Já na sexta-feira (26), o dia começou com a apresentação do palhaço Renato Nadalini, que entre brincadeiras e piadas contou a história da sua vida e várias vezes chamou todos a refletir sobre diversos problemas enfrentados na vida e em sala de aula. A tarde foi do palestrante João Carlos de Oliveira, que de

uma maneira muito bem humorada falou sobre educação para democracia e liderança social. “Algumas dessas pessoas aqui têm 20,30 anos de magistério. O que eu posso ensinar de técnico para elas?”, falou o palestrante. Para a vice-prefeita, Rosi Rogenski, que também responde pela Secretaria de Educação, o objetivo foi atingido. “Eu também sou professora e sei da importância de sair um pouco das questões técnicas de sala de aula e focar mais no professor enquanto ser humano. É isso que estamos buscando e acredito que temos obtido sucesso”, coloca.

Ribeirão Claro é exemplo na prestação de contas De Ribeirão Claro Marcos Junior O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) divulgou uma nota na última semana destacando que já realizou a análise e julgamento de 48 contas municipais de 2012. Entre os exemplos em todo o Estado está o município de Ribeirão Claro. Os números (48 processos) significa que o tempo entre o recebimento, a análise e a votação em plenário das contas de prefeituras e câmaras (cujo prazo de envio é 31 de março) não chegou a quatro meses. Em relação aos órgãos da administração indireta (que têm prazo de encaminhamento até 30 de abril), esse tempo foi ainda menor: inferior a três meses. Dar agilidade à análise dos processos que tramitam na corte

é uma das metas do presidente do TCE, conselheiro Artagão de Mattos Leão, durante sua gestão, no biênio 2013-2014. As outras são ampliar os investimentos em capacitação de técnicos e gestores públicos e em tecnologia da informação. “Queremos tornar o Tribunal de Contas cada vez mais conhecido e reconhecido pelo cidadão paranaense”, afirma Artagão. “A melhor forma de obter esse reconhecimento é melhorando nossa eficácia como órgão de controle externo”. O diretor de Contas Municipais, Akichide Walter Ogasawara, informa que boa parte dos apontamentos é de natureza formal, passível de regularização durante o trâmite dos processos. Após a defesa, os processos receberão nova análise da DCM e parecer do Ministério Público de Contas

A Agência de Jacarezinho da Caixa Econômica Federal fez uma doação de equipamentos de informática, entre eles 14 microcomputadores com monitores LCD e 6 impressoras Laser Jet ao Consórcio Público Intermunicipal de Saúde do Norte

Pioneiro (CISNORPI). Estes equipamentos, embora usados, encontram-se revisados e em boas condições de funcionamento. Serão úteis nos departamentos do Consórcio onde serão instalados: administração, consultórios médicos, entre outros setores e unidades, contribuindo para a agilização dos serviços prestados.

Com palestras focadas não só no profissional, mas também no pessoal, os profissionais tiveram dois dias diferentes

Guapirama se prepara para festa de São Roque

Wendy Comunicações

antes de serem votados em plenário, pelos conselheiros e auditores. Entre as principais causas de irregularidade apontadas pelos técnicos da DCM nas prestações de contas de 2012 estão a remuneração de prefeitos e vereadores em valores acima dos permitidos por lei; gastos superiores às receitas; exercício do cargo de contador em desacordo com as normas vigentes; além de ausência e atraso no envio de documentos ao Tribunal. “O que mais nos preocupa, no entanto, são aqueles municípios que não aplicaram o percentual mínimo constitucional em educação (25% da receita corrente líquida, oriunda de impostos e transferências) e um certo descaso com a questão previdenciária dos servidores municipais”, afirma o diretor.

Caixa Econômica doa equipamentos de informática ao CISNORPI De Jacarezinho Wendy Comunicações

Divulgação

O Presidente do CISNORPI e Prefeito de Cambará, João Mattar Olivato recebeu os equipamentos da Gerente Geral da Caixa de Jacarezinho, Norma de Fátima Saad Sczepanski. “Agradeço a parceria consolidada entre a Caixa Econômica e o Consórcio de Saúde a favor da população do Norte Pioneiro”, finaliza João Mattar.

Praça da igreja matriz de Guapirama

De Guapirama Wendy Comunicações A tradicional Festa de São Roque em Guapirama oficialmente terá início no próximo dia 8 de agosto. Mas desde o dia 31 de julho às 19 horas serão celebradas Santas Missas com Novenas em Louvor a São Roque, padroeiro do município, na Igreja Matriz e Bairros. No dia 8 de agosto haverá às 20 horas show de roda de viola com duplas de toda a região

com premiação de R$ 1.000 (mil reais). No dia 9 de agosto haverá show ao vivo com a cantora Anadark no Salão Paroquial, onde ela está divulgando seu novo CD. No dia 10 de agosto acontecerá a partir das 20 horas um show com João Neto e Matheus no Salão Paroquial e a partir das 23 horas um Trio Elétrico com muita animação com o Locutor Fabiano Churrasco e SC Som + DJ. No encerramento da festa (11 de agosto) às 9 horas acontecerá uma missa solene com benção

dos cavalos e cavalgada. Logo após o almoço Leilão de Gado. Às 19 horas grande bingo de uma moto FAN 125 0km. Recentemente a jovem Fátima Nunes da Silva de Carlópolis foi eleita a Rainha da Festa de São Roque na cidade de Guapirama. Participaram candidatas de Santo Antônio da Platina, Jacarezinho, Joaquim Távora e Quatiguá. A comissão organizadora do evento buscou candidatas dos municípios que fazem parte da AMUNORPI.


CIDADES TERÇA-FEIRA - 30 de JULHO de 2013 - edição 815

5

Cerca de 70% do comércio siqueirense já se adequou a nova Lei sobre impostos A Lei determina que seja exposto na nota fiscal o valor e quantidade de impostos pagos em cada produto

De Siqueira Campos Isaele Machado Ontem (29) o Correio Notícias realizou várias entrevistas no comércio de Siqueira Campos para saber quais os percentuais que estão de acordo com a nova Lei. A Lei 12.741, sancionada em dezembro do ano passado, que torna obrigatória a emissão de notas fiscais com o detalhamento do valor e da quantidade dos impostos pagos em cada produto o serviço entrou em vigor no dia 10 de junho. De acordo com a enquete realizada no mercado siqueirense, aproximadamente 70% dos comerciantes já se adequaram a nova lei, contra 30% que ainda não estão dentro das normas. A maioria dos comerciantes veem essa medida como uma forma correta de informar aos clientes sobre os impostos que são cobrados. Já os consumidores demonstram satisfação com a nova medida. “Eu ainda não sabia dessa nova lei, mas acho que isso vem pra melhorar os nossos conhecimentos sobre os tributos”, disse a vendedora Ana Luíza Santos. A lei determina que a apuração deverá ser feita em relação a cada mercadoria ou serviço, separadamente, com a discriminação de todos os tributos federais, estadu-

ais e municipais. Pelo texto, as notas fiscais deverão incluir ICMS, ISS, IPI, IOF, PIS-Pasep, Cofins e Cide. No caso de produtos importados, também deverão ser informadas as alíquotas de Imposto de Importação, PIS-Pasep-Importação e Cofins -Importação. Conforme a lei, os estabelecimentos poderão divulgar as parcelas dos impostos em painéis afixados em lugar visível ou por outro meio eletrônico ou impresso. Em Siqueira Campos a maioria dos locais informam os clientes através da nota fiscal impressa. As empresas que não cumprirem as determinações podem sofrer punições previstas no Código de Defesa do Consumidor, como multa e cassação de licença. A nova lei foi criada pelo presidente do Senado, senador Renan Calheiros. Lei Nacional A presidente Dilma Rousseff sancionou em dezembro do ano passado o projeto de lei que obriga as empresas a darem transparência aos valores dos impostos pagos pelo contribuinte na nota fiscal. A apuração deve ser feita em relação a cada mercadoria ou serviço, separadamente, com a

discriminação de todos os tributos federais, estaduais e municipais. Pela nova lei, terão de ser explicitados nas notas fiscais o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); Imposto sobre Serviços (ISS); Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI); Imposto sobre Operações Financeiras (IOF); PIS/Pasep; Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e o imposto que incide sobre a comercialização e importação de derivados de petróleo (Cide). Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) ficaram de fora da exigência de discriminação na nota fiscal. Este foi um dos quatro vetos de Dilma. A justificativa é que “a apuração dos tributos que incidem diretamente na formação do preço é de difícil implementação, e a sanção desses dispositivos induziria a apresentação de valores muito discrepantes daqueles efetivamente recolhidos Pelos dados da Receita, a carga tributária bruta brasileira (soma de todos os impostos pagos por pessoas e empresas na comparação com a riqueza produzida no Brasil) bateu

Camila Consulin

José Donizete Bagatin, proprietário de um supermercado, diz que já consta os impostos na nota fiscal desde o mês passado

novo recorde e fechou 2011 em 35,31% do Produto Interno Bruto (PIB). Trata-se de uma alta de quase dois pontos percentuais na comparação com o ano anterior, o segundo aumento consecutivo.

Encerramento do I Festival Cultural de Inverno é marcado por grupo internacional De Cornélio Procópio Assessoria

Com apresentações de sucesso, o “I Festival Cultural de Inverno de Cornélio Procópio”, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura, encerrou suas apresentações na noite deste sábado, dia 27. Foram três sábados que reuniram grandes nomes da Música Popular Brasileira (MPB) com encerramento feito pelo grupo premiado internacionalmente, Vocal Chorus. “Temos muito que agradecer a oportunidade de firmarmos parceria entre o município com os integrantes do 33º Festival de Música de Londrina, que se apresentaram no Festival de Cornélio e nos oportunizaram momentos únicos e experiências ricas na cultura brasileira e internacional”, revelou o prefeito de Cornélio, Fred Alves. A última apresentação contou com interpretações renomadas de artistas como Beatles, Roberto Carlos, clássicos de samba e MPB. Na oportunidade, o prefeito Fred ao lado do secretario de cultura, Luiz Alberto Dib, aproveitaram para reiterar o compromisso assumido, através de um caminhão de palco móvel, o acesso amplo da população às apresentações artísticas e culturais.

Najylla Nogueira

A maioria das farmácias em Siqueira Campos também já estão dentro das normas

O recorde anterior é de 2008: 34,5% do PIB. Juntos, os governos federal, estaduais e municipais arrecadaram R$ 1,46 trilhão (descontando juros e multas) em impostos e contribuições

A maior reclamação de especialistas e da própria sociedade é que o consumidor não tem ideia do verdadeiro valor dos produtos que adquire, por não saber o volume de impostos.

Prefeitura e Laticínios Carolina assinam convênio de R$ 15 mil Recurso financeiro será usado para premiar professores e escola destaque em 2013 De Ribeirão Claro Assessoria

Ao lado da primeira dama, Lúcia de Fátima Cardoso Alves, o prefeito Fred prestiou o encerramento do festival

O prefeito de Ribeirão Claro, Geraldo Maurício Araújo, a secretária de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Cleuza Molini Ormeneze e o diretor da empresa Laticínios Carolina, Luiz Henrique Oliveira, assinaram na última quinta-feira (25) um convênio no valor de R$ 15 mil. A assinatura do documento aconteceu durante reunião com professoras, diretoras e equipes pedagógicas da Rede Pública Municipal, no Sindicato Patronal, às 14h. Outros convênios da empresa com a Secretaria deEducação garantem o funcionamento de projetos esportivos e premiação em concursos feitos no município. As premiações serão dadas aos participantes do Profissionais da Educação 2013 e Escola Modelo 2013. Os primeiros lugares em nove categorias receberão mil reais, enquanto os segundo lugares em oito categorias levarão R$ 500. A melhor escola garante o prêmio de R$ 2,5 mil.A ideia é aumentar o valor da premiação nos próximos anos como forma de valorizar o esforço dos educadores do município e incentivar a criação de projetos pedagógicos. Esse ano, além do aumento no valor da premiação, os vencedores receberão os valores em dinheiro, ao invés de prêmios como acontecia até 2012. O objetivo é que cada docente ou gestor escolar decida em que empregar o prêmio.A notícia foi recebida com festa por professores, diretores e equipes pedagógicas. Os critérios usados para definir os vencedores em cada categoria foram divulgados durante a capacitação pedagógica que aconteceu

entre os dias 25 e 26 de julho e estão disponíveis para consulta na Secretaria de Educação. Segundo o diretor da empresa Laticínios Carolina, Luiz Henrique de Oliveira, a parceria é parte da filosofia da fabricante de produtos lácteos, de investir parte de seus lucros no desenvolvimento do município. “Ser professor é um dom de Deus que poucos têm e somos parceiros da educação de Ribeirão Claro porque entendemos que a formação de nossos funcionários começa na sala de aula”, afirmou. “Vamos trabalhar para dobrar esse valor em 2014”, planejou. Para a secretária de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, o convênio com a empresa é fundamental para vários projetos executados pela pasta. “A empresa tem um papel fundamental para desenvolver a educação no município”, disse. “Temos diversos projetos que só são possíveis com o apoio da Laticínios Carolina”, completou. “Os professores estão sendo avaliados desde o início do ano para a premiação”, revelou. De acordo com o prefeito Geraldo Maurício Araújo (PV), a empresa fundada por ele sempre teve a preocupação de fazer a sua parte para melhorar o município. “Hoje estou afastado da empresa para me dedicar integralmente à prefeitura, mas o Luiz e a Cleide (Maria Baggio Araújo, primeiradama e presidente da empresa) estão sempre apoiando os projetos da educação”, declarou. “Nós só temos que elogiar e agradecer pela qualidade do ensino, todos que se mudam para cá se impressionam com o nível educacional de nossas escolas”, concluiu.


6

GERAL

TERÇA-FEIRA - 30 de JULHO de 2013 - edição 815

Brazenses participam dos Jogos da Juventude em Bandeirantes De Wenceslau Braz Kito Corrêa

Entre os dias 19 e 25 de julho aconteceu em Bandeirantes, os Jogos da Juventude do Paraná (Jojups), contando com a participação de 32 municípios. Segundo informou o diretor da Secretaria municipal de Esportes Lazer e Turismo (Semelt), Michael Santos, Wenceslau Braz participou em três modalidades: futsal masculino, feminino e voleibol feminino. Ele disse que as equipes se destacaram pelo alto nível técnico, tendo em vista, que nenhuma delas teve participação de atletas convidados de outros municípios. Vice-campeão, o voleibol feminino participou com a equipe Sub-15 e chegou à grande final de competição, derrotada por Ribeirão do Pinhal por 3 sets a 2. “A equipe treinada por Tony Stadler venceu na primeira fase os municípios de Assaí e Andirá por 2 sets a 0, perdeu para Ribeirão do Pinhal pelo mesmo placar,

chegando à fase seguinte como segunda melhor classificada de seu grupo, onde venceu a equipe de Siqueira Campos por 3 sets a 2”, completou. Michael ainda disse que o futsal masculino iniciou sua trajetória vencendo a forte equipe de Cornélio Procópio por 7 x 6 e Bandeirantes por 8 x 4. “Nas quartas de finais Wenceslau Braz perdia por 4 x 3 para Conselheiro Mairinque e virou o jogo nos 13 segundos finais, garantindo vaga para as semis, batendo a equipe de Uraí pelo placar de 4 x 2”, ressaltou, lembrando que a grande final foi contra Santo Antônio da Platina, que derrotou os brazenses em um belo placar de 6 x 2. O diretor de esportes elogiou o trabalho que é realizado pelas comissões técnicas de Wenceslau Braz. “Depois de muito tempo voltamos aos Jogos da Juventude do Paraná. Com 19 cidades no futsal, conseguimos êxito como vice-campeão, mérito de um trabalho iniciado há quatro anos

Divulgação

Time de Wenceslau Braz durante os jogos em Bandeirantes

atrás, com apoio incondicional do prefeito Taidinho. No vôlei participamos com uma equipe Sub-15 e mesmo assim, conseguimos

GP Tartaruga de Moto: sucesso garantido e consciência no trânsito

Divulgação

a prata”, frisou ele, garantindo que no próximo ano buscará o título. O secretário municipal da Semelt, Altivo Heleno Dias para-

benizou os atletas brazenses e disse que a experiência foi muito positiva e que, com muita disciplina estão colocando nosso

município no topo e isso incentiva toda a equipe da Semelt a trabalhar cada vez com mais determinação.

Jacarezinho tem novo Plano Diretor após vários anos

Divulgação

O prefeito Dr. Sérgio ressaltou a importância do Plano Diretor

De Jacarezinho Marcos Junior

Os vencedores que cumpriram as regras estabelecidas pela organização, e chegaram por último no percurso da GP, receberam premiações e troféus

De Cornélio Procópio Assessoria Através de grandes parceiros, a prefeitura de Cornélio Procópio apoiou a realização de mais uma edição do “GP Tartaruga de Moto”. Com realização da Rádio Cornélio, Promotos e SESC, o evento reuniu dezenas de pessoas com o objetivo de conscientização no trânsito. O

tema da “corrida” era: Quem chegar por último vence! Vários motociclistas se reuniram no domingo, dia 28, no alto do Cristo Rei na Avenida XV de Novembro para participar do evento. “As iniciativas privadas, que são incentivadas pelo poder público, acabam por gerar benefícios para toda a população; hoje através de uma atitude divertida, promove-

mos a consciência do controle de velocidade e precauções no trânsito”, afirmou o presidente da Fecop que representou o prefeito Fred Alves na oportunidade, Claudemir Druzini. Os vencedores que cumpriram as regras estabelecidas pela organização, e chegaram por último no percurso da GP, receberam premiações e troféus.

O Prefeito de Jacarezinho Sérgio Eduardo de Faria, o Dr. Sérgio, publicou nesta semana em diário oficial a Lei Complementar 51/2013 que institui o Plano Diretor Municipal (PDM) de Jacarezinho. Após vários anos o município conta com um documento eu é parte integrante do processo de planejamento municipal. “O Plano Diretor é um instrumento básico de um processo de planejamento municipal para implantação da política de desenvolvimento urbano,

norteando a ação dos agentes públicos e privados”, comenta Dr. Sérgio. O Projeto de Lei foi aprovado por unanimidade pela Câmara Municipal no mês de julho. Esta Lei, com fundamento na Constituição Federal, em especial no que estabelecem os Artigos 30 e 182; na Lei Federal n. 10.257/01 - Estatuto da Cidade, na Constituição do Estado do Paraná e na Lei Orgânica do Município, institui o Plano Diretor Municipal de Jacarezinho e estabelece as normas, os princípios básicos e as diretrizes para sua implantação. O Plano Diretor Municipal

aplica-se a toda extensão territorial do Município de Jacarezinho. Ele é parte integrante do processo de planejamento municipal, devendo o Plano Plurianual, as Diretrizes Orçamentárias, o Orçamento Anual e os planos, programas e projetos setoriais incorporarem as diretrizes e as prioridades nele contidas. Integram o Plano Diretor Municipal, instituído por esta Lei, as seguintes leis: “do Uso e Ocupação do Solo”; “do Parcelamento do Solo”; “do Perímetro Urbano”; “do Sistema Viário”; “do Código de Obras”; “do Código de Posturas”.


POLICIAL TERÇA-FEIRA - 30 de JULHO de 2013 - edição 815

Adolescentes são apreendidos com droga em Bandeirantes

7

Mulher de 29 anos é atingida três vezes na face por jovem de 16 anos em Cornélio Procópio Motivo da tentativa de homicídio ainda é desconhecido pela polícia, que suspeita de “acerto de contas”

Cornélio Notícias

Eles passaram por um patrulhamento e quando receberam voz de parada fugiram em alta velocidade. Eles deixaram para trás 168 gramas de cocaína De Bandeirantes Regiane Romão

Dois adolescentes de 16 e 17 anos foram apreendidos no último sábado, 27 pela Polícia Militar de Bandeirantes. Eles foram acusados de tráfico de drogas. De acordo com informações obtidas com a Polícia Militar, durante uma Operação de Trânsito pela Avenida Azarias Vieira de Rezende, os policiais deram voz de parada para os dois adolescentes que estavam de moto, mas eles fugiram em alta velocidade.

Com isso, os policiais desconfiaram da atitude dos adolescentes e os seguiram. Quando eles chegaram à BR 369, no KM 53 a equipe policial viu que os adolescentes dispensaram três invólucros de cocaína. No total tinha 168 gramas da droga. Os dois então abandonaram a moto próxima a um barranco e tentaram fugir a pé por um matagal. Eles foram localizados, apreendidos e encaminhados junto com as drogas e a moto para a Delegacia de Bandeiras a fim de que as providências legais fossem tomadas.

Polícia Militar

A vítima foi alvejada com três disparos de arma de fogo, sendo encaminhada pela equipe SAMU

De Cornélio Procópio Serafim Geraldo

Droga foi levada para a delegacia pelos policiais

Polícia Civil do Paraná tem novo delegado-geral De Curitiba Assessoria O delegado Riad Braga Farhat foi empossado nesta segunda-feira (29) como novo delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, em cerimônia realizada no Canal da Música, em Curitiba. Farhat assume o cargo no lugar do delegado Marcus Vinícius da Costa Michelotto, que a partir de agora responde pela Divisão de Polícia Especializada (DPE), responsável por delegacias como da Mulher, do Adolescente, do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria) e pelo Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), entre outras. O secretário da Segurança Pública, Cid Vasques, destacou a ficha funcional e a qualificação de Farhat para a função. “Desejo que a sua gestão siga na rota da consolidação de uma ‘polícia cidadã’, comprometida com a sociedade e com o mais absoluto respeitos aos direitos do cidadão, investigando o crime e combatendo a violência, e colaborando decisivamente na redução dos índices de crimina-

lidade”, disse o secretário. Farhat disse que a experiência como delegado no Grupo Tigre e na Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) o prepararam para este momento. “Preciso e quero contar com o apoio das pessoas mais importantes da Polícia Civil. Dos nossos carregadores de piano. Heróis anônimos e dedicados que têm a dificílima missão de solucionar crimes identificando e prendendo seus autores”, afirmou. Farhat também ressaltou que vai fortalecer os laços e apoio de outras instituições, como Polícia Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Guardas Municipais, Ministério Público e Poder Judiciário. Na solenidade também foi confirmado o nome de Luiz Gilmar da Silva como delegadogeral adjunto. Até então, Gilmar da Silva estava lotado na Corregedoria Área Sudoeste (Cascavel). Na semana passada, o nome do delegado Valmir Soccio já havia sido confirmado como novo corregedor-geral da Polícia Civil. TROCA – O secretário da Segurança Pública também agradeceu o empenho de Michelotto, que estava na função de

delegado-geral desde janeiro de 2011. “Michelotto encontrou, ao início de sua gestão como delegado-geral, uma Polícia Civil ainda muito carente de atenção, a exemplo de outros setores que envolviam esse segmento tão sensível da administração pública”, disse Vasques. “Com sua perspicácia e dedicação conseguiu enxergar muitas soluções, agindo sempre de forma proativa, honrando e defendendo a cada dia o nome da instituição a que serve”, disse ele. Michelotto disse que a mudança faz parte do ciclo dentro da instituição e que está sendo substituído por um grande amigo. “Dois anos e meio é mais que suficiente para quem luta, para quem briga pela instituição, para quem procura fazer o melhor. E a mudança faz parte. Riad é um delegado capaz, que tem tudo para fazer o melhor trabalho em prol da Polícia Civil e da sociedade”. BIOGRAFIA - Riad Braga Farhat estava respondendo pela Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), unidade especializada no combate ao tráfico de drogas. Antes desta função, foi delegado do Grupo Tigre, equipe de elite da Polícia Civil

criada em 1990 e que se tornou referência no País em razão do sucesso na resolução de casos de sequestro. PRESENÇAS – A solenidade contou com a presença do comandante da 5ª Região Militar, general Luiz Felipe Kraemer Carbonell; do superintendente da Polícia Federal, Rosalvo Franco; do ex-secretário estadual da Segurança Pública, Reinaldo de Almeida César; da diretora-geral da Secretaria da Segurança Pública, Thathyana Weinfurter Assad; do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Roberson Bondaruk; e do secretário estadual da Corregedoria e Ouvidoria Geral, Ramatis Fávero. Também participaram da cerimônia de posse o diretorgeral da Polícia Científica, Leon Grupenmacher; o diretor do Instituto Médico-Legal (IML), Porcídio Vilani; o diretor do Instituto de Criminalística, Marco Aurélio Pimpão; o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Luiz Henrique Pombo do Nascimento; delegados responsáveis pelas diversas divisões e unidades da Polícia Civil, além de investigadores, escrivães e papiloscopistas.

Catarina Aparecida de Oliveira, de apenas 29 anos, foi atingida três vezes na face por um menor de apenas 16 anos. O fato ocorreu na Vila São Pedro, na cidade de Cornélio Procópio, sendo que a polícia foi acionada por volta das 17h00. Ao chegar ao local, os policiais militares defrontaram-se com o corpo da vítima (Catarina) no chão, com ferimentos na face, ainda consciente, que conseguiu revelar o nome do autor dos disparos, um suspeito de 16 anos, que já tem passagens pela polícia por posse ilegal de arma, envolvimento com o narcotráfico, uma figurinha “carimbada” no meio policial. Catarina foi conduzida pelo SAMU para a Santa Casa de Misericórdia, onde permanece internada e seu estado exige cuidados especiais. Ao ser informada pela vítima do nome da pessoa apontada como sendo o autor dos disparos,

os policiais rapidamente foram à casa do acusado, que foi flagrado no banheiro, tentando remover as marcas de sangue das roupas. Por ter sido denunciado pela vítima, por ter sido flagrado tentando livrar-se das roupas manchadas de sangue, e por já possuir passagens na polícia por posse ilegal de arma, furto de motocicleta, o menor foi conduzido à 11ª. SDP, onde encontra-se apreendido. Pelo fato ter ocorrido na Vila São Pedro, local que segundo a polícia existe um grande número de usuários, e por consequência, de traficantes, impera a “lei do silêncio”, as pessoas temem pela sua segurança, mas o próprio depoimento da vítima, que mesmo alvejada conseguiu dizer não apenas o nome do autor dos disparos, mas também o endereço dele. Devido a esses fatos, o motivo dos disparos pode ser um “acerto de contas”, hipótese esta que as autoridades não descartam.

Operação “Norte Pioneiro” apreende toca CDs furtados e três pessoas acusadas de furto e posse ilegal de armas A operação foi realizada em Ibaiti e contou com a participação de 15 policiais e seis viaturas De Ibaiti Regiane Romão Os policiais militares de Ibaiti realizaram uma operação policial chamada de “Norte Pioneiro”, no último dia 26 de julho. A intenção dos policiais foi combater crimes relacionados ao tráfico de drogas. Para isso foram realizados bloqueios policiais para que fossem fiscalizados todos os veículos em circulação. Eles procuravam por armas ilegais, drogas, e outros produtos ilícitos. A operação contou com a participação de 15 policiais entre civis e militares. Seis viaturas foram usadas para intensificar o policiamento durante a abordagem em bares, veículos e em

pessoas suspeitas. Após a operação, foram conduzidos para a Delegacia de Ibaiti, E.F de 29 anos em posse de um cd automotivo furtado, J.L, 22 anos que portava uma faca medindo 30 centímetros, e R.S de 29 anos, na casa dele foram encontrados três toca CDs automotivos provenientes de furto. Os quatro toca CDs foram furtados na madrugada do dia 26 de julho. Os toca CDs estavam nos carros em uma oficina mecânica no município. Eles confessaram que os aparelhos seriam trocados por drogas. Todos os envolvidos e apreensões realizadas foram conduzidos a 37ª Delegacia Regional de Polícia de Ibaiti


8

SOCIAL TERÇA-FEIRA - 30 de JULHO de 2013 - edição 815


EDITAIS

B1 B1

Ano XIII - Nº 815 - R$ 2,00

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

30

Terça-Feira

de Julho de 2013 Siqueira Campos

Max Min

18° 10°

Cornélio Procópio

Max Min

20° 10°

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DA BOA VISTA ESTADO DO PARANÁ

Poder Legislativo de Salto do Itararé Câmara Municipal “Vereador Roberto José de Sene”

HOMOLOGAÇÃO

O Presidente da Câmara Municipal de Salto do Itararé, Estado do Paraná, usando de suas atribuições legais e de acordo com a Lei Municipal n.º 159/2012 de 28 de Dezembro de 2012, PROMULGA a seguinte Resolução.

REF.: Pregão Presencial de nº 36/2013

RESOLUÇÃO N. º 04/2013

Pedro Sérgio Kronéis

OBJETO: “Registro de Preços para futura e eventual aquisição de leite pasteurizado integral” Face ao contido no Resultado do Processo, homologo o presente procedimento licitatório à proponente: COOPERATIVA AGROPECUÁRIA FAMILIAR DO LESTE PIONEIRO - COAFLEP, no valor total de R$ 31.200,00 (Trinta e um mil e duzentos reais). São José da Boa Vista-Pr, em 26 de julho de 2013. Prefeito Municipal

Súmula: Dispõe sobre abertura de Crédito Adicional Suplementar. Art. 1º - Fica aberto ao Orçamento da Câmara Municipal de Salto do Itararé, no corrente exercício, um Crédito Adicional Suplementar, no valor de R$ - 20.000,00 (vinte mil reais), conforme abaixo discriminado: ÓRGÃO: 01 – CAMARA MUNICIPAL UNIDADE: 01.001 – LEGISLATIVO MUNICIPAL 01.031.0001.1001 – Aquisição de Veículo 4490.52.00.00 – Equipamentos e Material Permanente Id Uso Fonte: 0 Grupo Fonte: 1 Fonte Recurso: 001

R$ - 20.000,00

Art. 2º - Para dar cobertura aos Créditos abertos no artigo anterior, de acordo com a Lei Federal nº 4.320/64, será utilizado o cancelamento de dotações constantes do orçamento vigente, conforme segue: ÓRGÃO: 01 – CAMARA MUNICIPAL UNIDADE: 01.001 – LEGISLATIVO MUNICIPAL 01.031.0001.2004 – Manutenção das Atividades da Câmara 4490.52.00.00 – Equipamentos e material Permanente Id Uso Fonte: 0 Grupo Fonte: 1 Fonte Recurso: 001

R$ - 20.000,00

Art. 3º - Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Câmara Municipal de Salto do Itararé, 26 de Julho de 2.013. PEDRO PAULO ESPOSITO Presidente

CÂMARA MUNICIPAL DE SALTO DO ITARARÉ RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO DA DESPESA COM PESSOAL ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JULHO DE 2012 A JUNHO DE 2013 LRF, Art 55, inciso I, alínea "a" - Anexo I DESPESA COM PESSOAL

DESPESA EMPENHADA

DESPESA BRUTA COM PESSOAL (I) Pessoal Ativo Pessoal Inativo e Pensionistas Outras Despesas De Pessoal Decorrentes De Contratos De Terceirização (art. 18, §1º da LRF) (-)DESPESAS NÃO COMPUTADAS (art. 19, §1º da LRF) (II) Indenizações por Demissão e Incentivos à Demissão Voluntária Decorrentes de Decisão Judicial Despesas de Exercícios Anteriores Inativos e Pensionistas com Recursos Vinculados

403.629,56 403.629,56 0,00 0,00 3.247,26 0,00 0,00 0,00 0,00

Instrução Normativa TCE/PR 56/2011 Pensionistas IRRF

3.247,26 0,00 3.247,26

TOTAL DA DESPESA COM PESSOAL PARA FINS DE APURAÇÃO DO LIMITE - TDP (III) = (I - II)

400.382,30

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - RCL (IV)

9.115.429,25

% do TOTAL DA DESPESA COM PESSOAL PARA FINS DE APURAÇÃO DO LIMITE - TDP sobre a RCL (II / IV * 100)

4,39

LIMITE MÁXIMO (incisos I, II e III, art. 20 da LRF) - 6%

546.925,76

LIMITE PRUDENCIAL (§único, art. 22 da LRF) – 5,7%

519.579,47

PEDRO PAULO ESPÓSITO Presidente

NILTON CESAR ESPÓSITO Contador

HERIVELTO BARBOSA Controlador Interno


EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

B2

* - Formação para a diversidade, proteção e salvaguarda do direito à memória e identidade.

prefeitura de Siqueira Campos estado do paraná DECRETO Nº 1.023 DE 25 DE JULHODE 2013.

Convoca a 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura dos Municípios de Joaquim Távora, Quatiguá, Salto do Itararé, Siqueira Campos e Tomazina. O Prefeito Municipal de Siqueira Campos, Estado do Paraná, Sr. FABIANO LOPES BUENO, no uso de suas atribuições e considerando o disposto na Portaria Nº 33 de 16 de abril de 2013, que convoca a 3ª Conferência Nacional de Cultura e homologa seu Regimento Interno.

GRUPO IV - Cultura e Desenvolvimento * - Institucionalização de territórios criativos e valorização do Patrimônio Cultural em destinos turísticos para o desenvolvimento local e regional; * - Qualificação em gestão, fomento financeiro e promoção de bens criativos nacionais no Brasil e no exterior; * - Fomento à criação / produção, difusão / distribuição / comercialização e consumo / fruição de bens e serviços criativos, tendo como base as dimensões ( econômica, social, ambiental e cultural) da sustentabilidade; * - Direitos autorais e conexos, aperfeiçoamento dos marcos legais existentes e criação de arcabouço legal para a dinamização da economia criativa brasileira. Parágrafo Único: Os assuntos referentes às especificidades da Cultura dos municípios participantes serão tratados no escopo de cada eixo tem��tico ao qual estiver relacionado. Art. 6º - Cada Grupo de Trabalho (GT) serão dirigidos por um mediador e um relator indicado pela Comissão Organizadora com as fun-

RESOLVE Art.1º - Convocar a 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos com a participação dos Municípios de Joaquim Távora, Quatiguá, Salto do Itararé, Siqueira Campos e Tomazina. Parágrafo Único. A 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos entre os Municípios de Joaquim Távora, Quatiguá, Salto do Itararé, Siqueira Campos e Tomazina, será realizada em 30 de julho de 2013, terá como tema geral: “Uma Política de Estado para a Cultura: Desafios do Sistema Nacional de Cultura”. Art. 2º - Fica o Departamento Municipal de Cultura de Siqueira Campos, responsável pela realização da 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos com a participação dos Municípios de Joaquim Távora, Quatiguá, Salto do Itararé, Siqueira Campos e Tomazina. Art. 3º - A 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos com a participação dos Municípios de Joaquim Távora, Quatiguá, Salto do Itararé, Siqueira Campos e Tomazina, é etapa integrante da 3ª Conferência Nacional de Cultura, que será realizada no período de 26 a 29 de novembro de 2013, na cidade de Brasília – Distrito Federal. Art. 4º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Art. 5º - Revogam-se as disposições em contrário.

ções de conduzir as discussões e debates, controlar o tempo, estimular a participação de todos, de acordo com o roteiro previamente determinado. Art. 7º - Cada Grupo de Trabalho (GT) contará com 1 (um) relator, designado pela Comissão Organizadora, encarregado de sintetizar as conclusões das discussões e debates e participar da consolidação dos relatórios e documento final. Parágrafo Único: No sentido de agilizar os trabalhos, cada relator deverá ao final de cada etapa entregar a Comissão Organizadora o produto das discussões ocorridas no âmbito de cada debate. CAPÍTULO V – DOS MEMBROS Art. 8º - Poderão participar da 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos 2013 todo cidadão, maior de 16 anos, devidamente inscrito, representantes dos poderes públicos, sociedade civil e entidades sócio-culturais que residam e promovam atividades culturais nos municípios participantes pelo menos três anos consecutivos; §1º - Os participantes da referida conferência terão as seguintes atribuições: I - inscritos da Sociedade Civil e Poder Público, terão direito a voz, a priorizar propostas e a votar em delegados a serem eleitos; II - convidados / ouvintes terão direito a voz e não a voto. Parágrafo Único: São considerados convidados / ouvintes os participantes maiores de 16 anos, devidamente inscritos, representantes

GABINETE DO PREFEITO MUNICIPAL Siqueira Campos, 25 de julho de 2013. FABIANO LOPES BUENO Prefeito Municipal REGIMENTO INTERNO DA 1ª CONFERÊNCIA INTERMUNICIPAL DE CULTURA EM SIQUEIRA CAMPOS PR. CAPÍTULO I – DA FINALIDADE Art. 1º - A 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos, convocada pelo Decreto nº 1.023 de 25 julho de 2013, terá a participação de cinco cidades da Região do Norte Pioneiro a saber: Joaquim Távora, Quatiguá, Salto do Itararé, Siqueira Campos e Tomazina e terá por finalidade: I - Propor estratégias de aprimoramento da articulação e cooperação institucional entre os entes municipais, da região do Norte Pioneiro e destes com a sociedade civil para dinamizar os sistemas de participação e controle social na gestão de políticas públicas de cultura para a implementação e consolidação dos Sistemas Nacional, Estadual, e Municipal de Cultura; II - Avaliar a criação de Metas dos Planos de Cultura e participar do Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais; III - Debater experiências para elaboração e implementação dos Planos de Cultura; IV - Discutir a cultura a partir dos aspectos de identidade, da memória, da produção simbólica, da gestão, da sua proteção e salvaguarda, da participação social e da plena cidadania; V - Propor estratégias para o reconhecimento e o fortalecimento da cultura como um dos fatores do desenvolvimento sustentável; VI - Promover o debate, intercâmbio e compartilhamento de conhecimentos, linguagens e práticas, valorizar o fomento, a formação, a criação, a divulgação e preservação da diversidade das expressões e o pluralismo das opiniões; VII - Facilitar aos fazedores de cultura o acesso aos meios de produção, aos bens, serviços e espaços culturais; VIII - Facilitar a formação de fóruns municipais e intermunicipais de discussão de cultura; IX - Validar a participação de delegados a Conferência Estadual de Cultura. Parágrafo Único – A 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos será realizada na A.A.P.S. (Associação Atlética Pindorama Siqueirense), sob a coordenação do Departamento Municipal de Cultura de. Siqueira Campos PR. CAPÍTULO II – DA ORGANIZAÇÃO E REALIZAÇÃO Art. 2º – A 1ª. Conferência Municipal de Cultura em Siqueira Campos será presidida pelo Diretor Municipal de Cultura de Siqueira Campos, e coordenada por um representante da cultura escolhido pelo Diretor Municipal da Cultura de Siqueira Campos. Art. 3º - Durante a realização da 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura deverá ser nomeada a Comissão Organizadora para sistematizar e enviar à Comissão Organizadora Estadual o Relatório Final, bem como a relação dos delegados que serão inscritos para etapa estadual, obedecendo ao prazo e critérios conforme o Regimento Nacional. Art. 4º - A Comissão Organizadora possui caráter deliberativo, consultivo e fiscalizador, abrangendo as seguintes funções: I - Organizar a 1ª Conferência Intermunicipal em Siqueira Campos; II - Enviar ao Comitê Executivo Nacional as informações relacionadas aos incisos I e II do Regimento Nacional, até 10 dias após a data

dos poderes públicos, sociedade civil e entidades sócio-culturais que não tenham atuação vinculada diretamente com os municípios partícipes da Conferência Intermunicipal ou que não se enquadrem no caput do artigo 8º. Art. 9º - São delegados (as) com direito a voz e voto quaisquer munícipes ou artistas, produtores culturais e entidades que residam ou atuem nas cidades partícipes da 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura e que preencherem a ficha de inscrição, no momento do credenciamento e participarem da 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos, que será realizada no dia 30 de Julho de 2013. Art. 10º - Será facultado a qualquer delegado (a) manifestar-se verbalmente ou por escrito, durante o período de análise e elaboração de propostas em grupo temático e na Plenária Final, mediante perguntas, observações, proposições e propostas pertinentes ao tema. Parágrafo Único: O tempo máximo para cada manifestação verbal será de 2 minutos sem prorrogação. CAPÍTULO VI – PLENÁRIA FINAL Art. 11º - A Plenária Geral da 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos, terá como objetivo debater e aprovar as propostas discutidas e aprovadas nos grupos de trabalho, debater e votar as moções apresentadas e ainda eleger os delegados à Conferência Estadual. Art. 12º - Participarão da Plenária geral: * Delegados com direito a voz e voto; * Convidados com direito a voz. Art. 13º - Os trabalhos serão dirigidos por uma mesa constituída por um representante de cada cidade participante, um membro da Sociedade Civil de cada município participante, coordenada pelo Diretor Municipal de Cultura de Siqueira Campos. Art. 14º - A Comissão Organizadora abre inscrição para candidatos a delegados à Conferência Estadual antes da votação das propostas. Parágrafo Único: Os trabalhos serão secretariados por relatores indicados pela Comissão Organizadora. Art. 15º - A aprovação das propostas será por maioria simples dos delegados presentes. Art. 16º - Realiza-se a contagem de participantes presentes, com direito a voto e ser votado, uma vez que este percentual definirá o número de delegados que a conferência poderá eleger, conforme regulamento da conferência. I. De 25 a 500 participantes, até 5% poderão ser eleitos Delegados para a Conferência Estadual de Cultura. II. Acima de 500 participantes, poderão ser eleitos até 25 Delegados para a Conferência Estadual de Cultura. Art. 17º - Os delegados são eleitos individualmente por maior número de votos, respeitando-se a proporcionalidade de 1/3 (um terço) para representantes do Poder Público e 2/3 (dois terços) para representantes da sociedade civil. §1º - Para cada delegado titular deverá ser indicado um suplente correspondente, que será credenciado na ausência do titular. §2º - A maior idade comprovada será o critério para eventuais empates na votação dos delegados. Art. 18º - Para que a Conferência Intermunicipal seja válida para a etapa estadual e perante a 3ª Conferência acional de Cultura será necessária a comprovação de quorum mínimo de 25 (vinte e cinco) participantes, com representação da sociedade civil e da área governamental.

da publicação da convocação;

Art. 19º - A aprovação das propostas será por maioria simples dos delegados presentes.

III - Sistematizar e enviar à Comissão Organizadora Estadual o Relatório Final, bem como a relação dos delegados que serão inscritos

CAPÍTULO VII – DAS DISPOSIÇÕES FINAIS E COMUNS

para etapa estadual, obedecendo ao prazo e critérios estabelecidos no art. 14 e parágrafos do Regimento Nacional.

Art. 20º - Concluída a votação das propostas apresentadas e após a proclamação do resultado dos delegados eleitos considerar-se-á

Parágrafo Único: As cidades que realizarem suas conferências municipais e elegerem seus delegados, não poderão eleger novos

realizada a Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos em 30 de julho de 2013.

delegados na Conferência Intermunicipal, tendo apenas direito à voz e podendo participar de propostas para a região.

Art. 21º - Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Organizadora.

CAPÍTULO III – DA PROGRAMAÇÃO

FABIANO LOPES BUENO

Art. 5º - A 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos de 2013 desenvolver-se-á em Painéis de Debates sobre os

Prefeito Municipal

4 (quatro) eixos da proposta da 3ª Conferência Nacional de Cultura e Plenária Geral, conforme portaria nº 33, de 16 de abril de 2013, tendo como Tema Central: “UMA POLÍTICA DE ESTADO PARA A CULTURA: DESAFIOS DO SISTEMA NACIONAL DE CULTURA” com a seguinte programação: 08h00 às 09h00 – Recepção e credenciamento dos participantes e convidados da 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura em Siqueira Campos; 09h00 às 09h30 – Abertura Oficial; 09h30 às 11h30 – Apresentação dos 4 eixos de discussão 2014; 11h30 às 13h00 – Intervalo para almoço; 13h00 às 15h00 - Análise e elaboração de propostas nos grupos temáticos 15h00 às 16h00 - Plenária Geral: Apresentação e aprovação das propostas elaboradas nos grupos temáticos; 16:00 às 16:30 – Pausa para o café; 16h30 às 17h30 – Inscrição e eleição dos candidatos a delegados para a Conferência Estadual de Cultura; 17h30 – Encerramento. DEFINIÇÃO DOS PAINÉIS DE DISCUSSÃO GRUPO I - Implementação do Sistema Nacional de Cultura * - Marcos legais, participação e Controle Social e Funcionamento do SNC;

PREFEITURA DE CURIÚVA EXTRATO PARA PUBLICAÇÃO PRIMEIRO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 160/2013 - Dispensa Nº 129/2013 CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA CONTRATADA: RENATA DE OLIVEIRA RAHAL CPF nº. 021.338.939-89, CRFa nº. 8635 OBJETO: Prorroga a vigência do contrato até 01 de novembro de 2013, nos mesmos termos e condições anteriormente contratadas. RATIFICAÇÃO: Ficam ratificadas as demais cláusulas do referido Contrato. FUNDAMENTAÇÃO: Art. 57, inciso II da Lei de Licitações. Curiúva, em 29 de julho de 2013. AMADEU DE JESUS DA SILVA Prefeito Municipal

* - Desenvolvimento e implementação de planos setoriais de cultura, formação de gestores e conselheiros de cultura; * - Fortalecimento dos sistemas de financiamento de cultura, orçamentos, fundos de cultura e incentivos fiscais;

PREFEITURA DE CURIÚVA

* - Sistema de informação cultural e governança colaborativa.

EXTRATO PARA PUBLICAÇÃO PRIMEIRO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº. 161 /2013 - Dispensa Nº. 130/2013

GRUPO II – Produção Simbólica e Diversidade Cultural

CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA

* - Criação, produção, preservação, intercâmbio e circulação de Bens Artísticos e Culturais;

CONTRATADA: RENATO WEIGERT JUNIOR

* - Educação e formação Artística e Cultural;

CPF nº 792.393.079-15 - CRF nº 016180/O

* - Democratização da Comunicação e Cultura Digital;

OBJETO: Prorroga a vigência do contrato até 01 de novembro de 2013, nos mesmos termos e condições anteriormente contrata-

* - Valorização do Patrimônio Cultural e Proteção aos Conhecimentos dos Povos e comunidades Tradicionais.

das. RATIFICAÇÃO: Ficam ratificadas as demais cláusulas do referido Contrato.

GRUPO III – Cidadania e Direitos Culturais

FUNDAMENTAÇÃO: Art. 57, inciso II da Lei de Licitações.

* - Democratização e ampliação do acesso à cultura e descentralização da rede de equipamentos, serviços e espaços culturais;

Curiúva, em 29 de julho de 2013.

* - Diversidade cultural, acessibilidade e tecnologias sociais;

AMADEU DE JESUS DA SILVA

* - Valorização e fomento das iniciativas culturais locais e articulação em rede;

Prefeito Municipal


B3

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO

RREO - ANEXO 1 (LRF, Art. 52, inciso I, alíneas "a" e "b" do inciso II e § 1º)

R$ 1,00 PREVISÃO INICIAL

RECEITAS

RECEITAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (I)

RECEITAS REALIZADAS

PREVISÃO ATUALIZADA (a)

No Bimestre (b)

% (b/a)

Até o Bimestre (c)

SALDO A REALIZAR (a - c)

% (c/a)

13.855.619,00

13.855.619,00

2.080.871,46

15,02

6.473.705,40

RECEITAS CORRENTES

12.382.619,00

12.382.619,00

2.065.121,46

16,68

RECEITA TRIBUTÁRIA

513.160,00

513.160,00

61.527,45

11,99

457.600,00

457.600,00

61.049,58

13,34

55.560,00

55.560,00

477,87

0,86

18.020,00

18.020,00

5.856,21

32,50

18.020,00

18.020,00

5.856,21

32,50

15.072,87

13.465,00

13.465,00

5.078,00

13.465,00

13.465,00

5.078,00

4.590,00

4.590,00

0,00

0,00

0,00

0,00

4.590,00

IMPOSTOS TAXAS RECEITAS DE CONTRIBUIÇÕES CONTRIBUIÇÃO P/ CUSTEIO SERV ILUMINAÇÃO PÚBLICA RECEITA PATRIMONIAL RECEITAS DE VALORES MOBILIÁRIOS RECEITA DE SERVIÇOS TRANSFERÊNCIAS CORRENTES

46,72

7.381.913,60

6.205.302,39

50,11

6.177.316,61

202.908,76

39,54

310.251,24

200.577,26

43,83

257.022,74

2.331,50

4,20

53.228,50

15.072,87

83,65

2.947,13

83,65

2.947,13

37,71

13.494,94 100,22

-29,94

37,71

13.494,94 100,22

-29,94

11.771.703,00

11.771.703,00

1.991.474,39

16,92

5.966.508,91

50,69

5.805.194,09

10.409.159,00

10.409.159,00

1.972.037,78

18,95

5.707.599,32

54,83

4.701.559,68

1.362.544,00

1.362.544,00

19.436,61

1,43

258.909,59

19,00

1.103.634,41

61.681,00

61.681,00

1.185,41

1,92

7.316,91

11,86

54.364,09

6.869,00

6.869,00

24,41

0,36

182,48

2,66

6.686,52

530,00

530,00

1.918,07 361,90

-1.388,07

52.740,00

52.740,00

97,72

0,19

3.334,36

6,32

49.405,64

1.542,00

1.542,00

420,00

27,24

1.882,00 122,05

-340,00

RECEITAS DE CAPITAL

1.473.000,00

1.473.000,00

15.750,00

1,07

268.403,01

18,22

1.204.596,99

ALIENAÇÃO DE BENS

103.000,00

103.000,00

15.750,00

15,29

62.650,00

60,83

40.350,00

ALIENAÇÃO DE BENS MÓVEIS

103.000,00

103.000,00

15.750,00

15,29

62.650,00

60,83

40.350,00

TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL

1.370.000,00

1.370.000,00

0,00

0,00

205.753,01

15,02

1.164.246,99

20.000,00

20.000,00

0,00

0,00

150.000,00 750,00

1.350.000,00

1.350.000,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS TRANSFERÊNCIAS DE CONVÊNIOS OUTRAS RECEITAS CORRENTES MULTAS E JUROS DE MORA INDENIZAÇÕES E RESTITUIÇÕES RECEITA DA DÍVIDA ATIVA RECEITAS DIVERSAS

TRANSFERÊNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS TRANSFERÊNCIAS DE CONVÊNIOS RECEITAS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (II)

SUBTOTAL DAS RECEITAS (III) = (I + II)

Mobiliária Contratual Operações de Crédito Externas Mobiliária

55.753,01

-130.000,00

4,13

1.294.246,99

13.855.619,00

13.855.619,00

2.080.871,46

15,02

6.473.705,40

46,72

7.381.913,60

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO - REFINANCIAMENTO (IV) Operações de Crédito Internas

643,28 121,37

Município de SAO 0,00 JOSE DA BOA VISTA - PR 0,00 PREFEITURA MUNICIPAL 0,00DE SAO JOSE DA 0,00 BOA VISTA RELATÓRIO RESUMIDO 0,00 DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 0,00 0,00 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO0,00 0,00

0,00

ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL

Continuação 2/3 0,00

JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO

PREVISÃO INICIAL

RECEITAS OPERAÇÕES DE CRÉDITO - REFINANCIAMENTO (IV)

SALDO A REALIZAR (a - c)

% (c/a)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

13.855.619,00

13.855.619,00

2.080.871,46

15,02

6.473.705,40

46,72

7.381.913,60

SALDO DE EXERCÍCIOS ANTERIORES (UTILIZADOS PARA CRÉDITOS ADICIONAIS) Superávit Financeiro Reabertura de Créditos Adicionais

DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (VIII)

Até o Bimestre (c)

0,00

13.855.619,00

DESPESAS

% (b/a) 0,00

DOTAÇÃO INICIAL (d)

No Bimestre (b) 0,00

DÉFICIT (VI) TOTAL (VII) = (V + VI)

RECEITAS REALIZADAS

PREVISÃO ATUALIZADA (a) 0,00

Contratual SUBTOTAL COM REFINANCIAMENTO (V) = (III + IV)

Continua 1/3

CRÉDITOS ADICIONAIS (e)

13.855.619,00

— 2.080.871,46

15,02

6.473.705,40 46,72

7.381.913,60

38.974,80

24.441,56

— —

38.974,80 0,00

— —

— —

24.441,56 0,00

— —

— —

DOTAÇÃO ATUALIZADA (f) = (d + e)

DESPESAS EMPENHADAS No Bimestre

DESPESAS LIQUIDADAS

Até o Bimestre

No Bimestre

Até o Bimestre (g)

% (g/f)

SALDO A LIQUIDAR (f - g)

13.855.619,00

578.051,50

14.433.670,50

1.993.031,55

5.488.576,32

2.013.806,30

5.305.549,85

36,76

9.128.120,65

11.123.314,22

327.946,61

11.451.260,83

1.773.407,82

5.182.619,59

1.792.456,77

5.006.546,12

43,72

6.444.714,71

4.687.881,64

151.700,00

4.839.581,64

998.504,93

2.935.529,09

998.504,93

2.935.529,09

60,66

1.904.052,55

5.000,00

0,00

5.000,00

298,61

991,62

298,61

991,62

19,83

4.008,38

6.430.432,58

176.246,61

6.606.679,19

774.604,28

2.246.098,88

793.653,23

2.070.025,41

31,33

4.536.653,78

2.598.248,59

250.104,89

2.848.353,48

219.623,73

305.956,73

221.349,53

299.003,73

10,50

2.549.349,75

2.424.648,59

250.104,89

2.674.753,48

165.889,00

177.535,70

167.614,80

170.582,70

6,38

2.504.170,78

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA / REFINANCIAMENTO DA DÍVIDA 173.600,00

0,00

173.600,00

53.734,73

128.421,03

53.734,73

128.421,03

73,98

45.178,97

0,00

134.056,19

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

134.056,19

DESPESAS CORRENTES PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS JUROS E ENCARGOS DA DIVÍDA OUTRAS DESPESAS CORRENTES DESPESAS DE CAPITAL INVESTIMENTOS RESERVA DE CONTINGÊNCIA DESPESAS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (IX) SUBTOTAL DAS DESPESAS (X) = (VIII + IX) AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA-REFINANCIAMENTO (XI) Amortização da Dívida Interna

134.056,19 —

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR 578.051,50 14.433.670,50 1.993.031,55 5.488.576,32 PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO

13.855.619,00

— Continuação 3/3

2.013.806,30

5.305.549,85

0,00

0,00

36,76

9.128.120,65 0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Dívida Mobiliária

0,00ORÇAMENTOS 0,00 FISCAL E DA 0,00 SEGURIDADE 0,00 SOCIAL 0,00 0,00 0,00 0,00

Outras Dívidas

0,00

Amortização da Dívida Externa

DESPESAS AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA-REFINANCIAMENTO (XI)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO

0,00 DOTAÇÃO INICIAL (d)

CRÉDITOS ADICIONAIS (e)

DOTAÇÃO ATUALIZADA (f) = (d + e)

DESPESAS EMPENHADAS No Bimestre

DESPESAS LIQUIDADAS

Até o Bimestre

No Bimestre

Até o Bimestre (g)

% (g/f)

SALDO A LIQUIDAR (f - g)

Continua 2/3

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Dívida Mobiliária

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Dívidas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

13.855.619,00

578.051,50

14.433.670,50

1.993.031,55

5.488.576,32

2.013.806,30

5.305.549,85

36,76

9.128.120,65

1.168.155,55

6.473.705,40

36,76

SUBTOTAL COM REFINANCIAMENTO (XII) = (X + XI) SUPERÁVIT (XIII) TOTAL (XIV) = (XII + XIII)

FONTE:

— 13.855.619,00

— 578.051,50

— 14.433.670,50

— 1.993.031,55

— 5.488.576,32

— 2.013.806,30

0,00

— 9.128.120,65


EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

B4

MUNICÍPIO DE SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO DA GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO DA DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013 RGF – ANEXO 2 (LRF, art. 55, inciso I, alínea "b")

R$ 1,00 SALDO DO EXERCÍCIO DE 2013

SALDO DO EXERCÍCIO ANTERIOR

DÍVIDA CONSOLIDADA DÍVIDA CONSOLIDADA - DC (I) Dívida Mobiliária

Até o 1º Semestre

Até o 2º Semestre

123.629,19 0,00

63.376,57 0,00

0,00 0,00

62.744,61

2.491,99

0,00

62.744,61

2.491,99

0,00

0,00

0,00

0,00

60.884,58

60.884,58

0,00

0,00

0,00

0,00

— 499.431,64

424.051,49 890.470,10

2.597,10

-61.979,67

0,00

(-) Restos a Pagar Processados (Exceto Precatórios)

657.811,73

404.438,94

0,00

DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA (DCL) (III) = (I - II)

123.629,19

-360.674,92

0,00

12.819.572,07

12.515.935,55

0,00

% da DC sobre a RCL [(I) / RCL]

0,96%

0,51%

% da DCL sobre a RCL [(III) / RCL]

0,96%

-2,88%

LIMITE DEFINIDO POR RESOLUÇÃO DO SENADO FEDERAL - 120%

15.383.486,48

15.019.122,66

0,00

LIMITE DE ALERTA (inciso III do § 1º do art. 59 da LRF) 108%

13.845.137,84

13.517.210,39

0,00

Dívida Contratual Interna Externa Precatórios Posteriores a 05/05/2000 (Inclusive) - Vencidos e não Pagos Outras Dívidas DEDUÇÕES (II) Disponibilidade de Caixa Bruta Demais Haveres Financeiros

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - RCL

DETALHAMENTO DA DÍVIDA CONTRATUAL

— 0,00

SALDO DO EXERCÍCIO DE 2013

SALDO DO EXERCÍCIO ANTERIOR

Até o 1º Semestre

Até o 2º Semestre

62.744,61

2.491,99

0,00

0,00

0,00

0,00

62.744,61

2.491,99

0,00

0,00

0,00

0,00

62.744,61

2.491,99

0,00

62.744,61

2.491,99

0,00

0,00

0,00

0,00

Do FGTS

0,00

0,00

0,00

Com Instituição Não Financeira

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Interna

0,00

0,00

0,00

Externa

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DÍVIDA CONTRATUAL (IV = V + VI + VII + VIII) DÍVIDA DE PPP (V) PARCELAMENTO DE DÍVIDAS (VI) De Tributos De Contribuições Sociais Previdenciárias Demais Contribuições Sociais

DÍVIDA COM INSTITUIÇÃO FINANCEIRA (VII)

DEMAIS DÍVIDAS CONTRATUAIS (VIII)

SALDO DO EXERCÍCIO DE 2013 SALDO- DO MUNICÍPIO DE SAO JOSE DA BOA VISTA PR EXERCÍCIO OUTROS VALORES NÃO INTEGRANTES DA DC Até o 1º Semestre Até o 2º Semestre RELATÓRIO DA GESTÃO FISCAL ANTERIOR DEMONSTRATIVO DA DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA PRECATÓRIOS ANTERIORES A 05/05/2000 0,00 0,00 0,00 INSUFICIÊNCIA FINANCEIRA

ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE 155.782,99 SOCIAL

0,00

0,00

108.108,95

62.888,43

0,00

770.046,97

484.405,15

0,00 Continuação 2/2

DEPÓSITOS RP NÃO-PROCESSADOS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES

JANEIRO A JUNHO 2013

OUTROS VALORES NÃO INTEGRANTES DA DC

SALDO DO EXERCÍCIO DE 2013

SALDO DO EXERCÍCIO ANTERIOR

Até o 1º Semestre 0,00

ANTECIPAÇÕES DE RECEITA ORÇAMENTÁRIA - ARO

0,00

Até o 2º Semestre 0,00

REGIME PREVIDENCIÁRIO FONTE:

DÍVIDA CONSOLIDADA PREVIDENCIÁRIA

SALDO DO EXERCÍCIO DE 2013 Continua 1/2 Até o 1º Semestre Até o 2º Semestre

SALDO DO EXERCÍCIO ANTERIOR 0,00

0,00

0,00

Passivo Atuarial

0,00

0,00

0,00

Outras Dívidas - Inclusive precatórios vencidos e não pagos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Disponibilidade de Caixa Bruta

0,00

0,00

0,00

Investimentos

0,00

0,00

0,00

Demais Haveres Financeiros

0,00

0,00

0,00

(-) Restos a pagar processados (exceto precatórios)

0,00

0,00

0,00

OBRIGAÇÕES NÃO INTEGRANTES DA DC

0,00

0,00

0,00

DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA PREVIDENCIÁRIA (VI) = (IV - V)

0,00

0,00

0,00

DÍVIDA CONSOLIDADA PREVIDENCIÁRIA (IV)

DEDUÇÕES (V)


B5

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DA PROJEÇÃO ATUARIAL DO REGIME DE PREVIDÊNCIA ORÇAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL 2012 a 2086

RREO – ANEXO 10 (LRF, art. 53, § 1º, inciso II)

EXERCÍCIO 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025 2026 2027 2028 2029 2030 2031 2032 2033 2034 2035 2036 2037 2038 2039 2040 2041 2042 2043 2044 2045 2046 2047 2048 2049 2050 2051 2052 2053 2054 2055 2056 2057 2058 2059 2060 2061 2062 2063 2064 2065 2066 2067 2068 2069 2070 2071

R$ 1,00

RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS

DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS

RESULTADO PREVIDENCIÁRIO

SALDO FINANCEIRO DO EXERCÍCIO

(a)

(b)

c=(a-b)

(d)=("d" exercício anterior) + (c)

0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - 0,00 PR 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 RELATÓRIO RESUMIDO DA0,00 EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 0,00 0,00 0,00 0,00 DEMONSTRATIVO DA PROJEÇÃO ATUARIAL DO REGIME DE PREVIDÊNCIA 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 ORÇAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL 0,00 0,00 0,00 0,00 2012 a 2086 0,00 0,00 0,00 0,00

RREO – ANEXO 10 (LRF, art. 53, § 1º, inciso II)

EXERCÍCIO 2072 2073 2074 2075 2076 2077 2078 2079 2080 2081 2082 2083 2084 2085 2086

R$ 1,00

RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS

DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS

RESULTADO PREVIDENCIÁRIO

SALDO FINANCEIRO DO EXERCÍCIO

(a)

(b)

c=(a-b)

(d)=("d" exercício anterior) + (c)

0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

Projeção atuarial elaborada em 30/06/2013 e oficialmente enviada para o Ministério da Previdência Social - MPS. FONTE:

0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00


EDITAIS

B6

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

Betha Sistemas

ESTADO DO PARANA PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

Exercício de 2013 Junho

Demonstrativo das Diárias Concedidas Nº NE

Data

3526 03/06/13

Valor

Beneficiário

200,00 JULIANA CAMPOS JOAQUIM

Página: 1/2 Localidade Destino

Motivo Viagem

Período Viagem

Qtde Diárias

CURITIBA

07/06/2013 à 07/06/2013

1,00

3527 03/06/13

40,00 DAYANE ROSA

JACAREZINHO

07/06/2013 à 07/06/2013

1,00

3528 03/06/13

40,00 LUCY FERRAZ DE ARAUJO

JACAREZINHO

07/06/2013 à 07/06/2013

1,00

3529 03/06/13

200,00 LIDIANE CAMPOS JOAQUIM

CURITIBA

07/06/2013 à 07/03/2013

1,00

3548 04/06/13

210,00 MARCIA MENDES DE OLIVEIRA

CURITIBA

05/06/2013 à 07/06/2013

3,00

3608 10/06/13

100,00 PAULO HENRIQUE DA SILVA

JACAREZINHO

10/06/2013 à 10/06/2013

1,00

3648 10/06/13

20,00 MARIA DAS DORES DA SILVA

SANTO ANTONIO DA PLATINA

14/06/2013 à 14/06/2013

0,50

3649 10/06/13

20,00 ROSANE MARIA BARBOSA

SANTO ANTONIO DA PLATINA

13/06/2013 à 13/06/2013

0,50

3720 18/06/13

200,00 PEDRO SERGIO KRONEIS

BARRA DO JACARE

14/06/2013 à 14/06/2013

1,00

3721 18/06/13

200,00 PEDRO SERGIO KRONEIS

SANTO ANTONIO DA PLATINA

17/06/2013 à 17/06/2213

1,00

3722 18/06/13

200,00 PEDRO SERGIO KRONEIS

JACAREZINHO

18/06/2013 à 18/06/2013

1,00

3723 18/06/13

210,00 NEURI JOSE DOS SANTOS

CURITIBA

18/06/2013 à 20/06/2013

3,00

3734 19/06/13

30,00 EMERSON DE AZEVEDO

JAGUARIAIVA

14/06/2013 à 14/06/2013

1,00

3735 19/06/13

20,00 JANAINA MAINARDES MICHALSKI DE SOUZA JACAREZINHO

17/06/2013 à 17/06/2013

0,50

3736 19/06/13

20,00 VALERIA RENATA COSTA E SILVA

JACAREZINHO

17/06/2013 à 17/06/2013

0,50

BRASILIA

24/06/2013 à 27/06/2013

4,00

3744 19/06/13

1400,00 PEDRO SERGIO KRONEIS

3745 19/06/13

600,00 HAROLDO MESQUITA

BRASILIA

24/06/2013 à 27/06/2013

4,00

3760 20/06/13

200,00 PEDRO SERGIO KRONEIS

CARLOPOLIS

21/06/2013 à 21/06/2013

1,00

3761 20/06/13

100,00 DENISE APARECIDA RODRIGUES KRONEIS CARLOPOLIS

21/06/2013 à 21/06/2013

1,00

3777 21/06/13

40,00 CLEVERTON MACIEL RABELO

JACAREZINHO

20/06/2013 à 20/06/2013

1,00

3778 21/06/13

40,00 DAYANE ROSA

JACAREZINHO

20/06/2013 à 20/06/2013

1,00

3779 21/06/13

40,00 CRISTIANE ROSELI DOS SANTOS

JACAREZINHO

17/06/2013 à 17/06/2013

1,00

3780 21/06/13

40,00 JULIANA CAMPOS JOAQUIM

JACAREZINHO

17/06/2013 à 17/06/2013

1,00

3781 21/06/13

70,00 JULIANA CAMPOS JOAQUIM

CURITIBA

19/06/2013 à 19/06/2013

1,00

3782 21/06/13

200,00 LIDIANE CAMPOS JOAQUIM

CURITIBA

19/06/2013 à 19/06/2013

1,00

3789 21/06/13

40,00 JULIANA AKEMI GONÇALVES SAITO

LONDRINA

25/06/2013 à 25/06/2013

1,00

3790 21/06/13

40,00 KATIA REGINA DE LIMA BARBOSA

LONDRINA

25/06/2013 à 25/06/2013

1,00

3791 21/06/13

40,00 EMERSON DE AZEVEDO

LONDRINA

25/06/2013 à 25/06/2013

1,00

3819 21/06/13

40,00 AUGUSTO CESAR MARTINS GONCALVES JACAREZINHO

21/06/2013 à 21/06/2013

1,00

3838 24/06/13

50,00 PAULO HENRIQUE DA SILVA

JACAREZINHO

26/05/2013 à 26/05/2013

1,00

3858 25/06/13

70,00 CLEVERSON DE VASCONCELOS

CURITIBA

25/06/2013 à 25/06/2013

1,00

3874 26/06/13

40,00 ASSIS DIAS

JACAREZINHO

01/07/2130 à 01/07/2013

1,00

CURITIBA

01/07/2013 à 01/07/2013

1,00

3892 27/06/13

200,00 DIRCINEI DE PAULO DIAS

3999 27/06/13

30,00 EMERSON DE AZEVEDO

JAGUARIAIVA

28/06/2013 à 28/06/2013

1,00

4000 27/06/13

70,00 ADRIANO RONALDO BARBOSA

ITAPORANGA

30/06/2013 à 30/06/2013

1,00

4001 27/06/13

40,00 CLEVERSON DE VASCONCELOS

PONTA GROSSA

02/07/2013 à 02/07/2013

1,00

4003 27/06/13

40,00 ASSIS DIAS

Jacarezinho

09/07/2013 à 09/07/2013

1,00

4038 27/06/13

40,00 PATRICIA DE PAIVA FERREIRA

JACAREZINHO

21/06/2013 à 21/06/2013

1,00

4040 27/06/13

40,00 ADRIANO RONALDO BARBOSA

IVAIPORÃ

29/06/2013 à 29/06/2013

1,00

CURITIBA

02/07/2013 à 03/07/2013

2,00

JACAREZINHO

02/07/2013 à 02/07/2013

1,00

4085 28/06/13

400,00 DIRCINEI DE PAULO DIAS

4122 28/06/13

40,00 VERA LUCIA DE OLIVEIRA

Betha Sistemas

ESTADO DO PARANA PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

Exercício de 2013 Junho

Demonstrativo das Diárias Concedidas Nº NE

Data

Valor

Beneficiário

Página: 2/2 Localidade Destino

Motivo Viagem

Período Viagem

Qtde Diárias

4123 28/06/13

40,00 ROSELI GOMES DE OLIVEIRA MAIA

JACAREZINHO

01/07/2013 à 01/07/2013

1,00

4124 28/06/13

40,00 ALESSANDRA SOBRAL PADILHA

JACAREZINHO PR

02/07/2013 à 02/07/2013

1,00

4131 28/06/13

50,00 VINICIUS LARA VILELA

RIBEIRÃO CLARO

05/07/2013 à 05/07/2013

0,50

4132 28/06/13

50,00 CLAUDINEI MENDES DE OLIVEIRA

RIBEIRÃO CLARO

05/07/2013 à 05/07/2013

0,50

4135 28/06/13

50,00 PAULO HENRIQUE DA SILVA

RIBEIRÃO CLARO

05/07/2013 à 05/07/2013

0,50

4136 28/06/13

35,00 DANIEL CORREA DE AGUIAR

RIBEIRÃO CLARO

05/07/2013 à 05/07/2013

0,50

4174 28/06/13

40,00 JANAINA MAINARDES MICHALSKI DE SOUZA JACAREZINHO

09/07/2013 à 09/07/2013

1,00

4175 28/06/13

70,00 MARCELI REVELINO SANCHES

06/07/2013 à 06/07/2013

1,00

Valor Total:

6.035,00

CURITIBA


B7

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 Betha Sistemas

ESTADO DO PARANA PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

Exercício de 2013 Maio

Demonstrativo das Diárias Concedidas Nº NE

Data

2792 13/05/13

Valor

Beneficiário

200,00 PEDRO SERGIO KRONEIS

Página: 1/2 Localidade Destino

Motivo Viagem

Período Viagem

Qtde Diárias

PONTA GROSSA

14/05/2013 à 14/05/2131

1,00

2802 14/05/13

40,00 CLEVERSON DE VASCONCELOS

PONTA GROSSA

15/05/2013 à 15/05/2013

1,00

2803 14/05/13

70,00 ADRIANO RONALDO BARBOSA

OURINHO

15/05/2013 à 15/05/2013

1,00

2804 14/05/13

750,00 PEDRO SERGIO KRONEIS

CURITIBA

15/05/2013 à 17/05/2013

3,00

2805 14/05/13

210,00 HAROLDO MESQUITA

CURITIBA

15/05/2013 à 17/05/2013

3,00

2863 15/05/13

70,00 JOSE APARECIDO DO NASCIMENTO

SANTO ANTONIO DA PLATINA

16/05/2013 à 16/05/2013

1,00

2878 15/05/13

80,00 DORLY DE ASSIS MACHADO

JACAREZINHO

08/05/2013 à 09/05/2013

2,00

2879 15/05/13

20,00 ROSANE MARIA BARBOSA

LONDRINA

06/05/2013 à 06/05/2013

0,50

2880 15/05/13

80,00 VERA LUCIA DE OLIVEIRA

JACAREZINHO

02/05/2013 à 03/05/2130

2,00

2881 15/05/13

80,00 MARCIA MENDES DE OLIVEIRA

JACAREZINHO

02/05/2013 à 03/05/2013

2,00

2882 15/05/13

80,00 JULIANA CAMPOS JOAQUIM

JACAREZINHO

02/05/2013 à 03/05/2013

2,00

2883 15/05/13

20,00 MARCIA MENDES DE OLIVEIRA

SANTO ANTONIO DA PLATINA

19/04/2013 à 19/04/2013

0,50

2884 15/05/13

70,00 RUBENS MUNHOS FILHO

CURITBA

03/05/2013 à 03/05/2013

1,00

2885 15/05/13

40,00 LUCY FERRAZ DE ARAUJO

JACAREZINHO

08/05/2013 à 08/05/2013

1,00

2886 15/05/13

40,00 GESSICA DE ANDRADE SOUZA

JACAREZINHO

08/05/2013 à 08/05/2013

1,00

2887 15/05/13

50,00 LIDIANE CAMPOS JOAQUIM

JACAREZINHO

13/05/2013 à 13/05/2013

0,50

2888 15/05/13

20,00 LUCIANE DINIZ

JACAREZINHO

07/05/2013 à 07/05/2013

0,50

2889 15/05/13

30,00 JOSE APARECIDO DE LIMA

IBAITI

16/04/2013 à 16/04/2013

1,00

2987 20/05/13

70,00 HAROLDO MESQUITA

CURITIBA

22/05/2013 à 22/05/2013

1,00

2988 20/05/13

50,00 LIDIANE CAMPOS JOAQUIM

JACAREZINHO

15/05/2013 à 15/05/2013

0,50

2989 20/05/13

20,00 MARILZA APARECIDA DE AZEVEDO

SANTO ANTONIO DA PLATINA

16/05/2013 à 16/05/2013

0,50

2990 20/05/13

20,00 MARILZA APARECIDA DE AZEVEDO

SANTO ANTONIO DA PLATINA

15/05/2013 à 15/05/2013

0,50

2991 20/05/13

40,00 DAYANE ROSA

JACAREZINHO

16/05/2013 à 16/05/2013

1,00

2992 20/05/13

40,00 CLEVERTON MACIEL RABELO

JACAREZINHO

16/05/2013 à 16/05/2013

1,00

3008 21/05/13

70,00 WILTON CESAR BIDA DE ARAUJO

CURITIBA

22/05/2013 à 22/05/2013

1,00

3038 21/05/13

40,00 KELLY MENDES DE OLIVEIRA CASPROVJACAREZINHO

24/05/2013 à 24/05/2013

1,00

3039 21/05/13

50,00 DENISE APARECIDA RODRIGUES KRONEIS JACAREZINHO

24/05/2013 à 24/05/2013

0,50

3040 21/05/13

40,00 KATIA REGINA DE LIMA BARBOSA

JACAREZINHO

24/05/2013 à 24/05/2013

1,00

3059 22/05/13

250,00 PEDRO SERGIO KRONEIS

CURITIBA

23/05/2013 à 23/05/2013

1,00

3069 22/05/13

70,00 NEURI JOSE DOS SANTOS

CURITIBA

23/05/2013 à 23/05/2013

1,00

3070 22/05/13

20,00 CLEVERTON MACIEL RABELO

JACAREZINHO

21/05/2013 à 21/05/2013

0,50

3071 22/05/13

20,00 DAYANE ROSA

JACAREZINHO

21/05/2013 à 21/05/2013

0,50

3072 22/05/13

20,00 ROSANE MARIA BARBOSA

CAMPO LARGO

21/05/2013 à 21/05/2130

0,50

3073 22/05/13

20,00 MARILZA APARECIDA DE AZEVEDO

JACAREZINHO

20/05/2013 à 20/05/2013

0,50

3074 22/05/13

20,00 DORLY DE ASSIS MACHADO

SANTO ANTONIO DA PLATINA

22/05/2013 à 22/05/2013

0,50

3075 22/05/13

40,00 ROSELI GOMES DE OLIVEIRA MAIA

PONTA GROSSA

22/05/2013 à 22/05/2013

1,00

3076 23/05/13

40,00 RAFAEL SILVA DE AZEVEDO

PONTA GROSSA

27/05/2013 à 27/05/2013

1,00

3100 23/05/13

40,00 CLEVERTON MACIEL RABELO

JACAREZINHO

23/05/2013 à 23/05/2013

1,00

3101 23/05/13

40,00 GESSICA DE ANDRADE SOUZA

JACAREZINHO

23/05/2013 à 23/05/2013

1,00

3115 23/05/13

100,00 VINICIUS LARA VILELA

PINHALÃO

23/04/2013 à 24/04/2013

2,00

3116 23/05/13

25,00 VINICIUS LARA VILELA

PINHALÃO

18/04/2013 à 18/04/2013

0,50

Betha Sistemas

ESTADO DO PARANA PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

Exercício de 2013 Maio

Demonstrativo das Diárias Concedidas Nº NE

Data

Valor

Beneficiário

Página: 2/2 Localidade Destino

Motivo Viagem

Período Viagem

Qtde Diárias

3117 23/05/13

50,00 VINICIUS LARA VILELA

TOMAZINA

10/04/2013 à 10/04/2013

1,00

3120 24/05/13

35,00 DORLY DE ASSIS MACHADO

CURITIBA

24/05/2013 à 24/05/2013

0,50

3121 24/05/13

20,00 MARIA DAS DORES DA SILVA

SANTO ANTONIO DA PLATINA

25/05/2013 à 25/05/2013

0,50

3122 24/05/13

35,00 ALESSANDRA SOBRAL PADILHA

OURINHOS

24/05/2013 à 24/05/2013

0,50

3133 24/05/13

80,00 VALDECI BENEDITO DOS SANTOS

LONDRINA

28/05/2013 à 29/05/2013

2,00

3204 27/05/13

40,00 VINICIUS LARA VILELA

PONTA GROSSA

27/05/2013 à 27/05/2013

1,00

3205 27/05/13

40,00 CRISTIANE ROSELI DOS SANTOS

JACAREZINHO

27/05/2013 à 27/05/2013

1,00

3206 27/05/13

40,00 JULIANA CAMPOS JOAQUIM

JACAREZINHO

27/05/2013 à 27/05/2013

1,00

3207 27/05/13

20,00 ALESSANDRA SOBRAL PADILHA

SANTO ANTONIO DA PALTINA

27/05/2013 à 27/05/2013

0,50

3209 27/05/13

80,00 GILDO JESUS DA ROSA

LONDRINA

28/05/2013 à 29/05/2013

2,00

3310 28/05/13

30,00 EMERSON DE AZEVEDO

JAGUARIAIVA

23/05/2013 à 23/05/2013

1,00

3311 28/05/13

30,00 EMERSON DE AZEVEDO

JAGUARIAIVA

03/06/2013 à 03/06/2013

1,00

3324 29/05/13

40,00 EVERALDO JOSE DE OLIVEIRA

SANTO ANTONIO DA PLATINA

31/05/2013 à 31/05/2013

1,00

3325 29/05/13

30,00 CLOVIS DOS SANTOS SILVA

JAGUARIAIVA

29/05/2013 à 29/05/2013

1,00

CURITIBA

03/06/2013 à 04/06/2013

2,00

3326 29/05/13

500,00 PEDRO SERGIO KRONEIS

3354 29/05/13

20,00 ROSELI GOMES DE OLIVEIRA MAIA

JACAREZINHO

28/05/2013 à 28/05/2013

0,50

3355 29/05/13

20,00 DORLY DE ASSIS MACHADO

CAMPO LARGO

02/06/2013 à 02/06/2013

0,50

SAO PAULO

27/05/2013 à 28/05/2013

2,00

JACAREZINHO

05/06/2013 à 05/06/2013

1,00

CURITIBA

05/06/2013 à 05/06/2013

1,00

WENCESLAU BRAZ

08/06/2013 à 09/06/2013

2,00

CURITIBA

06/05/2013 à 08/05/2013

3,00

3356 29/05/13 3357 29/05/13 3369 31/05/13 3392 31/05/13 3429 31/05/13

300,00 RUBENS MUNHOS FILHO 40,00 ASSIS DIAS 250,00 PEDRO SERGIO KRONEIS 60,00 CLOVIS DOS SANTOS SILVA 210,00 ALICE APARECIDA BRAGA

3430 31/05/13

40,00 LUCIANE DINIZ

JACAREZINHO

28/05/2013 à 28/05/2013

1,00

3431 31/05/13

40,00 PATRICIA DE PAIVA FERREIRA

JACAREZINHO

30/05/2013 à 30/05/2013

1,00

3432 31/05/13

20,00 LUCIANE DINIZ

JACAREZINHO

06/06/2013 à 06/06/2013

0,50

3478 31/05/13

200,00 PEDRO SERGIO KRONEIS

PONTA GROSSA

10/06/2013 à 10/06/2013

1,00

3504 31/05/13

200,00 JOSE LUCAS ROLIM BENTO

PONTA GROSSA

10/06/2013 à 10/06/2013

1,00

Valor Total:

5.565,00


EDITAIS

B8

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO E DESPESAS DE CAPITAL ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA RREO - ANEXO 9 (LRF, art.53, § 1º, inciso I)

R$ 1,00

PREVISÃO ATUALIZADA (a)

RECEITAS

RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO (I)

RECEITAS REALIZADAS Até o Bimestre (b)

0,00

DOTAÇÃO ATUALIZADA (d)

DESPESAS

DESPESAS DE CAPITAL

SALDO NÃO REALIZADO (c) = (a - b)

0,00 DESPESAS EXECUTADAS Até o Bimestre LIQUIDADAS (e)

0,00

SALDO NÃO EXECUTADO (g)=(d)-(e+f))

INSCRITAS EM RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS (f)

2.848.353,48

299.003,73

0,00

2.549.349,75

(-) Incentivos Fiscais a Contribuintes por Instituições Financeiras

0,00

0,00

0,00

0,00

(-) Incentivos Fiscais a Contribuintes

0,00

0,00

0,00

0,00

2.848.353,48

299.003,73

0,00

2.549.349,75

DESPESA DE CAPITAL LÍQUIDA (II): RESULTADO PARA APURAÇÃO DA REGRA DE OURO (III) = (I - II)

-2.848.353,48

-299.003,73

-2.549.349,75

FONTE:

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA RREO - Anexo 4 (LRF, Art. 53, inciso II)

R$ 1,00 RECEITAS

PREVISÃO INICIAL

PREVISÃO ATUALIZADA

RECEITAS REALIZADAS No Bimestre

Até o Bimestre/2013

Até o Bimestre/2012

RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS-RPPS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (I)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITAS CORRENTES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Ativo

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Inativo

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pensionista

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pessoal Militar

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Ativo

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Inativo

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pensionista

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Para Cobertura de Défict Atuarial

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Em Regime de Débitos e Parcelamentos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Receitas de Contribuições

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receita Patrimonial

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receitas Imobiliárias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receitas de Valores Mobiliários

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Receitas Patrimoniais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receita de Serviços

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Receitas Correntes

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Compensação Previdenciária do RGPS para o RPPS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Demais Receitas Correntes

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Alienação de Bens, Direitos e Ativos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Amortização de Empréstimos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Receitas de Capital

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

(-) DEDUÇÕES DA RECEITA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS-RPPS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (II)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITAS CORRENTES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Ativo

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Inativo

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pensionista

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pessoal Militar

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Ativo

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Inativo

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pensionista

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receita de Contribuições dos Segurados Pessoal Civil

RECEITAS DE CAPITAL

Receita de Contribuições Patronais Pessoal Civil

Continua 1/3


B9

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR

Continuação 2/3

RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

PREVISÃO INICIAL

RECEITAS

PREVISÃO ATUALIZADA

RECEITAS REALIZADAS No Bimestre

Até o Bimestre/2013

Até o Bimestre/2012

Para Cobertura de Défict Atuarial

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Em Regime de Débitos e Parcelamentos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Receitas de Contribuições

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receita Patrimonial

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receitas Imobiliárias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receitas de Valores Mobiliários

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Receitas Patrimoniais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receita de Serviços

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Receitas Correntes

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Alienação de Bens, Direitos e Ativos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Amortização de Empréstimos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Receitas de Capital

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

(-) DEDUÇÕES DA RECEITA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TOTAL DAS RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS - RPPS (III) = (I + II)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITAS DE CAPITAL

DOTAÇÃO INICIAL

DESPESAS

DOTAÇÃO ATUALIZADA

DESPESAS LIQUIDADAS No Bimestre

Até o Bimestre/2013

Até o Bimestre/2012

DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS - RPPS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (IV)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

ADMINISTRAÇÃO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Despesas Correntes

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Despesas de Capital

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

PREVIDÊNCIA SOCIAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Aposentadorias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pensões

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outros Benefícios Previdenciários

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pessoal Militar

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Reformas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pensões

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outros Benefícios Previdenciários

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Compensação Previdenciária do RPPS e o RGPS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Demais Despesas Previdenciárias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

-

-

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pessoal Civil

Outras Despesas Previdenciárias

DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS - RPPS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (V) ADMINISTRAÇÃO Despesas Correntes

-

-

-

Continua 2/3

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR

Continuação 3/3

RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

DESPESAS

DOTAÇÃO INICIAL

Despesas de Capital

DOTAÇÃO ATUALIZADA

DESPESAS LIQUIDADAS No Bimestre

Até o Bimestre/2013

Até o Bimestre/2012

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TOTAL DAS DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS - RPPS (VI) = (IV + V)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RESULTADO PREVIDENCIÁRIO (VII) = (III – VI)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

APORTES DE RECURSOS PARA O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DO SERVIDOR

PREVISÃO INICIAL

PREVISÃO ATUALIZADA

RECEITAS REALIZADAS No Bimestre

Até o Bimestre/2013

Até o Bimestre/2012

TOTAL DOS APORTES PARA O RPPS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Plano Financeiro

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Recursos para Cobertura de Insuficiências Financeiras

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Recursos para Formação de Reserva

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outros Aportes para o RPPS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Recursos para Cobertura de Déficit Financeiro

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Recursos para Cobertura de Déficit Atuarial

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outros Aportes para o RPPS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Plano Previdenciário

RESERVA ORÇAMENTÁRIA DO RPPS Valor FONTE:

PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA 0,00


EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

B10

MUNICÍPIO DE SAO JOSE DA BOA VISTA - PR - PODER EXECUTIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO DA DISPONIBILIDADE DE CAIXA ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO R$ 1,00

RGF - Anexo 5 (LRF, art. 55, Inciso III, alínea "a")

DESTINAÇÃO DE RECURSOS

Alienação de Ativos da Educação

DISPONIBILIDADE DE CAIXA BRUTA (a)

OBRIGAÇÕES FINANCEIRAS (b)

DISPONIBILIDADE DE CAIXA LÍQUIDA (c) = (a - b)

1.340,88

0,00

1.340,88

112,80

0,00

112,80

5.939,01

0,00

5.939,01

25.006,94

12.188,37

12.818,57

CIDE (Lei 10866/04, art. 1.B)

300,68

0,00

300,68

Cohapar - Defesa Civil

263,41

0,00

263,41

23.853,92

0,00

23.853,92

Convênio Detran

3.009,96

0,00

3.009,96

Convenio Estadual - Construção Colégio

1.757,34

0,00

1.757,34

(3,73)

0,00

(3,73)

Convênio/SEDS/PMSJBV/Prog Familia Paranaense1

27.759,34

0,00

27.759,34

Convênio/SEDS/PMSJBV/Prog Familia Paranaense2

39.576,18

0,00

39.576,18

3.089,51

0,00

3.089,51

59.007,89

9.416,85

49.591,04

897,96

1.151,16

(253,20)

5.763,86

0,00

5.763,86

10.896,97

0,00

10.896,97

0,05

0,00

0,05

14.987,05

5.475,00

9.512,05

3.614,40

0,00

3.614,40

FNS Constr. Polos da Academia da Sa

16.682,93

0,00

16.682,93

FUNDEB 40%

20.355,92

19.321,16

1.034,76

FUNDEB 60%

(10.039,95)

16.858,91

(26.898,86)

GESTÃO DO SUS

6.218,04

2.700,00

3.518,04

IGD BOLSA FAMILIA

8.268,38

0,00

8.268,38

IGD SUAS

3.497,27

0,00

3.497,27

56,70

0,00

56,70

149.255,80

114.050,00

35.205,80

MAPA/CEF/PRODESA/CT 032184156- AQUIS. EQUIPAMENTOS

45.583,01

0,00

45.583,01

ME/FNDE- PDDE/PROGRAMA DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA

1.198,97

0,00

1.198,97

15.177,26

0,00

15.177,26

17,76

0,00

17,76

PNAE - Merenda Escolar

661,26

0,00

661,26

Pnate - Programa Nacional de Transporte Escolar

274,81

0,00

274,81

Rec. Alien. Ativos Saude/Indenizações de Sinistros

154,62

0,00

154,62

56.224,12

0,00

56.224,12

629,56

62.888,43

(62.258,87)

Salario Educacao

29.125,84

0,00

29.125,84

Saúde / percentual vinculado sobre a receita de im

18.254,59

33.938,82

(15.684,23)

Seed - Transporte Escolar 2013

14.372,42

0,00

14.372,42

115,68

0,00

115,68

123.054,64

0,00

123.054,64

9.694,06

0,00

9.694,06

TX - EXERCÍCIO PODER DE POLÍCIA

232,51

629,02

(396,51)

TX - PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

622,29

0,00

622,29

1.116,14

0,00

1.116,14

737.979,05

278.617,72

459.361,33

152.491,05

490.088,33

(337.597,28)

ANTIGO PAB VARIAVEL - PAB/VIGILANCIA SANITÁRIA Assistencia Farmaceutica ATENÇÃO BÁSICA

Conv. Minist. Cidades/Calçamento

Convenio Estadual - Pavimentação de Ruas

COSIP - Contribuição de Iluminação Pública Educação / 10% sobre Transferências Constitucionai Educação / 25% sobre Impostos FNAS PBVII FNAS-PSB- PAIF ASA FNAS-PSB-Piso Básico Transição - INF JOI FNDE - PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS-AQ. EQUIP. 2012 FNDE-PROJOVEM

LIM FIN MÉD E ALTA COMP AMB MAPA - AQUIS. EQUIP./IMPLEM. AGRICOLAS(CR0370990-99/2011)

Outros Royalties e Compensacoes Financeiras e Patr Pavimentação Urbana SEDU

Receita de Alienação Ativos Retenções em Caráter Consignatório

Sem Especificação Transf Rec SUS FNS-Restrut. Red Serv At Bás Saude Transf. FNDE - Apoio Manut. Creches

VIGILÂNCIA EM SAÚDE TOTAL DOS RECURSOS VINCULADOS (I) Recursos Livres

Continua 1/2


B11

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

MUNICÍPIO DE SAO JOSE DA BOA VISTA - PR - PODER EXECUTIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO DA DISPONIBILIDADE DE CAIXA ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO

Continuação 2/2 R$ 1,00

RGF - Anexo 5 (LRF, art. 55, Inciso III, alínea "a") DESTINAÇÃO DE RECURSOS

DISPONIBILIDADE DE CAIXA BRUTA (a)

OBRIGAÇÕES FINANCEIRAS (b)

DISPONIBILIDADE DE CAIXA LÍQUIDA (c) = (a - b)

152.491,05

490.088,33

(337.597,28)

TOTAL DOS RECURSOS NÃO VINCULADOS (II)

152.491,05

490.088,33

(337.597,28)

TOTAL (III) = (I + II)

890.470,10

768.706,05

121.764,05

0,00

0,00

0,00

Recursos Livres

REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES¹ FONTE: Nota: ¹ A disponibilidade de caixa do RPPS está comprometida com o Passivo Atuarial.

Escolas retomam ano letivo e professores ganham mais tempo para planejar aulas A volta às aulas na rede estadual de educação, que tem 1,3 milhão de alunos, teve início nesta segunda-feira

Aen Paraná A volta às aulas na rede estadual de educação, que tem 1,3 milhão de alunos, teve início nesta segunda-feira (29/07). O segundo semestre começa com a ampliação da hora-atividade dos professores, que passa de cinco para seis aulas por semana. Com isso, haverá mais tempo para preparar aulas, corrigir provas e planejar as atividades. Para a professora Renata de Vargas, que leciona Língua Portuguesa no Colégio Estadual Benedito João Cordeiro, em Curitiba, o tempo a mais faz a diferença. “Este tempo a mais é uma conquista para os professores e também para os alunos que terão aulas mais elaboradas”, disse. Além de usar a hora-atividade para a pesquisa, a professora do curso de Formação de Docentes (antigo Magistério) Alessandra Moscheta Perozim, aproveita para ver as avaliações dos alunos e como está o rendimento escolar deles.

“Faço uma autorreflexão, acompanho as avaliações e a partir disso pesquiso e preparo as aulas”, destacou. Evolução - Em fevereiro as escolas saíram de quatro para cinco aulas semanais de hora-atividade. Neste segundo semestre passou de cinco para seis aulas por semana (a cada 20 horas/aula). “Em menos de um ano avançamos 50% na jornada de hora-atividade. É mais tempo para o professor e mais qualidade nas aulas”, destacou o vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns. Outro avanço para o magistério é a equiparação salarial, já sancionada pelo governador Beto Richa. A lei garante reajuste e equiparação salarial aos professores da rede estadual. A medida vai beneficiar quase 80 mil profissionais do magistério. Com a equiparação, pela primeira vez na história do magistério estadual os professores concursados vão ingressar na carreira com salário inicial igual aos demais servidores de nível técnico do estado.

Diretora da ONU propõe parceria contra bullying nas escolas paranaenses Aen Paraná

A experiência da Organização das Nações Unidas (ONU) no combate ao bullying poderá ser aplicada no Paraná. A parceria foi discutida nesta segunda-feira (29/07), pela diretora do Programa de Holocausto e Extensão da organização, Kimberly Mann, e pelo vice-governador e secretário de Educação, Flávio Arns. Kimberly está em Curitiba para participar da campanha contra o bullying desenvolvida pela Loja Shaim Weizmann, da B’nai B’rith (Filhos da Aliança, em hebraico) do Paraná. A entidade judaica, dedicada aos direitos humanos, está presente em mais de 50 países. Com ações educativas, o programa da ONU aborda o holocausto sob ótica didática e de resgate histórico, como forma de prevenir o genocídio. “É muito importante para os alunos compreender que o holocausto começou com atos de discriminação, com palavras, e isso é bullying. Os alunos devem celebrar a diferença entre eles em vez de

condená-la”, explica a diretora. A promoção dos valores de diálogo e respeito e a valorização da cultura da paz entre os estudantes paranaenses foram destacadas pelo vice-governador. “Temos que aprender e valorizar a diferença e afastar todas as formas de discriminação, preconceito e bullying que, nas suas origens, levaram a grandes problemas na humanidade, como os genocídios”, afirmou. DOAÇÃO - Durante o encontro, a B’nai B’rith formalizou a doação de 500 exemplares do livro “De Repente nas Profundezas do Bosque”, do escritor Amós Oz, à Secretaria de Educação. “O livro é uma fábula muito interessante sobre a aceitação e sobre o aprendizado que temos com o diferente. Estamos fazendo a doação desses livros para disseminar esses conceitos”, disse o presidente da B’nai B’rith do Paraná, Gustavo Daniel Berman. A partir da iniciativa, a Secretaria da Educação discutirá uma metodologia de abordagem do conteúdo junto aos estudantes das escolas estaduais.


EDITAIS

B12

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 MUNICÍPIO DE SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO DAS OPERAÇÕES DE CRÉDITO ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO RGF – ANEXO 4 (LRF, art. 55, inciso I, alínea "d" e inciso III alínea "c")

R$ 1,00 VALOR REALIZADO No Semestre de referência

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

SUJEITAS AO LIMITE PARA FINS DE CONTRATAÇÃO (I)

Até o Semestre de referência (a)

0,00

0,00

0,00

0,00

Interna

0,00

0,00

Externa

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Abertura de Crédito

0,00

0,00

Aquisição Financiada de Bens e Arrendamento Mercantil Financeiro

Mobiliária

Contratual Interna

0,00

0,00

Derivadas de PPP

0,00

0,00

Demais Aquisições Financiadas

0,00

0,00

0,00

0,00

Pela Venda a Termo de Bens e Serviços

0,00

0,00

Demais Antecipações de Receita

0,00

0,00

Assunção, Reconhecimento e Confissão de Dívidas (LRF, art. 29, § 1º)

0,00

0,00

Outras Operações de Crédito

0,00

0,00

Antecipação de Receita

Externa

0,00

0,00

Abertura de Crédito

0,00

0,00

Aquisição Financiada de Bens e Arrendamento Mercantil Financeiro Antecipação de Receita

0,00

0,00

0,00 0,00

0,00 0,00

Demais Antecipações de Receita Assunção, Reconhecimento e Confissão de Dívidas (LRF, art. 29, § 1º)

0,00 0,00

0,00 0,00

Outras Operações de Crédito

0,00

0,00

101.802,83

101.802,83

101.802,83

101.802,83

0,00

0,00

101.802,83

101.802,83

101.802,83

101.802,83

0,00

0,00

0,00

0,00

Melhoria da Administração de Receitas e da Gestão Fiscal, Financeira e Patrimonial

0,00

0,00

Programa de Iluminação Pública - RELUZ

0,00

0,00

Amparadas pelo art. 9-N da Resolução nº 2.827/01, do CMN

0,00

0,00

Pela Venda a Termo de Bens e Serviços

NÃO SUJEITAS AO LIMITE PARA FINS DE CONTRATAÇÃO (II) Parcelamentos de Dívidas De Tributos De Contribuições Sociais Previdenciárias Demais Contribuições Sociais Do FGTS

APURAÇÃO DO CUMPRIMENTO DOS LIMITES

VALOR

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - RCL

% SOBRE A RCL —

12.515.935,55

DO PERÍODO DE REFERÊNCIA (III)

0,00

0,00

DE PERÍODOS ANTERIORES AO DE REFERÊNCIA

0,00

0,00

TOTAL CONSIDERADO PARA FINS DA APURAÇÃO DO CUMPRIMENTO DO LIMITE (IV) = (Ia + III)

0,00

0,00

LIMITE GERAL DEFINIDO POR RESOLUÇÃO DO SENADO FEDERAL PARA AS OPERAÇÕES DE CRÉDITO EXTERNAS E INTERNAS

2.002.549,69

16,00

LIMITE DE ALERTA (inciso III do §1º do art. 59 da LRF) - 14,4%

1.802.294,72

14,40

0,00

0,00

876.115,49

7,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO POR ANTECIPAÇÃO DA RECEITA ORÇAMENTÁRIA LIMITE DEFINIDO POR RESOLUÇÃO DO SENADO FEDERAL PARA AS OPERAÇÕES DE MUNICÍPIO DE SAO JOSE DA BOA VISTA CRÉDITO POR ANTECIPAÇÃO DA RECEITA ORÇAMENTÁRIA

- PR

RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL

TOTAL CONSIDERADO PARA CONTRATAÇÃO DE NOVAS OPERAÇÕES DE CRÉDITO (V) = (IV + IIa) DEMONSTRATIVO DAS GARANTIAS E CONTRAGARANTIAS

101.802,83 DE VALORES

0,81

ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL

FONTE:

JANEIRO A JUNHO DE 2013 RGF – Anexo 3 (LRF, art. 55, inciso I, alínea "c" e art. 40, § 1º)

GARANTIAS CONCEDIDAS

R$ 1,00 SALDO DO EXERCÍCIO DE 2013

SALDO DO EXERCÍCIO ANTERIOR

Até o 1º Semestre

Até o 2º Semestre

EXTERNAS (I) Aval ou Fiança em operações de crédito

0,00

0,00

0,00

Outras Garantias nos Termos da LRF

0,00

0,00

0,00

Aval ou Fiança em operações de crédito

0,00

0,00

0,00

Outras Garantias nos Termos da LRF

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

12.819.572,07

12.515.935,55

0,00

0,00

0,00

LIMITE DEFINIDO POR RESOLUÇÃO DO SENADO FEDERAL - 22%

2.820.305,86

2.753.505,82

0,00

LIMITE DE ALERTA (inciso III do §1º do art. 59 da LRF) - 19,8%

2.538.275,27

2.478.155,24

0,00

INTERNAS (II)

TOTAL GARANTIAS CONCEDIDAS (III) = (I + II) RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - RCL IV % do TOTAL DAS GARANTIAS sobre a RCL

CONTRAGARANTIAS RECEBIDAS

SALDO DO EXERCÍCIO DE 2013

SALDO DO EXERCÍCIO ANTERIOR

Até o 1º Semestre

Até o 2º Semestre

EXTERNAS (V) Aval ou Fiança em operações de crédito

0,00

0,00

0,00

Outras Garantias nos Termos da LRF

0,00

0,00

0,00

Aval ou Fiança em operações de crédito

0,00

0,00

0,00

Outras Garantias nos Termos da LRF

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

INTERNAS (VI)

TOTAL CONTRAGARANTIAS RECEBIDAS VII = (V + VI) MEDIDAS CORRETIVAS: FONTE:


B13

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO

RREO - Anexo 13 (Lei nº 11.079, de 30.12.2004, arts. 22, 25 e 28)

R$ 1,00

SALDO TOTAL EM 31 DE DEZEMBRO DO EXERCÍCIO ANTERIOR (a)

ESPECIFICAÇÃO

SALDO TOTAL

REGISTROS EFETUADOS EM 2013 No Semestre

(c) = (a + b)

Até o Semestre(b)

NADA A DECLARAR

EXERCÍCIO EXERCÍCIO ANTERIOR CORRENTE

DESPESAS DE PPP

2014

2015

2016

2017

2018

2019

2020

2021

2022

NADA A DECLARAR FONTE:

SAO JOSE DA BOA VISTA, 29/07/2013

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVOS DA RECEITA DE ALIENAÇÃO DE ATIVOS E APLICAÇÃO DE RECURSOS ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA RREO - ANEXO 11 (LRF, art. 53, § 1º, inciso III)

R$ 1,00 PREVISÃO ATUALIZADA (a)

RECEITAS

RECEITAS REALIZADAS Até o Semestre (b)

SALDO A REALIZAR (c) = (a-b)

RECEITA DE CAPITAL ALIENAÇÃO DE ATIVOS ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS ALIENAÇÃO DE BENS MÓVEIS TOTAL

DESPESAS (APLICAÇÃO DOS RECURSOS DA ALIENAÇÃO DE ATIVOS)

103.000,00 0,00 103.000,00

62.650,00 0,00 62.650,00

40.350,00 0,00 40.350,00

103.000,00

62.650,00

40.350,00

DESPESAS EXECUTADAS Até o Semestre

DOTAÇÃO ATUALIZADA (d)

Despesas de Capital Investimentos TOTAL

LIQUIDADAS (e)

SALDO A EXECUTAR (g) = (d) - (e+f)

101.649,00 101.649,00

10.000,00 10.000,00

0,00 0,00

91.649,00 91.649,00

101.649,00

10.000,00

0,00

91.649,00

Em 2012 (h)

SALDO FINANCEIRO A APLICAR

INSCRITAS EM RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS (f)

Em 2013 (i) = (b) - (e+f)

SALDO ATUAL (j) = (h+i)

0,00

52.650,00

52.650,00

FONTE:

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DOS RESTOS A PAGAR POR PODER E ÓRGÃO ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

RREO - Anexo 7 (LRF, art. 53, inciso V)

R$ 1,00 RP NÃO PROCESSADOS

RP PROCESSADOS E NÃO PROCESSADOS LIQUIDADOS PODER/ÓRGÃO

Inscritos Em Exercícios Anteriores

Inscritos

Em 31 de Dezembro de 2012

Pagos

Cancelados

Em Exercícios Anteriores

Saldo

Em 31 de Dezembro de 2012

Liquidados

Pagos

Cancelados

Saldo

18.625,30

639.186,43

494.588,13

110,00

163.113,60

6.336,95

754.229,26

445.856,90

438.764,30

13.330,63

308.471,28

18.625,30

639.186,43

494.588,13

110,00

163.113,60

6.336,95

754.229,26

445.856,90

438.764,30

13.330,63

308.471,28

6.574,11

0,00

274,62

0,00

6.299,49

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

AGROPECUÁRIA

0,00

6.757,83

6.757,83

0,00

0,00

0,00

24.719,52

22.874,52

22.874,52

0,00

1.845,00

ASSISTÊNCIA SOCIAL

4,70

14.523,20

10.050,50

40,00

4.437,40

146,20

18.945,94

7.257,33

7.257,33

110,00

11.724,81

CULTURA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

10.193,24

0,00

0,00

713,24

9.480,00

EDUCAÇÃO

30,19

259.206,51

210.687,40

0,00

48.549,30

20,00

319.603,22

247.110,93

247.110,93

4.048,62

68.463,67

ESPORTE

0,00

300,00

0,00

0,00

300,00

72,25

6.621,96

2.827,60

2.135,00

53,13

4.506,08

3.958,00

133.232,21

92.372,49

70,00

44.747,72

80,00

67.178,12

35.814,60

35.814,60

2.313,11

29.130,41

INDÚSTRIA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

198,94

0,00

0,00

198,94

0,00

MEIO AMBIENTE

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

139,74

0,00

0,00

139,74

0,00

SAUDE PUBLICA

5.932,30

140.725,19

135.575,18

0,00

11.082,31

5.971,00

128.201,69

61.156,42

61.156,42

867,39

72.148,88

VIACAO, OBRAS E URBANISMO

2.126,00

84.441,49

38.870,11

0,00

47.697,38

47,50

178.426,89

68.815,50

62.415,50

4.886,46

111.172,43

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

18.625,30

639.186,43

494.588,13

110,00

163.113,60

6.336,95

754.229,26

445.856,90

438.764,30

13.330,63

308.471,28

RESTOS A PAGAR (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIOS) (I) EXECUTIVO ADMINISTRAÇÃO DIRETA ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS

EXECUTIVO MUNICIPAL

RESTOS A PAGAR (INTRA-ORÇAMENTÁRIOS) (II)

TOTAL (III) = (I + II): FONTE:


EDITAIS

B14

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 MUNICÍPIO DE SAO JOSE DA BOA VISTA - PR - PODER EXECUTIVO RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO DOS RESTOS A PAGAR ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO

R$ 1,00

RGF - ANEXO 6 (LRF, art. 55, inciso III, alínea "b") RESTOS A PAGAR

De Exercícios Anteriores

DISPONIBILIDADE DE CAIXA LÍQUIDA (ANTES DA INSCRIÇÃO EM RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS DO EXERCÍCIO)

Empenhados e Não Liquidados

Liquidados e Não Pagos

DESTINAÇÃO DE RECURSOS

De Exercícios Anteriores

Do Exercício

Do Exercício

EMPENHOS NÃO LIQUIDADOS CANCELADOS( NÃO INSCRITOS POR INSUFICIÊNCIA FINANCEIRA)

Atenção Básica

0,00

12.188,37

0,00

2.562,46

12.818,57

0,00

COSIP - Contribuição de Iluminação Pública

0,00

0,00

0,00

4.007,50

3.089,51

0,00

40,01

7.290,88

2.085,96

13.899,54

49.591,04

0,00

Educação / 25% sobre Impostos

0,00

468,00

683,16

18.307,52

(253,20)

0,00

FNAS-PSB- PAIF ASA

0,00

0,00

0,00

2.432,01

10.896,97

0,00

FNDE - PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS-AQ. EQUIP. 2012

0,00

0,00

5.475,00

0,00

9.512,05

0,00

FUNDEB 40%

518,68

10.715,04

8.087,44

3.748,90

1.034,76

0,00

FUNDEB 60%

0,00

16.858,91

0,00

0,00

(26.898,86)

0,00

GESTÃO DO SUS

0,00

0,00

2.700,00

4.030,17

3.518,04

0,00

IGD BOLSA FAMILIA

0,00

0,00

0,00

1.091,78

8.268,38

0,00

0,00 MAPA - AQUIS. EQUIP./IMPLEM. AGRICOLAS(CR0370990-99/2011)

114.050,00

0,00

0,00

35.205,80

0,00

Educação / 10% sobre Transferências Constitucionai

PNAE - Merenda Escolar

0,00

0,00

0,00

3.018,13

661,26

0,00

Salario Educacao

0,00

0,00

0,00

12.470,90

29.125,84

0,00

5.967,44

22.000,38

5.971,00

44.421,88

(15.684,23)

0,00

0,00

0,00

0,00

3.955,00

123.054,64

0,00

93,02

536,00

0,00

2.726,05

(396,51)

0,00

0,00

0,00

0,00

665,40

1.116,14

0,00

6.619,15

184.107,58

25.002,56

117.337,24

244.660,20

0,00

Recursos Livres

163.587,05

50.125,16

276.376,12

65.689,23

(337.597,28)

0,00

TOTAL DE RECURSOS NÃO VINCULADOS(II)

163.587,05

50.125,16

276.376,12

65.689,23

(337.597,28)

0,00

TOTAL (III) = (I + II)

170.206,20

234.232,74

301.378,68

183.026,47

(92.937,08)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Saúde / percentual vinculado sobre a receita de im Transf Rec SUS FNS-Restrut. Red Serv At Bás Saude TX - EXERCÍCIO PODER DE POLÍCIA VIGILÂNCIA EM SAÚDE TOTAL DE RECURSOS VINCULADOS(I)

REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES¹

FONTE: Nota: ¹ A disponibilidade de caixa do RPPS está comprometida com o Passivo Atuarial.

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DA EXECUÇÃO DAS DESPESAS POR FUNÇÃO/SUBFUNÇÃO ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA R$ 1,00

RREO – Anexo 2 ( LRF, Art. 52, inciso II, alínea “c” ) FUNÇÃO/SUBFUNÇÃO

DOTAÇÃO INICIAL

DOTAÇÃO ATUALIZADA (a)

DESPESAS EMPENHADAS No Bimestre

DESPESAS LIQUIDADAS

Até o Bimestre

No Bimestre

13.855.619,00 540.700,00 540.700,00

14.433.670,50 540.700,00 540.700,00

1.993.031,55 0,00 0,00

5.488.576,32 0,00 0,00

2.013.806,30 0,00

90.000,00 90.000,00

90.000,00 90.000,00

11.568,81 11.568,81

35.556,38 35.556,38

11.568,81

1.978.114,88 1.928.114,88

1.978.114,88 1.928.114,88

300.608,91 300.425,05

946.618,42 946.434,56

316.581,43

50.000,00

50.000,00

183,86

415.388,00 49.238,00

557.438,00 54.238,00

Assistência ao Portador de Deficiência

21.713,00

Assistência à Criança e ao Adolescente

Até o Bimestre (b)

% (b/Total b)

36,76 0,00 0,00

9.128.120,65 540.700,00 540.700,00

39,51 39,51

54.443,62 54.443,62

17,60

47,21 48,43

1.044.237,43 994.421,29

183,86

0,00

0,37

49.816,14

4,89

5.633,41

259.605,47 18.586,45

0,35

46,57 34,27

297.832,53 35.651,55

3.502,26

532,43

2.662,26

0,05

12,26

19.050,74

13.597,26

37.274,86

15.336,33

36.748,03

0,69

53,48

31.971,97

412.767,00

71.235,48

206.205,65

74.935,48

201.608,73

3,80

48,84

211.158,27

2.843.832,00 836.577,00

2.933.813,00 926.558,00

600.118,61 204.712,35

1.709.678,31 524.203,95

593.721,40

31,17

193.559,32

1.653.699,00 512.990,92

9,67

56,37 55,37

1.280.114,00 413.567,08

2.007.255,00

2.007.255,00

395.406,26

1.185.474,36

400.162,08

1.140.708,08

21,50

56,83

866.546,92

2.728.704,00 2.425.465,30

2.901.966,73 2.562.360,04

492.186,21 461.787,66

1.393.468,93 1.301.949,66

477.452,10

25,28

446.805,28

1.341.200,82 1.252.612,96

23,61

46,22 48,89

1.560.765,91 1.309.747,08

303.238,70

339.606,69

30.398,55

91.519,27

30.646,82

88.587,86

1,67

26,09

251.018,83

198.500,00 33.500,00

198.500,00 33.500,00

3.542,93 3.542,93

4.165,72 4.165,72

1.972,93

0,05

1.972,93

2.595,72 2.595,72

0,05

1,31 7,75

195.904,28 30.904,28

165.000,00

165.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

165.000,00

690.840,97 53.205,85

736.890,97 53.205,85

87.084,91 1.660,78

248.119,40 6.845,17

88.518,49

4,52

999,75

239.976,15 5.495,09

0,10

32,57 10,33

496.914,82 47.710,76

Serviços Urbanos

637.635,12

683.685,12

85.424,13

241.274,23

87.518,74

234.481,06

4,42

34,30

449.204,06

Habitação Habitação Urbana

379.503,00 379.503,00

379.503,00 379.503,00

796,70 796,70

2.378,22 2.378,22

1.589,43

2.378,22 2.378,22

0,04

0,63 0,63

377.124,78 377.124,78

1.025.078,79 1.025.078,79

1.025.078,79 1.025.078,79

5.850,95 5.850,95

13.131,81 13.131,81

3.794,96

10.330,59 10.330,59

0,19

1,01 1,01

1.014.748,20 1.014.748,20

78.284,00 13.570,00

78.284,00 13.570,00

4.682,14 0,00

14.568,84 0,00

4.697,04

14.568,84 0,00

0,27

18,61 0,00

63.715,16 13.570,00

DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (I)

Legislativa Ação Legislativa Judiciária Ação Judiciária Administração Administração Geral Administração Financeira Assistência Social Assistência ao Idoso

Assistência Comunitária Saúde Atenção Básica Assistência Hospitalar e Ambulatorial Educação Ensino Fundamental Educação Infantil Cultura Difusão Cultural Turismo Urbanismo Infra-Estrutura Urbana

Saneamento Saneamento Básico Rural Gestão Ambiental Preservação e Conservação Ambiental

5.305.549,85 0,00 0,00

100,00 0,00

35.556,38 35.556,38

0,67 17,60

316.397,57

933.877,45 933.693,59

183,86

183,86

92.693,35 7.328,18

268.596,77 21.614,00

96.437,65

21.713,00

532,43

43.720,00

68.720,00

300.717,00

% (b/a)

SALDO (a - b)

0,00 11.568,81

1.589,43 3.794,96 0,00

0,00 0,67

0,04 0,19 0,00

Continua 1/2


DEMONSTRATIVO DA EXECUÇÃO DAS DESPESAS POR FUNÇÃO/SUBFUNÇÃO ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO

B15

Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

EDITAIS

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 DESPESAS EMPENHADAS DESPESAS LIQUIDADAS DOTAÇÃO DOTAÇÃO INICIAL ATUALIZADA FUNÇÃO/SUBFUNÇÃO No Bimestre Até o Bimestre No Bimestre Até o Bimestre % (a) Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR (b) (b/Total b)

DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (I)

Gestão Ambiental Controle Ambiental

RELATÓRIO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 13.855.619,00 14.433.670,50 RESUMIDO 1.993.031,55 5.488.576,32 2.013.806,30 5.305.549,85 4.697,04 DEMONSTRATIVO DA EXECUÇÃO DAS DESPESAS POR FUNÇÃO/SUBFUNÇÃO 78.284,00 78.284,00 4.682,14 14.568,84 14.568,84 15.026,00 15.026,00 72,94E DA SEGURIDADE 195,02 SOCIAL 72,94 195,02 ORÇAMENTOS FISCAL

100,00 0,27

% (b/a)

SALDO (a - b) Continuação 2/2

0,00

36,76 18,61 1,30

9.128.120,65 63.715,16 14.830,98

49.688,00

49.688,00 A JUNHO 4.609,20 14.373,82 JANEIRO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO4.624,10

14.373,82

0,27

28,93

35.314,18

Agricultura Promoção da Produção Vegetal

195.759,00 14.570,00

176.205,78 322.466,77 176.761,78 254.360,12 Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA 129.896,90 120.193,91 122.691,95 120.073,91

253.804,12 122.571,95

4,78

78,71 94,36

68.662,65 7.324,95

Promoção da Produção Animal

181.189,00 DOTAÇÃO 201.300,00 INICIAL 201.300,00

192.569,87 DOTAÇÃO 201.300,00 ATUALIZADA (a) 201.300,00

68,15

61.337,70 SALDO (a200.227,19 - b) 200.227,19

Comércio e Serviços DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (I) Promoção Comercial Gestão Ambiental Transporte Controle Ambiental Transporte Rodoviário Recuperação de Áreas Degradadas Desporto e Lazer Agricultura Desporto Comunitário Promoção da Produção Vegetal Encargos Especiais Promoção da Produção Animal Serviço da Dívida Interna Indústria RESERVA DE CONTINGÊNCIA Promoção Industrial

15.000,00 13.855.619,00 15.000,00 78.284,00 1.862.078,17 15.026,00 1.862.078,17 49.688,00 39.700,00 195.759,00 39.700,00 14.570,00 438.780,00 181.189,00 438.780,00 201.300,00 134.056,19 201.300,00

15.000,00 14.433.670,50 15.000,00 78.284,00 1.862.078,17 15.026,00 1.862.078,17 49.688,00 39.700,00 322.466,77 39.700,00 129.896,90 438.780,00 192.569,87 438.780,00 201.300,00 134.056,19 201.300,00

0,00 1.993.031,55 0,00 4.682,14 128.679,03 72,94 128.679,03 4.609,20 11.625,82 176.761,78 11.625,82 120.193,91 76.295,17 56.567,87 76.295,17 536,23 0,00 536,23

0,00 5.488.576,32 0,00 14.568,84 344.179,06 195,02 344.179,06 14.373,82 29.586,27 254.360,12 29.586,27 122.691,95 222.977,97 131.668,17 222.977,97 1.190,10 0,00 1.190,10

0,00 2.013.806,30 0,00 4.697,04 121.122,36 72,94

Comércio e Serviços TOTAL (III) =Comercial (I + II) Promoção

15.000,00 13.855.619,00 15.000,00

15.000,00 14.433.670,50 15.000,00

0,00 1.993.031,55 0,00

Transporte FONTE: Transporte Rodoviário

1.862.078,17 1.862.078,17

1.862.078,17 1.862.078,17

Desporto e Lazer Desporto Comunitário

39.700,00 39.700,00

Encargos Especiais Serviço da Dívida Interna RESERVA DE CONTINGÊNCIA

Recuperação de Áreas Degradadas

Indústria FUNÇÃO/SUBFUNÇÃO Promoção Industrial

TOTAL (III) = (I + II)

56.567,87 131.668,17 DESPESAS EMPENHADAS 536,23 1.190,10 No Bimestre Até o Bimestre 536,23 1.190,10

2,31

56.131,87 131.232,17 2,47 DESPESAS LIQUIDADAS 418,94 0,02 1.072,81 No Bimestre Até o Bimestre % 418,94 (b)1.072,81 (b/Total0,02 b) 0,00 100,00 0,00 0,27 5,76 0,00

121.122,36 4.624,10 12.277,41 176.205,78 12.277,41 120.073,91 107.447,57 56.131,87 107.447,57 418,94 0,00 418,94

0,00 5.305.549,85 0,00 14.568,84 305.772,47 195,02 305.772,47 14.373,82 28.133,84 253.804,12 28.133,84 122.571,95 222.977,97 131.232,17 222.977,97 1.072,81 0,00 1.072,81

5,76 0,27 0,53 4,78 0,53 2,31 4,20 2,47 4,20 0,02 0,00 0,02

0,53 % 0,53 (b/a) 0,00 36,76 0,00 18,61 16,42 1,30 16,42 28,93 70,87 78,71 70,87 94,36 50,82 68,15 50,82 0,53 0,00 0,53

0,00 5.488.576,32 0,00

0,00 2.013.806,30 0,00

0,00 5.305.549,85 0,00

0,00 100,00 0,00

0,00 36,76 0,00

15.000,00 9.128.120,65 15.000,00

128.679,03 128.679,03

344.179,06 344.179,06

121.122,36

305.772,47 305.772,47

5,76

16,42 16,42

1.556.305,70 1.556.305,70

39.700,00 39.700,00

11.625,82 11.625,82

29.586,27 29.586,27

12.277,41

28.133,84 28.133,84

0,53

70,87 70,87

11.566,16 11.566,16

438.780,00 438.780,00

438.780,00 438.780,00

76.295,17 76.295,17

222.977,97 222.977,97

107.447,57

4,20

107.447,57

222.977,97 222.977,97

4,20

50,82 50,82

215.802,03 215.802,03

134.056,19

134.056,19

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

134.056,19

13.855.619,00

14.433.670,50

1.993.031,55

5.488.576,32

2.013.806,30

5.305.549,85

100,00

36,76

9.128.120,65

121.122,36 12.277,41

5,76 0,53

15.000,00 9.128.120,65 15.000,00 63.715,16 1.556.305,70 14.830,98 1.556.305,70 35.314,18 11.566,16 68.662,65 11.566,16 7.324,95 215.802,03 61.337,70 215.802,03 200.227,19 134.056,19 200.227,19

FONTE: 1 Representa uma dotação global sem destinação específica a determinado órgão, unidade orçamentária, programa ou categoria econômica, cujos recursos serão utilizados para abertura

de créditos adicionais, não sendo portanto uma função. É apresentada neste demonstrativo por constar no orçamento.

Sanepar atende mais de 2 mil pessoas na UPS Cidadania em Londrina

sariais e sociedade civil. Entre as atividades, estavam emissão de pessoais,aorientações 1 Representa uma dotação global semdocumentos destinação específica determinado órgão, unidade orçamentária, programa ou categoria econômica, cujos recursos serão utilizados para abertura Cerca de 100 famílias do bairro sobre prevenção de doenças, corte de créditos adicionais, não sendo portanto uma função. É apresentada neste demonstrativo por constar no orçamento. União da Vitória, em Londrina, se de cabelo e recreação para as cadastraram na Tarifa Social da crianças. Sanepar. A empresa atendeu mais A UPS – Cidadania, coordenada de 2 mil pessoas nas atividades pela Secretaria da Justiça, Cidadapromovidas no fim de semana pelo nia e Direitos Humanos, é instalada Governo do Estado, na feira de ser- depois que a polícia ocupa o bairro viços UPS-Cidadania. Esta é a pri- pela UPS, da Secretaria da Segumeira ação dessa natureza em uma rança Pública. Os serviços compleUnidade Paraná Seguro, instalada mentam a filosofia do policiamento no interior do Estado. comunitário das UPSs. Das Neves Alves da Silva, que TEATRO – A Sanepar estreou atende pelo nome de Nevinha, foi a peça Meu Esgoto Favorito, em uma das moradoras que recupe- parceria com o grupo Plantão Sorraram o benefício da Tarifa Social, riso, no sábado (27). “Tivemos um perdido por falta de recadastra- grande público, entre crianças e mento. Na casa dela moram cinco adultos, e conseguimos passar a pessoas e a conta dos serviços de mensagem sobre a importância água e esgoto não ultrapassa R$ 13 de não se jogar lixo na rede de mensais, dentro do benefício. “Se esgoto”, comemora a gerente regioeu não estivesse na baixa renda, nal da Sanepar, Mara Lúcia Pereira seria uns R$ 60, como já veio no Kalinowski. Nos últimos três anos, mês que eu esqueci de atualizar a Sanepar registrou aumento de o meu cadastro”, comenta. Ela diz 139% no volume de lixo lançado que nunca deixou atrasar o paga- indevidamente na rede coletora de mento da conta de água. “A Tarifa esgoto em Londrina e Cambé, com Social ajuda bastante, fora dela não a média mensal de 996 toneladas teria condição nenhuma de ficar de resíduos removidas no processo regular”, destaca. de gradeamento das sete Estações No estande da Sanepar, os de Tratamento de Esgoto (ETEs) visitantes receberam informações que atendem as duas cidades. sobre o uso racional da água, Foram retiradas fraldas, absoras crianças ganharam bexigas e ventes, pequenos plásticos e até pipoca e famílias inteiras aprovei- roupas íntimas, material que exige taram o espetáculo teatral “Meu a remoção nas tubulações e na cheEsgoto Favorito”. Atendentes gada das estações. O lixo lançado comerciais também prestaram indevidamente no esgoto está entre esclarecimentos sobre outros servi- as principais causas de extravasaços, como excesso de consumo e mentos da rede e corresponde a “Foi muito instrutivo e o grupo inte- conta a história de um menino que dos. Para acabar de vez com o parcelamento de débitos. 60% das causas de obstrução; 20% ragiu com as crianças com uma quer solucionar os problemas do problema, o menino compreende COMUNIDADE – O atendi- referem-se ao acúmulo de gordura mensagem sobre o meio ambiente”, esgoto do seu bairro. Aos poucos que cada coisa tem que ir para o mento à comunidade foi feito na (óleos e graxas). elogiou Robson. “Não sabia que ele percebe que a falha não é da lugar certo. O texto e direção têm a Escola Municipal Zumbi dos PalmaRobson Carlos, a esposa jogam fralda no esgoto e que isto infraestrutura do sistema de esgoto, assinatura do Plantão Sorriso, orgares, no União da Vitória, em parceria Renata e os filhos Marcos, 10 anos, era um fator de entupimento”, disse mas das pessoas que jogam lixo nização cultural com atuação recocom a Prefeitura, entidades empre- e Renan, 7, assistiram ao teatro. ele. A peça Meu Esgoto Favorito e outros dejetos nos lugares erra- nhecida em hospitais de Londrina Paraná Aen

e região, com a técnica de palhaço. A peça terá nova apresentação em Londrina, em setembro e, até o final deste ano, deve ser apresentada em cidades como Apucarana, Arapongas, Cornélio Procópio e Santo Antônio da Platina.


EDITAIS

B16

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR DEMONSTRATIVO SIMPLIFICADO DO RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA LRF, Art. 48 - Anexo 14

R$ 1,00 No Semestre

BALANÇO ORÇAMENTÁRIO

Até o Semestre

RECEITAS Previsão Inicial

13.855.619,00

Previsão Atualizada

13.855.619,00

Receitas Realizadas

6.473.705,40

6.473.705,40

Déficit Orçamentário

0,00

Saldos de Exercícios Anteriores (Utilizados para Créditos Adicionais)

24.441,56

Dotação Inicial

13.855.619,00

Créditos Adicionais

578.051,50

Dotação Atualizada

14.433.670,50

DESPESAS

Despesas Empenhadas

5.488.576,32

5.488.576,32

Despesas Liquidadas

5.305.549,85

5.305.549,85

Superavit Orçamentário

1.168.155,55

No Semestre

DESPESAS POR FUNÇÃO / SUBFUNÇÃO Despesas Empenhadas Despesas Liquidadas

Até o Semestre

5.488.576,32 5.305.549,85

5.488.576,32 5.305.549,85 Até o Semestre

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - RCL Receita Corrente Líquida

12.515.935,55 No Semestre

RECEITAS / DESPESAS DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA Regime Próprio de Previdência dos Servidores Receitas Previdenciárias Realizadas(IV) Despesas Previdenciárias Liquidadas (V) Resultado Previdenciário (VI) = (IV - V) RESULTADOS NOMINAL E PRIMÁRIO

Até o Semestre

0,00 0,00 0,00

0,00 0,00 0,00

Meta Fixada no Anexo Resultado Apurado até de Metas Fiscais da o Semestre (b) LDO (a)

% em Relação à Meta (b/a)

Resultado Nominal

0,00

-551.938,09

0,00

Resultado Primário

0,00

1.221.551,23

0,00

RESTOS A PAGAR POR PODER E MINISTÉRIO PÚBLICO

Inscrição

RESTOS A PAGAR PROCESSADOS EXECUTIVO RESTOS A PAGAR NÃO-PROCESSADOS EXECUTIVO TOTAL:

Cancelamento até o Semestre

Pagamento até o Semestre

Saldo a Pagar

657.811,73

110,00

494.588,13

163.113,60

657.811,73

110,00

494.588,13

163.113,60

760.566,21

13.330,63

438.764,30

308.471,28

760.566,21

13.330,63

438.764,30

308.471,28

1.418.377,94

13.440,63

933.352,43

471.584,88

Valor apurado até o Semestre

DESPESAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MDE

Mínimo Anual de 25% das Receitas de Impostos em MDE Mínimo Anual de 60% do FUNDEB na Remuneração do Magistério com Educação Infantil e Ensino Fundamental Município de SAO JOSE DA BOA

Limites Constitucionais Anuais % Mínimo a Aplicar no Exercício

475.054,20

25%

535.717,65

60%

VISTA - PR

% Aplicado até o Semestre 8,47 75,00 Continuação 2/2

DEMONSTRATIVO SIMPLIFICADO DO RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA Valor apurado até o Saldo não Realizado Semestre ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL 0,00 Receitas de Operações de Crédito JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO E DESPESAS DE CAPITAL

Despesa de Capital Líquida

Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

299.003,73

2.549.349,75

LRF, Art. 48 - Anexo 14 PROJEÇÃO ATUARIAL DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA

R$ 1,00 2013

2021

2031

2046

Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Receitas Previdenciárias (IV)

0,00

0,00

0,00

Despesas Previdenciárias (V)

0,00

0,00

0,00

Resultado Previdenciário VI = (IV - V)

0,00

0,00

0,00 Valor apurado até o Semestre

RECEITA DA ALIENAÇÃO DE ATIVOS E APLICAÇÃO DOS RECURSOS

Despesas Próprias com Ações e Serviços Públicos de Saúde

DESPESAS DE CARÁTER CONTINUADO DERIVADAS DE PPP Total das despesas/RCL (%)

FONTE:

0,00 0,00

Saldo a Realizar

62.650,00 10.000,00

Receita de Capital Resultante da Alienação de Ativos Aplicação dos Recursos da Alienação de Ativos

DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE

0,00

Continua 1/2

Valor apurado até o Semestre

0,00

40.350,00 91.649,00

Limite Constitucional Anual % Mínimo a Aplicar no Exercício

% Aplicado até o Semestre

15,00

0,00

Valor apurado no exercício corrente 0,00


B17

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

MUNICÍPIO DE SAO JOSE DA BOA VISTA - PR - PODER EXECUTIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA RELATÓRIO DA GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO SIMPLIFICADO DO RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL Até o 1º Semestre de 2013 L.R.F., Artigo 48 - Anexo 7

R$ 1,00 VALOR

DESPESAS COM PESSOAL

% SOBRE A RCL

Despesa Total com Pessoal - DTP

6.292.810,35

50,28

Limite Máximo (incisos I, II e III, art. 20 da LRF) - <%>

6.758.605,20

54,00

Limite Prudencial (parágrafo único, art. 22 da LRF) - <%>

6.420.674,94

51,30

VALOR

DÍVIDA CONSOLIDADA Dívida Consolidada Líquida Limite Definido por Resolução do Senado Federal

% SOBRE A RCL

-360.674,92

-2,88

15.019.122,66

120,00

VALOR

GARANTIA DE VALORES

0,00

0,00

2.753.505,82

22,00

Total das Garantias Concedidas Limite Definido por Resolução do Senado Federal

% SOBRE A RCL

VALOR

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

% SOBRE A RCL

Operações de Crédito Externas e Internas

0,00

0,00

Operações de Crédito por Antecipação da Receita

0,00

0,00

2.002.549,69

16,00

876.115,49

7,00

Limite Definido pelo Senado Federal para Operações de Crédito Externas e Internas Limite Definido pelo Senado Federal para Operações de Crédito por Antecipação da Receita

RESTOS A PAGAR

INSCRIÇÃO EM RESTOS A PAGAR JOSE DA BOA VISTA - PR - PODER NÃO EXECUTIVO PROCESSADOS DO EXERCÍCIO MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

DISPONIBILIDADE DE CAIXA LÍQUIDA (ANTES DA INSCRIÇÃO EM RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS DO EXERCÍCIO)

183.026,47

(92.937,08)

MUNICÍPIO DE SAO PREFEITURA RELATÓRIO DA GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO DA DESPESA COM PESSOAL Valor Apurado nos Demonstrativos RespectivosORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JULHO/2012 A JUNHO/2013

FONTE:

RGF – ANEXO 1 (LRF, art. 55, inciso I, alínea "a")

R$ 1,00 DESPESAS EXECUTADAS (Últimos 12 Meses)

DESPESAS COM PESSOAL

INSCRITAS EM RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS (b)

LIQUIDADAS

(a) DESPESA BRUTA COM PESSOAL (I)

6.139.459,58

153.350,77

5.856.798,03

153.350,77

282.661,55

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Indenizações por Demissão e Incentivos à Demissão Voluntária

0,00

0,00

Decorrentes de Decisão Judicial

0,00

0,00

Despesas de Exercícios Anteriores

0,00

0,00

Inativos e Pensionistas com Recursos Vinculados

0,00

0,00

6.139.459,58

153.350,77

Pessoal Ativo Pessoal Inativo e Pensionista Outras Despesas de Pessoal decorrentes de Contratos de Terceirização (§ 1º do art. 18 da LRF) DESPESAS NÃO COMPUTADAS (§ 1º do art. 19 da LRF) (II)

DESPESA LÍQUIDA COM PESSOAL (III) = (I-II) DESPESA TOTAL COM PESSOAL - DTP (IV) = (III a + III b) APURAÇÃO DO CUMPRIMENTO DO LIMITE LEGAL RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - RCL (V) % da DESPESA TOTAL COM PESSOAL - DTP sobre a RCL (VI) = (IV/V)*100

6.292.810,35 VALOR 12.515.935,55 50,28

LIMITE MÁXIMO (incisos I, II e III do art.20 da LRF) - 54%

6.758.605,20

LIMITE PRUDENCIAL (parágrafo único do art.22 da LRF) - 51,3%

6.420.674,94

LIMITE DE ALERTA (inciso II do § 1º do art. 59 da LRF) - 48,6%

6.082.744,68

FONTE:

Nota: Durante o exercício, somente as despesas liquidadas são consideradas executadas. No encerramento do exercício, as despesas não liquidadas inscritas em restos a pagar não processados são também consideradas executadas. Dessa forma, para maior transparência, as despesas executadas estão segregadas em:  b) Despesas empenhadas mas não liquidadas, inscritas em Restos a Pagar não processados, consideradas liquidadas no encerramento do exercício, por força inciso II do art.35 da Lei 4.320/64.


EDITAIS

B18

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 MUNICÍPIO DE SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO – MDE ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA RREO - ANEXO 8 (LDB, art. 72)

R$ 1,00

RECEITAS DO ENSINO PREVISÃO INICIAL

RECEITA RESULTANTE DE IMPOSTOS (caput do art. 212 da Constituição) 1- RECEITAS DE IMPOSTOS

PREVISÃO ATUALIZADA (a)

RECEITAS REALIZADAS No Bimestre

Até o Bimestre (b)

% (c) = (b/a)x100

492.420,00

492.420,00

61.136,75

203.321,66

41,29

80.190,00

80.190,00

1.244,99

4.123,26

5,14

50.000,00

50.000,00

1.157,82

1.378,86

2,76

530,00

530,00

0,00

38,18

7,20

1.1.3- Dívida Ativa do IPTU 1.1.4- Multas, Juros de Mora, Atualização Monetária e Outros Encargos da Dívida Ativa do IPTU

28.600,00 1.060,00

28.600,00 1.060,00

69,74 17,43

2.608,61 97,61

9,12 9,21

1.1.5- (-) Deduções da Receita do IPTU

_

0,00

0,00

0,00

0,00

83.000,00

83.000,00

0,00

16.785,50

20,22

1.2.1- ITBI

83.000,00

83.000,00

0,00

16.785,50

20,22

1.2.2- Multas, Juros de Mora e Outros Encargos do ITBI

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.2.3- Dívida Ativa do ITBI 1.2.4- Multas, Juros de Mora, Atualização Monetária e Outros Encargos da Dívida Ativa do ITBI

_ _

0,00 0,00

0,00 0,00

0,00 0,00

0,00 0,00

1.2.5- (-) Deduções da Receita do ITBI

_

0,00

0,00

0,00

0,00

32.130,00

32.130,00

1.325,08

4.633,31

14,42

27.500,00

27.500,00

1.325,08

4.633,31

16,85

530,00

530,00

0,00

0,00

0,00

4.000,00

4.000,00

0,00

0,00

0,00

100,00

100,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

297.100,00

297.100,00

58.566,68

177.779,59

59,84

297.100,00

297.100,00

58.566,68

177.779,59

59,84

1.1- Receita Resultante do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana - IPTU 1.1.1- IPTU 1.1.2- Multas, Juros de Mora e Outros Encargos do IPTU

1.2- Receita Resultante do Imposto sobre Transmissão Inter Vivos - ITBI

1.3- Receita Resultante do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS 1.3.1- ISS 1.3.2- Multas, Juros de Mora e Outros Encargos do ISS 1.3.3- Dívida Ativa do ISS 1.3.4- Multas, Juros de Mora, Atualização Monetária e Outros Encargos da Dívida Ativa do ISS 1.3.5- (-) Deduções da Receita do ISS

_

1.4- Receita Resultante do Imposto de Renda Retido na Fonte - IRRF 1.4.1- IRRF 1.4.2- Multas, Juros de Mora e Outros Encargos do IRRF

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.4.3- Dívida Ativa do IRRF

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.4.4- Multas, Juros de Mora, Atualização Monetária e Outros Encargos da Dívida Ativa do IRRF

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.4.5- (-) Deduções da Receita do IRRF

_

0,00

0,00

0,00

0,00

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5.1- ITR

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5.2- Multas, Juros de Mora e Outros Encargos do ITR

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5.3- Dívida Ativa do ITR

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5.4- Multas, Juros de Mora, Atualização Monetária e Outros Encargos da Dívida Ativa do ITR

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5.5- (-) Deduções da Receita do ITR

_

0,00

0,00

0,00

0,00

9.916.080,00

9.916.080,00

1.882.247,25

5.408.142,76

54,54

6.500.000,00

6.500.000,00

1.241.832,90

3.481.359,00

53,56

6.500.000,00

6.500.000,00

1.241.832,90

3.481.359,00

53,56

2.968.000,00

0,00 2.968.000,00

0,00 576.190,31

0,00 1.688.270,82

0,00 56,88

2.3- ICMS-Desoneração – L.C. nº87/1996

40.280,00

40.280,00

5.764,26

17.292,78

42,93

2.4- Cota-Parte IPI-Exportação

68.900,00

68.900,00

9.794,30

27.400,76

39,77

2.5- Cota-Parte ITR

15.900,00

15.900,00

2.376,60

4.093,04

25,74

2.6- Cota-Parte IPVA

323.000,00

323.000,00

46.288,88

189.726,36

58,74

0,00

0,00

0,00

0,00

10.408.500,00

1.943.384,00

5.611.464,42

53,91

1.5- Receita Resultante do Imposto Territorial Rural - ITR (CF, art. 153, §4º, inciso III)

2- RECEITA DE TRANSFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS 2.1- Cota-Parte FPM 2.1.1- Parcela referente à CF, art. 159, I, alínea b

_

2.1.2- Parcela referente à CF, art. 159, I, alínea d 2.2- Cota-Parte ICMS

2.7- Cota-Parte IOF-Ouro

_

3- TOTAL DA RECEITA BRUTA DE IMPOSTOS (1 + 2)

10.408.500,00 PREVISÃO INICIAL

RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO  4- RECEITA DA APLICAÇÃO FINANCEIRA DE OUTROS RECURSOS DE IMPOSTOS VINC. AO ENSINO

_

PREVISÃO ATUALIZADA (a)

RECEITAS REALIZADAS No Bimestre

Até o Bimestre (b)

% (c) = (b/a)x100

0,00

0,00

0,00

0,00

5- RECEITA DE TRANSFERÊNCIAS DO FNDE

154.600,00

154.600,00

31.813,53

84.890,37

54,91

5.1- Transferências do Salário-Educação

116.600,00

116.600,00

20.938,87

68.908,38

59,10

5.2- Outras Transferências do FNDE

38.000,00

38.000,00

10.874,66

15.981,99

42,06

5.3- Aplicação Financeira dos Recursos do FNDE

_

0,00

0,00

0,00

0,00

60.000,00

60.000,00

19.400,56

48.501,40

80,84

6.1- Transferências de Convênios

60.000,00

60.000,00

19.400,56

48.501,40

80,84

6.2- Aplicação Financeira dos Recursos de Convênios

_

0,00

0,00

0,00

0,00

_

0,00

0,00

0,00

0,00

6- RECEITA DE TRANSFERÊNCIAS DE CONVÊNIOS

7- RECEITA DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO 8- OUTRAS RECEITAS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO

-1.728.348,00

-1.728.348,00

0,00

0,00

0,00

9- TOTAL DAS RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO (4 + 5 + 6 + 7 + 8)

-1.513.748,00 _

-1.513.748,00

51.214,09

133.391,77

-8,81

FUNDEB RECEITAS DO FUNDEB 10- RECEITAS DESTINADAS AO FUNDEB

PREVISÃO INICIAL

PREVISÃO ATUALIZADA (a)

RECEITAS REALIZADAS No Bimestre

Até o Bimestre (b)

% (c) = (b/a)x100

_

0,00

0,00

0,00

0,00

10.1- Cota-Parte FPM Destinada ao FUNDEB – (20% de 2.1.1)

_

0,00

0,00

0,00

0,00

10.2- Cota-Parte ICMS Destinada ao FUNDEB – (20% de 2.2)

_

0,00

0,00

0,00

0,00

10.3- ICMS-Desoneração Destinada ao FUNDEB – (20% de 2.3)

_

0,00

0,00

0,00

0,00

10.4- Cota-Parte IPI-Exportação Destinada ao FUNDEB – (20% de 2.4)

_

0,00

0,00

0,00

0,00

10.5- Cota-Parte ITR ou ITR Arrecadados Destinados ao FUNDEB – (20% de (1.5 + 2.5))

_

0,00

0,00

0,00

0,00

10.6- Cota-Parte IPVA Destinada ao FUNDEB – (20% de 2.6)

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.200.000,00 _

1.200.000,00

240.940,39

714.289,25

59,52

1.200.000,00

1.200.000,00

240.940,39

714.289,25

59,52

11- RECEITAS RECEBIDAS DO FUNDEB 11.1- Transferências de Recursos do FUNDEB 11.2- Complementação da União ao FUNDEB

_

0,00

0,00

0,00

0,00

11.3- Receita de Aplicação Financeira dos Recursos do FUNDEB

_

0,00

0,00

0,00

0,00

1.200.000,00

240.940,39

714.289,25

59,52

12- RESULTADO LÍQUIDO DAS TRANSFERÊNCIAS DO FUNDEB (11.1 – 10) ACRÉSCIMO RESULTANTE DAS TRANSFERÊNCIAS DO FUNDEB

1.200.000,00


B19

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 MUNICÍPIO DE SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO – MDE ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL

Continuação 2/3

JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

DESPESAS DO FUNDEB

DOTAÇÃO INICIAL

13- PAGAMENTO DOS PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO

No Bimestre

Até o Bimestre (e)

% (f)=(e/d)x100

721.900,00

721.900,00

183.936,86

535.717,65

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

721.900,00

721.900,00

183.936,86

535.717,65

74,21

480.530,00

480.530,00

83.257,90

284.515,91

59,21

42.100,00

42.100,00

0,00

0,00

0,00

438.430,00

438.430,00

83.257,90

284.515,91

64,89

1.202.430,00

1.202.430,00

267.194,76

820.233,56

68,21

13.1- Com Educação Infantil 13.2- Com Ensino Fundamental 14- OUTRAS DESPESAS 14.1- Com Educação Infantil 14.2- Com Ensino Fundamental 15- TOTAL DAS DESPESAS DO FUNDEB (13 + 14)

DESPESAS LIQUIDADAS

DOTAÇÃO ATUALIZADA (d)

74,21

DEDUÇÕES PARA FINS DE LIMITE DO FUNDEB PARA PAGAMENTO DOS PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO

VALOR

16- RESTOS A PAGAR INSCRITOS NO EXERCÍCIO SEM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE RECURSOS DO FUNDEB

17- DESPESAS CUSTEADAS COM O SUPERÁVIT FINANCEIRO, DO EXERCÍCIO ANTERIOR, DO FUNDEB

0,00

18- TOTAL DAS DEDUÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE DO FUNDEB (16 + 17)

0,00 75,00

19- MÍNIMO DE 60% DO FUNDEB NA REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO COM EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL1 ((13 – 18) / (11) x 100) % CONTROLE DA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS NO EXERCÍCIO SUBSEQÜENTE

VALOR

20 – RECURSOS RECEBIDOS DO FUNDEB EM 2012 QUE NÃO FORAM UTILIZADOS

0,00

21 – DESPESAS CUSTEADAS COM O SALDO DO ITEM 20 ATÉ O 1º TRIMESTRE DE 2013 ²

0,00

MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO – DESPESAS CUSTEADAS COM A RECEITA RESULTANTE DE IMPOSTOS E RECURSOS DO FUNDEB

RECEITAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MDE 22- IMPOSTOS E TRANSFERÊNCIAS DESTINADAS À MDE (25% de 3)³ DESPESAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MDE 23- EDUCAÇÃO INFANTIL

PREVISÃO INICIAL

2.602.125,00 DOTAÇÃO INICIAL

No Bimestre

2.602.125,00

Até o Bimestre (b)

485.846,00

% (c)=(b/a)x100

1.402.866,11

53,91

DESPESAS LIQUIDADAS

DOTAÇÃO ATUALIZADA (d)

298.687,70

23.1- Despesas Custeadas com Recursos do FUNDEB

RECEITAS REALIZADAS

PREVISÃO ATUALIZADA (a)

No Bimestre

324.687,70

Até o Bimestre (e)

30.646,82

% (f)=(e/d)x100

88.587,86

27,28

42.100,00

42.100,00

0,00

0,00

0,00

256.587,70

282.587,70

30.646,82

88.587,86

31,35

1.586.006,30

1.621.122,87

368.845,95

1.100.755,59

67,90

1.160.330,00

1.160.330,00

267.194,76

820.233,56

70,69

425.676,30

460.792,87

101.651,19

280.522,03

60,88

25- ENSINO MÉDIO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

26- ENSINO SUPERIOR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

27- ENSINO PROFISSIONAL NÃO INTEGRADO AO ENSINO REGULAR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

28- OUTRAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.884.694,00

1.945.810,57

399.492,77

1.189.343,45

61,12

23.2- Despesas Custeadas com Outros Recursos de Impostos 24- ENSINO FUNDAMENTAL 24.1- Despesas Custeadas com Recursos do FUNDEB 24.2- Despesas Custeadas com Outros Recursos de Impostos

29- TOTAL DAS DESPESAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MDE (23 + 24 + 25 + 26 + 27 + 28)

DEDUÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE CONSTITUCIONAL

VALOR

30- RESULTADO LÍQUIDO DAS TRANSFERÊNCIAS DO FUNDEB = (12)

714.289,25

31- DESPESAS CUSTEADAS COM A COMPLEMENTAÇÃO DO FUNDEB NO EXERCÍCIO

_

32- RECEITA DE APLICAÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS DO FUNDEB ATÉ O BIMESTRE = (50 h)

_

33- DESPESAS CUSTEADAS COM O SUPERÁVIT FINANCEIRO, DO EXERCÍCIO ANTERIOR, DO FUNDEB

_

34- DESPESAS CUSTEADAS COM O SUPERÁVIT FINANCEIRO, DO EXERCÍCIO ANTERIOR, DE OUTROS RECURSOS DE IMPOSTOS

0,00

35- RESTOS A PAGAR INSCRITOS NO EXERCÍCIO SEM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO

4

36- CANCELAMENTO, NO EXERCÍCIO, DE RESTOS A PAGAR INSCRITOS COM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO = (46 g)

_

37- TOTAL DAS DEDUÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE CONSTITUCIONAL (30 + 31 + 32 + 33 + 34 + 35 + 36)

714.289,25

38- TOTAL DAS DESPESAS PARA FINS DE LIMITE ((23 + 24) – (37))

475.054,20

39- MÍNIMO DE 25% DAS RECEITAS RESULTANTES DE IMPOSTOS EM MDE5 ((38) / (3) x 100) %

8,47

MUNICÍPIO DE SAO JOSE DAPARA BOACONTROLE VISTA - PR Continuação 3/3 OUTRAS INFORMAÇÕES RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DESPESAS LIQUIDADAS DOTAÇÃO DOTAÇÃO OUTRAS DESPESAS CUSTEADAS COM RECEITAS ADICIONAIS FINANCIAMENTO DO DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E PARA DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL ATUALIZADA DO ENSINO – MDE ENSINO No Bimestre Até o Bimestre % (d) ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL (e) (f)=(e/d)x100 JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO

40- DESPESAS CUSTEADAS COM A APLICAÇÃO FINANCEIRA DE OUTROS RECURSOS DE 0,00 Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO

0,00

0,00

0,00

0,00

116.971,00

116.971,00

17.874,84

41.310,44

35,32

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

727.039,00 839.185,16 60.084,49 110.546,93 JOSE DA BOA VISTA - PR 44- TOTAL DAS OUTRAS DESPESAS CUSTEADAS COM RECEITAS ADICIONAIS PARA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA VALOR 844.010,00 956.156,16 77.959,33 151.857,37 FINANCIAMENTO DO ENSINO (40 + 41 + 42 + 43) FLUXO FINANCEIRO DOS RECURSOS DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO – MDE FUNDEB 45- TOTAL GERAL DAS DESPESAS COM MDE (29 + 44) 2.728.704,00 2.901.966,73 477.452,10 (h) 1.341.200,82 ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL

13,17 Continuação 3/3

41- DESPESAS CUSTEADAS COM A CONTRIBUIÇÃO SOCIAL DO SALÁRIO-EDUCAÇÃO 42- DESPESAS CUSTEADAS COM OPERAÇÕES DE CRÉDITO 43- DESPESAS CUSTEADAS COM OUTRAS RECEITAS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO MUNICÍPIO DE SAO

47- SALDO FINANCEIRO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO RESTOS A PAGAR COM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA 48- (+) INGRESSO DE RECURSOS ATÉINSCRITOS O BIMESTRE SALDO ATÉ O BIMESTRE Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA DE RECURSOS IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO 49- (-) PAGAMENTOS EFETUADOS ATÉ ODE BIMESTRE 50- (+) RECEITA DE APLICAÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS ATÉ O BIMESTRE

51-RESTOS (=) SALDO FINANCEIRO NO EXERCÍCIO ATUAL 46A PAGAR DE DESPESAS COM MDE

0,00

FLUXO FINANCEIRO DOS RECURSOS

15,88 FUNDEF

0,00

714.289,25 CANCELADO EM 2013 0,00(g) 0,00

46,22 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

714.289,25 0,00

VALOR FUNDEB (h)

47- SALDO FINANCEIRO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012

FUNDEF 0,00

0,00

48- (+) INGRESSO DE RECURSOS ATÉ O BIMESTRE

714.289,25

0,00

49- (-) PAGAMENTOS EFETUADOS ATÉ O BIMESTRE

0,00

0,00

0,00

0,00

714.289,25

0,00

50- (+) RECEITA DE APLICAÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS ATÉ O BIMESTRE 51- (=) SALDO FINANCEIRO NO EXERCÍCIO ATUAL FONTE:

¹ Limites mínimos anuais a serem cumpridos no encerramento do exercício. ² Art. 21, § 2º, Lei 11.494/2007: "Até 5% dos recursos recebidos à conta dos Fundos, inclusive relativos à complementação da União recebidos nos termos do §1º do art. 6º desta Lei, poderão ser utilizados no 1º trimestre do exercício imediatamente subseqüente, mediante abertura de crédito adicional." ³ Caput do art. 212 da CF/1988 4

Os valores referentes à parcela dos Restos a Pagar inscritos sem disponibilidade financeira vinculada à educação deverão ser informados somente no RREO do último bimestre do exercício

5

Limites mínimos anuais a serem cumpridos no encerramento do exercício, no âmbito de atuação prioritária, conforme LDB, art. 11, V.

FONTE:

¹ Limites mínimos anuais a serem cumpridos no encerramento do exercício.


EDITAIS

B20

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

Betha Sistemas

ESTADO DO PARANA PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

Período: 3º Bimestre

Comparativo da Despesa Autorizada Com a Empenhada - Anexo TC 08

Página 1 de 1

Exercício de 2013

Entidade : PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA Códigos

Especificações

Fonte de Recursos

05 ASSISTÊNCIA SOCIAL 05.02.0 CMDCA- ASSISTENCIA A CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Créditos Orçados

Suplementados

Despesa Empenhada Anulados

Total

No Bimestre

Saldos

Até o Bimestre

43.720,00 43.720,00

25.000,00 25.000,00

0,00 0,00

68.720,00 68.720,00

13.597,26 13.597,26

37.274,86 37.274,86

31.445,14 31.445,14

43.720,00

25.000,00

0,00

68.720,00

13.597,26

37.274,86

31.445,14

05.02.08.243 Assistência à Criança e ao Adolescente 05.02.08.243.1601 GESTÃO DE ASSISTENCIA A CRIANÇA E AO ADOLESCENTE

43.720,00 43.720,00

25.000,00 25.000,00

0,00 0,00

68.720,00 68.720,00

13.597,26 13.597,26

37.274,86 37.274,86

31.445,14 31.445,14

08.243.1601.6.001 ASSISTENCIA A CRIANÇA E AO ADOLESCENTE

43.720,00

25.000,00

0,00

68.720,00

13.597,26

37.274,86

31.445,14

100000.01.07.00 (0000) 100000.01.07.00 (0000) 100000.01.07.00 (0000) 100000.01.07.00 (0000) 100000.01.07.00 (0000) 100510.01.07.00 (0510) 100511.01.07.00 (0511) 100000.01.07.00 (0000) 100510.01.07.00 (0510) 100511.01.07.00 (0511) 100000.01.07.00 (0000) 100510.01.07.00 (0510) 100511.01.07.00 (0511) 100000.01.07.00 (0000) 100510.01.07.00 (0510) 100511.01.07.00 (0511) 100000.01.07.00 (0000) 100000.01.07.00 (0000) 100000.01.07.00 (0000)

1.000,00 1.000,00 1.000,00 1.000,00 32.720,00 2.000,00 2.000,00 5.300,00 500,00 500,00 22.420,00 1.000,00 1.000,00 5.000,00 500,00 500,00 5.000,00 1.000,00 4.000,00

0,00 0,00 0,00 0,00 25.000,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 25.000,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

1.000,00 1.000,00 1.000,00 1.000,00 57.720,00 2.000,00 2.000,00 5.300,00 500,00 500,00 47.420,00 1.000,00 1.000,00 5.000,00 500,00 500,00 5.000,00 1.000,00 4.000,00

0,00 0,00 0,00 0,00 13.411,64 185,62 0,00 184,50 0,00 0,00 12.072,33 0,00 0,00 1.154,81 185,62 0,00 0,00 0,00 0,00

0,00 0,00 0,00 0,00 37.089,24 185,62 0,00 4.295,85 0,00 0,00 29.421,83 0,00 0,00 3.371,56 185,62 0,00 0,00 0,00 0,00

1.000,00 1.000,00 1.000,00 1.000,00 20.630,76 1.814,38 2.000,00 1.004,15 500,00 500,00 17.998,17 1.000,00 1.000,00 1.628,44 314,38 500,00 5.000,00 1.000,00 4.000,00

Total por Entidade :

43.720,00

25.000,00

0,00

68.720,00

13.597,26

37.274,86

31.445,14

Total Geral :

43.720,00

25.000,00

0,00

68.720,00

13.597,26

37.274,86

31.445,14

05.02.08 Assistência Social

3.1.50.00.00.00.00.00 TRANSF. A INSTITUIÇÕES PRIVADAS S/FINS LUCRATIVOS 3.1.50.43.00.00.00.00 SUBVENÇÕES SOCIAIS 3.3.50.00.00.00.00.00 TRANSF. A INSTITUIÇÕES PRIVADAS S/FINS LUCRATIVOS 3.3.50.43.00.00.00.00 SUBVENÇÕES SOCIAIS 3.3.90.00.00.00.00.00 APLICAÇÕES DIRETAS 3.3.90.00.00.00.00.00 APLICAÇÕES DIRETAS 3.3.90.00.00.00.00.00 APLICAÇÕES DIRETAS 3.3.90.30.00.00.00.00 MATERIAL DE CONSUMO 3.3.90.30.00.00.00.00 MATERIAL DE CONSUMO 3.3.90.30.00.00.00.00 MATERIAL DE CONSUMO 3.3.90.36.00.00.00.00 OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA FÍSICA 3.3.90.36.00.00.00.00 OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA FÍSICA 3.3.90.36.00.00.00.00 OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA FÍSICA 3.3.90.39.00.00.00.00 OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA 3.3.90.39.00.00.00.00 OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA 3.3.90.39.00.00.00.00 OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS - PESSOA JURÍDICA 4.4.90.00.00.00.00.00 APLICAÇÕES DIRETAS 4.4.90.51.00.00.00.00 OBRAS E INSTALAÇÕES 4.4.90.52.00.00.00.00 EQUIPAMENTOS E MATERIAL PERMANENTE

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DA RECEITA CORRENTE LÍQUIDA ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JULHO/2012 A JUNHO/2013 Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

RREO – ANEXO 3 (LRF, Art. 53, inciso I)

R$ 1,00

EVOLUÇÃO DA RECEITA REALIZADA NOS ÚLTIMOS 12 MESES ESPECIFICAÇÃO Jul/2012

Ago/2012

Set/2012

Out/2012

Nov/2012

Dez/2012

Jan/2013

Fev/2013

Mar/2013

Abr/2013

Mai/2013

TOTAL (ÚLT. 12 MES.)

Jun/2013

PREVISÃO ATUALIZADA 2013

RECEITAS CORRENTES (I)

897.302,18

961.338,21

886.758,20

1.487.317,04

548.847,41

1.354.014,47

1.171.464,48

1.142.340,68

842.369,50

984.006,27

1.083.771,19

981.350,27

12.340.879,90

12.382.619,00

RECEITA TRIBUTÁRIA

31.949,36

92.018,41

75.380,62

73.309,01

52.017,21

50.782,60

43.267,08

32.076,62

19.780,29

46.257,32

30.081,75

31.445,70

578.365,97

513.160,00

I.P.T.U.

3.054,41

2.260,12

949,42

1.600,43

938,85

372,38

221,04

0,00

0,00

0,00

345,04

812,78

10.554,47

50.000,00

I.R.R.F

25.301,11

28.388,41

30.452,61

31.743,13

30.655,23

38.714,00

22.837,75

31.897,92

19.271,93

45.205,31

28.569,88

29.996,80

363.034,08

297.100,00

I.S.S.

1.203,62

3.960,86

9.228,73

6.232,56

3.877,26

3.761,11

2.293,84

178,70

508,36

327,33

836,25

488,83

32.897,45

27.500,00

I.T.B.I.

1.055,00

56.135,76

34.278,28

32.368,85

15.698,71

7.190,00

16.785,50

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

163.512,10

83.000,00

Outras Receitas Tributárias

1.335,22

1.273,26

471,58

1.364,04

847,16

745,11

1.128,95

0,00

0,00

724,68

330,58

147,29

8.367,87

55.560,00

RECEITAS DE CONTRIBUIÇÕES

1.523,45

1.461,36

1.447,79

791,67

1.868,19

1.164,89

2.174,25

1.976,05

1.738,77

3.327,59

2.956,44

2.899,77

23.330,22

18.020,00

RECEITA PATRIMONIAL

3.557,17

3.782,73

2.937,26

2.491,95

2.175,39

1.610,87

1.237,32

2.406,90

2.531,21

2.241,51

2.768,37

2.309,63

30.050,31

13.465,00

RECEITA AGROPECUÁRIA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA INDUSTRIAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DE SERVIÇOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

4.590,00

TRANSFERÊNCIAS CORRENTES

858.970,33

860.190,52

805.176,93

964.615,86

935.608,95

1.299.913,87

1.121.022,82

1.105.571,11

816.720,74

931.719,85

1.047.754,63

943.719,76

11.690.985,37

11.771.703,00

Cota-Parte do F.P.M.

313.420,53

345.852,99

302.616,29

321.240,84

434.209,76

490.790,93

453.555,04

609.908,14

351.261,80

376.896,01

541.548,30

451.918,08

4.993.218,71

5.200.000,00

Cota-Parte do I.C.M.S.

296.798,46

276.196,28

283.802,66

288.168,98

287.737,01

294.133,74

257.137,63

199.687,58

200.136,37

232.702,90

226.185,01

243.863,30

3.086.549,92

2.374.400,00

Cota-Parte do I.P.V.A.

19.450,46

13.703,51

5.697,28

7.584,11

7.218,33

2.932,53

17.886,04

50.729,69

21.452,76

24.681,46

18.572,56

18.458,49

208.367,22

258.400,00

581,85

41,96

11.222,17

38.351,34

1.603,90

1.587,90

1.179,41

14,64

121,56

57,56

1.729,97

171,32

56.663,58

12.720,00

Outras Transferências Correntes

121.550,99

113.530,07

101.551,62

197.945,01

93.282,26

401.091,79

265.178,15

104.348,26

138.773,46

172.669,22

127.030,02

108.610,10

1.945.560,95

2.638.839,00

Transferências da LC 61/1989

4.545,31

5.024,01

5.080,80

4.910,63

4.971,43

5.708,44

4.592,20

3.526,04

3.112,73

2.854,19

3.838,03

3.997,40

52.161,21

55.120,00

Transferências da LC 87/1996

2.972,09

2.972,09

0,00

5.944,18

2.972,09

2.972,09

0,00

0,00

0,00

9.222,82

2.305,71

2.305,71

31.666,78

32.224,00

Transferências do FUNDEB

99.650,64

102.869,61

95.206,11

100.470,77

103.614,17

100.696,45

121.494,35

137.356,76

101.862,06

112.635,69

126.545,03

114.395,36

1.316.797,00

1.200.000,00

OUTRAS RECEITAS CORRENTES

1.301,87

3.885,19

1.815,60

446.108,55

-442.822,33

542,24

3.763,01

310,00

1.598,49

460,00

210,00

975,41

18.148,03

61.681,00

-13.485,50

-26.875,65

-14.493,44

-11.318,37

-47.651,90

-61.230,79

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

-175.055,65

0,00

Dedução da Receita Para Formação do FUNDEB

64.869,62

59.587,57

61.160,59

68.991,82

60.900,52

61.466,89

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

376.977,01

0,00

Dedução de Receita do FPM - Fundeb e Redutor Finan

-78.355,12

-86.463,22

-75.654,03

-80.310,19

-108.552,42

-122.697,68

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

-552.032,66

0,00

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA (III) = (I – II)

910.787,68

988.213,86

901.251,64

1.498.635,41

596.499,31

1.415.245,26

1.171.464,48

1.142.340,68

842.369,50

984.006,27

1.083.771,19

981.350,27

12.515.935,55

12.382.619,00

Cota-Parte do ITR.

DEDUÇÕES (II)

FONTE:


B21

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DO RESULTADO NOMINAL ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA RREO – Anexo 5 (LRF, art 53, inciso III)

R$ 1,00 SALDO

DÍVIDA FISCAL LÍQUIDA

Em 31 Dez 2012 (A)

DÍVIDA CONSOLIDADA (I)

Em 31 Dez 2012 (B)

123.629,19

DEDUÇÕES (II)

Disponibilidade de Caixa Bruta

Em 30 Jun 2013 (C)

123.629,19

58.392,59

486.701,49

499.431,64

499.431,64

890.470,10

2.597,10

2.597,10

670,33

657.811,73

657.811,73

404.438,94

123.629,19

123.629,19

-428.308,90

RECEITAS DE PRIVATIZAÇÕES (IV)

0,00

0,00

0,00

PASSIVOS RECONHECIDOS (V)

0,00

0,00

0,00

123.629,19

123.629,19

-428.308,90

Demais Haveres Financeiros (-) Restos a Pagar Processados (Exceto Precatórios) DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA (III) = (I - II)

DÍVIDA FISCAL LÍQUIDA (VI) = (III + IV – V)

PERÍODO DE REFERÊNCIA RESULTADO NOMINAL

No Semestre (C - B)

Jan a Jun 2013 (C - A)

-551.938,09

VALOR

DISCRIMINAÇÃO DA META FISCAL

-551.938,09

VALOR CORRENTE

META DE RESULTADO NOMINAL FIXADA NO ANEXO DE METAS FISCAIS DA LDO P/ O EXERCÍCIO DE REFERÊNCIA

0,00

REGIME PREVIDENCIÁRIO SALDO DÍVIDA FISCAL LÍQUIDA PREVIDENCIÁRIA

Em 31 Dez 2012 (A)

Em 31 Dez 2012 (B)

Em 30 Jun 2013 (C)

DÍVIDA CONSOLIDADA PREVIDENCIÁRIA (VII)

0,00

0,00

0,00

DEDUÇÕES (VIII)

0,00

0,00

0,00

Disponibilidade de Caixa Bruta

0,00

0,00

0,00

Investimentos

0,00

0,00

0,00

Demais Haveres Financeiros

0,00

0,00

0,00

(-) Restos a Pagar Processados

0,00

0,00

0,00

DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA PREVIDENCIÁRIA (IX) = (VII - VIII)

0,00

0,00

0,00

PASSIVOS RECONHECIDOS (X)

0,00

0,00

0,00

DÍVIDA FISCAL LÍQUIDA PREVIDENCIÁRIA (XI) = (IX – X)

0,00

0,00

0,00

FONTE:

Brasileiros que concluíram cadastro do Programa Mais Médicos são 21% dos inscritos

Yara Aquino Repórter da Agência Brasil Brasília – O balanço final do Programa Mais Médicos contabilizou 3.891 médicos com diploma brasileiro inscritos que finalizaram o cadastro para participar da iniciativa. O total corresponde a 21% dos 18.450 médicos brasileiros e estrangeiros que se inscreveram inicialmente no programa. O prazo para os inscritos completarem o cadastro e apresentarem documentos venceu às 11h59 de domingo (28). O balanço final do programa foi divulgado hoje (29) pelo secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mozart Sales, ao participar de audiência pública no Conselho Nacional do Ministério Público. Os médicos com diploma estrangeiro que entregaram a documentação são 766, mas o número ainda deve aumentar, já que eles têm até 8 de agosto para concluir o processo. O total de médicos com diploma estrangeiro inscritos foi 1.920.

Em balanço divulgado sextafeira (26), dos 18.450 inscritos, 3.123 médicos já haviam entregado os documentos necessários e 8.307 apresentaram números inválidos de registro em conselhos regionais de Medicina. Os municípios que aderiram ao programa são 3.511. Juntos, eles demandaram 15.460 médicos para trabalhar na atenção básica. Lançado em julho, por medida provisória, o Programa Mais Médicos tem como meta levar profissionais para atuar durante três anos na atenção básica à saúde em regiões pobres do Brasil, como na periferia das grandes cidades e em municípios do interior. Para isso, o Ministério da Saúde pagará bolsa de R$ 10 mil. O programa também prevê a possibilidade de contratar profissionais estrangeiros para trabalhar nesses locais, caso as vagas não sejam totalmente preenchidas por brasileiros. A medida tem sido criticada por entidades de classe, sobretudo, pelo fato de o programa não exigir a revalidação do diploma de médicos de outros países.


EDITAIS

B22

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DO RESULTADO PRIMÁRIO ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE JANEIRO - JUNHO RREO - ANEXO 6 (LRF, art 53, inciso III)

R$ 1,00 RECEITAS REALIZADAS

PREVISÃO ATUALIZADA

RECEITAS PRIMÁRIAS

No Semestre

Até o Semestre 2013

Até o Semestre 2012

12.370.214,00

6.191.935,42

6.191.935,42

5.823.173,20

513.160,00

202.908,76

202.908,76

387.697,37

I.P.T.U.

50.000,00

1.378,86

1.378,86

60.825,31

I.S.S.

27.500,00

4.633,31

4.633,31

27.628,23

I.T.B.I.

83.000,00

16.785,50

16.785,50

117.883,92

I.R.R.F.

297.100,00

177.779,59

177.779,59

147.728,58

55.560,00

2.331,50

2.331,50

33.631,33

Receita de Contribuição

18.020,00

15.072,87

15.072,87

7.096,55

Outras Contribuições

18.020,00

15.072,87

15.072,87

7.096,55

Receita Patrimonial Líquida

1.060,00

127,97

127,97

192,78

Receita Patrimonial

13.465,00

13.494,94

13.494,94

25.925,70

(-) Aplicações Financeiras

12.405,00

13.366,97

13.366,97

25.732,92

11.771.703,00

5.966.508,91

5.966.508,91

5.409.061,03

F.P.M.

5.200.000,00

2.785.087,37

2.785.087,37

2.640.498,25

I.C.M.S.

2.374.400,00

1.359.712,79

1.359.712,79

1.228.640,74

Convênios

1.362.544,00

258.909,59

258.909,59

119.664,69

Outras Transferências Correntes

2.834.759,00

1.562.799,16

1.562.799,16

1.420.257,35

66.271,00

7.316,91

7.316,91

19.125,47

Dívida Ativa

52.740,00

3.334,36

3.334,36

16.408,01

Diversas Receitas Correntes

13.531,00

3.982,55

3.982,55

2.717,46

RECEITAS DE CAPITAL (II)

1.473.000,00

268.403,01

268.403,01

931.399,45

Operações de Crédito (III)

0,00

0,00

0,00

15.399,45

Amortização de Empréstimos (IV)

0,00

0,00

0,00

0,00

103.000,00

62.650,00

62.650,00

0,00

1.370.000,00

205.753,01

205.753,01

916.000,00

1.350.000,00

55.753,01

55.753,01

900.000,00

20.000,00

150.000,00

150.000,00

16.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.370.000,00

205.753,01

205.753,01

916.000,00

13.740.214,00

6.397.688,43

6.397.688,43

6.739.173,20

RECEITAS PRIMÁRIAS CORRENTES (I) Receita Tributária

Outras Receitas Tributárias

Transferências Correntes

Demais Receitas Correntes

Alienação de Ativos (V) Transferências de Capital Convênios Outras Transferências de Capital Outras Receitas de Capital RECEITAS PRIMÁRIAS DE CAPITAL (VI) = (II - III - IV - V) RECEITA PRIMÁRIA TOTAL (VII) = (I + VI)

DESPESAS LIQUIDADAS

DOTAÇÃO ATUALIZADA

DESPESAS PRIMÁRIAS

No Semestre

Até o Semestre 2013

Até o Semestre 2012

DESPESAS CORRENTES (VIII)

11.451.260,83

5.006.546,12

5.006.546,12

5.080.179,12

Pessoal e Encargos Sociais

4.839.581,64

2.935.529,09

2.935.529,09

2.624.537,61

5.000,00

991,62

991,62

765,02

6.606.679,19 11.446.260,83

2.070.025,41 5.005.554,50

2.070.025,41 5.005.554,50

2.454.876,49 5.079.414,10

2.848.353,48

299.003,73

299.003,73

1.366.066,46

170.582,70

1.251.178,88

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

128.421,03 170.582,70

114.887,58 1.251.178,88

Juros e Encargos da Dívida (IX) Outras Despesas Correntes DESPESAS PRIMÁRIAS CORRENTES (X) = (VIII - IX) DESPESAS DE CAPITAL (XI)

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA -170.582,70 PR 2.674.753,48 RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA Inversões Financeiras 0,00 0,00 DEMONSTRATIVO DO RESULTADO PRIMÁRIO Concessão de Empréstimos (XII) 0,00 0,00 ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL Aquisição de Título de Capital já Integralizado (XIII) 0,00 0,00 Investimentos

Demais Inversões Financeiras

0,00 JANEIRO - JUNHO 0,00 JANEIRO A JUNHO 2013/SEMESTRE

Amortização da Dívida (XIV) DESPESAS PRIMÁRIAS DE CAPITAL (XV) = (XI - XII - XIII - XIV)

173.600,00 2.674.753,48

DESPESAS LIQUIDADAS

DOTAÇÃO ATUALIZADA

DESPESAS PRIMÁRIAS

128.421,03 170.582,70

No Semestre

Até o Semestre 2013

Até o Semestre 2012

134.056,19

-

-

-

14.255.070,50

5.176.137,20

5.176.137,20

6.330.592,98

-514.856,50

1.221.551,23

1.221.551,23

408.580,22

-

-

0,00

0,00

Superávit Financeiro

-

-

0,00

0,00

Reabertura de Créditos Adicionais

-

-

0,00

0,00

RESERVA DE CONTINGÊNCIA (XVI)

DESPESA PRIMÁRIA TOTAL (XVIII) = (X + XV + XVI + XVII) RESULTADO PRIMÁRIO (XIX) = (VII - XVIII) SALDOS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES

DISCRIMINAÇÃO DA META FISCAL META DE RESULTADO PRIMÁRIO FIXADA NO ANEXO DE METAS FISCAIS DA LDO P/ O EXERCÍCIO DE REFERÊNCIA FONTE:

SAO JOSE DA BOA VISTA, 29/07/2013

VALOR CORRENTE 0,00


B23

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

RREO - ANEXO 12 (LC 141/2012, art. 35)

R$ 1,00

RECEITAS PARA APURAÇÃO DA APLICAÇÃO EM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE

PREVISÃO INICIAL

RECEITA DE IMPOSTOS LÍQUIDA (I) Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU Imposto sobre Transmissão de Bens Intervivos - ITBI Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS Imposto de Renda Retido na Fonte - IRRF Multas, Juros de Mora e Outros Encargos dos Impostos Dívida Ativa dos Impostos Multas, Juros de Mora e Outros Encargos da Dívida Ativa RECEITA DE TRANSFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS (II) Cota-Parte FPM Cota-Parte ITR Cota-Parte IPVA Cota-Parte ICMS Cota-Parte IPI-Exportação Compensações Financeiras Provenientes de Impostos e Transferências Constitucionais Desoneração ICMS (LC 87/96) TOTAL DAS RECEITAS PARA APURAÇÃO DA APLICAÇÃO EM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE (III) = I + II RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DA SAÚDE

204.094,10 1.378,86 16.785,50 4.633,31 177.779,59 52,65 3.334,36 129,83 5.408.142,76 3.481.359,00 4.093,04 189.726,36 1.688.270,82 27.400,76 17.292,78 17.292,78

39,84 2,76 20,22 16,85 59,84 2,93 6,84 3,15 54,54 53,56 25,74 58,74 56,88 39,77 42,93 42,93

10.428.344,00

10.428.344,00

5.612.236,86

53,82

2.777.741,62 1.289.280,00 1.488.461,62

Até o Bimestre (d)

% (d/c)*100

728.800,00 95.400,00 633.400,00

394.397,54 35.419,66 358.977,88

54,12 37,13 56,67

0,00

0,00

0,00

0,00

7.000,00

7.000,00

155,03

2,21

735.800,00

735.800,00

394.552,57

53,62

OUTRAS RECEITAS PARA FINANCIAMENTO DA SAÚDE TOTAL RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DA SAÚDE

RECEITAS REALIZADAS

PREVISÃO ATUALIZADA (c)

728.800,00 95.400,00 633.400,00

RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO VINCULADAS À SAÚDE

DESPESAS CORRENTES Pessoal e Encargos Sociais Outras Despesas Correntes

% (b/a)*100

512.264,00 50.000,00 83.000,00 27.500,00 297.100,00 1.796,00 48.740,00 4.128,00 9.916.080,00 6.500.000,00 15.900,00 323.000,00 2.968.000,00 68.900,00 40.280,00 40.280,00

PREVISÃO INICIAL

DOTAÇÃO INICIAL

Até o Bimestre (b)

512.264,00 50.000,00 83.000,00 27.500,00 297.100,00 1.796,00 48.740,00 4.128,00 9.916.080,00 6.500.000,00 15.900,00 323.000,00 2.968.000,00 68.900,00 40.280,00 40.280,00

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE-SUS Provenientes da União Outras Receitas do SUS

DESPESAS COM SAÚDE (Por Grupo de Natureza da Despesa)

RECEITAS REALIZADAS

PREVISÃO ATUALIZADA (a)

DOTAÇÃO ATUALIZADA (e) 2.782.722,62 1.283.980,00 1.498.742,62

DESPESAS LIQUIDADAS

DESPESAS EMPENHADAS Até o Bimestre (f) 1.672.071,31 925.685,36 746.385,95

Até o Bimestre (g)

% (f/e)*100 60,09 72,09 49,80

% (g/e)*100

1.620.047,00 925.685,36 694.361,64

58,22 72,09 46,33

Continua 1/4

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE

Continuação 2/4

ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

DESPESAS COM SAÚDE (Por Grupo de Natureza da Despesa) DESPESAS DE CAPITAL Investimentos TOTAL DAS DESPESAS COM SAÚDE (IV) DESPESAS COM SAÚDE NÃO COMPUTADAS PARA FINS DE APURAÇÃO DO PERCENTUAL MÍNIMO

DOTAÇÃO INICIAL

DOTAÇÃO ATUALIZADA (e)

DESPESAS LIQUIDADAS

DESPESAS EMPENHADAS Até o Bimestre (f)

Até o Bimestre (g)

% (f/e)*100

% (g/e)*100

66.090,38 66.090,38

151.090,38 151.090,38

37.607,00 37.607,00

24,89 24,89

33.652,00 33.652,00

22,27 22,27

2.843.832,00

2.933.813,00

1.709.678,31

58,27

1.653.699,00

56,37

DOTAÇÃO INICIAL

DOTAÇÃO ATUALIZADA

DESPESAS LIQUIDADAS

DESPESAS EMPENHADAS Até o Bimestre (h)

% (h/IVf)x100

Até o Bimestre (i)

% (i/IVg)x100

DESPESAS COM INATIVOS E PENSIONISTAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DESPESA COM ASSISTÊNCIA À SAÚDE QUE NÃO ATENDE AO PRINCÍPIO DE ACESSO UNIVERSAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

2.843.832,00

2.933.813,00

1.709.678,31

100,00

1.653.699,00

100,00

836.577,00

926.558,00

524.203,95

30,66

512.990,92

31,02

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

2.007.255,00

2.007.255,00

1.185.474,36

69,34

1.140.708,08

68,98

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DESPESAS CUSTEADAS COM OUTROS RECURSOS Recursos de Transferências do Sistema Único de Saúde - SUS Recursos de Operações de Crédito Outros Recursos OUTRAS AÇÕES E SERVIÇOS NÃO COMPUTADOS RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS INSCRITOS INDEVIDAMENTE NO EXERCÍCIO SEM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA¹ DESPESAS CUSTEADAS COM DISPONIBILIDADE DE CAIXA VINCULADA AOS RESTOS A PAGAR CANCELADOS² DESPESAS CUSTEADAS COM RECURSOS VINCULADOS À PARCELA DO PERCENTUAL MÍNIMO QUE NÃO FOI APLICADA EM AÇÕES E SERVIÇOS DE SAÚDE EM EXERCÍCIOS ANTERIORES³ TOTAL DAS DESPESAS COM SAÚDE NÃO COMPUTADAS (V) TOTAL DAS DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE (VI) = (IV - V)

-

-

-

-

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

2.843.832,00

2.933.813,00

1.709.678,31

100,00

1.653.699,00

100,00

0,00

0,00

0,00

-41,73

0,00

-43,63

PERCENTUAL DE APLICAÇÃO EM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE SOBRE A RECEITA DE IMPOSTOS LÍQUIDA E TRANSFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS (VII%) = (VIh / IIIb x 100) - LIMITE CONSTITUCIONAL 15% 4 e 5 VALOR REFERENTE À DIFERENÇA ENTRE O VALOR EXECUTADO E O LIMITE MÍNIMO CONSTITUCIONAL [(VII - 15)/100 x IIIb]

0,00 -841.835,40


EDITAIS

B24

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

Município de SAO JOSE DA BOA VISTA - PR RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE

Continuação 3/4

ORÇAMENTOS FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO 2013/BIMESTRE MAIO - JUNHO Entidade: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAO JOSE DA BOA VISTA

EXECUÇÃO DE RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS INSCRITOS COM DISPONIBILDADE DE CAIXA

INSCRITOS

CANCELADOS/ PRESCRITOS

PAGOS

A PAGAR

PARCELA CONSIDERADA NO LIMITE

Inscritos em 2012

0,00

0,00

917,00

-917,00

0,00

TOTAL

0,00

0,00

917,00

-917,00

0,00

CONTROLE DOS RESTOS A PAGAR CANCELADOS OU PRESCRITOS PARA FINS DE APLICAÇÃO DA DISPONIBILIDADE DE CAIXA CONFORME ARTIGO 24, §1º E 2º

RESTOS A PAGAR CANCELADOS OU PRESCRITOS SALDO INICIAL

DESPESAS CUSTEADAS NO EXERCÍCIO DE REFERÊNCIA (j)

SALDO FINAL(NÃO APLICADO)

Restos a Pagar Cancelados ou Prescritos em 2012

0,00

0,00

0,00

TOTAL (VIII)

0,00

0,00

0,00

CONTROLE DO VALOR REFERENTE AO PERCENTUAL MÍNIMO NÃO CUMPRIDO EM EXERCÍCIOS ANTERIORES PARA FINS DE APLICAÇÃO DOS RECURSOS VINCULADOS CONFORME ARTIGOS 25 E 26

DESPESAS COM SAÚDE (Por Subfunção)

Atenção Básica

LIMITE NÃO CUMPRIDO SALDO INICIAL

DESPESAS CUSTEADAS NO EXERCÍCIO DE REFERÊNCIA (k)

SALDO FINAL(NÃO APLICADO)

-

-

-

DOTAÇÃO INICIAL

DOTAÇÃO ATUALIZADA

DESPESAS LIQUIDADAS

DESPESAS EMPENHADAS Até Bimestre (l)

% (l/Total l)*100

Até Bimestre (m)

% (m/Total m)*100

836.577,00

926.558,00

524.203,95

30,66

512.990,92

31,02

Assistência Hospitalar e Ambulatorial

2.007.255,00

2.007.255,00

1.185.474,36

69,34

1.140.708,08

68,98

TOTAL

2.843.832,00

2.933.813,00

1.709.678,31

100,00

1.653.699,00

100,00

FONTE: ¹ Essa linha apresentará valor somente no Relatório Resumido da Execução Orçamentária do último bimestre do exercício. ² O valor apresentado na intercessão com a coluna "h" ou com a coluna "h+i"(último bimestre) deverá ser o mesmo apresentado no "total j". ³ O valor apresentado na intercessão com a coluna "h" ou com a coluna "h+i"(último bimestre) deverá ser o mesmo apresentado no "total k". 4 Limite anual mínimo a ser cumprido no encerramento do exercício. 5 Durante o exercício esse valor servirá para o monitoramento previsto no art. 23 da LC 141/2012.

Confiança do consumidor mantém-se baixa pelo segundo mês seguido

Continua 3/4

Wellton Máximo Repórter da Ag. Brasil Brasília – Depois de uma forte queda em junho, a confiança do consumidor continuou baixa em julho. O Índice Nacional de Expectativas do Consumidor (Inec), divulgado hoje (29) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), fechou o mês em 110 pontos, praticamente estável em relação ao mês anterior (110,1 pontos) e com queda de 3,6% em relação a maio (114,1 pontos). Nos últimos 12 meses, o Inec acumula queda de 2,7%. De acordo com a CNI, a inflação e o desemprego representam a principal preocupação dos consumidores. A expectativa de que a inflação continuará sob controle nos próximos seis meses recuou 5,9% em relação a junho e 11,1% em 12 meses. Ao mesmo tempo, a perspectiva de que a economia gerará postos de trabalho até o fim do ano caiu 2% na comparação com o mês passado e 11,1% nos acumulado de 12 meses. Além de não confiarem no desempenho da economia, os consumidores continuam pessimistas em relação à situação pessoal. De acordo com a pesquisa, a expectativa de que a renda pessoal vai subir nos próximos seis meses aumentou 0,1% em julho, porém está 0,4% menor do que no mesmo mês do ano anterior. O índice de

entrevistados cuja situação financeira melhorou nos últimos três meses aumentou 0,1% de um mês para outro, mas ainda está 2,4% inferior a julho de 2012. Os dois índices fica-

ram estáveis, o que, segundo a CNI, mostra que a avaliação negativa ainda não foi revertida. Os únicos indicadores que mostraram

otimismo foram o endividamento das famílias e a intenção de compra de bens duráveis. A percepção de consumidores que se acham menos endividados melhorou 1,3% em julho,

apesar de estar 3,7% menor que no mesmo mês de 2012. O índice de consumidores que pretendem adquirir bens de grande valor aumentou 2,1% no mês e 3,4% em 12 meses. 


C1

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATORIO DE GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO DA DESPESA COM PESSOAL ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JULHO DE 2012 A JUNHO DE 2013 Página 1 / 1

LRF, Art. 55, Inciso I, alínea "a" - Anexo I DESPESA COM PESSOAL

DESPESA EMPENHADA

DESPESA BRUTA COM PESSOAL (I) Pessoal Ativo Pessoal Inativo Outras Despesas de Pessoal Decorrentes de Contratos de Terceirização (art. 18, § 1º da LRF) (-) DESPESAS NÃO COMPUTADAS (Art. 19, §1º da LRF) (II) Indenização por Demissão e Incentivos à Demissão Voluntária Decorrentes de Decisão Judicial Despesas de Exercícios Anteriores Inativos e Pensionistas com Recursos Vinculados Instrução Normativa TCE/PR 56/2011 Pensionistas IRRF

10.631.072,32 10.631.072,32 0,00 0,00 51.776,31 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 51.776,31

TOTAL DA DESPESA COM PESSOAL PARA FINS DE APURAÇÃO DO LIMITE - TDP (III) = (I-II)

10.579.296,01

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - RCL (IV)

21.668.421,37 48,82

% do Total da Despesa com Pessoal para Fins de Apuração do Limite - TDP Sobre a RCL (III / IV) * 100 LIMITE MÁXIMO (inciso I, II e III, Art. 20 da LRF) - 54%

11.700.947,54

LIMITE PRUDENCIAL (§ único, Art. 22 da LRF) - 51,3%

11.115.900,16

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - RECEITAS ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL MAIO A JUNHO DE 2013 Página: 1 /

LRF, Art. 52, inciso I, alíneas "a" e "b" do inciso II e § 1º - Anexo I

RECEITAS RECEITAS CORRENTES

Previsão Inicial

Previsão atualizada(a)

Receitas realizadas No bimestre (b)

% (b/a)

Até o bimestre (c)

% (c/a)

2

Saldo a realizar (a - c)

21.703.331,10

24.551.331,10

4.029.947,18

16,41

12.451.857,74

50,72

12.099.473,36

1.460.288,78

1.460.288,78

36.854,63

2,52

520.975,28

35,68

939.313,50

1.202.511,78

1.202.511,78

36.854,63

3,06

513.975,28

42,74

688.536,50

257.777,00

257.777,00

0,00

0,00

7.000,00

2,72

250.777,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

115.000,00

115.000,00

10.204,41

8,87

87.670,31

76,24

27.329,69

CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

CONTRIBUIÇÕES DE INTERVENÇÃO NO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

115.000,00

115.000,00

10.204,41

8,87

87.670,31

76,24

27.329,69

0,00

0,00

2.817,47

0,00

16.320,30

0,00

(16.320,30)

RECEITAS IMOBILIÁRIAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITAS DE VALORES MOBILIÁRIOS

0,00

0,00

2.817,47

0,00

16.320,30

0,00

(16.320,30)

RECEITA DE CONCESSÕES E PERMISSÕES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

COMPENSAÇÕES FINANCEIRAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DECORRENTE DO DIREITO DE

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA CESSÃO DE DIREITOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS RECEITAS PATRIMONIAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA PRODUÇÃO VEGETAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA PRODUÇÃO ANIMAL E

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS RECEITAS AGROPECUÁRIAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA INDUSTRIA EXTRATIVA MINERAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA INDÚSTRIA DE CONTRUÇÃO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS RECEITAS INDUSTRIAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

466.244,48

466.244,48

0,00

0,00

0,00

0,00

466.244,48

19.287.567,77

22.135.567,77

3.980.070,67

17,98

11.747.326,34

53,07

10.388.241,43

19.287.567,77

21.870.567,77

3.980.070,67

18,20

11.667.764,27

53,35

10.202.803,50

TRANSFERÊNCIAS DE INSTITUIÇÕES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DO EXTERIOR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE PESSOAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE CONVÊNIOS

0,00

265.000,00

0,00

0,00

79.562,07

30,02

185.437,93

374.230,07

374.230,07

0,00

0,00

79.565,51

21,26

294.664,56

44.170,50

44.170,50

0,00

0,00

0,00

0,00

44.170,50

527,78

527,78

0,00

0,00

0,00

0,00

527,78

329.531,79

329.531,79

0,00

0,00

79.565,51

24,15

249.966,28

SEM DESCRIÇÃO DEFINIDA PELO TCE

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITAS DIVERSAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

42.222,02

42.222,02

0,00

0,00

0,00

0,00

42.222,02

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO INTERNAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO EXTERNAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

42.222,02

42.222,02

0,00

0,00

0,00

0,00

42.222,02

42.222,02

42.222,02

0,00

0,00

0,00

0,00

42.222,02

ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE INSTITUIÇÕES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DO EXTERIOR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE PESSOAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE OUTRAS INSTITUIÇÕES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE CONVÊNIOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

INTEGRALIZAÇÃO DO CAPITAL SOCIAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA DÍVIDA ATIVA PROVENIENTE DE

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA TRIBUTÁRIA IMPOSTOS TAXAS CONTRIBUIÇÃO DE MELHORIA RECEITAS DE CONTRIBUIÇÕES

CONTRIBUIÇÃO PARA O CUSTEIO DO SERVIÇO RECEITA PATRIMONIAL

RECEITA AGROPECUÁRIA

RECEITA INDUSTRIAL

RECEITA DE SERVIÇOS TRANSFERÊNCIAS CORRENTES TRANSFERÊNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS

OUTRAS RECEITAS CORRENTES MULTAS JUROS DE MORA INDENIZAÇÕES E RESTITUIÇÕES RECEITA DA DÍVIDA ATIVA

RECEITAS DE CAPITAL OPERAÇÕES DE CRÉDITO

ALIENAÇÃO DE BENS ALIENAÇÃO DE BENS MÓVEIS

OUTRAS RECEITAS DE CAPITAL


EDITAIS

C2

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - RECEITAS ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL MAIO A JUNHO DE 2013 Página: 2 /

LRF, Art. 52, inciso I, alíneas "a" e "b" do inciso II e § 1º - Anexo I

RECEITAS

Previsão atualizada(a)

Previsão Inicial

Receitas realizadas No bimestre (b)

Até o bimestre (c)

% (b/a)

2

Saldo a realizar (a - c)

% (c/a)

RECEITA AUFERIDA POR DETENTORES DE

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS RECEITAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

(2.745.553,12)

(2.745.553,12)

(578.531,92)

21,07

(1.652.893,90)

60,20

(1.092.659,22)

RENÚNCIA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RESTITUIÇÕES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DESCONTOS CONCEDIDOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

(2.745.553,12)

(2.745.553,12)

(578.531,92)

21,07

(1.652.893,90)

60,20

(1.092.659,22)

(2.745.553,12)

(2.745.553,12)

(578.531,92)

21,07

(1.652.893,90)

60,20

(1.092.659,22)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

19.000.000,00

21.848.000,00

3.451.415,26

15,80

10.798.963,84

49,43

11.049.036,16

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

MOBILIÁRIA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

CONTRATUAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

MOBILIÁRIA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

CONTRATUAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

19.000.000,00

21.848.000,00

3.451.415,26

15,80

10.798.963,84

49,43

11.049.036,16

0,00

0,00

(500.466,58)

0,00

0,00

0,00

0,00

19.000.000,00

21.848.000,00

2.950.948,68

13,51

10.798.963,84

49,43

11.049.036,16

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

SUPERÁVIT FINANCEIRO

0,00

0,00

0,00

0,00

21.901,82

0,00

0,00

REABERTURA DE CRÉDITOS ADICIONAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DEDUÇÕES DA RECEITA

DEDUÇÃO RECEITA FORMAÇÃO DO DEDUÇÃO RECEITA FORMAÇÃO DO OUTRAS DEDUÇÕES RECEITAS INTRA-ORÇAMENTÁRIAS (II) SUBTOTAL DAS RECEITAS (III)=(I+II) OPERAÇÕES DE CRÉDITO - REFINANCIAMENTO (IV) OPERAÇÕES DE CRÉDITO INTERNAS

OPERAÇÕES DE CRÉDITO EXTERNAS

SUBTOTAL COM REFINANCIAMENTO (V) = (III+IV) DÉFICIT (VI) TOTAL (VII) = (V + VI) SALDO DE EXERCÍCIOS ANTERIORES

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - DESPESA ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL MAIO A JUNHO DE 2013

Página: 1 / 1

LRF, Art. 52, inciso I, alíneas "a" e "b" do inciso II e § 1º - Anexo I

DESPESAS

Dotação inicial (d)

Créditos adicionais (e)

Dotação atualizada (f) = (d + e)

DESPESAS EMPENHADAS No bimestre (g)

DESPESAS LIQUIDADAS

Até bimestre (h)

No bimestre (i)

Até bimestre (j)

Saldo a liquidar (f - j)

% (j / f)

DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (VIII)

19.000.000,00

2.869.901,82

21.869.901,82

4.190.791,30

10.382.595,87

3.951.881,84

9.891.982,09

45,23

11.977.919,73

DESPESAS CORRENTES

17.153.732,75

3.208.000,00

20.361.732,75

4.045.104,49

9.970.588,20

3.795.095,03

9.483.862,42

46,58

10.877.870,33

PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

8.094.932,75

1.623.100,00

9.718.032,75

1.522.153,32

4.470.809,79

1.522.153,32

4.470.809,79

46,01

5.247.222,96

JUROS E ENCARGOS DA DIVÍDA

6.000,00

0,00

6.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

6.000,00

9.052.800,00

1.584.900,00

10.637.700,00

2.522.951,17

5.499.778,41

2.272.941,71

5.013.052,63

47,13

5.624.647,37

1.656.267,25

(338.098,18)

1.318.169,07

145.686,81

412.007,67

156.786,81

408.119,67

30,96

910.049,40

1.555.267,25

(848.098,18)

707.169,07

0,00

14.988,00

11.100,00

11.100,00

1,57

696.069,07

INVERSÕES FINANCEIRAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA

101.000,00

510.000,00

611.000,00

145.686,81

397.019,67

145.686,81

397.019,67

64,98

213.980,33

RESERVA DE CONTINGÊNCIA

190.000,00

0,00

190.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

190.000,00

190.000,00

0,00

190.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

190.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

19.000.000,00

2.869.901,82

21.869.901,82

4.190.791,30

10.382.595,87

3.951.881,84

9.891.982,09

45,23

11.977.919,73

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Dívida Mobiliária

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Dívidas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Dívida Mobiliária

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Dívidas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

19.000.000,00

2.869.901,82

21.869.901,82

4.190.791,30

10.382.595,87

3.951.881,84

9.891.982,09

45,23

11.977.919,73

0,00

0,00

0,00

0,00

416.367,97

0,00

906.981,75

0,00

(906.981,75)

19.000.000,00

2.869.901,82

21.869.901,82

4.190.791,30

10.798.963,84

3.951.881,84

10.798.963,84

49,38

11.070.937,98

OUTRAS DESPESAS CORRENTES DESPESAS DE CAPITAL INVESTIMENTOS

RESERVA DE CONTINGÊNCIA DESPESAS INTRA-ORÇAMENTÁRIAS (IX) SUBTOTAL DAS DESPESAS (X) = (VIII + IX) AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA - REFINANCIAMENTO (XI) Amortização da Dívida Interna

Amortização da Dívida Externa

SUBTOTAL COM REFINANCIAMENTO (XII) = (X + XI) SUPERÁVIT (XIII) TOTAL (XIV) = (XII + XIII)


C3

EDITAIS PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA

DA EXECUÇÃO terça-feira, 30 de julho RELATORIO de 2013RESUMIDO - edição 815 ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DA RECEITA CORRENTE LÍQUIDA ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATORIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA JULHO DE 2012 A JUNHO DE 2013 DEMONSTRATIVO DA RECEITA CORRENTE LÍQUIDA

Página 1 / 1

ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JULHO DE 2012 A JUNHO DE 2013

Página 1 / 1

LRF, Art. 53, Inciso I - Anexo III

LRF, Art. 53, Inciso I - Anexo III

ESPECIFICAÇÃO

ESPECIFICAÇÃO

RECEITAS CORRENTES I Receita Tributária IPTU ISS ITBI IRRF Outras Receitas Tributárias Receita de Contribuições Previdenciária Outras Contribuições Receita Patrimonial Receita Agropecuária Receita Industrial Receita Serviços Tranferências Correntes Cota Parte do FMP Cota Parte do ICMS Cota Parte do IPVA Tranferências do FUNDEB Outras Tranferências Correntes Outras Receitas Correntes DEDUÇÕES II Contrib. Plano Seg. Social Servidor Servidor Patronal Comp. Financ. entre Reg. Previd. Ded. Rec. p/ Formação do FUNDEF IN 56/2011 TCE-PR RECEITA CORRENTE LÍQUIDA III (I-II)

RECEITAS CORRENTES I Receita Tributária IPTU ISS ITBI IRRF Outras Receitas Tributárias Receita de Contribuições Previdenciária Outras Contribuições Receita Patrimonial Receita Agropecuária Receita Industrial Receita Serviços Tranferências Correntes Cota Parte do FMP Cota Parte do ICMS Cota Parte do IPVA Tranferências do FUNDEB Outras Tranferências Correntes Outras Receitas Correntes DEDUÇÕES II Contrib. Plano Seg. Social Servidor Servidor Patronal Comp. Financ. entre Reg. Previd. Ded. Rec. p/ Formação do FUNDEF IN 56/2011 TCE-PR RECEITA CORRENTE LÍQUIDA III (I-II)

jul/12 1.780.827,23 123.564,41 40.253,50 29.431,70 16.201,64 14.938,73 22.738,84 20.456,64 20.456,64 4.576,11 7.068,49 1.590.221,32 652.959,42 350.991,12 44.516,02 283.821,21 257.933,55 34.940,26 211.521,40 211.521,40 1.569.305,83

ago/12 1.891.143,45 94.510,71 28.164,18 25.862,91 16.601,51 11.911,45 11.970,66 30.402,65 30.402,65 5.152,74 7.612,19 1.728.668,46 720.527,02 326.627,16 23.425,51 292.989,32 365.099,45 24.796,70 216.103,27 216.103,27 1.675.040,18

set/12 1.740.879,79 89.927,28 11.849,84 25.158,74 32.836,94 12.274,05 7.807,71 18.629,88 18.629,88 2.878,29 7.465,81 1.597.840,65 630.450,55 335.622,41 24.332,30 271.162,47 336.272,92 24.137,88 217.122,09 217.122,09 1.523.757,70

out/12 2.059.191,28 206.861,23 9.688,82 156.292,62 22.103,78 12.590,53 6.185,48 17.591,30 17.591,30 2.848,00 8.837,85 1.718.447,52 669.251,72 340.785,99 25.588,86 286.156,94 396.664,01 104.605,38 220.066,98 220.066,98 1.839.124,30

nov/12 2.127.108,32 93.870,64 22.505,66 42.386,85 7.184,06 13.580,11 8.213,96 19.381,25 19.381,25 2.603,77 7.303,11 1.978.552,34 904.603,65 340.275,12 16.214,11 295.109,92 422.349,54 25.397,21 256.071,36 256.071,36 1.871.036,96

dez/12 2.702.550,91 144.825,93 11.171,87 31.257,70 22.632,17 74.013,41 5.750,78 18.167,65 18.167,65 2.650,02 8.241,42 2.485.550,05 1.022.481,05 347.839,84 15.501,05 286.800,02 812.928,09 43.115,84 281.702,00 281.702,00 2.420.848,91

jan/13 2.230.952,63 96.217,57 56.853,16 24.698,66 7.665,75 7.000,00 20.109,06 20.109,06 2.121,24 2.068.202,16 944.906,27 398.339,64 34.236,04 328.271,50 362.448,71 44.302,60 278.159,91 278.159,91 1.952.792,72

fev/13 2.449.239,90 154.226,75 122.116,38 30.659,62 1.450,75 21.516,88 21.516,88 3.721,89 2.260.105,69 1.270.641,92 309.955,66 81.904,07 370.417,16 227.186,88 9.668,69 333.533,00 333.533,00 2.115.706,90

mar/13 1.761.140,24 155.154,02 30.658,12 90.227,63 34.268,27 15.740,53 20.099,43 3.670,10 1.575.378,33 731.795,38 310.652,28 54.964,62 274.696,79 203.269,26 11.197,26 220.508,45 220.508,45 1.540.631,79

abr/13 1.965.858,41 63.802,93 9.380,61 18.314,75 36.107,57 20.099,43 10.204,43 3.989,60 1.863.569,49 785.199,94 361.202,16 45.378,30 303.750,54 368.038,55 14.396,96 242.160,62 242.160,62 1.723.697,79

mai/13 2.086.935,79 10.204,41 10.204,41 1.982,49 2.074.748,89 1.128.225,59 351.085,06 45.525,46 341.260,58 208.653,00 306.930,56 306.930,56

jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 jan/13 fev/13 mar/13 abr/13 1.780.827,23 1.891.143,45 1.740.879,79 2.059.191,28 2.127.108,32 2.702.550,91 2.230.952,63 2.449.239,90 1.761.140,24 1.965.858,41 123.564,41 94.510,71 89.927,28 206.861,23 93.870,64 144.825,93 96.217,57 154.226,75 155.154,02 63.802,93 40.253,50 28.164,18 11.849,84 9.688,82 22.505,66 11.171,87 29.431,70 25.862,91 25.158,74 156.292,62 42.386,85 31.257,70 56.853,16 122.116,38 30.658,12 9.380,61 16.201,64 16.601,51 32.836,94 22.103,78 7.184,06 22.632,17 24.698,66 30.659,62 90.227,63 18.314,75 14.938,73 11.911,45 12.274,05 12.590,53 13.580,11 74.013,41 7.665,75 1.450,75 34.268,27 36.107,57 22.738,84 11.970,66 7.807,71 6.185,48 8.213,96 5.750,78 7.000,00 20.456,64 30.402,65 18.629,88 17.591,30 19.381,25 18.167,65 20.109,06 21.516,88 15.740,53 20.099,43 20.456,64 30.402,65 18.629,88 17.591,30 19.381,25 18.167,65 20.109,06 21.516,88 20.099,43 10.204,43 4.576,11 5.152,74 2.878,29 2.848,00 2.603,77 2.650,02 2.121,24 3.721,89 3.670,10 3.989,60 7.068,49 7.612,19 7.465,81 8.837,85 7.303,11 8.241,42 1.590.221,32 1.728.668,46 1.597.840,65 1.718.447,52 1.978.552,34 2.485.550,05 2.068.202,16 2.260.105,69 1.575.378,33 1.863.569,49 652.959,42 720.527,02 630.450,55 669.251,72 904.603,65 1.022.481,05 944.906,27 1.270.641,92 731.795,38 785.199,94 350.991,12 326.627,16 335.622,41 340.785,99 340.275,12 347.839,84 398.339,64 309.955,66 310.652,28 361.202,16 44.516,02 23.425,51 24.332,30 25.588,86 16.214,11 15.501,05 34.236,04 81.904,07 54.964,62 45.378,30 283.821,21 292.989,32 271.162,47 286.156,94 295.109,92 286.800,02 328.271,50 370.417,16 274.696,79 303.750,54 257.933,55 365.099,45 336.272,92 396.664,01 422.349,54 812.928,09 362.448,71 227.186,88 203.269,26 368.038,55 34.940,26 24.796,70 24.137,88 104.605,38 25.397,21 43.115,84 44.302,60 9.668,69 11.197,26 14.396,96 211.521,40 216.103,27 217.122,09 220.066,98 256.071,36 281.702,00 278.159,91 333.533,00 220.508,45 242.160,62 PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA DEMOSTRATIVO DO RESULTADO NOMINAL 211.521,40 216.103,27 217.122,09 220.066,98 256.071,36 281.702,00 278.159,91 333.533,00 220.508,45 242.160,62 ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO DE 2013 1.569.305,83 1.675.040,18 1.523.757,70 1.839.124,30 1.871.036,96 2.420.848,91 1.952.792,72 2.115.706,90 1.540.631,79 1.723.697,79

jun/13 1.928.074,42 21.917,66 21.917,66 834,98 1.905.321,78 941.495,92 364.406,47 39.535,45 308.495,77 251.388,17 271.601,36 271.601,36

mai/13 jun/13 2.086.935,79 1.928.074,42 21.917,66 21.917,66 10.204,41 10.204,41 1.982,49 834,98 1.780.005,23 1.656.473,06 2.074.748,89 1.905.321,78 1.128.225,59 941.495,92 351.085,06 364.406,47 45.525,46 39.535,45 341.260,58 308.495,77 208.653,00 251.388,17 306.930,56 271.601,36 306.930,56 271.601,36 1.780.005,23 1.656.473,06

Previsão Atualizada 24.551.331,10 1.460.288,78 277.290,00 478.476,78 164.320,00 282.425,00 257.777,00 115.000,00 115.000,00 466.244,48 22.135.567,77 10.613.870,24 4.661.926,36 651.176,84 2.761.932,75 3.446.661,58 374.230,07 2.745.553,12 2.745.553,12 21.805.777,98

Previsão Total Atualizada 24.723.902,37 24.551.331,10 1.244.879,13 1.460.288,78 123.633,87 277.290,00 551.316,45 478.476,78 281.460,76 164.320,00 218.800,62 282.425,00 69.667,43 257.777,00 212.299,68 115.000,00 206.763,58 115.000,00 37.029,23 46.528,87 466.244,48 22.846.606,68 22.135.567,77 10.402.538,43 10.613.870,24 4.137.782,91 4.661.926,36 451.121,79 651.176,84 3.642.932,22 2.761.932,75 4.212.232,13 3.446.661,58 336.558,78 374.230,07 3.055.481,00 2.745.553,12 3.055.481,00 2.745.553,12 Página: 1 / 1 21.668.421,37 21.805.777,98 Total 24.723.902,37 1.244.879,13 123.633,87 551.316,45 281.460,76 218.800,62 69.667,43 212.299,68 206.763,58 37.029,23 46.528,87 22.846.606,68 10.402.538,43 4.137.782,91 451.121,79 3.642.932,22 4.212.232,13 336.558,78 3.055.481,00 3.055.481,00 21.668.421,37

LRF, art 53, inciso III - Anexo VI SALDO DÍVIDA FISCAL LÍQUIDA

Em 31/12/2012 (a)

DÍVIDA CONSOLIDADA (I)

Em 30/04/2013 (b)

Em 30/06/2013 (c)

0,00

0,00

(75.783,43)

319.453,75

1.695.640,18

1.430.029,50

572.100,40

2.329.198,82

2.482.607,47

0,00

0,00

0,00

252.646,65

633.558,64

1.052.577,97

(319.453,75)

(1.695.640,18)

(1.505.812,93)

RECEITA DE PRIVATIZAÇÕES (IV)

0,00

0,00

0,00

PASSIVOS RECONHECIDOS (V)

0,00

0,00

(75.783,43)

(319.453,75)

(1.695.640,18)

(1.430.029,50)

DEDUÇÕES (II) Disponibilidade de caixa bruta Demais haveres financeiros (-) Restos a pagar processados (exceto precatórios) DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA (III) = (I - II)

DÍVIDA FISCAL LÍQUIDA (VI) = (III + IV - V)

PERÍODO DE REFERÊNCIA RESULTADO NOMINAL

No bimestre (c-b)

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA

RESULTADO NOMINAL

Jan a Jun (c-a)

265.610,68

RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO SIMPLIFICADO DO RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL DISCRIMINAÇÃO DA METAEFISCAL ORÇAMENTO FISCAL DA SEGURIDADE SOCIAL

(1.110.575,75)

VALOR CORRENTE

META DE RESULTADO NOMINAL FIXADA NO ANEXO DE METAS FISCAIS DA LDO PARA O EXERCÍCIO REFERÊNCIA JANEIRO A JUNHO DE DE 2013

Página: 1 0,00 / 1

LRF, Art. 48 - Anexo VII DESPESA COM PESSOAL

VALOR

% SOBRE A RCL

Despesa total com pessoal - DTP

4.419.033,48

40,92

Limite máximo (incisos I, II e III, art. 20 da LRF )

5.831.440,47

54,00

Limite prudencial (§ único, art. 22 da LRF)

5.539.868,45

51,30

DÍVIDA

VALOR

% SOBRE A RCL

Dívida consolidada líquida

0,00

0,00

Limite definido por resolução do senado federal

0,00

0,00

GARANTIA DE VALORES

VALOR

% SOBRE A RCL

Total das garantias de valores

0,00

0,00

Limite definido por resolução do senado federal

0,00

22,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

VALOR

% SOBRE A RCL

Operações de crédito internas e externas

0,00

0,00

Operações de crédito por antecipação da receita

0,00

0,00

Limite definido pelo senado federal para operações de crédito internas e externas

0,00

0,00

Limite definido pelo senado federal para operações de crédito por antecipação da receita

0,00

0,00

RESTO A PAGAR

Valor apurado nos demonstrativos respectivos

INSCRIÇÃO EM RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS 0,00

SUFICIÊNCIA ANTES DA INSCRIÇÃO EM RESTOS A PAGAR NÃO 0,00


EDITAIS

C4

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA DEMOSTRATIVO DA EXECUÇÃO DAS DESPESAS POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL MAIO A JUNHO DE 2013

Página: 1 /

2

LRF, Art. 52, inciso II, alínia "c" - Anexo II DESPESAS EMPENHADAS FUNÇÃO / SUBFUNÇÃO

INICIAL

DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS (I)) LEGISLATIVA AÇÃO LEGISLATIVA

ATUALIZADA (a)

No bimestre (d)

Até o bimestre (e)

% (e / total e)

Saldo a liquidar (a - e)

% (e / a)

21.869.901,82

4.190.791,30

10.382.595,87

3.951.881,84

9.891.982,09

100,00

45,23

1.330.000,00

1.330.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.330.000,00

1.330.000,00

1.330.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.330.000,00

0,00

53.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

53.000,00

0,00

53.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

53.000,00

3.056.100,00

2.948.100,00

551.499,83

1.420.895,49

528.543,92

1.374.435,67

13,89

46,62

1.573.664,33

DEFESA DO INTERESSE PÚBLICO NO PROCESSO

ADMINISTRAÇÃO GERAL

DESPESAS LIQUIDADAS

Até o bimestre (c)

19.000.000,00

JUDICIÁRIA

ADMINISTRAÇÃO

No bimestre (b)

11.977.919,73

2.506.100,00

2.080.100,00

445.366,61

1.056.346,97

434.560,70

1.022.037,15

10,33

49,13

1.058.062,85

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

194.000,00

255.000,00

42.239,24

128.402,65

30.239,24

116.402,65

1,18

45,65

138.597,35

CONTROLE INTERNO

175.000,00

286.000,00

37.356,23

118.058,93

37.356,23

118.058,93

1,19

41,28

167.941,07

ADMINISTRAÇÃO DE RECEITAS

151.000,00

177.000,00

17.631,48

72.484,12

17.481,48

72.334,12

0,73

40,87

104.665,88

30.000,00

150.000,00

8.906,27

45.602,82

8.906,27

45.602,82

0,46

30,40

104.397,18

633.300,00

856.300,00

165.149,73

448.936,42

167.764,62

408.544,44

4,13

47,71

447.755,56

COMUNICAÇÃO SOCIAL ASSISTÊNCIA SOCIAL ADMINISTRAÇÃO GERAL ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA SAÚDE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO ATENÇÃO BÁSICA ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL VIGILÂNCIA SANITÁRIA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA EDUCAÇÃO ADMINISTRAÇÃO GERAL ENSINO FUNDAMENTAL EDUCAÇÃO INFANTIL

500,00

42.500,00

5.791,00

15.383,00

5.791,00

15.383,00

0,16

36,20

27.117,00

88.500,00

173.500,00

22.725,34

118.280,65

28.358,13

82.624,00

0,84

47,62

90.876,00

544.300,00

640.300,00

136.633,39

315.272,77

133.615,49

310.537,44

3,14

48,50

329.762,56

4.310.200,00

5.435.301,82

1.178.644,31

3.138.208,02

1.143.179,99

3.066.216,42

31,00

56,41

2.369.085,40

51.400,00

172.400,00

28.484,38

95.474,74

28.484,38

95.474,74

0,97

55,38

76.925,26

3.715.800,00

4.634.901,82

1.108.777,55

2.944.832,80

1.075.426,28

2.874.954,25

29,06

62,03

1.759.947,57

444.500,00

529.500,00

41.382,38

97.900,48

39.269,33

95.787,43

0,97

18,09

433.712,57

6.500,00

6.500,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

6.500,00

92.000,00

92.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

92.000,00

5.021.800,00

5.913.800,00

1.410.445,52

3.157.596,09

1.332.872,14

2.955.407,82

29,88

49,97

2.958.392,18

49.000,00

9.000,00

0,00

500,00

0,00

500,00

0,01

5,56

8.500,00

4.352.932,75

5.698.932,75

1.382.816,85

3.082.565,33

1.305.542,47

2.881.494,26

29,13

50,56

2.817.438,49

619.167,25

205.167,25

27.628,67

74.530,76

27.329,67

73.413,56

0,74

35,78

131.753,69

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

700,00

700,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

700,00

51.000,00

90.000,00

6.810,15

20.509,08

6.810,15

20.509,08

0,21

22,79

69.490,92

1.600,00

1.600,00

700,00

700,00

700,00

700,00

0,01

43,75

900,00

49.400,00

88.400,00

6.110,15

19.809,08

6.110,15

19.809,08

0,20

22,41

68.590,92

2.116.500,00

2.141.300,00

402.028,65

1.002.855,08

366.263,05

967.036,08

9,78

45,16

1.174.263,92

22.812,36

0,23

37,09

38.687,64

357.425,04

3,61

50,48

350.674,96 783.901,32

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS EDUCAÇÃO ESPECIAL CULTURA ADMINISTRAÇÃO GERAL DIFUSÃO CULTURAL URBANISMO ADMINISTRAÇÃO GERAL

51.500,00

INFRA-ESTRUTURA URBANA

903.000,00

PREFEITURA MUNICIPAL 61.500,00 7.596,14

DE22.812,36 CURIÚVA 7.596,14 RELATÓRIO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA 708.100,00 RESUMIDO 157.641,49 357.425,04 157.641,49

DEMOSTRATIVO DA EXECUÇÃO DAS DESPESAS POR FUNÇÃO 201.025,42 E SUBFUNÇÃO 1.161.000,00 1.370.700,00 236.791,02 622.617,68

SERVIÇOS URBANOS HABITAÇÃO URBANA

ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL 1.000,00 0,00 0,00 MAIO A JUNHO DE 2013

1.000,00

GESTÃO AMBIENTAL

39.700,00

52.700,00

8.663,71

23.415,19

586.798,68

5,93

42,81

0,00

0,00

0,00

0,00

8.663,71

23.415,19

0,24

44,43

1.000,00

Página:29.284,81 2/ 2

LRF, Art. 52, inciso II, alínia "c" - Anexo II DESPESAS EMPENHADAS FUNÇÃO / SUBFUNÇÃO

INICIAL

PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL AGRICULTURA ADMINISTRAÇÃO GERAL PROMOÇÃO DA PRODUÇÃO ANIMAL ABASTECIMENTO EXTENSÃO RURAL TRANSPORTE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DESPORTO E LAZER

ENCARGOS ESPECIAIS

No bimestre (b)

DESPESAS LIQUIDADAS

Até o bimestre (c)

No bimestre (d)

Até o bimestre (e)

% (e / total e)

Saldo a liquidar (a - e)

% (e / a)

39.700,00

52.700,00

8.663,71

23.415,19

8.663,71

23.415,19

0,24

44,43

29.284,81

406.300,00

417.300,00

30.658,52

111.754,17

32.058,83

110.754,17

1,12

26,54

306.545,83

55.300,00

55.300,00

0,00

4.293,47

0,00

4.293,47

0,04

7,76

51.006,53

2.300,00

2.300,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

2.300,00

338.700,00

349.700,00

30.658,52

107.460,70

32.058,83

106.460,70

1,08

30,44

243.239,30

10.000,00

10.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

10.000,00

1.427.100,00

1.508.100,00

237.999,39

499.546,38

166.833,94

406.783,27

4,11

26,97

1.101.316,73

1.427.100,00

1.508.100,00

237.999,39

499.546,38

166.833,94

406.783,27

4,11

26,97

1.101.316,73

61.000,00

67.000,00

10.895,20

32.541,83

10.895,20

32.541,83

0,33

48,57

34.458,17

800,00

1.800,00

0,00

50,00

0,00

50,00

0,00

2,78

1.750,00

60.200,00

65.200,00

10.895,20

32.491,83

10.895,20

32.491,83

0,33

49,83

32.708,17

ADMINISTRAÇÃO GERAL DESPORTO COMUNITÁRIO

ATUALIZADA (a)

357.000,00

867.000,00

187.996,29

526.338,12

187.996,29

526.338,12

5,32

60,71

340.661,88

SERVIÇO DA DÍVIDA INTERNA

107.000,00

617.000,00

145.686,81

397.019,67

145.686,81

397.019,67

4,01

64,35

219.980,33

OUTROS ENCARGOS ESPECIAIS

250.000,00

250.000,00

42.309,48

129.318,45

42.309,48

129.318,45

1,31

51,73

120.681,55

190.000,00

190.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

190.000,00

190.000,00

190.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

190.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

19.000.000,00

21.869.901,82

4.190.791,30

10.382.595,87

3.951.881,84

9.891.982,09

100,00

45,23

11.977.919,73

RESERVA DE CONTINGÊNCIA RESERVA DE CONTINGÊNCIA DESPESAS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS (III)) TOTAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA DEMOSTRATIVO DA RECEITA LÍQUIDA DE IMPOSTOS E DAS DESPESAS PRÓPRIAS COM SAÚDE ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL Página: 1 / 2

JANEIRO A JUNHO DE 2013 ADCT. Art. 77 - Anexo XVI RECEITAS RECEITAS DE IMPOSTOS E TRANFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS (I)

Previsão inicial

Previsão atualizada (a)

RECEITAS REALIZADAS Até o bimestre (b)

% (b/a)

15.131.453,79

17.137.453,79

8.857.482,24

51,68

1.202.511,78

1.202.511,78

513.975,28

42,74

1.202.511,78

1.202.511,78

513.975,28

42,74

0,00

0,00

0,00

0,00

201.176,44

201.176,44

79.565,51

39,55

201.176,44

201.176,44

79.565,51

39,55

0,00

0,00

0,00

0,00

13.727.765,57

15.733.765,57

8.263.941,45

52,52

Da união

9.320.427,17

10.320.427,17

5.833.370,91

56,52

Do estado

4.407.338,40

5.413.338,40

2.430.570,54

44,90

2.027.340,32

2.324.340,32

1.089.424,15

46,87

1.496.729,53

1.793.729,53

1.051.668,09

58,63

68.610,79

68.610,79

37.756,06

55,03

0,00

0,00

0,00

0,00

462.000,00

462.000,00

0,00

0,00

Impostos líquidos Impostos (-)Deduções da Receita de Impostos Multas, juros de mora e dívida ativa dos impostos líquidos Multas, juros de mora e dívida ativa dos impostos (-)Deduções da Receita de Multas, Juros e Dívida Ativa dos Impostos Receitas de transferências constitucionais e legais

TRANSFERÊNCIAS DE RECURSOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE-SUS(II) Da união para o município Do estado para o município Demais municípios para o município Outras receitas do SUS RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO VINCULADAS À SAÚDE(III) OUTRAS RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS LÍQUIDAS Outras Receitas Orçamentárias

0,00

0,00

0,00

0,00

1.841.205,89

2.386.205,89

852.057,45

35,71

4.586.759,01

5.131.759,01

2.504.951,35

48,81

0,00

0,00

0,00

0,00

2.745.553,12

2.745.553,12

1.652.893,90

60,20

19.000.000,00

21.848.000,00

10.798.963,84

49,43

(-)Deduções de Outras Receitas Orçamentárias (-)Dedução Para o Fundeb TOTAL

DESPESAS COM SAÚDE

Dotação inicial

Dotação atualizada (c)

DESPESAS EMPENHADAS Até o bimestre

% (d/c)

DESPESAS LIQUIDADAS Até o bimestre

% (d/c)

3.857.700,00

4.907.900,00

3.040.207,28

61,95

4.033.991,66

82,19

Pessoal e encargos sociais

1.033.600,00

1.408.600,00

549.251,12

38,99

1.260.763,58

89,50

Juros e encargos da dívida

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras despesas correntes

2.824.100,00

3.499.300,00

2.490.956,16

71,18

2.773.228,08

79,25 0,71

DESPESAS CORRENTES

DESPESAS DE CAPITAL Investimentos Inversões financeiras

DESPESAS PRÓPRIAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE DESPESAS COM SAÚDE (V) = (IV)

2.526,00

0,71

2.526,00

2.526,00

0,71

2.526,00

0,71

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

5.262.901,82

3.042.733,28

57,81

4.036.517,66

76,70

Dotação inicial

Dotação atualizada

DESPESAS EMPENHADAS Até o bimestre

% (e/V)

DESPESAS LIQUIDADAS Até o bimestre

% (e/V)

4.258.800,00

5.262.901,82

3.042.733,28

100,00

4.036.517,66

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

2.027.339,32

2.346.241,14

1.090.581,42

35,84

1.076.149,22

35,37

(-)DESPESAS COM INATIVOS E PENSIONISTAS (-)DESPESAS CUSTEADAS COM RECURSOS VINCULADOS À SAÚDE

355.001,82 355.001,82

4.258.800,00

Amortização da dívida TOTAL (IV)

401.100,00 401.100,00

100,00

2.027.340,32

2.346.242,14

1.090.582,42

35,84

1.076.150,22

35,37

Recursos de operações de crédito

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outros recursos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

2.231.460,68

2.916.660,68

1.952.151,86

64,16

2.960.368,44

97,29

Recursos de transferências do sistema único de saúde - SUS

(-)RESTO A PAGAR INSCRITOS SEM DISPONIBILIZADE DE RECURSOS TOTAL DAS DESPESAS PRÓPRIAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICO DE SAÚDE (VI)

RESTOS A PAGAR CONTROLE DE RESTOS A PAGAR INSCRITOS EM EXERCÍCIOS ANTERIORES VINCULADOS A SAÚDE

RESTOS A PAGAR DE DESPESAS PRÓPRIAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE

PARTICIPAÇÃO DAS DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE NA RECEITA LÍQUIDA DE IMPOSTOS E TRANSFERÊNCIAS CONTITUCIONAIS E LEGAIS - LIMITE CONSTITUCIONAL [(V - VI) / I]

Inscritos em 0,00

Cancelados em 0,00

22,04


C5

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA DEMOSTRATIVO DA RECEITA LÍQUIDA DE IMPOSTOS E DAS DESPESAS PRÓPRIAS COM SAÚDE ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL Página: 2 / 2

JANEIRO A JUNHO DE 2013 ADCT. Art. 77 - Anexo XVI DESPESAS COM SAÚDE (Por Subfunção)

Dotação atualizada

Dotação inicial

Atenção básica Assistência hospitalar e ambulatorial

Até o bimestre

Até o bimestre

% (g/total g)

% (g/total g)

3.715.800,00

4.634.901,82

2.944.832,80

93,84

2.874.954,25

62,03

444.500,00

529.500,00

97.900,48

3,12

95.787,43

18,09

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

6.500,00

6.500,00

0,00

0,00

0,00

0,00

92.000,00

92.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Suporte profilático e terapêutico Vigilância sanitária Vigilância epidemiológica

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

51.400,00

172.400,00

95.474,74

3,04

6.921.240,41

4.014,64

4.310.200,00

5.435.301,82

3.138.208,02

100,00

9.891.982,09

100,00

Alimentação e nutrição Outras subfunções TOTAL

DESPESAS LIQUIDADAS

DESPESAS EMPENHADAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA DEMOSTRATIVO DO RESULTADO PRIMÁRIO ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO DE 2013 Página: 1 /

LRF, Art. 53, inciso III - Anexo VII RECEITAS REALIZADAS

Previsão atualizada

RECEITAS PRIMÁRIAS RECEITAS PRIMÁRIAS CORRENTES (I) Receita tributária

1

Jan à Jun 2013

No Bimestre

Jan à Jun 2012

21.805.777,98

3.448.597,79

10.782.643,54

0,00

1.460.288,78

36.854,63

520.975,28

0,00

IPTU

277.290,00

0,00

0,00

0,00

ISS

478.476,78

21.917,66

240.925,93

0,00

ITBI

164.320,00

0,00

163.900,66

0,00

IRRF

282.425,00

14.936,97

109.148,69

0,00

Outras receitas tributárias

257.777,00

0,00

7.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

115.000,00

10.204,41

87.670,31

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

115.000,00

10.204,41

87.670,31

0,00

(-)Deduções da receita tributária Receita de contribuição Receita previdenciária Outras receitas de contribuições

0,00

0,00

0,00

0,00

Receita patrimonial líquida

(-)Deduções da receita de contribuições

0,00

0,00

0,00

0,00

Receita patrimonial

0,00

2.817,47

16.320,30

0,00

(-)Aplicações financeiras

0,00

2.817,47

16.320,30

0,00

(-)Deduções da Receita patrimonial

0,00

0,00

0,00

0,00

19.390.014,65

3.401.538,75

10.094.432,44

0,00

10.191.650,00

2.069.720,71

5.802.264,22

0,00

4.661.926,36

715.491,53

2.095.641,27

0,00

265.000,00

0,00

79.562,07

0,00

4.271.438,29

616.326,51

2.116.964,88

0,00

840.474,55

0,00

79.565,51

0,00

Dívida Ativa

329.531,79

0,00

79.565,51

0,00

Diversas receitas correntes

510.942,76

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

42.222,02

0,00

0,00

0,00

Operações de crédito(III)

0,00

0,00

0,00

0,00

Amortizações de empréstimos (IV)

0,00

0,00

0,00

0,00

42.222,02

0,00

0,00

0,00

Transferências correntes FPM ICMS Convênios Outras transferências correntes Demais receitas correntes

(-)Deduções das demais receitas correntes RECEITAS DE CAPITAL(II)

Alienação de ativos (V) Transferências de capital

0,00

0,00

0,00

0,00

Convênios

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras transferências de capital

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras receitas de capital

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

21.805.777,98

3.448.597,79

10.782.643,54

0,00

RECEITAS PRIMÁRIAS DE CAPITAL (VI)=(II-III-IV-V) RECEITA PRIMÁRIA TOTAL (VII)=(I+VI)

DESPESAS EMPENHADAS

Previsão atualizada

DESPESAS PRIMÁRIAS DESPESAS CORRENTES (VIII) Pessoal e encargos sociais

Jan à Jun 2012

20.361.732,75

4.045.104,49

9.970.588,20

0,00

9.718.032,75

1.522.153,32

4.470.809,79

0,00

6.000,00

0,00

0,00

0,00

Juros e encargos da dívida (IX) Outras despesas correntes

Jan à Jun 2013

No Bimestre

10.637.700,00

2.522.951,17

5.499.778,41

0,00

20.355.732,75

4.045.104,49

9.970.588,20

0,00

1.318.169,07

145.686,81

412.007,67

0,00

707.169,07

0,00

14.988,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Concessão de empréstimos (XII)

0,00

0,00

0,00

0,00

Aquisição de título de capital já integralizado (XIII)

0,00

0,00

0,00

0,00

Demais inversões financeiras

0,00

0,00

0,00

0,00

611.000,00

145.686,81

397.019,67

0,00

DESPESAS PRIMÁRIAS CORRENTES (X)=(VIII-IX) DESPESAS DE CAPITAL (XI) Investimentos Inversões financeiras

Amortização da dívida (XIV) DESPESAS PRIMÁRIAS DE CAPITAL FISCAIS (XV)=(XI-XII-XIII-XIV)

707.169,07

0,00

14.988,00

0,00

RESERVA DE CONTINGÊNCIA (XVI)

190.000,00

0,00

0,00

0,00

21.252.901,82

4.045.104,49

9.985.576,20

0,00

552.876,16

(596.506,70)

797.067,34

0,00

-

-

2.869.901,82

-

DESPESA PRIMÁRIA TOTAL (XVIII)=(X+XV+XVI) RESULTADO PRIMÁRIO (VII - XVIII) SALDOS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES DESCRIMINAÇÃO DA META FISCAL

VALOR

META DE RESULTADO PRIMÁRIO FIXADA NO ANEXO DE METAS FISCAIS DA LDO PARA O EXERCÍCIO DE REFERÊNCIA

0,00

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA DEMOSTRATIVO DOS RESTOS A PAGAR POR PODER E ORGÃO ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL MAIO A JUNHO DE 2013

Página: 1 /

1

LRF, art. 53, inciso V - Anexo IX RESTOS A PAGAR PROCESSADOS

RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS

Inscritos

PODER / ORGÃO Exercícios anteriores

Em 31 de dezembro de 2012

Cancelados

Pagos

A Pagar

Incritos em 31 de dezembro de 2012

Cancelados

Pagos

A Pagar

EXECUTIVO Prefeitura Municipal de Curiúva TOTAL

4.860,60

247.786,05

0,00

227.683,56

24.963,09

1.435,00

0,00

0,00

1.435,00

4.860,60

247.786,05

0,00

227.683,56

24.963,09

1.435,00

0,00

0,00

1.435,00


EDITAIS

C6

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO - MDE ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL MAIO A JUNHO DE 2013 Página: 1 /

Lei 9.394/96, Art. 72 - Anexo X

3

RECEITAS DE ENSINO RECEITA RESULTANTE DE IMPOSTOS (Caput do art. 212 da constituição)

PREVISÃO INICIAL

1 - RECEITA DE IMPOSTOS

PREVISÃO ATUALIZADA (a)

RECEITAS REALIZADAS No bimestre

Até bimestre (b)

% (c)=(b/a)

1.403.688,22

1.403.688,22

36.854,63

593.540,79

42,28

1.1 - Receitas resultantes do imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana - IPTU

408.166,77

408.166,77

0,00

79.565,51

19,49

1.1.1 - IPTU

277.290,00

277.290,00

0,00

0,00

0,00

4.210,70

4.210,70

0,00

0,00

0,00

110.832,81

110.832,81

0,00

79.565,51

71,79

15.833,26

15.833,26

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.2 - Receita resultante do imposto sobre transmissão inter vivos - ITBI

180.786,59

180.786,59

0,00

163.900,66

90,66

1.2.1 - ITBI

164.320,00

164.320,00

0,00

163.900,66

99,74

633,33

633,33

0,00

0,00

0,00

15.833,26

15.833,26

0,00

0,00

0,00

1.2.4 - Multas, juros de mora, atualização monetária e outros encargos da dívida ativa do ITBI

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.2.5 - ( - ) Deduções da receita do ITBI

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.3 - Receita resultante do imposto sobre serviços de qualquer natureza - ISS

532.309,86

532.309,86

21.917,66

240.925,93

45,26

1.3.1 - Imposto sobre serviços de qualquer natureza - ISS

478.476,78

478.476,78

21.917,66

240.925,93

50,35

2.111,10

2.111,10

0,00

0,00

0,00

47.499,78

47.499,78

0,00

0,00

0,00

4.222,20

4.222,20

0,00

0,00

0,00

1.1.2 - Multas, juros de mora e outros encargos do IPTU 1.1.3 - Dívida ativa do IPTU 1.1.4 - Multas, juros de mora, atualização monetária e outros encargos da dívida ativa do IPTU 1.1.5 - ( - ) Deduções da receita do IPTU

1.2.2 - Multas, juros de mora e outros encargos do ITBI 1.2.3 - Dívida ativa do ITBI

1.3.2 - Multas, juros de mora e outros encargos do ISS 1.3.3 - Dívida ativa do ISS 1.3.4 - Multas, juros de mora, atualização monetária e outros encargos da dívida ativa do ISS 1.3.5 - ( - ) Deduções da receita do ISS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.4 - Receita resultante do imposto de renda retido na fonte - IRRF

282.425,00

282.425,00

14.936,97

109.148,69

38,65

1.4.1 - IRRF

282.425,00

282.425,00

14.936,97

109.148,69

38,65

1.4.2 - Multas, juros de mora e outros encargos do IRRF

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.4.3 - Dívida ativa do IRRF

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.4.4 - Multas, juros de mora, atualização monetária e outros encargos da dívida ativa do IRRF

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.4.5 - ( - ) Deduções da receita do IRRF

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5 - Receita resultante do imposto de renda retido na fonte - ITR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5.1 - ITR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5.2 - Multas, juros de mora e outros encargos do ITR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5.3 - Dívida ativa do ITR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5.4 - Multas, juros de mora, atualização monetária e outros encargos da dívida ativa do ITR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.5.5 - ( - ) Deduções da receita do ITR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

14.149.985,81

16.155.985,81

2.890.753,96

8.263.941,45

51,15

2.1 - Cota-parte FPM

9.613.870,24

10.613.870,24

2.069.720,71

5.802.264,22

54,67

2.1.1 - Parcela referenta à CF. art. 159, I, alínea 'b'

9.191.650,00

10.191.650,00

2.069.720,71

5.802.264,22

56,93

2.1.2 - Parcela referenta à CF. art. 159, I, alínea 'd'

422.220,24

422.220,24

0,00

0,00

0,00

3.861.926,36

4.661.926,36

715.491,53

2.095.641,27

44,95 36,99

2 - RECEITAS DE TRANSFERÊNCIAS CONTITUCIONAIS E LEGAIS

2.2 - Cota-parte ICMS 2.3 - ICMS-Desoneração - LC. nº 87/1996 2.4 - Cota-parte IPI-Exportação 2.5 - Cota-parte ITR 2.6 - Cota-parte IPVA 2.7 - Cota-parte IOF-Ouro (100 %) 3 - TOTAL DA RECEITA BRUTA DE IMPOSTOS (1+2)

RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO

58.055,28

58.055,28

7.157,84

21.473,52

100.235,20

100.235,20

11.522,19

33.385,33

33,31

70.721,89

70.721,89

1.800,78

9.633,17

13,62

445.176,84

651.176,84

85.060,91

301.543,94

46,31

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

15.553.674,03

17.559.674,03

2.927.608,59

8.857.482,24

50,44

PREVISÃO INICIAL

4 - RECEITA DA APLICAÇÃO FINANCEIRA DE OUTROS RECURSOS VINCULADOS AO ENSINO

PREVISÃO ATUALIZADA (a)

RECEITAS REALIZADAS No bimestre

Até bimestre (b)

% (c)=(b/a)

0,00

0,00

188,70

866,40

0,00

5 - RECEITAS DE TRANSFERÊNCIAS DO FNDE

530.941,95

530.941,95

101.302,53

315.089,21

59,35

5.1 - Transferências do salário-educação

390.553,72

390.553,72

59.346,31

196.961,13

50,43

5.2 - Outras transferências do FNDE

140.388,23

140.388,23

41.956,22

118.128,08

84,14

5.3 - Aplicação financeira dos recursos do FNDE

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

6 - RECEITAS DE TRANSFERÊNCIAS DE CONVÊNIOS

0,00

265.000,00

0,00

79.562,07

30,02

6.1 - Transferências de convênios

0,00

265.000,00

0,00

79.562,07

30,02

6.2 - Aplicação financeira dos recursos de convênios

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

7 - RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

8 - OUTRAS RECEITAS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

530.941,95

795.941,95

101.491,23

395.517,68

49,69

9 - TOTAL DAS RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO (4+5+6+7+8)

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO - MDE ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL MAIO A JUNHO DE 2013 Página: 2 /

Lei 9.394/96, Art. 72 - Anexo X

3

FUNDEB RECEITAS DO FUNDEB

PREVISÃO INICIAL

PREVISÃO ATUALIZADA (a)

RECEITAS REALIZADAS No bimestre

Até bimestre (b)

% (c)=(b/a)

10 - RECEITAS DESTINADAS AO FUNDEB

2.745.553,12

2.745.553,12

578.531,92

1.652.893,90

60,20

10.1 - Cota-parte FPM destinada ao FUNDEB - (20% de 2.1)

1.838.330,00

1.838.330,00

413.944,25

1.160.452,86

63,13

772.385,27

772.385,27

143.098,28

419.128,18

54,26

10.3 - ICMS-Desoneração destinada ao FUNDEB - (20% de 2.3)

11.611,06

11.611,06

1.431,56

4.294,69

36,99

10.4 - Cota-parte IPI-Exportação destinada ao FUNDEB - (20% de 2.4)

20.047,04

20.047,04

2.304,46

6.677,09

33,31

10.5 - Cota-parte ITR destinada ao FUNDEB - (20% de 2.5)

14.144,38

14.144,38

360,13

1.926,59

13,62

10.6 - Cota-parte IPVA destinada ao FUNDEB - (20% de 2.6)

89.035,37

89.035,37

17.393,24

60.414,49

67,85

11 - RECEITAS RECEBIDAS do FUNDEB

2.481.932,75

2.761.932,75

650.274,58

1.929.459,01

69,86

10.2 - Cota-parte ICMS destinada ao FUNDEB - (20% de 2.2)

11.1 - Transferências de recursos do FUNDEB

2.481.932,75

2.761.932,75

649.756,35

1.926.892,34

69,77

11.2 - Complementação da união ao FUNDEB

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

11.3 - Receita de aplicação financeira dos recursos do FUNDEB

0,00

0,00

518,23

2.566,67

0,00

(263.620,37)

16.379,63

71.224,43

273.998,44

1.672,80

12 - RESULTADO LÍQUIDO DAS TRANSFERÊNCIAS DO FUNDEB ACRÉSCIMO RESULTANTE DAS TRANSFERÊNCIAS DO FUNDEB

273.998,44

DECRÉSCIMO RESULTANTE DAS TRANSFERÊNCIAS DO FUNDEB

DESPESAS DO FUNDEB

0,00

DOTAÇÃO INICIAL

13 - PAGAMENTO DOS PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO

DOTAÇÃO ATUALIZADA (d)

DESPESAS LIQUIDADAS No bimestre

Até bimestre (e)

% (f)=(e/d)

1.489.159,65

1.489.159,65

354.760,14

1.080.452,86

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

13.2 - Com ensino fundamental

1.489.159,65

1.489.159,65

354.760,14

1.080.452,86

72,55

14 - OUTRAS DESPESAS

2.481.932,75

2.761.932,75

701.483,21

1.860.231,53

67,35

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

14.2 - Com ensino fundamental

2.481.932,75

2.761.932,75

701.483,21

1.860.231,53

67,35

15 - TOTAL DAS DESPESAS COM FUNDEB (13+14)

3.971.092,40

4.251.092,40

1.056.243,35

2.940.684,39

69,17

13.1 - Com educação infantil

14.1 - Com educação infantil

DEDUÇÕES PARA FINS DE LIMITE DO FUNDEB PARA PAGAMENTO DOS PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO

72,55

Valor

16 - RESTOS A PAGAR INSCRITOS NO EXERCÍCIO SEM DISPONIBILIDADE DE RECURSOS DO FUNDEB

300.868,83

17 - DESPESAS CUSTEADAS COM SUPERÁVIT FINANCEIRO DO EXERCÍCIO ANTERIOR DO FUNDEB

2.137,13

18 - TOTAL DAS DEDUÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE DO FINDEB (16+17)

303.005,96

19 - MÍNIMO DE 60% DO FUNDEB NA REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO COM EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL ((13-18) / (11) X 100)%

40,29

CONTROLE DA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS NO EXERCÍCIO SUBSEQUENTE

Valor

20 - RECURSOS RECEBIDOS DO FUNDEB NO EXERCÍCIO ANTERIOR QUE NÃO FORAM UTILIZADOS

2.137,13

21 - DESPESAS CUSTEADAS COM O SALDO DO ITEM 20 ATÉ O 1º TRIMESTRE DO EXERCÍCIO

2.137,13

MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO - DESPESAS CUSTEADAS COM A RECEITA RESULTANTE DE IMPOSTOS E RECURSOS DO FUNDEB RECEITAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MDE

22 - IMPOSTOS E TRANSFERÊNCIAS DESTINADAS À MDE (25% DE 3)

DESPESAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO

23 - EDUCAÇÃO INFANTIL

PREVISÃO INICIAL 3.888.418,51

DOTAÇÃO INICIAL

PREVISÃO ATUALIZADA (a) 4.389.918,51

DOTAÇÃO ATUALIZADA (d)

RECEITAS REALIZADAS No bimestre 731.902,15

Até bimestre (b) 2.214.370,56

DESPESAS LIQUIDADAS No bimestre

Até bimestre (e)

% (c)=(b/a) 50,44

% (f)=(e/d)

619.167,25

675.167,25

27.329,67

73.413,56

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

619.167,25

675.167,25

27.329,67

73.413,56

10,87

24 - ENSINO FUNDAMENTAL

3.850.579,79

4.291.579,79

1.580.441,26

3.707.361,30

86,39

24.1 - Despesas custeadas com recursos do FUNDEB

2.481.932,75

2.761.932,75

701.483,21

1.860.231,53

67,35

24.2 - Despesas custeadas com outros recursos de impostos

1.368.647,04

1.529.647,04

878.958,05

1.847.129,77

120,76

25 - ENSINO MÉDIO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

26 - ENSINO SUPERIOR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

27 - ENSINO PROFISSIONAL NÃO INTEGRADO AO ENSINO REGULAR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

28 - OUTRAS

1.987.814,29

2.204.814,29

906.287,72

1.920.543,33

87,11

29 - TOTAL DAS DESPESAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MDE (23+24+25+26+27+28)

6.457.561,33

7.171.561,33

2.514.058,65

5.701.318,19

79,50

23.1 - Despesas custeadas com recursos do FUNDEB 23.2 - Despesas custeadas com outros recursos de impostos

10,87


C7

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS E DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO - MDE ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL MAIO A JUNHO DE 2013 Página: 3 /

Lei 9.394/96, Art. 72 - Anexo X DEDUÇÕES/ADIÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE CONSTITUCIONAL

3

Valor

30 - PERDA NA TRANSFERÊNCIA DO FUNDEB

0,00

31 - DESPESAS CUSTEADAS COM A COMPLEMENTAÇAO/GANHO DO FUNDEB NO EXERCÍCIO ANTERIOR

202.633,83

32 - RECEITA DE APLICAÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS DO FUNDEB ATÉ O BIMESTRE = (50h)

2.566,67

33 - DESPESAS VINCULADAS AO SUPERÁVIT FINANCEIRO DO ACRÉSCIMO E DA COMPLEMENTAÇÃO DO FUNDEB DO EXERCÍCIO ANTERIOR

2.137,13

34 - DESPESAS VINCULADAS AO SUPERÁVIT FINANCEIRO DO EXERCÍCIO ANTERIOR DE OUTROS RECURSOS DE IMPOSTOS

(2.324,11)

35 - RESTOS A PAGAR INSCRITOS NO EXERCÍCIO SEM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO

300.868,83

36 - CANCELAMENTO, NO EXERCÍCIO, DE RAP INSCRITOS COM DISP. FINANCEIRA DE RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO

0,00

37 - TOTAL DAS DEDUÇÕES/ADIÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE CONSTITUCIONAL (30+31+32+33+34+35+36)

505.882,35

38 - TOTAL DAS DESPESAS PARA FINS DE LIMITE (23+24+37)

3.274.892,51

39 - MÍNIMO DE 25% DAS RECEITAS RESULTANTES DE IMPOSTOS EM MDE (38/3) X 100 %

36,97

OUTRAS INFORMAÇÕES PARA CONTROLE OUTRAS DESPESAS CUSTEADAS COM RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO

DOTAÇÃO INICIAL

40 - DESPESAS CUSTEADAS COM APL FINAN DE OUTROS RECURSOS DE IMP VINC AO ENSINO

DOTAÇÃO ATUALIZADA (d)

DESPESAS LIQUIDADAS No bimestre

Até bimestre (e)

% (f)=(e/d)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

390.553,72

390.553,72

107.215,80

150.919,80

38,64

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

43 - DESPESAS CUSTEADAS COM OUTRAS RECEITAS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO

161.499,24

456.499,24

66.533,25

88.489,14

19,38

44 - TOTAL OUTRAS DESP CUSTEADAS COM REC ADICIONAIS PARA FINAN DO ENSINO

552.052,96

847.052,96

173.749,05

239.408,94

28,26

7.009.614,29

8.018.614,29

2.687.807,70

5.940.727,13

74,09

41 - DESPESAS CUSTEADAS COM A CONTRIBUIÇÃO SOCIAL DO SALÁRIO-EDUCAÇÃO 42 - DESPESAS CUSTEADAS COM OPERAÇÕES DE CRÉDITO

45 - TOTAL GERAL DAS DESPESAS COM MDE (29+44)

RESTOS A PAGAR INSCRITOS COM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO

SALDO ATÉ BIMESTRE

46 - RESTOS A PAGAR DE DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO

CANCELADOS EM 2013 (g)

0,00

FLUXO FINANCEIRO DOS RECURSOS DO FUNDEB

0,00

Valor

47 - SALDO FINANCEIRO DO FUNDEB EM 31/12/2012

2.137,13

48 - (+) INGRESSOS DE RECURSOS DO FUNDEB ATÉ O BIMESTRE

1.926.892,34

49 - (-) PAGAMENTOS EFETUADOS ATÉ O BIMESTRE

1.837.851,43

50 - (+) RECEITA DE APLICAÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS DO FUNDEB ATÉ O BIMESTRE

2.566,67

51 - SALDO FINANCEIRO DO FUNDEB NO EXERCÍCIO ATUAL

93.744,71

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL DEMONSTRATIVO DA DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO DE 2013 Página: 1 /

LRF, Art 55, inciso I, alínea "b" - Anexo II DÍVIDA CONSOLIDADA

SALDO EXERCÍCIO ANTERIOR

1

SALDO DO EXERCÍCIO DE 2013 até o 1º Semestre

até o 2º Semestre

DÍVIDA CONSOLIDADA - DC (I)

0,00

0,00

0,00

Dívida Mobiliária

0,00

0,00

0,00

Dívida Contratual

0,00

0,00

0,00

Dívida Interna

0,00

0,00

0,00

Dívida Externa

0,00

0,00

0,00

Precatórios posteriores a 05/05/2000 (inclusive)

0,00

0,00

0,00

Demais Dívidas

0,00

0,00

0,00

DEDUÇÕES (II)

0,00

0,00

0,00

572.100,40

2.482.607,47

0,00

1.580.143,01

1.899.852,06

0,00

254.081,65

1.518.228,66

0,00

DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA (DCL) (III) = (I - II)

0,00

0,00

0,00

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - (RCL)

0,00

10.798.963,84

0,00

% da DC sobre a RCL (I/RCL)

0,00

0,00

0,00

% da DCL sobre a RCL (II/RCL)

0,00

0,00

0,00

120,00

120,00

120,00

Disponibilidade de Caixa Bruto Demais Haveres Financeiros (-) Restos a pagar processados (excetos precatórios)

LIMITE DEFINIDO PELA RESOLUÇÃO Nº 40, DE 2001, DO SENADO FEDERAL: (%)

DETALHAMENTO DA DÍVIDA CONTRATUAL

SALDO EXERCÍCIO ANTERIOR

SALDO DO EXERCÍCIO DE 2013 até o 1º Semestre

até o 2º Semestre

DÍVIDA DE PPP

0,00

0,00

0,00

PARCELAMENTO DE DÍVIDAS

0,00

(21.547,28)

0,00

De Tributos

0,00

0,00

0,00

De Contribuições Sociais

0,00

(10.773,64)

0,00

Previdenciárias

0,00

(10.773,64)

0,00

Demais Contribuições Sociais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

(65.009,79)

0,00

Do FGTS DEMAIS DÍVIDAS CONTRATUAIS

OUTROS VALORES INTEGRANTES DA DC

SALDO EXERCÍCIO ANTERIOR

SALDO DO EXERCÍCIO DE 2013 até o 1º Semestre

até o 2º Semestre

PRECATÓRIOS ANTERIORES A 05/05/2000

0,00

0,00

0,00

INSUFICIÊNCIA FINANCEIRA

0,00

0,00

0,00

DEPÓSITOS

0,00

1.518.228,66

0,00

RP NÃO-PROCESSADOS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES

0,00

0,00

0,00

ANTECIPAÇÕES DE RECEITA ORÇAMENTÁRIA - ARO

0,00

0,00

0,00


EDITAIS

C8

terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815 PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA DEMOSTRATIVO SIMPLIFICADO DO RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO DE 2013

Página: 1 /

LRF, Art. 48 - Anexo XVII BALANÇO ORÇAMENTÁRIO

No Bimestre

1

Até o Bimestre

Previsão Inicial da Receita

0,00

19.000.000,00

Previsão Atualizada da Receita

0,00

21.848.000,00

Receitas Realizadas

3.451.415,26

10.798.963,84

Déficit Orçamentário

(500.466,58)

0,00

0,00

19.000.000,00

0,00

21.869.901,82

Despesas Empenhadas

4.190.791,30

10.382.595,87

Despesas Liquidadas

3.951.881,84

9.891.982,09

0,00

416.367,97

0,00

Saldos de Exercícios Anteriores Dotação Inicial

2.869.901,82

Créditos Adicionais Dotação Atualizada

Superávit Orçamentário DESPESAS POR FUNÇÃO / SUBFUNÇÃO

No Bimestre

Até o Bimestre

Despesas Empenhadas

4.190.791,30

10.382.595,87

Despesas Liquidadas

3.951.881,84

9.891.982,09

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - RCL

No Bimestre

Até o Bimestre 3.451.415,26

Receita Corrente Líquida RECEITAS / DESPESAS DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA

10.798.963,84

No Bimestre

Até o Bimestre

Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos Receitas Previdenciárias (IV) Despesas Previdenciárias (V) Resultado Previdenciário (IV - V) RESULTADO NOMINAL E PRIMÁRIO

Meta fixada no anexo de metas fiscais da LDO (a)

Resultado apurado até o bimestre (b)

% em relação a meta (b/a)

Resultado Nominal

0,00

(1.110.575,75)

0,00 %

Resultado Primário

0,00

797.067,34

0,00 %

MOVIMENTAÇÃO DOS RESTOS A PAGAR

Inscrição

Cancelamento até o bimestre

Pagamento até o bimestre

Saldo

RESTOS A PAGAR PROCESSADOS Poder Executivo

252.646,65

0,00

227.683,56

24.963,09

0,00

0,00

0,00

0,00

1.435,00

0,00

0,00

1.435,00

0,00

0,00

0,00

0,00

254.081,65

0,00

227.683,56

26.398,09

Poder Legislativo RESTOS A PAGAR NÃO-PROCESSADOS Poder Executivo Poder Legislativo TOTAL DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO - MDE

Limites constitucionais anuais

Valor apurado até o bimestre

Mínimo Anual de 25% dos Impostos na Manutenção e Desenvolvimento do Ensino - MDE

3.274.892,51

Mínimo Anual de 60% do FUNDEB na Remuneração do Magistério com Educação Infantil e Ensino

1.080.452,86

RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO E DESPESAS DE CAPITAL

% Mínimo a aplicar no exercício

% Aplicado até o bimestre

25% / 18%

36,97 %

60%

Valor apurado até o bimestre

40,29 %

Saldo a realizar

Receita de Operações de Crédito Despesa de Capital Líquida PROJEÇÃO ATUARIAL DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA

Exercício em Referência

10º Exercício

20º Exercício

35º Exercício

Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos Receitas Previdenciárias (IV) Despesas Previdenciárias (V) Resultado Previdenciário (IV - V) RECEITA DA ALIENAÇÃO DE ATIVOS E APLICAÇÃO DOS RECURSOS

Valor apurado até o bimestre

Saldo a realizar

Receita de Capital Resultante da Alienação de Ativos Aplicação dos Recursos da Alienação de Ativos DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE

Limites constitucionais anuais

Valor apurado até o bimestre 1.952.151,86

Despesas Próprias com Ações e Serviços Públicos de Saúde DESPESAS DE CARÁTER CONTINUADO DERIVADAS DE PPP

% Mínimo a aplicar no exercício

% Aplicado até o bimestre

15%

22,04 %

Valor apurado no Exercício Corrente

Total das Despesas/RCL ( % )

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURIÚVA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA DEMOSTRATIVO SIMPLIFICADO DO RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A JUNHO DE 2013 Página: 1 /

LRF, Art. 48 - Anexo XVII BALANÇO ORÇAMENTÁRIO

No Bimestre

1

Até o Bimestre

Previsão Inicial da Receita

0,00

19.000.000,00

Previsão Atualizada da Receita

0,00

21.848.000,00

Receitas Realizadas

3.451.415,26

10.798.963,84

Déficit Orçamentário

(500.466,58)

0,00

0,00

19.000.000,00

0,00

21.869.901,82

Despesas Empenhadas

4.190.791,30

10.382.595,87

Despesas Liquidadas

3.951.881,84

9.891.982,09

0,00

416.367,97

0,00

Saldos de Exercícios Anteriores Dotação Inicial

2.869.901,82

Créditos Adicionais Dotação Atualizada

Superávit Orçamentário DESPESAS POR FUNÇÃO / SUBFUNÇÃO

No Bimestre

Até o Bimestre

Despesas Empenhadas

4.190.791,30

10.382.595,87

Despesas Liquidadas

3.951.881,84

9.891.982,09

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - RCL

No Bimestre

Até o Bimestre 3.451.415,26

Receita Corrente Líquida RECEITAS / DESPESAS DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA

10.798.963,84

No Bimestre

Até o Bimestre

Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos Receitas Previdenciárias (IV) Despesas Previdenciárias (V) Resultado Previdenciário (IV - V) RESULTADO NOMINAL E PRIMÁRIO

Meta fixada no anexo de metas fiscais da LDO (a)

Resultado apurado até o bimestre (b)

% em relação a meta (b/a)

Resultado Nominal

0,00

(1.110.575,75)

0,00 %

Resultado Primário

0,00

797.067,34

0,00 %

MOVIMENTAÇÃO DOS RESTOS A PAGAR

Inscrição

Cancelamento até o bimestre

Pagamento até o bimestre

Saldo

RESTOS A PAGAR PROCESSADOS Poder Executivo Poder Legislativo

252.646,65

0,00

227.683,56

24.963,09

0,00

0,00

0,00

0,00

1.435,00

0,00

0,00

1.435,00

0,00

0,00

0,00

0,00

254.081,65

0,00

227.683,56

26.398,09

RESTOS A PAGAR NÃO-PROCESSADOS Poder Executivo Poder Legislativo TOTAL DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO - MDE

Limites constitucionais anuais

Valor apurado até o bimestre

Mínimo Anual de 25% dos Impostos na Manutenção e Desenvolvimento do Ensino - MDE

3.274.892,51

Mínimo Anual de 60% do FUNDEB na Remuneração do Magistério com Educação Infantil e Ensino

1.080.452,86

RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO E DESPESAS DE CAPITAL

% Mínimo a aplicar no exercício

25% / 18%

% Aplicado até o bimestre

36,97 %

60%

Valor apurado até o bimestre

40,29 %

Saldo a realizar

Receita de Operações de Crédito Despesa de Capital Líquida PROJEÇÃO ATUARIAL DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA

Exercício em Referência

10º Exercício

20º Exercício

35º Exercício

Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos Receitas Previdenciárias (IV) Despesas Previdenciárias (V) Resultado Previdenciário (IV - V) RECEITA DA ALIENAÇÃO DE ATIVOS E APLICAÇÃO DOS RECURSOS

Valor apurado até o bimestre

Saldo a realizar

Receita de Capital Resultante da Alienação de Ativos Aplicação dos Recursos da Alienação de Ativos DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE Despesas Próprias com Ações e Serviços Públicos de Saúde DESPESAS DE CARÁTER CONTINUADO DERIVADAS DE PPP Total das Despesas/RCL ( % )

Valor apurado até o bimestre 1.952.151,86

Limites constitucionais anuais % Mínimo a aplicar no exercício

15%

Valor apurado no Exercício Corrente

% Aplicado até o bimestre

22,04 %


D1

EDITAIS terça-feira, 30 de julho de 2013 - edição 815

MUNICÍPIO DE JAPIRA RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - DESPESA ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL MAIO A JUNHO DE 2013

Página: 1 /

1

LRF, Art. 52, inciso I, alíneas "a" e "b" do inciso II e § 1º - Anexo I Dotação inicial (d)

DESPESAS

Créditos adicionais (e)

DESPESAS EMPENHADAS

Dotação atualizada (f) = (d + e)

No bimestre (g)

DESPESAS LIQUIDADAS

Até bimestre (h)

No bimestre (i)

Até bimestre (j)

Saldo a liquidar (f - j)

% (j / f)

DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (VIII)

9,957,900.00

870,000.00

10,827,900.00

2,096,552.26

6,330,120.32

2,052,125.77

5,467,151.06

50.49

5,360,748.94

DESPESAS CORRENTES

8,837,574.00

263,000.00

9,100,574.00

1,779,116.57

5,298,861.58

1,738,570.08

4,956,031.32

54.46

4,144,542.68

PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

4,251,632.00

73,000.00

4,324,632.00

824,136.53

2,354,991.86

828,081.09

2,354,991.86

54.46

1,969,640.14

JUROS E ENCARGOS DA DIVÍDA

25,000.00

0.00

25,000.00

1,686.25

5,438.92

1,686.25

5,438.92

21.76

19,561.08

4,560,942.00

190,000.00

4,750,942.00

953,293.79

2,938,430.80

908,802.74

2,595,600.54

54.63

2,155,341.46

1,019,626.00

607,000.00

1,626,626.00

317,435.69

1,031,258.74

313,555.69

511,119.74

31.42

1,115,506.26

717,726.00

607,000.00

1,324,726.00

281,245.00

898,422.56

277,365.00

378,283.56

28.56

946,442.44

INVERSÕES FINANCEIRAS

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA

301,900.00

0.00

301,900.00

36,190.69

132,836.18

36,190.69

132,836.18

44.00

169,063.82

100,700.00

0.00

100,700.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

100,700.00

100,700.00

0.00

100,700.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

100,700.00

0.00

0.00

0.00

0.00

15,022.12

0.00

15,022.12

0.00

(15,022.12)

9,957,900.00

870,000.00

10,827,900.00

2,096,552.26

6,345,142.44

2,052,125.77

5,482,173.18

50.63

5,345,726.82

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

Dívida Mobiliária

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

Outras Dívidas

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

Dívida Mobiliária

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

Outras Dívidas

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

9,957,900.00

870,000.00

10,827,900.00

2,096,552.26

6,345,142.44

2,052,125.77

5,482,173.18

50.63

5,345,726.82

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

644,432.49

0.00

(644,432.49)

9,957,900.00

870,000.00

10,827,900.00

2,096,552.26

6,345,142.44

2,052,125.77

6,126,605.67

56.58

4,701,294.33

OUTRAS DESPESAS CORRENTES DESPESAS DE CAPITAL INVESTIMENTOS

RESERVA DE CONTINGÊNCIA RESERVA DE CONTINGÊNCIA DESPESAS INTRA-ORÇAMENTÁRIAS (IX) SUBTOTAL DAS DESPESAS (X) = (VIII + IX) AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA - REFINANCIAMENTO (XI) Amortização da Dívida Interna

Amortização da Dívida Externa

SUBTOTAL COM REFINANCIAMENTO (XII) = (X + XI) SUPERÁVIT (XIII) TOTAL (XIV) = (XII + XIII)

MUNICIPIO DE JAPIRA:75969881000152

MUNICÍPIO DE JAPIRA Digitally signed by MUNICIPIO DE JAPIRA:75969881000152

RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTARIA DN: c=BR, st=PR, l=JAPIRA, o=ICP-Brasil, ou=Secretaria da DEMOSTRATIVO DA RECEITA CORRENTE LÍQUIDA Receita Federal do Brasil - RFB, ou=RFB e-CNPJ A3, ou=AR ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL

MMEXPRESS, cn=MUNICIPIO DE JAPIRA:75969881000152 JULHO DE 2012 A JUNHO DE 2013 Página: 1 / 1 Date: 2013.07.29 15:42:46 -03'00'

LRF, Art. 53, inciso I - Anexo III ESPECIFICAÇÃO RECEITAS CORRENTES (I)

EVOLUÇÃO DA RECEITA REALIZADA NOS ÚLTIMOS 12 MESES 07/2012

08/2012

09/2012

10/2012

11/2012

12/2012

01/2013

02/2013

Previsão 03/2013

04/2013

05/2013

06/2013

TOTAL

atualiza 2013

852,716.76

945,041.93

803,570.57

866,146.56

990,837.18

1,371,474.55

1,110,230.41

1,432,882.09

945,570.83

957,608.04

1,152,722.15

1,000,220.24

12,429,021.31

11,661,810.00

29,229.59

86,905.49

9,345.30

26,797.38

28,734.89

64,053.50

15,686.81

240,955.78

102,516.24

22,764.82

16,488.81

40,554.29

684,032.90

442,396.00

IPTU

891.72

795.78

1,565.04

471.01

216.33

1,657.39

573.17

6,580.50

33,420.97

7,684.09

4,727.20

1,403.85

59,987.05

90,500.00

ISS

2,750.27

3,587.19

658.12

3,391.79

4,035.76

5,274.12

630.35

314.64

5,088.36

2,494.89

1,872.59

2,424.31

32,522.39

42,000.00

ITBI

13,789.20

61,652.21

2,870.40

7,062.50

10,087.50

33,561.54

3,558.82

226,914.25

58,052.36

9,679.67

5,530.68

36,489.00

469,248.13

80,600.00

IRRF

9,806.27

19,995.38

11,833.66

15,000.35

14,201.26

22,178.86

8,445.62

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

101,461.40

172,400.00

Outras receitas tributárias

1,992.13

874.93

(7,581.92)

871.73

194.04

1,381.59

2,478.85

7,146.39

5,954.55

2,906.17

4,358.34

237.13

20,813.93

56,896.00

62.46

3,832.39

2,380.11

93.69

30.03

31.77

4,154.75

4,131.38

4,224.08

5,225.56

4,192.98

3,468.90

31,828.10

10,000.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

62.46

3,832.39

2,380.11

93.69

30.03

31.77

4,154.75

4,131.38

4,224.08

5,225.56

4,192.98

3,468.90

31,828.10

10,000.00

3,411.44

3,168.07

2,785.50

2,682.49

2,605.33

2,681.76

2,310.25

2,716.65

2,825.66

4,101.71

3,488.53

1,966.56

34,743.95

53,605.00

Receita agropecuária

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

Receita industrial

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

9,042.63

7,521.19

4,922.05

3,133.03

2,256.87

300.00

2,121.34

0.00

1,362.56

2,725.74

1,923.98

0.00

35,309.39

36,357.00

Transferências correntes

810,054.16

842,667.75

783,998.84

831,319.21

957,147.03

1,293,812.76

1,085,367.15

1,184,433.50

832,392.85

922,255.81

1,126,479.01

953,919.23

11,623,847.30

11,038,452.00

Cota parte do FPM

391,775.65

432,316.21

378,270.32

401,551.03

542,762.18

882,323.12

566,943.76

762,385.14

439,077.23

471,119.97

676,935.34

564,897.56

6,510,357.51

6,530,200.00

Cota parte do ICMS

219,571.47

204,329.97

209,957.18

213,187.37

212,867.81

217,600.10

241,419.36

187,603.35

188,024.99

218,620.73

212,497.27

222,726.36

2,548,405.96

2,090,000.00

Cota parte do IPVA

9,627.87

8,072.81

4,125.55

4,977.44

2,511.77

2,535.20

9,406.66

24,312.00

16,642.63

13,223.93

15,760.12

13,171.47

124,367.45

103,000.00

Cota parte do ITR

151.70

1,004.71

1,517.55

24,086.30

2,763.41

2,629.44

2,089.27

212.97

0.00

126.73

691.61

338.73

35,612.42

18,400.00

Transferências da LC 87/1996

2,198.75

2,198.75

0.00

4,397.50

2,198.75

2,198.75

0.00

0.00

0.00

8,664.70

2,166.17

0.00

24,023.37

32,800.00

Transferências da LC 61/1989

3,362.63

3,716.75

3,758.77

3,632.89

3,677.87

4,223.12

4,314.30

3,312.67

2,924.38

2,681.48

3,605.76

3,755.50

42,966.12

56,500.00

Transferências do FUNDEF

88,243.87

91,094.35

84,308.11

88,970.05

91,753.64

89,170.08

111,779.61

126,542.10

93,842.05

103,767.41

116,581.60

108,859.22

1,194,912.09

1,045,000.00

Outras transferências correntes

95,122.22

99,934.20

102,061.36

90,516.63

98,611.60

93,132.95

149,414.19

80,065.27

91,881.57

104,050.86

98,241.14

40,170.39

1,143,202.38

1,162,552.00

916.48

947.04

138.77

2,120.76

63.03

10,594.76

590.11

644.78

2,249.44

534.40

148.84

311.26

19,259.67

81,000.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

125,337.60

130,327.78

119,525.82

130,366.46

153,356.33

168,534.99

164,834.61

195,565.20

129,333.83

142,887.47

182,331.22

160,977.88

1,803,379.19

1,685,198.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

Servidor

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

Patronal

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00

0.00