Issuu on Google+

Informativo do Hospital Municipal Odilon Behrens Belo Horizonte - Ano 2 – N.º 16 – março de 2011

Contrato Interno de Gestão: compromisso na melhoria contínua do Hospital Págs. 4 e 5

Residência Multiprofissional do HOB tem sua primeira turma de especialistas Pág. 6

Saiba mais sobre o Conselho Local de Saúde do HOB Pág. 7

67 anos do HOB é celebrado com ações para acompanhantes, usuários e funcionários Pág. 8


Editorial

HOB participa de fórum internacional sobre “Qualidade em Saúde”

A nova edição do jornal HOBservador traz como destaque um dos trabalhos que contribui para o exercício da gestão participativa no Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB): o contrato interno de gestão. Na matéria, é possível saber mais sobre este compromisso – um documento com metas, indicadores e plano de ação – firmado entre a superintendência, diretorias e unidades de produção para a melhoria contínua do HOB. Outro destaque relaciona-se ao fato de o HOB ser credenciado pelo Ministério de Educação e Cultura (MEC), como Hospital de Ensino. Trata-se da conclusão da primeira turma no curso de formação da Residência Multiprofissional. Nesta edição, há detalhes sobre a cerimônia que contou com a presença do Secretário Municipal de Saúde, Marcelo Teixeira, e mais informações sobre a especialidade. Por último, ressalto uma importante matéria: a comemoração de 67 anos do Hospital. A data foi celebrada com diversas atividades no dia 30 de março. Dentre elas, a apresentação do renomado contador de histórias Tadeu Martins e um mural com fotos de diversos funcionários que contribuíram e contribuem para a história do HOB. Outros interessantes assuntos, como a nova composição do Conselho Local de Saúde do Hospital, onde participam trabalhadores, gestores e usuários, podem ser lidos. Envie sugestões de matérias para o jornal HOBservador pelo e-mail hobascom@pbh.gov.br

O Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB) foi a única instituição pública de saúde a participar do IV Fórum Internacional de Qualidade em Saúde. O Evento ocorreu em São Paulo, durante os dias 31 de março e primeiro de abril. Nesses dois dias, diversos profissionais se reuniram para debater sobre qualidade e segurança do paciente. Houve a p a r t i c i p a ç ã o d e i n s t i t u i ç õ e s internacionais de credibilidade nas áreas de Acreditação Hospitalar e Gestão da Segurança. A assessora técnica da Qualidade e presidente do Comitê de Segu-

rança do Paciente do HOB, Danielle Santiago, esteve presente ao Fórum. Segundo ela, a participação no evento foi impor tante para o Hospital realizar contatos com profissionais de diversos locais do Brasil e de outros países, que ajudam as instituições de saúde a trilharem as práticas mais seguras e legais (aspecto jurídico) na área de segurança do paciente, ao mesmo tempo em que firmou o papel e empenho do HOB nesse sentido. “Isso mostra que o Hospital está intervindo no processo e não está distante da conquista de uma certificação”, ressaltou Danielle.

Praça da Saúde foi montada para os funcionários no Dia Mundial da Sáude O Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB) proporcionou aos seus funcionários uma série de atividades em comemoração ao Dia Mundial da Saúde, 7 de abril. Para isso, foi montada uma “Praça da Saúde do HOB” na área externa, próxima à Portaria Principal. Cerca de 350 pessoas aproveitaram a ocasião para aferir a pressão arterial, medir glicemia capilar e calcular o Índice de Massa Corporal (IMC). Os trabalhadores também tiveram orientações sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), receberam cartilha informativa sobre o assunto e preservativos. Houve, ainda, massagem facial e corporal feitas pelo grupo de estética do Sistema Divina Providência, unidade São

José, e música ambiente, tocada pelo “DJ Guilherme”, que é funcionário do Hospital. No início da manhã, o grupo de palhaços “Irradiando Alegria”, do Centro Universitário UNA, percorreu o Hospital convidando os funcionários a participarem do evento. Os palhaços também aproveitaram o momento para visitar e alegrar os pacientes internados na pediatria e clínica cirúrgica do 2º andar. A técnica de administração do faturamento, Valéria Rocha, disse que momentos como o Praça da Saúde do HOB são importantes. “Eu achei ótimo. Às vezes, a gente não tem tempo para cuidar de nós mesmos. Então, é muito bom aproveitar essas oportunidades”.

Boa leitura. Andreia Augusta Diniz Torres Diretoria de Apoio à Assistência

Cerca de 350 funcionários participaram do evento

Expediente Jornal HOBservador Edição – Assessoria de Comunicação do Hospital Municipal Odilon Behrens – HOB (ASCOM-HOB) Supervisão Editorial – Assessoria de Comunicação Social do Município de Belo Horizonte

2

Fotografias – Arquivo ASCOM HOB Periodicidade – mensal Distribuição gratuita

Hospital Municipal Odilon Behrens Rua Formiga, 50 – bairro São Cristóvão CEP 31.110-430 – Belo Horizonte/MG Contatos – hobascom@pbh.gov.br (31) 3277-6220

Hospital Municipal Odilon Behrens 67 anos


Um dia de... ...apoio administrativo (GSAT)

Heloísa Tobias trabalha no Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB) há 27 anos, dos quais seis como apoio administrativo da Gerência de Saúde do Trabalhador (GSAT). Ela trabalha de segunda a sexta, das 9 às 18 horas. O trabalho de Heloisa é rotineiro, mas nem por isso é calmo. O telefone toca diversas vezes e os funcionários do Hospital chegam constantemente, seja para marcar consulta ou fazer pedido de exames. Além disso, ela atende a demanda dos médicos da GSAT para eventuais pendências e providências. Atenciosa, a primeira coisa que Heloísa faz quando chega no setor é cumprimentar todos os seus colegas. Ela sempre recebe com um sorriso os funcionários do HOB que chegam na GSAT. Dentre suas atribuições, Heloísa marca perícias médicas, orienta os servidores sobre atestados médicos e tira dúvidas de assuntos relacionados. Ela lança os dados numa planilha e encaminha à Gerência de Administração de Pessoal (GAP) do HOB. Heloísa também é responsável pelo controle de periódicos, que são exames obrigatórios que todo funcionário tem de fazer anualmente. Como o HOB tem vários servidores, esses exa-

mes são feitos por data de admissão. Dessa forma, é sua responsabilidade entrar em contato com essas pessoas, encaminhando os pedidos de exames. Há cinco anos, Heloísa compartilhou com colegas de trabalho, pacienjaneir tes e acompanhantes um outro talento: a música. Na época, ela cantou na reinauguração do Pronto-Socorro do HOB, que estava em reforma, a convite da então superintendente do Hospital Suzana Rates. Desde então, ela não parou mais: sempre que tem um evento no HOB ela é convidada para alegrar a todos com sua voz. Heloísa canta há 15 anos. Ela começou fazendo aulas de canto e depois iniciou apresentação em bares, festas e asilos. Cantar para ela é um trabalho muito gratificante. “Isso faz bem ao coração”, garante Heloísa. Muito querida pelos colegas da GSAT, todos a elogiam muito. Segundo ela, o segredo para tanta alegria é fazer o que gosta. O técnico de enfermagem do setor, Reginaldo Procópio, afirma que trabalhar com a Heloisa é ótimo. “Ela gosta de ajudar as pessoas, está sempre bem humorada, é muito educada e tem um coração do tamanho do mundo”, afirma o colega de trabalho.

Indicadores HOB Janeiro 2011 HOB - janeiro 2011 Pronto-Socorro Total de Pacientes Atendidos no PS

14.200

Pacientes Atendidos na Sala de Emergência*

392

Remoções do PS para outros Hospitais

172

Pacientes Atendidos na Odontologia**

1.538

Pacientes Internados

1.485

Média de Permanência

(dia)

Linha de Cuidado ao Adulto e Idoso

14,9

Linha de Cuidado Cirúrgico

6,7

Linha de Cuidado de Atenção à Mulher Linha de Cuidado da Criança e do Adolescente

3,0 13,8 8,6

HOB Taxa de Ocupação

(mês)

Linha de Cuidado ao Adulto e Idoso

95,0%

Linha de Cuidado Cirúrgico

88,3%

Linha de Cuidado de Atenção à Mulher

91,5%

Linha de Cuidado da Criança e do Adolescente

86,6%

HOB

89,5%

Consultas Ambulatoriais

6.729

Bloco Cirúrgico Cirurgias de Urgência

325

Cirurgias Eletivas

181

Obstetrícia Total de Partos

216

Partos normais

134

Exames

Heloísa orienta os funcionários pessoalmente ou por telefone...

...e tira fotos com os colegas do setor

Imaginologia

10.083

Laboratoriais

83.869

Refeições - GND

96.558

* Número de pacientes admitidos, sem contar as trasferências internas. ** Pronto-Socorro Odontológico + Buco-Maxilo-Facial + Estomatologia + Cefaléia/Dor Oro-Facial

Hospital Municipal Odilon Behrens 67 anos

3


Contrato Interno de G coletivo para u Há oito anos o Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB) vem adotando o modelo de gestão participativa, na qual funcionários, usuários e gestores discutem questões acerca do Hospital e buscam, em conjunto, soluções e melhorias para a realização do trabalho. Para a aplicação efetiva da gestão participativa no HOB são desenvolvidas algumas ações, como o Contrato Interno de Gestão. O Contrato é um documento firmado entre a Superintendência, Diretorias e Unidades de Produção, através de seu gerente, coordenador, representante dos trabalhadores e Grupo Estratégico de Acompanhamento e Avaliação do Contrato de Gestão (GEACG). Nesse contrato, construído de forma coletiva entre as Unidades e sua Diretoria respectiva, são definidas metas, indicadores e um plano de ação, que deve ser cumprido ao longo do ano. Dessa forma, há uma participação e descentralização da gestão do Hospital, e, ao mesmo tempo, potencializa os colegiados, o que representa uma outra ação da gestão participativa no HOB, que se dá através de uma reunião entre representantes dos gestores e dos funcionários para discutir assuntos relevantes e propor soluções para questões sobre a dinâmica de trabalho. A iniciativa de criar os Contratos Internos de Gestão ocorreu em 2006, em uma atividade do curso de Gestão da Clínica, ministrado pelo Dr. Gastão Wagner de Souza Campos, voltado a diretores, gerentes e coordenadores. Com o sucesso dessa atividade, os Contratos passaram a ser aliados na administração do HOB, através das metas ali compactuadas. Geralmente, as discussões para decidir o que será feito ao longo do

ano começam em janeiro e a assinatura do Contrato no mês de março, com vigência até dezembro. Também são incluídas nos Contratos Internos as metas do Contrato Externo firmado entre o HOB e a Secretaria Municipal de Saúde. O Contrato Interno de Gestão tornou-se relevante porque explicita a rede de compro-

Integrantes do Grupo Estratégico de Acompanhamento e Avaliação Contrato e Gestão (GEACG)

missos entre a direção do HOB, as unidades funcionais e equipes, tendo como objetivo envolvimento, qualidade e valorização do trabalho desenvolvido no Hospital. Além disso, motiva os servidores para as relações humanizadas e trabalho em equipe, o que acaba refletindo no atendimento aos usuários. Segundo a diretora de apoio à assistência Andreia Augusta Diniz Torres, o Contrato tem sido uma ferramenta muito potente para a gestão participativa no Odilon. “Para sua elaboração é fundamental a participação da equipe, pois nesse momento ocorrem discussões para melhoria dos processos de trabalho, elegendo prioridades e desafios a serem enfrentados no período. Outra questão importante é que através dos Contratos ocorre um alinhamento dos projetos internos do Hospital, potencializando, assim, a construção de um projeto maior que qualifica o HOB e fortalece as equipes”, ressaltou.

Etapas do Contrato de Gestão

O Contrato de Gestão é dividido em cinco etapas. Na primeira, é feito um levantamento dos desafios da unidade na execução das atividades diárias. Em se-

4

Hospital Municipal Odilon Behrens 67 anos


Gestão: comprossimo um HOB melhor guida, é realizado um mapeamento da situação por diretoria, que dá inicio a um processo de discussão com diretores, gerentes, coordenadores, referências técnicas, trabalhadores e o GEACG. Depois disso, é formatado um instrumento único apoiando a construção de objetivos, metas e indicadores de seu cumprimento. É feita, ainda, revisão desses indicadores pelo GEACG, unificando os rankings de pontuação das metas que são iguais entre algumas unidades. Na segunda etapa, é elaborado um cronograma de entrega dos Contratos de Gestão por unidade do Hospital. Na terceira, são revistos os contratos com as respectivas diretorias, gerências, coordenação e o GEACG. Na penúltima etapa, é realizada a pactuação dos Contratos por unidade, com a assinatura dos termos de compromisso com a Superintendente, diretoria, gerência, coordenação, representantes dos trabalhadores e do GEACG. A partir da assinatura, os setores têm prazos para cumprir suas metas. Os prazos são variados, dependendo da complexidade da meta. Já na última fase, é dado início ao processo de Acompanhamento dos Contratos Internos de Gestão, que é feito pelo GEACG. Para isso, é realizada uma aferição em cada setor, bimensalmente, com a participação do gerente, coordenador e representantes dos trabalhadores. Caso o setor não cumpra os prazos, a gerência pode pedir uma revisão da meta, justificando o motivo do não cumprimento. Em algumas situações, o atraso pode ocorrer porque uma unidade ficou

A assinatura do Contrato Interno de Gestão reúne superintendência, diretoria e funcionários da Unidade de Produção

dependendo do trabalho de outra. Neste caso, é estabelecido um novo prazo, juntamente com a respectiva Diretoria. De acordo com o presidente do GEACG, Wallace Medeiros Xavier, desde o inicio da criação do grupo, até hoje, “houve um amadurecimento e uma aproximação na relação entre as unidades de produção, proporcionando uma participação maior dos trabalhadores na construção e cumprimento das metas”.

Conheça o GEACG

O Grupo Estratégico de Acompanhamento e Avaliação do Contrato de

O Contrato Interno de Gestão traz metas, indicadores e plano de ação compactuado entre todos

Gestão (GEACG) faz o acompanhamento dos contratos, que são divididos por diretorias. Para isso, são realizadas reuniões com os Diretores, nas quais são apresentadas as aferições bimensais. O GEACG também realiza reuniões entre as gerências, para discutir estratégias em comum para atingir o cumprimento das metas. Posteriormente, o Grupo apresenta os resultados na reunião do Colegiado da Diretoria e no Colegiado Gestor. Caso algum gerente discorde do resultado, ele tem o prazo de 15 dias para se manifestar. Então, o GEACG reúne, juntamente com a Superintendência e Diretoria, que pode aprovar ou não. Para isso, é levado sempre em consideração o contexto da unidade, as ações que esta desenvolveu para tentar cumprir a meta e se houve alguma interferência externa. Atualmente, o grupo é composto por dez integrantes, com diversas formações: um administrador, uma assistente social, um contador, duas enfermeiras, um estatístico, dois médicos e um psicólogo. Os profissionais que compõem o GEACG são escolhidos por indicação da Superintendência, Diretoria ou gerências. A maioria dos integrantes já possui experiência em acompanhamento e monitoramento de cumprimento de metas. Inclusive, algumas pessoas fizeram pós-graduação em Gestão em Saúde Pública ou desenvolvem trabalhos na área de Gestão.

Hospital Municipal Odilon Behrens 67 anos

5


Primeira turma da Residência Multiprofissional conclui especialidade foi um espaço para crescimento profissional e pessoal. “È algo inoAutoridades do HOB e da Secretaria Municipal vador na minha área. Crescemos de Saúde estiveram presentes na cerimônia muito com os professores e profissionais”, explica. Também estiveram presentes no evento, a Superintendente do HOB, Míriam Maria Souza; o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte, vereador Alexandre Gomes; o diretor de Gestão, Trabalho, Ensino e Pesquisa, Sérgio Cardoso Pinheiro; a gerente de Ensino e Pesquisa, Maria de Lourdes Ulhoa; a coordenadora da especialidade de Ensino Multiprofissional, Liliane de Lourdes Teixeira e a preceptora de O Hospital Municipal Odilon Behrens fonoaudiologia, com ênfase em “Urgên(HOB) realizou uma importante conquista cia, Emergência e Terapia Intensiva”, Macomo Hospital de Ensino: formou a primeira ria Cacilda Clímaco. A cerimônia também turma de Residência Multiprofissional, que contou com a participação do presidente iniciou a especialização em março de 2009. da Comissão de Administração Pública da A cerimônia ocorreu no dia 30 de março, no Câmara Municipal, vereador João Oscar, auditório do Centro de Ensino, Pesquisa e além do vice-presidente da Comissão de Saúde e Saneamento da Câmara MuniciDesenvolvimento de Pessoas do Hospital. Os formandos, ao todo 22, são das pal de Belo Horizonte, vereador Márcio áreas de Serviço Social, Enfermagem, Nu- Almeida, e do vereador Toninho Pinheiro, trição, Psicologia, Fisioterapia e Fonoaudio- também membro da Comissão. logia. Eles se especializaram nas áreas de A Residência Multiprofissional “Urgência, Emergência e Terapia Intensiva”, A Residência Multiprofissional é uma que, inclusive, é a primeira especialidade com esta abordagem no Brasil, e “Saúde da especialização latu sensu e tem como eixo norteador o aprendizado, através da prátiMulher e do Recém-Nascido”. Segundo o Secretário Municipal de ca dos serviços, uma vez que a maior parte Saúde, Marcelo Teixeira, que estava pre- do curso é realizado na unidade de cuisente na cerimônia, a formatura da pri- dado. Esse programa foi criado em 2008, meira turma de residentes multiprofis- como sugestão da ex-superintendente sionais é um marco não só para o HOB, do HOB Suzana Rates, que incumbiu a mas para o Sistema Único de Saúde de atual gerente de Ensino e Pesquisa Maria Belo Horizonte: “Isso demonstra um mo- de Lourdes Ulhoa da elaboração e coordevimento que é essencial para a integra- nação do projeto. Na época, cerca de 40 lidade do cuidado, permitindo que o co- profissionais se reuniram por seis meses nhecimento, que é gerado na rede, seja para construção do programa. De acordo com a coordenadora de apropriado, formando novos quadros que vão contribuir para a saúde pública”. Especialidade e Ensino Multiprofissional Para a psicóloga Gisele Coutinho Brito, I, Liliane Teixeira, o curso visa, principalque se especializou em “Urgência, Emer- mente, a adequar o processo de formação gência e Terapia Intensiva” (primeira espe- do profissional de saúde às exigências de cialização nessa área no Brasil), a residência transformações na saúde da população e à consolidação do modelo assistencial vigente. A formação do residente inclui o desempenho de atividades assistenciais com utilização de novas tecnologias, associadas à gestão e pesquisa, na atenção aos usuários do SUS. Com isso, possibilita conhecer os dispositivos existentes no Sistema Único de Saúde para uma atenção eficaz e resolutiva aos seus usuários. A Residência Multiprofissional é destinada a profissionais recém-formados das áreas de Enfermagem, Nutrição, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Serviço Social e Psicologia. Todos eles passam por um processo seletivo, por meio de prova, na Ao todo, 22 formandos qual são avaliadas matérias específicas de concluíram a Residência cada profissão e sobre saúde pública. Após aprovados, os residentes cumprem uma

6

Hospital Municipal Odilon Behrens 67 anos

Os formandos receberam diploma na conclusão da Residência

jornada de 60 horas semanais, durante dois anos, divididas em atividades assistenciais, aulas, estudos de caso e grupos de discussão. O programa é dividido por módulos, que trabalham desde o processo saúde-doença, metodologia científica, educação em saúde, cuidado em saúde e processo de trabalho a temas específicos de cada categoria profissional, que conta com preceptores que atuam na docência e orientação teórica e prática dos residentes. Segundo a gerente de Ensino e Pesquisa, o cuidado do paciente não depende apenas do médico e do enfermeiro. “Cuidar depende da interdisciplinaridade do multiprofissional. O paciente, o usuário, o cidadão dependem de todos nós. Dessa forma, com a Residência Multiprofissional surgiu o desafio”, observa Maria de Lourdes, explicando que o projeto surgiu para agregar profissionalismo, competência ao cuidado do usuário. A partir de 2011, as vagas para o curso serão ofertadas anualmente. Atualmente, são oferecidas 13 vagas, sendo seis para ênfase “Saúde da Criança” e sete para “Urgência e Trauma”. Futuramente, pretende-se incluir novas especialidades no Programa, como Terapia Ocupacional, Farmácia e Odontologia.

Hospital de Ensino O HOB é também um Centro de Educação e Pesquisa por proporcionar estágios nas áreas de Medicina, Fisioterapia, Nutrição, Enfermagem, Informática, serviços administrativos, Psicologia, Fonoaudiologia, dentre outros. Pela excelência alcançada, foi credenciado, em 2004, pelos Ministérios da Educação e da Saúde como Hospital de Ensino. Tal fato possibilitou a “contratualização” do Hospital junto ao Ministério da Saúde e Secretaria Municipal de Saúde por meio da pactuação de objetivos e metas a serem cumpridas pelo Hospital.


Conselho Local de Saúde está com nova composição O Conselho Local de Saúde do Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB) está com nova formação para sua gestão 2011/2012. A eleição dos novos integrantes aconteceu no dia 18 de março, no auditório do Centro de Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento de Pessoas do HOB. Já no dia 4 de abril, houve a votação dos cargos de direção do Conselho Local de Saúde. O atual presidente é Rodrigo dos Santos Cesário, usuário do Hospital e morador da comunidade próxima ao HOB e o vice-presidente é Afonso Celso Melo Brandão, que é presidente da Comissão Local de Saúde da Unidade Nossa Senhora Aparecida (UHNSA). O Conselho é formado por 24 membros, entre efetivos e suplentes, sendo que 12 são representantes dos usuários dos serviços de saúde, das nove regiões de Belo Horizonte e o restante é dividido, igualmente, entre representantes dos trabalhadores e gestores do Hospital. Todos os membros trabalham de maneira voluntária. O Conselho é um órgão colegiado consultivo, deliberativo e fiscalizador que tem como objetivo permitir a participação da população na gestão do Hospital. Dentre seus objetivos está acompanhar, controlar, fiscalizar e fazer propostas para o bom funcionamento do Hospital, dentro das diretrizes da política de saúde estabelecidas pelo Sistema Único de Saúde de Belo Horizonte. Dentre as atividades desenvolvidas destacam-se discussões constantes com os órgãos competentes, visando à maior segurança à comodidade para os funcionários do Hospital e moradores da região. Além de participação nas reuniões da Mesa Diretora (um grupo formado por

Representantes dos usuários, trabalhadores e gestores do HOB integram o Conselho

servidores do Hospital, que se reúnem, mensalmente, para discutir assuntos como reivindicações, condições de trabalho, direitos e deveres dos trabalhadores) e do Colegiado Gestor do HOB (reuniões com diretores, gerentes e coordenadores sobre questões que envolvem o trabalho realizado no Hospital). Para Rodrigo Cesário dos Santos, o papel do Conselho é muito produtivo e significativo. “O conselho lá fora é muito bem visto pelo desempenho que tem, isso mostra que a gente é ouvido e nosso trabalho funciona... é ótimo um trabalho no qual a Superintendência do Hospital e coordenações nos acolhem bastante, escutam nossas falas e as devidas providências são tomadas”, ressalta o atual presidente, completando que a expectativa com a nova gestão é continu-

A eleição dos novos integrantes do Conselho foi realizada no auditório do Hospital

ar fazendo um bom trabalho em parceria e união, honrando o compromisso com o trabalhador e o usuário.

Eleição do Conselho Local de Saúde

Os representantes dos usuários são indicados por assembleias em suas regionais. Os representantes dos trabalhadores, inclusive contratados e terceirizados, em atividade, são escolhidos pelos colegas de sua unidade de trabalho. Já os representantes do gestor são indicados pela Diretoria do HOB. Cada membro pode votar para presidente, vice-presidente, primeiro e segundo secretários e os respectivos suplentes. Também fazem parte do Conselho Local de Saúde do HOB os representantes da Unidade Hospitalar Nossa Senhora Aparecida (UHNSA) e do Núcleo de Cirurgia Ambulatorial e as unidades de saúde que foram incorporadas ao HOB, através de municipalização, em 2010. Na cerimônia para eleição dos integrantes da gestão 2011/2012, estiveram presentes a Superintendente do HOB, Míriam Maria Souza e a presidente do Conselho Regional de Saúde do Distrito Norte, Ângela de Assis.

Reuniões Mensalmente, o Conselho realiza reuniões abertas ao público. Os encontros são realizados toda primeira segunda-feira do mês, às 16h, no auditório do Centro de Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento de Pessoas do HOB (3º andar do Ambulatório).

Hospital Municipal Odilon Behrens 67anos

7


HOB comemora 67 anos com atividades para a humanização do ambiente hospitalar Foi uma maneira de homenagear todas as pessoas que trabalham e já trabalharam no HOB e contribuem/contribuíram diretamente na história do Hospital. No período da tarde, integrantes da Orquestra Sinfônica da Polícia Militar de Minas Gerais, locada na Academia da Polícia Militar de Minas Gerais, no bairro Prado, percorreram vários setores do Hospital levando alegria a Mural de fotos dos funcionários atraiu a atenção todos, através da música. de quem passava pelo hall principal No início da noite, por volta das 18h, o renomado No dia 30 de março, o Hospital Munici- contador de causos, Tadeu Martins, realipal Odilon Behrens (HOB) celebrou 67 anos. zou uma apresentação para os funcionáAo longo do dia, foram realizadas atividades rios do Hospital, no auditório do Centro que contribuíram para a humanização do de Ensino e Pesquisa e Desenvolvimento ambiente hospitalar. Dentre as atrações vol- de Pessoas (3º andar do Ambulatório). Dutadas aos usuários e funcionários do Hospi- rante uma hora, o contador divertiu e destal, destacou-se a participação do contador contraiu o público presente, com causos humorísticos da cultura mineira. de causos Tadeu Martins. Para a secretária do CTI do 1º andar, Pela manhã, um painel de 1,60m x 2,20m com várias fotos dos funcionários Cristiana Soares, que estava acompanhada ficou exposto próximo à Portaria Principal. de seu esposo, o momento com o contador de Causos foi interessante porque “além de a gente ter a oportunidade de saber um pouco mais sobre Minas e nossa cultura, sai um pouco da rotina do hospital”. Para a técnica de enfermagem da Emergência Pediátrica, Ildiléia Ribeiro, a apresentação foi uma “distração prazerosa” que trouxe “engrandecimento cultural e pessoal”.

e é membro efetivo da Comissão Mineira de Folclore. Tadeu Mar tins conhecia o HOB. Ele já veio visitar conhecidos que estavam internados no Hospital. Ao receber o convite para se apresentar voluntariamente, não pensou duas vezes: “Eu acho que a gente tem que retribuir um pouco do que a vida nos dá. Esse é um trabalho gratificante e é totalmente beneficente”, ressaltou. Tadeu também relembrou de uma memória afetiva com o Hospital. No réveillon do ano de 1999 para 2000, ele, que então era chefe de cerimonial, veio com o prefeito de Belo Horizonte na época, Dr. Célio de Castro, visitar pacientes e funcionários do HOB: “O Dr. Célio pensou nas pessoas que estavam passando por alguma tristeza, hospitalizadas e na equipe que estava trabalhando. Assim, eu vim com ele e fizemos uma visita muito interessante”. O contador de causos ainda revelou o interesse de desenvolver uma atividade O contador de histórias constante no HOB volTadeu Martins... tada aos pacientes.

Tadeu Martins e o HOB

Orquestra Sinfônica da PMMG trouxe música para o ambiente hospitalar

Contar causos, para Tadeu Martins, é algo que está presente em sua vida desde a infância: “com seis anos, antes de ser alfabetizado, eu já fazia rima”, recorda o homem que hoje já tem 10 livros publicados

... alegrou a todos com seus causos

História No dia 30 de março de 1944, o HOB foi construído, na gestão do então prefeito Dr. Juscelino Kubistcheck. Ao longo de sua história, o Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB) vem exercendo a missão de atender, de forma humanizada e eficiente as pessoas que necessitam de cuidados de urgência e emergência, garantindo a integralidade da atenção, assim como contribuir para o processo de ensino, em consonância com as diretrizes da Política Municipal de Saúde.

8

Anualmente, circulam pelo Hospital cerca de 1 milhão de pessoas, dentre elas pacientes, visitantes e acompanhantes. O HOB faz cerca de 1.500 internações/mês, atende cerca de 450 pacientes/dia no Ambulatório e 420 pacientes/dia no ProntoSocorro. É um hospital público, geral, de ensino e de pesquisa, com a missão de prestar atendimentos de urgência/emergência, internação e de especialidades, com eficiência, ética e qualidade. Possui 487 leitos, sendo 90 de terapia intensiva.

Hospital Municipal Odilon Behrens 67 anos

Em 2010, foram incorporadas à sua estrutura a Unidade Hospitalar Nossa Senhora Aparecida (UHNSA) e o Núcleo de Cirurgia Ambulatorial. Na UHNSA, são 44 leitos de Clínica Médica, 10 leitos de Centro de Terapia Intensiva (CTI) e oito leitos de Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), sendo recebidos cerca de 200 pacientes na Unidade por mês. O Núcleo é uma unidade hospitalar que realiza cirurgias de pequena e média complexidade, além de exames especializados.


HOBservador