Page 1

Terceiro Censo de População em situação de Rua e Migrantes de Belo Horizonte Frederico Garcia Ricardo Alexandre Cristiane Drumond Livia Napoli


Estrutura da apresentação •  Introdução •  Resultados quantitativos –  Intervalo

•  •  •  • 

Resultados qualitativos Comparação de resultados dos censos Discussão dos resultados Conclusão


CONTEXTO E HISTÓRICO


•  1998 – Primeiro Censo –  Análise quantitativa

•  2005 – Segundo Censo –  Analise qualitativa e quantitativa

•  2013 –  Analise qualitativa e quantitativa


METODOLOGIA


Quantitativo Proposição e  definição  do  escopo   Mapeamento   Construção  do  ques'onário   Coleta  de  dados   Construção  e  validação  do  banco  de  dados   Redação  do  Relatório   Devolu'va  e  definição  de  final  do  conteúdo  


RESULTADOS


Descrição da amostra Categoria de  pessoas  em  situação  de  rua

Número de  Pessoas  recenseadas

Menores de  18  anos

13

Abordados que  interromperam  a  entrevista

46

Abordados que  estavam  dormindo

176

Abordados que  recusaram

230

Total de  abordagens

1.456

Número esCmado  final,  após  ponderação

1.827


Onde est達o


Locais de coleta Locais de  coleta

Percentual

InsCtuição de  acolhimento  de  PSR  

51,1%

Calçada

46,2%

Praças

11,7%

Baixios de  viadutos  

5,5%

Restaurante popular    

0,7%

Terrenos baldios  

0,4%

Outros locais  

2,6%


Quem são? •  •  •  •  •  •  •  •  •  •  • 

Demografia Formação escolar Origem, trajetória deslocamento trajetória na rua Vínculos familiares Cotidiano Trabalho e obtenção de renda Saúde Violação de direitos e violência Vida associativa e cultural Utilização de serviços públicos


DEMOGRAFIA


GĂŞnero 13,2%

86,8%

Masculino Feminino


GĂŞnero dentro das regionais Mulheres Homens

100 95

16%

8%

25%

Barreiro

Centro-sul

Leste

31%

24%

12%

25%

Norte

Oeste

19%

21%

Percentual de Homens e Mulheres

90 85 80 75 70 65 60 55 50 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0

Nordeste

Noroeste

Pampulha Venda Nova


MĂŠdia de idade entre regionais


Distribuição etária Homens Mulheres

65-80 61-65

Faixa Etária (anos)

56-60 51-55 46-50 41-45 36-40 31-35 26-30 21-25 18-20 -14

-12

-10

-8

-6

-4

Frequencia em %

-2

0

2

4


Cor da pele


Orientação sexual 4.0 3.5

3,1%

3.0 2.5 2.0

1,6%

1.5 1.0

0,6%

0,8% 0,2%

0.5 0.0

Gay

Lésbica

Bissexual Transexual

Outra


FORMAÇÃO ESCOLAR


Letramento •  82,2% relataram saber ler e escrever •  12,8% só assinam o nome e apenas •  5% ser analfabetos


Formação escolar


ORIGEM, TRAJETÓRIA E DESLOCAMENTO


Local de nascimento


Local de nascimento Local

Percentual

Fora do  município  de  Belo  Horizonte    

64,2%  

Outra cidade  do  estado  de  Minas   Gerais    

39,7%  

Outro estado  da  federação      

24,5%  

Outro país      

0,3%  


Local de emigração Dado

Percentual

Nasceram no  mesmo  local  de  onde  emigraram   para  Belo  Horizonte    

45,8%

Viviam em  zonas  urbanas  antes  de  emigrar  para   Belo  Horizonte.    

80%

Recenseados viveram  a  vida  toda  em  BH    

23,6%  


Local de emigração Local de  origem  

Percentual

Outras cidades  do  estado  de  Minas  Gerais    

34,9%  

Estado de  São  Paulo    

6,9%  

Estado do  Rio  de  Janeiro    

4,7%  

Bahia  

4,7%  

Espírito Santo      

4,7%  

Goiânia  

1%


Local de emigração Norte de Minas

7,0%

Noroeste de Minas

Jequi!nhonha/ Mucuri

0,3%

Triângulo

3,1%

13,4% Central

Alto Paranaíba

1,9%

Rio Doce

42,3% Centro-oeste de Minas

1,9% Sul de Minas

1,1%

.

19,2%

Belo Horizonte

Mata

9,7%


Motivo da emigração


Motivo da permanecer em BH 26%

Outros Motivos

5,7%

Pelos serviços ofetardos Porque não deseja voltar para casa

16,5%

Dificuldades para voltar para casa

16,7% 22,4%

BH ĂŠ acolhedora

31,3%

Trabalhar 0

5

10

15

20

25

30

35


Meio de transporte usado


História de institucionalização Outra

3,7%

Orfanatos/Internatos

15,7%

CERSAM/CAPS

15,7%

Sistema sócio-educativo

16,7%

Institução Psiquiátrica

17,2%

Casa de repouso / Centro de Passagem

18,8%

Comunidades terapêuticas

34%

Sistema Prisional

40,4%

Asilos / abrigos

46,5% 0

5

10

15

20

25

30

35

Percentual

40

45

50

55


TRAJETÓRIA NA RUA


Motivação para vir morar na rua


MĂŠdia de tempo na rua 20

1 3 ,7 5

15

1 0 ,5 8 ,4 6 10

9 ,5

7 ,2 2

7 ,0

8 ,4

7 ,2

6 ,5 3 ,1

5

ta to

o

ra

n a

p

m A

V

e

o

n

st

d

m a P

l

va

a lh u

st e O

N

o

rt

e

e

e

N

o

rd o

ro

e

e

st

e st

e st e L N

n e C

B

a

tr

rr

o

e

-s

ir

u

o

l

0

!


VÍNCULOS FAMILIARES


VĂ­nculos entre as pessoas que vivem na rua Sozinho 64,1% Grupo 30% Parente 4,7% Conjuge ou Companheiro 1,2%


Vínculos com as famílias Fato Relataram nunca encontrar com membros da família   Encontram com familiares diariamente   Uma vez por semana,   Uma vez ao mês,  

Percentual 39,2%   7%   12,5%   11%  

Uma vez a cada 6 meses

14,3%

Uma vez por ano

15,3%


COTIDIANO


Raz천es para n찾o dormir nos albergues e abrigos


Higiene pessoal


Percentual

Trabalho e obtenção de renda 100 95 90 85 80 75 70 65 60 55 50 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0

Trabalha fichado Trabalhou Fichado Nunca trabalhou fichado 72,6%

70%

49,5% 42,6%

12,9%

14,5%

Homens

7,9%

Mulheres

12,5%

17,5%

Amostra


Trabalho e obtenção de renda


VIOLAÇÃO DE DIREITOS E VIOLÊNCIA


Tipificação da violência


Agentes perpetradores dos atos violentos contra os recenseados 60 55 50 45

Homens Mulheres Amostra 48,2%

44,6% 43,9% 44,5%

40

p=0,03

42,3%

35

43,1%

28,1%

30 25

20,7%

19,6%

20 15 10 5 0

Agentes públicos

Civis

Pessoas em situação de rua


VIDA ASSOCIATIVA E CULTURAL


Participação em Movimentos Sociais Amostra Mulheres Homens

0,7% 2,6%

Mov. de Mulheres

0,4% 1,1% 0,1%

Mov. de DH

1% 1,4% 0,1%

Movimento LGBT

1,2% 2,5% 0,5%

Mov. de Luta Pró-moradia

2% 5,2% 5% 5,2%

Mov. Nacional de Pop. de Rua

0

1

2

3

4

5

6


PERSPECTIVAS DE VIDA


Solução para sair da rua

94% deseja   sair   da  rua  


UTILIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE PROTEÇÃO E PROMOÇÃO SOCIAL


Uso de serviços de assistência social acessados nos  úlCmos  três  meses  pelos  recenseados  


Documentos

78% possui   algum   documento  


Uso de benefĂ­cio social


SAÚDE


Doenças Orgânicas


DeficiĂŞncias relatadas FĂ­sica Mental Auditiva Visual

15

Percentual

13,3%

13,2%

12,5%

10

7,8%

5

0

5,1%

5,1%

4,7%

2%

1,6%

Homens

Mulheres

5,5%

5,1%

2%

Amostra


Doenรงas mentais 23% de auto-relato de ao menos um transtorno mental


Uso de drogas 51,5% de auto-relato de uso de drogas ilĂ­citas 2,57%

Merla

9,2%

Solventes

10,9%

Bereu

16,7%

Cocaina

32%

Crack

35%

Maconha

48,5%

NĂŁo usa drogas

0

5

10

15

20

25

30

35

Percentual

40

45

50

55

60


Etilismo 69,5% consomem bebidas alcoólicas Daqueles que  consomem  álcool    

Percentual

Uso durante  o  dia    

50,2%  

Duas a  três  vezes  por  semana    

27,4%  

Duas a  quatro  vezes  por  mês    

16,6%  

Todas as  noites    

5,5%  


Tabagismo 74,7% relatam uso de tabaco Daqueles que  usam  o  tabaco   média  de  cigarros  ao  dia  de  10  ou  menos     De  11  a  20  cigarros     Um  maço     Mais  de  um  maço    

Percentual 40%   12,4%   27%     20,6%    


UTILIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE


Uso de serviços de saúde acessados nos  úlCmos  três  meses  pelos  recenseados   Homens Mulheres Amostra

11,4% 19,7%

CERSAM

12,5%

14,3% 14,2%

Consultório de Rua

14,2%

37% 47%

Centro de Saúde

38,3% 0

10

20

30

Percentual

40

50


Locais utilizados para tratamento


Locais de referĂŞncia para obter medicamento

Terceiro Censo de População em situação de Rua e Migrantes de Belo Horizonte  

Contexto e histórico da população em situação de Rua e Migrantes de Belo Horizonte

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you