Issuu on Google+

Informativo do Hospital Municipal Odilon Behrens Belo Horizonte - Ano 3 – N.º 23 – janeiro de 2012

Saiba mais sobre a Residência Médica e a Residência Multiprofissional do HOB Págs. 4 e 5

Patrimônio do HOB: conservação é responsabilidade de todos

Simpósio sobre Acidentes com Material Biológico é realizado no Hospital

Fotos de eventos e confraternizações do final de 2011

Pág. 6

Pág. 7

Pág. 8


Editorial

Fique atento aos comunicados da

GAP

A nova edição do jornal HOBservador traz, novamente, como destaque, a área de ensino e pesquisa do HOB . Desta vez, a matéria principal é sobre os programas de residência em saúde do Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB): Residência Médica e Residência Multiprofissional. Você poderá saber mais sobre como é cada área de formação de ensino no Hospital e os últimos eventos realizados no HOB da residência em saúde, além de conhecer as Comissões que supervisionam e acompanham o trabalho das Residências. Outra matéria que merece sua atenção é a que trata sobre a conservação e melhor uso do patrimônio do HOB como um todo. Há informações do setor de Arquitetura e Engenharia do Hospital, que relata as dificuldades existentes nesse sentido, assim como a necessidade de reparos, do setor de Manutenção. Outro destaque é a realização do Simpósio sobre Abordagem do Acidente com Material Biológico, realizado em dezembro no HOB. O objetivo do Simpósio, que teve coordenação da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), foi informar sobre os riscos no manejo e prática diária de materiais orgânicos biológicos, de diversos tipos, que podem causar infecções. Envie sugestões de matérias para o jornal HOBservador pelo e-mail (hobascom@pbh.gov.br) Boa leitura. Sérgio Cardoso Pinheiro Diretor de Gestão do Trabalho, Ensino e Pesquisa

A Gerência de Administração, Registro e Pagamento de Pessoal (GAP) solicita atenção e providência dos funcionários do HOB sobre: Desconto da Contribuição Sindical na folha de pagamento de março/2012

N

a folha de pagamento de março de 2012, ocorrerá desconto de 1 (um) dia de trabalho baseado na remuneração total dos servidores/empregados referente a contribuição sindical, conforme o artigo 8.º da Constituição Federal e artigo 580, inciso I e 582, caput da CLT.     Caso o empregado/servidor já contribua para outro Órgão, ou diretamente no Sindicato, deverá trazer o comprovante (original e xerox) de pagamento à Gerência de Administração, Registro e Pagamento de Pessoal (GAP) no período de  01/02/2012 a 15/03/2012, para evitar desconto em duplicidade.O empregado/servidor que preferir que o desconto seja feito pelo HOB, deverá solicitar a declaração de desconto de contribuição sindical na GAP, aguardando o prazo de 2 (dois) dias úteis para liberação do documento. Dúvidas e mais informções pelo ramal 76288, na Gerência de Administração, Registro e Pagamento de Pessoal (GAP).

 

Circular Interna

G

erentes e servidores, atentem para a circular n.° 002-2011, que está disponível nos setores e na intranet, e trata da normatização de procedimentos, definição dos fluxos, organização, preparo e confecção da Folha de Pagamento.

Férias

T

anto para solicitar suas férias quanto para receber o pagamento delas, você deve entregar todos os documentos necessários à Gerência de Administração, Registro e Pagamento de Pessoal (GAP) até o dia 15 de cada mês. Após esta data, ou seja, a partir do dia 16, não serão emitidas ou aceitas concessões de férias na GAP, exceto no caso de férias obrigatórias (CLT). Exemplo: se você quiser tirar férias em março, deverá levar todos os documentos até o dia 15 de fevereiro.

Atualização de endereço

S

e você ainda não atualizou o seu endereço junto à GAP, faça isso o mais rápido possível. Esse procedimento é fundamental para a comunicação direta entre o HOB e seus funcionários, em sua residência.

Expediente Jornal HOBservador Edição – Assessoria de Comunicação do Hospital Municipal Odilon Behrens – HOB (ASCOM-HOB) Supervisão Editorial – Assessoria de Comunicação Social do Município de Belo Horizonte

Fotografias – Arquivo ASCOM HOB Tiragem – 3.000 exemplares Periodicidade – mensal Distribuição gratuita

Hospital Municipal Odilon Behrens Rua Formiga 50 – bairro São Cristóvão CEP 31.110430 – Belo Horizonte/MG

Colorida

Tons de cinza

Contatos – hobascom@pbh.gov.br (31) 3277-6220

2

HOB servador

Hospital Municipal Odilon Behrens 66anos

Negativa, colorida

Negativa, tons de cinza

Chapada, em cor clara

Chapada, em cor escura


Um dia de...

... Camareira S

ara Menezes da Silva é camareira depois que já passei em todos os leitos no Hospital Municipal Odilon Behrens bem cedo, pois os banhos começam a (HOB) há 15 anos. Uma das funcionárias partir de 8h30”, ressalta. No total, são 88 leitos pelos quais mais conhecidas e queridas da Lavanderia, Sara é responsável pela entrega de Sara deixa os “kits”. Com bom humor, ela peças limpas para cada leito das Clínicas conversa com os pacientes e pergunta Médica e Cirúrgica Vascular. Mãe coruja, como está o tratamento. “Adoro o contaela está sempre de olho nas duas filhas to com eles. Sempre que posso, pergunto e eventualmente até recebe uma visita se estão precisando de algo e ajudo com delas no Hospital. Nos dias de folga, a ca- o que posso”, conta a camareira. Em seguida, ela volta para a Lavanmareira diz que gosta muito de caminhar deria e, em conjunto com a equipe do e ler. A funcionária trabalha em regime setor, separa as peças limpas e as organi12x36 e começa o expediente preparan- zam em sacos para a distribuição nos CTI do, na Lavanderia, seus carrinhos para o do 1.°, 2.° e 3.° andares, Bloco Obstétrico e transporte das peças de roupa e dos “kits Bloco Cirúrgico da Urgência, organização de higiene”. Os carrinhos levam camisolas, adequada de roupas nos armários-reserlençóis, pacotes de fralda, traçados (peça va. São separados itens específicos para destinada aos pacientes, que estão usan- cirurgias, como jalecos, calças e camisas do fralda) e sabonetes, totalizando mais cirúrgicas. Depois disso, Sara leva as peças à Central de Material e Esterilização de 230 itens. Em seus carrinhos, Sara também leva (CME), onde ficam prontas para distribui21 capotes descartáveis, que são uma es- ção. pécie de avental usado pela equipe assisApós esta organização, Sara fica à tencial, caso algum paciente apresente disposição no 3.° andar para atendimencaso de isolamento. Ela explica que estes to de demanda espontânea. Às 16h, ela itens só podem ser entregues aos superrealiza o mesmo trabalho feito durante a visores da Clínica Médica e são controlamanhã, e passa por todos os leitos do 3.° dos por meio de assinaturas. andar, trazendo novas peças limpas. DeApós terminar a distribuição das pepois, volta à Lavanderia e, junto à equipe, ças na Clínica Médica, Sara segue para a Clínica Vascular, onde realiza o mesmo aguarda por chamadas de urgência de trabalho nos quartos. “Só fico tranquila outros setores até o final do dia.

Indicadores HOB Novembro 2011 Pronto-Socorro Total de Pacientes Atendidos no PS Pacientes Atendidos na Sala de Emergência* Pacientes Atendidos na Odontologia** Remoções do PS para outros Hospitais Pacientes Internados ***

13.563 342 1.473 129 1.419

Média de Permanência Linha de Cuidado ao Adulto e Idoso

14,4

Linha de Cuidado Cirúrgico

6,8

Linha de Cuidado de Atenção à Mulher

3,1

Linha de Cuidado da Criança e do Adolescente

11,6

HOB

8,2

Taxa de Ocupação Linha de Cuidado ao Adulto e Idoso

97,3%

Linha de Cuidado Cirúrgico

93,5%

Linha de Cuidado de Atenção à Mulher

83,7%

Linha de Cuidado da Criança e do Adolescente

85,5%

HOB

91,3%

Consultas Ambulatoriais

9.496

Bloco Cirúrgico Urgência/Emergência

339

Urgência/Eletivas

175

Obstetrícia Total de Partos

218

Partos Normais

127

Exames Imaginologia

9.097

Laboratoriais ****

80.339

Refeições – GND

96.739

* Número de pacientes admitidos na Unidade (internados ou não), contando as transferências internas. * Número de pacientes admitidos na Unidade (internados ou não), contando as transferências internas.

Sara separa as peças limpas para entregar em alguns setores do HOB...

... e fotografa com os colegas da Lavanderia.

HOB servador

*** Sem contar as internações diretamente na UNSA

Hospital Municipal Odilon Behrens 66anos

3


Matéria de Capa

Residências médica e multiprofissional: conhecimento e vivência profissional no HOB.

Izabel Pena (de verde, à esquerda), coordenadora da Comissão de Residência Multiprofissional, com profissionais da área de Enfermagem, Nutrição, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Serviço Social e Psicologia que fazem residência no Hospital.

U

m dos trabalhos existentes no Hospital Municipal Odilon O Supervisor do PRM de Clínica Médica e coordenador da Behrens (HOB) que reforça seu importante papel como Hospital Comissão de Residência Médica (COREME), ambos do HOB, Regide Ensino são os programas da residência em saúde, no caso es- naldo Valácio, explica que a residência tem um papel importante pecífico, as residências médica e multiprofissional. A residência para o Hospital. “Para o HOB, a residência tem grande valor, já que oferece uma formação teórica e prática e as especializações tem muitos formandos acabam ficando aqui e contribuem para a conuma duração variável, de 2 a 5 anos. Cada categoria profissional tinuidade e melhoria do serviço. Com isso, o HOB só tem a ganhar. conta com preceptores que atuam na docência e orientação teó- Muitos de nós estamos convencidos de que houve um salto de rica e prática dos residentes. qualidade quando a residência foi implantada no Hospital” enfaEm 2004, o HOB foi credenciado como Hospital de Ensino. tiza Reginaldo. Entretanto, a residência do HOB existe desde 1994. Durante a formatura da turma da Residência Médica deste ano, o diretor de gestão de trabalho, ensino e pesquisa do Hospital, Sérgio Pinhei- Residência Multiprofissional ro, ressaltou a importância da relação entre cuidado e ensino no HOB. “Na realidade, são coisas que caminham juntas dentro do lém da residência médica, o HOB conta com a residência Odilon e é preciso que isso se difunda no Hospital. E que cada ser- multiprofissional. Criada em 2009, é uma especialização latu senvidor, cada colaborador do HOB veja o ensino junto com a assis- su e seu objetivo é formar especialistas nas áreas de Enfermagem, tência. Não podemos mais admitir o Odilon só como assistência”, Nutrição, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Serviço Social e Psicologia, declarou. por meio do treinamento em serviço. “A residência multiprofissioPara a gerente de ensino e pesquisa do HOB, Maria de Lour- nal prioriza muito o trabalho em equipe e a formação do profissiodes Ulhôa, a presença de várias categorias profissionais nos pro- nal de saúde para o Sistema Único de Saúde (SUS). Os residentes gramas de residência, promove, a partir da integração dos diver- têm disciplinas ao longo de todo o curso sobre diversos aspectos sos saberes, ganhos para a assistência ao paciente e também para do SUS, políticas nacionais de saúde e sobre o funcionamento da o Hospital, que ganha força na realização de sua missão. “O pro- rede como um todo” ressalta a coordenadora da Comissão de Regrama político-pedagógico da residência multiprofissional em sidência Multiprofissional do HOB Izabel Pena. saúde prioriza a clínica ampliada e compartilhada, que provoca Atualmente, dois programas integram a Residência Multipronovos olhares sobre assistência ao usuário”, ressaltou acrescenta- fissional: Urgência e Trauma (formação pioneira no Brasil) e Saúdo que, juntas, a residência médica e a multiprofissional, tem se de da Criança. A partir deste ano, quatro novos programas serão constituído em um fator sustentador dos avanços dos processos criados: Saúde do Idoso, Atenção Básica / Saúde da Família, Saúde de educação em saúde e do trabalho em saúde. Mental e Saúde da Mulher. A Residência Multiprofissional do HOB é aprovada pelo Ministério da Saúde e da Educação, e já está cadastrada na Comissão Nacional de Residência Multiprofissional.

A

Residência Médica

A

Residência Médica do Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB) forma especialistas da saúde, através do treinamento prático e teórico supervisionado. Por meio de seus programas de residência, o HOB fortalece cada vez mais a união entre cuidado aos usuários e a formação de novos profissionais. Criado em 1994, o Programa de Residência Médica (PRM) do HOB iniciou-se com a possibilidade de formação em 3 especialidades. Atualmente, são 15: Clínica (com especialização em Medicina de Urgência), Cirúrgica (com especialização em cirurgia do trauma), Pediátrica (com especialização em neonatologia e intensiva pediátrica), Obstetrícia (com especialização em ultrassonografia e reprodução humana), Cirurgia Vascular, Neurologia, Neurocirurgia, Medicina de Família e Medicina do Trabalho. No ano de 2012, o Hospital desenvolverá mais três especialidades: Ortopedia, Psiquiatria e Geriatria.

4

HOB servador

Comissões e supervisões

O

s programas de residência do HOB são supervisionados pela Comissão de Residência Médica (COREME) e pela Comissão de Residência Multiprofissional (COREMU). São as comissões que dão legitimidade às residências e constituem um espaço democrático para discutir as questões que envolvem as residências. Participam da Comissão os coordenadores de programa, gestor local, gerente de ensino e pesquisa e representantes de preceptores e residentes, que se reúnem todo mês. “Este ano, as duas residências (Médica e Multiprofissional) têm início no dia 1.° de março, e por isso as duas comissões vão trabalhar de maneira mais conjunta. Isso será um estímulo a mais para que os programas fiquem mais alinhados e atuem de modo colaborativo”, conclui Reginaldo Valácio.

Hospital Municipal Odilon Behrens 66anos


Matéria de Capa Seminário da Residência em Clínica Médica

(HOB), os formandos apresentaram suas monografias em cerimônia na tarde do dia 2 de fevereiro, no auditório do Hospital. Durante o evento, cinco trabalhos foram apresentados pelos residentes. Seis residentes de Pediatria, que ficaram no Hospital por um período de dois anos, se dividiram em duplas para realizarem as pesquisas, e outros dois de Neonatologia, que permaneceram no HOB por um ano, trabalharam individualmente. Toda a comunidade do Hospital foi convidada a participar do ciclo de apresentações. A coordenadora do PRM de Pediatria do HOB, Flávia Cardoso, destaca a importância do programa. “É essencial para o residente se sentir integrado ao serviço, ele vê que faz parte e que ele é importante para o sistema. Ele colhe os resultados desse trabalho que ele plantou durante o tempo que ficou no HOB” ressalta Flávia.

Seminário destacou as auditorias clínicas realizadas pelos residentes

Residentes comemoram formatura no Conselho Regional de Medicina

N

o dia 24 de janeiro, ocorreu o 3.° Seminário do PRM, Programa de Residência Médica, da Clínica Médica, no auditório HOB. Além de marcar o fim da residência de 45 (12 especialistas em Clínica Médica) novos profissionais, o Seminário também serviu de ambiente para debates e discussões acerca do papel do médico clínico no Hospital e para apresentação de audiorias clínicas realizadas pelos próprios formandos. Após a abertura, o Coordenador de Ensino e Supervisor do PRM da Clínica Médica do HOB, Dr. Reginaldo Valácio, ministrou o primeiro módulo do evento, denominado “O clínico, as competências, os processos e a rede” no qual ele colocou em debate questões relacionadas ao papel do profissional da área médica nos dias de hoje. Em seguida, a convidada Maria Ao todo, foram 45 formandos da Residência Médica... Luisa Tostes, Gerente de Atenção à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, realizou uma apresentação sobre as atividades do SUS em Belo Horizonte. A segunda parte do evento foi reservada para a apresennoite de 30 de Janeiro foi uma solenidade para a equipe tação de duas auditorias clínicas*, feitas pelos próprios reside médicos residentes do HOB. A cerimônia dos 45 formandos dentes do HOB: linha de cuidado com pacientes de AVC e pacientes idosos com fratura de fêmur. Em 2011, dez auditorias ocorreu na sede do Conselho Regional de Medicina, em Belo clínicas foram realizadas pelos residentes da Clínica Médica no Horizonte. O evento contou com a participação da superintendente do HOB, das quais oito foram apresentadas durante o período diHOB, Yara Ribeiro, do Coordenador da Residência Médica, Regidático da residência. O terceiro módulo serviu como síntese do aprendizado e naldo Valácio, do Diretor de Gestão, Ensino e Pesquisa do HOB, momento para reflexões finais dos residentes. Além da Clínica Sérgio Cardoso Pinheiro, e Suzana Rates, representando o SecreMédica, representantes e supervisores de outras áreas do HOB tário Municipal de Saúde Marcelo Teixeira. Depois de agradecimentos aos coordenadores e preceptambém estavam presentes no Seminário. tores, os formandos receberam arranjos de flores e os diplomas. *Auditoria Clínica é um processo pelo qual mede-se como Uma das surpresas da noite foi o discurso dos pais da formanda está o desempenho do Hospital na aplicação de uma recomenda- Adriana Diamantino, Drs. Noassis Diamantino e Taiza Diamantino, ção em saúde para comparar com o padrão que deveria ser atin- que também atuam na área de coordenação de residências médigido. Quando se identifica uma lacuna, parte-se para um estudo cas e foram convidados a compartilhar experiências com o grupo. das causas, que resulta na elaboração de um plano para conse- “Ficamos muito orgulhosos e agradecidos ao Hospital não só por essa oportunidade, mas também pela formação da nossa filha” guir seguir essas recomendações e melhorar o serviço. explica Noassis Diamantino. Os 45 residentes se formaram em nove especialidades: Cirurgia Geral (Trauma e Vascular), Clínica Médica, Medicina de Residentes apresentaram monografias Urgência, Medicina de Família e Comunidade, Medicina do Trabalho, Neurocirurgia, Neonatologia, Obstetricia e Ginecologia (Reprodução Humana e Ultrassonografia) e Pediatria.

A

Residentes da Pediatria e Neonatologia apresentaram trabalhos.

Para celebrar a conclusão do Programa de Residência

... que teve cerimônia simbólica no Conselho Regional de Medicina.

Médica (PRM) em Pediatria do Hospital Municipal Odilon Behrens HOB servador

Hospital Municipal Odilon Behrens 66anos

5


Patrimônio do Hospital deve ser conservado A Coordenadoria de Arquitetura e Engenharia do HOB tem

constatado, que alguns espaços físicos e móveis do Hospital estão sendo mal cuidados pelos próprios funcionários do HOB. O principal motivo, de acordo com avaliações do setor, é o mal uso dos itens. “Temos alguns exemplos rotineiros, como a má conservação do piso em laminado, destruído rapidamente por materiais de limpeza abrasivos; a falta de cuidado com o conjunto de portas, que em pouco tempo tem as maçanetas soltas e as marcas de carrinhos de transporte; vida útil muito curta dos metais colocados nos banheiros, que chegam a ser arrancados” cita a arquiteta do HOB, Simone Rabello. Além desses problemas, ela lembra ainda do alto nível de deterioração da pintura das paredes devido ao hábito de afixar papéis diretamente sobre elas, que causam danos ao serem arrancados, e também a falta de cuidado com as placas sinalizadoras: “depois de dois anos de instalação, somam quase a metade do número original de placas” ressalta Simone. Não são só espaços antigos que vêm sendo depredados. Atualmente, cinco grandes obras estão em andamento no Hospital, e uma delas, abrigo para compactadores, já apresenta danos em suas portas e paredes. “A conservação de instalações do HOB é deficitária e vemos depredações. Essa situação só será alterada se houver um trabalho educativo de conscientização. As ações de-

vem ser mais preventivas do que corretivas. Os funcionários precisam ser sensibilizados dessa necessidade, por meio, talvez, da criação de índices de conservação por unidade e benefícios para bons exemplos” explica Simone. Para a Arquiteta, conservar o patrimônio promove economia do retrabalho e do custo de refazer o que já foi concluído. A cada vez que se investe em correções de depredações, coisas novas deixam de ser realizadas.

Manutenção e reparos

A

Gerência de Infraestruturae Manutenção Hospitalar é responsável pelo reparo dos danos a móveis e ambientes depredados do Hospital. De acordo com o gerente do setor, Anderson Milhorato, não existem dados oficiais, mas o tempo gasto com esses consertos é negativo para a equipe. “Todo trabalho desnecessário atrapalha o andamento dos serviços programados, pois temos que reparar um equipamento que, na maioria das vezes, não está no nosso cronograma diário” ressalta Anderson. Quem observar qualquer tipo de depredação dentro do Hospital deve comunicar à Gerência de Infraestrutura e Manutenção Hospitalar, pelo ramal 76076.

Mau exemplo: algumas situações em que houve má conservação e mau uso do patrimônio do HOB por parte dos próprios funcionários do Hospital.

6

HOB servador

Hospital Municipal Odilon Behrens 66anos


Objetivo do evento foi orientar e capacitar funcionários do Hospital na realização de um trabalho mais seguro.

HOB promove Simpósio sobre acidentes de trabalho com material Indicadores HOB biológico Dezembro 2011 V

isando a orientar e a capacitar os Aids, da Gerência de Saúde do Trabalhafuncionários para um trabalho mais se- dor e do Conselho dos direitos éticos e leguro, o HOB promoveu o Simpósio sobre gais dos pacientes com HIV e DST, todos Abordagem do Acidente com Material da Secretaria Municipal de Saúde. As paBiológico no mês de dezembro. O obje- lestras versaram sobre dados epidemiolótivo principal era informar sobre os riscos gicos referentes aos acidentes por mateno manejo e na prática diária, pois os fun- rial biológico em Belo Horizonte e no HOB, cionários estão expostos rotineiramente fluxo de referenciamento e atendimento a sangue, excrementos e materiais orgâ- dos acidentes com material biólogico em nicos de diversos tipos que podem causar Belo Horizonte, fluxo de abordagem dos infecções. Além disso, o evento visava a acidentes com material biológico no HOB esclarecer dúvidas sobre o fluxo, exames e aspectos éticos e legais na abordagem de profilaxia e acompanhamento do aci- dos acidentes com material biológico. dentado. Após as conferênSegundo Vilma cias, os participanMelo, gerente da Cotes reuniram-se missão de Controle para realização de de Infecção Hospium debate e para talar (CCIH) do HOB definição de encae coordenadora do minhamentos futuevento, a expectatiros. Setores envolvidos no atendimento ao va é de que o SimpóFoi a primeira paciente estiveram presentes. sio possa “sensibilivez que o Simpósio zar o profissional de saúde, envolvendo-o foi realizado no HOB e, segundo Vilma no processo de autocuidado, no descarte Melo, ele veio “em resposta à necessidaadequado do resíduo perfuro cortante e de de orientação a todos os servidores na utilização consciente”. do HOB e da coordenação médica, por Aberto a todos os setores envolvidos serem profissionais que estão expostos no atendimento a pacientes, como ser- e que avaliam a exposição de acidentavidores da assistência, Laboratório, CME, do, solicitam exames e indicam profilaxia, Infraestrutura e Higiene/Limpeza, o Sim- quando necessário, considerando que pósio trouxe palestrantes para conversar todos estão expostos ao risco do acidencom os funcionários. Os convidados são te ocupacional com material biológico e representantes da Coordenação de DST- precisam conhecer o fluxo”.

Pronto-Socorro Total de Pacientes Atendidos no PS Pacientes Atendidos na Sala de Emergência* Pacientes Atendidos na Odontologia** Remoções do PS para outros Hospitais Pacientes Internados ***

13.328 390 1.369 196 1.586

Média de Permanência Linha de Cuidado ao Adulto e Idoso

14,0

Linha de Cuidado Cirúrgico

6,3

Linha de Cuidado de Atenção à Mulher

3,1

Linha de Cuidado da Criança e do Adolescente HOB

10,1 7,5

Taxa de Ocupação Linha de Cuidado ao Adulto e Idoso

96,5%

Linha de Cuidado Cirúrgico

91,3%

Linha de Cuidado de Atenção à Mulher

89,6%

Linha de Cuidado da Criança e do Adolescente

79,6%

HOB

89,3%

Consultas Ambulatoriais

7.412

Bloco Cirúrgico Urgência/Emergência

358

Urgência/Eletivas

180

Obstetrícia Total de Partos

257

Partos Normais

175

Exames Imaginologia

10.025

Laboratoriais ****

85.876

Refeições – GND

97.932

* Número de pacientes admitidos na Unidade (internados ou não), contando as transferências internas. * Número de pacientes admitidos na Unidade (internados ou não), contando as transferências internas. *** Sem contar as internações diretamente na UNSA


Alegria presente no HOB Visitas e apresentações especiais Apresentação de dança: o grupo de dança Wanda Bambirra apresentou-se na recepção da portaria principal do HOB, no final do ano. Cerca de 10 meninas, com idade entre sete e 12 anos, dançaram ao som de temas de super-heróis, e vestidas a caráter, animando funcionários e visitantes. A performance faz parte de um projeto do grupo de se apresentar e levar doações a algumas instituições de Belo Horizonte.

Coca-Cola: o urso que é mascote da campanha de fim de ano da Coca-Cola esteve no HOB para visitar pacientes, acompanhantes e funcionários. A equipe da Empresa e o urso polar alegraram o dia na Pediatria, CTI e Observação Pediátrica e Pronto-Socorro, além de distribuírem brindes para as crianças.

Visita Raposão: a mascote do Cruzeiro esteve no HOB visitando pacientes e distribuindo bandeirinhas do time pelos corredores a funcionários e acompanhantes. A um paciente em especial, que estava há cinco meses internado, Raposão presenteou com uma camisa oficial personalizada e um boné do clube.

Confraternizações de final de ano Clínica Médica

Fisioterapia

8

HOB servador

Hospital Municipal Odilon Behrens 66anos

Maternidade


Jornal HOB nº 23