Page 1

Boletim Informativo Boletim informativo Nº5 - Praia, Abril de 2014 INE propõe a criação do Grupo de Praia em Governança Paz e Segurança, na 45ª Reunião da Comissão Estatísticas das Nações Unidas Página 13

Enquadramento 2

Principais Resultados 3

Praia acolhe o Seminário Regional sobre o Uso da Tecnologia Móvel na Recolha de Dados e Produção Estatística em África . Página 06

Eventos 6

Notícias 8 INE integra Conselho de Administração de Paris 21 Página 08

Entrevista 10

Artigo 13

BIINE Nº 5 Abril 2014


02

Enquadramento

Caros Leitores É com muita satisfação que o Instituto Nacional de Estatística (INE) coloca à vossa disposição mais um número do seu Boletim Informativo, um instrumento de divulgação das principais actividades do INE no trimestre findo. Este trimestre foi, também , muito rico em realizações. Em termos dos resultados, destacamos a divulgação dos dados do ano findo que foram divulgados neste trimestre, bem como referentes aos seguintes produtos: Índice de Preços no Consumidor (IPC); Estatísticas do Turismo, referentes ao Inquérito à Movimentação dos Hóspedes nos Estabelecimentos Hoteleiros 2013 e Inventário Anual dos Estabelecimentos Hoteleiros; Resultados do Comércio Externo 2013; Conjuntura no Consumidor; Resultados de Conjuntura às Empresas 2013; Estimativas das Contas Nacionais 2012; Resultados do IV Recenseamento Empresarial 2012. Em termos de Noticias, destaca-se a nomeação do Presidente do NE como membro do Conselho de Administração do Paris21; a participação do INE na 45ª Sessão da Comissão de Estatísticas das Nações Unidas onde se propôs a criação do Grupo de Praia; a vinda de uma missão do INE da Tunísia para uma cooperação técnica às Contas dos Sectores Institucionais; o encontro com o Instituto de Estatística e de Estudos Económicos (STATEC) de Luxemburgo para dinamização da cooperação, e por último, a visita ao INE de uma missão de peritos da Statscan – Estatística do Canadá. Em termos de Eventos, destaca-se neste número a realização em Cabo Verde do “Seminário Regional sobre o uso da Tecnologia móvel na Recolha de Dados e Produção Estatística em África”. Note-se também que no âmbito do “Seminário Regional sobre o uso da Tecnologia móvel na Recolha de Dados e Produção Estatística em Africa” foi realizada uma entrevista a dois organismos internacionais: o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e o Paris21. Em termos do Artigo, destaca-se neste número o artigo sobre Criação de City Group em Governança Paz e Segurança, proposta na 45ª Sessão da Comissão de Estatística das Nações Unidas, em Nova Iorque, em que Praia será anfitriã. Os resultados apresentados neste Boletim são uma síntese e pode-se encontrar detalhes no nosso website. (www.ine.cv).

BIINE Nº 5 Abril 2014


03

Principais Resultados Este espaço apresenta uma síntese dos principais resultados divulgados pelo INE no trimestre em análise.

Índice de Preços no Consumidor 1 ºTrimestre de 2014 O INE publica no 10º dia útil de cada mês, os dados do Índice de Preços no Consumidor relativamente ao mês anterior. Assim, no período em análise a taxa de variação mensal observada foi (-0,3) %, em Janeiro, Taxas de Variação do IPC Nacional, Março 2013 ‐ Março  passando para (-0,2) % em Fevereiro e diminuindo 2014 2,9% 2,8% 2,8% para (-0,4) em Março. A taxa de variação homólo- 2,8% 2,6% 2,6% 2,5% ga registada pelo IPC foi de 0,0%, no mês de Ja2,2% 2,6% 1,9% 2,3% neiro, aumentando para 0,5% em Fevereiro e para 1,5% 0,6% em Março. A variação média dos últimos 1,1% doze meses situou-se em 1,1%, em Janeiro, dimi1,4% 0,9% 1,3% 1,1% 1,2% nuindo para 0,9% em Fevereiro e passou 0,8% em 0,8% 0,5% Março. 0,7% 0,1% 0,0% 0,1% 0,0%

Ainda é possível ver no site (www.ine.cv) essas variações ao nível das ilhas, índices e taxa de variação homóloga de alguns agregados especiais (bens, energia, serviços, total excluindo energia, alimentação e bebidas, álcool e tabaco, etc.).

Taxa V. Homologa

0,6%

Taxa V. Média 12 meses

Estatísticas do Turismo- Movimentação de Hóspedes nos Estabelecimentos 2013 Os dados do Inquérito à Movimentação dos Hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros, referente ao ano de 2013, foram divulgados em Março do corrente ano. Este inEvolução de Hóspedes e Dormidas de 2000 a 2013 quérito disponibiliza vários indicadores a saber: núme- 4000000 ro de hóspedes, nº de dormidas, estadia média, taxa de 3500000 ocupação, etc No ano de 2013, a hotelaria registou cerca de 552 mil hóspedes, correspondendo a um acréscimo de 3,4% face ao ano de 2012. No mesmo período, as dormidas cresceram 3,0%. O Reino Unido foi o principal país de proveniência de turistas. Os turistas do Reino Unido foram os que permaneceram mais tempo em Cabo Verde, com uma estadia média de 8,8 noites. A ilha da Boa Vista foi a ilha mais procurada pelos turistas, representando cerca de 37,8% das entradas nos estabelecimentos hoteleiros

3000000 2500000 2000000 1500000 1000000 500000 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013

Hóspedes

Dormidas

Estatísticas do Turismo- Inventário Anual aos estabelecimentos hoteleiros O inventário anual aos estabelecimentos hoteleiros, referentes ao ano de 2013, foi divulgado em Março de 2014. Este inquérito disponibiliza vários indicadores a saber: número de estabelecimentos, de quartos, de camas, de pessoal ao serviço, capacidade do alojamento, etc. Segundo os dados do inventário anual realizado pelo Instituto Nacional de Estatística, no ano 2013 estiveram em actividade 222 estabelecimentos hoteleiros, mais 7,2% do que o ano anterior. Esses estabelecimentos hoteleiros ofereceram uma capacidade de alojamento de 9.058 quartos, 15.995 camas e 19.428 lugares traduzido em acréscimos de 6,3%, 6,6% e 6,9% respectivamente, em relação ao ano anterior.

BIINE Nº 5 Abril 2014


04

Principais Resultados

Em finais de 2013, os estabelecimentos hoteleiros inventariados empregavam cerca de 5.755 pessoas, o que corresponde a um acréscimo de 6,9% em relação ao ano 2012.

Evolução da Capacidade de Alojamento e Pessoal ao Serviço 2007 - 2013 2007 Es tabelecim entos Nº de Quartos Nº de Cam as Capacidade de Alojam ento Pe s soal ao Se rviço Fonte: INE

2008

2009

2010

2011

2012

Evol. 2013/2012

2013

150

158

173

178

195

207

222

7,2

5.368

6.172

6.367

5.891

7.901

8.522

9.058

6,3

9.767

11.420

11.720

11.397

14.076

14.999

15.995

6,6

11.544 3.450

13.708 4.081

14.096 4.120

13.862 4.058

17.025 5.178

18.194 5.385

19.428 5.755

6,8 6,9

Resultados de Comércio Externo do ano 2013 No mês de Janeiro, o INE divulgou os principais resultados das estatísticas do comércio externo concernente ao ano 2013. De acordo com os dados provisórios do comércio externo apurados pelo Instituto Nacional de Estatística em 2013, as exportações cabo-verdianas atingiram 5.735 mil contos, o que representa um aumento de 25,6% face ao ano anterior. Por outro lado, as importações e as reexportações fixaram-se em 60.201 mil contos e 21.831 mil contos, traduzindo-se em diminuições na ordem dos 8,4%, e 10,2% respectivamente, em relação ao ano 2012. O déficit da balança comercial diminuiu 10,9% e a taxa de cobertura aumentou 2,6 p.p.

Resultados de Conjuntura às Empresas 4º trimestre de 2013 No 4º trimestre de 2013, constata-se que o indicador do clima económico contrariou a tendência descendente dos últimos trimestres, ou seja, o ritmo de crescimento económico voltou a acelerar no último trimestre do ano, no entanto, o indicador situa abaixo da média da série. Observa-se ainda que o indicador de clima económico evoluiu negativamente relativamente ao mesmo período do ano 2012, a conjuntura económica é desfavorável. Este diagnóstico conjuntural resulta da síntese das apreciações transmitidas pelos empresários da construção, comércio em estabelecimento, turismo, indústria transformadora e transportes e serviços auxiliares aos transportes.

Resultados de Conjuntura no Consumidor 4º trimestre de 2013 O INE divulgou em Fevereiro de 2014 os resultados de conjuntura no consumidor. De acordo com os resultados apurados no 4º trimestre de 2013, o indicador de confiança no consumidor manteve a tendência descendente dos últimos trimestres, tendo o indicador registado o valor mais baixo desde início da série.

Indicador de Confiança no Consumidor (VE-MM3) 23 24 21 18

Observa-se ainda, que o indicador evoluiu negativamente quando comparado com o trimestre homólogo. Esta deveu-se a apreciação negativa de todas as variáveis que compõem o indicador relativamente ao mesmo período do ano 2012.

BIINE Nº 5 Abril 2014

21

21 19

18

16 15 15

22 22 22 21

20 18 16 13


Principais Resultados

05

Estimativas Contas Nacionais 2012 As estimativas de contas nacionais 2012 foram apresentadas em Março de 2014. Segundo os resultados apresentados, o PIB cresceu em termos nominais 1,9% e em termos reais (em volume) 1,2% relativamente ao ano 2011. O sector que mais contribuiu para essa evolução foi o sector dos serviços que, com um peso de 62,2% na estrutura do PIB, cresceu 4,5% em valor e 3,9% em volume. A contribuição do sector secundária foi negativa devido fundamentalmente a actividade de construção. No entanto, a análise do total do valor acrescentado mostra um crescimento de 3,5% em valor e 3,0% em volume, o que significa que a evolução do PIB na óptica da oferta explica-se sobretudo pela redução dos impostos líquidos de subsídios sobre os produtos que teve uma queda de 7,9% em valor e 10,0% em volume. Do lado da demanda, as descidas (em volume) ocorridas na formação bruta de capital (23,1%) e nas importações (14,7%), foram determinantes para a evolução do PIB nesta óptica.

Resultados do IV Recenseamento Empresarial 2012 Os resultados do IV Recenseamento Empresarial (IVRE) referente ao ano de 2012 foram divulgados no mês de Março de 2014. IVRE foi realizado em Setembro de 2013 e consistiu na recolha, tratamento, análise e difusão de dados sobre todas as empresas e estabelecimentos visíveis e fixas, sendo registadas ou não, que exercem actividade económica no território cabo-verdiano. Uma das conclusões do IVRE é que em 2012, Cabo Verde contava com 10.101 empresas, ou seja, 1.385 a mais do que em 2007, aquando da realização do III Recenseamento Empresarial. Os dados do IVRE indicam ainda que, o efectivo de empresas activas cresceu 2,5 %, o número de pessoal ao serviço diminuiu 3,7 % e o volume de negócios diminuiu 3 % face ao ano 2011, em termos nominais. Em termos absolutos o número de empresas activas foi de 9.177 empresas (220 empresas a mais do que em 2011), empregando cerca de 51.411, pessoas na última semana de Dezembro de 2012, gerando um volume de negócios de 250.821.807 contos.

BIINE Nº 5 Abril 2014


06

Eventos

Cabo Verde acolhe Seminário Regional sobre o Uso da Tecnologia Móvel na Recolha de Dados e Produção Estatística em África O Centro Africano de Estatística da Comissão Económica das Nações Unidas para Africa, em parceria com o Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde (INECV), Paris21 e o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), realizou nos dias 18 e 19 de Março o “Seminário Regional sobre o Uso da Tecnologia Móvel na Recolha de Dados e Produção Estatística em África”. Este Seminário, que contou com a presença de 34 países, 9 organizações internacionais e 94 participantes, teve como objectivo reunir produtores estatísticos africanos, organizações internacionais e o sector privado. Foi uma oportunidade para se fazer um balanço das oportunidades e limitações do uso da tecnologia móvel na recolha de dados e produção estatística em África. A sessão de abertura desta jornada foi presidida pelo Sr. Primeiro-Ministro, Dr. José Maria Neves, e contou com a participação do Director Interino da UNECA, Dr. Chukwudozie Ezigbalike, pelo Gestor do Secretariado do Paris21, Dr. Johannes Jutting, pelo Chefe de Divisão de Estatística do BAD, Dr. Beejaye Kokil, e pelo Presidente do INE, Dr. António Duarte. Segundo o Presidente do INE, para os países que já utilizam os dispositivos móveis na produção estatística, “(…) pensamos que este Seminário será um importante espaço para expor a sua experiência, mas, fundamentalmente, para conhecer a experiência das outras instituições, dando-lhes assim uma nova perspectiva quanto ao seu próprio percurso. Aos que ainda não fizeram a transição, terão a oportunidade de confrontar diferentes experiências, o que lhes ajudará fazer as melhores opções futuras”. Já o Chefe de Divisão de Estatística do BAD considerou que este seminário foi uma excelente oportunidade para discutir a implementação e o funcionamento dos sistemas existentes, os riscos decorrentes, a qualidade dos dados e ainda a segurança e confidencialidade dos mesmos. “Este seminário dá-nos ainda uma oportunidade de discutir o “Big Data”, que se tornou um importante desafio no contexto de “revolução de dados” que se insere na agenda de desenvolvimento pós-2015”, salientou. Para o Primeiro-Ministro de Cabo Verde, este é o momento para se fazer melhores escolhas para o futuro do continente, escolhas essas necessárias para um impulso transformador do continente africano. Considera ainda que ao nível da União Africana já se fala do Plano Estratégico 2063, outros já se referem ao desenvolvimento africano no horizonte de 2050 e que um pouco por toda a África já se ouve falar no “Senegal emergente”, na “Guiné Equatorial emergente”, “Quénia 2030”, a “Agenda de Transformação de Cabo Verde”, a Agenda de Transformação do Ruanda. “Daí a importância desta conferência, e de estarmos a analisar e a debater estas questões que têm a ver com a produção de dados estatísticos em África”, afirmou José Maria Neves. Ao longo do seminário foram feitas várias apresentações, onde os participantes compartilharam as suas experiências no que tange ao sistema CAPI (aplicativo informático que permite a recolha de dados assistida por dispositivos móveis). Tratou-se de uma grande oportunidade de partilha, o que permite ter uma ideia geral das boas práticas existentes, possibilitando, assim, iniciativas de cooperação entre os países. Em Cabo Verde, o INE utilizou pela primeira vez os dispositivos móveis nas suas actividades estatísticas em 2009, na preparação e realização do Censo da População 2010. O sucesso no uso dessa tecnologia na recolha de dados, incluindo a sua condução ao longo do referido censo, foi um dos motivos de escolha de Cabo Verde para ser o anfitrião deste seminário. Participantes do Seminário

BIINE Nº 5 Abril 2014


Eventos

07

A todos os ine’s que adoptaram o CAPI precisaram de uma forte mudança institucional, sendo que é necessário investimento em termos de informática e electrónica, mas igualmente uma reorganização ao nível institucional. Constatou-se também que, em todos os países, o CAPI trouxe vantagens importantes como celeridade e redução de custos, embora há que considerar que o desenvolvimento e estabilização do aplicativo, numa primeira fase, são um pouco morosos.

Encontro do Comité de Direcção e Assessoria Técnica em Tecnologia Móvel Na sequência do Seminário Regional sobre o Uso de Tecnologia Móvel na Recolha de Dados e Produção Estatística em África foi realizado, no dia 20 de Abril de 2014, um encontro do Comité de Direcção e Assessoria Técnica em Tecnologia Móvel. O objectivo do encontro foi analisar a situação da “United Nations Development Account (UNDA)” no “Reforço da capacidade dos países Africanos no uso das tecnologias móveis na recolha de dados para uma política efectiva e tomada de decisões”. Como tal, foi presidido pelo Centro Africano de Estatística da Comissão Económica das Nações Unidas para Africa – UNECA, com o suporte do Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde, Banco Africano de Desenvolvimento e Paris 21. O projecto do Centro Africano de Estatística tem como objectivo incentivar a revolução tecnológica no continente africano e, como tal, pretende apoiar 5 países no desenvolvimento de metodologia de recolha de dados via dispositivos móveis. Sendo assim, pretende-se fomentar a capacitação dos institutos nacionais de estatística nas novas tecnologias, algo que será alcançado através do incentivo a parcerias nacionais entre os institutos nacionais de estatística, universidades e privados. Igualmente, através da parceria SulSul, como foi referido pelo Director da Secção de Tecnologia de Dados da UNECA, Dr. Chukwudozie Ezigbalike, é importante fomentar a parceria entre países, usando como exemplo a parceria entre o Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia, o INE de Cabo Verde e a Agência Nacional de Estatística do Senegal, sendo que este último foi apoiado pelo INECV no Censo 2013 que foi realizado com o suporte do PDA (um dispositivo móvel). O INECV tem encorajado esta agenda desde 2009. Segundo o Presidente do INE de Cabo Verde, Dr. António Duarte, a discussão sobre os critérios de selecção dos países-piloto é de extrema importância pois é espectável que os institutos nacionais de estatística consigam desenvolver a tecnologia e que estejam em condições de maximizar o seu uso em território nacional, mas igualmente na região. Constatou-se que existe engajamento por parte dos países participantes, pelo que os próximos passos serão a identificação dos países piloto e início da colaboração. Espera-se que, até 2016, altura em que teremos resultados dos paísespiloto, seja realizado uma conferência regional sobre a recolha de dados através de dispositivos móveis, pois o objectivo principal é a partilha de experiência e a melhoria dos métodos de recolha de dados.

BIINE Nº 5 Abril 2014


08

Notícias

INE passa a integrar o Conselho de Administração de Paris 21 O Instituto Nacional de Estatística (INE) participou, de 2 a 4 de Abril, em Paris, na reunião anual do Conselho de Administração, um encontro importante que teve por objectivo, entre outros assuntos, analisar o relatório do ano findo e perspectivar acções até 2015. Nota-se que o INE passou a integrar o Conselho de Administração de Paris21, por um mandato de 2 anos, em representação de Angola, Guiné Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial. Paris 21 na sua estratégia de actuação para os próximos anos pretende atingir os seguintes objectivos: estimular o aumento da demanda e melhor utilização dos dados; facilitar a coordenação das partes interessadas para melhor atender as demandas crescentes; advogar para um maior envolvimento dos intervenientes nacionais no desenvolvimento estatístico; promover uma melhor qualidade e implementar efectivamente as Estratégias Nacionais de Desenvolvimento da Estatística (NSDS); e, por fim, melhorar o estado das estatísticas nas principais iniciativas internacionais. Paris 21 é um organismo internacional, criada em 2000, e tem como principal objectivo desenvolver acções em prol da redução da pobreza, sendo que, para isso, investe na promoção da integração das estatísticas e produção de dados fiáveis que favorecem o processo de tomada de decisão. Este organismo possui, no momento, 46 membros.

Encontro com o STATEC para dinamização da cooperação O Presidente do INE reuniu, no dia 01 de Abril, em Luxemburgo, com a Direcção do Instituto de Estatística e de Estudos Económicos (STATEC) daquele país e o Conselheiro Especial do Governo Luxemburguês junto do STATEC para a área da Cooperação. Foi uma oportunidade para discutir e aprovar o plano de acção da cooperação institucional até 2015 entre as duas instituições.

INE participa na 45ª Sessão da Comissão de Estatísticas das Nações Unidas O Instituto Nacional de Estatística (INE), representado pelo seu Presidente, participou, de 4 a 7 de Março, na 45ª Sessão da Comissão de Estatística das Nações Unidas, realizado em Nova Iorque. A Comissão de Estatística das Nações Unidas reúne os dirigentes dos institutos de estatística a nível mundial e parceiros, e tem como propósito, entre outros, promover o desenvolvimento das estatísticas nacionais, melhorando a sua comparabilidade, coordenar o trabalho estatístico das agências especializadas e promover a melhoria das estatísticas e métodos estatísticos de uma forma geral. Foram tomadas importantes decisões para a comunidade estatística. Um dos marcos são os princípios fundamentais das estatísticas oficiais aprovados pela Assembleia Geral das Nações Unidas, tendo-se decidido que esses princípios devem alargar-se às agências internacionais. Concluiu-se igualmente que se irá avaliar a sua implementação a nível nacional, regional e global (sendo que este último será realizado com uma periodicidade de 5 anos). Deu-se enfâse à crescente relevância do Big Data. Basicamente, são dados gerados pelos diversos sistemas, mas que não são criados com a finalidade de uso estatístico, embora possam ser úteis para esse efeito. Assim, encorajou-se que se ponderasse formas de usar esses dados para as estatísticas oficiais, e, para tal, sugeriu-se a criação de um Global Working Group. Tendo-se discutido os termos de referência do grupo, a China acolherá o primeiro encontro relativamente a esta matéria.

BIINE Nº 5 Abril 2014


Noticias

09

No dia 7 de Março de 2014, na discussão da agenda da Comissão de Estatística das Nações Unidas para 2015, o INE de Cabo Verde propôs a criação de um City Group, denominado Grupo da Praia: Governança, Paz e Segurança. Este será uma plataforma de discussão metodológica e técnica, a nível mundial, e que Praia, mais especificamente INECV, será o anfitrião. A margem da reunião, o Presidente do INECV negociou um novo protocolo de cooperação com o Instituto Nacional de Estatística de Itália para os próximos 3 anos e que deverá ser assinado nos próximos dias. Este protocolo visa o reforço de capacidades no domínio das estatísticas agro-pecuárias, amostragem, uso de dados administrativos, anonimização e confidencialidade de dados. Discutiu-se também com o Presidente do Instituto Nacional de Estatística de Espanha a cooperação entre as duas instituições.

INE recebe missão de assistência técnica do INE da Tunísia O Instituto Nacional de Estatística (INE) recebeu, de 17 a 21 de Março, o Director de Contas Nacionais do INE de Tunisia, Sr. Adel Souiden, numa missão de assistência técnica às Contas Nacionais de Cabo Verde. Esta missão teve como objectivo a troca de experiência com o INE de Cabo Verde na elaboração da sequência de contas dos sectores institucionais e na compilação dos demais elementos do quadro central do Sistema de Contas Nacionais de 1993 (SCN 93), dando assim sequência aos trabalhos de implementação do SCN 93 de modo a concretizar o quadro central. É importante salientar que o INE compilou 28 anos de contas com a metodologia do SCN 1968 tendo como ano de base fixo o de 1980. Em 2011, iniciou a implementação das recomendações do SNA 1993, alterando o ano-base de contas nacionais para 2007. No entanto, avançou-se com as contas de bens e serviços para disponibilizar aos usuários os dados do PIB na óptica da oferta e da procura.

Peritos da STATSCAN-Estatística do Canadá visitam o INE O Instituto Nacional de Estatística (INE) recebeu, de 20 a 22 de Fevereiro, uma missão do STATSCAN, constituída pela Sra. Valérie Bizier (Gestora de Programas) e Sra. Jacqueline Elizabeth Mayda (Directora da Divisão de Planificação Integrada). Esta missão segue no âmbito do “Programme Internacional en Gestion des Organismes Statistiques (PIGOS) de Statistique Canada”, e teve por objectivo identificar as prácticas actuais do INE e as ferramentas de planeamento estratégico integrado, determinar a necessidade de capacitação e assistência técnica do INE nessas áreas e, por ultimo, discutir o plano de acção do projecto PIGOS. No final desta missão, o Instituto de Estatística do Canadá passou a conhecer melhor as necessidades do INE na coordenação, gestão de projectos e no programa integrado de planeamento e gestão estratégica dos recursos, podendo vir a fazer recomendações ao INE de forma a melhorar as suas capacidades nessas áreas e implementar novos processos de coordenação e de planeamento integrado e poderá ainda estabelecer os parâmetros de actividades de capacitação e assistência adicional, de modo a permitir ao INE adquirir conhecimentos necessários à implementação do projecto PIGOS.

BIINE Nº 5 Abril 2014


10

Entrevista

Entrevista ao Coordenador do Secretariado do Paris 21, Sr. Johannes Jutting e ao Director da Divisão de Estudos Económicos e Sociais do BAD, Sr. Beejaye kokil No âmbito do Seminário Regional sobre o Uso da Tecnologia Móvel na Recolha de Dados e Produção Estatística em Africa, que teve lugar na Praia, de 18 a 19 de Março, duas organizações parceiras, Paris 21 e BAD, concederam uma entrevista ao Boletim Informativo do INE.

Entrevista ao Coordenador do Secretariado do Paris 21 Desde a 44ª Sessão da Comissão de Estatística das Nações Unidas que o INE de Cabo Verde, o Paris 21 e a Comissão Económica das Nações Unidas para África (UNECA) iniciaram a discussão sobre a necessidade de uma revolução tecnológica a nível da recolha de dados. 1- Quais eram os objectivos de Paris21 quando iniciou essa discussão? Este seminário foi uma oportunidade para se fazer um balanço de um conjunto promissor de ferramentas e abordagens que podem ajudar a melhorar a qualidade dos dados, reduzindo o tempo de produção, obtendo assim informações com uma maior celeridade para os tomadores de decisão. Este potencial de duplo dividendo é fulcral para PARIS21, uma parceria dedicada a apoiar os sistemas estatísticos nacionais e uma melhor utilização das estatísticas. Além disso, há uma forte demanda por informações sobre como melhorar a produção estatística, uma vez que a comunidade global procura definir um novo conjunto de metas de desenvolvimento e centra-se na questão de dados oportunos e relevantes. Johannes Jutting Coordenador do Secretariado do Paris 21

2-De que forma acredita que se pode integrar a adopção de tecnologias móveis nas Estratégias Nacionais de Desenvolvimento da Estatística? Especificamente, que ganhos acredita que teremos ao inserir essa revolução tecnológica nas Agendas Nacionais de Estatística? O impacto da tecnologia em uma determinada Estratégia Nacional de Desenvolvimento da Estatística (ENDE) irá variar de acordo com as circunstâncias e prioridades específicas do país. No entanto, a natureza do processo da ENDE é oferecer um quadro estratégico para o planeamento, implementação e avaliação de produção estatística num país. A integração de considerações específicas sobre a tecnologia móvel para esta abordagem abrangente cria a oportunidade para vários benefícios, incluindo: • Identificação dos processos de produção estatística que são mais adequados para o uso da tecnologia móvel e, ao mesmo tempo, identificar a tecnologia de informação associada e a necessidade dos recursos humanos em implementar tal uso; • Realização de testes consistentes e avaliação do uso de tecnologias móveis para demonstrar os custos e benefícios, enquanto se estabelece uma comunidade de práticas no país, através de esforços como é o caso do Seminário Regional.

• Melhor harmonização dos dispositivos e formatos de dados usados num país, que é a chave para desbloquear o poder dos dados recolhidos; • Melhor atendimento às demandas dos utilizadores, ao fornecer dados estatísticos oportunos. 3-De que forma avalia os diferentes aspectos do Seminário Regional sobre o Uso da Tecnologia Móvel na Recolha e Produção de Estatística? De que forma avalia a capacidade técnica das apresentações? O engajamento das instituições? O nível das discussões? Os grupos de trabalho? O grupo único de participantes que se reuniram na Praia revelou a diversidade de experiências com as tecnologias móveis em todo o continente africano. As apresentações revelaram capacidade técnica variadas e oportunidades para a aprendizagem cross-country. As discussões revelaram forte interesse e compromisso no uso de tecnologias móveis para melhorar a produção estatística. Os grupos de trabalho mostraram quão bem desenvolvido o pensamento dos participantes sobre a forma de operacionalizar as ferramentas e abordagens discutidas no seminário. O relatório resumido do PARIS21 sobre o seminário irá destacar algumas das principais conclusões.

BIINE Nº 5 Abril 2014


Entrevista

11

4-Em que domínios específicos Paris21 irá contribuir nesta revolução tecnológica a nível de recolha por dispositivos móveis. O PARIS21 está empenhado em apoiar o aumento do uso de dispositivos móveis com uma abordagem em três vertentes: • Apoiar os países que estão a desenvolver e/ou a implementar a sua Agenda Nacional de Estatística, ao trabalhar com eles para que possam usar esse processo para identificar e buscar oportunidades para a utilização de tecnologia móvel; • Ajudar na continuação da promoção de uma comunidade de boas práticas que nasceu na cidade da Praia, visando aproveitar a experiência, construir ligações e ajudar a regionalizar os esforços, em colaboração com os parceiros regionais; •Desenvolver material de advocacia direccionadas que podem ajudar a mobilizar recursos para o uso de dispositivos móveis. 5-De forma global, quais são as prioridades do Paris21 até 2015. E que papel pretende ter na agenda pós-2015.

PARIS21 é a única associação mundial que reúne usuários e produtores de estatísticas para promover a cultura de resultados globalmente, enquanto reforça a capacidade nacional para medir e monitorar o progresso do desenvolvimento. Enquanto as deliberações pós-2015 continuam, o PARIS21 manterá sua forte presença no cenário internacional, destacando o papel fundamental que as estatísticas desempenham ao apoiar e permitir o desenvolvimento tanto na defesa como na contribuição substantiva. Irá também continuar a trabalhar lado a lado com os países para apoiar os seus esforços em assegurar que os esforços destinados a medir o quadro pós-2015 suportam a capacidade nacional e melhoram o alinhamento entre os esforços de monitorização globais e nacionais.

Entrevista ao Director da Divisão de Estudos Económicos e Sociais do BAD 1-O INECV, CEA e Paris21 iniciaram as discussões relativamente à necessidade de realização do seminário regional sobre as novas tecnologia na recolha e produção estatística. Felizmente, BAD aderiu ao projecto o que trouxe ganhos. Na sua perspectiva, qual foi a vossa motivação? O BAD tem relação de trabalho de longa data com a UNECA (Quadro de Referência Estratégico Regional, Anuário Estatístico Africano, Relatório Africano dos ODM, Registo Civil Estatísticas Vitais, etc.) e Paris 21 (Estratégia Nacional para o Desenvolvimento da Estatística e arquivamento de dados) na problemática do desenvolvimento estatístico em Africa. O Banco foi associado ao projecto desde o início. O Banco iniciou alguns exercícios de recolha de dados através de PDA e tablets: levantamento por meio de empresas de telecomunicação móvel para recolher dados sobre o emprego nos jovens na Tunísia e na República Democrática do Congo; um projecto-piloto para a recolha de dados do orçamento familiar com tablets em Uganda; e está agora prestes a lançar o projecto “Africa Food Prices Collection” que irá utilizar o método “Crowd – Source Beejaye kokil Price Data Collection” através da web e ferramentas de recolha móveis. Director da Divisão de Estu2-Nos últimos anos o BAD tem investido na capacitação dos países em termos de estatística. De que forma se pode alinhar o vosso investimento na capacitação em estatística com a intenção de criar capacidade de produção de tecnologias para a recolha?

dos Económicos e Sociais do BAD

O Banco tem apoiado a capacitação estatística nos países membros, com vários instrumentos: Programa de Capacitação Estatística, o terceiro programa foi agora concluído e já começaram os preparativos para uma quarta; bolsa para países (de desenvolvimento) médio; componentes estatísticos em alguns projectos/programas dos países. Estes programas têm apoiado o desenvolvimento estatístico em várias áreas. Um grande componente do SCB3 é a disseminação de dados, com o lançamento da “Africa Information Highway ”.

BIINE Nº 5 Abril 2014


12

Entrevista

Para ser capaz de cumprir a revolução de dados, sistemas nacionais estatísticos serão convocados a fornecer dados relevantes, rapidamente em formatos de dados abertos. Inovação e uso da tecnologia móvel para recolha de dados são fundamentais para o sucesso da revolução de dados. O banco vai continuar a promover a construção do conhecimento, compartilhar as melhores práticas e para os bens públicos regionais no uso da tecnologia móvel para a recolha de dados, gestão, partilha e disseminação. 3-De que forma avalia os diferentes aspectos do Seminário Regional sobre o Uso da Tecnologia Móvel na Recolha e Produção de Estatística? De que forma avalia a capacidade técnica e a qualidade das apresentações? O engajamento das instituições? O nível das discussões? Os grupos de trabalho? O seminário foi muito bem-sucedido em trazer especialistas, tanto TI como estatísticos, para conhecer e partilhar experiências em como estão a utilizar as tecnologias móveis na recolha de dados, quais são as vantagens, limitações, dificuldades encontradas, as tecnologias, hardware e software disponíveis, a necessidade de cooperação sul-sul, etc. Foi interessante ver que um número bastante significativo de países já deram início a essa iniciativa. O nível das apresentações foi bastante elevado e todos os presentes participaram activamente nas discussões. Espera-se que uma comunidade de prática seja rapidamente aplicada para que as discussões e intercâmbios possam continuar online.

4- De forma global, quais são as prioridades do BAD até 2015. E que papel pretende ter na agenda pós-2015? Desenvolvimento estatístico continua a ser um desafio em muitos países africanos. O Banco vai continuar a apoiar o reforço da capacidade estatística, ao lançar um quarto programa este ano. As áreas de apoio estão em linha com a estratégia do banco a longo prazo e as prioridades dos países. Na agenda pós-2015, o banco irá desempenhar um papel fundamental, trabalhando em conjunto com outros parceiros de modo a fortalecer a capacidade estatística dos países para apoiar a "Revolução de Dados'' e atender aos requisitos dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.


Artigo

13

Criação de City Group em Governança Paz e Segurança Enquadramento No dia 07 de Março de 2014, o Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde (INECV), propôs na 45ª Sessão da Comissão de Estatística das Nações Unidas, em Nova Iorque, a criação de um City Group em Governança, Paz e Segurança (GPS). Em Abril de 2012, a União Africana criou um grupo especializado em Governança, Paz e Segurança dentro da Estratégia de Harmonização das Estatísticas em Africa (SHaSA). O grupo teria a missão de desenvolver as acções necessárias para o desenvolvimento das estatísticas de Governança, Paz e Segurança de forma a permitir que sejam harmonizadas, que respeitem as diferentes realidades do continente, que não descurem dos padrões internacionais. Para tal o grupo se incidiria nas questões relativamente aos Direitos Humanos, Integridade e Transparência, Estado de Direito, Administração Publica, Forças de Segurança, Conflito Crime e Paz. Dada à importância da iniciativa, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) juntou-se ao projecto de forma a dar apoio técnico e metodológico. Cabo Verde, Camarões, Malawi, Costa de Marfim e Quénia foram escolhidos 5 países piloto do continente para o desenvolvimento de uma nova metodologia. Imediatamente iniciou-se um trabalho estreito no Specialized Technical Group, trabalho esse que consistia na definição dos questionários, na definição de indicadores, bem como outros contornos do projecto. Neste âmbito, o INECV organizou o primeiro Atelier de Validação Nacional Na sequência da validação dos documentos metodológicos em Cabo Verde, os restantes paísespiloto iniciaram igualmente a sua validação. Dando seguimento ao processo, Cabo Verde iniciou a recolha dos dados com a introdução de dois módulos no Inquérito Multi-objectivo Contínuo (IMC) 2013: o Módulo Governança e o Módulo Paz e Segurança. Apesar de ainda não disseminarmos os resultados do Inquérito, no que concerne a metodologia, a experiência de Cabo Verde já́ proporcionou ganhos que podem ser utilizados por outros países. Devido aos avanços já́ alcançados, Cabo Verde foi convidado a apresentar o projecto SHaSA-GPS (juntamente com Camarões) na reunião de Directores Gerais de Estatística da União Africana em Joanesburgo e assistiu Malawi no processo. Recentemente, também foi convidado pela União Africana a encabeçar a proposta de Criação de um City Group em GPS, uma iniciativa que Cabo Verde prontamente aceitou.

O que é um City Group e sua importância Um City Group é uma plataforma de peritos que trabalham a metodologia de um determinado tema, e está sob directa protecção da Comissão de Estatística das Nações Unidas. As discussões tidas pelo Grupo têm reflexo directo na metodologia que é recomendada pelas Nações Unidas para um determinado sector. No caso concreto das estatísticas de Governança, Paz e Segurança, ao longo das várias discussões constatou-se que existe uma proliferação de indicadores, mas, no entanto, não existe uma metodologia harmonizada, pelo que era premente extrair da experiência africana conclusões que serão posteriormente completadas com “Precisamos de uma abordagem estatística robusta para a experiência de outros Institutos Nacionais de Estatísticas e Governança, Paz e Segurança, e um City Group oferece Organismos Internacionais, estabelecendo assim uma plata- o mecanismo ideal para começar a lidar com vários asforma de discussão entre peritos que terá como finalidade pectos: Direitos Humanos, Integridade e Transparência, última um consenso a nível metodológico para os próximos Estado de Direito, Governo, Forças de Segurança, CriObjectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM). A difi- me, conflitos e outros. (…). Tendo em conta os marcos culdade em medir os actuais ODM, e o facto das consultas tão importantes como os avanços em estatísticas de Criao continente africano para a definição dos actuais indicado- me por parte do INEGI México, propomos a exclusão res terem sido escassas, reforça a necessidade de que os pró- deste domínio do mandato do City Group sobre o GPS.” ximos indicadores levem em conta a realidade africana e que – Excerto da Intervenção do Presidente do INE na 45ª Sessão da Comissão da Estatística das Nações Unidas. os africanos possam contribuir efectivamente na sua definição.


14

Artigo

Como todos os City Group, este estará ancorado num país anfitrião, neste caso em Cabo Verde, ao grupo foi dado o nome de Grupo Praia - Governança, Paz e Segurança. No entanto, como se pode imaginar, a criação de um City Group requer algum consenso quanto à necessidade da sua criação, pelo que nas semanas que antecederam a realização da 45ª Sessão da Comissão de Estatística das Nações Unidas o INECV, com o apoio da União Africana e do PNUD, procurou angariar apoios dos demais Institutos Nacionais de Estatística. Assim, no dia 7 de Março de 2014, aquando da apresentação da proposta, o INECV contou com o apoio de Camarões, Espanha, Angola, Brasil, África do Sul, México, França, Canadá, Luxemburgo, Timor-Leste, Equador, Gana e Suíça. É de referir que, devido a apertada agenda da reunião, não foi possível que todos os países que apoiaram a criação do Grupo fizessem a sua intervenção. Contudo, no dia 2 de Março de “O INE, em estreita colaboração com a Comissão 2014, realizou-se um encontro dos participantes africanos da 45ª da União Africana e PNUD, compromete-se em Sessão da Comissão Estatística das Nações Unidas e o apoio à proproduzir o documento conceptual, incluindo os posta de Cabo Verde foi unânime. Igualmente, nos vários encontros termos de referência sugeridos para este City realizados ao longo da semana da sessão, conseguiu-se o apoio de Group, e apresenta-lo à Comissão Estatística em vários outros países, nomeadamente, Peru, Inglaterra, Cuba e Albâ2015, isto depois de consultar o Bureau e as orga- nia. Ainda na sequência de um pedido formal que endereçamos ao nizações interessadas”. - Excerto da Intervenção PNUD em Nova Iorque, recebemos no dia 5 de Março de 2014 a do Presidente do INE na 45ª Sessão da Comissão confirmação do apoio deste importante parceiro que vem trabalhando com o INE desde 2013. da Estatística das Nações Unidas. António Duarte Presidente do INE


Acerca do INE Missão A Missão do Instituto Nacional de Estatística é produzir e difundir, de forma eficiente, informação estatística oficial de qualidade [fiável, actual e pontual] necessária ao conhecimento objectivo duma sociedade em mudança, que ajude os Caboverdianos a conhecer melhor o seu país, a sua população, os seus recursos, a sua economia, a sua sociedade e a sua cultura. Visão • O INE procura ser reconhecido como uma instituição estatística de referência: •

Como produtor e fornecedor de informação estatística oficial de qualidade,

Como organização tecnicamente independente e credível;

Pelo contributo para a promoção da literacia estatística;

Pelo empenhamento e eficácia na cooperação internacional.

Ficha Técnica Propriedade – INE | Edição Nº 5 | Coordenação: Serviço Difusão - Leonilde Lima, Carmem Cruz, Amândio Furtado | Gestão de conteúdos : Carmem Cruz, Lara Silva | Concepção Gráfica: Carmem Cruz | Registo de Imagens: Lara Silva | Textos – Carmem Cruz & Lara Silva | Participação neste número: Carmem Cruz, Lara Silva| Revisão: Adilson Penha, Mariana Neves | Documentação e Informação – INE

Av. Cidade Lisboa 18, CP: 116, Fazenda, Praia - Cabo Verde | Tel: (+238) 2613827 Fax: (+238) 2611656 | E-mai: inecv@ine.gov.cv | Site: www.ine.cv

Boletim INE  

Boletim INE - Instituto Nacional de Estatística - Cabo Verde

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you