Issuu on Google+

CEBI

Desfiles de carnaval 2013 FUNDAÇÃO CEBI

Mensal Ano 31 Fevereiro 2013 Diretor: Nuno Lopes Fundador: José A. Vidal Preço: 0,50€

Alverca: Um desfile de super-heróis que se transformou numa força conjunta, motora para um mundo mais sustentável. Fonte Boa dos Nabos: Sereias e pescadores no Centro de Recursos da Ericeira p. 2 a 4

Edição temática. A esperança média de vida alargou-se tendo a proporção de indivíduos com mais de 65 anos aumentado gradualmente. A população mundial vive mais e o envelhecimento exige maior cuidado com a saúde. A incidência de doenças cardiovasculares aumentou dramaticamente com o envelhecimento, representando uma importante causa de mortalidade, particularmente em idosos. Porém, grande parte dessas doenças poderia ser evitada.

Despertar

no 300

Prevenção das Doenças Cardiovasculares Em mais um número temático, contamos com a colaboração especial de um reconhecido Cardiologista, Luís Negrão, e de um especialista em Medicina do Trabalho, António Torres, que nos traçam os fatores de risco cardiovascular e nos deixam conselhos para contrariar aquela que está entre as principais causas de morte em Portugal. José Reis, Dietista da Gertal, empresa responsável pelo fornecimento dos serviços de alimentação da Fundação,

deixa também evidenciado o rigor na confeção das suas ementas, em particular para o público idoso, fator crucial para a saúde e bem-estar dos mesmos, que em complemento com a atuação do Departamento de Apoio a Idosos, concorre para a sua melhor qualidade de vida. p. 6 a 10


Carnaval

2 Por um mundo mais sustentável

Os super-heróis somos todos nós

A

7 e 8 de fevereiro decorreram as tradicionais festas de carnaval da Fundação CEBI que reuniram mais de um milhar de alunos da creche ao nono ano, professores, educadores e ajudantes de ação educativa. Este ano a literatura espanhola, com D. Quixote, o anti-herói, cavaleiro de ilusões, serviu de inspiração ao enredo que desfilou pelas ruas de Alverca. Mas a 7, as crianças da creche foram as primeiras heroínas a desfilar no recinto central da Fundação, numa procura por um mundo generoso e mais sustentável, assumindo todas elas um papel ativo, especialmente quando se transformaram em super-heróis, convertendo as suas pequenas ações individuais numa força conjunta que se pretende motora de um mundo mais sustentável. Ter uma atitude consciente em relação aos nossos hábitos é a melhor maneira de mudar o mundo. A mensagem continuou a ser transmitida na sexta-feira de Carnaval, com o desfile pelas ruas da cidade onde centenas de novos super-heróis, do pré-escolar ao nono ano, entraram em ação também acreditando que podemos construir um mundo mais próspero e mais sustentável. Mensagem que se destina a todos os que agora e no futuro se comprometem a agir e a todos os que acreditam que podemos consertar aquilo que anda mal no planeta. Um ideal que se tornou real, e que culminou, com dezenas de bicicletas pelas ruas de Alverca, qual sopro de humanidade. O desfile contou, ainda, com um momento musical, cantado ao vivo por uma auxiliar de ação educativa e com uma coreografia dos alunos de ginástica de pré-competição da Fundação.

A todos os que agora e no futuro se comprometem a agir, a todos os que acreditam que podemos consertar aquilo que anda mal no planeta

Catarina Loureiro, professora de Teatro do Colégio José Álvaro Vidal, refere-nos que a personagem do D. Quixote foi introduzida no enredo simbolizando “o anti-herói, cavaleiro de ilusões, louco que na sua loucura sonha o impossível”. Durante o desfile ele “chamou a si a tarefa de tornar menos injusto e mais próspero o mundo em que vivemos. Lança-se pelos caminhos em busca de remédio para tudo aquilo que anda mal no planeta”. Nos desfiles ficaram subentendidas mensagens em torno da gestão sustentável dos recursos, apelando-se, por exemplo, ao consumo de energias renováveis. Economizar água, energia, reciclar o lixo, é um dever de todos nós para que se construa um futuro melhor, um futuro feito de pessoas que sonham, agem e se conseguem superar.

publicidade

www.fcebi.org

Nuno Lopes


3 Colégio José Álvaro Vidal

Milhares de alunos da pré-escolar ao nono ano, desfilaram pelas ruas de Alverca

Fundação CEBI

Desfile das crianças da Creche


Carnaval

4

Carnaval na Ericeira

As verdadeiras sereias e pescadores

www.fcebi.org

E no dia 7, pela manhã, as crianças desfilaram como verdadeiras sereias e pescadores da Ericeira, com a companhia de alguns familiares onde a boa disposição, a alegria e as cantorias foram mais que suficientes para afastar o frio que teimou em marcar

presença! Da parte da tarde, a festa continuou com muita música e animação. Na sexta-feira, dia 8, realizou-se um baile de máscaras, de tema livre, com a participação das crianças que frequentam a Creche e a Pré-Escolar e os idosos do Lar onde a música, a animação, as serpentinas e a modelagem de balões não faltou, feita por uma das nossas colaboradoras que se transformou numa “palhaça” muito divertida.

Cândida Santos, Cristiana Varela e Sandra Faria

publicidade

F

evereiro é o mês do Carnaval! Este ano, com base no tema anual do projeto educativo “Pela Gestão Cívica dos Recursos”, a equipa pedagógica do Centro de Recursos da Ericeira lançou um grande desafio aos encarregados de educação, no sentido de construírem, com materiais reciclados, caudas de sereias e canas de pesca.


5 Edição temática

Auditório da Fundação CEBI

Intercâmbio Estudantil

Aproximar culturas

N

o passado dia 14 de fevereiro, os alunos do nono ano, turma A, reuniram-se no auditório do colégio José Álvaro Vidal a fim de participar numa videoconferência com colegas espanhóis da Escola Emérita Augusta, situada em Mérida. Esta iniciativa realizou-se no âmbito de um projeto de intercâmbio estudantil que se encontra a decorrer e visa trabalhar as diversas competências dos alunos na compreensão e produção orais e escritas de castelhano. Após ter sido trabalhado o debate nas aulas de espanhol e terem sido discutidos vários temas neste formato, foi proposto aos alunos que escolhessem um assunto para debaterem posteriormente com os seus correspondentes através do programa informático Skype. A escolha da maioria dos alunos, portugueses e espanhóis, recaiu sobre o tema do aborto. Deste modo, os alunos do Colégio José Álvaro Vidal, em espanhol, e os alunos da Emérita Augusta, em português, trocaram os seus pontos de vista sobre o tema. Foi uma forma divertida e autêntica de os alunos da disciplina de espanhol praticarem a interação oral na língua estrangeira e uma oportunidade de comunicarem com os seus correspondentes em modo sincrónico, antes da sua visita a Mérida. A possibilidade de se desmistificar o erro, já que está presente um forte espírito de cooperação, é uma das principais mais-valias deste projeto, pois todos procuram ajudar o outro a melhorar o nível de língua.

Escola em Mérida

Fundação CEBI

Sofia Monteiro


Edição temática

6

“Não é fácil falar de prevenção cardiovascular na população idosa”

N

ão é fácil falar de fatores de risco numa população que chegou à idade que chegou, e se chegou a essa idade é porque os fatores de risco cardiovascular não eram (ou não foram) tão determinantes que os tivessem obrigado a ficar pelo caminho. Falar dos benefícios da sopa para a saúde para quem não sabe fazer uma refeição sem começar por ela, ou reforçar o consumo de produtos hortícolas a quem por norma não dispensa umas couves, uns espinafres ou uma salada a acompanhar a refeição, ou falar da fruta a quem os doces só aconteciam em momentos especiais como a Páscoa, o Natal (ou pouco mais que isso), ou

pre cardivenção ovasc ul

www.fcebi.org

temá tic

ediçã o

a

ar

fever e

iro

até mesmo falar dos malefícios dos refrigerantes a quem sempre bebeu água às refeições, é como “ensinar a missa ao padre”. Aliás a população idosa é por vezes designada de “sobreviventes” e isto porque os que nunca se habituaram à sopa, os que pouco amigos foram das hortícolas, ou os que fumavam, os que davam preferência à quantidade em detrimento da qualidade, esses não conseguiram chegar a esta idade. É certo que antigamente não havia a fartura de médicos como há agora, eram outros tempos. Mas também é certo que antigamente os que iam para a Escola faziam-no a pé, jogava-se à bola com uma bola de trapos, saltava-se à macaca e à corda, jogava-se

É fundamental que os idosos não percam hábitos de mobilidade


Prevenção Cardiovascular

7

Luís Negrão Assessor médico da Fundação Portuguesa de Cardiologia

O maior fator de risco que afeta o idoso é a passividade, é o estar sentado à espera, é o não querer fazer, é o desinvestir

“Não há fome que não dê em fartura” diz o povo com muita sabedoria e de facto é esta vida facilitada, é esta abundância, que nos obriga a falar de fatores e de comportamentos de risco.

Mas será que não vale a pena falar de prevenção no idoso? Vale a pena sim. Mas se calhar o pior e o maior fator de risco que afeta o idoso nos dias de hoje é o de ele julgar que agora, com esta idade, já não vale a pena. É a passividade, é o estar sentado à espera, é o não querer fazer, é o desinvestir, é esta atitude que o sénior por vezes tem e que constitui o seu principal fator de risco. É esta atitude que abre a porta ao sedentarismo, à obesidade, à diabetes, à hipertensão, à osteoporose. Vá lá que ainda há os netos que os obrigam a ir à escola, levá-los ou buscá-los. Vá la que há os filhos que apesar de tudo ainda precisam da sua ajuda, vá lá que mesmo assim ainda contamos com muito da sabedoria, com muito da arte e do conhecimento que eles foram adquirindo ao longo da vida. Ainda nos dão bons conselhos (apesar de muitas vezes fazermos de conta que não os ouvimos). Pena é que não acatem os nossos. Se nós fazemos, apesar de fingirmos que não os ouvimos, eles ouvem-nos, mas fingem que os fazem. E há tantas coisas simples que eles podiam fazer e que fazia toda a diferença. Fazer a medicação como o médico disse e não pará-la a seu belo prazer, não é difícil. Até já há embalagens adequadas para que eles não se esqueçam de tomar os medicamentos. Fazer um

passeio a pé todos os dias, são 30 minutinhos todos os dias e que nada custa. A lida da casa é importante mas não chega para combater a diabetes ou ajudar a controlar a tensão arterial ou evitar a osteoporose. Bem sei que os ossos não ajudam, mas quanto menos se fizer mais eles vão doer. As Juntas de Freguesia, os Centros de Dia, as Paróquias, têm quase sempre alguns programas e atividades que poderão, à primeira vista parecer serem despropositados, mas só com o tempo é que se conseguem ver benefícios, e vocês, séniores, têm todo o tempo do mundo. Vocês que deram tanto, que sofreram tanto e que chegaram a esta idade, não investir agora, é deitar a perder e desperdiçar uma vida cheia de vida. Mexam-se, não parem, e não se esqueçam dos medicamentos. Vocês ainda nos fazem muita falta, mais não seja para nos aquecerem os corações.

É esta vida facilitada, é esta abundância, que nos obriga a falar de fatores e de comportamentos de risco

Fundação CEBI

à cabra-cega ou ao “apanha”. Quem trabalhava fazia-o de sol-a-sol. Não havia máquinas de lavar a roupa ou de lavar a loiça. O trabalho era duro e o que se ganhava não dava espaço a grandes excessos. São histórias de vida que ouvimos dos nossos avós e dos nossos pais, que dificilmente encontramos nos nossos filhos ou nos nossos netos.


Edição temática

8 António Torres Médico de Medicina do Trabalho

A sua incidência e prevalência aumenta a partir dos 30 anos, atingindo a população trabalhadora com custos individuais e sociais

Doenças cardiovasculares nas principais causas de mortalidade em Portugal

A

s doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de morbilidade e mortalidade na Europa e também em Portugal. Na base da sua etiologia, estão um conjunto de fatores ligados fundamentalmente aos estilos de vida individuais (não esquecendo os fatores genéticos e biológicos). Os principais destes fatores são o tabaco, a hipertensão arterial (HTA), os erros alimentares, a obesidade, a Diabetes, Dislipidemia (presença de níveis elevados de lípidos - matéria gorda - no sangue, seja isolado ou em cadeias de proteínas transportadoras), o consumo excessivo de álcool, a inatividade física e a má gestão do stresse.

www.fcebi.org

A sua importância assume significado, quando sabemos que a sua incidência e prevalência vão aumentando a partir dos 30 anos, atingindo portanto a população trabalhadora, com todos os custos inerentes que acarreta - individuais e sociais. Têm assim sido criadas ao longo dos anos, diferentes estratégias de intervenção, mais ou menos abrangentes dos vários setores da comunidade, de forma a influenciar favoravelmente a sua evolução, no sentido da sua progressiva diminuição: campanhas de informação e intervenção na sociedade em geral sobre o tabagismo, obesidade, atividade física (modificações de comportamento individuais); Melhorar o diagnóstico e tratamento da HTA, Diabetes e Dislipidemia. Um dos ambientes específicos de intervenção é a própria Empresa, na forma de informação e educação para a saúde, com o envolvimento desejável dos próprios trabalhadores nessas atividades.

Os locais de trabalho devem ser considerados como espaços privilegiados de sensibilização para a adoção de estilos de vida mais saudáveis e redução dos comportamentos de risco. Numa visão mais ampla, a população laboral entrará assim, numa cooperação com outros setores da comunidade (educacional, desportivo, ambiental, entre outros). Cabe aqui um papel importante ao serviço de Medicina do Trabalho, tanto no reforço da educação para a saúde e no esclarecimento da população trabalhadora, como no levantamento das situações de risco e patologias predisponentes - HTA, Diabetes e Dislipidemia. De referir ainda, a importância dos refeitórios, nas empresas que deles dispõem, pois têm a oportunidade de organizar ementas e confecionar os alimentos, segundo padrões considerados os mais adequados para a prevenção da obesidade, Dislipidemia, Diabetes e HTA. Para terminar, algumas palavras sobre o tão falado e já supracitado stresse. De um modo geral, este termo designa uma reação não específica do organismo a qualquer tipo de exigência, física, psicológica ou emocional. Só por si, essas exigências podem não ser más (são elas que nos motivam) tudo dependendo da sua intensidade e duração e da resposta do organismo. Atualmente, o termo é geralmente usado no sentido negativo de desgaste físico e/ou emocional, com o abuso a que esse uso leva. Os professores, por exemplo, encontram-se entre os grupos profissionais de topo como profissão stressora.


José Reis Dietista do Departamento de Segurança Alimentar da Gertal

Cremos que prestamos um contributo válido e importante para a saúde e bem-estar dos nossos utentes

Prevenção Cardiovascular

9

A importância da Nutrição na Terceira Idade

Quando se elabora um plano alimentar para esta faixa etária consideram-se as seguintes limitações: Sensoriais - diminuição do olfacto e paladar (causando inapetência e posterior desnutrição); Odontológicos - falta de dentes, dentaduras mal adaptadas provocadoras de lesões na cavidade oral - levando à diminuição da ingestão de carnes (proteína e ferro), hortaliças e frutas (vitaminas, minerais e fibras); Deglutição - diminuição da salivação, dificuldades na deglutição, doenças do esófago e da garganta; Psicológicos - depressão, solidão, apatia, tristeza; Patologias Diversas - Diabetes, hipertensão, hepatopatias, doenças pulmonares, doenças neurológicas, doenças cardiovasculares, Doenças gastrointestinais (dificultando a digestão e absorção de nutrientes) e a Actividade física - geralmente diminuída, favorecendo ganho de peso e obstipação intestinal. A Gertal tendo consciência da importância de uma correcta alimentação nesta faixa etária, elabora as suas ementas considerando como fundamentais os seguintes aspectos: - Variação da ementa, evitando monotonia de preparações, deficiência de nutrientes e inapetência. Elaboração de refeições coloridas e atraentes, levando em consideração as recomendações da roda dos alimentos;

- Fornecimento de calorias em quantidade suficiente para evitar a obesidade/desnutrição, principalmente através da dosagem de hidratos de carbono; - Diminuição do consumo de açúcar ou doces (de forma a evitar o excesso de peso); - Opção de fruta como sobremesa (privilegiando fruta da época); - Fornecimento de alimentos ricos em proteína de forma a preservar a musculatura, sistema imunológico e a cicatrização de úlceras de pressão. Aqui existe uma clara opção por carnes mais magras e peixes; - Restrição do uso de gorduras saturadas. Opção pelo uso de azeite (gordura insaturada) nas nossas confecções; - Fornecimento de hortaliças e frutas, de preferência picadas e cruas, ligeiramente cozida ou confeccionadas ao vapor, a fim de preservar vitaminas, minerais e fibras; - Fornecimento de alimentos ricos em ferro, tais como carnes/peixes, leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico), verduras de cor verde, (espinafre, couve, entre outros). O ferro é melhor absorvido na presença de alimentos ricos em vitamina C (como por exemplo laranja, kiwi); - Fornecimento de leite e derivados de forma a suprimir as necessidades de cálcio e vitamina D, sendo que esta última pode ser obtida também pela exposição diária ao sol fraco; - Promoção do consumo de água, de forma a evitar desidratação e melhorar o trânsito intestinal; - Elaboração de Dietas adaptadas com consistência mole/pastosa para utentes com falta de dentes/próteses mal adaptadas, ou patologias associadas a má deglutição/mastigação; - Intensificação do sabor dos alimentos com recurso a ervas aromáticas, em detrimento do sal; - Diminuição do consumo de gorduras trans (proveniente de produtos transformados, tais como pastelaria doce e salgada, gelados, chocolates, fast-food, molhos, entre outros). Cumprindo com todas estas premissas, cremos que prestamos um contributo válido e importante para a saúde e bem-estar dos nossos utentes. Nota: Este texto encontra-se redigido segundo o antigo acordo ortográfico

Fundação CEBI

C

om os avanços da tecnologia e da medicina, a expectativa de vida do Homem aumenta a cada estudo realizado. Porém não basta viver mais anos, mas promover uma boa qualidade de vida e um envelhecimento sadio. A alimentação adequada contribui para o controle e prevenção de várias doenças crónicas, comuns na terceira idade, como por exemplo as doenças cardiovasculares (DCV). De acordo com a Direcção Geral de Saúde (2008), as DCV são a principal causa de mortalidade em Portugal, sendo responsáveis por cerca de 32,3 por cento do total de mortes no nosso pais. Actualmente, sugere-se que mais de 80 por cento dos casos de morte por DCV estão associadas a factores de risco que são totalmente conhecidos, podendo ser modificáveis ou não (factores hereditários). Dentro dos factores de risco modificáveis, consideram-se: Hipertensão arterial, Hiperlipidemia, Excesso de peso/obesidade, Tabagismo e Inactividade física.


Edição temática

10 Apoio a Idosos da CEBI

Quebrar as rotinas é imperativo A programação de atividades de caráter lúdico para idosos da Fundação são um contributo para a melhoria da qualidade de vida e para o seu envelhecimento saudável

D

e acordo com os Censos 2011, a situação sociodemográfica portuguesa apresenta um quadro de envelhecimento bastante acentuado, onde cerca de 19,5 por cento da população tem 65 ou mais anos para 14,89 por cento da população com catorze ou menos anos (população jovem), e onde a esperança média de vida à nascença é de 79,2 anos (80,57 para as mulheres e 74 para os homens). Há 30 anos, em 1981, cerca de um quarto da população pertencia ao grupo etário mais jovem (zero aos catorze anos), e apenas 11,4 por cento estava incluída no grupo das pessoas com 65 ou mais anos. Mas quando se fala em aumento da longevidade, por vezes poderá não existir uma correlação direta entre esta última e qualidade de vida deste grupo etário. Na última década o índice de dependência total sofreu um aumento significativo, resultado do aumento (em 21 por cento) do índice de dependência de idosos, contra o decréscimo em cerca seis por cento do índice de dependência de jovens.

A programação dessas atividades, de forma diferenciada, é sem dúvida uma das constantes preocupações da intervenção da Fundação CEBI junto da sua população idosa, pois são simultaneamente um contributo importante para a melhoria da qualidade de vida dos clientes e por sua vez, um contributo para um Envelhecimento saudável. Nesse contexto, são disso exemplo, no seu Lar em Alverca, a promoção dos “Ateliês de Expressão Plástica”, dos projetos “Oficina da Memória” e “Saber e Ler” em estreita colaboração com o Colégio José Álvaro Vidal, o de Psicoestimulação cognitiva, em parceria com o Departamento de Intervenção Social e Comunitária, da “Classe de Movimento”, com o apoio com a Clínica de Medicina Física e de Reabilitação, as visitas ao exterior, as atividades de intercâmbio interinstitucional e intergeracional. Também na Ericeira, no Centro de Recursos de Fonte Boa dos Nabos da CEBI, existem interessantes atividades que contam com a participação dos idosos como é o caso da Musicoterapia, do projeto “Plantar com Afetos”, coordenado por uma geóloga e no âmbito do Plano Sociocultural são realizadas inúmeras saídas de carater lúdico de onde se destaca a participação sempre muito aguardada no “Chá Dançante”, no âmbito das atividades do Maio Ancião.

São várias as saídas que a Fundação CEBI promove durante o ano

temátic a

preve cardiovnação scular

edição

www.fcebi.org

foto de arquivo

A animação e ocupação dos Tempos Livres, nas respostas sociais para idosos, deverão, portanto, constituir-se por um conjunto de ações, que privilegiem os interesses e vivências de cada cliente e que contribuam para a estimulação das suas capacidades cognitivas e simultaneamente para a promoção do bem-estar físico e psíquico.

Atividades em prol da saúde

fevereir o


Comenius 2013

Reforçar a dimensão Europeia da Educação

Parcerias

11

A

Fundação CEBI efetuou uma candidatura ao Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida - Comenius 2013, na modalidade ‘Parcerias entre Escolas - Multilaterais’, financiado pelo Fundo Social Europeu. O objetivo deste programa é “melhorar a qualidade e reforçar a dimensão europeia da educação, desde o ensino pré-escolar até ao secundário, bem como, dos estabelecimentos e organizações que oferecem esses mesmos níveis de ensino (…)”. Este projeto, integrado no tema do Colégio da Fundação CEBI para 2013/2014 - “Pela gestão artística dos recursos”- irá iniciar-se em outubro 2013 e terminará em junho 2015, envolvendo 500 alunos (da pré-escolar até ao 3º Ciclo) e 40 docentes/ pessoal educativo da Fundação. Ao longo destes dois anos irão ser promovidos encontros e reuniões com os coordenadores dos projetos, realizados seminários e workshops, trocas de experiências e boas práticas com as escolas estrangeiras. Será igualmente desenvolvido trabalho de campo e investigação, produzidos logotipos, mascotes, um website, entre outros produtos.

Com este projeto pretende-se desenvolver o conceito de cidadania europeia, trocando experiências, promovendo a cooperação entre os diversos intervenientes, articulando métodos de trabalho e inserindo nos sistemas de ensino o conceito de globalização. Susana Baptista

http://pt-europa.proalv.pt

Esta candidatura, efetuada a 20 de fevereiro, foi elaborada em parceria com seis escolas de países como a Roménia, Chipre, Espanha, Turquia e Polónia, sob o tema: “Awesome Children Tales” – Fantásticos Contos Infantis. Os resultados apenas serão conhecidos em junho.

Doutor Durval Santos, um dos especialistas da clínica

Clinica Dentária Safety Smile

Garanta um sorriso duradouro estes serviços é concedido um desconto de 20% a associados da CEBI e familiares diretos, mediante a apresentação do respetivo cartão de sócio. Para além dos tratamentos prestados nas instalações da clínica, em Vialonga, a equipa oferece a possibilidade de se deslocar ao Lar de idosos da Fundação ou porventura ao domicílio do idoso para efetuar tratamentos. Também neste caso, sobre a tabela de atendimento ao domicílio é oferecido um desconte de 20%, a que poderá acrescer um valor de deslocação, a analisar, nunca superior a vinte euros.

Fundação CEBI

S

ão muitas e diversas as áreas de negócio que se têm associado à CEBI. O número de protocolos com a Associação Liga de Amigos do CEBI tem vindo a crescer exponencialmente nos últimos meses, tendo a última parceria sido estabelecida com a Clínica Dentária Safety Smile, situada em Vialonga. Uma equipa de médicos dentistas com ampla experiência profissional presta tratamentos nas áreas de Branqueamento Dental, Dentisteria, Cirurgia Oral, Implantologia, Odontopediatria, Ortopedia funcional dos maxilares, Ortodontia Fixa, Periodontia e Próteses Fixas e removíveis. Sobre o preço constante na tabela para


Assistentes Familiares

FUNDAÇÃO CEBI

A Fundação CEBI oferece o serviço de Creche Familiar, a funcionar desde 1984, que proporciona à criança com idades compreendidas entre os 4 meses e os 3 anos, condições especiais para o seu desenvolvimento em ambiente familiar.

n Habitação adequada, nomeadamente, com espaços, iluminação e ventilação adequados. n Existência de espaço adequado para o desenvolvimento de atividades e descanso.

Idade compreendida entre os 21 e os 55 anos; Área de residência na freguesia de Alverca; n Boa capacidade de relacionamento, estabilidade emocional e sentido de responsabilidade; n Boas condições de saúde física do candidato e das pessoas que com ele coabitem; n Aceitação do exercício desta atividade pelos membros do agregado familiar;

As respostas a este anúncio devem ser enviadas para a Fundação CEBI, ao cuidado da Dra. Fátima Monteiro, através da morada: Estrada Nacional 10 - Quinta de Santa Maria, 2615-376 Alverca.

A Fundação CEBI encontra-se a admitir Assistentes Familiares, com os seguintes requisitos: n n

Ficha técnica Despertar

CEBI

Propriedade CEBI - Fundação para o Desenvolvimento Comunitário de Alverca Sede Editor/Redação E.N. 10 - Quinta de Santa Maria 2615-376 Alverca do Ribatejo URL: www.fcebi.org Tel.: 21 958 91 30 Email: imagem@fcebi.org Pessoa Coletiva: 503 738 506

Administração Ana Maria Lima (Presidente) Mónica Isabel Oliveira Vidal Maria Teresa Carneiro Maria da Conceição Santos Fernando Pedro Moutinho Fundador José Álvaro Vidal Dire­tor Nuno Lopes

Oferece-se: n Remuneração adequada; n Formação Profissional Contínua; n Fornecimento de todo o equipamento e material necessário ao desempenho da função; n Estabilidade Profissional.

Conselho Editorial António Castanho Cláudia Simões Graça Neves de Sousa Honório Vieira Isabel Castanho Manuela Amaral Matilde Gonçalves Nuno Rocha Olga Fonseca

Publicidade e Secretariado Lurdes Farinha Grafismo e Paginação André Porêlo Impressão SOARTES - artes gráficas, lda. Registo de imprensa: 108323 Depósito Legal: 7842/90 Tiragem: 5000 Exemplares

Membro


Despertar CEBI - Fevereiro 2013