Page 1


Fabris

desafio de lançar um

discussões aquecidas quanto à dirigibilidade de ambos os cargos por

periódico cuja equipe é composta de

uma única pessoa. Desta crítica

graduandos em cursos que não

brotam abordagens sobre as demais

remetem diretamente à comunicação

pendências administrativas da EESP.

é o teor do texto que cada redator

A desmistificação da Escola de Direito

utiliza. Dizia o Irlandês James Joyce

é também um artigo que vem a calhar,

que jornalistas escrevem coisas

já que é perceptível o afastamento

banais sobre fatos extraordinários, e

entre os alunos da EDESP e das demais

escritores

escolas devido ao obstáculo físico

escrevem

coisas

extraordinárias sobre fatos banais.

imposto pela ladeira da Rua Itapeva.

Esta Gazeta está repleta de artigos

Poucos são os alunos que sabem bem

críticos sobre fatos, banais ou

o que se passa na escola da Rua

extraordinários,

poderão

Rocha, e a unidade da FGV-SP, como

despertar no leitor sentimentos

de qualquer organização, é essencial

variados quanto à postura de cada

para a manutenção da qualidade dos

que

autor. Assumo a editoria-chefe em

cursos e da credibilidade do nome que

um período de transição da FGV-SP,

levaremos no diploma.

que já dura mais de um semestre e

A chegada da nova diretora

que, parece, caminha para algum

da EAESP, Prof. Maria Tereza Fleury,

desfecho ainda opaco.

marca o começo de uma nova era

Começamos

com

duas

administrativa da escola. A luta dos

análises de alunos representantes da

alunos

Escola de Economia, onde recentes

descontentamento com a forma de

por

representação

e

o

acontecimentos levaram o cargo de

gestão da EAESP dependem agora da

diretor a se fundir com o de

habilidade

coordenador do curso, gerando

organizar a escola de forma mais

da

Editor chefe

professora

em

coerente com aquilo que aprendemos enquanto alunos. Esta é a maior indignação resultante do ciclo de euforia e pessimismo existente na administração

da

FGV,

e

conseqüentemente da EAESP, há pelo menos 10 anos. Não há mais que possamos fazer do que esperar algum resultado e

assistir

o

andamento

desta

transição. Podemos, no entanto, criar expectativas, que é o que fazem os autores dos artigos da Matéria Central desta edição: Tiago Tadeu Bezerra

e

Luan

Gabellini,

em

contribuição e Rodolfo Pantojo, da equipe de redação. No fim, o que todos queremos saber é se o Durango Kid só existe mesmo no gibi, como dizia Raul Seixas, ou se haverá, desta vez, alguém que não precise tirar onda de herói para colocar a EAESP de volta nos eixos. Termino dando as boas-vindas aos novos membros da Gazeta Vargas e desejando-lhes bons trabalhos pelas próximas edições.

INSTITUCIONAL

Felipe Braga Fabris felipefabris@uol.com.br Diretor-Presidente Diretor de Redação

Rafael Rossi Silveira ra_rossi@hotmail.com

Alípio Ferreira alipiof@hotmail.com Redatores

Equipe Institucional

Ana de Vivo Franco anavfranco@gmail.com

Roberto Andrade bebetobebeto@gmail.com

Fabiana Mesquita Bacchi fabibacchi@gmail.com

André Bordon Pinheiro - andrebordon_pinheiro@hotmail.com

Luiza Prada luiza_p_s@hotmail.com

Caio Mariconi Occhini - caio.occhini@gmail.com

Maria Julia Iudice majuiudice@yahoo.com

Gesley Fernandes - f.gesley@gmail.com

Thais Gasparian Moraes thais-moraes@uol.com.br Vinícius Marques vinicius.marques@gvmail.br

DISCLAIMER

Marcela Tullii - marcelatullii@gmail.com

A Gazeta Vargas não se responsabiliza por dados, informações e opiniões contidas em textos

Karina Goulart Gil Choi - kahchoi@gmail.com

devidamente identificados e assinados por representantes de outras entidades estudantis, bem

Aline Shizue Oyamada - lineoyamada@gmail.com

como nos textos publicados no Espaço Aberto submetidos e devidamente assinados por autor não

Júlio Hideki Kaji - juliokaji@gmail.com

presente no expediente desta edição. Todos os textos recebidos estão sujeitos a alterações de

Expediente

O

Editorial

Ciclo de euforia, pessimismo e Felipe expectativas

ordem léxico-gramatical e a sugestões de novos títulos. Por ser limitado o espaço de publicações, Diretor de Arte

compete à Gazeta Vargas a escolha dos textos que melhor se enquadram na sua linha editorial,

Rodolfo Pantojo Oliveira rodolfopantojo@hotmail.com

sendo recusados os textos muito destoantes acompanhados das devidas justificativas e eventuais sugestões de alterações.

Equipe de Arte

DIREITOS RESERVADOS

Ana de Vivo Franco anavfranco@gmail.com

A Gazeta Vargas não autoriza reprodução de parte ou de todo do conteúdo desta publicação

Olavo Cardoso - olavorc@gmail.com Karen Grando Kishima - karen_mgrando@hotmail.com

Capa

Pedro Ramos Beraldo - neunleben@hotmail.com

Pedro Theodoro Ramos Beraldo - neunleben@hotmail.com

Lucas Alves Andrade - alvesandrade.lucas@gmail.com Diagramação AGRADECIMENTOS

Rodolfo Pantojo Oliveira rodolfopantojo@hotmail.com

Agradecemos a colaboração de Márcio Nogushi (volta!), Leandro Fabris, Luan Gabelini, Tiago Tadeu

Ana de Vivo Franco anavfranco@gmail.com

Bezerra, Laura Oller, e a todos que contribuíram com o Espaço Aberto. Um obrigado também aos ex-editores-chefe Daniel Kobata e Rodrigo Gouvêa pela presença e descontração na integração. Um agradecimento à Tatiana do Departamento de Imprensa da EAESP pelas fotos da cerimônia de possa

Tiragem

da nova diretora. E um último obrigado a Fernando Tadeu Crescenti pelo auxílio na confecção da

3000 exemplares

capa.

3


Mini-editorial

Gazeta 10 anos(t+1) Alípio Ferreira

A

Gazeta Vargas acaba

de ganhar mais vida. No último processo

seletivo,

houve

incorporação de diversos novos membros, advindos dos cursos de Economia, Administração Pública e Administração de Empresas.

Dessa

forma,

a

Gazeta lança a segunda edição do

semestre

com

muita

novidade e otimismo. A #76 deixa

claro

ao

leitor

a

preocupação que temos de caminhar sempre em direção a agregar às páginas da Gazeta ainda mais qualidade de texto e acuração

de

informações,

motivos pelos quais o leitor se dá ao trabalho e ao prazer de

percorrer as páginas de nosso

compartilhado com a Fundação,

produto.

“a única missão da Fundação

Esse compromisso nos

Getulio Vargas, que é a de

guia e nos há de seguir guiando

promover o desenvolvimento

em nosso trabalho de tornar

sócio-econômico

públicos idéias e debates que

como dito pelo presidente da

merecem ser conhecidos, em

Fundação, Carlos Ivan Simonsen

especial

Leal, no 5o Fórum de Economia

no

ambiente

geveniano. Daí também nosso comprometimento

com

país”,

da EESP-FGV. É assim que se orienta a

criação de um espaço pacífico e

entidade

enriquecedor de discussão e

jornalística

exposição de idéias, baseado na

excelência da FGV-SP, que há

primordialmente discente

por

civilidade e no respeito, com o

uma edição comemorou seus 10

intuito primeiro de fornecer

anos, e nesta edição comemora

informações que embasem ou

o início de uma nova década

refutem atitudes e posições

que, sabemos, será cheia de

dentro da FGV e na sociedade, o

pedras no caminho, e glórias no

intuito médio de educar nossos

destino.

leitores, e o intuito último,

Altos e Baixos

Em Alta: Semana do Esporte Empreendedor Periodicidade da Gazeta (por essa você não esperava!) Sofás novos do DAGV

Na Mesma: Piano do DAGV (a saga continua) Elevadores lotados de bixos

Em Baixa: Economia mundial Violão do DAGV Sofás velhos do DAGV Quintal pré-Giovanna Popularidade da nova diretora 4

a

do


Norberto Torres alunos deram uma forte resposta à demissão de um professor querido e competente. É mais uma que os chefões terão de agüentar.

Burocracia na EESP Vão-se dois meses do início do semestre letivo e a Gazeta ainda está aguardando autorização

Notas

E o PATRONO da turma de formandos do 1°2008 será: Prof. Norberto Torres. Parece que os

do Diretor/Coordenador da EESP para afixação de cartazes do nosso processo seletivo. Talvez autorizem já pro semestre que vem. E falando em semestre que vem...

Cadê os meus terminais? ... Onde estarão os terminais do sistema de impressão do DA? Começamos a nos perguntar a verdadeira utilidade daquele novo balcão ao lado do xérox. Pelo menos é mais um lugar para distribuirmos a Gazeta.

FGV é apolítica O Presidente da FGV, prof. Carlos Ivan, vetou a Sabatina com os candidatos à prefeitura do Rio de Janeiro que seria realizada nas escolas daquela cidade. Ele alegou que a Fundação é apolítica, no entanto...

Vice-Presidente é candidato ... O vice-presidente da Fundação, prof. Marcos Cintra, é candidato a vereador pela cidade de São Paulo, e a Sabatina com os candidatos à prefeitura daqui não foi vetada. Interessante. Note-se também a utilização do logo desta apolítica Fundação no site de campanha do prof. Marcos Cintra.

Coral na posse A posse da nova diretora da EAESP, prof. Maria Tereza Fleury, contou com a ilustre presença do coral da FEA-USP. Pode-se dizer que foi uma despedida calorosa dos feanos, mas fica a pergunta: E o coral da GV, onde foi parar?

Diretora proíbe cerveja Os alunos ficaram surpresos com a decisão da prof. Maria Tereza Fleury de suspender a venda de cerveja no DA no dia do quintal pré-Giovanna. A diretora alegou que o quintal poderia atrapalhar o evento que ocorria no auditório, depois do qual o prédio da EAESP seria apresentado à empresa organizadora. É FGV para inglês ver.

Prêmio Jabuti de literatura Pequena sim, tímida não! A EDESP pode comemorar seus resultados. As obras de dois professores da Escola de Direito foram premiadas pela 50ª edição do tradicional Prêmio Jabuti de literatura. Na categoria de “melhor livro de Direito”, Marcos Diniz de Santi ficou com a 1ª colocação e Dimitri Dimoulis (co-autoria de Leonardo Martins) com a 2ª. Ficam aqui os nossos parabéns aos professores premiados!

ERRATA O nome do autor do artigo “Eleições 2008: cara-a-cara com os candidatos à prefeitura de São Paulo” da edição #75 na verdade é Rodrigo Moccia, e não Mócia como foi publicado. O “Selo de qualidade para MBA's FGV” citado no artigo “Quem é você?” do redator Vinícius Marques, na última edição, refere-se ao FGV MANAGEMENT.

5


ContraPonto - A Favor

Dos Direitos individuais, o fumo e o Felipe bom senso. Fabris

Para

começo

de

conversa, a Lei do Serra que proíbe o fumo em locais públicos não é nova: LEI N° 9.294, DE 15 DE JULHO DE 1996. Art. 2° É proibido o uso de

cigarros,

cigarrilhas,

charutos, cachimbos ou de qualquer

outro

produto

fumígero, derivado ou não do tabaco, em recinto coletivo, privado ou público, salvo em área destinada exclusivamente a esse fim, devidamente isolada e com arejamento conveniente. Lei Federal, que ainda existe, e não por isso é respeitada. A não ser que se considere uma linha imaginária no meio do restaurante uma área “devidamente isolada e com arejamento conveniente.” A inovação da Lei do Serra é exatamente a mesma inovação da Lei Seca: Fiscalização e Punição. Os fumantes, no entanto,

podem

ficar

tranqüilos. Quem leva a multa é o estabelecimento que os deixar

fumar.

As

críticas,

porém, não são as mesmas. Quem criticou a Lei Seca buscou apoio nos limites exagerados de nível alcoólico estabelecido e punição excessiva ao bebedor. Os que criticam a lei dos fumantes, por sua vez, utilizam, quase que todos, a questão dos direitos

6

individuais

para

defender o cigarro em locais

de doenças relacionadas ao

públicos.

tabagismo. E considere-se que

É direito do indivíduo

isso

inclui

o

tabagismo

expor seu corpo a compostos

passivo, daquelas pessoas que

químicos nocivos em busca de

convivem, ou são obrigadas a

sensações de prazer (ou seja lá

conviver com fumantes. Em

a sensação que o fumo causar)?

restaurantes, bares, baladas,

Sem dúvida, desde que os

mesmo nos corredores da FGV

compostos sejam legais. Não é

até há pouco, é inevitável

direito do indivíduo, porém,

respirar

expor o corpo das demais

quantidade de fumaça dos

pessoas ao mesmo risco. Isto é

cigarros. Não que nossos

inquestionável.

pulmões

sem

inalar

sejam

certa

afetados

É direito do indivíduo

somente por esse tipo de

fazer sexo, expondo seu corpo

fumaça na capital paulista,

a diversas conseqüências, em

diga-se de passagem.

busca de sensações de prazer?

A proteção à saúde

Sem dúvida, e mesmo assim

coletiva

ninguém se opôs, baseado em

primordial de um país que

direitos individuais, à lei que

deseje prosperar. A proibição

considera ato obsceno o sexo

do fumo em locais públicos, e

em local público. E olhe que o

sua devida fiscalização, é

sujeito nem estaria fazendo

atitude recorrente em países

mal à saúde coletiva.

europeus em busca desta

Por

que

lutar

pelo

é

preocupação

meta. O governo estadual dá

direito do fumante de fumar, e

um

não pelo direito do não-

quando se antecipa à esfera

fumante de não fumar? Os

federal, a quem deveriam caber

direitos individuais têm este

leis com tal escopo, garantindo

problema: Criam algazarra e

a proibição aos fumantes que

discussões sobre o espaço

espalhem, ao receber o prazer

público.

de

O

brasileiro

é

individual demais. O que fazer? Seguir os bons costumes, o

passo

fumar,

nesta

os

direção

compostos

nocivos à saúde dos demais. Não se trata de direitos

bom senso, na hora de legislar?

individuais, trata-se de bom

Com certeza, e não só para

senso. Quando ele finalmente

esse assunto.

surge no nosso conturbado

Pensemos

em

bom

poder legislativo, reclamam do

senso então. A rede pública (só

direito individual. Ora, tenha a

a pública) gasta mais de R$300

santa paciência.

milhões por ano em tratamento


Prada

Muito se pode falar sobre a

não-

cigarro apenas não incomoda muita

fumantes, dizendo quão melhor é

gente. Talvez haja rumores da turma

defesa das supostas liberdades

ficar em ambientes, finalmente, sem

dos não-fumantes. Talvez uma voz se

individuais das pessoas, que são

o cheiro do cigarro. Em seguida,

eleve. Mas, de novo, mesmo se forem

constituídas,

afixados os previstos avisos sobre a

sobretudo,

dos

donos,

depois

dos

pela

aparecem os fumantes, sorrindo

liberdade de se fazer escolhas,

amarelo (sem duplo sentido aqui), e,

proibição de fumar, e os telefones e

dentro

no ápice de seu dever cívico, se

endereços dos órgãos da vigilância

dos

parâmetros

estabelecidos pela sociedade, e mesmo

incluir

o

imperativo

sanitária e de defesa do consumidor,

sentem obrigados a concordar.

entre tais parâmetros, pode-se

O problema é que, três

duvido muito que alguém chame a

meses depois, a tal lei não produziu,

polícia. E, sendo chamada, espero

categórico, ou seja, a regra de que

sequer, um indicador de que ela é

muito que a polícia não dê preferência

ninguém deve fazer algo que se

boa, no sentido de melhorar a vida

a coibir um cigarro do que uma briga,

todos fizessem seria danoso. Pode-

das pessoas, fumantes ou não-

um roubo, um assalto.

se, nessa classe de liberdades, citar

fumantes. Desde a implementação

À nocividade. Como se sabe,

o direito a escolher o lugar onde

de algo assim, até uma diminuição

depois que uma lei foi formulada,

moramos, as roupas que vestimos, o

nos casos de câncer de fumantes

para depois de algum tempo “cair em

almoço ontem. Ou o governo estava

passivos, ou de enfisema pulmonar

desuso”, isso é pior do que se a lei não

apontando uma arma à sua cabeça

de fumantes, é necessário um

tivesse sido formulada. Isso porque,

quando você tentava escolher entre

período mínimo de alguns anos. No

agora, existe um incentivo para que o

o feijão com arroz e o frango assado

curto prazo, os carros vão continuar

governo, vendo que a tal lei mais

do getulinho?

batendo na mesma proporção, os

rígida funcionou por algum tempo

aviões vão continuar caindo, e o

antes de não fazer efeito, crie leis

Mas esse texto não se destina

a

defender,

entre

as

liberdades individuais, a liberdade

consumo de cigarros vai continuar

ainda mais rígidas, que por sua vez

inalterado.

também funcionarão por algum

Quer

dizer,

se

o

de escolher fumar, porque, para esse

consumo não caiu quando o governo

argumento na sua forma completa,

colocou fotos e mensagens dizendo

Porém, esse problema não

refira ao filme “Obrigado por

que fumar mata, não vai cair quando

pode ser resolvido até que o governo,

tempo.

fumar”(de 2006), que o expande às

for necessário, para fumar, ir “lá

Serra, Lembo, Alckmin, Covas, ou

suas máximas conseqüências. O que

fora”. E, então, o noticiário vai deixar

qual seja, implemente, no lugar do

procuro desenvolver aqui é que a

de noticiar a lei, que, a menos que se

terrorismo via multas que está muito

ação do governo, em lançar uma

crie um índice de felicidade das

em

nova lei restringindo o consumo de

pessoas não-fumantes, não tem

honestamente, eduque a população

fumo em ambientes públicos, sejam

conseqüências visíveis, para noticiar

para que cada indivíduo seja capaz de

eles públicos ou privados, é,

algum novo escândalo.

primeiramente, ineficaz, e, em segundo lugar, potencialmente nociva.

voga,

um

programa

que,

fazer a melhor escolha. Afinal, o papel tais

do Estado é, além de disponibilizar os

afetadas, de forma não quantitativa,

direitos para as pessoas, possibilitar

E

as

pessoas,

ContraPonto - Contra

Proibição do cigarro: intenção versus execução Luiza

as

pela lei, vão, um dia, parar de

que elas sejam capazes de usufruir

Vamos à ineficácia. Num

discutir o quão importante esta é. E

desses direitos, da melhor forma

primeiro momento, o medo de

até os fumantes vão parar de falar

possível.

multas altas, por parte dos donos

em liberdades individuais. Por

dos estabelecimentos comerciais,

algum tempo, vai parecer que a lei é

que são quem, segundo essa lei,

eficaz.

Ps: Eu não faço curso de direito, mas também não é contra os fundamentos

deve pagar as multas por permitir o

Mas, depois disso, um dia,

legais que o fato causador do dano

fumo, faz com que se proíba o

vai estar chovendo bastante do lado

(fumar cigarro) é de autoria de uma

cigarro dentro deles. Em suma, os

de fora. Talvez alguém se apóie na

pessoa (o fumante), enquanto outra

donos dos ditos estabelecimentos

porta. Talvez dê um passinho pra

está sendo imputada por ele (dono do

forçam os supracitados fumantes a

dentro e fique no tapetinho do hall.

estabelecimento)?

irem fumar “lá fora”. As câmeras vêm

E, como todo mundo sabe, um

e filmam os depoimentos, primeiro

7


Espaço Aberto

Mais do mesmo

Agnello

A Escola de Economia de São Paulo (EESP)

nasceu

com o objetivo de ser um centro de excelência em ensino

e

pesquisa

contribuísse

que

para

o

desenvolvimento econômico e social do país e para a busca da

identidade

nacional,

corroborando as diretrizes da missão da Fundação Getulio Vargas.

A

partir

desse

alicerce, tal escola busca, continuamente,

inovar

e

aperfeiçoar o modelo de gestão acadêmica; e foi isso que a EESP tentou fazer com o último ocorrido. No último dia 29 de Agosto, em meio à primeira reunião

do

semestre

do

Conselho de Representação Discente (CRD) da EESP, o qual orienta-se, unicamente, em torno

de

questões

acadêmicas, foi anunciada a última mudança ocorrida na cúpula

administrativa

da

Escola: o professor Marcos Fernandes Gonçalves da Silva, professor da EESP e, também, coordenador do curso de graduação da mesma, havia deixado o seu respectivo cargo para assumir um outro trabalho,

ser

Coordenador

de

o

novo

Projetos

Pedagógicos. Tal informação entrou em vigor a partir do dia

8

Vitor

1 de Setembro de 2008. uma

dessa forma, alguma das

Com tais alterações,

partes ficará, possivelmente,

outra

aquém do necessitado.

se

mostrou

necessária: a eleição (ou

Todas essas alterações foram

decisão)

feitas,

de

um

coordenador

novo

para

pois,

visando

ao

a

aperfeiçoamento da gestão

graduação. Assim, com a

acadêmica dessa instituição.

Resolução Nº 2/08, decidida

Em suma, espera-se que a

pelo Conselho de Ensino,

nova

Pesquisa e Extensão (CEPE) da

Projetos Pedagógicos) consiga

Escola, cujos membros são,

desenvolver um bom trabalho,

unicamente, procedentes do

sempre visando, a partir de

corpo docente, designou-se o

mudanças

também diretor da mesma

pedagógico das disciplinas, à

instituição, professor Yoshiaki

melhoria acadêmica da Escola,

Nakano, para ocupar o cargo

e que a outra coordenação

de coordenador da graduação

trabalhe conjuntamente a essa

(também se efetivando a partir

- com esse mesmo intuito - e

da mesma data).

continue

Percebe-se,

então,

coordenadoria

de

(de

caráter

participando

ativamente

em

todas

as

com esses ocorridos, uma

esferas da graduação; e, por

certa preocupação da Escola

conseguinte,

com a pedagogia e didática

ocorra

dos cursos oferecidos – alvo

excelência.

freqüente de muitas críticas

a

inovação

como

meio

E n q u a n t o

à

V P

nos processos de avaliação e

Acadêmico

relatórios (do CRD) feitos

desejo a todos um bom

pelos alunos. Entretanto, é

trabalho e espero que o novo

questionável como será a

coordenador Yoshiaki Nakano

governança da EESP, visto que

continue desenvolvendo os

diretoria e coordenação se

projetos

concentrarão

relacionados

na

mesma

de

Economia

iniciados, à

Dupla

pessoa, e se essas medidas

Graduação e Intercâmbio,

acarretarão

ganho

promovendo, assim, uma

marginal maior do que se

maior integração entre as

permanecêssemos

Escolas.

um

como

antes. Sabemos que nem o posto de coordenador nem o de diretor são atividades que demandem pouco trabalho;

Vitor Agnello Rodrigues é aluno do 2º semestre de Economia da EESP e Vice-presidente Acadêmico de Economia do DAGV (academicoeco@dagv.org.br)


Guilherme Justi

É lamentável ouvir que os alunos de graduação não se fizeram representar em uma CGA (antigo

CG),

seja

por

uma

assimetria de informação ou por qualquer

outro

motivo.

Entretanto, quando há vinte alunos e apenas seis professores na

formação

de

um

órgão

colegiado, e os discentes além de serem pouco consultados, são “tratorados” por uma medida que afeta justamente o escopo de discussão

do

órgão:

o

que

podemos dizer disso? Isso Conselho

aconteceu

de

no

Representação

Discente da Escola de Economia, logo na primeira reunião do semestre:

a

reavaliação,

nova que

regra

extingue

de a

oportunidade de adiar a prova para o semestre subseqüente e impossibilita o aluno de fazer a revisão de prova (um absurdo em termos de transparência), essa informação foi passada a todos os alunos por um email – como de praxe na Escola de Economia. Pelo relatado, o que surgiu como pauta da reunião foi o CONTEÚDO da medida. Concordo que ele é suficientemente

controverso,

tanto que já me expressei. Mas no momento que o órgão é abatido por um desprestígio desses é o mínimo que se volte a pauta para o descumprimento dos objetivos do órgão. Vergonhosamente, esse não foi o foco. É difícil diagnosticar se a razão foi a inexperiência do órgão e de seus integrantes sobre esse novo modelo, o choque pela

informação que havia sido omitida

Contudo, isso me gera

até então ou qualquer outra razão.

certa insegurança. A função de

Pontualmente, acontecimento

foi

que

nos

um

diretor já enchia a agenda do

faz

professor, bem como ouvi dele que

questionar se compete a tais

havia a prioridade de resolver

alunos

problemas de infra-estrutura da

a

composição

do

colegiado. Mais do que isso, traz-

FGV - o que também lhe tomava

nos a questão da legitimidade do

muito tempo. Percebe-se, também,

CRD. O quanto ele é, de fato,

que o cargo de coordenação

levado em consideração nas

demanda muito do profissional que

esferas de discussão? E na de

o desempenha. Se considerarmos

decisão – se é que esse é um dos

também que a EESP tem como seu

objetivos do colegiado? Qual

principal curso (ou produto, como

garantia temos de sua duração?

queira) a graduação, vêem-se as

Lembro-me de que no começo do

p r i o r i d a d e s

d o

ano, em um encontro apenas de

diretor/coordenador como um

alunos para discussão sobre a

ponto determinante dos próximos

implementação do OC, e essas

momentos na EESP. Como ele

perguntas

conseguirá

foram

incisivamente,

levantadas

imediatamente

conciliar

essas

agendas? E sobre a divisão de

houve repreensão por parte de

tarefas,

outros alunos que alegavam que

continuará a ajudá-lo?

o

professor

Marcos

pauta.

Por fim, eu, como aluno

Coincidentemente alguns dos

representado pelos membros do

essa

não

era

a

repressores estavam presentes

CRD, não entendo a participação da

nessa

Assessora do Diretor na ordinária.

reunião

do

CRD,

diferentemente do questionador.

O

regimento

prevê em

essa

Hoje interpreto esse episódio

participação

como uma prévia de tudo o que

ordinárias? Houve um convite? Ou

aconteceria.

as reuniões possuem fórum aberto?

Aliás, outra informação

reuniões

Todos possuem direito a voz? De

que os RD's receberam nessa

qualquer forma, são apenas outros

primeira reunião pós-férias foi a

fatores que me levam a pensar a

nomeação do professor Yoshiaki

legitimidade do OC, bem como os

Nakano como coordenador da

rumos que estão sendo tomados na

graduação. Sobretudo, gostaria de

governança EESPiana. Espero que

parabenizar o professor Nakano.

com essas experiências, os alunos

Não só pela visível eficiência de

de Economia possam aprender com

sua gestão na EESP, que se

alguns erros e que a Escola consiga

encaminha para a condição de

continuar neste próspero caminho,

centro de excelência, mas também

mesmo

pelo comprometimento e pela

dificuldades.

ousadia

de

acumular

com

essas

novas

tantas

funções ainda nesse momento de formação da Escola.

Espaço Aberto

Ares de insegurança na EESP

Guilherme Landulpho Justi é aluno do 4º semestre de Economia da EESP e colaborador de política interna da Gazeta Vargas.(gui.justi@gmail.com)

9


Política Interna

Direito GV: um balanço geral Thaís Gasparian

O

objetivo

desse

texto é explicar um pouco do que acontece na EDESP, a fim de

esclarecer

algumas

dúvidas de quem não tem muita proximidade com a Escola

e

números indicar

de

apresentar

que

parecem

tendências

dos

alunos do novo curso. Aqueles que ficaram: De um total de 200 alunos

matriculados

no

curso de Direito, hoje restam 180.

As

turmas

foram

ficando pequenas por conta das

desistências

e

trancamentos de matrícula, na

maioria

das

vezes,

incentivados

pela

repetência. Até agora já ocorreram 18 repetências. Desse

número,

oito

acabaram levando o aluno à desistência

e/ou

ao

bom

sempre foi peculiar em relação às demais escolas da FGV-SP. No início do curso, houvesse

reavaliação, não havia a possibilidade de pegar DP. ultrapassando

limite

de

o

reavaliações

permitidas ou não tendo um

10

iniciação científica. Daqueles que ingressaram

esperar um semestre inteiro

no mercado de trabalho,

sem fazer nada, para depois

90% optou por escritórios de

acompanhar o curso com a

advocacia, 5% pelo setor

turma seguinte a dele. Esse

público (Procuradoria) e 5%

semestre

por empresas da iniciativa

ocioso

o

incentivava a se dedicar a

privada.

outras atividades, tais como

Daqueles

prestar o vestibular de

optaram por escritórios de

outras faculdades. Hoje o

advocacia, 68,5% optou por

sistema mudou. Além de

escritórios de grande porte,

reavaliação,

a

23% por escritórios de

possibilidade de pegar DP.

médio porte e 8,5% por

Entretanto, há ainda limite

escritórios

máximo de reavaliações

porte.

de

que

pequeno

permitidas e, inclusive, há

As áreas de atuação

limite para o número de DPs.

escolhidas pelos alunos não

Caso o aluno ultrapasse tais

foram

limites semestrais, então ele

Daqueles que optaram por

não é aprovado e deve

trabalhar em escritórios de

esperar um semestre para

advocacia, a maioria (60%)

acompanhar as matérias

optou por societário e

juntamente com a turma

mercado de capitais. Em

seguinte.

segundo lugar (23%), veio

muito

diversas.

tributário. Outras áreas tais

O sistema da EDESP

Assim,

na

reavaliação, o aluno deveria

trancamento de matrícula.

embora

desempenho

A primeira turma e o mercado de trabalho: Dos

50

alunos

como penal e imobiliário integraram o restante da conta.

matriculados, a primeira

Os escritórios que

turma conservou 48. Desse

mais admitiram os alunos

número, no 1º semestre de

de

2008,

aproximadamente

primeiro lugar, Barbosa,

81% ingressou no mercado

Müssnich & Aragão (BMA),

de trabalho, 10% participou

com 6 alunos admitidos; em

de programa de intercâmbio

segundo lugar, Machado,

e 6% dedicou o tempo à

Meyer, Sendacz e Opice

Direito

foram:

em


Sciences

admitidos;

Tilburg

University

internacionais parecem ser

lugar, empatados Mattos

(Holanda), Université Paris-

um dos assuntos levados a

Filho, Veiga Filho, Marrey Jr.

Dauphine (França), Instituto

sério na EDESP. A Escola já

e Quiroga Advogados e

de Empresa de Madrid

participou

Demarest

(Espanha),

competições internacionais

em

e

terceiro

Almeida

(França),

Universidad

As

competições

de

três

Advogados, com 3 alunos

Torcuato

admitidos em cada um.

(Argentina) e Universidad

internacional. Dentre elas,

É

Metropolitana de Caracas

cita-se o excelente resultado

entretanto, que a pesquisa

(Venezuela).

obtido

foi realizada de maneira

ainda aos alunos de Direito

organizadas pela Câmara de

informal e refletiu o cenário

a participação no programa

Comércio Internacional, em

de meados do 1º semestre

de intercâmbio da EAESP. As

Paris, nas quais participaram

de

regras

universidades

importante

2008.

frisar,

Trata-se

de

di

de

É

Tella

possível

admissão

em

mediação

nas

comercial

competições

com

pesquisa com mais intuito

seguem, em grande parte,

tradicional

ilustrativo do que rigor

as regras do processo

nessas áreas, tais como a

científico. Sabe-se, ainda,

seletivo da própria EAESP.

Harvard

que o cenário do semestre

O processo seletivo para o

London School of Economics,

atual é um pouco diferente

programa de intercâmbio

a Georgetown Law of School,

em relação ao anterior, uma

da EDESP é composto de

a Université Montpellier, a

vez que alguns alunos

duas fases. A primeira leva

Fordham University e a

mudaram de estágio e

em consideração a média

University of Houston Law

outros

ou

ponderada da nota do aluno

Center, segundo consta no

ingressaram em programa

em exame de proficiência

“site” da FGV. No primeiro

de intercâmbio.

em

ano de participação da Escola

voltaram

idioma

estrangeiro

treinamento

Law

School,

a

(50%) e do histórico escolar

e m

O Programa de Intercâmbio

(50%), bem como a sua carta

internacionais,

da EDESP:

de

São

formado pelos alunos do

8

selecionados, então, os

Direito conquistou a 3ª

alunos que participaram ou

cinco melhores colocados,

colocação. Nesse ano, o

estão

do

que deverão passar por uma

grupo

programa de Intercâmbio da

segunda fase, na qual leva-

Escola obteve a 1ª colocação.

EDESP. Nos últimos dois

se em consideração, para a

semestres, quatro alunos

seleção, uma entrevista

O prédio do Direito e a sua

foram selecionados para a

com o coordenador do

vizinhança:

Université Paris-Dauphine,

curso de origem, com o

três

professor

Até

agora

são

participando

para

a

Tilburg

justificativa.

o

grupo

representante

da

Para quem ainda não teve coragem de descer a

o

interesse do aluno e com o

Itapeva, a EDESP fica na Rua

Instituto de Empresa de

coordenador de relações

Rocha, 233. Se atualmente

Madrid e um para Harvard.

internacionais, bem como o

quem visita a faculdade acha

As

plano

que

um

para

Universidades

conveniadas à EDESP até agora são: Harvard (E.U.A.),

de

área

c a m p e o n a t o s

de

University,

da

estudos

candidato no exterior.

do

Política Interna

Advogados, com 5 alunos

a

rua

é

pouca

desenvolvida, provavelmente ficaria surpreso com o seu

11


Política Interna 12

desenvolvimento atual se

algum

ocupou

do caminhão de morangos.

tivesse visitado a mesma rua

algumas salas do prédio da

Embora paradoxal, essa

três

frente para alocar alguns

mistura entre barulho e

pesquisadores

concentração, às vezes é até

anos

atrás.

estacionamentos,

Os que,

tempo,

e

a

sua

durante o dia, recebiam

coordenadoria de relações

alguns poucos carros, hoje

internacionais. Trata-se do

sofrem do “problema” de

“Rochinha”. Há ainda um

A convivência diária dos

excesso de clientes. Alguns

terceiro

alunos:

ampliaram

funciona

seu

espaço,

prédio, o

onde

engraçada.

escritório

U m a

o u t r a

apertaram as vagas, subiram

modelo. Localiza-se na Rua

peculiaridade do Direito é o

os preços e, ainda assim, os

Sílvia, 23.

número de horas que os

carros são muitos para

O CA Direito GV fica

alunos costumam passar

pouco estacionamento (isso

no 3º subsolo do prédio

juntos. Até o 3º ano, as aulas

sem contar a expectativa de

principal. No local, há mesas

começam às 8h. Costumam

crescimento com o ingresso

de

pebolim,

terminar por volta das 17h.

da 5 ª turma).

O xerox da

armários para uso dos

Logo, são, no mínimo 9

Rua Rocha é outro exemplo

alunos e uma sala com

horas diárias de convivência

de mudança. Se antes era o

mesa, geladeira, televisão,

em aulas e oficinas de no

xerox do bairro, hoje é o

microondas, sofás e puffs.

máximo 50 e 25 alunos,

xerox da GV. É o único xerox

Em grande parte do tempo,

respectivamente.

utilizado pelos alunos de

as pessoas procuram fazer

organização e a natureza do

Direito para tornar possível a

silêncio em respeito aos

curso da GV incentivam

alta

leitura

alunos que dormem na sala

trabalhos e estudos em

obrigatória. Por fim, ainda

menor. Nada parecido com o

grupo após esse horário. Os

devemos

DAGV. Nada de movimento,

churrascos são internos,

exemplo de crescimento um

restaurante,

lanchonete,

bem como os aniversários e

dos restaurantes da rua. Se

computadores, entidades,

demais festas. O período de

antes ele somente oferecia

xerox, lojas e cervejadas.

almoço é curto (1h20m) e,

lanches para entrega, hoje

Uma

do

por isso, não há tempo

oferece um PF por R$14,00

prédio de Direito é, como já

suficiente para almoçar com

(R$6,00 a mais do que o PF

foi dito, a sua vizinhança.

outras pessoas senão com

do

sofre

Entretanto, nesse quesito, o

as pessoas do Direito. E,

também do “problema” de

mais interessante é citar a

para muitos, os programas

excesso

O

integração das aulas com o

de

número de mesas não dá

que acontece nas ruas do

envolvem

conta do número de alunos,

Bixiga. Em algumas salas, os

faculdade. Assim, as 9 horas

professores e pesquisadores

alunos devem se acostumar

diárias somam-se a mais

que desejam almoçar no

a ter aulas ao som da feira

horas durante a noite e

local.

que acontece na rua de trás,

durante o final de semana,

O prédio do Direito

ao galo da casa vizinha, às

resultando em um montante

tem 11 andares e 12 salas de

freadas bruscas do encontro

no qual somente se excluem

aula. Em razão da demanda

da Itapeva com a R. Rocha e,

as horas de sono (que não

de espaço, a EDESP, há

algumas vezes, do anúncio

são muitas durante algumas

carga

de citar

Getulinho) de

e

como

clientes.

sinuca

e

peculiaridade

final

de a

A

semana, turma

da


Aliás, mensalidade é

uma das principais razões

outro assunto de peso em

participantes do programa.

pela qual os alunos do

relação

A

Eles terão, a partir de sua

Direito pouco participam

mensalidade para a 1ª

inscrição no segundo curso,

das atividades realizadas

turma está na casa dos R$

quatro anos para finalizá-lo.

pelo DAGV e pela FGV em

2300; para a segunda turma

geral. Não há tempo. E, se

está na casa dos R$ 2600;

há,

estão

para a terceira e quarta

cansados. Ou então, é

turmas está na casa dos R$

conclusão

incômodo, tendo em vista

2700. Em cinco anos de

Direito, pois são muitas

que eles já se acostumaram

curso, um aluno da 4ª turma

informações para pouco

a freqüentar os mesmos

terá gastado no mínimo R$

tempo

lugares com as mesmas

162.000 (o mesmo que se

resultados. Até agora, o que

pessoas. A dúvida que fica

gastaria na compra de três

se sabe é que o investimento

é: como os alunos do Direito

Honda Fit, zero km, 1.5,16V

foi alto (tanto por parte dos

estão

as

105cv 5p Mec, segundo

alunos como dos professores

pessoas do ambiente de

pesquisa realizada na tabela

e organizadores do curso) e,

trabalho? Isso pode servir de

da FIPE). Nada mais atraente

por isso as expectativas

tema para uma próxima

aos alunos (e aos seus pais)

também estão altíssimas.

matéria.

do que uma bolsa na GV

Resultando em alunos mais

durante os cinco anos de

bem preparados ou não, é

curso acrescida de três

fato que o curso de Direito da

Honda Fit na garagem.

GV

A

os

alunos

lidando

Bolsa

com

versus

A

Mensalidade: Outro

à

EDESP.

assunto

bastante peculiar ao Direito

alunos

de

Direito

A conclusão de tudo isso: Difícil é tirar uma da

de

está

turma

coleta

de

de

formando

profissionais complexos e A dupla graduação:

é a bolsa integral oferecida

dedicados. Quem não se

Assunto de muitas

encaixa no perfil do curso,

ao aluno com a melhor

expectativas,

média anual de cada turma.

graduação (em Direito e

chances.

Há quem critique e há quem

Administração)

do

complementares oferecidas

defenda

de

papel. Os alunos da EAESP, a

e o curso estruturado de

concessão da bolsa, mas o

partir do 5º semestre, e os

maneira não tradicional, no

que ninguém pode negar é

alunos da EDESP, a partir do

mínimo, estão formando

que ela gera um clima de

7º,

indivíduos

competição entre os alunos.

candidatar ao processo

diferenciam

Em um curso no qual a

seletivo.

seleção

profissionais do mercado. Se

maioria das matérias atribui

obedecerá, a partir do

a dúvida era saber se o

à participação em sala de

número

vagas

mercado aceitaria bem esses

aula um peso de 20% na

disponibilizadas em cada

novos profissionais, parece

nota final, qualquer assunto

curso,

que estamos no início de

vira tema de debate. Afinal,

desempenho

quem não quer dar aos pais

dos candidatos acumulado

Entretanto, ainda é preciso

um alívio anual médio de

nos semestres anteriores.

tempo para responder com

uns R$30.000,00?

Até agora são cinco os

precisão e segurança a essa

a

política

Política Interna

épocas do semestre). Essa é

estão

a

dupla

saiu

aptos A de

à

a

ordem

se

de

acadêmico

tem

uma

poucas As

segundas atividades

que

dos

resposta

se

demais

positiva.

questão.

13


Matéria Central

A posse de Maria Teresa Fleury Rodolfo Pantojo

Como

Matéria

Central, nesta edição, a Gazeta Vargas apresenta a visão de dois alunos de peso no

cenário

político

da

Fundação Getulio Vargas Thiago

Tadeu

(ex-

presidente do DAGV) e Luan Gabellini (atual presidente do DAGV) - sobre a posse da nova Diretora da EAESP, professora Maria Tereza Leme Fleury, e uma breve descrição do que foi o evento de transmissão de cargo. A

c e r i m ô n i a

realizou-se no auditório Itaú

e

contava

com

a

presença de representantes de todos os interessados nessa

importante

cerimônia.

Todas

as

entidades tinham lá seus representantes que, antes do

evento

começar,

confraternizavam trocavam

e

experiências

administrativas. Apesar do clima descontraído, era fácil notar a ansiedade que pairava no ambiente. Todos querendo muito ouvir as primeiras palavras oficiais da nova Diretora da EAESP. Na mesa diretora da cerimônia sentaram-se o

14

Presidente da Fundação

influenciada pelos grandes

Getulio Vargas, prof. Carlos

desafios do país e, em uma

Ivan

declaração

S.

Leal;

o

Vice-

bastante

presidente da Fundação,

interessante, disse que é

prof.

necessário

Marcos

Cintra;

o

mudar

para

representante do Conselho

continuar mudando. Essa

diretor, José Ermínio Neto; o

mudança

Ex-diretor

EAESP,

legitimada com o argumento

Francisco Mazzuca e a atual

de que a GV busca ser a

Diretora, Maria Teresa Leme

melhor do mundo e citou a

Fleury. Um ponto chave

fundação das escolas de

presente em quase todos os

Direito e Economia como

discursos foi a excelência da

parte desse processo de

qualidade do ensino GV.

mudanças. Outra mudança

da

O primeiro discurso foi

do

Presidente

foi

por

ele

que fez parte do discurso do

da

Presidente foi a forma de

Ivan

escolha do cargo de Diretor

discursou sobre a trajetória

da EAESP. Segundo ele, a

da Fundação, fez breves

opção por um comitê de

citações que lembravam a

busca que procurou um novo

missão da FGV e proferiu

diretor foi feita segundo os

palavras bastante otimistas

moldes

e pretensiosas sobre o

faculdades internacionais.

futuro

Além

Fundação.

Carlos

da

Fundação.

de

grandes

disso,

houve

a

Segundo ele, a Fundação

preocupação em centralizar

cumpriu com a missão de

esse comitê em São Paulo

revolucionar a matéria de

para

gestão e, em uma justa

perdidas as características

homenagem aos grandes

fundamentais da escola. A

mestres

ministram

intenção, ainda segundo o

aulas e ajudam também

presidente, não seria perder

administrativamente nas

a história que os próprios

funções da Fundação, disse

professores

que com bons professores a

representam.

Ressaltou

FGV se consolidou como

também

a

uma

escola.

procurada deveria estar em

Mencionou ainda que a

busca de desafios, o que

que

grande

Fundação influenciou e foi

que

não

que

fossem

da

FGV

pessoa


faculdade e competir com

Diretora

da

série

novos

professora

Maria

de

expectativas

desafios.

Outra

Teresa

depositadas sobre a atual

vitória,

Diretora. Como promessa, o

professor,

Presidente disse que há a

compromisso

de

laços bastante antigos com a

intenção de melhorar as

restabelecer o clima de

instituição. Recebeu o cargo

instalações da Fundação e

calma e tranqüilidade para

com muita satisfação e um

deixá-la

padrões

que um trabalho satisfatório

alto sentimento de desafio. A

internacionais. Por fim, o

pudesse ser realizado. Além

Professora refletiu sobre o

Presidente

disso,

também

que de fato significaria

discurso dizendo que a

comentou que uma de suas

contribuir para o futuro do

Fundação tem uma missão

missões era reforçar a linha

país e ponderou que, entre

para com o país e um novo

de comunicação com a

outras coisas, tecnologia e

degrau a subir.

Mantenedora e que hoje há

igualdade andariam juntos.

um

relacionamento

Assim, para uma sociedade

discursar foi o Ex-diretor da

profissional e franco em

mais igual uma das coisas

EAESP.

desenvolvimento.

necessárias seria que esse

O

em

acabou

seu

próximo Durante

a

seu

segundo

EAESP,

ele

foi

o

Fleury. Primeiramente, a

o

professora

O

ressaltou

ter

professor

professor Mazzuca também

progresso

Mazzuca

teceu comentários sobre a

pudesse ser acompanhado

ressaltou os grandes feitos

escolha da nova Diretora.

pelo sistema educacional

de sua gestão e o significado

Disse estar confiante de ter

brasileiro e mundial. Disse

dessa

Ele

sido uma boa escolha pois

que é importante olhar para o

mencionou a carta que foi

foi uma grande disputa com

país, reconhecer e enxergar

enviada à comunidade GV

mais de 70 candidatos de

seus problemas e que o papel

em Junho de 2007, logo que

alto nível. Além disso, a

da faculdade é crucial e está

assumiu

escolhida

uma

presente em cada um de seus

Segundo ele, os maiores

colaboradora antiga, já com

atos. Maria Teresa disse que

desafios que ele assumiu

certo grau de afinidade com

provavelmente uma de suas

foram superados e hoje ele

a faculdade. Também foi

mais importantes funções é

tem uma sensação de dever

bem

manter

cumprido. Entre os desafios

professores,

enfrentados o professor

formação

acadêmica

Declarou se deparar com um

ressaltou a continuidade a

excelente e foi diretora da

desafio, pois a FGV tem

a l g u n s

FEA. Para finalizar, o Ex-

tradição em formar líderes

a

diretor disse estar confiante

muitas vezes não apenas de

reformulação do curso de

de que um grande futuro

cunho nacional, mas também

g r a d u a ç ã o

e m

espera a EAESP pois há uma

internacional. Ressaltou o

Administração, a escola de

grande capacidade de a

fato de que cerca de 25% dos

inverno, a dupla titulação do

faculdade se reinventar e

mais importantes executivos

Mestrado e a capacidade de

superar dificuldades.

do Brasil tem o berço de sua

discurso,

o

Francisco

transição.

seu

mandato.

p r o j e t o s

i m p o r t a n t e s ,

é

aceita

pelos

tem

uma

e

excelência

tecnológico

ampliar da

a

EAESP.

lidar com as transformações

Por fim, chegou a vez

formação na FGV e que além

que estavam ocorrendo para

do tão esperado primeiro

da alta posição hierárquica

dar

discurso oficial da nova

essas pessoas saíram da

ma is

e fic iê nc ia

à

Matéria Central

certamente representa uma

15


Matéria Central

faculdade

com

os comentários em geral

Alguém que entende que

A

eram sobre a atual força da

além das burocracias e do

professora então começou a

qual a nova diretora dispõe.

sistema atual, há também

citar

É

do

um fator humano que parte

Ninguém

dos alunos e precisa agir

mentalidade

uma

global.

algumas

de

suas

força

ainda

pretensões. Uma delas seria

desconhecido.

avançar na formação de

sabe qual é exatamente a

nesse

líderes

agregando

sua postura então todos

governança

conhecimento como a noção

estão apreensivos e muito

provavelmente os alunos

de que esses executivos

respeitosos. A dúvida agora

não aceitarão passivamente

sejam cidadãos do mundo.

é saber como ela lidará com

por muito tempo sucessivos

Disse também ter a intenção

essa situação. Se será de

golpes em seus direitos e em

de intensificar a geração de

fato o bombeiro da situação

suas vontades e desejos.

conhecimento inovador, de

ou se será engolida pelas

Novamente, é possível que

ponta. A mudança também

chamas que queimam hoje

se

esteve presente em seu

dentro da EAESP. Logo após

expectativas,

discurso. A Professora disse

sua posse, cruzei com a

inevitável criá-las nesse

ter a intenção de mobilizar a

professora pelos corredores

momento de tanta euforia e

escola para recriar. Tirar o

e fiquei apreensivo com a

acredito que a professora

melhor do passado e criar o

imagem que vi. Solitária e

esteja apta a respondê-las

futuro. De sua formação

aparentemente

de

acadêmica, a professora

Certamente que é uma

disse tirar das ciências

análise

sociais

da

fundamento, apenas uma

tempo

administração a prática e

constatação que muitos

solucionar todas as dúvidas

dessa forma ela pretende

diriam resgatar alguns dos

e expectativas que estão

conduzir sua gestão. Por fim,

signos que possuo em meu

sendo

em seus agradecimentos, a

repertório. Pessoalmente,

deixar a professora agir para

Professora fez menção a seu

estou bastante otimista com

então podermos criticar ou

marido de maneira bastante

esta mudança. A Professora

elogiar

descontraída e simpática.

me parece alguém muito

Sempre de olho em tudo o

o

bem preparada para assumir

que é feito, vamos seguir

evento, um belo coral da USP

as rédeas da situação e foi

fiscalizando, opinando e

se apresentou. Depois da

interessante perceber em

sugerindo. Afinal, não deve

apresentação, foram todos

seu discurso algo voltado

ser apenas a mantenedora

os convidados para o quarto

para a formação de líderes

que deve exigir seus direitos

andar onde foi servida uma

pensando mais nos alunos

perante a EAESP, há uma

variedade

que na instituição, aparente

massa

lanches. Todos pareciam

foco

do

provavelmente tem muito

bastante

animados

Professor Mazzuca. Parece

mais afinidades com a

conversando sobre assuntos

que finalmente situações

faculdade e está muito mais

diversos e, vez por outra, se

como a relação com a

i n t e r e s s a d a

ouvia alguns comentários da

mantenedora e as crises

maravilhosos

Professora Maria Teresa.

internas poderão coexistir

prometidos.

a

Para

crítica

e

finalizar

de

refinados

Alguns dias passados,

16

uma

do

sem

perdida. qualquer

discurso

com a existência de alunos.

modelo

tratem

de

pois

apenas

maneira

de

mas

é

bastante

positiva. Provavelmente só o será

capaz

criadas.

suas

de

de

Vamos

atitudes.

alunos

que

n o s

resultados


Um documento para cobrarmos no futuro

Luan Gabellini

Após uma cerimônia

pode ser também um

atitudes

extremamente simbólica

marco para uma nova

acertadas

com ilustres presenças e

postura que visa melhorar

administrativamente. No

discursos afinados, decidi

a escola.

que

Na cerimônia alguns

escrever este texto o mais

diz

bem

mais

acadêmica respeito

p r i o r i d a d e s

e às

d a

descritivo possível pois

discursos

mais

representação discente, no

acho que é de grande valia

marcantes no tocante a

entanto, esse novo discurso

documentar tão marcante

EAESP. A Professora Maria

não deve mudar muito as

momento da história dessa

Tereza Fleury fez questão

questões mais relevantes

escola. Devo confessar, no

de destacar alguns pontos

como as Prioridades da

entanto, que essa não é a

como metas. A qualidade

Fundação, sua Governança

única razão pela qual

A c a d ê m i c a ,

a

e sua Marca e a Participação

escrevo porque, apesar de

sustentabilidade

e a

dos Alunos, temas que

a representação discente

formação ampla foram

sempre serão levantados.

não mais acreditar em

brilhantemente lembradas

Há muito trabalho pela

discursos,

e brevemente descritas. De

frente. A Casa já conhece

considerá-los como uma

forma

muitos dos seus próprios

espécie de contrato os

também

quais

melhores

eu

prefiro

foram

mais

ampla

e

e

sabe

que

ambiciosa, escutamos do

solucioná-los

não

será

quando documentados de

Presidente da Fundação,

tarefa

forma bem descritiva.

professor Carlos Ivan S.

estrutura às modificações

Professores,

Leal, que precisamos sair

necessárias no Curso de

Representantes dos Alunos

da Gafieira para Entrar no

Graduação Reformulado.

e

e

Baile como referência ao

Esperamos

foram

objetivo de melhorar ainda

discurso seja o marco que

uma

mais a Fundação para que

represente uma curva para o

visava

possa superar as que hoje

crescimento na EAESP. O

homenagear o trabalho do

estão

desafio está lançado! A

Professor

situadas.

do

são

Empresariado

Funcionários convidados cerimônia

para que

Francisco

muito

a

sua

mais

frente

problemas

fácil.

Da

que

representação

infra-

esse

discente

Mazzuca e dar as boas

As expectativas da

quer ver o discurso virar

vindas a professora Maria

representação discente

realidade e vale lembrar que

Tereza

eram

promessas

Leme

Fleury.

mais

modestas,

Oficialmente, esse evento

porém

serviu para consagrar as

contrato”, expresso nos

modificações

discursos, nos permitirá

na

governança da EAESP, mas

esse

“novo

Matéria Central

Pra mudar o rumo

geram

expectativas e elas estão em alta aqui na EAESP. Luan Gabellini é aluno do 4º semestre de Administração de

cobrar

da

Fundação

Empresas da EAESP e Presidente do DAGV (presidente@dagv.org.br)

17


Matéria Central

Chegou a hora da mudança? Tiago Tadeu

A

p o s s e

d a

Carlos

Ivan

cenário, nada mais natural

Professora Maria Tereza

Simonsen Leal, a conversa

que

Fleury como nova Diretora

era a mesma: a EAESP

aguardar,

da

trouxe

precisava evoluir e se

questões do dia-a-dia do

estranhos,

renovar e, para isso, eram

aluno, como a qualidade

paradoxais. Ao mesmo

necessárias, segundo Ele,

dos professores - tópico

tempo

abordado na engavetada

EAESP

me

sentimentos em

que

senti

mudanças

em

ao

vê-la

governança.

Muito

esperança

sua se

esperança.

discussão

sim,

De que

sobre

a

discursando no Auditório

discutiu nesta Gazeta a

modificação na atualmente

Itaú no dia 18 de agosto fui

respeito

tosca

tomado

por

mudanças em si, mas – e ao

Professores

preocupação. Isso porque

meu ver tão fundamental

Reavaliação – prova de

muito

eu

quanto – o modo como elas

reavaliação antes da DP já

ingressar na EAESP a Escola

foram conduzidas. Após

adotada na FEA, escola

anos

e

dirigida por 4 anos pela

também antes

sofria

de

intervenções

não

de

das

debates

Avaliação

dos -,

a

d e s a s t r o s a s

d a

discórdias, a EAESP tem

Professora Maria Tereza - e

mantenedora

sua

uma nova Diretora, o marco

a padronização das notas

administração: lista de

de

de

no novo curso sejam agora

demissão de professores

mudança que durou mais

retomadas com seriedade e

elaborada debaixo dos

de 5 anos.

urgência. Afinal, por muito

em

um

processo

panos e anunciada sem

E é aí que entra meu

tempo essas discussões

prévia discussão pela Casa,

sentimento de esperança. A

foram deixadas em stand

determinação do fim das

Professora Maria Tereza

by devido à “indefinição do

eleições para Diretor da

Fleury chega à Direção da

futuro”. Com o futuro mais

EAESP e outorgação da

EAESP

cenário

esclarecido, penso que

Polaca – o novo Regimento

favorável: modificações na

chegou a hora de colocar a

que

a

Governança razoavelmente

mão

das

consolidadas – afinal ainda

apenas

é

disposição

chegou

como

“consolidação mudanças”.

Durante todo esse período

de

s e m p r e

18

Professor

em

um

preciso

tornar

Congregação

a

uma

na

massa.

vontade da

realidade, e de preferência

Tanta

q u e

funcional

curiosamente,

-,

boa

e

recém-

empossada Diretoria.

transição, o s

Basta

esperança

traz, muita

representantes dos alunos

receptividade da Casa à

preocupação. Preocupação

se

o

indicação da nova Diretora

originada principalmente

Presidente da Fundação,

e relacionamento estável

por demasiada esperança:

com a mantenedora. Nesse

a expectativa depositada

reuniam

com


da Fundação, Carlos Ivan,

a Escola e que já está

grande, e com isso o risco

jura estar trabalhando há

traçando

de

frustração

tempos e até hoje ninguém

solucionar cada problema

aumenta. Evitar frustração

viu resultados práticos de

vivido hoje pela EAESP. E que

da

tamanha

ao

ainda terei sorte de me

tema. Fato é que não

formar – o que teoricamente

atender

(altas)

ocorrerá em Dezembro de

uma Casa

é,

mostrar

a

comunidade desde

o

portanto, toda

a

GVniana

dedicação as

modos

de

início

que

a

expectativas da Casa e se

2009 - em uma Escola

de

postura

manter passivo frente aos

melhor,

com

melhores

realmente veio com a troca

desafios atuais chancelará

professores,

melhores

de Diretoria. Isso inclui

de vez o declínio da EAESP.

i n s t a l a ç õ e s

também

Daí

principalmente,

mudança

saber

posicionar,

se

quando

o

sentimento

de

preocupação.

necessário, de maneira

Mas

sou

um

otimista. Prefiro acreditar

Janeiro

que a Professora Fleury

como,

por

exemplo, na questão de

sabia

branding, cujo presidente

questões quando assumiu

de

e ,

menos

interesses próprios e mais

firme frente ao Rio de –

Matéria Central

na Professora Fleury é

todas

essas

pensamento coletivo.

Tiago Tadeu Bezerra é aluno do 6º semestre de Administração de Empresas da EAESP, Representante Discente no CGA, Ex-Presidente do DAGV e colaborador de política interna da Gazeta Vargas. (tadeutiago@yahoo.com.br)

Fotos da cerimônia de posse da nova diretora da EAESP, professora Maria Teresa Fleury, cedidas pelo Departamento de Impresna da EAESP. 19


Coluna Cultural

Do estômago, para “Into the Wild” Laura Oller

D efinitivamente,

dentro, envoltos, inside,

bela, poderosa, perene,

um soco no estômago.

in. Mais do que dentro,

segura. Raízes para se

Mais do que isso, o soco

estamos

sustentar, no desfiladeiro

de uma mão que não

aficionados por este. Eis

solta; que aperta, entala.

então, por fim, a sua mais

Não

palavras.

completa tradução. Sua.

inebriamos

Engasgo. Uma mão sutil

Sim, sua, leitor. Porque é

fotografias, nos deixamos

que, sem pressa, desliza

da

sua

seduzir. Encanto. Somos

garganta a dentro com

vitalidade. O estômago. O

pequenos e fracos. As

uma

que nos move e nos mata.

pessoas

poderosa escondida pela

Alex,

Super-

natureza fica. Como ela se

despretensão e por belas

vagabundo. A decepção

mostra generosa e até

paisagens, e que, porém,

com

servil. Engano. Um dia

de repente se fecha,

h u m a n a s .

O

chegamos a acreditar que

esmigalhando todo o ar,

reconhecimento

das

estávamos no controle de

toda ilusão, toda leveza

feridas encobrindo a sua

algo? A emancipação da

que lhe era genuína. É

real

ilusão vem com a prisão

nesse

pretensa

deixa

profundidade

momento

de

“into

fonte

da

o

as

it”,

relações

dor.

A que

ilusão se

crê

Embarcamos. Nos

física.

em

belas

passam,

Realmente

a

não

desfacelamento que se

serena e lúcida. Uma

somos nada; mas, se de

pode constituir. Quando

busca

se

alguma forma podemos

não há mais estômago é

agarrar em algo, quando

ser, é sendo para nós,

que podemos senti-lo. E

o sofrimento é tanto que

entre nós, conosco.

como sentimos! Afinal,

é impossível admiti-lo

Essa insaciedade do

estamos dentro dele. O

sem ser friamente. O

estômago! Esse senso de

verdadeiro nome do filme

convicto enganar-se que

realidade. Fome. Despido

não poderia ser outro

não

A

de si. Cru. As nuvens se

senão “Into the Wild”. Wild

arrogância advinda da

embaraçam, um instante

é mais que natureza. É

superioridade em que se

de claridade. O relâmpago

mais

natureza

faz preciso crer para

da lucidez. “Felicidade só

selvagem. É a síntese do

continuar. O estômago

existe

paradoxo

sua

clamando. O desespero

compartilhada”. Encontro,

harmonia e perigo. Desta

da fome. A saciedade?

Chris. Fim.

contradição estamos

Pode ser a natureza.

que

entre

cega

se

para

percebe.

Incorruptível, pura, 20

do desespero.

quando

Laura Oller é aluna de Economia da EESP e colaboradora da coluna cultural da Gazeta Vargas. (lauraoller@uol.com.br)

é


Eventos

Quebrando a muralha antipolítica Alípio Ferreira

idéias

que

viram

se

professor já conhecia o trabalho

estabeleça como órgão político

interesse

em

que

o

DA

de ambos, já que eventualmente realiza comentários no Jornal da

outras idéias, idéias que viram

não somente dentro da Academia,

teorias, idéias que viram textos e

mas na sociedade. A idéia de

idéias que viram história. O I Fórum

Gazeta, do qual Maria Lydia é

trazer

de Política, realizado a partir de

âncora. Em relação a Oded Grajew,

candidatos à prefeitura de São

uma parceria entre o DAGV e o CA

o

Paulo era ambiciosa, mas foi

acompanhando seus trabalhos

os

mais

destacados

professor

vinha

Direito GV, é o resultado de uma

abraçada por todos. O projeto já

idéia rara, trabalhada e discutida

com

tomava

podia-se

movimento Nossa São Paulo. Portanto, havia sintonia suficiente

corpo,

e

o

instituto

Ethos

e

o

durante meses. O projeto foi

visualizar o Fórum acontecendo e

inicialmente alavancado pelo vice-

fazendo acontecer, quando se

presidente

para que o evento cumprisse com

soube que o Centro Acadêmico

seu intuito de despertar dúvidas e

acadêmico

de

Economia, Vitor Agnello e pela

Direito

coordenadora de palestras do DA,

tentando contactar candidatos à

GV

também

estava

esperanças.

Oded

Grajew,

bastante introvertido e sério,

Aline Varnovitzky. Durante as

prefeitura, a fim de trazê-los para

férias de julho, realizaram-se

advertiu que “uma vida sem

apresentarem-se aos alunos da

utopias não vale a pena”. Tanto ele quanto Maria Lydia transmitiram a

pequenas reuniões, a fim de que a

Fundação Getulio Vargas. Essa

idéia de se realizar um “Painel de

descoberta possibilitou que mais

Política” em setembro pudesse ser

noção de que não há diferenciação

pessoas se juntassem ao trabalho

aperfeiçoada e tornada factível. A

entre o mundo político e mundo

do Fórum, e a idéia inicial de

proposta de se trazer a jornalista

civil. Além do mais, a jornalista

estimular o debate político entre

notou que, como dizia Platão, “os que não gostam de política são

Maria Lydia e o empresário Oded

os alunos e trazer membros

Grajew para o Painel foi precoce, e

proeminentes da sociedade para

graças a isso se pôde amadurecer o

governados pelos que gostam”. E

discursar

evento

e

no Brasil, gostar de política é

ambiciosa e transformadora, perto

tematicamente, processo que

gostar de algo sujo e pouco

da dimensão que tudo tomava. O

contribuiu para seu impecável

acessível, do qual as pessoas

Fórum ensejou uma integração

desenrolar, no dia 3 de setembro.

preferem uma distância segura o

entre

suficiente que lhes possibilite

esquemática

A realização de um evento do porte do Fórum requereu

as

pareceu

três

pouco

escolas,

e

especialmente entre o DAGV e o

criticar sem comprometimentos.

CA.

Mal se poderia inferir que

mobilização de diferentes áreas de

O primeiro acontecimento

atuação institucional do Diretório

do Fórum, o Painel de Política, foi

Acadêmico. O nome “Fórum de

de

unique.

a

Política” surgiu após a noção,

otimistas, teria sido o evento mais

jornalista

o

compartilhada

bem sucedido de todo o Fórum. A

empresário Oded Grajew, se

organizadores, de que o que se

sala 704 estava repleta de alunos

mostraram

almejava e o que se estava

do primeiro ano de Economia, que

colaboradores. O evento tinha um

alcançando não era meramente

para assistir ao evento foram

forte valor subjetivo aos seus

uma exposição temática sobre

liberados

organizadores, por haver sido

eleições

a

Yoshiaki Nakano. Oded Grajew

inaugural ao Fórum, e por seu

abertura de um ambiente de

insistia que propostas concretas

caráter educativo. O professor

discussão, que visava ir além das

se sustentam por números, por

Marco

pontos do município, e pediu a

por

todos

municipais,

mas

os

datas fixadas. A excitação em relação ao evento era genuína, pois há

Os

convidados,

Maria

Lydia

e

extremamente

Antônio

Teixeira

esse evento, singelo, mas repleto boas

intenções

pelo

e

frases

coordenador

gentilmente aceitou participar do

todos que, ao escolher os

Painel, mediando a conversa entre

candidatos, verificassem se esses

os outros dois convidados. O

quesitos se cumpriam. Salientou

21


que o Movimento Nossa São Paulo

Alckmin ocorreu no dia 12 de

candidato a vice da maior cidade do

conseguiu fazer aprovar uma

setembro, sob fortes ânimos,

país.

Eventos

emenda

à

Lei

Orgânica

do

município que obriga os prefeitos

inclusive

da

assessoria

Na terça-feira à tarde, o prefeito Gilberto Kassab mandou

recém-empossados a divulgar seu

o candidato não tivesse platéia. O

anunciar que não viria à sua

plano de metas para o mandato e a

auditório não se encheu como se

sabatina, marcada para as 17 horas

prestar contas semestralmente

previra, mas o candidato veio e fez

da quarta-feira, e o Fórum se

com a população.

uma

e

encerrou sem um encerramento

Entretanto, a intenção era de que o

abrangente de seus projetos,

digno. Frente a tão desanimadora

exposição

calma

Fórum brilhasse nas sabatinas

permeada de histórias de sua

notícia, o DAGV espalhou, na

com

carreira como político, médico e

quarta-feira

Paulo

Maluf,

Geraldo

de

manhã,

a

Alckmin, Marta Suplicy e Gilberto

professor. A imprensa veio em

polemicíssima nota cancelando o

Kassab. O contato havia sido

peso, e o lounge Citibank foi

evento da tarde.

estabelecido, após muito esforço,

aberto para que os repórteres se

com todos eles, e a organização do

preparassem.

evento estava plena de otimismo.

presidentes

Otimismo e, de certa forma,

respectivamente, Luan Gabellini e

Se o Fórum almejava trazer o

ingenuidade. Qual não foi a

Vitor Pardo, acompanhavam a

debate político para dentro da FGV,

No

palco,

do

DA

e

O Fórum de Política, porém,

os

ocorreu. Existiu, foi discutido,

CA,

tomou tempo e consumiu esforços.

grande surpresa quando veio uma

exposição do candidato, e liam as

aproximar

notícia duvidosa e assustadora de

perguntas encaminhadas por

acontecimentos e personalidades

o

aluno

dos

que semelhante tentativa de

escrito pela platéia. À saída do

políticas, foi bem-sucedido em

organizar sabatinas na FGV-RJ

candidato, suspirou-se de alívio: a

grande parte. Os convidados que

haveria

sabatina ocorrera.

vieram estavam muito satisfeitos

sido

vetada

pelo

presidente Carlos Ivan Simonsen

Segunda-feira dia 15,

em poder serem ouvidos numa

Leal. Mas mesmo com tudo

porém, era um espectro que

instituição tão bem reputada e

correndo bem, sem ameaças de

assombrava o Fórum de Política. A

significativa. Havia aquela velha fé

autoritarismo, Paulo Maluf foi o

sabatina de Aldo Rebelo, sabia-

um pouco velada de que falavam

primeiro a cancelar, alguns dias

se, não atrairia muitos alunos, não

para futuros líderes, presidentes de

antes da data agendada para sua

obstante os esforços retóricos e

empresas, tomadores de decisões e

sabatina. Foi um baque, uma

desapontados

guias de processos de mudança.

notícia

mal

aceita

e

Mas sem fé, ou sem utopia, talvez muita coisa não valha mesmo a

frustração e burburinho. Como o

horas da manhã havia aulas,

pena. Já se o Fórum pretendia

evento continuou a ser anunciado

trabalhos e almoços, e no Direito

trazer a FGV e seu corpo estudantil,

de

despenderiam.

O

se

horário

causadora

mal

que

certamente desfavorecia. Às 11

administrada,

em alguns pontos da FGV, os

GV ocorria a Semana Jurídica. Um

(se isso existe hoje em dia), para o

alunos, ansiosos para ver o mítico

público que mal encheria uma sala

centro do debate político, não é

Maluf, se acumularam em frente

de aula se acomodou no auditório

pouco dizer que fracassou. A

ao auditório Itaú, deixando ao

Itaú, e o candidato placidamente

direção desses esforços é oculta, e

vice-presidente acadêmico de

conduziu o evento, sem subir ao

talvez nem a conheçam bem os

Administração, Leandro Grespan,

palco, conformado com a escassa

idealizadores

do

Fórumos

a tarefa de informar que não

platéia. Segundo ele, tampouco na

idealizadores

do

Fórum

haveria mais sabatina.

22

do

candidato, temerosíssima de que

a

USP tivera grande audiência,

conheçam bem. Se foi ou não um

Marta Suplicy, após um

quando chamado a evento similar.

esforço nessa direção, chocou-se

evento desastroso com os alunos

Ao fim da sabatina, houve uma

contra uma muralha de frieza e

da FMU, anunciou que tampouco

conversa informal, repleta de

desinteresse, da qual bem ou mal,

viria, mas que enviaria seu vice,

lamentos. Um amigo do candidato

nem DA nem CA são culpados, e

Aldo Rebelo, para ser sabatinado

comentou que em sua época de

pelo contrário, suas ações são

em seu lugar. Dessa forma,

faculdade, um auditório como

merecedoras

de

bastante

previram os organizadores, Marta

aquele seria pequeno para abrigar

reconhecimento. A eles, portanto,

anunciara o fracasso da sabatina.

o número de alunos interessados

nossos humildes aplausos.

A esperança num estrondoso

em

ouvir

propostas

de

um

sucesso recaía sobre Alckmin e

candidato a vereador, e ali se viam

Kassab. A sabatina com Geraldo

pouquíssimos para ouvir um


Franco

Entrar

na FGV é um

prestígio e uma ambição para muitos jovens na época do vestibular. Uma vez dentro da fundação, ainda temos a opção de participar de alguma das entidades aqui presentes. O que era para ser uma ajuda, um guia, ou um meio para se conhecer melhor o que se deseja

para

a

carreira

profissional, passa a ser um desafio relativamente grande para os inscritos nesses processos de seleção. Aqui dentro da GV contamos

cerca

de

10

entidades, sendo que apenas 8 (oito) delas contam com processos seletivos para a entrada de novos membros e apenas 7 (sete) delas abriram seus processos no início deste segundo semestre. Os

processos

seletivos, que são a essência desta matéria, contam com diversas

formas

para

selecionar os alunos que supõem os “mais adequados” para a entidade e, ao mesmo tempo, que estão dentro do perfil buscado por esta. Uma das formas mais utilizadas dentre os processos são as dinâmicas em grupo, que conseguem dar uma visão relativamente boa sobre como o aluno se porta diante de

certas

situações

suas

atividades que vão desde

reações, que podem ser ou

apresentar a entidade e seus

não

ideais

as

e

procuradas

e

em

palestras

necessárias para o perfil desta

obrigatórias, até dinâmicas

ou daquela entidade.

que relembram nosso passado

Antes,

porém,

de

pueril de brincadeiras de roda.

qualquer coisa, todos os

A discussão acerca do

alunos interessados devem

que

preencher

atividades agrega ou não aos

fichas

e

cada

uma

dessas

formulários, e em alguns

alunos,

casos, até currículos que

relatórios das instituições

devem ser cadastrados em

ambicionadas, gira em torno

sites já especializados em

da

seleções. A segunda parte,

artifícios para com o que é

normalmente, consiste de

esperado

algumas dinâmicas, palestras,

inscritos nos processos, e o

entrevistas,

mesmo,

que realmente avalia o perfil

provas de raciocínio lógico.

de cada um de acordo com o

Prova esta realizada em um

que é procurado. Por questões

único horário favorável aos

éticas, é melhor deixar essa

alunos de administração, e

discussão de lado.

ou,

às

por

e

destes

parte

dos

Cada aluno tem suas habilidades,

Quanto aos horários, é

fichas

funcionalidade

não aos das outras duas escolas.

ou

princípios

e

facilidades. Na hora de uma

claro que nunca será possível

dinâmica

estabelecer um horário ótimo

exemplo,

ao qual todos os alunos da

características

FGV possam se comprometer

melhor e são aproveitadas

a ir. No entanto, uma maior

para serem colocadas nos

flexibilidade ou mais opções

relatórios dos avaliadores de

de horários poderiam ser

cada instituição. Ainda assim,

oferecidos, e isso deveria ser

em

aplicado

das

inscrição você é levado a se

entidades, embora apenas

descrever, a falar sobre seus

observemos

sucessos, fracassos, idéias

na

maioria isso

em

um

número reduzido delas. Das

vezes

que

todas

em

grupo,

por

que

tais

é

as

aparecem

fichas

de

políticas sobre o Brasil, e até o se

que existe de comum entre

consegue encaixar os horários

você e a entidade. O problema,

na agenda e ir às convocações,

agora

encontramos

Reportagem especial

Quais caminhos? Quais processos? Ana Quais entidades?

então

é

saber

as

diversas

23


Reportagem especial

Outra vez, emerge a questão

da EAESP não tenha conflito de

de

as

horários e possa comparecer

apresentação são uma porta

palestras de apresentação.

sem ter de perder aulas.

para que estas possam ser

Mais ainda, também existe a

Seleção por parte do próprio

apresentadas aos alunos, e

questão de onde ele seria

aluno de qual é a entidade que

assim

se

mais útil. Uma forma mais

mais se aproxima dele, através

enquadrar, de algum modo,

simples de se resolver isso

de palestras e contato com

no perfil desta ou daquela

seria a transparência dos tipos

integrantes das entidades. E

entidade.

algumas

de trabalhos realizados em

quantas

entidades, as palestras são

cada parte da instituição, seus

eficientes possam surgir.

obrigatórias (e em uma delas,

projetos e onde existem mais

quase que a única restrição

vagas a serem preenchidas.

os

para a entrada do aluno). Mas,

Isto aconteceu em apenas

seletivos

normalmente, são utilizadas

uma entidade, que mostrou

expositivos e explicativos,

para que o aluno se sinta

todos os projetos de que

menos marqueteiros seletivos.

entusiasmado a tentar entrar e

ainda precisavam de mais

Quem sabe não seja esta a

a querer algo que, talvez, não

novos associados para ajudar

melhor maneira de se achar o

se

a desenvolver.

ponto ótimo entre o que cada

características de tais. As

palestras

estes

de

possam

Para

enquadre

em

suas

são

feitas

outras

soluções

Espera-se, assim, que próximos

processos

sejam

mais

habilidades ou facilidades.

Pois bem. Como então

entidade quer e o que cada

“Vender seu peixe” é algo que

o aluno vai saber aonde ele

aluno pode oferecer. Quem

importa sim para que alunos

melhor se enquadra nesse

sabe não veremos menos

se interessem pela seleção,

todo?

alunos desapontados com os

contudo, essa característica

Exposições são bem-

resultados das seleções, bem

tem algo de negativa, afinal,

vindas. Acredito que os que

como melhores resultados para

muitas vezes, algum aluno

realmente se interessam,

cada uma das entidades. Quem

que não é o foco da seleção é

podem assim escolher a área

sabe isso sairá do papel, um

conquistado e depois, durante

que mais lhe chama atenção.

dia. Afinal, no papel, já está.

as etapas, desclassificado sem

Horários

saber bem ao certo o porquê.

também são bem-vindos,

Querer participar de uma das entidades da FGV é um

sentimento

que

é

primordial para que o aluno seja aprovado durante a seleção. Agir de modo a se enquadrar

dentro

dos

quesitos existentes também o é, e para isso, é necessário que antes de se inscrever em qualquer processo, o aluno saiba bem o que ele quer e em qual área se encaixa melhor. Reside

aí,

então,

outro

problema. Como saber então e, onde se encaixar dentro de uma das entidades da FGV?

24

como

mais

flexíveis

para que nenhum aluno fora


Fabris

Parte

importante do

Fórum de Política organizado pelo DAGV em conjunto com o CA Direito foi, ou deveria ter sido, a sabatina dos candidatos à prefeitura da cidade de São Paulo. Foi, pois - além de ser uma

tradição

geveniana

inegavelmente importante - a participação dos políticos na vida dos alunos, e de alunos na vida política do país, amplia visões do que serão tanto os profissionais quanto o próprio país no futuro. Deveria ter sido, pois se juntarmos a falta de organização,

falta

de

divulgação, falta de alguns candidatos e, principalmente, a falta de alunos interessados, podemos quase chamar de fiasco

este

evento

que

costumava atrair multidões em tempos de outras lutas e outros desafios. Queiram ou não, a FGVSP

é

uma

das

poucas

organizações que formam profissionais das áreas que mais

influenciam

na

governança política do país: administração pública e de empresas, economia e direito. Antes, o desafio era pela representação, democracia; hoje, temo dizer que o desafio mudou de lado. O esforço atual é pela participação do público e pelo interesse das pessoas que nos

últimos

20

anos,

decepcionadas com a atuação

que de cerca de 1600 alunos da

dos

graduação,

governantes

e

desesperançosas quando a

somente

20

tivessem interesse em saber os

palavra é “mudança”, vêm se

planos do candidato a vice-

afastando da política. Tudo isso

prefeito em primeiro lugar nas

as afastou do cenário político, e

pesquisas.

quando perguntados sobre o

A

organização

das

porquê de não comparecer a

sabatinas pecou na divulgação.

uma sabatina, a resposta mais

Antigamente os organizadores

comum dos alunos foi: “Para

passavam

nas

quê?”.

incentivando

os

salas

alunos

a

Se a democracia é eleger

participarem e creio, aliás, que

representantes do povo, nada

esta era uma das propostas

mais justo que eles também

mais

tenham o mínimo de interesse

Impacto no período de eleições

firmes

da

chapa

na política. O eleito vai chegar a

do DA. Eram poucos os alunos

seu cargo, trabalhar 3 dias por

que sabiam mesmo quando e

semana e receber lá seus R$20

onde ocorreriam as sabatinas.

mil, sabendo que o povo não vai

Para piorar a situação, o

ficar indignado, mas sim, com

cancelamento da presença de

inveja. E, quando perguntado

Paulo Maluf no evento pôs em

sobre se não vai fazer nada para

dúvida, para vários alunos, a

mudar o país, a resposta mais

existência das demais, o que

corriqueira deverá ser a mesma

desanimou vários dos nossos

dos nossos alunos: “Para quê?”

colegas sobre o resto do

Esta, que deveria ser a

evento. Com a falta do prefeito

cobertura de um evento de alto

Gilberto Kassab e a posterior

nível

informativo

e

falta de traquejo do DAGV, ou

esclarecedor, como foram de

de um de seus membros para

fato as sabatinas com Geraldo

divulgar a noticia, encerrou-se

Alckmin

Rebelo,

a bola de neve que resultou no

candidatos a prefeito e vice-

relativo fracasso das sabatinas.

prefeito

Mas continuo a me perguntar:

tornou-se

e

Aldo

respectivamente, uma

verdadeira

Será que havia muito mais

crítica ao espírito participativo

alunos presenciando a sabatina

dos nossos colegas. Não se

de Geraldo Alckmin que a de

pode

culpar

única

Cobertura

Sabatinas: A cobertura do evento Felipe virou crítica

e

Aldo Rebelo por que os alunos

exclusivamente a falta de

o enxergavam como candidato

interesse dos alunos quanto ao

de

baixo quorum do evento. Nem

enxergavam como um pop-

poderíamos acreditar mesmo

star?

fato,

ou

por

que

o

25


Política Interna

Aluno furta violão do DA Felipe Fabris

Este

absurdo poderia

ser título de uma crônica, ou fazer parte da seção de humor. Mas a real é que um aluno da FGV levou o violão do Diretório Acadêmico pra casa, como se fosse dele. E era mesmo. Primeiro absurdo: Aluno furta seu próprio patrimônio. O sujeito foi capaz de apossar-se de algo que cabe a ele mesmo patrocinar, junto com o resto dos alunos, de uma associação da qual ele é sócio e ainda por cima pagante. É como se alguém resolvesse furtar a aula de microeconomia e assistir sozinho

em

casa.

Haja

egoísmo. Parte-se do princípio que este nosso colega é um cidadão que dispõe de certa cultura,

uma

vez

que,

esperamos, ele tenha levado o violão porque pretende tocá-lo no conforto de sua casa. Tocar violão é cultura. Segundo absurdo: Aluno furta cultura do DA. O sujeito foi capaz de excluir todos os demais alunos do pouco de cultura musical a que

tínhamos

acesso

no

Diretório Acadêmico – visto que o piano está em cacos. É como se alguém resolvesse furtar o quintal e curtir sozinho em casa. Haja egoísmo. Não menos grave, a possibilidade de este ladrão compor a camada social mais bem afortunada do nosso país

26

é de aproximadamente 100%

outros é a oportunidade que faz

(e não precisamos de aulas de

o ladrão. A indiferença dos

estatística

esta

nossos colegas é assustadora. O

conclusão). Para quem não

sujeito somente foi capaz de

sabe, um violão comum custa

realizar o feito por saber que

cerca de R$150,00. Terceiro

sairia impune, tanto que saiu. É

absurdo: Aluno furta por

como se alguém resolvesse

prazer. O sujeito foi capaz de

furtar a mesa de sinuca sem ser

mostrar seu lado marginal por

visto. Haja impunidade.

para

motivos que podem variar de:

Vamos então à solução

mostrar coragem aos amigos

do caso. O ladrão ficará mesmo

até inflar seu insaciável ego

impune e não há indícios de que

com atitudes mesquinhas. Não

será descoberto. Mas e a

devemos acreditar que o nosso

comunidade de alunos que toca

colega

dificuldades

violão? Que gosta de cultura?

financeiras e foi vender o

Fica sem? Eis que chegamos ao

violão na 25 de março para

quinto absurdo: Aluno ladrão

pagar a mensalidade da FGV, a

expõe burocracia exagerada do

não

DA.

ser

teve

que

ele

tivesse

Transparência

é

uma

roubado 20 violões. É como se

característica que a gestão

alguém resolvesse furtar o

Impacto tem tentado expor,

salgado do Rockafé só pra

com certo sucesso, diria. Porém,

dizer que comeu de graça. E

ao ser requisitada pelos alunos

haja egoísmo.

a compra de um novo violão princípio

(verifiquem o preço exposto

inegável, é o princípio da

acima), o Diretório afirmou ser

dimensão do objeto. Não é

necessário avaliar em reunião

difícil notar a presença de um

de

violão ao seu redor. Quarto

transparência, é burocracia. É

absurdo: Aluno furta com

como se alguém resolvesse

tranqüilidade. Se ele não era o

furtar uma carteira e tivesse que

Mister M, é mais provável que

esperar autorização da máfia.

tenha saído do DA com o violão

Haja paciência.

Mais

um

gestão.

Isso

não

é

nas mãos, ou nas costas, debaixo dos olhos de todo

*Para quem achar que pode não

mundo, utilizado o elevador,

ter sido um aluno o autor do

atravessado o pátio do 7° andar

feito, sugiro considerar isto

e passado pelas catracas da

uma crônica, e refletir do

EAESP. Ninguém viu nada,

mesmo jeito.

ninguém fala nada. O medo de uns diante da falta de medo de


Entidades

EJ – Desafio de Estudo de Casos 2008 O Desafio de Estudo de Casos ocorreu nos dias 30 e 31 de agosto no hotel Park Suites na Vila Olímpia e contou com o patrocínio da Alcoa, empresa líder mundial na produção de alumínio e apoio do CEDEA (Centro de Desenvolvimento do Ensino e da Aprendizagem). Um workshop ministrado pelo Prof. João Douat abriu o evento no final da tarde do sábado. Nele, alunos do 3º ao 6º semestre tiveram um maior conhecimento e dicas sobre o processo de resolução de casos. A partir do sábado à noite as equipes participantes buscaram em 14 horas contadas soluções para um caso credenciado pela Harvard sobre a indústria siderúrgica na China. Após muito esforço, pouco sono e muita vontade as equipes se apresentaram a uma banca avaliadora composta por professores da FGV e exmembros formados da EJ. A Empresa Júnior FGV parabeniza os vencedores do 3º Desafio de Estudo de Casos 2008 e agradece a todos que nos apoiaram durante esta empreitada.

Finalistas Banca Avaliadora 1º Colocados – Prêmio de R$3.000 André Farias 4º Sem

Prof. Antônio Gelis

Flavio Soriano 4º Sem

Prof. César Caselani

Gustavo Henrique Falciano 4º Sem

Prof. Fernando Dall'Acqua Prof. Marco Queiroz

2º Colocados – Prêmio de R$1.500

Prof. Ricardo Ikeda

Leonardo Palhuca 5º Sem

Profa. Edilene Santos

Marcelo Mazzafera 5º Sem

Luiz Henrique Carvalho

Rodolfo Hing 5º Sem

Maurício Betti Rodrigo Senra

3º Colocados – Prêmio de R$1.000 André Camargo 4º Sem Diego Genari de Oliveira 4º Sem Micheli Rogalski 3º Sem 4º Colocados Fernanda Laudísio 5º Sem João Paulo Fonseca 5º Sem Teotônio Vilela Brandão 5º Sem

27


E na pa daria d a R. Ro cha,

ao lado da Edes p:

Humor Corra q ue estão acaband

o!!!

Sim, a Atlética obteve de antemão a mais recente reforma ortográfica.

28


Aconteceu em alguma sala perto

Frases D'Efeito

Humor

Coluna Volta Nogushi de você “O retorno é exatamente o retorno que você tem.”

Uma professora estava acabando de dar as últimas orientações para os alunos acerca da prova parcial que ocorreria no dia seguinte. Finalizou alertando que não haveria desculpas para a falta de

Numa aula de desenvolvimento econômico. Simplesmente brilhante, a picaretagem é exatamente a picaretagem que você tem. “ - Professora, o que é esse K 'pontinho'? -O Capuccino é a variação do K num dado período de tempo.” Eu imagino o que seja um espresso. Falando nisso... feana, cadê meu cafezinho?

nenhum aluno, com exceção de um grave ferimento, doença ou a morte de algum parente próximo. Um engraçadinho, que sentava no fundo da classe, perguntou com aquele velho ar de cinismo: - Dentre esses motivos

Num programa ao vivo da MTV: “Deviam explodir todas as frutas e fazer uma limonada.” Ou espremer um limão e fazer uma vitamina! "Pijamas são um tipo de roupa usada para dormir, por pessoas que não querem ficar sem roupas ou apenas com a roupa de baixo." Até a Wikipedia faz piada com o DA agora. Vem aí a Giovanna nudista.

justificados, podemos incluir o de extremo cansaço por atividade

Algumas pérolas das entrevistas do processo seletivo da Gazeta:

sexual ? A classe explodiu em gargalhadas, a professora aguardando pacientemente que o silêncio fosse restabelecido.

Pergunta: “Quem é o presidente do DA?” Resposta: “É o loirinho de olho azul ali” Pergunta: “E quem é a diretora da EAESP?” Resposta: “A Feana”

Tão logo isso ocorreu, ela olhou para o palhaço e respondeu: - Isto não é um motivo justificado.

Pergunta: “E o diretor da EESP?” Resposta: “Calma, eu sei que é um nome japonês.”

Você pode escolher: vir para a classe e escrever com a outra mão, ou, se não puder sentar-se, pode respondê-la em pé.

Pergunta: “Qual sua área de interesse na Gazeta Vargas?” Resposta: “Humor” Pergunta: “Você se considera engraçado?” Resposta: “Não”

Todos sabemos que nossas matérias possuem nomes mais bem decorados do que apartamentos de certos reitores. No mais recente trabalho de investigação jornalística realizado por esta singela coluna, desvendamos para você os principais nomes de nossas matérias: Nome atual:

Nome Verdadeiro

Estado e entidades da Administração Indireta

Direito Comercial

Aspectos Legais da Administração

Estado e entidades da Administração Indireta

Direito Constitucional

Aspectos Legais da Administração

Teoria do Desenvolvimento Econômico

Introdução ao Grego I

Microeconomia

Conceitos Básicos de Grego I

Introdução à Administração Financeira

Contabilidade 0

Estado, Sociedade Civil e Política Social

Sociologia III

29


Crônica

Cinzas no caminho Alípio Ferreira

Um

dia um caminho

habitual se tornou estranho. Era domingo cinza e havia cinzas

de

cigarro

e

automóvel, cinzas ruas e cinzas prédios, e na praça Julio Prestes a manhã úmida saudava

igualmente

m e n d i g o s ,

os o s

trabalhadores, os boêmios e os passantes, dentre os quais,

eu.

Caminhava

calma. Quando foi embora,

há de encurtar a vida.

deixou-me sem dinheiro,

Meu

sem celular, sem gana para

pensativo. Concluí que ele

andar, para chorar ou para

era mais fraco que eu, que

entender. Continuei meu

na verdade não era uma

caminho,

na

faca que estava em suas

direção daquele que me

mãos, e que poderia ter

abraçou e me ameaçou,

reagido

enquanto ele atravessava a

daquilo tudo. Em suma,

rua, indiferente ao tráfego,

consegui somar àquela

ao frio e à segurança

sensação de perda uma

pública.

p o n t a d a

Aquele

cinza, branco no sorriso cinza, vermelho no farol cinza. Mas havia tanta modorra naquele dia cru que cri que deveria dar uma volta entre as crianças do crack, os taxistas alegres, pessoas e pássaros. O

caminho

até

a

estação Luz de metrô é sujo, e por ali se amontoam pessoas sem história, sem nome e sem cidadania, uma das quais veio me assaltar. Vi

que

se

aproximava,

relaxado e confiante. “Não corre”, e não corri. Andava junto a mim, num abraço mau. Sua mão segurava uma faca junto ao meu pescoço, e ele falava com calma, e eu respondia com

30

caminho

e

me

segui

livrado

d e

arrependimento.

Mas

talvez representa uma fatia

aquele

sujo

do Brasil, de sua pujança e

passou, o meu celular

desigualdade. Ali havia um

passou, o dinheiro que

menino da minha idade,

perdi passou, e fico me

que

pela

perguntando se aquele

certeza óbvia e dura de que

menino passou, se aquela

eu não me classifico em sua

sujeira passou, se o crack

situação social. Continuei

passou, embora eu tema

andando, naquela rua suja,

que não.

d e s p r e o c u p a d o , enxergando verde na árvore

olhando

caminho

agiu

movido

domingo

cinza, e fria, e gritei de

Caminhamos

tédio, ódio e tédio e ódio.

um país melhor, mas a

Mas em São Paulo ninguém

mudança parece atingir

ouviu aquele brado de

somente

indignação, aquele berro

presente são aquelas vidas

humilhado. Até porque eu

cinzas que são vidas de

representara

vida

pedra e vidas da pedra,

um

fantasmas que assombram

daquele momento

na

marginal de

fuga

o

para

futuro.

O

à

e roubam e matam, que às

humilhação cotidiana de se

vezes encontram os nossos

render à droga, ao frio, ao

caminhos, no formidável

cinza, de se sujeitar ao meu

e n c o n t r o

tédio e ao meu ódio. O

subdesenvolvimento.

dinheiro que me roubou lhe

d o


AIESEC na FGV apresenta

Ask Bush

23 de

Outubro

Como entender o maior colapso financeiro dos Estados Unidos desde a década de 30, seu impacto no Brasil e o que podemos esperar diante dessa nova realidade.

Hélio Beltrão

Clay W. Hamlin

Sócio Gerente Sextante Investimentos

CEO Fkpartners

Career Management

Sala 704

Conheça de perto os maiores profissionais da área de recrutamento e seleção do país em um diálogo sobre a inserção do universitário no mercado de trabalho, além de dicas e conselhos em um espaço aberto, descontraído e irreverente.

Eles sonhavam em ter sua própria empresa, hoje são referência no mundo dos negócios. Conheça as mais diversas oportunidades de empreendedorismo e os melhores executivos e profissionais, assim como os desafios para se chegar ao sucesso

REALIZAÇÃO

MÍDIA OFICIAL

05 de

Novembro

12 de

Novembro


Edição 76  

Gazeta Vargas - Edição #76

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you