Issuu on Google+

REPORTAGEM

REPORTAGEM

DIVULGAÇÃO

Construtora é punida Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de São José do Rio Pardo, com acompanhamento do Ministério Público do Trabalho de Campinas, divulgou esta semana o relatório final da ação que culminou com o resgate de 15 trabalhadores (14 homens e uma mulher) das obras de construção de 262 casas do programa “Minha Casa, Minha Vida”. A empresa MKSE foi autuada por uma série de infrações. Página A-9

São José do Rio Pardo

24 de dezembro de 2011

Salvamento Em outubro do ano passado e agora em dezembro, o soldado Lucas de Freitas Alves, da polícia militar, atuou em duas operações inusitadas: ajudou no salvamento de crianças, pelo telefone. Página A-7

Ano 103

R$ 2,00

2.576

Município tem 450 pacientes com câncer REPORTAGEM

O serviço de quimioterapia de São José do Rio Pardo tem hoje cerca de 450 pessoas cadastradas com câncer, a maior parte de cabeça e pescoço. Resultado de uma parceria entre o governo estadual, Prefeitura, Santa

Casa e Projeto Renascer, firmado em 2008, o serviço funciona, ainda, sem credenciamento junto ao Ministério da Saúde. Por conta disso, os procedimentos são mantidos com recursos municipais e do Estado. Página A-16

Novos prazos para consultas médicas De norte a sul, leste a oeste Chegar ao Jardim São Bento, no oeste da cidade, é uma aventura. Mas não é só lá. No norte, sul e leste da cidade, os bairros também vivem situação de abandono. Página A-33

Começou a vigorar uma nova regra para a marcação de consultas médicas nas clínicas e estabelecimentos conveniados aos

planos de saúde. O atendimento terá de ser feito em prazos de 3 a no máximo 21 dias, dependendo da especialidade. Página A-29

Esportes Meninos da canoagem disputarão vaga para as Olimpíadas de Londres - Página A-26


A-2 - 24 de dezembro de 2011

Que o presente seja a Educação A educação está para o jovem como este está para a vida: em estado de urgência. O emaranhado de questionamentos e mudanças comuns na fase da adolescência não deveria impedir o jovem de ter uma certeza na vida: a de que a educação é o único caminho que ele deve trilhar até o fim, a única plataforma para uma vida melhor e mais digna. Só que o Brasil, infelizmente, ainda não alcançou padrões aceitáveis, em termos educacionais, para um país com aspirações de potência mundial. Veja-se, por exemplo, o relatório divulgado recentemente pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) sobre a situação escolar dos jovens brasileiros. O documento revela que cerca de 20% dos adolescentes entre 15 e 17 anos estão fora da escola – um dado mais do que alarmante –, e identifica a pobreza na origem dessa realidade. A extrema pobreza, por exemplo, afeta 11,9% de meninos e meninas de 12 a 17 anos, num país onde vivem hoje 21 mi-

lhões de jovens nessa faixa etária. Para quebrar o ciclo vicioso da pobreza e da desigualdade do Brasil, devemos aproveitar os próximos anos de esperado crescimento econômico para ampliar a inclusão educacional dos jovens provenientes dos extratos sociais menos favorecidos. É preciso investir cada vez mais na universalização do ensino de qualidade, na qualificação profissional e na valorização dos professores. Temos que alargar o escopo dos programas sociais criados pelo governo federal, como o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), o Prouni (Programa Universidade para Todos) e o Fies (Financiamento Estudantil). Mas como fazer isso? Um dos instrumentos mais importantes é o Plano Nacional de Educação (PNE) – documento que estabelece 20 metas para a educação brasileira na próxima década e que está tramitando no Congresso Nacional. O PNE precisa aumentar

substancialmente os investimentos na Educação, dos atuais 5,7% do PIB (Produto Interno Bruto) para cerca de 10% do PIB. Sem isso, como demonstram vários estudos, não será possível erradicar o analfabetismo do país no médio prazo, nem melhorar sensivelmente a qualidade dos atuais padrões da educação brasileira. É sabido que problemas crônicos da sociedade moderna – como o desemprego e a criminalidade – têm suas raízes mais profundas ligadas à questão da educação, ou à falta dela. Sob essa ótica, a situação atual do adolescente brasileiro – fora da escola, em risco de evasão ou de ficar retido no ensino fundamental – é inadmissível para um país que fez da inclusão uma bandeira de toda a sociedade. Com uma educação melhor e mais inclusiva, o Brasil terá cada vez mais condições de formar cidadãos aptos a viver em sociedade, envolvendo-se com a coletividade e desenvolvendo um espírito republicano. Assim, estaremos criando as bases para construir um país mais justo e solidário.

Gazeta agradece e retribui Gazeta do Rio Pardo agradece as manifestações de Boas Festas, recebidas ao longo dos dias, pelos grupos, pessoas, empresas e assessorias listadas a seguir e, nesta oportunidade, retribui os cumprimentos, desejando a todos um natal de muitas alegrias, bem como um ano novo de grandes realizações, e de boas notícias. ABA - Associação Brasileira de Anunciantes Abrascip - Associação Brasileira das Sociedades Civis de Interesse Público AD Comunicação & Marketing (Ana Davini, Daniel Ramirez, Marina Vieira, Flávia Fernandes, Henrique Affonso, Rafael Lopes, Bianca Notário, Roberto Vieira, Mariana Honorato, Marina Pernavia, Julia Costacurta e Juliana Faria) Advogado Juarez Alvarenga Agência Destak de Publicidade Agência Radioweb Álamos Genética Apogeo Investimentos Asilo Lar de Jesus (Voluntárias: Ana Lúcia, Clara, Cecília, Inez, Maria Aparecida, Maria Dulce, Patrícia, Sebastiana, Stela e Vânia; Funcionários, Internos e Diretores) Assessora Assessoria em Comunicação Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Saúde Assessoria de Imprensa AES Tietê - Com Texto Comunicação Corporativa (Deborah Costa, Andressa Sirino) Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (Vanderlei França, Ricardo Liguori, Markione Santana, Shirley Nara, Hélia Araújo, Andreia Heitich, Adriana Matiuzo, Michelly Siqueira, Maria Fernanda Rodrigues, Juliana Apolinário, Priscila Almeida, Jussara Caetano, Samara Meni, Patrícia Carvalho de Sousa) Assessoria de Imprensa do Grupo AES Brasil (Daniela Santucci) Associação Comercial de Ubatuba (Cristiane G. Zarpelão) Associação do Senhor Jesus (Disk Shop) Associação Paulista de Esportes e Eventos Ateliê de Textos Assessoria de Comunicação Aurora Pires (Divulgação Express) Barcelona Soluções Corporativas BSPACE C&M Software Cantor Marciano Cargill / Vinícius Riqueto de Oliveira Carmen Cecília Trovatto Maschietto Centro de Extensão Universitária (CEU), Departamento de Direito do IICS, deseja a toda família um Santo Natal Cesar Callegari Céu Comunicação Colégio Lúmen Departamento de Cultura e Turismo - Espírito Santo do Pinhal/SP (Loriane Salvi) Departamento de Direito Deputado Estadual Fernando Capez (PSDB/SP) Deputado Estadual Luiz Eduardo Cheida (PMDB/PR) Deputado Federal (PSDB/SP) Vaz de Lima e esposa Ivani Di Fatto Central de Comunicação DNA Natural Balneário Camboriú DUE Company Assessoria E.E. Tarquínio Cobra Olyntho (Direção, Coordenação, Professores e demais funcionários) EAD Século 21 - Ensino à Distância Edições Loyola (Ryad Adib Bonduki) Editora AnimalWorld Equipe Cristiane Bértoli Arquitetura Equipe Informa Midia Comunicação Empresarial Equipe Ingresso na Web Equipe Shop Derm’s ESA - Escola Superior de Advocacia – Núcleo Pirassununga (Sandra Nice Dornela Benetati, Raquel Junqueira Dias)

Escritório Fontão Contabilidade Ltda Estilo Press (Euracy Campos e Alessandra Sabbag) Foto Mansano (Adriano Mansano, Bárbara, Luís Miguel e Gabriela) Foto Metro Grupo Assistencial Cáritas e Escola de Educação Especial Cáritas Grupo Coopcald Equipamentos Industriais Ltda. Grupo Espírita Samaritano – Creche Francisco de Assis (José Sebastião de Andrade) Grupo Marfinite (Alexandre Pimentel e Artur J. Dian) GT Marketing e Comunicação (Gaudêncio Torquato e Equipe) Hotel Millennium IBDES - Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Econômico e Social Insider 2 Comunicação Corporativa Instituto Internacional de Ciências Sociais Instituto Passadori - Educação Corporativa Leilson Luiz da Silva (São João Supermercados) Link Comunicação Empresarial (Carolina Carvalho) Mais Urbano Marcelo Automóveis Márcio (Gim) Buosi Gomes, Élide e Letícia Maria Esméria do Amaral Mesquita e Família Martone Produções (Lisa Martone) Maxpress Mecânica de Comunicação Midiorama Entertainment Media Miguel Reis Advogados Associados (Newsletter Lawrei) NBCOm Comunicação Corporativa (Iara Correia) Nissan do Brasil (Ademir Gonçalves) Outdoor News Marketing Parrano Publicidade e Marketing Pastoral Social da Paróquia Santa Edwiges (Glauter) Power Mídia Agencia Digital Raidho Tour Operator (Patrícia Ribeiro) Raquel Pagani Renovias Concessionária S/A (Roberto Calixto, Kátia Macedo, Alexandre Moretto, Luiz Fernando Brandino, Lívia Mota e Equipe) Revista Mensageiro do Coração de Jesus (Pe. R. Paiva, SJ; Pe. Otmar J. Schwengber, SJ) Ricardo Orlandini & Família Ricardo Viveiros & Associados - Oficina de Comunicação (Fernando Henrique Cruz, Jéssica Almassi) Rinaldo Farah Ortega RM Representações Sicovamm - Sindicato do Comércio Varejista de Mogi Mirim (José Antonio Scomparin) Sigma Six Comunicação (Nathana Lacerda e Fernanda Mariáh) Sindag - Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Agrícola Sindeepress - Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros (Genival Beserra Leite) Sociedade Brasileira de Coaching Sociedade Lar da Infância (Crianças, Funcionários e Diretoria) Star Brands Relações Públicas (Camila Lima) Suggestiva Assessoria de Comunicação (Juliana Lopes) Talento Comunicação e Eventos (Cássio de Oliveira) Techbio - Biotechnology (Letícia Del Ciampo Chelini) Theodoro Jr Gestão de Marcas Vera Moreira Comunicação (Vera Moreira, Ana Finatti, Lilian Teixeira, Nicole Lallée, Mariana Manzato) Via Pública Comunicação (Ana Paula, Carmen, Eli, Inês, Jacilene, Regiane, Sheila e Taís) X Comunicação (Alexandre Tsuneta)

Destinação do IR Se você paga Imposto de Renda e sempre reclama por não saber para onde exatamente vai este dinheiro, o CMDCA Conselho Municipal da Criança e do Adolescente de São José do Rio Pardo informa que está chegando ao fim o prazo para os interessados em destinar parte dos recursos do IR para entidades assistenciais da cidade. Segundo as informações, no caso de pessoa física podem ser destinados 6% do valor devido referente ao IR 2011; no caso de pessoa jurídica destina-se 1%. O prazo para interessados em aderir acabam mo dia 29 e a destinação pode ser feita diretamente na conta do CMDCA (agência 0066-3 conta corrente nº 73131-5). Na faixa 2 Promessa não cumprida, assim como muitas outras desta administração. Na noite de 17 de novembro, após um evento na ACI, em entrevista ao repórter Silvio José (Gazeta/Difusora) o prefeito João Luís Cunha afirmou: “O Corpo de Bombeiros estará funcionando a partir do dia 20 de dezembro”. Nesta quinta-feira, dia 22, o prédio permanecia em obras. E, para não se alegar que a informação foi inventada, a fala está gravada. Pontos cardeais Como se poderá ver em matéria nesta edição, de leste a oeste, de norte a sul, a cidade vive em estado de abandono. Há tempos isto vem sendo falado e a matéria sobre a precariedade dos bairros apenas confirma os locais onde, há meses, não aparece uma equipe de serviço para limpeza, manutenção de ruas e iluminação. A indignação dos moradores é tamanha que já há quem defenda uma greve pelo não pagamento do IPTU do próximo ano, a fim de chamar a atenção das autoridades. Medida drástica O não pagamento do IPTU seria uma medida extrema, que resultaria em sérios danos ao município, já que deixaria a administração sem recursos para promover as melhorias que a cidade precisa. Embora, mesmo tendo recebido gordo IPTU neste ano, a gestão gastou sabe-se lá onde e deixou a cidade virar um buraco só. “Difícil Industrial” É assim que alguns empresários se referem ao Distrito Industrial rio-pardense, diante das dificuldades em circular pelo local. Manifestando-se Nesta edição o PSDB local publica uma nota em que informa sobre recursos destinados à construção de um matadouro municipal, na época da administração do prefeito João Santurbano. No mesmo texto, o partido faz uma série de observações sobre o trabalho feito naquela administração. Prefeito é cassado Lá em Campinas, a Câmara Municipal cassou o mandato do prefeito Demétrio Vilagra (PT) na noite de quarta-feira. O impeachment foi aprovado por 29 votos a 4. Foi o segundo prefeito da cidade cassado em quatro meses. O primeiro foi Hélio de Oliveira Santos, o Dr. Hélio (PDT). Vilagra (que era vice de Hélio) foi investigado pelo Ministério Público sob acusação de integrar um esquema de corrupção e ter recebido propinas. Os advogados de Demétrio dizem que vão á justiça, recorrer. Serve de exemplo Acusações sobre esquemas de corrupção em prefeituras, propinas para secretários, vereadores, servidores, são coisas muito graves. Em muitos municípios pelo país, acabam resultando em cassações, demissões e até prisões de agentes políticos. São medidas que, mesmo extremas e que envergonham a população, de certa forma, moralizam as administrações. Servem de exemplo para que maus intencionados passem longe das gestões municipais. Mais desfile No início da semana, a Prefeitura promoveu um novo desfile para mostrar, desta vez, as ambulâncias do Samu – que não foram compradas com dinheiro do município e sim enviadas pelo Governo Federal. Na ocasião, mais uma faixa elogiosa ao alcaide e, possivelmente, custeada com o dinheiro do contribuinte. Para um observador que, atento, via a caravana passar, o que faltou mesmo foi mostrar o carro oficial – mesmo que sobre um guincho, já que o mesmo não tem condições de rodar, porque aquilo também é dinheiro público. Muito dinheiro. À vontade Se tem algo do que a administração municipal não pode reclamar é da Câmara. Dados fornecidos pela assessoria de comunicação do legislativo informam que dos 133 projetos aprovados neste ano (até o dia 20 de dezembro) 103 (77,4%) tramitaram em regime de urgência a pedido do prefeito. Só? Segundo a revista Época, edição de 18 de dezembro, dos 513 deputados federais apenas 13 tiveram 100% de presença no plenário ao longo do ano, sem uma falta sequer nas 202 sessões, até aquela semana. São eles: Alexandre Leite (DEM-SP), Edivaldo Holanda Junior (PTC-MA), Hermes Parcianello (PMDB-PR), Jesus Rodrigues (PT-PI), Lincoln Portela (PR-MG), Lourival Mendes (PTdoB-MA), Lúcio Vale (PR-PA), Luiz Fernando (PSDB-SP), Manato (PDT-ES), Pedro Chaves (PMDB-GO), Reguffe (PDT-DF), Salvador Zimbaldi (PDT-SP) e Tiririca (PR-SP).

GAZETA DO RIO PARDO é uma publicação semanal de GAZETA DO RIO PARDO LTDA, editada à Avenida Olinda Ralston, 411- Vila Formosa - Fone: (19) 3682-8879 - CEP 13.720-000 - São José do Rio Pardo - SP. Editor: Gilmar Ishikawa Redação: Eduardo Eron e Giselle Torres Biaco Diagramação: Marco Antônio Cassucci, Fagner Nasser. Departamento Comercial: Elisete Paduelli GAZETA na INTERNET: e-mail: redacao@gazetadoriopardo.com.br e-mail: publicidade@gazetadoriopardo.com.br e-mail: diagrama@gazetadoriopardo.com.br e-mail: reportagem@gazetadoriopardo.com.br e-mail: assinante@gazetadoriopardo.com.br http://www.gazetadoriopardo.com.br Circulação Aguaí, Caconde, Casa Branca, Divinolândia, Itobi, Mococa, São José do Rio Pardo, São Sebastião da Grama, São João da Boa Vista, Tapiratiba, Vargem Grande do Sul Os artigos assinados não representam necessariamente a opinião do jornal e são de responsabilidade de seus autores.


24 de dezembro de 2011 - A-3

Sessão extraordinária vota 15 projetos Dos projetos apreciados em 2011, 77,4% foram pedidos de urgência do prefeito O recesso da Câmara Municipal nem bem começou e os vereadores já precisaram se reunir em sessão extraordinária na tarde se segunda-feira, dia 19, para apreciação de 15 projetos. Dentre os assuntos houve várias suplementações de pequenos valores, com destaque para o tema relacionado à Guarda-Mirim, para fechamento do final do ano. Dois projetos, relacionados à alteração de índices no nível salarial de alguns funcionários, acabaram sendo retirados da pauta a pedido do Sindicato dos Servidores Públicos e Autárquicos. “A Prefeitura acabou retirando os projetos para que fossem estudados. Devem retornar na próxima semana”, informou o presidente da Câmara Marco Antonio Gumieri Valério (PSDB). A presidente do Sindicato, Cleonice Ludovique, explicou que pediu a retirada dos projetos porque somente teve conhecimento deles no fim da tarde. “Um é do Instituto Municipal de Previdência (IMP), para a promoção de cargo de um funcionário do IMP. Pedi que suspendesse para averiguar melhor e não é necessário o parecer do

Conselho, portanto, na segunda ele volta para votação. O outro projeto é específico para quem já é funcionário. Como é de cargo de carreira, também poderá ser apreciado na próxima semana.” Ainda de acordo com Cleonice, ficou acordado com o prefeito municipal de que a partir do dia 25 de janeiro serão iniciadas as discussões sobre a questão salarial. ISS dos médicos Antes da sessão extraordinária, houve reunião dos vereadores com médicos, para tratar do projeto de redução da alíquota do ISS, que passou de 2% para 5%. A prefeitura propôs, então, uma redução de 5% para 3%, índice que foi rejeitado pela categoria. De acordo com Caco, o vereador Márcio Callegari Zanetti (PTB) apresentou uma emenda propondo a volta ao valor de 2% que era praticado nos anos de 2009/2010. A emenda foi aprovada. Professores aposentados Outra reunião foi realizada esta semana, com a participação de representantes do Sindicato, prefeito municipal e nove profes-

Balanço de 2011 De acordo com a assessoria de comunicação da Câmara Municipal, até o dia 20 de dezembro foram realizadas 38 sessões ordinárias e 44 extraordinárias. No mesmo período, foram a Plenário 166 projetos, sendo dois deles remanescentes de 2010 e os demais de 2011. Dos 166, 26 foram retirados da pauta e um, arquivado. Dos 139 apreciados, seis

Prefeitos agindo como reis POR SÉRGIO CINTRA Em nossas andanças pelo País temos visto muitas mazelas nos Municípios Brasileiros. A falta de informação e preparo de alguns Vereadores ou o fato do Prefeito ter a maioria na Câmara, faz com que em algumas cidades tenhamos verdadeiros “Feudos” ou “Reinados”. Normalmente as decisões são equivocadas e não atendem às demandas da população. Logicamente, os líderes no poder devem imaginar que as respostas das urnas demonstrarão essa insatisfação mais cedo ou mais tarde. A maioria das cidades brasileiras não possui o básico plano diretor, então legislam num verdadeiro acaso ou pior ainda, num toma lá, dá cá. Temos visto Cidades crescendo muito rapidamente sem a devida estrutura mínima e, muitas vezes, causando crimes ambientais terríveis. Essa estrutura começa com o saneamento básico, com

as áreas da educação, da saúde e depois, segurança e trânsito. Num Município da Grande São Paulo entregaram as áreas verdes a uma Construtora que, por mais bem intencionada, não são compatíveis com o seu objetivo principal. Mesmo que ela esteja travestida de ONG – Organização Não Governamental – isso é um desrespeito à inteligência. É a mesma coisa do BC Banco Central do Brasil – ser dirigido por uma dessas facções criminosas... Um descalabro!. Tenho visto Câmaras despreparadas para Prefeitos ávidos por poder que tratam os vereadores como subalternos e, para esses casos, precisamos de uma reviravolta. Busque ajuda nos cursos que a Uvesp ministra, procure a orientação sempre correta e bem intencionada de nossa União de Vereadores para colocar os pingos nos seus devidos “is” e mais que isso, acabar com essas verdadeiras “monarquias” que usam as

REPORTAGEM

soras aposentadas. Cleonice explica que em dezembro de 2008 houve uma transformação de carga horária no setor da Educação Infantil, e com essa alteração de jornada as aposentadas em questão ficaram com o salário inferior ao de um professor contratado, que é de R$ 990. “Há quase dois anos estamos na briga para que o IMP possa pagar para elas um salário referente ao valor de quem está na ativa. Ficou acordado de ser discutido isso na Câmara na próxima semana.” Caso o projeto seja aprovado, Cleonice explica que para que as professoras recebam os valores retroativos, cada uma delas precisa solicitar via requerimento.

Cidades para galgar posições mais altas e para benefício próprio. Entendemos que o poder Executivo só pode funcionar bem tendo o Legislativo como aliado e parceiro, onde os objetivos comuns devem estar acima de quaisquer interesses partidários ou pessoais, pois são de uma responsabilidade que suplanta o individualismo e assume a posição que atende a maioria, a coletividade. Vamos colocar os Prefeitos no caminho correto, projetando os Municípios para o Futuro, imaginando que somos o melhor País do mundo e precisamos ter as melhores Cidades e os melhores líderes na condução dos objetivos. — Sérgio Cintra é diretor de Meio Ambiente da União dos Vereadores do Estado de São Paulo Uvesp

Cleonice Ludovique solicitou a retirada de dois projetos da pauta da última sessão foram rejeitados (4,3%) e 133, aprovados (95,7%). Destes, 27 (20,3%) receberam aprovação em tramitação ordinária, 103 (77,4%) tramitaram em regime de urgência a pedi-

do do prefeito municipal e três (2,3%) com pedido de urgência dos vereadores. Dos seis projetos rejeitados, um foi em tramitação ordinária e cinco com urgência re-

querida pelo prefeito. Dos projetos numerados até 195, que foi o último a dar entrada em 19 de dezembro, 32 números não foram utilizados pelo Executivo.

CDHU aumenta prazo para transferências A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou, no dia 15 de dezembro, o Projeto de Lei nº. 986/11, que altera de 2 para 10 anos o prazo mínimo para transferência de imóveis adquiridos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU). A alteração foi proposta pelo secretário de Estado da Habitação, Silvio Torres, e tem como objetivo evitar a especulação imobiliária por terceiros e garantir que a moradia produzida pelo Estado cumpra a destinação prioritária e função social, que é o atendimento a famílias de baixa renda. O projeto aprovado altera a Lei nº. 12.276, de 21 de fevereiro de 2006. Até então, o mutuário podia transferir o financiamento depois de transcorrido dois anos do contrato. Com a

mudança, o imóvel só poderá ser vendido depois de dez anos do início do financiamento. O projeto também estipula condições para a venda do imóvel, como a obrigatoriedade das prestações estarem em dia e o novo comprador ser pessoa física. Segundo o secretário Silvio Torres, a idéia da lei é conscientizar as famílias beneficiadas que a moradia adquirida da CDHU não deve ser objeto de especulação imobiliária, mas sim atender às necessidades habitacionais da população de menor poder aquisitivo. “Não é justo uma pessoa adquirir o imóvel subsidiado e repassá-lo a terceiros enquanto há famílias necessitando de moradia. É um desrespeito com o suplente e com as famílias necessitadas”, afirmou o secretário.

É importante ressaltar que, mesmo fora do período estabelecido pela nova legislação, a CDHU não permite a venda de imóveis durante o período de financiamento sem o seu aval. Por isso, mesmo após o novo período de 10 anos, o mutuário que pretenda vender seu imóvel deve apresentar o potencial comprador à CDHU, que fará a análise das condições de transferência do bem. Segundo a companhia, em hipótese alguma deve ser feito um contrato de gaveta, sob o risco de retomada do imóvel por parte da CDHU. Além disso, mutuários que venderem imóveis adquiridos da CDHU não poderão ser atendidos novamente pela companhia em outros programas habitacionais.

uvesp@ambientalms.com.br

Tudo isso garantido em contrato de prestação de serviços na propriedade de opção de exlusividade


A-4 - 24 de dezembro de 2011 Nota à Imprensa

A VERDADE SOBRE O MATADOURO MUNICIPAL E O ESTILO PSDB DE GOVERNAR Em relação à “matéria” intitulada “Dinheiro do matadouro foi perdido e nunca explicado”, publicada na seção “Observatório” do jornal “Nova São José”, edição de 15 de dezembro passado, o Diretório Municipal do PSDB em São José do Rio Pardo vem a público esclarecer o seguinte, exclusivamente em respeito à população: A matéria tratou dos recursos recebidos do Governo do Estado pela Prefeitura Municipal, durante o período em que o Município era administrado pelo ex-prefeito João Batista Santurbano (PSDB), para a construção de um matadouro municipal, ainda em sua primeira gestão (2001/ 2004). A questão do recebimento dos recursos para o matadouro municipal exige o conhecimento de uma série de acontecimentos precedentes que, se o jornal “Nova São José” tivesse de fato interesse jornalístico na apuração dos fatos, e não exclusivamente o de servir como propaganda política do atual prefeito, certamente deveria ter procurado melhor se informar sobre os fatos – o que, de resto, é obrigação de qualquer jornalista minimamente bem preparado e bem intencionado. Em 2003, atendendo a ordem do Poder Judiciário, o Serviço de Defesa Agropecuária realizou vistoria no antigo matadouro, que concluiu pela absoluta impossibilidade de funcionamento do local, que até então era administrado por particulares por meio de concessão onerosa. A vistoria concluiu que o local se encontrava em péssimas condições de higiene, falta de inspeção por um veterinário e lançamento de efluente sem tratamento diretamente no Rio Fartura, irregularidades estas que fizeram com que a Justiça determinasse o fechamento do antigo Matadouro. Desde a ordem judicial, a Prefeitura passou a se reunir com açougueiros e demais interessados, tendo o então prefeito Santurbano se comprometido com a instalação de um novo Matadouro. Foi negociada preliminarmente uma gleba de terras para a construção do matadouro (na Vicinal São José-Mococa), e determinou-se ao setor competente a elaboração de um estudo técnico de viabilidade do empreendimento. Na época, o principal argumento dos que defendiam a construção de um Matadouro municipal era o de que isso permitiria o trabalho de os pequenos produtores atuarem no mercado, uma vez que somente os grandes produtores é que poderiam encaminhar os seus animais para abate em frigoríficos. Porém, esse argumento foi considerado insuficiente e fraco. O que se apurou é que a maioria dos que pretendiam a construção de um Matadouro local queria apenas sacrificar animais condenados, que, certamente, se fossem encaminhados a frigoríficos, seriam descartados por serem impróprios para o consumo humano. Para o funcionamento de um Matadouro, é preciso atender às normas da Resolução SAA 24, de 2 de agosto de 1994, da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, que são idênticas às normas do SIF, SISP e SIM – serviços de inspeção Federal, Estadual e Municipal, respectivamente. De posse das orientações técnicas, a Prefeitura começou a organizar uma série de visitas a pequenos produtores, além de ter procurado melhor conhecer o funcionamento de outros abatedouros visando identificar o melhor projeto para nossa cidade. Em trabalho conjunto das secretarias de Agricultura e Meio Ambiente, e de Planejamento, Obras e Serviços, foi elaborado um projeto para um matadouro com capacidade de abate de 80 (oitenta) cabeças por semana, suficiente para atender a demanda não apenas de São José, mas de toda a região. O projeto estava inicialmente orçado em R$ 180 mil para a obra civil, mais R$ 350 mil para equipamentos (câmaras frias e de congelamento, serras, trilhagem, caldeira, sistema de tratamento de efluente, ferramentas, etc.) Porém, os custos elevados, bem como a insuficiência de recursos recebidos do Governo do Estado (R$ 80 mil), que exigiria do Município uma contrapartida significativa, acabaram tornando o projeto inviável, principalmente considerando-se que a instalação de um matadouro municipal iria beneficiar pouquíssimas pessoas (pelos motivos citados acima), não mais do que três, apesar de ser um empreendimento que envolveria vultosas quantias de recursos públicos. Houve ainda o agravante que o Abatedouro, mesmo após construído e efetivado, não se pagaria, ou seja a Prefeitura teria de subsidiar os produtores, criando-se uma desnecessária carga à população. Não houve interessados, sequer, na cessão da área já adquirida. A bem da verdade, a implantação de um Matadouro municipal nunca foi uma prioridade dos pequenos produtores de gado de corte, os quais, na maioria, sempre manifestaram maior interesse de fazer uso de frigoríficos. Os proprietários de açougue se adaptaram à realidade, adquirindo animais vivos e encaminhando-os para o abate em Mococa, Sertãozinho e outras localidades. Assim, entendeu-se, na época, que mesmo que o Município implantasse um matadouro próprio, vários estabelecimentos continuariam na clandestinidade, fazendo o abate de animais doentes, uma vez que a muitos não interessava a legalidade. Ao perguntar “Tucanos, o que vocês fizeram com o dinheiro?”, o jornal “Nova São José” faz uma ilação leviana, mesquinha e tendenciosa. Após a desistência do projeto de abatedouro, a Administração Santurbano tentou desvincular

o destino dos recursos para outras obras públicas, como não houve esta possibilidade - os recursos foram integralmente devolvidos ao Governo do Estado, com juros e correção monetária, sem qualquer prejuízo para o Município. Aliás, tivesse o editor do “Nova São José” um mínimo de apreço pela verdade dos fatos, teria consultado os órgãos competentes da Prefeitura a fim de comprovar a restituição total do dinheiro recebido. Se não o fez, é porque é um mau profissional. Assim, o que o jornal “Nova São José” chamou de “inércia”, nós chamamos de respeito ao interesse público, pois a construção de um Matadouro representaria, na verdade, um ônus para o Município, que se veria obrigado a despender recursos muito maiores do que os recebidos em um projeto cujo alcance seria por demais reduzido, beneficiando um número muito pequeno de interessados, que exploram uma atividade comercial que, se por um lado merece o apoio do Poder Público, por outro também não é correto que este mesmo Poder Público subvencione totalmente os custos para essa atividade. O estilo PSDB de governar A “matéria” trouxe ainda uma série de comentários desairosos à administração do PSDB, atribuindo à antiga Administração a prática de “uma política elitista, neoliberal e antipopular”. O estilo de administração do PSDB foi testado e aprovado pela população rio-pardense em mais de uma oportunidade. Sempre nos pautamos pela transparência, pela opção que fizemos pelos menos favorecidos e pelo respeito às leis e à Democracia. Práticas, aliás, que andam em falta tanto no Poder Executivo Municipal local quanto em seu jornal de propaganda política que tenta, à força, fazer com que todos acreditem que a atual administração tem sido bem avaliada pela população, muito embora a verdade das ruas grite em sentido contrário. Vamos enumerar apenas algumas das REALIZAÇÕES do governo do PSDB, durante a gestão do ex-prefeito João Santurbano, observando-se que muitas das conquistas aqui elencadas ou foram subtraídas pela atual administração, ou estão sendo utilizadas pela propaganda oficial do atual Governo como se dele fossem. Ao iniciar o mandato, o ex-prefeito João Santurbano já sabia de antemão o que encontraria pela frente, considerando a gestão que o precedeu. Porém, montando uma equipe de governo experiente e verdadeiramente comprometida com a cidade, e procurando valorizar ao máximo os servidores de carreira da Prefeitura, colocou-se em prática um projeto de governo que acabou sendo amplamente aprovado pela população. As REALIZAÇÕES aqui citadas são apenas um pequeno demonstrativo de tudo o que se fez de 2001 a 2008 em São José do Rio Pardo, mas servem como parâmetro para que a população possa comparar estilos de administração e o quanto a cidade regrediu em muitos aspectos. Finanças – Em janeiro de 2001, quando Santurbano tomou posse em seu primeiro mandato, a cidade estava financeiramente muito abalada. Sem crédito e devendo para muitos fornecedores, uma das primeiras ordens foi a renegociação da dívida, numa bem sucedida operação de recuperação da credibilidade do Município. Conseguiuse, ao final de oito anos, eliminar as dívidas flutuantes e pagar a dívida fundada, reduzindo significativamente o endividamento do Município. A gestão financeira de São José do Rio Pardo, aliás, é um dos pontos de maior divergência entre os dois modelos administrativos, uma vez que atualmente a dívida da Prefeitura chega a valores milionários, sem nenhuma transparência. Saúde – São José do Rio Pardo sempre foi tida como uma cidade referência em saúde pública. Nessa frente, houve investimentos na melhoria das unidades de saúde. Porém, foi uma obra de infra-estrutura urbana que melhor demonstra o estilo PSDB de administrar. Quando iniciamos nosso trabalho de “Reconstrução” de São José, nossa cidade contava com vários núcleos habitacionais sem qualquer tipo de pavimentação. João Santurbano elegeu o asfaltamento desses bairros como prioridade, e conseguiu pavimentar sete núcleos, reduzindo os crônicos problemas de saúde advindos da poeira, que lotavam os PPA´s e Pronto Socorro. Com investimentos anuais sempre superiores a 20% do orçamento da Prefeitura, todos os setores da rede municipal de saúde foram melhorados, oferecendo um tratamento digno à população. Foi durante a gestão do PSDB que foi criado o Centro de Diagnóstico Eletrocardiograma, Eletroencefalograma e Ultrassom, para que os profissionais médicos pudessem melhor atender aos pacientes. Numa parceria muito proveitosa, lutamos lado a lado com a Santa Casa e o Projeto Renascer no árduo trabalho de trazer para nossa cidade a quimioterapia e a hemodiálise. Provamos que São José merece sediar esse tipo de tratamento e conquistamos para nossa cidade e região o credenciamento, beneficiando dezenas de famílias. Infra-Estrutura Urbana – São José era um caos antes de 2001, quando o PSDB assumiu a Prefeitura. Bairros sem asfalto, Prefeitura sem crédito, buracos por todo lado. Esses eram apenas alguns dos problemas de infra-estrutura urbana que encontramos. Aos poucos, fomos resolvendo um a um esses crônicos problemas, implantando sistemas de galerias de águas pluviais, guias, sarjetas, preparo e aplicação de asfalto nos bairros Maria Boaro, Buenos Aires, Eduardo Cassucci, Vila do Servidor, Professor Rehder, Nova Esperança, Domingos de Sylos I (acesso e alamedas), Domingos de Sylos II (in-

clusive rede elétrica e iluminação pública), além das avenidas ligando o Distrito Industrial (hoje abandonado completamente) com os bairros Eduardo Cassucci e Vila do Servidor, Rua da Olaria, ligação dos bairros João de Oliveira Machado com Portal Buenos Aires; asfalto de diversas ruas onde antes somente havia paralelepípedos, além de constante serviço de correções e tapa-buracos durante toda a administração. Na Avenida Perimetral, foram feitos importantes investimentos, como a construção das duas pontes para interligar a avenida, trevos, iluminação, guias e sarjetas, galerias e muros de arrimo do trevo construído perto do “Campo do Vasco” até a entrada do Grêmio Nestlé. Habitação – Outra frente em que atuamos com muita dedicação foi na área habitacional, visando reduzir o déficit que ainda hoje temos na cidade. Agilizamos e concluímos a construção das unidades do sistema Mutirão, que apesar de estar em andamento por vários anos antes de assumirmos, não havia sequer um cronograma de entrega das casas. Organizamos melhor os interessados e entregamos mais de duzentas casas do Mutirão ainda no primeiro mandato. Depois, iniciamos nossa maior investida nessa área, com a construção de 291 unidades pela CDHU (Bairro Dionysio Guedes Barreto), com terreno adquirido pela Prefeitura, projeto feito e aprovado pela Prefeitura além do trabalho incansável para que as casas tivessem 2 ou 3 quartos, asfalto, estrutura e acabamento de primeira. Saneamento Básico e Meio Ambiente – Foram muitos os problemas de meio ambiente que a Administração do PSDB enfrentou, e sempre conseguiu resultados palpáveis, como a instalação da Agência Ambiental em nossa cidade, unificando os trabalhos da CETESB e DEPRN, importantes órgãos ambientais do Governo do Estado. Com recursos conseguidos do FEHIDRO e da própria Prefeitura, elaboramos e aprovamos junto a todos os órgãos competentes o Projeto Global de Saneamento Básico do Município, o que permitiu a recente formalização de convênio para recebimento de recursos para saneamento básico de toda cidade. Sem o projeto elaborado durante a gestão do PSDB, essa conquista tardaria muito para ser atingida. Adquirimos uma área para implantação de estação de tratamento de esgoto - com recursos próprios; construímos uma estação elevatória de esgotos no Domingos de Sylos e outra próxima ao Distrito Industrial; construímos dois reservatórios de água, com capacidade de armazenamento suficiente para atender a demanda dos bairros Maria Boaro e Carlos Cassucci, além de uma adutora de mais de 2.000 metros ligando a estação de tratamento localizada próximo à área de lazer ao reservatório construído no bairro Maria Boaro. Cultura e Esportes – Durante a passagem do PSDB na administração, o Departamento de Esportes e Cultura sempre foi valorizado como uma iniciativa de inclusão social e de democratização da Cultura e dos Esportes em nossa cidade. Por toda a cidade foram construídas várias quadras de esportes para o lazer, recreação e interação da comunidade local, além de centros comunitários facilitando o trabalho das associações de moradores e da Secretaria de Assistência e Inclusão Social. Também construímos a praça do bairro “Carlos Cassucci”, manutenção das outras existentes e reformas no Ginásio Municipal “Adhemar Machado de Almeida”, o “Tartarugão”. Mas foi na Cultura que se identificam os maiores avanços de São José do Rio Pardo durante o período de administração do PSDB. Infelizmente, algumas dessas conquistas foram perdidas, como é o caso da Orquestra Jazz Sinfônica, em que a má gestão atual colocou tudo a perder. Foi durante a administração empreendedora do PSDB que o Município recebeu o Polo Avançado de Música de Tatuí, aproveitando o potencial local e trazendo para nossa cidade professores e alunos de várias outras cidades. Também conseguimos outros projetos de iniciação musical, como o Projeto Guri, o Projeto Shalom, entre várias outras iniciativas. A Fábrica de Expressão ganhou um novo impulso, dela participando centenas de pessoas em várias modalidades artísticas. E ainda conseguimos uma parceria com a AES Tietê para dois outros projetos que até hoje são marcas da passagem tucana por São José do Rio Pardo – a reforma completa da Biblioteca Municipal e a Casa de Cultura e Cidadania (primeiro módulo construído na gestão anterior, com piso da lona do circo, alambrado e jardim), que oferece opções de lazer e cultura para centenas de jovens e adolescentes de São José. Educação – Também no setor de Educação se destacam alguns dos mais importantes legados deixados pela Administração do PSDB durante o período 2001/2008. Com recursos próprios superiores a R$ 1 milhão, foi construída no Vila Verde a Escola “Zélia Maria Zanetti”, além de uma creche também naquele bairro, praticamente concluída na administração passada, cabendo à atual apenas a inauguração. Também com recursos próprios foi construída a EMEI Profa. “Benedita dos Reis Apolinário”, no bairro Domingos de Sylos, além de sucessivas reformas em todas as outras unidades da rede municipal de ensino. Em 2006, conseguimos realizar um dos mais antigos sonhos da comunidade rio-pardense, com a vinda da ETEC “Paula Souza”, garantindo um futuro de qualificação profissional para nossos jovens. Após a conquista, iniciamos um trabalho para que o Estado construísse as instalações próprias da ETEC, o que começou a ser feito em 2008, com a doação de um terreno ao Estado. Esta é outra obra conquistada pela gestão anterior e que

IN D I C A D O R P R O F I S S I O N A L

à atual caberá apenas pouco mais do que a inauguração. Também doamos o terreno para a Faculdade iniciar seu projeto de campus universitário. Segurança e Trânsito – O processo de valorização da Guarda Municipal iniciou-se na gestão do PSDB, com a aquisição de vários veículos e motos para os trabalhos da corporação tivesse condições de prestar um melhor serviço à população. Com apoio da comunidade, foram instaladas câmeras de vídeo em pontos estratégicos de São José, que serviram de auxílio para a polícia e a Justiça na segurança pública, além de ajudar na preservação de bens públicos. Construímos três rotatórias na Avenida Perimetral, onde hoje todos utilizam com muito mais segurança como a rotatória do Vasco por exemplo, ou a rotatória da Feira do produtor feita para alterar substancialmente o trânsito da Ponte Metálica. Administração e funcionalismo – Durante os oito anos de administração do PSDB, mais de 70 veículos foram adquiridos, renovando a frota e dando melhores condições de trabalho aos funcionários. Procuramos dar todas as condições para que os valorosos servidores da Prefeitura pudessem trabalhar, prestando um serviço de qualidade ao público, com eficiência e respeito à população. Foi na gestão do PSDB que trouxemos para a cidade importantes instrumentos de qualificação da mão de obra e geração de emprego e renda, como os bem sucedidos exemplos do PAT (Programa de Assistência ao Trabalhador) e o Banco do Povo. Foi durante o período em que o PSDB administrou que foi realizada uma reforma administrativa que visou valorizar os servidores. Já de início, com a reforma os salários dos servidores foram reajustados. Depois, todos os anos os servidores tiveram um reajuste anual na data-base, ao contrário do que acontece atualmente, em que a atual Administração sequer dialoga com os servidores para ouvir suas propostas. O tíquete-alimentação foi uma conquista dos servidores assumida e cumprida pela administração anterior, que tinha os seus funcionários como parceiros e não como inimigos contra os quais se briga na Justiça para retirar-lhes direitos adquiridos, como no caso do tíquete dos aposentados, um assunto que já existia durante o mandato de Santurbano, mas que em momento algum a Prefeitura recorreu ao Judiciário para subtrair direitos de seus colaboradores, como faz a atual administração. Logo no início do mandato, renegociamos a dívida com o IMP, porque acreditamos que ali está o futuro dos servidores. Essa dívida foi parcelada e paga em dia, e não atrasamos um único mês sequer a contribuição ao órgão previdenciário. Isso é respeitar o funcionalismo público com atos concretos, e não com discursos vazios. Reestruturamos o Convênio Médico dos Servidores, que chegou ao final de nosso mandato com quase R$ 1 milhão em caixa, atendimento de primeira qualidade aos servidores e dependentes e credibilidade total entre os profissionais médicos. Os recursos do Convênio eram administrados com transparência, pois é um fundo constituído também com dinheiro dos servidores e que não pode ser utilizado para outros fins que não seja em benefício dos próprios funcionários. Relações institucionais – Não se administra uma cidade como São José do Rio Pardo sozinho ou sempre brigando com todo mundo. Ciente disso, a administração do PSDB sempre valorizou o diálogo e o respeito com os demais poderes e a sociedade civil. Isso permitiu uma gestão de muitas conquistas, em que o nível do debate político sempre se mostrou muito elevado e respeitoso. Ao contrário de hoje, em que Câmara e Prefeitura vivem em permanente conflito, e que o Executivo faz prevalecer sua vontade com a força de um “rolo compressor”, e não com o exercício do convencimento inerente à democracia. Tínhamos nas entidades assistenciais grandes parceiras para a execução de serviços públicos. Por isso, estabelecíamos com elas projetos para toda a nossa cidade, e não ficávamos discutindo com elas o tempo todo ou negligenciando-lhes recursos a que tinham direito. Também mantínhamos um contato permanente com o Poder Legislativo, debatendo cada questão, ouvindo e respeitando as opiniões contrárias e as críticas que nos eram feitas. Mantínhamos ainda um tratamento respeitoso com o Poder Judiciário e com o Ministério Público, pois sabemos que é da união dessas instituições que se garante o bem para a coletividade. O PSDB não administrou sozinho. Além do imprescindível apoio dos então deputados Silvio Torres e Sidney Beraldo, contamos ainda com a ajuda de parlamentares de outras siglas, sempre comprometidos com nossa cidade. Foi o caso da rio-pardense Zulaiê Cobra Monteiro, Nelson Marchezelli, Ivan Valente, Jorge Caruso, Ricardo Izar, dentre tantos outros, que contribuíram com emendas para que pudéssemos investir em nosso Município. PSDB – Governo de Realizações Enfim, ainda há muito a ser dito sobre as REALIZAÇÕES do PSDB em São José do Rio Pardo durante os oito anos em que administrou a Prefeitura. O que se procurou fazer aqui é um pequeno registro, uma versão resumida do que se fez em nossa cidade, e mostrar o estilo PSDB de governar para os mais pobres, trabalhando sempre, e não perdendo o tempo com demagogia barata e propaganda pessoal com recursos públicos, como fazem muitos hoje em dia.


24 de dezembro de 2011 - A-5

Ratos atormentam os moradores de bairros No Cassucci, origem provável dos ratos é o entulho da obra inacabada da quadra Nas últimas semanas, moradores de bairros e da região central da cidade têm reclamado bastante da invasão de ratos em suas casas. Alguns chegara a telefonar para a rádio Difusora cobrando providências do órgão competente e a aplicação, por parte da Prefeitura, de veneno nos terrenos próximos de onde eles supõem que os ratos estejam surgindo. Uma das reclamantes é uma dona de casa e costureira que há vários anos mora na rua João Valeriano de Andrade Júnior, no bairro Carlos Cassucci. Ela ficou bastante preocupada com o surgimento de ratos em sua residência e foi uma das que ligaram para a emissora, pedindo alguma ação municipal ao problema. Sua casa, aliás, foi reformada este ano e totalmente pintada, o que, teoricamente, reduziria o risco de invasão desse tipo de animal, o que não ocorreu. Na região central, o problema afeta moradias nas ruas Rui Barbosa e Benjamim Constant, além de estabelecimentos nas imediações da Praça XV. Moradores destas áreas chegaram a procurar pela Prefeitura, entretanto, nenhuma solução foi adotada. Cidade sem desratização Consultada sobre o problema, Denise Salvador, da

Vigilância Epidemiológica, admitiu que também tem recebido reclamações sobre esse assunto e que tem tentado orientar as pessoas que solicitam ajuda do órgão ou mesmo cobram a aplicação de veneno. Ela lembrou que existe uma recomendação oficial no sentido de que isso seja feito apenas no período da seca. “Estamos agora na época das chuvas e essa ação não é recomendada para este período”, explicou. “Por isso é importante que os moradores façam a sua parte, especialmente em relação à limpeza e higiene”. O último trabalho de desratização feito pelo Centro de Controle de Zoonoses foi feito pela última vez em São José do Rio Pardo há três anos, aproximadamente. Sem o serviço, a cidade vê proliferar além dos ratos, baratas e outros insetos, que tomam conta da rede de esgoto e agora, em época de chuva, começam a invadir as residências. Orientações A responsável pela Vigilância Epidemiológica citou alguns detalhes considerados importantes como fatores de prevenção a ratos. “O lixo tem que ser descartado de forma correta, não podendo simplesmente ser jogado na rua ou em terreno vazio. Resto de comida, por exemplo, não deve ser

varrido com água porque ele irá para o bueiro, atraindo baratas, escorpiões e ratos”, prosseguiu. O rato, segundo ela, se procria muito rapidamente, sendo este mais um motivo para que os alimentos sejam devidamente acondicionados e os restos de comida sejam colocados em sacos plásticos na rua, em horário próximo à coleta do lixo. A enfermeira lembrou ainda outros dois fatores de proliferação de insetos e ratos: mato e entulho em terrenos nos quais não são efetuados os serviços periódicos de corte e limpeza. Origem dos ratos O fato estranho, porém, no caso da dona de casa do Cassucci, é que em sua residência tudo é muito limpo, inclusive o terreno. Ocorre, entretanto, que a casa fica bem em frente aos entulhos deixados pela Prefeitura na obra inacabada da futura quadra coberta do Cassucci. Os ratos, provavelmente, estão vindo dali. A obra está paralisada há várias semanas. As paredes laterais do prédio foram erguidas, mas o serviço parou aí. Nem as colunas de canto dessas paredes foram feitas e muitos restos de blocos de cimento e outros entulhos foram amontoados pela Prefeitura ali, sem que qualquer serviço de limpeza tenha sido feito até agora.

ARQUIVO

Nesta foto de arquivo, a quadra do Cassucci, cujas obras estão paradas há tempos: ratos podem estar vindo dos entulhos deste lugar

Tudo isso garantido em contrato de prestação de serviços na propriedade de opção de exlusividade


A-17 - 24 de dezembro de 2011

EDITAIS DE CASAMENTOS Belª. Rosa Helena Marin Foiadelli, Oficial de Registro Civil das Pessoas Naturais e de Interdições e Tutelas da Sede da Comarca de São José do Rio Pardo, Estado de São Paulo. Faço saber que pretendem se casar e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1525 do Código Civil Brasileiro: EDITAL Nº 10719 - RODRIGO APARECIDO CARRARO PASCHOALONI e MILENA CRISTINA URIAS LOPES, sendo o pretendente: solteiro, nascido no dia cinco de janeiro de um mil e novecentos e oitenta e sete (05/01/1987), de nacionalidade brasileira, técnico em informática, natural de SÃO JOSÉ DO RIO PARDO - SP, filho de LAÉRCIO PASCHOALONI e de MARIA DE LOURDES CARRARO PASCHOALONI; e a pretendente: solteira, nascida no dia vinte e três de maio de um mil e novecentos e oitenta e um (23/05/1981), de nacionalidade brasileira, Secretaria, natural de MOCOCA - SP, filha de CELSO PEREIRA LOPES e de MÁRCIA CRISTINA URIAS LOPES. EDITAL Nº 10720 - THIAGO MARTINS AQUINO e FLAVIANA DOS SANTOS ARCHANJO CARDOZO, sendo o pretendente: solteiro, nascido no dia três de maio de um mil e novecentos e oitenta e cinco (03/05/1985), de nacionalidade brasileira, técnico em informática, natural de SÃO JOSÉ DO RIO PARDO - SP, filho de CELSO BENEDITO DE AQUINO e de SUELI APARECIDA MARTINS AQUINO; e a pretendente: solteira, nascida no dia primeiro de outubro de um mil e novecentos e oitenta e três (01/10/1983), de nacionalidade brasileira, empregada doméstica, natural de SÃO JOSÉ DO RIO PARDO - SP, filha de IZALTINO CARDOZO FILHO e de NEUSA DOS SANTOS ARCHANJO CARDOZO. EDITAL Nº 10721DJALMA HENRIQUE LOPES, Dr. e THAYSA DELLA TORRE, sendo o pretendente: solteiro, nascido no dia vinte e nove de novembro de um mil e novecentos e setenta e sete (29/11/1977), de nacionalidade brasileira, Advogado, natural de SÃO JOSÉ DO RIO PARDO - SP, filho de JOSÉ APARECIDO LOPES e de VERA LUCIA ALVES LOPES; e a pretendente: solteira, nascida no dia primeiro de novembro de um mil e novecentos e oitenta e três (01/11/1983), de nacionalidade brasileira, Fisioterapeuta, natural de SÃO PAULO- SUBD. CAMBUCI - SP, filha de VALTER DELLA TORRE e de SUELI MARIA DA SILVA DELLA TORRE. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da lei. Lavro o presente, que afixo no lugar de costume e publico pelo jornal local. São José do Rio Pardo, 23 de dezembro de 2011. O Oficial: Belª. Rosa Helena Marin Foiadelli

FALECIMENTOS ANTONIO FUJI CARLOS – Dia 14 de dezembro, aos 81 anos, casado com Maria Gonçalves Fugi. Filho de Brazilino Fugi e Esperança Barra. MARIA DO CÉU SILVEIRA DIAS – Dia 16 de dezembro, aos 87 anos, casada com José Nogueira Dias. Filha de Clóvis Pacheco Silveira e Guiomar de Lima Silveira. ANTÔNIO DA SILVA – Dia 18 de dezembro, aos 74 anos, casado com Maria Aguera da Silva. Filho de Benedito Victor da Silva e Florinda da Silva. MARIA DOLORES GARÇON DE MARTINI – Dia 20 de dezembro, aos 84 anos de idade, casada com João de Martini. Filha de Raphael Garçon e Anésia Dias Paião. José dos Santos Sobrinho – Dia 7 de dezembro, aos 75 anos de idade. Filho de Antônio dos Santos e Verginia Fenidanchite.

Funerária São José “Riolli” Oferece o que de melhor existe no ramo funerário, aos particulares e também do seu conhecido PLANO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO FUNERÁRIO, dando total segurança e tranquilidade a todos. Adquira o seu!

60 ANOS DESDE 1950 - ESTA É A SUA GARANTIA

Avenida 9 de Julho, 103 - Fone: 3608-5095 O Natal não é uma data. É um estado da mente. Bendita seja esta data que une a todo mundo numa conspiração de amor. Sugestões de presente para o Natal: Para seu inimigo, Perdão; Para o imponente, Tolerância; Para o amigo, Seu Coração; Para um cliente, Serviço; Para todos os seres humanos, principalmente o idoso, Amor, Paciência e Caridade; Para toda a criança, Um Exemplo Bom; Para si mesmo, Respeito.

Terreno Jardim Margarida (excelente) R$ 99.990,00 c/benfeitorias (murado piscina e gramado)

Fone: 3681-3954 e Cel. 9729-0357

NAO PERCA (R$ 18.990,00) Único dono – baixíssima kilometragem Gol Geração IV duas portas – 2008 Flex (c/som e insulfim) Fone: 3681-3954 e Cel. 97290357

Fora de Série! (R$ 20.990,00) Vendo Palio Fire 1.0 - 2 portas Baixíssima quilometragem Flex 2008 completo (ar/dh/ve) Fone: 3681-3954 e Cel. 9729-0357

IMPERDÍVEL... (R$ 14.990,00) Vendo Passat Alemão 1.8 completíssimo(ar/dh/ve) Air Bag duplo R$ 14.990,00 Fone: 3681-3954 e Cel. 97290357

OTÁVIO JOSÉ SALOTI & CIA LTDA ME, Torna público que requereu à CETESB a Renovação da Licença de operação nº 66000987, para extração de areia e argila, sito à Sitio Santa Lourdes,0, Zona Rural São José do Rio Pardo/SP. LEITE FAZENDA BELA VISTA LTDA. torna público que recebeu da CETESB a Licença de Operação Renovação N° 66000401, válida até 07/ 11/2014, para“FABRICAÇÃO DE PRODUTOS DE LATICÍNIO” à Rodovia Eduardo Vicente Nasser, 293 - Zona Rural - Tapiratiba, SP. S. C. ASSENÇÃO TONETO - ME, Torna público que requereu na CETESB de forma concomitante a Licença Prévia e a Licença de Instalação para fabricação e comercio de tijolos, vasos e artefatos de cerâmica.À Estrada Municipal Ayrton Capello, s/n - São José do Rio Pardo - SP.

PERDEU-SE OS DOCUMENTOS em nome de Divino Lozetti Risso Contato (19) 3608-7747

ALUGA-SE APARTAMENTO NO GUARUJÁ Praia da Enseada 10 pessoas Tratar (19) 3647-7305 ou 9609-4444

Que o Natal de Jesus encha nossas vidas de paz e esperança. Feliz Natal e um Próspero Ano Novo!

FAMÍLIA ASILO PADRE EUCLIDES CARNEIRO EDITAL DE CONVOCAÇÃO Pelo presente edital ficam convocados os senhores conselheiros do Vasco Futebol Clube para a reunião que será realizada no dia 13 de janeiro de 2012, às 20 horas, na sede do Vasco FC, sita à Avenida Euclides da Cunha, com a finalidade de: 1 - Deliberar sobre o relatório da Diretoria e parecer do Conselho Fiscal, biênio 2012 a 2013. 2 - Renovação dos membros e eleição do Presidente e Secretário do Conselho Deliberativo para o biênio 2010 a 2011. 3- Eleição do Presidente e Vice Presidente, da Diretoria e Membros do Conselho Fiscal para o biênio 2012 a 2013. São José do Rio Pardo, 22 de dezembro de 2011 Ronaldo Medéia Presidente do Conselho Deliberativo

AGRADECIMENTO As voluntárias do Asilo Lar de Jesus, nestes longos anos, muitas realidades foram vividas por nós tristes e alegres, mas a nossa vontade de servir sempre foi muito grande e a cada ano o “sim” sempre foi muito forte. Servir ao próximo não é só servir materialmente, mas num sorriso, num abraço, num aperto de mão e muito mais... O muito obrigado “dona ou madame” é como eles falam com carinho a nós, quando cortamos e aparamos seus cabelos, quando cortamos as unhas de seus pés e esmaltamos as unhas das suas mãos. É muito gratificante e sentimos que vale a pena! O nosso muito obrigado por todas que estiveram conosco nestes anos contribuindo para um sorriso de nossos Idozinhos. Ana Lucia Dassan Balico, Clara Martins Domingos, Cecília Helen Rondinelli Tobias Barbeta, Inês Toesca Baldassim, Maria Aparecida Campovila, Maria Dulce Flaminio Barbosa, Patrícia Dias Tessari, Stela Márcia Rondinelli Tobias Barretto, Vânia Maziero Junqueira Queremos agradecer a todas as pessoas que nos ajudaram mais uma vez, para que esta confraternização realizasse. “Servir ao próximo é Servir a “Deus”. Jornal Gazeta do Rio Pardo, Jornal Democrata, Bar do Demá e seus amigos, Carlinhos Navega, Irmãos Trentim, Cláudia Maria Maldonado Antonio, Agrovecal, Arcádia Materiais p/Construção, Posto R3, Elétrica Independência,Vânia Maziero Junqueira e familiares, Clínica São Lucas, Rami Calçados, José Orlando Veículos, Anônimos, Seguradora Inter Gold Corretora de Seguros, Marco Antonio Catalano e Familiares, Osmar Fantini, Supermercado Teixeira, Armando Dias Alves, Festa e Cia – Vitinho, Sorveteria Dubom, Supermercado São João, Danilo Leandro Candido, Francisco Barbisan, Maria Aparecida Machado, Funcionários da Usina Itaiquara, Hidrata Pharma, Antonio Roberto Barbosa, Vicente Ferreira Dias, Pedro Rondinelli Neto, Marcos Rogério Trevisan, Carlos Mustafé, Rafael Automóveis. E todos aqueles que adotaram um Idozinho.


24 de dezembro de 2011 - A-7

Policial salva uma criança pelo telefone Lucas de Freitas orientou o pai do bebê a como proceder diante da asfixia da criança

NOTAS POLICIAIS Ladrão foge da PM e quebra mandíbula Uma tentativa de furto de um Toca CD do interior de um Corsa, na noite do dia 20, resultou em grave ferimento no ladrão, que precisou ser levado ao Pronto Socorro com fratura na mandíbula. O fato aconteceu em frente a escola Tarquínio Cobra Olintho por volta das 22 horas. O “autor-vítima” foi S.A.S., de 25 anos, que foi visto pelos policiais que foram chamados ao local no momento em que estava dentro do carro. Ao ver a viatura, ele saiu correndo e subiu o muro da escola, levando o Toca CD. Enquanto os policiais tentavam detê-lo, curiosos se aglomeraram ao redor do carro. A dona do veículo, C.G.V.S., de 29 anos, trabalha numa loja situada nas proximidades e, ao sair do estabelecimento naquela noite, viu pessoas próximas ao carro e foi informada do que ocorrera. O ladrão S.A.S. pulou o muro da escola mas, por estar escuro, não percebeu que do lado de dentro havia outro muro em construção e um buraco de 5 metros. Ele caiu e, além da fratura na mandíbula, acabou se ferindo em várias partes do corpo, sendo transportado ao Pronto Socorro para ser medicado. O Toca CD foi recuperado. Rapaz foge após a ‘ex’ pegar na faca Um casal se desentendeu de tal forma no bairro Eduardo Cassucci, na noite do dia 21, que foi necessária a intervenção de vizinhos para que não ocorresse algo pior. A T.H.N., de 22 anos, disse à polícia ter chegado em sua casa no mesmo horário que seu companheiro R.D.P.R., de 27 anos, com quem está rompida. Ele, porém, a acusou de ter furtado o documento do carro, o que ela negou; não

convencido, ele a teria agredido com socos e chutes. Ela, para se defender, pegou uma faca e partiu para cima dele, sendo contida depois pelos vizinhos. Aos policiais que atenderam a ocorrência ela disse que não se lembrava se o havia atingido ou não com facadas. O rapaz fugiu. Foragido foi recapturado Um foragido da penitenciária de Pirajuí, perto de Bauru, e que também havia fugido da Delegacia de Polícia de São José do Rio Pardo no dia 15 deste mês, acabou finalmente sendo preso no dia 17 pela polícia militar, na Vila Maschietto. A.L.R., de 35 anos, havia sido flagrado pelos militares por porte de drogas no dia 15 e foi levado à Delegacia local, onde foi reconhecido pelo escrivão. Ele saiu correndo de lá e entrou na Área de Lazer, não sendo mais encontrado naquele dia. Cerca de 48 horas depois, porém, policiais militares o acharam, mas ele resistiu à prisão, sendo necessário o uso de algemas e força física. A.L.R. estava sendo procurado havia tempos pela Justiça. Peugeot foi recuperado Um Peugeot preto, ano 2008, que havia sido roubado em Ribeirão Preto, foi encontrado na manhã do dia 17 no bairro Natal Merli, em um local onde é feita lavagem de carro. O menor M.F.F., de 15 anos, afirmou aos policiais que um sujeito deixara o veículo lá para lavar e que o buscaria às 17h30. Os policiais chegaram no momento em que, aparentemente, o menor iria iniciar o serviço. Uma denúncia anônima à polícia militar havia relatado que o Peugeot fora visto em manobras perigosas e a chapa do carro foi mencionada, permitindo que fosse feita pesquisa no

sistema Prodesp e descoberto o roubo. O carro foi apreendido. Ford Ka bate em escadaria P.A.R.P., de 27 anos, condutora de um Ford Ka de cor preta, ano 2009, acabou perdendo o controle do carro na madrugada do dia 17. Ela o dirigia pela Perimetral e, quando passava ao lado da antiga Fepasa, acabou permitindo que ele batesse na escadaria do prédio, onde funciona o curso de Educação Física da Feuc. A moça sofreu algumas lesões e foi levada ao Pronto Socorro de ambulância, ficando em observação. O carro ficou bastante danificado. Garçom ferido na motocicleta Outro acidente aconteceu naquela mesma madrugada, mas cerca de três horas depois. Um garçom de uma empresa local especializada em refeições para eventos saiu do Grêmio Nestlé naquela manhã e acabou caindo sozinho, lá mesmo, de sua moto Yamaha. Ele se machucou e foi preciso que o levassem ao Pronto Socorro, onde foi medicado. Idoso perde o ‘bico de ferro’ Um pássaro “bico de ferro” foi furtado no final da tarde do dia 18 da casa de J.G.N., de 61 anos, e o suposto autor foi localizado depois pela polícia, mas sem a ave. O proprietário, que mora no bairro Santo Antônio, afirmou aos policiais que havia deixado o passarinho do lado de fora da casa e, momentos depois, foi avisado por um amigo que um sujeito moreno, com camisa amarela e bermuda, havia feito o furto. Esse possível autor, de 17 anos, foi encontrado depois mas sem o pássaro. Tinha só uma nota de 50 reais.

Desodorantes desaparecem Mais um furto aconteceu na drogaria Drogal, no centro da cidade, desta vez na noite do dia 17. A gerente A.F.C.B.R., de 36 anos, afirmou aos policiais que atenderam a ocorrência que seis desodorantes haviam sumido de um expositor de produtos. Imagens gravadas pelo sistema de segurança mostraram que dois rapazes entraram ao mesmo tempo ali, sendo que um deles, com calça jeans e camisa listrada, praticou o furto. Esse sujeito, ou alguém muito parecido com ele, foi achado depois pela polícia mas negou a autoria, dizendo que estava indo embora para casa. Como nada foi encontrado com ele, acabou sendo liberado. Trio ‘invade’ a casa alheia O dono (J.B.J., de 59 anos) de uma casa no bairro Domingos de Sylos chamou a polícia na tarde do dia 20 para denunciar que três mulheres (L.A.A., de 27 anos, L.P.N., de 24, e A.C.P., de 36) haviam invadido a propriedade, na qual outra pessoa reside. Uma das denunciadas, L.P.N., afirmou aos policiais que foram ao local que sua irmã é a responsável pela casa mas ela não se encontrava naquele momento. Foi feito B.O. da suposta invasão.

O soldado Lucas de Freitas Alves, da polícia militar, conseguiu orientar o pai de uma criança recém-nascida no dia 16 de dezembro e, com isso, ela acabou sendo salva. Este é o segundo caso em que o soldado, pelo telefone, dá dicas a uma família de como proceder com criança em situação que representava perigo de morte. O primeiro foi o da menina Maria Luiza (na foto ela aparece à esquerda, no colo da mãe Naiara). Depois do ocorrido, Lucas fez um relato, por escrito, ao comandante do 2º Pelotão da PM. Nele, explicou que na data de 16 de dezembro, às 23h25, quando estava na função de cadista (plantão de informações), recebeu uma ligação de um homem desesperado, que se identificou como Antônio. Este mora na rua Gabriel João, no bairro Professor Redher, e estava aflito: o filho recém-nascido estava asfixiado por ter engasgado com leite, quase sem respiração e ele não sabia o

que fazer. Lucas orientou Antônio a realizar procedimentos para que a criança ficasse livre do problema, mas tal orientação, a princípio, não funcionou. O PM recomendou então o pai da criança a tentar desobstruir as vias aéreas do filho e a efetuar respiração boca a boca de forma correta para recémnascido. Esse procedimento deu certo e a criança voltou a respirar, embora com dificuldade. Em seguida, foi feito contato com a central de ambulâncias pelo fone 192 e com o Pronto Socorro, para que fosse enviado um veículo de imediato à casa de Antônio. Isso foi feito e a criança recebeu o atendimento médico necessário, sendo salva. Pouco depois o pai do menino voltou a ligar para Lucas mais tarde, agradecendoo por tudo o que havia feito. A esposa de Antônio, que na foto aparece à direita com o menino (Lucas) salvo, fez questão de também agradecer pessoalmente o soldado. REPORTAGEM

Lucas, ao centro, com as mães e os respectivos filhos salvos em ocasiões distintas, graças a orientações feitas por telefone

Tudo isso garantido em contrato de prestação de serviços na propriedade de opção de exlusividade


A-8 - 24 de dezembro de 2011

Réveillon terá festa popular no Cristo Programação de final de ano prevê ainda a corrida e caminhada de São Silvestre

AES Tietê tem mudas para reflorestamento A empresa AES Tietê está colocando à disposição de empresas, ONGs, proprietários de terras e Prefeituras 1 milhão de mudas de árvores nativas no interior de São Paulo, para auxiliar em projetos de reflorestamento de áreas de preservação permanente, recuperação de áreas degradadas ou arborização. A iniciativa integra o Programa de Fomento Florestal, mantido pela empresa desde 1999. De janeiro a novembro de 2011, foram doadas mais de 183 mil mudas. Segundo explica a empresa, o objetivo do programa é restaurar, por meio do plantio de mudas, as matas ciliares e restabelecer suas funções originais de suporte à fauna e à proteção do solo e das águas. Os interessados em receber mudas devem encaminhar a solicitação à

AES Tietê pelo e-mail: reflorestamento@aes.com. Caso estejam dentro da área de abrangência do projeto, a empresa fornece as mudas e a orientação técnica para o plantio, cabendo ao proprietário da terra os trabalhos de implantação e manutenção, assim como a regularização juntos aos órgãos competentes. De acordo com as informações da assessoria de imprensa da AES Tietê, as sementes utilizadas no programa são coletadas nas matas remanescentes da região, obedecendo aos princípios de garantia da representatividade genética das populações nativas. Para fomentar a diversidade genética, são empregadas 30 matrizes de cada espécie. Outras informações sobre o programa estão disponíveis no site http:// www.aestiete.com.br.

Está programada para o dia 31, às 22 horas, a Festa da Virada sob a organização do Departamento de Esportes e Cultura (DEC). A animação deste ano ficará por conta da banda Plaza e do cantor Nando Guimarães, além da queima de fogos que, de acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, será de 10 minutos de duração. Ainda de acordo com a assessoria, os fogos foram doados pelo comércio local.

O prefeito municipal, João Luís Soares da Cunha, afirma que “o local estará enfeitado com uma decoração especial para as comemorações do fim do ano”, e que “este ano vamos aumentar a segurança e melhorar a estrutura do local”. De acordo com o presidente do Departamento e Esportes e Cultura – DEC, Marlon Callegari da Silva, as pessoas que pretendem participar da festa “podem ficar tranquilas em relação

à segurança e à organização do evento”. Nos clubes, o único que fará seu réveillon é a Associação Atlética Riopardense. A festa terá início às 23h, no conjunto poliesportivo do clube, com animação da banda Doce Veneno. Os convites para sócios e não-sócios já estão sendo vendidos. Quem adquirir a mesa terá direito a frutas, frutas secas e frios.

São Silvestre A Associação Atlética Riopardense também promove no dia 28 a “1ª Corrida e Caminhada de São Silvestre”. O circuito terá 5 quilômetros de extensão. O início da corrida está previsto para às 19 horas e a caminhada às 19h20, saindo de frente a AAR. As inscrições estão abertas e podem ser feitas na sede do clube, à praça XV de Novembro. O custo é de R$ 12,00, com direito a camiseta. ARQUIVO

Festa da Virada do ano passado, no Cristo Redentor: evento deste ano também deve ter bom público


24 de dezembro de 2011 - A-9

Construtora é punida por trabalho escravo Para auditora, “honra, caráter e dignidade infelizmente não se impõem com multas” REPORTAGEM

REPORTAGEM

GISELLE TORRES BIACO O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de São José do Rio Pardo, com acompanhamento do Ministério Público do Trabalho de Campinas, divulgou esta semana com exclusividade à reportagem de Gazeta o relatório final da ação que culminou com o resgate de 15 trabalhadores (14 homens e uma mulher) das obras de construção de 262 casas do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Denunciada pela Gazeta do Rio Pardo na edição do dia 15 de outubro, a situação dos trabalhadores foi constatada pelos auditores fiscais de São José do Rio Pardo e de São Carlos. De acordo com a auditora do MTE local, Dilza Andrade de Paula, a empresa MKSE Construções, responsável pela obra, foi autuada por uma série de infrações, que seguem: “admitir ou manter empregado sem o respectivo registro em livro, ficha ou sistema eletrônico competente; deixar de efetuar, até o quinto dia útil do mês subsequente ao vencido o pagamento do salário mensal devido ao empregado; manter empregado com idade inferior a 18 anos em atividade nos locais e serviços insalubres ou perigosos; deixar de consignar em registro mecânico, manual ou sistema eletrônico os horários de entrada, saída e período de repouso efetivamente praticados pelo empregado,

Dra. Dilza é auditora fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego de São José do Rio Pardo

nos estabelecimentos com mais de 10 empregados; deixar de submeter o trabalhador a exame médico admissional; deixar de fornecer lençol e/ou fronha e/ ou travesseiro e/ou cobertor ou roupa de cama em condições inadequadas de higiene; deixar de manter o alojamento em permanente estado de conservação, higiene e limpeza; deixar de providenciar aterramento elétrico adequado para os chuveiros elétricos; deixar de fornecer água potável, filtrada e fresca no alojamento, por meio de bebedouro de jato inclinado ou equipamento similar”, dentre outras. Todos os empregados vieram de outras cidades ou estados, a maioria do Maranhão, outros do Piauí e interior de São Paulo. De acordo com o relatório, “a situação era tensa, porque, tendo eles iniciado atividade no final de agosto do ano em curso, o pagamento de salário encontravase atrasado, o trabalho

havia sido paralisado, segundo informação dos trabalhadores, por falta de material.” A auditora Dilza explica que os trabalhadores estavam mal alojados e impedidos de retornar ao local de origem por falta de recursos financeiros. “Eles não tinham dinheiro para ir embora e nem para sustentar suas famílias”, diz. Trabalho escravo Para os auditores que trabalharam no caso, “a mais grave violação à dignidade humana que se verificou nessa inspeção foi a submissão de 15 trabalhadores à condição análoga à de escravos e seu anterior aliciamento e tráfico do estado do Maranhão, para São Paulo, com promessa enganosa de emprego.” Os alojamentos em que os empregados eram mantidos, um no Jardim Nova Esperança - ao lado das casas em construção, e outro no bairro Natal Merli II, foram inspecionados e

De acordo com informações, as obras do projeto Minha Casa, Minha Vida estão paralisadas

constatadas as condições precárias. Sem roupas de cama, travesseiros ou armários, os trabalhadores dormiam em camas construídas por eles mesmos, com sobras de material de construção. O relatório diz que “em uma das casas, um casal ocupava a cozinha, transformada em quarto, com dois colchões colocados sobre o piso.” Não havia bebedouros e os trabalhadores utilizavam água da torneira. Os sanitários estavam em péssimas condições de conservação e higiene e os chuveiros elétricos haviam sido instalados precariamente, sem aterramento elétrico. Além dessas condições observadas, os trabalhadores queixavam-se de infestação de insetos, um deles exibia marcas de picadas em diversas regiões do corpo que identificou como causadas por percevejos. Os salários não eram pagos regularmente e os trabalhadores relataram inclu-

sive a ocorrência de ameaças por parte de empreiteiro. Relatos surpreendentes Durante as entrevistas feitas com os trabalhadores, os auditores do Ministério do Trabalho colheram depoimentos considerados surpreendentes. “Fiquei sensibilizada”, confessa Dilza. O relatório do MTE não menciona os nomes dos empregados, que se declararam receosos de represálias. Gazeta escolheu alguns, que seguem, com pequenas adequações da reportagem. “Nas duas primeiras semanas eu dormi no chão, pois não havia camas suficientes para todos. Tomava banho frio, pois não havia chuveiro quente, sendo que fazia muito frio na época. Sabonetes não eram fornecidos.” “No alojamento há muitos percevejos, e dormimos com a luz acesa para diminuir a infestação dos

insetos. Tenho complicações de pele (calombos) em virtude das picadas dos insetos.” “Meu filho de quatro anos ficou doente, foi internado no Maranhão, e pedi dinheiro ao ‘gato’ para enviar à família. O ‘gato’ disse que não tinha dinheiro, por isso peguei o valor no banco, ficando com mais dívidas. Não falo com meus familiares há oito dias.” “Os colchões cheiram a mofo. Muitos dormem no chão. Fiquei sabendo que quatro trabalhadores abandonaram a obra, sem nada receber.” “Bebi café e leite e senti algo estranho, e comecei a passar mal. O alojamento está infestado de baratas.” Punição aos responsáveis O Ministério do Trabalho e Emprego resgatou 13 trabalhadores vítimas de aliciamento, tráfico de pessoas e condições análogas às de escravos. A equipe da auditoria-fiscal providenciou a emissão dos requerimentos de Seguro-Desemprego dos resgatados. A MKSE Construções foi obrigada a pagar todos os direitos dos trabalhadores, os salários atrasados e o retorno para suas cidades de origem. A empresa também foi multada e ficará impedida de participar de licitações públicas. “Isso não significa que outros problemas não virão com o tempo, já que honra, caráter e dignidade infelizmente não se impõem com multas”, conclui Dilza.


A-10 - 24 de dezembro de 2011 -

Fazenda avisa donos de veículos sobre IPVA Contribuintes que não receberem o comunicado devem acessar o site da Fazenda Na segunda-feira, dia 19, a Secretaria da Fazenda iniciou o envio de cerca de 15 milhões de avisos de vencimento para os proprietários de veículos automotores terrestres registrados no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de São Paulo envio. O aviso é apenas um lembrete, não é boleto e nem guia de pagamento. A Secretaria da Fazenda já liberou, também, o pagamento antecipado do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2012. Todos os bancos credenciados estão habilitados a efetuar o recolhimento à vista, com desconto de 3%, ou receber a primeira das três parcelas do imposto. O contribuinte tem o final de dezembro e o período até a data de venci-

mento da placa do veículo, em janeiro, para pagar o IPVA 2012 em cota única, com desconto de 3%, ou parcelar o tributo em três parcelas, nos meses de janeiro, fevereiro e março. Os proprietários têm também a opção de quitar o imposto em fevereiro, sem desconto. Em todos os casos os proprietários devem respeitar o calendário de vencimento por final de placa. O seguro obrigatório deve ser recolhido junto com a primeira parcela do imposto (para quem dividir o pagamento), ou junto com a cota única. Para efetuar o pagamento do imposto, basta contribuinte se dirigir a uma agência bancária credenciada, com o número do Renavam (Registro Nacional de Veículo Automotor),

e efetuar o recolhimento no guichê de caixa. Os pagamentos também podem ser feitos nos terminais de auto atendimento, pela internet ou débito agendado, ou outros canais oferecidos pela instituição bancária. Os contribuintes que não receberem o comunicado devem acessar o site da F a z e n d a (fazenda.sp.gov.br) para obter informações sobre o IPVA 2012. O proprietário deve comunicar mudança de endereço ao órgão de trânsito, obrigação a ser cumprida no prazo de 30 dias, mesmo que mude dentro do próprio município. Caso não receba o aviso de vencimento, o IPVA é devido e deve ser pago no vencimento conforme o calendário definido para 2012.

TABELA DE VENCIMENTO DO IPVA 2012: Automóveis, Caminhonetes, Ônibus, Microônibus, Motos e similares

Transferência do veículo Os proprietários que efetuarem a venda de seu veiculo até o final de 2011 devem ficar atentos ao prazo de comunicação da venda para evitar a cobrança do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2012. A legislação do IPVA estabelece o período de 30 dias para que a alteração de propriedade seja comunicada ao Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran). Se essa providência não for tomada, o ex-proprietário se torna responsável pelo pagamento do imposto, mesmo não sendo mais o

dono do veículo. O mesmo procedimento de comunicação de venda deve ser adotado quando ocorrer a indenização por parte de seguradoras, como nos casos de roubo e furto e de veículos sinistrados com perda total financeira. Ao adotar essa medida, o contribuinte evita a cobrança do IPVA 2012 e a inclusão de seu nome no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais (Cadin Estadual). Não basta ir ao cartório e efetuar o preenchimento do verso do Certificado de Registro de Veículo

(CRV), com reconhecimento de firma por autenticidade. O ex-proprietário deve dirigir-se ao órgão de trânsito para fazer a comunicação da venda dentro do prazo. As regras e procedimentos para efetuar a comunicação de venda estão disponíveis para consulta e impressão do formulário específico no site do Detran (detran.sp.gov.br/), na aba ´Veículos´. Estas e outras orientações aos proprietários também constam em uma cartilha sobre IPVA disponível no site da Secretaria da Fazenda do Estado, no endereço fazenda.sp.gov.br.

TABELA DE VENCIMENTO DO IPVA 2012: Caminhões


24 de dezembro de 2011 - A-11

Tabagismo pode resultar em aneurisma Estudo revela que 2 em cada 3 casos de aneurisma estão ligados ao hábito de fumar Levantamento inédito realizado pelo serviço de neurocirurgia do Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo (antigo hospital estadual Brigadeiro), unidade da Secretaria de Estado da Saúde na capital paulista, mostra que nos últimos dois anos, 62% dos usuários que tiveram aneurismas cerebrais fumavam regularmente. A pesquisa também aponta que 80% dos pacientes submetidos à microcirurgia são do sexo feminino e têm entre 40 e 60 anos. No total foram analisados 250 casos. A unidade atende, em média, mil pessoas por ano com a doença. O cigarro é capaz de “destruir” a proteína fibrosa e elástica, chamada de elastina, encontrada na parede dos vasos sanguíneos. Por isso, facilita a ocorrência de um aneurisma, que ocorre quando há dilatação anormal de uma artéria do cérebro. É o sangramento causado pelo rompimento deste vaso que pode levar o paciente à morte. O estudo confirma que os tabagistas estão até 10 vezes mais propensos a apresentarem hemorragias cerebrais causadas por aneurismas. Além disso, o fumo está diretamente ligado ao surgimento de novos casos em pacientes que já trataram ou ainda enfrentam o problema. “São dados alarmantes,

que refletem como o cigarro pode ser danoso à saúde, causando, além de aneurismas, câncer, enfisemas pulmonares e infarto do miocárdio”, diz o médico coordenador do serviço de neurocirurgia vascular, Sérgio Tadeu Fernandes. Para tratar o aneurisma é necessária intervenção

cirúrgica. Na embolização endovascular, técnica minimamente invasiva, o paciente é operado com um pequeno furo feito, geralmente, próximo à virilha. Através desta incisão, entra o material cirúrgico que percorre os vasos do paciente, até o local exato do aneurisma, para pre-

encher o espaço rompido. Há casos, porém, que ainda precisam ser tratados pelo modo convencional, em que há abertura do crânio. “A doença é silenciosa e apresenta poucos sintomas. Os mais comuns são

fortes dores de cabeça. O diagnóstico e o tratamento precoces aumentam as chances de sobrevivência do doente”, destaca o neurocirurgião. No Hospital de Transplantes são feitas em torno de 20 neurocirurgias

micro e endovascular por mês. O Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo fica na avenida Brigadeiro Luís Antonio, 2.651, no Jardim Paulista, e atende pacientes encaminhados pelas unidades básicas de saúde. No cérebro O dispositivo é acomodado e fica como uma segunda pele no vaso. A malha de metal que compõe o stent reduz o fluxo de sangue para dentro do aneurisma, mas não impede a irrigação totalmente

O que é um aneurisma? É uma “bolha” de sangue que se forma quando há um enfraquecimento da parede da artéria. O aneurisma pode se romper e levar a um AVC (acidente vascular cerebral) hemorrágico Como é a operação Procedimento pouco invasivo leva ao cérebro aparelho que faz o aneurisma murchar

Ação Em até 6 meses, o aneurisma vai murchando e coagulando. As células da parede da artéria vão recobrindo o stent, que vira um reforço dessa parede. Isso impede que o aneurisma estoure e cause uma hemorragia

Sintomas A maioria dos aneurismas é assintomática. Os maiores podem causar dores de cabeça constantes Como é a operação Procedimento pouco invasivo leva ao cérebro aparelho que faz o aneurisma murchar

O fluxo de sangue pelo aneurisma

Entrada O médico insere um cateter (espécie de fio condutor) com dispositivo pela virilha do paciente e o leva até a artéria onde está o aneurisma

O aneurisma é uma bolsa no vaso onde o sangue circula

O stent canaliza o sangue apenas pelo vaso, impedindo a passagem pelo aneurisma

Sem saber quanto sangue, o aneurisma vai murchando e deixa de apresentar risco de estouro

O que é o dispositivo Chamado de Pipeline, o aparelho é uma malha metálica de cobalto e platina, bem mais densa do que os stents usados para reabrir as artérias entupidas


A-12 - 24 de dezembro de 2011 -

Nas férias, crianças exigem mais cuidados Pedagoga indica a pais e avós atividades seguras que podem ser realizadas em casa REPORTAGEM

GISELLE TORRES BIACO Com o período de férias escolares, as crianças passam a ficar mais tempo em casa e o perigo de acidentes domésticos aumenta. De acordo com o Ministério da Saúde, acidentes desta natureza são a causa de 77% das sete mil mortes anuais decorrentes de causas externas de crianças de zero a 14 anos no Brasil. A ingestão de objetos está entre os principais registros de atendimento infantil, ao lado de envenenamentos e quedas que geram traumatismos. Um levantamento do Ministério da Saúde, realizado em 84 unidades de emergência de 37 cidades no ano passado, mostrou que a principal causa das queimaduras são os líquidos e os alimentos quentes. Dos 1.040 atendimentos de emergência por queimaduras em todo o Brasil, a maioria, 285 (27,4%), foi em crianças de zero a nove anos, sendo que 91,6% das queimaduras ocorreram nas casas das vítimas. O estudo faz parte do sistema de Vigilância de Violências e Acidentes (Viva). Mas, então, como distrair a criança em casa, com

atividades que não ofereçam perigo a ela? A pedagoga Adriana Ubeda, coordenadora pedagógica da Escola Estadual “Tarquínio Cobra Olyntho”, sugere que os pais ou avós façam brincadeiras que envolvam grupos, como a leitura de livros infantis, contar histórias infantis ou da própria família, jogos de quebracabeça, jogo da memória, brincadeiras de roda, cantar e desenhar. “O problema maior é o adulto julgar que as crianças ficarão muito tempo na mesma atividade e que podem ficar sozinhos. Um dos maiores problemas que levam a acidentes é que nem sempre as crianças estão assistidas por um adulto, ou são deixadas em frente a um aparelho de televisão. No decorrer do tempo elas se desinteressam e passam a “inventar” maneiras de se divertir. É neste momento que o perigo aumenta”, explica Adriana. A segurança no ambiente doméstico, de acordo com a pedagoga, deve ser permanente. “Nada de deixar panelas em cima do fogão com o cabo virado para fora, fósforos, isqueiros, materiais de limpeza, venenos ao alcance dos pequenos; estes são exem-

plos de objetos que representam perigo para as crianças”, afirma. Adriana cita outra situação de risco muito comum, que são os produtos de limpeza armazenados em garrafas pet. “Como são coloridos levam a pensar que são refrigerantes ou sucos, elevando os riscos de intoxicação da criança.”

Adriana: “As crianças nunca devem ficar sozinhas”

Atitudes que podem salvar Objetos – Botões, tampas e rolhas de garrafas, moedas, pregos, parafusos e até brinquedos pequenos são uma atração irresistível para crianças de até três anos, que gostam de levar tudo à boca. Medicamentos - Devem ser guardados fora do alcance das crianças, em lugares altos e, de preferência, em armários ou caixas bem fechadas. Escadas - Devem ter um corrimão de apoio e o piso não deve ser escorregadio. Não se esqueça de fechar as proteções e barreiras dos acessos às escadas depois de passar. Um portão mal fechado é como se não existisse. Janelas e varandas Coloque grades ou redes de proteção em todas as janelas e varandas.

Piscinas, lagos, lagoas e praia - Nunca deixe a criança sozinha perto de uma piscina, mesmo que esta seja própria para ela. Se tem piscina em casa, coloque uma vedação ou tela de proteção à volta. Cozinha - Não deixe crianças sozinhas na cozinha. Guarde facas e objetos cortantes em locais pouco acessíveis, não deixe panelas ao alcance e tenha especial cuidado com líquidos quentes, como sopa ou água a ferver. Não deixe os bicos do fogão ligados e vire os cabos das frigideiras para o interior do fogão. Produtos de limpeza Guarde estes produtos em locais inacessíveis a crianças e a animais; nunca os coloque em garrafas de água de plástico, porque as crianças podem ingerir o produto pensando ser água ou refrigerante. Eletricidade e tomadas - Instale protetores adequados em todas as tomadas da casa, para evitar choques elétricos. Ferro elétrico - Nunca deixe o ferro ligado com o fio desenrolado e ao alcance das crianças. Armas - Não tenha armas em casa. Se tiver, guardeas sem munição e longe do alcance das crianças.


24 de dezembro de 2011 - A-13

Homenagem Bonner, Por mais que eu fale durante séculos, jamais vou conseguir expressar tudo o que você foi para nós. Nosso melhor amigo, porto seguro. Depositamos todo amor dos nossos corações e fomos correspondidos por isso. E por mais que você tenha partido agora, sei que ainda está presente dentro de nós. O que nos conforta é felizmente poder entender o real motivo da sua vinda. E da sua ida também. Obrigado por tudo. Por nos ensinar tanto e principalmente por nos amar incondicionalmente. Você é o nosso tesouro que vamos carregar guardado a sete chaves dentro de nossos corações. No topo. No lugar mais importante de todos, porque você foi a melhor coisa que aconteceu em nossas vidas. Sei que esse sentimento é para sempre... E por isso, te amaremos por toda eternidade. Saudades eternas príncipe, preto, loirinho, boninho.

27/10/2002 10/12/2011 Bel Moreno, José Luis Moreno, Samantha Palla e Matheus Palla!

IMOBILIÁRIA E LOCAÇÃO DE IMÓVEIS 36 ANOS – 13/07/1975 – 13/07/2011 EXPERIÊNCIA, HONESTIDADE, COMPETÊNCIA E TRANSPARÊNCIA Praça dos Três Poderes, nº 103 – Fones: (019) 3608-4815 / 3608-6384 – Fax: 3608-2580 CNPJ - 07.879.176/0001-04 João Batista Maldonado Rossana Tempesta Maldonado CRECI 9.907 CRECI 51.306 Wagner Muniz de Aguiar Jr. Luciana Tempesta Maldonado CRECI 53.287 CRECI 57.510

ATENÇÃO PROPRIETÁRIOS DE IMÓVEIS PARA LOCAÇÃO OU VENDA Proprietários de imóveis que ainda alugam ou vendem seus imóveis diretamente às pessoas interessadas. Venha conhecer a modalidade de aluguel com garantia de recebimento e outros benefícios que a Malca lhe oferece por apenas 8% para locação, quando da sua assinatura da opção de exclusividade com a Malca. Venha falar conosco que teremos muito prazer em mostrar e explicar como funciona a nossa opção de exclusividade e o nosso contrato de prestação de serviço com garantia de recebimento de aluguel e outros.

VEJA ALGUNS BENEFÍCIOS: 1- A Malca efetuará o pagamento do aluguel no dia do vencimento independentemente do inquilino ter pago. “Faça chuva ou faça sol, no dia combinado o seu aluguel estará na mão.” 2- A Malca efetuará todos os consertos dos imóveis após a desocupação, se os mesmos não forem consertados pelos inquilinos, sendo que estes continuarão pagando o aluguel até que o imóvel esteja totalmente consertado. 3- A Malca efetuará o pagamento do IPTU, taxa de água, energia elétrica, condomínio e outros, se os mesmos não forem pagos pelos inquilinos no momento da desocupação do imóvel, cobrando posteriormente.

Obs.: A extensão dos benefícios acima descritos, aos contratos que não estão na modalidade exclusividade, será

Postos de saúde não abrirão no dia 30 Os serviços públicos de saúde no município funcionarão na próxima semana de segunda, 26, a quintafeira, 29. No dia 30 de dezembro, sexta-feira, será ponto facultativo e os postos de saúde da cidade estarão fechados, funcionando apenas o Pronto Socorro e o atendimento ambulatorial no mesmo prédio, além das ambulâncias, para as urgências e emergências. Esse mesmo esquema estava previsto para esta sexta, 23, antevéspera do Natal. As informações são da enfermeira e coordenadora da Vigilância Epidemiológica Denise Rondinelli Cossi Salvador. Ela afirmou que esta época do ano, por ser mais festiva, é tradicionalmente mais calma em relação às ocorrências mais comuns relacionadas à saúde. “Parece que as pessoas acabam deixando as doenças de lado e entrando nesse espírito natalino, o que reduz um pouco os problemas mais comuns nesta área”, opinou. Balanço Denise avalia que o ano

de 2011 foi bom em termos de resultados nas campanhas que foram efetuadas, sendo que algumas delas até ultrapassaram as metas estipuladas. Citou como exemplo a campanha de intensificação da vacina contra o sarampo, que é uma doença grave e que vem recrudescendo em vários países, causando preocupação também no Brasil. “No Brasil a cultura sempre foi a da doença e não a da prevenção, mas isso parece estar mudando. No caso dessa campanha do sarampo, a população respondeu bem ao apelo pelo reforço da vacina”, lembrou. A enfermeira comentou que de nada adianta o oferecimento de uma boa estrutura de saúde se cada

cidadão não fizer a sua parte e não atender aos chamados preventivos das vacinas, entre outros procedimentos. Quanto às festas de final de ano, Denise alertou que, embora seja muito bom comemorar as datas com as famílias e os amigos, é importante também evitar os excessos que podem comprometer todas as festividades. “Vamos comemorar com tranquilidade, com controle, para que possamos de fato aproveitar a chegada do menino Jesus, lembrar que é uma data (25 de dezembro) muito importante para todos nós, onde o que conta realmente é o convívio familiar, o respeito entre as pessoas e a vontade de fazer mais e melhor. E da mesma forma seja também o ano novo”, concluiu.


A-14 - 24 de dezembro de 2011 -

EDITAL n.º ( 05/2011 ), de 28 de novembro de 2011 EDITAL n.º (06/2011) A Escola Técnica Estadual de São José do Rio Pardo, município de São José do Rio Pardo, atendendo o disposto no § 2.º do Artigo 61 do Regimento Comum das Escolas Técnicas Estaduais do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, torna pública a abertura de inscrições para o Processo Especial de Seleção de Candidatos para o Preenchimento de vagas remanescentes da SEGUNDA E TERCEIRA séries do Ensino Médio, para o ano letivo de 2012. I. Das disposições preliminares 1. As vagas a que diz respeito este processo especial de seleção de candidatos serão aquelas originadas pela retenção, desistência ou transferência dos alunos matriculados no Ensino Médio na ETEC. 2. Concluído o processo de reclassificação dos alunos da ETEC, as vagas dos alunos que não foram promovidos serão oferecidas aos alunos classificados no presente processo especial de seleção. II. Das inscrições 1. As inscrições deverão ser efetuadas pelo candidato, no período de 02 a 06 de janeiro de 2012 NA SECRETARIA DA ESCOLA NO HORÁRIO DAS 08h as 19 horas. 2.Poderão inscrever-se candidatos: 2.1. a serem recebidos por transferência de outra Etec ou instituição de ensino pública ou particular, modalidade regular ou EJA 2.2. que interromperam seus estudos no Ensino Médio e desejam retomar seus estudos. 3. No ato da inscrição deverão ser apresentados os seguintes documentos: 3.1. Requerimento próprio, fornecido pela Escola, completamente preenchido; 3.2. Declaração de matrícula da escola de origem ou histórico escolar comprovando os estudos anteriores realizados no Ensino Médio, correspondentes a 1.ª ou 1.ª e 2.ª séries. 3.3. Comprovante do pagamento da taxa de inscrição no valor de R$ (********) a ser recolhida em qualquer agência do Banco Nossa Caixa Nosso Banco, conta da Associação de Pais e Mestres (APM), conta nº (*********). 4. Não serão aceitas inscrições pelo correio, fac-símile, por procuração, por Internet, condicional ou fora do prazo. 5. A inscrição implicará a completa ciência e tácita aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital, sobre as quais o candidato não poderá alegar desconhecimento.III. Das provas 1. As provas objetivas avaliarão o candidato quanto às competências e habilidades da série anterior à qual está inscrevendo-se, de acordo com a proposta curricular do Ensino Médio das ETECs do Centro Paula Souza. 2. O candidato poderá consultar a proposta curricular do Ensino Médio do Centro Paula Souza e a matriz curricular do curso na ETEC, onde estarão disponíveis, afixada no quadro de avisos NAS DEPENDÊNCIAS DA ESCOLA 3. As provas serão constituídas de 40 questões de múltipla escolha, com cinco alternativas cada, abrangendo competências e habilidades da série anterior à qual o candidato está inscrevendo-se, de acordo com a proposta curricular do Ensino Médio das ETECs do Centro Paula Souza. IV. Da realização das provas 1. As provas serão aplicadas no (10 DE JANEIRO DE 2012 às 08horas) nas dependências da ETEC. 2. O candidato deverá comparecer ao local com antecedência mínima de trinta minutos. 3. Não serão tolerados atrasos sob nenhuma alegação. 4. Para fins de identificação no momento da prova, o candidato deverá portar o original de um dos seguintes documentos (dentro do prazo de validade, se for o caso): a. Cédula de identidade (RG) b. Cédula de identidade de estrangeiros (RNE) c. Certificado de reservista militar (com foto) d. Carteira de trabalho e previdência social (CTPS) e. Carteira de habilitação com foto f. Carteira de registro profissional expedida pelos Conselhos Regionais. IMPORTANTE: Não serão aceitos protocolos, cópias reprográficas dos documentos acima citados, carteira de estudante (RG escolar – UMES – UBES), certidão de nascimento, título de eleitor, carteira de habilitação sem foto, crachás e identidade funcional de natureza pública ou privada. 5. Para a realização da prova o candidato deverá usar caneta esferográfica de tinta azul ou preta. 6. Será eliminado do Concurso o candidato que: a. Apresentar-se no local de aplicação após o fechamento dos portões; b. Não apresentar documento de identidade; c. Não portar material necessário à realização da prova. d. Não comparecer à prova, seja qual for o motivo alegado; e. Ausentar-se da sala sem acompanhamento ou autorização do aplicador; f. Lançar mão de meios ilícitos para executar a prova; g. For surpreendido em comunicação com outras pessoas ou utilizando-se de calculadora, livros, notas ou impressos não permitidos; h. Estiver fazendo uso ou portando qualquer tipo de equipamento eletrônico de comunicação; i. Fizer anotação de informações relativas às suas respostas em qualquer material que não o fornecido pela ETEC; j. Não devolver a folha de resposta, o caderno de resposta ou qualquer outro material de avaliação da prova; k. Agir com descortesia para com qualquer membro da equipe encarregada da aplicação da prova, bem como perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos. VI. Da correção das provas 1. Cada questão valerá um ponto. 2. Não será computada questão com emendas ou rasuras, ainda que legível. 3. Não será computada questão não respondida ou que contenha mais de uma resposta, mesmo que uma delas esteja correta. VII. Dos critérios de desempate e da classificação final 1. Os candidatos serão classificados em ordem decrescente da pontuação final, considerado o item VI deste edital. 2. Em caso de igualdade de pontuação final serão aplicados os seguintes critérios de desempate: a. Aluno cursando o Ensino Técnico da ETEC, na época da inscrição; b. Aluno de outra ETEC do Centro Paula Souza; c. Maior idade. 3. A classificação final da Prova será divulgada na ETEC (16/01/2012) 4. A classificação final dos candidatos não implica em garantia automática de vaga no Ensino Médio da ETEC. VIII. Da convocação para a matrícula 1. O número de vagas disponíveis para efeito desta Prova será resultado do número de alunos da ETEC retidos, desistentes ou transferidos em cada série e será divulgado a partir de 03 DE JANEIRO DE 2011 3. A convocação dos candidatos aprovados obedecerá rigorosamente à ordem de classificação final para cada série. 4.O candidato convocado para matrícula deverá efetivá-la no período previsto para tal. O não comparecimento no prazo implicará perda da vaga. 5. A matrícula será efetuada nos dias 23 E 24 DE JANEIRO DE 2012 6. Na existência de novas vagas, após o processo de reclassificação de alunos da ETEC, será feita nova convocação de candidatos classificados, para matrícula. 7. A classificação final obtida neste Concurso será válida até 1 ANO CONTANDO A PARTIR DA DATA DE DIVULGAÇÃO 8. Todas as convocações, avisos e resultados referentes à realização deste Concurso serão publicados nas NAS DEPENDÊNCIAS DA ESCOLA, sendo de inteira responsabilidade do candidato maior ou do seu representante legal, se menor, o seu acompanhamento, não sendo aceita qualquer alegação de desconhecimento. 9. Não haverá, em nenhuma hipótese, revisão de provas. 10. Os casos omissos neste Edital serão resolvidos pela Comissão Responsável pelo Processo Especial de Seleção de Alunos para o preenchimento de vagas remanescentes da segunda e terceira séries do Ensino Médio, ouvido o Diretor da ETEC.

A ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL (DE SÃO JOSÉ DO RIO PARDO), município de (São José do Rio Pardo/SP) atendendo o disposto no § 2.º do Artigo 61 do Regimento Comum das Escolas Técnicas Estaduais do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, torna pública a abertura do Processo Especial de Seleção de Candidatos para preenchimento de vagas remanescentes dos Cursos Técnicos em: ADMINISTRAÇÃO TARDE ADMINISTRAÇÃONOITE INFORMÁTICA NOITE A partir do segundo módulo, para o (1º SEMESTRE DE 2012). I - Das Disposições Preliminares 1. As vagas a que diz respeito este processo de seleção de candidatos serão aquelas originadas pela retenção, desistência ou transferência dos alunos matriculados nos cursos técnicos na ETEC. 2. O processo de classificação de candidatos para as vagas remanescentes será por avaliação de competências desenvolvidas em: 2.1. cursos concluídos do mesmo eixo tecnológico, com aproveitamento e devidamente comprovados, na própria escola ou em outras; 2.2. estudos realizados fora do sistema formal de ensino (cursos profissionais extra-curriculares) 2.3. no trabalho. 3. A avaliação terá caráter eliminatório e classificatório para o itinerário formativo previsto no Plano de Curso da Habilitação Profissional Técnica pretendida. II – Das Inscrições 1. As inscrições deverão ser efetuadas pelo candidato, no período de (02 A 06 DE JANEIRO NO HORÁRIO DAS 08 ÀS 19 HORAS 2. No ato da inscrição deverão ser apresentados os seguintes documentos: 2.1. Requerimento próprio fornecido pela Escola, completamente preenchido; 2.2. Auto-avaliação: roteiro fornecido pela Escola; 2.3. Copia simples da Cédula de Identidade (RG) 2.4. Cópia simples do histórico escolar de conclusão do Ensino Médio / 2.º Grau ou declaração firmada pela direção da escola de origem de que está matriculado na 2.ª ou 3.ª série do Ensino Médio ou do certificados de eliminação de no mínimo 4 (quatro) disciplinas ou certificado de aprovação em 2(duas) áreas de estudos para candidato que tenha cursado a Educação de Jovens e Adultos (EJA); 2.5. Declaração da escola de origem comprovando estudos anteriores realizados em Cursos Técnicos; 2.6. Comprovantes de cursos realizados fora do sistema formal de ensino; 2.7 Cópia simples dos documentos a seguir relacionados, exclusivos para comprovação de competências adquiridas no trabalho: a) Carteira Profissional e/ou comprovante de exercício profissional b) Declaração de autônomo com número de inscrição no ISSQN c) Cópia de contrato social para proprietários de empresa 3. Não serão aceitas inscrições pelo correio, fac-símile, por procuração, por Internet, condicional ou fora do prazo. 4. A Inscrição implicará a completa ciência e tácita aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital, sobre as quais o candidato não poderá alegar desconhecimento. III - Do Processo de Avaliação 1. O processo será realizado em duas etapas: a primeira terá caráter eliminatório e a segunda, caráter classificatório. 2. A primeira etapa será constituída pelas fases: 2.1. Primeira fase a) Avaliação dos documentos comprobatórios de estudos realizados e/ou de experiência profissional apresentada; b) Análise da auto-avaliação, preenchida pelo candidato no ato da inscrição; c) Avaliação de competências, por meio de prova teórica objetiva que será realizada (DIA 10/01/2012 AS 19 HORAS d) o resultado da prova teórica objetiva será divulgado (16/01/2012) 2.2. Segunda fase a) Entrevista e avaliação prática, se julgada necessária. b) A data, horário e local da realização da segunda fase, quando necessária, será divulgada junto com o resultado da prova teórica objetiva da primeira fase. 3. Será eliminado o candidato que não apresentar os documentos comprobatórios de estudos ou de experiência profissional e que não obtiver pelo menos 30% de aproveitamento na avaliação de competências teórica. 4. Os candidatos eliminados na forma do item 2. não serão convocados para a segunda fase da avaliação. 5. A segunda etapa, de caráter classificatório, será constituída por uma entrevista e avaliação prática em laboratório, se a Comissão de Avaliação julgar necessário. 6. A classificação dos candidatos obedecerá aos seguintes critérios: 6.1. Serão classificados no grupo I, os candidatos que apresentarem domínio completo de todas as competências desenvolvidas no 1º ou no 1.º e 2º módulos ou no 1º, 2º e 3º módulos que poderão ser matriculados respectivamente no 2º, no 3º ou 4º módulo da habilitação em que se inscreveram. 6.2. Serão classificados no grupo II, os candidatos que não apresentarem domínio de todas as competências de nenhum dos módulos previsto na matriz curricular do curso desejado. Para os candidatos classificados neste grupo, será elaborada uma classificação dos candidatos e um itinerário formativo, com prioridade aos candidatos que apresentarem menor número de componentes curriculares a serem cursados. 6.3. Candidatos que apresentarem necessidade de adaptação em até três componentes curriculares no módulo 1 ou módulo 2, poderão ser classificados no módulo subseqüente, em regime de adaptação, devendo submeter-se, nesse módulo, a programa especial de estudos, à critério da Comissão. 6.4. Existindo vagas, a convocação destes candidatos para matrícula será posterior ao preenchimento das vagas pelos candidatos classificados no Grupo I. 6.5. Ocorrendo empate dentro de cada grupo, para efeito de classificação, serão aplicados os seguintes critérios de desempate: a) Maior idade; b) Ordem de inscrição. 7. A classificação final será divulgada na ETEC (data, hora/local) IV – Da Convocação para a Matrícula 1. O número de vagas disponíveis para efeito desta seleção especial será resultado do número de alunos da ETEC retidos, desistentes ou transferidos em cada módulo e curso. 2. Após a divulgação dos resultados finais, os candidatos serão convocados por ordem de classificação, de acordo com vagas disponíveis e poderão solicitar a sua matrícula no módulo para o qual tiver sido classificado e dentro do calendário previsto. 3. O candidato convocado para matrícula deverá efetivá-la no período previsto para tal e o não comparecimento no prazo implicará perda da vaga. 4. A matrícula será efetuada nos dias (23 E 24 DE JANEIRO DE 2012) NO JHORÁRIO DAS 08 H ÀS 21 Horas. 5. Na existência de novas vagas, apuradas após o processo de reclassificação dos alunos da ETEC, será feita nova convocação de candidatos classificados para matrícula. 6. Todas as convocações, avisos e resultados referentes à realização deste processo serão publicados nas (dependências da escola – Mural; Porta da Frente etc...), sendo de inteira responsabilidade do candidato maior ou do seu representante legal, se menor, o seu acompanhamento, não sendo aceita qualquer alegação de desconhecimento. 8. Não haverá, em nenhuma hipótese, revisão de provas. V - Sobre o Prazo de Validade da Avaliação 1. Os resultados da avaliação de competências terão validade por 30 dias, contado a partir da divulgação do resultado final. VI - Disposições Finais 1. Os casos omissos neste Edital serão resolvidos pela Comissão Responsável pelo Processo de Seleção de Alunos para o Preenchimento de Vagas Remanescentes nos Cursos Técnicos, ouvido o Diretor da ETEC. São José do Rio Pardo, 28 de novembro de 2012

São José do Rio Pardo, 28 de novembro de 2011 Valdeli Nóbrega - R.G. 20.601.267

Valdeli Nóbrega -RG-20.601.267Diretor de Escola


24 de dezembro de 2011 - A-15

Saúde alerta sobre risco de intoxicação Especialistas dão dicas para comer nas festas sem riscos para o organismo Uma das principais tradições das festas de Natal e Réveillon é cear com a família e com os amigos. Entretanto, alimentos mal condicionados ou manipulados sem o cuidado necessário podem ser fontes de doenças. Exageros também devem ser evitados, com preferência a alimentos saudáveis. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde decidiu fazer um alerta à população para garantir que as confraternizações nesta época do ano não se transformem em problemas para a saúde da população. Evitar preparar uma quantidade muito grande de comida, balancear os tipos de alimentos, assim como redobrar a atenção durante o preparo e acondicionamento dos produtos, são cuidados essenciais. É comum que famílias ou amigos se organizarem combinando o que cada uma pode preparar para a ceia, pois é uma maneira prática de todos colaborarem. “O problema é que, geralmente, essa combinação pode resultar em uma produção exagerada de comida e, consequentemente, todos as pessoas acabam comen-

do demais, para experimentar de tudo um pouco. Este excesso de calorias, concentrado em uma só refeição, é armazenado pelo organismo em forma de gordura localizada, o que poderá acarretar em futuros problemas para quem já apresenta uma predisposição para problemas cardiovasculares, diabetes e hipertensão, além de um intenso mal estar”, explica Renata Alves, nutricionista do hospital estadual Dante Pazzanese. Uma dica importante, explica Renata, é selecionar os tipos de pratos que serão servidos, dando preferência sempre aos grelhados, seja qual for o tipo de carne escolhida, e evitar alimentos muitos gordurosos, como frituras, por exemplo. Se a opção for por algum tipo de ave deve-se tirar a pele, pois ela contém uma quantidade muito grande de gordura. Saladas também não devem faltar à mesa. O cuidado na manipulação, preparo e acondicionamento dos alimentos também é fundamental para evitar o risco de uma intoxicação alimentar após as festas. Um dos principais cuidados é com

a temperatura dos alimentos, que devem ficar aquecidos a uma temperatura de 70º ou dentro de geladeira. “Em temperatura ambiente, corre-se o risco de desenvolvimento de bactérias ou mesmo de suas toxinas. São elas que provocam a intoxicação, levando a diarreias e vômitos”, explica a médica Maria Bernadete de Paula Eduardo, responsável pela Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentos da Secretaria. O ideal, segundo a especialista, é que as refeições permaneçam, no máximo, duas horas fora de refrigeração. “O mesmo vale para as sobras de comida em cima do fogão ou dentro de forno desligado. Devem ser guardadas o mais rápido possível sob refrigeração”, alerta Maria Bernadete. A médica reforça ainda que qualquer alimento, se preparado sem higiene ou mal conservado, pode causar intoxicações. “Nos últimos dez anos, foram registrados surtos de doenças transmitidas, em especial, por aves mal assadas, molhos, saladas, maioneses e até mesmo a sobremesas”, conta. Outro cuidado que deve

ser redobrado é no que diz respeito a ovo, por se tratar de uma fonte em potencial para a transmissão da Salmonella Enteritidis, bactéria responsável por 50% dos casos de gastroenterites. “Não se deve consumi-lo cru ou mal cozido. Também é preciso evitar pratos à base de claras e gemas cruas”, orienta a especialista. A organização do freezer ou geladeira também são cuidados importantes lembrados pela médica. “Não se deve enchê-los demais. A quantidade ex-

cessiva de alimentos e bebidas impede a circulação do ar refrigerado”. Dicas para uma ceia sem perigo - Lavar as mãos antes de comer e depois de usar o banheiro. - Não misturar alimentos de origens diferentes, como carnes e verduras, em cima da pia. - Não usar a mesma faca durante a preparação de diferentes alimentos. - Lavar bem frutas e verduras com água potável/tratada e depois higi-

enizá-las com hipoclorito de sódio ou água sanitária (siga as instruções do rótulo ou da bula do produto). Vinagre doméstico não mata os microrganismos. Ajuda apenas a despregar sujeiras. - Cozinhar, assar ou fritar muito bem os alimentos a serem consumidos. - Guardar os alimentos já preparados dentro da geladeira. - Não consumir alimentos de procedência clandestina ou desconhecida. - Lavar latinhas de refrigerantes ou outras bebidas com água e sabão.

Abertas inscrições ao AME de São João A Funcamp (Fundação de Desenvolvimento da Unicamp) está com inscrições abertas até o dia 20 de janeiro de 2012 para médicos interessados em trabalhar no AME (Ambulatório Médico de Especialidades) de São João da Boa Vista. Há vagas também para a função de recepcionista.

Segundo o site da Funcamp, as especialidades médicas abertas para o AME sanjoanense são: clínico geral, mastologista, obstetra, gastroenterologista, neurologista, dermatologista, urologista, ultrassonografista, ecocardiografista, endocrinologista, reumatologista, cardiologista e in-

fectologista. Os interessados nessas especialidades e ainda no cargo de recepcionista devem procurar o edital completo da Funcamp, no site desta Fundação, ou ligar para o departamento de Recursos Humanos, cujo telefone é (19) 3521.2739.


A-16 - 24 de dezembro de 2011

Município tem 450 pacientes com câncer Cabeça e pescoço são as doenças mais comuns, diz a enfermeira Márcia Moreno

Doenças bacterianas aumentam 30% no verão CONTEXTO ASSESSORIA

A mudança de rotina é notável com a chegada do verão, mas é nesta fase que as tão sonhadas férias podem sofrer alguns contratempos com a alta incidência das bactérias, em razão dos banhos de mar ou piscina e até mesmo por intoxicação alimentar, causada geralmente pela má conservação dos alimentos. Segundo o patologista clínico e presidente regional da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica do Rio de Janeiro, Dr. Helio Magarinos Torres (foto), algumas doenças bacterianas como otites, conjuntivites e diarréias lideram o ranking das mais comuns no verão, com um aumento significativo de casos, entre 20% e 30%. “As patologias bacterianas mais corriqueiras estão relacionadas aos germes transmitidos pela água e alimentos e ocorre também por meio do contágio de pessoa para pessoa”, revela. É dever dos pais observar os hábitos dos filhos e não permitir que os jovens tomem banho de mar ou piscina sem a utilização de protetores de ouvido. Entre as crianças, a exposição excessiva à água pro-

voca, essencialmente, a otite (infecção do ouvido). Alguns maus hábitos alimentares como a ingestão de gordura facilitam o surgimento das doenças bacterianas causadoras de diarreia, provocando a desidratação. O Dr. Helio Torres alerta para a importância de analisar os primeiros indícios de enfermidades bacterianas como dor de ouvido, coceira nos olhos e dor de barriga. “Sempre que houver qualquer sintoma diferente, um serviço médico deve ser procurado, pois alguns casos merecem cuidados especiais logo no início do problema”, salienta o médico. Na maioria dos casos, não é necessária a realização de exames clínicos para diagnosticar as doenças bacterianas. Quando

necessários, os testes consistem na identificação de germes e no antibiograma, que determina o melhor medicamento a ser utilizado. Para o tratamento, são recomendados medicamentos antibióticos para alcançar um grande número de germes e exterminá-los. Mesmo que a incidência das bactérias no verão seja alta, algumas medidas preventivas podem combater o risco de se contrair tais doenças. Hábitos de higiene pessoal como lavar as mãos e a manutenção adequada dos alimentos, mantendoos na temperatura ideal para cada tipo, são maneiras de afastar as bactérias e aproveitar plenamente o verão. (Equipe Editorial - Saúde em Pauta Online).

A enfermeira chefe do serviço de Quimioterapia de São José do Rio Pardo, Márcia Moreno, confirmou esta semana que o Termo Aditivo (T.A.) do convênio entre o governo do Estado e a Prefeitura, que venceu este mês, foi prorrogado por mais um ano para continuar com o atendimento a pacientes oncológicos. O município tem hoje cerca de 450 pessoas cadastradas com câncer. Márcia esteve em São Paulo com o prefeito João Luis e outros rio-pardenses, há poucos dias, para solicitar a essa prorrogação do T.A. e pedir o credenciamento. Ela explicou, porém, que a Quimioterapia, a nível de qualquer município isolado, não é mais credenciada pelo Ministério da Saúde. Assim, o pleito de São José é no sentido de regionalizar o serviço, com o credenciamento, ou vindicar a implantação da Unacon. Uma comissão de representantes do governo do Estado vinculados à área da saúde deverá vir ao município e levantar a situação local e regional quanto ao número de casos oncológicos. A enfermeira lembrou que o serviço atual de Quimioterapia é resultado de uma parceria entre o governo estadual,

Prefeitura, Santa Casa e Projeto Renascer, firmado em 2008. O serviço funcionou até agora, porém, sem credenciamento, que só é concedido após minuciosa avaliação técnica feita por representantes do Ministério da Saúde, já que os procedimentos são todos muito caros. Para Márcia, faltou empenho das partes envolvidas no sentido de implementar de fato a Quimioterapia no município. Essa falha a enfermeira disse ter procurado sanar a partir do momento em que começou a trabalhar lá, há um ano, além de ter transformado o local em Centro Oncológico, onde todos os portadores de câncer em São José, independente da patologia, pudessem buscá-lo. “Agora estamos buscando renovar a pactuação e

a ampliação dos serviços com a Unicamp”, reiterou. “E depois partiremos para o credenciamento: ou a regionalização, que creio será o primeiro passo, ou a Unacon, a longo prazo”. A maior parte dos pacientes com câncer avaliados na Quimioterapia riopardense é encaminhada para a Unicamp, em Campinas. Alguns casos, no entanto, são encaminhados para Jaú ou Barretos, dependendo do problema diagnosticado. “A maior parte dos tumores diagnosticados aqui hoje é de cabeça e pescoço, vindo depois os casos de próstata, aparelho digestivo e de mama”, comentou a enfermeira. Cerca de 30 pacientes participam da infusão do quimioterápico em São José, embora nem todos o façam semanalmente.


A-18 - 24 de dezembro de 2011 -

CURIOSIDADES

Para entender as festas (e entreter os parentes) POR NELITO FERNANDES/ÉPOCA Todos os anos repetimos o mesmo ritual nos dias 24 e 25. Muita gente não sabe exatamente por quê. Elaboramos um almanaque sobre o Natal. Ele poderá ser usado para você mudar de assunto naquele momento da festa em que seu cunhado vai contar a mesma história pelo décimo ano seguido 1 - Por que no dia 25 Porque foi quando Jesus Cristo nasceu, diria um leitor apressado. Não exatamente. Os povos antigos (e não estamos falando do seu tio) comemoravam o solstício de inverno - a noite mais longa do ano - que normalmente acontece no Hemisfério Norte por volta do dia 22. Na Roma Antiga, celebravam-se dois festivais: a Saturnalia, de 17 a 31 de dezembro, e o Sol Invictus, no dia 25, uma homenagem ao sol que vence o inverno. O dia 25 de dezembro seria também a data de nascimento do deus persa Mitra, o Sol da Virtude. A reportagem não conseguiu localizar a certidão de nascimento de Mitra, então, vamos manter o condicional “seria”. 2 - Onde Jesus entra na história? Aproveitando a popularidade da data e a tradição das festas, a igreja católica achou por bem dizer que o menino Jesus nasceu naquele período, também em 25 de dezembro. Existem algumas evidências de que Jesus não veio ao mundo nem sequer naquele mês. A Bíblia cita pastores fazendo vigília à noite com ovelhas no dia do nascimento de Cristo. Mas, nessa época do ano, essas vigílias não eram comuns por causa do frio. O tema é polêmico e já foi objeto de muitos estudos e discussão. A dúvida, portanto, continua. 3 - De onde surgiu a árvore de Natal? Também existem várias teorias. A mais aceita pelos historiadores é que a tradição da árvore tenha surgido na Alemanha. Certa noite, o padre Martinho Lutero (1483-1546), que liderou a reforma protestante, caminhava por uma trilha quando viu o céu estrelado através da copa de pinheiros. Ele resolveu recriar aquele momento. Levou um galho da árvore para a sala e pendurou uma estrela. O padre dizia

às crianças que a árvore com penduricalhos representava a posição das estrelas no céu quando Jesus nasceu. É por isso que os pinheiros são os preferidos hoje em dia. 4 - Quem foi o Papai Noel? O Bom Velhinho de carne e osso - Seu Nicolau teria nascido em Patras, na Grécia, no século IV. Era de família rica e, generoso, dava presentes às crianças em um dia da primavera. Depois que seus pais morreram, doou seus bens e virou bispo. Popular, ganhou fama de milagreiro e foi canonizado. A igreja católica propôs fixar a data de distribuição de presentes de São Nicolau no dia 25, para coincidir com o nascimento de Jesus. A chaminé entrou na história porque, diz a lenda, Nicolau fazia doações anônimas jogando sacos de moedas pelas chaminés. Nicolau virou Noel, termo que significa Natal, em francês. 5 - Por que ele usa vermelho? Até o século XIX, Papai Noel era desenhado como bispo montado num cavalo, distribuindo presentes às crianças. Em 1862, ficaram muito populares as ilustrações do cartunista americano Thomas Nast, que desenhava Papai Noel do tamanho de um duende, descendo a chaminé. Quatro anos depois, Nast pintou de vermelho a roupa de Papai Noel. Existe uma lenda que diz que o Bom Velhinho usa vermelho por causa da Coca-Cola, mas não é verdade. A própria empresa diz em seu site que foi Nast quem vestiu o duende nessa cor. Mas foi a Coca-Cola a responsável pela imagem de Papai Noel que temos hoje. Em 1931, a fabricante de refrigerantes fez um anúncio de revista mostrando-o como um barbudo simpático e gorducho. E, claro, de roupa vermelha. 6 - E a rabanada? Ela veio de Portugal, onde há muito tempo é consumida na véspera do Natal. A iguaria era muito apreciada pelos pobres, porque reutilizava pães velhos. Agora você já sabe de onde veio a rabanada. E para onde ela vai? Pergunte ao seu professor na academia.


24 de dezembro de 2011 - A-19

FERNANDO TORRES Praça central. Roupinha humilde, carinha alegre, passos leves, lá vai o menininho pela calçada. Puxa delicadamente uma lata de óleo, presa a uma cordinha, que segura firme na mão direita. De passagem, vejo a cena, e querendo ganhar a simpatia do menino, faço tipo: - Ei garotinho, que brincadeira é essa que você tá fazendo? - O senhor num tá vendo que tô passeando com meu cachorrinho Lulu? Ga-

nhei de Papai Noel, ué! - Ué, pensei que você estivesse brincando, isso aí é uma lata, onde já se viu um menino inteligente como você fazer tamanha confusão?!... E foi só isso que o Papai Noel trouxe pra você? Não o elogio, mas ouvir duas vezes aquele isso... toca fundo. - Num tá vendo, é o meu cachorrinho Lulu, olha que gracinha!? - desabafa irritado, apontando a lata, já inquieta. Dedo em riste, fico sério, falando por falar. - Não gostei dessa, acho que você devia prestar atenção no que faz e fala...

que brincadeirinha sem graça. O menino troca um olhar cúmplice com a lata, procura um cantinho solitário. Vê um banco vazio. Mudo e indignado, vai pra lá. O silêncio implacável só é quebrado pelos curtos passinhos da lata no chão ladrilhado. Como quem não quer nada, espio. De costas pra mim, o menino agachase, gesticulando um monólogo com o cachorrinho - quer dizer, a lata... Segundos depois, levanta-se. E lá vem ele de novo semblante, puxando a saltitante lata de óleo presa a uma cordinha, que segura firme na mão direita.

- Tô brincando com uma lata! - fuzila irônico, me encarando. Dou de ombros, resolvo ir embora, não sem antes arriscar de esguelha uma olhadela para a dupla. O menino abre um sorriso e traz com carinho a lata para perto de si: - Viu, Lulu, não te falei? A gente conseguiu, a gente enganô ele! E leve, passos alegres pela calçada, segue com Lulu preso à cordinha, mais do que nunca levando a lata para um passeio... Até hoje, guardo a impressão de ter ouvido um latidinho.


A-20 - 24 de dezembro de 2011

Uma crônica de Natal ELIZEU BRAGA Nessa época do ano em que toda ética voa para o lado contrário dizendo que Papai Noel não existe, que fora uma invenção burguesa, conversa pra boi dormir de pais de criancinha pobre, prefiro ir na contramão, não no ilusório, na lenda de São Nicolau, mas numa coisa chamada fé que é algo que eu particularmente respeito (não a fé que anima a nossa igreja), mas a fé que move as pessoas, o trânsito, os aeroportos, os supermercados, a padaria, a casa de camarão... Esse sentimento que faz com que as pessoas se movam em conjunto, indo à forra estourando o 13º em presentes, caridade, perus, chesters, panetones, frutas e mais presentes. Não se trata apenas das coisas materiais, há em especial as coisas do coração... Os abraços, os perdões em família, o gesto filantrópico, os brindes, os dizeres toscos e francos impelidos pelo espírito natalino. Até os mais radicais tendem a concordar que essa época do ano move as pessoas, é algo mesmo quase involuntário estabelecido pelo “deus” calendário, para os religiosos o nascimento de Cristo, o Salvador que visto por esse ângulo é bonito e não menos romântico. Neste período todos têm as mesmas preocupações. O tráfego se torna mais intenso, os restaurantes,

REPRODUÇÃO

as pizzarias, as lojas, os bares ficam mais movimentados, são abundantes os “amigos secretos” e celebrações de todos os estilos, as ruas ficam coloridas e acesas, as praças ostentam árvores de natal majestosas e há até Papai Noel subindo em chaminé

improvisada. Pais se deixam abater por uma dúvida: devo ou não dar aquele presente que meu filho pediu? Merece ou não merece? (Eis a questão) E a roupa para a grande noite? Mesmo um não apreciador desta festa sempre tende a es-

colher o traje para dividir aquele momento com os queridos. Uma tensão toma conta da festa; a família reunida espera a meia-noite e os mais ansiosos perguntam quem falta chegar olhando para os lados para notar os que já che-

garam, as crianças inquietas para abrirem os presentes, os adultos bebem, um amigo distante telefona para desejar um noite feliz, o choro dos mais emotivos, os abraços sinceros... De repente o trânsito pára, as lojas fecham e às

vezes chove e tudo se compadece até pra quem fica sozinho... Estoura um champanha. Brindes, risos, choro novamente. Peru no ponto. Doces na mesa. Família. Natal. Papai Noel? Pergunta a criança de olhos brilhantes. E por que não?


24 de dezembro de 2011 - A-21

Eles guardam o ‘espírito natalino’ Encontramos na Vila Brasil uma das tradições natalinas em extinção: a novena GILMAR ISHIKAWA Quando chega esta época do ano a propaganda capricha para fazer crescer entre todos nós o chamado ‘espírito do natalino’ – uma força mágica, invisível, que tem por finalidade aflorar nos corações a fraternidade, a solidariedade, a bondade, a fé, a paz, o amor, enfim, estes sentimentos bons, que deveriam fazer parte de nossas vidas todos os dias. Num tempo em que nos falta tempo e que a sociedade do consumo se multiplicou, em meio às luzes chinesas penduradas nas nossas casas e pelos caminhos lotados de gente e carros, que nos conduzem ao velhinho chamado papai noel, além daquelas filas e mais filas, o espírito natalino ainda existe. E nós

o encontramos. Ao longo de 9 dias ele transitou por umas poucas casas na Vila Brasil, levando orações, reflexões, companheirismo, solidariedade e fé, para muitos corações, graças ao desprendimento de um grupo de animadas senhoras e de uns poucos senhores, que se comprometeram a uma novena de Natal. Ao todo, o grupo não somou mais que dez pessoas, naquelas noites. Tão poucas que merecem e podem ser citadas uma a uma: Ana Maria Boaro, Maria de Lourdes Ferraresi, Maria Isabel Rodrigues Barbosa, Aparecida Venezian Schiavon, Maria Benedita Santos Mansano, Cristina de Fátima Bento Arofo, José Carlos de Oliveira, João Schiavon, Rosemari Batista Machado e Alex da

Silva Machado. “A novena prepara as pessoas, as famílias, para receberem o Natal”, diz Cristina. “Antigamente as crianças participavam, mas agora, como se pode ver, somos apenas nós. Nossas crianças cresceram e se desinteressaram. Antes,

os grupos eram maiores”, completa Joana Darc. Cristina explica que os terços da novena natalina deste ano foram realizados seguindo um livreto da CNBB. “No ano passado o livreto era preparado pelo Padre Lu. Estava mais fácil. Este é um pouco mais

complicado mas a gente vai fazendo”, prossegue destacando: “O importante é a nossa fé”. Na igreja, não Os encontros são marcados previamente. As casas onde se realizam geralmente são de idosos.

Em uma das noites, foi na residência de uma senhora deficiente visual. Em outra noite, na residência do casal Alex e Rosemari. “No ano passado eles nos receberam muito bem e voltamos neste ano���, explica Joana. O casal se diz agradecido pela oportunidade de receber a novena. Rosemari comenta que, no ano passado, nesta mesma época, pedia em suas orações para que superasse as dificuldades em engravidar. Neste ano, ela comemora a gravidez. O grupo da Vila Brasil conduziu a novena até sábado, dia 17 de dezembro. Foi um dos últimos a promover os terços que, ultimamente, em algumas paróquias, são realizados nas igrejas. “Aqui o padre não deixa fazer na igreja”, lembra Cristina. Joana Darc, que ao longo daqueles dias comandou os trabalhos junto ao grupo, fala que a missão das novenas é aglutinar as famílias em torno de coisas simples como uma oração. “Às vezes tem algum idoso que só quer uma palavra de conforto, uma oração. E não custa nada. Por isso nos reunimos com a finalidade de preparar as pessoas para receber o Natal. Não basta aquela correria, porque o Natal não é só isso, é preciso estar preparado para o nascimento de Jesus”, continua. Mais que tradições Nos textos lidos nas reuniões do grupo, entre uma oração e outra, há espaços para reflexões que não se resumem apenas ao Natal, mas também às questões políticas. No sétimo dia da novena, por exemplo, mereceu destaque nos comentários e discussões, a construção da Usina de Belo Monte, no Rio Xingu - que pode alterar a vida dos povos indígenas e dos ribeirinhos daquela região. Na ocasião, também foram lembradas as pessoas que lutam ou lutaram por causas sociais, dentre as quais a missionária Dorothy Stang (assassinada em 2005, aos 73 anos de idade, por defender interesses de sem-terras no Sul do Pará). E todos opinam, com mais ou com menos ênfase sobre os temas. Feitas as orações, encerrado o terço, o bate-papo prossegue animado. Ali, na Vila Brasil, naqueles rostos marcados pelo tempo, nas mãos que seguram o livreto de orações e, claro, os óculos para a leitura, o grupo é um exemplo do Natal que foi perdido em meio às tradições materiais. “O Natal não é só presente, luxo, bebedeira, é um dia de oração”, considera Joana. Num canto, o senhor João Schiavon lembra seus tempos de menino, quando residia na zona rural. “Tinha um irmão que mesmo pequeno, com 9 anos, já rezava terço. Naquele tempo, a gente ia em dois, três terços, numa noite. Por isso, se eu não participar de uma novena, para mim não é Natal”, conclui. O tempo vai passando, e chega a hora de ir para casa. A despedida também é uma festa, que prepara a próxima noite de novena.


A-22 - 24 de dezembro de 2011

Quando a mentira infantil preocupa Filho não vem com manual e na grande maioria das vezes não sabemos como agir ou não temos certeza de que nosso modo de educar é adequado. Assim, vale consultar a voz da experiência ou de especialistas. Por que meu filho mente tanto? A resposta pode estar nas dicas preciosas da piscicoterapeuta Beatriz Guimarães Otero que se debruçou sobre o tema “mentira infantil”. A mentira é sempre encarada com muita preocupação por parte dos pais. Por esse motivo, é importante ter em mente que para uma criança de até cinco anos de idade, mentir é normal. Até esta fase do desenvolvimento, é tido como completamente normal que a criança invente histórias. Isto porque a realidade ainda é muito confundida com a fantasia. A imaginação e a fantasia fazem parte do mundo da criança até os cinco anos, e são bases para o pensamento lógico do adulto. Mas, à medida que a criança vai crescendo, essas funções vão dando lugar à noção de realidade, sem que sejam completamente extintas. A partir dos seis anos de idade espera-se que a criança ainda brinque com a imaginação, mas que fantasie bem menos. A mentira pode ser encarada como intencional a partir dos sete anos de idade, fase na qual a noção de realidade já está estruturada e a criança sabe diferenciar muito bem o que

é mentira e o que é realidade. As crianças maiores podem mentir por vários motivos: temer castigos e repreensões, receber alguma recompensa, se isentar de culpas, fugir de responsabilidades, melhorar a autoestima, chamar a atenção. Outro motivo que pode levar a criança a mentir é quando seus pais mentem. Os pais são os modelos mais importantes para as crianças. As crianças se espelham no comportamento de seus pais. Se os pais pedem que a criança minta ao telefone dizendo que não estão em casa, estão ensinando seu filho a mentir. Ou quando os pais deixam passar uma mentira de seu filho, também estão reforçando este comportamento, fazendo com que a criança encare a mentira como algo natural. Isto, no futuro se transforma no resfriado fictício para escapar da bronca da professora por não ter feito a lição, no automóvel de última geração que na verdade o pai não tem para chamar a aten-

ção dos colegas etc. Percebemos que a criança aprende desde cedo a mentir quando s e u s pais a ensinam a não dizer quando acham a roupa da colega feia, ou quando não gostam de um presente de aniversário. Ou seja, à medida que começam a ampliar sua rede de relacionamento, as crianças são treinadas a contar algumas mentiras para não magoar o outro, inibindo sua espontaneidade. A partir daí, a criança aprende que necessita esconder o verdadeiro sentimento em algumas situações. Uma pergunta muito importante que surge é: e como os pais devem agir frente a tudo isto? Em primeiro lugar, os pais devem, sempre que perceberem uma mentira, pontuar a diferença entre a fantasia e a realidade, mesmo que a criança ainda seja pequena e não entenda essa diferença. A criança tem que saber que quando mente terá a desaprovação de quem o cerca, e que se fizer o contrário, ou

seja, contar a verdade, será admirada. E que ao invés de castigar ou dar uma bronca, compete aos pais ensinarem os benefícios da verdade e os prejuízos da mentira. Isto porque as broncas e os castigos gerarão mentiras futuras com a intenção de fugirem disto. Quando a criança desenvolve um comportamento mentiroso freqüente que se es-

tende muito além dos sete anos, os pais devem procurar ajuda profissional para compreender porque isto está acontecendo e receber as orientações necessárias. Isto porque após esta idade, o emprego freqüente de histórias fantasiosas pode revelar problemas sérios. Afinal, a fantasia neste caso pode não ser mais considerada uma mentira proposital, mas sim, uma fuga da realidade, como é o caso das psicoses em que a mentira vem em forma de delírios, devido a uma quebra de contato com a realidade. Ou ela pode surgir também na forma de uma compulsão, como se fosse uma dependência. Neste caso, a pessoa sabe que está mentindo,

mas não consegue se controlar. Contudo, na maioria das vezes, a “imaginação fértil” das crianças indica um crescimento saudável, mas que exige a atenção de sempre.

— Beatriz Guimarães Otero é psicóloga e psicoterapeuta.


Gazeta do Rio Pardo 2576 Parte 1