Issuu on Google+

25|julho de 2012

deESCOLAS DE IDANHA-A-NOVA

DIAS 20 E 21 DE MARÇO DE 2012

6º Festival da Primavera

APOIOS

O final do segundo período aproximava-se e com ele também a 6ª edição do Festival da Primavera, organizado com o esforço, o empenho e a inspiração de todos os que deram o seu contributo, para oferecer a toda a comunidade escolar uma imagem de tudo o que se faz e vive no Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro. O primeiro dia do Festival iniciou-se com a sessão de abertura presidida pelo subdirector do Agrupamento, o professor Paulo Frias, cujo discurso se transcreve: “Muito bom dia a todos os presentes. ciação de Pais, Srª presidente do Conselho Geral e desde já agradecer a V. presença e colaboração nesta 6ª edição do Festival da Primavera. Um cumprimento caloroso para todos os alunos, professores, pais, funcionários e instituições aqui presentes…. Começo por me dirigir aos alunos, contando-lhes uma pequena história: Um engenheiro foi chamado a uma fabrica de alta tecnologia a qual estava parada por avaria, este pediu uma chave de fendas e apertou um parafuso…Quando o dono perguntou quanto era disse que eram 1000•, 10• por apertar o parafuso e 990 por saber qual era o parafuso. O conhecimento são as chaves de fendas!!! Hoje depende de nós rentabilizar as chaves de fendas!!! Chega de discursos que deitam para baixo, temos é que falar e divulgar o que fazemos de bom!!! O que fazemos de melhor!!! Mudar o mundo é seguir o sonho, seguir a paixão!!! Para isso basta fazer muito mais do que nos é pedido….Sim… porque todos nós…Pais, professores, funcionários e alunos conseguimos fazer sempre mais e melhor!!!! Quero ainda agradecer aos assistentes operacionais e administrativos a disponibilização e boa vontade demonstradas na preparação do festival, aos alunos pela motivação e orgulho em mostrar o que de

Alunos do 1º Ciclo na Sessão de Abertura do 6º Festival da Primavera

melhor se faz neste agrupamento de escolas. Uma palavra de apreço es-

pecial aos professores pelo profissionalismo, esmerado empenho e incansável dedicação à escola e aos seus alunos. São eles que abrem horizontes e proporcionam trilhos que conduzem ao conhecimento. A todos vocês Bem-haja!!!! Declaro oficialmente aberto o 6º Festival da Primavera!” Seguidamente e para dar início às diferentes actividades, um grupo de professores e alunos do PréEscolar e do 1º Ciclo fizeram uma coreografia ao som de várias músicas, enchendo todo o recinto de ânimo e de alegria.

Grupo de alunas da Escola José Silvestre Ribeiro animam Festival

Finalmente, professores e alunos prepararam-se para participar nas diferentes atividades organizadas para o Festival. A exemplo dos anos anteriores, tivemos mais uma Feira do Livro/Contador de Histórias, a Feira dos Minerais, as várias “barraquinhas” representativas dos diferentes grupos/departamentos, da Biblioteca Escolar (BE/CRE), a Unidade de Apoio à Multideficiência (UAM), o CNO, a Associação de Estudantes, os Cursos Profissionais da Escola, estando também representados o préescolar e o 1º Ciclo. Para além disso, houve a oportunidade de participar noutras actividades: o Concurso Ler Dá Gozo; atividades de laboratório/exposição de materiais de laboratório; caricaturas; o Clube das Ciências; o Clube da Robótica; Exposição/Venda Clube da Floresta; Exposição “O MEU COMPUTADOR GANHOU ASAS”; Ceramista; o Clube da Rádio; CMCD; ADIN; NATURTEJO; a Associação de Pais/CPCJ. No dia 21 de Março decorreu o sarau Cultural, um dos momentos mais emocionantes do Festival, que contou com a participação de toda a comunidade educativa.

A PALAVRA... Do Diretor António Salgueiro

Os ganhos provenientes do exercício de uma leitura atenta e continuada, nomeadamente a aquisição e aprofundamento de mais e melhor conhecimento e o desenvolvimento do sentido crítico, são ferramentas cada vez mais indispensáveis para qualquer cidadão poder fazer face aos desafios de um mundo em constante transformação social, tecnológica e científica. Neste domínio, a Escola, enquanto pólo de conhecimento e de desenvolvimento das sociedades, tem um papel central do qual não pode alhear-se. Nem deve. A inclusão de um tempo de leitura no horário semanal dos nossos alunos do ensino básico ou a nossa participação no projecto Educmedia são vetores estratégicos da missão do nosso Agrupamento, que contribuem em larga medida para o enriquecimento curricular e para a formação dos alunos numa perspeciva de aprendizagem ao longo da vida. Acredito que a tarefa mais sublime da escola de hoje será a de ajudar a formar pessoas autónomas e críticas, com poder interventivo e capazes de emprestar o seu contributo para a transformação das sociedades de que fazem parte. Devem por isso sentir-se honrados todos quantos militam nesta causa (que é nacional) do incentivo à leitura e da formação dos jovens para os media.


18

Gazeta do Interior 25|julho de 2012

Agrupamento

Alunos do 1º ciclo e pré-primária no 6º Festival da primavera Os alunos do 1º ciclo do Agrupamento de Escolas José Silvestre Ribeiro de Idanha-a-Nova participaram ativamente na 6ª edição do Festival da Primavera que decorreu nos passados dias 20 e 21 de Março. No âmbito da disciplina de Atividade Física e Desportiva inserida nas Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) os alunos, ensaiados pelos respetivos docentes, Laurinda Geraldes, Carlos Martinho e Valter Martins, apresentaram uma coreografia conjunta na abertura do referido festival, dando cor, animação e muita alegria à festa. De referir ainda que os professores se predispuseram a ensaiar também os alunos das escolas pré-primárias que assim também puderam participar nesta animada coreografia. A pedido dos professores titulares de turma e inseridas nas atividades de encerramento do ano letivo os professores da atividade física vão participar com a realização de algumas danças e coreografias. Os professores de AFD das AEC’S: Laurinda Geraldes Carlos Martinho Valter Martins

Projeto cruzar saberes 5ºA, 5ºB e 10ºA

Dia 13 de Junho, alunos de diferentes turmas, de diferentes anos e de diferentes disciplinas trocaram deias, conhecimentos e saberes sobre matérias que aprenderam nas aulas. A viagem à Idade Média passou pela apresentação de trabalhos multimédia dos alunos de História A, do 10º ano, sobre a arte, a cultura e o quotidiano, uma dramatização escrita e representada pelos alunos do 5ºB sobre a sociedade medieval e a cantiga de amigo “ Ay flores de verde pino” e a recriação de uma dança da época, pelos alunos do 5ºA. Os professores Elisabete Cristóvão, Dores Pinto, António Pedro, António Geraldes e Roberto Cunha ficaram agradavelmente surpreendidos com a adesão e o entusiasmo dos alunos.

deESCOLAS DE IDANHA-A-NOVA

ARTE NO FESTIVAL

EV e EVT estiveram juntas no Festival

Exposição de trabalhos de EV e EVT

No 6º Festival da Primavera os grupos de EV e EVT apresentaram os trabalhos produzidos nas aulas até esse momento numa tenda conjunta. Os alunos participaram na montagem da exposição, quer na preparação dos trabalhos quer na sua colocação no local. Estiveram também presentes durante os dois dias em que decorreu o evento em pequenos grupos, prestando algumas informações ao público visitante. Dos trabalhos expostos, os ninhos para pássaros feitos com embalagens de detergente, tiveram a aceitação da comunidade educativa que muito os elogiou. Outro trabalho muito apreciado, foram os “cabeçudos” baseados em heróis da banda desenhada e cinema, selecionados pela turma. Usados pelos alunos que os criaram, participaram na largada de balões circu-

lando de seguida durante o Festival ou ficando em exposição na tenda destes grupos disciplinares onde puderam ser apreciados de perto pelos visitantes. Para além destes trabalhos estiveram expostos trabalhos interdisciplinares, trabalhos em barro criados pelos quintos anos e apresentações movie maker com os livros das turmas de quinto ano elaborados a partir dos desenhos do rosto que cada um dos alunos fez de si próprio. Quem por ali passou pôde também testemunhar a sua opinião numa parede de papel cenário, que depressa se encheu de comentários positivos. Outra atividade de destaque consistiu num atelier de modelação de barro com os alunos espanhóis que visitaram a escola durante este evento no âmbito de um intercâm-

Alunos do 1º Ciclo visitam exposição

bio com a turma do 5º C. Dinamizado pela professora de EVT da turma, Anabela Almeida, com a colaboração da Diretora de Turma, Célia Madaleno, da professora de Espanhol, Albina Sousa, da delegada de grupo Maria João Rocha, dos professores João Machado e António Dionísio e evidentemente, de todos os alunos da turma anfitriã, deu oportunidade aos alunos convidados de, pela primeira vez, contactarem com este material. Os nossos amigos espanhóis vibraram com esta atividade, executando pequenos objetos/esculturas que lhes serão entregues depois de cozidos aquando da visita dos nossos alunos ao Colégio Cervantes em Moraleja. A professora de EVT da turma elogia a turma do 5º C que ajudou a preparar este ateliê, revelando um grande sentido de cooperação e responsabilidade. Tendo cada aluno do 5º C dois ou três afilhados a seu cargo, tiveram como função auxiliá-los na concretização dos trabalhos colocando em prática os ensinamentos já adquiridos este ano letivo. A professora ficou satisfeita ao ver que os conhecimentos transmitidos no início do período ficaram assimilados de forma consistente. O facto da língua materna ser diferente e dos alunos espanhóis nunca terem antes contacto com este tipo de material, foram dificuldades que os alunos da nossa escola superaram com a ajuda de todos os professores envolvidos. Maria João Rocha Anabela Almeida

Portugal e o Português outros tempos

No âmbito do projeto interdisciplinar “Cruzar Saberes”, articulando conteúdos de História e Geografia de Portugal, História A e Clássicos da Literatura Europeia, os alunos do 12º A (Ana Gil, Cátia Santos, Filipa Bento, Liliana Pires, Luís Carvalho e Mafalda Mouta) e os alunos do 6º B (Inês Santos, Joana Fonseca, Laura dias, Mariana Jóia, Samuel Lopes), apresentaram, no dia 31 de Maio de 2012, um trabalho intitulado Portugal e o Português – outros tempos, em que foram abordados conteúdos respeitantes ao programa das disciplinas acima referidas. A apresentação foi iniciada pela turma do 6º B que abordou temas como a biografia de Salazar, a polícia política, a escola e a sala de aula durante o Estado Novo e as lições de Salazar. Seguidamente, os alunos do 12º A apresentaram os seus trabalhos, aprofundando e sistematizando o tema da Escola no Estado Novo, e referindo-se também ao tema da Mocidade Portuguesa. Além disso, apresentaram detalhadamente exemplos da Grafia durante os anos 10, 20 e 30 do século XX, explicando as alterações ocorridas devido aos diversos acordos ortográficos da Língua Portuguesa. As turmas participaram e assistiram de forma atenta e muito interessada, uma vez que os temas abordados, parte integrante dos programas curriculares, foram abordados através de um cruzamento de saberes, ou seja, quer a turma do 6º ano quer a turma do 12º ano, aprenderam coisas novas sobre os assuntos em causa. Tratou-se não apenas de um trabalho interdisciplinar, mas também de um trabalho transdisciplinar realizado inter-ciclos.


19

Gazeta do Interior 25|julho de 2012

Agrupamento

deESCOLAS DE IDANHA-A-NOVA

11º A participa no Projeto EcoChallenge A turma A do 11º Ano do Agrupamento de Escolas de Idanha está a participar, desde o início do ano letivo, no Projeto Eco Challenge, promovido pela EDP Serviço Universal e ISA Intelligent Sensing Anywhere, com a colaboração, na vertente educativa, do Centro Ciência Viva Rómulo de Carvalho e a supervisão da Direcção- Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, dirigido às escolas do ensino secundário de Portugal Continental. Este projeto disponibilizou um sistema de monitorização da energia elétrica na escola, que permite avaliar os indicadores de consumo, tendo como objetivo o desenvolvimento de atividades que sensibilizem a comunidade educativa para a importância da eficiência energética, numa perspetiva de desenvolvimento sustentável. A turma de catorze alunos do ensino secundário (Ana Lopes, Ana Marchante, André Oliveira, Cátia Mendes, Carolina Antunes, Cláudio Freixo, Cécile Pinheiro, Jéssica Ribeiro, Mariana Baptista, Pedro Poejo, Pedro Tadeia, Sara Rodrigues, Tatiana Henriques, Vanda Catana), apoiados pelos professores Hugo Oliveira, João Varão, José Serrano, Maria Luís Belo, Rosa Santos, Mário Raposo, Teresa Varão e Tiago Trindade, tiveram como missão sensibilizar a comunidade educativa para a promoção de medidas que implementassem a eficiência energética e responder aos desafios que foram colocados através da plataforma online que apoiou o projeto. Os desafios do concurso ECO CHALLENGE pretendiam ir ao encontro do desenvolvimento de raciocínios, envolvendo conhecimentos de Física, de Química, de Matemática, Biologia e Geografia, áreas estruturantes do saber, colocando em evidência a sua utilidade na resposta aos desafios apresentados e o carácter interdisciplinar que a resolução de problemas encerra. O 1º Desafio ( fevereiro de 2012) tinha como objetivo a proposta de um sistema de iluminação artificial e natural energeticamente mais eficiente do edifício onde estão localizados os laboratórios de Física e Química, ou de Biologia e Geologia ou outras instalações tais como: Ginásio, Oficinas, Secretaria e Biblioteca Escolar. A tarefa passava por realizar um levantamento do sistema de iluminação artificial e natural do edifício selecionado, usando uma planta; apresentar características e dados do consumo ao longo de uma semana (ou mês) e relacionar com a utilização dos espaços em estudo; propor, seguidamente, para a zona da escola em estudo, um sistema alternativo de iluminação energeticamente mais eficiente. Os alunos aceitaram o desafio proposto e, conjuntamente com os seus professores, elaboraram um estudo do sistema de iluminação artificial e natural do edifício onde estão localizados os serviços administrativos (secretaria, SA,

centro de formação/CNO, sala de professores, gabinete da direção executiva, gabinete de atendimento aos encarregados de educação, arquivos e zonas de acesso). Nesse sentido, foi feita uma investigação sobre as características do consumo energético (dados do consumo ao longo do mês e sua relação com a utilização dos espaços), tendo em vista a elaboração de um sistema alternativo de iluminação energeticamente eficiente. Para além da redução do número de lâmpadas e do número de horas em que se mantêm acesas, foi ainda proposta a substituição das lâmpadas 58W de tipo T8 por lâmpadas 35W de tipo T5. No 2º Desafio – construir uma ementa nutricionalmente equilibrada, com o recurso ao uso eficiente da energia na confeção dos alimentos-, em março de 2012, a tarefa consistiu em: consultar e analisar a ementa da escola; interagir com os funcionários, perceber os seus comportamentos nas opções de confeção dos alimentos (variáveis como tempo de confeção, formas de cozinhar); fazer o levantamento de características de fornos e outros equipamentos elétricos existentes na cozinha; elaborar uma sugestão de ementa, justificando as escolhas, tendo em conta a energia usada na sua confeção; relacionar a ingestão de alimentos e respetiva transformação como forma de transformar energia; divulgar a ementa à comunidade educativa. Como são confecionadas as refeições? Que equipamentos são usados na sua confeção? Durante quanto tempo? Qual a sua potência? E que quantidade de energia é necessária para as confecionar? As respostas para estas questões foram dadas pelas assistentes operacionais da área da cozinha que, com o seu saber e saber fazer, diariamente interpretam a ementa e traduzem-na em refeições para uma média de 280 alunos por dia. Responderam com entusiasmo a todas as questões colocadas pelos alunos, interessaram-se pelo projeto, refletiram sobre a ementa diária e quiseram ser participantes ativas na construção de uma ementa equilibrada e saudável, preocupando-se também com a energia necessária para a confeção das refeições. Os alunos observaram, em conjunto com as assistentes, os diferentes equipamen-

tos necessários (varinha mágica, fritadeira, forno elétrico, …), analisando a potência (W) de cada aparelho e obtiveram os dados relativos ao seu tempo de utilização, de acordo com as receitas da ementa. Posteriormente, calculou-se o consumo energético para a confeção das refeições, por aparelho, por dia e por semana. Desta forma, concluiu-se que a alimentação saudável é perfeitamente compatível com a eficiência energética. Portanto, não poderá haver desculpas para deixar de investir na nossa alimentação e na nossa saúde, poupando energia e, assim, obtendo ganhos para as pessoas e para o nosso planeta. Podemos, por exemplo, iniciar o almoço com uma sopa rica em hortaliças e legumes, com um prato principal composto de uma pequena dose de peixe ou de carne, acompanhada de saladas ou de hortaliças e de uma guarnição composta de arroz, massa, batatas ou leguminosas, e finalizar com uma sobremesa que complementa a refeição, privilegiando uma peça de fruta fresca. O modo de confeção dos legumes, maximizando a rentabilidade energética, através da simultaneidade de processos e de tempos de cozedura contribui para um PLANETA MELHOR E SUSTENTÁVEL! Com o 3º Desafio (abril de 2012), integrando-se no compromisso de uma cidadania responsável, na construção de uma sociedade que se preocupa com as suas relações com o ambiente, numa

perspetiva que relaciona Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente, coube aos alunos a elaboração de um documento onde apresentaram as fontes de energia ao dispor da população portuguesa, referindo as suas características, potencialidades e limites de utilização, numa perspetiva de desenvolvimento sustentável, refletindo acerca da forma como os mesmos são utilizados pela humanidade. Neste contexto de reflexão, apresentaram-se propostas de soluções sustentáveis, devem partir de um equilíbrio entre o desenvolvimento energético e a manutenção (e eventual melhoria) da qualidade ambiental. O Projeto Eco Challenge constituiu um trabalho realizado em articulação interdisciplinar: trabalharam-se os dados na disciplina de Física, relacionando-os com as temáticas “Situação energética e degradação da energia” e “ Rendimento no aquecimento”. Na Química, articularam-se os dados recolhidos com o conhecimento dos materiais, constituídos por substâncias formadas a partir dos elementos químicos organizados na Tabela Periódica, calcularam-se valores de consumos energéticos com base na recolha da potência de alguns eletrodomésticos, bem como do tempo necessário de utilização dos mesmos. Na disciplina de Biologia, relativamente ao segundo desafio, foram analisadas e calculadas as calorias necessárias para uma refeição saudável, tendo em conta as proteínas, os hidratos de carbono e as gorduras necessárias. Na Matemática, o cálculo e a estatística possibilitaram um tratamento objetivo dos dados, evidenciando a sua rigorosa organização. Na disciplina de Português, aplicaram-se conhecimentos relativos à seleção de informação para a construção do relatório do projeto, onde se treinaram os desempenhos da competência da escrita, nomeadamente a organização textual, a correção ortográfica e sintática. Na disciplina de Inglês, organizou-se o projeto em termos de estrutura e de investigação ação, onde se aplicaram os conhecimentos obtidos no tema “ The World around us” ( mundo que nos rodeia), com revisão de conceitos relativos aos recursos naturais, ambiente e eficiência energética.

Nas restantes disciplinas, trabalhou-se ainda na organização e investigação necessárias ao desenvolvimento do Projeto, nomeadamente na construção e organização de textos, tabelas, gráficos, reportagem fotográfica e na conceção dos vídeos que evidencia todo trabalho. Para a divulgação do trabalho realizado junto da comunidade educativa, os alunos construíram e dinamizaram um Blog (http:// ecochallenge11.blogspot.com), um GLOG para votação sobre as energias renováveis (http://www.glogster.com/ pedro95/edp-eco-challenge-3o-desafio/ g-6lit40r4n0n8mf0df97hia0) e uma página no Facebook(http://www.facebook.com/ profile.php=100003569622583&ref=tn_tnmn). Além da divulgação do projeto na Radio da escola e da colocação de um comunicado em todas as salas de aula, pedindo a colaboração da comunidade para a poupança de energia, foram promovidas diferentes sessões informativas para os alunos mais novos (1º e 2º ciclo) e para os alunos mais velhos (3º ciclo e secundário) e foi dinamizado um workshop, durante o festival da Primavera, onde os alunos mais novos experimentaram miniaturas de carros movidos a energia solar. Após a realização do 3º desafio, os alunos promoveram, no dia 22 de maio de 2012, pelas 20h30, uma sessão de apresentação do projeto Eco Challenge destinada a todos os elementos da comunidade educativa. O projeto Eco Challenge criou dinâmicas de trabalho de equipa, desenvolveu a literacia científica e proporcionou um desenvolvimento a nível pessoal, social e profissional, numa perspetiva de cidadania ativa, sensibilizando os alunos e a comunidade escolar e envolvente para a necessidade de mudança de comportamentos que promovam a eficiência energética. Será atribuído um prémio no valor de 10 000 euros à escola vencedora destinado à implementação de medidas de eficiência energética nas suas instalações. Os alunos que integram o grupo vencedor receberão também, cada um, um vale FNAC no valor de 500 euros. A avaliação da escola será realizada tendo em conta dois fatores: avaliação atribuída do grupo concorrente, através da soma das pontuações obtidas nos três desafios e relatório final (A) e avaliação da variação do índice de eficiência no período de implementação da medida (B). Em cada um dos três desafios, a turma obteve o 3º lugar, com as pontuações de 18,10 valores, 18 valores e 17, 10 valores. Estando a preparar o relatório final, que também irá ser avaliado, a turma encontra-se numa excelente posição em relação às outras escolas participantes, uma vez que, na classificação geral, se encontra, neste momento, em 1º lugar a nível nacional. André , Cátia , Carolina, Cláudio, Cécile , Mariana , Pedro Poejo , Pedro Tadeia ,Sara , Tatiana , Vanda—11º A


20

Gazeta do Interior 25|julho de 2012

Agrupamento

A melhor Fotografia

A me lho r Fo tog ra fia

A me lho r Fo tog raf ia

deESCOLAS DE IDANHA-A-NOVA

Mural Mural Mural

Sarau Cultural apresentado pelos alunos finalistas do 12º A

Concurso de leitura Cherub - O Recruta, promovido pela Porto Editora

Alunos do 1º Ciclo uma aula diferente no Sarau Cultural

As turmas realizaram sacos de pano com desenhos retirados do logotipo do Festival da Primavera para a Feira do Livro

5º B em Belmonte

A melhor Fotografia

A melhor Fotografia

A melhor Fotografia

O s al uno s t i c i p a r do 1º C i F i l o s o a m n a a cl o parfia pa c ra Cr t i v i d a d e Meu i an ami go P e nsa ças: O m e nt o

Festival da Primavera Alunos do 1º Ciclo visitam a Feira do Livro


Agrupamento de Escolas de Idanha-a-Nova