Page 8

08 | GAZETA DE VARGINHA

10 DE MARÇO DE 2017

REGIONAL

Baixa de 2 anos no Lago de Furnas Sul de Minas faz preço da tilápia ficar mais caro Principal peixe consumido na Quaresma na região está 30% mais caro. Explicação está em baixa do nível da represa em 2014 e 2015 A tilápia, principal peixe produzido e consumido no Sul de Minas, está 30% mais cara neste ano. O motivo é que faltam peixes nos criatórios. A explicação para a baixa produção está justamente no Lago de Furnas. Em 2014, o lago enfrentou uma seca, que se repetiu no ano seguinte. Em 2015, o nível do reservatório atingiu apenas 10% do volume total da represa. No ano passado, mais problemas: a água voltou, mas com pouco oxigênio, o que causou a morte de peixes. Quem está procurando o peixe não está

Foto: Reprodução EPTV

encontrando. "Não tem peixe realmente, nós estamos tendo que dispensar os compradores e eles estão desesperados, porque não

tem mais aonde arrumar o peixe para oferecer para o consumidor final", disse a psicultora Michelle Cristina de Oliveira.

DMAE realiza plantio de mais de duas mil árvores na ETE 1 em Poços

“Cortina arbórea” reduzirá odor gerado pelo processo de tratamento do esgoto

Uma das grandes preocupações de quem reside próximo às obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE1), no bairro Córrego D´Antas, é com relação ao odor a ser gerado no processo de tratamento de esgoto após o equipamento entrar em funcionamento. Visando minimizar os impactos ambientais e recuperar a biodiversidade do local, o DMAE está criando

uma “cortina arbórea” com o plantio de mais de duas mil árvores no entorno da Estação, o que, junto com os queimadores de gases já existentes, minimizará ainda mais o odor nas proximidades, seguindo normas legais determinadas pela Superintendência Regional do Meio Ambiente (Spram). “O DMAE tem como atividade o saneamento ambiental e, por isto, todas as nos-

sas ações buscam o compromisso de tratar a água e o esgoto sem esquecer de ações que contribuam para reduzir os impactos ao meio ambiente e preservando a qualidade de vida da população. A ETE 1 é uma das nossas maiores obras e que segue este nosso compromisso” afirma o diretor Antônio Roberto Menezes. Novecentas mudas de vinte espécies nativas foram adquiridas em parceria com o Horto Municipal e mil e trezentas unidades de dezoito espécies nativas estão sendo cedidas pelo Horto Florestal da Mineração Curimbaba. As atividades de reflorestamento tiveram início em outubro de 2016, seguindo com a roçada, a limpeza, a capina, a abertura de covas e o plantio das mudas, criando área de preservação permanente. Fonte: Portal da Cidade

Segundo produtores, os peixes ainda estão miudos e ainda não

estão prontos para o consumo. Além do tamanho, a produção também está menor. Alguns produtores, que já chegaram a produzir até 80 toneladas do peixe, hoje estão vendo a produção cair para apenas seis toneladas. Segundo a Associação de Piscicultores de Alfenas (MG), o prejuízo foi grande, já que a produção caiu em 60%. Para tentar diminuir os prejuízos, alguns produtores estão mudando a forma de se criar peixes.

"Procuramos colocar menos peixes nos tanques, pra com isso ganhar tempo no desenvolvimento do peixe, para ter o peixe agora na quaresma", disse o psicultor Cloves Antônio de Souza. Para tentar driblar o preço da tilápia, tem consumidor trocando o peixe por outro. "Eu optei por outro peixe que é o curimba, que está mais em conta e daí dá pra levar uns dois grandes", disse a dona de casa Lizete Casano Paulino. Fonte: G1 Sul de Minas

Agenda 21 & Cidadania CERCA ELÉTRICA E CONCERTINAS – CUIDADOS DE SEGURANÇA! Com a violência cada vez mais presente em noticiários, atingindo também as cidades do interior, a segurança pública se destaca como um grande desafio a ser superado pelos governos pelos aspectos sociais e político que envolve. Consequentemente o cidadão, vivenciando a incerteza da segurança pública, procura meios, conforme suas possibilidades financeiras, para garantir o bem estar próprio e de sua família. Um reflexo desta atitude é o aumento das instalações das cercas elétricas e das concertinas nos imóveis de bairros residenciais. Diante desta realidade, é de extrema importância conhecer todos os aspectos legais que envolvem a instalação de uma cerca elétrica para não ter problemas judiciais futuros. O fato é que existem muitas dúvidas sobre a legislação da cerca elétrica, dentre as quais destaco: ü De quem é a competência para legislar sobre cerca elétrica? ü A cerca elétrica se enquadra ou não como um “ofendículo” (isto é, aparelhos predispostos para a defesa da propriedade – arame farpado, cacos de vidros em muro etc.)? ü “A cerca elétrica deve ser tratada como “exercício regular do direito” ou legítima defesa”? ü Qual o tipo de responsabilidade civil que recai sobre o proprietário do imóvel (contratante da instalação) e qual a responsabilidade civil da empresa contratada (que instalou a cerca elétrica)? Portanto, considerando que não existe atualmente uma legislação municipal específica sobre cerca elétrica, é aconselhável observar o Projeto de Lei Complementar nº 3.080/2008 que dispõe sobre a instalação e manutenção de cercas eletrificadas. Ressalto que no Artigo 2º deste PL consta que os serviços de projeto, implantação e manutenção da cerca eletrificada deverão ser realizados por empresa ou profissional legalmente habilitado, nos termos da Lei nº 5.194 de 24.12.1996, que regula o exercício da profissão de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro Agrônomo. A instalação das concertinas tem sido utilizada com crescente frequência como opção de proteção da segurança de imóvel residencial. Contudo as concertinas só podem ser instaladas em muros com altura mínima de 2,20 m, para evitar acidentes com crianças ou pedestres. Este assunto, devido à sua importância, merece ser amplamente discutido pela população e representantes públicos, com a participação dos profissionais técnicos, buscando uma solução exequível e segura para todos os envolvidos através de uma legislação municipal específica sobre os procedimentos de segurança visando a proteção patrimonial. Engº Alencar de Souza Filgueiras Presidente do Fórum Agenda 21 Local Contato: agenda21. varginha@gmail.com

Gazeta de Varginha 10/03/2017  

Edição 9.678

Gazeta de Varginha 10/03/2017  

Edição 9.678

Advertisement