Issuu on Google+

Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

1

www. g a ze ta d a l a g o i n h a . co m . b r

O J o rn a l d o C o m p l exo d a La g o i n h a ! ANO V ­ EDIÇÃO 81 ­ JORNAL DE APOIO ÀS INICIATIVAS COMUNITÁRIAS ­ BELO HORIZONTE, 31 DE DEZEMBRO A 10 DE JANEIRO DE 2014 ­ Distribuição Gratuita

Centro Administrativo e revitalização: Jairo Nascimento da ACRD Santo Andre faz denúncias polêmicas. Pág. 20

Flávio Domênico comemora o "Fico" de R10. Pág. 27

Moradores do Bonfim defendem defendem Centro Administrativo e revitalização da região. Pág. 2 e 9.

Pe. Elias publica Nota de Esclarecimento a respeito de episódio envolvendo associações. Pág. 10

Projeto de lei do vereador Delegado Edson Moreira pode ser pontapé para uma uma nova segurança pública.

Comerciantes e morado­ res da Pedro II querem discutir a revitalização da avenida. Pág. 7 e 13

Pág. 21

AÇÃO SOCIAL: Instituto Pedra Viva realiza festa de Natal para meninas atendidas. Pág. 12

Tostão opina sobre o melhor do mundo no futebol. Pág. 28

oì ~ cçêã á Ö ~ I N M J i~ Ö çá å Ü ~

Aprenda a importância da hidratação na terceira idade. Pág. 23


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

Editorial

O que 201 4 nos reserva? Estamos quase na metade da segunda década do século XXI e podemos dizer que desde o início das nossas atividades não há precedentes com relação ao momento que vive­ mos, talvez somente quando do alar­ gamento da Antonio Carlos, com a remoção de vários imóveis. E o mo­ mento trata­se de uma conjunção de fatores políticos, sociais e econômi­ cos. Sociais porque o recrudescimento do consumo do crack no Brasil atingiu a região em cheio tornando­a, en­ quanto pólo distribuidor da droga, uma quase cracolândia. Políticos porque onde impera a miséria material e moral crescem também aqueles que se dis­ põem a resolvê­la: de tal modo que hoje a política municipal passa pela Lagoinha e não há como não passar... somos um foco municipal. Econômicos porque há um interesse crescente na região em função da sua proximidade do centro, embora enfrentemos pro­ blemas, a valorização dos imóveis ocorre a despeito dos problemas soci­ ais. 2014 será decisivo para to­ dos nós. É bem provável que decisões importantes ocorram neste ano. Esta­ mos falando do Centro Administrativo e da revitalização da região. Provável porque para ser viável ainda nesta ad­ ministração, ao menos o início das obras, o projeto do Centro Administra­ tivo precisar ser confirmado ainda este ano. Quanto à revitalização, estamos vendo o crescente interesse por ela na

Espaço do leitor

classe política e na comunidade, uma vez que se chegarmos a 2016 sem uma definição clara a este respeito, não se aceitará mais novas promes­ sas. A opinião deste jornal a fa­ vor do Centro Administrativo, colocada em edições anteriores, não precisa ser escondida, mas nos orgulhamos da postura democrática que dá voz tanto àqueles que apóiam quanto àqueles que a reprovam. Contudo, é preciso reafirmar que nossa aprovação vem acompanhada da defesa intransigente da justa indenização. Embora tenha­ mos uma visão de que é preciso fazer avançar a legislação para que o poder público faça a justa indenização desde o começo, e não faça com que os be­ neficiados tenham que recorrer à Jus­ tiça para verem seus direitos respeitados. Afinal, conhecemos a lentidão da Justiça brasileira, e como dizia um famoso jurista: Justiça lenta é Injustiça. Desde o anúncio da inten­ ção do prefeito Marcio Lacerda em construir aqui o Centro Administrativo que as lideranças, que antes se uniam em torno do tema da revitalização, agora se veem em lados opostos. A questão é mesmo polêmica, mas es­ peramos, sinceramente, que todos possam respeitar as opiniões diver­ gentes, possam construir o diálogo, o entendimento. É assim que rogamos à Nossa Senhora da Conceição. Que ela nos abençoe, à Lagoinha também.

Aguardando uma definição

2


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

3


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

4


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

Direito do Consumidor

Dívidas: SPC e Serasa Antônio Vital ­ Advogado do Consumidor

vitalprof@gmail.com

5


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

6

Confira aqui o horário do seu ônibus! A influência do seu signo

Linha 9402 ­ Santo André/Santa Inês/Via Rua Itapecerica, Pedro Lessa e Mendes de Oliveira Dia útil

Domingo/ Feriado

Sábado

Linha 4032 ­ Caiçara/Savassi ­ Via Lagoinha (Rua Além Paraíba) Dia útil Sábado Domingo /Feriado

Linha 4106 ­ São Cristóvão/Savassi/Santo Antônio Dia útil

Domingo /Feriado Sábado

Linha 8107 ­ Concórdia/São Pedro ­ R. Ponte Nova, Sabará e Pitangui Dia útil Domingo / Feriado Sábado

Linha 9801 ­ Saudade/Santa Cruz ­ Av. Antonio Carlos, Itapetinga e Jose Vasconcelos Dia útil

Domingo / Feriado

Sábado

Linha 8203 ­ Renascença/Buritis ­ R. Javari e Pitangui e José Vansconcelos Dia útil Domingo / Feriado

Sábado

Telefones úteis AA Alcóolicos Anônimos (31) 3224­7744 Aeroporto Carlos Prates (31) 3462­6455 Aeroporto Confins ­ (31) 3689­2344 Aeroporto Pampulha ­ (31) 3490­2000 AGIT­Agência de Empregos 0800­319­020 Auxílio à Lista ­ 102 Bombeiros ­ 193 CEASA 0800­315­859 CliDEC (31) 3236­2100 CEMIG ­ 0800 310 196 COPASA ­ 195 Correios ­ 159 Corpo de Bombeiros ­ 193 CVV ­ Centro de Valorização da Vida ­ (31)

3334­4111 e 3444­1818 ou 141 Defesa Civil 199 DETRAN/ MG ­ (031)3236­3501/3525 Disque Direitos Humanos ­ 0800­311­119 Disque Ecologia ­ 1523 Disque PROCON ­ (31) 3277­4548 /9503 /4547 ou 1512 Disque Turismo ­ 1677 GAPA/MG ­ (31)3271­2126 MG Transplantes (Doação de órgãos) ­ (31) 3274­7181 Movimento das Donas de Casa e Consumidores ­ (31) 3274­1033 Ibama ­ 0800­618­080 Polícia Civil ­ 197 Polícia Federal ­ (31) 3330­5200 Polícia Militar ­ 190 Polícia Rodoviária Estadual

(31)2123­1901 Polícia Rodoviária Federal ­ (31 ) 3333­ 2999 Prefeitura Municipal ­ 156 Pronto Socorro ­ 192 Pronto Socorro (HPS João XXIII) ­ (31)3239­9200 Receita Federal ­ 0300­780­300 SENAC ­ 0800­724­4440 SINE­MG ­ (31) 2123­2415 SOS Criança (Centro de Referência ­ Denúncia) ­ 0800 283 1244 Sudecap Disque Tapa­ buraco ­ (31)3277­ 8000


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

Comerciantes contra revitalização da Pedro II

Grupo irá ao Ministério Público pedir que a obra seja suspensa para diálogo. Empresários dizem que intervenção vai prejudicar pequenas empresas da região

7


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

8

o n s a t r e f o e d a i d é a i d o d To ! o r i e n i M m o B S up e r m e r c a d o

, a h n i o g a L , 2 5 , a g i m r o F a u R a n i l a o É lo g s n e r h e B n o l i d O l e m fr e n t e a o H o s p i t a O Bom Mineiro agora é Supervarejista, a mais nova rede de lojas do varejo alimentar da Grande BH

Ofertas e promoções imbatíveis! Venha conferir!


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

9

Música

Palcos & Bastidores Geraldo Adinho ­ Jornalista, Publicitário, Músico e Editor do Jornal Correio Musical

O inglês Gary Gibson.

João Araújo e o filho Cazuza.

Salvem a Lagoinha


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

10

Comunidade

Reflexões sobre valores

Milton Kabutê ­ Colunista

miltonkabute@gmail.com

Elevado Castelo Branco ­ 1971 Construído para dar maior fluidez no trânsito da capital, o elevado Castelo Branco foi inaugurado em 14 de março de 1971 ligando as avenidas Bias Fortes e Pedro II. Nunca a cidade recebeu tantas obras de infraestrutura no trânsito como no início dos anos 70. Neste mesmo mês de março também foram inauguradas a nova estação rodoviária e o túnel da Lagoinha. Fonte: skyscrapercity.com

Nota de esclarecimento

História na Lagoinha

Diálogo sobre o bairro Pedro Vinícius ­ Historiador

lagoinhahistoriap@gmail.com


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

11


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

Reestruture seus cabelos com tratamentos antigos. Montagem com boobs, escova, corte, tintura, luzes, balaiage, mechas, hidratação. Pedicure, manicure e sobrancelhas. Ligue e marque seu horário. Aceitamos VISA e Master. Vera e Vivian.

Atendemos em domicílio pessoas com difícil locomoção.

12

Meninas do Instituto Pedra Viva recebem Festa de Natal


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

13

Pedro II sera revitalizada e vai ter corredor para ônibus Obras terão início neste mês e vão até maio, segundo a prefeitura, a tempo da Copa do Mundo

Moradores solicitam auxílio do MPMG


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

14

Não perca aos sábados de 16 às 18 horas na Rádio América AM 750 um programa que conduz à Cristo com o Padre Mário José Neto.


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

15


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

Santa Efigênia e Lagoinha terão mudanças no trânsito Além destas, outras duas intervenções estão programadas para fevereiro; elas ocorrem nos locais onde o Move irá passar.

16

Opinião

O primeiro dia do ano Antônio de Pádua Galvão ­ Economista e Psicanalista www.galvaoconsultoria.com.br (31) 9956­9161


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

17

Associação dos Moradores da Vila Senhor dos Passos

Meta para 201 4: ampliação da UMEI! José Iran Martins ­ Presidente facebook.com/vilasrdospassos associaçaovilasenhordospassos@gmail.com

Exemplo de UMEI. Divulgação PBH.

Aos Diretores,funcionários e Leitores da Gazeta da Lagoinha,nossos vizinhos, desejamos Feliz e Prospero Ano Novo,com muito Amor ao próximo, são os mais sinceros votos da família Nadir Brandao,na foto ladeado pela esposa Dilse e a mais nova neta Giovana!

Matrículas abertas com preço promocional para 2014


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

18

Associação Recreativa e Comunitária dos Amigos do Bonfim

Um olhar a frente

Selma Cândida ­ Presidente O que mais me impressiona nos fracos é que eles precisam humilhar os outros para se sentirem fortes... Ghandi Prezados moradores do Com­ plexo da Lagoinha, se hoje estamos discu­ tindo a tão sonhada revitalização da Lagoinha foi porque desde 2010 lideranças de vários setores da sociedade civil e públi­ cas, lideranças comunitárias, políticas, eclesiásticas, educacionais, pessoas com­ prometidas se uniram com o propósito de buscar melhorias e segurança para este es­ paço em reuniões periódicas no Vicariato Episcopal para Ação Social e Política atra­ vés do Café com Prosa. No início dos tra­ balhos era um pequeno grupo querendo, com um projeto de meio ambiente, a me­ lhoria da Rua Além Paraíba, que compreen­ dia o quarteirão da Igreja Nossa Senhora da Conceição, mas no calor das discussões e no costurar desse buscar de soluções, o projeto foi crescendo e se estendeu para todo o bairro Lagoinha/Bonfim e juntos bus­ camos um olhar dos governos para o Com­ plexo da Lagoinha, tão esquecido e abandonado, e, formando novos parceiros, surgiu a implantação da Frente Parlamentar em Defesa da Lagoinha, tendo como presi­ dente o ex­vereador João Oscar, com obje­ tivo de trazer os olhares das repartições públicas e recursos financeiros; também entrando com o projeto de revitalização das ruas Itapecerica, Além Paraíba e Bonfim no Orçamento Participativo Digital 2011/2112, tendo participação ativa em todos os senti­ dos. Nascida no bairro Bonfim e nunca vendo nada deste porte sendo feito nesta região é que colaborei e abracei este projeto com unhas e dentes, e com cautela, fiz observações quando necessário visando os interesses dos moradores do Complexo da Lagoinha, mas respeitando a todos que ali estavam, pois merecem todo o meu res­ peito independentemente de suas ideias e convicções. Este grupo do qual fiz parte é que realmente tem desde esta data tentado mudar a história da Lagoinha /Bonfim tra­ zendo os olhares da imprensa e do poder público para a região. Participei ativamente de todas as reuniões defendendo o interesse da co­ munidade e nunca defendendo o interesse individual. Sabendo que nem tudo que seria decidido atenderia e agradaria a todos, mas isto é democracia. Participando das redes de vizinhos desde 2006 e do CONSEP Em 2011, participei represen­ tando à comunidade do Bonfim em todas as oficinas públicas do PPL (Planejamento Participativo Regionalizado) onde junto à PBH moradores e lideranças tiveram a oportunidade de discutir e elaborar propos­ tas para melhoria da cidade e do seu bairro na chamada gestão compartilhada onde compareceram todas as lideranças comuni­ tárias e a população civil interessada numa Belo Horizonte melhor, ali colocamos pro­ postas de melhorias para o nosso bairro Bonfim, até então ignorado pelo poder pú­ blico. Em 2012, a Associação Recre­ ativa e Comunitária dos Amigos do Bonfim ­ ARCA­Bonfim e adjacências, na pessoa de sua presidente Selma Candida, participou do orçamento participativo presencial muni­ cipal 2013/2014 com a proposta de rede pluvial na rua bonfim. Em 2013, como presidente tra­ balhamos arduamente em busca das me­ lhorias para o bairro como relatado na coluna anterior publicada aqui na Gazeta da Lagoinha. Não ficamos através de mesa criando conflitos e problemas e sim tentan­ do resolvê­los sem precisar ofender. Mem­ bro do Conselho Municipal de Mobilidade

arcabonfim@gmail.com Urbana – COMURB – Biênio 2014/1015, representando a sociedade civil /regional noroeste. Não preciso aqui ofender pes­ soas, pois na luta eu defendo ideias, não ataco pessoas, não quero aqui dizer quem é melhor ou pior, acredito que o povo hoje não é tão bobo e sabe distinguir a mentira da verdade. Pois até papagaio fala e papel aceita tudo. Exemplo: a Dilma telefonou pa­ ra mim e disse que fara uma visita à Lagoi­ nha. Estão transformando a questão da revitalização em um contenta domiciliar. A quem interessa isto? A um grupo que através de uma demanda legitima armou um circo político fazendo reuniões e conse­ guindo assinaturas com inverdades e terro­ rismo, distribuindo a comunidade cartazes e panfletos dizendo e fazendo propaganda de si e de políticos, fazendo do nosso bairro palco de oportunismo político, pois estamos em véspera de ano eleitoral. Pessoas levantando cartazes que, na sua maioria não pertencem ao bair­ ro, pertencem a movimentos políticos con­ tra o atual governo. Usando a imprensa para aparecer, pois esta vem cumprindo seu papel: onde está a carniça, conflito e a contenda estão depois vão embora e conti­ nuamos tudo na mesma. Saliento que estou sendo procurada pela mesma, mas estou sendo coerente com meus princípios e ide­ ais. Sabendo que neste meio lealdade é comportamento escasso. Como já disse a líderes desse movimento: não vão colocar palavras na minha boca e não serei mani­ pulada. Sou a favor da revitalização e não abro mão, mas de uma revitalização de fato, onde teremos o poder econômico aqui, gerando emprego e renda e trazendo as melhorias e bem­estar à comunidade, de fato, não o conservadorismo, nem à volta aos anos 50, 70 e 80. O passado faz parte de nossa história e não podemos esquecer que é um ponto de referência, mas quere­ mos um olhar à frente. Esta boemia no iní­ cio da Lagoinha/Bonfim que alguns falam com boca cheia, a comunidade não quer recuperar, somente as famílias que aqui vi­ vem e viveu sabe que nada mais era que casas de prostituição e que muitas perso­ nalidades saiam de seu conforto para fazer suas orgias aqui. Convivíamos e respeitá­ vamos porque aqui moramos e temos nos­ sos imóveis. Mas sabemos que sempre convivemos com a discriminação no passa­ do pela prostituição aqui existente e hoje pela degradação, dependentes químicos e a sujeira trazendo insegurança. O passado e o futuro podem e devem conviver com harmonia e isto depende do presente. Pre­ cisamos junto construir uma nova Lagoinha e Bonfim sem esquecer o passado, mas pensando o futuro de nossos filhos. Para podermos gritar para todos que aqui é real­ mente o melhor lugar. Há décadas e décadas que a comunidade fala em revitalização, melhori­ as e sonhamos com isto, há décadas e dé­ cadas que não vemos e ouvimos nenhum governo falar e fazer projetos para nossa região. Agora que estamos presenciando e vislumbrando um plano para revitalizar a Lagoinha, com o projeto da NOVABH, fruto de trabalhos de pessoas realmente interes­ sadas, presenciamos uma turma de bader­ neiros, fazendo anarquia dizendo não... não. Prezados moradores do Bon­ fim, Lagoinha e de toda a região desde complexo, infelizmente estamos presenci­ ando aqui dentro, movimentos políticos ra­ dicais contra qualquer ação e proposta do governo municipal, entendemos que é pre­ ciso haver discussões, o contraditório faz

parte da democracia e endentemos que o diálogo deve ser feito de maneira organiza­ da. O que estamos presenciando é uma turma de baderneiros indo a reuniões falan­ do em nome de todos nós, querendo des­ qualificar lideranças comunitárias, pessoas que nunca participaram da vida ativa da co­ munidade falando pelos 58 bairros e vilas principalmente sobre o nosso espaço (PPL), Vila Senhor dos Passos, Santo An­ dré, Bonfim, Lagoinha, São Cristóvão (IAPI) que compõem o tão falado Complexo da Lagoinha, dizendo não querer as propostas da PBH ­ projeto de operação urbana ­ a NOVABH, no qual as melhorias passarão pelos corredores das principais avenidas, passando pelas vilas: Pedreira Prado Lo­ pes, Senhor dos Passos e entrocamento da Lagoinha, indo para o Boulevard Oeste. Movimento contra tudo, movimento político contra qualquer projeto feito pelo governo municipal. Entram em reuniões com faixas e cartazes desrespeitando a todos os pre­ sentes no intuito de esvaziar e acabar com o debate das propostas apresentadas. Uma falta de respeito. Só eles têm razão, não aceitam as ideias contrárias. Apoiamos projeto de operação urbana ­ a NOVABH ­ no qual as melhorias passarão pelos corredores das principais avenidas, passando pelas vilas. A nossa preocupação é quanto à degradação exis­ tente; ou seja, que esta venha se esconder no interior do bairro Bonfim. Sabedores que o ano que vem será um ano problemá­ tico, pois será ano eleitoral e a briga será grande, não deixe ser usado, não siga o ex­ emplo da boiada que corre sem saber por quê. As pessoas que têm me procurando se manifestando favoráveis as melhorias con­ vido a manifestar­se através deste jornal Gazeta da Lagoinha ou enviando seu co­ mentário para o e­mail da associação. Ex­ presse sua opinião. Que tipo de revitalização você quer? Pense cidadão. Esclarecemos que buscamos a melhoria das condições de vida num pro­ cesso democrático e do diálogo e que a co­ munidade em sua maioria fique satisfeita. Quanto ao centro administrati­ vo e que muitos tem me perguntado digo que a resposta continua a mesma, a do Prefeito Marcio Lacerda: aliado a questões de mobilidade urbana, o referido centro ad­ ministrativo tem a previsão de ser construí­ do em local próximo a estações do metrô e de do BRT, ressalto ainda, contudo, que a área necessária para a construção não está definida. Os lotes a serem possivelmente desapropriados são fruto preliminar que po­ derá ser modificado, visa apenas evitar uma possível especulação imobiliária. Todas es­ tas providências irão viabilizar a demanda histórica de Revitalização da Lagoinha de todo o conjunto urbanístico e arquitetônico da região.” A prefeitura lançara um concur­ so público de arquitetura e urbanistico para projetar a construção do centro administra­ tivo e a revitalização do entorno. O trabalho de pesquisa faz par­ te do cotidiano da população, as pesquisas são feitas por amostragem não é preciso entrevistar a todos os moradores para sa­ ber a opinião, apenas de um grupo repre­ sentativo. A opinião deste grupo tende a refletir o que a comunidade pensa. Não é preciso uma pesquisa oficial e paga para se saber a opinião da maioria dos moradores, basta conhecê­los, ouvi­los e saber sua opinião, ler os comentários na internet, no jornal gazeta da lagoinha no "Fala Lagoi­ nha “ pois a pesquisa está sendo feita no próprio jornal e a maioria das lideranças são favoráveis. Quanto à lista de presença em reuniões, não significa que todos te­ nham a mesma opinião , apenas que esta­ vam presentes para inteirar sobre o assunto

em pauta, tendo também a minha assinatu­ ra como ouvinte, não equivale a opinião única para todos presentes. Diga­se de passagem que as reuniões não traziam nenhuma informação, só o pânico numa estratégia política. Assuntos que não fala­ rei mais. A Arca­Bonfim representando os comerciantes e empresas, mas princi­ palmente a maioria dos moradores do bair­ ro Bonfim/Lagoinha e adjcências, ou seja, o Complexo da Lagoinha é favorável ao cen­ tro administrativo, pois acredita que, com certeza, um irá depender do outro para o

total sucesso de ambos. Mas não tem isto como fator prioritário. Que o moderno e o antigo possam interagir. Humilhar e desqualificar o outro é defesa de pessoa ignorante pela necessi­ dade de se sentir superior e de querer po­ der. AVISO: nossas reuniões estão sendo re­ alizadas no Centro Cultural, Nem­secos a rua São Salvador, nº 9, próxima reu­ nião será dia 03/02/14, na primeira terça­ feira do mês fevereiro, as 19:00 horas.


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

Movimento Lagoinha Viva

Feliz Ano Novo

Teresa Vergueiro ­ Presidente

teresavergueiro@gmail.com

19

Associação Lagoinha Viva!

Festividades marcarão o ano de 201 4

Oscar Fernandes ­ Presidente associacaolagoinhaviva@gmail.com


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

20

Associação Cultural Recreativa e Desportiva Santo André

A mentira tem pernas curtas

Jairo Nascimento ­ Presidente

QUEM FALA DEMAIS, DÁ BOM DIA A CAVALO Prezados leitores, espero que esta seja a última vez que uso o espaço deste jornal para novamente voltar ao cansativo assunto do Centro Administrativo Municipal e desmasca­ rar este falso grupo que se intitula o “MOVIMENTO LAGOINHA VIVA”. Como afirmei em outra edi­ ção deste jornal, este grupo composto por três indivíduos (Juninho do IAPI, Cacá e Tereza Vergueiro), que não nos representam, ainda insiste em pregar a mentira pedindo a este jornal o direito de resposta. O Juninho do IAPI diz que faço acusações levianas e mentirosas, referente a um documento que este grupo encaminhou à Prefeitura com os nomes de diversas Associações e ou­ tras entidades onde solicitávamos uma explicação do prefeito sobre o decreto antidemocrático de construção do Centro Administrativo no bairro Bonfim. Documento este elaborado e feito no Gabinete do Deputado Esta­ dual Fred Costa, sem o conhecimento ou consentimento das Associações: ACRD Santo André, Fala Pedreira, ARCA Bonfim, Vila Senhor dos Pas­ sos, Fabricarte, moradores do Colégio Batista, Jornal Gazeta da Lagoinha e da Paróquia Nossa Senhora da Con­ ceição em nome do Padre Gladstone Elias de Souza. Documento este, assi­ nado somente pelos senhores Oscar Fernandes (vulgo Cacá), Carlos Alber­ to Pinheiro de Mendonça Júnior (vulgo Juninho do IAPI) e pelo Deputado Es­ tadual Fred Costa. Colocando todos os relacionados como integrantes des­ te falso Movimento Lagoinha Viva e o contato deveria ser feito com a senho­ ra Tereza Vergueiro através do e­mail: terezavergueiro@gmail.com ou nos celulares dela 8417­4414 / 75650325. Quando tivemos acesso a este documento, observamos que fal­ sificaram minha assinatura pela ACRD Santo André e a assinatura do Padre Elias pela Paróquia Nossa Senhora Da Conceição. #Isso É verdade# O senhor Juninho do IAPI ainda diz que eu, Jairo Nascimento, por interesse político e particular, dei­ xei de apoiar a revitalização da Lagoi­ nha no OP digital, para apoiar outra obra. Mas ele não sabe que esta obra que apoiei e ganhamos ela no OP Di­

acrdsantoandre@yahoo.com

gital, é um esgoto a céu aberto no bairro Aparecida. Obra esta que, des­ de o ano de 2002 a comunidade do bairro Aparecida tentava conquistá­la dentro do famigerado Orçamento Par­ ticipativo e sempre teve o meu apoio e o apoio de outras várias comunidades, mas sempre ganhávamos, mas nunca levávamos, devido a articulações dis­ criminatórias e conchavos políticos feitos antes das caravanas das priori­ dades e do fórum final. E eu já tinha dado minha palavra ao presidente da Associação do bairro Aparecida, senhor Bonomo, que ele poderia contar novamente com o meu apoio no OP Digital e gra­ ças a Deus, trabalhando com muita seriedade e transparência, conquista­ mos a vitória. Quando o senhor Juninho fala que eu, Jairo, não estava em evi­ dência e não tinha argumento para discutir a pauta do Centro Administra­ tivo com o prefeito e, ainda falava que na Pedreira tudo estava lindo e que os idosos do bairro Bonfim deveriam era morrer, ele tenta mudar o rumo dos erros gravíssimos cometidos por este grupo, tentando se colocar como o mocinho para se safar destas tantas falcatruas. Há mais de trinta anos em movimentos populares, trabalhando em prol das comunidades com muito orgulho, nunca precisei ou me preocu­ pei em estar em evidência, um líder não se faz da noite para o dia. Quem precisa estar em evidência é artista ou político, eu não sou nenhum destes. Não se discute projetos com argu­ mento e sim com propostas, sabedo­ ria, discutindo os impactos que virão. Dentro de um processo de desapropri­ ação deve existir sim, uma ampla dis­ cussão para uma indenização justa aos proprietários dos imóveis que se­ rão atingidos e a questão morte é para todos nós, o certo é as pessoas mais idosas morrerem primeiro que os mais jovens. Em uma audiência pública na Câmara Municipal eu pedi com ve­ emência sim, para que seu grupo res­ peitasse os presentes e que lavasse a boca para falarem da Pedreira, pois nem o Juninho e ninguém da sua tur­ ma nunca fizeram nada pela Pedreira e não conheciam a realidade desta comunidade. Mas o senhor Juninho,

Pe. Milton, Pe. Elias, Robson da Fala Pedreira e Selma da ARCA Bonfim.

pensando que através da pintura do conjunto IAPI, seria eleito vereador, chegou até pedir para que eu apoias­ se sua candidatura dizendo que já es­ tava eleito. Que no conjunto IAPI mora mais de cinco mil pessoas e que sairia eleito dentro do conjunto, em sua campanha para vereador, ficava igual papagaio de pirata colado ao prefeito reeleito Márcio Lacerda, tirando fotos pra postar no Facebook. #isso É ver­ dade#. Mas coitado, levou uma cace­ tada, perdendo vergonhosamente a eleição com uma merreca de votos, fi­ cando frustrado e agora tenta de qual­ quer forma atropelar as lideranças do complexo que não apoiaram sua can­ didatura e tenta invadir territórios di­ zendo até mesmo que ele é o representante sim das comunidades da Pedreira, Vila Senhor dos Passos, Bonfim, IAPI e região, que os morado­ res destas comunidades o convidam para solucionar os problemas locais. Isto que sim é querer estar em evidência para em qualquer outra eleição, vir descaradamente pedir vo­ tos, mas aqui não Pica­Pau / aqui vo­ cê quebra o bico / aqui é madeira de lei / respeita nós lideranças e respeite os moradores destas comunidades. A CASA CAIU (1): Falsificação da assinatura do Padre Elias Através da minha matéria noutra edição deste jornal em que de­ nunciei as falsificações de assinatu­ ras, o Padre Elias da Paróquia Nossa Senhora da Conceição convidou as Associações que não fazem parte deste falso Movimento Lagoinha Viva para uma reunião na referida Paróquia para tomar conhecimento e esclarecer a falsificação comprometedora de sua assinatura. Nós das Associações ACRD Santo André, Fala Pedreira e ARCA Bonfim com a exceção da Vila Senhor dos Passos, pois seu Presi­ dente Iran estava de plantão em seu trabalho e não pode comparecer, fo­ mos muito bem recebidos pelo Padre Elias e Padre Milton que ficaram muito tristes e chateados ao saberem que este grupo estaria usando também o nome da Paróquia ao falsificarem a sua assinatura. O Padre Elias nos afirmou que não conhece a senhora Tereza Vergueiro nem tão pouco o senhor Ju­ ninho do IAPI, que conhece somente o senhor Cacá pelo relacionamento que ele tem com a igreja. Que não sabia deste falso documento, nunca autorizou ninguém desta turma a assinar por ele e que somente o Padre Milton e Padre João possuem esta autorização. Contradi­ zendo o que afirma o senhor Juninho, que a senhora Tereza Vergueiro tinha uma prévia autorização do Padre Elias para assinar por ele. A CASA CAIU (2): Situação da Asso­ ciação Comunitária do Conjunto Residencial São Cristóvão De acordo com informa­ ções de moradores do IAPI de que o senhor Juninho usaria o nome da As­ sociação do conjunto para se promo­

Jairo da ACRD Santo André, Pe. Milton, Pe. Elias e Robson da Fala Pedreira. ver politicamente e que o mesmo não Certidão, a última Diretoria da Associ­ tinha legitimidade para isto, pois ne­ ação Comunitária do Conjunto Resi­ nhuma ata de eleição da sua gestão dencial São Cristóvão foi registrada no nunca foi registrada no Cartório de dia 03 de Novembro de 1993, prova­ Registro Civil das Pessoas Jurídicas velmente por um mandato de dois (Gero Oliva). E por isto, ele, Juninho, anos. E como não houve nenhum ou­ não poderia nem falar em nome da tro registro após esta data, esta Asso­ Associação Comunitária do Conjunto ciação jamais teve um presidente Residencial São Cristóvão (nome cor­ legitimado para representar ou poder reto da Associação) e não Associação falar em nome da mesma. do IAPI como ele anda dizendo. Sendo assim, fica confir­ Para a veracidade desta in­ mado que o senhor Juninho!!!... do IA­ formação, solicitamos uma Certidão PI!!!... está sim, usando no Cartório de Registro Civil das Pes­ indevidamente o nome desta entida­ soas Jurídicas, único em Belo Hori­ de, sem legitimidade e sem limites. E zonte onde se procede o registro das isto é totalmente ilegal e é crime. #Is­ Associações Comunitárias, dentre ou­ so É verdade# tras entidades. E ficamos sabendo que, a Associação Comunitária do ISSO É COMETER DIVERSOS Conjunto Residencial São Cristóvão, CRIMES: Formação de quadrilha / foi fundada em 19 de Julho de 1988 falsidade ideológica / danos morais com diretoria provisória e mandato de / difamação, calúnia e injúria dois meses. Em 24 de Abril de 1989 foi eleita nova diretoria. Em 30 de Formar uma turma para Maio de 1991 foi empossada nova di­ elaborar documento comprometedor retoria. Em 01 de Agosto de 1991 contra a Prefeitura envolvendo o no­ aconteceu a renúncia de quase toda me de diversas Associações Comuni­ sua diretoria. Em 16 de Agosto de tárias e outras entidades, sem 1991 foi recomposta nova diretoria. nenhuma autorização ou conhecimen­ Em 22 de Maio de 1993 houve uma to de seus legítimos representantes, eleição entre chapa 01 e chapa 03, falsificar assinaturas, falar e assinar sendo que a chapa 01 obteve 282 vo­ por uma entidade sem ter legitimidade tos e chapa 03 obteve 179 votos. A para tal, usar espaço em jornal para chapa 01 elegeu o senhor Aylton Au­ mentir e atacar a idoneidade de pes­ gusto de Azevedo como presidente e soas, querer se promover com menti­ respectiva Diretoria e Conselho Fiscal ras. de acordo com ata registrada em 03 de Novembro de 1993. ESCLARECIMENTOS São dados confirmados através de Certidão, conforme o Re­ Esta é a mais pura verda­ gistro Nº 70728 da Associação Comu­ de, de tudo e de todas as ações co­ nitária do Conjunto Residencial São metidas por esta turma que se intitula Cristóvão, averbação 11 arquivada em liderança e pensa que são os salvado­ Cartório, nesta data, juntamente com o res da Pátria. Usam o espaço deste Termo de presença e posse da Direto­ jornal para mentir e iludir os leitores. ria e presentes às reuniões de Mas quem desta turma elaborou este 30/05/93 e 22/05/93. Na cidade de Be­ documento e quem falsificou as assi­ lo Horizonte, em 03 de Novembro de naturas, não é da nossa competência, 1993, data do último registro da Asso­ mas serão identificados através de ciação Comunitária do Conjunto Resi­ exame grafotécnico com a instauração dencial São Cristóvão. de inquérito policial, pois não sairão Certifica finalmente que não impunes diante de tantas irregularida­ foi encontrado nenhum outro docu­ des e falcatruas cometidas. mento registrado, averbado e/ ou ar­ E você leitor, que tiver inte­ quivado até a presente data, que resse na Certidão que comprova a si­ altere o registro e averbações mencio­ tuação da Associação Comunitária do nadas nesta Certidão. O referido é Conjunto Residencial São Cristóvão e verdade e dá fé. Belo Horizonte, 12 de do documento com as assinaturas fal­ Dezembro de 2013. sificadas pode solicitar pelo e­mail: Esta Certidão está assina­ acrdsantoandre@yahoo.com da pela senhora Ana Paula Néri Silvei­ ra (Escrevente substituta do Registro UMEI Civil das Pessoas Jurídicas). Neste ano de 2014, a nos­ A CASA CAIU (3): Juninho do IAPI sa grande meta será a ampliação da não é Presidente de nenhuma Asso­ UMEI Vila Senhor dos Passos. Esta­ ciação remos solicitando também a desvincu­ lação. Abraço a todos, saúde e paz! Conforme confirmada em


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

Pela L a g oi n h a

21

Opinião & Comunidade

Pontapé inicial para um programa de segurança pública Delegado Edson Moreira ­ Vereador PTN/BH­ Especialista em Segurança Pública pela UFMG delegadoedsonmoreira@cmbh.mg.gov.br O projeto de lei 894/2013 prevê a sinalização com placas e dis­ ponibilidade de ao menos dois guar­ das municipais em locais com altos índices de criminalidade. Decorrido o prazo máximo de 60 dias da coloca­ ção das placas, o poder público é obrigado a tomar medidas efetivas de segurança para a região. A proposta é polêmica, mas as intenções são muito positivas. O objetivo é reduzir os crimes violen­ tos na capital e cobrar providências no prazo máximo de dois meses após detecção de alto risco, com maior po­ liciamento, rondas diárias etc. Não é função do Legislati­ vo interferir nas competências do po­ der Executivo, cabendo à Prefeitura acionar policiamento onde necessá­ rio. Independente disto, sendo verea­ dor, especialista em segurança pública e cidadão, vejo que algo pre­ cisa ser feito. O projeto pode servir de pontapé inicial para uma ampla dis­ cussão sobre a segurança pública, já que as ações municipais nesta área são muito limitadas. As repercussões positivas e negativas do projeto são importantes para discussão, adequa­ ção e início de um debate sobre a se­ gurança em BH que, a meu ver, deve ser municipalizada. Está previsto no PL a cele­ bração de convênios entre a Prefeitu­ ra, o Estado e a Federação em busca de soluções para redução de crimes. Os dados regionalizados precisam ser fornecidos, mas hoje isto não acontece; uma forma de mascarar a criminalidade crescente a olhos nus, independente de dados estatísticos. Outro ponto abordado é que a própria população poderá pedir a sinalização dos locais para que a sua região seja mais bem atendida no âmbito da segurança. A colocação das placas não é discriminatória e não se limita a bairros de maior ou menor poder aquisitivo, e sim a locais onde a criminalidade e fragilidade se­ jam percebidas. Alguns questionam a pos­ sível desvalorização de imóveis ou regiões. A intenção é oposta. Já que as providências terão que ser toma­ das dentro de dois meses e que ha­ verá guardas municipais nos locais durante este período, os crimes seri­ am reduzidos e a região poderia ga­ nhar mais visibilidade, com melhora no comércio e na qualidade de vida e segurança das pessoas. O Poder Executivo tem uma grande “ferramenta” nas mãos: a

Guarda Municipal, hoje subutilizada. Pedi mudanças no Estatuto da Guar­ da, por meio de projeto que tramita na CMBH, para que ela trabalhe armada, no policiamento ostensivo/preventivo, com o devido treinamento. O mesmo PL autoriza os guardas a redigirem os Registros de Eventos de Defesa Soci­ al (REDS) para encaminhamento di­ reto à autoridade policial mais próxima, somando esforços às políci­ as militar e civil. Em resumo, as propostas de minha autoria são direcionadas à segurança pública e seus objetivos são sempre a favor do povo.

Redução da Maioridade Penal A redução da maioridade penal é uma das esperanças por justi­ ça, em uma sociedade acuada pela violência. Nos últimos 30 anos, a taxa de homicídios no Brasil cresceu 124%. Em comum, grande parte des­ sas histórias tem um mesmo compo­ nente: um menor. De acordo com Edson Mo­ reira, são essenciais investimentos na educação, na recuperação e no res­ gate social, mas com a devida puni­ ção àqueles bandidos juvenis que matam, estupram e são incapazes de viver de forma harmônica em socie­ dade. “Se as cadeias estão ruins, o governo federal deveria utilizar a ver­ ba dos impostos para melhorá­las, e não soltar bandidos, causando verda­ deiras carnificinas nas ruas”, afirma. A pena deveria ser condi­ zente com o delito, e sua diminuição vinculada a obrigações por parte do sentenciado, como estudo e trabalhos profissionalizantes. “Quem escolhe um presi­ dente da República, também deve responder criminalmente pelos seus atos”, conclui o Vereador. Cidadania honorária Conforme indicação do ve­ reador Delegado Edson Moreira (PTN/BH), o desembargador Joenildo de Sousa Chaves ­ presidente do Tri­ bunal de Justiça do Mato Grosso do Sul recebeu, no dia 20/12/2013, o Tí­ tulo de Cidadania Honorária de Belo Horizonte pela Câmara Municipal. De acordo com o Delegado, o Presidente do TJMG cresceu, estu­ dou, casou e começou sua carreira em Minas Gerais, tendo feito muito pelos belo­horizontinos, razão pela qual o indicou para tornar­se um cida­ dão de nossa cidade.


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

Prefeito de BH revela planos para nova sede

22


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

23

Melhor Idade Como evitar a desidratação nos idosos

Elzimar de Paoli ­ Psicóloga/Gerontóloga

elzimarpsicologa.blogspot.com

8827­4761


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

Confraternização do Lagoinha Futebol Clube

24


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

25

Agora com o espaรงo renovado para seu maior conforto! Venha conhecer!!!


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

26

Esportes

Cristiano é o óbvio e o justo Matheus Oliveira ­ Colunista

oliveirasouza.matheus@gmail.com

Pela L a g oi n h a

@Math_deoliveira

Venha conhecer nossa Escolinha de Futebol EXPERIÊNCIA | ESTRUTURA | PROFISSIONALISMO


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

27

Futebol Mineiro

Futebol jogado no tapete e o "dia do fico"

Flávio Domênico ­ Colunista

@flaviodomenico

Foto: Anna Ftg.


Belo Horizonte, 31 de Dezembro a 10 de Janeiro de 2014

28

Futebol

A magia dos craques Tostão ­ Colunista

Ofertas boas pra cachorro! ...e gato. Ração Pedigree Equilíbrio Natural

Carne/vegetais/nuggets, carne/ frango/cereais, ovelhas/cereais, raças pequenas, júnior, equilíbrio natural Exceto equilíbrio natural: raças pequenas ou júnior 15Kg

Ração Pedigree

Carne/vegetais/nuggets, júnior, raças pequenas ou carne/frango/cereais 20Kg

R$ 135,90 cada

Coleira Scalibor

R$ 135,00 cada

Cães grandes 25g / 65cm Cães pequenos/médios 19g / 48cm

R$ 65,00

Tudo em até 6x sem juros no cartão Visa e Master Parcela mínima de R$ 20,00

Frontline Plus 1­10 Kg....R$ 38,90 cada 10­20 Kg...R$ 48,90 cada 20­40 Kg...R$ 59,90 cada Acima de 40 Kg...R$ 65,00 cada Ração para Gatos Whiskas Carne nuggets, frango/leite, peixe nuggets ou salmão/atum/sardinha 1Kg

R$ 16,90 cada 10Kg

R$ 99,90 cada

cada

Frontline Spray 100ml.....R$ 79,90 cada Champ Adulto 250ml.....R$ 135,90 cada Ração Carne/Vegetais 22kg

R$ 94,90 cada

Ração Pedigree Carne e vegetais ­ Filhotes/Raças pequenas 15kg

R$ 99,90 cada

Ração Kanina Carne/cereais ou Carne/vegetais 15kg

R$ 59,90 cada

Ração Dog Chow Adulto light, adulto raças médias a grandes ou papita 15Kg ­ cada

R$ 109,90

Ração Colosso Filhotes 8Kg ­ cada

R$ 49,90 Filhotes 25Kg ­ cada

R$ 139,90

Carne 25Kg ­ cada

R$ 95,00

Carne e Vegetais 15Kg ­ cada

R$ 79,90


Gazeta da Lagoinha - Edição 81 - Janeiro 2014